Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 30 de março de 2020

Excelsior (BAUH)

Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: Paulo Prof (2019mai/19) - Banzai10 (2013) - Peroquini (2013) - rodrigoset (2013) - PERIQUITO VERDE (2013)

Carteiras
BAC 1000 (abr/16) - disc126 (set/16) - effexop (set/17) - Gersonlp (ago/17nov/18dez/18) - pocunha (jan/18) - uqaz (out/12)

Códigos de Negociação
Tipo
CVM
BAUH3; BAUH4

 1570

Razão Social
CNPJ
EXCELSIOR ALIMENTOS S.A.
95.426.862/0001-97 

Balanços
A2019/4T2019 ➤ DFP de 31/12/19

3T2019 -

2T2019 -

1T2019 -

A2018/4T2018 -

3T2018 -

2T2018 -

1T2018 -

A2017/4T2017 -


3T2017 -

2T2017 -


1T2017 -

A2016/4T2016 -

A2014/4T2014 -


3T2016 -

3T2013 -



Parece que nossa Excelsior (BAUH4) andou surpreendendo muitos com seus resultados. Bonzinho este 1T13, hein? Continuo comprado ao preço médio de R$3,43 na posição integral. Resolvi não vender até pelo menos a empresa pagar dividendos. Felizes aqueles mais aventureiros e pacientes que compraram quando comentava sobre o papel quando estava abaixo de 3. Sabia que a situação da empresa estava em ajuste por causa da mudança de mix e os erros causados na época da introdução de congelados, mas os resultados da empresa no 4T12 e neste 1T13 superaram as minhas expectativas. Mas francamente, cheguei a pagar em alguns bons lotes 1,90. Nesta época a empresa valia na casa dos R$ 9 milhões apenas o que não pagava nem pelo imóvel da empresa.

A2012/4T2012 -
Banzai10  -
Que belezinha!
Errei feio achando que o resultado viria um CARAJO!!
Veio um típico CARAJAO!!
Pena só é a mardita liquidez!!

3T2012 -


2T2012 -

Sobre
A Excelsior Alimentos S.A. controlada direta e indiretamente (por meio da Baumhardt Comércio e Participações Ltda.) pela Seara Alimentos Ltda., localizada no Estado de Rio Grande do Sul, na cidade de Santa Cruz do Sul, tem como principal atividade a produção de industrializados de embutidos de carnes, é líder nacional da produção e comercialização de patês em bisnagas, sendo seus principais produtos: presuntos, fiambres, mortadelas, linguiças, salsichas e patês. A cadeia de distribuição da Companhia permite que seus produtos sejam comercializados junto a redes varejistas, distribuidores e revendedores e pequenos estabelecimentos comerciais, principalmente na Região Sul, tendo o estado do Rio Grande do Sul como seu principal mercado.

Assembleias
AGO - 30/04/2020 10:00 - Assunto(s): Tomada de Contas-Votação do Relatório da Administração e das Demonstrações Financeiras; Eleição de Membros dos Conselhos de Administração e Fiscal; Remuneração dos Administradores e Conselheiros; Destinação dos Resultados



367236  - paulo_prof  -  19 Fev 2020, 01:13
Os resultados do 4T19 e 2019 foram excelentes mas, em minha opinião, insuficientes para justificar o preço atual especialmente considerando a pífia liquidez.
p.php?pid=chartscreenshot&u=9XXJ1GUdtg%2



No que segue, foram expurgados R$12,454 milhões do lucro líquido do 1T19 e 2019, decorrentes de revisão do lucro tributável de anos anteriores.



BAUH4

PREÇO: R$ 101,15

PAYOUT (2019): 25,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 36.67

P/VPA 7.36

PSR 2.93

DY 0.70%

EV/EBITDA 24.20

MARGEM BRUTA 25.3%

MARGEM OPERACIONAL 9.6%

MARGEM LÍQUIDA 8.0%

LUCRO POR AÇÃO $ 2.758

MARGEM EBITDA 11.4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 4.2%

ROE 20.08%

LIQUIDEZ CORRENTE 1.46



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,62%

RESULTADO BRUTO +0,04%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +515,45%

RESULTADO OPERACIONAL +16,82%

RESULTADO LÍQUIDO +43,31%

EBITDA +14,16%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,83%

RESULTADO BRUTO +6,25%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +69,28%

RESULTADO OPERACIONAL +39,94%

RESULTADO LÍQUIDO +67,95%

EBITDA +34,06%



c) lucro líquido, nominal

UA 43,31%

U2A 45,00%

U3A 23,27%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 48,60%

U2A 32,45%

U3A 29,14%



e) ebitda, nominal

UA 14,16%

U2A 24,54%

U3A 12,79%

U4A 23,76%

U5A 6,83%

U6A 2,88%

U7A 13,27%

U8A 18,09%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 34,47

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +27,5% !!!

365047  - paulo_prof  -  08 Nov 2019, 16:50
A continuarem os resultados pífios do 3T19, logo veremos a corrida do homem pelado. Os atuais preços não têm condição alguma de sustentação.

Os Resultados do 3T19 foram ruins. Excetuando o Financeiro, todos os resultados involuíram, alguns fortemente. Para justificar o preço atual o lucro da empresa teria que estar crescendo de forma recorrente a taxas reais que não têm chances de ocorrer. Ativo caro prá caramba!
lPw8PiDMwRjRPJ%20I7vwagLtKY=


No que segue, foram expurgados

a) R$12,454 milhões do lucro líquido do 1T19, decorrentes de revisão do lucro tributável de anos anteriores.



BAUH4

PREÇO: R$ 70,00

PAYOUT (2018): 46,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 28,06

P/VPA 5,03

PSR 2,09

DY 1,67%

EV/EBITDA 17,33

MARGEM BRUTA 25,6%

MARGEM OPERACIONAL 9,3%

MARGEM LÍQUIDA 7,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,495

MARGEM EBITDA 11,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,1%

ROE 17,94%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,86



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,55%

RESULTADO BRUTO -0,84%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +7,76%

RESULTADO LÍQUIDO +29,05%

EBITDA +5,40%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,06%

RESULTADO BRUTO -24,32%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +570,73%

RESULTADO OPERACIONAL -42,02%

RESULTADO LÍQUIDO -23,45%

EBITDA -41,46%



c) lucro líquido, nominal

UA 29,05%

U2A 34,18%

U3A 26,68%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 42,39%

U2A 29,95%

U3A 27,51%



e) ebitda, nominal

UA 5,40%

U2A 18,89%

U3A 18,98%

U4A 17,78%

U5A 1,93%

U6A 3,78%

U7A 17,45%

U8A 17,38%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 31,19

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +20,0% !!!

364230  - paulo_prof  -  18 Set 2019, 17:39
Bom ... Há que se fazer as contas com os resultados recorrentes. Ao preço que o ativo estava por ocasião da postagem, R$ 54,99, para o lucro recorrente postado nos últimos 12 meses, P/L = 20,57.

Considerando a política de payout da empresa (na faixa dos 47%), e o preço de então, o DY esperado está na faixa dos 2,3%. Acho isto muito pouco se for levada em consideração a lpraticamente inexistente iquidez do ativo. Ou seja, a qualquer sinal de problemas, a porta de saída é inexistente. Por outro lado, permanecer no ativo para embolsar os 2,3% não me parece adequado.

Concordo, entretanto, que uma coisa é um invesidor com preço médio abaixo dos R$ 10,00 PERMANECER no ativo. Outra completamente distinta é o investidor MONTAR POSIÇÃO NOS PREÇOS ATUAIS. Embora no 1o. caso haja um risco de oportunidade (há ativos mais interessantes do que BAUH4 a R$ 55,00), acaba sendo mais fácil manter do que arriscar grana nova.

Pegunto: vc está aumentando a sua posição em BAUH4? Em caso negativo, por que não?

364223  - Blumenn  -  18 Set 2019, 10:31
BAUH apresentou um lucro não recorrente no 1TRI2019, quando reconheceu resultados de exercícios passados.

Ela compra a sua matéria prima a mercado e vende seus produtos no mercado interno, no RS, SC e PR, nessa ordem. Portanto a gripe suina que levou ao sacrificio de boa parte do plantel chinês não a beneficia diretamente. Ao contrário, faz a sua matéria prima ficar mais cara.

Não vejo motivos para a cotação atual se manter.

Liquidei a minha carteria esse ano.

Havia iniciado posição em 2009 a R$ 3,xx e reforçado nos anos seguintes a R$ 5,xx.

Quem chamou minha atençao para a empresa na época foi o forista NetwenCardozo (acho que é assim que se escreve o nick dele).

Aliás há uns 10 anos ele me ajudou muito com suas postagens, como tantos outros aqui me ajudaram.

Agradeço muito e lastimo que nunca mais ele tenha postado. Quem sabe também apareça de novo.

BAUH continua uma otima empresa. Caixa alto. Lucros crescentes. Porém não vejo nada que justifique os preços atuais, se retirado o não recorrente do 1TRI2019.

se o mercado voltasse a vender na bacia das almas, seria comprador de novo.

Um abraço a todos,

Blumenn

363916 - paulo_prof   -  31 Ago 2019, 14:00
Os resultados foram excelentes em comparação com aqueles do 2T18; bons e dentro do esperado, em comparção com aqueles do 1T19 (excetuando o lucro líquido que foi turbinado pelo deferimento não recorrente do IR.

No entanto, acho que o ativo está sobre precificado e defícilmente o preço atual poderá ser mantido. No 1S19, a empresa gerou um Resultado Antes dos Impostos, de R$ 99 milhões. Quando submetido à alíquota normal de IR/CS, o Lucro Liquido anual gerado seria de aprox. R$ 13,2 milhões. Para justificar o preço atual, considerando uma taxa de desconto real de 8%, perpetuidade real nula e um período de 10 anos, este lucro teria que crescer, em termos reais, uma média de aprox. 8%. O risco de não acontecer é enorme!

p.php?pid=chartscreenshot&u=DyqsCMoXHdrm


BAUH4

PREÇO: R$ 54,99

PAYOUT (2018): 46,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,87

P/VPA 4,13

PSR 1,61

DY 4,30%

EV/EBITDA 11,76

MARGEM BRUTA 27,0%

MARGEM OPERACIONAL 10,5%

MARGEM LÍQUIDA 14,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 5,058

MARGEM EBITDA 12,4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,2%

ROE 37,97%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,75



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,98%

RESULTADO BRUTO +20,45%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +65,05%

RESULTADO LÍQUIDO +244,53%

EBITDA +49,76%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,01%

RESULTADO BRUTO +13,37%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +95,22%

RESULTADO LÍQUIDO +140,93%

EBITDA +80,98%



c) lucro líquido, nominal

UA 244,53%

U2A 86,06%

U3A 63,47%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 35,49%

U2A 27,35%

U3A 25,31%



e) ebitda, nominal

UA 49,76%

U2A 25,02%

U3A 27,95%

U4A 20,13%

U5A 5,17%

U6A 7,31%

U7A 21,81%

U8A 22,95%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 63,22

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -3,0% !!!

361510  - paulo_prof   -  26 Mai 2019, 21:21
Os Resultados foram muito bons. O Lucro Líquido teria sido muito bom se fosse submetido à alíquota normal de IR/CS. Devido ao impacto do diferimento de um altíssimo IR/CS, entretanto, o lcuro foi excepcional, devendo turbinar o DY do exercício. O ativo ainda parece estar barato, mas sem muito espaço para valorizações adicionais.

BAUH4

PREÇO: R$ 27,99

PAYOUT (2018): 46,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,07

P/VPA 2,23

PSR 0,84

DY 7,69%

EV/EBITDA 6,22

MARGEM BRUTA 26,8%

MARGEM OPERACIONAL 9,4%

MARGEM LÍQUIDA 13,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 4,607

MARGEM EBITDA 11,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,2%

ROE 36,71%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,61



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +5,56%

RESULTADO BRUTO +16,34%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +47,70%

RESULTADO LÍQUIDO +221,531%

EBITDA +36,44%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,38%

RESULTADO BRUTO +10,77%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +42,17%

RESULTADO LÍQUIDO +589,36%

EBITDA +31,97%



c) lucro líquido, nominal

UA 221,53%

U2A 75,29%

U3A 64,68%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 25,51%

U2A 7%

U3A 22,51%



e) ebitda, nominal

UA 36,44%

U2A 15,17%

U3A 29,32%

U4A 10,60%

U5A 3,89%

U6A 7,16%

U7A 17,73%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 57,59

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -15,5% !!!

358722 - paulo_prof -  25 Fev 2019, 02:09
Na comparação anual os resultados foram muito robustos, apresentando taxas de crescimento consideráveis em todos os resultados (exceto o financeiro que ficou praticament estável em torno do zero).

A comparação trimestral mostra uma involução de resultados, com queda em todos os resultados em valores reais (descontada a inflação do período).

Desde a última avaliação (18NOV2018) o preço do ativo aumentou R$ 6,90 em valores nominais, ou 47,6%. Com esta enorme valorização nos últimos meses e a reversão nos resultados do 4T18 em relação ao 4T17 é bom ficar de olho no que a empresa será capaz de apresentar no 1T19. O 4T18 pode ter sido somente uma "tossida", ou pode estar mostrando que os tempos de taxas chinesas de crescimento dos resultados, terminou.


BAUH4

PREÇO: R$ 22,30

PAYOUT (2018): 46,7%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,59

P/VPA 2,37

PSR 0,67

DY 4,03%

EV/EBITDA 5,15

MARGEM BRUTA 26,2%

MARGEM OPERACIONAL 8,5%

MARGEM LÍQUIDA 5,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,925

MARGEM EBITDA 10,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,4%

ROE 20,45%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,54

Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +19,21%

RESULTADO BRUTO +17,12%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +45,92%

RESULTADO LÍQUIDO +46,71%

EBITDA +35,87%

b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,44%

RESULTADO BRUTO +2,63%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL -6,43%

RESULTADO LÍQUIDO -2,13%

EBITDA -9,08%

c) lucro líquido, nominal

UA 46,71%

U2A 14,33%

U3A 22,10%

d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 18,06%

U2A % 20,39%

U3A 19,58%

e) ebitda, nominal

UA 35,87%

U2A 12,11%

U3A 27,14%

U4A 5,07%

U5A 0,76%

U6A 13,13%

U7A 18,66%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -1,5% !!!

356583 - PERIQUITO VERDE -  06 Dez 2018, 19:57
Acredito que o preço esteja com desconto por causa da baixa liquidez, o que coloca a empresa fora dos radares dos grande investidores.

O risco que mais me chama atenção é o do já citado controlador único. Recentemente foi feita uma OPA para as ações ON, que desde então não são mais negociadas no mercado. Acredito que o risco de uma OPA para as PNs é baixo por se tratar de uma empresa há décadas listada em bolsa.

Acredito bastante no potencial de expansão da empresa no Sul, sua única área de atuação, e também em outros estados. Recentemente ela ensaiou uma pequena exportação de produtos para o Norte do Brasil.

356578 - fazambuj -  06 Dez 2018, 19:02
Basicamente, se o preço camarada embute algum risco. Mas parece que é isso mesmo; não vi nada gritante.Me parece uma micro-cap que pode vir a crescer bem pois os concorrentes parecem se alavancarem demais, deixando possíveis oportunidades a quem está preparado para aproveitar. Também não cosegui muitas informações sobre a adm / acionistas. Um colega falou que tem muita ON fora de circulação; talvez um fechamento de capital a preços baixos fosse algo que estivessem pensando, mas parece uma situação improvável.

356428 - effexop  -  02 Dez 2018, 03:48
Citação: fazambuj - Post #356418 - 01/Dez/2018 19:03
Colegas,
alguém tem BAUH? Tem alguma informação ou ponto a ser observado? me parece um papel esquecido no mercado, inclusive por mim.
Empresa lucrativa, subvalorizada. Veja a análise do prof. Paulo.

Só que é preciso ter isso em mente:

O Capital Social da empresa, de R$ 30.000.000,00 é dividido em 5.222.222 ações, sendo 2.846.929 ações ON e 2.375.293 de ações PN.

A SEARA ALIMENTOS S/A é a detentora de forma direta e indireta de 87,9% das ações ON e 36,6% das ações PN.

Não fico confortável em investir muito numa empresa minúscula em que quase 90% das ONs estão na mão do controlador. Por isso minha posição é bem baixa.

356015 - paulo_prof -  18 Nov 2018, 21:42
Brincadeira !!! Se nem a greve conseguiu interromper o longo período de crescimento dos resultados, sem a gerev a empresa simplesmente bombou ... Está barata prá caramba. Nos últmos 90 dias o preço aumentou R$ 3,00 (26%) ... mas de acordo com os fundamento está mais barata hoje do que há 3 meses!


E=



BAUH4

PREÇO: R$ 14,50

PAYOUT (2017): 55,43%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,50

P/VPA 1,53

PSR 0,44

DY 7,39%

EV/EBITDA 2,78

MARGEM BRUTA 26,0%

MARGEM OPERACIONAL 8,6%

MARGEM LÍQUIDA 5,8%

LUCRO POR AÇÃO $1,933

MARGEM EBITDA 10,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,5%

ROE 20,39%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,69



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,20%

RESULTADO BRUTO +17,45%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente positivo para levemente negativo

RESULTADO OPERACIONAL +39,36%

RESULTADO LÍQUIDO +39,51%

EBITDA +34,12%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,72%

RESULTADO BRUTO +66,67%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente negativo para levemente positivo

RESULTADO OPERACIONAL +162,19%

RESULTADO LÍQUIDO +156,65%

EBITDA +114,18%



c) lucro líquido, nominal

UA 39,51%

U2A 25,50%

U3A 15,55%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 18,60%

U2A 20,67%

U3A 19,48%



e) ebitda, nominal

UA 34,12%

U2A 26,42%

U3A 22,22%

U4A 1,08%

U5A 3,46%

U6A 19,59%

U7A 19,20%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,16

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -11% !!!

353145 - paulo_prof - 28 Ago 2018, 03:35
Os Resultados foram impactados pela greve. Por outro lado, no 2T17 houve uma Receita não Recorrente de R$ 3,85 milhões, que impactou o ebitda e o lucro. Em consequência, as comparações do lucro e ebitda dos 12 últimos meses e do 2T18 em relação, respectivamente, aos 12 meses anteriores e 2T17, ficariam prejudicadas. No que segue abaixo, esta Receita e seus efeitos foram expurgados dos Resultados postados no 2T17.

Como pode ser observado, mesmo desconsiderando que a greve teve um impacto nos resultados, percebe-se que o ativo está sendo negociado a preço descontado. Os resultados que foram perdidos em decorrência da greve constituem uma "gordura" adicional.

BAUH4

PREÇO: R$ 11,50

PAYOUT (2017): 55,43%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,83

P/VPA 1,32

PSR 0,35

DY 7,08%

EV/EBITDA 2,76

MARGEM BRUTA 23,5%

MARGEM OPERACIONAL 6,7%

MARGEM LÍQUIDA 4,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,468

MARGEM EBITDA 8,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,7%

ROE 16,84%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,57



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,84%

RESULTADO BRUTO -2,30%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente positivo para levemente negativo

RESULTADO OPERACIONAL -0,71%

RESULTADO LÍQUIDO +0,48%

EBITDA +4,36%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +12,14%

RESULTADO BRUTO -28,38%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente positivo para levemente negativo

RESULTADO OPERACIONAL +12,90%

RESULTADO LÍQUIDO +12,37%

EBITDA +19,74%



c) lucro líquido, nominal

UA 0,48%

U2A 12,60%

U3A 3,13%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 19,71%

U2A 20,52%

U3A 19,35%



e) ebitda, nominal

UA 4,36%

U2A 18,27%

U3A 11,62%

U4A -3,72%

U5A 0,39%

U6A 17,68%

U7A 19,53%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,35

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -10,5% !!!

350747 - marcosvinicius2 -  04 Jun 2018, 21:59
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO ( * ). No primeiro trimestre de 2018 a Companhia obteve uma receita operacional líquida de R$ 44,689 milhões, 15,77% superior ao primeiro trimestre de 2017, FORAM VENDIDAS mais toneladas (7,909 no 1º TRIM_2017 X 8.305 no 1 TRIM_2018), houve crescimento no Lucro Líquido, com melhora no EBITDA no absoluto e no percentual.; RECEITA LIQUIDA = a receita liquida tem apresentado sensivel melhora: R$30 milhões no 1T16, R$38 milhões no 1T17, R$44 milhões no 1T18.; RESULTADO FINANCEIRO = houve diminuição nos ultimos trimestres: -R$13 milhões no 1T16, -R$43 milhões no 1T17, -R$53 milhões no 1T18.; LUCRO LIQUIDO = o lucro liquido tem apresentado melhora nos ultimos trimestres: R$1,6 milhões no 1T16, R$1,7 milhões no 1T17, R$2,3 milhões no 1T18.;

BAUH4
PREÇO: 14,19
PAYOUT (2017): 18,16%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,37
P/VPA 1,69
PSR 0,44
DY 2,46%
EV/EBITDA 3,58
MARGEM BRUTA 26,01%
MARGEM OPERACIONAL 8,81%
MARGEM LÍQUIDA 5,94%
LUCRO POR AÇÃO 1,925
MARGEM EBITDA 10,19%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,80%
ROE 22,92%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,53

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 19,42%
RESULTADO BRUTO 9,70%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -117,71%
RESULTADO OPERACIONAL 26,11%
RESULTADO LÍQUIDO 28,39%
EBITDA 18,20%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 15,77%
RESULTADO BRUTO 13,11%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 23,26%
RESULTADO OPERACIONAL 33,46%
RESULTADO LÍQUIDO 36,22%
EBITDA 4,79%

c) lucro (taxa média anual)
UA 28,39%
U2A 36,61%
U3A 6,23%

d) patrimônio líquido médio
UA 23,10%
U2A 21,04%
U3A 19,98%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,06
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -12% !!!!
[...]

348384  - marcosvinicius2  -  25 Mar 2018, 14:23
PAPEL SUBVALORIZADO ( * ). A RECEITA BRUTA aumentou de R$134 milhões em 2016 para R$163 milhoes em 2017, tambem houve aumento no custo de produtos vendidos passando de R$94milhoes em 2016 para R$120 milhões em 2017, desta forma o RESULTADO BRUTO manteve-se praticamente no mesmo patamar de R$39,7 milhoes (2016) para R$42,7 milhões (2017), desta forma o Lucro Líquido passou de 7,6 milhões em 2016 para 9,4 milhões em 2017:

BAUH4
PREÇO: 14,92
PAYOUT (2017): 19,38%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,27
P/VPA 1,88
PSR 0,48
DY 2,34%
EV/EBITDA 4,08
MARGEM BRUTA 26,19%
MARGEM OPERACIONAL 8,60%
MARGEM LÍQUIDA 5,78%
LUCRO POR AÇÃO 1,804
MARGEM EBITDA 10,47%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 14,43%
ROE 22,71%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,39

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 21,66%
RESULTADO BRUTO 7,29%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -105,56%
RESULTADO OPERACIONAL 20,85%
RESULTADO LÍQUIDO 22,53%
EBITDA 19,57%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 21,66%
RESULTADO BRUTO 7,29%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -105,56%
RESULTADO OPERACIONAL 20,85%
RESULTADO LÍQUIDO 22,53%
EBITDA 19,57%

c) lucro (taxa média anual)
UA 22,53%
U2A 30,63%
U3A -0,39%

d) patrimônio líquido médio
UA 22,77%
U2A 20,35%
U3A 20,68%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 22,55
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,3% !!!!
[...]

347482 - paulo_prof  -  26 Fev 2018, 22:03
Na comparação trimestral, os resultados foram fracos. Embora a Receita Líquida tenha evoluído sensivelmente, houve perda de margem bruta. O Resultado Financeiro, que no 4T16 fora positivo, no 4T17 foi negativo e houve aumento das despesas operacionais. Em consequência, o resultado antes dos impostos. o lucro involuiu e o ebitda involuiram sensivelmente.

Na base anual, os resultadois foram muito bons, com evoluções importantes no resultado antes dos impostos, lucro e ebitda, embora estes resultados tenham apenas chegado aos níveis de 3 e 4 anos atrás.

De qualquer forma, sou da opinião de que o ativo continua barato.

BAUH4

PREÇO: R$ 14,60

PAYOUT (2017): 55,43%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,09

P/VPA 1,84

PSR 0,47

DY 6,85%

EV/EBITDA 3,85

MARGEM BRUTA 26,2%

MARGEM OPERACIONAL 8,6%

MARGEM LÍQUIDA 5,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,804

MARGEM EBITDA 10,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 8,8%

ROE 22,71%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,39



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,45%

RESULTADO BRUTO +7,29%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para levemente negativo

RESULTADO OPERACIONAL +29,85%

RESULTADO LÍQUIDO +22,53%

EBITDA +19,44%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +18,43%

RESULTADO BRUTO +3,38%

RESULTADO FINANCEIRO passou positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -16,94%

RESULTADO LÍQUIDO -15,69%

EBITDA -10,09%



c) lucro líquido, nominal

UA 22,53%

U2A 30,63%

U3A -0,39%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 22,77%

U2A 20,35%

U3A 20,68%



e) ebitda, nominal

UA 19,44%

U2A 39,76%

U3A 5,02%

U4A -0,32%

U5A 14,78%

U6A 21,06%

U7A -221,05%

U8A 45,04%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 22,55

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,5% !!!

344244 - PERIQUITO VERDE -  23 Nov 2017, 01:41
Liguei para o presidente da empresa, que também é o diretor de RI, Sr. Renato. Ele me tirou algumas dúvidas:

- O aumento absurdo das despesas administrativas (450% de 2016 para 2017) foi causado por reclassificação de contas. Nada a temer aqui.

- Em 2017 a empresa começa a se expandir por outros estados além do Sul. Neste trimestre, 2% da receita provém de vendas para SP, MS e RO. Ainda é um percentual ínfimo, mas é o primeiro passo em direção a grandes mercados consumidores que ainda não foram explorados. Minha preocupação é que a controladora interferisse, pois ela possui outras empresas de atuação regional Brasil afora que poderiam entrar em conflito com a Excelsior. Quanto a isso, o Sr. Renato me disse que a gestão da Excelsior é independente.

- O 2T17 recebeu um grande impacto não recorrente positivo de quase R$ 4 milhões. Trata-se da reversão de provisão constituída em virtude de uma disputa judicial acerca de cálculo tributário. Segundo o Sr. Renato, o jurídico deu parecer favorável à Excelsior, o que ensejou a reversão da provisão. Portanto, o LL desproporcional do 2T17 é um ponto fora da curva.

344152  - paulo_prof  -  20 Nov 2017, 14:20
Embora a companhia tenha auferido uma receita líquida 17% superior aquela do 3T16 e em linha com aquela do 2T17, houve uma grande perda de margem bruta, de 29,9% no 3T16 e 35,6% no 2T16, para 19,7%. O Relatório não explica as razões desta queda. Há que se esperar pelo resultado do 4T17 para verificar se esta redução é estrutural ou conjuntural.

De qualquer forma, na comparação anual, as taxas de crescimento continuam muito robustas. O ativo continua barato prá caramba e se a política de payout fosse um pouco mais generosa, a recomendação de compra seria muito forte! Com um payout pífio, parece não haver drivers no curto prazo para turbinar o preço do ativo. Por outro lado, os riscos parecem ser mínimos..

BAUH4

PREÇO: R$ 12,96

PAYOUT (2016) 24,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,90

P/VPA 1,62

PSR 0,43

DY 3,62%

EV/EBITDA 3,07

MARGEM BRUTA 27,1%

MARGEM OPERACIONAL 9,4%

MARGEM LÍQUIDA 6,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,878

MARGEM EBITDA 11,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1,1%

ROE 23,54%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,51



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,45%

RESULTADO BRUTO +10,39%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -83,31%

RESULTADO OPERACIONAL +50,97%

RESULTADO LÍQUIDO +53,00%

EBITDA +52,77%



b) 3T17 sobre 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +17,05%

RESULTADO BRUTO -22,76%

RESULTADO FINANCEIRO passou de levemente positivo para levemente negativo

RESULTADO OPERACIONAL -21,65%

RESULTADO LÍQUIDO -20,27%

EBITDA -13,10%



c) lucro líquido, nominal

UA 53,00%

U2A 22,42%

U3A -1,52%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 22,78%

U2A 19,92%

U3A 22,19%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,03

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -15,5% !!!

341580  - marcosvinicius2  -  30 Ago 2017, 16:23
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 42 TRIMESTRES, 13 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (30,95%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 2550; (U24M) = 2031; (U36M) = 1936; (U48M) = 2064; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO FINANCEIRO (-71,48%) E EBITDA (70,30%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO FINANCEIRO (361,54%) E RESULTADO LIQUIDO (140,49%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 75.197; VALOR MAXIMO (MIL) = 75,197 NO 2T17; VE PSBE (MIL) = 87.443:

BAUH4
PREÇO: 14,40
PAYOUT (2016): 17,05%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,37
P/VPA 1,88
PSR 0,50
DY 2,43%
EV/EBITDA 3,64
MARGEM BRUTA 29,73%
MARGEM OPERACIONAL 10,15%
MARGEM LÍQUIDA 6,78%
LUCRO POR AÇÃO 1,953
MARGEM EBITDA 11,94%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15,60%
ROE 25,44%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,44

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 25,55%
RESULTADO BRUTO 21,30%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -71,48%
RESULTADO OPERACIONAL 66,77%
RESULTADO LÍQUIDO 68,68%
EBITDA 70,30%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 27,64%
RESULTADO BRUTO 47,17%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 361,54%
RESULTADO OPERACIONAL 131,84%
RESULTADO LÍQUIDO 140,49%
EBITDA 103,24%

c) lucro (taxa média anual)
UA 68,68%
U2A 20,81%
U3A 1,41%

d) patrimônio líquido médio
UA 21,33%
U2A 19,17%
U3A 24,87%

No segundo trimestre de 2017 a Companhia obteve uma receita bruta de R$ 50.681.619,95, 16,77% superior ao segundo trimestre de 2016. Com este faturamento, a Companhia obteve uma receita líquida de R$ 40.345.970,25, o que gerou um EBITDA de R$ 6.647.734,51 e um Lucro Líquido de R$ 4.057.264,78.

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

341029  - PERIQUITO VERDE -  14 Ago 2017, 02:52
Há duas ressalvas. Vou expô-las copiando abaixo o conteúdo do email que enviei ao RI da empresa:

Bom dia,
Na condição de acionista venho pedir esclarecimentos sobre os seguintes itens presentes no ITR 2T17:
1)
"PIS e COFINS a recolher - no trimestre a Companhia registrou no resultado o montante de R$3.847mil referente a reversão de valores provisionados retroativamente e correspondentes a exclusão do ICMS da base de cálculo do PIS e COFINS. "

Isto significa que o lucro líquido foi inflado em R$3.847mil por este fato não recorrente?

2)
2017 2016
Despesas administrativas e gerais: (2.191) (395)
O que gerou este aumento de 450% nas despesas administrativas?

341011  - paulo_prof   -  13 Ago 2017, 12:26
Resultados excelentes. Excetuando o Resultado Financeiro (que não é importante devido ao seu baixo valor), todos os resultados evoluíram fortemente, tanto na base trimestral quanto anual.

Ativo barato para caramba, mesmo considerando que o lucro do proprietário (lucro líquido + depreciação/amortização - capex) é da ordem de 18,5% menor do que o lucro líquido contábil.

No que concerne a avaliação pela fórmula do FCD, o preço atual seria ustificado por uma involução do lucro líquido do proprietário por ação, de até aprox. 10% ao ano, em termos reais, durante os próximos 5 anos.


BAUH4

PREÇO: R$ 13,50

PAYOUT (2016) 24,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,91

P/VPA 1,76

PSR 0,47

DY 3,62%

EV/EBITDA 3,05

MARGEM BRUTA 29,7%

MARGEM OPERACIONAL 10,2%

MARGEM LÍQUIDA 6,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,953

MARGEM EBITDA 11,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1,2%

ROE 25,44%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,44



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +25,55%

RESULTADO BRUTO +21,308%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -71,48%

RESULTADO OPERACIONAL +66,77%

RESULTADO LÍQUIDO +68,68%

EBITDA +70,56%



b) 2T17 sobre 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,64%

RESULTADO BRUTO +47,17%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +361,54%

RESULTADO OPERACIONAL +131,84%

RESULTADO LÍQUIDO +140,89%

EBITDA +103,24%



c) lucro líquido, nominal

UA 68,68%

U2A 20,81%

U3A 1,41%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 21,33%

U2A 19,17%

U3A 24,87%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 25,03

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -15,5% !!!!

337859  - paulo_prof  -  13 Mai 2017, 03:01
Ativo barato prá caramba! Duro é aguentar a liquidez!

BAUH4

PREÇO: R$ 10,25

PAYOUT (2016) 24,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,84

P/VPA 1,48

PSR 0,38

DY 3,66%

EV/EBITDA 2,49

MARGEM BRUTA 28,3%

MARGEM OPERACIONAL 8,3%

MARGEM LÍQUIDA 5,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,499

MARGEM EBITDA 10,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1,5%

ROE 21,72%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,34



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +22,48%

RESULTADO BRUTO +15,78%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -90,28%

RESULTADO OPERACIONAL +46,04%

RESULTADO LÍQUIDO +45,35%

EBITDA +63,07%



b) 1T17 sobre 1T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,56%

RESULTADO BRUTO +3,18%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +230,77%

RESULTADO OPERACIONAL +8,89%

RESULTADO LÍQUIDO +8,79%

EBITDA +9,84%



c) lucro líquido, nominal

UA 45,35% 19,03%

U2A -3,37% 18,45%

U3A -4,50% 27,71%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 19,03%

U2A 18,45%

U3A 27,71%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 19,21

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -15,5% !!!!

335469  - paulo_prof  -  15 Mar 2017, 00:36
Os resultados de 2016 desta empresa já estavam em minha planilha ... Não me dei o trabalho de postar porque quase ninguém aqui tem o ativo (quem tem, e tem bastaaaaaante, é o nosso desaparecido colega Notwen).

Considerando os resultados de 2015 e do 4T15 como base de comparação, os resultados podem ser considerados excepcionais. Já se a comparação é realizada em relação a 2013 e 2014, com quedas nominais na faixa dos 20%, os resultados têm que ser considerados pífios.

De qualquer forma, considerando as perspectivas de médio prazo, o ativo está de fato barato. O único problema é que não há um"driver" para ajudar a disparar o preço. Quem sabe, os manipuladores da Empiricus não se animem a prestar o serviço!


BAUH4

PREÇO: R$ 9,80

PAYOUT (2016) 24,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,66

P/VPA 1,49

PSR 0,38

DY 3,70%

EV/EBITDA 3,01

MARGEM BRUTA 29,7%

MARGEM OPERACIONAL 8,7%

MARGEM LÍQUIDA 5,7%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,472

MARGEM EBITDA 10,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 11,8%

ROE 22,42%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,32



Taxas de Crescimento



a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +17,77%

RESULTADO BRUTO +17,72%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -89,27%

RESULTADO OPERACIONAL +37,88%

RESULTADO LÍQUIDO +39,27%

EBITDA +63,53%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +25,30%

RESULTADO BRUTO +16,32%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -91,69%

RESULTADO OPERACIONAL +108,86%

RESULTADO LÍQUIDO +109,03%

EBITDA +190,83%



c) lucro líquido, nominal

UA 39,27%

U2A -10,19%

U3A -7,29%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 17,98%

U2A 19,64%

U3A 31,47%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,87


Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -16,0% !!!!

330204  - paulo_prof  -  20 Nov 2016, 23:40
BAUH4
PREÇO: R$ 8,40
PAYOUT 2015: 21,1%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,84
P/VPA 1,30
PSR 0,35
DY 3,08%
EV/EBITDA 3,37
MARGEM BRUTA 30,3%
MARGEM OPERACIONAL 7,7%
MARGEM LÍQUIDA 5,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,227
MARGEM EBITDA 9,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 11,2%
ROE 19,03%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,42
DÍVIDA LÍQUIDA negativa

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +12,32%
RESULTADO BRUTO +16,69%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +44,04%
RESULTADO OPERACIONAL -0,19%
RESULTADO LÍQUIDO -2,05%
EBITDA +14,23%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,55%
RESULTADO BRUTO +17,21%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -21,28%
RESULTADO OPERACIONAL +22,84%
RESULTADO LÍQUIDO +22,88%
EBITDA +34,29%

c) lucro (taxa média anual)
UA -2,05%
U2A -21,00%
U3A -8,99%

d) patrimônio líquido médio
UA 17,13%
U2A 21,90%
U3A 36,82%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 12,27

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -8,5%

325886  - Blumenn   -  11 Ago 2016, 22:07
Quem se lembra da Excelsior BAUH4?

A alta destes dois últimos dias me chamou a atenção.
O trimestre anterior já tinha sido de estabilidade e no 2TRI receita e lucro voltaram a crescer.

2TRI2016 1SEM2016 2TRI2015 1SEM2015
3.01 Receita de Venda de Bens e/ou Serviços 31.609 62.598 27.479 56.631
3.02 Custo dos Bens e/ou Serviços Vendidos -21.850 -43.288 -19.939 -40.369
3.03 Resultado Bruto 9.759 19.310 7.540 16.262
3.04 Despesas/Receitas Operacionais -7.179 -14.300 -6.182 -12.336
3.05 Resultado Antes do Resultado Financeiro e dos Tributos 2.580 5.010 1.358 3.926
3.06 Resultado Financeiro 39 26 196 369
3.07 Resultado Antes dos Tributos sobre o Lucro 2.619 5.036 1.554 4.295
3.08 Imposto de Renda e Contribuição Social sobre o Lucro -932 -1.745 -527 -1.530
3.09 Resultado Líquido das Operações Continuadas 1.687 3.291 1.027 2.765

O resultado parece recorrente.
Acho que a empresa já passou pela pior da crise e possivelmente voltará a apresentar resultados melhores.
Possui caixa líquido e nestes últimos tempos andou ampliando uma linha de produção.
O P/L deve estar por volta de 7.

297505- paulo_prof  -  18 Mai 2015, 02:05
BAUH4
PREÇO: R$ 8,00
PAYOUT (2014): 25,0%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 4,98
P/VPA 1,61
PSR 0,35
DY 5,02%
EV/EBITDA 2,26
MARGEM BRUTA 29,7%
MARGEM OPERACIONAL 10,7%
MARGEM LÍQUIDA 7,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,606
MARGEM EBITDA 10,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 3,3%
ROE 32,29%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,72

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,06%
RESULTADO BRUTO -6,85%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -8,40%
RESULTADO LÍQUIDO -6,72%
EBITDA -19,11%

b) 1T15 sobre 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,09%
RESULTADO BRUTO -21,67%%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -36,97%
RESULTADO LÍQUIDO -39,78%
EBITDA -38,35%

c) lucro líquido, nominal
UA -6,72%
U2A 11,89%
U3A 43,98%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 48,48%
U2A 73,83%
U3A 82,82%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 16,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -16,0%

292026  - paulo_prof -  17 Mar 2015, 09:39
Os resultados mostram estagnação no que concerne o lucro ... involução no que se refere à geração de caixa medida pelo Ebitda, especialmente se for considerado o 4T14 quando comparado ao 4T13.

BAUH4
PREÇO: R$ 9,00
PAYOUT (2014): 25,00%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 4,93
P/VPA 1,94
PSR 0,39
DY 5,07%
EV/EBITDA 2,66
MARGEM BRUTA 30,8%
MARGEM OPERACIONAL 11,7%
MARGEM LÍQUIDA 7,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,826
MARGEM EBITDA 12,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 18,4%
ROE 39,35%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,67

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,81%
RESULTADO BRUTO -0,77%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -3,54%
RESULTADO LÍQUIDO -1,21%
EBITDA -14,78%

b) 4T14 sobre 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -9,13%
RESULTADO BRUTO -21,6%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -34,95%
RESULTADO LÍQUIDO -25,08%
EBITDA -50,29%

c) lucro líquido, nominal
UA -1,21%
U2A 52,32%
U3A 64,26%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 58,74%
U2A 89,18%
U3A 90,92%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 18,26

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -16,5%

292009 - small caps -  17 Mar 2015, 02:42
BAUH4... barata... mas perdendo o ímpeto...

Resultado do 4º Trimestre de 2014

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 2,2M no 4° trimestre de 2014, uma variação de 8,3% em relação ao 3° trimestre de 2014 e redução de 25,1% em relação ao quarto trimestre de 2013. A receita líquida somou R$ 28,3M no quarto trimestre de 2014, uma variação de -2,2% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e redução de 9,1% em relação ao quarto trimestre de 2013.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 27,6% contra 29,5% no trimestre anterior e 32,0% no 4° trimestre de 2013. Já a margem líquida ficou em 7,8% no 4° trimestre de 2014 contra 7,0% no 3T14.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 49,3M, aumento de 13,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 24,2M no quarto trimestre de 2014, o que representou uma variação de 42,9% em relação ao saldo no 4T13.

282951  - paulo_prof -  13 Nov 2014, 02:37
BAUH4
PREÇO: R$ 9,85
PAYOUT (2013): 9,55%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 5,01
P/VPA 2,12
PSR 0,41
DY 2,01%
EV/EBITDA 2,08
MARGEM BRUTA 31,8%
MARGEM OPERACIONAL 12,7%
MARGEM LÍQUIDA 8,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,966
MARGEM EBITDA 14,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 18,1%
ROE 42,26%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,34

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,95%
RESULTADO BRUTO +7,48%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -89,50%
RESULTADO OPERACIONAL +24,86%
RESULTADO LÍQUIDO +20,77%
EBITDA +13,57%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,55%
RESULTADO BRUTO +2,33%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +33,95%
RESULTADO LÍQUIDO +31,69%
EBITDA +13,57%

c) lucro líquido, nominal
UA 20,77%
U2A 87,84%
U3A 79,58%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 72,36%
U2A 98,23%
U3A 97,18%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 19,66

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -15,5%

282939  - padrinho  -  13 Nov 2014, 01:01
Sigo também....

LPA 9M14 está em R$ 1,40. Deve praticar o payout mínimo de 25%.

Até o final do ano mais uns proventitos. Sempre bom.
http://www.excelsior.ind.br/public/uploads/files/financialfiles/itr-3t14.pdf

282919 - pobre poupador - 12/Nov/2014 18:44
BAUH4:

Resultado bom de certa forma.

Redução de 2,17% no volume de vendas
Aumento de 5,17% no faturamento
Aumento de 33% no LL (3T14 vs 3T13);

Conseguindo repassar os preços ao mercado.

Sigo sócio!

272343 - paulo_prof - 15 Ago 2014, 20:14
BAUH4
PREÇO: R$ 12,50
PAYOUT (2013): 9,55%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 6,67
P/VPA 2,93
PSR 0,53
DY 1,51%
EV/EBITDA 3,30
MARGEM BRUTA 32,2%
MARGEM OPERACIONAL 12,3%
MARGEM LÍQUIDA 8,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,873
MARGEM EBITDA 14,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 0,0%
ROE 43,92%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,58

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,76%
RESULTADO BRUTO +11,79%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -63,11%
RESULTADO OPERACIONAL +28,44%
RESULTADO LÍQUIDO +24,68%
EBITDA +18,65%

b) 2T14 sobre 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,16%
RESULTADO BRUTO +21,83%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +53,73%
RESULTADO LÍQUIDO +48,47%
EBITDA +40,59%

c) lucro líquido, nominal
UA 24,68%
U2A 98,90%
U3A 119,72%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 85,68%
U2A 101,09%
U3A 101,11%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 18,73

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -9,0%

258280  - paulo_prof  -  15 Mai 2014, 01:32
BAUH4
PREÇO: R$ 11,70
PAYOUT (2013): 9,55%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 6,80
P/VPA 3,08
PSR 0,51
DY 1,48%
EV/EBITDA 3,60
MARGEM BRUTA 31,5%
MARGEM OPERACIONAL 11,5%
MARGEM LÍQUIDA 7,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,721
MARGEM EBITDA 13,4%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 22,4%
ROE 45,30%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,43

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +12,91%
RESULTADO BRUTO +13,15%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -47,43%
RESULTADO OPERACIONAL +37,45%
RESULTADO LÍQUIDO +34,20%
EBITDA +25,09%

b) 1T14 sobre 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,03%
RESULTADO BRUTO -1,08%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -71,10%
RESULTADO OPERACIONAL -18,27%
RESULTADO LÍQUIDO -18,64%
EBITDA -21,66%

c) lucro líquido, nominal
UA 34,20%
U2A 78,89%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 103,50%
U2A 102,87%
U3A 99,73%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 17,21

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -9,0%

248301 - paulo_prof  -  25 Mar 2014, 14:41
Nos últimos 3 exercícios:

payout médio = 9,55%
taxa anual média de crescimento nominal do lucro líquido = +111,8%
taxa anual média de crescimento nominal do ebitda = +78,56%
taxa anual média de crescimento nominal do patrimônio líquido médio = +109,37%
ROE médio = 66,19%

BAUH4
PREÇO: R$ 9,00
PAYOUT (2013): 9,55%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 4,87
P/VPA 2,77
PSR 0,40
DY 1,96%
EV/EBITDA 2,81
MARGEM BRUTA 32,2%
MARGEM OPERACIONAL 12,6%
MARGEM LÍQUIDA 8,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,848
MARGEM EBITDA 14,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 26,3%
ROE 56,90%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,26

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +22,41%
RESULTADO BRUTO +34,65%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -42,08%
RESULTADO OPERACIONAL +140,42%
RESULTADO LÍQUIDO +134,85%
EBITDA +101,79%

b) 4T13 sobre 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,33%
RESULTADO BRUTO +9,85%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -61,21%
RESULTADO OPERACIONAL +76,94%
RESULTADO LÍQUIDO +64,39%
EBITDA +49,24%

c) lucro líquido, nominal
UA 134,85%
U2A 111,81%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 125,45%
U2A 109,37%
U3A 69,99%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 18,48

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -16,5%

224026  - Banzai10  -  14 Nov 2013, 01:29
Pessoal, mais um CARAJO deste trimestre, assim como nos últimos 6 trimestres seguidos vai para BAUH4.

Resultado do 3º Trimestre de 2013

A empresa registrou lucro líquido de R$ 1,5 M no 3T13, uma variação de -5,6% em relação ao 2T13 e aumento de 74,6% em relação ao 3° trimestre de 2012. A receita líquida somou R$ 26,9 M no 3T13, uma variação de -5,7% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e acréscimo de 11,1% em relação ao 3° trimestre de 2012.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 31,0% contra 28,8% no trimestre anterior e 27,8% no 3T12. Já a margem líquida ficou em 5,7% no 3T13 contra 5,7% no 2T13.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 44,8 M, acréscimo de 9,2% em relação ao saldo no 3° trimestre de 2012. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 15,0 M neste trimestre, valor 131,9% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

223940  - jgebing  -  13 Nov 2013, 22:17
Realmente, mais um belo balanço.

223937 - PERIQUITO VERDE  -  13 Nov 2013, 22:15
BAUH veio com um ótimo resultado, assim como eu esperava, na casa dos R$ 1.500 mil.

- Neste trimestre a conta de lucros/prejuízos acumulados ficou positiva, depois de todos esses anos. Em breve deve ser anunciado o pagamento de dividendos.

- O resultado financeiro está melhorando rapidamente e já não tem um impacto vultuoso na margem final.

- O custo dos produtos vendidos subiu menos que a receita.

- As despesas administrativas vêm apresentando queda acentuada.

- As despesas com vendas apresentam aumento maior que o da receita na comparação trimestral; no entanto, na comparação dos 9M o aumento é menor, o que torna este item inconclusivo.

Sigo comprado e confiante.

185837  - PERIQUITO VERDE  -  16 Mai 2013, 21:08
Lendo o balanço da Excelsior BAUH4, descobri que ela teve um lucro não recorrente de 1 milhão relativo à indenização de um seguro. Descontados esse valor dos 3,5 milhões de lucro, ainda sobram 2,5 milhões, o que ainda representa um aumento considerável da lucratividade. E olhando no gráfico de aumento dos lucros, se o lucro da empresa fosse 2,5 milhões e comparando esse valor com os três trimestres anteriores, tem-se um aumento linear da lucratividade, como um relógio.....
Continuo comprado.

185110  - NotwenCardozo  - 14 Mai 2013, 16:34
Fala pessoal! Passando aqui para dar um alô! Tenho estado ocupado com trabalho reestruturando a empresa. Devo dar um pulo em Sampa semana que vem para ir à feira Hospitalar dia 21/05 e devo ficar umas 2 noites aí. Se tiver algum encontro em SP ou alguma confraria, favor avisar!

Parece que nossa Excelsior (BAUH4) andou surpreendendo muitos com seus resultados. Bonzinho este 1T13, hein? Continuo comprado ao preço médio de R$3,43 na posição integral. Resolvi não vender até pelo menos a empresa pagar dividendos. Felizes aqueles mais aventureiros e pacientes que compraram quando comentava sobre o papel quando estava abaixo de 3. Sabia que a situação da empresa estava em ajuste por causa da mudança de mix e os erros causados na época da introdução de congelados, mas os resultados da empresa no 4T12 e neste 1T13 superaram as minhas expectativas. Mas francamente, cheguei a pagar em alguns bons lotes 1,90. Nesta época a empresa valia na casa dos R$ 9 milhões apenas o que não pagava nem pelo imóvel da empresa.

Não tem jeito, para vc se destacar em rentabilidade da massa tem que fazer algo diferente da massa mesmo. Mas não discrimino quem não se posicionou ou endossou meus comentários pois o papel tinha, e ainda tem, muito pouca liquidez. Sem contar que ela já passou pelas mãos da Sadia, depois BRF e agora está debaixo da Marfrig que está num momento muito diferente do momento atual da Excelsior. Mas mesmo que eles fechem o capital ou alienem a empresa, acho que será por um vallor bem acima dos 3,xx. Lembro que fui esculachado lá no fórum do Gusmaran quando falei que preferia a BAUH4 na faixa de 3,xx à OGXP3 que ainda estava acima dos 5,xx.

Já reservei a vaguinha no hotel lá em Buzios apara o encontro da galera. Abraço a todos! Quando as coisas estiverem mais "light" voltarei ao forum.

175345 - paulo_prof -  25 Mar 2013, 14:52
BAUH4
PREÇO: R$ 6,00

P/L 7,63
P/VPA 3,81
PSR 0,33
DY 0,00%
EV/EBITDA 5,12
MARGEM BRUTA 29,3%
MARGEM OPERACIONAL 6,4%
MARGEM LÍQUIDA 4,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,787
MARGEM EBITDA 8,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 155,3%
ROE 49,92%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,87

Taxas de Crescimento Nominal

a) exercício de 2012 vs 2011
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 39,37%
RESULTADO BRUTO 30,10%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 0,06%
RESULTADO OPERACIONAL 89,72%
RESULTADO LÍQUIDO 91,03%
EBITDA 55,72%

b) 4T12 vs 4T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 42,47%
RESULTADO BRUTO 42,88%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 19,86%
RESULTADO OPERACIONAL 201,14%
RESULTADO LÍQUIDO 205,31%
EBITDA 152,27%

c) lucro (taxa média anual)
UA 91,03%
U2A passou de negativo para positivo
U3A passou de negativo para positivo

d) patrimônio líquido médio
UA 94,43%
U2A 47,60%
U3A -1,17%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,84

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -11,0%

175342 - Banzai10  -  25 Mar 2013, 14:06
Que belezinha!

Errei feio achando que o resultado viria um CARAJO!!

Veio um típico CARAJAO!!

Pena só é a mardita liquidez!!

175331 - ghfranco -  25 Mar 2013, 13:51
BAUH4

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa anunciou lucro líquido de R$ 1,8 M no quarto trimestre de 2012, crescimento de 102,2% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e crescimento de 205,3% em relação ao 4° trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 28,2 M neste trimestre, uma variação de 16,6% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e aumento de 42,5% em relação ao quarto trimestre de 2011.

A margem bruta atingiu 32,2% neste trimestre contra 27,8% no 3° trimestre de 2012 e 32,1% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 6,3% no 4T12 contra 3,6% no terceiro trimestre de 2012.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 39,6 M, crescimento de 4,0% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 8,2 M neste trimestre, o que representou uma variação de 99,7% em relação ao saldo no 4T11.

Neste período, a ação oscilou 14,5% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 22,7 M contra R$ 16,1 M no quarto trimestre de 2011.

167330 - Peroquini -  16 Fev 2013, 01:16
Só para ter certeza que esse indivíduo não estava se referindo ao meu comentário de hoje sobre BAUH4!

A revista INVESTMAIS, na edição de fevereiro, traz uma reportagem sobre a Excelsior. Trouxe uma parte da reportagem, com a opinião de Anderson Luerdes, conhecido no mercado como "small caps", sobre o ativo.

Excelsior (BAUH4): O que esperar dessa Small Caps após a reorganização do setor de carnes e derivados provocada pela criação da Brasil Foods (BRFS3)
Qual o ativo que está ficando escasso no mundo? Água? Petróleo? Com certeza, entretanto, o mundo também está a procura de alimentos para suprir a demanda de mais de 6 bilhões de habitantes.

Neste caso, não seria interessante investir em empresas do setor alimentício? Que empresas são essas e quais dessas empresas possuem ações negociadas na bolsa de valores?

Na BM&FBOVESPA, alguns nomes de empresas de alimentos estão na ponta da língua do investidor: JBS (JBSS3), Minerva (BEEF3), Marfrig (MRFG3) e Brasil Foods (BRFS3). Esta última, para quem foi tirar umas férias em Marte nos últimos anos, é fruto da fusão entre as famosíssimas Sadia e Perdigão.

Como já é sabido, o Conselho de Administração de Defesa Econômica (Cade) fez algumas restrições para poder aprovar a operações de fusão entre essas duas empresas. Nessas considerações, o órgão mencionou a obrigatoriedade da empresa em ter de vender algumas de suas marcas. Nessa manada de ativos dos quais a Brasil Foods teria de se desfazer está uma companhia que é listada na bolsa de valores e da qual você conhecerá um pouco mais, a Excelsior (BAUH4).

“Em 2008, a Sadia estava fazendo aquisições e mencionaram que de repente poderiam comprar a Excelsior. O negócio se efetivou e desde aquela época eu compro ações BAUH4, porque sempre achei que a Sadia sabia o que estava fazendo, já que ela era líder do mercado. O futuro certamente reservaria algo bom para a Excelsior. Como essa negociação da Sadia aconteceu em agosto de 2008 e nós estávamos bem no olho do furacão da crise, ninguém estava querendo comprar nada. Se fosse qualquer outra empresa que estivesse sendo adquirida por uma maior e que domina o setor, as ações iriam disparar, mas, como estávamos na crise, a Excelsior não subiu tanto”, relembra Notwen, investidor que possui mais de 5% da companhia.

"EXCELSIOR – comentários de Anderson Lueders.

A empresa Excelsior Alimentos S.A., após um período de relativa estabilidade, apresentou entre os anos de 2006 e 2009 um bom crescimento da receita líquida, que passou do patamar de R$ 33 milhões para R$ 54,5 milhões. Em 2010 a receita líquida caiu, voltando a se recuperar neste ano, com um bom incremento de 34,3% nos 9 meses encerrados em setembro (último balanço disponível) comparativamente a 2010.

Houve prejuízo na maioria dos trimestres desde 2004, com poucos momentos de lucratividade. O lucro líquido acumulado até o terceiro trimestre deste ano atinge R$ 1,5 milhão, revertendo o forte prejuízo de R$ 4,8 milhões do ano anterior. Entre o final de 2010 e este último trimestre, a empresa finalmente conseguiu apresentar uma seqüência de 4 trimestres de lucro líquido.

Com a cotação das ações preferenciais a R$ 3,00, conforme último negócio realizado no pregão de 04 de janeiro de 2012, o valor de mercado da empresa equivale a R$ 15,6 milhões. Seu Preço/Lucro (nos últimos 12 meses) é 8,8 e o Preço/Valor Patrimonial da ação é 4,4. A Excelsior custa o equivalente a 0,24 vezes o faturamento líquido de um ano. Some-se a isto um bom ROE (retorno sobre patrimônio líquido) de 50,1%.

A aquisição da Excelsior pela Sadia no primeiro semestre de 2008 representou a primeira grande oportunidade de melhora expressiva do balanço, o que acabou sendo adiado em razão de fortes problemas cambiais que resultaram na criação da BRF Brasil Foods. Recentemente, por determinação do CADE, a Excelsior foi negociada com a Marfrig, abrindo uma nova oportunidade de incremento nos negócios.

Como vantagens para o investimento, a empresa apresenta:

a) possibilidade crescimento acentuado com a Marfrig, ampliando os canais de distribuição;
b) aumento de renda e baixo desemprego no Brasil, incentivando o consumo de alimentos industrializados;
c) melhora recente dos resultados, atingindo um ótimo retorno sobre o patrimônio líquido (ROE);

Como pontos negativos, destacam-se:

a) ausência de exposição no mercado nordestino, que é o de maior crescimento atual no país;
b) não é negociada nos níveis mais elevados de governança corporativa, coexistem diferentes classes de ações e há menores garantias aos acionistas minoritários;
c) histórico de resultados com muitos prejuízos;
d) volatilidade das margens que o setor apresenta, especialmente pelo fato de adquirir de terceiros a matéria prima para industrialização;

As ações da Excelsior eram negociadas abaixo de R$ 0,20 até 2003, com raros momentos em que ultrapassava este valor. A partir de então, iniciou uma forte tendência de alta, motivada pelo novo patamar de preço que as small caps vinham atingindo no mercado acionário. No início de 2008, a cotação chegou a ultrapassar a marca dos R$ 10,00, acumulando uma excepcional valorização de 5.000% no período. A crise no segundo semestre de 2008 trouxe fortes quedas, com a cotação voltando aos R$ 2,00 no início de 2009 e novamente em março e abril de 2011. Os últimos resultados e o negócio com a Marfrig culminaram no início de recuperação do preço das ações, agora atingindo R$ 3,00.

Portanto, o investimento em ações da companhia é adequado ao investidor que aceitar correr mais riscos se posicionando numa empresa que está passando por um turnaround e tem potencial de manter e melhorar os resultados recentes apresentados. Os múltiplos fundamentalistas guardam boa possibilidade de aumento das cotações caso as últimas melhorias do balanço persistam e se intensifiquem após a aquisição pela Marfrig."

162509 - Peroquini -  06 Jan 2013, 01:11
34 RAZOES PARA SE INVESTIR EM EXCELSIOR (BAUH4)

(e antes que digam - eu não quero vender - vou me aposentar com minhas acoes)

A) a marfrig, há mais de 6 meses, valorou a empresa em r$5,74 por ação (OPA das ONs). Isso há seis meses. De lá para cá o operacional melhorou muito. Hoje o preco seria outro. esse fato, por si so, ja demonstra a seguranca de se comprar nos precos atuais.

A) a empresa possui marca centenária, consolidada no RS e em franca expansão em Sc e PR, mercados com potencial gigantesco de crescimento.os mercados estão cheios de produtos Excelsior. Alguém do RS que testemunhe!

B) suspensão de marcas tradicionais no Sul, como perdigão e batavo, nos seus mercados de atuação.

C) é considerada marca de combate, voltada à classe C, mercado consumidor com maior crescimento no pais.

D) seu CEO trabalha na empresa há muito tempo, conhece absolutamente tudo. Estava lá quando a empresa era controlada pela Família fundadora, depois pela Sadia e agora pela marfrig - com ele a empresa achou o rumo da rentabilidade.

E) a empresa não precisa de novos investimentos para crescer, pois pode se valer do gigantesco parque fabril da marfrig para ampliar seus produtos e produção. Isso já ocorre com o setor de congelados, o de maior crescimento para a cia.

F) a empresa vai ampliar seu mix de produtos, deve entrar a linha de hambúrgueres, pratos prontos, pão de queijo etc. Vai pegar o bonde da Seara, atuando numa área gigantesca no setor de alimentos, um dos mais resilientes a crises econômicas.

G) os executivos tem demonstrado competência em repassar os custos das matérias primas, que, apesar de crescentes, não impactaram a rentabilidade da companhia nos últimos 12 meses.

H) A Excelsior investiu, a partir de 2009, em novos sistemas operacionais, colaboradores e maquinario, sendo uma empresa moderna e detentora de boa tecnologia.

I) a Empresa conta com os canais de distribuição da Marfrig, podendo chegar aos lugares mais distantes do Sul do país.

J) em razão do tópico anterior, pode ser favorecida com a terceirazacao dos serviços de logística para a JSL, fato que esta sendo noticiado na mídia.

L) a recente capitalização da Marfrig é excelente, pois, em sendo sua controladora, é quem avaliza a divida da Excelsior. Na medida em que o perfil de divida da controladora melhora, o da controlada também faz.

M) esta entre as 10 empresas de toda a BOVESPA com menor valor de mercado!

N) e a única entre elas que da lucro, não esta em recuperação judicial e possui patrimônio liquido positivo.

O) liquidez aumentando ano a ano - eu que invisto na empresa há cinco anos e acompanho diariamente os booking estou percebendo isso.

P) 36% de suas acoes estão nas mãos do fundo de investimento do Banrisul, que não deixaria o controlador realizar um OPA se não por um preco adequado.

Q) possibilidade de desdobramento das acoes, para aumentar a liquidez.

R) possibilidade de migrar para nível de governança corporativa do bovespa mais.

S) os prejuízos acumulados serão compensados nos próximos 2 anos, com previsao para pagamento de dividendos a partir de então. Se distribuir 25% do lucro atual o yield seria de 6% sobre o valor da cotação atual!

T) como a empresa não precisa investir em novas unidades fabris, pode aumemtar o payout, como fazem algumas outras empresas do setor.

U) O P/L dela esta em 8,9. O da jbs é 27, o da brf é 103. BEEF e Marfrig tem P/L negativo!

V) o EV/EBITDA dela esta em 5. O da BEEF é 9. Mrfg é 12. Jbs é 13. Brf é 27.

X) o ROE de BAUH é 45%. O de BEEF é menos 31%, marfrig menos 2, brf 3%, jbs 3%.

X) Sua divida é uma das mais baixas do setor, quase 1x EBITDA

Z) multiplicou seu lucro por dez mos últimos cinco anos. Seu lucro trimestral hoje é maior que a media de seus lucros anuais nos últimos anos.

W) há muitos trimestres não sabe o que é prejuízo.

Y) suas acoes já se valorizaram 150% desde fev2011.

I) não é objeto de especulação por parte de centaveiros caça micos day trades, que se afundaram com RPMG, MILK, MNDL, JCP, CCHI etc!

II) seu valor de mercado é de apenas 25 mi, pode triplicar seu valor de mercado e não vai chamar a atenção de ninguém por isso ( ao contrario de uma Ambev, que esta sendo vigiada por todo mundo depois de haver ultrapassado a petrobras).

III) crescimento de sua receita liquida no ultimo tri foi de 44%. Taxa típica de países como Iraque e Afeganistão, já que China esta em apenas 7% e o Brasil, mísero1%!

IV) não fica sujeita a fluxos (mal humor ou bem humor) do sr. Mercado. Mesmo quando o IBOV atingia seu mínimo no ano passado ela segurava 50% de valorização.

V) única empresa em que se é possível ficar sócio de participação relevante com pouco dinheiro. Eu mesmo, que não sou nenhum tubarão, tenho mais de 1% do total das acoes PN! Isso sim é se sentir dono do negocio!

VI) acompanhadas pelo Prf Paulo e Small caps. Indicadas por Banzai e Notwen, este ultimo dono de 5% das Pns. Já foi objeto de reportagem na revista investmais, com analise do Small.

VII) vale tanto quanto um apartamento da JHSF!

162223 - Banzai10 -  03 Jan 2013, 19:25
BAUH4 - Está aumentando receitas consistentemente, aumentando o LL fortemente, praticamente dobrando seu lucro no último ano. As dívidas estão diminuindo e a relação com o PL mais ainda, porque possuía e possui prejuízo acumulado, mas que está sendo zerado aos poucos. Fez um excelente trabalho ao repassar seus preços para os consumidores durante a alta das matérias primas, foi a primeira empresa de alimentação a fazer isso, e como resultado obteve um aumento na margem liquida em quase 50%. Marca muito forte aqui no Sul, mudou de parceiro estratégico no Parana, onde passou a crescer mais rapidamente.
Se continuasse com essa velocidade, em menos de dois anos seria minha ação all-in :D, brincadeiras a parte, isso não vai ocorrer, essas mudanças ocorreram por se ter feito uma mudança positiva na empresa, que agora deve apresentar números mais realísticos.
Sem contar seus múltiplos que já são muito melhores que todas as empresas do setor.

153716 -  ghfranco - 25 Out 2012, 14:03
Citação: jbegood
pessoal, se a Marfrig anunciou em junho que pretende fazer uma OPA a 4,59 da Excelsior, e se as ações PN tem tag along de 80%, isso não quer dizer que ela pagaria 3,67 aos minoritários?
Segundo entendo,
A OPA já foi, específica a R$4,59 às BAUH3 ("correspondente a 80% do preco por
acao atribuido as acoes de emissao da Excelsior com direito a voto"). Ademais não houve e até agora não há intenção declarada em fechar o capital, o que não significa que não possa haver, futuramente.
http://www.infomoney.com.br/marfrig/noticia/2469456/marfrig-pagara-por-acao-para-opa-excelsior-prazo-dias

153548 - NotwenCardozo - 24 Out 2012, 21:59
Mais alguns dados esclarecedores sobre BAUH4:

Em pareceres e declarações, nota-se que os balanços da empresa estão sendo auditados (mais um bom sinal).

EXCELSIOR ALIMENTOS S.A.
CNPJ: 95.426.862/0001-97
Código CVM: 1570

Comentário do desempenho da companhia no terceiro trimestre de 2012.

Os resultados positivos dos trimestres anteriores, neste terceiro trimestre de 2012 foram maiores e melhores.

A Companhia neste 3° trimestre de 2012 em relação ao 3º trimestre de 2011 elevou
o volume comercializado em 28,72%, aumentou o preço médio de seus produtos em 11,9% e obteve uma receita bruta superior em 44,3%. Com este desempenho obteve-se no trimestre um EBITDA de R$ 1.871mil (7,73% de margem sobre a ROL) e o Lucro Líquido de R$ 882mil, alcançou 3,6% de margem sobre a ROL.

Este foi o primeiro trimestre em que a Companhia esteve sob o controle do Grupo
Marfrig Alimentos S/A. Com a nova controladora, todo o planejamento para o exercício em curso foi mantido e aperfeiçoado. Novos produtos serão integrados ao atual mix existente e ampliada a produção de outros, cuja capacidade de produção está no seu limite máximo. Além dos conhecimentos adquiridos no passado, a Companhia está sendo beneficiada com as melhores práticas e sinergia com a nova controladora. A Companhia, como sempre fez, continuará fazendo as correções necessárias no decurso das suas realizações.

Como nos trimestres anteriores, informamos que a Companhia continua adquirindo
as matérias primas e insumos no mercado, não possuindo matéria prima própria. Os preços na aquisição de matéria prima e de insumos são os praticados pelo mercado. Igualmente, a Companhia continua a fazer todos os contingenciamentos possíveis para minimizar os efeitos adversos que a elevação dos preços da matéria prima ocasiona. Ressalta-se que no decurso do mês de setembro várias matérias primas tiveram aumentos muito elevados (algumas com mais de 40%), e mesmo assim administramos a empresa, conduzindo-a positivamente a um resultado não obtido num passado recente.

Santa Cruz do Sul-RS, 18 de outubro de 2012.

Diretoria Executiva
Renato Jackisch
Diretor Presidente e Diretor de Relações com Investidores.

Cássio José Schreiner
Diretor Administrativo e Financeiro.

http://www.rad.cvm.gov.br/ENETCONSULTA/frmGerenciaPaginaFRE.aspx?NumeroSequencialDocumento=21858&CodigoTipoInstituicao=2

153395 - uqaz -  24 Out 2012, 11:24
Resultado bom. Apesar da queda da margem bruta anualizada - de 29,48% para 28,99% - o resultado financeiro segue sua trajetória de queda, sendo que as despesas com vendas seguem comportadas.

A razão dívida líquida/EBITDA pela primeira vez se encontra abaixo de 2 (1,97).

Merece um carajo. Mas cielo tbm merece. empresas com perspectivas de crescimento diametralmente opostas.

153394 - uqaz -   24 Out 2012, 10:39
Resultado do 3º Trimestre de 2012
A companhia anunciou lucro líquido de R$ 882,0 k no 3T12, acréscimo de 81,5% em relação ao 2° trimestre de 2012 e acréscimo de 98,6% em relação ao 3° trimestre de 2011. A receita líquida totalizou R$ 24,2 M no 3T12, aumento de 7,2% em relação ao 2T12 e acréscimo de 43,7% em relação ao 3° trimestre de 2011.

A margem bruta atingiu 27,9% neste trimestre contra 27,5% no trimestre anterior e 29,7% no 3T11. Já a margem líquida ficou em 3,6% no terceiro trimestre de 2012 contra 2,2% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 41,0 M, aumento de 17,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 6,4 M no 3T12, o que representou uma variação de 82,2% em relação ao saldo no 3° trimestre de 2011.

151105 - artur83 -  05 Out 2012, 03:13
Citação: Armageddon_BR
Sou de SC e diria que nem de perto tem apelo tao forte qto a BR Foods.

Não, excelsior é bem menor. Mas pelo menos em Porto Alegre tem uma certa tradição e é bem fácil achar seus produtos nos supermercados e mercados da cidade.

151079 - NotwenCardozo -  04 Out 2012, 22:44
uqaz, A despesa com vendas aumentou possivelmente porque a linha aumentou bastante e hoje há produtos congelados e outras coisas que não existiam no passado. Mas pelo menos em 6 meses a receita aumentou 55%, ou seja, está vendendo mais. Posso pegar maiores detalhes com o RI.

151025 - Banzai10 -  04 Out 2012, 18:45
Citação: uqaz
Replico aqui análise do forum small caps:

Por favor, comentem!

Notwen, andei fazendo umas contas aqui - análise vertical e análise horizontal - na Excelsior (BAUH4). Por favor, faça comentários!

O que me chamou a atenção:

i. Receita Líquida (12 meses) e Margem Bruta (%)

2T12 80.029 27,46%
1T12 74.590 29,03%
4T11 68.746 32,06%
3T11 64.080 29,69%
2T11 59.351 32,37%
1T11 53.978 31,20%
4T10 51.576 33,18%

Deu uma rateada esse trimestre, mas acho que isso não veio pra ficar não ou não - vem caindo a 3 trimestres.... Assumi uma Margem Bruta de 28% em 2T13 ou um Resultado Bruto de R$ 106.876mi.

ii. Despesas c/Vendas (12 meses)/Res. Bruto:

2T12: -72,33%
1T12: -69,10%
4T11: -70,49%
3T11: -69,17%
2T11: -67,87%
1T11: -110,79%
4T10: -127,27%

Desta forma chuto 72% para essa conta em 2T13. Achei um valor conservador (leva em conta que essa rateada deste último trimestre se mantenha...pelo menos nessa conta).

iii. Despesas Gerais e Administrativas/Resultado Bruto:

2T12: -5,84%
1T12: -5,77%
4T11: -5,96%
3T11: -7,05%
2T11: -12,64%
1T11: -15,73%
4T10: -23,69%

Esforço bacana da empresa! Voltou a crescer, mas dá pra dar uma chance. Chuto -5,4% para 2T13.

iv. Resutado Financeiro (12 meses)/Resultado Bruto vem caindo consistentemente:
2T12: -7,30%
1T12: -7,71%
4T11: -8,37%
3T11: -11,52%
2T11: -13,08%
1T11: -19,83%
4T10: -21,13%

Chuto -6,30% em 2T13.

Não sei se esse foi um bom chute, pois parece que a redução da razão dívida líquida/EBITDA deu uma parada...:

2T12 2,60
1T12 2,64
4T11 3,79
3T11 7,37
2T11 -9,01
1T11 -0,97
4T10 -0,91

Mas o importante é que continua caindo.

v. O IR costuma rondar os 1/3, então usei este valor.

Trocando em miúdos, chuto um lucro líquido anualizado de R$ 2,95mi em 2T13. Ao preço de hoje de 3,80/BAUH4 dá 6,72 um pouco menor que os 8,03 do fundamentus. O ROIC atual é de 17,2%, bem bacana para o P/L que projetei.

Claramente vê-se que o último trimestre houve um aumento exagerado em Despesas c/Vendas/Resultado Bruto (-77,43% do 2T12 versus os -72,33% do 2T12 anualizado). Vamos ver como isso se comporta.

E principalmente, vamos ver se o preço cede. Tomando APENAS o P/L como referência, para R$ 2,95mi de lucro líquido, espera-se uma rentabilidade no papel de uns 20% para 2T13...nada mal.

Muito boa a análise. Vamos a alguns pontos, até porque a análise fundamentalista contempla eles também.

1° Manutenção da Receita/Despesas c/Vendas:

Eles aumentaram a participação de SC e PR nas receitas, e como sua logística ainda não é boa, isso aumentou levemente a proporção sobre o preço de venda em relação a receita. Mas muito levemente.

2° Diminuição da margem bruta - Último semestre

Como ela bem ressalta, a matéria prima dela é adquirida a mercado e com a alta do preço dos alimentos acabou sofrendo um pouco na margem bruta, mas isso deve acalmar nos próximos trimestres e vamos ver como as sinergias com a Marfrig vai se dar

3° Despesas c/Vendas (12 meses)/Res. Bruto

Já é compreensível que com uma redução na margem bruta e um leve aumento proporcional do custo de venda pela logística aos outros estados além de RS acabaram afetando mais essa relação que você usou.

4° dívida líquida/EBITDA

Acredito que volte a diminuir consistentemente conforme os preços dos alimentos forem se estabilizando no mercado. Com essa inflação nos alimentos ela sofre por comprar matéria prima a preço de mercado. Talvez a Marfrig possa novamente ajudar nisto.

5° Diminuição do prejuízo acumulado

Ela esta a passos largos diminuindo os prejuízos acumulados, pelos cálculos do Notwen se o lucro for consistente em 2 anos estaremos ganhando dividendos

6° Reestruturação e Pricing

Duas iniciativas louváveis da Excelsior foi a reestruturação com diminuição nas despesas administrativas, mas o melhor de tudo foi a criação da área de pricing qualificada que tem conseguido passar aumentos significativos de preço médio dos produtos a mercado sem diminuir volume. Resultando no excelente aumento da receita que temos visto nos últimos trimestres.

7° Matéria Prima e logística

Acho que um dos maiores desafios da empresa para os próximos anos e´implantar uma logística e distribuição de seus produtos mais eficientemente junto com a aquisição de matéria prima mais barata para aumentas sua margem nos produtos em que vende.

151024 - Banzai10 - 04 Out 2012, 18:45
A Excelsior é claramente a marca mais forte aqui no RS para baixa renda. Além disso em questão de patês nem sei se existem outros além de Excelsior.

Lembro que da última vez que olhei, algumas linhas de salsichas da Sadia continuam a ser produzidas pela Excelsior.

150581 - uqaz -  01 Out 2012, 17:37
Mas por que vc não retrucou?!

Diretamente do fundamentus:

Prejuízo acumulado:
2T12 -8.434
1T12 -8.920
4T11 -9.878
3T11 -10.462
2T11 -10.906
1T11 -11.729
4T10 -12.029
3T10 -12.235
2T10 -11.828
1T10 -8.284
4T09 -7.387
3T09 -6.843
2T09 -6.705
1T09 -6.287
4T08 -6.932
3T08 -7.589

Lucro anualizado (12 meses)

2T12 2.472
1T12 2.809
4T11 2.151
3T11 1.773
2T11 922
1T11 -3.445
4T10 -4.642
3T10 -5.392
2T10 -5.123
1T10 -1.997

À época fiz a conta analisando apenas a retração do prejuízo acumulado, nem vi como se comportava o lucro. Considerando que o lucro nunca passou de R$ 3mi e que o lucro atual se mantenha, teríamos -8,4/2,5 = 3,36 anos. Mas acontece que não é todo o lucro que é convertido em abatimento deste prejuízo acumulado. Veja, a empresa lucro no 1S12 R$ 1,44mi e reduziu seus prejuízos em R$ 1.2mi. Praticamente todo o esforço vai pra lá.

Achei que o vilão fosse ser as Despesas Financeiras, devido ao alto endividamento da empresa. Mas o peso maior é em Despesas com Vendas, que notadamente avançou mais que a receita líquida nesse 2T12.

No que consistem essas Despesas com Vendas para a BAUH, Notwen?

Outro vilão silencioso parece ser a Margem Bruta:
2T12 27,46%
1T12 29,03%
4T11 32,06%
3T11 29,69%
2T11 32,37%
1T11 31,20%
4T10 33,18%

Ainda, o pagamento da dívida não parece ser problema. Nesse período aí de 3,5 anos não dá pra esperar um crescimento daqueles no lucro líquido (?). Mas a partir daí dá pra pensar em começar a pagar essas dívidas. Com zero de dívidas, o lucro antes de impostos dispararia (dobraria praticamente). Mas pagar juros zero não costuma ser uma característica do setor.

Um movimento mais saudável seria aumentar investimentos em "capacidade instalada". Afinal, a empresa é pequenina.

Por isso, proventos polpudos estão fora de cogitação.

Coincidentemente a empresa começou a dar dinheiro logo depois da crise, com essa sana consumista. Eu compro que esse movimento veio pra ficar. Quem compra BAUH deve pensar o mesmo.

Estou na butuca se o lucro líquido anual passar de R$ 3mi.

150579 - NotwenCardozo -  01 Out 2012, 17:33
Citação: Banzai10
Citação: NotwenCardozo
Citação: pppadv
Ainda bem que o governo não cogita empreender shoppings, por enquanto !

Citação: NotwenCardozo
Vixe ... sem ler o forum faz um tempo. Vou tentar colocar a coisa em dia!
Pura realidade sobre a reportagem abaixo!

Mesmo sem liquidez, prefiro deixar o dinheiro em empresas como BAUH4 que possui um ROE acima dos 40%. Daqui uns 3 anos e pouco irá zerar o prejuízos acumulados e começará a pagar dividendos. Aliás, não retruquei mas uqaz mas em 02/09/2012 quando ele mencionou: "Estive vendo BAUH4, mas nesse ritmo volta a pagar dividendos daqui a uns 5-10 anos rs."

Refaça suas contas uqaz porque elas são muito básicas para vc ter achado quase 2 ou 3 vezes mais do tempo que achei!

BAUH4 tinha em Junho de 2012 R$8.434 mil de prejuízos acumulados. O LL que a empresa gerou nos últimos 12 meses foi de R$ 2.472 mil. Anualizando o 1S12, o LL anual seria de R$ 2.888 mil. Estou supondo que a empresa definitivamente já achou o caminho do lucro e não estou considerando reajuste inflacionário nem queda de juros que beneficiariam a diminuição da dívida da empresa. A empresa também fabrica marcas de 2a linha que acho estarem se beneficiando com o aumento da classe C no Brasil. Daí, entre os 2 resultados sem considerar qualquer tipo de melhora nos resultados da empresa, temos que o espaço de tempo necessário para a empresa compensar os prejuízos acumulados seria algo entre 3,4 anos (caso em que LL anual seja R$2.472 mil) e 2,92 anos (caso em que LL anual seja 2.888 mil).http://exame.abril.com.br/mercados/noticias/pimco-dilma-acabou-com-o-almoco-gratis-em-acoes-no-brasil?page=1

Pois é pppadv ... alguns setores mesmo que mais lentamente aumentem seu lucro, no LP estas intervenções podem transformar uma excelente empresa num mico. Melhor eter paciência na empresa boa e fora destas intervenções.

Notwen, ainda existe chances de BAUH recuperar esses prejuízos acumulados mais rapidamente. Com a compra pela Marfrig, a marca de maior qualidade que o grupo tem para baixa renda é Excelsior, pois Pena Branca além de deficitária é horrível. Quem sabe a Marfrig não impulsiona a Marca nacionalmente?

Mas sem divagar, com o benefício do governo para redução de contribuição sobre salário a Excelsior não vai se beneficiar nesses próximos resultados? Ou salários não são um custo significativo para ela, acredito que são, certo?

Pois é Banzai, na minha estimativa não levantei nenhum tipo de melhora ou piora na empresa seja causada pela aquisição do grupo Marfrig ou pela macroeconomia em geral. Como é uma turnaround e mediante os resultados que a empresa vem apresentando, considero bem razoável a hipótese dela ter achado o caminho do lucro definitivamente e por isso não estou levando em consideração os prejuízos de quando a empresa estava no período de ajuste. Há oscilações nos resultados devido ao custo da matéria prima e aos períodos de maior consumo (sempre houve).

Não sei como o uqaz chegou na conta de 5 a 10 anos para compensar o prejuízo acumulado mas dentro da minha hipótese, acho bastante fora

144476 - NotwenCardozo -  14 Ago 2012, 20:25
BAUH4 não é mais turnaround pois já da lucro há mais de um ano. Ela agora tem que evoluir os lucros para compensar os prejuízos e depois disso começar a pagar dividendos. Tem que deixar este ROE de mais de 50% interferir no VPA da empresa.

144204 - 13 Ago 2012, 23:19
Resultado do 2º Trimestre de 2012
A companhia anunciou lucro líquido de R$ 486,0 k neste trimestre, decréscimo de 49,3% em relação ao 1T12 e decréscimo de 40,9% em relação ao 2T11. A receita líquida atingiu R$ 22,6 M no 2° trimestre de 2012, uma variação de 8,7% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e crescimento de 31,7% em relação ao 2° trimestre de 2011.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 27,5% contra 29,0% no trimestre anterior e 32,4% no 2T11. Já a margem líquida ficou em 2,2% no segundo trimestre de 2012 contra 4,6% no primeiro trimestre de 2012.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 40,0 M, crescimento de 14,5% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 5,6 M no 2T12, o que representou uma variação de 79,9% em relação ao saldo no 2T11.


153395 - uqaz - 24/Out/2012 09:24
citação: uqazBAUH4


Resultado do 3º Trimestre de 2012

A companhia anunciou lucro líquido de R$ 882,0 k no 3T12, acréscimo de 81,5% em relação ao 2° trimestre de 2012 e acréscimo de 98,6% em relação ao 3° trimestre de 2011. A receita líquida totalizou R$ 24,2 M no 3T12, aumento de 7,2% em relação ao 2T12 e acréscimo de 43,7% em relação ao 3° trimestre de 2011.

A margem bruta atingiu 27,9% neste trimestre contra 27,5% no trimestre anterior e 29,7% no 3T11. Já a margem líquida ficou em 3,6% no terceiro trimestre de 2012 contra 2,2% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 41,0 M, aumento de 17,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 6,4 M no 3T12, o que representou uma variação de 82,2% em relação ao saldo no 3° trimestre de 2011.

Resultado bom. Apesar da queda da margem bruta anualizada - de 29,48% para 28,99% - o resultado financeiro segue sua trajetória de queda, sendo que as despesas com vendas seguem comportadas.

A razão dívida líquida/EBITDA pela primeira vez se encontra abaixo de 2 (1,97).

Merece um carajo. Mas cielo tbm merece. empresas com perspectivas de crescimento diametralmente opostas.


132020 - NotwenCardozo - 16/Mai/2012 10:22
citação: herdsman

citação: NotwenCardozoBAUH4

Outrossim, não podemos deixar de registrar, conforme sempre temos feito, a Companhia continua adquirindo as matérias primas e insumos no mercado, não possuindo matéria prima própria. Os preços na aquisição de matéria prima e de insumos são os praticados pelo mercado. Também, continuamos a fazer todos os contingenciamentos possíveis para minimizar os efeitos adversos que a elevação dos preços da matéria prima pode ocasionar.


Pois este trimestre os preços de suínos para o produtor estavam no chão.

Nem sempre vai ser assim. Brasilfoods vai se beneficiar mais de um dólar favorável. Mas tb não gosto porque exploram demais seus integrados.

Hersdman, ano passado foi a mesma coisa. O 1T11 foi de longe o trimestre mais forte. Com ações em R$4,00 e após esse resultado da Excelsior, alguns índices da BAUH4 ficaram ainda melhores:

P/L = 7,44
P/VP = 4,11
PSR = 0,28
EV/EBIT = 4,93

LPA = 0,54
VPA = 0,97
ROE = 55,3% (aumentou mais de 10% sobre antigo ROE)

Liquidez Corr = 0,82

E a Excelsior continua DE LONGE como a empresa mais barata do segmento!

http://fundamentus.com.br/resultado.php?segmento=37


110830 - NotwenCardozo - 18/Jan/2012 09:09
Eita ... BAUH4 deu uma subidinha boa ontem (+26,7%). Segue post que coloquei no forum do ativo.


citação: PeroquiniA verdade é que este ativo está prestes a foguetear. Poucos compraram a menos de r$ 3,00 e ninguém quer reconhecer prejuízo abaixo desse valor. Ou seja, estamos no piso do papel. Outro detalhe: ninguém comprou para obter rentabidade media de 30% a.a. aqui, senão teriam investido em Souza Cruz. Estão esperando rentabilidade altas, de 500% pelo menos. Acho que vão começar a vender mesmo a partir dos r$ 12,50. Até lá, é esperar.

Concordo com vc Peroquini. Compro o papel desde 08/08/2008 e em março de 2009 cheguei a comprar lotes a 1,90. Mas meu PM com corretagens é 3,432 pois comprei muita coisa também acima de 4,00 quando fizeram a subscrição em 2008 a 4,50 (não subscrevi, mas comprei a mercado por menos). Final de 2010 e 2011 aproveitei para diminuir meu PM pois muita coisa foi negociada na casa de 2,xx. Sabia que a empresa teve resultados ruins devido a erros cometidos em negociar congelados mas que já estava sendo sanado.


No meu ver, abaixo de 5 ainda é uma grande barganha, pois a Sadia em 2008 pagou aos controladores da Baumhardt 5,60 pelas ações ordinárias e 4,84 pelas ações preferenciais. Isso no olho do furacão da crise de 2008 quando havia MUITA barganha no mercado. Agora inclua os 3 anos e meio de inflação. Conclusão: para quem está comprado naquela época realmente não irá largar o papel por menos de 10.

Qual era o valor da empresa em 2008?
Quando a Sadia comprou a Excelsior, o total de ações era de 3.000.000 de ações, formando um valor da firma em 2008 de:

1.635.508 BAUH3 x 5,60 = R$ 9.158.845
1.364.561 x 4,84 = R$ 6.604.475
total = R$ 15.763.320

Depois foi feito um aumento de capital em que todos os acionistas, inclusive SADIA, subscreveram a R$ 4,50. Foram emitidas +74% de ações (2.220.000), totalizando +R$ 10 milhoes. Ou seja, o valor da empresa em agosto de 2008 era de R$ 25.763.320,00. Caso as ações tenham o mesmo valor, isto representa 5.222.000 ações a 4,93.

Acho que acima de 10-11 haverá vendedores por causa da baixa liquidez do papel. Mas não acho que haverá muitos vendedores com volume abaixo de 6-7. Entretanto, se o papel explodir para os R$20, a empresa ainda vai estar melhor do que outras que valem muito mais e dão prejuízo. Acho que possivelmente o patamar de valor da Excelsior irá mudar e alcançar pelo menos a casa dos 50-60 milhões, o que equivale a ações na faixa de 10-12. Isso representaria uma valorização de cerca de 100% de meados de 2008 até hoje. Muito aquém de alguns papéis que performaram valorização de 600% a 1.000% sem contar os dividendos recebidos ao longo do tempo (vide TGMA3, EZTC3, HBOR3 etc).


103356 - NotwenCardozo - 22/Nov/2011 01:41
Small, falando em ROE, o ROE da BAUH4 é de 50,11% além da empresa ser a de menor P/L no segmento. Acredito que depois do 4T11 e do 1T12, os índices deverão melhorar bem mais ainda.

Porém, a liquidez da BAUH4 é pífia para que o papel suba no mercado, a menos que haja um split de 1 para 10 (vide o valor da empresa Minupar - MNPR3 que atualmente dá prejuízo e cujo valor da empresa é 10x maior do que o valor da BAUH4). Se a Excelsior valer o que a Minupar vale hoje, cerca de 10x mais, já estaria satisfeito, mesmo que a Excelsior ainda fique com índices melhores (pois dá lucro). Apenas 21,7% das BAUH4 (cerca de 9,9% do valor de mercado da empresa) estão no free-float.

Acredito que o mercado esteja esperando quem será o futuro comprador da Excelsior junto com o restante dos ativos da BRF. Também se a empresa produzirá definitivamente lucros recorrentes nos trimestres futuros a ponto de começar a pagar dividendos. Infelizmente, as BAUH4 não possuem tag-along e tem que ver qual seria o valor pago aos acionistas minoritários que detém BAUH4 caso seja incorporada ou tenha o capital fechado.

O papel BAUH4 não sobe mas também não cai numa dor-de-barriga do mercado. Tem que ter paciência, não tem jeito.


100399 - paulo_prof - 02/Nov/2011 01:49
Os novos multiplicadores (baseados nos últimos 12 meses) são:

BAUH4
PREÇO: R$ 3,00 (mas não há oferta neste preço)
PAYOUT: 0% (ainda há prejuízos acumulados)

P/L      8,84
P/VPA            4,43
PSR     0,24
DY      0,00%
EV/EBITDA  4,92
MARGEM BRUTA  31,6%
MARGEM OPERACIONAL          4,2%
MARGEM LÍQUIDA          2,8%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,340
MARGEM EBITDA 8,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       492,6%
ROE    50,11%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,52

Para um preço justo 50% acima do preço atual, seria necessário que o lucro líquido dos últimos 12 meses cresça numa taxa anual média real de 11% (desconto de 10% real e perpetuidade de 0% real)


7669 - NotwenCardozo - 16/Ago/2011 02:18
Ainda sobre a Excelsior (BAUH4), quase tudo melhorou:

A dívida do grupo para relação ajustada do capital ao final do exercício é apresentada a seguir:

........................................................................Jun/2 011...... Dez/2010
Total do passivo............................................... 31.877........ 28.490
Menos: Caixa e equivalentes de caixa............. (5.288)....... (2.635)
Dívida líquida (A).............................................. 26.589........ 25.855
Total do patrimônio líquido (B)............................ 3.094........ 1.971
Relação divida líquida sobre patrimônio líquido.. 8,59......... 13,12
(houve boa redução de 34,5% da dívida sobre o PL em um ano)

Empresa aumentou os volumes em todos 3 estados que ela comercializa:
Informação geográfica

30 de Junho de 2011
................................................Receita Líquida..... Representatividade
Rio Grande do Sul.......................... 25.346................ 79%
Santa Catarina.................................. 4.813................ 15%
Paraná.............................................. 1.925................. 6%
..........................................................32.084 (32% acima de 2010)

30 de Junho de 2010
.................................................Receita Líquida..... Representatividade
Rio Grande do Sul.......................... 18.961................ 78%
Santa Catarina.................................. 3.646................ 15%
Paraná.............................................. 1.702................. 7%
..........................................................24.309

Caixa e equivalentes de caixa
....................................................Jun/2011............. Dez/2010
Caixa e bancos................................. 362.................. 95
Aplicações financeiras.................... 4.926............... 2.540
.........................................................5.288............... 2.635
(caixa é 2 vezes maior do que 2010)

Impostos a recuperar são bem maiores

.....................................................................Jun/2011 ....... Dez/2010
Circulante
PIS/COFINS........................................................ 37............ 25
ICMS............................................................... 1.786............ 26
Imposto de Renda e Contribuição Social.......... 206............. -
IPI a recuperar....................................................... 6............. 21
Total circulante................................................. 2.035............ 72

Não circulante
ICMS.................................................. 112........... 127
PIS/COFINS...................................... 195........... 240
Total não circulante............................ 307........... 367
..........................................................2.342........... 439

Prejuizo a compensar em 2010 .........12.029
Prejuizo a compensar em 2011 .........10.906


Sim, parece mesmo que as coisas estão melhorando. Já é o 4o. trimestre seguido com resultados positivos.


87667 - NotwenCardozo - 16/Ago/2011 01:28
Ainda sobre a Excelsior (BAUH4), o resultado representa uma boa melhora. Me parece que a empresa está conseguindo corrigir alguns erros que fizeram recentemente em relação aos congelados etc. Empresa bem pequena que só atende ao mercado interno, não tem problemas em relação a câmbio pois não exporta. 

Segue o Comentário do desempenho da companhia no segundo trimestre de 2011:

Neste segundo trimestre a Companhia está apresentando os melhores resultados da sua história recente. Fechamos o décimo mês consecutivo com resultado positivo. Obtivemos o recorde de faturamento em valor e volume. Verificamos uma evolução constante do Lucro Operacional e do Lucro Líquido. No acumulado o EBITDA do segundo trimestre supera em 71% o EBITDA do primeiro trimestre. O LUCRO LÍQUIDO do segundo trimestre também superou o primeiro trimestre em 152%, alcançando a cifra de R$804 mil, correspondendo a 4,7% de margem. Ainda, no segundo trimestre houve uma melhora no retorno sobre o capital empregado em relação ao primeiro trimestre de 2011, influenciado por melhor resultado operacional e menor capital de giro empregado.

A administração da Companhia, neste segundo trimestre, aumentou o seu número de clientes, continuou trabalhando na redução dos custos, bem como no aumento do preço, reposicionando o mesmo no seu mix de produtos, o que está possibilitando os resultados positivos alcançados.

A Companhia continua adquirindo as matérias primas e insumos no mercado. Como a Companhia não possui matéria prima própria, está sujeita as oscilações de preços nos seus custos de aquisição de matéria prima e de insumos, praticados pelo mercado. Nem sempre é possível repassar imediatamente, na sua integralidade estes custos, o que pode impactar no resultado operacional dos meses seguintes. Todavia, sempre com antecedência estamos fazendo os contingenciamentos possíveis para minimizar os efeitos adversos que poderiam advir.


7394 - NotwenCardozo - 18/Jun/2009 21:13
Herdsman, tenho Excelsior em boa quantidade e venho acompanhando. Já consultei o RI da Excelsior e da Sadia e não obtive resposta alguma (obviamente que eles não iriam responder uma pergunta dessas desta forma mas não custa tentar). Sei que antes da fusão eles não iam incorporar ou acabar com Excelsior pois trata-se de uma marca com mais de 116 anos (muito mais antiga do que a própria Sadia que possui 65 anos). Vender nem pensar pois eles acabaram de comprar.
Acho a Excelsior muito pequena para mudar alguma coisa no possível monopólio de fusão entre Sadia-Perdigão (BRF). A Excelsior é uma empresa regional no sul do Brasil e, por isso, pouco conhecida fora da região. Já vi o Furlan dando entrevista dizendo que tanto a Sadia quanto a Perdigão já estavam ganhando mercado interno mesmo separadas e que a fusão almeja primariamente a expansão no exterior. Ele inclusive dá uma alfinetada dizendo que ao contrário do que aconteceu com a fusão da Brahma-Antartica (AMBEV) e a Nestlé-Garoto que não pensavam em criar escala para levar os produtos para o exterior. Ele ainda disse na entrevista que a AMBEV foi assumida por um grupo de empresários (investidores) alheios ao ramo com o intuito de ganhar dinheiro diferentemente da Sadia e Perdigão.
A BRF será o maior empregador privado do País. Além disso, ocupará o posto de terceiro exportador brasileiro, perdendo apenas para Vale e Petrobras, que são exportadoras de commodities. Furlan ainda disse que várias empresas de fora competem no mercado, como Cargill, Bunge e Tyson, o que favorece a concorrência e dá força ao produto brasileiro. Ainda disse: "Nenhuma empresa aumenta as vendas subindo o preço. Queremos privilegiar o crescimento".
Acho muito difícil criarem caso nesta fusão, pois, caso isso aconteça, a Sadia que sozinha é a 3a maior empregadora privada e a 5a maior exportadora poderia quebrar e causar danos maiores à economia do país.
Comparo esta aquisição da Excelsior como semelhante a aquisição do Matte Leão pela Coca-Cola (marca com mais de 100 anos, fundada em 1901 e muita gente nem sabe que a Coca-Cola comprou). http://www.matteleao.com.br/historia/index.htm.
Até no site vc só vê que a Coca-Cola comprou a Leão Jr. se clicar em "trabalhe conosco".
Como disse o pessoal acima, a Excelsior é um pingo no oceano!


7390 - Ed Carlos - 18/Jun/2009 20:33
Infelizmente é impossivel isso acontecer, pois a Excelsior é um pingo no oceano das operações dessa gigante que esta se formando, se o CADE quiser que se venda algo sera uma marca de GRANDE VALOR como a Batavo, por exemplo, jamais uma empresa pequena como a Excelsior, nada contra a Excesior, mas essa possibilidade aventada pelo colega é infelizmente irreal.



7384 - Capa_Preta - 18/Jun/2009 19:34
Cabron! Tu enxerga longe heim?!
Eu nao tenho e nao tinha pensado nisso mas FATO, eh possivel e eu me arriscaria a dizer que provavel. Sei de alguns casos de fusoes onde as empresas tiveram que se desfazer de partes do negocio para receber a aprovacao.
Muito boa e oportuna sua duvida.


7381 - herdsman - 18/Jun/2009 19:22
Sei que alguns daqui tem Excelsior, não comprei porque os números não me atraem mas tenho o seguinte pensamento. O CADE vai julgar se com a fusão da Sadia com Perdigão não está se criando um monopólio. É claro que se trata de um monopólio, mas aqui nada é sério, então para mostrar serviço o CADE manda Sadia vender alguma coisa.. Excelsior ?



6484 - NotwenCardozo - 02/Jun/2009 10:10
Sadia assume a Excelsior com plano de expansão
In Business & Financial News on 27/06/2008 at 4:04 PM
Negócio torna Sadia a líder no segmento de embutidos nos três estados do Sul; marca Excelsior continua no mercado
A Sadia está assumindo, por R$ 6,6 milhões, o controle acionário da Excelsior Alimentos, uma das mais tradicionais empresas de Santa Cruz do Sul. Anunciada em 17 de janeiro deste ano, a intenção de compra e venda foi concluída e informada ao mercado ontem. Em nota, o diretor-presidente da empresa, Gilberto Tomazoni, declarou que “a aquisição da Excelsior está alinhada com a nossa estratégia de crescimento no segmento de produtos industrializados”. O negócio torna a Sadia líder de mercado no Sul do Brasil no segmento de embutidos, já que em algumas linhas, como as de mortadelas e salsichas, a Excelsior é campeã de vendas.
Considerada uma das maiores empresas de alimentos da América Latina, a Sadia comprou por R$ 5,4 milhões uma fatia de 73,9% do capital da Baumhardt Comércio e Participações Ltda, holding que controlava a Excelsior. Além disso, a Sadia desembolsou mais R$ 1,2 milhão para ficar com ações ordinárias de emissão da companhia santa-cruzense, que representam 9,1% do capital total. O valor pago por ação foi de R$ 4,48, correspondente a 80% do preço pago por ação aos controladores.
Embora o comando tenha trocado de mãos, a Excelsior manterá uma estrutura executiva e operacional e um conselho de administração próprios. Tradicional e uma das mais fortes do setor na região Sul, a marca também será mantida no mercado. As informações sobre a transição e os planos dos novos controladores para a unidade local devem começar a chegar nos próximos dias. O diretor Renato Jackisch acredita que a empresa santa-cruzense será fortalecida sob o controle da Sadia. “Para o município essa é uma boa notícia”, resumiu.
E AGORA?
A perspectiva é que a estrutura e a produção da Excelsior sejam ampliadas, o que pode refletir positivamente na economia de Santa Cruz e região. Graças a um investimento de R$ 3 milhões que acaba de ser inaugurado, a empresa conta hoje com 350 funcionários e capacidade para produzir 16,2 mil toneladas de embutidos por ano. Para se adaptar às exigências do mercado externo – novo alvo comercial da Excelsior, que vê boas oportunidades no Oriente Médio e na América Latina –, o layout da indústria foi modernizado, aumentando a produtividade e reduzindo os custos.
O secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Carlos Agnes, informou que ele e o ex-prefeito José Alberto Wenzel visitaram a empresa durante o período de negociações e auditorias e a informação é que investimentos estão projetados para a nova unidade da Sadia. Ele adiantou que, além de gerar mais empregos na indústria, a companhia pretende investir pesado na estrutura do campo para a produção de suínos e aves. A expansão, segundo Agnes, deverá atrair novas empresas para Santa Cruz, principalmente fornecedores de matéria-prima.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Fumo e Alimentação (Stifa), Sérgio Pacheco, também está confiante no crescimento da Excelsior. “Estamos precisando de mais emprego em Santa Cruz”, ressaltou. Ele adiantou que nos próximos dias tentará agendar uma reunião com os executivos da companhia para saber como fica a situação dos empregados. “O pessoal andou nos procurando. Estavam todos na expectativa de uma definição”, acrescentou.


6481 - NotwenCardozo - 02/Jun/2009 09:41
Um outro forista que mora 30Km da fábrica da Excelsior e que assina o jornal Gazeta do Sul me passou:
Na contramão da crise econômica mundial, duas das mais tradicionais empresas de Santa Cruz do Sul emitiram boas notícias ontem. A Mercur antecipou o balanço financeiro de 2008, que registrou aumento de 20% no faturamento em relação ao ano anterior, e a Excelsior Alimentos confirmou que aguarda apenas a aprovação de um financiamento junto ao BNDES para finalizar seu plano de expansão. O portfólio de produtos e a capacidade de produção – que hoje é de 1,4 mil toneladas por mês – vão crescer e a empresa precisará de mais trabalhadores ainda no primeiro semestre deste ano. O tamanho do investimento e o número de vagas que serão abertas ainda estão indefinidos.
O anúncio ocorreu menos de uma semana depois que a gigante Sadia – controladora da Excelsior desde setembro do ano passado – anunciou que irá demitir 350 funcionários dos setores administrativos para economizar R$ 44 milhões por ano. Em 2008 a empresa amargou uma perda superior a R$ 760 milhões em decorrência da turbulência global. O diretor-presidente da Excelsior Alimentos, Antônio Zambelli, disse que os cortes não deverão chegar a Santa Cruz, onde a empresa gera 320 empregos diretos. “Pelo contrário. A Sadia assumiu o controle da Excelsior com o objetivo de expandir a empresa, o que apesar de tudo já está acontecendo”, assegurou.
Segundo o executivo, desde o começo do mês estão disponíveis nos supermercados dois novos produtos da empresa, que está focada na ampliação do número de pontos-de-venda. Hoje são mais de 40 mil somente no Rio Grande do Sul e a meta é consolidar a marca em Santa Catarina e no Paraná. As recém-lançadas pizzas e lasanhas da Excelsior inauguram a atuação da empresa no setor de congelados. “Quem está comprando está repetindo”, vibrou Zambelli. Os novos produtos estão começando a ser distribuídos para a Região Metropolitana de Porto Alegre e, em breve, chegarão ao Estado vizinho.


6429  - small caps - 01/Jun/2009 22:09
Em termos de governança, BAUH4 é um lixo. Mas temos que considerar que se trata de um turnaround, cuja melhoria após a aquisição da Sadia é mais do que evidente. Aqui no supermercado perto de casa já tem produtos excelsior, os mais básicos é verdade.
E em outros que tinham há mais tempo já encontrei até lazanha com a marca :)


Estes fatos contribuem para os resultados melhores reportados já este ano e melhores margens operacionais...


6400 - NotwenCardozo - 01/Jun/2009 17:37
Analisei os resultados da Excelsior (BAUH4) que consta da lista do small foram muito bons. As informações são tiradas do site da Bovespa http://www.bovespa.com.br/dxw/FrDXW.asp?site=B&mercado=1&razao=EXCELSIO R%20ALIMENTOS%20S.A.&pregao=EXCELSIOR&ccvm=1570&data=31/03/2009& tipo=4
Mas aqui vão algumas comparações:
Em dezembro de 2008 o valor VPA era de R$1,35 e agora é de R$1,48 (aumento de 9,63%).
Comparações entre 1T08 e 1T09 (em R$ mil):
Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços foi de R$14.724 para R$18.145 (+23,2%)
Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços foi de R$11.625 para R$14.490 (+24,6%)
Resultado Bruto foi de R$4.148 para R$5.538 (+32,6%)
Receitas Financeiras foi de R$64 para R$136 (+112,5%)
Despesas Financeiras foi de R$288 para R$174 (-39,6%)
Resultado Operacional foi de R$308 para R$961 (+212%)
Resultado Antes Tributação/Participações foi de R$223 para R$961 (+531%)
Lucro foi de R$127 para R$645 (+608%)
Lucro por ação subiu de 0,04233 para 0,12352 (+392%)
A receita financeira deve ter aumentado e a despesa financeira deve ter diminuído em virtude da captação feita ano passado vendendo ações (elevou o capital de 4 para 14 milhões).
A princípio achei os resultados muito bons. Se a empresa continuar com um desempenho assim, acho que vai se tornar interessante aos olhos dos investidores.
Gostaria da opinião do nosso mestre e especialista Paulo Rizzi e do Small. O que vcs acharam do resultado?


Não tive tempo de fazer os índices e anualizar os resultados. Não entendi pq alguns venderam uma boa quantidade de papéis a 3,05 - 3,11 (houve uma negociação com volume expressivo do ativo hoje comparado ao que é normalmente) mas aproveitei para comprar mais. Notei que houve interesee de outros compradores. Gostaria de ouvir comentários.

4868 - NotwenCardozo - 28/Abr/2009 01:47
"BAUH4 - A todos vcs que gostam da empresa SADIA, obviamente que vcs acreditam na capacidade administrativa da empresa e na competência do Furlan para tirar a empresa do buraco! Com certeza daqui há alguns meses este papel estará novamente na casa dos R$ 8,00."
"Pois é ... imagine se uns 10 anos atrás vc investisse na Sadia quando era pequenininha, só fazia produtos de salsicharia e suas ações custavam apenas alguns centavos relativamente ao preço de hoje? Não fosse a cagada dos derivativos ano passado vc hoje teria seu capital multiplicado por umas 30 vezes se vc levar em conta os dividendos recebidos ao longo desses anos."
"Esta empresa existe! No meio do ano passado a SADIA comprou a empresa EXCELSIOR ALIMENTOS S.A. (www.excelsior.ind.br). A Sadia é detentora de 87,21% das ações ordinárias (BAUH3) e de 36,09% das preferenciais (BAUH4). Detentora de 63% do capital social da Excelsior. A Excelsior atua na industrialização e comercialização de presuntos, fiambres, mortadelas, salsichas, lingüiças e pastas, a partir de carnes suína, bovina e de aves desde 1893 (mais de 116 anos!). O bom desempenho da economia no Rio Grande do Sul, onde está concentrada a maioria absoluta dos clientes, fez com que a empresa tivesse um crescimento superior à média do mercado. A Sadia não cogita a incorporação da companhia nem a mudança de nome pois acredita que ""uma empresa e marca com mais de 100 anos pode perfeitamente andar com os próprias pernas""."
"Pois é ... em junho de 2008 a Sadia obteve o controle acionário, elevou o capital de R$ 4 milhões para R$ 14 milhões, zerou as dívidas da empresa eliminando os custos financeiros, trocou a diretoria, reduziu custos e vendeu toda sua produção em 2008 funcionando com capacidade total de acordo com o último balanço. Com o aumento da produção e a introdução de novos produtos de fabricação própria e de terceiros, a empresa está se empenhando para a crescer em 2009. Eles pretendem lançar uma nova linha de produtos congelados e refrigerados, ampliando o mix de produtos. Quem conhece a história da Sadia já viu este filme antes!"
"Apesar da aquisição já ter ocorrido em junho do ano passado, todas as mudanças acima terem sido implementadas e de promissores horizontes para a BAUH4, o papel continua estagnado. Óbvio que o tempo é necessário para que todas estas mudanças tenham efeito sobre a empresa. Enquanto isso, sigo as dicas do titio Warren Buffett ... vou comprando estes papéis que ninguém quer. A empresa é muito pequena ainda e desperta pouco interesse mas acho que é nesses casos que vc pode conseguir um retorno grande caso tenha um pouco de paciência."
"É uma oportunidade este papel! A Sadia comprou a empresa, já começou a arrumar a casa e ao invés do papel subir, ele caiu de preço devido à crise. Em quaisquer outras circunstâncias o papel subiria de preço levando-se em conta as transformações administrativas que a Sadia vier a fazer. A empresa está capitalizada e sem dívidas. Grande Potencial."
"Outro comentário interessante é que do total das ações preferenciais BAUH4 (2.375.293) disponíveis no mercado, a maioria estão nas mãos do Banrisul e da Sadia e existem apenas 29,82% ou cerca de 708.312 ações! O que é bem pouco."
"Daqui há alguns anos quem comprou este papel vai lembrar desta mensagem. A empresa também foi indicada pelo smallcaps. Mesmo durante esta crise, várias outras empresas só que em situação financeira difícil (não é este o caso) foram compradas e suas ações dispararam."


6433 - NotwenCardozo - 02/Jun/2009 01:03
Mas aqui vão algumas comparações:
Em dezembro de 2008 o valor VPA era de R$1,35 e agora é de R$1,48 (aumento de 9,63%).
Comparações entre 1T08 e 1T09 (em R$ mil):
Receita Bruta de Vendas e/ou Serviços foi de R$14.724 para R$18.145 (+23,2%)
Receita Líquida de Vendas e/ou Serviços foi de R$11.625 para R$14.490 (+24,6%)
Resultado Bruto foi de R$4.148 para R$5.538 (+32,6%)
Receitas Financeiras foi de R$64 para R$136 (+112,5%)
Despesas Financeiras foi de R$288 para R$174 (-39,6%)
Resultado Operacional foi de R$308 para R$961 (+212%)
Resultado Antes Tributação/Participações foi de R$223 para R$961 (+531%)
Lucro foi de R$127 para R$645 (+608%)
Lucro por ação subiu de 0,04233 para 0,12352 (+392%)
A receita financeira deve ter aumentado e a despesa financeira deve ter diminuído em virtude da captação feita ano passado vendendo ações (elevou o capital de 4 para 14 milhões).
A princípio achei os resultados muito bons. Se a empresa continuar com um desempenho assim, acho que vai se tornar interessante aos olhos dos investidores.
Gostaria da opinião do nosso mestre e especialista Paulo Rizzi e do Small. O que vcs acharam do resultado?
Não tive tempo de fazer os índices e anualizar os resultados. Não entendi pq alguns venderam uma boa quantidade de papéis a 3,05 - 3,11 (houve uma negociação com volume expressivo do ativo hoje comparado ao que é normalmente) mas aproveitei para comprar mais. Notei que houve interesee de outros compradores. Gostaria de ouvir comentários. Obrigado.
Alguém consegue entrar no site desta empresa? http://www.excelsior.ind.br/
Caso positivo, pode informar se há algum relatório financeiro além do anual?
Para ter-se uma idéia da performance da empresa, é lícito calcular os indicadores baseados nos resultados do 1T09 multiplicados por 4:
P/L = 6,19; P/VPA = 1,77; PSR = 0,28; ROE = 28,7%; EV/EBITDA = 4,60; DívBrut/PatLiq = 64%.
Estes indicadores parecem bastante respeitáveis. De fato, na medida em que novos resultados sejam considerados, acho que estes múltiplos melhorarão pois o 1T09 apresenta um crescimento da receita líquida e do resultado bruto em comparação com os valores médios de 2008.
Paulo, estou avisando via email ao pessoal da empresa deste pau. Já está assim faz alguns meses. Eu conseguia entrar no site da empresa através do browser Firefox mas agora não está sendo possível. As informações do balanço postadas no site deles são retiradas do site da Bovespa.
Faz tempo que venho observando este ativo com detalhes e estou sempre comprando embora ninguém se interesse pelo mesmo. Após estes resultados acho que a ascensão desta empresa será mais rápida do que imaginava. No início de 2008 quando estava circulando o boato de que a Sadia ia comprá-la, seus papéis chegaram a R$11,92. Devido à crise que estourou no meio de 2008 e aos problemas da Sadia, os papéis da empresa só despencaram. Uma situação completamente atípica pricipalmente para uma empresa que tinha um capital social de R$4 milhões e conseguiu captar + R$10 milhões com emissão de novas ações para a Sadia e para o mercado ao custo de R$4,50.
Diferentemente da Minupar que tanto falam por aí, esta é um empresa está sem dívidas e está há mais de 116 anos no mercado! Mesmo durante a crise, empresas compradas quase sempre foram valorizadas pelo potencial futuro mas esta empresa ficou no esquecimento. Após ter sido anunciada a compra pela Sadia... os papéis se desvalorizaram ao ponto de custarem R$1,90. Os papéis começaram a se valorizar no dia 1 de abril e chegaram a R$3,74 no dia 6 de maio. De lá pra cá só se desvalorizaram e chegaram a ser negociado a 2,81 no dia 29 de maio, sexta-feira passada, a um valor de -25% dos 3,74 que estavam.
Após o anúncio do resultado hoje, venderam um volume expressivo (comparado ao que historicamente vem sendo negociado) a preços entre 3,05 e 3,11. Achei que o papel fosse disparar mas o papel fechou com uma alta de 0,33% a 3,06. Se bobear quase ninguém checou o balanço da esquecida Excelsior. Comparei o balanço em relação ao 1T08. Acho que para calcularmos o 4T08 teríamos que subtrair bananas de laranjas. Porém, como se trata de um consumo não cíclico, acho que podemos comparar com qualquer trimestre do ano passado. Fico maluco como o mercado é irracional mesmo depois de publicarem um resultado como este! Provavelmente estão trocando este papel por alguma Blue Chip que talvez até suba mais rápido do que a BAUH4, uma vez que a maioria do mercado ainda não descobriu a mina de ouro que é a Excelsior. Comparando com outras do setor, a Excelsior dá show (a Exame publicou que o P/L médio do setor é 46!)
No comentário de desempenho divulgado pela empresa noo site da Bovespa, eles dizem o seguinte:
"Embora a economia brasileira, assim como a mundial, tenha sofrido uma considerável redução no seu desempenho, nossa Companhia registrou um aumento de 10,7% no volume de vendas, passando de 3.976 toneladas no primeiro trimestre de 2008 para 4.401 toneladas, no primeiro trimestre de 2009. A receita bruta no mesmo período representou um crescimento de 23,2%, sendo que o preço médio praticado ficou 11,7% acima do praticado no primeiro trimestre de 2008.
O faturamento do primeiro trimestre de 2009, aliado ao preço médio praticado, possibilitou um resultado operacional 3 vezes maior em relação ao verificado no mesmo período de 2008."
Paulo, postei alguns relatórios e informações da empresa nos fóruns abaixo (acho que se vc ler as 4 últimas páginas de cada fórum, vc os encontra):
http://br.advfn.com/p.php?pid=fbb_thread&bb_id=11&id=1249883&from=4 01
http://br.advfn.com/p.php?pid=fbb_thread&bb_id=11&id=1255245
Provavelmente deste fórum devo ser a pessoa que presta mais a atenção neste ativo pois tenho uma quantidade expressiva do mesmo. Espero ter ajudado
"Em dezembro de 2008 o valor VPA era de R$1,35 e a empresa emitiu ações em 2008 a um custo de R$ 4,50. Normal que a ação caia mas acho difícil que alguém que comprou este papel queira vender por menos de R$ 3,00 quando havia gente interessada em pagar R$ 12,00."
"Apesar da aquisição já ter ocorrido em junho do ano passado, todas as mudanças acima terem sido implementadas e de promissores horizontes para a BAUH4, o papel continua estagnado. Óbvio que o tempo é necessário para que todas estas mudanças tenham efeito sobre a empresa. Enquanto isso, sigo as dicas do titio Warren Buffett ... vou comprando estes papéis que ninguém quer. A empresa é muito pequena ainda e desperta pouco interesse mas acho que é nesses casos que vc pode conseguir um retorno grande caso tenha paciência."
"A Excelsior atua na industrialização e comercialização de presuntos, fiambres, mortadelas, salsichas, lingüiças e pastas, a partir de carnes suína, bovina e de aves desde 1893 (mais de 116 anos!). O bom desempenho da economia no Rio Grande do Sul, onde está concentrada a maioria absoluta dos clientes, fez com que a empresa tivesse um crescimento superior à média do mercado. A Sadia não cogita a incorporação da companhia nem a mudança de nome. Maiores informações no site www.excelsior.ind.br."
"Vi que este mês vc recomendou compra destes papéis. Existe alguma informação que vc saiba além do exposto acima? Sei que há um risco no papel caso a administração seja ruim e que há pouca liquidez em BAUH4 mas acho difícil a Sadia não ter competência de tocar uma empresa dessas. A empresa é tão pequena que é como se fosse uma das fábricas da Sadia. Quanto à liquidez, se o papel for muito bom, não me importo em ficar com eles. Este é o papel que eu comprei pensando em retorno no maior longo prazo da minha carteira."
"Outro comentário interessante é que do total das ações preferenciais BAUH4 (2.375.293) disponíveis no mercado, a maioria estão nas mãos do Banrisul e da Sadia e existem apenas 29,82% ou cerca de 708.312 ações! O que é bem pouco."


O que vc diz?


4639 - NotwenCardozo - 24/Abr/2009 13:14
"Anderson,"
"Referente a BAUH4 que vc indicou recentemente, ainda estou tentando baixar meu preço médio enquanto o papel está meio que dormindo. Embora no momento a empresa ainda não pague dividendos, estou pensando no LP. Esta é uma empresa cujo papel chegou a valer R$ 12,00 ano passado quando corria o boato que a Sadia ia comprá-la. Já prestava a atenção neste papel antes de achar este fórum de small caps. Passei a prestar mais atenção ainda quando ao invés do papel subir, o papel despencou aos incríveis R$ 1,90! Sei que a queda e o desinteresse se deram porque haviam papéis muito mais interessantes e disponíveis na época."


"Pois é ... em junho de 2008 a Sadia obteve o controle acionário, elevou o capital de R$ 4 milhões para R$ 14 milhões, zerou as dívidas da empresa eliminando os custos financeiros, trocou a diretoria, reduziu custos e vendeu toda sua produção em 2008 funcioando com capacidade total de acordo com o último balanço. Com o aumento da produção e a introdução de novos produtos de fabricação própria e de terceiros, a empresa está se empenhando para a crescer em 2009. Eles pretendem lançar uma nova linha de produtos congelados e refrigerados, ampliando o mix de produtos. Quem conhece a história da Sadia já viu este filme antes!"

4147 - NotwenCardozo - 15/Abr/2009 11:50
Comentários sobre a BAUH4:
"As condições da empresa sem dívida e a administração de quem entende do ramo criam boas expectativas. No último trimestre a empresa vendeu toda produção e deu lucro. Quando vc entra num papel não tão atraente de uma ""empresa pequena"" e esta empresa cresce e dá lucros é aonde seus lucros como investidor são enormes."
"Óbvio que existe um risco, mas se vc conseguir antever um potencial de crescimento de uma empresa pequena antes do mercado, vc consegue um retorno maior. Acredito que a Sadia não vá deixar a peteca cair e na verdade vai ajudar muito a empresa no mix de produtos, tecnologia, canais de distribuição etc."
"O risco de quando vc investe numa empresa já com dados bons e promissores é menor mas os retornos de um investimento em uma empresa com dados ainda não muito bons mas na direção certa são maiores. Ganho é proporcional ao risco. Porém, o tempo é necessário para que a transformação crie resultados na empresa. Particularmente, acho que as ações desta empresa só vão subir expressivamente quando os resultados se mostrarem muito melhores ao longo do tempo e a empresa começar a chamar a atenção.."


Sem que há pessoas neste forum que postam análises e gostaria de ouvir alguma coisa a mais sobre perspectivas desta empresa.

4146 - NotwenCardozo - 15/Abr/2009 10:10
"Vi que comentaram a algum tempo atrás sobre a Excelsior (BAUH4) por isso postei as informações acima. Ontem o papel subiu bem. Acredito que 3,38 e 3,21 tenha sido um repique. Talvez no final do mês se estabilize por volta desse patamar. O preço desta semana deve ficar por volta dos 2,8? - 3,0?. A empresa tem que atrair mais investidores. Tem que haver mais liquidez nos papéis para o valor se estabilizar num patamar maior."
"Parece que o resultado de 2008 foi melhor do que o esperado. O preço do papel caiu muito (chegou a 1,90). Normalmente quando uma empresa grande compra uma pequena o papel da pequena sobe por se basear no taco da empresa grande. A empresa se capitalizou e se livrou das dívidas. Acredito que o pessoal esteja prestando atenção nos ativos que ainda estão muito baixos."
"Como vc pode ler acima no comunicado da empresa do dia 28 de Março, a Sadia está conduzindo as coisas de uma forma melhor. A empresa não está endividada e tudo indica que com a admiistração da Sadia ela pode melhorar seus resultados."
"Mesmo com o preço de 2,95 o PSR da ação é ainda de 0,31 o que indica que o papel pode recuperar a preços mais altos."
"Outro dado interessante é que a empresa ano passado emitiu cerca de R$ 10 milhões em ações para captação de dinheiro a um custo de 4,50 por ação. Muita gente comprou pensando no LP e contando na competência administrativa da Sadia. Acho que poucas destes investidores pretendem se desfazer do papel com prejuízo."


4145 - NotwenCardozo - 15/Abr/2009 09:56
BAUH4: Gerenciamento de Riscos e Instrumentos Financeiros
"A concentração de risco de crédito das contas a receber é minimizada devido à pulverização da carteira de clientes, uma vez que a Companhia não possui cliente ou grupo empresarial, representando mais de 15% do faturamento e na concessão de crédito a clientes com bons índices financeiros e operacionais. Geralmente a Companhia não exige garantia para as vendas a prazo."
A companhia não efetuou operações com instrumentos financeiros no ano de 2008.
BAUH4: Controle acionário
Controladora e controladora final
A controladora direta da companhia é Baumhardt Comércio e Participação Ltda. e a controladora final é a Sadia S.A.
"Foi comunicado em 26 de junho de 2008 pela Sadia S.A., nos termos dispostos no parágrafo 4° do artigo 157 da lei 6.404/76 e na instrução CVM 358/02, que nesta data a Sadia concluiu a aquisição de 73,9% do capital da sociedade Baumhardt Comércio e Participações Ltda. Sendo a mesma detentora de 80,10% das ações ordinárias e de 43,67% do capital social da Excelsior Alimentos S.A. Também adquiriram ações ordinárias, de emissão da Excelsior Alimentos S.A, representativas de 9,1% do capital total e 16,6% do capital votante da Excelsior Alimentos S.A, sendo essas últimas ações adquiridas de diversos acionistas minoritários."


O preço dessa última aquisição corresponde a 80% do preço por ação pago aos sócios da Baumhardt Comércio e Participações Ltda.


4144 - NotwenCardozo - 15/Abr/2009 09:52
"Pessoal, alguns dados interessantes da BAUH4 (Excelsior):"
EXCELSIOR ALIMENTOS S/A.
Relatório da Administração em 2008.
"O bom desempenho da economia no Rio Grande do Sul, onde está concentrada a maioria absoluta dos clientes, fez com que a empresa tivesse um crescimento superior à média do mercado no exercício findo e possibilita a projeção de alcançar com mais e novos produtos um faturamento muito superior em 2009, ao de 2008."
"Em junho de 2008 a empresa teve o seu controle acionário adquirido pela SADIA SA, e em Assembléia Geral Extraordinária de setembro de 2008 elevou o seu capital de R$ 4 milhões para R$14 milhões, cujo aumento de capital foi homologado em Assembléia Geral Extraordinária de dezembro de 2008, capitalizando a empresa e possibilitando desta forma novos investimentos com aumento de produção, produtividade e atualização tecnológica."
"Com a capitalização da empresa, a mesma eliminou o seu custo financeiro, fazendo com que se possam projetar bons resultados para o futuro. Ao final de 2008, produzimos com capacidade total e vendemos toda a produção disponível. Com o aumento da produção e a introdução de novos produtos de fabricação própria e de terceiros, pretendemos crescer muito no exercício de 2009, apesar e muito conscientes da situação mercadológica mundial."


"Com a nova administração da empresa, seguindo as novas premissas de produção e investimentos autorizados pelo novo controlador, projetam-se lucros tributários que possibilitarão a realização do ativo fiscal diferido nos próximos exercícios (imposto de renda e contribuição social). A previsão de lucros tributários está alicerçada numa projeção realista e consistente das vendas e na produção que está sendo ampliada significativamente, com ganhos em produtividade, a partir dos novos equipamentos. O lançamento de uma linha de produtos congelados, de novos itens de refrigerados, ampliação do mix de produtos com a introdução de terceirizados na linha e o contínuo trabalho de redução dos custos fixos, complementam as medidas adotadas."


3605 - small caps - 05/Abr/2009 14:26
"danieljoseaa, BAUH4 tem uma situação bastante peculiar. Ano passado foi adquirida pela Sadia. Logo em seguida a Sadia capitalizou a empresa, injetando R$ 10 milhões. Para uma companhia que tem como valor de mercado a cifra de R$ 11,5 milhões, isto é bastante relevante. Com este capital, a Sadia pagou as dívidas da BAUH4, que passou a operar no capital de giro com dinheiro próprio, não tendo que arcar com os elevandos gastos financeiros de uma empresa em precária situação financeira."
"Além disso, o balanço da empresa foi ""limpo"". Saíram algumas reavaliações e outros valores foram baixados do ativo da companhia."
"O seu grande risco é a própria Sadia hoje, que não atravessa o seu melhor momento. Isto inclusive aprofundou a quedas das cotações da BAUH4, quando, na minha concepção, passaram a valer o risco x retorno, com peso de turnaround em carteira. (1/10 da posição em COCE5)."
"O ano de 2008 foi de adaptação. Ele ainda contemplou pesadas despesas financeiras. Com o apoio da Sadia, o crescimento e penetração de mercado da BAUH4 será muito mais facilitado, acredito eu. Aqui perto de casa, no mercado, já tem produtos da Excelsior. Antes não tinha nenhum. É o peso da Sadia ampliando o mercado..."
"O resultado do quarto trimestre, no entanto, não deve servir de alento, ainda. o lucro foi decorrente de reconhecimento de valores fiscais a serem compensados em virtude dos prejuízos acumulados."


"A atual administração considerou, portanto, que a BAUH4 voltará a apresentar lucro e sinalizou isto no balanço e no relatória da Administração."


3603 - danieljoseaa - 05/Abr/2009 13:55
"Small, depois se possível, poderia analisar Bauh4, pois dei uma rápida olhada no Fundamentus e no Guiainvest, e posso estar enganado, pois ainda não consegui ver o balanço, mas entre as turnarounds ela é a que tem mais chances de se recuperar no curto prazo, pelo menos é o que parece."
"No último trimestre já apresentou lucro líquido positivo, tem Patrimônio líquido positivo com um VPA de 1,35, o que deve subir caso ela confirme a volta ao campo positivo de resultados e o principal fator é o seu pequeno número de ações(5.222.000), ou seja, para apresentar um baixo P/l e um bom lucro por ação, resultados positivos baixos já serão suficientes."
"Além disso a empresa apresenta PSR de 0,23, Liq. corrente de 1,15, apresenta grana em caixa (1.625.000), representando mais de 2 vezes o seu lucro líquido do 4° trimestre."


"Achas ela uma turnaround em fase final de recuperação, já que sua dívida é pequena, além de apresentar até grana em caixa e resultado trimestral positivo?"


3545 - danieljoseaa - 04/Abr/2009 14:20
"Small, depois se possível, poderia analisar Bauh4, pois dei uma rápida olhada no Fundamentus e no Guiainvest, e posso estar enganado, pois ainda não consegui ver o balanço, mas entre as turnarounds ela é a que tem mais chances de se recuperar no curto prazo, pelo menos é o que parece."
"No último trimestre já apresentou lucro líquido positivo, tem Patrimônio líquido positivo com um VPA de 1,35, o que deve subir caso ela confirme a volta ao campo positivo de resultados e o principal fator é o seu pequeno número de ações(5.222.000), ou seja, para apresentar um baixo P/l e um bom lucro por ação, resultados positivos baixos já serão suficientes."
"Além disso a empresa apresenta PSR de 0,23, Liq. corrente de 1,15, apresenta grana em caixa (1.625.000), representando mais de 2 vezes o seu lucro líquido do 4° trimestre."


"Achas ela uma turnaround em fase final de recuperação, já que sua dívida é pequena, além de apresentar até grana em caixa e resultado trimestral positivo?"



1038 - small caps - 18/Jan/2009 22:58
"(981) TUBINHA, BAUH4 foi realmente uma grande oportunidade de ganhos ano passado. Após comprar a R$ 4,00, vendi a R$ 10,00 na especulação do valor que a Sadia ia pagar pela empresa. O mercado muitas vezes erra em precificar alguns fatos. Quando ao preço atual, também considero atraente e já estou comprando algumas ações da companhia, mas com muita calma. Todo o segmento anda com preços deprimidos e não apenas a BAUH4. Os preços de SDIA4 e BEEF3 espelham isto e também servem para diversificação no segmento, mas com calma, pois não há ainda fatores de curto prazo a valorizar as suas ações."



263 - small caps - 03/Nov/2008 19:38
"Nyassad, obrigado. A subscrição de ações que houve com a BAUH4 foi extremamente importante. Um dos principais problemas para a empresa continuar progredindo era a falta de capital de giro com custo competitivo. A nova gestão da empresa já está limpando o balanço. O fato de estar abaixo do preço do subscrição das ações não tem tanta importância quanto os próximo resultados que a empresa passará a ter com as medidas que vem sendo implementadas. Vamos acompanhar se há êxito."



260 - Nyassad - 02/Nov/2008 14:17
"aproveitando a oportunidade. pergunto tb sobre o patrimonio liquido de bauh4 nunca ficou negativo e no ultimo balanço veio pessimo, tem algum motivo especial, pra uma empresa que esta passando por restruturação recente não seria tipo ""começando com pé esquerdo""."

258 - Nyassad - 02/Nov/2008 14:11
"Small caps, gostaria da sua opinião para as esquecidas bauh4 e hbts5, a primeira lançou novas ações no mercado passando de 3 milhões para 5,2 milhões, isso é ruim? ou não? porque depois disso soh cai. hbts5, segundo informações do desse forum, tem como presidente um cara que já foi preso e responde processos na justiça, o que não é mto bom."

2 comentários:

Peroquini disse...

Caro Notwen,

O resultado do primeiro tri/2010 foi um balde de água fria para nós acionistas, você não achou? Para quem esperava aumento da produção, sinergias com a controladora e maior penetração no mercado sulista, o resultado acaba refletindo uma preocupação quanto à capacidade de essa empresa gerar lucro (por quanto tempo o patrimônio líquido permanecerá positivo?).

07.01 - COMENTÁRIO DO DESEMPENHO DA COMPANHIA NO TRIMESTRE

No primeiro trimestre de 2010 a empresa teve uma redução de 4,3% no seu volume de vendas e uma redução de 5% no seu faturamento, em relação ao mesmo período do exercício passado. A margem de contribuição no trimestre foi prejudicada pela elevação dos custos das matérias primas e insumos, enquanto que o mercado consumidor não absorveu os aumentos de preços necessários para os produtos. No mesmo período, a empresa trabalhou intensamente no aumento do número de clientes, obtendo um incremento de 22,1% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que deverá refletir no aumento do volume de vendas nos meses seguintes. No Rio Grande do Sul estão sendo realizadas 77% das vendas da empresa, sendo o restante nos estados de Santa Catarina e Paraná.

Ações internas estão sendo tomadas para incrementar os volumes de produção e vendas, visando a realização de margens positivas de contribuição e a geração de um resultado positivo no exercício.

Peroquini disse...

Realmente, Notwen. O resultado do 2º tri de 2011 foi melhor que todos os resultados anuais da companhia na história, o que reforça a tese de turnaround consistente daqui para frente!