Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

sábado, 23 de maio de 2020

Kepler Weber (KEPL)



Carteiras
Gersonlp (nov/18dez/18fev/19)

Códigos de Negociação
Tipo
CVM
KEPL3

7870

Razão Social
CNPJ
KEPLER WEBER S.A.
91.983.056/0001-69

Balanços
1T2020 - ITR - Press-release - Apresentações

A2019/4T2019 ➤ DFP  ➤ Apresentações

3T2019 -
paulo_prof  -
Resultados excelentes sob qualquer ponto de vista, turbinados por um substancial aumento da margem bruta (de 15,6% no 3T18 e 23,8% no 2T19, para 27,1%). Em relação ao 3T18, inclusive, o Resultado Bruto aumentou 56,52% apesar da Receita Líquida ter declinado 10% em termos nominais. Aparentemente, o aumento na margem bruta, que foi gerado pelo ganho nos projetos de redução de custos e aumento de produtividade, veio para ficar.
Se os resultados do 3T19 puderem ser replicados nos próximos trimestres, o ativo estaria muito barato. Acho que uma (modesta) aposta não seria arriscada.

2T2019 -
paulo_prof   - 
Resultados meia boca ... sensivelmente melhores do que do que aqueles do 2T18, mas piores do que aqueles do 1T19. A empresa postou prejuízo líquido devido à despesa de IR/CS anteriormente deferidos. Acho que o ativo está razoavelmente precificado.

1T2019 -
paulo_prof   -
Os resultados foram bons, no sentido de provar que a empresa parece ter conseguido completar o seu turn around. Mas achei os resultados um pouco fracos para a precificação de momento. Sugiro cautela.
Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultasdo Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.

A2018/4T2018 -
Paulo Prof - 
Depois de 2,5 anos no prejuízo, a empresa conseguiu postar lucro em dois trimestres seguidos, o último dos quais, anualizado, e mantido constante para todo o sempre seria compatível com um valor intrinseco de R$ 54,62!!! Há que se verificar, entretanto, se esta empresa também não contabilizou, 4T18, uma receita não recorrente relativa ao PIS e COFINS sobre a exclusão do ICMS na base de cálculo. No caso de não ter havido esta receita ou ocorrido outro evento não recorrente importante, o ativo parece interessante.

2T2018 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida no 2T18 somou R$ 107,6 milhões, queda de 13,9%. Já nos 6M18 a Receita líquida somou R$ 216,2 milhões, queda de 10,7% em relação aos 6M17. A Receita Líquida advinda das exportações no 2T18 atingiu R$ 17,1 milhões, 16,2% abaixo do observado no 2T17. Nos 6M18, a receita líquida do segmento atingiu R$26,0 milhões, queda de 27,2% frente os 6M17.; LUCRO BRUTO = O Lucro Bruto da Companhia no 2T18 totalizou R$ 5,8 milhões, queda de 54% frente o 2T17. A margem bruta, por sua vez, atingiu 5,4%, queda de 4,8 pontos percentuais, comparado ao 2T17. A variação no lucro bruto pode ser explicada, conforme discutido anteriormente, pela combinação dos seguintes fatores: (i) redução do volume de embarques; (ii) recuperação de preços; e (iii) redução de custos fixos. Desta forma, a queda do volume embarcado afetou o lucro bruto, apesar da melhora dos preços e a maior eficiência operacional. Nos 6M18, o lucro bruto somou R$ 12,7 milhões, 43,6% menor que os 6M17. Já a margem bruta do período atingiu 5,9%, 3,4 pontos percentuais menor que dos 6M17.; EBITDA = O EBITDA da Companhia fechou o 2T18 em R$ 4,9 milhões negativos ante R$ 1,1 milhão negativo no 2T17. Já a margem do trimestre foi de -4,6%. Nos 6M18, o EBITDA somou R$ 8,0 milhões negativos, com margem de -3,7%.

3T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E PIOROU (TAMBEM) NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 17 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (37,7777%). A RECEITA LÍQUIDADO3T17(R$161,8MILHÕES) COMPARADA COM O MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR 3T16 (R$120,9 MILHÕES), FOI SUPERIOR EM 33,8% (R$40,9 MILHÕES). QUANDO COMPARADOS COM O ACUMULADO DO ANO, FOI SUPERIOR EM 24,3%(R$404,0 MILHÕES NO 9M17 VS R$325,0 MILHÕES NO 9M16). NO MERCADO INTERNO, A RECEITA LÍQUIDA PROVENIENTE DAS SOLUÇÕES KEPLER WEBER DE ARMAZENAGEM AGRÍCOLA APRESENTOU UM AUMENTO DE 43,9%(R$115,4 MILHÕES EM 3T17 VS R$80,2 MILHÕES EM 3T16). NO ACUMULADO DO ANO APRESENTOU AUMENTO DE 40,4% EM RELAÇÃO AO ANO ANTERIOR.

1T2015 -
small caps  -
Prejuízo forte...

A2014/4T2014 -
paulo_prof  -
Considerando que em 2015 não se deve esperar um forte recuo dos resultados de 2014, acredito que a KEPL3 esteja relativamente barata, mesmo considerando que neste momento o seu preço esteja 24% acima da mínima atingida em 11MAR.

3T2013 -
jgebing  -
KEPL3 veio violento!

2T2013 -
msneto  -
Achei bom o resultado. E as perspectivas parecem interessantes.

1T2013 -
jgebing -
O resultado veio muito bom!

alisonvm -
KEPL3
Karajooo !!!!

Sobre
A Kepler Weber S.A. sociedade anônima de capital aberto, possui sua sede localizada   em São   Paulo,   tendo   suas ações   negociadas   na B3 desde 15 de dezembro de 1980. Seu objeto social é exercido indiretamente, através de sua controlada, Kepler Weber Industrial S.A., com sede localizada na cidade de Panambi, RS, Brasil, no que se referem às atividades operacionais e industriais de produção de sistemas de armazenagem e  conservação  de  grãos  (silos,  secadores,  máquinas  de  limpeza  e  seus  componentes), instalações  industriais,  terminais  portuários,  peças  de  reposiçãoe  serviços  de  assistência técnica.

Balanços (Calendário)

Teleconferência DFP 2019

Teleconferência ITR 1T 2020

Teleconferência ITR 2T 2020

Teleconferência ITR 3T 2020

Proventos (Calendário)

Dividend Yield
2020
2019






4,32%





Payout
2020
2019






37,1%






Receita Líquida
A2019/4T2019

Custo de Produtos Vendidos (CPV)
A2019/4T2019

Lucro Bruto
A2019/4T2019

Despesas com Vendas
A2019/4T2019

Despesas Gerais eAdministrativas
A2019/4T2019




Embora a Receita Líquida tenha refluído, a empresa vem rodando super redonda. Todos os resultados são amplamente positivos, apresentando altas taxas de crescimento de cima a baixo. O mesmo se observa na comparação anual. Uma Receita Líquida menor levou a Resultados muito melhores de cima a baixo.

Ao que consta, a pandemia deve ter sido a responsável pela pequena redução da receita líquida em relação ao 1T19. Mas, de acordo com a empresa, não preocupa porque o 1o. semestre costuma ser muito mais devagar do que o segundo. As atividades de instalação dos silos adquiridos o ano passado não sofreram descontinuidade.

Como o setor agropecuário não deverá ser impactado fortemente pela pandemia, acho que o ativo não está caro (embora o seu preço esteja hoja próximo dos valores pré-pandemia.
p.php?pid=chartscreenshot&u=M4FvYdGit5d%
Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultado Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18 e 2018, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.



KEPL3

PREÇO: R$ 27,97

PAYOUT (2019): 27,6%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos 12 meses:

P/L 17,42

P/VPA 1,55

PSR 1,28

DY 1,59%

EV/EBITDA 8,40

MARGEM BRUTA 25,8%

MARGEM OPERACIONAL 9,3%

MARGEM LÍQUIDA 7,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,605

MARGEM EBITDA 14,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 13,3%

ROE 8,87%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,91



a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 1T19

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,26%

RESULTADO BRUTO +42,67%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -86,77%

RESULTADO OPERACIONAL +277,80%

RESULTADO LÍQUIDO +464,16%

EBITDA +76,36%



b) 1T20 vs 1T19

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,31%

RESULTADO BRUTO +9,23%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +78,08%

RESULTADO LÍQUIDO +114,33%

EBITDA +14,30%



c) lucro (taxa média anual)

UA 464,16%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 7,59%

U2A 1,93%

U3A -0,85%



e) ebitda (taxa média)

UA 76,36%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo

U4A 25,04%

U5A -5,79%

U6A -5,23%

U7A 27,72%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 20,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +8,0% !!!!

Depois de quebrar a cara vergonhosamente no comando da BRFS (que definitivamente atua num segmento completamente fora de sua expertise), a Tarpon acertou a mão na KEPL, principalmente no que concerne a produtividade. Mesmo com uma receita líquida menor em termos reais, a empresa conseguiu resultados muito melhores de cima a baixo, baseados em menores custos, sejam na fabricação dos produtos vendidos, sejam de administração e financeiros.

Tenho a impressão (que pode ser 100% equivocada) que a empresa possa ser pouco ou nada impactada pela pandemia do coronavirus. Afinal, a nova safra está aí, e deverá ser maior do que a anterior. Como a capacidade de armazenamento de gráos do país não é lá aquela Brastemp e a menos que o setor sofra com a crise, é possível que os negócios se mantenham no ritmo daqueles do 2T19.

Ao preço de hoje, se os resultados do 2S19 forem anualizados, ter-se-ia

KEPL3

PREÇO: R$ 24,13

PAYOUT (2019): 37,1%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos 6 meses anualizados:

P/L 8,58

P/VPA 1,36

PSR 0,97

DY 4,32%

EV/EBITDA 5,34

MARGEM BRUTA 27,4%

MARGEM OPERACIONAL 11,6%

MARGEM LÍQUIDA 11,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,813

MARGEM EBITDA 17,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 9,8%

ROE 15,84%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,71



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 35,16

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,0% !!!!

Em consequência, o ativo pode estar barato.

p.php?pid=chartscreenshot&u=vvZgNLO2zwC2
Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultado Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18 e 2018, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.

KEPL3

PREÇO: R$ 24,13

PAYOUT (2019): 37,1%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos 12 meses:

P/L 16,90

P/VPA 1,36

PSR 1,09

DY 2,19%

EV/EBITDA 7,22

MARGEM BRUTA 24,9%

MARGEM OPERACIONAL 8,1%

MARGEM LÍQUIDA 6,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,428

MARGEM EBITDA 14,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 9,8%

ROE 8,04%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,71



a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,24%

RESULTADO BRUTO +74,18%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -13,47%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +176,63%



b) 4T19 vs 4T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,53%

RESULTADO BRUTO +11,16%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -36,81%

RESULTADO OPERACIONAL +39,79%

RESULTADO LÍQUIDO +58,92%

EBITDA +24,30%



c) lucro (taxa média anual)

UA passou de negativo para positivo

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 7,09%

U2A -0,02%

U3A -1,79%



e) ebitda (taxa média)

UA 176,63%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo

U4A 30,39%

U5A -12,34%

U6A -2,78%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,85

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,5% !!!!
365472  - paulo_prof  -  25 Nov 2019, 02:11
Resultados excelentes sob qualquer ponto de vista, turbinados por um substancial aumento da margem bruta (de 15,6% no 3T18 e 23,8% no 2T19, para 27,1%). Em relação ao 3T18, inclusive, o Resultado Bruto aumentou 56,52% apesar da Receita Líquida ter declinado 10% em termos nominais. Aparentemente, o aumento na margem bruta, que foi gerado pelo ganho nos projetos de redução de custos e aumento de produtividade, veio para ficar.

Se os resultados do 3T19 puderem ser replicados nos próximos trimestres, o ativo estaria muito barato. Acho que uma (modesta) aposta não seria arriscada.
sr5Cze0wX1wzHFEfq4UT%204QHFDufZt8=



Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultasdo Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.



KEPL3

PREÇO: R$ 23,26

PAYOUT (2018): 31,3%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos 12 meses:

P/L 20,57

P/VPA 1,34

PSR 1,02

DY 1,52%

EV/EBITDA 7,81

MARGEM BRUTA 23,4%

MARGEM OPERACIONAL 6,9%

MARGEM LÍQUIDA 5,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,131

MARGEM EBITDA 12,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 10,8%

ROE 6,51%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,76



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,14

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +12,0% !!!!

363400  - paulo_prof   -  08 Ago 2019, 23:09
Resultados meia boca ... sensivelmente melhores do que do que aqueles do 2T18, mas piores do que aqueles do 1T19. A empresa postou prejuízo líquido devido à despesa de IR/CS anteriormente deferidos. Acho que o ativo está razoavelmente precificado.
Vo=
Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultasdo Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.



KEPL3

PREÇO: R$ 20,86

PAYOUT (2018): 31,3%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos 12 meses:

P/L 15,80

P/VPA 1,24

PSR 0,83

DY 1,98%

EV/EBITDA 7,22

MARGEM BRUTA 21,7%

MARGEM OPERACIONAL 6,9%

MARGEM LÍQUIDA 5,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,320

MARGEM EBITDA 12,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15,8%

ROE 7,86%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,62

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0% !!!!

361154  - paulo_prof   -  11 Mai 2019, 19:19
Os resultados foram bons, no sentido de provar que a empresa parece ter conseguido completar o seu turn around. Mas achei os resultados um pouco fracos para a precificação de momento. Sugiro cautela.

Observação: no que segue,foi expurgada a receita não recorrente de R$ 18,3 milhões no Resultasdo Antes dos Impostos e Ebitda do 4T18, bem como o seu impacto de aprox. R$ 15,465 milhões no lucro líquido.

KEPL3

PREÇO: R$ 18,90

PAYOUT (2018): 31,3%



Múltiplos relativos aos resultados dos últimos dois trimestres (4T18 e 1T19) anualizados:



P/L 14,32
P/VPA 1,12
PSR 0,75
DY 2,19%
EV/EBITDA 6,76
MARGEM BRUTA 21,7%
MARGEM OPERACIONAL 6,9%
MARGEM LÍQUIDA 5,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,320
MARGEM EBITDA 12,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 17,3%
ROE 7,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,61


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,5% !!!!

360262  - paulo_prof   10 Abr 2019, 00:49
Citação: bmansur - Post #360260 - 09/Abr/2019 21:31
Pessoal, dei uma olhada no ultimo resultado da KEPL3 e não encontrei não recorrentes. Será que pode ser um novo patamar de lucratividade?
Se realmente não houvesse não recorrentes, o ativo de fato seria muito "apetitoso". Mas uma olhada mais de perto mostra:

a) uma margem bruta (23,1%) não vista desde o 3T14, quando emplacou 26,9%;

b) outras receitas operacionais não recorrentes no 4T18 (e no exercício de 2018) totalizando mais de R$ 18 milhões.

Estas receitas são referentes a

1) Crédito de impostos -CPRB sobre receita bruta paga a maior (nota 11) - R$ 13,5 milhões

2) Recuperação de Impostos -PIS/COFINS - R$ 4,8 milhões

Se estes R$ 18,3 milhões forem expurgados do Resultado Antes dos Impostos, este, no exercício, seria negativo. Se a alíquota efetiva de IR/CS aplicada ao Resultado Antes dos Impostos (15%) for aplicada ao Resultado Expurgado Antes dos Impostos, o Lucro Liquido anual também seria negativo.

Altamente positivos permaneceriam os resultados do 4T18. Se estes fossem anualizados, ter-se-ia

PREÇO: R$ 18,63

P/L 9,23

P/VPA 1,11

PSR 0,63

DY 3,40%

EV/EBITDA 5,12

MARGEM BRUTA 23,1%

MARGEM OPERACIONAL 8,1%

MARGEM LÍQUIDA 6,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,019

MARGEM EBITDA 12,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15,6%

ROE 12,05%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 3 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$16,52

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 3 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,5% !!!!


Se, por outro lado, os resultados expurgados do 2S18 forem anualizados, também ter-se-ia múltiplos interessantes:

PREÇO: R$ 18,63

P/L 14,10

P/VPA 1,11

PSR 0,68

DY 2,22%

EV/EBITDA 6,69

MARGEM BRUTA 19,6%

MARGEM OPERACIONAL 5,7%

MARGEM LÍQUIDA 4,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,322

MARGEM EBITDA 10,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15,6%

ROE 7,89%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 25,24

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,0% !!!!

Na minha opinião, creio ser prudente esperar o 1T19 para se ter uma verificação do real potencial.

359829 - paulo_prof -  28 Mar 2019, 02:22
Depois de 2,5 anos no prejuízo, a empresa conseguiu postar lucro em dois trimestres seguidos, o último dos quais, anualizado, e mantido constante para todo o sempre seria compatível com um valor intrinseco de R$ 54,62!!! Há que se verificar, entretanto, se esta empresa também não contabilizou, 4T18, uma receita não recorrente relativa ao PIS e COFINS sobre a exclusão do ICMS na base de cálculo. No caso de não ter havido esta receita ou ocorrido outro evento não recorrente importante, o ativo parece interessante.

KEPL3

PREÇO: R$ 17,15

PAYOUT (2018): 31,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 54,59

P/VPA 1,02

PSR 0,78

DY 0,57%

EV/EBITDA 9,73

MARGEM BRUTA 14,5%

MARGEM OPERACIONAL 2,6%

MARGEM LÍQUIDA 1,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,314

MARGEM EBITDA 8,4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 15,6%

ROE 1,87%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,55



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,36%

RESULTADO BRUTO +72,13%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA passou de negativo para positivo



b) 4T18 vs 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,05%

RESULTADO BRUTO -76,91%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +329,22%

RESULTADO OPERACIONAL +32,46%

RESULTADO LÍQUIDO -1,51%

EBITDA +132,09%



c) lucro (taxa média anual)

UA passou de negativo patra positivo

U2A passou de negativo patra positivo

U3A 9,84%



d) patrimônio líquido médio

UA -6,66%

U2A -5,96%

U3A -4,44%



e) ebitda (taxa média anual)

UA passou de negativo patra positivo

U2A passou de negativo patra positivo

U3A 18,87%

U4A -25,94%

U5A -13,27%

353633 - marcosvinicius2 -  11 Set 2018, 21:23
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida no 2T18 somou R$ 107,6 milhões, queda de 13,9%. Já nos 6M18 a Receita líquida somou R$ 216,2 milhões, queda de 10,7% em relação aos 6M17. A Receita Líquida advinda das exportações no 2T18 atingiu R$ 17,1 milhões, 16,2% abaixo do observado no 2T17. Nos 6M18, a receita líquida do segmento atingiu R$26,0 milhões, queda de 27,2% frente os 6M17.; LUCRO BRUTO = O Lucro Bruto da Companhia no 2T18 totalizou R$ 5,8 milhões, queda de 54% frente o 2T17. A margem bruta, por sua vez, atingiu 5,4%, queda de 4,8 pontos percentuais, comparado ao 2T17. A variação no lucro bruto pode ser explicada, conforme discutido anteriormente, pela combinação dos seguintes fatores: (i) redução do volume de embarques; (ii) recuperação de preços; e (iii) redução de custos fixos. Desta forma, a queda do volume embarcado afetou o lucro bruto, apesar da melhora dos preços e a maior eficiência operacional. Nos 6M18, o lucro bruto somou R$ 12,7 milhões, 43,6% menor que os 6M17. Já a margem bruta do período atingiu 5,9%, 3,4 pontos percentuais menor que dos 6M17.; EBITDA = O EBITDA da Companhia fechou o 2T18 em R$ 4,9 milhões negativos ante R$ 1,1 milhão negativo no 2T17. Já a margem do trimestre foi de -4,6%. Nos 6M18, o EBITDA somou R$ 8,0 milhões negativos, com margem de -3,7%.:

KEPL3
PREÇO: R$ 9,14
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -5,03
P/VPA 0,59
PSR 0,44
DY 0,00%
EV/EBITDA -21,91
MARGEM BRUTA 6,99%
MARGEM OPERACIONAL -8,27%
MARGEM LÍQUIDA -8,66%
LUCRO POR AÇÃO R$ -1,818
MARGEM EBITDA -3,09%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 45,15%
ROE -11,64%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,16

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 7,57%
RESULTADO BRUTO -3,83%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -122,57%
RESULTADO OPERACIONAL 31,69%
RESULTADO LÍQUIDO 140,39%
EBITDA 16,10%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -13,90%
RESULTADO BRUTO -54,35%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 608,55%
RESULTADO OPERACIONAL 72,55%
RESULTADO LÍQUIDO 167,98%
EBITDA 353,96%

c) lucro (taxa média anual)
UA 140,39%
U2A ND
U3A -187,99%

d) patrimônio líquido médio
UA -7,77%
U2A -5,56%
U3A -3,94%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

346725 - NumBroker -  01 Fev 2018, 11:59
Na Kepler Weber, reinvenção ou venda
Geraldo Samor

A ação da Kepler Weber está trocando de mãos.

Nos últimos dias, a volatilidade do papel aumentou e o volume de negócios ficou bem acima da média, sugerindo que algum acionista relevante vendeu sua posição.

A mudança na base acionária vem num momento de incerteza sobre o futuro estratégico da companhia.

Na semana passada, Olivier Colas — um vice-presidente que acumulava os cargos de CFO e RI — deixou a companhia. Colas frequentemente conversava com acionistas da empresa sobre a necessidade de um turnaround na Kepler, que, até o terceiro trimestre do ano passado, caminhava para o terceiro ano consecutivo de prejuízo. Ao Brazil Journal, Colas disse que sua saída da companhia foi amistosa e que teve a ver “apenas com o encerramento de um ciclo profissional”.

Uma pequena ferraria fundada em 1925 pelos irmãos Otto Kepler e Adolfo Kepler Jr., a Kepler Weber é hoje o que o mercado costuma chamar de 'empresa de fundo de pensão’. Seus maiores acionistas são a Previ e o Banco do Brasil, que juntos têm 35% da companhia. A base acionária inclui ainda a Geração Futuro (13%), o investidor Fernando Heller (13%), o Banco Clássico, do investidor Juca Abdalla (10%) e um fundo da Sul América (8%).

No início do ano passado, a AGCO — um gigante mundial de equipamentos agrícolas — fez uma oferta para comprar as participações da Previ e do BB por R$ 22 por ação, que então negociava a R$ 17. Na época, a AGCO informou também sua intenção de adquirir a totalidade das ações da Kepler e de fechar seu capital por meio de uma oferta pública. No entanto, como condição precedente, a AGCO disse em seu comunicado que só fecharia o negócio se conseguisse adquirir, no mínimo, 65% do capital, ou seja, 30% além da participação do Banco do Brasil e da Previ.

Em meados de novembro — aparentemente por não conseguir negociar a compra dos outros 30% — a AGCO desistiu da Kepler. Com a notícia, a ação embarcou numa montanha russa: caiu de cerca de R$ 21 para cerca de R$ 18, voltou a negociar a R$ 21 no início de janeiro, e mergulhou para R$ 13 na sexta-feira, com algum vendedor relevante pressionando os preços. Desde o início da semana, a ação só sobe, também com um volume bem acima da média.

Num País que é um dos maiores produtores de grãos do mundo, a Kepler deveria nadar de braçada. A companhia tem 50% de share no mercado de equipamentos para armazenagem de grãos; o segundo player tem apenas 12%.

Apesar dessa posição privilegiada, a Kepler tem perdido dinheiro. Em 2015 e 2016, a recessão deprimiu as vendas da empresa, que carregava muita gordura em seus custos desde o ciclo anterior. Em 2017, quando as vendas já melhoravam, a alta do aço liquidou a margem e, até o terceiro trimestre, a companhia estava no vermelho.

A Kepler fabrica toda a linha de equipamentos que formam uma unidade de armazenagem — silos, máquinas de limpeza de grãos, secadores e transportadores horizontais e verticais — e até recentemente só enfrentava a concorrência de empresas nacionais de pequeno porte que não ameaçavam sua liderança.

Mas de uns tempos para cá, dois pesos-pesados do setor começaram a botar o pé no Brasil. A canadense AGI adquiriu a Entringer em 2016, e já fala em ampliar a capacidade de produção da fábrica. A AGCO já tem uma pequena base industrial no interior do Rio Grande do Sul.

Ambos os players têm faturamento anual superior a US$ 500 milhões e presença na Europa, Ásia e América do Norte. Agora, estão voltando suas baterias para o último bastião que ainda não dominam.

Para os acionistas da Kepler, a grande questão é saber se a companhia está preparada para defender sua posição, tanto em termos de competitividade quanto na questão da inovação.

Pelos resultados mais recentes, a questão da competitividade industrial ainda não está resolvida. Já no quesito inovação, nem a Kepler nem o resto da indústria de armazenagem em geral tem muito a mostrar no Brasil.

“Enquanto outros equipamentos como máquinas colheitadeiras já são repletos de tecnologia embarcada, o mercado de silos agrícolas no Brasil não mudou nada nos últimos anos,” diz um investidor.

Tendo em vista a chegada dos concorrentes, o futuro da Kepler parece binário: ou se reinventa para competir, ou acabará comprada por eles.

fonte: http://braziljournal.com/na-kepler-weber-reinvencao-ou-venda

346473  - ispholambra  -  24 Jan 2018, 21:54
Essas quedas bruscas devem ser causadas por algum investidor maior desovando os papeis...

Essa empresa passou por um "boom" milagroso em 2013/2014... a acao chegou a bater quase 60,00 e vem so caindo desde entao...

O pior e que pelos ultimos balanços apresentados ela nao vale nem essa cotacao que esta... é prejuizo em cima de prejuizo...

O setor tambem é bem ruim....fabrincante de Silos para armazenamento de graos...

Sao poucos os produtores que tem cash ou que conseguem financiamento sificiente para contruir um Silo... e uma vez esse construido dificilmente o agricultor vai construir outro num curto espaço de tempo...

Nao vejo esse setor com bons olhos...e teve o lance tambem da venda frustrada da posicao acionaria da Previ...

Melhor ficar de fora,..

344397  - marcosvinicius2  - 27 Nov 2017, 12:28
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E PIOROU (TAMBEM) NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 17 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (37,7777%). A RECEITA LÍQUIDADO3T17(R$161,8MILHÕES) COMPARADA COM O MESMO PERÍODO DO ANO ANTERIOR 3T16 (R$120,9 MILHÕES), FOI SUPERIOR EM 33,8% (R$40,9 MILHÕES). QUANDO COMPARADOS COM O ACUMULADO DO ANO, FOI SUPERIOR EM 24,3%(R$404,0 MILHÕES NO 9M17 VS R$325,0 MILHÕES NO 9M16). NO MERCADO INTERNO, A RECEITA LÍQUIDA PROVENIENTE DAS SOLUÇÕES KEPLER WEBER DE ARMAZENAGEM AGRÍCOLA APRESENTOU UM AUMENTO DE 43,9%(R$115,4 MILHÕES EM 3T17 VS R$80,2 MILHÕES EM 3T16). NO ACUMULADO DO ANO APRESENTOU AUMENTO DE 40,4% EM RELAÇÃO AO ANO ANTERIOR.:

KEPL3
PREÇO: 20,34
PAYOUT (2016): -12,15%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -20,54
P/VPA 1,18
PSR 0,97
DY 0,59%
EV/EBITDA -28,33
MARGEM BRUTA 7,35%
MARGEM OPERACIONAL -7,81%
MARGEM LÍQUIDA -4,70%
LUCRO POR AÇÃO -0,990
MARGEM EBITDA -4,15%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 41,86%
ROE -5,73%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,33

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 1,01%
RESULTADO BRUTO -37,81%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,40%
RESULTADO OPERACIONAL 337,80%
RESULTADO LÍQUIDO -1282,66%
EBITDA -346,10%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 33,79%
RESULTADO BRUTO 3,25%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -0,17%
RESULTADO OPERACIONAL -272,67%
RESULTADO LÍQUIDO -264,83%
EBITDA -106,44%

c) lucro (taxa média anual)
UA -1282,66%
U2A ND
U3A -162,23%

d) patrimônio líquido médio
UA -4,61%
U2A -2,86%
U3A 4,34%

LUCRO BRUTO = O Lucro Bruto da Kepler Weber no 3T17 totalizou R$18,9 milhões(margem 11,7% no 3T17 vs 15,1% no 3T16) ou 3,2% superior ao mesmo período do ano anterior, corroborando um trimestre com maior competitividade de preços. No acumulado do ano, o Lucro Bruto está superior em 24,0%(R$41,5 milhões, margem 10,3%), em relação aos 9M16 (R$33,4 milhões, margem 10,3%). Essa melhora do Lucro Bruto se deve, em parte, ao aumento de volume que compensou parcialmente a redução dos preços e aos resultados colhidos da simplificação dos processos ao longo da cadeia do pedido e da montagem.

EBITDA = O EBITDA da Companhia fechou o terceiro trimestre do ano em R$0,5 milhão negativo ante R$7,8 milhões positivos no 3T16, uma piora de R$8,3 milhões, essa deterioração se deve, principalmente, a fatores não recorrentes como provisões de contigências jurídicas de processos cíveis. No acumulado dos nove meses de 2017, percebe-se uma pequena melhora de R$336mil de EBITDA, com margem negativa de 1,0%.

KEPL3_3_T17.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

Alguém tem acompanhado a KEPL3 mais "de perto"?

Expectativa para os próximos resultados? sofre ou se dá bem com o dólar alto? como anda seu ramo de atuação?

Se fosse KEPL11 teria gente para opinar, eu acho, como é KEPL3, sei não..........rsrs.
kepler é do ramo industrial e como todo o ramo esta mal das pernas.
E o pior, nao esqueça que a grande guinada da Kepler foi em razão do PNA(Plano nacional de Armazenagem).
Contudo, com estes aumentos de juros, maior critericidade do BNDES, entre outros problemas com certeza deve afastar algumas vendas.
E por ultimo e nao menos importante, os dois primeiros Trimestres sempre sao os piores da empresa.
Creio que nao seja o momento. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
297065  - dusteffen  -  12 Mai 2015, 19:08
Duvido que a culpa seja só do ERP / SAP, sei que na fase de implantação desse sistema as empresas dão uma "travada", mas acho que o burfaco é mais embaixo, rsrs

12/05/2015
Kepler Weber teve prejuízo de R$ 14,3 milhões no 1º tri


Por Mariana Caetano | De São Paulo

A brasileira Kepler Weber, fabricante de equipamentos para armazenagem e movimentação de granéis, reportou um prejuízo líquido de R$ 14,3 milhões no primeiro trimestre de 2015, ante resultado líquido positivo de R$ 23,8 milhões no mesmo período do ano passado. Pesaram sobre o desempenho a queda no faturamento e variações cambiais negativas, disse a companhia em nota que acompanhou o balanço, divulgado ontem.

A receita líquida totalizou R$ 107,9 milhões, um recuo de 37,7% em relação aos R$ 173,3 milhões do mesmo intervalo de 2014. A Kepler creditou essa redução à "adaptação ao novo sistema ERP [software de gestão] implantado nos primeiros dias de janeiro de 2015, provocando um represamento temporário nas entregas da companhia".

Ainda que considere a implantação "bastante satisfatória", e que as dificuldades iniciais tendem a ser "revertidas no decorrer do ano", os ajustes para adequação ao software no primeiro trimestre deixaram o faturamento aquém do potencial da carteira de pedidos, prejudicando os demais indicadores de rentabilidade e geração da caixa, avaliou a Kepler.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ficou negativo em R$ 11 milhões, ante Ebitda positivo de R$ 34,8 milhões no primeiro trimestre de 2014. Assim, a margem Ebitda ficou negativa em 10,2%, ante margem Ebitda positiva de 20,1% na mesma comparação.

297002  - small caps  - 12 Mai 2015, 13:00
[...]
KEPLER... passou um trator por cima do balanço...
Prejuízo forte...

297005 - small caps  -  12 Mai 2015, 13:04
KEPL3.

Realmente assustador:

Destaques do período:
 Receita Líquida: R$ 107,9 milhões ou 37,7% inferior que no mesmo período do ano anterior (R$ 173,3 milhões). A principal razão por trás deste recuo na Receita Líquida é a adaptação ao novo sistema ERP implantado nos primeiros dias de janeiro de 2015, provocando um represamento temporário nas entregas da Companhia.
 Lucro Bruto: R$ 3,0 milhões com uma queda de 93,1% resultante principalmente da postergação das entregas e da queda de produtividade também relacionada ao novo ERP.
 Prejuízo Líquido: R$ 14,3 milhões reflexo da queda no faturamento e de variações cambiais negativas.
 EBITDA: R$ 11,0 milhões negativos, com margem de negativa de 10,2%.
 Geração de caixa: devido ao fraco nível de atividade pelas postergações de faturamento, a Companhia reduziu neste trimestre sua geração de caixa em R$ 24,9 milhões.
 Dívida Líquida: no final deste trimestre fechou em R$ 41,7 milhões negativos (R$ 72,2 milhões negativos no final de 2014).

292852 - paulo_prof  -  23 Mar 2015, 18:38
Considerando que em 2015 não se deve esperar um forte recuo dos resultados de 2014, acredito que a KEPL3 esteja relativamente barata, mesmo considerando que neste momento o seu preço esteja 24% acima da mínima atingida em 11MAR.

KEPL3
PREÇO: R$ 31,00
PAYOUT (2014): 27,1%

P/L 6,15
P/VPA 1,60
PSR 0,90
DY 4,42%
EV/EBITDA 5,06
MARGEM BRUTA 24,1%
MARGEM OPERACIONAL 14,9%
MARGEM LÍQUIDA 14,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 5,043
MARGEM EBITDA 17,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 22,2%
ROE 26,08%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,72

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +52,30
RESULTADO BRUTO +34,59
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +47,76%
RESULTADO OPERACIONAL +72,09%
RESULTADO LÍQUIDO +113,67%
EBITDA +63,15%

b) 4T14 sobre 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +47,76%
RESULTADO BRUTO -4,63%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL 13,04%
RESULTADO LÍQUIDO +98,00%
EBITDA -13,24%

c) lucro líquido, nominal
UA 113,67%
U2A 105,95%
U3A 67,46%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 28,43%
U2A 19,91%
U3A 16,67%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 50,43

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -11,0%

229753  - jbegood  -  09 Dez 2013, 14:36
A Kepler Weber, fabricante de equipamentos para armazenar e transportar grãos, está a um passo de comprar uma briga com o BNDES, seu principal credor. A origem de tudo é a contração de uma dívida de 150 milhões de reais em 2007. O acordo dá ao BNDES o direito de convertê-la em ações. Mas, para a companhia, o valor da conversão de cada papel deve ser de 26 reais mais a variação dos juros no período. Para o BNDES, é de 16 reais. Se converter a dívida no preço que quer, o BNDES passará a deter 17% da empresa — diluindo os demais acionistas, claro, entre eles o fundo de pensão Previ. As ações estão cotadas a 42 reais hoje. A Kepler estuda discutir o contrato na arbitragem. O medo, porém, é brigar com o BNDES e perder o acesso ao crédito do banco.

223945  - jgebing  -  13 Nov 2013, 22:26
Já eu, como sócio de KEPL3, gostei bastante do parecer do Small.

Serviu ao menos para abrir o olho e ver a questão por outro lado.

Mantenho a posição e sigo confiante e confortável...

Sobre a empresa,

A dívida líquida zerou. Entre "Caixa" e "Títulos e Valore Mobiliários" a empresa tem mais que o valor da dívida bruta ("Empréstimos e Financiamentos" + "Debêntures"). (Isso está claro na página 12 do ER.) A recuperação judicial realmente é coisa do passado. A empresa em breve apresentará resultado financeiro consolidado positivo!

O crescimento do lucro líquido só não foi maior por causa da linha de Tributos, onde acabou o diferimento. Agora é lucro líquido pra valer! Mas vejam que o lucro antes de tributos cresceu mais de 300% em relação ao 3T12!

O ROE de "apenas" 5,6% é ao trimestre e não ao ano, como estamos acostumados a falar! Se fechar o ano com lucro líquido da ordem de R$ 90 M, que é o que eu estimo como limite inferior, o ROE vai para 26% a.a.! E isso sem alavancagem financeira!

Afora isto tudo, são 3 fatores que temos que ficar de olho aqui:

1) preço das commodities
2) tamanho da safra
3) taxa de juros camaradas do BNDES.

Se tivermos a manutenção desses componentes teremos uns 4 anos bons pela frente.

Se tivermos apenas 2, talvez tenhamos anos razoáveis.

Se tivermos apenas 1, segurem as perucas!

Conforme dito, o cenário atual me parece bastante favorável, com isso, sigo comprado e feliz.

223922  - small caps  -  13 Nov 2013, 21:50
KEPL3.

Gostaria de comunicar que na temporada de balanços, foco PRIMEIRO nos ativos que TENHO. E depois na prospecção.

Portanto, quando faço a GENTILEZA de dar uma opinião sobre um ativo que sequer eu possuo no momento, considero o histórico do que EU CONHEÇO.

Assim, jamais tenho o objetivo de fazer buling sobre qualquer tema. Aliás, faço a GENTILEZA de falar o que penso sobre um ativo, sejam os fatos positivos ou negativos...

E, também considero a composição da MINHA carteira na hora de decidir pelo compra de um ativo... Minha carteira industrial esta com a temporada fechada para aquisições.

223875  - edomr  -  13 Nov 2013, 19:54
Concordo plenamente com a Susinha a respeito da Kepler. Discordando um pouco do que o small falou sobre a demanda impulsionada pelo governo através dos incentivos, penso que está demanda quase que não aparece no balanço do 3T, que foi espetacular por outros motivos inerentes a própria empresa.

Se formos analisar, não tem sequer 4 meses de existência, ou seja, sabendo da burocracia existente no Brasil, alguém acha que em menos de 4 meses do surgimento do Plano Nacional de Armazenagem algum projeto efetivamente já saiu do papel??
ACho muito difícil, e mesmo se fossem, provavelmente, os mesmos ainda não estariam faturados e postos no balanço.

Então, com base nisso, acho que a Kepler mostrou um excelente balanço amparado no que já vinha construindo, e que o PNA irá agregar muito mais. Como visto a carteira de pedidos já está quase na casa de 700 milhões. Hoje, já deve ter muito mais. 
KEPL3, o segredo?

Empresa amiga del rei:

"Alem do crescimento da Safra e o persistente deficit de armazenagem no Brasil, o principal ingrediente que sustentou essa demanda e o juros altamente atrativo do Finame PSI (3,5% a.a.) complementado pelos dispositivos do Plano de Armazenagem anunciado pelo governo federal em junho 2013. Esse plano preve ate R$ 25 bilhoes de linhas de financiamento para armazenagem ate 2017."
223672  - suzisinha  -  13 Nov 2013, 14:53
KEPL3, segredo 2 :

Procurem saber quanto desses 25 bilhões em linhas de financiamento já foram efetivamente utilizados. Irão descobrir que até aqui, o que a empresa conseguiu, o fez por méritos próprios. Tomou um grande choque de gestão que vem sendo refletido no aumento da rentabilidade da empresa. Nosso rei é burro. O mesmo rei que disponibiliza o crédito, entrava o seu uso com a burocratização.
Não vou mais falar da KW aqui nesse espaço. Afinal, parece que a moda do Bullying já chegou aqui.

223697  - Barbado  - 13 Nov 2013, 15:27
Fique fria menina, esse mérito ninguém vai tirar de você, quando você postou essa matéria o papel estava em míseros 13,25 (preço de fechamento).

Deve ter recebido "zero" de positivações, mas eu o "VELHO BARBADO" prestei atenção.

Agora o duro é aguentar os "novos pais" da criança que apareceram depois.

Forte abraço, continue estudando e releve essas coisas.

suzisinha
Calendarup 15/03/2013 09:47

KEPL3

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou lucro líquido de R$ 20,0 M no 4° trimestre de 2012, uma variação de 176,3% em relação ao 3° trimestre de 2012 e aumento de 17,6% em relação ao quarto trimestre de 2011.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 428,0 M, acréscimo de 0,5% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 321,0 M neste trimestre, o que representou uma variação de 8,1% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 41,5% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 319,5 M contra R$ 295,1 M no quarto trimestre de 2011.

223762 - HansDorf  -  13 Nov 2013, 16:31
Como não sei se estaria também estaria sendo considerado engenheiro de obra feita, fui procurar uma das minhas compras de KEPL3 nas notas de corretagem e achei, compra em 23/02/2012 a 0,27. Quando conseguir ir em um desses encontros, vou fazer questão de comprovar. rs. No mais, parabéns a todos os comprados. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
223595  - small caps  -  13 Nov 2013, 13:02
goodguys11, em reconhecimento ao fato de vc ter manerado com as brigas sobre time de futebol...

Bem como não sacaneou vários dos meus amigos por aqui nas últimas 24 horas.

Entre eles, Samu, Floripa, etc... que conheço pessoalmente a bastante tempo e tenho bastante apreço...

Vai a resposta :)

KEPL3 está num momento excepcional. Mas, comprar neste momento tem um risco superior, pois a demanda é decorrente de um programa de governo que barateou o custo de capital para adquirir silos de armazenagem depois dos problemas que vimos ano passado no transporte de cargas...

Sim, ainda há demanda a ser atendida e a necessidade de construir silos Brasil afora ainda é imensa...

Mas, o ponto médio dos balanços não tem sido o atual e o risco é voltar futuramente para a média histórica... o que fatalmente faria o ativo ficar caro.

Portanto, ainda há um potencial de ganho adicional, mas hoje o potencial de perdas não é desprezível quando acabar os estímulos para aquisição de silos.

Ótima compra para quem avistou antes. Este bonde eu deixei passar, apesar de várias vezes ter balançado...

222836  - jgebing  -  11 Nov 2013, 21:17
KEPL3 veio violento!

203599  - msneto  -  15 Ago 2013, 12:30
Achei bom o resultado. E as perspectivas parecem interessantes.
Relatorio completo em : http://ri.kepler.com.br/ShowResultado.aspx?IdResultado=i557b+GvhXn0+ZT7FxPDSg==

184780 - jgebing -  10 Mai 2013, 22:50
Small,
O que achas de KEPL3? Ainda é um bom momento para entrada? O resultado veio muito bom!

182193  - alisonvm -  25 Abr 2013, 21:44
KEPL3
Karajooo !!!!

Citação: suzisinha
Small,
SE vc achar que vale a pena perder um pouco de tempo, poderia depois fazer alguma consideração sobre o mico (possível turn) KEPL3 ?
suizisinha, realmente tem melhorado as coisas por lá...

Bons múltiplos... pena que um ROE baixo...

O segundo semestre, especialmente o quarto trimestre, é sazonalmente sempre mais forte...

Para carteiras diversificadas... vale uma alocação...

173132 - suzisinha -  15 Mar 2013, 12:43
KEPL3

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou lucro líquido de R$ 20,0 M no 4° trimestre de 2012, uma variação de 176,3% em relação ao 3° trimestre de 2012 e aumento de 17,6% em relação ao quarto trimestre de 2011.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 428,0 M, acréscimo de 0,5% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 321,0 M neste trimestre, o que representou uma variação de 8,1% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 41,5% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 319,5 M contra R$ 295,1 M no quarto trimestre de 2011.

...diminuindo dívidas, aumentando lucro...

Não acompanho o ativo e estou "por fora" do setor. Uma opinião do Herds seria mais apropriada.
 Os resultados da empresa são muito "voláteis". É difícil conseguir efetuar qualquer previsão com uma certa margem de segurança. Se analisarmos os resultados mais recentes (últimos 8 trimestres), verificamos que a margem bruta variou entre 16,5% e 24,8%. É muita coisa. É tanto que é necessário entender a razão deste "spread" para poder efetuar projeções com um mínimo de propriedade. Ou seja, supondo uma projeção da receita líquida, qual o resultado bruto esperado? O que pega mais no custo do produto/serviço?

As despesas operacionais (vendas+administrativas) parecem ser mais bem comportadas, estando na faixa de aprox. R$ 12 milhões trimestrais.

O comportamento do lucro é ainda mais volátil do que a receita líquida e margem bruta. De qualquer forma, o lucro dos últimos 4 trimestres foi 8,1% nominal maior do que o dos 4 trimestres anteriores. Se a inflação for descontada, não sobra quase nada nesta taxa de crescimento.

Supondo uma margem, de segurança de 30% sobre o preço atual, uma perpetuidade real nula e uma taxa de desconto real de 8%, a taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, supondo uma fase de crescimento de 3 anos, seria de 2,5%.

Como, salvo melhor juízo, é mais ou menos esta a taxa real de crescimento do lucro líquido, parece que o ativo está razoavelmente bem precificado.


166 de 5068 17/Out/2008 10:57 0
doublespy Comentários: 20 - Desde: Out 2008
small caps vc pode me responder o seguinte...
tenho um pouco da Kepler Weber. Se uma outra firma (GSI?) comprar a
Kepler Weber como ela vai remunerar as ações kepl3? Se for so pelo valor média dos
"ultimos 3 meses, então casos como agen11 kepl3 e milk11 não tem tanto upside, é so um interessado esperar mais uns 2 meses que vira pechincha. O VPA não quer dizer nada nestes casos?"

294 de 5068 09/Nov/2008 20:52 0
1 small caps Usuário Premium Comentários: 2794 - Desde: Fev 2007
"PAAM INVEST, comentei sobre KEPL3 nos inícios das discussões deste tópico. Quando adquiri ações desta empresa, em 2001 (vendidas no topo da euforia), elas custavam, considerando a mega subscrição em ações que fizeram (multiplicaram o número de ações por 12 ou 13), algo próximo a R$ 0,03 e era uma empresa com uma bela lucratividade e histórico de crescimento consistente. Hoje, temos uma empresa tentando se reerguer e que perdeu um belíssimo ciclo positivo da agricultura, por ter dado o passo maior do que a perna ao inaugurar a unidade em Campo Grande. O market share que a empresa perdeu deve ter sido violento neste período e para o próximo ano é grande a possibilidade de os agricultores não terem muito dinheiro em caixa para investir em armazenamento. Com tantas opções no mercado pagando dividendos belíssimos, o investimento na KEPL3 deve ser realizado após a escolha de ações ainda mais baratas."

613 de 5068 12/Dez/2008 23:14 0
jonathanmelo Comentários: 106 - Desde: Nov 2008
"Tenho também KEPL3, e apesar da empresa passar por uma restruturação que me parece ir muito bem a cotação está praticamente parada. Me parece ser uma oportunidade interessante (Turnaround). KEPL tem um P/L alto, porém no teu livro ví que estes papeis de empresas em situações especiais ou situação temporariamente difícil o P/L e o P/VPA não são muito importantes, sendo asim deve-se analisar o PSR e o P/EBITDA. Qual sua opinião sobre a Kepler Weber, baseado nestes fundamentos e em tua experiência de empresas que passam por situações temporariamente difíceis como esta."

623 de 5068 13/Dez/2008 00:26 0
1 small caps Usuário Premium Comentários: 2794 - Desde: Fev 2007
"KEPL3 agora estabilizou num preço mais justo. Por um bom período alertei os colegas dos riscos de investir nas suas ações, inclusive na época que suas cotações superavam os R$ 6,00, antes da mega diluição do capital que houve com aquela operação de subscrição de ações para salvar do preju alguns bancos que emprestaram dinheiro a ela."
"Você está certo quando aos critérios a serem utilizados para analisar a empresa. O primeiro: PSR = 0,73. Há um ano seria muito atrativo, mas na análise multimercado está na média, talvez até um pouco acima para a sua situação. Há empresas em situação melhor, com PSR abaixo de 0,3."
"P/EBIT 30 e se anualizado o do último trimestre, por volta de 6. Bastante alto. Muitas empresas estão com este indicador abaixo de 2. No site do fundamentus tem vários exemplos no ranking."
"Não há sinalização de forte aquecimento da demanda por seus produtos no curto prazo, pois o preço das commodities agrícolas certamente não permitirão muitos investimentos por produtores rurais."
"Assim, o maior atrativo da empresa ainda é sua cotação em centavos e a lembrança dos dias em seus preços estavam muito acima do valor justo."

901 de 5068 13/Jan/2009 20:56 0
1 small caps Usuário Premium Comentários: 2794 - Desde: Fev 2007
"(883) higorq, obrigado! Efetivamente KEPL3 gera uma grande demanda de análise. Isto se deve especialmente à cotação em centavos da companhia e aos preços que um dia suas ações já atingiram. Quando alguém olha aquele gráfico pensa: Nossa, já pensou se chegar lá de novo? Não condeno quem pense assim, até porque no início, também já cometi erros como este. Os preços atuais não representariam um risco tão grande para compras, uma vez que equivale a 0,78 vezes o faturamento anual e umas 6 vezes o Ebitda anualizado do último trimestre. Mas não é nenhuma barganha, uma vez que várias companhias já negociam até mesmo por 1 vez o lucro operacional."
"Ganhei bastante com as ações da KEPL3. Só que comprei em 2001/2002, antes da mega diluição de capital acionário que teve (13 vezes mais ações aproximadamente, ou seja, os R$ 0,16 de hoje equivalem a mais de R$ 2,00 na cotação anterior, antes daquela subscrição para evitar a falência da companhia e o prejuízo dos bancos). Na época, paguei R$ 0,40. A empresa vinha muito bem, crescia a passos largos, a agricultura estava investindo e dando lucros. Estava sendo construída a nova unidade, que depois acabou por afundar a empresa, que foi pega no contra-pé, com uma crise econômica. Foi o preço pago pelo excesso de confiança num cenário azul demais. Acabei vendendo as ações entre R$ 6,00 e R$ 9,00 e avisava bastante o pessoal aqui do fórum para fazer o mesmo."
O free float das ações era baixo e os preços eram mantidos num patamar exarcebado.
"Atualmente, a agricultura não está com preços de commodities suficientemente altos que permitam pesados investimentos pelo setor, o que prejudica as encomendas da Kepler Weber. Ela perdeu o último boom e crescer agora na crise é muito mais desafiador."
"Assim, a cotação em centavos da ação é uma ilusão, uma vez que o valor de mercado da companhia supera ainda os R$ 200 milhões. Mas também não é nenhum absurdo comprar ações agora, como era quando, após o anúncio da mega diluição de capital, ainda chegou a negociar acima de R$ 2,00."
"A minha preferência, no momento, é por ações com melhor situação e que já pagam bons dividendos."

924 de 5068 14/Jan/2009 00:48 0
buric Comentários: 301 - Desde: Mai 2007
"Parabéns pelas palavras sobre a KEPL3, olho ela já tem mais de 1 ano, mas ainda não achei que seria momento de entrar. Mas continuo acompanhando porque imagino que esse momento não está mais tão distante. Muitas variáveis estão contra a empresa, como o prejuizo cambial de diversos players de sua cadeia e principalmente a queda o preço das commodities, fonte de receita de seus clientes."
Mas vejo algumas variáveis que começam a favorecer a atuação da empresa:
"a) preço do aço baixo, principal insumo da KEPL,"
"b) dólar alto, tornando concorrentes de fora mais caros"
"c) e, operacionalmente, parece estar se equacionando com melhoras seguidas no EBITDA."

1377 de 5068 Modificado em 03/Fev/2009 09:50 0
cesargallo Comentários: 30 - Desde: Jan 2009
"Quanto a Kepler (KEPL3) acho a empresa bem interessante, um belo ramo de atuação, mas pelo que li, se endividou, cambio prejudicou e está com a dívida negociada, conseguiu um aporte financeiro, mas pretende amortizar a divida até 2020. No 3T08, teve lucro bruto mas prejuizo liquido. Esse prejuizo vem diminuinda a cada trimestre e estão com planos de investimentos grandes. Vamos acompanhando. Na minah opnião se começar a pagar Dividendos será uma pechincha pelos valores atuais. O que voce cha ? E os demias amigos ?"

3611 de 5068 Modificado em 05/Abr/2009 15:33 0
mille 2 Comentários: 108 - Desde: Jul 2008
kepl3
pontos que achei interessante
faturamento bruto + 119% em relação a 2007
lucro bruto 600% up a 2007 margem bruta 3x a 2007
lucro antes do impostos 2m ante prejuizo em 2007
ebidta positivo de 52m em 2008 prejuizo de 15m em 2007
prejuizo liquido reduzido em 65% em relação a 2007
grandes fundos de pensão como acionistas +santander
"custo de produtos vendidos aumentou 77%, mas bem abaixo do faturamento que aumentou 119%"
"despesas comerciais subiram 39%, bem inferior ao crescimento do faturamento de 119%"
despesas gerais cairam 32% em relação a 2007
aumento de 150% nas receitas financeiras em relação a 2007
"psr 0,55"
"logico que alem de não ter competencia para indicar nada a ninguem, soh estou colocando esses dados para estudo, pq quero aprender o que não vih"
"não estou recomendando nada aninguem, cada um opera pelos seus criterios"

20474 de 20474Modificado em 12/Nov/2009 10:51 [Citar este comentário] 0
1 herdsman Usuário PremiumComentários: 865 - Desde: Nov 2008
Porque subiu tanto o nosso KEPLER WEBER S.A. ?
Nome de Pregao KEPLER WEBER
Periodo 9M
Data Encerramento 30/09/2009
Patrimonio Liquido 167.192
Receita Liquida 26.794
Resultado Bruto 8.455
Receita (Despesa) Financeira Liquida (400)
Resultado da Equivalencia Patrimonial (6.723)
Resultado Operacional (6.449)
Lucro (Prejuizo) Liquido (6.449)
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Mil ) 1.301.332
Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA (0,00496)
Valor Patrimonial da Acao - VPA 0,12848

30508 de 3057518/Mar/2010 10:15 [Citar este comentário] 2
3 small capsComentários: 3490 - Desde: Fev 2007
Sócios do prejuízo gostam:
Resumo dos Dados Consolidados Recebidos
R$ Mil Legislacao Societaria
Descricao
Nome de Pregao KEPLER WEBER
Periodo ANL - 12M
Data Encerramento 31/12/2009
Patrimonio Liquido 170.854
Receita Liquida 215.077
Resultado Bruto 27.200
Receita (Despesa) Financeira Liquida 6.350
Resultado da Equivalencia Patrimonial
Resultado Operacional (6.677)
Lucro (Prejuizo) Liquido (3.010)
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Mil ) 1.302.308
Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA (0,00231)
Valor Patrimonial da Acao - VPA 0,13119

55260 de 5530011/Nov/2010 23:28 [Citar este comentário]  2
4 small caps Usuário PremiumComentários: 4239 - Desde: Fev 2007
Entrevista para a Investmais sobre a Kepler Weber:

- Quais as perspectivas de crescimento da empresa no mercado de ações?

O futuro das cotações da Kepler Weber dependerá primordialmente da sua capacidade de elevar o nível de vendas, de modo a utilizar a capacidade produtiva que ampliou na sua fase de crescimento, época em que construiu sua nova unidade industrial, pelos idos de 2004. Desde que inaugurada a nova unidade, a empresa passou a enfrentar dificuldades, especialmente em razão da abrupta mudança de cenário econômico. Com isso, acumulou dívidas num momento em que os seus principais clientes também enfrentavam dificuldades econômicas, diminuindo os pedidos. Para solucionar o problema do endividamento, fez uma subscrição de ações de proporções bastante elevadas, que diluiu fortemente a fatia de capital de quem não acompanhou a operação. O preço para subscrição das ações foi bastante inferior às cotações praticadas até então em mercado.

- Por que investir em ações da empresa?
Quem investir nas ações da Kepler Weber certamente estará acreditando que no médio e longo prazo a empresa será exitosa na sua reestruturação financeira e operacional, iniciada com a subscrição das novas ações. Deve acreditar também que os preços das commodities alimentícias servirão de estímulo para o aumento da lucratividade do agronegócio, incentivando o investimento pelo produtor rural nas estruturas/equipamentos fornecidas pela companhia.

- A crise afetou as operações? Ela corre o risco de sofrer oscilações em função da crise?

A crise aumentou o grau de dificuldade para realização das melhorias necessárias para fazer a empresa voltar a apresentar lucros consistentes, inclusive diminuindo em quase 30% o faturamento líquido neste primeiro trimestre em comparação ao mesmo período do ano passado.

- A empresa se destaca no quesito pagamento de dividendos? Há números que comprovem?

A empresa não paga dividendos aos titulares de ações ordinárias desde o ano de 2005, até em razão dos prejuízos que passou a apresentar. Certamente o investidor que escolher investir na Kepler Weber não o fará em razão dos dividendos.

- Quais as vantagens e desvantagens para quem pretende investir em ações da empresa?
A principal vantagem seria para o investidor que pretende posicionar-se em companhias que se beneficiam do crescimento do agronegócio.
As desvantagens recaem sobre: a) o elevado estoque de prejuízos acumulados, o que indica forte possibilidade de a companhia passar um longo período sem pagar dividendos até que zere referidos valores; b) volatilidade dos resultados, com ausência de um histórico de lucros confiável a permitir maior segurança na compra das ações.

- Que tipo de investidor você recomenda apostar nas ações da empresa?
O investidor arrojado e que não se preocupa muito com o histórico de uma companhia em termos de resultados na hora de fazer suas decisões de investimento.

- Nos últimos meses, houve valorização ou desvalorização das ações da empresa? Comente.
As cotações das ações em bolsa vêm apresentando queda desde que a Kepler Weber começou a apresentar elevados prejuízos. Diversos investidores foram atraídos para as ações da companhia em razão das suas cotações em Centavos. Quando se compara aos valores de outrora, parece haver uma excelente oportunidade. No entanto, as cotações que chegaram a ultrapassar a marca de R$ 10,00, por volta de 2004, ocorreram num momento de crescimento da companhia, que tinha boas perspectivas com a entrada em operação da nova unidade industrial, e antes do substancial aumento do número de ações.
Portanto, uma análise mais depurada poderia ter evitado o prejuízo de diversos investidores que pagaram preços muito caros pela companhia, mesmo após a diluição de capital.
Análise Coin Valores
Com sede no Rio Grande do Sul - Brasil, a Kepler Weber atua no setor de agronegócio, sendo
especializada no desenvolvimento de soluções completas para armazenagem. Com alta tecnologia de industrialização e qualidade máxima de insumos, as unidades fabris do Grupo Kepler Weber têm capacidade para processar 100 mil toneladas de aço/ano. Trading companies, cooperativas, empreendimentos de médio e de grande porte formam a carteira de
clientes da Kepler Weber, para a qual são desenvolvidos projetos sob medida no sistema turn key. Empresa de capital aberto, fundada em 1925, vem atuando há 40 anos no mercado internacional, sendo líder do setor na América do Sul. Com estrutura ágil e integrada, a Kepler Weber tem como objetivo contribuir para a lucratividade de seus clientes e para a máxima rentabilidade de seus acionistas. A marca Kepler Weber conquistou reconhecimento nacional e mundial, desempenhando papel de destaque no crescimento da produtividade do agronegócio no Brasil, país com o maior potencial de expansão agrícola no cenário macroeconômico da atualidade.

RETROSPECTIVA 2010
Durante o ano de 2010, a Kepler Weber focou em projetos de redução de custos, desenvolvimento de novos mercados e adequação de seu portfólio de produtos. Dentre as ações tomadas reporta-se: a) especialização das plantas de Campo Grande (MS), que passou a produzir toda a linha de secadores de grãos da Companhia, e de Panambi (RS), que ficou responsável pelos demais produtos da Kepler Weber; b) expansão dos negócios além da América Latina; c) Consolidação depois do lançamento em 2009 da linha KW Fazenda, opção de sistemas de armazenagem para os pequenos e médios produtores de grãos. Os resultados do terceiro trimestre de 2010 foram impulsionados pelo crescente volume de negócios, devido à retomada dos investimentos pelos agentes do agronegócio, que estavam represados pela crise econômica. A safra recorde observada neste ano e a retomada dos níveis de preços das commodities agrícolas contribuíram para o crescimento apresentado nas vendas da Kepler Weber. A manutenção de uma posição robusta na disponibilidade de capital de giro, aliado ao bom resultado alcançado pela Kepler Weber neste terceiro trimestre de 2010, obtendo um lucro líquido de R$ 6,6 milhões, retrata a estratégia de desenvolvimento da Companhia, aproveitando as oportunidades oferecidas pelo mercado. Neste ano a Kepler Weber comemora 85 anos, sempre com o olhar voltado para o futuro, investindo em novas tecnologias e conhecimento. Fazendo do pioneirismo o principal combustível da sua evolução, vem apresentando as melhores e mais completas soluções em armazenagem no Brasil e no exterior.

PERSPECTIVA 2011
Acreditamos na retomada dos investimentos em armazenagem de grãos no mercado externo, que em função da crise internacional, postergou as decisões dos negócios. No mercado interno, as primeiras projeções indicam que o Brasil continuará com uma safra robusta de grãos, que aliada ao déficit da capacidade estática de armazenagem, deverá demandar um relevante volume de novos investimentos do setor. Esses fatores, associados ao período de sazonalidade positiva de vendas, permitem que a Kepler Weber tenha um otimismo moderado, prevendo um bom volume de negócios para o próximo ano. A disponibilidade de capital de giro, aliada à retomada dos investimentos no setor, permitirá que a Companhia continue no seu plano de negócios em posição de vantagem competitiva, sem a necessidade
de captação de recursos de terceiros. Em vista desses fatores apresentados, a Administração da Kepler Weber agradece a todos aqueles que apoiam os negócios da Companhia – acionistas, clientes, colaboradores, parceiros e fornecedores, que muito têm contribuído para a consolidação da Companhia como o principal player de soluções de armazenagem de grãos

Um comentário:

Leandro disse...

Como veem a KEPL3 hoje?
Quero montar uma carteira de small caps baratas para manter por 5 anos. Alguem recomenda alguma ação promissora?

Obrigado
Leandro