Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 8 de abril de 2020

Qualicorp (QUAL)

Recomendações
Compra: Paulo Prof (2019) - RRunner (ago/18fev/19).

Carteiras
10invest (fev/19) - acarlos321 (jan/19) - danieljusti (fev/19) - disc126 (mar/18abr/18mai/18) - effexop (ago/18set/18out/18) - FRBRAVIM (ago/18out/18) - fridao (out/18) - Guti21 (fev/19) - ikkii (jun/19) - ispholambra (jun/19)  - MBSilva (out/18) - mostarda2 (fev/19) -  paulo_prof (jan/19fev/19) - renatosp (jan/19) - rogeriortms (out/18) - RRunner (out/18) - sergio74 (out/18dez/18)

Códigos de Negociação
Tipo
QUAL3
 Novo Mercado

Balanços
A2019/4T2019 ➤ DFP 31/12/2019  ➤Press-release

3T2019 -

2T2019 -

1T2019 -

A2018/4T2018 -

3T2018 -

2T2018 -

PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A receita líquida encerrou o 2T18 em R$ 482,8 milhões, crescimento de 0,7% contra o trimestre anterior e -1,0% perante a.a.. O ligeiro aumento sequencial se deve principalmente à estabilização da base de clientes no segmento Adesão, em virtude da melhora do churn;EBITDA = O EBITDA Ajustado atingiu R$214,4 milhões no 2T18, o que representa -9,4% contra o 1T18 e -9,7% a.a.. A redução no EBITDA se deve principalmente [i] ao maior volume de gastos com pessoal e [ii] despesas operacionais relacionadas ao processo de reajuste, visando maior retenção de clientes, o que se comprovou durante o trimestre; LUCRO LÍQUIDO = A Companhia obteve Lucro Líquido de R$88,6 milhões no 2T18, 24,1% superior ao 2T17 e -13,8% sequencialmente, devendo-se levar em consideração que, no ano anterior, houve o distrato da Potencial

1T2018 -
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida encerrou o trimestre em R$479,2 milhões, -0,5%em relação ao mesmo período do ano anterior e -0,9% contra o quarto trimestre de 2017. A redução da receita se deve principalmente a uma menor base de clientes no segmento Adesão, bem como menor receita de Auto Gestão por conta de contratos que se encerraram.; EBITDA = O EBITDA Ajustado cresceu 0,3%no comparativo a.a., fechando o trimestre em R$236,6 milhões, para uma margem de 49,4%. Na comparação com o 4T17, variação de 17,6% no EBITDA, decorrente de menor volume de contingências.; DESPESAS ADMINISTRATIVAS = Despesas administrativas recorrentes variaram -1,8% a.a. (-20,9%versus 4T17), ficando em R$112,5 milhões no 1T18. Em relação a receita líquida, encerrou o trimestre em 23,5%, 32 bps abaixo do 1T17e 595 bps abaixo do 4T17. Esta queda se deve principalmente ao 4T17 estar impactado por contingências regulatórias da ordem de R$20,1 milhões.; Receitas (Despesas) Financeiras = As receitas financeiras da Companhia são oriundas de duas principais fontes: juros provenientes das aplicações financeiras e juros e multas por atraso de pagamento dos prêmios pelos beneficiários. Em outubro de 2017, a Companhia assinou um termo de ajuste de conduta junto à ANS, comprometendo-se a cobrar 2% de multa por atraso no pagamento, onde antes era cobrado 10%. Por essa razão, observa-se essa receita desacelerando em comparação ao 1T17. A despesa financeira caiu significativamente no 1T18, dado que a Aquisição da Aliança foi concretizada em outubro de 2017, com o pagamento de R$272 milhões.

A2017/4T2017 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = A EMPRESA ENCERROU 2017 com um lucro líquido contábil consolidado de R$385,8 milhões, -8,3% abaixo de 2016. Essa variação, ocorreu, devido ao efeito líquido da constituição positiva de imposto de renda e contribuição social diferidos no valor de R$137,7 milhões, em 1T16. Excluindo-se esse efeito, a variação seria um crescimento de 36,4%. O destaque positivo está no ganho de margem a partir de mais eficiência e racionalização de suas despesas operacionais, que encerraram o exercício mais de 2 p.p. abaixo de 2016, ocasionando maior alavancagem com o incremento de receita.; EBITDA = A receita líquida total cresceu 5,6% a.a. em 2017, atingindo R$2,1 bilhões, enquanto o EBITDA Ajustado cresceu 19,3% a.a., alcançando R$941,8 milhões, para uma Margem EBITDA ajustada de 45,4% no ano (expansão de 521p.p. vs 2016).

1T2017 -

A2011/4T2011 – 
Paulo Prof – 
resultados excelentes

Características
Prestadora de serviços e gestora de benefícios de assistência à saúde no Brasil, possuímos aproximadamente 3,8 milhões de beneficiários

Assembleias
AGO - 30/04/2020 10:00 -  Assunto(s):  (i) apreciar as contas dos administradores, bem como examinar, discutir e votar as Demonstrações Financeiras da Companhia, referentes ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2019;; (ii) apreciar a proposta de destinação do lucro líquido, do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019, e a distribuição de dividendos aos acionistas da Companhia;; (iii) fixar o número de membros a compor o Conselho de Administração da Companhia;; (iv) eleger os membros do Conselho de Administração da Companhia;; (v) fixar o limite de valor da remuneração global anual dos administradores da Companhia;; (vi) instalar e reeleger os membros do Conselho Fiscal da Companhia; e; (vii) aprovar a proposta de remuneração dos membros do Conselho Fiscal da Companhia.

Apresentações

Balanços (Calendário)
12/03/2020
 DFP 2019

 ITR 1T 2020

 ITR 2T 2020

 ITR 3T 2020


O expurgo do efeito de uma despesa não recorrente relativa a um impairment sobre o lucro líquido (calculado na base de uma alíquota padrão de IR/CS de 34%) pode ter gerado uma distorção no lucro líquido recorrente que teria sido postado no 4T19 se esta despesa não tivesse existido. De qualquer forma, melhor um valor eventualmente distorcido do que o valor cheio, não considerando as não recorrências.

Os Resultados Expurgados postados no 4T19 e 2019, quando comparados com os resultados do 4T18 e 2018 apresentam uma relativa estagnação da Receita Líquida e Resultado Bruto, um forte aumento do Resultado Financeiro negativo (especialmente no 4T19), uma relativa estabilidade nos resultados operacionais e uma forte evolução no lucro líquido. O Ebitda cresceu acima da inflação em ambas as bases.

Na minha opinião, o ativo estaria bem precificado considerando condições normais de temperatura e pressão. Sob o impacto da pandemia, entretanto, acho que está sobreprecificado. Não vejo como, cm muito menos grana nos bolsos das pessoas e nos caixas das empresas, não vejo como a QUAL possa apresentar um crescimento nas vendas e/ou das margens.
p.php?pid=chartscreenshot&u=2RedA5GLlws%
No que segue foram expurgadas as despesas relativas a impairment e baixa do ágio da Connectmed-CRC e Gama Saúde, no 4T19 e 2019:

R$ 112,119 milhões do Resultado Antes dos Impostos e Ebitda e foram acrescentados 66% deste valor ao lucro líquido.



QUAL3

PREÇO: R$ 25,48

PAYOUT (2019) 80,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,37

P/VPA 5,03

PSR 3,58

DY 5,21%

EV/EBITDA 7,39

MARGEM BRUTA 81,1%

MARGEM OPERACIONAL 33,9%

MARGEM LÍQUIDA 23,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,658

MARGEM EBITDA 54,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 100,0%

ROE 32,71%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,97



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,67%

RESULTADO BRUTO +3,84%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +31,04%

RESULTADO OPERACIONAL +8,25%

RESULTADO LÍQUIDO +17,56%

EBITDA +9,67%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,80%

RESULTADO BRUTO +5,46%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +92,53%

RESULTADO OPERACIONAL -0,04%

RESULTADO LÍQUIDO +46,56%

EBITDA +5,68%



c) lucro líquido, nominal

UA 17,56%

U2A 12,21%

U3A 4,87%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA -5,74%

U2A -2,51%

U3A 0,12%



e) ebitda, nominal

UA 9,67%

U2A 10,02%

U3A 15,63%

U4A 14,27%

U5A 12,10%

U6A 17,89%

U7A 24,14%

U8A 29,23%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 20,72

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +5,0% !!!!

14/01/2020 - aprovou a contratação de operação de alienação (“Potencial Transação”) de todas as atividades, ativos e passivos de sua controlada QSaúde Operadora de Planos de Saúde Ltda. para o Sr.
José Seripieri Filho (“José Seripieri”), acionista da Companhia, bem como aprovou as demais
transações e documentos

365487  - paulo_prof  -  25 Nov 2019, 19:10
Os Resultados foram muito bons quando comparados ao 3T18 e bons quando comparados ao 2T19.

Na minha opinião, o ativo está caro. O preço demanda uma taxa de crescimento dos resultados sensivelmente maior do que a observada!
p.php?pid=chartscreenshot&u=0sMz5C7Z2MVg


QUAL3

PREÇO: R$ 36,59

PAYOUT (2018) 72,2%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 24,34

P/VPA 4,42

PSR 5,24

DY 2,97%

EV/EBITDA 9,76

MARGEM BRUTA 81,7%

MARGEM OPERACIONAL 34,7%

MARGEM LÍQUIDA 21,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,504

MARGEM EBITDA 54,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 58,7%

ROE 18,16%

LIQUIDEZ CORRENTE 3,52



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,01%

RESULTADO BRUTO +2,56%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +15,49%

RESULTADO OPERACIONAL +12,12%

RESULTADO LÍQUIDO +7,50%

EBITDA +11,04%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +5,41%

RESULTADO BRUTO +7,50%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +18,16%

RESULTADO OPERACIONAL +15,57%

RESULTADO LÍQUIDO +8,52%

EBITDA 13,94%



c) lucro líquido, nominal

UA 7,50%

U2A 9,32%

U3A 2,81%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 4,31%

U2A 4,39%

U3A 3,90%



e) ebitda, nominal

UA 11,04%

U2A 10,31%

U3A 16,15%

U4A 14,01%

U5A 11,66%

U6A 20,96%

U7A 23,62%

U8A 36,27%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,80

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +16,5% !!!!

365277  - keep_calm -  14 Nov 2019, 16:08
Qualicorp (QUAL3): O lucro líquido consolidado da Qualicorp subiu 9% no 3T19 em relação ao 3T18. O valor ficou em R$ 119 milhões. O Ebitda ajustado atingiu R$ 271,5 milhões entre julho e setembro, crescimento de 11,7% na comparação com o 3T18.

363790 - paulo_prof    - 27 Ago 2019, 17:27
Os Resultados foram muito bons, marcando a reversão na queda da Receita Líquida e Resultado Bruto. Entretanto, há que se dar um desconto nas taxas de crescimento mostradas pelos resultados do 2T19 frente aqueles do 2T18, porque aqueles foram pífios, os piores dos últimos 8 trimestres.

Embora admita que o ativo ainda pode evoluir, acho que o risco de um investimento nos preços atuais não é desprezível.

p.php?pid=chartscreenshot&u=yD%2092%20bw

QUAL3

PREÇO: R$ 28,71

PAYOUT (2018) 72,2%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 19,52

P/VPA 3,39

PSR 4,16

DY 3,70%

EV/EBITDA 7,86

MARGEM BRUTA 81,3%

MARGEM OPERACIONAL 33,8%

MARGEM LÍQUIDA 21,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,471

MARGEM EBITDA 53,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 28,4%

ROE 17,35%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,04



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -4,13%

RESULTADO BRUTO -0,69%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -17,21%

RESULTADO OPERACIONAL +6,66%

RESULTADO LÍQUIDO +5,57%

EBITDA +6,72%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,05%

RESULTADO BRUTO +4,06%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -19,74%

RESULTADO OPERACIONAL -+21,97%

RESULTADO LÍQUIDO +24,24%

EBITDA 17,11%



c) lucro líquido, nominal

UA 5,57%

U2A 14,35%

U3A 2,92%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 4,14%

U2A 4,43%

U3A 4,76%



e) ebitda, nominal

UA 6,72%

U2A 13,72%

U3A 15,75%

U4A 9,13%

U5A 19,08%

U6A 20,94%

U7A 23,62%

U8A 55,91%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,39

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +11,0% !!!!

361149  - paulo_prof   -  11 Mai 2019, 15:35
Os resultados foram relativamente fracos. Com Receita Líquida e Resultado Bruto praticamente estáveis em termos nominais e um Resultado Financeiro Negativo aumentando, o Resultado Antes dos Impostos e Lucro estão em queda. Embora a trajetória em queda dos Resultados na comparação trimestral (1T19 vs 1T18) seja pequena, deve preocupar, pois acaba impactando a trajetória dos resultados na comparação anual, que agora praticamente está estável.

Na minha opinião, no atual momento o ativo parece estar bem precificado.

QUAL3

PREÇO: R$ 18,04

PAYOUT (2018) 72,2%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 12,94
P/VPA 2,06
PSR 2,64
DY 5,58%
EV/EBITDA 5,09
MARGEM BRUTA 81,1%
MARGEM OPERACIONAL 32,5%
MARGEM LÍQUIDA 20,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,395
MARGEM EBITDA 51,4%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 28,1%
ROE 15,96%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,06


Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,25%

RESULTADO BRUTO -1,78%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -2,88%

RESULTADO OPERACIONAL +5,33%

RESULTADO LÍQUIDO +6,42%

EBITDA +6,10%



b)1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,62%

RESULTADO BRUTO -1,78%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 21,65%

RESULTADO OPERACIONAL -3,01%

RESULTADO LÍQUIDO -5,66%

EBITDA 2,56%



c) lucro líquido, nominal

UA 6,42%
U2A 11,20%
U3A 1,00%


d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 1,53%

U2A 4,13%

U3A 2,84%



e) ebitda, nominal

UA 6,10%
U2A 13,24%
U3A 13,68%
U4A 11,07%
U5A 19,23%
U6A 21,85%
U7A 29,66%
U8A 50,71%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,44

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): 1,0% !!!!

359471 - paulo_prof  -  19 Mar 2019, 00:25
Achei os Resultados Bons. Embora a Receita Líquida esteja rateando (redução, em termos reais, em ambas as bases), as margens mais do que compensam. Lucro e Ebitda estão crescendo em termos reais.

Não gosto do ativo, devido a ausência de barreira para o ingresso de competidores, a incerteza em relação ao acordo efetuado entre a empresa e o controlador (há o risco deste acordo ser vetado) e o risco de um juiz maluco decidir que a Qualicorp não pode atuar como simples intermediária de planos de saúde.


QUAL3

PREÇO: R$ 16,34

PAYOUT (2017) 95,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,02

P/VPA 1,86

PSR 2,27

DY 8,62%

EV/EBITDA 4,60

MARGEM BRUTA 80,9%

MARGEM OPERACIONAL 32,5%

MARGEM LÍQUIDA 20,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,415

MARGEM EBITDA 50,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 26,2%

ROE 16,86%

LIQUIDEZ CORRENTE 0,94



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,90%

RESULTADO BRUTO -0,91%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +10,75%

RESULTADO OPERACIONAL +7,71%

RESULTADO LÍQUIDO +7,10%

EBITDA +8,04%



b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,71%

RESULTADO BRUTO +0,34%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -52,25%

RESULTADO OPERACIONAL +16,04%

RESULTADO LÍQUIDO +4,86%

EBITDA 18,49%



c) lucro líquido, nominal

UA 7,10%

U2A -0,95%

U3A 20,46%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 0,83%

U2A 3,18%

U3A 1,30%



e) ebitda, nominal

UA 8,04%

U2A 17,47%

U3A 15,02%

U4A 12,12%

U5A 19,10%

U6A 26,29%

U7A 31,90%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,69

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -1,5% !!!!

355745 - paulo_prof -  09 Nov 2018, 10:25
Achei os Resultados bons. Embora a Receita Liquida tenha sido reduzida 10,3% em relação ao 3T17, O Resultado Antes dos Impostos foi somente 3,7% menor. A queda da Receita foi acompanhada de um ganho nas margens.

No trimestre, a empresa dispendeu R$ 225,6 milhões em capex, R$ 206,9 milhões dos quais para pagar a chantagem do acionista fundador. A despesa caixa será amortizada ao longo de 72 meses, duração do contrato (aprox. R$ 2,9 milhões mensais).

Tendo cedido à chantagem uma vez, sempre há a suspeita de que haverá uma próxima. Em consequência, o mercado certamente marcado estará com o pé atrás. No que se refere os fundamentos, entretanto, acho que o ativo está barato.


QUAL3

PREÇO: R$ 13,92

PAYOUT (2017) 95,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,03

P/VPA 1,72

PSR 2,01

DY 9,47%

EV/EBITDA 4,32

MARGEM BRUTA 79,7%

MARGEM OPERACIONAL 30,9%

MARGEM LÍQUIDA 20,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,388

MARGEM EBITDA 46,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 27,4%

ROE 17,15%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,64



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,89%

RESULTADO BRUTO +2,63%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -6,53%

RESULTADO OPERACIONAL +6,93%

RESULTADO LÍQUIDO +11,17%

EBITDA +30,53%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -10,33%

RESULTADO BRUTO -5,02%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -57,19%

RESULTADO OPERACIONAL -3,70%

RESULTADO LÍQUIDO +1,54%

EBITDA 3,83%



c) lucro líquido, nominal

UA 11,17%

U2A 0,53%

U3A 28,21%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 4,48%

U2A 3,70%

U3A -0,01%



e) ebitda, nominal

UA 3,84%

U2A 15,63%

U3A 12,97%

U4A 10,32%

U5A 21,73%

U6A 24,72%

U7A 39,24%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,35

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -5,0% !!!!

354405 - RRunner -  02 Out 2018, 14:35
Citação: cap7 - Post #354404 - 02/Out/2018 12:42
EXCLUSIVO: Qualicorp: Júnior fala sobre ‘non-compete’ e o crash da ação Geraldo Samor A Qualicorp anunciou ontem que assinou um acordo de ‘l...
Leia mais em https://braziljournal.com/qualicorp-junior-fala-sobre-non-compete-e-o-crash-da-acao
CVM analisa acordo em que Qualicorp dá R$ 150 mi a seu fundador

Investidores estudam formas de conseguirem reparação na CVM e na Justiça

Por Machado da Costa

access_time2 out 2018, 10h27

more_horiz


Acordo entre Qualicorp e fundador pegou mercado de surpresa; investidores estudam como processar a companhia (Google Street View/Reprodução)

A Comissão de Valores Mobiliários (CVM) já está analisando o acordo firmado entre a Qualicorp e seu fundador e presidente, José Seripieri Filho, conhecido como Júnior. Na segunda-feira, 1º, a empresa anunciou que pagaria 150 milhões de reais a seu fundador para que ele não vendesse ações da companhia, nem desenvolvesse negócios concorrentes pelos próximos seis anos – prazo que pode ser estendido para oito anos.

 José Seripieri Filho, presidente da Qualicorp

José Seripieri Filho, presidente da Qualicorp (Julia Moraes/Fiesp/Divulgação)

Segundo a CVM, que é o xerife do mercado financeiro, o órgão não comenta investigações em andamento, até para não atrapalhar os trabalhos de suas equipes. “Por fim, comunicamos que o assunto objeto […] está sendo analisado”, disse em nota.

O anúncio feito pela Qualicorp, na manhã de segunda, fez derreter as ações da companhia na Bolsa de Valores de São Paulo, a B3. Os papéis caíram 29,37% durante o pregão, cotados a 11,57 reais. A empresa, que é considerada a maior administradora de planos de saúde coletivos do Brasil, listou como a terceira mais negociada da bolsa, o que é mais uma evidência da fuga dos investidores.

Na manhã desta terça-feira, 2, as ações entraram em leilão na abertura do mercado. Esse procedimento é realizado pela bolsa para evitar uma volatilidade excessiva, que pode prejudicar os investidores. Quando saiu do leilão, a ação indicava uma alta de 3,5%, cotada a 12,03 reais, às 10h25.

O acordo entre Júnior e Qualicorp revoltou parte do mercado. Mauro Cunha, presidente da Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec), afirmou que o caso pode ser “o maior escândalo societário do mercado brasileiro desde o caso Oi”. “É preciso uma ação incisiva da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Ministério Público e dos acionistas”, disse Cunha.



Segundo o jornal Valor Econômico, investidores passaram a tarde de segundo avaliando formas de levar a discussão à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e à Justiça. Uma das maiores gestores de investimentos do país, a XP, que possui cerca de 5% do capital social da Qualicorp, afirmou aos cotistas que buscará reparos na Justiça.

O acordo

Em teleconferência, a diretora Financeira e de Relações com Investidores da Qualicorp, Grace Cury Tourinho, disse ainda na segunda, que Júnior “pode sair a qualquer momento”, ao longo dos seis anos do contrato. “Mas que se ele quiser sair, vai ter que respeitar na íntegra o acordo e devolver valor proporcional”.

A executiva afirmou que o valor pago ao executivo, de 150 milhões, equivale a uma remuneração média calculada por três consultorias – McKinsey, Spencer Stuart e Mercer. “O valor equivale à remuneração de executivos com a mesma posição”, disse. A companhia justificou o acordo dizendo a decisão visa um alinhamento estratégico da empresa médio prazo.

https://veja.abril.com.br/economia/cvm-analisa-aco...

354396 - paulo_prof  -  02 Out 2018, 02:23
Citação: puntaestenho - Post #354360 - 01/Out/2018 17:01
QUAL3
Para pagar 150 mi , a cada ação das 280 mi que existem corresponde R$0,54 sem impostos..
E diante disso o mercado paga R$ 4,00 a menos do que na sexta feira. Exagero? Não entendi . Ou tem mais coisa ai.
Motolita
No frigir dos ovos, a QUAL estará pagando R$ 3,57 por cada uma das 42 milhões de ações detidas pelo "deus" José Seripieri Filho, através do Fundo L2 Participações.

Supondo que não haja um jogo de cartas marcadas (transferência de patrimônio da empresa para o "dono", na cara dura), o conselho de adminstração da empresa está confessando que a diretoria é incompetente para enfrentar o jogo sem a colaboração efetiva de seu "guru".

Ora ... se a QUAL não foi capaz de se organizar para se libertar da sombra de seu fundador, quem garante que o será nos próximos 6 anos? Ou em 8 anos, se o Conselho de Administração resolver pagar ainda mais pela chantagem?

Ou seja, esta decisão do Conselho de Administração meio que mata a empresa. Se é chuncho, a empresa é um antro. Se não é chunco, a Diretoria é incompetente.

Se correr ... o bicho pega; se parar ... o bicho come!

354382 - FoxHoundBR -  01 Out 2018, 22:05
Citação: fridao - Post #354378 - 01/Out/2018 20:47
Esse acordo é de quando?...
Acordo da Qualicorp pode ser maior escândalo societário desde o caso Oi, diz especialista
Empresa vai pagar R$ 150 milhões para fundador não vender ações majoritárias e nem competir futuramente dentro do setor
Fernanda Guimarães
01 de Outubro de 2018 | 15h54
https://economia.estadao.com.br/
Acordo da Qualicorp pode ser maior escândalo societário desde o caso Oi, diz especialista

Empresa vai pagar R$ 150 milhões para fundador não vender ações majoritárias e nem competir futuramente dentro do setor

Fernanda Guimarães,

O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2018 | 15h54

Atualizado 01 Outubro 2018 | 17h31

Um acordo de não competição anunciado entre a administradora de planos de saúde Qualicorp e seu principal acionista, José Seripieri  Filho, movimenta o mercado nesta segunda-feira, 1. Pelo acordo, o presidente e fundador da companhia não poderá realizar a venda de sua participação por um prazo de seis anos e não poderá competir com empresa. Em troca, o acionista receberá R$ 150 milhões.

O comunicado diz que a decisão foi tomada por unanimidade por todos osmembros do conselho, com exceção do acionista em questão, que não participou da reunião.

A notícia caiu como uma bomba sobre as ações da empresa. Por volta das 15h, as ações ordinárias da empresa caiam 31,43%, negociadas a R$ 11,30.

A justificativa para a queda é, para o presidente da Associação de Investidores no Mercado de Capitais (Amec), Mauro Cunha, da própria natureza da negociação. Segundo ele, o acordo pode ser, sob o prisma dasinformações públicas até aqui, "o maior escândalo societário do mercado brasileiro desde o caso Oi".

"É preciso uma ação incisiva da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Ministério Público (MP) e dos acionistas", disse Cunha ao Estadão/Broadcast.

Segundo ele, esse tipo de transação configura transferência de valor da companhia para o controlador, por meio do pagamento de um "prêmio de controle escondido".

A companhia justifica a decisão é afirma que o "mercado de atuação da Companhia está em momento de forte transformação e o Conselho de Administração entendeu essencial contratar alinhamento estratégico e de longo prazo com o Acionista, fundador e principal liderança da Companhia". Somado a isso disse que o acordo teve como referência trabalhos de consultoria, contratados, a pedido do Conselho de Administração, e prestados pelas empresas McKinsey, Spencer Stuart e Mercer.

Cunha frisa, ainda, que tal acordo, se não punido, irá prejudicar todo o mercado de capitais brasileiro, colocando a credibilidade do mesmo em risco. Os acionistas minoritários da Qualicorp, segundo o presidente da Amec, estão "abismados" com o acordo divulgado pela companhia.

No caso da Oi há alguns anos, houve questionamentos e reclamação de acionistas minoritários de que a reestruturação proposta pela empresa transferiria indiretamente dívidas dos controladores para a tele.

Contrato

Pelo acordo anunciado pela empresa, Seripieri não poderá realizar a venda de sua participação por um prazo de seis anos e não poderá competir com a Qualicorp. O comunicado diz que a decisão foi tomada por unanimidade por todos os membros do conselho, com exceção do acionista em questão, que não participou da reunião.

A companhia justifica a decisão e afirma que o "mercado de atuação da companhia está em momento de forte transformação e o Conselho de Administração entendeu essencial contratar alinhamento estratégico e de longo prazo com o Acionista, fundador e principal liderança da Companhia". Somado a isso disse que o acordo teve como referência  trabalhos de consultoria, contratados, a pedido do Conselho de Administração, e prestados pelas empresas McKinsey, Spencer Stuart e Mercer.

A Qualicorp reiterou, ao Estadão/Broadcast, que referida decisão, "visando um alinhamento estratégico de médio prazo, foi tomada por unanimidade por seu Conselho de Administração, sem a  participação de Seripieri e respeitados todos os ritos legais."

Fonte: https://economia.estadao.com.br/noticias/geral,aco...

353273 - marcosvinicius2 -  31 Ago 2018, 23:13
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A receita líquida encerrou o 2T18 em R$ 482,8 milhões, crescimento de 0,7% contra o trimestre anterior e -1,0% perante a.a.. O ligeiro aumento sequencial se deve principalmente à estabilização da base de clientes no segmento Adesão, em virtude da melhora do churn;EBITDA = O EBITDA Ajustado atingiu R$214,4 milhões no 2T18, o que representa -9,4% contra o 1T18 e -9,7% a.a.. A redução no EBITDA se deve principalmente [i] ao maior volume de gastos com pessoal e [ii] despesas operacionais relacionadas ao processo de reajuste, visando maior retenção de clientes, o que se comprovou durante o trimestre; LUCRO LÍQUIDO = A Companhia obteve Lucro Líquido de R$88,6 milhões no 2T18, 24,1% superior ao 2T17 e -13,8% sequencialmente, devendo-se levar em consideração que, no ano anterior, houve o distrato da Potencial;

QUAL3
PREÇO: R$ 15,96
PAYOUT (2017): 106,16%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,56
P/VPA 2,07
PSR 2,24
DY 9,18%
EV/EBITDA 5,21
MARGEM BRUTA 78,47%
MARGEM OPERACIONAL 30,38%
MARGEM LÍQUIDA 19,38%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,381
MARGEM EBITDA 45,40%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 33,36%
ROE 17,94%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,10

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,89%
RESULTADO BRUTO 2,63%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 69,80%
RESULTADO OPERACIONAL 18,77%
RESULTADO LÍQUIDO 23,87%
EBITDA 20,95%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,80%
RESULTADO BRUTO -0,41%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 95,00%
RESULTADO OPERACIONAL 18,08%
RESULTADO LÍQUIDO 35,70%
EBITDA 25,48%

c) lucro (taxa média anual)
UA 23,87%
U2A 1,61%
U3A 27,18%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,73%
U2A 5,07%
U3A -1,37%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,26
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -1,8% !!!!
[...]

353162 - paulo_prof -  29 Ago 2018, 03:46
Resultado médio ... em linha com o 4T17 e sensivelmente abaixo do 3T17 e 1T18. É minha expectativa que a empresa vá sofrer nos próximos trimestres, com o lucro no exercicio fechando uns 4% abaixo do exercício anterior. De qualquer forma, como esta é uma empresa cujo capex de manutenção é substancialmente menor do que a despesa contábeil de depreciação/amortização, o lucro de fato disponível para o acionista (lucro do proprietário) é sensivelmente maior do que o lucro líquido.

As taxas de crescimento do lucro do proprietário são as seguintes:

U1A 19,64%

U2A 29,12%

U3A 1066,35%

U4A 53,97%



Nos ultimos 12 meses, o LPA do proprietário = R$ 1,722



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro do proprietário dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 21,52

Ou, taxa de crescimento real do lucro do proprietário dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,0% !!!!



Em consequência, na minha opinião o ativo não está caro, especialmente considerando que o DY é razoável para poder esperar o preço reagir.


QUAL3

PREÇO: R$ 16,23

PAYOUT (2017) 95,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,75

P/VPA 2,11

PSR 2,28

DY 8,09%

EV/EBITDAX 5,17

MARGEM BRUTA 78,5%

MARGEM OPERACIONAL 30,4%

MARGEM LÍQUIDA 19,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,382

MARGEM EBITDA 45,4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 28,2%

ROE 17,94%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,10



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,89%

RESULTADO BRUTO +2,63%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +59,80%

RESULTADO OPERACIONAL +18,77%

RESULTADO LÍQUIDO +23,87%

EBITDAX +15,52%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,80%

RESULTADO BRUTO -0,41%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +95,00%

RESULTADO OPERACIONAL +18,08%

RESULTADO LÍQUIDO +35,70%

EBITDAX +13,20%



c) lucro líquido, nominal

UA 23,87%

U2A 1,61%

U3A 27,18%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 4,73%

U2A 5,07%

U3A -1,37%



e) ebitda, nominal

UA 15,52%

U2A 17,70%

U3A 8,21%

U4A 20,93%

U5A 22,83%

U6A 25,68%

U7A 63,47%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 17,27

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -1,0% !!!!

353158 - paulo_prof -  28 Ago 2018, 23:51
Para responder uma questão colocada pelo fridao durante o f.d.s., dei uma olhada rápida na QUAL3, e gostei do que vi nesta primeira vista.. Para me "obrigar" a olhar melhor o ativo e colocá-lo em meu patuá, iniciei ontem uma posição na carteira da esposa. Consegui beliscar uma merreca a R$ 15,90, preço de fechamento de 6a. feira.

O que me animou na análise rápida que fiz do ativo foi a razoável diferença observável entre as despesas de investimento em imobilizado e intangível (capex de manutenção) e as despesas contábeis de depreciação/amortização.

Quando a depreciação (despesa não caixa) é maior do que o capex, a diferença pode ser somada ao lucro líquido, pois representa uma "sobra" a disposição do acionista. É o que o Buffet denominou de

lucro do próprietário = lucro líquido + depreciação/amortização - capex, ou

lucro do proprietário = ebitda + resultado financeiro - IR/CS - capex

De uma forma simplificada, a grana gerada pelo resultado das operações mais a depreciação (que não afeta o caixa) remunera o capital de terceiros (resultado financeiro) e o governo (impostos) e paga aqueles investimentos que são necessários para a sustentabilidade do negócio (capex de manutenção). O que sobra está à disposição do acionista, para amortizar o endividamento, para aquisições e/ou para ser distribuído na forma de proventos.



No caso da Qualicorp, tem-se

2012 2013 2014 2015 2016 2017 1S18 1T18 2T18
Lucro Líquido 22.277 -31.718 122.438 227.126 404.727 370.710 191.278 102.703 88.575
Depreciação/Amortização 162.427 177.407 213.665 221.852 216.259 228.370 157.204 78.231 78973
Aplicação em Intangível -127.015 -120.678 -104.629 -118.341 -113.076 -99.690 -97.448 -50.231 -47217
Aquisição de Imobilizado -5.902 -11.587 -51.670 -14.720 -15.990 -8.825 -625 -429 -196
LUCRO DO PROPRIETÁRIO 51.787 13.424 179.804 315.917 491.920 490.565 250.409 130.274 120.135
PROVENTOS 116.316 215.770 384.491 352.175 102.700
SOBRA 51.787 13.424 63.488 100.147 107.429 138.391 147.709

Como pode ser observado, além dos proventos que somam 95% do Lucro Líquido em cada exercício, há uma "sobra" importante que pode ser utilizada em aquisições, amortização da dívida ou até, para proventos extemporâneos.



Evidentemente, se tudo fossem flores, o ativo não teria despencado.quase 60% desde o TH atingido em outubro do ano passado.

De acordo com os dados da ANS, o número de beneficiários em Planos Privados vem caindo continuamente e a inadimplência aumentando.

Do 4T17 ao 2T18, o número de beneficiários da empresa foi reduzido em cerca 1,9 milhões de beneficiários. Argumenta a empresa que a maior parte era de contratos de muito baixo rentablidade, com pouco impacto sobre o lucro. Veremos. Por outro lado, a indadimplência e a "batalha" para minimizar a "churn rate" tem reduzido a rentabilidade.

Muito provavelmente a empresa ainda vai sofrer alguns trimestres para uma estabilização.

353112 - paulo_prof  -  26 Ago 2018, 01:38
Acho que sim, porque a margem e segurança segundo os meus critérios é relativamente alta.

Pegando os dados dos balanços da planilha do Fundamentus e fazendo algumas contas em cima do joelho, achei

LPA = R$ 1,382

Valor intrínseco (taxa de desconto real de 8%, taxa de crescimento real do lucro nula, perpetuidade nula) = R$ 17,27

Taxa de crescimento anual média do lucro líquido para valor intrínseco compatível com o perço atual = -2%

LPA do proprietário (lucro do proprietário = lucro + depreciação - capex) = R$ 1,722

Valor intrínseco (como acima mas baseado no lucro do proprietário) = R$ 21,52

Taxa de crescimento anual média do lucro do proprieatário para valor intrínseco compatível com o perço atual = -6,5%

A Qualicorp é uma empresa cujo capex (em permanente e intangível) é sensívelmente menor do que a depreciação. Isto acaba turbinando o lucro a disposição do acionista. Nos últimos 12 meses, esta diferença por ação emplacou R$ 0,34. Não é pouco!

Finalmente, ao preço atual o DY esperado é de 8,2%, o que não é mal se o mercado resolver castigar mais o ativo. Rendimentos de 8% ajudam a não pensar muito para manter o ativo em carteira, esperando a tormenta passar.

353111 - fridao -  25 Ago 2018, 23:56
Sei que empresas na área de saúde não estão no seu patuá...mas, porem, todavia...essa queda da QUAL3 não estaria exagerada?
Nenhuma chance?...
http://www.fundamentus.com.br/cotacoes.php?papel=QUAL3

351284 - marcosvinicius2 -  16 Jun 2018, 14:02
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida encerrou o trimestre em R$479,2 milhões, -0,5%em relação ao mesmo período do ano anterior e -0,9% contra o quarto trimestre de 2017. A redução da receita se deve principalmente a uma menor base de clientes no segmento Adesão, bem como menor receita de Auto Gestão por conta de contratos que se encerraram.; EBITDA = O EBITDA Ajustado cresceu 0,3%no comparativo a.a., fechando o trimestre em R$236,6 milhões, para uma margem de 49,4%. Na comparação com o 4T17, variação de 17,6% no EBITDA, decorrente de menor volume de contingências.; DESPESAS ADMINISTRATIVAS = Despesas administrativas recorrentes variaram -1,8% a.a. (-20,9%versus 4T17), ficando em R$112,5 milhões no 1T18. Em relação a receita líquida, encerrou o trimestre em 23,5%, 32 bps abaixo do 1T17e 595 bps abaixo do 4T17. Esta queda se deve principalmente ao 4T17 estar impactado por contingências regulatórias da ordem de R$20,1 milhões.; Receitas (Despesas) Financeiras = As receitas financeiras da Companhia são oriundas de duas principais fontes: juros provenientes das aplicações financeiras e juros e multas por atraso de pagamento dos prêmios pelos beneficiários. Em outubro de 2017, a Companhia assinou um termo de ajuste de conduta junto à ANS, comprometendo-se a cobrar 2% de multa por atraso no pagamento, onde antes era cobrado 10%. Por essa razão, observa-se essa receita desacelerando em comparação ao 1T17. A despesa financeira caiu significativamente no 1T18, dado que a Aquisição da Aliança foi concretizada em outubro de 2017, com o pagamento de R$272 milhões.:

QUAL3
PREÇO: 17,17
PAYOUT (2017): 106,16%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,18
P/VPA 2,12
PSR 2,37
DY 8,06%
EV/EBITDA 5,79
MARGEM BRUTA 77,41%
MARGEM OPERACIONAL 28,90%
MARGEM LÍQUIDA 17,96%
LUCRO POR AÇÃO 1,303
MARGEM EBITDA 42,51%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 33,81%
ROE 16,11%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,02

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 1,53%
RESULTADO BRUTO 5,55%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 25,57%
RESULTADO OPERACIONAL 15,89%
RESULTADO LÍQUIDO 16,19%
EBITDA 15,59%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,49%
RESULTADO BRUTO 1,83%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 395,59%
RESULTADO OPERACIONAL 5,45%
RESULTADO LÍQUIDO -2,92%
EBITDA 15,57%

c) lucro (taxa média anual)
UA 16,19%
U2A -1,61%
U3A 36,96%

d) patrimônio líquido médio
UA 6,81%
U2A 3,50%
U3A -0,17%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,29
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +1,2% !!!!
[,,,]

349847  - Rocha Preta inc -  10 Mai 2018, 23:56
Qualicorp tem queda de 7,5% no lucro do 1º trimestre

Resultado líquido da gestora de planos de saúde coletivos foi de R$ 102 milhões no período

São Paulo – A empresa de gestão de planos de saúde coletivos Qualicorp teve lucro líquido de cerca de 102 milhões de reais no primeiro trimestre, um queda de 7,5 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado.

A empresa de comercialização, administração e gestão de planos de saúde coletivos teve lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado de 236,6 milhões de reais de janeiro a março, estável ante o desempenho de um ano antes.

Segundo a Qualicorp, a queda no lucro ocorreu diante de uma base de comparação mais forte com o primeiro trimestre do ano passado, quando “tivemos reversões não recorrentes de tributações de anos anteriores”.

A companhia teve leve queda na receita na comparação anual, de 0,5 por cento, para 479,2 milhões de reais. As despesas, porém, caíram quase 8 por cento, para 230,9 milhões.

O resultado veio com uma queda de 32,4 por cento no número de beneficiários dos planos da empresa, para 3,053 milhões, ante os três primeiros meses de 2017 e o final do ano passado.

A empresa afirmou que a queda nos beneficiários foi “considerável”, tendo ocorrido pelo “encerramento, já previsto, de contrato de Auto-Gestão de 1,4 milhão de vidas e encerramento de contrato de seguros de vida em ‘Afinidades'”.

Ainda no balanço, a Qualicorp afirma que tem confiança de que conseguirá ter adições líquidas “bem superiores” às obtidas em 2017.

349038  - marcosvinicius2 -  18 Abr 2018, 12:11
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = A EMPRESA ENCERROU 2017 com um lucro líquido contábil consolidado de R$385,8 milhões, -8,3% abaixo de 2016. Essa variação, ocorreu, devido ao efeito líquido da constituição positiva de imposto de renda e contribuição social diferidos no valor de R$137,7 milhões, em 1T16. Excluindo-se esse efeito, a variação seria um crescimento de 36,4%. O destaque positivo está no ganho de margem a partir de mais eficiência e racionalização de suas despesas operacionais, que encerraram o exercício mais de 2 p.p. abaixo de 2016, ocasionando maior alavancagem com o incremento de receita.; EBITDA = A receita líquida total cresceu 5,6% a.a. em 2017, atingindo R$2,1 bilhões, enquanto o EBITDA Ajustado cresceu 19,3% a.a., alcançando R$941,8 milhões, para uma Margem EBITDA ajustada de 45,4% no ano (expansão de 521p.p. vs 2016).:

QUAL3
PREÇO: 22,65
PAYOUT (2017): 106,16%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 17,66
P/VPA 2,77
PSR 3,15
DY 6,01%
EV/EBITDA 8,02
MARGEM BRUTA 76,03%
MARGEM OPERACIONAL 28,10%
MARGEM LÍQUIDA 17,86%
LUCRO POR AÇÃO 1,283
MARGEM EBITDA 40,32%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 31,11%
ROE 15,66%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,54

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 5,64%
RESULTADO BRUTO 7,95%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -23,69%
RESULTADO OPERACIONAL 26,65%
RESULTADO LÍQUIDO -8,40%
EBITDA 17,89%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 5,64%
RESULTADO BRUTO 7,95%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -23,69%
RESULTADO OPERACIONAL 26,65%
RESULTADO LÍQUIDO -8,40%
EBITDA 17,89%

c) lucro (taxa média anual)
UA -8,40%
U2A 27,76%
U3A 44,67%

d) patrimônio líquido médio
UA 5,58%
U2A 1,53%
U3A 0,82%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,04
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +8,20% !!!!
[...]

337081  - grazziperez  -  25 Abr 2017, 21:44
QUAL3
Setor ótimo, resiliente, nem deu bola pra crise. Último balanço bom (enquanto a maioria das empresas vem reportando prejus). Retomada da economia e emprego deve beneficiar planos de saude. Credit Suisse projeta aumento de mais de 10% nas receitas para 2017
Baixo capex, gera bons dividendos, algo em torno de 8% de DY. Posicionamento privilegiado no setor.
Acho que a melhor é que pago plano de saude e nem fico tão triste quando cai o débito na conta :-)

Papel parece interessante para entrar nessa faixa de 19,00.
Olhando por cima os fundamentos parecem bons. E consta um bom DY no site Fundamentus.
Olá Jonas, essa semana entrou no meu radar também.

Fui olhar os eventos corporativos no site da bvmf e esse DY do fundamentus está considerando uma restituição de capital, o verdadeiro DY é entre 4% e 5%. Não é desprezível mas não é tão apetitoso mais...
P8YmmRQ.png
Dei uma olhada rápida (nas DREs do Fundamentus) e pelo que vi estou achando o ativo caro ... mas isto porque não há clareza em relação as taxas de crescimento que a empresa poderá apresentar no médio prazo. Para justificar o preço atual, a empresa teria que apresentar uma taxa de crescimento anual real do lucro ajustado na faixa dos 18% ... o que acho difícil.

Percebi que no 1T16 a empresa contabilizou mais de R$ 100 milhões como receita de impostos diferidos!

Se deduzirmos todos os impostos diferidos dos últimos 12 meses, obtém-se P/L = 20,2.

Pelo lado do Ebitda, também. Para obter o ebitda, subtraí do Resultado Antes dos Tributos e Participações, o Resultado Financeiro e fui no Fluxo de Caixa pegar total dispendido para Depreciações e amortizações (multipliquei por 2 os resultados ao final dos 2Ts). Procedendo assim, achei um EV/Ebitda de 8,6.

Finalmente, a taxa de crescimento. Difícil decidir qual parâmetro utilizar ...

último ano:
Lucro Antes dos Tributos e Participações: 2,54%
Ebitda: -7,93%
Lucro Bruto: 12,98%
Lucro Líquido Ajustado (subtraindo IR/CS diferidos): 49,59%

média dos últimos 2 anos
Lucro Antes dos Tributos e Participações: 145,89%
Ebitda: 49,18%
Lucro Bruto: 17,70%
Lucro Líquido Ajustado (subtraindo IR/CS diferidos): passou de negativo para positivo

P/VPA = 2,63 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
322237  - rafamcl   -  27 Mai 2016, 18:27
De nada Jonas, estamos aí! Realmente com as grandes quedas que teve acho que o preço da QUAL3 está mais interessante, me parece que ela é do tipo de empresa que em tempos "normais" sempre foi avaliada pelo mercado como empresa "de crescimento" a múltiplos bem maiores que os atuais.

Fiquei até surpreso com o resultado do 1TRI, pois devido os fatos que disse no post anterior pensava que o negócio havia piorado de uns tempos pra cá, por isso estavam tentando reduzir tantos custos com pessoal cortando cabeças, impostos e consultoria de terceiros. Pelo menos na minha área de TI, há um bom tempo está praticamente impossível conseguir arrancar 1 real deles que seja para novos projetos, rsrs, essa semana mesmo cancelaram contrato com um outro fornecedor. Agora me parece que isso está sendo mais um ajuste de velas em meio a tempestade mesmo, veremos os resultados nos próximos balanços.

322228  - rafamcl   -  27 Mai 2016, 17:38
Não tenho QUAL3 em carteira, mas essa eu conheço de perto. Trabalho numa consultoria de TI desenvolvendo projetos para a Qualicorp, na prática estou todo dia dentro da QUAL3 e é exatamente do 1° andar no prédio da mesma em SP que faço esse post rsrsrs...

Estão sabendo navegar muito bem em meio a crise, desde o final do ano passado já mandaram muita gente embora, mudaram a sede para Alphaville pois o IIS do negócio deles é muito menor lá do que em SP. Também reduziram drasticamente investimento em TI e imagino que em outras áreas também, enquanto o LL do 1T16 bombou muito! Certamente estão tentando "gastar melhor" o seu dinheiro onde realmente vale a pena e dará retorno.

O maior risco aqui é regulatório, eles estão muito expostos ao regulamento da ANS pois se não me engano 80% ou 90% da receita da QUAL3 é do segmento Adesão onde ela basicamente atua como intermediária entre as Entidades de Classe e as Operadoras de Saúde.

Isso porque o regulamento atual não permite que as Entidades de Classe vendam planos de saúde diretamente para os beneficiários, e é aí que a QUAL3 entra, pois ela compra os planos de saúde diretamente da operadora com bom desconto, negocia um repasse para a Entidade de Classe, cobra um valor maior do beneficiário e lucra com a diferença. Ela ganha $$ sem fabricar nada ou tirar algum dinheiro do bolso! Porém se esse regulamento cair, adeus para o carro chefe da QUAL3.

Só que a rádio peão aqui diz que o dono é amigo do Rei. Dizem que ele tem fortes laços com várias pessoas do mundo político, se é gente boa ou ruim eu não sei, mas, por exemplo, Mauricio Ceschin, que era o presidente até pouco tempo, já foi presidente da ANS! Pelo menos aqui internamente, justamente pelos contatos que o dono tem por aí, o pessoal não costuma apostar que a ANS vá mudar as regras para quebrar com a QUAL3. Eu particularmente também não aposto nisto, mas nunca sabemos né rsrs...

159064 - pppadv -  03 Dez 2012, 15:33
Kroton e Qualicorp entram no IBrX-100; Iguatemi e Magazine Luiza saem
No IBrX-50, nova prévia promove a entrada da Klabin e a saída da Metalúrgica Gerdau; confira os outros índices da BM&FBovespa
Por Carolina Gasparini
|12h52 | 03-12-2012
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2626448/kroton-qualicorp-entram-ibrx-100-iguatemi-magazine-luiza-saem

SÃO PAULO - Embora a primeira prévia do Ibovespa não tenha trazido nenhuma novidade na nova carteira, os outros índices de ações da bolsa trouxeram algumas mudanças importantes, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira (3).

No índice IBrX-100, que possui 101 ações, foram feitas duas mudanças. Entraram Kroton (KROT11) e Qualicorp (QUAL3) e saíram Iguatemi (IGTA3) e Magazine Luiza (MGLU3). Já no IBrX-50, uma alteração foi feita: a entrada de Klabin (KLBN4) e a saída de Metalúrgica Gerdau (GOAU4).

Nenhum comentário: