Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 6 de abril de 2020

EQTL Maranhão (EQMA)

Subsetor
Segmento

Recomendações
 


Carteiras
Paulo Prof (out/12)

Códigos de Negociação
Tipo
EQMA3B; EQMA5B; EQMA6B


Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019
paulo_prof  -
Resultados do trimestre abaixo daqueles do 4T18. Resultados do exercicio com pequena evolução em relação aqueles do exercício de 2018. Precificação em linha com os resultados, se não houvesse uma pandemia. Esta, seguramente impactará os resultados da empresa em 2020, tanto devido a diminuição da energia consumida quanto pelo aumento da inadimplência. Em consequência, o ativo está sobre-precificado.

3T2019 -
paulo_prof  -
O Resultado veio bom, praticamente em linha com aquele do 3T18 em termos nominais. Em relação aos Resultados do 2T19 houve uma involução devida a uma perda de margem bruta e maiores despesas operacionais, algo compensadas por um melhor Resultado Financeiro.
Na comparação de 12 meses a empresa apresenta sólido crescimento em seus Resultados Operacional e Líquido e Ebitda.
Na minha opinião, o ativo está barato mas a sua precificação é prejudicada pela super pobre liquidez.

2T2019 -
paulo_prof   -
Resultados excelentes, de cima em baixo. Taxas de crescimento dignas da (antiga) China. Mesmo considerando a baixíssima liquidez, acho que o ativo está muito barato.

1T2019 -
paulo_prof   -
Excetuando a redução da Receita Líquida em relação ao 1T18, os resultados foram mais uma vez excelentesAcho que o ativo está barato. A liquidez não ajuda, mas o DY prometido, de aprox. 7%, não deixa de ser interessante.
No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.

A2018/4T2018 -
Paulo Prof - 
No 4T18 foi cojntabilizada uma Receita Financeira não recorrente de R$ 98,7 milhões referente à questão do PIS/COFINS, que impactou o lucro liquido do 4T18 e, porque não dizer, também do exercício de 2018. No que segue, esta receita e seu efeito no Resultado Operacional e Lucro Líquido foi expurgada.
Como pode ser observado, os resultados foram excelentes mesmo considerando o expurgo. Na minha opinião o ativo está muito barato. Embora não parecçam existir drivers para ganhos expressivos de capital, gosto do yield acima dos 6% ao preço atual.

3T2018 -
Paulo Prof - 
A Receita Líquida ainda foi impactada pelo maior custo da energia. Como despesa não gerenciável, será reembolsada no próximo reajuste. Em consequência do maior custo da energia, a margem bruta diminuiu bastante em relação ao 3T17 e marginalmente em relação ao 2T18. Na comparação dos resultados acumulados em 12 meses, a evolução continua forte. O ativo continua relativamente barato mas não há "drivers" que ajudem o preço retratar os fundamentos

2T2018 -
Paulo Prof - 
Bons resultados, praticamente em linha com aqueles do 2T17. Na comparação dos resultados acumulados em 12 meses, a evolução continua forte. O ativo continua relativamente barato mas não há "drivers" que ajudem o preço retratar os fundamentos. Preço "travado", igual ao do trimestre passado.

1T2018 -
Paulo Prof - 
Resultados excelentes. Ativo barato prá caramba, mas ... e daí?
A liquidez pífia não permite que "drivers" se desenvolvam para destravar o ativo. Se o payout fosse próximo dos 100% ... tudo bem ... daria para pelo menos ficar recolhendo polpudos proventos. Mas um DY projetado abaixo dos 6% nominais é pouco;

A2017/4T2017 -
paulo_prof   -
Achei os Resultados da Cemar excelentes. Houve evolução clonsiderável em todos os resultados em ambas as bases, anual e trimestral.
O ativo parece barato, embora reconhecendo que a sua pífia liquidez dificulte a criação de drivers para a sua valorização.

3T2017 -
paulo_prof  -
Para variar, como distribuidora pura, a empresa está nadando de braçada. Considerando os múltiplos e o fato de ser administrada pela competentíssima equatorial, pode-se aformar sem susto que o ativo está barato.

2T2017 -
paulo_prof   -
Ativo parece bem precificado.

A2016/4T2016 -
paulo_prof  -
Ativo parece barato ... liquidez horrível

A2014/4T2014 -
paulo_prof  -
Todas as empresas de distribuição que assinaram o aditivo ao contrato de concessão no final do ano passado puderam considerar os ativos regulatórios na DRE (se, por exemplo, uma empresa despende mais na compra de energia do que estava previsto pelo órgão regulador por ocasião do último reajuste anual, este valor é compensado via tarifa no próximo ajuste. Como não havia uma garantia explicita de que este valor efetivamente seria ressarcido, a norma IFRS não permitia que estes valores fossem considerados na demonstração de resultados. No final do ano passado, as empresas e o poder concedente assinaram os aditivos que basicamente garantem que a União é responsável pelo ressarcimento dos ativos regulatórios à empresa e esta é responsável pelo ressarcimento dos passivos regulatórios à União.
Em consequência, no 4T14 todas as distribuidoras estão contabilizando o ativo regulatório acumulado desde o reajuste anual como receita, impactando o resultado bruto, ebitda, resultado antes dos impostos e resultado líquido. No caso da Cemar, dos R$ 224 milhões de lucro líquido postado no 4T14, R$ 207 milhões são devidos aos ativos regulatórios que a empresa tinha.
Na minha opinião, nesta nova "modalidade" de contabilidade, dificilmente o lucro líquido em 2015 não crescerá em relação a 2014. Em consequência, o ativo me parece barato. Infelizmente, pode levar anos para o mercado dar a empresa um valor compatível com os seus fundamentos. Como a empresa é "muquirana" com referência ao payout, infelizmente o DY é pequeno demais para que o investidor possa esperar com segurança.

3T2014 -
paulo_prof  -
O lucro no 3T14 só cresceu em relação ao de um ano atrás por causa do deferimento de impostos ...

1T2014 -
paulo_prof  -
Mais uma distribuidora a sofrer as consequências da incompetência arrogante de nossa senhora em Brasília ...

A2011/4T2011 –
CINTRAPC –
esperava mais

Paulo Prof –
veio morno

Características
Empresa Distribuidora de Energia Elétrica para todo o estado do Maranhão

Ex  Cemar (ENMA)

Dividend Yield
2020
2019






6,15%





Payout
2020
2019






77,7%








368948  - paulo_prof  -  06 Abr 2020, 02:46
Resultados do trimestre abaixo daqueles do 4T18. Resultados do exercicio com pequena evolução em relação aqueles do exercício de 2018. Precificação em linha com os resultados, se não houvesse uma pandemia. Esta, seguramente impactará os resultados da empresa em 2020, tanto devido a diminuição da energia consumida quanto pelo aumento da inadimplência. Em consequência, o ativo está sobre-precificado.
p.php?pid=chartscreenshot&u=vHk4a0kLRWxC


4T18 e 2018: No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.



EQMA3B

PREÇO: R$ 49,79

PAYOUT (2019) 77,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 12,63

P/VPA 2,93

PSR 2,15

DY 6,15%

EV/EBITDA 9,61

MARGEM BRUTA 34,9%

MARGEM OPERACIONAL 20,7%

MARGEM LÍQUIDA 17,1%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,941

MARGEM EBITDA 25,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 89,0%

ROE 23,16%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,30



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,08%

RESULTADO BRUTO +8,05%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -77,95%

RESULTADO OPERACIONAL +9,78%

RESULTADO LÍQUIDO +9,53%

EBITDA +3,02%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +5,31%

RESULTADO BRUTO -10,47%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL -14,68%

RESULTADO LÍQUIDO -17,05%

EBITDA -19,43%



c) lucro líquido, nominal

UA 9,53%

U2A 14,96%

U3A 17,41%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 12,10%

U2A 12,82%

U3A 11,87%



e) ebitda, nominal

UA 3,02%

U2A 11,90%

U3A 11,84%

U4A 14,22%

U5A 8,93%

U6A 12,16%

U7A 9,13%

U8A 9,31%

U9A 7,80%

U10A 7,65%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 49,26

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -0,5% !!!!

06/02/2020 -
informações abaixo, relacionadas ao fechamento do 4T19 (quarto trimestre de 2019)

24/01/2020 -
aprovação da alteração de sua denominação social, que a partir do pregão de 30 de janeiro de 2020, com o novo código de negociação “EQMA” e novo nome de pregão “EQTL Maranhão”.

Cemar (ENMA)


365502  - paulo_prof  -  25 Nov 2019, 22:39
O Resultado veio bom, praticamente em linha com aquele do 3T18 em termos nominais. Em relação aos Resultados do 2T19 houve uma involução devida a uma perda de margem bruta e maiores despesas operacionais, algo compensadas por um melhor Resultado Financeiro.

Na comparação de 12 meses a empresa apresenta sólido crescimento em seus Resultados Operacional e Líquido e Ebitda.

Na minha opinião, o ativo está barato mas a sua precificação é prejudicada pela super pobre liquidez.
p05NRnzoRPjvLObrjO2LE3jRIA=


No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.



ENMA3B

PREÇO: R$ 47,99

PAYOUT (2018) 60,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11.46

P/VPA 2.56

PSR 2.11

DY 5.24%

EV/EBITDA 8.39

MARGEM BRUTA 36.6%

MARGEM OPERACIONAL 22.1%

MARGEM LÍQUIDA 18.4%

LUCRO POR AÇÃO $ 4.187

MARGEM EBITDA 28.3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 81.0%

ROE 22.35%

LIQUIDEZ CORRENTE 2.71



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,02%

RESULTADO BRUTO +22,296%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +6,73%

RESULTADO OPERACIONAL +34,42%

RESULTADO LÍQUIDO +35,05%

EBITDA +21,30%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,03%

RESULTADO BRUTO +7,04%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL -4,72%

RESULTADO LÍQUIDO -2,60%

EBITDA -7,54%



c) lucro líquido, nominal

UA 35,05%

U2A 27,76%

U3A 16,32%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 17,17%

U2A 14,80%

U3A 13,09%



e) ebitda, nominal

UA 21,30%

U2A 15,47%

U3A 19,73%

U4A 7,08%

U5A 22,58%

U6A 12,23%

U7A 10,68%

U8A 10,74%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 52,34

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -2,0% !!!!

363808  - paulo_prof   -  27 Ago 2019, 23:34
Resultados excelentes, de cima em baixo. Taxas de crescimento dignas da (antiga) China. Mesmo considerando a baixíssima liquidez, acho que o ativo está muito barato.
p.php?pid=chartscreenshot&u=qYRg3fO2kJDO



No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.



ENMA3B

PREÇO: R$ 49,00

PAYOUT (2018) 60,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,63

P/VPA 2,75

PSR 2,12

DY 5,16%

EV/EBITDA 8,65

MARGEM BRUTA 35,5%

MARGEM OPERACIONAL 22,0%

MARGEM LÍQUIDA 18,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 4,212

MARGEM EBITDA 28,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 86,5%

ROE 23,67%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,43



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,18%

RESULTADO BRUTO +13,26%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +105,34%

RESULTADO OPERACIONAL +28,05%

RESULTADO LÍQUIDO +29,26%

EBITDA +20,47%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,30%

RESULTADO BRUTO +25,38%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -30,58%

RESULTADO OPERACIONAL +48,90%

RESULTADO LÍQUIDO +53,27%

EBITDA +35,10%



c) lucro líquido, nominal

UA 29,26%

U2A 37,93%

U3A 19,10%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 15,70%

U2A 14,05%

U3A 12,94%



e) ebitda, nominal

UA 20,47%

U2A 22,52%

U3A 21,51%

U4A 7,61%

U5A 22,98%

U6A 13,87%

U7A 11,41%

U8A 10,80%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 52,65

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -1,5% !!!!

361257  - paulo_prof   -  15 Mai 2019, 17:15
Excetuando a redução da Receita Líquida em relação ao 1T18, os resultados foram mais uma vez excelentesAcho que o ativo está barato. A liquidez não ajuda, mas o DY prometido, de aprox. 7%, não deixa de ser interessante.


No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.



ENMA3B

PREÇO: R$ 32,90

PAYOUT (2018) 60,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,54
P/VPA 1,81
PSR 1,44
DY 7,03%
EV/EBITDA 6,35
MARGEM BRUTA 34,0%
MARGEM OPERACIONAL 20,4%
MARGEM LÍQUIDA 16,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,851
MARGEM EBITDA 26,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 84,0%
ROE 21,22%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,32


Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,58%

RESULTADO BRUTO +9,79%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +151,92%

RESULTADO OPERACIONAL +16,83%

RESULTADO LÍQUIDO +17,50%

EBITDA +11,03%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,93%

RESULTADO BRUTO +22,31%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -44,73%

RESULTADO OPERACIONAL +50,80%

RESULTADO LÍQUIDO +48,79%

EBITDA +29,60%



c) lucro líquido, nominal

UA 17,50%
U2A 32,46%
U3A 18,41%


d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 14,42%

U2A 12,86%

U3A 12,63%



e) ebitda, nominal

UA 11,03%
U2A 22,61%
U3A 21,52%
U4A 9,58%
U5A 15,83%
U6A 12,74%
U7A 10,39%
U8A 9,38%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 48.14

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -8,5% !!!!

360001 - paulo_prof -  30 Mar 2019, 18:04
No 4T18 foi cojntabilizada uma Receita Financeira não recorrente de R$ 98,7 milhões referente à questão do PIS/COFINS, que impactou o lucro liquido do 4T18 e, porque não dizer, também do exercício de 2018. No que segue, esta receita e seu efeito no Resultado Operacional e Lucro Líquido foi expurgada.

Como pode ser observado, os resultados foram excelentes mesmo considerando o expurgo. Na minha opinião o ativo está muito barato. Embora não parecçam existir drivers para ganhos expressivos de capital, gosto do yield acima dos 6% ao preço atual.


No que segue, a receita financeira de R$ 98,685 milhões referentes à questão do PIS/COFINS foi expurgada do Resultado Financeiro e Resultado Operacional (Antes dos Impostos). Do lucro liquido correspondente (aplicando a mesma alíquota efetiva de iR/CS) foi expurgada a parte correspondente, de R$ 81,586 milhões.



ENMA3B

PREÇO: R$ 34,51

PAYOUT (2018) 60,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,59

P/VPA 1,99

PSR 1,49

DY 6,26%

EV/EBITDA 7,15

MARGEM BRUTA 32,3%

MARGEM OPERACIONAL 18,8%

MARGEM LÍQUIDA 15,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,598

MARGEM EBITDA 25,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 83,4%

ROE 20,71%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,26



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +16,20%

RESULTADO BRUTO +16,02%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +82,62%

RESULTADO OPERACIONAL +39,68%

RESULTADO LÍQUIDO +40,27%

EBITDA +20,42%



b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 6,03%

RESULTADO BRUTO +34,02%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +1.501,77

RESULTADO OPERACIONAL +55,17%

RESULTADO LÍQUIDO +52,79%

EBITDA +30,80%



c) lucro líquido, nominal

UA 37,32%

U2A 29,68%

U3A 22,72%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 13,55%

U2A 11,76%

U3A 12,63%



e) ebitda, nominal

UA 15,04%

U2A 16,53%

U3A 18,22%

U4A 10,45%

U5A 14,09%

U6A 10,19%

U7A 10,24%

U8A 8,41%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 44,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,0% !!!!

355888 - paulo_prof  -  14 Nov 2018, 13:54
A Receita Líquida ainda foi impactada pelo maior custo da energia. Como despesa não gerenciável, será reembolsada no próximo reajuste. Em consequência do maior custo da energia, a margem bruta diminuiu bastante em relação ao 3T17 e marginalmente em relação ao 2T18. Na comparação dos resultados acumulados em 12 meses, a evolução continua forte. O ativo continua relativamente barato mas não há "drivers" que ajudem o preço retratar os fundamentos


ENMA3B

PREÇO: R$ 31,00

PAYOUT (2017) 52,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,00

P/VPA 1,93

PSR 1,36

DY 5,27%

EV/EBITDA 7,12

MARGEM BRUTA 29,9%

MARGEM OPERACIONAL 16,4%

MARGEM LÍQUIDA 13,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,100

MARGEM EBITDA 23,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 93,3%

ROE 19,31%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,02



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,43%

RESULTADO BRUTO +5,92%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +14,21%

RESULTADO OPERACIONAL +20,10%

RESULTADO LÍQUIDO +20,85%

EBITDA +9,92%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 10,28%

RESULTADO BRUTO -19,25%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -16,45%

RESULTADO LÍQUIDO -14,13%

EBITDA -8,01%



c) lucro líquido, nominal

UA 20,85%

U2A 7,95%

U3A 3,13%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 12,48%

U2A 11,11%

U3A 12,69%



e) ebitda, nominal

UA 9,92%

U2A 18,96%

U3A 2,72%

U4A 22,91%

U5A 10,50%

U6A 9,00%

U7A 9,30%

U8A 6,88%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 38,75

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -5,0% !!!!

352898  - paulo_prof  -  17 Ago 2018, 01:28
Bons resultados, praticamente em linha com aqueles do 2T17. Na comparação dos resultados acumulados em 12 meses, a evolução continua forte. O ativo continua relativamente barato mas não há "drivers" que ajudem o preço retratar os fundamentos. Preço "travado", igual ao do trimestre passado.


ENMA3B

PREÇO: R$ 29,90

PAYOUT (2017) 52,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,18

P/VPA 1,98

PSR 1,35

DY 5,74%

EV/EBITDA 6,90

MARGEM BRUTA 32,6%

MARGEM OPERACIONAL 17,9%

MARGEM LÍQUIDA 14,7%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,258

MARGEM EBITDA 24,4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 100,2%

ROE 21,59%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,83



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,53%

RESULTADO BRUTO +25,19%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -35,87%

RESULTADO OPERACIONAL +49,49%

RESULTADO LÍQUIDO +47,17%

EBITDA +21,81%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 6,01%

RESULTADO BRUTO +10,31%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +26,78%

RESULTADO OPERACIONAL -3,17%

RESULTADO LÍQUIDO -2,76%

EBITDA -4,58%



c) lucro líquido, nominal

UA 47,17%

U2A 14,33%

U3A 4,60%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 12,43%

U2A 11,59%

U3A 13,95%



e) ebitda, nominal

UA 21,81%

U2A 21,86%

U3A 3,53%

U4A 23,54%

U5A 12,53%

U6A 9,92%

U7A 9,44%

U8A 6,93%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 40,72

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7,0% !!!!

349888 - paulo_prof  -  12 Mai 2018, 03:46
Resultados excelentes. Ativo barato prá caramba, mas ... e daí?

A liquidez pífia não permite que "drivers" se desenvolvam para destravar o ativo. Se o payout fosse próximo dos 100% ... tudo bem ... daria para pelo menos ficar recolhendo polpudos proventos. Mas um DY projetado abaixo dos 6% nominais é pouco;

ENMA3B

PREÇO: R$ 29,90

PAYOUT (2017) 52,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,12

P/VPA 1,94

PSR 1,36

DY 5,77%

EV/EBITDA 6,80

MARGEM BRUTA 32,4%

MARGEM OPERACIONAL 18,3%

MARGEM LÍQUIDA 15,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,278

MARGEM EBITDA 25,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 118,0%

ROE 21,25%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,02



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +17,77%

RESULTADO BRUTO +25,21%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +55,59%

RESULTADO OPERACIONAL +51,92%

RESULTADO LÍQUIDO +49,32%

EBITDA +31,47%



b) 1T18 sobre 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 33,15%

RESULTADO BRUTO +39,93%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -4,30%

RESULTADO OPERACIONAL +169,80%

RESULTADO LÍQUIDO +132,67%

EBITDA +71,11%



c) lucro líquido, nominal

UA 49,32%

U2A 18,87%

U3A 13,93%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 11,32%

U2A 11,75%

U3A 15,26%



e) ebitda, nominal

UA 31,47%

U2A 26,62%

U3A 8,81%

U4A 16,83%

U5A 12,90%

U6A 10,14%

U7A 9,02%

U8A 8,15%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 40,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7,0% !!!!

347974  - paulo_prof   -  09 Mar 2018, 21:54
Achei os Resultados da Cemar excelentes. Houve evolução clonsiderável em todos os resultados em ambas as bases, anual e trimestral.

O ativo parece barato, embora reconhecendo que a sua pífia liquidez dificulte a criação de drivers para a sua valorização.

ENMA3B

PREÇO: R$ 29,90

PAYOUT (2017) 52,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,03

P/VPA 2,01

PSR 1,46

DY 5,25%

EV/EBITDA 7,42

MARGEM BRUTA 32,5%

MARGEM OPERACIONAL 17,5%

MARGEM LÍQUIDA 14,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,982

MARGEM EBITDA 24,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 122,2%

ROE 20,00%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,98



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,70%

RESULTADO BRUTO +11,85%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -12,17%

RESULTADO OPERACIONAL +20,87%

RESULTADO LÍQUIDO +22,47%

EBITDA +18,04%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 12,05%

RESULTADO BRUTO +14,91%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -87,81%

RESULTADO OPERACIONAL +78,70%

RESULTADO LÍQUIDO +79,18%

EBITDA +7,31%



c) lucro líquido, nominal

UA 22,47%

U2A 16,01%

U3A 13,52%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 10,00%

U2A 12,17%

U3A 15,86%



e) ebitda, nominal

UA 18,04%

U2A 19,84%

U3A 8,97%

U4A 13,85%

U5A 9,24%

U6A 9,46%

U7A 7,50%

U8A 7,35%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,27

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -5,0% !!!!

343843  - paulo_prof  -  12 Nov 2017, 13:05
Para variar, como distribuidora pura, a empresa está nadando de braçada. Considerando os múltiplos e o fato de ser administrada pela competentíssima equatorial, pode-se aformar sem susto que o ativo está barato.

ENMA3B

PREÇO: R$ 25,00

PAYOUT (2016) 50,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,75

P/VPA 1,72

PSR 1,28

DY 5,18%

EV/EBITDA 6,89

MARGEM BRUTA 31,0%

MARGEM OPERACIONAL 16,0%

MARGEM LÍQUIDA 13,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,565

MARGEM EBITDA 23,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 99,4%

ROE 17,66%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,31



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,96%

RESULTADO BRUTO +5,01%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -7,18%

RESULTADO OPERACIONAL -4,66%

RESULTADO LÍQUIDO -3,58%

EBITDA +21,41%



b) 3T17 sobre 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 10,27%

RESULTADO BRUTO +40,56%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +49,32%

RESULTADO LÍQUIDO +45,72%

EBITDA +43,07%



c) lucro líquido, nominal

UA -3,58%

U2A -4,73%

U3A 41,56%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 9,75%

U2A 12,80%

U3A 16,52%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 32,88

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,5% !!!!

340858  - paulo_prof   -  09 Ago 2017, 03:53
Ativo parece bem precificado.

ENMA3B

PREÇO: R$ 23,11

PAYOUT (2016) 50,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,44

P/VPA 1,72

PSR 1,20

DY 4,84%

EV/EBITDA 7,40

MARGEM BRUTA 29,5%

MARGEM OPERACIONAL 13,8%

MARGEM LÍQUIDA 11,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,214

MARGEM EBITDA 21,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 106,7%

ROE 16,51%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,26



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,51%

RESULTADO BRUTO +9,23%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -14,24%

RESULTADO LÍQUIDO -11,19%

EBITDA +11,05%



b) 2T17 sobre 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 18,56%

RESULTADO BRUTO +9,01%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +2,86%

RESULTADO LÍQUIDO +2,80%

EBITDA +28,62%



c) lucro líquido, nominal

UA -11,19%

U2A -11,81%

U3A 52,11%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 10,76%

U2A 14,72%

U3A 16,33%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 28,38

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -5,0% !!!!

335338 - paulo_prof  -  10 Mar 2017, 23:42
Ativo parece barato ... liquidez horrível

ENMA3B

PREÇO: R$ 24,00

PAYOUT (2016) 50,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,86

P/VPA 1,82

PSR 1,29

DY 5,12%

EV/EBITDA 7,60

MARGEM BRUTA 29,9%

MARGEM OPERACIONAL 16,0%

MARGEM LÍQUIDA 13,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,435

MARGEM EBITDA 20,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 99,8%

ROE 18,46%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,10



Taxas de Crescimento



a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,90%

RESULTADO BRUTO +13,24%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +82,43%

RESULTADO OPERACIONAL +10,45%

RESULTADO LÍQUIDO +9,89%

EBITDA +10,37%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 9,43%

RESULTADO BRUTO +13,34%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -31,69%

RESULTADO LÍQUIDO -29,97%

EBITDA +15,04%



c) lucro líquido, nominal

UA 9,89%

U2A 9,30%

U3A 27,64%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 14,38%

U2A 18,90%

U3A 16,39%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 30,44


Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,5% !!!!

325904  - paulo_prof   -  12 Ago 2016, 05:24
ENMA3B
PREÇO: R$ 20,49
PAYOUT (2015) 18,2%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 8,22
P/VPA 1,65
PSR 1,17
DY 2,21%
EV/EBITDA 7,08
MARGEM BRUTA 29,8%
MARGEM OPERACIONAL 17,7%
MARGEM LÍQUIDA 14,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,493
MARGEM EBITDA 20,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 106,3%
ROE 20,07%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,24

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA =3,60%
RESULTADO BRUTO -14,47%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -11,39%
RESULTADO LÍQUIDO -12,43%
EBITDA -25,27%

b) 2T16 vs 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,62%
RESULTADO BRUTO +31,71%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +238,28%
RESULTADO OPERACIONAL +47,56%
RESULTADO LÍQUIDO +34,35%
EBITDA +30,76%

c) lucro (taxa média anual)
UA -12,43%
U2A 99,07%
U3A 6,60%

d) patrimônio líquido médio
UA 18,83%
U2A 19,21%
U3A 16,91%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 24,93

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -4,5% !!!

296763  - paulo_prof  -  08 Mai 2015, 03:19
ENMA3B
PREÇO: R$ 16,80
PAYOUT (2014): 18,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 7,58
P/VPA 1,61
PSR 1,04
DY 2,39%
EV/EBITDA 5,48
MARGEM BRUTA 33,6%
MARGEM OPERACIONAL 16,9%
MARGEM LÍQUIDA 13,7%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,217
MARGEM EBITDA 26,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 125,1%
ROE 21,25%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,23

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +34,50% (impactado por um acréscimo de R$ 283 milhões no 4T14)
RESULTADO BRUTO +27,83% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -15,37,55%
RESULTADO OPERACIONAL +87,85% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO LÍQUIDO +77,80% (impactado por um acréscimo de R$ 207 milhões no 4T14)
EBITDA +44,61% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)

b) 1T15 sobre 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +33,75%
RESULTADO BRUTO +55,96
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +31,81%
RESULTADO OPERACIONAL +175,98%
RESULTADO LÍQUIDO +98,56%
EBITDA +74,74

c) lucro líquido, nominal
UA 78,80%
U2A 5,90%
U3A 9,98%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 13,66%
U2A 15,47%
U3A 17,95%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 22,17

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -6,50%

290140  - paulo_prof  -  14 Fev 2015, 23:43
Todas as empresas de distribuição que assinaram o aditivo ao contrato de concessão no final do ano passado puderam considerar os ativos regulatórios na DRE (se, por exemplo, uma empresa despende mais na compra de energia do que estava previsto pelo órgão regulador por ocasião do último reajuste anual, este valor é compensado via tarifa no próximo ajuste. Como não havia uma garantia explicita de que este valor efetivamente seria ressarcido, a norma IFRS não permitia que estes valores fossem considerados na demonstração de resultados. No final do ano passado, as empresas e o poder concedente assinaram os aditivos que basicamente garantem que a União é responsável pelo ressarcimento dos ativos regulatórios à empresa e esta é responsável pelo ressarcimento dos passivos regulatórios à União.

Em consequência, no 4T14 todas as distribuidoras estão contabilizando o ativo regulatório acumulado desde o reajuste anual como receita, impactando o resultado bruto, ebitda, resultado antes dos impostos e resultado líquido. No caso da Cemar, dos R$ 224 milhões de lucro líquido postado no 4T14, R$ 207 milhões são devidos aos ativos regulatórios que a empresa tinha.

Na minha opinião, nesta nova "modalidade" de contabilidade, dificilmente o lucro líquido em 2015 não crescerá em relação a 2014. Em consequência, o ativo me parece barato. Infelizmente, pode levar anos para o mercado dar a empresa um valor compatível com os seus fundamentos. Como a empresa é "muquirana" com referência ao payout, infelizmente o DY é pequeno demais para que o investidor possa esperar com segurança.

ENMA3B
PREÇO: R$ 14,50
PAYOUT (2014): 18,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 7,11
P/VPA 1,44
PSR 0,96
DY 2,55%
EV/EBITDA 5,35
MARGEM BRUTA 33,3%
MARGEM OPERACIONAL 16,1%
MARGEM LÍQUIDA 13,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,038
MARGEM EBITDA 25,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 128,5%
ROE 20,24%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,16

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +26,18% (impactado por um acréscimo de R$ 283 milhões no 4T14)
RESULTADO BRUTO +14,37% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -15,35%
RESULTADO OPERACIONAL +65,85% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO LÍQUIDO +74,09% (impactado por um acréscimo de R$ 207 milhões no 4T14)
EBITDA +29,85% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)

b) 4T14 sobre 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +75,09% (impactado por um acréscimo de R$ 283 milhões no 4T14)
RESULTADO BRUTO +141,12% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -5,89%
RESULTADO OPERACIONAL +602,78 % (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)
RESULTADO LÍQUIDO +497,12% (impactado por um acréscimo de R$ 207 milhões no 4T14)
EBITDA +230,98% (impactado por um acréscimo de R$ 208 milhões no 4T14)

c) lucro líquido, nominal
UA 74,09%
U2A -6,76%
U3A 10,58%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 74,09% 11,54%
U2A -6,76% 15,76%
U3A 10,58% 16,38%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 20,38

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -7,50%

281668  - paulo_prof  -  03 Nov 2014, 00:40
O lucro no 3T14 só cresceu em relação ao de um ano atrás por causa do deferimento de impostos ...

ENMA3B
PREÇO: R$ 17,00
PAYOUT (2013): 18,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 18,80
P/VPA 1,87
PSR 1,34
DY 1,00%
EV/EBITDA 10,04
MARGEM BRUTA 27,5%
MARGEM OPERACIONAL 6,9%
MARGEM LÍQUIDA 7,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,904
MARGEM EBITDA 18,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 110,1%
ROE 9,95%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,24

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,27%
RESULTADO BRUTO -25,55%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -64,34%
RESULTADO LÍQUIDO -51,25%
EBITDA -27,81%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +16,87%
RESULTADO BRUTO -25,19%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -21,12%
RESULTADO OPERACIONAL -33,27%
RESULTADO LÍQUIDO +21,17%
EBITDA -0,22%

c) lucro líquido, nominal
UA -51,25%
U2A -27,63%
U3A -15,49%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 9,61%
U2A 16,57%
U3A 15,15%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 9,04

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +16,00%

256967 - paulo_prof  -  08 Mai 2014, 14:35
Mais uma distribuidora a sofrer as consequências da incompetência arrogante de nossa senhora em Brasília ...

ENMA3B
PREÇO: R$ 15,75
PAYOUT (2013): 18,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 7,98
P/VPA 1,76
PSR 1,15
DY 2,48%
EV/EBITDA 6,50
MARGEM BRUTA 36,5%
MARGEM OPERACIONAL 19,1%
MARGEM LÍQUIDA 14,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,855
MARGEM EBITDA 25,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 115,7%
ROE 22,05%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,94

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -14,82%
RESULTADO BRUTO -4,52%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -43,02%
RESULTADO LÍQUIDO -37,28%
EBITDA -1,52%

b) 1T14 sobre 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,24%
RESULTADO BRUTO -17,28%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -4,17%
RESULTADO OPERACIONAL -9,43%
RESULTADO LÍQUIDO +61,41%
EBITDA -12,47%

c) lucro líquido, nominal
UA -37,28%
U2A -13,75%
U3A -8,10%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 17,31%
U2A 20,16%
U3A 14,43%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 18,55

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -3,5%

219426  - paulo_prof -  31 Out 2013, 17:28
ENMA3B
PREÇO: R$ 14,00
PAYOUT (2012): 19,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 7,55
P/VPA 1,66
PSR 1,09
DY 2,62%
EV/EBITDA 6,25
MARGEM BRUTA 36,5%
MARGEM OPERACIONAL 19,1%
MARGEM LÍQUIDA 14,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,855
MARGEM EBITDA 25,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 115,7%
ROE 22,05%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,94

Taxas de Crescimento:

a) últimos 9 meses sobre 9 meses terminados no 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +-14,31%
RESULTADO BRUTO -0,58%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +117,43%
RESULTADO OPERACIONAL -30,17%
RESULTADO LÍQUIDO -34,18%
EBITDA -1,15%

b) 3T13 sobre 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -22,16%
RESULTADO BRUTO +27,19%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +220,32%
RESULTADO OPERACIONAL -0,95%
RESULTADO LÍQUIDO -36,93%
EBITDA +25,98%

c) lucro líquido, nominal
UA 7,44%
U2A 11,28%
U3A 14,94%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 23,97%
U2A 18,02%
U3A 16,09%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 23,19

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -11,0%

160177 - paulo_prof -  12 Dez 2012, 16:05
[...]
No que concerne a ENMA, a incerteza é sobre a Revisão de 3o. ciclo a que estará submetida no 2o. semestre do próximo ano. A empresa está negociando super barata em relação ao lucro que produz hoje. Se a sua liquidez fosse pelo menos razoável, acho que o risco de comprar hoje seria pequeno. Mas como a liquidez é pífia (e põe pífia nisto), é possível que não seja possível vender a preço razoável antes que as cartas (da revisão) sejam colocadas na mesa. Se estas cartas forem piores do que esperadas, a probabilidade de prejuizo cresce. Um outro aspecto da empresa que dificulta é a sua política "volátil" no que diz respeito ao payout. Varia demais, de ano para ano ...

159259 - ch3481 -  04 Dez 2012, 21:18
Falando em ENMA3b...pegou uns caraminguás lá no BNDES

04/12) CEMAR (ENMA-MB) - Deliberacoes de RCA
DRI: Eduardo Haiama

Em RCA de 23/11/2012 foi deliberado:

" nos termos do artigo 13, alienas "I" e "L", do Estatuto Social da Companhia,  aprovar a tomada de financiamento pela Companhia junto ao Banco Nacional do  Desenvolvimento - BNDES, no valor de ate R$516.487.630,00 (quinhentos e  dezesseis milhoes, quatrocentos e oitenta e sete mil e seiscentos e trinta reais), nos termos da decisao da diretoria do BNDES n 1.211/2012, expedida em  13 de novembro de 2012 e anexos, ficando os seus administradores autorizados a  tomarem todas e quaisquer providencias e a celebrarem todos e quaisquer  instrumentos necessarios para a implementacao da operacao ora aprovada;

" aprovar a prestacao de garantia para a operacao aprovada na deliberacao anterior atraves da cessao de recebiveis que represente ate 8,9% da receita  liquida da Companhia, no periodo de 2012 a 2022, nos termos do Despacho n 1.211, de 13 de novembro de 2012, proferido pela Agencia Nacional de Energia Eletrica - ANEEL;

153669 - paulo_prof - 25 Out 2012, 02:59
PREÇO: R$ 9,65
PAYOUT (2011): 37,8% (acho que no exercício de 2012 vai aumentar bem)

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,59
P/VPA 1,37
PSR 0,71
DY 6,76%
EV/EBITDA 4,99
MARGEM BRUTA 32,5%
MARGEM OPERACIONAL 15,7%
MARGEM LÍQUIDA 12,7%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,727
MARGEM EBITDA 23,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 131,1%
ROE 24,60%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,23

Taxas de crescimento dos 9M12 em relação aos 9M11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,31%
RESULTADO BRUTO +14,08%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -6,36%
RESULTADO OPERACIONAL +21,05%
RESULTADO LÍQUIDO +18,07%
EBITDA +10,65%

Taxas de crescimento do 3T12 em relação aos 3T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,61%
RESULTADO BRUTO +11,94%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +5,04%
RESULTADO OPERACIONAL +18,65%
RESULTADO LÍQUIDO +15,41%
EBITDA +12,01%

Crescimento da dívida líquida ao final do 3T12 em relação ao 3T11: +0,65%

Taxas anuais médias de crescimento nominal:
a) do lucro líquido
UA 15,25%
U2A 18,88%
U3A -3,69%

b) do patrimônio Líquido médio
UA 12,61%
U2A 14,71%
U3A 16,89%

152422 -  Barbado - 17 Out 2012, 14:04
ENMA3B (PAPEL INDICADO ALGUNS MESES ATRÁS, PELO PROF.PAULO)

Diante da excassez de bons papéis, vale uma abordagem:

É a principal fonte geradora de recursos para a Equatorial (eqtl3) e esta subiu um "desgraceira" depois que a vendi (oh céus, oh burro....).

Em junho/2009 os números (em milhões) eram estes:

Receita líquida = 263
Ebitda = 96
L.Líquido = 82
Dívida = 906

Em junho/2012 três anos depois são estes:

Receita líquida = 545
Ebitda = 109
L.Líquido = 58
Dívida = 1.024

De positivo temos um aumento expressivo na receita líquida e a estabilidade da dívida que cresceu marginalmente.

De negativo vemos que o ebtida e o lucro líquido não avançam.

Uma explicação de "orelhada" seria a necessidade de grandes investimentos para atender a demanda crescente, modernização dos sistemas operacionais e inadimplência.

O Estado do Maranhão vem avançando a um rítmo bem superior ao restante do país com desenvovimento de grandes projetos que aumentarão a demanda por energia.

Nos últimos anos, o mercado consumidor da CEMAR tem apresentado taxas de crescimento elevadas. No período 2009-2011, o mercado cresceu a uma taxa média de 10,7%, valor superior à média do Brasil (3,6%) e da Região Nordeste (0,8%).

Vale notar que mesmo no período anterior (2005-2008), as taxas já estavam elevadas, mas os valores realizados no triênio 2009-2011 representam um novo patamar.

Dentre os fatores que explicam este crescimento, vale destacar:

(i) a eclosão de uma demanda reprimida que pode ser atendida com o fortalecimento do sistema elétrico;

(ii) o Programa Luz Para Todos (PLPT): o quarto maior do Brasil, já possibilitou acesso a rede elétrica a mais de 300.000 domicílios;

(iii) aquecimento dos setores de construção civil, comercial e serviços.

Para o futuro próximo há expectativa de manutenção de taxas de crescimento elevadas, em grande parte devido à implantação de grandes projetos industriais no Estado. Para essa nova década, o Governo do Maranhão estima que os investimentos serão de R$ 100 bilhões. Dentre os grandes projetos destaque para: a refinaria Premium da Petrobrás(essa deve demorar, embora a fase de terraplanagem esteja em andamento com 1.500 homens trabalhando na obra), a fábrica de papel e celulose da Suzano (outra que está comas as pernas quebradas), a exploração de gás no interior do estado pela OGX (outro mico), além de projetos de mineração, e outros de menor importância.

De forma a fazer frente ao crescimento de seu mercado, a CEMAR tem realizado pesados investimentos na melhoria e expansão de seu sistema. Alguns dos principais estrangulamentos do sistema estão sendo tratados a partir da construção de linhas de sub-transmissão e do aumento da capacidade instalada.

Além disso o suprimento da rede básica ao Maranhão foi colocado em evidência, o que gerou ações concretas como ampliação dos pontos de suprimento existentes
e construção de três novos pontos nas regiões norte, sul e noroeste do Estado.

Diante forte crescimento do triênio 2009-2011 e da expectativa para os próximos anos foi necessário planejar um Programa de Obras, para o biênio 2011/2012, com vistas a acompanhar e suportar todo o desenvolvimento previsto para o Estado do Maranhão, inclusive com a antecipação de grandes obras, cujo resultado será o aumento da capacidade instalada do sistema e a melhoria da qualidade da energia distribuída.

Aqui não é o Severine, é o "faiscador" então todo cuidado é pouco, façam suas próprias análises e decidam se vale umas "fichas"....

128844 - paulo_prof - 01/Mai/2012 11:33
ENMA3B (Cemar)
PREÇO: R$ 9,90
PAYOUT (2011): 37,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L      5,94
P/VPA            1,63
PSR     0,80
DY      6,37%
EV/EBITDA  5,26
MARGEM BRUTA  33,9%
MARGEM OPERACIONAL          16,1%
MARGEM LÍQUIDA          13,4%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 1,666
MARGEM EBITDA 24,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       131,3%
ROE    27,46%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,06

Taxas anuais médias nominais de crescimento:

a) do lucro líquido
UA      4,33%
U2A    14,74%
U3A    4,16%

b) do patrimônio líquido médio
UA      3,77%
U2A    11,58%
U3A    15,43%

Supondo uma perpetuidade real nula e uma taxa de desconto real de 8%, para que a fórmula do FCD produza uma preço justo de R$ 14,85 (50% maior do que a cotação atual), é necessário que a taxa de crescimento real do lucro líquido nos próximos 3 anos seja superior a -11,5%.

Relativamente ao 1T11, as taxas de crescimento nominal foram:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,48%
RESULTADO BRUTO +18,79%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +22,69
RESULTADO OPERACIONAL +34,73%
RESULTADO LÍQUIDO +49,49%
EBITDA +19,97%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +3,68%

Moral da história:

O ativo está barato mesmo que a revisão de 3o. ciclo, que deverá ser aplicada no 2o. semestre de 2013, tenha um forte impacto.

Embora a política de payout da empresa seja espartana (apenas 37,8% em 2011 devido ao planejamento de fortes investimentos no período de 2012-2014), o DY esperado em 2012 é de "saudáveis" 7%.

Como leigo no tema, não vejo grandes ameaças para que a empresa continue performando. Se o nível de perda de energia é alto (na faixa dos 20%), também é alta a margem para melhora futura. O nível de PDD e perdas permanece estável. Não há indicações de que a inadimplência esteja aumentando. Finalmente, a Cemar será uma das últimas distribuidoras a sofrer a revisão de 3o. ciclo. Os efeitos só serão sentidos a partir do 3T13 (e isto se não houver atrasos).

Tota, há ameaças relevantes que vc consegue enxergar?

115983 - paulo_profComentários - 16/Fev/2012 17:13
Mensagem enviada ao RI da Equatorial/Cemar

O Patrimônio Líquido da Cemar em 29DEZ2011, como publicado nas Informações Finaceiras, está equivocado.

Se o Patrimônio Líquido em 30SET2011 era R$ 962.593 mil e o Lucro Líquido no 4T11 foi de R$ 48.331 mil, o Patrimônio Líquido no final do 4T11 teria que ser R$ 1.010.924 mil, e não R$ 964.137 mil, como publicado!

115912 - paulo_prof - 16/Fev/2012 14:15
ENMA3B
PREÇO: R$ 10,12
PAYOUT (2011): 37,8%
P/L      6,71
P/VPA            1,72
PSR     0,87
DY      5,63%
EV/EBITDA  5,38
MARGEM BRUTA  34,6%
MARGEM OPERACIONAL          15,8%
MARGEM LÍQUIDA          12,9%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 1,507
MARGEM EBITDA 25,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       143,7%
ROE    25,67%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,43

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      -11,17%
U2A    11,73%
U3A    2,80%

b) do patrimônio líquido médio
UA      8,18%
U2A    13,49%
U3A    16,48%

115911 - paulo_prof - 16/Fev/2012 14:20
O resultado da ENMA em 2011 veio ... morno ...

Embora o lucro líquido do 4T11 tivesse vindo acima do 4T10 (+3,3%), veio muito abaixo do resultado do 3T11 (-38,1%).

Mas o que mais me incomodou foi o payout aprovado para o exercício de 2011: na faixa de ridículos 38% !!!

Isto dará somente aprox. R$ 0,57/ação.

Vai saber qual é a dos caras! Dizem que há necessidade de altos investimentos ...

citação: Relatório ENMA

Para o futuro próximo há expectativa de manutenção de taxas de crescimento elevadas, em grande parte devido à implantação de grandes projetos industriais no Estado. Para essa nova década, o Governo do Maranhão estima que os investimentos alcançarão cerca de R$ 100 bilhões. Dentre os grandes projetos, merecem destaque a refinaria Premium da Petrobrás, a fábrica de papel e celulose da Suzano, a exploração de gás no interior do estado pela OGX, além de projetos de mineração, e outros.

De forma a fazer frente ao crescimento de seu mercado, a CEMAR tem realizado pesados investimentos na melhoria e expansão de seu sistema. Alguns dos principais estrangulamentos do sistema estão sendo tratados a partir da construção de linhas de subtransmissão e do aumento da capacidade instalada. Além disso, o suprimento da rede básica ao Maranhão foi colocado em evidência, o que gerou ações concretas como ampliação dos pontos de suprimento existentes e construção de três novos pontos nas regiões norte, sul e noroeste do Estado.

Diante forte crescimento do triênio 2009-2011 e da expectativa para os próximos anos foi necessário planejar um Programa de Obras, para o biênio 2011/2012, com vistas a acompanhar e suportar todo o desenvolvimento previsto para o Estado do Maranhão, inclusive com a antecipação de grandes obras, cujo resultado será o aumento da capacidade instalada do sistema e a melhoria da qualidade da energia distribuída.

Evidentemente, embora a EQTL tenha reserva de lucros para implementar a sua própria política de proventos, os proventos super pífios da ENMA poderão impactar a decisão da EQTL.

115873 - small caps - 16/Fev/2012 11:26
citação: CINTRAPC
Esperava mais......
CEMAR (ENMA3B)

DEMANDA DE ENERGIA DA CEMAR CRESCE 6,1%.
EBITDA AJUSTADO ATINGE R$133,7 MILHÕES.

1. DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS
► O volume de energia faturada no trimestre cresceu 6,1% em relação ao mesmo período em 2010, atingindo 1.161 GWh.
► A Receita Operacional Líquida (ROL) cresceu 13,5% no 4T11, totalizando R$566,9 milhões.
► O EBITDA ajustado trimestral alcançou R$133,7 milhões no 4T11, queda de 0,2% em relação ao valor do mesmo trimestre do ano anterior.
► O Lucro Líquido ajustado atingiu R$77,8 milhões no 4T11, queda de 4,9% se comparado ao valor do 4T10.
► Os investimentos da CEMAR (excluindo investimentos diretos relacionados ao Programa Luz para Todos - PLPT) somaram R$141,3 milhões no
4T11, 110,0% superior aos investimentos realizados no 4T10.
► No 4T11, os índices de DEC e FEC da CEMAR (acumulados dos últimos 12 meses) foram de 21,4 horas e 11,6 vezes, respectivamente, registrando
quedas de 0,3% e 17,1% em relação aos índices observados ao final do 4T10.
► As perdas de energia dos últimos 12 meses encerrados no 4T11 representaram 21,0% da energia requerida, com redução de 1,0 p.p. em relação aos
22,0% verificados no 4T10.
► Em reunião do Conselho de Administração da CEMAR realizada hoje, foi aprovada a proposta de pagamento de R$93,6 milhões em dividendos, equivalentes a aproximadamente R$0,57 por ação (ordinárias e preferenciais). Tal proposta deverá ser submetida à Assembleia Geral Ordinária da Companhia, ainda sem data definida.

Foi o que comentei há pouco. Não se trata de um ativo de 1a. linha. Muita volatilidade das decisões. Um ano distribui tudo e um pouco mais. No outro fica pão dura... não dá para saber o que querem antecipadamente... falta uma política fixa e previsível...

Mas o preço continua camarada...

Certamente, muita gente esperava o pay-out de 100%...

Temos sempre que tem muita atenção ao HISTÓRICO e o de Cemar e Equatorial é de VOLATILIDADE nas decisões da cúpula...

99797 - NotwenCardozo- 28/Out/2011 00:32
Note que o payout da Cemar é de apenas 71,8% do LL enquanto EQTL3 é de 103,7%. ENMA3B tem P/L menor, taxa de crescimento anual média do LL e do patrimônio líquido médio positiva e razoalvelmente alta.

Como disse o Small "Encontrei nela algo que muito aprecio: dividendos e crescimento. Gosto de empresas que pagam 72% do lucro em proventos e reinvestem uma parte para que ele nunca pare de crescer."

99, do Conselho Monetário Nacional.

99794 - NotwenCardozo - 27/Out/2011 23:58
CEMAR agora está divulgando seus resultados apenas dentro dos resultados da EQTL3. Tenho apenas CEMAR pois acho que estão melhorando bem a empresa (incrivel como reduziram as perdas, vide gráfico na divulgação dos resultados) e deve haver um aumento maior da demanda de energia devido à pobreza do MA. MA é um dos estados que tem um enorme potencial de melhora econômica:

► A receita operacional líquida (ROL) do 3T11 atingiu R$498,5 milhões, 2,8% superior à ROL do 3T10, o que reflete crescimento de 3,0% na CEMAR.
► O volume total de energia faturada da CEMAR atingiu 1.146,0 GWh no 3T11, 6,9% superior ao 3T10.
► No 3T11, o EBITDA ajustado somou R$131,6 milhões, aumento de 4,0% em relação ao valor apresentado no 3T10.
► O lucro líquido ajustado do trimestre atingiu R$50,7 milhões, crescimento de 17,0% se comparado ao valor do mesmo trimestre do ano anterior.
► No 3T11, os investimentos consolidados da Equatorial totalizaram R$114,6 milhões e foram 1,2% maiores do que os realizados no 3T10. Na CEMAR (excluindo investimentos diretos no Programa Luz para Todos - PLPT), os investimentos totalizaram R$74,5 milhões, crescimento de 55,2%. Já os investimentos do PLPT somaram R$40,0 milhões.
► No 3T11, os índices de DEC e FEC da CEMAR (acumulados dos últimos 12 meses) foram de 20,6 horas e 11,3 vezes, respectivamente, registrando quedas de 11,4% e 24,0% em relação aos índices observados ao final do 3T10.
► As perdas de energia da CEMAR dos últimos 12 meses encerrados no 3T11 representaram 21,2% da energia requerida, com redução de 1,0 p.p. em relação aos 22,2% verificados no 3T10.
► Em agosto de 2011, a Equatorial celebrou acordo de investimento na Sol Energias, através do qual deverá aportar R$6,0 milhões e deverá passar a deter 51% de seu capital total. O referido aporte encontra-se em fase final de implementação, motivo pelo qual as informações relativas à Sol Energias ainda não se encontram consolidadas nestes Comentários de Desempenho.

2.1 DESEMPENHO OPERACIONAL – CEMAR
VENDAS DE ENERGIA ELÉTRICA
No 3T11, as vendas de energia cresceram 6,9% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo 1.146 GWh. O crescimento observado no trimestre
é resultado de 3 causas principais: (i) crescimento econômico do Estado; (ii) ligação de novos clientes à base de consumidores, e; (iii) a intensificação no
combate às perdas de energia elétrica.

Historicamente, o 2º semestre do ano é um período de baixa pluviometria no Maranhão, assim, tanto no 3T10 como no 3T11, não houve grande influência da
variável climática no consumo de energia no período, ao contrário do efeito que influenciou positivamente o consumo no 1S10.

3.2.6 - LUCRO LÍQUIDO
No 3T11, a CEMAR apresentou lucro líquido de R$78,1 milhões, versus R$74,7 milhões de lucro líquido apresentado no 3T10, um aumento de 4,6%.
O resultado líquido apresentado no 3T11 representa R$0,48 por ação da CEMAR, crescimento de 4,6% em relação aos R$0,45 apresentados no 3T10.
http://equatorialenergia.riweb.com.br/ri/Download.aspx?Arquivo=Y/jLGr7hzji0v3h5 7BDG3A==

99775 - paulo_prof - 27/Out/2011 22:56
ENMA3B (Cemar)
PREÇO: R$ 8,95
PAYOUT: 71,8%

multiplicadores baseados nos últimos 6 meses
P/L         5,02
P/VPA  1,53
PSR        0,78
DY          14,31%
EV/EBITDA         5,07
MARGEM BRUTA            34,4%
MARGEM OPERACIONAL            17,0%
MARGEM LÍQUIDA         15,5%
LUCRO POR AÇÃO          R$ 1,839
MARGEM EBITDA           25,4%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO                122,3%
ROE       30,4%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,39

Taxas de crescimento anual médio

a) lucro líquido
UA         22,62%
U2A       -11,96%            
U3A       10,62%

b) patrimônio líquido médio
UA         12,31%
U2A       15,45%
U3A       17,30%

Taxa anual real média de crescimento do lucro líquido dos últimos 6 meses anualizados, necessária durante 3 anos, para que a fórmula do FCD produza um "preço justo" 30% superior à cotação atual (com taxa de desconto real de 10%, perpetuidade de 0%) = -15,5%

Nada mau ... parece ter tutano suficiente para aguentar tranqüilamente a chuva da revisão tarifária ...



32147 - MuadibGV - 04/Abr/2010 19:59
A adesão da Cemar ao parcelamento foi uma surpresa. Não havia provisão para esse crédito tributário e as ITR da Cemar nem sequer citavam o tal auto de infração. O que parece ter determinado a adesão foi o fato da empresa ter conseguido compensar a maior parte do crédito tributário com a montanha de prejuízos fiscais que tem. O efeito caixa foi pouco menos de 40 milhões de reais parceláveis em 15 anos.

32136 - tota57- 04/Abr/2010 18:49
Boa noite prof paulo e demais amigos. Postei no topico do rcbocardo um comentario da EQTL, a pedido do buric. Divido abaixo essa informação.
citação: tota57
citação: buricGostaria de ouvir o parecer do tota sobre EQTL3. Sabem o que acontece com ele?
Buric,
Estou muito assoberbado e devo ter dificuldades para frequentar os foruns. Em relação a EQTL eu faço os seguinte comentários:
Gostei muito da rápida adequação da Cemar aos limites de perdas regulatorias. A Aneel estabelece um limite que é coberto pelo preço da tarifa, que no caso da Cemar é de 25,6%. De 2008 para 2009 a Cemar reduziu de 28,9% para 25,2%, ou seja, a empresa já chegou a um patamar de perdas que garante que não terá que tirar dinheiro do resultado para cobrir diferenças. De agora até a proxima revisão tarifária, em 2013, tudo que ela conseguir reduzir de perdas será revertido em ganhos para a empresa. Se minhas contas estiverem corretas essa redução de 3,7%, em 2009, representam aproximadamente R$ 55 milhões na receita operacional liquida. O desempenho é tão formidável que chama a atenção, pois conseguir resultado nesse indicador demanda muito esforço e investimentos. A Cemar reduziu muito, 3,7 p.p. é muita coisa.
Chamou a atenção a decisão do Carlos Piani ir para a presidencia do conselho, trocando de posição com o Firmino Sampaio. O Piani é um CEO que esta numa faixa etária para ficar à testa de um negócio, o cara é muito novo. Normalmente o presidente do conselho não interfere na gestão operacional da empresa. Muito estranha essa decisão, apesar da EQTL informar que esta prospectando negocios para participar da consolidação do setor, essa mudança pode ser uma pista de que vai haver alterações de rumos nos negocios da EQTL. Ainda comungo da ideia de que eles vão vender a Cemar, aliás essa é a filosofia de todo fundo de private equity, arrumar a casa e passar o negocio para frente. O PCP fez alguns desinvestimentos, inclusive o da light.
Com a venda da participação na light a EQTL reduzirá pela metade seu negocio na distribuição de energia.
Outro ponto que me chamou a atenção foi o impacto negativo da adesão ao Refis. Os colegas do tópico sabem o quanto positivo foi essa adesão para a Eletropaulo, foram R$250 milhões de resultado positivo no LL da empresa. No caso da Cemar foi o inverso, a adesão provocou um resultado negativo de uns R$ 90 milhões no LL do 4o trim. Não li atentamente os resultados dos trimestres e anos anteriores, mas ficou para mim a sensação que eles não tinham provisionado essa divida com o governo federal.
Em relação aos outros aspectos operacionais observo que a Cemar tem obtido melhorias na qualidade dos serviços, com redução na quantidade de apagões e melhor atendimento ao cliente, obtendo uma melhor avaliação da população, mesmo com a tarifa de energia mais cara do país. É grande também o investimento no Programa Luz Para Todos, acabou de assinar a 5a tranche com a Eletrobrás, que demandará recursos a fundo perdido de mais de 300 milhões. Esse aumento da base de clientes na área rural, apesar de usar recursos a fundo perdido, é uma faca de dois gumes, pois o mercado rural é pouco rentável e impacta a tarifa, aumentando o preço de energia, pois a empresa precisará de mais recursos para manter esses milhares de km de linha rurais. Como a Aneel tem pressionado a Epresa de Referencia, corre-se o risco desses custos não serem integralmente reconhecidos na proxima revisão tarifária.
Trocando em miudos eu te digo que a EQTL é um ativo mais arriscado que outros do setor elétrico, não que seja um ativo ruim, pelo contrário. Temos empresas mais previsíveis, como COCE, GETI, ENBR, CEPE, ELPL, TRPL, EKTR, para ficar dentre as que mais me agradam. Algumas podem até estar na mira para aquisições, mas na minha visão estão baratas, vide EV/Ebtida de COCE e ELPL, por exemplo.

25655 - MuadibGV - 17/Jan/2010 17:25
Pelo que vi (e poderá ser confirmado por outros mais entendidos) esse crédito poderá ser utilizado no prazo de 2 anos para bens adquiridos a partir de 2004. No caso específico da CEMAR, a empresa possui um benefício fiscal (que termina em 2013) que lhe permite depreciar seus investimentos no prazo de um ano. Por causa disso tb pode utilizar todo o crédito de PIS/COFINS no próprio ano.
Como a CEMAR tem investimentos em proporção à sua receita bruta muito maiores que a COELCE também paga menos PIS/COFINS proporcionalmente, explicando pelo menos parte do ganho.
Das ITR e releases vejo que a COELCE investiu em 2009 172 milhões. Supondo que todo esse investimento gera crédito de PIS / COFINS e considerando que toda a depreciação seria no próprio ano (o que não é verdade no caso da empresa, mas seria uma conta aproximada em caso de investimentos anuais mais ou menos constantes) a empresa abateria 15,9 mi do PIS e COFINS a pagar.
Já a CEMAR investiu 200 milhões , o que lhe daria um crédito de 18,5 mi nos nove primeiros meses do ano.
Resta ver o quanto isso explicaria no ganho de margem líquida da empresa frente às demais.

25630 - tota57 - 17/Jan/2010 11:05
Bem observado, confesso que não tomei o cuidado de conferir como as duas empresas tinham lançado a depreciação e amortização.
Tinha um erro meu no Mercado, usei o projetado para 2009, ao invés do realizado em 9 meses. Outra conta interessante é comparar com o Mercado Requerido, que nada mais é que o total de energia injetada na distribuidora, considerando a energia faturada e as perdas. Retirei a depreciação e amortização da Coelce e recalculei com o mercado realizado nos 9 meses. Inclui tambem o numero de consumidores. No final a Coelce é quem tem menores Custos Gerenciáveis, que é o que interessa, pois os Custos Não Gerenciáveis são totalmente repassados para a tarifa.
Agora sim ficou mais lógico. Como disse anteriormente o mercado menos denso da Cemar tem que apresentar custos maiores por MWH e/ou Clientes, o que demonstra que a metodologia de Empresa de Referencia da Aneel reflete as características dos estados.
É na Parcela B que as empresas tem que buscar a eficiência, pois a Parcela A tende a ser neutra, com bolhas positivas, ou negativas, sendo repassadas para a tarifa. Na Parcela A tem aquela discussão que virou CPI, pois as empresas estão capturando o crescimento do mercado sobre os custos dos encargos setoriais. Também na Parcela A a empresa pode capturar ganhos se reduzir Perdas além das metas da Aneel, mas isso só ocorrerá durante o ciclo tarifário, depois a eficiencia é repassada para a tarifa. A tendencia é que haja neutralidade na Parcela A, restando oportunidade de ganhos apenas na Parcela B.

25617 - paulo_prof - 16/Jan/2010 23:06
Eu peguei os dados dos Relatórios 3T09 da Cemar e da Coelce:
CEMAR: Receita Líquida: R$ 826,7 milhões; Despesas Não Gerenciáveis: R$ 338,4 milhões; Percentual: 40,9%
COELCE: Receita Líquida: R$ 1.551,4 milhões; Despesas Não Gerenciáveis: R$ 854,2 milhões; Percentual: 55,1%


O que acontece se a receita líquida de fato obtida for muito diferente da requerida?

25616 - MuadibGV - 16/Jan/2010 23:16
A disparidade no EBITDA/MWh da Cemar em relação às demais diminui bastante (apesar de ainda continuar significativa) se você usar a energia requerida ao invés da energia vendida, já que a Cemar tem perdas bem maiores que as demais. Pelos meus cálculos o EBITDA/MWh da Cemar seria 46% maior que o da Coelce nesse critério.
Talvez a Cemar seja mais eficiente que as demais em relação às perdas que foram admitidas como custos não-gerenciáveis em sua revisão, apesar das suas perdas como percentual da energia vendida serem bem maiores que a média.
Em sua penúltima tabela você pegou o valor da Cemar pela cotação da ENMA. Mas comprando a Cemar via da Equatorial pelas cotações de sexta-feira (ontem) você obtém um desconto de 20%, aproximadamente.
Você poderia citar a trajetória de perdas de energia admitidas como custo não gerenciável para a Cemar e Coelce nos próximos anos, ou colocar um link?

24844  tota57 - 09/Jan/2010 13:46
Findo o recesso retorno ao dia a dia para encarar o novo ano, que certamente será muito diferente para mim. Vou ter menos tempo para o mercado e vou reduzir a freqüência nos fóruns. Sempre que possível passarei para dar uma espiada e uns pitacos, preferencialmente nos finais de semana.

A grande novidade da virada é o desinvestimento do PCP, controlador da badalada EQTL3, que tem muitos investidores nesse tópico. Faço abaixo uma retrospectiva da empresa e alguns comentários.

A Cemar foi privatizada em junho de 2000, controlada na época pela norte-americana Pennsylvania Power & Light (PPL), que investiu de US$ 289 milhões para adquirir a concessão.

Em 2002 a empresa já passava por dificuldades financeiras e tentou resolvê-los por meio de um pedido de reajuste tarifário extraordinário, negado pela Aneel. Aquela época foi dura para muitas empresas, que foram fortemente impactadas pelos custos do racionamento de energia, ocorrido em 2001. Endividada e amargando prejuízos a PPL, de forma inédita no setor elétrico, pediu concordata.

Veio a intervenção federal da Aneel e a venda simbólica da empresa para o GP, que num segundo momento associou-se ao Pactual. Vejam abaixo, na matéria da Folha de SP, publicada em 06/04/2006, a engenharia financeira armada pelo GP e Pactual por ocasião do IPO da Equatorial.

http://arquivoetc.blogspot.com/2006/04/lus-nassif-o-quebra-cabea-da-cemar.html

Arrumar a Cemar demandou muito trabalho e o famoso estilo GP de “higienização” de empresas, como resume bem a matéria publicada na revista exame, em julho/2006.

http://portalexame.abril.com.br/revista/exame/edicoes/0872/negocios/m0083140.ht ml

Pouco tempo depois, no final de 2007, o GP arruma as malas e cai fora, transferindo o controle total para o Fundo do Pactual. Nada mal para quem investiu R$ 30 milhões na empresa e embolsou R$ 493 milhões. O PCP se livrou das amarras do GP e livre para alçar novos vôos no setor elétrico.

http://www.globalresearch.com.br/novo/conteudo.asp?conteudo=11771

No segundo semestre de 2009 o PCP dá pinta de que também estava desistindo do setor elétrico.

http://clippingmp.planejamento.gov.br/cadastros/noticias/2009/11/18/fundo-pactu al-desiste-do-setor-eletrico

Ano novo e os 69 sócios do PCP confirmam a decisão de desinvestir. O fundo rachou e cada parte do grupo vai seguir seu caminho. Essa decisão ratifica as especulações, do ano passado, de que o PCP estava limpando as gavetas para sair da Cemar.

http://www.fazenda.gov.br/resenhaeletronica/MostraMateria.asp?page=&cod=608 262

Simples assim. Fundos de Private Equity compram empresas, reorganizam, enxugam, apresentam resultados, valorizam o ativo e vendem no topo.
Vocês devem estar perguntando: Qual será o futuro da Cemar? Os prováveis novos controladores encontrarão uma empresa infinitamente mais organizada do que aquela herdada dos americanos do PPL.

Se formos seguir a lógica de sinergia e ganhos de escala o ativo pode ser bem interessante para o Neonergia, que controla a distribuição de energia nos estados do Rio Grande do Norte, Pernambuco e Bahia, todas no Nordeste. O problema é que a Previ, maior acionista do Neonergia, precisa resolver se finca o pé na CPFL ou opta pelo Neoenergia, pois do jeito que esta há muito conflito de interesses, caso a estratégia seja de consolidação no setor. Sob essa mesma lógica a Coelce também se encaixaria bem no Neoenergia.

Independente de quem será o futuro controlador, o Maranhão continua sendo o mesmo estado que os americanos encontraram, ou seja, um estado com sérios problemas socioeconômicos e um mercado de energia pequeno. A Cemar melhorou muito mais ainda demandará muito investimento para melhorar a qualidade dos serviços, pois apresenta indicadores de desempenho do fornecimento de energia muito pior que o verificado em outros estados, estou me referindo aos indicadores de DEC e FEC, que medem as interrupções de fornecimento de energia para a população. Outro indicador que preocupa é o de Perdas de Energia. A empresa anunciou uma redução de 1,7% nas perdas anualizadas ao final do 3º trim 2009, em relação ao 2º trim 2009. Se a comparação for feita com o final de 2008 a redução chegou a 2,5%. Os números estão aí e quem sou eu para questionar, tiro o chapéu para a empresa pois esse desempenho é fantástico, principalmente se observarmos que não houve investimento em novas tecnologias de medição eletrônica centralizada, como esta ocorrendo na Ampla e Light. Como a Cemar perde 26,4% da energia que compra é natural que tenha uma grande oportunidade de reduzir o índice, até mesmo porque tem metas regressivas estabelecidas pela Aneel no processo de revisão tarifária. Se não o fizer vai ter que pagar a conta com o dinheiro dos acionistas. Por falar em tarifas a empresa tem a mais cara do país, apesar de ser um dos estados mais carentes da União. Esse preço tende a provocar uma pressão da sociedade e do órgão regulador, mas reflete a realidade do crescimento dos custos operacionais, inclusive os de operação e manutenção das linhas rurais do Programa Luz Para Todos, bem como a remuneração do ativo imobilizado da empresa.

Feitas todas essas considerações eu continuo vislumbrando, como investimento, oportunidades mais seguras em outros ativos do setor. Na distribuição a Coelce continua sendo minha empresa favorita. Perdas na casa de 11%, indicadores de DEC e FEC compatíveis com os verificados no Sudeste, empresa mais bem avaliada pelos clientes do Brasil e resultados econômico-financeiros consistentes, além dos múltiplos fundamentalistas, justificam minha preferência. Em segundo lugar, na minha preferência, a ELPL. Na área de geração desnecessário dizer que sou fã da GETI. Elas também tem seus riscos. A COCE o risco de troca de controle, bem evidente. A ELPL tem a dívida com Eletrobrás, mal resolvida. Já a GETI o risco e oportunidade de ter que aumentar em 15% a capacidade de geração.

Fico por aqui e desejo, tardiamente, que os colegas tenham um ano recheado de sucesso nos investimentos e na vida pessoal.

Nenhum comentário: