Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Tupy (TUPY)



Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: rafnob (jul/18)
Venda: herdsman (out/16)

Carteiras
BAC 1000 (jul/16, ago/16) - Barrueco (fev/18) - cesar muzel (fev/20) - disc126 (fev/19) - eduardojose (fev/20) - FRBRAVIM (set/17) - fridão (fev/18) - Gersonlp (out/18) - harleyhr (jan/20) - herdsman (mai/17fev/18) - jonathanmelo (set/16) - ikkii (jun/19) - Lucro Liquido (mai/18jun/18) - mostarda2 (fev/19) - paulo_prof (mai/19jun/19jul/19nov/19dez/19mar/20abr/20) - ulyssys (jun/18) - willamsilva (abr/17)

Códigos de Negociação
Tipo
TUPY3
 Novo Mercado 

Balanços
A2019/4T2019 - DFP  31/12/2019 ➤ Apresentações ao mercado  ➤Press-release
paulo_prof  -
No exercício de 2019, a Tupy teve uma série de não recorrentes. No que concerne o Resultado Financeiro, em 2019 teve uma Receita relativa a créditos da Eletrobrás, de R$ 53,6 milhões. Esta Receita foi contabilizada de forma distribuida principalmente nos 3 primeiros triemestres do ano. Em 2018, esta Receita somou aprox. R$ 45 milhões e foi contabilizada no 4T18. Pelo lado das despesas não recorrentes, em 2019 totalizaram R$ 81,2 milhões e em 2018, R$ 77,6 milhões. Muitas vezes, as não recorrências não são contabilizadas ao longo do exercício. Em consequência, o impacto será sentido no 4o. trimestre. No caso presente, como não houve uma uniformidade na contabilização das não recorrências, a comparação do 4T19 com o 4T18 não faz sentido.
Somando a receita financeira não reecorrente com a despesa operacional não recorrente líquida obtém-se: em 2019, uma despesa de aprox. R$ 27,5 milhões e em 2018, uma despesa de aprox. R$ 32,7 milhões, uma diferença de um pouco mais de R$ 5 milhões nas despesas líquidas não recorrentes em 2018.
No que segue, as não recorrências não foram expurgadas. O Resultado Antes dos Impostos e Lucro Líquido recorrentes, portanto, são algo maiores.
Achei os números de 2019, no que concerne o Resultado Antes dos Impostos, Lucro Líquido e Ebitda, bastante medíocres. Na prática, vieram em linha com aqueles de 2018, especialmente se for considerada a maior despesa não recorrente em 2018.
No que concerne a precificação, acho que o ativo não está caro, mas também não está especialmente barato.
Não posso deixar de mencionar um fato que aborrece ... a menos que esteja enganado, a empresa fez crer, em 2019, que os JCPs distribuidos em março seriam relativos ao exercício de 2018. Em consequência, a empresa foi elogiada pelo ótimo payout que estava praticando. Ocorre que na Demonstração de resultados de 2019, estes JCPs foram atribuídos ao exercício de 2019. Baita cara xde pau! A se confirmar o fato, o payout de 2018, que seria de 96,6%, de fato foi de 59,8% e o payout de 2019, se nenhuma distribuição complementar for aprovada, será de 44,8% e o ativo que era forte candidato para figurar em carteiras de dividendos, perde esta função.

3T2019 -

2T2019 -

1T2019 -

A2018/4T2018 -

3T2018

PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO FINANC LIQUIDO = A redução das despesas financeiras decorre principalmente de amortizações líquidas dos últimos doze meses, no montante de R$423,2 milhões, dos quais R$291,1 milhões referem-se a liquidações antecipadas ocorridas no 1T18. A comparação com o mesmo período do ano anterior também foi impactada pela desvalorização do BRL frente ao Dólar (taxa média de câmbio de 3,95 no 3T18 vs. 3,16 no 3T17), com efeito sobre o reconhecimento de juros dos empréstimos em dólar. Queda de 56,7% nas receitas financeiras oriunda, principalmente, da redução de 57% do saldo de caixa, equivalentes e aplicações financeiras no Brasil (média de R$311,3 milhões no 3T18 vs. R$735,7 milhões no 3T17) e da menor remuneração decorrente da queda da taxa de juros no País, sendo que nossas aplicações financeiras foram remuneradas com taxa média equivalente de 6,40% a.a. no 3T18 vs. 9,34% a.a. no 3T17.; EBITDA = A combinação dos fatores supramencionados resultou em EBITDA ajustado de R$196,8 milhões, com margem de 15,0% e crescimento de 20,4% ante o 3T17. Em relação a comparação anual, observa-se que o EBITDA do 3T17 foi positivamente impactado pelo recebimento de receitas não recorrentes no valor de R$11,0 milhões oriunda de serviços prestados no passado. Excluindo este valor, o EBITDA ajustado da Companhia naquele período foi de R$152,4 milhões, correspondendo a 16,0% da receita ajustada de R$951,7 milhões.

A2017/4T2017 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO = O resultado financeiro líquido de 2017 consistiu em despesa de R$56,2 milhões, frente despesa de R$52,3 milhões em 2016. O resultado financeiro líquido foi impactado primordialmente pela queda da receita financeira, decorrente da diminuição do caixa em relação ao ano anterior bem como da redução da taxa de juros que remunera as aplicações em Reais. A redução das despesas financeiras decorre principalmente de amortizações líquidas dos últimos doze meses no montante de R$282,6 milhões e valorização do Real frente ao Dólar, impactando o reconhecimento de juros de empréstimos nesta moeda.; EBITDA AJUSTADO = A combinação dos fatores supramencionados resultou em EBITDA ajustado de R$521,1 milhões em 2017, aumento de 24,6% frente a 2016, e margem de 14,1% sobre as receitas de 2017.


2T2018

1T2018 -

3T2016 -

3T2015 -
Continua surfando no dólar, apesar da redução dos volumes. Com preços mais altos e um ótimo resultado financeiro, todas as margens melhoraram

2T2015 -
Edmundo Ortiz  -
TUPY3 grande resultado, desvalorização cambial trabalhando à favor como esperado.
- 80% da receita em moedas estrangeiras.
Cotação do papel ainda não reflete situação da empresa, 3TR15 câmbio mais desvalorizado empresa imprimindo dinheiro.

paulo_prof  -
Mais uma bombando com o dólar ... apesar da redução em volume, aumento considerável da receita ... deverá postar, no exercício de 2015, o melhor resultado (nominal) de sua história!

1T2015 -
paulo_prof  -
Empresa salva pelo dolar ... que impactou fortemente o resultado financeiro e a Receita Líquida, apesar de um volume de vendas 18% inferior ao do ano passado !!!

3T2014 -
paulo_prof  -
A Dilmite pegou esta, também ... vixe ...

1T2014 -
paulo_prof  -
O preço parece plenamente justificado !!!

A2012/4T2012 -

Características
Produtos fundidos para a industria automobilística / conexões em ferro fundido para aplicações em redes hidráulicas e de gás / granalhas e perfis

Assembleias
AGO - 30/04/2020 10:00

Balanços (Calendário)

Dividend Yield
2020
2019






4,01%





Payout
2020
2019






44,8%








No exercício de 2019, a Tupy teve uma série de não recorrentes. No que concerne o Resultado Financeiro, em 2019 teve uma Receita relativa a créditos da Eletrobrás, de R$ 53,6 milhões. Esta Receita foi contabilizada de forma distribuida principalmente nos 3 primeiros triemestres do ano. Em 2018, esta Receita somou aprox. R$ 45 milhões e foi contabilizada no 4T18. Pelo lado das despesas não recorrentes, em 2019 totalizaram R$ 81,2 milhões e em 2018, R$ 77,6 milhões. Muitas vezes, as não recorrências não são contabilizadas ao longo do exercício. Em consequência, o impacto será sentido no 4o. trimestre. No caso presente, como não houve uma uniformidade na contabilização das não recorrências, a comparação do 4T19 com o 4T18 não faz sentido.

Somando a receita financeira não reecorrente com a despesa operacional não recorrente líquida obtém-se: em 2019, uma despesa de aprox. R$ 27,5 milhões e em 2018, uma despesa de aprox. R$ 32,7 milhões, uma diferença de um pouco mais de R$ 5 milhões nas despesas líquidas não recorrentes em 2018.

No que segue, as não recorrências não foram expurgadas. O Resultado Antes dos Impostos e Lucro Líquido recorrentes, portanto, são algo maiores.

Achei os números de 2019, no que concerne o Resultado Antes dos Impostos, Lucro Líquido e Ebitda, bastante medíocres. Na prática, vieram em linha com aqueles de 2018, especialmente se for considerada a maior despesa não recorrente em 2018.

No que concerne a precificação, acho que o ativo não está caro, mas também não está especialmente barato.

Não posso deixar de mencionar um fato que aborrece ... a menos que esteja enganado, a empresa fez crer, em 2019, que os JCPs distribuidos em março seriam relativos ao exercício de 2018. Em consequência, a empresa foi elogiada pelo ótimo payout que estava praticando. Ocorre que na Demonstração de resultados de 2019, estes JCPs foram atribuídos ao exercício de 2019. Baita cara xde pau! A se confirmar o fato, o payout de 2018, que seria de 96,6%, de fato foi de 59,8% e o payout de 2019, se nenhuma distribuição complementar for aprovada, será de 44,8% e o ativo que era forte candidato para figurar em carteiras de dividendos, perde esta função.
p.php?pid=chartscreenshot&u=jESMUgVepGhC



TUPY3

PREÇO: R$ 21,60

PAYOUT (2018) 44,8%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,16

P/VPA 1,30

PSR 0,60

DY 4,01%

EV/EBITDA 5,50

MARGEM BRUTA 16,2%

MARGEM OPERACIONAL 6,6%

MARGEM LÍQUIDA 5,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,935

MARGEM EBITDA 13,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 62,2%

ROE 11,68%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,31



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,95%

RESULTADO BRUTO +4,90%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +42,85%

RESULTADO OPERACIONAL -5,23%

RESULTADO LÍQUIDO +2,65%

EBITDA +5,14%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,83%

RESULTADO BRUTO -6,40%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -39,41%

RESULTADO LÍQUIDO -6,87%

EBITDA +27,38%



c) lucro líquido, nominal

UA 2,65%

U2A 34,85%

U2A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 5,39%

U2A 6,06%

U3A % 0,82%



e) ebitda, nominal

UA 5,14%

U2A 24,68%

U3A 26,26%

U4A 3,36%

U5A 6,30%

U6A 6,65%

U7A 10,60%

U8A 9,20%

U9A 10,77%

U10A 10,24%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,19

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -2,5% !!!!

Boa noite. A inexorável tendência à eletrificação da frota de automóveis, em um prazo de não muito longo (talvez menos de uma década), não constituiria um cenário de considerável risco para a TUPY e para a toda cadeia de produtores de autopeças ligadas aos motores a combustão (FRAS, LEVE, etc)? Muito mais do que uma potencial crise mundial, a eletrificação da frota de veículos não seria o cisne negro para esses segmentos de ativos?
365666  - Santos8  -  04 Dez 2019, 14:04
Na minha opinião essa é mais uma daquelas ameaças que o mercado desconta muito mais do que deveria. Como alguém já bem colocou aqui, não se trata do mesmo processo que ocorreu na substituição do analógico/manual pelo digital (bom exemplo da Kodak). Em motores é muito diferente. Ainda não consigo imaginar o Brasil inteiro (ou mesmo os Estados Unidos) povoados por carregadores de bateria espalhados por todas as pequenas cidades, além do que o carro elétrico ainda é muito mais caro do que o carro a gasolina. A indústria do petróleo ainda vai liderar por muitos anos em minha opinião, talvez apenas com exceções pontuais em pequenos países europeus onde grande parte da população aceita pagar mais por uma visão supostamente ecológica e são países cuja pequena extensão territorial permitiriam o suprimento pelos pontos de recarga instalados. E tem mais: no caso da Tupy, a participação de blocos de motores destinados ao mercado de veículos de carga (e não a automóveis de uso particular) é muito mais relevante do que em outras indústrias de autopeças, sendo que a eletrificação de veículos de carga é algo muito mais distante ainda. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲


Prof Paulo,ispholambra e outros que puderem comentar com relação à tupy,
Como o Sr vê essas quedas , provavelmente relacionadas à venda de papeis pelo bndes? O sr acha que nos precos atuais vale um aumento posição?ou essas quedas tem outros motivos , e o fundo é bem mais embaixo? O sr tende a aumentar posicao nessas quedas?Muito obrigado
365633  - ispholambra  -  03 Dez 2019, 02:43
TUPY3 e um otimo ativo...tem um DY razoavel (paga mais que a Selic liquida de IR), e uma empresa bastante consolidada, porem esta bem exposta ao mercado externo e como muita gente esta prevendo um cisne negro se aproximando, o ativo tende a oscilar de acordo com o temor em relacao a essa possivel crise vindoura...
Tenho uma pequena posicao nele... PM pouco abaixo da cotacao atual...
De fato enche o saco quando compramos um ativo que julgamos bom e ele da uma caida... mas isso é normal... é renda variável... por isso varia bastante...
Tambem acho que o BNDES ainda nao esta se desfazendo do ativo, veja bem eu nao tenho acompanhado o volume negociado diariamente na B3, mas creio que se o BNDES estivesse vendendo a mercado o volume diario negociado aumentaria bastante pois a posicao do BNDES na empresa e bem relevante...
No momento estou sem caixa pra investir...mas quando o caixa melhorar e se o ativo nao disparar... TUPY3 e candadatissima a receber uma aumento de posicao na carteira...
Mas é isso ai... a arte de investir requer planejamento, calma, persistencia e resiliencia... e nao devemos deixar que oscilacoes de curto prazo interfiram nas nossas decisoes de investimento de longo prazo...visto que quem investe em acoes precisa sempre manter o foco na diversificacao de riscos e no longo prazo...

365640  - Santos8  - 03 Dez 2019, 14:14
Pois assim é o mercado. Precifica um "cisne negro se aproximando" que ninguém sabe se vem, quando vem, e já há anos que apostam que vem, mas nunca veio... Prefiro "apostar" nos benefícios de um real mais desvalorizado sobre uma empresa essencialmente exportadora como a Tupy, que tem crescido receita, está barata em termos de múltiplos e costuma tratar bem o acionista, pagando ótimos dividendos possibilitados pela crescente geração de caixa.
                                                                                           ▲                                                                      ▲
Tupy (TUPY3): O lucro líquido da Tupy caiu 25% no 3T19, na comparação com o mesmo período do ano anterior, a R$ 66,4 milhões, segundo balanço da companhia divulgado nesta segunda.O Ebitda ajustado subiu 5% em relação ao 3T18. A receita da Tupy subiu 1,8% no período em relação ao 3T18 para R$ 1,3 bilhão.

365148  - paulo_prof  -  11 Nov 2019, 22:55
Achei os resultados do 3T19 regulares. A Receita Líquida veio em linha com aquela de há um ano, em termos nominais. Uma maior margem bruta produziu um Resultado Bruto marginalmente maior do que aquele de há um ano, em termos reais. O Resultado Financeiro foi favoravelmente impactado pela Receita de Variação Cambial positiva (+R$ 16,8 milhões) e por Créditos Não Recorrentes recebidos da Eletrobrás (+29,7 milhões). No 3T18, a Receita de Variação cambial havia sido negativa (-R$ 2,8 milhões). Como consequência, o Resultado Antes dos Impostos foi 25,7% maior no 3T19. Não tivesse havido o Crédito Eletrobrás não recorrente, o Resultado Antes dos Impostos teria sido aprox. 7% menor do que aquele do 3T18.

O Lucro Líquido Ajustado (com o expurgo dos R$ 29,7 x 0,66 milhões do crédito eletrobrás) foi fortemente impactado por uma allíquota efetiva de IR/CS sensivelmente maior do que a usual (+45%). A ocorrência provavelmente se deve ao fato da alíquota efetiva de IR/CS praticada no 1o. semestre ter sido sensivelmente menor do que a usual (aprox. 6,5% apenas). Ao que tudo indica, no 4T19 a facada do IR/CS tamb[em dever[a ser maior do que a usual.

O fato não preocupa porque, na minha opinião, o ativo carrega uma "gordura", ou seja, ao final do exercício o lucro líquido recorrente deverá situar-se acima daquele do ano passado.
p.php?pid=chartscreenshot&u=X7t3P5mVegni


No que segue, foram expurgados do Resultado Financeiro e Resultado Antes dos Impostos (Operacional) os R$ 29,7 milhões relativos ao crédito Eletrobrás, bvem como o seu impacto no lucro líquido (calculado na base de 66%).



TUPY3

PREÇO: R$ 20,18

PAYOUT (2018) 96,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,99

P/VPA 1,24

PSR 0,55

DY 8,79%

EV/EBITDA 6,26

MARGEM BRUTA 16,1%

MARGEM OPERACIONAL 6,8%

MARGEM LÍQUIDA 5,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,836

MARGEM EBITDA 11,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 64,6%

ROE 11,32%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,15



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,34%

RESULTADO BRUTO +10,81%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +35,18%

RESULTADO LÍQUIDO +27,41%

EBITDA +1,31%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,77%

RESULTADO BRUTO +5,96%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +12,67%

RESULTADO OPERACIONAL -6,96%

RESULTADO LÍQUIDO -47,11%

EBITDA +3,13%



c) lucro líquido, nominal

UA 36,85%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 100,47%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 5,87%

U2A 4,81%

U3A -1,34%



e) ebitda, nominal

UA 1,31%

U2A 27,67%

U3A 10,73%

U4A -0,28%

U5A 6,58%

U6A 5,85%

U7A 7,74%

U8A 9,36%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 22,95

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -2,5% !!!!

363736  - paulo_prof  - 26 Ago 2019, 04:04
Os resultados foram bastante bons, embora a empresa tenha contabilizado uma despesa importante (R$ 24,5 milhões) em provisões. Considerando o payout que vem praticando, tudo indica que o DY relativo ao exercício de 2019 será muito bom. Considerando a desvalorização recente do real, o risco do resultado do 3T19 vir ruim é pequeno. Acho que o ativo está barato prá caramba.
QMnx4Q2M=


TUPY3

PREÇO: R$ 16,75

PAYOUT (2018) 96,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,88

P/VPA 1,10

PSR 0,46

DY 12,26%

EV/EBITDA 5,54

MARGEM BRUTA 15,9%

MARGEM OPERACIONAL 7,0%

MARGEM LÍQUIDA 5,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,125

MARGEM EBITDA 11,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 64,2%

ROE 13,90%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,03



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,47%

RESULTADO BRUTO +15,87%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +41,38%

RESULTADO LÍQUIDO +56,78%

EBITDA +4,41%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,30%

RESULTADO BRUTO +18,13%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -48,36%

RESULTADO OPERACIONAL +1,91%

RESULTADO LÍQUIDO +23,14%

EBITDA +3,88%



c) lucro líquido, nominal

UA 56,78%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 52,35%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 7,23%

U2A 2,95%

U3A -2,22%



e) ebitda, nominal

UA 4,41%

U2A 40,06%

U3A 7,43%

U4A 0,15%

U5A 4,54%

U6A 8,26%

U7A 7,81%

U8A 9,78%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 26,56

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -10,0% !!!!

361316  - Miguelito2  -  17 Mai 2019, 12:53
Tupy vê faturamento avançar 21% no primeiro trimestre
Companhia catarinense lucrou R$ 80,4 milhões no período

Tupy vê faturamento avançar 21% no primeiro trimestre de 2019

A Tupy, de Joinville (SC), começou 2019 com bom desempenho. A receita do primeiro trimestre foi de R$ 1,2 bilhão – avanço de 21% em relação ao primeiro trimestre de 2018. A última linha do balanço também apresentou números positivos: o lucro foi de R$ 80,4 milhões e representou um crescimento de 41,4% na comparação com janeiro e março do ano passado. Os resultados refletem crescimento expressivo das vendas de produtos com alto valor agregado (usinados e CGI).


O aumento da receita se deu tanto no mercado interno quanto no externo. No Brasil, houve aumento de 28,2%, decorrente do crescimento da receita nas aplicações para veículos comerciais, off-road e no segmento de hidráulica. No exterior, a receita líquida apresentou alta de 19,5%, proveniente do crescimento em todos os segmentos de Transporte, Infraestrutura & Agricultura. Em relação à distribuição da geração de receita pelo mundo, a América do Norte representou mais da metade (63%) do faturamento da companhia no primeiro trimestre do ano.

361309  - paulo_prof  -  16 Mai 2019, 22:49
A empresa teve problemas operacionais que impactaram, principalmente, custos: atraso de novos programas de CGI e usinagem no México acarretando menor produtividade, e o prolongamento da manutenção um dos fornos no Brasil, acarretando paradas na produção e necessidade de alterar o processo de produção para atender a forte demanda dos clientes. Os problemas foram todos resolvidos e em março as margens á estavam em linha com a expectativa da companhia.

Os custos e despesas operacionais também foram impactados pela desvalorização do real, reajuste salarial, uso de metais mais nobres no mix de produtos vendidos e aumento do custo do frete devido a greve dos caminhoneiros. Houve, também, um aumento dna rubrica "outras despesas" que, em princípio, seria não recorrente.

Em parte, o aumento de custos e despesas operacionais foi compensado pelo forte aumento de receita.

O operacional relativamente fraco foi parcialmente compensado pelo ótimo Resultado Financeiro, impactado positivamente pelos instrumentos financeiros derivativos (ajuste a valor presente dos créditos a receber da Eletrobrás e hedge cambial).

Finalmente, no 1T19 os efeitos fiscais foram positivos (ou seja, a empresa contabilizou receita de IR/CS).

Considerando a perspectiva de DY, acho que o ativo é de baixo risco, devendo ser considerado para figurar em carteiras que visam proteção cambial.

TUPY3

PREÇO: R$ 17,00

PAYOUT (2018) 96,6%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 12,69
P/VPA 1,12
PSR 0,49
DY 7,61%
EV/EBITDA 5,61
MARGEM BRUTA 12,4%
MARGEM OPERACIONAL 7,2%
MARGEM LÍQUIDA 3,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,339
MARGEM EBITDA 11,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 65,2%
ROE 8,85%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,00


Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +29,16%

RESULTADO BRUTO -2,99%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +118,84%

RESULTADO LÍQUIDO +18,39%

EBITDA +26,29%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +20,99%

RESULTADO BRUTO -0,0%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +9,26%

RESULTADO LÍQUIDO +41,39%

EBITDA -13,56%



c) lucro líquido, nominal

UA 18,39%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 2,98%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 8,31%

U2A 1,26%

U3A -2,28%



e) ebitda, nominal

UA 26,29%
U2A 35,62%
U3A 0,33%
U4A 3,64%
U5A 3,86%
U6A 9,43%
U7A 8,01%
U8A 9,96%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,74

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +0,5% !!!!

359552  -  20 Mar 2019 - paulo_prof 
Ótimo resultado, turbinado pelo resultado financeiro positivo, impactado pela valorização do real. Com a valorização do real a empresa perde receita de exportação, mas ganha no endividamento denominado em dólar, com o efeito deste maior do que aquele.

Mesmo sem considerar o ganho no Resultado Financeiro, os resultados de 2018 foram substancialmente melhores do que aqueles do ano passado, vide o crescimento do ebitda (40,20%).

O ativo parece muito barato, especialmente se a empresa continuar a praticar a política de payout corrente.

356966  - marcosvinicius2  -  19 Dez 2018, 01:16
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO FINANC LIQUIDO = A redução das despesas financeiras decorre principalmente de amortizações líquidas dos últimos doze meses, no montante de R$423,2 milhões, dos quais R$291,1 milhões referem-se a liquidações antecipadas ocorridas no 1T18. A comparação com o mesmo período do ano anterior também foi impactada pela desvalorização do BRL frente ao Dólar (taxa média de câmbio de 3,95 no 3T18 vs. 3,16 no 3T17), com efeito sobre o reconhecimento de juros dos empréstimos em dólar. Queda de 56,7% nas receitas financeiras oriunda, principalmente, da redução de 57% do saldo de caixa, equivalentes e aplicações financeiras no Brasil (média de R$311,3 milhões no 3T18 vs. R$735,7 milhões no 3T17) e da menor remuneração decorrente da queda da taxa de juros no País, sendo que nossas aplicações financeiras foram remuneradas com taxa média equivalente de 6,40% a.a. no 3T18 vs. 9,34% a.a. no 3T17.; EBITDA = A combinação dos fatores supramencionados resultou em EBITDA ajustado de R$196,8 milhões, com margem de 15,0% e crescimento de 20,4% ante o 3T17. Em relação a comparação anual, observa-se que o EBITDA do 3T17 foi positivamente impactado pelo recebimento de receitas não recorrentes no valor de R$11,0 milhões oriunda de serviços prestados no passado. Excluindo este valor, o EBITDA ajustado da Companhia naquele período foi de R$152,4 milhões, correspondendo a 16,0% da receita ajustada de R$951,7 milhões.:

TUPY3
PREÇO: R$ 18,94
PAYOUT (2017): 108,21%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,14
P/VPA 1,22
PSR 0,60
DY 8,23%
EV/EBITDA 6,18
MARGEM BRUTA 16,76%
MARGEM OPERACIONAL 5,80%
MARGEM LÍQUIDA 4,56%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,441
MARGEM EBITDA 13,35%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 79,10%
ROE 9,27%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,03

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 29,54%
RESULTADO BRUTO 38,52%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 58,40%
RESULTADO OPERACIONAL -256,62%
RESULTADO LÍQUIDO -625,70%
EBITDA 320,75%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 36,69%
RESULTADO BRUTO 24,48%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 43,41%
RESULTADO OPERACIONAL 8,50%
RESULTADO LÍQUIDO 16,08%
EBITDA 14,60%

c) lucro (taxa média anual)
UA -625,70%
U2A 142,63%
U3A 2,67%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,76%
U2A -4,76%
U3A -1,69%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,01
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +1,2% !!!!
[...]

355842 - paulo_prof -  13 Nov 2018, 12:46
Ótimos resultados, bem acima da média postada no 1S18.

Embora, devido à valorização do real, os resultados do 4T18 poderão vir abaixo, continuo com a opinião de que o ativo não está caro e se a empresa resolver manter a política de payout praticada no exercício passado, o DY ao preço atual é bastante apetitoso.


TUPY3

PREÇO: R$ 20,89

PAYOUT (2017) 130,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,32

P/VPA 1,23

PSR 0,61

DY 9,79%

EV/EBITDA 5,92

MARGEM BRUTA 16,8%

MARGEM OPERACIONAL 5,0%

MARGEM LÍQUIDA 4,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,441

MARGEM EBITDA 13,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 68,2%

ROE 9,27%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,03



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +29,54%

RESULTADO BRUTO +38,52%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +58,40%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +607.90%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +36,69%

RESULTADO BRUTO +24,48%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +43,41%

RESULTADO OPERACIONAL +8,50%

RESULTADO LÍQUIDO +16,08%

EBITDA +14,60%



c) lucro líquido, nominal

UA passou de negativo para positivo

U2A 54,83%

U3A 2,67%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 3,76%

U2A -4,76%

U3A -1,69%



e) ebitda, nominal

UA 60,90%

U2A 11,16%

U3A -0,80%

U4A 7,94%

U5A 6,78%

U6A 8,85%

U7A 10,56%

U8A 6,31%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,01

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,5% !!!!

355249  - herdsman -  30 Out 2018, 20:56
Citação: andwilson - Post #355243 - 30/Out/2018 19:58
Alguem acompanhando TUPY3 ?
Acompanho sim. Acredito que com a quase 'monopólio' conseguirá manter suas margens.

Claro com dólar a 4 é mais fácil, mas não vejo muitos nuvens pretas.

352618  - paulo_prof  -  08 Ago 2018, 03:21
Muito bons resultados, um pouco abaixo daqueles do 1T18. Fiquei impressionado com a ótima gestão financeira. Muitas empresas por aí deveriam fazer um estágio na Tupy, para aprender. A parcela em moeda estrangeira do endividamento bruto da empresa soma quase R$ 1,4 bilhões. Com um passivo deste tamanho o resultado da variação cambial incluindo o hedge foi positivo ... Sou da opinião de que o ativo não está caro e se a empresa resolver manter a política de payout praticada no exercício passado, o DY é apetitoso.


TUPY3

PREÇO: R$ 20,89

PAYOUT (2017) 130,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,41

P/VPA 1,39

PSR 0,72

DY 8,46%

EV/EBITDA 6,76

MARGEM BRUTA 17,1%

MARGEM OPERACIONAL 5,2%

MARGEM LÍQUIDA 4,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,356

MARGEM EBITDA 13,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 69,5%

ROE 9,05%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,97



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +26,69%

RESULTADO BRUTO +51,58%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +53,98%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +87.90%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +32,26%

RESULTADO BRUTO +56,84%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +202,57%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negatgivo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO +203,16%

EBITDA +164,70%



c) lucro líquido, nominal

UA passou de negativo para positivo

U2A 19,00%

U3A 7,40%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA -1,16%

U2A -6,63%

U3A -0,96%



e) ebitda, nominal

UA 87,90%

U2A 4,96%

U3A -1,23%

U4A 4,57%

U5A 9,05%

U6A 8,39%

U7A 10,57%

U8A 7,86%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,95

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +5,0% !!!!

349766  - paulo_prof   -  09 Mai 2018, 03:50
Muito bom os resultados da Tupy. Continuo achando que o ativo tem um DY interessante e não está caro.

TUPY3

PREÇO: R$ 19,55

PAYOUT (2017) 130,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 17,28

P/VPA 1,38

PSR 0,72

DY 7,54%

EV/EBITDA 7,68

MARGEM BRUTA 16,5%

MARGEM OPERACIONAL 4,2%

MARGEM LÍQUIDA 4,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,131

MARGEM EBITDA 12,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 63,5%

ROE 7,97%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,97



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +20,29%

RESULTADO BRUTO +41,94%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +5,90%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +45,65%



b) 1T18 sobre 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,86%

RESULTADO BRUTO +27,84%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +13,47%

RESULTADO OPERACIONAL +133,66%

RESULTADO LÍQUIDO +20,58%

EBITDA +29,21%



c) lucro líquido, nominal

UA passou de negativo para positivo

U2A -15,46%

U3A 10,87%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA -5,32%

U2A -7,17%

U3A -0,19%



e) ebitda, nominal

UA 45,65%

U2A -13,32%

U3A -2,97%

U4A -1,09%

U5A 6,34%

U6A 5,23%

U7A 7,80%

U8A 7,77%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,14

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +8,0% !!!!

349757  - Rocha Preta inc -  08 Mai 2018, 22:38
TUPY3
Destaques do 1T18
? Receita líquida superior a R$1,0 bilhão: Melhor da história da Companhia
? Forte crescimento do EBITDA a despeito da inflação de materiais
? Volume físico: 150,8 mil toneladas, aumento de 11,6% em relação ao realizado no 1T17, oriundo do crescimento da atividade econômica no Brasil e no mundo.
? Receitas: R$1.059,2 milhões, crescimento de 23,9% em relação ao 1T17, decorrente do aumento de volume, repasse de custos, melhoria do mix de produtos e depreciação cambial.
? EBITDA ajustado: R$148,3 milhões, crescimento de 23,9% na comparação com o mesmo período do ano anterior e equivalente a 14,0% das receitas do 1T18. Iniciativas de controle de custos, em conjunto com alocação de capital mais eficiente contribuíram com o resultado a despeito do grande aumento do custo da matéria-prima no trimestre.
? Lucro líquido: R$56,9 milhões no 1T18, aumento de 20,6% ante o 1T17 e representando 5,4% da receita líquida do período.
? Investimentos: R$29,7 milhões, montante correspondente a 2,8% da receita líquida do período.

349359 - marcosvinicius2 -  27 Abr 2018, 11:42
EXATAMENTE por isso que eu deixei o seguinte DISCLAIMER ao final da respectiva análise:

( ** ) É IMPORTANTE SALIENTAR QUE A PRECIFICAÇÃO INDICADA ACIMA FOI BASEADA NUMA QUANTIDADE LIMITADA DE INDICADORES, NESTE CASO TRATA-SE APENAS DE UMA OPINIÃO PESSOAL, PORTANTO LONGE DE SER CONSIDERADA VERDADE ABSOLUTA, PARA QUALQUER TOMADA DE DECISÃO SERÁ NECESSÁRIO O INVESTIDOR ANALISAR OUTRAS PREMISSAS (QUALIDADE DA ADMINISTRAÇÃO, NÍVEL DA CONCORRÊNCIA, NOVAS TECNOLOGIAS, FATORES POLÍTICOS, MACROECONÔMICOS, CAPACIDADE DE INOVAÇÃO E ETC ), POIS NINGUEM DESTE FÓRUM SE RESPONSABILIZARÁ PELAS PERDAS DE TERCEIROS;

Estou percebendo que será necessário colocar os respectivos DISCLAIMERS ao final de cada análise que eu publicar neste fórum, inclusive com FONTE GRANDE, para que não continue gerando quaisquer duvidas.

349332  - Lucro Liquido - 26 Abr 2018, 18:16
Complicada essa comparação somente olhando múltiplos e indicadores, acho que seria importante entender essa diferença na precificação.

SHULTZ como a maioria das empresas nacionais tem sofrido nos últimos anos, mas a maior parte da receita é no mercado interno, ao contrário da TUPY que é uma exportadora. Em 2017 a SHULTZ inaugurou uma fábrica na china, e em 2017 + 70% da receita era do mercado interno, já a TUPY está no México desde 2012 sendo o mercado da América do Norte + 60% da receita.

Não consegui encontrar qual a % da receita da SHULTZ vem da unidade e compressores e da Automotiva, mas acredito que os compressores sejam bem mais relevantes para a Cia, já TUPY é focada no setor automotivo.

Acho que SHULTZ seria uma aposta na recuperação, e TUPY é pagadora de dividendos e com presença mundial mais diversificada, por esse motivo menos arriscada.

349329  - marcosvinicius2 -  26 Abr 2018, 16:03
COMPARAÇÃO ENTRE EMPRESAS DE SETORES DIFERENTES (TUPY3 X SHUL4):

TUPY3
PREÇO: 19,14
PAYOUT (2017): 108,21%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 17,99
P/VPA 1,39
PSR 0,74
DY 6,02%
EV/EBITDA 8,35
MARGEM BRUTA 16,36%
MARGEM OPERACIONAL 3,61%
MARGEM LÍQUIDA 4,14%
LUCRO POR AÇÃO 1,064
MARGEM EBITDA 12,07%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 92,96%
ROE 7,73%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,65

O P/VPA da TUPY3 corrente é 1,39. O seu (P/L)U3M = 49,51 (anualizando o lucro do último trimestre) e o seu (P/L)U6M = 15,28 (anualizando o lucro do último semestre). Até mesmo o (P/L)U12M = 17,99 é bastante "RAZOAVEL". Note que o lucro vem mantendo-se INSTÁVEL, trimestre a trimestre. O seu (ROE)U3M = 2,81%, (ROE)U6M = 9,11%, ou (ROE)U12M = 7,73% ESTÁ EM LINHA com o setor.

SHUL4
PREÇO: 7,87
PAYOUT (2017): 19,07%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,78
P/VPA 1,03
PSR 0,58
DY 1,95%
EV/EBITDA 5,91
MARGEM BRUTA 23,42%
MARGEM OPERACIONAL 8,03%
MARGEM LÍQUIDA 5,96%
LUCRO POR AÇÃO 0,805
MARGEM EBITDA 12,57%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 87,30%
ROE 10,54%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,26

O P/VPA da SHUL4 corrente é 1,03. O seu (P/L)U3M = 5,64 (anualizando o lucro do último trimestre) e o seu (P/L)U6M = 7,40 (anualizando o lucro do último semestre). SOMENTE o (P/L)U12M = 9,78 é considerado "ÓTIMO". Note que o lucro vem mantendo-se ESTÁVEL, trimestre a trimestre (EXCEÇÃO 4T17). O seu (ROE)U3M = 18,27%, (ROE)U6M = 10,54%, ou (ROE)U12M = 15,29% ESTÁ EM LINHA com o setor.


A partir dos indicadores apresentados podemos estabelecer algumas proposições:


i) Considerando o P/L menor da SHUL4 quando comparada a TUPY3, vamos admitir o mesmo P/L, para as duas empresas (P/L SHUL4 = P/L TUPY3). Um lucro líquido anual de R$ 283 milhões produziria um P/L de 19,14 X 144.178/283.101 = 9,74!!! Para a TUPY3 conseguir de forma recorrente um lucro líquido anual de R$ 283 milhões, o lucro operacional teria que ser de R$ 263 milhões. Como a despesa/receita operacional anual é de aprox. R$ 416 milhões (DG&A (U12M) = -416 milhões + Resultado EquivPatr (U12M) = 0 milhões) , o lucro bruto teria que ser de R$ 735 milhões, ou seja, quase R$ 184 milhões por trimestre. Mesmo admitindo uma margem bruta de 19% (DE ACORDO com sua história), a receita líquida teria que ser de R$ 959 milhões por trimestre. Hoje a média trimestral está em R$ 926 milhões, ou seja, praticamente 97% do que é necessário.


ii) Considerando o EV/EBITDA menor da SHUL4 quando comparada a TUPY3, vamos admitir o mesmo EV/EBITDA, para as duas empresas (EV/EBITDA SHUL4 = EV/EBITDA TUPY3). Uma disponibilidade de 1.965 milhões produziria um EV/EBITDA de 19,14 X 144.178 – 121.636 / 447.406 = 5,90!!! Para a TUPY3 conseguir de forma recorrente uma DivLiq de R$ - 121,636 milhões, as disponibilidades teriam que ser de R$ 1.965 milhões, a média mensal (U12M) = 1.000 milhões, ou seja, 50% do que é necessário,


iii) Considerando o PSR menor da SHUL4 quando comparada a TUPY3, vamos admitir o mesmo PSR, para as duas empresas (PSR SHUL4 = PSR TUPY3). Uma receita líquida anual de R$ 4.738 milhões produziria um PSR de 19,14 X 144.178/4.738 = 0,58!!! Para TUPY3 conseguir de forma recorrente uma receita líquida anual de R$ 4.738 milhões, a receita líquida trimestral deveria ser de 1.184 milhões, hoje a receita líquida trimestral da TUPY3 é de 926 milhões, ou seja, 78% do que é necessário.


iv) Considerando o P/VP menor da SHUL4 quando comparada a TUPY3, vamos admitir o mesmo P/VP, para as duas empresas (P/VP SHUL4 = P/VP TUPY3). Um PATRIMÔNIO LÍQUIDO de R$ 2.700 milhões produziria um P/VP de 19,14 X 144.178/2.700.000 = 0,91!!! O problema é que o PATRIMÔNIO LÍQUIDO hoje da TUPY3 é de 1.983 milhões, ou seja, apenas 73% do que seria necessário. Outra possibilidade seria o preço da ação, que deveria ser de R$ 14,20 para a obtenção do mesmo P/VPA, desta forma teríamos 14,20 x 144.178/1.983.318 = 1,03!!!, ocorre que a cotação da TUPY3 hoje é de R$ 19,14.


v) Considerando o ROE menor da TUPY3 quando comparada a SHUL4, vamos admitir o mesmo ROE, para as duas empresas (ROE SHUL4 = ROE TUPY3). Um lucro líquido anual de R$ 209 milhões produziria um ROE de 209.101/1.983.318 = 10,54%!!! Para TUPY3 conseguir de forma recorrente um lucro líquido anual de R$ 209 milhões, o lucro operacional teria que ser de R$ 189 milhões. Como a despesa/receita operacional anual é de aprox. R$ -416 milhões (DG&A (U12M) = -416 milhões + Resultado EquivPatr (U12M) = 0 milhões) , o lucro bruto teria que ser de R$ 661 milhões, ou seja, quase R$ 165 milhões por trimestre. Mesmo admitindo uma margem bruta de 18% (PERFEITAMENTE FACTÍVEL), a receita líquida teria que ser de R$ 940 milhões por trimestre. Hoje a média trimestral está em R$ 926 milhões, ou seja, praticamente O MESMO VALOR do que é necessário.


CONCLUSÃO: Diante das proposições apresentadas anteriormente, verificamos que SHUL4 demonstra FLAGRANTE vantagem em TODOS OS ITENS (i, ii, iii, iv e v), demonstrando NESSE MOMENTO melhor opção para investimento.
[...]

349158  - marcosvinicius2  -  20 Abr 2018, 22:26
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO = O resultado financeiro líquido de 2017 consistiu em despesa de R$56,2 milhões, frente despesa de R$52,3 milhões em 2016. O resultado financeiro líquido foi impactado primordialmente pela queda da receita financeira, decorrente da diminuição do caixa em relação ao ano anterior bem como da redução da taxa de juros que remunera as aplicações em Reais. A redução das despesas financeiras decorre principalmente de amortizações líquidas dos últimos doze meses no montante de R$282,6 milhões e valorização do Real frente ao Dólar, impactando o reconhecimento de juros de empréstimos nesta moeda.; EBITDA AJUSTADO = A combinação dos fatores supramencionados resultou em EBITDA ajustado de R$521,1 milhões em 2017, aumento de 24,6% frente a 2016, e margem de 14,1% sobre as receitas de 2017.:

TUPY3
PREÇO: 18,10
PAYOUT (2017): 108,21%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 17,01
P/VPA 1,32
PSR 0,70
DY 6,36%
EV/EBITDA 8,02
MARGEM BRUTA 16,36%
MARGEM OPERACIONAL 3,61%
MARGEM LÍQUIDA 4,14%
LUCRO POR AÇÃO 1,064
MARGEM EBITDA 12,07%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 92,96%
ROE 7,73%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,65

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 13,85%
RESULTADO BRUTO 30,42%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 7,40%
RESULTADO OPERACIONAL -156,51%
RESULTADO LÍQUIDO -184,54%
EBITDA 304,37%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 13,85%
RESULTADO BRUTO 30,42%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 7,40%
RESULTADO OPERACIONAL -156,51%
RESULTADO LÍQUIDO -184,54%
EBITDA 304,37%

c) lucro (taxa média anual)
UA -184,54%
U2A -16,52%
U3A 19,80%

d) patrimônio líquido médio
UA -8,89%
U2A -6,41%
U3A 1,00%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,30
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,40% !!!!
[...]

348753  - 2Rath  -  06 Abr 2018, 22:30
A adoção de carros elétricos nos EUA já é uma realidade, mas eles não pensam em substituição total da frota. Ainda existe muita procura por carros híbridos e várias companhias estão tornando os SUVs mais eficientes. A autonomia de um Tesla é de mais de 200 milhas e muito se fala também em substituição das baterias ao invés da recarga, já que as baterias estão cada vez menores e mais eficientes. A ideia é parar num posto, ter seu carro identificado por câmeras e sensores e ter a bateria trocada em questão de segundos, sem precisar sair do carro. Óbvio que se pagaria uma mensalidade ou anuidade para obter esse tipo de serviço. Empresas como Tesla, Toyota, Nissan e até a Apple, com seu project Titan, estão investindo pesado em viabilizar carros elétricos, baterias eficientes e pontos de recarga. Várias lojas grandes, como Walmart e Target, estacionamentos nos centros comerciais e até condomínios de apartamentos oferecem pontos de abastecimento elétrico. A Tesla também oferece a adequação da garagem das casas para abastecimento de carros elétricos. Concordo que o avanço será lento, mas tá andando.

348725 - escalador -  06 Abr 2018, 13:25
Eu vi uma apresentação da TUPY e é interessante como eles defendem o motor a combustão em detrimento dos carros elétricos. Segundo os dados apresentados há muitas desvantagens dos carros elétricos, o avanço da adoção será lento e não causa preocupação pra eles. Por exemplo, demora muito mais pra abastecer, enquanto hoje você gasta 5min por semana, você gastará 20min por dia, considerendo a tecnologia mais avançada. Não há energia suficiente atualmente para abastecer caso todos os carros em circulação passem a ser elétricos. Achei curioso porque já vi notícias por aí que alguns países nórdicos já colocaram datas para proiberem a produção de carros com motor a combustão.
A parte que me deixa menos preocupado é que o foco maior deles é em motores de automóveis pesados, caminhões, ônibus, tratores e equipamentos agrícolas, etc.

E outra coisa é que os blocos que eles fazem é ferro fundido, não pretendem partir pro alumínio, por ser mais caro e difícil de trabalhar.

348237 - paulo_prof  -  20 Mar 2018, 00:28
Resultado mediano se considerado o exercicio de 2017, fraco se considerado o 4T17.

Não acho que o ativo esteja caro, porque creio que há bastante espaço para o preço avançar.

Ativo com DY interessante, porque a empresa resolveu distribuir proventos generosos nos últimos 2 anos, acima do resultado líquido. Em 2016, tendo postado um prejuízo de R$ 181 milhôes, distribuiu R$ 100 milhões. ARelativo ao exercício de 2017, tendo postado um lucro líquido de R$ 153 milhões, decidiu distribuir R$ 200 milhões.

A pergunta que alguns podem estar fazendo é, como isto é possível? Pode uma empresa distribuir proventos maiores do que o seu lucro, sistematicamente?

Em 2016, o capex despendido foi de R$ 132 milhões, para uma depreciação de R$ 209 milhões. Ou seja, como o capex foi menor do que a depreciação, a diferença ajudou a amenizar a situação. Por outro lado, devido o prejuízo, houve uma receita líquida de IR/CS. Depois de pagar R$ 132 milhões em capex e R$ 52 milhões de resultado financeiro negativo, o ebitda de R$ 339 milhões pode ser utilizado para o pagamento dos proventos de R$ 100 milhões e ainda sobrou algum.

Em 2017 ocorreu algo semelhante. O lucro do proprietário (LL + depreciação - capex) foi de R$ (153 + 203 - 124) milhões = R$ 232 milhões, suficiente para distribuir R$ 200 milhões em proventos. Além destes proventos e capex, totalizando R$ 324 milhões, o ebitda de R$ 439 milhões pagou o resultado financeiro negativo em R$ 56 milhões e ainda sobrou algum!

TUPY3

PREÇO: R$ 17,25

PAYOUT (2017) 130,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,23

P/VPA 1,26

PSR 0,67

DY 8,03%

EV/EBITDA 7,39

MARGEM BRUTA 16,4%

MARGEM OPERACIONAL 3,6%

MARGEM LÍQUIDA 4,1%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,064

MARGEM EBITDA 11,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 81,8%

ROE 7,73%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,65



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,85%

RESULTADO BRUTO +30,42%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +7,40%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +29,48%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,74%

RESULTADO BRUTO +54,40%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +144,05%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +176,35%



c) lucro líquido, nominal

UA passou de negativo para positivo

U2A -24,83%

U3A 19,80%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA -8,89%

U2A -6,41%

U3A 1,00%



e) ebitda, nominal

UA 29,48%

U2A -16,91%

U3A -4,43%

U4A -1,37%

U5A 5,43%

U6A 4,48%

U7A 7,08%

U8A 6,90%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,30

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,5% !!!!

348232  - herdsman   -  19 Mar 2018, 21:13
Vou ser sincero, projetei resultados melhores para 4T da Tupy e Metal-leve.

Vai ver que é por isso que a cotação não subia.

Porém Metal-leve propõe dividendos adicionais de 1,12 R$, e Tupy propõe pagar no minimo 150 milhões em 2018. (era 200 milhões sobre 2017).

Logo vem o resultado de 1T2018 quem sabe umas surpresas boas.

346765 - herdsman -  02 Fev 2018, 13:43
http://anoticia.clicrbs.com.br/sc/economia/noticia/2017/12/tupy-vai-investir-r-150-milhoes-em-2018-10096527.html
Assim Tupy projeta um p/l abaixo de 8 e quem sabe um dy% de 10.
[...]

338055  - Gusmaran   -  17 Mai 2017, 15:18
TUPY3:
Tupy Resultados operacionais de acordo com o esperado;
lucro Líquido acima das expectativas

Brasil – Publicado em 15 de Maio de 2017
Renata Faber, CNPI - Thais Cascello, CNPI
Hoje, a Tupy apresentou resultados operacionais dentro do esperado. No entanto, o lucro líquido foi superior às nossas expectativas.
 Como aspecto positivo, destacamos os volumes no mercado externo (+17,5% na comparação anual na divisão automotiva), impulsionados, particularmente, pelo forte desempenho de veículos comerciais médios e pesados no NAFTA.
 Outro ponto positivo foi a receita de veículos leves no Brasil (crescimento de 24,3% em termos anuais), impulsionada pelo phase-in de novos projetos e um melhor mix de produtos.
 Poroutrolado,oBRLmaisforteconduziuaumdeclínionoEBITDAemumabaseanual.
Os resultados. A Tupy apresentou receita líquida de BRL 855,1 milhões, estável na comparação anual e em linha com as nossas projeções. As receitas provenientes tanto do mercado externo quanto do interno foram estáveis em termos anuais, representando 83,4% e 16,6% do total, respectivamente. O lucro bruto apresentou declínio de 7,8% na comparação anual, para BRL 134,2 milhões, gerando uma margem bruta de 15,7%. O EBITDA totalizou BRL 112,3 milhões (queda de 11,9% em relação ao 1T16, e alinhado com nossa estimativa), com uma margem de 13,1% (169 pontos-base mais alta em termos anuais e 12 pontos-base abaixo de nossa expectativa). O lucro líquido foi 81,1% superior na comparação anual e 50,5% acima de nossa previsão, alcançando BRL 47,2 milhões, principalmente devido a um efeito positivo de imposto de renda, o que pode ser atribuído ao impacto da variação do câmbio no México.

Impacto nos investimentos. Estamos mantendo nossa recomendação de outperform para a Tupy, com um preço-alvo para o fim de 2017 de BRL 18,0/TUPY3. A Tupy tem o menor EV/EBITDA e o maior rendimento de FCFE no universo de nossa cobertura do setor de bens de capital da América Latina para 2017, 2018 e 2019.
Mesmo em um cenário de receitas estáveis (como resultado da valorização de BRL), esperamos que a
empresa apresente uma melhoria significativa do EBITDA este ano porque os números de 2016 foram afetados por eventos pontuais e atrasos no repasse das mudanças nos preços de câmbio e commodities.
Embora consideremos, de forma conservadora, que a margem EBITDA não retornará a seus valores máximos no futuro,No final de esperamos uma forte geração de caixa (impulsionada pela baixa necessidade de capex da empresa), e vemos um potencial de valorização expressivo para as ações. No final de março a Tupy anunciou o pagamento de BRL 200 milhões em dividendos para 2017, redirecionando a complicada situação da empresa em relação a valor: a empresa gerava altos montantes de dinheiro, porém não podia pagar mais do que 50% de seu lucro líquido como dividendos. Vincular o pagamento de dividendos à geração de caixa é uma maneira de desbloquear valor. Se a empresa começar a ser vista como uma pagadora sólida de dividendos, muito provavelmente seus múltiplos serão reavaliados.

337999  - Gusmaran -  16 Mai 2017, 18:29
Pra quem entrou em TUPY3:

Tupy

Lucro líquido maior que o esperado

Implicações para investimento: a analista reitera a recomendação de outperform (desempenho acima da média do mercado), com preço justo de R$ 18.

A Tupy (TUPY3) apresentou resultados operacionais dentro do esperado pela analista Renata Faber, com lucro líquido melhor que o esperado. Mesmo em cenário de receita estável, é esperada da  empresa uma significante melhora no EBITDA, dado que no ano passado os números foram afetados
por eventos não-recorrentes e demora no repasse das mudanças no câmbio e nos preços de commodities. A analista mantém o preço justo de R$ 18 e a recomendação de outperform para a ação
(desempenho acima da média do mercado).

336494  - Gusmaran  - 06 Abr 2017, 16:00
Belas discussões sobre TAEE11 que eu considero um must have em qualquer carteira de ações. Eu ainda não tenho por uma questão simples de ajustes que preciso fazer em outros papéis. Outro papel que eu considero um must have é TUPY3, com yeld programado para 2017 de 9,6% na cotação de R$ 14,30. A companhia reportou um prejuízo enorme em 2016 devido a impairments que não comprometeram o caixa. O ano de 2016 foi péssimo devido a queda no mercado brasileiro que representa uns 35% de sua receita, e também, principalmente pela variação cambial da eleição do Trump, uma vez que suas fabricas estão no México e o peso mexicano atrapalhou muito. Para 2017 já haverão melhorias. Mas por que esse case é um must have pra quem olha dividendos? Porque a empresa gera muito caixa. Em 2016 ela tinha R$ 280 M de FCF e decidiu distribuir apenas R$ 200 M. Os fundos de pensão controlam a companhia que é lider mundial em cabeçotes de ferro. Acredito que os dividendos serão crescentes, pois os fundos querem destravar valor. E, ao contrário de outros setores, essa empresa tem crescimento interessante projetado para os próximos anos sem necessitar de capex elevado.


Segue racional do Itau BBA:

Tupy – Desbloqueando Valor

Brasil – Publicado em 28 de Março de 2017

Renata Faber, CNPI - Thais Cascello, CNPI
Os resultados da Tupy no 4T16 vieram fracos, porém o foco do mercado estará concentrado nos R$ 200

milhões de dividendos anunciados para 2017, que irão se traduzir em um dividend yield de 9,4%.

 Os resultados do 4T16 vieram repletos de ajustes não-caixa. Pelo lado positivo, o fluxo de caixa
operacional (após investimentos) chegou a R$ 88,9 milhões no 4T16.
 As receitas relativas a automóveis no mercado doméstico aumentaram 23,4% em termos anuais, devido anovos contratos e às vendas de produtos com maior valor agregado.
 Pelo lado negativo, a companhia informou um prejuízo líquido de R$ 178,9 milhões (em consequênciaimpairment registrado no 4T16) e uma margem EBITDA ajustada de 11,3% (uma baixa de 457 pontos-base emtermos anuais, afetada pelos custos de reestruturação).
Os resultados. A receita líquida da Tupy totalizou R$ 781,7 milhões, uma baixa de 10,3% em termos anuais, emlinha com a nossa estimativa; 84,5% foram provenientes do mercado externo (baixa de 11,8% em termos anuais) e15,5% se originaram no mercado doméstico (estável em termos anuais). A receita bruta declinou 34,3% nacomparação anual, para R$ 100,2 milhões (17,6% abaixo da nossa projeção). O EBITDA ajustado veio em R$ 88,2milhões (uma baixa de 36,2% em termos anuais e 15,1% inferior à nossa estimativa), levando a uma margem de11,3% (baixa de 457 pontos-base em termos anuais e 206 pontos-base inferior à nossa projeção). A companhiainformou uma perda líquida de R$ 178,9 milhões, afetada pelo impairment de R$ 228,5 milhões contabilizado notrimestre; este número, portanto, não pode ser comparado com a nossa estimativa de R$ 5,2 milhões e nem com osR$ 49,5 milhões registrados no 4T15.
Dividendos. A Tupy anunciou o pagamento de R$ 200 milhões em dividendos no ano de 2017. Os números sebasearam na geração de caixa estimada para 2017, e se traduzem em um dividend yield de 9,4%. Esta é umanotícia positiva para a Tupy, tendo em vista que, no passado, a forte geração de fluxo de caixa da companhia nãose traduziu no pagamento de dividendos. A vinculação do pagamento de dividendos à geração de caixa é umamaneira de desbloquear valor e, caso a companhia comece a ser percebida como uma sólida pagadora dedividendos, seus múltiplos provavelmente deverão ser reclassificados.
Implicações para o investimento. Reiteramos a nossa classificação de outperform (desempenho acima damédia do mercado) para a Tupy, com um preço-alvo para o final de 2017 de R$ 18,00/TUPY3. A Tupy possui omenor EV/EBITDA e um dos maiores rendimentos do FCFE dentro do nosso universo de cobertura de Bens deCapital na América Latina em 2017. Mesmo em um cenário de receitas estáveis (em consequência da valorizaçãodo BRL), temos a expectativa de que a companhia apresente uma melhora significativa no EBITDA neste ano,considerando que os números de 2016 foram afetados por eventos não recorrentes e por atrasos no repasse devariações cambiais e dos preços das commodities. Embora estejamos assumindo, de maneira conservadora, quea margem EBITDA não irá retornar ao seu pico adiante, continuamos na expectativa de uma forte geração de caixa(impulsionada pelas baixas necessidades de capex da companhia), e vemos um potencial de valorizaçãosubstancial para a ação.
Segundo link da entrevista da série grandes encontros da Empiricus com o DRI da empresa:
https://www.youtube.com/watch?v=xx2fV-78lQs&index=7&t=3s&list=PLvjvRuk_jw5J3OlNUFCKZ3xgnd3H5bHAk

329596  - paulo_prof  -  07 Nov 2016, 23:44
Ativo para esquecer!

TUPY3
PREÇO: R$ 13,20
PAYOUT (2015): 48,6%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 21,96
P/VPA 0,85
PSR 0,55
DY 2,21%
EV/EBITDA 5,39
MARGEM BRUTA 16,3%
MARGEM OPERACIONAL 4,3%
MARGEM LÍQUIDA 2,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,601
MARGEM EBITDA 14,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 84,8%
ROE 3,86%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,50

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,15%
RESULTADO BRUTO -13,67%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -52,48%
RESULTADO LÍQUIDO -54,86%
EBITDA -21,00%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -10,85%
RESULTADO BRUTO -29,48%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -85,89%
RESULTADO LÍQUIDO -85,09%
EBITDA -28,82%

c) lucro (taxa média anual)
UA -54,86%
U2A -4,87%
U3A 5,99%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,75%
U2A 9,63%
U3A 22,92%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 6,01

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +20,0%

325452  - Pro_fit   -  04 Ago 2016, 23:07
essa do setor de automóveis sofrendo tb: TUPY3

Resultado do 2º Trimestre de 2016

A companhia registrou prejuízo líquido de R$ 28,8M no 2T16, ante um lucro líquido de R$ 17,3M no 1° trimestre de 2016 e de R$ 61,4M no segundo trimestre de 2015. A receita líquida atingiu R$ 850,7M no 2T16, 1,1% menor que o 1T16, que foi de R$ 859,8M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 911,1M.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 13,2% contra 16,9% no trimestre anterior e 21,7% no 2° trimestre de 2015.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 4,9B, redução de 9,1% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 2,3B no 2T16, valor 1,5% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

311172  - paulo_prof  -  14 Nov 2015, 02:05
Continua surfando no dólar, apesar da redução dos volumes. Com preços mais altos e um ótimo resultado financeiro, todas as margens melhoraram.

TUPY3
PREÇO: R$ 21,02
PAYOUT (2014): 28,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 15,79
P/VPA 1,27
PSR 0,92
DY 1,80%
EV/EBITDA 6,72
MARGEM BRUTA 19,7%
MARGEM OPERACIONAL 9,5%
MARGEM LÍQUIDA 5,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,332
MARGEM EBITDA 18,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 101,9%
ROE 8,01%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,00

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,84%
RESULTADO BRUTO +19,03%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +88,87%
RESULTADO LÍQUIDO +100,51%
EBITDA +40,20%

b) 3T15 sobre 3T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,34%
RESULTADO BRUTO 10,92%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +42,56%
RESULTADO LÍQUIDO +130,78%
EBITDA +14,04%

c) lucro líquido, nominal
UA 100,51%
U2A 62,42%
U3A 15,70%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 14,74%
U2A 33,15%
U3A 24,76%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 13,32

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +11,5%

303817  - Edmundo Ortiz  -  12 Ago 2015, 20:59
TUPY3 grande resultado, desvalorização cambial trabalhando à favor como esperado.

- 80% da receita em moedas estrangeiras.

Cotação do papel ainda não reflete situação da empresa, 3TR15 câmbio mais desvalorizado empresa imprimindo dinheiro.

303820 - paulo_prof  -  12 Ago 2015, 21:10
Mais uma bombando com o dólar ... apesar da redução em volume, aumento considerável da receita ... deverá postar, no exercício de 2015, o melhor resultado (nominal) de sua história!

TUPY3
PREÇO: R$ 18,10
PAYOUT (2014): 28,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 16,54
P/VPA 1,17
PSR 0,80
DY 1,72%
EV/EBITDA 5,81
MARGEM BRUTA 19,6%
MARGEM OPERACIONAL 8,9%
MARGEM LÍQUIDA 4,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,094
MARGEM EBITDA 18,6%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 101,3%
ROE 7,05%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,88

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,97%
RESULTADO BRUTO +7,63%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +58,63%
RESULTADO LÍQUIDO +44,31%
EBITDA +25,11%

b) 2T15 sobre 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +20,11%
RESULTADO BRUTO 54,34%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +180,22%
RESULTADO LÍQUIDO +163,09%
EBITDA +85,09%

c) lucro líquido, nominal
UA 44,31%
U2A 60,96%
U3A -0,02%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 19,84%
U2A 32,02%
U3A 23,81%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 10,94

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +12,5%

297091  - paulo_prof  -  12 Mai 2015, 21:54
Empresa salva pelo dolar ... que impactou fortemente o resultado financeiro e a Receita Líquida, apesar de um volume de vendas 18% inferior ao do ano passado !!!

TUPY3
PREÇO: R$ 17,38
PAYOUT (2014): 28,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 20,93
P/VPA 1,14
PSR 0,81
DY 1,36%
EV/EBITDA 6,72
MARGEM BRUTA 18,3%
MARGEM OPERACIONAL 7,0%
MARGEM LÍQUIDA 3,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,830
MARGEM EBITDA 16,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 108,4%
ROE 5,42%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,23

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,99%
RESULTADO BRUTO -6,20%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +40,60%
RESULTADO LÍQUIDO +23,94%
EBITDA +4,77%

b) 1T15 sobre 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,11%
RESULTADO BRUTO -0,47%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +99,78%
RESULTADO LÍQUIDO +101,29%
EBITDA +11,09%

c) lucro líquido, nominal
UA 23,94%
U2A 64,65%
U3A -16,44%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 26,55%
U2A 31,57%
U3A 23,24%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 8,30

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +19,0%

282396  - paulo_prof  -  08 Nov 2014, 13:18
A Dilmite pegou esta, também ... vixe ...

TUPY3
PREÇO: R$ 18,60
PAYOUT (2013): 29,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 28,01
P/VPA 1,34
PSR 0,85
DY 1,04%
EV/EBITDA 7,72
MARGEM BRUTA 17,4%
MARGEM OPERACIONAL 5,2%
MARGEM LÍQUIDA 3,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,664
MARGEM EBITDA 14,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 103,5%
ROE 4,79%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,35

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +5,21%
RESULTADO BRUTO +1,99%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -58,14%
RESULTADO OPERACIONAL +64,44%
RESULTADO LÍQUIDO +31,57%
EBITDA +2,25%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -4,56%
RESULTADO BRUTO -24,32%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -86,65%
RESULTADO OPERACIONAL -23,92%
RESULTADO LÍQUIDO -34,18%
EBITDA -25,94%

c) lucro líquido, nominal
UA 31,57%
U2A -12,11%
U3A -18,18%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 54,52%
U2A 30,09%
U3A 23,52%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 6,64

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +27,0%

271361  - paulo_prof  -  10 Ago 2014, 22:10
TUPY3
PREÇO: R$ 17,83
PAYOUT (2013): 29,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 23,08
P/VPA 1,31
PSR 0,79
DY 1,26%
EV/EBITDA 6,52
MARGEM BRUTA 18,5%
MARGEM OPERACIONAL 5,7%
MARGEM LÍQUIDA 3,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,758
MARGEM EBITDA 15,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 88,6%
ROE 5,70%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,18

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,09%
RESULTADO BRUTO +22,35%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -28,52%
RESULTADO OPERACIONAL +159,91%
RESULTADO LÍQUIDO +79,54%
EBITDA +28,96%

b) 2T14 sobre 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -4,88%
RESULTADO BRUTO 9,14%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -83,67%
RESULTADO OPERACIONAL +223,82%
RESULTADO LÍQUIDO +120,38%
EBITDA -9,18%

c) lucro líquido, nominal
UA 79,54%
U2A -16,78%
U3A -13,98%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 45,43%
U2A 25,85%
U3A 20,89%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 7,58

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +21,5%

257095 - paulo_prof  -  08 Mai 2014, 21:08
O preço parece plenamente justificado !!!

TUPY3
PREÇO: R$ 18,53
PAYOUT (2013): 29,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 27,66
P/VPA 1,39
PSR 0,83
DY 1,06%
EV/EBITDA 6,69
MARGEM BRUTA 18,7%
MARGEM OPERACIONAL 4,8%
MARGEM LÍQUIDA 3,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,670
MARGEM EBITDA 15,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 91,3%
ROE 5,04%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,31

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,42%
RESULTADO BRUTO +25,26%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +7,27%
RESULTADO OPERACIONAL +176,62%
RESULTADO LÍQUIDO +118,74%
EBITDA +42,06%

b) 1T14 sobre 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,72%
RESULTADO BRUTO +30,35%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -38,13%
RESULTADO OPERACIONAL +169,48%
RESULTADO LÍQUIDO +51,69%
EBITDA +31,35%

c) lucro líquido, nominal
UA 118,74%
U2A -31,39%
U3A -16,42%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 36,79%
U2A 21,62%
U3A 18,16%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 6,70

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +26,5% 
Alguem acompanha TUPY3? Percebi que esta em várias carteiras de fundos reconhecidos pelo mercado e ultimamente o volume e noticias sobre o papel aumentaram, mas nao conheco a empresa ainda..

Quero alocar recursos para o setor de bens de capital, vou iniciar os estudos em MTSA4,POMO4,AUTM3. Atualmente já tenho MYPK3 e LEVE3 em carteira...
Considero a TUPY3 uma boa empresa, mas acho que está muito cara ...

Em termos nominais, o lucro líquido diminuiu 41% nos últimos 12 meses sobre os 12 meses anteriores, uma média de 35% ao ano, nos últimos 24 meses, e uma média de 31% nos últimos 36 meses. 

O resultado do 3T13 mostrou uma recuperação em relação aos 5 trimestres anteriores. O lucro dos 9M13 cresceu 10% nominais sobre os 9M12 e o lucro do 3T13 cresceu 43% sobre o 3T12, também em termos nominais.

Se vc supor um cenário de 3 anos de crescimento contínuo do lucro, o preço atual seria compatível com uma taxa anual real média de crescimento de 41% do lucro postado nos últimos 12 meses, de 27% do lucro dos últimos 6 meses, anualizado, e de 9% do lucro do último trimestre, também anualizado.

Acho pouco provável ...

Muito obrigado Prof!

Relamente o P/L esta esticado e os lucros diminuiram, mas vou colocar no radar, vou acompanha de perto os proximos resultados..

Voce tem alguma empresa do setor em carteira? Digo entre aquelas que tambem comentei no ultimo post..

Não, não tenho ... do setor tenho só FJTA4 e pretendo cair fora. Se fosse considerar ter mais alguma, possivelmente a preferência seria por RAPT4. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
224408  - paulo_prof  -  15 Nov 2013, 01:46
TUPY3
PREÇO: R$ 18,60
PAYOUT (2012): 25,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 29,21
P/VPA 1,59
PSR 0,71
DY 1,46%
EV/EBITDA 7,43
MARGEM BRUTA 17,9%
MARGEM OPERACIONAL 3,4%
MARGEM LÍQUIDA 2,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,637
MARGEM EBITDA 15,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 131,9%
ROE 5,44%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,01

Taxas de Crescimento:

a) últimos 9 meses sobre 9 meses terminados no 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,93%
RESULTADO BRUTO +21,34%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +78,08%
RESULTADO OPERACIONAL -2,05%
RESULTADO LÍQUIDO +10,06%
EBITDA +35,86%

b) 3T13 sobre 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,11%
RESULTADO BRUTO +41,66%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +126%
RESULTADO OPERACIONAL +74,66%
RESULTADO LÍQUIDO +42,64%
EBITDA +59,83%

c) lucro líquido, nominal
UA -41,29%
U2A -35,48%
U3A -31,43%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 9,53%
U2A 10,44%
U3A 10,67%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,96

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +21,5%

200294  - paulo_prof  -  03 Ago 2013, 03:31
TUPY3
PREÇO: R$ 19,30
PAYOUT (2012): 25,2%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 36,22
P/VPA 1,71
PSR 0,76
DY 1,18%
EV/EBITDA 9,22
MARGEM BRUTA 16,7%
MARGEM OPERACIONAL 2,4%
MARGEM LÍQUIDA 2,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,533
MARGEM EBITDA 13,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 153,0%
ROE 4,72%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,92

Taxas de Crescimento:

a) últimos 6 meses sobre 6 meses terminados no 2T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +17,58%
RESULTADO BRUTO +10,14%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +63,96%
RESULTADO OPERACIONAL -51,16%
RESULTADO LÍQUIDO -15,22%
EBITDA +22,02%

b) 2T13 sobre 2T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,81%
RESULTADO BRUTO +0,66%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -0,88%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA +31,69%

c) lucro líquido, nominal
UA -61,43%
U2A -40,46%
U3A -29,83%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 8,90%
U2A 10,21%
U3A 11,25%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 6,66

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +27,0%

TUPY3
PREÇO: R$ 56,50
PAYOUT 2012: 42,8%

P/L 45,47
P/VPA 2,54
PSR 1,13
DY 0,94%
EV/EBITDA 12,41
MARGEM BRUTA 17,2%
MARGEM OPERACIONAL 3,8%
MARGEM LÍQUIDA 2,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,581
MARGEM EBITDA 12,6%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 154,1%
ROE 5,60%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,31

Taxas de Crescimento Nominal

a) exercício de 2012 vs 2011
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 22,22%
RESULTADO BRUTO 4,40%
RESULTADO FINANCEIRO paqssou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -63,12%
RESULTADO LÍQUIDO -67,37%
EBITDA -0,12%

b) 4T12 vs 4T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 18,12%
RESULTADO BRUTO -4,55%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 243%
RESULTADO OPERACIONAL -102,41%
RESULTADO LÍQUIDO -95,68%
EBITDA -4,36%

c) lucro (taxa média anual)
UA -67,37%
U2A -34,45%
U3A -24,91%

d) patrimônio líquido médio
UA 10,14%
U2A 10,81%
U3A 11,77%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses de 0% durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,26

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): 33,5%

167178 - small caps -  15 Fev 2013, 02:26
Não li o balanço... nem as causas...
Mas a primeira impressão é de um
MERDAJO...

167176 - israel007 -  15 Fev 2013, 01:18
TUPY3

Empresa: TUPY S.A. Ação: TUPY ON Setor: Bens Industriais Subsetor: Material de Transporte
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou lucro líquido de R$ 2,6 M neste trimestre, redução de 90,7% em relação ao 3° trimestre de 2012 e redução de 95,7% em relação ao quarto trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 437,2 M no 4T12, 15,4% menor que o 3° trimestre de 2012, que foi de R$ 517,1 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 539,8 M.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 16,0% contra 16,4% no trimestre anterior e 18,0% no 4T11. Já a margem líquida ficou em 0,6% no quarto trimestre de 2012 contra 5,4% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 3,5 B, crescimento de 0,9% em relação ao saldo no quarto trimestre de 2011. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 1,2 B no 4° trimestre de 2012, o que representou uma variação de 8,1% em relação ao saldo no 4T11.

Neste período, a ação oscilou 5,3% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 2,8 B contra R$ 1,5 B no quarto trimestre de 2011.

167143 - apolo20 -  14 Fev 2013, 20:32
Eu cá na minha santa ignorância,faço questão de postar o texto da Fama Investimentos.
Vale a pena uma leitura.

Fama Investimentos apresenta duas micro caps com potencial
Um dos cases é a Tupy (TUPY3), companhia que desenvolve e fabrica componentes para a indústria automotiva

Por Diego Lazzaris Borges |12h36 | 14-02-2013 A A A

SÃO PAULO - A gestora de recursos Fama Investimentos divulgou cases de companhias classificadas como micro caps (com baixíssima liquidez na bolsa), mas que possuem boas perspectivas de crescimento. Na avaliação da gestora, o universo dessas empresas é composto por papéis que possuem um “timing próprio” e que, na maior parte das vezes, demoram um longo tempo para terem seu valor reconhecido.

Um dos cases é a Tupy (TUPY3), companhia que desenvolve e fabrica componentes para a indústria automotiva - principalmente blocos e cabeçotes de motor. A gestora ressalta que, no final dos anos 90, a Tupy passou por dificuldades financeiras e precisou enfrentar um processo de reestruturação, iniciado em 2003 com a troca dos principais gestores. Em 2007 esta reestruturação ganhou força, quando os maiores acionistas converteram debêntures em capital, contribuindo para uma redução significativa do endividamento da empresa.
A Fama aponta que este evento marcou um importante ponto de virada para a empresa, que conseguiu voltar a investir e crescer. “No entanto, apesar da reestruturação bem sucedida e do cenário favorável que o setor vivia, mais uma vez a falta de liquidez manteve a companhia negligenciada pelo mercado financeiro”, disse o gestor, em carta aos cotistas.

A gestora de recursos Fama Investimentos divulgou cases de companhias classificadas como micro caps, mas que possuem boas perspectivas de crescimento (Rafael Matsunaga/Wikimedia)

A partir do segundo semestre de 2010, as ações passaram a refletir as melhoras operacionais da empresa e os papéis dobraram de valor. “Mas foi apenas em 2012 que, após uma grande aquisição internacional e notícias sobre uma possível oferta de ações, a Tupy ganhou notoriedade e as ações da empresa tiveram um novo rally”, ressalta a gestora, que mantém a ação no portfólio acreditando no seu bom desempenho.
[...]

157126 - paulo_prof -  15 Nov 2012, 00:20
TUPY3
PREÇO: R$ 48,90
PAYOUT (2011): 41,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 22,54
P/VPA 2,34
PSR 1,09
DY 1,84%
EV/EBITDA 12,02
MARGEM BRUTA 18,0%
MARGEM OPERACIONAL 6,6%
MARGEM LÍQUIDA 4,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,169
MARGEM EBITDA 13,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 153,3%
ROE 10,37%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,36

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 9M12 em relação aos Resultados dos 9M11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,6%
RESULTADO BRUTO +7,2%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -60,0%
RESULTADO LÍQUIDO -55,5%
EBITDA +1,5%

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 3T12 em relação aos Resultados dos 3T11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,0%
RESULTADO BRUTO +1,5%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -53,9%
RESULTADO LÍQUIDO -54,9%
EBITDA -7,4%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal
a) do lucro líquido:
UA -27,85%
U2A -16,15%
U3A -7,07%

b) do patrimônio líquido médio
UA 14,13%
U2A 13,75%
U3A 13,10%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: +28,90%

Há 3 meses o ativo vem andando de lado ... pedindo para ser vendido ...

Tira o traseiro de cima, Samu. Quando o ativo voltar para o patamar de preços do ano passado, entre R$ 20 e 30, vc vai reclamar ...

144652 - paulo_prof -  15 Ago 2012, 02:07
TUPY3 ... mais uma a ser pega no contrapé da desvalorização cambial sem um hedge adequado. Como é exportadora, entretanto, deverá se beneficiar da maior receita de exportação nos próximos trimestres.

PREÇO: R$ 48,48
PAYOUT (2011): 41,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 17,55
P/VPA 2,43
PSR 1,15
DY 2,37%
EV/EBITDA 11,54
MARGEM BRUTA 19,2%
MARGEM OPERACIONAL 9,0%
MARGEM LÍQUIDA 6,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,763
MARGEM EBITDA 14,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 168,9%
ROE 13,86%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,32

Taxas Nominais de Crescimento anual:
a) do lucro líquido
UA -8,10%
U2A -5,36%
U3A 0,74%

b) do patrimônio líquido médio
UA 11,54%
U2A 12,45%
U3A 12,24%

144609 - GARUDA20  - 15 Ago 2012, 00:40
Resultado do 2º Trimestre de 2012

A companhia divulgou prejuízo líquido de R$ 6,2 M no 2T12, contra um lucro líquido de R$ 42,0 M no primeiro trimestre de 2012 e de R$ 41,1 M no segundo trimestre de 2011. A receita líquida totalizou R$ 528,5 M no 2T12, crescimento de 1,0% em relação ao primeiro trimestre de 2012 e redução de 0,5% em relação ao 2T11.

A margem bruta atingiu 17,3% neste trimestre contra 15,4% no trimestre anterior e 18,0% no 2° trimestre de 2011.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 3,6 B, crescimento de 47,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,1 B neste trimestre, o que representou uma variação de 10,5% em relação ao saldo no segundo trimestre de 2011.

Neste período, a ação oscilou 45,3% contra -15,7% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 2,3 B contra R$ 1,6 B no segundo trimestre de 2011.

132342 - paulo_prof - 17/Mai/2012 07:45
TUPY3

PREÇO: R$ 36,50PAYOUT: 41,50%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 10,17
P/VPA 1,83
PSR 0,95
DY 4,09%
EV/EBITDA 7,12
MARGEM BRUTA 19,4%
MARGEM OPERACIONAL 12,8%
MARGEM LÍQUIDA 9,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,590
MARGEM EBITDA 15,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 162,4%
ROE 18,02%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,64

Taxas anuais médias nominais de crescimento
a) lucro líquido
UA 24,04%
U2A 17,31%
U3A 4,66%

b) patrimônio líquido médio
UA 11,53%
U2A 12,87%
U3A 12,65%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido necessária nos próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD seja 1,3 vezes a cotação atual (perpetuidade real nula; taxa de desconto real de 8%): +2,5%

Taxas nominais de crescimento relativas ao 1T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,47%
RESULTADO BRUTO -12,77%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -48,37%
RESULTADO OPERACIONAL +8,03%
RESULTADO LÍQUIDO +4,39%
EBITDA +13,79%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +12,62%
ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO +61,34%


123816 - paulo_prof - 31/Mar/2012 21:45
TUPY3

Na minha opinião, uma das melhores, senão a melhor, empresa do segmento industrial. Praticamente não tem tempo ruim ... entrega sempre ... a empresa não está nem aí com uma eventual concorrência chinesa ...

PREÇO: R$ 29,49
PAYOUT (2011): 41,5%

multiplicadores baseados nos últimos 12 meses
P/L      8,28
P/VPA            1,54
PSR     0,77
DY      5,01%
EV/EBITDA  6,12
MARGEM BRUTA  20,1%
MARGEM OPERACIONAL          12,7%
MARGEM LÍQUIDA          9,3%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 3,559
MARGEM EBITDA 15,4%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       164,3%
ROE    18,55%
LIQUIDEZ CORRENTE     2,58

multiplicadores baseados nos últimos 6 meses anualizados
P/L      6,91
P/VPA            1,54
PSR     0,74
DY      6,02%
EV/EBITDA  5,51
MARGEM BRUTA  20,3%
MARGEM OPERACIONAL          13,5%
MARGEM LÍQUIDA          10,7%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 4,270
MARGEM EBITDA 16,5%
ROE    22,25%

Taxas anuais médias nominas de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      31,70%
U2A    13,91%
U3A    6,46%

b) do patrrimônio líquido médio
UA      11,48%
U2A    12,59%
U3A    13,24%

Taxa anual média real de crescimento do lucro líquido postado nos últimos meses, durante 32 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e taxa anual real de desconto de 10% seja 50% maior do que a cotação atual: +1,5%

Ativo bastante interessante. Merece uma lida atenta de seu relatório e uma estudada se a conjuntura muito favorável de 2011 pode ser ameaçada no próximo triênio.

36535 - padrinho - 27/Mai/2010 14:37
Quanto a TUPY: Ajustarão o megalote (sem sentido) ao padrão adotado pela maioria das empresas listadas na Bovespa (1 lote = 100 açoes) para que posssam migrar para o NM. Pretendem também fazer uma oferta pública até 2012 e na lógica do mercado, pelo que vemos, é 'rolar" uma derrubada das cotações.
http://portalexame.abril.com.br/mercados/noticias/tupy-primeiro-passo-chegar-ao -novo-mercado-563971.html
Obs: O primeiro dia de operações com o grupo de mil ações ganhando cotação única será no dia 20 de julho. Os proprietários dos papéis terão de 19 de maio de 2010 e 19 de julho para viabilizar o processo. Além do aumento da liquidez, Tarquínio ressalta a economia de custos com o departamento de acionistas como uma das motivações do grupamento.


PS: não tem alteração de liquidez como disse a revistona do segmento....somente ocorrerá grupamento e não ocorrerá alteração do preço do lote-padrão. Valeu Capa !

36533 - sax3 - 27/Mai/2010 13:37 
Pessoal não sei como postar, no site da revista EXAME tem uma reportagem a respeito do futuro (2012), da entrada da TUPY no NOVO MERCADO,em julho as ações serão agrupadas 1000/1 ou seja lote padrão 100.


35634 - paulo_prof - 16/Mai/2010 12:03
Que, no 4T10 o lucro líquido da TUPY3 será muito menor do que no ano passado está mais do que claro. Como o mercado vai reagir psicológicamente ao anuncio de um 4T10 sensivelmente pior (após o 2T10 e 3T10 sensivelmente melhores) do que no ano passado é uma incógnita.
Do ponto de vista fundamentalista, entretanto, o que de fato interessa é o lucro líquido do exercício de 2010 (olhar para a frente). Se não houver um "double dip" da crise mundial puxada pelos problemas da dívida soberana dos países do euro, uma projeção bastante conservadora para o lucro líquido da TUPY3 em 2010 é de R$ 140 milhões. Isto correponde a P/L = 5,5; P/VPAmédio = 0,77 e DY = 7,5%.
Uma projeção otimista para o lucro líquido de FRAS4 em 2010 é R$ 58,5 milhões. Isto correponde a P/L = 5,5; P/VPAmédio = 1,23 e DY = 6,4%.
Como pode ser notado, os múltiplos, especialmente P/VPA, favorecem a TUPY3. Além do mais, deve-se observar que:
a) enquanto o lucro de R$ 58,5 milhões projetado para a FrasLe seria o melhor de sua história, um lucro de R$ 140 milhões projetado para a Tupy seria inferior aos lucros registrados nos exercícios de 2008 e 2009;
b) entre as empresas com patrimônio líquido positivo no setor de material de transporte, a Tupy é a única que está negociando (bem) abaixo de seu valor patrimonial; e
c) enquanto FRAS4 está a 39% de seu TH (R$ 5,32 em 22FEV2007, de acordo com os gráficos da ADVFN), TUPY3 está a 48% (R$ 24,00 em 30MAI2007).
Em resumo, há mais do que um sinal indicando que a TUPY3 está mais barata do que a FRAS4. Hoje, o valor das FRAS4 em minha carteira é 25% maior do que TUPY3. Não fosse a menor liquidez de TUPY3, entretanto, esta proporção provavelmente estaria invertida. 


RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO
Síntese dos Resultados
O primeiro trimestre de 2010 encerrou com evolução de 60% nos volumes físicos de vendas. A valorização do Real neste trimestre de 2010, frente o mesmo trimestre de 2009 (taxa média de R$/US$ 1,82 contra R$/US$ 2,34) impactou as vendas externas. A Receita líquida apresentou crescimento de 40%.
Apesar do impacto cambial mencionado, o Lucro antes do Resultado Financeiro registrou R$ 53.653, 13% sobre a receita líquida e crescimento de 53% sobre o trimestre anterior. A recuperação dos volumes físicos de vendas e a melhor diluição de custos e despesas face ao crescimento da produção são os principais fatores que contribuíram para o aumento do lucro antes do resultado financeiro.
O Lucro líquido do Trimestre registrou R$ 29.312 contra R$ 36.977 mil do período anterior. Cabe destacar que o trimestre anterior foi beneficiado pelo registro de R$ 19.939 de ganho de capital pela alienação de parte dos ativos florestais de sua controlada Tupy Agroenergética Ltda. Desconsiderando o fato não-recorrente acima mencionado, o lucro líquido do primeiro trimestre de 2010 apresentou crescimento de 72% sobre o mesmo período do ano anterior. 


31550 - small caps - 28/Mar/2010 16:13
citação: FOCKINKsmall...será que tupy diminuirá a margem com o aumento do minério de ferro?? ou repassará o custo no produto final?
FOCKINK, pelo que se viu na última crise, o fator preponderante será a demanda para se estabelecer a possibilidade de repasse de custos. Na crise, pudemos observar que mesmo com a forte redução dos custos, as margens não melhoraram, eis que foram integralmente repassadas as quedas para os preços de vendas...


A vantagem da empresa, de qualquer sorte, é que parece fornecer produtos muitos específicos, não sendo fácil a substituição de fornecedores... Aliás, tem produtos que levam 2 anos para serem desenvolvidos...


31464 - small caps - 27/Mar/2010 21:14
citação: FOCKINKsmall ...o que achou do resultado de Tupy? e a novela do fundo que está desovando Fras4, como será o final pra nós minoritários ?
Tupy pode ser interessante mesmo, a este preço, depois que tudo subiu e ela continua no fundão. Quando BICB4 estava R$ 2,00, HBOR3 a R$ 2,40, etc... TUPY estava a preço muito próximo do atual.
Interessante a manutenção dos resultados apesar da forte retração da demanda externa. Muito impressionante mesmo...
Mas sou mais FRAS4, que tem um histórico melhor, a meu juízo. O fato de ter gente desovando, comprando, emprestando, expondo, seja lá o que for, não muda o mais importante na companhia: O VALOR!
A maioria dos fundos costumam ter desempenho pífio e segui-los, salvo raras exceções, é um bom atalho para o fracasso.
Aliás, para quem não está gostando do desempenho recente das small caps, uma breve olhada num dos BDI's da Bovespa, no acumulado dos últimos 12 meses e destas e do Ibovespa para ver a gigantesca capa de gordura para queimar...


Finalizei a estratégia de sair de ações para recompor a renda fixa. Continuo na estratégia de sair de ativos para ganho de capital no mercado acionário, para compor a carteira com mais "vacas leiteiras".


31410 - marcosheyse - 26/Mar/2010 21:21
citação: paulo_prof
citação: ZOTTI
citação: FOCKINK
citação: evalarettoCopasa fez bonito, com o preço de fechamento hoje temos:
P/L de 5,35
P/VPA de 0,75
Virou a melhor empresa da bolsa.
hehehe...e eu comprei e vendi no after devido a $#)(%@#)( do site da Bovespa...
quanto a melhor empresa, eu discordo...
TUPY3 com o LL em 2009 de 2,74: dá um P/L = 4,17...(amanhã vou entrar comprar)
128 mi dos 156 LL da tupy foi não operacional(refis, venda de ativo e ganho de processo)
Agora tá explicado, logo qdo vi me empolguei, mas assim não...
Também não é tudo isto que vc deve descontar. Pelas minhas contas, os R$ 128 milhões brutos impactaram o lucro líquido em R$ 91,5 milhões. Em conseqüência, o lucro líquido recorrente teria sido de aprox. R$ 65 milhões. Isto corresponde a um P/L = 10 que não é assim tão ruim se for considerado o P/VPA = 0,75 e o PSR = 0,53!!! para o preço de fechamento de R$ 11,42.
Quer mais? Em fins de abril haverá uma distribuição de proventos brutos de R$ 1,137/ação !!!! Um DY de "somente" 10%. 


31116 - H Trader - 24/Mar/2010 19:17
citação: saulofm
citação: FOCKINKNotwen e o tal IR diferido, o que vem a ser isso e porque sempre é computado nos 4ºT..??
Percebo a dias que a corretora ATIVA vem fazendo com Tupy3 o mesmo que Itau faz com FRAsle....tem algum fundo desovando Tupy também??
não resisti e comprei umas migalhas hoje..se cair mais:: compro mais umas migalhas..e derrepente terei um pão...espero que este pão não tenha ido pro forno ainda::esteja em processo de fermentação...
Pessoal, talvez seja melhor dar uma boa olhada na TUPY, pois a GM estará iniciando ainda neste primeiro semestre a contrução de sua fábrica de motores aqui em Joinville e a TUPY fornecerá os blocos pra eles. A informação que circula é que um dos motivos de a GM se instalar aqui é justamente essa logística. Isso e o fato de ter outras empresas com certificação para fornecer peças usinadas para o setor automotivo[ shul4 e etc.
valeu
Bom, eu já tava animado pq no site da cia já consta, desde agosto do ano passado, que exportam blocos para Ford dos EUA. A Ford tá batendo recorde de vendas nos EUA na China...
Se eles forem atender a GM brasileira aí sim vai ser ótimo. 


30642 - H Trader - 19/Mar/2010 13:34
Obs.: Não sou fã de encher o forum com notícias a esmo, mas como encontram-se poucos artigos dessa empresa, resolvi postar.
Aos sócios na TUPY3:
Metalmecânicas puxam o crescimento das exportações do Norte de SC
13 de março de 2010 | De http://wp.clicrbs.com.br/eeucomisso/2010/03/13/metalmecanicas-puxam-o-crescimen to-das-exportacoes-do-norte-do-estas/?topo=77,2,18,,,77
Há um ano, as empresas do polo metalmecânico do Norte do Estado estavam mergulhadas em problemas. A redução nos pedidos do exterior fez com que elas fossem obrigadas a reduzir a jornada de trabalho, os salários e, na pior das hipóteses, demitindo gente.
Hoje, o cenário é completamente diferente. São elas que estão puxando a retomada das exportações na região. No primeiro bimestre do ano, venderam US$ 190,5 milhões para os seus clientes no exterior, 18,7% a mais do que nos mesmos meses de 2009, segundo os números da Secretaria de Comércio Exterior (Secex). No mesmo período, as exportadoras catarinenses do Norte viram seu caixa ser reforçado em 5,4% com os negócios feitos lá fora.
As empresas do polo metalmecânico estão recuperando a posição de maiores exportadoras. No auge da crise, a Universal Leaf, que processa fumo, passou a ser a segunda maior exportadora de Joinville, à frente da Tupy. Com a forte retomada das vendas para o exterior - 72% no bimestre -, a empresa de fundição recuperou o posto perdido para a beneficiadora de fumo.
Duas empresas do setor na região entraram na lista das 40 maiores exportadoras catarinenses. A Arcelor Mittal, que tem uma unidade de laminação de aço em São Francisco do Sul, multiplicou por 49 o volume de exportações. E a Fabio Perini, de Joinville, que produz máquinas e equipamentos para a indústria papeleira, ampliou em quatro vezes o volume de mercadorias enviadas para o exterior.
Quem saiu da lista foi a Busscar. Mergulhada em problemas, a empresa que chegou a ter 30% do mercado nacional de carrocerias de ônibus desapareceu da lista das top 40, divulgadas mensalmente pela Secex. Seus produtos não aparecem mais na lista dos cem itens mais exportados pelo Estado.
No primeiro bimestre de 2009, a empresa era a 11ª maior exportadora catarinense. Carrocerias de ônibus com capacidade para mais de 10 passageiros eram o 16° produto mais importante produto da pauta de exportações. 

28286 - herdsman - 15/Fev/2010 19:35
Tenho comprado um tanto de TUPY3 recentemente, em parte por acreditar que o 4T vai ser bem positivo porque Tupy aderiu ao Refis e tem provisionado uns 130 milhões para tal.
Vide comunicação embaixo..
A TUPY S.A., companhia de capital aberto, sediada em São Paulo, SP, na Av. Dr. Cardoso de Melo nº 1.666, 6º andar, Vila Olímpia, nos termos da Instrução CVM 358/2002 e da Lei 6.404/1976, comunica a seus acionistas e ao mercado, que aderiu aos programas de pagamento e parcelamento de débitos fiscais instituídos pela Lei nº 11.941/09 e pela Medida Provisória nº 470/09.
Com tais movimentações, uma grande parte dos débitos fiscais da Companhia, que totaliza R$ 337.604 mil, está sendo paga, sendo que, no valor mencionado, é descontado o montante R$ 124.544mil (referente às anistias previstas pela Lei nº 11.941/09 e pela Medida Provisória nº 470/09), sendo que R$ 86.439mil estão sendo pagos mediante compensação com prejuízos fiscais, R$ 31.697 mil estão sendo pagos à vista e R$ 94.924 serão pagos de forma parcelada em 11 vezes.
As apontadas adesões gerarão efeito positivo no resultado do 4º trimestre deste exercício, mas que somente poderá ser aferido com precisão após a consolidação que será realizada pela Receita Federal do Brasil, nos termos das normas pertinentes. 


26977 - paulo_prof - 29/Jan/2010 16:14
citação: uqazPor favor, alguém pode comparar FRAS4 com TUPY3?
FRAS4 foi discutida bastante e dificilmente mostrará surpresas. O seu lucro líquido no 4T09 deverá se situar entre R$ 11 e 14 milhões, correspondendo (ao preço corrente de oferta de venda de R$ 4,14) a um excelente P/L de 7. Nada há no horizonte que possa cofigurar como série ameaça. Pelo contrário, as expectativas são de que o lucro líquido em 2010 aumente no mínimo uns 12%.
TUPY3 é uma incógnita. Tenho uma enorme dificuldade em projetar os resultados do 4T09.
a) qual será o acréscimo na receita líquida?
No 4T08 foi de 392 milhões; caiu para 292 milhões no 1T09; caiu para 255 milhões no 2T09 e aumentou para 319 milhões no 3T09
Façam as suas apostas ... vamos supor R$ 370 milhões.
b) qual seria a margem bruta?
Em 2008 a média foi de 21%; em 2009, saiu de 21,1% no 1T09, caiu para 10,8% no 2T09 e recuperou para 15,5% no 3T09. Vamos supor 19,5%.
c) como o real praticamente não valorizou, o resultado financeiro deverá ser negativo. Para uma dívida líquida de R$ 290 milhões, vamos supor um custo de R$ 7 milhões no trimestre. Admitindo um pequeno ganho cambial, vamos supor (R$ 5 milhões).
d) as despesas de vendas e gerais/administrativas devem ficar por volta de (R$ 25 milhões) a média nos 9M09
e) vamos supor outras despesas operacionais de R$ 2 milhões (aleatório, pois no 3T09 foi de quase 14 milhões)
Isto daria um resultado operacional de aprox. R$ 40 milhões. desconta aprox. 34% de IR/CSSL e chega a um lucro líquido de R$ 26,5 milhões. Isto corresponderia a um P/L anualizado de 6,3 que, com um P/VPA = 0,8, indicaria que o ativo está barato.
Mas há uma grande incerteza nas projeções. Se o lucro líquido do 4T09 vier abaixo dos R$ 17 milhões, o ativo já estaria relativamente caro. 


25970 - paulo_prof - 19/Jan/2010 13:31
Pelas minhas contas, o resultado seria (levemente) negativo no 4T09, mas estupidamente positivo para a situação da empresa no futuro. As provisões para impostos federais, em 30SET2009, eram de aprox. R$ 180 milhões e a empresa está reconhecendo uma dívida de R$ 210 milhões. Mas se a empresa diz que o fato vai gerar um resultado positivo, vamos aguradar.
citação: Plantão Empresas da Bovespa(19/01) TUPY (TUPY) - Fato Relevante - Programa de Parcelamento de Debitos Fiscais
DRI: Luiz Tarquinio Sardinha Ferro
A empresa enviou o seguinte Fato Relevante:
A TUPY S.A., companhia de capital aberto, sediada em Sao Paulo, SP, na Av. Dr. Cardoso de Melo n 1.666, 6o andar, Vila Olimpia, nos termos da Instrucao CVM 358/2002 e da Lei 6.404/1976, comunica a seus acionistas e ao mercado, que aderiu aos programas de pagamento e parcelamento de debitos fiscais instituidos pela Lei n 11.941/09 e pela Medida Provisoria n 470/09.
Com tais movimentacoes, uma grande parte dos debitos fiscais da Companhia, que totaliza R$ 337.604 mil, esta sendo paga, sendo que, no valor mencionado, e descontado o montante R$ 124.544mil (referente as anistias previstas pela Lei n. 11.941/09 e pela Medida Provisoria n. 470/09), sendo que R$ 86.439mil estao sendo pagos mediante compensacao com prejuizos fiscais, R$ 31.697 mil estao sendo pagos a vista e R$ 94.924 serao pagos de forma parcelada em 11 vezes.
As apontadas adesoes gerarao efeito positivo no resultado do 4 trimestre deste exercicio, mas que somente podera ser aferido com precisao apos a consolidacao que sera realizada pela Receita Federal do Brasil, nos termos das normas pertinentes. 


21832 - octacm - 21/Nov/2009 12:51
citação: Dr Invest
citação: octacmTUPY3
Blocos em CGI, fabricados e pré-usinados pela Tupy, equipam novos motores diesel da Ford
As novas caminhonetes Super Duty da Ford (F-250, F-350, F-450 e F-550), com lançamento previsto para o início de 2010, vão chegar ao mercado da América do , incluindo os processos especiais de produção e usinagem,” afirma o vice-presidente de Vendas e Marketing da Tupy, Fernando Cestari de Rizzo.
Sei não Octacm,
apesar da Tupy ser líder mundial em seu segmento, aproximadamente 50% de sua receita vem da Europa e Am do norte. Com os fins dos incentivos fiscais já iniciado mundo a fora , veremos suas açoes ainda patinarem por um certo tempo.
Penso ter setores mais interessantes atualmente...
abç
Ford investirá R$ 4 bi para elevar produção no Brasil
Ana Paula Machado (amachado@brasileconomico.com.br)
20/11/09 17:12
Depois de quatro anos trabalhando no limite, a fábrica da Ford em Camaçari, na Bahia, vai finalmente ampliar sua capacidade.
A unidade, considerada modelo pela companhia americana, passará a produzir 300 mil carros por ano e para isso receberá investimentos de R$ 2 bilhões.
Os recursos serão aplicados na contratação de 1 mil pessoas, no reforço do Centro de Desenvolvimento de Produtos, instalado na Bahia e na modernização da unidade da Troller, no Ceará.
Esses R$ 2 bilhões fazem parte de um plano de investimentos da montadora para o Brasil para 2011 a 2015, orçado em R$ 4 bilhões, o maior, segundo o presidente da Ford América do Sul, Marcos Oliveira.
Cerca de R$ 800 milhões serão aportados também na fábrica da Troller, em Horizonte, no Ceará.
O restante (R$ 1,2 bilhão) será dividido nas unidades de São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e na fábrica de motores em Taubaté e no Centro de Testes em Tatuí, no estado de São Paulo.
Em 2007, a Ford anunciou investimentos de R$ 2,2 bilhões que incluiu a compra da montadora brasileira.


21787 - Dr Invest - 20/Nov/2009 01:03
Sei não Octacm,
apesar da Tupy ser líder mundial em seu segmento, aproximadamente 50% de sua receita vem da Europa e Am do norte. Com os fins dos incentivos fiscais já iniciado mundo a fora , veremos suas açoes ainda patinarem por um certo tempo.


Penso ter setores mais interessantes atualmente...


21785 - octacm - 20/Nov/2009 00:09
TUPY3
Blocos em CGI, fabricados e pré-usinados pela Tupy, equipam novos motores diesel da Ford
As novas caminhonetes Super Duty da Ford (F-250, F-350, F-450 e F-550), com lançamento previsto para o início de 2010, vão chegar ao mercado da América do Norte com um novo motor diesel V-8 Power Stroke pesando 72,5 kg a menos que o modelo atual. A Ford desenvolveu o projeto e a engenharia do novo motor e contratou a Tupy para fornecer os blocos em ferro fundido vermicular (CGI -Compacted Graphite Iron), liga metálica que contribui significativamente para o aumento da resistência e a redução do peso do motor. Antecipando-se ao lançamento, a Ford apresentou o primeiro veículo da nova série em uma feira realizada no Texas, na semana passada.
A escolha da Tupy se baseia na comprovada excelência em fornecer blocos de motor com esta liga à Ford Europa. Blocos V-6 e V-8, fabricados pela Tupy em Joinville (SC) já são fornecidos para os motores da Jaguar e da Range Rover desde 2004. A Ford Europa foi o primeiro cliente para quem a Tupy passou a fornecer blocos em vermicular, após ter obtido o domínio do processo de produção, que é apoiado em tecnologia da companhia sueca Sintercast. Atualmente, a Tupy também fornece blocos e cabeçotes de motores em ferro vermicular para a Audi e a MAN, da Alemanha, e para a DAF, da Holanda.
O ferro fundido vermicular é visto como uma tecnologia inovadora pela indústria automotiva, que está sempre à procura de materiais de menor peso e maior durabilidade do que o ferro fundido cinzento. Com propriedades mecânicas superiores às dos materiais convencionais, esta liga traz como resultado produtos menores, mais leves e mais duráveis. Novos motores diesel Power Stroke 6.7 L, além de significativa melhora na potência e torque, oferecem a melhor economia de combustível de sua classe, fazendo com que as novas caminhonetes venham a ser as menos poluentes já produzidas pela Ford.


A Tupy está na liderança entre as fundições que atendem ao mercado automotivo mundial devido à sua excelência nas tecnologias de ciência e processo dos materiais. “Nossa equipe de engenheiros não só dominou a produção em larga escala do ferro fundido vermicular, como também superou desafios técnicos, incluindo os processos especiais de produção e usinagem,” afirma o vice-presidente de Vendas e Marketing da Tupy, Fernando Cestari de Rizzo.


12183 - paulo_prof - 19/Ago/2009 18:05
O que ocorreru foi que os resultados do 2T09 decepcionaram e não há uma razoável certeza de que possam ser muito melhores no 3T09, especialmente considerando de que há sinais de que a produção de veículos está declinando. O Ebitda caiu 80% do 1T09 para o 2T09. Não fosse o excelente resultado financeiro, a empresa teria ficado no zero-a-zero.
Na cotação de fechamento de hoje indicadores anualizados (baseados nos resultados do 1o. semestre) mostram:
P/L=8,34; P/VPA=0,86; PSR=0,68; DY=3,83%; EV/EBITDA=10,69; ROE=10,27%


Estes indicadores parecem estar ok, considerado o setor. Não sei dizer se o ativo vai cair mais. Se eventualmente chegar a R$ 8,60, aumentarei a minha posição (que hoje é simbólica). 

12182 - manoellobato - 19/Ago/2009 17:48
vc comentou de tupy3 um dia desses....
VC sabe o motivo da queda de tupy3 nos ultimos dias?
vale a pena comprar na casa dos 12 reais?


11715 - danieljoseaa - 14/Ago/2009 17:15
Descricao
Nome de Pregao TUPY
Periodo 6M
Data Encerramento 30/06/2009
Patrimonio Liquido 821.888
Receita Liquida 546.152
Resultado Bruto 89.199
Receita (Despesa) Financeira Liquida 21.379
Resultado da Equivalencia Patrimonial
Resultado Operacional 66.903
Lucro (Prejuizo) Liquido 44.502
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Mil ) 57.138.751
Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA 0,00078


Valor Patrimonial da Acao - VPA 0,01438


9384 - octacm - 22/Jul/2009 16:56
Eu considero o indicador p/vp, um indicador mais eficiente... Tenho simulado carteiras com diversas empresas com varios indicadores, dentre eles p/l e p/vp e o indicador p/l vem dando um resultado de aproximadamente 2% de retorno, o p/vp vem dando algo em torno de 5%...
Minha amostra ainda é pequena... Só tenho 13 semanas acompanhadas (3meses aproximadamente), estou fazendo o acompanhamento do graham tambem agora, mas só tenho de 3 semanas e está tendo um rendimento de 2% mais ou menos tambem...
Então a dica é tentar se guiar mais pelo p/vp do que pelo p/l...
Considerando isto, Tupy é uma boa pedida realmente, mas ainda temos coisas melhores...


csmg3 como já comentei, mgel4 (esta eu ainda não consegui encarteirar, mas to doido pra pega-la), Briv4 que tambem já foi bem comentada aqui (tambem ainda nao consegui encarteirar, mas estou querendo)...


9382 - jairmatoso2 - 22/Jul/2009 16:31
cara, se nao me engano, maior parte da receita é de exportacao nao é ? me corrija caso esteja falando besteira, pois nao conheco muito a empresa ... se for isso, tem de ver se o q pesa mais, se a divida em dolar ou a receita em dolar .. como a receita dos ultimos 12 meses dá 3x a divida, talvez seja melhor q o dolar suba, e nao caia ... mas tem de ver o mix de produtos e tal ... qto exportam ... acho q dependem mto do mercado externo .. ai entao essa 'bombacao' do mercado interno nao ajuda mto eles ...
Mas foi o q falei, vamos esperar o resultado do 2tri e avaliar ... talvez seja sim uma boa ...


O p/l de 5,47 ta inflado ... ta levando em consideracao os resultados de 2008. Se o resultado do 2tri/09 vier bem mais fraco q o resultado do 2tri/08, esse p/l ja vai subir mto ... entao temos de aguardar



9381 - dren - 22/Jul/2009 16:22
A tupy tinha muitas dívidas em dolar por isso a valorização do real impacta positivamente nos resultados apesar de ela exportar também uma parcela de sua receita, ainda tem a redução do IPI e a maior venda de carros no 2ºTri que deve impactar positivamente, mas o melhor disso tudo é que a empresa ta com um P/L de 5,47 um dos menores da bolsa. se alguem souber de empresa com P/L menor por favor me informe.

9379 - jairmatoso2 - 22/Jul/2009 15:59
interessante ...
lembro q meu chefe num banco de investimentos aqui do Rio conhecia bem o dono da Tupy ... eram 'amigos' ... e quando o dolar explodiu, ele falou q a Tupy ia se dar bem, pois nao faziam nenhum tipo de hedge para a queda ... nao conheco muito a empresa, mas levando essa informacao em consideracao, temos de ver o quanto a valorizacao do real está impactou no resultado do 2tri ...



9378 - dren - 22/Jul/2009 15:51
Caros amigos, achei uma ação com P/L de 5,47 é a Tupy3. Tem potencial para dobrar, melhor ação da bolsa atualmente. Ainda se beneficia da recente redução de IPI para automóveis e da desvalorização cambial (possui dívida em dólar) o que deve turbinar ainda mais seus resulatados do 2º Tri. Entrem no tópico que criei e comentem para manter essa ação na 1º página. Vamos as compras pessoal, melhor ação da bolsa.


8549 - paulo_prof - 09/Jul/2009 23:22
citação: jlc007Opa perdão Paulo,
Esqueça CREM3, o ativo sobre o qual gostaria sua opinião era TUPY4...Vc inclusive já mencionou em termos de múltiplos , mas que tange à empresa e segmento se puder opinar...
Obrigado
TUPY4 praticamente não é negociada ... Vc se refere a TUPY3, ok?
Não conheço a empresa em detalhes. Não me parece que a governança seja de 1a. linha ... mas também não parece ser aquela catástrofe, embora pelo porte da empresa seria normal esperar algo melhor.
No que tange o segmento, a pergunta é: qual segmento? O site da empresa fornece uma boa idéia dos produtos que fabrica (automotivos, conexões, grenalhas e perfis), mas não fornece informações sobre o mix que é praticado. Tampouco há informações relativas ao percentual de participação dos mercados externos (Nafta, Europa, Ásia, Africa, Mercosul) e interno.
Em conseqüência, não dá para entender a razão da queda de 28% na receita líquida, do 1T08 para o 1T09. No mercado interno, a queda na produção foi: automóveis (16%), comerciais leves (12%), caminhões (33%), ônibus (25%), total (16%), máquinas agrícolas (20%). A menos que a Tupy atue primordialmente no segmento caminhões, e/ou no mercado externo, os 28% não se encaixam.
Sem ter uma boa ideía do mix de produtos/mercados, não há como fazer projeções sobre o que esperar no 2T09.
No 1T09 a empresa teve um ganho de capital não recorrente de R$ 20 milhões (venda de ativos florestais). Sem este ganho, estimo que o lucro líquido teria sido de apenas aprox. R$ 22 milhões.
Com o aumento na produção de veículos no mercado interno (bem mais concentrada em automóveis e comerciais leves), supondo-se o quadro externo e outros segmentos de atuação inalterados, quanto se pode esperar de aumento neste lucro? 15-20% no máximo? Isto não justificaria um investimento em TUPY3 agora. Melhor esperar o balanço 2T09 para ver no que vai dar.


Excetuando a Tegma, acho que serão poucas as empresas negociadas na Bovespa que se beneficiarão plenamente da produção recorde de automóveis + comerciais leves no trimestre.


8532 - tota57 - 09/Jul/2009 18:38
Prognósticos sinistros caro Professor.


Coloquei Tupy e MYPK no radar. A primeira eu já retirei semana passada, principalmente pela governança. A segunda estou retirando agora, ao ler suas estimativas...srsrsrs


8531 - paulo_prof - 09/Jul/2009 18:27
TUPY3: Estimo que o seu lucro líquido no 2T09 seja de aprox. R$ 19 milhões, o que forneceria um P/L anualizado de 13.
Como pode ser notado, não há nenhuma Brastemp entre o grupo. Concordo, portanto com o octacm, e não compraria nenhum dos ativos listados.


Se fosse forçado a tanto, provavelmente compraria TUPY3 (em vez de RAPT4), pois o seu P/VPA é de apenas 0,87 e eu não ficaria surpreso se o lucro líquido do 2T09 se mostrar R$ 5 milhões maior do que o previsto.


7898 - eurico22 - 28/Jun/2009 22:56
citação: tota57Boa noite pessoal,
Alguem conheçe bem Tupy3?
-PL= 4,09
-P/VPA= 0,90
-PSR= 0,44
-ROE= 21,98%
-DY= 6,04%
- LUCRO 1o TRI 08= 26.584M
- LUCRO 1o TRO 09= 36.977M
Oi, Tota!
Ela é uma empresa simpaticazinha, sim. Péssima governança corporativa.
Nesse primeiro trimestre, a receita bruta caiu demais, muito mais do que a média do setor. O que ocorre é que uma receita extraordinário sustentou o lucro, foi uma venda de um ativo, se não me engano.

Portanto, penso que deveríamos esperar o ITR do 2 trimestre para nos posicionar, com sorte o mercado poderia estar fazendo um ajuste de estoques, por exemplo...

6447 - small caps - 01/Jun/2009 22:46
danielbehar, TUPY3 chamou minha atenção com o resultado do primeiro trimestre, conquistado mesmo com férias coletivas intensas na cadeia produtiva. Mas ainda não verifiquei a fundo a razão disto... Ainda havia uma fila de compras a ser efetuada antes de chegar a vez da companhia...

Nenhum comentário: