Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 1 de abril de 2020

Le Lis Blanc (LLIS)


Subsetor
Segmento

Recomendações
 

Carteiras
Chinese_Wall (jan/16, fev/16) - Gusmaran (set/17) - paulo_prof (fev/17)

Códigos de Negociação
Tipo
LLIS3
 Novo Mercado

Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019

3T2019 -
No relatório, as quedas na Receita Líquida (desde o 3T18 as quedas tem sido contínuas) são justificadas por uma "guinada" no modelo de negócios: (a) corte de vendas para canais online de terceiros; e (b) redução de vendas promocionais no canal de varejo. Por enquanto, a grande queda no faturamento ocasionada por esta estratégia, não vem sendo adequadamente compensada pelo aumento da margem bruta, Nos 5 exercícios terminados em 2018, a margem bruta média foi de 60,7%, com 63,4% em 2018. Nos 9 meses do exercício de 2019 a margem bruta foi de 64,7%, mas com piora no 3T19 em relação ao 1T19. Ou seja, não será possível aumentar a margem bruta para compensar a queda de 32% na Receita Líquida ocorrida nos últimos 12 meses. Acho que a empresa terá que fechar um grande número de lojas, especialmente em cidades do interior, para reduzir despesas operacionais. Hoje, por trimestre, as despesas operacionais somam aprox. R$ 150 milhões, em média, nitidamente incompatível a Receita Líquida corrente de pouco mais de R$ 200 milhões. Por outro lado, não vejo como no negócio de vestuário de (suposto) luxo, possa deixar de queimar o estoque de coleções antigas em promoções.

1T2019 -

A2018/4T2018 -

3T2018 -

2T2018 -

3T2017 -

1T2016 -
Que bosta de resultado da Le Lis Blanc... consumo de luxo, varejo, estão sentindo demais a crise.

2T2013 -
Banzai10  -
Não achei o resultado da LLIS a pior coisa do mundo. Eles claramente estão batalhando para reduzir os custos e as dívidas. Não foram mais afetados por dívidas em dolar, o que é sempre bom pois a zeraram, porém pegaram empréstimo a 115% do CDI se não me engano, ou foi 105%? De toda a forma tem MUITA divida.
O destaque deste trimestre, se é que há algum foi a geração de caixa altíssima, a redução de despesa e o impacto negativo não recorrente de 4 milhões e ainda os 2 milhões de câmbio que não ocorrerão mais. Além de 14 (6 no 2t12) milhões de depreciação, que no fim das contas não afeta caixa.
Enfim, acho que continuará apanhando, mas considero um bom candidato a turn-around (novamente), até o fim do ano deve apresentar melhoras consistentes.

Características
Confecção de produtos em geral. Através de Terceiros; Importação e Exportação; Exploração de Comércio e Indústria de Confecção de Produtos em Geral.

Empréstimos
14/01/2020 - aprovação da celebração de contrato de mútuo com a empresa RIO VERDE CONSULTORIA E PARTICIPAÇÕES LTDA.pelo valor de R$ 50.000.000,00.

Assembleias

Apresentações

Balanços (Calendário)



Resultados Péssimos. Nos números nada há que se salve. Precificação atual compatível com um lucro líquido trimestral real constante de aprox. R$ 16 milhões. Pelo andar da carruagem, eu acho que a empresa não conseguirá promover o turn around. Para mim, há algo intrinsicamente errado no modelo de negócios da empresa.

No relatório, as quedas na Receita Líquida (desde o 3T18 as quedas tem sido contínuas) são justificadas por uma "guinada" no modelo de negócios: (a) corte de vendas para canais online de terceiros; e (b) redução de vendas promocionais no canal de varejo. Por enquanto, a grande queda no faturamento ocasionada por esta estratégia, não vem sendo adequadamente compensada pelo aumento da margem bruta, Nos 5 exercícios terminados em 2018, a margem bruta média foi de 60,7%, com 63,4% em 2018. Nos 9 meses do exercício de 2019 a margem bruta foi de 64,7%, mas com piora no 3T19 em relação ao 1T19. Ou seja, não será possível aumentar a margem bruta para compensar a queda de 32% na Receita Líquida ocorrida nos últimos 12 meses. Acho que a empresa terá que fechar um grande número de lojas, especialmente em cidades do interior, para reduzir despesas operacionais. Hoje, por trimestre, as despesas operacionais somam aprox. R$ 150 milhões, em média, nitidamente incompatível a Receita Líquida corrente de pouco mais de R$ 200 milhões. Por outro lado, não vejo como no negócio de vestuário de (suposto) luxo, possa deixar de queimar o estoque de coleções antigas em promoções.

Há que se monitorar a empresa em 2020 para ter uma idéia do resultado da nova estratégia.

p.php?pid=chartscreenshot&u=wJB5xo3C7pWB


LLIS3

PREÇO: R$ 15,45

PAYOUT (2018): 23,76%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses anualizados

P/L -14,21

P/VPA 0,36

PSR 0,79

DY -1,67%

EV/EBITDA 10,24

MARGEM BRUTA 64,2%

MARGEM OPERACIONAL -8,5%

MARGEM LÍQUIDA -5,6%

LUCRO POR AÇÃO -R$ 1,087

MARGEM EBITDA 21,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 79,7%

ROE -2,55%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,03



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses anualizados sobre os 12 meses terminados no 3T18, nominal:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -19,21%

RESULTADO BRUTO -17,39%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +8,99%

RESULTADO OPERACIONAL NEGATIVO -36,74%

RESULTADO LÍQUIDO passou de positivo para negativo

EBITDA -20,89%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -32,49%

RESULTADO BRUTO -30,43%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +2,54%

RESULTADO OPERACIONAL passou de positivo para negativo

RESULTADO LÍQUIDO passou de positivo para negativo

EBITDA -71,23%



c) lucro liquido NEGATIVO, nominal (últimos 12 meses)

UA passou de positivo para negativo

U2A +52,27%

U3A -0,56%



d) patrimônio líquido médio

UA 2,06%

U2A 15,18%

U3A 9,02%



e) ebitda (taxa média anual) - últimos 12 meses

UA -20,89%

U2A -12,86%

U3A -1,25%

U4A -1,96%

U5A 5,86%

U6A 9,93%

U7A 11,79%

U8A 10,96%

Professor Paulo, abusando da sua boa vontade, o que pensa do processo de turnaround da LLIS3? Vem caindo bastante ha tempos, justificado pelos resultados postados.

Acredita que pode estar no início do processo de melhora? Deve ser impactado com a melhora da economia domestica.
365050 - paulo_prof  -  08 Nov 2019, 17:34
Tenho a impressão de que há algo de errado na LLIS ... mas não sei bem o que é. Acho que uns 85% dos consumidores LLIS são classe A, em princípio não atingidos pela crise. Talvez seja uma questão de preços altos demais, comparados com o exterior (a minha esposa, por exemplo, só compra na LLIS se realmente está necessitando de algo de imediato ... de outra forma, espera a próxima viagem para comprar). Eu mesmo, raramente compro Dudalina.

Em consequência, tenho lá as minhas dúvidas de que a empresa completará um turn around. Para se aproveitar de eventual virada na economia, acho que a LLIS deveria aumentar a oferta do prêt-a-porter para a classe média. Ou seja, deveria baixar o preço médio dos ítens vendidos nas lojas para atrair um público maior. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲

Queda da Receita, aumento das despesas operacionais, pior resultado financeiro ... prejuízo! Ativo super caro!

LLIS3

PREÇO: R$ 26,00

PAYOUT (2018): 23,76%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses anualizados

P/L 19,15

P/VPA 0,61

PSR 1,12

DY 1,24%

EV/EBITDA 7,69

MARGEM BRUTA 64,7%

MARGEM OPERACIONAL 7,3%

MARGEM LÍQUIDA 5,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,358

MARGEM EBITDA 27,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 80,1%

ROE 3,17%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,22



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses anualizados sobre os 12 meses terminados no 1T18, nominal:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -4,53%

RESULTADO BRUTO +4,23%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +3,21%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO -84,47%

EBITDA +22,95%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -16,35%

RESULTADO BRUTO -10,15%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +30,06%

RESULTADO OPERACIONAL passou de positivo para negativo

RESULTADO LÍQUIDO passou de positivo para negativo

EBITDA -26,76%



c) lucro liquido, nominal (últimos 9 meses anualizados)

UA -84,47%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 15,32%

U2A 14,40%

U3A 8,14%



e) ebitda (taxa média anual) - últimos 9 meses anualizados.

UA 22,95%

U2A 13,96%

U3A 16,12%

U4A 11,64%

U5A 19,07%

U6A 22,81%

U7A 17,44%

U8A 19,53%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +10,5%

360010 - paulo_prof  -  31 Mar 2019, 15:30
O 4T17 foi marcado por muitos não recorrentes. O Ebitda foi impactado por R$ 51,8 milhões de provisões de estoques, R$ 32,2 milhões de perda de margem nos Outlets e R$ 31,1 milhões de créditos tributários. O Lucro Líquido foi impactado por R$ 52,9 milhões de ajustes ao EBITDA, R$ 166,8 milhões de impairment de ativos, R$ 74,7 milhões de IR diferido sobre os itens anteriores e R$ 545,4 milhões de IR diferido sobre o ágio de incorporação da Dudalina S.A.

Não tive a paciência de expurgar todos estes fatores dos Resultados de 2017. Em consequência, comparações com o 4T17 e 2017, no que concerne o Resultado Antes dos Impostos e Lucro Líquido fazem pouco sentido.

Reforço a opinião de que não se pode negar que a reestruturação após incorporação da Dudalina, com o fechamento de lojas, integração de atividades e controle de custos, tem apresentado resultados. Apesar de uma estagnação na Receita Líquida, parece que o aumento da margem bruta aumentou veio para ficar. Por outro lado, acho que considerado o nicho em que (varejo de alta renda), deverá beneficiar-se primeiro da recuperação da economia.

Achei os Resultados do 4T18 excelentes e não posso continuar achando que o ativo esteja super caro. Não é um ativo barato, mas considerando ser candidato a queridinho do mercado, acho que o preço está correto.

LLIS3

PREÇO: R$ 32,00

PAYOUT (2018): 23,76%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses anualizados

P/L 15,96

P/VPA 0,74

PSR 1,33

DY 1,49%

EV/EBITDA 7,19

MARGEM BRUTA 63,7%

MARGEM OPERACIONAL 10,4%

MARGEM LÍQUIDA 8,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,005

MARGEM EBITDA 28,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 50,1%

ROE 4,65%

LIQUIDEZ CORRENTE 0,83



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses anualizados sobre os 12 meses terminados no 4T17, nominal:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,45%

RESULTADO BRUTO +10,37%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -14,85%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO -75,40%

EBITDA +36,52%



b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,42%

RESULTADO BRUTO +6,90%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -4,41%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO -89,51%

EBITDA +168,57%



c) lucro liquido, nominal (últimos 9 meses anualizados)

UA -75,40%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo

d) patrimônio líquido médio

UA 22,66%

U2A 13,71%

U3A 7,42%



e) ebitda (taxa média anual) - últimos 9 meses anualizados.

UA 36,52%

U2A 23,87%

U3A 12,05%

U4A 19,13%

U5A 23,70%

U6A 23,66%

U7A 19,47%

U8A 21,46%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 25,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0%

356028 - paulo_prof -  19 Nov 2018, 12:01
Esta é outra "queridinha do mercado" que não me convence. Nunca entregou resultados compatíveis com o preço de mercado ...

O 4T17 foi marcado por muitos não recorrentes. O Ebitda foi impactado por R$ 51,8 milhões de provisões de estoques, R$ 32,2 milhões de perda de margem nos Outlets e R$ 31,1 milhões de créditos tributários. O Lucro Líquido foi impactado por R$ 52,9 milhões de ajustes ao EBITDA, R$ 166,8 milhões de impairment de ativos, R$ 74,7 milhões de IR diferido sobre os itens anteriores e R$ 545,4 milhões de IR diferido sobre o ágio de incorporação da Dudalina S.A.

Não tive a paciência de expurgar estes fatores dos Resultados de 2017. Em consequência, no que segue, usei os resultados dos últimos 9 meses anualizado.

Não se pode negar que a reestruturação após incorporação da Dudalina, com o fechamento de lojas, integração de atividades e controle de custos, tem apresentado resultados. Apesar de uma estagnação na Receita Líquida, a margem bruta aqumentou consideravelmente. Muito as ainda é muoto pouco frente ao preço corrente. O ativo está caro para o meu gosto.

LLIS3

PREÇO: R$ 28,30

PAYOUT (mínimo legal): 25%



Múltiplos baseados nos últimos 9 meses anualizados

P/L 18,73

P/VPA 0,66

PSR 1,16

DY 1,33%

EV/EBITDA 7,40

MARGEM BRUTA 63,9%

MARGEM OPERACIONAL 7,3%

MARGEM LÍQUIDA 6,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,511

MARGEM EBITDA 25,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 53,8%

ROE 3,53%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,14



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 9 meses anualizados sobre os 12 meses terminados no 3T17, nominal:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,23%

RESULTADO BRUTO +9,52%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -18,14%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +14,53%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,57%

RESULTADO BRUTO +11,89%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +3,55%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +11,52%



c) lucro liquido, nominal (últimos 9 meses anualizados)

UA passou de negativo para positivo

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 29,99%

U2A 12,68%

U3A 6,80%



e) ebitda (taxa média anual) - últimos 9 meses anualizados.

UA 14,53%

U2A 20,51%

U3A 11,70%

U4A 19,00%

U5A 21,63%

U6A 21,95%

U7A 19,43%

U8A 26,62%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$18,89

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 9 meses anualizados necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +10,0%

354043 - marcosvinicius2 -  24 Set 2018, 23:34
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). EBITDA, Margem EBITDA e Lucro Líquido = Como consequência da melhora em receita e margem bruta, o EBITDA do 2T18 atingiu R$98,0 milhões (+8,8%), com margem de 29,4% (+2,9p.p.). Ajustado pelas despesas relacionadas ao fechamento de uma das plantas industriais da Companhia, o EBITDA atingiu R$ 102,3 milhões (+9,6%) com margem de 30,6% (+3,3p.p.). No 2T18, o lucro líquido foi de R$ 30,3 milhões, comparado com um lucro líquido de R$8,3 milhões no 2T17 (crescimento de R$ 22,0 milhões). Contribuíram para esse resultado, além da melhora operacional refletida no aumento de EBITDA, uma menor despesa financeira e menor volume de depreciação e amortização. Com o início da amortização do ágio de incorporação da Dudalina S.A., evitou-se o impacto de caixa do imposto de renda e contribuição social apurados no período. Como resultado, o cash earnings atingiu R$ 41,7 milhões, com 12,5% de margem líquida.A despesa financeira líquida totalizou no 2T18 R$ 42,2 milhões, -10,3% menor em relação ao 2T17, sendo impactada negativamente pela variação cambial sobre importações em R$ 6,8 milhões. Excluindo o impacto da variação cambial e despesas relacionadas a comissão de cartão de crédito essa rubrica apresenta uma redução de 28,6% em relação ao 2T17, alinhado com a queda da taxa básica de juros na comparação entre períodos.A melhora em depreciação e amortização, passando de R$ 31,3 milhões para R$ 18,4 milhões (-41,2%),é oriunda em grande parte da revisão da base de ativos promovida em 2017, com a racionalização da rede de lojas, plantas industriais e centros de distribuição.:

LLIS3
PREÇO: R$ 26,63
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

LLIS3
PREÇO: R$ 26,63
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 2,97
P/VPA 0,63
PSR 1,10
DY 0,00%
EV/EBITDA 8,08
MARGEM BRUTA 61,05%
MARGEM OPERACIONAL -12,07%
MARGEM LÍQUIDA 37,19%
LUCRO POR AÇÃO R$ 8,971
MARGEM EBITDA 22,68%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 55,46%
ROE 21,07%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,10

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 1,00%
RESULTADO BRUTO 3,83%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -17,25%
RESULTADO OPERACIONAL 249,45%
RESULTADO LÍQUIDO -1240,51%
EBITDA -0,03%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,12%
RESULTADO BRUTO 9,05%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -10,28%
RESULTADO OPERACIONAL 217,81%
RESULTADO LÍQUIDO 266,28%
EBITDA 8,77%

c) lucro (taxa média anual)
UA -1240,51%
U2A ND
U3A 248,79%

d) patrimônio líquido médio
UA 21,62%
U2A 8,74%
U3A 13,91%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 107,21
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -30% !!!!

DEVIDO AO LUCRO NÃO RECORRENTE do 4T17, recalculamos os indicadores ANUALIZADOS pelo 1S18:

LLIS3
PREÇO: R$ 26,63
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,57
P/VPA 0,63
PSR 1,09
DY 0,00%
EV/EBITDA 4,25
MARGEM BRUTA 65,40%
MARGEM OPERACIONAL 9,82%
MARGEM LÍQUIDA 8,00%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,962
MARGEM EBITDA 42,40%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 55,46%
ROE 4,61%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,10

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 2,76%
RESULTADO BRUTO 13,16%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -27,19%
RESULTADO OPERACIONAL -389,25%
RESULTADO LÍQUIDO -349,44%
EBITDA 90,13%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,12%
RESULTADO BRUTO 9,05%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -10,28%
RESULTADO OPERACIONAL 217,81%
RESULTADO LÍQUIDO 266,28%
EBITDA 8,77%

c) lucro (taxa média anual)
UA -349,44%
U2A ND
U3A 110,15%

d) patrimônio líquido médio
UA 21,62%
U2A 8,74%
U3A 13,91%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,65
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): 14,5% !!!!
[...]

352511 - paulo_prof  - 03 Ago 2018, 23:41
Sim ... Foi no 4T17 que a LLIS contabilizou a vantagem financeira resultante da incorporação da Dudalina.

352510 - keep_calm  -  03 Ago 2018, 22:39
Prof Paulo, fiquei confuso com esses comentários sobre LLIS3 : "Achei bastante bons os resultados da LLIS. Pelo andar da carruagem, o extenso período de prejuízos (2013 a 2016) parece ter ficado para trás. No que segue, os múltiplos são calculados com base nos resultados do 1o. semestre de 2018, anualizados. Isto porque o resultado do 4T18 contém um enorme lucro não recorrente.

Há que se aguardar os resultados dos próximos trimestres para ter uma melhor idéia da tendência da trajetória do lucro, pois a taxa de crescimento do lucro do 2T18 sobre o lucro do 1T18, não deve ser utiizada como parâmetro."

Ao invés de 4T18 , não seria 4T17???? Ou é uma projeção de lucros para o 4T18 mesmo ....

Com todo respeito me desculpe, caso eu estiveja equivocado. Minha intensão não é criticá-lo ou corrigi-lo, sei que é muito balanço para analisar e a xupinzada a pedir interpretações extras .... Minha intensão é apenas em colaborar e tentar entender essas maravilhosas análises. Cordiais saudações, keep_calm.

352505  - paulo_prof  -  03 Ago 2018, 17:32
Achei bastante bons os resultados da LLIS. Pelo andar da carruagem, o extenso período de prejuízos (2013 a 2016) parece ter ficado para trás. No que segue, os múltiplos são calculados com base nos resultados do 1o. semestre de 2018, anualizados. Isto porque o resultado do 4T17 contém um enorme lucro não recorrente.

Há que se aguardar os resultados dos próximos trimestres para ter uma melhor idéia da tendência da trajetória do lucro, pois a taxa de crescimento do lucro do 2T18 sobre o lucro do 1T18, não deve ser utiizada como parâmetro.

De qualquer forma, há indícios de que o ativo possa estar barato.


Múltiplos baseados nos últimos 6 meses anualizados

LLIS3

PREÇO: R$ 27,00

PAYOUT (mínimo legal): 25%

P/L 13,76

P/VPA 0,63

PSR 1,10

DY 1,82%

EV/EBITDA 6,42

MARGEM BRUTA 65,4%

MARGEM OPERACIONAL 9,8%

MARGEM LÍQUIDA 8,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,962

MARGEM EBITDA 27,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 52,4%

ROE 4,61%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,10



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 24,52

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +2,5%

343787  - marcosvinicius2  -  10 Nov 2017, 17:31
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). DOS ULTIMOS 39 TRIMESTRES, 17 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (43,5897%). LUCRO Atribuído a Sócios da Empresa Controladora DO 3T17 = -6386 FOI MENOR DO QUE O LUCRO APRESENTADO NO 2T17 = 8.259 E MAIOR (TAMBEM) EM RELAÇÃO AO APRESENTADO NO 3T16 = -8.829. RESULTADO BRUTO TAMBEM FOI MAIOR NA COMPARAÇÃO ENTRE 3T16 = 165.775 X 3T17 = 171.112. VALOR DE MERCADO (MIL) = 2.084.903; VALOR MAXIMO (MIL) = 2.651.962 NO 4T14; VE PSBE (MIL) = 2.871.071:

LLIS3
PREÇO: 44,68
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -54,65
P/VPA 1,25
PSR 1,65
DY 0,00%
EV/EBITDA 10,05
MARGEM BRUTA 58,23%
MARGEM OPERACIONAL -2,94%
MARGEM LÍQUIDA -3,01%
LUCRO POR AÇÃO -0,817
MARGEM EBITDA 22,45%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 60,46%
ROE -2,28%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,84

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 12,28%
RESULTADO BRUTO 14,84%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -3,76%
RESULTADO OPERACIONAL -55,51%
RESULTADO LÍQUIDO -33,15%
EBITDA 26,81%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 11,94%
RESULTADO BRUTO 3,22%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -14,40%
RESULTADO OPERACIONAL -40,39%
RESULTADO LÍQUIDO -27,67%
EBITDA 2,92%

c) lucro (taxa média anual)
UA -33,15%
U2A 78,90%
U3A 145,19%

d) patrimônio líquido médio
UA -2,32%
U2A -3,20%
U3A 126,72%

EBITDA, Margem EBITDA e LucroFluxo de Caixa e Investimentos:

Como consequência da melhora em receita e da diluição de despesas, que se somamaos efeitos não recorrentes em custos e despesas, o EBITDA do 3T17 atingiu R$62,9 milhões (+2,9%), com margem de 19,9%. Excetuando-se impactos não recorrentes(R$ 7,3 milhões no CPV e R$ 9,0 milhões no SG&A),o EBITDA Ajustado do 3T17 chegou a R$ 79,2 milhões,com margem de 29,6%.

No 3T17 o prejuízo líquido foi de R$ 6,3 milhões, comparado com um prejuízo líquido de R$ 8,8 milhões no 3T16. Excetuando os impactos não recorrentes do trimestre,a Companhia apurou um lucro líquido ajustadode R$ 6,6 milhões. Nos 9M17, a Companhia apresentou EBITDA de R$ 217,1 milhões (+34,5%), com margem de 22,8%. Excetuando-se impactos não recorrentes, o EBITDA Ajustado atinge R$ 236,6 milhões (+46,5%),com margem de 24,8%.

LLIS42.png

ENDIVIDAMENTO:

A Dívida Líquida no 3T17 foi reduzida em R$ 18,3 milhões em relação ao 3T16, passando de R$ 734,6 milhões para R$ 716,3 milhões. Foi estabelecida no orçamento da Companhia uma meta de geração de caixa e desalavancagem com objetivo de se chegarao final de 2017 com relação dívida líquida/EBITDA menor que 2,0vezes. A administração da Companhia também tem como meta encerrar o exercício de 2018 com relação dívida líquida / EBITDA inferior a 1,5 vezes.


( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

342148  - Gusmaran -  18 Set 2017, 15:00
A quem possa interessar, trata-se de papel fora da cobertura das casa de research e com float de apenas 4%.

Montei posição em LLIS3 devido ao seu baixo valor de mercado em relação aos pares (notadamente a Arezzo) e superiores margens bruta e ebitda, além, é claro, de ter conseguido Ebitda recorde no 2T17, sendo o 5º trimestre consecutivos com melhorias operacionais. Aos numeros: arezzo treida a 22x Ev/ebitda x 7,5x da LLIS. Talvez a principal diferença é q a Arezzo é caixa liquido e a Llis tem divida liquida de 713 M. Na realidade, por esta razão, e, considerando que o endividamento está atrelado ao CDI, acredito que os resultados da LLIS tendem a performar muito melhor daqui em diante, já que a SELIC tem previsão de se situar abaixo de 7%. Na parte operacional a LLIS fechou duas se duas 6 fabricas, e cortou pela metade a área de uso do centro de distribuição. 33 lojas que não atendiam a rentabilidade minima da operação foram fechadas e mais de 100 colaboradores (incluindo alto management) foram dispensados. A cia nao descarta mais dispensas e mais fechamentos de loja. Estao entregando como nunca, e a ação em si, considerando que está no setor do momento (varejo) mal andou em relação aos pares setoriais. Meu preço-alvo é R$ 130 por LLIS3.

334511  - paulo_prof  -  21 Fev 2017, 19:41
... sei não ...

A Restoque vem postando prejuízos nos últimos 3 anos. No exercício de 2016 não será diferente. NA base trimestral, já são 5 trimestres consecutivos no vermelho. No exercício de 2016 os prejuízos trimestrais são declinantes, mas confesso que ficarei surpreso se o 4T16 vier no azul.

Nos últimos 12 meses, a geração de caixa medida pelo Ebitda (R$ 215 milhões) praticamente empatou com o Resultado Financeiro Negativo (R$ 201 milhões).

O endividamento líquido é de aprox. R$ 800 milhões. O Resultado Financeiro Trimestral é negativo em aprox. R$ 50 milhões, ou 25%! É uma enormidade. Há que se ler os releases com atenção para entender como isto é possível. A probabilidade do diretor financeiro estar viajando na maionaise é bastante alta.

321461  - NumBroker  -  11 Mai 2016, 16:05
Que bosta de resultado da Le Lis Blanc... consumo de luxo, varejo, estão sentindo demais a crise.

Restoque – Resultados negativos no 1T16

11.05 - 11:46 - Pedro Araujo
Os resultados da Restoque vieram negativos, com crescimento das vendas mesmas lojas e do EBITDA abaixo do esperado pelos nossos analistas do setor de Consumo e Varejo.

As vendas totais caíram 16% na comparação anual, enquanto o EBITDA recuou 50% na mesma base de comparação, vindo 24% abaixo da estimativa dos analistas, afetado pelas remarcações de preços e pelos esforços promocionais para reduzir o nível dos estoques. A companhia registrou ainda uma queima de caixa de R$ 39,6 milhões no trimestre. De modo geral, a Restoque registrou números fracos, como consequência de algumas falhas de execução combinadas com o cenário negativo para o consumo, o que pode manter os resultados de curto prazo sob pressão. Por ora, a recomendação permanece em market perform (desempenho em linha com a média do mercado), com preço justo de R$ 3,8.
fonte: Itaú

317466  - NumBroker   -  15 Fev 2016, 18:59
Pode isso, Arnaldo??

Executivos da Le Lis Blanc compram 40% da empresa, enquanto ação dispara 250%

Márcio Camargo e Marcelo Lima - nomes de peso da varejista - compram 22,9 milhões de ações e atingem 40% da empresa, a um preço 71% abaixo do valor atual

SÃO PAULO - No universo das ações de baixa liquidez, disparadas "sem motivo aparente" não são incomuns no mercado. Movimentos especulativos normalmente dão nome à esses saltos repentinos, que normalmente são acompanhados por fortes correções.

Em meados de janeiro, uma dessas ações começou a levantar curiosidade do mercado, em um movimento que contrariava - e muito - os demais papéis do setor. A ação da Restoque (LLIS3) - dona das marcas Le Lis Blanc, Bo.Bô e John John -, que na Bolsa é vista como small cap, com valor de mercado de R$ 1,9 bilhão, segundo fechamento da última sexta-feira, disparou 250% de 21 de janeiro até a máxima registrada nesta segunda-feira de R$ 6,40, segundo cotação das 14h00 (horário de Brasília). No ano, a alta acumulada é de 154%, contra "apenas" 1,3% de ganhos do índice Iconsumo, que compila 33 ações do setor listadas na Bovespa.

O motivo

O "nome" dessa disparada não foi nenhuma alteração de perspectiva sobre a empresa, mas uma enxurrada de compras iniciada por dois dos principais nomes da companhia - Márcio Camargo (presidente do conselho da Restoque) e Marcelo Lima (vice-presidente do conselho), conforme documentos entregues à CVM (Comissão de Valores Mobiliários) no dia 5 de fevereiro.

Le Lis Blanc

O documento revela que Márcio Camargo atingiu, direta e indiretamente, 81.735.211 ações da Restoque no dia 4 de fevereiro, enquanto Marcelo Lima passou a deter 61.136.491 ações da varejista no mesmo dia. No total, essas participações de 142.871.702 ações, representam 40,8% do capital social da empresa.
Essas operações aparecem mais detalhadas em um terceiro documento entregue à CVM dia 10 de fevereiro, que traz a posição consolidada da empresa, com data de referência em 31 de janeiro. Nele, mostra que o conselho de administração comprou 22,9 milhões de ações entre os dias 4 a 29 de janeiro deste ano, totalizando ao fim do período 127,2 milhões de papéis, ou 36,36% do capital social da empresa.
Embora não especifique os nomes, as ações do conselho de administração da Restoque são concentradas praticamente nos nomes de Márcio Camargo e Marcelo Lima. Como nos primeiros documentos mostram que ambos elevaram sua participação até atingir, em conjunto, 40,8% da empresa, pode-se deduzir que boa parte dessas operações foram realizadas no mês de janeiro, conforme traz a posição consolidada da empresa. Isto porque subtraindo a exposição conjunta dos dois, atualizada em 4 de fevereiro, de 142.871.702 ações, por 127.222.792 ações detidas pelo conselho, ainda sobram 15.648.910 ações, que provavemente foram adquiridas nos 4 primeiros pregões de fevereiro.

Das operações realizadas em janeiro, pode-se observar que as maiores compras foram realizadas entre os dias 4 a 14 daquele mês, quando os papéis ainda eram negociados a uma faixa entre R$ 1,78 e R$ 1,90.
No dia 14 de janeiro, por exemplo, observa-se um salto no volume financeiro movimentado com a ação na BM&FBovespa, quando alcançou R$ 17,6 milhões, contra média diária de R$ 1,2 milhão dos 21 pregões anteriores. Naquele dia, os executivos da companhia compraram 9.050.400 ações da empresa, ou R$ 16,1 milhões, a um preço médio de R$ 1,78 por ação.

"Comprando bem"

Pela posição consolidada da empresa, dá para notar também o preço médio que foram realizadas essas aquisições. Ao total, foram 35 operações, totalizando R$ 42,328 milhões, a um preço médio de R$ 1,85 por ação. No mercado, o montante adquirido pelo conselho correspondeu por 19,19 pregões da ação, considerando o volume diário médio negociado nos 21 pregões de janeiro, de R$ 2,205 milhões.
Embora as operações tenham iniciado no começo de janeiro, os papéis da varejista começaram a saltar na Bolsa somente a partir do dia 21 de janeiro, acumulando até agora alta de 250% até a máxima registrada nesta segunda-feira a R$ 6,40, segundo cotação das 14h00 (horário de Brasília). Considerando essa cotação, os executivos conseguiram realizar as compras a um preço 71% abaixo do valor atual da ação.
Vale lembrar que, antes desse salto, os papéis operavam no início de janeiro próximos ao menor patamar desde dezembro de 2009, mas com essa arrancada encontram-se já no maior patamar desde julho de 2015. No ano passado, as ações da companhia caíram 75,6% na Bolsa.

Na Bovespa, a exposição desses executivos às ações da varejista ainda é de 21 de janeiro, não considerando essas últimas aquisições. Por lá, é possível notar a participação dos fundos Northstar Equity e Waterford Participações, que são de titularidade de Marcelo Lima e Márcio Carmago, nesta ordem. Eles detinham, em conjunto, 14% da empresa. Provavelmente, no entanto, que eles detenham participações através de outros fundos, que somem aqueles 28,91% que aparecem no posição consolidada do fim de dezembro passado. Nas informações da Bovespa, os maiores acionistas eram Advent Varejo e Wp Xi B Fundo de Investimentos, com 18,64% e 20,94%, cada. Com essas aquisições recentes, no entanto, os dois passam a liderar com distância o capital da empresa, com uma fatia de agora 40,8%.

fonte: http://www.infomoney.com.br/restoque/noticia/4613341/executivos-lis-blanc-compram-empresa-enquanto-acao-dispara-250

203574  - Banzai10  -  15 Ago 2013, 06:03
Não achei o resultado da LLIS a pior coisa do mundo. Eles claramente estão batalhando para reduzir os custos e as dívidas. Não foram mais afetados por dívidas em dolar, o que é sempre bom pois a zeraram, porém pegaram empréstimo a 115% do CDI se não me engano, ou foi 105%? De toda a forma tem MUITA divida.

O destaque deste trimestre, se é que há algum foi a geração de caixa altíssima, a redução de despesa e o impacto negativo não recorrente de 4 milhões e ainda os 2 milhões de câmbio que não ocorrerão mais. Além de 14 (6 no 2t12) milhões de depreciação, que no fim das contas não afeta caixa.

Enfim, acho que continuará apanhando, mas considero um bom candidato a turn-around (novamente), até o fim do ano deve apresentar melhoras consistentes.

203551  - ispholambra  -  15 Ago 2013, 02:54
LLIS3

Foram com muita sede ao pote.... abriram lojas se endividando muito...
As vendas pelo visto não estão crescendo conforme as previsões...
Quiseram engolir um ovo de avestruz inteiro ao invés de fazer um omelete... e não é que o danado enroscou na garganta... kkkkkkkk

171197 - paulo_prof  -  08 Mar 2013, 02:43
LLIS3
PREÇO: R$ 9,32
PAYOUT (2012): 85,87%

P/L 117,31
P/VPA 6,57
PSR 2,15
DY 0,73%
EV/EBITDA 13,78
MARGEM BRUTA 69,1%
MARGEM OPERACIONAL 2,3%
MARGEM LÍQUIDA 1,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,079
MARGEM EBITDA 19,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 267,4%
ROE 5,60%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,95

Taxas nominais de crescimento médio

a) lucro líquido
UA -69,08%
U2A -43,94%
U3A 20,58%

b) patrimônio líquido médio
UA 13,85%
U2A 12,72%
U3A 8,88%

Será que algum dia a LLIS vai conseguir aumentar as margens. As taxas anuais médias de crescimento da Receita Líquida são robustas ... mas a empresa tem uma enorme dificuldade em transformar receita em lucro ...

c) crescimento nominal da Receita
UA 34,98%
U2A 34,58%
U3A 34,30%

No que concerne o crescimento da Receita Líquida, a empresa é um relógio ...

171157 - israel007 -  08 Mar 2013, 00:08
LLIS3
Empresa: RESTOQUE COMÉRCIO E CONFECÇÕES DE ROUPAS S.A. Ação: LE LIS BLANC ON Setor: Consumo Cíclico Subsetor: Comércio
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou lucro líquido de R$ 7,3 M no 4T12, uma variação de 106,3% em relação ao 3T12 e decréscimo de 57,6% em relação ao quarto trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 182,3 M neste trimestre, 20,6% superior que o terceiro trimestre de 2012, que foi de R$ 151,1 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 136,9 M.

A margem bruta atingiu 72,5% neste trimestre contra 71,6% no 3T12 e 76,5% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 4,0% no quarto trimestre de 2012 contra 2,3% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 973,1 M, acréscimo de 79,2% em relação ao saldo no 4T11. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 208,0 M no quarto trimestre de 2012, valor 5,6% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 4,0% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 1,4 B contra R$ 1,6 B no quarto trimestre de 2011.

153388 - small caps -  24 Out 2012, 03:27
Nem todo crescimento se dá num mar de rosas... segue:

Le Lis Blanc tem dificuldade em firmar novas marcas

Por AE | Estadão Conteúdo – seg, 22 de out de 2012
DESTAQUES

Nos corredores da sede da Restoque, dona da marca de roupas Le Lis Blanc, o clima entre funcionários não lembra nem de longe o glamour das campanhas da empresa com astros de Hollywood ou os flashes de colunas sociais que tomam conta dos coquetéis de inaugurações de lojas - só na primeira quinzena de outubro, seis novas unidades foram abertas. No meio do caminho de sua forte expansão, a Restoque se deparou com algumas pedras, que se traduziram em um prejuízo de R$ 12,8 milhões no segundo trimestre e em posteriores ajustes de custos, que incluíram a demissão de mais de 300 funcionários no mês passado.
O problema da Restoque é que nem todas as apostas no rápido crescimento deram o retorno inicialmente planejado. Pode ser apenas um soluço temporário - pelo menos é o que aposta a maioria dos analistas ouvidos pelo 'Estado' -, mas foi o suficiente para acender a luz amarela do mercado financeiro, que vinha tratando a empresa do fundo Artesia como uma espécie de "queridinha" do varejo nos últimos dois anos. Entre as instituições que reduziram a perspectiva das ações da Restoque de "acima da média" para "em linha com o mercado" estão a consultoria Raymond James e o banco JP Morgan.
Um conjunto de fatores levou a Restoque a contabilizar custos extraordinários de R$ 6,8 milhões entre abril e junho, o que colaborou para levar a empresa ao resultado negativo e a contrariar as expectativas do setor financeiro, que projetava um pequeno lucro. A companhia sofreu com atrasos em aberturas de shopping centers, superdimensionamento do número de atendentes nas lojas e também teve dificuldades na logística, que ficou dividida após seu centro de distribuição ter sido atingido por um incêndio em maio do ano passado.
Esses problemas se somaram a um momento difícil no mercado de moda para a classe A e B, segundo o consultor Edson D’Aguano. "A Le Lis Blanc está no grupo de marcas que concorre com as compras feitas no exterior", diz. "Todo esse segmento teve resultados ruins recentemente. A diferença é que a Restoque publica os resultados, pois é uma empresa aberta."
Na contramão do mercado, em que grupos com capacidade de investir procuram grifes já consagradas para compor seu portfólio - o caso mais recente é a compra da Osklen pela Alpargatas -, a Restoque decidiu chegar a novos universos com propostas próprias que não foram testadas, batizadas de Noir (linha masculina), John John (moda jovem) e Beauté (maquiagem). O resultado, até agora, não foi uniforme. Para a Raymond James, os novos formatos tiveram um "início desequilibrado; bom para a John John e nem tão bom para a Noir".
Para o ano que vem, o mercado já vê alguns ventos favoráveis para a Restoque. O primeiro respiro será a própria diminuição do ritmo de expansão, que vai se traduzir em custos menores. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

144686 - danieljoseaa -  15 Ago 2012, 03:14
Resultado do 2º Trimestre de 2012
A companhia divulgou prejuízo líquido de R$ 12,8 M neste trimestre, contra um lucro líquido de R$ 13,7 M no primeiro trimestre de 2012 e de R$ 14,1 M no segundo trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 163,6 M no segundo trimestre de 2012, crescimento de 17,8% em relação ao 1T12 e acréscimo de 41,4% em relação ao segundo trimestre de 2011.


32969 - paulo_prof - 15/Abr/2010 20:54
O Sr. tem os multiplos anualizados?
Estamos numa faixa de preço que tem variado de 6,7 até 7,25.
Esta diferença de preços teve resultado significativo nos múltiplos que fez o Sr. iniciar novamente uma posição?
Abraços
Na minha avaliação, no preço atual, o lucro líquido anual teria que ser no mínimo uns R$ 25 milhões. Ao preço de hoje, considerando o Patrimônio Líquido em 31DEZ2009, P/VPA = 2,64 e se o lucro líquido fosse, de fato, R$ 25 milhões, o P/L seria igual 16. Acho que um P/L elevado se justifica considerando o setor, e o fato da empresa estar crescendo à razão de uns 30% ao ano (HGTX3, por exemplo, apresenta P/L = 18; P/VPA = 6,5; crescimento no último ano = 40%).
Ocorre que a LLIS ainda nunca apresentou um lucro líquido na faixa dos R$ 6 milhões. A minha estratégia tem sido iniciar uma posição modesta antes da divulgação dos resultados. Ocorre que coloquei uma ordem de compra em R$ 6,70 só para constar e ela executou. Acabei iniciando a posição um pouco antes do que tinha planejado.
A idéia é esperar o resultado do 1T10. Se vier com um lucro líquido de pelo menos R$ 4 milhões, reforçar a carteira. Se vier abaixo dos R$ 2 milhões, vender e recomeçar no trimestre seguinte.



32963 - paulo_prof - 15/Abr/2010 18:30
citação: ltcripaBoa tarde colegas...
Paulo_prof, oq achou do último balanço de LLIS3?
Estou com preço médio bem baixinho, já com lucro de 130%, e já penso em fatiar.. como diz o Small..
Atenciosamente


Eu achei muito fraco ... vendi assim que saiu o resultado. Mas uma ordem de compra, para minha surpresa, foi executada na 2a. feira, de modo que reiniciei uma posição.

121012 - paulo_prof - 16/Mar/2012 09:59
PREÇO: R$ 34,75
PAYOUT (2011): 26,6%

múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 52,68
P/VPA 10,07
PSR 4,21
DY 0,50%
EV/EBITDA 19,29
MARGEM BRUTA 69,4%
MARGEM OPERACIONAL 11,7%
MARGEM LÍQUIDA 8,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,660
MARGEM EBITDA 23,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 104,2%
ROE 19,11%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,11

Taxas anuais médias nominais de crescimento:

a) do lucro líquido
UA 1,62%
U2A 138,09%
U3A 34,06%

b) do patrimônio líquido médio
UA 11,61%
U2A 6,48%
U3A 11,96%

Taxa anual média real de crescimento do lucro líquido necessária durante 3 anos para que o preço "justo" fornecido pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e taxa de desocnto real de 10% seja 50% superior à cotação atual: 107,5%


Será que há alguém, por aqui, que está achando LLIS3 barata????



25927 - Capa_Preta - 19/Jan/2010 09:36
LLIS emitiu um comunicado hoje com o seguinte:
COMUNICADO AO MERCADO
São Paulo, 18 de janeiro de 2010 - ...visando dar maior transparência de suas operações a seus acionistas e ao mercado em geral, antecipa algumas informações, ainda não auditadas, sobre os seus resultados no 4º trimestre de 2009 (4T09).
A receita bruta da Companhia no 4T09 foi 30% superior à do 4º trimestre de 2008 (4T08). As vendas brutas em lojas comparáveis (same-store sales) da Companhia no 4T09 foram 16% superiores às do 4T08. O crescimento das vendas brutas em lojas comparáveis foi de 22% em dezembro, 17% em novembro e 7% em outubro, na comparação com os mesmos meses de 2008.
Ao longo de 2010, a Companhia pretende dar seguimento à expansão do número de lojas próprias e pontos de vendas de atacado, mantendo a transparência de suas operações a seus acionistas e ao mercado em geral.

105512 - paulo_prof - 02/Dez/2011 21:32
citação: Vladilamas
Boa noite, Small e investidores!!!

Já faz algum tempo que me ausentei do fórum e embora tenha muita coisa pra ler e aprender, gostaria de pedir aos companheiros de fórum, que analisassem possíveis aquisições que pretendo fazer....

LLIS3 (CONSUMO E VAREJO)
LIGT3 (ENERGIA)
CTIP3 (FINANCEIRO)
KLBN4 (PAPEL)
UOLL4 (TECNOLOGIA E INTERNET)
JHSF3 (IMOBILIARIA E CONSTRUÇÃO) - JÁ POSSUO ALGUMAS EM CARTEIRA

Espero contar com a boa vontade sempre peculiar dos freqüentadores desse fórum, que certamente será muito valiosa...

Obrigado


LLIS3 parece ter se tornado uma espécie de queridinha do mercado embora, na minha opinião, os fundamentos não o justifiquem.

A empresa vem crescendo rapidamente em número de lojas próprias, receita líquida e resultado bruto, mas este crescimento não é transformado em lucro na mesma razão.

Mesmo considerando que o elevado nível de despesas da empresa é devido à sua estratégia de expansão rápida, e que no 3T11 o resultado financeiro foi fortemente impactado pela variação cambial da dívida em moeda estrangeira (mais uma empresa que se endivida em dólar, sem hedge), acho que LLIS3 está muito cara.

No 3T11 a empresa teve um prejuízo (causado pela despesa com a desvalorização do real na faixa dos 26 milhões) de R$ 3 milhões. Se a empresa não tivesse sofrido o impacto desta desvalorização, o resultado teria sido de um lucro de aprox. R$ 16 milhões. Considerando um lucro de R$ 16 milhões no 3T11, o LPA nos últimos 12 meses teria sido de aprox. R$ 1,00/ação.

A taxa anual real (descontada a inflação) de crescimento da receita líquida (e do lucro bruto) é de aprox. 34%. Supondo que a empresa consiguisse transformar todo o crescimento da receita, em igual crescimento do lucro, uma análise de FCD forneceria:

LPA: R$ 1,00
Taxa anual média real de crescimento dolucro líquido: 34%
Período de Crescimento: 3 anos
Taxa Real de Crescimento do lucro na perpetuidade: 0%
Taxa Real de desconto: 10%
VALOR JUSTO: R$ 22,59

Como pode ser observado, mesmo adotando hipóteses muito favoráveis, o preço justo calculado é 23% menor do que a cotação atual.

102314 - paulo_prof - 14/Nov/2011 12:50
Esta é mais uma empresa que decidiu se endividar em dólares durante o 3T11 e, em conseqüência, sofreu os efeitos da desvalorização cambial: uma pancada de aprox. R$ 22 milhões.

Em conseqüência, em vez de postar um lucro de aprox. R$ 11 milhões, postou um prejuízo de R$ 3 milhões.

No 4T11, com a valorização do real, o resultado certamente será algo turbinado.

Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +38,6%
RESULTADO BRUTO +40,5%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +650%
RESULTADO OPERACIONAL -6,0%
RESULTADO LÍQUIDO +2,6%
EBITDA +45,5%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: +0,1%

Multiplicadores relativos aos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 26,13
PAYOUT: 27,5%
P/L      39,04
P/VPA            9,01
PSR     3,30
DY      0,70%
EV/EBITDA  16,77
MARGEM BRUTA  66,4%
MARGEM OPERACIONAL          12,2%
MARGEM LÍQUIDA          8,4%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,669
MARGEM EBITDA 21,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       117,5%
ROE    23,09%
LIQUIDEZ CORRENTE     2,83

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      85,30%          
U2A    28,21%          
U3A    132,18%        

b) do patrimônio líquido médio
UA      4,51%
U2A    3,13%
U3A    18,19%



Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): +87%


35441 - eclv - 14/Mai/2010 08:51
Le Lis Blanc anuncia programa de recompra de ações
Por: Valter Outeiro da Silveira
14/05/10 - 08h00
InfoMoney
SÃO PAULO - A Restoque Comércio e Confecções (LLIS3), antiga Le Lis Blanc, informou em nota que seu Conselho de Administração aprovou um programa de aquisição de ações de emissão da companhia.
Segundo o comunicado, as ações terão como destino o cancelamento ou a manutenção em tesouraria, sem redução do capital social. O programa terá duração de um ano.
Detalhes
“Quantidade de ações a serem adquiridas: máximo de 2.374.001 ações ordinárias, que correspondem a 10% das ações ordinárias em circulação”, completa a nota
Por fim, a companhia comunica que o montante a ser adquirido deverá ser equivalente a 25% do lucro líquido apurado nas demonstrações financeiras da companhia relativas ao primeiro trimestre de 2010 e em cada trimestre subsequente durante o prazo de duração do programa.

32974 - ltcripa - 15/Abr/2010 23:26
Boa Noite, segue FR:
(15/04) LE LIS BLANC (LLIS - NM) - Informacoes nao auditadas sobre os resultados
do 1o trimestre de 2010
DRI: Luis Fernando Cunha Ryan
Enviou o seguinte comunicado:
A Restoque Comercio e Confeccoes de Roupas S.A. (anteriormente Le Lis Blanc Deux Comercio e Confeccoes de Roupas S.A.) (Bovespa: LLIS3) ("Companhia"), empresa varejista do setor de vestuario e acessorios de moda feminina de alto padrao no Brasil, visando dar maior transparencia de suas operacoes a seus acionistas e ao mercado em geral, antecipa algumas informacoes, ainda nao auditadas, sobre os seus resultados no 1o trimestre de 2010 (1T10).
A receita bruta da Companhia no 1T10 foi 27% superior aquela do 1o trimestre de 2009 (1T09), sendo que a receita bruta das lojas proprias cresceu 21% e a receita bruta para lojas multimarcas aumentou 56%. 
O crescimento de vendas brutas em lojas comparaveis (same-store sales) da Companhia foi de -1% em janeiro, 18% em fevereiro e 20% em marco, na comparacao com os mesmos meses de 2009, totalizando 12% no 1T10. Em janeiro de 2010, a Companhia realizou a liquidacao da Colecao de Verao, cuja venda foi proporcionalmente inferior a venda da liquidacao ocorrida em janeiro de 2009. A
Colecao de Inverno 2010 foi lancada no dia 29/01/2010.
Ao longo de 2010, a Companhia pretende dar seguimento a expansao do numero de lojas proprias e pontos de vendas de atacado, mantendo a transparencia de suas operacoes a seus acionistas e ao mercado em geral.
Sao Paulo, 14 de abril de 2010.
Eu permaneço com o investimento, elevei bem meu PM p/ evitar impostos.
Obrigado pelas informações.


21775 - danieljoseaa - 19/Nov/2009 21:34
Impressionante a LLIS3, só sobe nesses últimos dias, além disso distribuiu 0,10 em dividendos intermediários, vale lembrar que seu último payout, relativo a 2008, foi de 100% do lucro líquido, que deu 0,26 por ação.
Esse ano os dividendos restantes dependerão do resultado do 4° trimestre, período onde normalmente consegue seu melhor resultado.

Caso o resultado do 4° tri do ano passado seja repetido, teremos um LPA por volta de 0,40 por ação, como acabaram de ser distribuídos 0,10 por ação, caso o Payout de 100% seja repetido, excluindo a reserva legal, ainda teríamos por volta de 0,28 por ação a serem distribuídos, provavelmente em abril de 2010. 



14454 - danielbehar - 15/Set/2009 00:46
Bom, a pedido do colega angeloep, segue minha visão de LLIS3.
De acordo com a tabela disponibilizada pelo colega ANDWILSON, o PL HOJE - relativo aos últimos quatro trimestres - é de 12,29. O “projetado”, ou seja, a “previsão de futuro” baseada nos últimos dois trimestres, é de 57,12.
Pois bem, vejamos o que está por trás dessa diferença. Analisando os resultados apresentados, temos que a receita líquida de vendas relativa ao 2º TRIM/09 (62.263) foi superior ao mesmo período de 2008 (47.618). O lucro, no entanto, diminuiu substancialmente (1930 x 6231). Isso se deve - além de uma questão de ordem tributária - ao fato de as despesas cresceram numa proporção maior que as receitas.
Analisando o resultado, temos um certo impacto da rubrica “despesas de depreciação e amortização” (3.201 x 859), mas que não explica sozinha a queda nos lucros. No meu sentir, o impacto também advém das despesas com vendas ( 22.747 x 16.298) e administrativas (10.227 x 7.050), que aumentaram numa proporcão maior que as receitas. Vejam abaixo:
AUMENTO NA RECEITA DE VENDAS................30,75%
AUMENTO NA DESPESA (GERAL)..................43,96% (!)
..................................COM VENDAS.................39,56%
..................................ADMINISTRATIVAS..........45,06% (!)
Destaque também, na tentativa de explicar a queda no lucro, para o IR diferido: (1.016) x 1749. É um impacto bastante razoável. De acordo com a empresa, “o lucro líquido do 2T08 beneficiou-se da criação de créditos tributários derivados do prejuízo fiscal obtido naquele trimestre, através da dedutibilidade, para fins fiscais, das despesas do IPO.”
Mas busquemos algumas outras explicações no relatório. A empresa destaca, é claro, o aumento da receita líquida, lucro bruto, margem bruta e EBTIDA. Na outra ponta, para explicar o aumento das despesas, a empresa aduz:
a) Aumento da despesa com vendas: (i) “Aumento de 464 funcionários nas 21 lojas próprias inauguradas entre o final do 2T08 e o final do 2T09” e (ii) “Crescimento das despesas com comissões de vendas para vendedores em nossas lojas próprias, uma vez que as vendas através de lojas próprias cresceram 50,9%”. Destacando, além disso, uma despesa não recorrente de R$0,5 milhão, referente a rescisões de 172 contratos de trabalho no último trimestre (o que indica preocupação da empresa com o aumento dessas despesas).
b) Aumento das despesas gerais: aqui a empresa alega que “o aumento se deve ao crescimento das despesas de ocupação de novas lojas próprias (aluguel, condomínio, entre outras), devido à ampliação da base de lojas próprias” (uma estratégia da empresa). Destacando, outrossim, “uma despesa não recorrente de R$0,5 milhão referente a parte do pagamento de um projeto de uma consultoria externa, contratada para auxiliar a Administração em oportunidades de redução de custos, despesas e capital empregado através de melhorias operacionais, cujos efeitos benéficos esperamos começar a obter a partir do segundo semestre de 2009” (indica, de novo, preocupação da empresa com esse crecimento das despesas).
c) Aumento nas despesas de depreciação e amortização: mais uma vez relaciona-se à substituição das lojas licenciadas por lojas próprias.
Convém notar, ainda, para não interpretar erroneamente o “PL PROJETADO DO AND” (57,12), que as receitas crescem significativamente no último trimestre do ano e decrescem vertiginosamente no primeiro trimestre, de modos que há uma certa distorção na projeção dos lucros baseada somente nos número do primeiro semestre.
Bem, feitas essas considerações em relação aos resultados, importante destacar alguns aspectos bastante positivos. (i) A receita vem aumentando todos os anos, apresentando bom indicador PSR (1,02). (ii) A empresa não tem dívidas e possui disponibilidades líquidas no valor de R$25,8 milhões. (iii) Tem planos ambiciosos de expansão e atua num nicho muito interessante: varejista de moda feminina de alto padrão. É dona, atualmente, de duas marcas: “Le Lis Blanc Deux” e “Bo.Bô Bourgeois Bohême”. (iv) Em 2009 pagou proventos generosos(DY interessante para o setor).
No meu modo de ver, os ativos da empresa merecem acompanhamento. Nos próximos trimestres temos que observar se as lojas próprias novas (estratégia empresarial claramente priorizada pela administração) amadureceram, ou seja, alcançaram plenos potenciais de vendas, com reflexos positivos na receita. É preciso analisar, também, se a empresa terá êxito na proposta de diminuir as despesas, pois atualmente elas têm crescido numa proporção maior que as receitas.
Enfim, acho que se a idéia é apostar em algum ativo com bom potencial de crescimento, LLIS não é uma opção ruim, mas como diz o SMALL: aprecie com bastante moderação e, sobretudo, DIVERSIFIQUE. Eu, particularmente, por ser um pouco mais conservador, teria alguma dificuldade em iniciar posicionamento nos preços atuais. Prefiro, sinceramente, monitorar e analisar os próximos resultados pra ver se a empresa começa a mostrar lucros mais consistentes. Com a palavra os colegas mais experientes.
Como sempre, ressalvo que não tenho a mesma base teórica dos colegas SMALL, PROF. PAULO, TOTA e de tantos outros craques do tópico, razão pela qual:
(1) ninguém deve basear suas decisões nas minhas neófitas análises;
(2) aceito de bom grado críticas e aditamentos ao que tentei expor nessas linhas.

21335 de 2135916/Nov/2009 16:34 [Citar este comentário] 0
[Nível 0] danieljoseaaComentários: 715 - Desde: Jul 2008
16/11) LE LIS BLANC (LLIS – NM) - Distribuicao de Dividendo
DRI: Luis Fernando Cunha Ryan
Enviou o seguinte Aviso aos Acionistas:
“A Restoque Comercio e Confeccoes de Roupas S.A. (Bovespa: LLIS3) (“Companhia”) vem comunicar aos senhores acionistas e ao mercado em geral que o seu Conselho de Administracao aprovou, em reuniao concluida em 13 de novembro de 2009, usando a competencia que lhe confere o paragrafo 4 do artigo 33 do Estatuto Social da Companhia e com fundamento no artigo 204 da Lei n 6.404/76, a distribuicao de dividendos intercalares, com base nas demonstracoes financeiras levantadas em 30 de setembro de 2009, nos seguintes termos:
(i) o valor total dos dividendos intercalares sera de R$5.725.000,00 (cinco milhoes e setecentos e vinte e cinco mil reais), correspondente a R$ 0,10 (dez centavos de real) por acao ordinaria de emissao da Companhia; 
(ii) terao direito aos dividendos intercalares ora referidos os acionistas que constarem da posicao acionaria da Companhia junto ao Banco Itau S.A. (Agente Escriturador das acoes da Companhia) na data de 18/11/2009;
(iii) as acoes da Companhia passarao a ser negociadas ex-dividendos intercalares a partir de 19/11/2009, inclusive;
(iv) os dividendos intercalares ora referidos serao pagos em 26/11/2009, sem qualquer remuneracao, e serao imputados aos dividendos obrigatorios relativos ao exercicio de 2009.”


Norma: a partir de 19/11/2009, acoes escriturais ex-dividendo.


12793 - paulo_prof - 26/Ago/2009 23:11
citação: robertohaBoa noite a todos, Prof. Paulo outro dia li um post onde vc comparava as empresas do setor têxtil e vi que uma das duas empresas que você está comprado é LLIS3, gostaria de saber o porque, pois estou pensando em comprar.
Eu estar comprado num ativo não quer dizer grande coisa ...
Comprei LLIS3 porque parece ter uma administração agressiva (apesar da crise, a receita líquida em 2009 deve crescer mais de 25% em relação a 2008) e da política de proventos (payout de 95%). Espero que, passado o período transitório no qual as lojas que estão sendo incorporadas têm que passar para alcançar a maturidade, o lucro vai aparecer. É a única coisa nova que há no segmento.


11675 - gustgef - 14/Ago/2009 14:03
Fala galera de fundamentus!
É isso aí Paulo, cremer tá uma pechincha! Principalmente quando a gente olha pro crescimento absurdo da receita líquida.
Falar rápido algumas coisas...
Krot11 Resultado veio bom, o primeiro trimestre sempre tem lucros maiores mas anualizando o P/L ainda teríamos algo proximo de 10 e poderemos ter surpresas agradáveis nas aquisições a serem feitas pela companhia, a receita líquida e o número de alunos continua subindo, para min, do setor, é a melhor empresa e, na minha concepção, esse setor promete.
TPIS3 Resultado veio médio, no 1T09 houve um ganho por conta de uma indenização, enquanto no 2T09 veio o ganho de cambio. Excluindo isso houve um aumento ESPETACULAR do seu porto (em todos os sentidos, desde receita até o lucro) e uma retração MUITO estranha na receita de rodovias, acabando com a receita líquida apenas 3% maior que do trimestre anterior. Tudo mais em linha, os órgãos credores parecem confiar na empresa e continuar emprestando dinheiro a ela. Só para comentar a Usina que estão construindo possui uma previsão de EBITDA anual de 64 milhões. Acredito que a triunfo esteja querendo bancar uma daquelas empresas do Eike Batista e ficar alavancada até onde puder. Estimo um lucro entre R$5 e 10 milhões no próximo trimestre (dependendo do câmbio). Eu acredito muito na empresa, estão expandindo com força, diversificando e acertando, é uma minha xodó admito. MAS ATENÇÃO, a partir de 5 reais, a ação passa a ser uma ação com RISCO muito ALTO!


LLIS3 Resultado veio médio, as vendas estão crescendo muito bem e com constância, as conquencias da crise foram inferiores às imaginadas, o crescimento do EBITDA está vindo de acordo (apesar da crise o EBITDA veio igual ao 1S08), existiram custos inerentes de consultorias e treinamentos e desligamentos de funcionários que teriam inflado esse EBITDA e esse Lucro em mais 1 milhão pelo menos. Resultado, no longo prazo continua sendo um arraso, a empresa possui marca forte e futuro brilhante, no curto prazo ainda não merece uma fatia considerável de investimento, entretanto, o mercado precifica tudo muito antes então, acredito eu, que alguns fundos já corram atrás dela, só pelo crescimento constante das vendas.


8557 - chedi12 - 09/Jul/2009 23:24
citação: debinhao que vcs acham sobre llis3?
Seria muito infantil eu te dizer que entrar com força, pois a decisão é sua; porém eu já tou acreditando na LLIS a algum tempo e tive a sorte(espero) de comprar a 3.
alguns dados: -empresa sem dívidas com um caixa de mais de 35 milhões;
-tem um plano de expansão consistente e atualmente está com mais de 40lojas sendo 38 próprias, já que ela absorveu vários franqueados (inclusive o daqui de Natal), com isso creio que possa aumentar a margem bruta, pois sem intermediarios ela ganha no fornecimento e no preço da venda final. Mas a loja tá com uma política de preços mais baixa para algumas peças, o que pode diminuir a margem bruta, o que eu não acredito já que pessoas que não compravam na LE LIS tão comprando, e as que já compravam continuam;
-grande parte das lojas são novas em fase de maturação, com menos de 1 ano. imagine caso venham a ter sucesso....
-as clientes da marca são fiéis (quase uma igreja universal, hehe)e adoram principalmente as calças pela sua modelagem, não trocam por de outra marca;


-vendas não foram afetadas pela "crise" e a área de atuação da empresa não depende do humor dos Americanos, nem dos Chineses, nem de guerras,nem de preço do ferro, nem de gripe do porco, frango, gato, papagaio,lobisomem ,......


8556 - paulo_prof - 09/Jul/2009 23:29
citação: debinhao que vcs acham sobre llis3?


É uma promessa ... mas só os resultados do 2T09 poderão confirmar. Não há dados para antecipar. Ativo para efetuar um posicionamento inicial e aguardar. Só aumentarei a minha posição (que confesso ser sensivelmente maior do que um posicionamento inicial :-) se o lucro líquido do 2T09 (trimestre normalmente fraco para o varejo em roupas) for positivo em R$ 2 milhões.


7566  - brunovcn - 21/Jun/2009 21:26
citação: small capscitação: rfalvaresEstou lendo o livro "investindo em ações a longo prazo" e vi que historicamente nao há como não investir em açoes. A margem de segurança destas a partir de 5 anos, na média, é infinitamente melhor que a renda fixa. Detenho 95% do meu capital aplicado em boas companhias atualmente. Com a selic anterior era menos.
Outro ponto levantado pelo autor é que as bolsas geralmente fazem seu fundo, na média, 6 meses antes da recuperação economica. Elas detém seu pico há 3-4 meses antes dos impactos da crise. Conclusão: não há como acertar! A técnica do "Buy and Hold" traz retornos quase que semelhantes a aqueles que tentam acertar quando o mercado vai derreter.
A proposito, small ou amigos foristas, as margens da le Lis Blanc cairam um pouco. Será que ela conseguira aumenta-las.
rfalvares, LLIS3 pode reservar grandes alegrias ou decepções. Acredito no ativo, mas não é uma segurança como uma elétrica. Como está se expandindo fortemente, temos que verificar se vai conseguir manter suas excelentes margens e desempenho de vendas por metro quadrado.


Este é o nó da dúvida. Não é toda empresa que mantém-se lucrativa após uma expansão. As vezes a cultura empresarial não estava pronta para isto, com a administração muito centralizada. Mas não conheço estes detalhes e apenas os balanços nos vão apontar o trajeto. Penso em ter uma posição maior nela. Atualmente comprei 1/3 da quantidade de ações que pretendo adquirir. O restante virá conforme os balanços forem demonstrando o caminho.


7493 - small caps - 20/Jun/2009 15:47
rfalvares, LLIS3 pode reservar grandes alegrias ou decepções. Acredito no ativo, mas não é uma segurança como uma elétrica. Como está se expandindo fortemente, temos que verificar se vai conseguir manter suas excelentes margens e desempenho de vendas por metro quadrado.


Este é o nó da dúvida. Não é toda empresa que mantém-se lucrativa após uma expansão. As vezes a cultura empresarial não estava pronta para isto, com a administração muito centralizada. Mas não conheço estes detalhes e apenas os balanços nos vão apontar o trajeto. Penso em ter uma posição maior nela. Atualmente comprei 1/3 da quantidade de ações que pretendo adquirir. O restante virá conforme os balanços forem demonstrando o caminho.


7332 - gustgef  - 18/Jun/2009 00:17
Fala capa! herdsman! Ando sumido, trabalhando muito. O fórum anda meio esvaziado dos nossos amigos paulo e small ein?
Muito boa compra em LLIS3 capa! O resultado do 2T09 pode fazer ela disparar, esse 1T09 foi totalmente distorcido por promoções. A companhia preferiu perder margem a não perder a clientela, típico de empresas do ramo de luxo, ficam no prejuízo, mas não deixam as dondocas sem as roupas, posso estar errado também.
Tegma, vi uns comentários. Tava olhando Tegma já há alguns dias e conselho de amigo não mecham no que cai, ela tá em queda livre. Deixa a poeira baixa, é mais seguro. Ela tá caindo todos os dias de forma seguida, lembrem-se que o mercado é irracional, ainda mais se aparecerem os vendedores descobertos que operam medias móveis pra derrubar ainda mais pq ela tá prestes a sinalizar venda no gráfico diário, o que pra muitos deles basta. Mercado da Tegma é indiscutivelmente bom, entretanto,a expansão dela pra outras áreas está demorando muito, então é isso mesmo, empresa conservadora, investimento protegido, alto dividend yield. Se fosse recomendar pra meu avô era tegma na lata!
Triunfo! Não adianta, a triunfo está dando um show de rentabilidade e um show de governança corporativa! Rodovias na mesma, ok! O porto dela deve movimentar de acordo com meus cálculos algo em torno de 100mil TEU's esse trimestre! A dívida dela vai em 20 milhões só em ganhos cambiais! Podem anotar! Lucro de R$30milhões esse trimestre! Pruma empresa que não vale nem 400, é um espetáculo! A hidrelétrica vai dar só felicidade também.
Eztec, helbor, saraiva! Deixa a crise vir pra gente comprar mais!
Esses ajustes do bovespa de 10, 20% não chegam a influenciar tanto as small caps muito desvalorizadas, então não vamos ficar muito líquidos! até pq já caiu uns 7%, dcair mais 13 nao vai doer mais tanto.


Ah sim! TOTA57! otimas tabelas e comentários! A explicação sobre a usina de TPIS foi incrível! Bom contar com pessoas como você no fórum!


5857 - paulorizzi - 18/Mai/2009 00:28
Vc tem razão, gustgef.
O custo de vendas, relativo à receita líquida, passou de 32% no 1T08 para 36,5% no 1T09.
Po outro lado, o custo dos produtos vendidos, passou de 39% da Receita Líquida no 1T08, para 42% no 1T09.
De acordo com o relatório, entretanto, a diminuição do preço foi estratégica.
Tivesse o custo a mesma relação do que no 1T08, a Receita Líquida aumentaria e o custo de vendas seria de 33,9% da receita líquida.
O aumento (sobre os 32% do 1T08) seriam explicados pela "não maturidade" das lojas incorporadas, ou seja, menos vendas por m2 e funcionário.
A princípio, não há porque duvidar do que os caras estão afirmando. Mas ... o 2T09 sem dúvida vai clarear a questão.



5850 - gustgef - 17/Mai/2009 23:46
Não sei paulo, achei muito estranhas as despesas de vendas serem tão altas. Vou analisar com bem mais calma depois, mas concordo em quase tudo que você diz. Também achei o aumento do lucro bruto formidável. Com outras empresas teria finalizado posição temporariamente, mas não sei porque simpatizo muito com a idéia de riachuelo de luxo no Brasil. Além disso, a preocupação com o acionista da empresa é formidável, distribuiu 100% do lucro, essas coisas me cativam.


5845 - paulorizzi - 17/Mai/2009 23:39
Apesar de esperar um resultado líquido melhor, LLIS não decepcionou.


O processo de crescimento agressivo (50%) é nítido. No 1T09, entretanto, este crescimento e a crise afetaram as margens (lojas adicionadas ainda não maduras + lançamento da coleção de inverno a preços descontados para não perder volume). Resta ver como as margens vão evoluir no 2T09. De acordo com o relatório, a estratégia será a de reestabelecer os níveis históricos de preços. Se não houver perda sensível de volume, os resultados do 2T09 virão muito melhores (mesmo porque historicamente o 2T é melhor do que o 1T (férias de verão + carnaval).


5692 - Mr Turnaround - 15/Mai/2009 09:24
Resultado de LELIS. Melhor esclarecimento que este relatório impossível.
Governaça corporativa = 10.
Um resumo: lucro líquido foi afetado pela construções de novas lojas próprias e conversões de lojas licenciadas. Normal para empresas em forte expansão, não dá pra ganhar tudo ao mesmo tempo. E essa expansão já se observa no excelente aumento da receita.
E plantar a semente, por enquanto.
"Le Lis Blanc inicia o ano com crescimento de 55% na receita bruta e 42% no lucro bruto"


http://www.mzweb.com.br/lelisblanc/web/arquivos/LLB_ER_1Q09_20090514_port.pdf


5505 - Mr Turnaround - 12/Mai/2009 19:21
Se me permitem uma pequena análise de LLIS3, mas antes, aconselho comprar na quinta-feira depois do balanço. Pode pagar bem mais caro, mas esse é o preço da segurança. Eu já arrisquei e garanti meus lotes pra 5 anos.
LE LIS BLANC - LLIS3
Pessoal semana passada visitei duas lojas da LE LIS BLANC (sob pretexto de presente para o dia das mães), conversei com as vendedoras e fiquei muito satisfeito com o que ouvi e pelo grande movimento na loja. Nesse fim de semana fiz várias pesquisas e análises e fiquei convecido que se trata de um excelente negócio, iniciando minhas compras ontem e hoje.
LELIS é uma empresa que já existe a 20 anos, sendo a maior empresa de varejo de moda voltada principalmente para o público (fidelíssimo) feminino de média-alta e alta classe. A empresa tem um alto retorno sobre o capital e enorme potencial de crescimento. Gestão corporativa excelente se enquadrando no Novo Mercado, distribuindo altos dividendos (100%) relativos a 2008 no seu primeiro ano de Bolsa.
Após a IPO em 2008, a empresa iniciou um forte e agressivo plano de expansão adquirindo marcas com grande potencial de crescimento, como a BO.BÔ e deixou claro que está analisando novas aquisições.
Hoje tem 35 lojas e mais de 180 pontos de venda espalhados por todo país. Com objetivo primário de chegar a 90 lojas. A capacidade de crescimento do setor dispensa comentários, lembrando que LeLis é comercial.
Como já perceberam meu gosto é por negócios que atendem as necessidades básicas e "eternas" das pessoas, simples de entender e que, principalmente, eu possa acompanhar seu desempenho no dia a dia. Como meu mestre BUFFETT fez, acho que niguém melhor pra seguir e tentar ganhar algo nesse mercado, pois não conheço nenhum daytrade ou grafista bilionário.
Visitem uma loja, analisem os números da empresa e as perspectivas do setor e tirem suas próprias conclusões.
http://www.lelis.com.br/
http://www.bobo.com.br/blog/
Comunidade do orkut com mais de 3.000 clientes que amam a marca.
http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=417001



5353 - paulorizzi - 10/Mai/2009 12:20
citação: Mr Turnaroundpaulorizzi,
Qual sua análise e perspectivas em relação MNDL4 e LLIS3?
Parabéns pelas análises de qualidade e por sempre estar disposto a dividir seus conhecimentos.
Abração!
No setor (de acordo com a minha classificação) tem-se:
LLIS3: P/L=11,9; P/VPA=1,21; PSR=0,94; DY=8%; MarLíq=7,9%; ROE=10,2%; DívLiq/PatLíq=Negativa
HGTX3: P/L=8,3; P/VPA=1,98; PSR=0,99; DY=4,9%; MarLíq=11,9%; ROE=23,7%; DívLiq/PatLíq=21,9%
GUAR4: P/L=8,0; P/VPA=0,82; PSR=0,57; DY=2,8%; MarLíq=7,2%; ROE=10,3%; DívLiq/PatLíq=3,1%
CGRA4: P/L=6,1; P/VPA=1,15; PSR=0,77; DY=4,5%; MarLíq=12,7%; ROE=18,8%; DívLiq/PatLíq=Negativa
LREN3: P/L=18,0; P/VPA=3,63; PSR=1,21; DY=1,5%; MarLíq=6,7%; ROE=20,1%; DívLiq/PatLíq=26,8%
MARI3: P/L=17,7; P/VPA=1,58; PSR=0,67; DY=1,3%; MarLíq=3,8%; ROE=8,94%; DívLiq/PatLíq=7,9%
DROG3: P/L=15,5; P/VPA=2,23; PSR=0,63; DY=2,4%; MarLíq=4,1%; ROE=10,4%; DívLiq/PatLíq=Negativa
Das empresas acima LLIS, GUAR e DROG ainda não apresentaram os seus balanços 1T09. Entre as que apresentaram, HGTX foi disparada a melhor, especialmente considerando ter sido a única a apresentar um crescimento da receita líquida (+6,6%) e resultado líquido (+242%) em relação às médias trimestrais de 2008.
Se LLIS conseguir resultados somente 15% menores do que aqueles do 4T08, o P/L de LLIS3 iria para 7,5, tornando o ativo muito competitivo no setor.
Entretanto, para aqueles que pretendem ter somente um dos ativos do setor em carteira, recomendo fortemente que este ativo seja HGTX3. Se o lucro do 1T09 puder ser repetido nos próximos trimestres, o ativo estaria negociando por um incrível P/L = 4,2 !!
Quanto à MNDL4 sinto falta de dados. Para obter um quadro do 4T08 tive que subtrair dos resultados anuais (calculados de acordo com uma regra contábil) aqueles dos 9M08 (calculados de acordo com outra regra contábil). Fica portanto quase impossível estimar quão ruim foi, de fato, o 4T08. Acho que teremos que aguardar o balanço do 1T09 para um posicionamento mais efetivo.


5157 - gustgef - 05/Mai/2009 01:00
LLIS3 teve seu resultado diminuído por muitos fatores também, a empresa adiquiriu praticamente todas as franquias e, portanto, está estruturando seu novo tamanho. O crescimento das margens de LLIS3 é muito maior. O preço/lucro bruto é incrivelmente superior. Até o crescimento da receita líquida é maior também. O nível de aberturas de lojas continua a todo vapor, foram 6 lojas ano passado, serão 5 esse ano. A vantagem principal é que a empresa ganha clientes na crise e não perde, por conta das viagens ao exterior que seus clientes fazem e alto preço do dólar. Por fim, o mercado de luxo é o que mais cresce no Brasil e analistas já são consenso em dizer que crescerá esse ano 10%, 
com ou sem crise.


4652 - JCDisciple - 24/Abr/2009 13:47
"citação: JCDisciplecitação: matheusleiteLLIS3, enfim, mostra alguma atividade, tomara que se confirme."
Alguém sabe quando é a data do pagamento dos dividendos?
"O último dia ""com"" é dia 30/04. A data do pagamento eu não tenho."
Informação completa:
(03/04) LE LIS BLANC (LLIS – NM) - AGO 30/04/2009 - 16h - Distribuicao de dividendos
DRI: Marcelo Moojen Epperlein
"Aprovar as Demonstracoes Financeiras, referentes ao exercicio social/2008;" deliberar sobre a proposta de destinacao do lucro liquido do exercicio de 2008 e "distribuicao de dividendos, no montante total de R$ 14.848.880,47, o que" "corresponde a aproximadamente R$ 0,2593/acao; e eleger os membros do Conselho de" "Administracao. A partir de 04/05/2009, acoes escriturais ex-dividendo. "


4333 - gustgef- 20/Abr/2009 01:32
""A empresa está na minha carteira por duas razões, nada complexas. Primeiro, seu payout altíssimo, mostrando que está, sim, preocupada com os acionistas, isso mostra que a amortização de ágio da compra das franquias(que passaram a ser lojas próprias) não é enrolação e, sim, utilização de benefício fiscal, sendo este revertido pro acionista, aliás, amortização essa que impacta fortemente o resultado da SEBB11 e essa já reagiu e subiu quase 30% esses dias. Segundo, a imensa lucratividade de seu negócio, possui um lucro bruto de 75% do seu preço. Como houveram muitas despesas que não irão se repetir em 2009, acredito em resultados melhores."
"Por min, mantendo esse payout, já está ótimo. Mas é só minha opinião. Ela e a Triunfo (TPIS3) estão na parte da carteira destinada à futurologia!


4332 - paulorizzi - 20/Abr/2009 00:44
"citação: matheusleitecitação: paulorizzicitação: matheusleiteOlá, alguém mais em LLIS3 gostaria de comentar? A empresa não tem dívidas, está se expandindo, pagará 8% em dividendos no próximo mês, mas parece que tem uma âncora segurando ela nos R$3,00."
"Após 6 meses de exercício do ano passado, os números da empresa eram os seguintes:"
"Receita Líquida: R$ 87,6 milhões"
"EBITDA: R$ 15,5 milhões"
"Lucro Líquido: R$ 12,3 milhões"
"Patrimônio Líquido em 30JUN2008: R$ 165,9 milhões"
Já nos últimos 6 meses do exercício:
"Receita Líquida: R$ 109,7 milhões"
"EBITDA: R$ 11,3 milhões"
"Lucro Líquido: R$ 3,3 milhões"
"Patrimônio Líquido em 30DEZ2008: R$ 154,0 milhões"
"Excetuando a Receita Líquida, que evoluiu, os demais indicadores pioraram bastante, não? O ROE do 1S08, de 31%, caiu para 4,2%."


"Bem ... na realidade, o 2o. semestre foi melhor do que o 1o. Ocorre que em 2008, a contabilidade foi uma confusão. Até o 3T08 a empresa vinha seguindo a regra antiga. Mas para o ano de 2008 foi obrigada a fazer uso da regra nova. No caso da LLIS a regra nova aumentou o lucro líquido sensivelmente. Se vc for calcular o lucro líquido do 4T08 via a diferença entre os valores do exercício de 2008 e os valores acumulados nos primeiros 9M08, o lucro líquido do 4T08 seria fenomenal. A maior parte deste acréscimo no lucro é decorrente de diferimento de IR sobre as despesas do IPO e benefício fiscal do ágio. As despesas do IPO ocorreram, em grande parte, no 1o. semestre. Nos números que eu informei acima, portanto, quem está ""inflado"" com ""lucro líquido"" não recorrente são os resultados do 1S08. Ocorre que a LLIS divulgou os press releases dos trimestres 3T08 e 4T08 informando que os lucros líquidos em 2008 foram, respectivamente, 77% e 32% menores do que aqueles de 2007. Estas informações foram baseadas nas regras contábeis antigas. Se vc calculasse o lucro do 1o semestre subtraindo, do total, os lucros informados nos press releases do 2o semestre, vc chegaria à conclusão de que o primeiro semestre foi melhor. De fato, não há dados precisos para se saber quais foram os lucros nos 4 trimestres."


3753 - gustgef - 07/Abr/2009 12:47
"Concordo totalmente! Aliás, o valor de mercado da LLIS3 menos seu caixa é igual a seu lucro bruto, coisa de louco ein?"
Existe uma afirmação no relatório da LLIS3 que achei interessante:
"""acreditamos que alguns fatores relacionados à crise podem nos favorecer em 2009: (i) acreditamos que uma parcela da renda das famílias será re-direcionada do consumo de bens duráveis para vestuário e acessórios; (ii)acreditamos que nossos clientes, acostumados a comprar produtos de vestuário e acessórios durante viagens ao exterior, podem passar a gastar mais no Brasil, em função da"
"desvalorização do real."""


Alguém opina?



3741 - small caps - 07/Abr/2009 10:32
"LLIS3 está atraindo uma boa quantia de acionistas no nosso grupo. Mas, como disse, é sempre importante cautela para visualizar como ficou a demanda no primeiro trimestre deste ano. Se conseguir manter a lucratividade mesmo neste cenário, é um excepcional oportunidade de compra."



3475 - danieljoseaa - 03/Abr/2009 17:20
"Aprovar as Demonstracoes Financeiras, referentes ao exercicio social/2008;" deliberar sobre a proposta de destinacao do lucro liquido do exercicio de 2008 e "distribuicao de dividendos, no montante total de R$ 14.848.880,47, o que" "corresponde a aproximadamente R$ 0,2593/acao; e eleger os membros do Conselho de" "Administracao. A partir de 04/05/2009, acoes escriturais ex-dividendo."


3472 - gustgef - 03/Abr/2009 16:31
"Small,"
"A tia da minha namorada só compra na Les Lis Blanc (LLIS3) e, assim, eles tem um atendimento REALMENTE diferenciado e uma situação também. Acredito eu, que lá há pouca sazonalidade, pois toda vez que chegam roupas novas elas ligam para suas clientes para comentar. Essa tia dela sempre que recebe uma ligação passa lá e gasta seus 400/500 reais independente da época do ano e é sempre à vista. Por isso, penso também, que a loja talvez não seja tão afetada, pois a clientela é muito fiel, se o dinheiro aperta, cortam outras lojas de luxo, mas continuam lá."


Já fui lá e me ofereceram BlackLabel enquanto esperava a dondoca provar os vestidos. É outro mundo.


3460 - small caps - 03/Abr/2009 15:57
"citação: danieljoseaaSmall, já que comentou sobre Llis3, acredita na manutenção de seu lucro do 4° trimestre ou pelos gastos realizados pela empresa, ainda deve apresentar resultados ""voláteis""?"
"Abraço irmão, tudo de bom."
"Danieljoseaa, o padrão seria não repetir. As varejistas costumam apresentar os melhores resultados do quarto trimestre (Natal)."
"No entanto, isto é algo que me chamou a atenção na companhia. Em anos anteriores a volatilidade dos resultados da empresa não foi tão forte como os padrões das demais empresas do segmento."


"Com o balanço do primeiro trimestre, o primeiro com o efeito mais pleno da crise, vou decidir se aumento posição."


3443 - small caps - 03/Abr/2009 15:23
"LLIS3 está no meio de um ambicioso plano de crescimento, que praticamente dobrou a área de vendas (de 2007 para março de 2009) da varejista que atende as classes A e B. Está tendo vários gastos de reformas de lojas e de expansão, já contabilizados como despesas. (Ou seja, não foi para o ativo diferido como algumas companhias costumam fazer)."
"Caso mantenha as margens pré-crise após o término da expansão, o preço atual é uma pechincha. Será generosa com os dividendos deste ano, distribuindo 100% do lucro líquido... Esta eu já comecei posicionamento... mas de leve, para acompanhar a evolução do desempenho das novas lojas. Proporção 1/9 de COCE5."


3257 - small caps - 31/Mar/2009 12:09
"Ilustres, estive lendo vários balanços nos últimos dias :)"
Estamos no final da safra de balanços. Hoje é o prazo final. "De antemão, digo que gostei do balanço de PRVI3 e da CRDE3 que saíram ontem." "Da LLIS3, gostei do crescimento (que gera maiores despesas no curto prazo) e do payout." "TGMA3 acabou bastante impactada com a queda do transporte de veículo, mas ao menos apresentou lucro líquido ainda. Achei interessante a estratégia de diversificação da empresa." "Outra que pode ""ressurgir"" é a IENG... Mas tenho que ler melhor ainda como este elevado lucro não operacional pode ajudar a companhia." Em breve vou divulgar os ativos que entram e que saem da carteira small caps. Ainda temos alguns balanços que saem hoje...


3159 - paulorizzi - 28/Mar/2009 19:09
"citação: 12kkAmigos,"
"Alguém pode comentar sobre a empresa Le Lis Blanc LLIS3, é que eu li o relatório de um fundo que falava muito bem desta empresa inclusive em relação as perspectivas futuras..."
"Grande abraço,"
12kk
"Por tratar-se de uma empresa nova, não há muitos dados. Além do relatório anual de 2007, os dados existentes são restritos aos trimestres 1T08, 2T08 e 3T08. Para comentar sobre LLIS3, então, com um mínimo de base, há que se esperar pelo menos a divulgação dos resultados 2008."
"De qualquer forma, a análise de qualquer ativo tem que ser realizado no contexto de seu setor/sub-setor de atuação, em comparação com os seus pares:"
"Grazziotin, Guararapes, Renner, Marisa e Marisol. Os dados mais recentes destes ativos são (site Fundamentus ... podem existir furos):"
"CGRA4: P/L = 5,6; P/VPA = 1,18; DY = 6,1%; PSR = 0,78; Margem Bruta = 51,7%; Margem Líquida = 13,8%; P/(CapGiro/Ação) = 1,42; DivBrut/PatLiq = 0; LiqCorr = 2,89; Cresc Anual Rec Liq: 13,8%"
"GUAR4: P/L = 8,7; P/VPA = 0,70; DY = 5,0%; PSR = 0,48; Margem Bruta = 49,4%; Margem Líquida = 5,6%; P/(CapGiro/Ação) = 2,39; DivBrut/PatLiq = 1%; LiqCorr = 1,95; Cresc Anual Rec Liq: 14,9% - aqui faltam ainda os dados do 4T08"
"LREN3: P/L = 10,9; P/VPA = 2,48; DY = 6,7%; PSR = 0,81; Margem Bruta = 52,0%; Margem Líquida = 7,4%; P/(CapGiro/Ação) = 5,20; DivBrut/PatLiq = 49%; LiqCorr = 1,44; Cresc Anual Rec Liq: 24,4%"
"MARI3: P/L = 12,6; P/VPA = 1,05; DY = 0,4%; PSR = 0,45; Margem Bruta = 49,1%; Margem Líquida = 3,6%; P/(CapGiro/Ação) = 1,16; DivBrut/PatLiq = 68%; LiqCorr = 1,98; Cresc Anual Rec Liq: 16,0%"
"MRSL4: P/L = 7,9; P/VPA = 0,72; DY = 3,6%; PSR = 0,48; Margem Bruta = 35,4%; Margem Líquida = 6,1%; P/(CapGiro/Ação) = 1,43; DivBrut/PatLiq = 52%; LiqCorr = 1,98; Cresc Anual Rec Liq: 1,4%"
"Nenhuma empresa parece ter problemas de endividamento ou de liquidez. Em melhores condições no quesito financeiro estão CGRA e GUAR, porque inclusive geram resultado financeiro líquido positivo."
"O site Guiainvest fornece alguns dos múltiplos acima, calculados em 30 DEZ dos últimos 3 anos. De acordo com estes múltiplos, chega-se à conclusão que qualquer um dos ativos acima geraria lucro no longo prazo. A questão, então, seria tentar avaliar qual ou quais destes ativos apresentam melhores condições de lucro, seja no que tange o prazo ou o tamanho deste lucro."
"De cara, podemos descartar MRSL4. Tem a pior margem bruta (que vem baixando ano a ano) do setor e apresenta uma combinação ""nefasta"" de baixo DY com baixo crescimento, ou seja, o investidor nem é remunerado através de dividendos, nem através do aumento do lucro via crescimento. Empresa que não cresce tem que no mínimo conseguir distribuir proventos para empatar com a poupança. Os múltiplos históricos, absurdos a meu ver (P/L = 33 em 30DEZ2007; P/VPA = 2,10 em 30DEZ2006; PSR = 1,30 em 30DEZ2006), mostram que o ativo deve se valorizar no longo prazo, mas os seus pares são mais interessantes."
"MARI3 pode ser descartada quase pelos mesmos motivos, embora apresente um bom crescimento anual de receitas. Não li os relatórios para entender a razão da baixíssima margem líquida ( é até estranha, pois a margem bruta está em linha com os pares do setor), o DY é inexistente, e o baixo PSR guarda coerência com a baixa margem líquida. Assim como MRSL4, os múltiplos históricos (mais absurdos aqui) parecem garantir a valorização do ativo no longo prazo (P/L = 30 em 30DEZ2007; P/VPA = 2,58 em 30DEZ2007; PSR = 1,20 em 30DEZ2007)."
"LREN3 é interessante no que tange o crescimento, especialmente de for considerado o DY aos preços de hoje. Embora o P/L e P/VPA estejam bastante altos para o momento do mercado, considero válido iniciar posição. Os múltiplos históricos são: (P/L = 37,8 em 30DEZ2006; P/VPA = 7,51 em 30DEZ2007; PSR = 2,60 em 30DEZ2006)."
"Há que se aguardar o balanço de GUAR4 para verificar se a perda na margem líquida histórica se confirma no nível de 8-9% ou se será melhor. Acho praticamente impossível alcançar a média histórica de aprox. 15%, mas nunca se sabe. Caso positivo, será uma ativo muito interessante para investimento, por apresentar o menor PSR, adicionado ao bom crescimento e razoável DY. Os múltiplos históricos são: (P/L = 24 em 30DEZ2006; P/VPA = 4,19 em 30DEZ2006; PSR = 2,92 em 30DEZ2006)."
"Pendente o resultado de GUAR4, a melhor aposta no setor parece ser CGRA4. Apresenta o menor P/L, bom P/VPA (não exageradamente alto), DY razoável se for considerado o bom crescimento anual, PSR em linha com a boa margem líquida, enfim, nada de negativo que salte os olhos. Se os múltiplos forem vistos do ponto de vista histórico, observa-se (site Guiainvest) que há um aumento contínuo do VPA, margens bruta e líquida e ROE. Para referência, os demais múltiplos históricos são: P/L = 16 em 30DEZ2007; P/VPA = 3,05 em 30DEZ2007; PSR = 1,98 em 30DEZ2006)."
"Bom, depois deste longo preâmbulo, voltemos a LLIS3 que, por acaso está em minha planilha. Baseado nos últimos 12 meses, os múltiplos seriam:"
"LLIS3: P/L = 57; P/VPA = 1,03; DY = 0,4%; PSR = 0,93; Margem Bruta = 61%; Margem Líquida = 1,6%; P/(CapGiro/Ação) = 1,80; DivBrut/PatLiq = 0%; LiqCorr = 4,17"


"Para o meu ""gosto"", nesta altura da vida da empresa, o PSR e P/VPA estão muito altos e, em conseqüência, a preço do ativo estaria caro. Evidentemente, os resultados do 4T08 poderão alterar substanciamente estes valores embora eu não acredite que a mudança possa ser o suficiente para tornar este ativo preferível ao CGRA4. Quem tem mais chances de poder competir com o CGRA4 é GUAR4 (mas também não boto fé)."

2452 - chedi12 - 14/Mar/2009 00:33
"Grande small, que vc acha da LLIS3 com a incorporação de subsidiárias (consequentemente com aumento das receitas) e inauguração de novas lojas, e ainda nos dias de hoje com liquidez corrente acima de 4."

1 small caps Usuário Premium Comentários: 2794 - Desde: Fev 2007

"chedi12, estou esperando o momento para ampliar compras em LLIS3. Após o balanço vou decidir o quanto. A empresa tem um PSR um pouco alto ainda, mas o plano de expansão é bastante interessante e tem caixa suficiente para tocá-lo sem problemas."

Nenhum comentário: