Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quinta-feira, 2 de abril de 2020

Alfa Invest (BRIV)


Recomendações


Carteiras
alesl (nov/17) - BRUNO INVEST (mar/17) - 1cesarsousa (mar/17) - Danielrp1986 (set/17) - disc126 (set/16, out/16) - fridao (ago/16, set/16mar/17nov/17) - Gersonlp (mar/17) - grizzo (mar/17ago/17) - ispholambra (set/17out/17) - ikkii (jan/17fev/17abr/17) - Jonas_Schwingel (mar/17abr/17mai/17jul/17ago/17set/17jan/18mai/18jul/18) - mostarda2 (abr/17) - MuadibGV (out/17) - paulo_prof (set/16mar/17mai/17,   ago/17dez/17jun/18) - pedrosousa (mar/17) - pocunha (out/17nov/17jan/18)   

Códigos de Negociação
Tipo
BRIV3; BRIV4


Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019

3T2019 -

2T2019 -

3T2018 -

2T2018 -

1T2018 -



PAPEL SUBVALORIZADO ( * ). RESULTADO DO TRIMESTRE = O lucro líquido do Banco atingiu R$ 14.186mil no trimestre (1ºtrimestre/2017 R$ 17.570mil), correspondendo à rentabilidade anualizada de 4,10% (1º trimestre/2017 5,3%) sobre o patrimônio líquido inicial de R$ 1.405.468mil(2017R$ 1.355.696mil). A cada lote de mil ações do capital social do Banco correspondeu o lucro líquido de R$ 160,07(1º trimestre/2017 R$ 197,57); CARTEIRA DE CREDITO = A carteira de crédito, incluindo repasses interfinanceiros, arrendamento mercantil e fianças prestadas atingiu o saldo de R$ 4.786.746mil (31/12/2017R$ 4.862.810 mil) e consolidado R$ 5.057.175mil (31/12/2017R$ 5.150.319 mil). Merece destaque, a excelente qualidade da carteira de crédito e de arrendamento mercantil, demonstrada pela concentração de 98,9% (31/12/201799,4%) e consolidado 98,8% (31/12/201799,3%) das operações classificadas entre os níveis de risco “AA” a “C” em conformidade com a regulamentação em vigor do Banco Central do Brasil, e pelo baixo índice de inadimplência.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se MANTENDO ESTÁVEL: 0,54% no 1T15; 0,01% no 1T16; 1,07% no 1T17 e 0,21% NO 1T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores INFERIORES quando comparadas com empresas do mesmo setor: 1,21% no 1T15; 2,32% no 1T16; 2,54% no 1T17 e 1,61% no 1T18.:

A2017/4T2017 -


3T2017 -

2T2017 -


1T2017 -

A2016/4T2016 -

Características
Prática de todas as operações permitidas à sociedade da espécie pelas disposições legais e regulamentares que então vigorem, inclusive as de câmbio, mas excetuadas outras que dependem de autoriazação
  
Assembleias
AGO/E - 24/04/2020 - Assunto(s):  Tomada de Contas-Votação do Relatório da Administração e das Demonstrações Financeiras; Eleição de Membros dos Conselhos de Administração e Fiscal; Remuneração dos Administradores e Conselheiros; Destinação dos Resultados; Reforma Estatutária; Aumento de capital

Proventos (Calendário)
Data PG
Descrição
Valor
Data Com

 JCP (2S19)
 27/01/2020

Dividend Yield
2020
2019






9,30%





Payout
2020
2019






85,9%








Ha que se tirar o chapéu para o Aloysio Faria. O cara consegue tirar leite de pedra.

O Resultado Operacional e Lucro Líquido aumentaram sensivelmente na comparação anual, apesar de um aumento apenas marginas das Operações de Crédito e redução do Ativo Tptal.

No 4T19 (e, em consequência, com reflexos importantes nos Resultados do Exercício) o banco contabilizou uma Despesa de PDD de -R$ 20 milhões, ou seja, na realidade uma receita. Aparentemente, isto foi possível devido a uma recuperação de créditos que já haviam sido classificados como inadimplentes. Não fosse esta receita de PDD, os Resultados Operacional e Líquido teriam vindo em linha com aqueles do ano passado.

Na minha opinião, embora o controlador do banco seja um dos melhores no ramo, acho que terá dificuldades em extrair resultados positivo sob o impacto da pandemia.

7p8xLYaRLgdJA1Dw6IR4Bd0lcMtgBg=



BRIV4

PREÇO: R$ 8,09

PAYOUT (2019): 85,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,23

P/VPA 0,42

DY 9,30%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,758

ROAE 4,5%

ROAA 0,56%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -16.049

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO -0,45%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,56%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +64,9%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -6,7%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,9%

RESULTADO OPERACIONAL +17,2%

RESULTADO LÍQUIDO +19,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de positivo para negativo

CRÉDITOS INADIMPLENTES passou de positivo para negativo



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +77,8%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +7,5%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +9,4%

RESULTADO OPERACIONAL -4,8%

RESULTADO LÍQUIDO +9,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

PATRIMONIO LÍQUIDO +3,1%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +4,0%

PDD TOTAL +0,5%

ATIVOS TOTAIS -9,7%



c) lucro liquido, nominal

UA 19,84%

U2A -4,45%

U3A -7,21%



d) patrimônio líquido médio

UA 3,36%

U2A 2,95%

U3A 3,41%



O PDD Mandatório como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de uma média de 2,01% nos 4 trimestres terminados no 4T18 para uma média de 1,53% nos últimos 4 trimestres. Em relação ao trimestre passado o índice aumentou de 1,50% para 1,56%). O índice de inadimplência diminuiu sensivelmente de uma média de 0,92% nos 4 trimestres terminados no 4T18, para uma média de-0,48% (crpeditos líquido recuperados) nos últimos 4 trimestres.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,47

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,5%

365475  - paulo_prof  - 25 Nov 2019, 12:15
Excelentes Resultados Operacional e Liquido, com grande evolução tanto em relação ao 3T18 quanto o 2T19. Ativo está barato, embora os "drivers" que podem ser necessários para um aumento do preço não estejam presentes. Ativo deve pagar proventos razoáveis no exercícios.
BanPYIVNL4=


BRIV4

PREÇO: R$ 8,09

PAYOUT (2018): 85,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,03

P/VPA 0,48

DY 7,78%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,734

ROAE 4,4%

ROAA 0,49%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 34.626

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,99%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,50%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +44,1%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -10,9%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,7%

RESULTADO OPERACIONAL +29,4%

RESULTADO LÍQUIDO +21,6%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -78,4%

CRÉDITOS INADIMPLENTES +959,2%%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +58,3%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -6,6%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,0%

RESULTADO OPERACIONAL +89,5%

RESULTADO LÍQUIDO +98,6%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

PATRIMONIO LÍQUIDO +8,7%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +29,4%

PDD TOTAL -30,0%

ATIVOS TOTAIS +3,3%



c) lucro liquido, nominal

UA 21,57%

U2A -8,98%

U3A -7,04%



d) patrimônio líquido médio

UA 3,25%

U2A 3,02%

U3A 3,59%



O PDD Mandatório como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de uma média de 1,99% nos 4 trimestres terminados no 3T18 para uma média de 1,54% nos últimos 4 trimestres. Em relação ao trimestre passado o índice aumentou de 1,36% para 1,54%). O índice de inadimplência aumentou de uma média de 0,09% nos 4 trimestres terminados no 3T18, para uma média de 0,99% nos últimos 4 trimestres.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,17

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -2,5%

363850  - paulo_prof   -  28 Ago 2019, 20:53
Resultados regulares, aprox. em linha com aqueles do 2T18 e mais fracos do que aqueles do 1T19. Ativo parece relativamente bem precificado.
4x53LufTrMlDoHtX%20seVQP%20%20tHtCieJYYX



BRIV4

PREÇO: R$ 7,82

PAYOUT (2018): 85,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 12,01

P/VPA 0,47

DY 7,15%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,651

ROAE 3,9%

ROAA 0,41%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 37.387

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,98%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,36%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -7,2%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -3,9%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +9,3%

RESULTADO OPERACIONAL +73,5%

RESULTADO LÍQUIDO -3,1%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de positivo para negativo

CRÉDITOS INADIMPLENTES +53,03%%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +127,7%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -17,6%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,7%

RESULTADO OPERACIONAL +5,5%

RESULTADO LÍQUIDO -5,4%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de positivo para negativo

PATRIMONIO LÍQUIDO +3,7%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +5,0%

PDD TOTAL -30,40%

ATIVOS TOTAIS +10,2%



c) lucro liquido, nominal

UA -3,10%

U2A -16,73%

U3A -10,80%



d) patrimônio líquido médio

UA 2,75%

U2A 3,05%

U3A 3,67%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,14

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -0,5%

355866 - paulo_prof  -  14 Nov 2018, 00:13
Resultado pior ainda do que o resultado horrível postado no 2T18,... As receitas com serviços e taxas, as despesas com pessoal, administração e tributos, bem como o resultado operacional ficaram em linha com aquelas do 2T18. O que mudou foi a despesa de IR/CS, sensivelmente maior no 3T18 do que no 3T17.

A qualidade da carteira expandida de crédito piorou continuamente do 3T17 (1,49%) para o 3T18 (2,62%). Por outro lado, o índice de inadimplência vem melhorando (2,36% anualizados no 3T17, para 0,23% no 3T18). A menos que esteja enganado, é possível que o banco esteja "forçando a barra" para não baixar créditos a prejuízo, preferindo constituir provisão de 100% destes créditos problemáticos. Isto explicaria a baixa contínua da inadimplência e a piora da qualidade da carteira (um PDD maior para o mesmo tamanho de carteira).



No grupo, a performance de CRIV4 é incomparavelmente melhor.

BRIV4

PREÇO: R$ 6,53

PAYOUT (2017): 62,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,87

P/VPA 0,41

DY 5,77%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,601

ROAE 3,8%

ROAA 0,41%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 3.269

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,11%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO/ATIVO TOTAL 23,7%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,62%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T17, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -44,1%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +41,4%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,3

RESULTADO OPERACIONAL +9,6%

RESULTADO LÍQUIDO -31,9%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +2.834,6%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -91,9%%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -65,4%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +26,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,4%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO -45,1%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de receita para despesa

PATRIMONIO LÍQUIDO +1,9%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -14,9%

PDD TOTAL +49,7%

ATIVOS TOTAIS +9,9%



c) lucro liquido, nominal

UA -31,85%

U2A -18,71%

U3A -13,18%



d) patrimônio líquido médio

UA 2,78%

U2A 3,75%

U3A 3,91%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,51

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -3,0%

352782 - paulo_prof  -  13 Ago 2018, 21:39
Resultado Horrível ... Mesmo o banco aumentando a receita com taxas e serviços e controlando despesas operacionais, a Intermediação Financeira não está ajudando ... Em 3 meses, o preço caiu 3%. Foi pouco. Acho que cairá mais porque não há perspectivas do operacional melhorar no curto prazo. Além disto, se melhorar, o mercado não vai premiar o ativo antes de conhecer o resultado das eleições. No grupo, a performance de CRIV4 é incomparavelmente melhor.

BRIV4

PREÇO: R$ 6,79

PAYOUT (2017): 62,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,52

P/VPA 0,36

DY 7,37%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,669

ROAE 4,2%

ROAA 0,46%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 24.431

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,67%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,05%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T17, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -8,2%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +41,7%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,0

RESULTADO OPERACIONAL -55,7%

RESULTADO LÍQUIDO -28.4%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

CRÉDITOS INADIMPLENTES +3,1%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -48,8%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +50,5%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,7%

RESULTADO OPERACIONAL -45,3%

RESULTADO LÍQUIDO -46,6%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de receita para despesa

PATRIMONIO LÍQUIDO +2,2%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +5,0%

PDD TOTAL -25,5%

ATIVOS TOTAIS +12,7%



c) lucro liquido, nominal

UA -28,44%

U2A -14,41%

U3A -7,54%



d) patrimônio líquido médio

UA 3,34%

U2A 4,13%

U3A 4,08%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,36

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -4,5%

350655 - marcosvinicius2 -  02 Jun 2018, 13:17
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO ( * ). RESULTADO DO TRIMESTRE = O lucro líquido do Banco atingiu R$ 14.186mil no trimestre (1ºtrimestre/2017 R$ 17.570mil), correspondendo à rentabilidade anualizada de 4,10% (1º trimestre/2017 5,3%) sobre o patrimônio líquido inicial de R$ 1.405.468mil(2017R$ 1.355.696mil). A cada lote de mil ações do capital social do Banco correspondeu o lucro líquido de R$ 160,07(1º trimestre/2017 R$ 197,57); CARTEIRA DE CREDITO = A carteira de crédito, incluindo repasses interfinanceiros, arrendamento mercantil e fianças prestadas atingiu o saldo de R$ 4.786.746mil (31/12/2017R$ 4.862.810 mil) e consolidado R$ 5.057.175mil (31/12/2017R$ 5.150.319 mil). Merece destaque, a excelente qualidade da carteira de crédito e de arrendamento mercantil, demonstrada pela concentração de 98,9% (31/12/201799,4%) e consolidado 98,8% (31/12/201799,3%) das operações classificadas entre os níveis de risco “AA” a “C” em conformidade com a regulamentação em vigor do Banco Central do Brasil, e pelo baixo índice de inadimplência.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se MANTENDO ESTÁVEL: 0,54% no 1T15; 0,01% no 1T16; 1,07% no 1T17 e 0,21% NO 1T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores INFERIORES quando comparadas com empresas do mesmo setor: 1,21% no 1T15; 2,32% no 1T16; 2,54% no 1T17 e 1,61% no 1T18.:

BRIV4
PREÇO: R$ 6,10
PAYOUT (2017): 52,52%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 7,71
P/VPA 0,38
DY 6,81%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,791
ROAE 4,95%
ROAA 0,58%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 6.916
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,21%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,61%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 56,45%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 26,31%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 3,73%
RESULTADO OPERACIONAL -43,68%
RESULTADO LÍQUIDO -15,68%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -152,20%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -78,72%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -20,08%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 57,90%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 1,39%
RESULTADO OPERACIONAL -1,44%
RESULTADO LÍQUIDO -19,26%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -36,73%
PATRIMONIO LÍQUIDO 3,37%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO 10,43%
PDD TOTAL -30,14%
ATIVOS TOTAIS 12,98%

c) lucro liquido, nominal
UA -15,68%
U2A -5,64%
U3A -2,91%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,96%
U2A 4,38%
U3A 4,24%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,89
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -10,8% !!!!
[...]

349887  - Jonas_Schwingel  -  12 Mai 2018, 03:32
[...]
BRIV sem surpresas, dentro da oscilação natural do expediente do banco.
[...]
Os 3 papeis seguem nas carteiras que administro.
Muito obrigado ao prof. Paulo pelo excelente trabalho altruísta aqui prestado. +1 x 10¹°°°°°°°

349882  - paulo_prof  -  12 Mai 2018, 00:56
O Resultado Operacional no 1T18 foi apenas R$ 1 milhão menor do que aquele do 1T17. O lucro, entretanto, recuou R$ 3,4 milhões, ou -19%. Isto ocorreu basicamente porque a receita obtida como ativo fiscal diferido transformou-se em despesa no 1T18.

Acho que o ativo continua barato, mas não visualizo "drivers" para que o preço aumente substancialmente no crto prazo.


BRIV4

PREÇO: R$ 6,97

PAYOUT (2017): 62,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,83

P/VPA 0,44

DY 7,10%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,789

ROAE 4,9%

ROAA 0,56%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 25.190

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,68%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,73%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T17, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +0,0%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +30,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +3,4

RESULTADO OPERACIONAL -46,5%

RESULTADO LÍQUIDO -15,7%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

CRÉDITOS INADIMPLENTES -24,5%



b) 1T18 sobre 1T17, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -23,3%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +60,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,1%

RESULTADO OPERACIONAL -3,6%

RESULTADO LÍQUIDO -19,3%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -53,4%

PATRIMONIO LÍQUIDO +3,4%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +9,8%

PDD TOTAL -37,6%

ATIVOS TOTAIS +12,6%



c) lucro liquido, nominal

UA -15,68%

U2A -5,64%

U3A -2,91%



d) patrimônio líquido médio

UA 3,96%

U2A 4,38%

U3A 4,24%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,86

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7,5%

349874  - ispholambra  -  11 Mai 2018, 22:04
O que o senhor achou do resultado do BRIV4 nesse primeiro trimestre? veio mais franquinho nao?
Se o senhor puder posta dos dados dele ai pra gente!!!

348580  - marcosvinicius2 -  30 Mar 2018, 15:51
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Resultado do período = O lucro líquido do Banco atingiu R$ 73.551 mil no exercício (2016 R$ 84.044 mil), correspondendo à rentabilidade anualizada de 5,43% (2016 6,52%) sobre o patrimônio líquido inicial de R$ 1.355.696 mil (2016 R$ 1.288.327 mil). A cada mil lote de ações do capital social do Banco correspondeu o lucro liquido de R$ 828,10 (2016 R$ 945,06). Patrimônio líquido = O patrimônio líquido atingiu o valor de R$ 1.405.468 mil ao final do exercício (31/12/2016 R$ 1.355.696 mil):

BRIV4
PREÇO: R$ 6,98
PAYOUT (2017): 33,56%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 8,44
P/VPA 0,44
DY 3,98%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,827
ROAE 5,23%
ROAA 0,61%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 16.839
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,47%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,39%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 86,88%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 11,40%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 5,92%
RESULTADO OPERACIONAL -43,77%
RESULTADO LÍQUIDO -12,49%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -143,21%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -13,83%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 86,88%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 11,40%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 5,92%
RESULTADO OPERACIONAL -43,77%
RESULTADO LÍQUIDO -12,49%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -143,21%
PATRIMONIO LÍQUIDO 3,67%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO 12,86%
PDD TOTAL -36,81%
ATIVOS TOTAIS 2,44%

c) lucro liquido, nominal
UA -12,49%
U2A -4,50%
U3A 2,28%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,34%
U2A 4,44%
U3A 4,33%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 10,34
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,0% !!!!
[...]

348157  - paulo_prof   -  16 Mar 2018, 21:43
O Resultado do 4T veio dentro do esperado, embora eu não tenha antecipado uma receita de PDD (em consequência, acho que o lucro líquido deveria se algo maior).

Já o que se refere o exercicio, como já explicado acima, não tivesse ocorrido o não recorrente do 3T, a última linha iria bombar (poderia ter sido uns R$ 40 milhões maior).

Como acho que o banco tranquilamente deverá lucrar mais de R$ 80 milhões em 2018, a perspectiva de um investimento aos preços atuais é de um DY de 8% + uma valorização de no mínimo de 10%.

BRIV4

PREÇO: R$ 6,95

PAYOUT (2017): 62,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,40

P/VPA 0,44

DY 7,47%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,827

ROAE 5,2%

ROAA 0,58%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 35.050

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,90%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,54%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T16, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +9,8%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +15,5%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +4,5

RESULTADO OPERACIONAL -47,5%

RESULTADO LÍQUIDO -12,5%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -111,8%

CRÉDITOS INADIMPLENTES +77%%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -26,0%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +32,6%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +3,0%

RESULTADO OPERACIONAL -22,5%

RESULTADO LÍQUIDO -19,9%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -48,6%

PATRIMONIO LÍQUIDO +3,7%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +12,6%

PDD TOTAL -39,8%

ATIVOS TOTAIS +2,6%



c) lucro liquido, nominal

UA -12,49%

U2A -4,50%

U3A 2,28%



d) patrimônio líquido médio

UA 4,34%

U2A 4,44%

U3A 4,33%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 10,34

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -8,5%

345458  - paulo_prof   -  22 Dez 2017, 02:32
Pessoalmente, acredito que a receita de PDD de mais de R$ 25 milhões ou é "forçada" ou circunstancial. O PDD caiu 46% no 3T17, com a carteira expandida de créditos expandindo quase 4%. No semestre, a taxa de crescimento foi de quase 7%. O PDD total, que no 1T17 era 3,05% da carteira expandida total, passou a 2,90% ao final do 2T17 e a 1,49% ao final do 3T17. Ou seja, o índice caiu pela metade. Sou capaz de apostar que isto não é sustentável. As despesas de PDD deverão aumentar nos próximos 2 trimestres.

A redução nas Receitas de Intermediação Financeira, de uma maneira geral, é acompanhada por uma redução também nas despesas. Em consequência, o Resultado Operacional não sofre tanto. Nos últimos 6 meses, o banco já emprestou mais. A taxa média de crescimento anual da carteira expandida de créditos é de aprox. 15%. Não é pouco.

No balanço geral, acho que o BRIV terá lucros saudáveis, mas não espero que estoure a boca do balão. Um lucro anual na faixa dos R$ 100 milhões (aprox. R$ 25 milhões por reimestre) já estaria de bom tamanho.

345424  - ruymg   -  21 Dez 2017, 11:28
Prof. Paulo

BRIV4... Se puder me ajudar a interpretar os dados abaixo:

Lendo o 3tri17 na pagina 25 de 57.

Conforme o Sr mesmo levantou o BRIV foi impactado negativamente acima de R$ 40 milhões liquido referente adesão ao PERT. OK

Mas poderia comentar o que o Sr acha sobre o PDD que de uma despesa de R$ 10,995 foi para uma receita de R$ 25,366? Diferença positiva de um período para o outro na casa de R$ 35 mi.

Será que o BRIV se aproveitou desse bom resultado no PDD para descarregar a adesão ao PERT?

Ou simplesmente por sorte o bom resultado na reversão no PDD ajudou a compensar o estrago pontual dessa adesão ao PERT?

E outro, O Sr percebeu o quanto caíram as Receitas de Intermediação Financeira? Caiu de R$ 400,6 mi para R$ 258,9 Mi.

Poderíamos dizer que o banco esta com freio de mão puxado e voltando a economia a crescer esse banco deverá emprestar mais e apresentar

resultados extremamente positivos, talvez batendo qualquer recorde anterior de lucros?

Se puder me dar sua impressão sobre isso, eu agradeceria.

345391  - ispholambra   -  20 Dez 2017, 15:43
Citação: fridao - Post #345390 - 20/Dez/2017 14:45 345388
Desconfio que o BRIV4 está fora dessa polêmica...tem umas OC graúdas no book...vixe!!!
O BRIV tem até excesso de capital... Por isso o ROSE tá muito baixo...

Agora Essa notícia pode pegar principalmente para banquinhos pequenos e descapitalizados como um Pine e Indusval da vida...

Mas tomara que não se materialize... Se acontecer diminui muito a confiança no sistema como um todo...

345331  - paulo_prof   -  18 Dez 2017, 01:35
Como vc pode verificar abaixo, o Briv lançou R$ 103,321 milhões em despesas com o PERT na DRE consolidada. Por sua vez, o PERT possibilitou reverter R$ 39,408 milhões em provisões para contingências. Finalmente, há o benefício tributário sobre a despesa de R$ (103,321 - 39,408) milhões, de forma que a despesa líquida com o PERT foi R$ 42,787 milhões

Se o Briv tivesse decidido não aderir ao PERT, não teria tido esta despesa líquida de R$ 42,787 milhões no consolidado, mas continuaria com uma contingência judicial, com razoável probabilidade de perder. O fato é que se não tivesse aderido ao PERT, o lucro líquido do trimestre teria ficado na casa dos R$ 49 milhões!!!

345328 - ruymg   -  17 Dez 2017, 23:33
Prof Paulo, se possível:
BRIV.= O senhor falou num post umas semanas atras :"De outra forma não teria "sacrificado" R$ 43 milhões de lucro certo, no 3o. trimestre". Poderia explicar esse comentário?

344770  - Jonas_Schwingel -  02 Dez 2017, 11:57
Penso que uma empresa que tem um ROE não tão bom mas conta com um elevado volume de disponibilidades no balanço, ou dívida líquida negativa, merece uma colher de chá neste indicador. De fato, ter um ROE baixo é um contra. O melhor dos mundos é certamente uma empresa com elevadas disponibilidades e ROE alto ao mesmo tempo, tipo uma GRND. Mas nem sempre o mercado deixa a gente pegar um bom dividend yield numa empresa assim.

Aceito um ROE menor quando se trata de uma cia com elevadas disponibilidades, ou dívida líquida negativa + administração competente. Como CGRA e BRIV. Estas disponibilidades rendem em torno do CDI e isto puxa o ROE para baixo. No caso de BRIV o ROE é puxado ainda mais para baixo por conta de uma carteira de crédito de baixo risco.

Uma empresa com boas disponibilidades me passa uma segurança a respeito dos dividendos ordinários futuros, além de que esta grana pode cedo ou tarde ser utilizada em prol do acionista de outras formas. É aquela coisa. Surpresas boas geralmente acontecem nos ativos com bons fundamentos. Pode aparecer uma distribuição extraordinária de dividendos, boas aquisições, bons investimentos com capital próprio, recompras, etc.

Nem sempre a gente tem os ingredientes perfeitos para a nossa receita disponíveis a preço de barganha. BRIV pode até ser um trap value, mas se continuar pagando seus dividendos com a constância e consistência das últimas décadas, está bom para mim. E sinceramente acredito que o banco tem plenas condições de fazer isto. Se a cotação não evoluir por conta da falta de liquidez e de drivers, o dividendo banca o custo de oportunidade e o fluxo de caixa do portfólio agradece. Mas também acredito que cedo ou tarde o mercado sempre acaba dando oportunidade de vender por um preço substancialmente melhor do que o atual, se for o caso de vender.

É natural a preferência por ativos que contam com melhores possibilidades de valorização, afinal, estamos nisto para ganhar dinheiro. Também gosto muito destes. No entanto, a defesa de uma tese de investimento em BRIV não deve ser confundida com a defesa de um all in no papel. Defendo apenas que o papel tem lugar num portfólio diversificado onde boa parte dos papéis tem função de gerar fluxo caixa ao investidor, tanto para pagamento de despesas quanto para estar sempre com cascalho para novas aquisições.

344615  - Jonas_Schwingel  -  30 Nov 2017, 17:59
Segue um estudo hipotético sobre BRIV4, mas serve para qualquer ativo. A ideia é quantificar o quão melhorada pode ser a rentabilidade anual numa tendência de longo prazo altista por intermédio de uma gestão ativa.

Foi utilizada a hipótese exagerada de um investidor, daqueles que só compra, que fez 6 compras da mesma quantidade de ações em alguns dos melhores momentos do período analisado. Calculei a rentabilidade anualizada de cada compra no momento do último topo do papel: os 7,90 onde o Fridão acertou o c* da mosca.

Naquele preço, nosso investidor excepcional estaria com uma rentabilidade média da posição de 24% a.a., ou seja, algo em torno da rentabilidade obtida pelos melhores value investors do mundo. Esta média de rentabilidades anualizada é uma proxy da TIR do investimento. É proxy pois para calcular a TIR verdadeira deveríamos considerar as datas dos dividendos pagos no fluxo do investimento.

No gráfico estão as rentabilidades anualizadas de cada compra no dia em que o papel negociou a 7,90.



https://jonas-schwingel.blogspot.com.br/

344598  - Jonas_Schwingel  -  30 Nov 2017, 14:28
Acho que a maioria concorda que ABCB4 e BRIV4 são dois excelentes ativos e que ambos tem espaço num portfólio diversificado.

Considerando que é no longo prazo que a verdade sobre as empresa aparece de forma mais clara, ploto os gráficos do período máximo de retorno para ambos os bancos. Nos preços atuais, ABCB gerou ~8%a.a para seu acionista durante ~10 anos. BRIV gerou ~10%a.a. durante ~19 anos.

Eu discordo que BRIV é um ativo inferior. Na verdade acho que é uma ação com uma enorme segurança proporcionada por uma administração competente e conservadora, sem contar a montanha de dinheiro presente nas disponibilidades do banco, o que assegura uma fonte segura de dividendos futuros e outras possibilidades desta grana cedo ou tarde vir a beneficiar seus acionistas. É evidente que há os contras, que seria a falta de liquidez e de drivers para uma evolução nas cotações, mas para quem está no ativo para longo prazo com foco em dividendos isto não é exatamente um problema. O fato da cotação estar sempre escorregando e sem propulsão para grandes altas acaba sendo na verdade uma coisa boa para quem gosta de aume
https://jonas-schwingel.blogspot.com.br/

344483  - paulo_prof   -  28 Nov 2017, 18:54
O BRIV costuma praticar uma política de payout de aprox. 50% do lucro líquido, distribuindo proventos na forma de JCPs.

Com o Patrimônio Líquido girando em torno dos R$ 1,4 bilhões e a TJLP em 7%, o limite da distribuição de JCP seria aprox. R$ 98 milhões no ano. Como hoje o lucro anual está na faixa dos R$ 80 milhões, há muito espaço para o lucro crescer sem que o banco tenha que mudar a política, ou seja, se hoje o lucro anual do banco fosse R$ 190 milhões, não teria qualquer problema em continuar praticando um payout de 50% na forma de JCPs.

No patamar atual de lucro líquido anual, um investimento ao preço corrente deve gerar um DY na faixa dos 7%. Ao que tudo indica, o banco tem condições de obter lucros crescentes. De outra forma não teria "sacrificado" R$ 43 milhões de lucro certo, no 3o. trimestre.

Em consequência, visando o longo prazo, um investimento hoje tem risco muito baixo. Embora não haja drivers para uma valorização importante no curto prazo, vai embolsando um DY interessante enquanto o ativo valoriza lentamente.

344482  - Jonas_Schwingel  -  28 Nov 2017, 17:36
Outra informação sobre BRIV que não foi comentada por aqui. Desde 13/11/2017 o banco está com programa de recompra de ordinárias para posterior cancelamento. Serão 330K ações até 13/05/2019. A quantia representa 0,6% das ações desta classe. Em relação ao capital social, representa 0,4%. Pouca coisa, mas recompra com posterior cancelamento é sempre bom. Não deve causar aumento relevante no dividendos futuros das preferenciais pois o dividendo costumeiramente distribuído para as ordinárias é irrisório.
Fato Relevante

344478 - paulo_prof   -  28 Nov 2017, 16:55
Absolutamente nada a ver ...
As eventuais responsabilidades pelos prejuízos dos poupadores eram do banco Real, vendido em 1998 ao ABN Amro, que depois foi vendido ao Santander. O conglomerado financeiro Alfa foi constituído pelas empresas do antigo Real que não foram vendidas ao banco ABN: o banco de Investimento, a financeira, a empresa de arredamento mercantil e a corretora. O banco Alfa foi criado depois de 1998.

343839  - paulo_prof  -  12 Nov 2017, 01:32
De certa forma, o resultado foi excepcional. A melhora sensível da qualidade da carteira expandida de créditos (passou de 2,90% no 2T17 para 1,49%) permitiu reverter (em vez de despesa teve receita) R$ 25 milhões em PDD. Contando com um Resultado Bruto de Intermediação Financeira tremendamente favorável, o banco decidiu aderir ao Programa Especial de Regularização Tributária (PERT), instituído pela MP 783/2017 e transformada em lei. Como consequência, foram liquidadas contingências fiscais julgadas com baixa probabilidade de exito na justiça, no montante de R$ 151.832 no consolidado, ao custo nominal de R$ 103 milhões (ou R$ 43 milhões líquidos dos efeitos tributários).

Não fosse este evento não recorrente, o resultado líquido do 3T17 sem dúvida "estouraria o balão"! Ativo está continua muito barato.


BRIV4

PREÇO: R$ 6,50

PAYOUT (2016): 52,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 7,37

P/VPA 0,41

DY 7,09%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,882

ROAE 5,6%

ROAA 0,67%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 1.021

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,03%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,49%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T16, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +19,7%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +8,1%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,1

RESULTADO OPERACIONAL -42,9%

RESULTADO LÍQUIDO -3,0%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -97,5%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -93,1%



b) 3T17 sobre 3T16, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +63,4%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +24,5%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +7,7%

RESULTADO OPERACIONAL passou de positivo para negativo (veja comentário)

RESULTADO LÍQUIDO -26,0%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

PATRIMONIO LÍQUIDO +4,2%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -1,4%

PDD TOTAL -42,3%

ATIVOS TOTAIS -5,6%



c) lucro liquido, nominal

UA -3,05%

U2A -2,00%

U3A 5,16%



d) patrimônio líquido médio

UA 4,73%

U2A 4,47%

U3A 4,35%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 11,31

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -13,5%

343565  - paulo_prof  -  04 Nov 2017, 22:13
Citação: muadibgv - Post #343560 - 04/Nov/2017 19:06
Prof. ,
Consegue pensar numa explicação pras BRIV3 pagarem menos de 90% do dividendo de BRIV4?
Parece ser unicamente um "capricho" do controlador. Não há dispositivo, na legislação, que "proteja" o minoritário ordinarista.

De acordo com o estatuto, as preferenciais têm preferência para receber no mínimo 6% de sua parte no capital social. Fazendo as contas hoje, se o lucro líquido do exercício permitir, no mínimo R$ 15,472 milhões são dispendidos com os proventos das preferenciais. Ocorre que em termos das preferenciais, o payout do BRIV nos últimos 6 anos tem girado em torno dos 50%.

343276  - MuadibGV -  27 Out 2017, 22:37
Prezados,
Estou dando uma olhada no banco Alfa (BRIV4).
Achei interessante essa cláusula do estatuto social:

" O capital social é de R$653.000.000,00 (Seiscentos e cinquenta e três milhões de reais), dividido em 88.930.584 (oitenta e oito milhões, novecentas e trinta mil e quinhentas e oitenta e quatro) ações escriturais, sem valor nominal, das quais 53.812.129 (cinquenta e três milhões, oitocentas e doze mil e cento e vinte e nove) ordinárias e 35.118.455 (trinta e cinco milhões, cento e dezoito mil e quatrocentas e cinquenta e cinco) preferenciais, inconversíveis em ordinárias.
...

As ações preferenciais terão prioridade na percepção do dividendo anual de 6% (seis por cento) sobre o valor da parte do capital que representem pago com preferência sobre qualquer dividendo às ações ordinárias. "

Fazendo as contas , o dividendo mínimo é um pouco menos do que o que as PN recebem anualmente, na forma de JCP. E parece que o controlador todo ano aumenta uns 5% do capital social através da incorporação de lucros, sem emissão de novas ações e sem custos para os acionistas.

Ou seja, o controlador consegue determinar os dividendos mínimos na medida em que escolhe quanto o capital social aumenta.

Agora o que me intrigou é o seguinte: pelo estatuto as PN ganham 10% a mais de dividendos, mas nas últimas distribuições as ON tem ganhado bem menos que 90% do que as PN recebem.

Não consegui achar uma explicação plausível para essa bondade toda do controlador. Ele gosta de rasgar dinheiro?

341753  - marcosvinicius2  -  01 Set 2017, 21:59
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 45 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO POSITIVO (EXCELENTE). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 20.789; (U24M) = 20.549; (U36M) = 19.974; (U48M) = 19.245; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO INT FINANC. (73,43%) E CREDITOS INADIMPLENTES (116,65%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO INT FINANC. (19,89%) E PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (-140,92%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 556.705; VALOR MAXIMO (MIL) = 766.010 NO 4T07; VE PSBE (MIL) = 1.128.911:

BRIV4
PREÇO: R$ 6,26
PAYOUT (2016): 27,01%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 6,69
P/VPA 0,40
DY 4,22%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,935
ROAE 6,02%
ROAA 0,77%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 22.384
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,74%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,46%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 73,43%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 6,82%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 6,07%
RESULTADO OPERACIONAL 8,92%
RESULTADO LÍQUIDO 2,36%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -33,26%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 116,65%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 19,89%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 6,55%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 1,58%
RESULTADO OPERACIONAL 7,34%
RESULTADO LÍQUIDO -0,25%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -140,92%
PATRIMONIO LÍQUIDO 4,68%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -0,86%
PDD TOTAL 0,71%
ATIVOS TOTAIS -2,72%

c) lucro liquido, nominal
UA 2,36%
U2A 5,09%
U3A 6,81%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,93%
U2A 4,44%
U3A 4,35%

Resultado do período: O lucro líquido do Banco atingiu R$ 22.880 mil no trimestre (2016 R$ 22.937 mil) e R$ 40.450 mil no semestre (2016 R$ 41.339 mil), correspondendo à rentabilidade anualizada de 6,06 % (2016 6,52%) sobre o patrimônio líquido inicial de R$ 1.355.696 mil (2016 R$ 1.288.327 mil). A cada lote de mil ações do capital social do Banco correspondeu o lucro líquido de R$ 454,85 (2016 R$ 464,85).

A carteira de crédito, incluindo repasses interfinanceiros, arrendamento mercantil, fianças prestadas e ajustes a valor de mercado - item objeto de hedge atingiu o saldo de R$ 3.913.525 mil (31/12/2016 R$3.991.085 mil) e consolidado R$ 4.201.407 mil (31/12/2016 R$ 4.256.828 mil).

Merece destaque, a excelente qualidade da carteira de crédito e de arrendamento mercantil, demonstrada pela concentração de 96,6 % (31/12/2016 96,9%) e consolidado 96,2% (31/12/2016 96,4%) das operações classificadas entre os níveis de risco “AA” a “C” em conformidade com a regulamentação em vigor do Banco Central do Brasil, e pelo baixo índice de inadimplência.

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

341288 - paulo_prof  -  21 Ago 2017, 03:18
WK, vc está enxergando o copo meio vazio ... Por que não enxergá-lo meio (bastante) cheio?

Se o BRIV chamasse um aumento de capital, de fato, seria péssimo ... pois, em princípio, o capital adicional iria render somente 6% a.a.

Mas quais são as chances de um aumento de capital via subscrição ser algum dia decidido? ZERO!!!

O capital social do banco é de R$ 653 milhões. A sua Reserva de Lucros é de R$ 715 milhões !!!!

Moral da história: sem dificuldade alguma o banco poderia distribuir a sua Reserva de Lucros, cortando o PatLiq para menos da metade e turbinando o ROE para mais de 12%.

O excesso de capital no banco leva o Índice de Basiléia para ridículos 24,9%. Em princípio, portanto, o banco poderia praticamente dobrar a carteira de créditos. Basta que as condições da economia o avalizem.

Na minha opinião, um baixo ROE que é devido a capital excessivo acaba aumentando a margem de segurança ... e ninguém pode afirmar que mais dia, menos dia, o excesso de capital não acabe no bolso dos acionistas ... não é mesmo?

341213  - Jonas_Schwingel  -  18 Ago 2017, 14:29
Tenho boa posição no ativo (uns 11% da carteira de ações). Não espero grandes valorizações. Estou pelos bons dividendos. Penso que estes dividendos possuem uma boa perenidade devido à competência com a qual o banco é administrado, como salientado pelo professor.

Entretanto, como a liquidez é baixa, o preço pode apresentar solavancos. Se o mercado eventualmente levar o preço acima dos 12,00, entregaria minha posição. Costumava comprar sempre que em torno dos 6,00. Mas ultimamente parei porque já tenho o bastante. Na carteira da esposa comprei recentemente nos 6,20.

341212  - paulo_prof   -  18 Ago 2017, 14:18
Citação: texasdraw - Post #341208 - 18/Ago/2017 00:51
BRIV4, alguém aqui tem esse mico?
Tenho uma pequena posição e anteontem juntei mais um pouco ...

Na minha opinião, o Aloysio de Andrade é um dos banqueiros mais competentes do Brasil ... Desconheço qualquer "caca" que tenha cometido. É um banqueiro daqueles, a moda antiga, que administra o seu banco de forma super conservadora, minimizando riscos.

Se, de um lado, o lucro líquido está praticamente estacionado em termos reais, o preço atual permite projetar um DY bruto na faixa dos 8%, o que não é pouco enquanto se espera o ativo valorizar naturalmente.

341096  - paulo_prof   -  15 Ago 2017, 16:24
BMEB está fora de meu patuá ... e no que tange BRIV, costumo acompanhar a preferencial, porque o payout das ordinárias pode ser super pífio.

Achei os resultados razoáveis. Embora a qualidade da carteira e a inadimplência melhoraram (no trimestre em vez de uma despesa de PDD o banco teve uma Receita de PDD, ou seja, reverteu PDD), o resultado operacional e lucro líquido involuíram em termos nominais. Em consequência, pode=se inferir que o banco está sofrendo com a baixa dos juros.

De qualquer forma, a margem de segurança continua muito grande, ou seja, o risco de um investimento no ativo parece pequeno.

BRIV4

PREÇO: R$ 6,30

PAYOUT (2016): 52,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,74

P/VPA 0,41

DY 7,76%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,935

ROAE 6,0%

ROAA 0,73%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 23.701

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,68%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,90%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T16, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +8,9%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +5,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +4,7

RESULTADO OPERACIONAL -5,1%

RESULTADO LÍQUIDO +2,4%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -10,9%

CRÉDITOS INADIMPLENTES +111,5%



b) 2T17 sobre 2T16, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -12,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +4,1%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -2,2%

RESULTADO OPERACIONAL -10,6%

RESULTADO LÍQUIDO -0,2%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS passou de despesa para receita

PATRIMONIO LÍQUIDO +4,7%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -18,6%

PDD TOTAL +15,8%

ATIVOS TOTAIS -3,3%



c) lucro liquido, nominal

UA 2,36%

U2A 5,09%

U3A 6,81%



d) patrimônio líquido médio

UA 4,93%

U2A 4,44%

U3A 4,35%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 11,98

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -16,0%

338442  - Jonas_Schwingel -  23 Mai 2017, 17:58
Relatório sobre BRIV.
-----------
Fitch Afirma Ratings do Banco Alfa de Investimento S.A.
Fitch Ratings - São Paulo/Rio de Janeiro, 22 de maio de 2017: A Fitch Ratings afirmou, hoje, os seguintes ratings do Banco Alfa de Investimento S.A. (Alfa):
-- Rating Nacional de Longo Prazo ‘AA(bra)’, Perspectiva Estável;
-- Rating Nacional de Curto Prazo ‘F1+(bra)’ (F1 mais(bra)).

PRINCIPAIS FUNDAMENTOS DOS RATINGS
Os ratings do Alfa refletem a conservadora estratégia de concessão de crédito e administração de risco do banco.
Consideram, também, a boa qualidade de seus ativos, a alta liquidez, os índices de capital confortáveis e o histórico de desempenho adequado. Por outro lado, contemplam a captação ainda concentrada no atacado (embora apropriada em termos de prazos e ao seu perfil de negócios) e a menor diversificação de suas atividades frente aos bancos de grande porte locais.

Embora inferior à média dos pares, a rentabilidade do Alfa é adequada. O banco apresenta baixo custo de captação, reduzida exposição a risco e baixa alavancagem. Sua rentabilidade média decresceu a partir de 2013 (retorno sobre patrimônio médio (ROAE) de 6% e retorno sobre ativos médios (ROAA) de 0,9%), em comparação aos quatro anos anteriores (ROAE de 9,3% e ROAA de 1,4%). Desde 2013, os resultados têm sido impactados negativamente pelo decréscimo ou baixo crescimento da carteira de crédito e, até 2014, pelo menor spread das operações, devido à forte concorrência dos bancos públicos.

A maior receita financeira líquida desde 2015, proveniente de spreads mais altos no período, tem sido absorvida pelo aumento das despesas de provisões para crédito. No entanto, grande parte do aumento de provisões (BRL15 milhões em 2016 e BRL38 milhões em 2015) refere-se a provisões adicionais às regras locais, que totalizaram BRL83 milhões em dezembro de 2016. A Fitch considera esta política conservadora e em linha com a cultura de risco do Alfa, sempre visando a cautela na concessão de crédito.

Apesar do aumento dos créditos na categoria de risco ‘D-H’ (2,9% em dezembro de 2016, frente a 1,9% emdezembro de 2015 e 0,7% em 2014), a qualidade de crédito do Alfa continua melhor do que a dos pares – o que é positivo, dado o conturbado momento que o país tem enfrentado nos últimos anos. A cobertura dos créditos entre ‘D-H’ era de altos 107% em dezembro de 2016. Os créditos em atraso acima de noventa dias respondiam por apenas 1,0% da carteira no período (0,9% em 2015 e 0,5% em 2014). A carteira de crédito tem diminuídosensivelmente desde 2013, com exceção de 2014, quando permaneceu estável. As operações de varejo, principalmente as de financiamento de veículos e crédito consignado, representavam 49% da carteira em dezembro de 2016 (47% em 2015), beneficiadas pelo foco em clientes de alta renda, de menor perfil de risco. As operações de atacado (51% em 2016 e 53% em 2015), voltadas a grandes empresas, também continuam apresentando risco adequado, mesmo com a maior concentração de tomadores.

Desde 2012, o Alfa tem tido êxito em alongar o prazo médio de sua base de captação e em captar, dos grandes bancos locais, elevado volume de recursos a custos atraentes, por meio de letras financeiras (LFs), beneficiado pela mudança das regras sobre os depósitos compulsórios. Este movimento também tem favorecido a gestão dos descasamentos entre ativos e passivos e a liquidez, bem como minimizado a alta concentração por aplicador. Os vinte maiores investidores representaram 54% do total da captação em 2016, o que é comum em bancos de atacado.

Os indicadores de capital do Alfa são confortáveis (núcleo de capital Fitch (FCC) de 24,7% em dezembro de 2016) e, historicamente, mais elevados do que a média dos concorrentes. Não há dívida subordinada, e os ativos intangíveis são irrelevantes. Na opinião da Fitch, isto garante ao banco forte capacidade de absorção de perdas e folga para continuar expandindo suas operações.

Com origem em 1925, o Alfa e a financeira do grupo são listados na BM&F Bovespa desde 1977. O banco é controlado por Aloysio Faria, que detém 81,52% do capital votante e 63,3% do capital total, e faz parte de um grupo financeiro integrado, cujas instituições operam com foco no financiamento a grandes empresas, veículos, crédito consignado, private banking, atividades de banco de investimento e gestão de recursos. A administração das atividades do conglomerado é centralizada e compartilha os mesmos sistemas de controle e de auditoria. O banco de investimento permanece como a instituição líder do Conglomerado Financeiro Alfa e responde pela maior parte dos ativos e do patrimônio líquido deste.

SENSIBILIDADE DOS RATINGS

Ação de Rating Positiva: Um desempenho mais robusto (resultado operacional/ativos médios acima de 1,5%) e melhoras na diversificação da captação podem afetar positivamente os ratings do Alfa.

Ação de Rating Negativa: Os ratings do banco podem ser negativamente afetados caso haja um improvável cenário de enfraquecimento relevante da qualidade de ativos e do desempenho. Uma queda no índice FCC/ativos ponderados pelo risco para menos de 13%, somada à deterioração do índice resultado operacional/média dos ativos para menos de 1,0%, poderá resultar em ação de rating negativa.
http://www2.bmfbovespa.com.br/empresas/consbov/frmNBC.asp?protocolo=565657

337978  - paulo_prof  -  16 Mai 2017, 16:35
Ativo barato. Boa margem de segurança! Mas lucro líquido e patrimônio líquido praticamente estacionados em termos reais.

A piora da qualidade da carteira expandida de crédito (2,45% no 1T16, passando para 2,89% no 4T16 e3,05% no 1T17) e a piora na inadimplência (0,57% no 4T16; 1,61% no 1T17) não chegam a comprometer.

BRIV4
PREÇO: R$ 6,53
PAYOUT (2016): 52,3

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,98

P/VPA 0,42

DY 7,49%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,936

ROAE 6,1%

ROAA 0,74%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 33.379

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,99%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,05%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +19,4%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +12,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,0%
RESULTADO OPERACIONAL +2,2%
RESULTADO LÍQUIDO +5,6%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +2,3%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +2.391%

b) 1T17 sobre 1T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +15,8%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -1,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +9,9%
RESULTADO OPERACIONAL -12,8%
RESULTADO LÍQUIDO -4,5%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +44,0%
PATRIMONIO LÍQUIDO +6,5%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -11,1%
PDD TOTAL +13,7%
ATIVOS TOTAIS -13,5%

c) lucro liquido, nominal

UA 5,58%

U2A 4,18%

U3A 8,45%


d) patrimônio líquido médio

UA 4,80%

U2A 4,37%

U3A 4,33%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 12,00

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -15,0%

Mas prof., vc tem BRIV4? ROE é bem ruim.

335682  - paulo_prof  -  17 Mar 2017, 22:25
Acho que o ROE do BRIV é baixo devido ao conservadorismo do controlador. O índice de Basiléia 24,8% já diz tudo ... com o patrimônio líquido que tem, poderia ter um ativo substancialmente maior. Há alguns anos. o payout era de aprox. 30%. Nos últimos 6 exercícios passou para a faixa dos 50%. Os outros 50% engrossam o Pat. Liq. mas com a crise, a carteira total ampla de créditos é ridiculamente baixa (não chega a 3 vezes o Pat. Liq.). Com a eventual recuperação da economia, a carteira de créditos deverá ser substancialmente expandida (no passado, já chegou a ser 60% maior do que atual, em termos nominais). Em consequência, a rentabilidade deverá ser aumentada.

O ROAA do BRIV também é pífio (0,68%) ... mas é melhor do que aquele do BB (0,57%).
                                                         ▲                                               ▲

Embora o BRIV ainda não tenha divulgado os seus resultados, é possível inferir quase todos os números a partir da proposta à AGO/E.

O lucro líquido veio em linha com aquele do ano passado (+4,2% nominais), com payout de 52,3% em termos da BRIV4. Na base trimestral, o lucro líquido cresceu 14,9% nominais. No ano, as despesas de PDD cresceram 8,6% e no trimestre diminuíram 0,9%.

Ativo barato prá caramba!

A situação deverá ficar assim:

BRIV4

PREÇO: R$ 6,01

PAYOUT: 52,3%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L    6,36
P/VPA         0,39
DY    8,22%
LUCRO POR AÇÃO      R$ 0,945
ROAE         6,2%
ROAA         0,68%


Taxas de Crescimento Nominal

lucro  patrimônio
UA    4,20%         4,54%
U2A  10,58%        4,32%
U3A  7,44%         4,28%
  
Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 15,01

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%):-21,5

335661 - Jonas_Schwingel -  17 Mar 2017, 17:33
Sobre BRIV4. Cada caso é um caso. Estava sem setor financeiro na carteira. Tinha BMEB4 e vendi por 5,2X, compradas a 4,0X. Comprei BRIV4 com os pingados deste mês porque foi a "melhor fruta da feira" na minha opinião. No cardápio estavam ITSA, POSI, VLID (aumento). TAEE só não estava porque a posição está completa. Gosto de ITSA, mas o momento de preço de BRIV achei melhor. POSI toda vez que vou comprar, não sinto firmeza e desisto. VLID não aumentei porque está acima da minha última compra. Se é pra pagar mais caro prefiro ficar com o que tenho, no caso 2% da carteira. Está bom. Só aumento se for abaixo de 23,00.

Comparar BMEB com BRIV não faz tanto sentido. São negócios bem distintos. Governança e qualidade da administração também são bem diferentes. Acho BRIV superior em todos estes quesitos. No entanto, por um preço realmente barato, tipo 4,00, BMEB fica mais bonita.

Enfim. Antes de entrarmos nestas competições de qual ativo é o melhor, temos que ver a situação da carteira de cada um e o momento de cada papel. A melhor opção de hoje não é a mesma do mês passado e certamente não será a mesma do mês que vem. O que é o melhor para uma carteira, não é o melhor para outra. O que satisfaz mais o paladar de um investidor, não é o que satisfaz o de outro. E por aí vai.

335662  - paulo_prof  - 17 Mar 2017, 17:49
Com a divulgação dos resultados, tive acesso ao complemento das informações.

A percentual dos créditos baixados a prejuízo em 2016 em relação Carteira Total Expandida de Créditos em 30DEZ2016 emplacou 0,57%. Em dos menores índices do mercado. Por outro lado, o tamanho do PDD em 30DEZ2016, também como percentual da Carteira Total ficou em 2,89%. Embora se perceba uma deterioração (em 30DEZ2015 era 2,09%), continua sendo um dos menores índices do mercado.

O Índice de Basiléia, de 24,83%, continua super confortável.


Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T15, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +11,4%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +20,2%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +7,0%

RESULTADO OPERACIONAL +2,8%

RESULTADO LÍQUIDO +4,2%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +8,6%

CRÉDITOS INADIMPLENTES +1.201%


b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +13,3%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +4,9%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,2%

RESULTADO OPERACIONAL -6,5%

RESULTADO LÍQUIDO +14,9%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -0,9%

PATRIMONIO LÍQUIDO +5,2%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -8,5%

PDD TOTAL +26,6%

ATIVOS TOTAIS -0,1%
                                                         ▲                                               ▲
335415  - paulo_prof   -  13 Mar 2017, 22:34
Ativo barato prá caramba!

BRIV4
PREÇO: R$ 5,81
PAYOUT (2015): 51,1

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 6,39

P/VPA 0,39

DY 8,00%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,909

ROAE 6,0%

ROAA 0,65%

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,41%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,55%


Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T15, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +12,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +34,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,0%
RESULTADO OPERACIONAL +8,4%
RESULTADO LÍQUIDO -0,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +62,2%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -22,3%

b) 3T16 sobre 3T15, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +25,2%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +17,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,2%
RESULTADO OPERACIONAL +10,8%
RESULTADO LÍQUIDO -1,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -8,3%
PATRIMONIO LÍQUIDO +4,9%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -12,2%
PDD TOTAL +38,9%
ATIVOS TOTAIS +0,1%

c) lucro liquido, nominal

UA -0,94%

U2A 9,52%

U3A 5,93%


d) patrimônio líquido médio

UA 4,21%

U2A 4,16%

U3A 4,22%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 11,36

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -17,0%
[...]

329758  - paulo_prof   -  10 Nov 2016, 16:00
Banco muito bem administrado, continua entregando. A qualidade da carteira expandida de crédito e inadimplência, bem como as despesas com pessoal e administração vêm sendo mantidas sob estrito controle. Ativo continua barato.

BRIV4
PREÇO: R$ 5,69
PAYOUT (2015): 51,1%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 6,26
P/VPA 0,38
DY 8,17%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,909
ROAE 6,0%
ROAA 0,65%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 14.856
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,41%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,55%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T15, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +12,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +34,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,0%
RESULTADO OPERACIONAL +8,4%
RESULTADO LÍQUIDO -0,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +62,2%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -22,3%

b) 3T16 sobre 3T15, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +25,2%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +17,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +6,2%
RESULTADO OPERACIONAL +10,8%
RESULTADO LÍQUIDO -1,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -8,3%
PATRIMONIO LÍQUIDO +4,9%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -12,2%
PDD TOTAL +38,9%
ATIVOS TOTAIS +0,1%

c) lucro liquido, nominal
UA -0,94%
U2A 9,52%
U3A 5,93%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,21%
U2A 4,16%
U3A 4,22%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 9,09

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -10,5%

326106  - paulo_prof  -  17 Ago 2016, 19:38
O grupo Alfa é controlado e dirigido pelo Aloysio de Andrade Faria, o controlador do Banco Real até a sua venda ao ABN Amro. É um banqueiro tremendamente conservador, ou seja, não dá um passo se não achar que é completamente seguro. Se o Stuhlberger é uma boa referência, então basta informar que os principais ativos do grupo Alfa (BRIV3 e CRIV4) fazem parte da carteira do Fundo Verde.

Embora a qualidade da Carteira Expandida de Créditos tenha piorado continuamente nos últimos 12 meses (passou de 1,44% no 2T15 para, respectivamente, 1,61%; 2,09%; 2,45% e 2,57% no 3T15, 4T15, 1T16 e 2T16), o tamanho desta carteira diminuiu sensivelmente. Por outro lado, a inadimplência (créditos baixados a prejuízo) é muito baixa (0,33% nos últimos 12 meses). Em consequência, as despesas de PDD no trimestre são as menores dos últimos 4 trimestres.

BRIV4
PREÇO: R$ 5,18
PAYOUT (2015): 51,1

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,67
P/VPA 0,35
DY 9,01%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,913
ROAE 6,2%
ROAA 0,69%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 11.207
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,33%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,57%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T15, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +7,4%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +36,3%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +7,1%
RESULTADO OPERACIONAL +12,3%
RESULTADO LÍQUIDO +7,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +220,0%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -38,9%

b) 2T16 sobre 2T15, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +24,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +38,6%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +10,7%
RESULTADO OPERACIONAL +21,9%
RESULTADO LÍQUIDO +11,8%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -29,8%
PATRIMONIO LÍQUIDO +6,5%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -13,3%
PDD TOTAL +54,0%
ATIVOS TOTAIS -10,4%

c) lucro liquido, nominal
UA 7,89%
U2A 9,11%
U3A 6,29%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,96%
U2A 4,06%
U3A 4,18%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 9,13

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -13,0%

297506  - paulo_prof  -  18 Mai 2015, 02:18
BRIV3
PREÇO: R$ 5,71
PAYOUT (2014): 8,9%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 6,72
P/VPA 0,41
DY 1,32%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,850
ROAE 6,1%
ROAA 0,56%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 19.512
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,51%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,23%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T14
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +40,5%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +9,6%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -0,5%
RESULTADO OPERACIONAL -7,8%
RESULTADO LÍQUIDO +17,5%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -83,6%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +730%

b) 1T15 sobre 1T14
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +28,037,6%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +24,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -3,1%
RESULTADO OPERACIONAL +69,0%
RESULTADO LÍQUIDO +64,4%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +50,0%
PATRIMONIO LÍQUIDO +4,5%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +4,6%
PDD TOTAL -24,1%
ATIVOS TOTAIS +1,7%

c) lucro liquido
UA 17,53%
U2A 9,18%
U3A 2,49%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,25%
U2A 4,32%
U3A 4,37%

No últmo trimestre, o PDD Total como percentual das Operações de Crédito aumentou, de 1,06% no 4T14 para 1,23%.

Por outro lado, a inadimplência (NPL) anualizada, também medida como percentual das operações de crédito despencou de 1,72% para 0,02%.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,0%

272378  - paulo_prof  -  15 Ago 2014, 20:49
BRIV3
PREÇO: R$ 6,54
PAYOUT (2012): 10,9%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 8,59
P/VPA 0,48
DY 1,08%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,756
ROAE 5,6%
ROAA 0,55%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 3.322
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,09%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,65%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T13
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -2,3%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -6,4%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -3,0%
RESULTADO OPERACIONAL +48,6%
RESULTADO LÍQUIDO +0,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +247,1%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +44,1%

b) 2T14 sobre 2T13
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +28,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -3,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -0,7%
RESULTADO OPERACIONAL -5,2%
RESULTADO LÍQUIDO +15,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +32,2%
PATRIMONIO LÍQUIDO +4,4%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -9,3%
PDD TOTAL +66,8%
ATIVOS TOTAIS -5,3%

c) lucro liquido
UA 0,86%
U2A -0,84%
U3A 1,40%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,41%
U2A 4,39%
U3A 4,51%

No período de uma ano, o PDD Total como percentual das Operações de Crédito aumentou fortemente, de 0,90% no 2T13 para 1,65%.

Por outro lado, a inadimplência (NPL) nos últimos 12 meses, também medida como percentual das operações de crédito é praticamente nula: aumentou 44%.

A consequência foi o "estouro" nas despesas de PDD, que aumentaram 247%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,56

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -3,5%

224472  - paulo_prof  -  15 Nov 2013, 21:51
BRIV3
PREÇO: R$ 6,54
PAYOUT (2012): 10,9%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 8,67
P/VPA 0,50
DY 1,25%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,754
ROAE 5,8%
ROAA 0,51%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 7.200
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,19%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,96%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 9 meses sobre os 9 meses terminados no 3T12
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -20,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -2,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -9,3%
RESULTADO OPERACIONAL -1,9%
RESULTADO LÍQUIDO +4,1%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -94,5%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -62,4%

b) 3T13 sobre 3T12
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -7,9%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -10,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -9,7%
RESULTADO OPERACIONAL +13,1%
RESULTADO LÍQUIDO +3,1%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -98,0%
PATRIMONIO LÍQUIDO +5,6%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -16,7%
PDD TOTAL +17,9%
ATIVOS TOTAIS +13,6%

c) lucro liquido
UA 2,21%
U2A 4,25%
U3A -4,17%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,35%
U2A 4,56%
U3A 4,75%

O PDD Total como percentual das Operações de Crédito aumentou levemente de 0,90% no 2T13 para 0,96%.

Por outro lado, a inadimplência (NPL) no trimestre, também medida como percentual das operações de crédito é praticamente nula: diminui de 0,03% (anualizado) no 2T13, para 0,02%.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 9,42

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -8,0%

169451 - paulo_prof -  27 Fev 2013, 01:33
BRIV3
PREÇO: R$ 5,90
PAYOUT 2012: 10,9%

Em relação a 2011, as taxas de crescimento nominal do exercício de 2012 foram:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -6,3%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -10,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +4,5%
RESULTADO OPERACIONAL +31,9%
RESULTADO LÍQUIDO -2,0%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +950%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +5,6%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +8,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +30,8%
ATIVO TOTAL +28,8%
CRÉDITOS INADIMPLENTES NO ANO: -53,7%

P/L 8,04 
P/VPA 0,47 
DY 1,35%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,734
ROAE 5,8%
ROAA 0,47%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 2.945 
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,06%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,80%

Em relação ao 3T12, a "qualidade" da carteira de créditos medida em termos do percentual do PDD em relação ao tamanho da carteira piorou de 0,71% para 0,80%. Os créditos inadimplentes contabilizados no 4T12, medidos como percentual da carteira de crédito aumentaram de 0,06% para 0,1% (anualizado). A relação entre os créditos inadimplentes no ano, para o tamanho da carteira no final do ano diminuiu de 0,15% em 2011 para 0,06% em 2012.

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA -1,96%
U2A -10,20%
U3A -4,83%

b) do patrimônio líquido médio
UA 4,70%
U2A 4,72%
U3A 5,19%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses por toda a eternidade e taxa de desconto anual real de 8%: R$ 9,18

O que mata o BRIV3 é o payout miserável ... o payout em termos do BRIV4, se bem que também miserável, é melhor.

168590 - israel007 -  22 Fev 2013, 17:22
BRIV3

Empresa: BCO ALFA DE INVESTIMENTO S.A. Ação: ALFA INVEST ON Setor: Financeiro e  Outros Subsetor: Intermediários Financeiros
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa anunciou lucro líquido de R$ 21,3 M no 4T12, crescimento de 68,4% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e redução de 1,8% em relação ao 4° trimestre de 2011. A receita de intermediações financeiras somou R$ 235,4 M no 4T12, uma variação de -0,6% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e redução de 14,7% em relação ao 4° trimestre de 2011.

A margem bruta atingiu 11,3% neste trimestre contra 12,9% no trimestre anterior e 12,0% no 4° trimestre de 2011. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) alcançou 5,8% no 4° trimestre de 2012, contra 5,9% no terceiro trimestre de 2012, o que representa uma variação de -0,1 p.p..

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 13,7 B, acréscimo de 27,5% em relação ao saldo no 4T11. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,1 B no 4T12, valor 4,5% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Nestes três meses, a ação oscilou 2,1% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 525,1 M contra R$ 508,3 M no quarto trimestre de 2011.

157039 paulo_prof -  14 Nov 2012, 17:51
BRIV3

As taxas de crescimento dos resultados dos 9M12 em relação aos 9M11 foram:
RECEITA DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -14,4%
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -1,1%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -5,0%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,0%
RESULTADO OPERACIONAL -10,5%
RESULTADO LÍQUIDO -2,0%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +453%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -67,9%

As taxas de crescimento ao final do 3T12 em relação ao final do 3T11 foram:
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +4,5%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -4,6%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +8,3%
ATIVO TOTAL +10,6%

Em relação à Carteira Total de Créditos:
O PDD Total passou de 0,68% no 2T12 para 0,71% no 3T12
Os créditos inadimplentes do trimestre anualizados passaram de 0,04% no 2T12 para 0,06% no 3T12

Taxas anuais médias de crescimento nominal:
a) do lucro líquido
UA 6,34%
U2A -7,21%
U3A -8,91%

b) do patrijmônio líquido médio
UA 4,78%
U2A 4,95%
U3A 5,31%

Múltiplos baseados nos resultados dos últimos 12 meses
PREÇO: R$ 5,98
PAYOUT (2011): 15,5%

P/L 8,10
P/VPA 0,48
DY 1,92%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,738
ROAE 5,9%
ROAA 0,55%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 2.568
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,06%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,71%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: - 14,5%

156959 - danieljoseaa -  14 Nov 2012, 13:01
BRIV4:

Resultado do 3º Trimestre de 2012

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 12,6 M no terceiro trimestre de 2012, decréscimo de 18,7% em relação ao 2° trimestre de 2012 e redução de 18,2% em relação ao 3T11. A receita de intermediações financeiras totalizou R$ 236,9 M neste trimestre, redução de 11,6% em relação ao segundo trimestre de 2012 e redução de 32,9% em relação ao terceiro trimestre de 2011.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 12,9% contra 13,5% no 2T12 e 11,4% no mesmo período do ano passado. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) atingiu 5,9% no 3° trimestre de 2012, contra 6,2% no 2T12, o que representa uma variação de -0,3 p.p..

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 11,9 B, crescimento de 9,3% em relação ao saldo no terceiro trimestre de 2011. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,1 B neste trimestre, valor 4,5% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 7,9% contra 8,9% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 460,1 M contra R$ 503,3 M no 3T11.
GUIAINVEST

144855 - paulo_prof - 16 Ago 2012, 00:33
PREÇO: R$ 5,16
PAYOUT (2011): 15,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 6,71 
P/VPA 0,42 
DY 2,32%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,769
ROAE 6,3%
ROAA 0,64%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 3.058 
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,05%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,44%

Taxas de Crescimento Nominal em relação ao 1o. semestre de 2011 e 30JUN2011
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +13,7%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -7,3%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +7,8%
RESULTADO OPERACIONAL -0,7%
RESULTADO LÍQUIDO +6,2%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +1637%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +4,8%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +6,5%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +5,8%
ATIVO TOTAL +21,3%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -74,5%

A qualidade da carteira de créditos, medida pela razão PDD TOTAL/CARTEIRA TOTAL, passou de 0,68% no 2T11 para 0,68% no 2T12. Do 1T12 (0,44%) para o 2T12 houve uma piora. Moral da história: a qualidade da carteira de créditos permanece aprox. constante. Mas eu olharia para estes dados com reserva pois se verdadeiros, o BRIV seria o banco brasileiro com a melhor qualidade de carteira.

No que tange os créditos inadimplentes, ano-a-ano, houve uma grande redução, passando de 0,2% da carteira total de créditos para 0,05% da carteira. Mais uma vez, embora a redução da inadimplência tenha sido apreciável, o valor absoluto desta inadimplênicia é desprezível (difícil de acreditar ... ou o banco fica em cima dos clientes devedores, enchendo o saco todos os dias, ou ... a inadimplência mostrada é para inglês ver ...).

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal
a) do lucro líquido
UA 6,04%
U2A -8,07%
U3A -7,22%

b) do patrimônio líquido médio
UA 4,76%
U2A 10,46%
U3A 15,50%

Taxa anual de crescimento real do lucro líquido necessária, durante 3 anos, para que o valor intrínsico fornecido pela fórmula simplificada da FCD seja 30% superior à cotação atual (perpetuidade real nula, taxa de desconto real de 8%): -12,0%


131903 - paulo_prof - 15/Mai/2012 21:37 
BRIV3
PREÇO: R$ 5,58
PAYOUT (2011): 15,5%

P/L 7,07
P/VPA 0,45
DY 2,20%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,789
ROAE 6,4%
ROAA 0,66%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 3.493
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,08%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 0,64%

Taxas anuais médias nominais de crescimento
a) lucro líquido
UA 0,47%
U2A -6,49%
U3A -3,72%

b) patrimônio líquido médio
UA 4,78%
U2A 10,81%
U3A 16,14%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido necessária nos próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD seja 1,3 vezes a cotação atual (perpetuidade real nula; taxa de desconto real de 8%): -10,5%

Taxas nominais de crescimento relativas ao 1T11
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +15,37%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -6,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +1,6%
RESULTADO OPERACIONAL +19,6%
RESULTADO LÍQUIDO +28,4%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -79,5%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +5,0%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +5,3%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) -16,1%
ATIVO TOTAL -2,3%

"Qualidade da Carteira de Créditos": estacionária, num nível "inacreditável/suspeito" de apenas 0,64%
"índice de inadimplência": estável, num nível "inacreditável/suspeito" de apenas 0,06% anualizados

O BRIV, que tem uma Carteira de Créditos que soma no total, incluindo Outros Créditos, aprox. 4,4 bilhões, sofre uma inadimplência anual de menos de R$ 4 milhões ... é mole? ... dificil de acreditar ...

A política de proventos da BRIV3 é esquista e muito muquirana ... As BRIV3 receberam, no exercício de 2011, JCPs de apenas R$ 0,09925, enquanto que as BRIV4 receberam JCPs que somaram R$ 0,37242, quanse 4 vezes maior.


115463 - paulo_prof - 14/Fev/2012 21:50
Sem comparação, o resultado da BRIV3

PREÇO R$ 5,38
PAYOUT 15,5% (vá ser sovina assim com as ações ordinárias ... )
P/L      8,43
P/VPA            0,52
DY      1,84%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,638
ROAE 6,2%
ROAA            0,62%
CRÉDITOS INADIMPLENTES     6.361
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO  0,15%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO            0,67%


Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      -17,75%
U2A    -6,23%
U3A    -12,37%

b) do patrimônio líquido médio
UA      4,75%
U2A    5,44%
U3A    5,98%

Preço justo calculado pela fórmula do FCD para uma taxa de crescimento anual real média de -5% durante 3 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10% a.a. = R$ 5,55



102253 - paulo_prof - 14/Nov/2011 00:37
BRIV3

múltipos baseados nos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 6,52
PAYOUT: 20,9%
P/L      9,40
P/VPA            0,54
DY      2,23%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,694
ROAE 5,8%
ROAA            0,57%
CRÉDITOS INADIMPLENTES     23.380
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO  0,51%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO            0,62%

Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +7,5%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -10,6%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -10,5%
RESULTADO OPERACIONAL -14,9%
RESULTADO LÍQUIDO -29,8%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: +4,4%
Crescimento das Operações de Crédito em 12 meses: +25,6%

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      -19,03%         
U2A    -15,69%
U3A    -24,20%

b) do patrimônio líquido médio
UA      5,12%
U2A    5,57%
U3A    6,29%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): +13,5%


6454 -  small caps - 01/Jun/2009 23:11
BRIV eu tive um bom tempo. Mas fui me enchendo o saco pela governança da empresa. Ao invés de anunciarem recompra de ações, os próprios administradores estavam comprando ações. Na minha concepção isto demonstra menos grau de interesse em promover o "bem" para todos. Então, parti para outros 7 bancos médios :)

5724 - floripasempre - 15/Mai/2009 16:05
Apenas um breve comentário....Fico impressionado com a regularidade dos resultados do Grupo Alfa...me parece que as empresas funcionam como um relógio suíço. Não dão resultados financeiros espetaculares, mas em compensação, no tempo de dificuldades, nada abala os resultados. Para que gosta de estabilidade no desempenho da empresa, acho que são insuperáveis.



4777 - paulorizzi - 25/Abr/2009 22:54
citação: WK2007

"Mudando de assunto, em outra oportunidade você sugeriu trocar briv4 por pine4. Gostaria que justificasse esse movimento, destacando os aspectos negativos que você observa no Banco Alfa."

"Devo confessar que tenho uma certa antipatia que vem de longe: desde quando todos os meus investimentos no Banco Real, da noite para o dia, amanheceram no Banco Alfa. Inicialmente tive que brigar feio com o Real (as aplicações tb serviam de contrapartida para certos proivilégios que o banco de uma hora para outra tentou cortar) e meses depois com o próprio Alfa, quando me enviou uma cobrança de taxa de conta corrente (ou algo assim). Me enchi e, além de não pagar, liquidei todas as minhas aplicações e deixei os caras falando sozinho."

"Como não podia deixar de ser, uma vez ""muquirana"", sempre muquirana. Excetuando o BEES (que paga o mínimo legal), o BRIV é o banco médio com o pior payout (25,9%). O meu sentimento é que, de modo geral, o investidor é ignorado e, se o banco for vendido, sou capaz de apostar que os investidores em BRIV4 vão dançar. Em conseqüência, se eu fosse investir no Alfa, seria obrigado a faze-lo em BRIV3. Ocorre que por isto mesmo, BRIV3 é mais cara, com dividendos 10% menoreews do que BRIV4, dando um DY vagabundo de 4,2%. Se o Fundamentus estiver correto, o crescimento anual nos últimos 5 anos foi de apenas 1,5%. No meu modo de entender, isto é um tanto quanto incompatível com o payout praticado. Se vc não ganha dividendos que se preze, deveria ganhar no crescimento da empresa, ou não? Finalmente, BRIV3 tem problemas de liquidez."

"Talvez não seja a toa que o ativo não sai do lugar desde o início do ano (por coincidência, a cotação de fechamento de BRIV4 em 06JAN (primeiro dia em que foi negociada no ano) e na 6a. feira passada foi a mesma: R$ 6,28. "



3339 - small caps - 01/Abr/2009 17:18
"WK2007, tenho uma posição em BRIV4 e CRIV4, equivalente a 1/2 de BICB4 e PINE4."
"Agora os múltiplos estão parecidos, mas a vantagem de BICB4 e PINE4 está no ROE e no tratamento ao minoritário. Um bom exemplo é a diferença no DY entre os ativos mencionados e o fato de BICB4 e PINE4 estarem recomprando ações."


"Já BRIV4 e CRIV4, quem está comprando ações são os controladores para si e não para a companhia... e, portanto, você não ganha mais dividendos proporcionalmente a quantidade de ações possuídas com este procedimento."


3336 - WK2007 - 01/Abr/2009 17:09
citação: bernardonSmall!

Como vc vê a situação do Banco Alfa (Briv e Criv)?

"Small, reitero a pergunta do colega."

"Principalmente em relação a Briv, destaca-se o relativamente grande ativo (um pouco maior do que o de bicb, e importante elemento no contexto atual de consolidação), baivo p/vpa (um dos menores do setor), baixo p/l, roe em linha com os pares do setor, boa carteira de crédito, participação na bvmf3 etc. No entanto, as cotações parecem estacionadas, nem sobem nem descem, independente do mercado estar em baixa ou em alta, ou seja, o ativo não consegue chamar atenção."





2112 - danieljoseaa - 04/Mar/2009 22:54
"Caro amigo, em relação a Briv4, acredito, caso queira comprar ações de bancos, que existem melhores opções como, principalmente Bicb4 e Pine4, depois talvez Prbc4, Abcb4, Bgip4, Brsr6.(Opinião pessoal)"

1595 - WK2007 - 10/Fev/2009 22:57
"Paulo, há uma discrepância entre seus dados e os da guiainvest, em relação ao PRBC. Quanto ao IDVL, o site ainda não atualizou os dados com os resultados do 4T08."

"A minha impressão é a de que o Banco Alfa de Investimentos (BRIV) vai se consolidando como a melhor opção dos bancos médios. Isso porque apresenta indicadores fundamentalistas _ P/L, P/VPA, ROE, por exemplo _ em linha com com os dos bancos médios mais desvalorizados. Ocorre que o Alfa tem um volume de ativos e uma carteira de créditos bem superior a da maioria dos bancos médios negociados em bolsa, com números próximos ao do Bicbanco. E, no setor bancário principalmente, o tamanho traz importantes ganhos de escala, favorecendo a rentabilidade do negócio, além de torná-lo alvo de futuras aquisições. Aliás, nada muito improvável, já que o controlador vendeu o Banco Real para o ABN Amro."

"Como BRIV4 já frequentou a carteira do small, gostaria de ouvir a opinião do mestre ..."

"citação: paulorizziUma vez que os dados de 2008 estão disponíveis, para o que possa interessar, apresento uma comparação entre alguns múltiplos do Indusval e do Parana Banco."

"Considerando a baixíssima liquidez da ação ordinária, para os cálculos fiz a hipótese de que a mesma está disponível ao mesmo preço da preferencial. O DY foi calculado supondo-se o mesmo payout praticado no exercício de 2007."

"PRBC4: cotação: R$ 3,35"

"Payout relativo a 2007: 47,8%"

"P/L = 3,44; P/VPA = 0,35; PSR = 1,25; DY = 13,9%; ROE = 10,1%"

"Proventos já distribuídos: R$ 0,39; Estimativa de Proventos ainda a distribuir: R$ 0,075"

"IDVL4: cotação: R$ 5,60"

"Payout relativo a 2007: 37,9%"

"P/L = 3,34; P/VPA = 0,53; PSR = 1,20; DY = 11,3%; ROE = 16,0%"

"Proventos já distribuídos: R$ 0,454; Estimativa de Proventos ainda a distribuir: R$ 0,180"

"Interessante notar que ambos os bancos obtiveram, no 4T08, praticamente o mesmo percentual do lucro líquido total do exercício:"

"PRBC = 19,0%; IDVL = 18,9%"

Nenhum comentário: