Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 30 de março de 2020

Plascar Part (PLAS)

Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: Small caps (set/08)

Carteiras
LGBONAT (fev/13)

Códigos de Negociação
Tipo
PLAS3


Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019

3T2018 -
marcosvinicius2 -  
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = Resultado Líquido de R$ -65,781 milhões no 3T18 x R$ -35,107 milhões no 3T17; RESULTADO OPERACIONAL = R$ -64,717 milhões no 3T18 x -30,624 milhões no 3T17; RESULTADO FINANCEIRO = R$ -47,962 milhões no 3T18 x -24,380 milhões no 3T17; EBITDA = R$ -6,581 milhões no 3T18 x 4,489 milhões no 3T17; RELATORIO DA ADM = Com vendas no acumulado até setembro em 52,8 mil unidades e alta de 49,2% sobre iguais meses do ano passado, o mercado de caminhões levou a ANFAVEA, associação dos fabricantes, a revisar para cima suas projeções. Em vez de 79,5 mil veículos pesados (caminhões mais ônibus) e alta de 24,7% sobre 2017, a entidade estima agora 86 mil e crescimento de 35%. Desse total, cerca de 72 mil serão caminhões.A análise de setembro mostra queda nas vendas em relação a agosto pelo menor número de dias úteis (19, ante 23), mas a média diária de emplacamentos cresceu 9%. A direção da ANFAVEA também atribui a retomada ao processo de renovação de frota de grandes transportadoras. “Elas estão pressionadas por custos e buscam veículos mais modernos e econômicos”, estima o presidente da ANFAVEA, Antonio Megale.

A2017/4T2017 -
marcosvinicius2  -  
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Desempenho Econômico –Financeiro = Em 2017, verificou-se um aumento na produção de veículos em torno de 25,2%, quando comparado com o ano de 2016, conforme dados da ANFAVEA. A receita líquida da Companhia, por sua vez, no exercício de 2017,apresentou uma recuperação de 10,8% quando comparado com o ano anterior. A Companhia mostrou também uma recuperação na margem bruta, passando de 10,1% negativo em 2016 para 5,7% positivo em 2017, resultado que se dá em razão da melhora nas vendas de veículos, além das diversas medidas para redução de custos adotadas pela Administração, tais como, redução de benefícios e do número de colaboradores (cerca de 1.100 desligamentos entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017).

3T2013 -
RRunner  -
Plascar, que trosoba

cosmoscapital  -
Plascar não tem jeito. Dívida enorme, péssimas margens mesmo quando o mercado automobilístico batia recordes, agora com desaquecimento do setor é caixão. Empresa ruim, administração ruim.

Características
Participação em outras empresas

Assembleias
AGO/E - 30/04/2020 10:00 - Assunto(s): Tomada de Contas-Votação do Relatório da Administração e das Demonstrações Financeiras; Eleição de Membros dos Conselhos de Administração e Fiscal; Destinação dos Resultados


56562 - marcosvinicius2 -  05 Dez 2018, 21:33
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = Resultado Líquido de R$ -65,781 milhões no 3T18 x R$ -35,107 milhões no 3T17; RESULTADO OPERACIONAL = R$ -64,717 milhões no 3T18 x -30,624 milhões no 3T17; RESULTADO FINANCEIRO = R$ -47,962 milhões no 3T18 x -24,380 milhões no 3T17; EBITDA = R$ -6,581 milhões no 3T18 x 4,489 milhões no 3T17; RELATORIO DA ADM = Com vendas no acumulado até setembro em 52,8 mil unidades e alta de 49,2% sobre iguais meses do ano passado, o mercado de caminhões levou a ANFAVEA, associação dos fabricantes, a revisar para cima suas projeções. Em vez de 79,5 mil veículos pesados (caminhões mais ônibus) e alta de 24,7% sobre 2017, a entidade estima agora 86 mil e crescimento de 35%. Desse total, cerca de 72 mil serão caminhões.A análise de setembro mostra queda nas vendas em relação a agosto pelo menor número de dias úteis (19, ante 23), mas a média diária de emplacamentos cresceu 9%. A direção da ANFAVEA também atribui a retomada ao processo de renovação de frota de grandes transportadoras. “Elas estão pressionadas por custos e buscam veículos mais modernos e econômicos”, estima o presidente da ANFAVEA, Antonio Megale.:

PLAS3
PREÇO: R$ 7,08
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -0,37
P/VPA -0,09
PSR 0,10
DY 0,00%
EV/EBITDA -61,41
MARGEM BRUTA 3,34%
MARGEM OPERACIONAL -47,36%
MARGEM LÍQUIDA -26,04%
LUCRO POR AÇÃO R$ -19,142
MARGEM EBITDA -3,36%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -180,76%
ROE 23,87%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,09

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -0,23%
RESULTADO BRUTO -6,93%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 8,52%
RESULTADO OPERACIONAL 3,54%
RESULTADO LÍQUIDO -47,20%
EBITDA -15,03%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -13,35%
RESULTADO BRUTO -84,83%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 96,73%
RESULTADO OPERACIONAL 111,33%
RESULTADO LÍQUIDO 87,37%
EBITDA -246,60%

c) lucro (taxa média anual)
UA -47,20%
U2A -43,93%
U3A -2,30%

d) patrimônio líquido médio
UA 30,09%
U2A 231,98%
U3A -213,26%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

348196  - marcosvinicius2  -  18 Mar 2018, 13:02
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Desempenho Econômico –Financeiro = Em 2017, verificou-se um aumento na produção de veículos em torno de 25,2%, quando comparado com o ano de 2016, conforme dados da ANFAVEA. A receita líquida da Companhia, por sua vez, no exercício de 2017,apresentou uma recuperação de 10,8% quando comparado com o ano anterior. A Companhia mostrou também uma recuperação na margem bruta, passando de 10,1% negativo em 2016 para 5,7% positivo em 2017, resultado que se dá em razão da melhora nas vendas de veículos, além das diversas medidas para redução de custos adotadas pela Administração, tais como, redução de benefícios e do número de colaboradores (cerca de 1.100 desligamentos entre dezembro de 2015 e dezembro de 2017):

PLAS3
PREÇO: 8,65
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -0,60
P/VPA -0,17
PSR 0,11
DY 0,00%
EV/EBITDA 964,95
MARGEM BRUTA 5,66%
MARGEM OPERACIONAL -37,65%
MARGEM LÍQUIDA -18,49%
LUCRO POR AÇÃO -14,476
MARGEM EBITDA 0,18%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -353,62%
ROE 27,99%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,12

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 10,75%
RESULTADO BRUTO -162,07%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -20,04%
RESULTADO OPERACIONAL -40,11%
RESULTADO LÍQUIDO -71,43%
EBITDA -101,01%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 10,75%
RESULTADO BRUTO -162,07%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -20,04%
RESULTADO OPERACIONAL -40,11%
RESULTADO LÍQUIDO -71,43%
EBITDA -101,01%

c) lucro (taxa média anual)
UA -71,43%
U2A -39,77%
U3A -1,89%

d) patrimônio líquido médio
UA 187,59%
U2A ND
U3A -200,37%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

218456  - cosmoscapital  -  28 Out 2013, 20:37
Plascar não tem jeito. Dívida enorme, péssimas margens mesmo quando o mercado automobilístico batia recordes, agora com desaquecimento do setor é caixão. Empresa ruim, administração ruim.
https://twitter.com/1CosmosCapital

218449  - RRunner  -  28 Out 2013, 20:12
Plascar, que trosoba:

Resultado do 3º Trimestre de 2013

A empresa anunciou prejuízo líquido de R$ 24,6 M no terceiro trimestre de 2013, ante perdas de R$ -12,0 M apurados no segundo trimestre de 2013. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 11,1 M. A receita líquida totalizou R$ 210,0 M no 3T13, redução de 11,8% em relação ao 2T13 e decréscimo de 13,3% em relação ao 3° trimestre de 2012.

A margem bruta atingiu 5,9% neste trimestre contra 11,0% no trimestre anterior e 15,7% no terceiro trimestre de 2012.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 1,0 B, aumento de 1,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 368,4 M no 3° trimestre de 2013, o que representou uma variação de -15,2% em relação ao saldo no 3T12.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 24,0% contra 10,3% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 150,1 M contra R$ 251,7 M no 3° trimestre de 2012.

161716 - marcelio2 -  28 Dez 2012, 14:39
Muito bom dia a todos.

Último pregão do ano hoje. Ótima oportunidade de repensar os erros e corrigir o rumo em 2013.

A matéria abaixo é um ótimo meio de visualizar que, talvez, algumas dessas listadas abaixo podem fazer um caminho diferente no ano que vem e se os preços atuais, se mostrarem uma grande "oportunidade" de investimento.

Lembrando que devemos comprar empresas boas e grandes em momentos difíceis e com bom desconto na cotação. Depois é ter tranquilidade e surfar na onda da alta quando os ventos virarem a seu favor.

O timing da "entrada" é o que faz a diferença de um bom investimento ou prejuízo certo. Cabe a todos estudar um pouco e garimpar as oportunidades que as crises oferecem. Boa sorte a todos nas suas decisões.

De falências até blue chips, veja os maiores micos da bolsa em 2012

Empresas como Mundial, Pet Manguinhos, OGX, HRT e Eletrobras apareceram como más apostas para os investidores; Facebook foi o destaque negativo internacional

Por Lara Rizério |9h42 | 28-12-2012 A A A

SÃO PAULO - O ano de 2012 foi bastante movimentado para aqueles que detinham ações de algumas empresas que acabaram se tornando "micos". Dentre elas, estiveram papéis de empresas que decretaram falência ou foram liquidadas até grandes companhias que sofreram com alto endividamento ou com uma produção bem abaixo da esperado pelo mercado.

Veja abaixo as ações que mais se destacaram - mesmo que negativamente - e que viraram notícia no ano que está acabando:
[...]
10. Plascar: nem estímulos do governo ajudaram

Em uma situação bastante similar à da Viver Incorporadora e da Lupatech, os papéis da Plascar (PLAS3) também registraram forte queda durante o ano de 2012, com baixa até o momento de 76,90%, aos R$ 0,43. Números ruins e a alta alavancagem impulsionaram a queda dos papéis durante o período.

Em meio ao alto endividamento, - a dívida líquida sobre Ebitda (lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) alcança uma relação de 4,9 vezes, acima do tolerado por boa parte do mercado -, as preocupações do mercado eram de que a companhia não conseguisse cumprir os seus compromissos junto aos credores. Desta forma, nem as medidas anunciadas pelo governo durante o período para incentivar a indústria automobilística surtiram efeito.

Deste modo, em meio aos números ruins, o mercado segue com ceticismo em relação à companhia, devendo mostrar tendência de menor ceticismo somente após a Plascar voltar a mostrar resultados, de acordo com analistas.
[...]

Citação: guxtavu
O que acham de PLAS3?
Deu uma diminuída na dívida.
O que vc acha de uma empresa que vem de 4 trimestres seguidos de prejuízo, embora o seu setor de atuação tenha sido beneficiado pelas medidas do governo?

Vai ver que a empresa está esperando aumentar o IPI para voltar a ser lucrativa ... ou não?

118875 - paulo_prof - 06/Mar/2012 10:44
PLAS3

PREÇO: R$ 1,92
PAYOUT (2011): 22,4%

Relativo aos últimos 12 meses

P/L 27,76
P/VPA 1,13
PSR 0,31
DY 0,81%
EV/EBITDA 6,03
MARGEM BRUTA 20,1%
MARGEM OPERACIONAL 2,4%
MARGEM LÍQUIDA 1,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,069
MARGEM EBITDA 13,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 177,3%
ROE 4,06%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,67


Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA 25,78%
U2A 6,84%
U3A -8,43%

b) do patrimônio líquido médio
UA -0,02%
U2A -0,90%
U3A -1,05%

100262 - paulo_prof- 01/Nov/2011 09:30
Complementando a informação do Apolo, sem esta receita não recorrente o Resultado Operacional teria sido de R$ 11,5 milhões e o lucro seria reduzido para aprox. R$ 7 milhões, ou seja, menor do que aquele postado no 3T10.


De qualquer forma, ao reduzir o endividamento líquido de aprox. 25%, a empresa deverá ser capaz de economisar aprox. R$ 4 milhões por trimestre em despesas financeiras. Pouco para tornar PLAS3 uma opção interessante de investimento no médio prazo. No curto prazo é até possível que o ativo experimente alguma valorização.

100213 - apolo20 - 31/Out/2011 21:14
Paulo,

Acho que isto explica:

"Transação de Sale & Leaseback

Em 15 de setembro de 2011, a Plascar Ltda. assinou Compromissos Particulares de
Venda e Compra de Imóveis com a Savoy Imobiliária Construtora Ltda. (“Savoy”)
referente a uma transação de Sale & Leaseback dos prédios e terrenos situados em três unidades industriais de sua propriedade, localizadas nas cidades de Betim/MG,Varginha/MG e Jundiaí/SP, além do imóvel da antiga sede social da Companhia, localizado na cidade de Jundiaí/SP.

O valor total de venda dos referidos imóveis foi estimado, a preços de mercado, em R$ 125.634.

Essa operação faz parte da estratégia de desmobilização da Companhia para redução de seu endividamento de curto, médio e longo prazos, possibilitando mais investimentos em máquinas e equipamentos para modernização de seu parque industrial e em desenvolvimento de produtos.

Em decorrência do negócio celebrado, a Savoy assumiu o compromisso, como parceiro apoiador da Companhia, de participar das expansões das unidades ora alienadas para que a Companhia possa expandir seus negócios, bem como da construção ou locação de futuras novas unidades que forem necessárias para que a Companhia possa se instalar e atender a demanda de seus clientes no segmento automobilístico e de novos negócios.

Em 15 de setembro de 2011, a Plascar Ltda. concluiu a primeira parte da referida
operação, sendo concretizada a venda dos prédios e terrenos das plantas industriais de Jundiaí e Varginha.

O valor de venda destas duas unidades foi de R$ 98.350, tendo sido apurado um lucro na venda dos imóveis de R$ 33.472, registrado na rubrica Outras receitas operacionais, na demonstração do resultado.

Desse montante, R$ 24.587 foi recebido à vista e o restante, R$ 73.763, será integralmente recebido até dezembro de 2011."

100205 - paulo_prof - 31/Out/2011 19:20
Se o Resultado da Plascar foi todo recorrente, finalmente conseguiu tirar o pé da lama. Foi um dos melhores lucros trimestrais da história da empresa, praticamente igual à soma dos lucros dos exercícios de 2009 e 2010!!!

PLAS3
PREÇO: R$ 2,39
PAYOUT: 28% (2010)

Múltiplos baseados nos resultados dos últimos 12 meses
P/L      12,56
P/VPA            1,32
PSR     0,37
DY      2,23%
EV/EBITDA  5,47
MARGEM BRUTA  20,0%
MARGEM OPERACIONAL          4,8%
MARGEM LÍQUIDA          2,9%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,190
MARGEM EBITDA 14,5%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       151,8%
ROE    10,50%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,07

Taxas anuais médias nominais de crescimento:]
a) lucro líquido
UA      65,44%
U2A    #NÚM!
U3A    -21,74%

b) patrimônio líquido médio
UA      -4,12%
U2A    -1,36%
U3A    -1,02%

Taxa anual média real de crescimento do lucro liquido nos 3 próximos anos para que o valor intrínsico seja 50% maior do que a cotaão atual (desconto de 10% real, perpetuidade de 0% real): 26%



64129 - paulo_prof - 18/Fev/2011 00:08
Acho que ninguém menciona a Plascar (PLAS3) há mais de ano.

Eta empresinha mequetrefe ...

O lucro anual foi de R$ 9 milhões, para uma empresa cujo valor de mercado é de R$ 524 milhões. Em 2009, o lucro já havia sido extremamente pífio, de R$ 10 milhões. Em 2008 não havia sido muito melhor, apenas R$ 15 milhões.

No que se refere o 4T10, obtive os resultados por diferença(2010 - 9M10). Eventualmente, esta diferença é entre laranjas e bananas, devido a um possível uso de 2 regras distintas de contabilidade.

Num trimestre no qual a indústria automobilistica "bombou", a empresa conseguiu ter lucro zero (prejuízo de R$ 300 mil).

No final do 3T10, a dívida líquida era de R$ 427 milhões. Com uma dívida desta ordem, a empresa consegue ter um resultado financeiro negativo em R$ 60 milhões (anualização do resultado financeiro do 4T10)!!! Parece ser mais um caso daquelas empresecas que estão urgentemente necessitadas de financeiros mais "safos".

Os novos múltiplos, baseados no exercício são:

PREÇO R$ 3,15
P/L 57,14
P/VPA 1,97
PSR 0,62
DY 0,49%
EV/EBTIDA 11,37
MARGEM BRUTA 18,6%
MARGEM OPERACIONAL 0,4%
MARGEM LÍQUIDA 1,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,055
MARGEM EBITDA 10,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 172,6%
ROE 3,45%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,95



... esquece!

52475 - paulo_prof - 29/Out/2010 14:10
Eta empresinha ruim esta Plascar, hein?

Não fosse uma injeção de morfina (impostos diferidos) diretamente na veia do lucro líquido, o resultado mais uma vez seria completamente pífio. O resultado operacional foi de R$ 2 milhões que, normalmente, deveria produzir um lucro líquido de aprox. R$ 1,3 milhões. Como a empresa tem prejuízos acumulados e uma base negativa de contribuição social, diferiu impostos no valor de R$ 7 milhões, para postar um lucro de R$ 9 milhões.

Mesmo anualizando este resultado fajuto, que é infinitamente melhor do que o lucro do primeiro semestre, o P/L ainda estaria acima da casa dos 18. Com P/VPA = 2,5 não dá mesmo para entender porque o mercado insiste ...



Será que o mercado é saudosista? rss

24778 - paulo_prof - 08/Jan/2010 18:51
citação: vistar

citação: FOCKINK

citação: zardini_eAlguem poderia comentar a PLAS3, aconteceu alguma coisa para essa subida?

micaiada solta hoje....

totalmente.

Eu acho que foi uma boa para FRAS4, pois logo chegará a sua vez. O RM não é bobo. Aposto que FRAS4 voltará a ser capturada pelo seu radar.

PLAS3 está negociando a 1,86 vezes o seu valor patrimonial, com PSR acima de 1 e P/L negativo. Ao preço de hoje, deveria estar em condições de apresentar um lucro líquido trimestral recorrente de aprox. R$ 17 milhões. Está longe disto. No 3T09 o lucro foi de R$ 10 milhões.


FRAS4 está negociando a 1,27 vezes o seu valor patrimonial, com PSR = 0,71 e P/L declinante (ficará abaixo de 8 quando o lucro do 4T08 será substituído pelo lucro do 4T09)


19123 - small caps - 30/Out/2009 22:56
No resultado da PLAS3, o interessante é que o EBITDA do terceiro trimestre foi igual ao EBITDA do primeiro semestre deste ano.

Abre bons presságios para o resultado de MGEL4 :) e FRAS4, como destacado pelo Professor Paulo. 

19120 - small caps - 30/Out/2009 22:51
O resultado veio daqui:

"Outros Itens do Resultado

Os demais itens do resultado representam um efeito positivo de R$10.142, principalmente decorrente do efeito positivo do Imposto de Renda e Contribuição Social diferidos sobre prejuízo fiscal e base negativa de contribuição social decorrentes dos efeitos tributários da adesão ao parcelamento Lei nº 11.941/09 verificado no 3º trimestre/09."

Ou seja, não recorrente e não operacional grande parte do lucro.

Algumas empresas podem trazer boas (ou más) notícias com a adesão ao REFIS da crise. (más para aquelas que vão parcelar dívidas não reconhecidas no balanço, como a CEDO4).

19118 - paulo_prof - 30/Out/2009 22:24
citação: eduneuhausBoa noite galera ..

Alguém já analisou o balanco da Plascar ???

Abraço!!!

Só vi os resultados do balanço. Não vi o relatório (não achei no site da empresa).

Após 3 trimestres seguidos só apresentando prejuízos (respectivamente R$ 17, 8 e 2 milhões), um lucro de quase R$ 10 milhões não deixa de ser uma ótima notícia.

Esquecendo todo o histórico negativo dos últimos trimestres e acreditando que a empresa seja capaz agora de repetir os resultados do 3T09 nos próximos 3 trimestres, chega-se a um P/L (ao preço de hoje) de 9,0. Considerando que o P/VPA está em 1,23, o ativo até que poderia merecer alguma consideração. A questão é: há alguém por aí que confia que daqui para frente os lucros serão repicados trimestre a trimestre? Um indicador que considero muito positivo é a margem bruta. Nos trimestres de prejuízo estava na faixa 16-19%. No 3T09 voltou para a faixa histórica dos 24%. Mas eu recomendaria ler o relatório para verificar se não há algo não recorrente.




Oops ... já ia esquecendo. O que gostei mesmo é que os resultados da Plascar podem ser uma indicação de que todo o setor poderá ter tido o melhor trimestre do ano. Em particular, as minhas FRAS, MGEL (a parte operacional, porque a financeira virá boa sem dúvida), TGMA e TUPY.



9260 - gustgef - 20/Jul/2009 10:39
Entre as duas eu prefiro a PLAS3 porque é uma empresa muita bem administrada e muito bem colocada no mercado de autopeças, mas vale lembrar que é a empresa com uma das maiores valorizações no ano, sem, ao contrário de outras comentadas aqui, ter almejado os lucros por enquanto. MGEL4, pelo contrário, subiu apenas 50% e parece totalmente desacreditada. Empresas desacreditadas surpreendem, então uma analise mais profunda pode nos trazer boas notícias a respeito.



8531 - paulo_prof - 09/Jul/2009 18:27
PLAS3: eta empresinha difícil de obter informações ... não tenho idéia do mix mercados interno/externo, nem se atua mais ou menos no mercado de veículos comerciais. Estimativa por estimativa, creio que haverá uma redução de aprox. 8% em relação a 2008, com margem líquida de uns 6%. Isto daria um lucro líquido de aprox. R$ 9 milhões e um P/L anualizado acima de 50!!

4819 - paulorizzi - 26/Abr/2009 23:04
citação: sflimaAlguem poderia analisar a PLAS3?

"Embora a Receita Líquida no 1T09 provavelmente seja uns 15% menor do que aquela observada no 1T08, acredito que o resultado seja melhor devido aos menores custos de seus insumos (derivados do petróleo e siderurgia). As margens operacional, líquida e ebitda devem crescer."




"O problema é que mesmo com uma evolução favorável do resultado e patrimônio líquidos, os seus indicadores (especialmente P/L x P/VPA) continuarão bem menos favoráveis do que aqueles de alguns de seus pares, como FRAS4, RAPT4, POMO4 e MYPK3."



4359 - mouradenis - 20/Abr/2009 18:42
"Ok Paulo, lembro que sua maior crítica ao papel era por estar endividada, mas o que acha do que o presidente falou, não entendo muito inglês... Mas ele parece que vai iniciar um programa de recompra, confirma? Se nesse caso for verdade, não seria bom sinal?



4342 - paulorizzi - 20/Abr/2009 10:04
"Nada de errado com a Plascar. Só está, considerando os múltiplos do exercício de 2008, cara em relação a seus pares (RAPT, FRAS, MYPK), especialmente considerando que ainda vai levar um bom tempo para que distribua proventos (ainda apresenta R$ 69 milhões de prejuízos acumulados). Em entrevistam o seu presidente diz que espera um faturamento maior este ano do que em 2008. Eu tenho lá as minhas dúvidas. O balanço do 1T09 vai esclarecer bastante a situação."


3196 - mouradenis - 30/Mar/2009 03:28
"PLAS3 - Acreditamos que as perspectivas para o setor automobilístico tendem a melhorar no decorrer do segundo semestre de 2009, fato que poderá beneficiar o resultado da companhia no longo prazo. Paralelamente, outro fator que merece destaque é a significativa queda dos preços dos seus principais insumos (derivados do petróleo e siderúrgicos), o que poderá contribuir para a ampliação das suas margens de rentabilidade. Considerando estas perspectivas, aliadas ao fato dos títulos da Plascar terem registrado desvalorização de aproximadamente 70% nos últimos seis meses, optamos por alterar nossa recomendação de Não Recomendamos (NR) para Manutenção (M) para os títulos da companhia."

Análise Corretora Título

2476 - small caps - 14/Mar/2009 12:10
"Mouradenis, o agravamento da situação da empresa não é só pelo lado da demanda."

"Ela está no mesmo nível que a FHER3 em termos de dificuldade no capital de giro. A liquidez corrente da PLAS3 é 0,85 e o da FHER3 é 0,86. Só que PLAS3 ainda negocia com PSR 0,29, enquanto o da FHER3 já é 0,04! Ou seja, por este critério, FHER3 teria espaço para subir mais de 600%!"

"E o problema não para por aí. Na análise comparativa, ainda vemos que o PSR (preço / faturamento líquido) da empresa equipara-se ao de RAPT4 (0,29), POMO4 (0,29). Estas, no entanto, tem folgada líquidez corrente e excelentes resultados no último trimestre que também devem sofrer um pouco no início deste ano."

"Comparando a situação patrimonial das empresas RAPT4, POMO4 com a de PLAS3, não nos resta dúvida do que escolher."




"De qualquer sorte, lembre-se que o mercado no curto prazo é uma urna de votos e no longo prazo uma balança."

2469 - mouradenis - 14/Mar/2009 10:31
Primeiramente gostaria de agradecer ao Paulo e Small pela atenção dada.

E gostaria de fazer mais uma observação a respeito da PLAS3.

"Após a divulgação do 4trim/2008 não houve mais queda da ação, pode ser que o mercado já tenha precificado a ação pra esse resultado que era esperado diante da crise. Outra é que Janeiro/2009 as vendas de automóveis subiu 28% em relação a Dezembro, e Fevereiro/2009 um mês de festas, carnaval... e de apenas 28 dias houve um aumento de vendas de aproximadamente 5% em relação a Janeiro."

O que quero concluir é que que o resultado do 1°trim/2009 deve vim muito bom comparado ao último trimestre de 2008. Sendo assim não seria hora de posicionarmos? Lembrando ainda que o governo LULA deverá prorrogar o desconto no IPI afim de ajudar nessa recuperação dos produtos industrializados onde o maior consumo é destinado ao mercado interno.


"Pedi a opinião de vocês pois não fiz análise fundamentalista, tecnicamente essa ação tem resistência psicológica em R$1,00 e 1° objetivo em R$1,20. E parece ter encontrado um suporte. Mas o que pesa em relação a PLAS3 seria algo que um investidor não poderia fazer, INSTINTO. Rss, parece brincadeira. "


2453 - small caps - 14/Mar/2009 00:35
"Fiz uma análise sobre a PLAS3 para a revista InvestMais, nos seguintes termos, em janeiro deste ano (antes do resultado medonho do último trimestre):"

PLASCAR – comentários de Anderson Lueders.

"A empresa Plascar Participações Industriais tem apresentado forte crescimento nos últimos anos, aproveitando a tendência então vigente no segmento de veículos leves no qual está inserida. A receita líquida consolidada até o encerramento do terceiro trimestre de 2008 atingiu R$ 472 milhões, um incremento de 28% frente aos R$ 369 milhões contabilizados no mesmo período de 2007. Este crescimento no faturamento tem sido sistemático, partindo de R$ 378 milhões no acumulado do ano de 2005 até atingir R$ 501 milhões no ano de 2007. O lucro líquido também apresentou forte evolução a partir de 2005, com reversão do prejuízo de R$ 2,7 milhões naquele ano para lucro de R$ 51 milhões em 2007. Nos primeiros nove meses de 2008, o lucro alcançou R$ 32,4 milhões."

"Com a cotação das ações ordinárias a R$ 1,33, conforme último negócio realizado no pregão de 10 de dezembro de 2008, o valor de mercado da empresa equivale a R$ 221,3 milhões – considerando que a companhia possui 166,43 milhões de ações, todas ordinárias. Seu Preço/Lucro (nos últimos 12 meses) é 3,35 (influenciado positivamente por fatores não recorrentes que representam aproximadamente a metade deste lucro) e o Preço/Valor Patrimonial da ação é 0,74. A Plascar custa o equivalente ao 0,37 vezes o faturamento líquido de um ano."

"A companhia foi um típico caso de turnaround, empresa em situação especial, bem sucedido. Apresentou sucessivos prejuízos chegando ao final de 2002 com patrimônio líquido negativo de R$ 7,5 milhões. No balanço daquele ano constavam prejuízos acumulados de R$ 159 milhões. Assim, caso quisesse vender todos os seus ativos, liquidando a empresa, sequer seriam pagos todos os credores."

"No entanto, quem acreditou na empresa nesta época, quando mergulhada em dívidas e resultados nada animadores, pôde comprar suas ações por uma mísera fração dos preços praticados no mercado no decorrer de 2007, quando a recuperação da empresa estava a pleno vapor e o mercado exibia forte euforia. Nesta época, a companhia chegou a custar mais de 3 vezes a receita líquida anual, algo pouco comum e razoável em se tratando de empresas do segmento automotivo em situação operacional."

"Com as fortes quedas superiores a 80% das cotações no decorrer de 2008, seus preços projetam o evidente início de redução das atividades do segmento de veículos leves, contrariando o excessivo otimismo antes precificado. Tem como dificuldade extra a dívida ainda alta que vence no curto prazo em comparação aos recursos disponíveis em caixa. Mas nada tão difícil quanto foram os desafios que enfrentou no início desta década."

"Assim, o preço atual, apesar de oferecer um desconto para o investidor que acredita que a retração das vendas de veículos não será tão extensa quanto se têm projetado, não torna suas ações como a melhor opção para um investidor com perfil conservador, até porque a empresa ainda não distribui dividendos em razão dos prejuízos acumulados. A compra só se torna atrativa se o investidor tiver objetivo de longo prazo e acreditar que a crise de liquidez de crédito que afetou o financiamento de veículos não será tão extensa, bem como eventual recessão econômica será breve, não afetando a situação patrimonial da companhia."""

"Especial atenção ao final, em que digo que a situação patrimonial pode ser afetada ainda mais se a recessão se perpetuar por muito tempo. Ela não tem caixa suficiente para uma longa tempestade."

2445 - paulorizzi - 13/Mar/2009 23:42
citação: mouradenisPaulo (velho amigo da PINE4) e Small. Gostaria se possível ver opiniões suas a respeito da PLAS3.

Grato desde já!

"Por diversas razões (""carry over"" de prejuízos de anos anteriores, P/L alto, liquidez corrente menor do que 1) o ativo não me interessou, de modo que me dei uma folga e não li o relatório."

"A menos que a nova lei de contabilidade tenha tido um impacto relevante, o 4T08 parece ter sido horrível - o problema, aqui, é que os números do 4T08 tem que ser calculados a partir da diferença entre os números de 2008 (regra nova) e os números do 9M08 (regra antiga). Eventualmente, está-se subtraindo 5 laranjas de 7 abacaxis ... Para o que possa valer, a Receita bruta caiu 36%, a Receita Líquida caiu 58% e o resultado bruto caiu de +R$ 42 milhões para -R$ 1 milhão. O lucro de 8,7 milhões passou para um prejuízo de 17,4 milhões."




"Além da incógnita de como a empresa reagirá neste 1T09, uma dívida bruta que é 2 vezes maior do que o Pat. Líq. e uma liquidez corrente menor do que 1, há prejuízos acumulados totalizando R$ 69 milhões, implicando numa distribuição nula de proventos pelo menos até o final deste ano."



1950 - paulorizzi - 27/Fev/2009 14:54
"Complementando, acaba de sair do forno o balanço de 2008. Não li o relatório. Só trabalhei os números finas de 2008. Se as minhas contas não estiverem erradas (diminuindo os resultados dos 9M08 do resultado final 2008), o 4T08 foi uma lástima: Receita Bruta somente 64% daquela do 3T08, Receita Líquida somente 41%, Resultado Bruto NEGATIVO, Resultado financeiro mais negativo do que aquele do 3T08, Resultado Operacional negativo em R$ 25 milhões (havia sido positivo de R$ 11 milhões no 3o. trimestre. O Resultado Líquido do 4T08 foi um prejuízo de 54% do lucro que havia sido acumulado nos 9M08. Aumento da dívida líquida, diminuição do patrimônio líquido. Novo P/L = 10,8; P/PVA = 0,56; PSR = 0,30; Liquidez Corrente = 0,85; Dívida Bruta / Patrim. Líquido = 67% "

1933 - small caps - 27/Fev/2009 00:08
"pasilveira, fiz a análise da companhia para a Revista InvestMais de fevereiro, a qual recomendo para o investidor fundamentalista:"

PLASCAR – comentários de Anderson Lueders.

"A empresa Plascar Participações Industriais tem apresentado forte crescimento nos últimos anos, aproveitando a tendência então vigente no segmento de veículos leves no qual está inserida. A receita líquida consolidada até o encerramento do terceiro trimestre de 2008 atingiu R$ 472 milhões, um incremento de 28% frente aos R$ 369 milhões contabilizados no mesmo período de 2007. Este crescimento no faturamento tem sido sistemático, partindo de R$ 378 milhões no acumulado do ano de 2005 até atingir R$ 501 milhões no ano de 2007. O lucro líquido também apresentou forte evolução a partir de 2005, com reversão do prejuízo de R$ 2,7 milhões naquele ano para lucro de R$ 51 milhões em 2007. Nos primeiros nove meses de 2008, o lucro alcançou R$ 32,4 milhões."

"Com a cotação das ações ordinárias a R$ 1,33, conforme último negócio realizado no pregão de 10 de dezembro de 2008, o valor de mercado da empresa equivale a R$ 221,3 milhões – considerando que a companhia possui 166,43 milhões de ações, todas ordinárias. Seu Preço/Lucro (nos últimos 12 meses) é 3,35 (influenciado positivamente por fatores não recorrentes que representam aproximadamente a metade deste lucro) e o Preço/Valor Patrimonial da ação é 0,74. A Plascar custa o equivalente ao 0,37 vezes o faturamento líquido de um ano."

"A companhia foi um típico caso de turnaround, empresa em situação especial, bem sucedido. Apresentou sucessivos prejuízos chegando ao final de 2002 com patrimônio líquido negativo de R$ 7,5 milhões. No balanço daquele ano constavam prejuízos acumulados de R$ 159 milhões. Assim, caso quisesse vender todos os seus ativos, liquidando a empresa, sequer seriam pagos todos os credores."

"No entanto, quem acreditou na empresa nesta época, quando mergulhada em dívidas e resultados nada animadores, pôde comprar suas ações por uma mísera fração dos preços praticados no mercado no decorrer de 2007, quando a recuperação da empresa estava a pleno vapor e o mercado exibia forte euforia. Nesta época, a companhia chegou a custar mais de 3 vezes a receita líquida anual, algo pouco comum e razoável em se tratando de empresas do segmento automotivo em situação operacional."

"Com as fortes quedas superiores a 80% das cotações no decorrer de 2008, seus preços projetam o evidente início de redução das atividades do segmento de veículos leves, contrariando o excessivo otimismo antes precificado. Tem como dificuldade extra a dívida ainda alta que vence no curto prazo em comparação aos recursos disponíveis em caixa. Mas nada tão difícil quanto foram os desafios que enfrentou no início desta década."




"Assim, o preço atual, apesar de oferecer um desconto para o investidor que acredita que a retração das vendas de veículos não será tão extensa quanto se têm projetado, não torna suas ações como a melhor opção para um investidor com perfil conservador, até porque a empresa ainda não distribui dividendos em razão dos prejuízos acumulados. A compra só se torna atrativa se o investidor tiver objetivo de longo prazo e acreditar que a crise de liquidez de crédito que afetou o financiamento de veículos não será tão extensa, bem como eventual recessão econômica será breve, não afetando a situação patrimonial da companhia."

1932 - pasilveira - 26/Fev/2009 23:58

SMALL....

PELO AMOR DE DEUS....O QUE ACONTECE COM A PLASCAR????

Dos poucos papeis que cai sem ter qualquer força de repique...

dos poucos papeis que nao teve uma perna minima de alta no meio de tantas baixas seguidas

O papel nao tem fundo...

Ele continua desabando!!! JA se encontra encostado nos niveis de quando a empresa era ÍNFIMA perto do que é hoje em dia....

alguma opiniao ou palavra a respeito!!!?

Alguma perspectiva futura razoavel pra plas3??



1891 - paulorizzi- 26/Fev/2009 08:39
"No P/L acima está computado o lucro líquido do 4T07, de R$ 34 milhões, quase todo conseguido às custas de impostos diferidos. O lucro líquido do 4T07 é maior do que o lucro líquido nos 9M08. Acho que nem de longe algo semelhante será conseguido, especialmente considerando que no 4T08 houve redução de negócios. De acordo com o balanço patrimonial, consta como ativo uma diferença de R$ 20 milhões de impostos a diferir. Não sei se parte disto entrará como receita. Por outro lado, todo o impacto das ""novas"" regras de contabilidade para a maioria das empresas está sendo jogado no 4T08. Eu esperaria o resultado do 4T08 para ""clarear"" um pouco a visão. Confesso que a minha está bastante turva."

1881 - frommars1 - 25/Fev/2009 21:49
"Paulo e Small, não acham que agora sim a Plascar está ficando atrativa?"

"P/L 2,44 P/VPA 0,54 VPA 1,80 PSR em 0,27 e ROE de 22% (Fundamentus)."




"Mercado automobilístico está problemático e ela não paga dividendos, mas pode estar próximo de dar compra p/ LP."

1198 - small caps - 24/Jan/2009 01:18
"citação: mteixeira1968Alguém sabe de alguma novidade da plascar (plas3). Na última hora de pregão a Gradual colocou uma ordem de compra de 470.000 ações a 1,20 e a medida que não conseguia comprar foi subindo, comprando até a 1,25!!! O total de compras só hoje foi de mais de 500.000 ações, só da Gradual!!!"

"mteixeira1968, na Revista InvestMais do início de fevereiro deste ano acredito que haverá uma reportagem completa sobre a empresa. Vale a pena acompanhar. O pessoal da Geração Futuro é que ""mandava"" no papel, diante da grande participação que detinham em seus fundos e como a captação era bastante alta neles, a pressão de compra foi por demais da medida e levou a preços extratosféricos... Agora a bolha está esvaziando, esvaziando... E o preço atual, quando comparada a outras do segmento (MGEL4, MWET4, RAPT4, FRAS4, LEVE4...) não revela nenhuma barganha, apesar da extensa queda..."

Ainda possui prejuízos acumulados no balanço e não há sinais de curto prazo de que voltará a pagar dividendos.

"Pode sofrer um pouco mais com a desaceleração das atividades, uma vez que a posição de caixa não é tão tranquila..."

"Porém para o curto prazo, como já tiveram a capacidade de levar este papel até acima de R$ 11,00, tudo é possível."




"Foi, no início da valorização, um belo exemplo de turnaround bem executado, pelo idos de 2003/2004, que deu lucros estratosféricos para quem comprou quando era ""um mico falido""... depois a especulação se encarregou de levar os preços a níveis inimagináveis. Acho que deu uns 100 vezes o valor inicial..."

833 - small caps - 08/Jan/2009 21:48
"Legendre, na Revista InvestMais do início de fevereiro deste ano acredito que haverá uma reportagem completa sobre a Plascar. Vale a pena acompanhar. O papel era muito comprado por uma corretora que detinha (e detém) grande participação em seus clubes e como a captação era bastante significativa, a pressão de compra foi por demais da medida e levou as ações da PLAS3 a preços estratosféricos... Agora a bolha está esvaziando, esvaziando... E o preço atual, quando comparada a outras do segmento (MGEL4, MWET4, RAPT4, FRAS4, LEVE4...) não revela nenhuma barganha, apesar da extensa queda..."

"Ainda possui prejuízos acumulados no balanço e não há sinais de curto prazo de que voltará a pagar dividendos. Pode sofrer um pouco mais com a desaceleração das atividades, uma vez que a posição de caixa não é tão tranquila..."

"Porém para o curto prazo, como já tiveram a capacidade de levar este papel até acima de R$ 11,00, tudo é possível."




"Foi, no início da valorização, um belo exemplo de turnaround bem executado, pelo idos de 2003/2004, que deu lucros estratosféricos para quem comprou quando era ""um mico falido""... depois a especulação se encarregou de levar os preços a níveis inimagináveis. Acho que deu uns 100 vezes o valor inicial..."



488 - small caps - 03/Dez/2008 01:39
(483) pasilveira, finalmente há motivação para eu analisar a atratividade das ações de PLAS3 nos preços atuais. Esta empresa foi um típico caso de turnround bem sucedido. Estava praticamente falida e conseguiu se reerguer e com isso suas cotações começaram a subir, subir, subir... Até que surgiu no mercado forças especulativas piramidais tamanhas que passaram a sustentar cotações absurdamente altas, como se a empresa fosse dominar todo o mercado nacional de veículos! Ela chegou a custar impressionantes 5 vezes o faturamento líquido. Isto para uma empresa industrial... Apenas agora está com múltiplos em linha com o segmento. Vou estudar mais a fundo se vale a pena uma compra."



116 -small caps - 08/Out/2008 23:15
"12kk, finalmente PLAS3 vai voltando aos poucos a preços mais razoáveis. Ela atingiu cotações absurdas, chegando ao cúmulo de custar 5 vezes o faturamento anual! Coisa totalmente fora de cogitação numa empresa industrial. Mas ainda não está nenhuma barganha. Do setor, tem várias muito mais interessantes, como MGEL4, LEVE4, FBMC4, etc... que já pagam dividendos. A empresa foi um case bem sucedido de turnaround mas o mercado não soube a hora de estacionar o preço, como geralmente acontece. O indicador preço/faturamento seria o suficiente para constatar a insanidade."

9 - pasilveira - 31/Ago/2008 22:02
plas3 uma hora vai decolar......

empresa boa.....

olho nela

Nenhum comentário: