Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

terça-feira, 20 de agosto de 2013

All (ALLL)



Recomendações
Compra: apolo20 (dez/12 e 2013) - nelsonnpires (2013) - vlamirmsilva (2013)
Carteiras
alisonvm (jan/13fev/13 e mar/13) - Blumenn (mar/13) - cesar muzel (fev/13) - charles43 (jan/13 e fev/13) - egidiosantanna (jan/13) - pedrosousa (jan/13) - polycrav (fev/13) - vellinhotrt4 (dez/12
Balanços

Características

Links
204569  - vellinhotrt4  -  20 Ago 2013, 18:17
Comentários sobre ALLL - Empiricus:

Em reunião com o mercado, o diretor de relações com investidores da ALL, Rodrigo Campos, disse ser positiva a perda dos ativos na Argentina: "acaba sendo boa. Podemos focar nas operações brasileiras e deixamos de ter a saída de caixa da operação". Será mais um eterno otimista?

Vejamos o impacto disso na prática… No exercício de 2012, os resultados da operação argentina foram ebitda negativo e prejuízo líquido de R$ 52 milhões. Ou seja, um lucro líquido 22% inferior ao potencial (sem Argentina). No primeiro trimestre deste ano, o último com a operação, a Argentina "contribuiu" com queima de R$ 7,8 milhões de geração operacional de caixa e R$ 13 milhões de prejuízo líquido.

Tem gente reclamando que a baixa dos ativos ocasionou uma perda contábil de R$ 228,6 milhões à empresa no segundo trimestre. E você, não trocaria um baque pontual e sem efeito caixa sobre o balanço patrimonial para ter um efeito extremamente positivo (e sustentável) ao Demonstrativo de Resultados?

172875 - alisonvm -  14 Mar 2013, 16:05
ALLL3

Muito forte !!! volume aumentou muito no ano.
Como previsto a empresa soltou uma merda de resultado, mas o mercado nem deu bola e continuou comprador.

O mercado realmente já esta precificando as receitas e ganhos oriundos de seus novos negócios, junto a sua restruturação.

Já subiu bem no ano.

171558 - nelsonnpires -  08 Mar 2013, 21:19
sobre ALL considerações

1- Governo atualmente precisa de investimento privado em infra, ferrovias é um deles, portanto precisa maneirar com ALL, pq se não fica a impressão que serei o próximo e não coloco minha grana ai. Outra coisa ele abrindo as pernas em relação ao retorno dos projetos e pessoal falando que é pouco precisa abrir mais. Em cima desse projetos com certeza ALL vai entrar como operadora em alguns deles se valendo da estrutura existente e experiencia no setor.

2- Projetos grandes que só comiam caixa entrando em operação. Principal Rondonopolis, outra obra grande sendo realizada em etapas, duplicação campinas santos, em santos muita coisa sendo concluida nesse primeiro tri, e vai melhorar muito a logistica da região que hoje um dos gargalos existentes.

3- Vetria caminhando bem na analise das minas, estimativas atuais das jazidas muito superiores as apreliminares, coisa de 10X.

4- Brado, excelente negócio, objetivo transporte de container por via ferrea, nesse setor muito a se ganhar, evidente que aqui demanda investimento em material rodante.

5-Ritmo, não demanda caixa usa estrutura da ALL contrata caminões para fazer a ligação final do cliente.

6- ALL argentina parte ruim da empresa, ainda bem que não muito grande, estão procurando vender essa coisa...mas até agora nada.

7- Previsão de caixa livre ja em 2013 para ALL ferrovias.

Enfim na cotação atual tudo de ruim acho que enfiaram no preço, principalmente risco governo, que no momento deve andar mais pianinho. E por outro lado muito pra crescer, sendo que varios projetos estão se valendo de parcerias para pouco investir e dando ao cliente acesso a sua malha caso ele realize esse investimento, Cosan exemplo classico.

170375 - israel007 -  05 Mar 2013, 12:25
ALLL3

Empresa: ALL AMERICA LATINA LOGISTICA S.A. Ação: ALL AMER LAT ON Setor: Construção e Transporte Subsetor: Transporte
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa registrou prejuízo líquido de R$ 20,5 M no 4T12, contra um lucro líquido de R$ 106,2 M no 3° trimestre de 2012. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 32,5 M. A receita líquida totalizou R$ 12,8 M no 4T12, redução de 0,2% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e aumento de 4,9% em relação ao 4T11.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 8,8 B, aumento de 46,1% em relação ao saldo no 4T11. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 4,2 B no 4° trimestre de 2012, valor 4,6% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

169944 - apolo20 -  02 Mar 2013, 01:52
ALLL3 -

Importante destacar:

10 bilhões de toneladas de recursos minerais inferidos,

Contra uma estimativa inicial de 1 bilhão de toneladas de recursos minerais anunciado em fato relevante de 19 de dezembro.

10x maior que o valor estimado no fato relevante!!!!!

Market Perform
Preço Alvo: R $ 12,9

ALL anunciou ontem a conclusão da primeira fase da certificação das reservas minerais da mina de minério de ferro da Vetria, localizada em Corumbá, no estado de Mato Grosso do Sul.


Coffey Mining estima que a Mina Vetria tem cerca de 10 bilhões de toneladas de recursos minerais inferidos,

Contra uma estimativa inicial de 1 bilhão de toneladas de recursos minerais anunciado em fato relevante de 19 de dezembro.

O teor de ferro médio estimado na mina é de 46%. Como as estimativas de recursos minerais inferidos são maiores do que as expectativas iniciais, Vetria mudou sua projeção inicial de 20 milhões de toneladas para 27,5 milhões de toneladas de minério de ferro por ano. Como resultado, a Vetria revisou sua estimativa de investimento para criar a mina integrada, Ferroviária e solução do Porto, para cerca de R $ 11,5 bilhões.

Vemos a opcionalidade decorrentes dos projetos Vetria como extremamente positivo para todos. Em nossa opinião, as 10x maior do que o esperado de recursos de minério de ferro implica duas optionalities principal para todos. Primeiro, aumenta o valor potencial do projeto, em que todos tem uma participação de 50,4%, o valor ainda é difícil de medir, neste ponto, mas a notícia positiva é indicada para facilitar a busca por um investidor de capital. É um fato que a ALL atualmente não tem capacidade de balanço para lançar um projeto 11 bilhões de reais na estrutura de capital atual. Segundo, ele inclui externalidades positivas decorrentes dos investimentos por Vetria em ferrovia da ALL (Malha Oeste). Em nossos cálculos, o potencial de valorização decorrente apenas do transporte de carga geral aumentado de 4,5 milhões de toneladas (7,5 TKU Bn), assumindo a modernização do corredor Corumbá-Santos é atraente. O aumento da ALL receitas depois que o projeto de aceleração pode chegar a R $ 525 milhões em carga geral, ou cerca de R $ 315 milhões em EBITDAIn um cálculo aproximado, estima-se a criação de valor para todos derivar apenas de transporte, assumindo todas as vende sua participação de 50,4% em Vetria para zero, pode chegar a R $ 500 milhões (R $ 0.7/ALLL3).

Nós não estávamos precificando o projeto Vetria em nossa avaliação, e acreditamos que o mercado não estava precificando-o antes,até agora, a opcionalidade principal do projeto Vetria para todos, na nossa opinião, foi ligada às externalidades positivas do investimento na ferrovia por Vetria, uma vez que não tem qualquer visão clara da qualidade e da competitividade da mina. Nós ainda temos que avaliar melhor a competitividade do projeto, mas não descarta que a ALL poderia monetizar sua participação na Vetria pela venda a um investidor estratégico, com um valor maior do que o esperado.

Mantemos nossa recomendação de mercado executar em tudo, com um preço-alvo de R$ 13,00 12.9/ALLL3. Nós prevemos uma melhoria ganhos significativos para todas em 2013, com o superharvest, a conclusão de Rondonópolis, um aumento do preço do diesel e maiores volumes de fretes rodoviários. No entanto, acreditamos que a baixa visibilidade para saber se a Cosan vai comprar uma participação estratégica na empresa eo risco de queda relativos a regulamentação justificar à espera de futuras oportunidades de compras.

168146 - nelsonnpires -  21 Fev 2013, 02:56
Para pessoal da ALL,

Vetria Mineração pode ter sócio investidor no fim do ano, diz ALL
Segundo Rodrigo Campos, diretor de RI, uma certificação sobre a qualidade e quantia do minério de ferro da mina irá garantir um valor mais atraente para buscar um investidor

SÃO PAULO - A entrada de um sócio investidor na Vetria Mineração, empresa criada em parceria da ALL (ALLL3), Triunfo e Vetorial Mineração, pode ocorrer até o fim do ano, após a obtenção de certificação da mina, segundo o diretor de relações com investidores da ALL.

Segundo Rodrigo Campos, uma certificação sobre a qualidade e quantia do minério de ferro da mina irá garantir um valor mais atraente para buscar um investidor.

"A gente está em um processo de certificar a mina. Porque ter um projeto que está ali certificado... tem outro valor para mais para o fim do ano haver um investidor. Quanto menor o risco do projeto, maior é o valor que a gente vai conseguir", afirmou à Reuters nesta quarta-feira.


O executivo espera que o certificado seja obtido em meados deste ano.

A criação da Vetria foi anunciada em dezembro de 2011, com 50,4 por cento de participação da ALL, 15,8 por cento da Triunfo e 33,8 por cento dos acionistas da Vetorial.

A empresa terá um sistema integrado com mina própria em Corumbá (MS), logística ferroviária por meio de um contrato operacional de longo prazo com a ALL e um terminal privado em Santos (SP). Os investimentos são estimados em 7,6 bilhões de reais.

166487 - apolo20 -  07 Fev 2013, 18:42
ALLL3

Trecho - Relatório ORBE Investimentos

"Gatilhos do Portfólio - outros

O mesmo fenômeno que pode ser observado com Minerva possui grandes
probabilidades de ocorrer com a ALL,cujos preços refletem premissas implícitas de estagnação de receitas e margens severamente piores do que as de fato
apresentadas pela empresa, como discutimos no relatório passado.


A verdade é que as estimativas da CONAB de aumento de safra para 2012/13 (+9% para o Brasil) traçam um cenário positivo para a demanda, e as condições de frete no mercado concorrente de caminhões (maior regulação, menor oferta com restrições do Euro V) criam bom poder de precificação, devendo impulsionar fortemente os resultados da empresa.

Além disso, o início das operações da Eldorado Celulose, novo grande cliente em contratos take-or-pay, e a entrada em pleno funcionamento da extensão a Rondonópolis, trarão relevantes novos fluxos de caixa.

Existem ainda os gatilhos específicos, como eventos de capitalização da Brado ou Vetria, ou mostras por parte do governo de maior respeito por contratos assinados.

Por fim, mesmo a finalização da negociação da entrada da Cosan no grupo de controle (a R$ 23/ação, na proposta original, diga-se de passagem) pode funcionar como sinalizador claro do real valor por ação - e de um novo alinhamento no controle/gestão da companhia.

Gatilhos de eventos normalmente têm um impacto imediato no preço da ação, em especial quando deixam transparecer um valor escondido."

166450 - nelsonnpires -  07 Fev 2013, 16:04
Alll3, dados preliminares do 4T foram bons, argentina continua atrapalhando, previsão de safra desse ano era estimada alta de 9%, alterada para 11%,projeto Rondonópolis terminado em 2012, inicio previsto para 2T obtendo licença operacional do Ibama, . Hoje reunião entre cosan e fundos de pensão, aceitam participação da cosan mas com limites de controle, por ultimo volume bombando, sobre essa reunião não imagino resultado, espero que cosan aceite as limitações colocadas e pague os 23,00.

162314 - leamm -  04 Jan 2013, 16:21
Dos 5,5b da dívida bruta há cerca de 1 bilhão vencendo esse ano, eles não tem rolado a dívida e como se propuseram a desalavancar a empresa entendo que vão pagar. A dívida não me pareceu cara, exceto por uma parcela menor. Não achei comentários sobre renegociação em curso tb não vi nada sob subscrição privada. Como o resultado operacional vai muito bem acho improvável subscrição. Quanto ao marco regulatório tb vejo oportunidades. Qto a Cosan acho que não há nada definido e de as operações na Argentina são dose, não acrescentam retorno para a empresa (mas tb não representam gasto) e vender esse abacaxi vai ser duro.

162277 - edbmsev -  04 Jan 2013, 10:58
Vocês sabem qual o perfil da dívida da ALL? E como está a geração de caixa? Há perspectivas de alongamento da dívida e de redução do custo de capital? Como está o processo de ingresso da Cosan no grupo de controle? Se o problema for dívida cara, talvez se justifique uma subscrição privada para capitalizar a empresa.

O risco regulatório existe, mas o novo marco regulatório do setor ferroviário também pode ser uma oportunidade para a empresa atuar como concessionária ou transportadora em ferrovias além das existentes em seu portfólio, sobretudo aquelas com integração com portos.

Além da questão da elevada alavancagem, parece que outra pendenga é a tentativa de venda de seus ativos na Argentina. Aparentemente, está difícil vender tais ativos por um preço razoável.

162236 -  apolo20 -  03 Jan 2013, 19:52
Vou dar o meu pitaco também,muito bem colocado pelo leamm quanto a situação financeira,os recursos aparentemente foram bem alocados, equipe de gestores eficientes,devemos considerar os braços operacionais que já estão apresentando bons resultados através.
BRADO
RUMO
RITMO
VÉTRIA/onde a All entra com a sua logistíca ferroviária, sem necessidade de fazer nenhum aporte financeiro significativo,aporte que será efetuado pela Vetorial e Tpis,existe ainda alguns entraves burocráticos quanto a parte de licenças para exploração, impacto ambiental,etc junto aos orgãos fiscalizadores nas diversas esferas.

162230 - leamm -  03 Jan 2013, 19:34
O q acontece com a ALL é que ela tem muita dívida, nos últimos 12 meses teve LL de 210 milhões e pagou 1 bilhão de despesas financeiras. Foram anos acumulando dívidas para estruturar o negócio - e a receita e o ebitda realmente subiram bem indicando que o dinheiro foi bem alocado. Agora a empresa vem anunciando a sua desalavancagem. Hoje o PL é de 26. Imagine pagar ao invés de 1 bilão 800 milhões e ficar com 400m de LL, o PL cai para 13, o LPA no método FCD dobra. Imagine cair para 500m e o LL subir para 700m.... Vai levar anos para isso acontecer mas deve acontecer. O problema principal é a revisão tarifária que foi postergada e cujos efeitos eu não estou certo do q ocorrerá.

162142 - paulo_prof -  03 Jan 2013, 11:17
Citação: rnelias
Prof., não terias ALLL listado em alguma de suas planilhas?!
Graficamente ela está em um fundo. No GuiaInvest o histórico de lucros não é consistente. Setor de logística/transporte, P/L meio indigesto (26) a está a 1/4 de seu VPA. ROE de 5.3%. Enfim, por indicadores fundamentalistas ela me pareceu meio "estranha" rs
Não acompanho a ALLL ...

De qualquer forma, o LPA médio dos últimos 3 anos é R$ 0,3352 e, considerados os lucros médios trienais e os últimos 5 triênios, a taxa de crescimento real do LPA é de apenas uns 2%.

Colocando tudo isto na fórmula do FCD com uma taxa de desconto real de 6%, perpetuidade real nula e prevendo 5 anos de crescimento do lucro, o preço justo seria de apenas R$ 6,10.

Para que o preço justo empatasse com o preço atual seria necessária uma taxa real de crescimento anual do lucro de pelo menos 10%.

Para o meu gosto, o ativo ainda não estaria "maduro" para ser considerado como candidato ao investimento.

162119 d- rnelias -  02 Jan 2013, 21:23
Já que estão falando de ALL, aqui vai um comunicado da empresa:

Curitiba, 2 de janeiro de 2013 - A ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA S.A. ("Companhia" ou "ALL") e a ALL - AMÉRICA LATINA LOGÍSTICA MALHA SUL S.A. ( "ALL Malha Sul"), vem a público esclarecer aos acionistas e ao mercado em geral, a respeito da matéria divulgada na imprensa na data de hoje, que:

(i) A ALL investiu mais de R$4,2 bilhões em valores de hoje na sua Concessionária ALL Malha Sul desde a sua privatização, em 1997, melhorando substancialmente a qualidade da malha ferroviária e do material rodante arrendado. O volume transportado pela ALL Malha Sul cresceu 160% entre 1997 a 2011, quase 3 vezes o crescimento do PIB no período. Adicionalmente, o nível de acidentes nesta malha ferroviária caiu mais de 85%, conforme medida utilizada para apuração das metas de segurança das concessionárias ferroviárias;

(ii) Especificamente em relação ao desempenho da Concessionária ALL Malha Sul no estado do Rio Grande do Sul, foco da reportagem, o volume transportado pela ALL praticamente quadruplicou desde 1997, quase 5 vezes o crescimento do PIB na região no mesmo período, e o nível de acidentes caiu mais de 90%;

(iii) Com relação às multas aplicadas pela ANTT - Agência Nacional de Transporte Terrestre - que a companhia entende como improcedentes, a ALL exerceu seu legitimo direito de defesa, promovendo sua discussão nas esferas administrativas e/ou judicial cabíveis, nos termos da legislação vigente;

(iv) A ALL Malha Sul e as demais concessionárias ferroviárias da Companhia vêm cumprindo suas obrigações conforme estabelecidas nos contratos de arrendamento e concessão.

Clique aqui para acessar o Comunicado ao Mercado.

Rodrigo Barros de Moura Campos

Diretor Financeiro e de Relações com Investidores

Última Atualização: 2 de janeiro de 2013

162105 - leamm -  02 Jan 2013, 19:25
Para quem se interessa em ALL,
Entrei em contato com o RI e o processo de desalavancagem começa esse ano mesmo, fluxo de caixa livre provavelmente só no segundo semestre. Esperam reduzir a dívida em cerca de 1/3 em 2/3 anos qdo então os dividendos serão maiores. Apesar do processo demorar acho que o preço atual leva isso em conta. Perguntei sobre a venda das operações na Argentina, o que poderia acelerar o processo, mas até agora nenhuma novidade. Qto a revisão tarifária segundo consta em uma avaliação feita pela Orbe o efeito seria marginal. Comprei e vou acompanhar...

161542 - pppadv -  26 Dez 2012, 11:35
Por Paula Barra
https://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2644641/petrobras-espera-reajuste-gasolina-gol-anuncia-separacao-smiles
[...]
ALL investe no transporte de combustível com Cattalini
A ALL América Latina (ALLL3) está fazendo uma aposta no aumento da importação de combustíveis. A empresa fechou parceria com a Cattalini Terminais Marítimos para a construção de um novo acesso ferroviário no Porto de Paranaguá voltado ao transporte de diesel e gasolina. As obras começarão está semana e a estrutura deverá ficar pronta em março.
[...]

160914 - vellinhotrt4 -  18 Dez 2012, 17:40
(18/12) ALL AMER LAT (ALLL-NM) - Esclarecimentos - Fato Relevante
DRI: Rodrigo Barros de Moura Campos

A empresa enviou o seguinte fato relevante

A ALL - AMERICA LATINA LOGISTICA S.A., companhia aberta, com sede na Cidade de Curitiba, Estado do Parana, localizada na Rua Emilio Bertolini 100, Sala 1 ("Companhia"), em atendimento ao disposto no paragrafo 4 do artigo 157 da Lei n 6.404/76, na Instrucao n 358/02 da Comissao de Valores Mobiliarios e em cumprimento ao Oficio GAE 5144-12 de 17 de dezembro de 2012, o qual se transcreve abaixo;

"Prezados Senhores,

Em noticia veiculada no jornal Brasil Economico, edicao de 17/12/2012, sob o titulo "Brado, da ALL, pretende investir R$ 1,2 bilhao no Brasil", consta, entre outras informacoes, que:

" A Brado vai saltar de 80 mil conteineres transportados por ano para 500 mil unidades anuais nos proximos cinco anos.

Solicitamos esclarecimentos sobre a referida noticia, ate 18/12/2012, bem como outras informacoes consideradas importantes.

Esta solicitacao se insere no ambito do Convenio de Cooperacao, firmado pela CVM  e BM&FBOVESPA em 13/12/2011, e o seu nao atendimento podera sujeitar essa  companhia a eventual aplicacao de multa cominatoria pela Superintendencia de  Relacoes com Empresas - SEP da CVM, respeitado o disposto na Instrucao CVM n 452/07.

Atenciosamente,

Nelson Barroso Ortega
Gerencia de Acompanhamento de Emissores
BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros"

Vem a publico esclarecer que as informacoes mencionadas na referida noticia nao  configuram nenhuma informacao nova ao mercado, uma vez que estao em consonancia com as expectativas ja anunciadas ao mercado pela Companhia quando da constituicao da Brado em 20 de dezembro de 2010, por meio de Fatos Relevantes e  de Apresentacao ao Mercado divulgados na naquela data e em 21 de dezembro de 2010, todos documentos disponiveis no site de Relacoes com Investidores da Companhia e na CVM.

Naquela oportunidade, a Companhia anunciou que a Brado tem expectativa de ampliar significativamente sua participacao no mercado de conteineres de 2% para 12% em 5 anos, em um mercado crescente e estimado a epoca de 2,6 milhoes de conteineres cheios anuais. A fim de viabilizar tal crescimento, a Companhia anunciou que a Brado pretende investir ao longo dos proximos 5 anos cerca de R$1 bilhao, a valores da epoca, em infraestrutura de terminais, via permanente, sistemas e material rodante (vagoes e locomotivas).

160908 - apolo20 -  18 Dez 2012, 17:25
Repito uma vez mais, gosto muito da estratégia e do modelo do negócio da ALL,quase um monopólio, aliada a uma competente equipe de gestores,explico, abrange logística,rodo-ferrovia, movimentação de contêineres,transporte, armazenagem e mineração através dos seus braços operacionais,Brado,Rumo,Ritmo e Vetria, esta última é a cereja do bolo,(exploração da mineração Urucum),com total recuperação e aproveitamento de sua malha ferroviária a partir de Corumbá-MS,risco existe sim, os Ptralhas adoram destruir o que é bom e produtivo e transformar o que é ruim em algo muito pior...fala sério!!!!!

160813 - renato1631 - 17 Dez 2012, 22:55
Fala Apolão

Brado, da ALL, pretende investir R$ 1,2 bi no Brasil
Ana Paula Machado (amachado@brasileconomico.com.br)
17/12/12 17:39

Subsidiária pretende transportar 500 mil contêineres por ano no país e saltar de 2% para 11% do mercado.

Pegando carona nas perspectivas de aumento do transporte de contêineres, a Brado Logística, subsidiária da América Latina Logística (ALL), está se preparando para chegar a 11% de participação na movimentação de carga no país até 2017.

O presidente da companhia, José Luís Demeterco, disse que a Brado vai saltar de 80 mil contêineres transportados por ano para 500 mil unidades anuais nos próximos cinco anos. A empresa deve crescer 525%.

"Em dois anos de atividade, já transportamos 52 mil contêineres por ano e isso nos deu 2% de participação no mercado nacional. Em 2013, a meta é movimentar 80 mil contêineres no país. E para nos prepararmos para o crescimento esperado vamos investir R$ 1,2 bilhão até 2017", disse Demeterco.

Um dos aportes que a Brado irá fazer é na expansão de seus terminais localizados no Mato Grosso e no Paraná. Em Rondonópolis (MT) a companhia vai construir, além do armazém para carga geral, um silo de estufagem (carregamento) de contêineres. Lá ela terá capacidade para 15 mil de toneladas por ano, ou 200 contêineres por ano.

"É um cilo bem moderno. Conseguimos estufar o contêiner em 4 minutos. No antigo terminal, em Alto Taquari (MT) esse trabalho era realizado em 40 minutos. É um ganho enorme de produtividade", explicou.

A Brado investiu, somente no cilo, R$ 7 milhões e as obras estarão concluídas em maio do ano que vem. "Assim que todo terminal estiver em operação vamos desativar o de Alto Taquari. A demanda pelo transporte de contêineres é exponencial. As empresas estão percebendo o quanto é mais vantajoso a movimentação, mesmo para produtos tradicionalmente transportados a granel", disse Demeterco.

Em Rondonópolis, a Brado deu início à implantação da malha ferroviária que terá quase dois mil metros de extensão.

Serão duas linhas férreas para encoste de vagões com capacidade para 120 contêineres estacionados.

A área total do empreendimento é de 140 mil m², com estrutura inicial para um pátio de 40 mil m² pavimentado em concreto, um escritório de 800 m² e um armazém de 3,2 mil m² para armazenar algodão e outras commodities.

O pátio já está com 50% das obras concluídas e 20% do armazém montado. Já os escritórios estão com 60% das edificações prontas. A previsão é que todos estes módulos sejam finalizados até o final de janeiro para que o Terminal seja inaugurado em fevereiro de 2013.

A Brado investiu R$ 30 milhões no Terminal Intermodal Rodoferroviário de Rondonópolis, que está sendo projetado para ser o mais moderno da empresa, com habilitação para operar cargas gerais industrializadas por meio de armazéns especializados e movimentação inicial de dois mil contêineres por mês, podendo chegar a 10 mil em cinco anos.

"Além disso, estamos ampliando a capacidade dos terminais em Ponta Grossa (PR), onde o armazém vai passar de 400 contêineres por mês movimentados para 1,5 mil unidades transportadas. Também no Paraná, no terminal de Cambé, as obras de ampliação estão adiantadas. Lá vamos passar de 800 contêineres/mês para 1,5 mil mensais."

A empresa ainda investe R$ 100 milhões na compra de vagões e locomotivas no país.

160670 - uqaz -  17 Dez 2012, 12:41
leamm, no momento em que essas despesas financeiras pararem de subir, como ocorre em OHLB3 - redução da dívida líquida de fato - aí sim é compra boa.

Enqunato isso não acontecer...mas vale a monitoração.

160626 - leamm -  16 Dez 2012, 23:32
Concordo mas o EBITDA está subindo MUITO mais que as despesas, dá até para dizer que as despesas estão razoavelmente estáveis... A empresa precisa reduzir a dívida o que pode ser ajudado pelo início da operação do trecho rondonópolis (acho que esse é o nome), venda dos negócios na Argentina além da estabilização do capex. Acho que a maior dúvida é o tamanho do impacto decorrente da mudança das tarifas.

160625 - uqaz -  16 Dez 2012, 23:04
Resolvi dar uma olhada:

Extrapolando as despesas financeiras do 9M12, temos para 2012, um gasto de R$ 959.446.

2011: -914.854
2010: -813.251
2009: -846.217

Extrapolando o EBITDA de 2012, usando 9M12: 1.805.161

2011: 1.602.199
2010: 1.403.366
2009: 1.019.802

Diria que o ano de 2010 foi fantástico. Mas não gosto do fato de MEIO EBITDA estar comprometido com gastos financeiros. Dureza.

160619 - leamm -  16 Dez 2012, 22:19
Dei uma olhada na ALL, desde que o apolo20 falou dela, e a empresa empolga pelo crescimento anual composto de longa data, novos projetos, redução do CAPEX em relação a anos anteriores, venda das atividades na argentina e início de geração de caixa em 2013. Com isso espero redução da dívida líquida da empresa, que é enorme e levou a um resultado financeiro negativo de 950 milhões em 12 meses jogando o P/L lá para cima. Pelo gráfico do fundamentus a cotação está no mesmo valor de outubro de 2005 sendo que nesse período o EBITDA saiu de 0,5 para 1,5 bilhão. Saiu um fato relevante onde houve redução do teto de suas tarifas - link: http://www.bmfbovespa.com.br/empresas/consbov/ArquivoComCabecalho.asp?motivo=&protocolo=350538&funcao=visualizar&site=B
Mas o preço da ação já estava nesse patamar bem antes desse fato, não sei se por uma sinalização prévia do governo ou por outro evento que eu desconheço. Alguém consegue determinar o impacto dessa alterção tarifária ou sabe de outro motiva para as cotações estarem historicamente tão baixas?

156919 - apolo20 -  14 Nov 2012, 11:27
Continua sendo minha grande aposta para M/L/PZ, gosto da gestão e do modelo de negócios da empresa,praticamente monopoliza os principais trechos ferroviários do Brasil, tem ainda a Rumo, Ritmo,Brado e Vetria.
apolo
abs
13/11/2012 15:29
All anuncia resultado do 3º tri/12

A All Logistica contabilizou lucro líquido de R$ 106,2 milhões no 3º tri/12, ante R$ 91,3 milhões no 3º tri/11. A receita líquida da empresa no período foi de R$ 966,3 milhões, 11,2% superior a contabilizada em igual período de 2011. O Ebtida da empresa ficou em R$ 461,9 milhões no trimestre, contra R$ 429,4 milhões no 3º tri/11.

Em 2012, a receita líquida da empresa atingiu R$ 2,72 bilhões, alta de 10,7% frente aos nove primeiros meses de 2011. O lucro líquido recuou 7,1%, na comparação anual, ao ficar em R$ 257,8 milhões.

Por  Tetzner
·  PERFIL DA EMPRESA:

-     Maior Operadora Logística Independente da América Latina

    Área de cobertura engloba 65% do PIB do Mercosul e 78% das exportações de grãos da América do Sul

        Operações no Brasil, Argentina, Chile e Uruguai

        Atende a sete dos mais importantes portos do Brasil e da Argentina

    Operações de transporte “porta-a-porta”, distribuição urbana, frota dedicada, serviços de armazenamento, incluindo a gestão de estoques e centros de distribuição

    21.300 km de rede ferroviária, 1.095 locomotivas, 31.650 vagões, 650 veículos rodoviários, centros de distribuição e instalações de armazenamento

A ALL é a maior operadora logística independente baseada em ferrovias da América Latina, oferecendo uma gama completa de serviços de logística de grande porte, com operações de transporte “porta-a-porta” intermodal (door-to-door), doméstico e internacional, distribuição urbana, serviços de terminal portuário, frota dedicada, serviços de armazenamento, incluindo a gestão de estoques e centros de distribuição. 

A principal área de cobertura da ALL engloba mais de 65% do Produto Interno Bruto (“PIB”) do Mercosul, cobrindo os estados de São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e a Região Sul do Brasil, a região central da Argentina, cruzando as fronteiras do Paraguai e Uruguai, e servindo o Chile por rodovia a partir da base logística intermodal de Mendoza, Argentina. A rede ferroviária da ALL atende a sete dos mais importantes portos do Brasil e da Argentina, através dos quais aproximadamente 78% das exportações de grãos da América do Sul são embarcadas anualmente.      

Período Analisado: 3T11 -  3o Trimestre de 2.011  ( Julho/Agosto/Setembro )


PAINEL DE INDICADORES
08/11/11





SELIC
11,50%
Ativo
R$
PL
VP
GR
DY
LA
Dv
Ml
EB
MS
ALLL3
    9,01
25,2
1,53
38,6
0,9%
4,0%
1,4
8%
4,0%
-59,5%




·  PONTOS POSITIVOS:

- O volume da ALL Operações Ferroviárias no Brasil 12.182 milhões de TKU.  subiu 10% na comparação 3Tx2T

- Receita Bruta Consolidada ALL Holding 1.025,5 M  estável + 1%

- Total de Custo dos Serviços Prestados 354M uma redução de -13,5%
·  PONTOS NEGATIVOS

- EBITDA  429M Redução de -12% na comparação 3Tx2T

- Lucro Líquido Consolidado 91M  Queda de -50% na comparação 3Tx2T

- Lucro Líquido ALL Holding Consolidado

- ALL Consolidada Margem EBITDA%  49,4%   queda de 3,1 p.p.  ou   -6%

- Commodities Agrícolas  Tarifa média (R$/ mil TKU)   69,6   queda de -21%

- Produtos Industriais Tarifa média (R$ / mil TKU)  70,3  queda de 1,2%

·  VISÃO ESTRATÉGICA
- Criação de Nova Divisão Logistica    

·  CURIOSIDADES
-              

·  OPINIÃO DO ANALISTA
- Eu observo as ações da empresa em bolsa desde que comecei a investir, nunca comprei o ativo nem nos tempos de alll11 (unit) e depois de ler os balanços ( tive que baixar o do 2T para comparar ), entendi o motivo de ela nunca ter chamado a atenção. Uma pena que num país como o nosso, onde cada estado tem as dimensões de um país europeu, a malha ferroviária seja tão pouco utilizada e a empresa que atua nela seja tão ineficiente.    

Análise Coin Valores
A ALL opera 21.300 km de malha ferroviária, 1.095 locomotivas, 31.650 vagões, 650 veículos rodoviários, centros de distribuição e áreas de armazenamento. As operações da ALL abrangem uma área responsável por aproximadamente 65% do PIB do Mercosul e a Companhia atende a sete dos portos mais ativos no Brasil e na Argentina, por meio dos quais aproximadamente 78% de todas as exportações de grãos da América do Sul são embarcadas anualmente. A Companhia oferece uma completa gama de serviços de logística, incluindo transporte ferroviário nacional e internacional, transporte intermodal porta-a-porta, serviços de distribuição e armazenamento. Os serviços são prestados no Brasil e na Argentina por três unidades de negócios: commodities agrícolas, produtos industriais e serviços rodoviários.

RETROSPECTIVA 2010
Em 2010, ano que marcou o ingresso da ALL no Novo Mercado da Bovespa, o volume da ALL Brasil nos noves meses cresceu 6,4% comparado ao mesmo período do ano anterior. No 3T10, o crescimento foi de 9,6%, atingindo 11.034 milhões de TKU. Nos 9M10 o EBITDA da ALL cresceu 12,2%, para R$ 1.098,2 milhões, com crescimento de margem de 49,8% para 51,2%. O lucro líquido cresceu 134% para R$ 223,1 milhões neste mesmo período, com crescimento de receita operacional após despesas financeiras de 313%, para R$ 234,5 milhões. Nossos projetos de longo prazo continuam avançando bem. A extensão de nossa ferrovia ligando Alto Araguaia a Rondonópolis tem avançado como planejado e nosso acordo com a Rumo já está operacional, com os volumes devendo crescer de acordo com o cronograma de investimentos. Além disso, estamos trabalhando fortemente nos projetos de infra-estrutura nos segmentos de contêineres, terminais e mineração.

PERSPECTIVA 2011


As perspectivas para 2011 são positivas. Nossa projeção de crescimento médio anual de volume é de pelo menos 10% no Brasil, durante os próximos 5 anos. Continuamos confiantes nos fundamentos positivos da ALL, tanto na capacidade da Companhia de manter sua história de crescimento orgânico, quanto nas possibilidades futuras com os projetos de longo prazo.

1823 - paulorizzi - 21/Fev/2009 22:04
citação: werlangalguem opina sobre a alll11? bateu o fundo historico sera uma boa entrada?
"Acho que o fundo (R$ 6,49) ocorreu no fechamento do dia 27OUT2008. Mas, o que adianta o papel estar perto do seu fundo histórico se é caro?"
"A ALLL deu a entender, num comunicado em janeiro, que o 4T08 será bem parecido com o 4T07, de modo que os múltiplos não deverão ser muito distintos daqueles listados no Fundamentus:"
"P/L = 20,4; P/VPA = 1,79; PSR = 1,96; EV/EBIT = 8,54; Política de Payout mínimo, projetando um DY = 1,3%; Div Brut / Patrim = 2,0"
"Por outro lado, não há indicações de que, durante 2009, as atividades vão explodir pelo teto ... pelo contrário."


"Acho que dá para achar coisa melhor no mercado, não dá?"



1261 - small caps - 29/Jan/2009 23:39
"(1239) werlang, ALLL11 é uma companhia com forte crescimento e um negócio que certamente tem um belo futuro. No entanto, seus preços sempre contemplaram no presente anos-luz de prosperidade a frente. Um verdadeiro absurdo. E apenas agora está apenas quase ficando razoável, mas ainda mais cara que a média do mercado. Engraçado é que sempre foi uma das ""mais badaladas"" e ""recomendadas"", apesar do preço que não sugeria qualquer ganho adicional para quem comprasse suas ações naquele momento."

1055 - small caps - 19/Jan/2009 00:05
"(1022) werlang, ALLL11 era um dos tantos ativos absurdamente caros e ""bem recomendados"" por trocentas corretores e analistas. Mesmo depois das abissais quedas, mantém P/L 20, P/VPA 1,83 e PSR 2. Ou seja, não é nenhuma barganha, diante do atual quadro de oportunidades do mercado."

Nenhum comentário: