Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

sexta-feira, 3 de abril de 2020

Alupar (ALUP)

Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: leocardoso (jun/18)

Carteiras
effexop (set/17) - fridao (jul/15 , ago/15dez/15fev/16, mar/16, abr/16, mai/16, jun/16, jul/16, ago/16, set/16) - ispholambra (jun/19) - kknove (nov/17) - leocardoso (abr/18) - Lucro Liquido (mai/18jun/18) - paulo_prof (mai/17nov/19, dez/19abr/20) - renatosp (jan/17) - topoi (abr/18) - ZOTTI (nov/16)

Códigos de Negociação
Tipo
ALUP11; ALUP3; ALUP4
 Nível 2 

Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019
paulo_prof  -
Os resultados do 4T19 e 2019 foram excelentes, mas as comparações com os resultados do 4T18 e 2018 devem ser feitas com cuidado devido as mudanças nos critérios contábeis utilizados.
A partir do 1T20, a comparação trimestral será realizada na mesma base contábil, mas a comparação anual só será efetuada nas mesmas bases a partir do 4T20.
A contabilidade regulatória (aquela que melhor retrata do fluxo de caixa da empresa) leva a resultados (lucro e ebitda) sensivelmente menores do que a contabilidade IFRS. Isto ocorre porque no caso das transmissoras a Receita IFRS é composta por Receita de Infraestrutura (volume de investimento - CAPEX) efetuado nas empresas de transmissão, considerando margem de construção), (Receita de Transmissão de Energia (receita que remunera os custos de operação e manutenção dos ativos de transmissão, considerando margem de O&M), Correção Monetária do Ativo (inflação acumulada do período aplicada sobre o saldo do Ativo Contratual) e Remuneração do Ativo Contratual (é o resultado da multiplicação da taxa efetiva de juros - fixada na data de assinatura do contrato de concessão - de um determinado ativo de transmissão pelo saldo do seu ativo contratual). A receita regulatória, por outro lado, é constituída basicamente pela RAP (Receita Anual Permitida), que é função das transmissoras que estão em operação.
Tenho a impressão de que o ativo esteja barato, mas prefiro esperar os resultados do 1T20 para ter uma melhor noção do quanto barato realmente está.

3T2019 -

2T2019 -

1T2019 -

A2018/4T2018 -

3T2018 -

2T2018 -

1T2018 -

PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Lucro Líquido-IFRS = No 1T18, o lucro líquido totalizou R$ 60,3 milhões, ante os R$ 73,7 milhões registrados no 1T17. Essa variação é resultado da: (a)variação negativa de R$ 48,5 milhões no EBTIDA, explicada, principalmente,pela: (i) redução de R$ 26,2 milhões na Receita Líquida Ajustada, em razão da: (i.a) redução de R$ 8,6 milhões na receita de suprimento de energia e;(i.b) redução de R$ 20,7 milhões na receita do segmento de transmissão,conforme detalhado anteriormente na seção “Receita Operacional Líquida –IFRS”e; (ii)aumento de R$ 23,6 milhões nos “Custos dos Serviços Prestados”, em razão da provisão de R$ 23,0 milhões, de uma exposição negativa frente ao GSF, que está sendo discutido através de Ação Ordinária proposta pelas PCHs Queluz e Lavrinhas objetivando que até o trânsito em julgado da presente ação, aloque mensalmente à autora, no âmbito do Mecanismo de Realocação de Energia -MRE, o montante de energia elétrica equivalente a no mínimo, 95% da garantia física. Para efeito desta provisão foram consideradas a lei 13.203, de 8 de dezembro de 2015, modificada pela lei 13.360, de 17 de novembro de 2016 e a REN nº 764, de 18 de abril de 2017. Esta provisão representa a melhor estimativa da administração da Companhia e considerando que este tema está em evolução e que essa liminar está vigente desde julho de 2015, a Companhia não prevê impactos significativos acima dessa expectativa; (b) redução de R$ 31,7 milhões no “Resultado Financeiro”, conforme explicados anteriormente;(c) aumento de R$ 10,4 milhões no IR/CSLL, em razão da constituição, no 1T17, do imposto diferido na PCH Morro Azul, sendo contabilizado R$ 9,9 milhões naquele período, frente a R$ (1,0) milhão contabilizado neste trimestre e; (d) redução de R$ 14,5 milhões na % Minoritários,principalmente,em razão da redução no lucro das PCHs Queluz e Lavrinhas, devido a provisão referente ao mecanismo de GSF, que juntas impactaram em R$ 13,3 milhões esta conta.

A2017/4T2017 -


3T2017 -

2T2017 -
Lucro Líquido – IFRS = No 2T17, o lucro líquido totalizou R$ 52,3 milhões, ante os R$ 83,6 milhões registrados no 2T16. Essa variação é resultado da: (a) redução de R$ 89,2 milhões no EBITDA; (b) aumento de R$ 3,0 milhões na linha Depreciação/Amortização, devido, exclusivamente, a entrada em operação dos parques eólicos Energia dos Ventos (mar/16), impacto de R$ 3,1 milhões; (c) redução de R$ 24,8 milhões na conta Resultado Financeiro; (d) redução de R$ 3,9 milhões no IR/CSLL devido a (i) obtenção dos benefícios fiscais, SUDAM/SUDENE, nas trasmissoras ETEP, STN e ENTE, em agosto/16, outubro/16 e dezembro/16, respectivamente, impacto de 10,5 milhões, (ii) redução de R$ 0,6 milhão na UHE Foz do Rio Claro, em razão da alteração do regime de tributação para lucro presumido; (iii) redução de R$ 1,4 milhão na EATE devido a realização do imposto diferido e; (iv) em contrapartida foi registrado um aumento de R$ 9,7 milhões nos impostos da UHE Ferreira Gomes explicado pelos resultados apurados nos trimestres, sendo que no 2T16 foi constituído diferido sobre o prejuízo fiscal e no 2T17 dado o lucro obtido.

Todos os resultados IFRS foram impactados pela menor correção inflacionária. Confesso que o baque foi maior do que estava esperando. Na contabilidade societária, entretanto, o crescimento dos resultados em relação ao 2T16 foi robusto. Há que se aguardar a estabilização da queda do índice de inflação para que se tenha um quadro mais preciso da situação. Suspeito, entretanto, que o ativo esteja sobre-precificado. Há que se entender as razões da queda sensível do lucro IFRS nos últimos 3 trimestres: passou de R$ 139 milhões no 4T16, para R$ 74 milhões no 1T17 e, agora, para R$ 52 milhões.

1T2017 -
paulo_prof  -
Bastante razoáveis os resultados da Alupar. Involução em relação ao 4T16. Evolução em relação ao 1T16. Ativo parece bem precificado.

A2016/4T2016 -
paulo_prof   -
Sei não !!! Acho que o resultado deste exercício quando comparado com aquele postado em 2015 não pode ser tomado como base para projeções de resultados futuros. Em termos reais, o resultado líquido de 2016 é menor do que aqueles postados em 2014 e 2013. Considero difícil, nos próximos exercícios, a empresa entregar resultados líquidos crescendo a 5,5% em termos reais, tomando como base o resultado de 2016. Adicionalmente, a empresa resolveu alterar a sua política de payout, que caiu de 120,7% em 2013, para 96,5% em 2014, 83,7% em 2015 e 48,3% em 2016.

2T2016 -
paulo_prof   -
No que concerne a última linha, o resultado da Alupar foi muito bom (maior lucro liquido dos últimos 6 trimestres).
De uma maneira geral, entretanto, apesar de manter o ativo na carteira da esposa e ter participado do último aumento de capital via subscrição, devo confessar que não sou muito fã do mesmo.
Acho que os controladores da Alupar fizeram um bom trabalho de marketing por ocasião da OPA, prometendo proventos "apetitosos" nos 2 primeiros exercícios (payout de 2013 foi 120,7% e payout de 2014 foi 96,5%). Com isto, devem ter conseguido induzir a avaliar o papel algo acima do que ele realmente vale ... o papel nunca me pareceu barato.
Um outro fator que me incomoda, é a rentabilidade dos ativos da Alupar, frente a de seus sócios nas diversas suas empresas investidas. Para se ter uma ideia, a parte da Alupar no Patrimônio Líquido Total de R$ 4,26 bilhões é de 61%. Por outro lado, entretanto, a Alupar tem só aprox. 41% do lucro!!! 
Ou seja, o ROE da Alupar é muito menor do que o ROE das empresas sócias minoritárias. 
Eu acho que o ativo está caro!!!

2T2015 -
paulo_prof  -
Podemos afirmar que a Alupar é uma empresa essencialmente de transmissão de energia elétrica que tem ativos também no segmento de geração. O segmento de transmissão é aquele que produz o lucro da empresa. Os ativos de concessão, nesta conjuntura de GSF desfavorável, produzem prejuízo. Para se ter uma ideia o lucro total das empresas de transmissão no portfolio da Alupar somou R$ 182,3 milhões no 2T15 (365,6 no 1S15); já as empresas de geração postaram um prejuízo de R$ 14,8 milhões no 1T15 (lucro de 13,1 milhões no 1S15).
No que concerne os ativos de transmissão, a DRE de acordo com o IFRS já engloba as reduções de RAP que ocorrerão aos 15 anos de concessão. A redução de RAP, portanto, quando ocorrer, não impactará o lucro. Impactará somente o fluxo de caixa.
Ativo me parece relativamente bem precificado

1T2015 -
paulo_prof  -
Achei muito bons os resultados da Alupar, especialmente considerando que o segmento de geração da empresa sofreu bastante com um GSF de 79,4% no 1T15, frente ao GSF de 96,1% no 1T14. Se o GSF no 1T15 tivesse sido o mesmo de 2014, a empresa teria conseguido vender aprox. 10Gwh adicionais no mercado spot !!!

A2014/4T2014 -
paulo_prof  -
Bons os resultados da Alupar, especialmente a última linha !!! No dia 15ABR serão distribuídos polpudos R$ 1,20/ALUP11. Acho que o ativo está relativamente bem precificado!

3T2014 -
paulo_prof  -
Os Resultados do 3T14 só foram bons no que concerne a última linha ... o Lucro Líquido. Este foi impactado positivamente pela alteração do regime de tributação de algumas subsidiárias (transmissoras ETEP e ECTE) e benefícios fiscais da subsidiária EATE). O Resultado Líquido do segmento Geração foi impactado negativamente pela necessidade, além do programado, de compra de energia no mercado spot. De acordo com a sua estratégia de sazonalização, a empresa havia "carregado" o seu 1T14 obtendo um lucro expressivo e havia constituído provisões para enfrentar o resto do ano. Ocorre que o rebaixamento da garantia física foi maior do que o antecipado e como consequência, de um lucro líquido de R$ 9 milhões no 3T13 a empresa teve um prejuízo de R$ 14 milhões no 3T14, um "swing" de R$ 23 milhões.
Mais do mesmo é de se esperar no 4T14 !!! O que conforta é a promessa de dividendos polpudos em abril de 2015, independentemente dos resultados a serem atingidos.

2T2014 -
paulo_prof  -
Considerando os dividendos prometidos em abril de 2015, o risco de investimento no ativo aos preços atuais me parece bastante limitado.

Características
Participação em outras sociedades atuantes nos setores de energia e Infra-estrutura, no Brasil ou no exterior; A Geração. Transformação. Transporte. A Distribuição e O Comércio de Energia.

Apresentações
27/03/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

17/03/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

12/03/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

11/03/2020 - Press-release

Apresentações

Balanços (Calendário)
11/03/2020
 DFP 2019

 ITR 1T 2020

 ITR 2T 2020

 ITR 3T 2020




Os resultados do 4T19 e 2019 foram excelentes, mas as comparações com os resultados do 4T18 e 2018 devem ser feitas com cuidado devido as mudanças nos critérios contábeis utilizados.

A partir do 1T20, a comparação trimestral será realizada na mesma base contábil, mas a comparação anual só será efetuada nas mesmas bases a partir do 4T20.

A contabilidade regulatória (aquela que melhor retrata do fluxo de caixa da empresa) leva a resultados (lucro e ebitda) sensivelmente menores do que a contabilidade IFRS. Isto ocorre porque no caso das transmissoras a Receita IFRS é composta por Receita de Infraestrutura (volume de investimento - CAPEX) efetuado nas empresas de transmissão, considerando margem de construção), (Receita de Transmissão de Energia (receita que remunera os custos de operação e manutenção dos ativos de transmissão, considerando margem de O&M), Correção Monetária do Ativo (inflação acumulada do período aplicada sobre o saldo do Ativo Contratual) e Remuneração do Ativo Contratual (é o resultado da multiplicação da taxa efetiva de juros - fixada na data de assinatura do contrato de concessão - de um determinado ativo de transmissão pelo saldo do seu ativo contratual). A receita regulatória, por outro lado, é constituída basicamente pela RAP (Receita Anual Permitida), que é função das transmissoras que estão em operação.


Tenho a impressão de que o ativo esteja barato, mas prefiro esperar os resultados do 1T20 para ter uma melhor noção do quanto barato realmente está.
p.php?pid=chartscreenshot&u=GGjTvFRJ%20R


ALUP11

PREÇO: R$ 23,50

PAYOUT (2019) 22,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,28

P/VPA 1,65

PSR 1,80

DY 2,45%

EV/EBITDA 8,24

MARGEM BRUTA 53,7%

MARGEM OPERACIONAL 47,5%

MARGEM LÍQUIDA 19,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,038

MARGEM EBITDA 27,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 170,9%

ROE 17,80%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,61



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +143,88%

RESULTADO BRUTO +94,37%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -1,63%

RESULTADO OPERACIONAL +135,61%

RESULTADO LÍQUIDO +130,20%

EBITDA REGULATÓRIO +0,20%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +239,71%

RESULTADO BRUTO +234,76%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +2,98%

RESULTADO OPERACIONAL +669,90%

RESULTADO LÍQUIDO +438,77%

EBITDA REGULATÓRIO +23,50%



c) lucro líquido, nominal

UA 130,20%

U2A 64,03%

U3A 42,02%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 19,11%

U2A 15,90%

U3A 21,29%



e) ebitda REGULATÓRIO, nominal

UA 0,20%

U2A -4,72%

U3A -3,71%

U4A 1,78%

U5A 3,37%

U6A 5,39%

U7A 5,99%

U8A 6,34%

U9A 7,05%

U10A 7,29%



Preço justo fornecido pelafórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -10,5% !!!!

12/03/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

11/03/2020 - Press-release

365314  - paulo_prof  -  15 Nov 2019, 20:49
Os Resultados foram muito bons, mostrando que os maus resultados do 2T18 foram um ponto fora da curva.

Há um detalhe que merece ser observado. A empresa reapresentou os resultados do 1T18, 2T18 e 3T18, devido ao ajuste decorrente da aplicação do CPC-47. Infelizmente, a empresa ainda não procedeu o ajuste dos Resultados do exercício de 2018. Como, em minha planilha, os resultados do 4T18 são obtidos por diferença (2018 - 1T18 - 2T18 - 3T18), estavam equivocados (como 2018 permaneceu constante e devido ao CPC-47 os Resultados do 1T18, 2T18 e 3T18 aumentaram, os resultados do 4T18 acabaram diminuindo em relação aos valores originalmente divulgados).

Efetuei uma correção, mantendo os Resultados do 4T18 conforme originalmente divulgados. Quando os Resultados de 2019 forem divulgados, quero crer que 2018 será também ajustado. Com esta correção, o valuation do ativo no 2T19 melhorou. Não efetuei a correção nos valuations do 1T19 e 2T19.

A menos que esteja enganado nas correções efetuadas, o ativo pode estar barato pra caramba! A ver!
p.php?pid=chartscreenshot&u=aLeaoUWTP2H0
ALUP11

PREÇO: R$ 23,98

PAYOUT (2018) 47,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,19

P/VPA 1,39

PSR 1,82

DY 5,83%

EV/EBITDA 7,08

MARGEM BRUTA 58,7%

MARGEM OPERACIONAL 50,0%

MARGEM LÍQUIDA 22,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,928

MARGEM EBITDA 30,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 128,9%

ROE 16,94%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,79



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +105,52%

RESULTADO BRUTO +65,56%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -2,46%

RESULTADO OPERACIONAL +84,72%

RESULTADO LÍQUIDO +91,21%

EBITDA REGULATÓRIO -9,35%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +109,57%

RESULTADO BRUTO +32,34%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -5,75%

RESULTADO OPERACIONAL +41,61%

RESULTADO LÍQUIDO +25,39%

EBITDA REGULATÓRIO -5,45%



c) lucro líquido, nominal

UA 91,21%

U2A 50,84%

U3A 58,92%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 18,20%

U2A 17,93%

U3A 21,33%



e) ebitda REGULATÓRIO, nominal

UA -9,35%

U2A -9,79%

U3A -3,18%

U4A 0,78%

U5A 3,72%

U6A 5,10%

U7A 5,38%

U8A 6,11%



Preço justo fornecido pelafórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 36,60

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -9,5% !!!!

363848 - paulo_prof   -  28 Ago 2019, 20:47
Na minha opinião, o resultado veio meia boca. Não li o relatório. Houve uma evolução substancial da Receita Líquida e do Resultado Bruto em relação ao 2T18. O Resultado Financeiro foi apenas marginalmente pior. Mas as depesas operacionais, principalmente o resultado de equivalência pagtrimonial das subsidiárias, foi sensivelmente pior. Em consequência, O Resultado Antes dos Impostos veio somente um pouco acima daquele do ano passado e uma maior depesa de IR/CS resultou num lucro liquido menor.

Se o resultado do 2T19 representa o novo "normal", acho que o ativo pode estar "esticado". Anualizando o resultado do 2T19 e mantendo indefinidamente em termos reais leva, para uma taxa de desconto real de 8%, a um valor intrínseco de R$ 18,92. Para justificar o preço atual, este lucro líquido anualizado teria que crescer aprox. 7% em termos reais pelos próximos 5 anos, algo que não creio que vá ocorrer.

Acho recomendável esperar pelos resultados do 3T19 para se ter uma melhor visão do case.
ID4Dkjzwe8I8wHpkDRbtBga0qsCD%203kD5E=


ALUP11

PREÇO: R$ 25,24

PAYOUT (2018) 47,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,39

P/VPA 1,53

PSR 2,49

DY 4,59%

EV/EBITDA 6,60

MARGEM BRUTA 63,6%

MARGEM OPERACIONAL 51,9%

MARGEM LÍQUIDA 24,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,429

MARGEM EBITDA 40,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 131,7%

ROE 14,70%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,71



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +77,98%

RESULTADO BRUTO +55,92%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +13,66%

RESULTADO OPERACIONAL +67,08%

RESULTADO LÍQUIDO +81,93%

EBITDA REGULATÓRIO -8,267%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +59,27%

RESULTADO BRUTO +65,66%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +3,83%

RESULTADO OPERACIONAL +11,64%

RESULTADO LÍQUIDO -12,96%

EBITDA REGULATÓRIO -8,67%



c) lucro líquido, nominal

UA 81,93%

U2A 54,30%

U3A 45,82%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 14,12%

U2A 19,57%

U3A 20,80%



e) ebitda REGULATÓRIO, nominal

UA -8,26%

U2A -8,75%

U3A -1,12%

U4A 1,97%

U5A 4,19%

U6A 5,67%

U7A 5,97%

U8A 6,78%



Preço justo fornecido pelafórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 30,36

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -4,0% !!!!

361336  - paulo_prof   -  17 Mai 2019, 17:28
Os resultados do 1T19 foram fortemente impactados por uma mudança na norma de contabilidade. A aplicação da norma alterada a partir de janeiro de 2018 produziu um transitório, que aparentemente foi contabilizado todo no 1T19. A análise teria sido facilitada se a empresa separasse claramente os dados que são específicos do 1T19 e o que é relatovo ao passado (exercício de 2018), bem como o respectivo impacto sobre o lucro. Da forma como está informado, decidi não expurgar valores porque certamente estaria fazendo alguma besteira ... Em consequência, não tenho elementos para tentar projetar quais poderão ser os resultados do 2T19.

Até a divulgação dos resultados de 2018 eu mantinha, em minha planilha, informação relativa ao Ebitda IFRS. Como o Ebitda IFRS não tem sentido prático (pois é uma total abstração), mudei os dados para o Ebitda Regulatório, este sim, uma medida que fornece uma ideia do fluxo de caixa real da empresa.

Há que se esperar os resultados do 2T19 para se ter uma melhor idéia dp que está ocorrendo. No 2T19 não mais será considerada a Receita transitória e a análise será mais fácil.

ALUP11

PREÇO: R$ 21,93

PAYOUT (2018) 47,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 8,84

P/VPA 1,36

PSR 2,41

DY 5,40%

EV/EBITDA 5,88

MARGEM BRUTA 67,7%

MARGEM OPERACIONAL 56,5%

MARGEM LÍQUIDA 27,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,481

MARGEM EBITDA 46,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 134,9%

ROE 15,37%

LIQUIDEZ CORRENTE 3,24



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +74,47%

RESULTADO BRUTO +67,26%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +5,28%

RESULTADO OPERACIONAL +94,97%

RESULTADO LÍQUIDO +128,96%

EBITDA REGULATÓRIO -5,69%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +213,69%

RESULTADO BRUTO +219,71%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -6,99%

RESULTADO OPERACIONAL +339,41%

RESULTADO LÍQUIDO +563,79%

EBITDA REGULATÓRIO -4,12%



c) lucro líquido, nominal

UA 128,96%

U2A 48,34%

U3A 57,12%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 10,62%

U2A 23,07%

U3A 19,40%



e) ebitda REGULATÓRIO, nominal

UA -5,69%

U2A -7,76%

U3A 1,61%

U4A 3,19%

U5A 4,90%

U6A 6,68%

U7A 6,80%

U8A 7,22%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 31,01

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7,5% !!!!

360004 - paulo_prof - 31 Mar 2019, 02:09
Confesso ter uma certa dificuldade em analisar a Alupar. Além de ser uma empresa que atua nos segmentos de transmissão e geração, tem sócios com participação importante nas empresas que controla.

Como é sabido, os resultados calculados conforme as regras de contabilidades societária (IFRS) e regulatória de transmissoras, podem ser muito distintas. Por outro lado, da forma como é realizada a contabilidade no consolidado, não é possível separar a Receita Líquida, Resultado Bruto, Ebit, Resultado Financeiro e Resultado Antes dos Impostos da parte que cabe aos acionistas da conroladora e a parte que cabe aos sócios da empresa em controladas da mesma. Só há informação relagtiva ao lucro líquido e patrimônio líquido.

Em minha planilha, tenho o histórico do lucro societário (IFRS) que cabe aos acinionistas da ALUP e o Ebitda IFRS CVM da empresa consolidada. Ocorre que quando o Ebitda IFRS é muito distinto do Ebitda regulatório, o primeiro é uma peça de ficção ... o objetivo de se divulgar o ebitda é se ter uma aproximação do fluxo de caixa da empresa. Para isto, dever-se-ia usar o ebitda regulatório. Um dia, portanto, terei que mudar os números do ebitda que tenho registrados para aquele regulatório. Infelizmente, o quadro ainda ficará precário porque não é possível separar o que é da Alupar e o que é se seus sócios.

Isto posto, olhando somente para o lucro IFRS, conslui-se que o ativo parece barato (a taxa de crescimento real do lucro líquido é muito maior do que aquela compatível com o preço real, de acordo com fórmula do FCD). Por outro lado, o ebitda regulatório pode preocupar. Os números são os seguintes;

2016: R$ 1,3952 bilhões

2017: R$ 1,3722 bilhões

2018: R$ 1,2431 bilhões

Como pode ser visto, o Ebibta regulatório do consolidado (que inclui a participação dos sócios da Alupar em suas controladas) é declinante, provavelmente devido ao corte de 50% na RAP de algumas de suas controladas.

ALUP11

PREÇO: R$ 23,22

PAYOUT (2018) 47,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 17,59

P/VPA 1,57

PSR 3,61

DY 2,71%

EV/EBITDA IFRS 5,74

MARGEM BRUTA 67,4%

MARGEM OPERACIONAL 49,2%

MARGEM LÍQUIDA 20,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,320

MARGEM EBITDA IFRS 68,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 147,9%

ROE 8,94%

LIQUIDEZ CORRENTE 3,26



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +22,41%

RESULTADO BRUTO +12,20%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -5,04%

RESULTADO OPERACIONAL +17,28%

RESULTADO LÍQUIDO +16,88%

EBITDA IFRS+10,65%



b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +59,79%

RESULTADO BRUTO +46,65%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -0,23%

RESULTADO OPERACIONAL +60,75%

RESULTADO LÍQUIDO +44,38%

EBITDA IFRS +39,60%



c) lucro líquido, nominal

UA 16,88%

U2A 11,55%

U3A 22,74%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 12,77%

U2A 22,40%

U3A 17,65%



e) ebitda IFRS, nominal

UA 10,65%

U2A -1,31%

U3A 4,01%

U4A 4,42%

U5A 5,28%

U6A 6,15%

U7A 7,87%

U8A 8,49%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,5% !!!!

357453 - paulo_prof -  08 Jan 2019, 15:38 
Volpato, há que se ter cuidado com os números divulgados por fontes nem sempre confiáveis. Em vários projetos de transmissão, a Alupar é parceira da Taesa ... quero crer que nestes projetos, ambas tenham a mesma TIR.

Concordo que pode ser precipitado qualificar os administradores da Alupar de incompetentes ... Seria necessária uma análise muito profunda do case e, possivelmente, nem todos os dados necessários estejam disponíveis.

Nos últimos 12 meses terminados em setembro, o patrimônio líquido médio da Alupar Controladora (excluída a parte dos sócios em emprendimentos conjuntos) foi

PatLiq médio = {PatLiq3T17 + 2*(PatLiq4T17+PatLiq1T18+PatLiq2T18) + PatLiq3T18)}/8 = R$ 3,984 bilhões.

O lucro liquido apçurado no mesmo período foi de R$ 0,346 bilhões

Isto dá um ROE médio de 8,76%.

Outros dados relevantes são as taxas de crescimento do lucro líquido e ebitda:

a) lucro líquidp

UA -8,37%

U2A 27,14%

U3A 7,04%

U4A 2,25%

b) ebitda

UA -4,94%

U2A -2,73%

U3A 0,19%

U4A 3,30%

Na minha leitura, estes indicadores mostram uma performance super pífia! Alguma coisa parece estar fora de lugar ...

O que pode estar fora de lugar? A unica explicação lógica que visualizo é a Alupar estar investindo massivaamente em projetos que ainda não estão dando retorno. Estes investimentos geram um aumento do Patrimônio Líquido (reduzindo o ROE) e, eventualmente, despezas operacionais (como depreciação) que comem parte do lucro.

357429 - ispholambra -  08 Jan 2019, 02:51  
Eu queria saber de onde eles tiraram esse números...devem estar vendidos ate o talo em TAEE11 e querendo pegar os inocentes para recomprar barato...

Nos balanços da TAEE11, seja no IFRS seja no regulatório os numeros da empresa sempre vem muito bons...

A empresa esta agressiva nas aquisicoes... e muito criteriosa e nao entra em conscessões com TIR baixa...

Tem varias SPEs da Taesa que terao reducao de 50% da RAP ate 2022 e bem verdade... mas tem varias concessoes novas que vao entrar em operacao comercial... A Taesa e uma das transmissoras que mais tem investido em aquisicoes...e nao coloca o seu capital em aquicoes que nao fazem muito sentido em termos de rentabilidade... prova disso e que exerceu o seu direito de retirada do Consorcio Columbia formado com a TRPL por causa do mesmo ter ganho uma linha em leilao de transmissao que estava fora dos padroes de rentabilidade que achava adequados para investir o seu capital...

A TAEE11 tem excelencia na admnistracao e na execucao de projetos... tenho bastante TAEE11 na carteira e durmo tranquilo...

Mas nao vou "desmerecer" ALUP11 nem ENBR3... ja tenho ENBR3... meu proximo ativo do setor eletrico certamente sera a ALUP11...

357379 - luisantoniopes -  05 Jan 2019, 20:47
fazendo o fluxo de caixa descontado só da alupar (controladora) e analisando os seus fundamentos, vê-se que alup11 é um bom investimento. pode ser que as sócias delas seriam melhores investimentos? pode ser. mas isso não significa que alupar seja ruim. pelo contrário, é um bom investimento.

tranquilo e encarteirando mais


Sem desejar polemizar, quero expressar o que penso do FCD.

Todos que usam a ferramente sabem que o resultado depende fortemente de:

a) número de anos do período de crescimento;

b) taxa média de crescimento neste período;

c) taxa de crescimento na perpetuidade

d) taxa de desconto

Se a inflação é tirada da jogada (usando taxas de crescimento reais), a taxa de crescimento na perpetuidade pode ser admitida nula. No que se refere a taxa de desconto, pode-se considerar a taxa de rendimento de um título publico de longo prazo e acrescentar um delta de risco. Hoje, o título público de longo prazo está pagando aprox. 5% brutos reais. Adotando-se uma delta risco de 1,5% ou 2% obtém-se uma taxa de desconto de 6,5% a 7%.

A "porca costuma torcer o rabo" quando chega a hora de definir o período (número de anos) e taxa média anual de crescimento a serem considerados.

Suponha um ativo que esteja dando um retorno de R$ 1,00 e considere uma perpetuidade de crescimento real nulo, adotando uma taxa de desconto de 7%.

Para;

a) 5 anos e taxas de crescimento de 4%, 5% e 6% o valor intrínseco é, respectivamente, $16,99; $17,73 e $18,49

b) 10 anos e taxas de crescimento de 4%, 5% e 6% o valor intrínseco é, respectivamente, $19,33; R$ 20,86 e $22,51

Diminua a taxa de desconto para 6,5% e terásc) 5 anos e taxas de crescimento de 4%, 5% e 6% oLvalor intrínseco é, respectivamente, $18,32; $19,12 e $19,96

d) 10 anos e taxas de crescimento de 4%, 5% e 6% o valor intrínseco é, respectivamente, $20,93; R$ 22,61 e $24,42

Convenhamos ... se vc definir um horizonte de 10 anos, a menos que vc tenha informações precisas do que irá ocorrer nestes 10 anos, qualquer hipótese para uma taxa real média de crescimento no período não passa de um exercício de futurologia. Em consequência, de fato não uso a FCD para avaliar o valor justo de uma empresa. Acabo fazendo o contrário ... a partir do LPA corrente e um horizonte entre 5 e 10 anos, vejo qual deveria ser a taxa de crescimento para que o valor intrínseco seja igual ao do mercado. Aí, analisando o passado e o cenário futuro para a empresa decido se está cara, no preço o barata.

Evidentemente, a FCD serve melhor para comparar empresas, especialmente se forem do mesmo segmento. Quando vc compara duas empresas (e.g., Alupar e Cteep), vc não precisa se preocupar muito com a taxa de desconto e período de crescimento (normalmente serão iguais para as duas). A única variável que sobrará é a taxa de crescimento neste período. Via de regra, a comparação mostra claramente qual é o ativo mais barato (pelo menos sob o ponto de vista do FCD).

Bom ... então voltemos para o caso específico da Alupar, cujo LPA é R$ 1,179. Quais parâmetros vc usou na fórmula do FCD para chegar à conclusão de que o valuation do ativo é favorável (por exemplo, em comparação aquele da TAEE ou TRPL)?


Obrigado pela resposta.

eu peguei 1,17, crescimento 0% nos primeiros 5 anos, reajuste da rap a partir do 6º ano, levando o lpa para 1,62 crescimento 0% nos 6 a 10 anos, taxa de desconto 10%, e perpetuidade 3%.

esse reajuste da rap está nas apresentações da empresa. hoje é 568, a partir de 2022 vai ser 1072 (isso só considerando a parte alupar)

o lpa vai para 1,62 fazendo uma continha de padaria contando o lpa/rap de hoje e o reproduzindo a partir de 2022.

valor justo deu 17,44. minhas últimas compras nela foram abaixo de 16, se cair lá pego mais

taee é estatal e tem quedas de rap maiores para os próximos anos, trpl tem aquele pagamento que dura 7 anos e tá mexendo nos resultados. acho essas duas bons investimentos também, mas preferi a alupar a essas duas.

355906 - paulo_prof -  14 Nov 2018, 18:46
Os Resultados foram regulares. O crescimento vigoroso da receita foi impactado por uma redução na margem bruta e por um resultado financeiro desfavorável. Em consequência, apesar de aprsentar crescimento em relação ao 2T18, o lucro foi menor daquele do 2T17.

Como a tendência de crescimento do lucro líquido foi abortada, não há como classificar o ativo como barato. Um outro fator que pesa contra é que os indicadores que independem do lucro e patrimônio líquidos (como EV/Ebitda) são calculados para 100% das empresas consolidadas. Aqui, a participação de outros sócios nestas empresas é relevante (o ebitda reportado, por exemplo, não foi gerado exclusivamente pela Alupar e suas controladas), e a rentabilidade da parte que cabe aos sócios é maior do que aquela da Alupar.

ALUP11

PREÇO: R$ 17,99

PAYOUT (2017) 50,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,26

P/VPA 1,27

PSR 3,20

DY 3,34%

EV/EBITDA 5,38

MARGEM BRUTA 69,1%

MARGEM OPERACIONAL 49,3%

MARGEM LÍQUIDA 21,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,179

MARGEM EBITDA 71,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 109,4%

ROE 8,31%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,45



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,37%

RESULTADO BRUTO +0,34%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -11,69%

RESULTADO OPERACIONAL -3,85%

RESULTADO LÍQUIDO -8,37%

EBITDA -4,94%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +20,90%

RESULTADO BRUTO +10,21%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +82,66%

RESULTADO OPERACIONAL -3,26%

RESULTADO LÍQUIDO -3,84%

EBITDA +8,79%



c) lucro líquido, nominal

UA -8,37%

U2A 27,14%

U3A 7,04%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 17,66%

U2A 22,93%

U3A 16,80%



e) ebitda, nominal

UA -4,94%

U2A -2,73%

U3A 0,19%

U4A 3,30%

U5A 4,00%

U6A 5,01%

U7A 6,98%

U8A 5,69%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,74

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +5,0% !!!!

352805  - paulo_prof -  14 Ago 2018, 03:37
Os Resultados foram muito bons. O lucro cresceu substancialmente na comparação dos 12 meses e excepcionalmente na comparação dos 3 meses. Na realidade, na comparação dos 12 meses todos os resultados melhoraram em função dos bons resultados do 2T18. Há que se monitorar os resultados do 3T18 para verificar a tendência. O ativo parece estar bem precificado, mas pode estar barato. Para tanto, basta que a tendência de crescimento observada no 2T puder ser mantida nos trimesytres seguintes.

ALUP11

PREÇO: R$ 15,96

PAYOUT (2017) 50,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,37

P/VPA 1,15

PSR 2,99

DY 3,81%

EV/EBITDA 5,14

MARGEM BRUTA 70,8%

MARGEM OPERACIONAL 52,4%

MARGEM LÍQUIDA 22,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,194

MARGEM EBITDA 73,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 106,1%

ROE 8,64%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,10



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,18%

RESULTADO BRUTO -2,18%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -40,25%

RESULTADO OPERACIONAL +9,26%

RESULTADO LÍQUIDO +17,02%

EBITDA -6,62%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,09%

RESULTADO BRUTO +11,31%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -21,80%

RESULTADO OPERACIONAL +28,54%

RESULTADO LÍQUIDO +61,93%

EBITDA +12,00%



c) lucro líquido, nominal

UA 17,02%

U2A 23,45%

U3A 1,29%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 25,29%

U2A 24,29%

U3A 16,50%



e) ebitda, nominal

UA -12,91%

U2A 0,31%

U3A 0,86%

U4A 2,25%

U5A 4,92%

U6A 6,38%

U7A 7,30%

U8A 7,32%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,92

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +2,0% !!!!

350741  - marcosvinicius2 -  04 Jun 2018, 21:51
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Lucro Líquido-IFRS = No 1T18, o lucro líquido totalizou R$ 60,3 milhões, ante os R$ 73,7 milhões registrados no 1T17. Essa variação é resultado da: (a)variação negativa de R$ 48,5 milhões no EBTIDA, explicada, principalmente,pela: (i) redução de R$ 26,2 milhões na Receita Líquida Ajustada, em razão da: (i.a) redução de R$ 8,6 milhões na receita de suprimento de energia e;(i.b) redução de R$ 20,7 milhões na receita do segmento de transmissão,conforme detalhado anteriormente na seção “Receita Operacional Líquida –IFRS”e; (ii)aumento de R$ 23,6 milhões nos “Custos dos Serviços Prestados”, em razão da provisão de R$ 23,0 milhões, de uma exposição negativa frente ao GSF, que está sendo discutido através de Ação Ordinária proposta pelas PCHs Queluz e Lavrinhas objetivando que até o trânsito em julgado da presente ação, aloque mensalmente à autora, no âmbito do Mecanismo de Realocação de Energia -MRE, o montante de energia elétrica equivalente a no mínimo, 95% da garantia física. Para efeito desta provisão foram consideradas a lei 13.203, de 8 de dezembro de 2015, modificada pela lei 13.360, de 17 de novembro de 2016 e a REN nº 764, de 18 de abril de 2017. Esta provisão representa a melhor estimativa da administração da Companhia e considerando que este tema está em evolução e que essa liminar está vigente desde julho de 2015, a Companhia não prevê impactos significativos acima dessa expectativa; (b) redução de R$ 31,7 milhões no “Resultado Financeiro”, conforme explicados anteriormente;(c) aumento de R$ 10,4 milhões no IR/CSLL, em razão da constituição, no 1T17, do imposto diferido na PCH Morro Azul, sendo contabilizado R$ 9,9 milhões naquele período, frente a R$ (1,0) milhão contabilizado neste trimestre e; (d) redução de R$ 14,5 milhões na % Minoritários,principalmente,em razão da redução no lucro das PCHs Queluz e Lavrinhas, devido a provisão referente ao mecanismo de GSF, que juntas impactaram em R$ 13,3 milhões esta conta.:

ALUP11
PREÇO: 15,74
PAYOUT (2017): 45,39%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 14,53
P/VPA 1,17
PSR 3,02
DY 3,12%
EV/EBITDA 6,62
MARGEM BRUTA 70,62%
MARGEM OPERACIONAL 50,59%
MARGEM LÍQUIDA 20,80%
LUCRO POR AÇÃO 1,083
MARGEM EBITDA 73,48%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 113,29%
ROE 8,04%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,22

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,45%
RESULTADO BRUTO -10,26%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,86%
RESULTADO OPERACIONAL -5,48%
RESULTADO LÍQUIDO -3,89%
EBITDA -15,30%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,07%
RESULTADO BRUTO -17,89%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -33,74%
RESULTADO OPERACIONAL -9,27%
RESULTADO LÍQUIDO -18,18%
EBITDA -15,85%

c) lucro (taxa média anual)
UA -3,89%
U2A 30,15%
U3A -4,45%

d) patrimônio líquido médio
UA 52,07%
U2A 30,73%
U3A 20,13%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,54
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,5% !!!!
[...]

349885 - paulo_prof   - 12 Mai 2018, 03:31
Acho que já deve ter dado para perceber que não gosto da administração da Alupar ... O ROE da Alupar referente aos últimos 12 meses é 8,04%. O ROE da parte complementar das empresa controladas pela Alupar (sócios não controladores da Alupar nos diversos empreendimentos) é 20,85% !!!! Não dá para engolir.

Para o meu gosto, a ALUP11 está cara e não tem onde ir!

ALUP11

PREÇO: R$ 17,15

PAYOUT (2017) 50,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,83

P/VPA 1,27

PSR 3,29

DY 3,22%

EV/EBITDA 5,45

MARGEM BRUTA 70,6%

MARGEM OPERACIONAL 50,6%

MARGEM LÍQUIDA 20,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,083

MARGEM EBITDA 73,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 110,5%

ROE 8,04%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,22



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,45%

RESULTADO BRUTO -10,26%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,86%

RESULTADO OPERACIONAL -5,48%

RESULTADO LÍQUIDO -3,89%

EBITDA -15,29%



b) 1T18 sobre 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,07%

RESULTADO BRUTO -17,89%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -33,74%

RESULTADO OPERACIONAL -9,27%

RESULTADO LÍQUIDO -18,18%

EBITDA -15,85%



c) lucro líquido, nominal

UA -3,89%

U2A 30,15%

U3A -4,45%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 36,92%

U2A 24,04%

U3A 16,00%



e) ebitda, nominal

UA -15,29%

U2A -1,07%

U3A -0,07%

U4A 1,55%

U5A 4,34%

U6A 5,89%

U7A 6,87%

U8A 6,94%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,54

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0% !!!!

349635  - paulo_prof  -  04 Mai 2018, 21:46
Citação: leocardoso - Post #349582 - 04/Mai/2018 11:48
Prof-Paulo;....
Aproveitando o gancho ALUP X TAEE. Se for possível. Muito obrigado
A participação da ALUP na grande maioria de geração e transmissão investidas, não é 100%. Ou seja, na maior parte de suas concessões há uma participação de sócios/parceiros.

O Patrimônio Líquido, de uma maneira geral, fornece uma boa visão da situação. De um Patrimônio Líquido Consolidado Total de R$ 5.606.797 mil, R$ 1.722.867 mil (ou aprox. 31%) corresponde ao quinhão dos sócios.

Nestas condições, qual é a parcela do lucro líquido total que vc espera seja dos parceiros? Bom, do lucro total de R$ 705.725 mil no exercício de 2018, R$ 374.840 mil, ou 53%, corresponde à parte dos parceiros.

Isto não é de hoje e não é eventual. Como é sistemático, algo de muito errado deve haver.

Aos preços correntes

ALUP11

PREÇO: R$ 17,00

PAYOUT (2017): 50,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,06

P/VPA 1,28

PSR 3,24

DY 3,38%

EV/EBITDA 5,19

MARGEM BRUTA 73,5%

MARGEM OPERACIONAL 51,3%

MARGEM LÍQUIDA 21,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,129

MARGEM EBITDA 76,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 122,6%

ROE 8,52%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,11



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,01%

RESULTADO BRUTO -6,80%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,69%

RESULTADO OPERACIONAL -2,65%

RESULTADO LÍQUIDO +6,46%

EBITDA -11,98%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,08%

RESULTADO BRUTO -0,85%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -23,21%

RESULTADO OPERACIONAL -22,05%

RESULTADO LÍQUIDO -33,24%

EBITDA -19,98%



c) lucro líquido, nominal

UA 6,46%

U2A 25,77%

U3A -3,02%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 32,85%

U2A 20,17%

U3A 13,12%



e) ebitda, nominal

UA -11,98%

U2A 0,84%

U3A 2,43%

U4A 3,98%

U5A 5,27%

U6A 7,41%

U7A 8,19%

U8A 8,34%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,24


Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +4,5% !!!!

Resta alguma dúvida? Só para referência e se não estou enganado, o Itau avalia a TAEE11 como "underperform" e a ALUP11 como "overperform". Só não sei quais argumentos oblíquos os analistas do Itau andaram usando!!!!!

348932  - marcosvinicius2 -  16 Abr 2018, 11:41
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). No 4T17, a Receita Líquida Ajustada atingiu R$ 380,2milhões, 4,3% superior aos R$ 364,4 milhões apurados no 4T16. Em 2017, a Receita Líquida Ajustada atingiu R$ 1.498,0 milhões, 1,1% inferior aos R$ 1.514,0 milhões apurados em 2016. No 4T17, o EBITDA atingiu R$ 287,9milhões, 20,0% inferior aos R$ 359,8milhões apurados no 4T16. Em 2017, o EBITDA atingiu R$ 1.170,2milhões, 12,0% inferior aos R$ 1.329,5 milhões apurados em 2016. No 4T17, o Lucro Líquido totalizou R$ 92,9milhões, 33,2% inferior aos R$ 139,1 milhões registrados no 4T16. Em 2017, o Lucro Líquido totalizou R$ 330,9milhões, 6,5% superior aos R$ 310,8 milhões registrados em 2016.:

ALUP11
PREÇO: 18,45
PAYOUT (2017): 45,39%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,34
P/VPA 1,39
PSR 3,51
DY 2,78%
EV/EBITDA 7,01
MARGEM BRUTA 73,54%
MARGEM OPERACIONAL 51,34%
MARGEM LÍQUIDA 21,51%
LUCRO POR AÇÃO 1,129
MARGEM EBITDA 76,08%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 125,40%
ROE 8,52%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,11

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,01%
RESULTADO BRUTO -6,80%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,69%
RESULTADO OPERACIONAL -2,65%
RESULTADO LÍQUIDO 6,46%
EBITDA -11,99%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,01%
RESULTADO BRUTO -6,80%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,69%
RESULTADO OPERACIONAL -2,65%
RESULTADO LÍQUIDO 6,46%
EBITDA -11,99%

c) lucro (taxa média anual)
UA 6,46%
U2A 25,77%
U3A -3,02%

d) patrimônio líquido médio
UA 48,54%
U2A 27,07%
U3A 17,40%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,11
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,30% !!!!
[...]

347972  - paulo_prof   -  09 Mar 2018, 21:33
Devo confessar que não gosto da empresa. A minha "bronca" consiste basicamente no fato de que a empresa é muito menos eficiente do que as empresas associadas. No exercício de 2017, as empresas associadas da Alupar lucraram R$ 379 milhões, enquanto que a Alupar lucrou R$ 384 milhões. Ocorre que o patrimônio Líquido correspondente às empresas associadas é de apenas R$ 1,722 bilhões (o PatLiq da Alupar é de R$ 2,899 bilhões.

No que se refere os resultados na comparação anual, a Receita Líquida apresentou uma involução marginal em termos nominais. Ocorreu uma perda de margem bruta, provavelmente devido ao maior custo de energia comprada para revenda. O Resultado Financeiro negativo melhorou, mas O Resultado Antes dos IR/CS piorou. O Lucro Líquido só melhorou devido a uma menor despesa de IR/CS.

Na comparação trimestral, apesar da evolução na Receita Líquida e Resultado FInanceiro Negativo, os Resultados Antes dos Impostos e Lucro Líquido involuíram.

O Ebitda involuiu sensivelmente, em termos nominais, tanto na base anual, quanto trimestral.

Na minha avaliação, o preço do ativo está salgado considerados os fundamentos atuais.

ALUP11

PREÇO: R$ 17,78

PAYOUT (2017) 50,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,75

P/VPA 1,34

PSR 3,39

DY 3,23%

EV/EBITDA 5,32

MARGEM BRUTA 73,5%

MARGEM OPERACIONAL 51,3%

MARGEM LÍQUIDA 21,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,129

MARGEM EBITDA 76,1%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 122,6%

ROE 8,52%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,11



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,01%

RESULTADO BRUTO -6,80%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,69%

RESULTADO OPERACIONAL -2,65%

RESULTADO LÍQUIDO +6,46%

EBITDA -11,98%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,08%

RESULTADO BRUTO -0,85%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -23,21%

RESULTADO OPERACIONAL -22,05%

RESULTADO LÍQUIDO -33,24%

EBITDA -19,98%



c) lucro líquido, nominal

UA 6,46%

U2A 25,77%

U3A -3,02%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 32,85%

U2A 20,17%

U3A 13,12%



e) ebitda, nominal

UA -11,98%

U2A 0,84%

U3A 2,43%

U4A 3,98%

U5A 5,27%

U6A 7,41%

U7A 8,19%

U8A 8,34%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,11

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +5,5% !!!!

347338  - topoi   -  21 Fev 2018, 20:13
paulo_prof, boa tarde!

qual sua opinião sobre a alupar? entendo que está bem barata e gostaria de solicitar sua análise para me ajudar na formação de opinião

Fluxo de caixa operacional de 2017 de 794mi (sem contar com o resultado do 4T)

Excelente margem operacional

Diversos investimentos para entrar em operação nos próximos anos

Diversificação entre geração e distribuição


Negociada a um valor de mercado de 7bi (com um caixa de 1,6bi)

346487 - andremarafon -  25 Jan 2018, 22:49
Sobre a Alupar. Na semana passada eu fui numa reunião que eles fizeram aqui em Sp e a minha visão é mais ou menos a mesma que a sua. Eles tem 5 Bi de investimentos em transmissão até 2022. Desta forma o Dy não será generoso nesse período mas, segundo ele, os indicadores das dívidas são rigorosos e ficarão sob controle além da empresa crescer neste período e as ações acompanharem, de alguma forma, este crescimento. Falou também que o Payout será de 50% de acordo com o estatuto. A empresa deverá apresentar crescimento visto que até 2022 terão um aumento de +/- 2.500 Km nas linhas de transmissão. 
Por fim, questionei se a ideia deles seria focar os investimentos somente em transmissão a partir de agora e ele disse que depende das necessidades do mercado. Para o momento os maiores investimentos são em transmissão, e deverão ficar assim por mais algum tempo, mas se a demanda do mercado mudar para eles estarão atentos. Ainda não comprei porque já tenho tiet e taee, estou estudando o caso mas a empresa é boa e depende muito do perfil do investidor. De fato não é uma empresa que a ação vai sair voando.

Sem duvida alguma Alupar e uma bela empresa com múltiplos muito interessantes, além de uma exposição moderada (consideraria até baixa em relação à TIET) no que diz respeito à geração. Contudo me parece razoavelmente precificada. Não vejo por exemplo ALUP11 (mais líquida) com uma valorização de 20 ou 30% nos próximos 12 meses. Pelo contrário. Acredito que o topo dela antes dos dividendos de Abril deverá ficar entre 20 - 22 reais.
[...]

346013  - paulo_prof   - 11 Jan 2018, 13:09
De fato, tinha o ativo em carteira. Entretanto, ao longo do tempo desenvolvi, digamos, uma certa antipatia pela empresa, pois não conseguia engulir a sua muito menor rentabilidade, quando comparada aquela da parte controlada por seus parceiros.

A Alupar é uma empresa que costuma operar em sociedade com outras empresas de geração e transmissão elétricas. Ocorre que as rentabilidades das partes que cabem, respectivamente, à Alupar e a seus parceiros são muito distintas. O lucro líquido da Alupar nos 9M17 foi de R$ 238 milhões. Já a parte corrrespondente aos sócios rendeu R$ 261 milhões no mesmom período. Em fins do 3T17, o Patrimônio Líquido da Alupar era de R$ 3,943 bilhões; a parte que cabe aos sócios era muito menor, contabilizada por R$ 1,722 bilhões. Se fôssemos estimar os ROEs, teríamos 8,05% para a parte que cabe à Alupar e 20,21% para a parte que cabe aos socios ... ridículo!

Quando saiu o preço (R$ 19,50) da capitalização no ano passado, em abril, resolvi cair fora! Vendi toda a posição no leilão de fechamento do mesmo dia. Se não estou enganado, nesta capitalização nenhuma vantagem foi dada ao minoritário. Nem mesmo direitos de subscrição foram distribuídos.

346004  - calabro -  11 Jan 2018, 10:30
As PNs estão com uma força vendedora fora do normal e já estão pagando próximo de 5% em dividendos comparando o preço atual com o que foi distribuído em 2017... No relatório da Empiricus os analistas disseram que é um case para dividendos com alfa. Vou tentar comprar alguma coisa nos R$ 5 se aparecer vendedor hoje de novo. Ontem forçaram até R$ 5,15 com volume forte de venda.

345997  - ispholambra   -  11 Jan 2018, 02:09
ALUP11 me parece o tipico ativo de boa qualidade, porem ja precificado... P/L 13,96 pelo fundamentus... DY 2,4%... P/VP 1,34

Trata-se de uma empresase geracao/transmissao que atua no Brasil e em mais alguns paises da America do Sul....

Nos preços atuais esta cotada bem proximo do valor da oferta publica...

Surgiu no mercado como uma promessa de boa pagadora de dividendos... o que nao se concretizou... as cotacoes estao andando de lado desde o IPO...

Ja li o balanco dessa empresa e cheguei ate ter umas Units dela na carteira... mas confesso que apos 2014 me desfiz de muitas acoes e nem fui atras de saber como elas reagiram...

Mas há que se ler o ultimo balanço... o fato de ter ativos no exterior pode ser positivo pois acredito que nao tem ativos em paises Bolivarianos... se nao me engano tinha ativos no Chile, Peru e Colombia quando estudei esse case... hoje nao sei mais se tem ativos nesses paises...

Tambem nao conheço bem o parque gerador nem as linhas de transmissao... mas pelo pouco que acompanhei, ela e uma empresa exigente em termos de rentabilidade dos projetos... e andou ate devolvendo concessoes e desistindo de projetos por causa da baixa rentabilidade...

Mas nessa faixa de preço e/ou P/L temos varios outros cases mais bem conhecidos como TAEE11, TIET11, ENBR3 e ENEV3...

Quem der uma estudada em ALUP11 posta ai pra gente o resultado e as impressoes....

Acredito que o Professor Paulo tem ou teve esse ativo em carteira... e deve ter ela na planilha...

343845  - paulo_prof   -  12 Nov 2017, 13:36
Em termos da última linha, os resultados foram ótimos. Mas não se pode desconsiderar o impacto positivo da valorização cambial sonbre o endividamento líquido. Para se ter uma idéia, o endividamento líquido de R$ 2,7 bilhões, produziu um Resultado Financeiro negativo em apenas R$ 41 milhões, algo como 6,2% a.a.

O que deve servir de fator de alerta e a estagnação da Receita, Resultado Bruto e Ebitda. Embora o ativo pareça estar bem precificado, confesso que não é do meu agrado. Quando atingiu uma cotação acima dos R$ 20 no 1o. semestre, decidi cair fora!

ALUP11

PREÇO: R$ 17,78

PAYOUT (2016) 48,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,82

P/VPA 1,32

PSR 3,46

DY 3,50%

EV/EBITDA 5,03

MARGEM BRUTA 75,3%

MARGEM OPERACIONAL 56,0%

MARGEM LÍQUIDA 25,1%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,287

MARGEM EBITDA 82,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 111,4%

ROE 9,56%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,98



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,63%

RESULTADO BRUTO +2,02%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,58%

RESULTADO OPERACIONAL +19,83%

RESULTADO LÍQUIDO +76,42%

EBITDA -0,48%



b) 3T17 sobre 3T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,97%

RESULTADO BRUTO +0,68%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -67,97%

RESULTADO OPERACIONAL +60,90%

RESULTADO LÍQUIDO +230,69%

EBITDA +2,31%



c) lucro líquido, nominal

UA 76,42%

U2A 15,69%

U3A 6,06%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 28,44%

U2A 16,38%

U3A 10,11%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 16,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +2,0% !!!!

341526  - marcosvinicius2 -  28 Ago 2017, 22:45
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 37 TRIMESTRES, 37 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO POSITIVO (EXCELENTE). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 74.742; (U24M) = 66.066; (U36M) = 72.094; (U48M) = 72.439; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO LIQUIDO (30,23%) E RESULTADO FINANCEIRO (-13,32%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO LIQUIDO (-37,51%) E RESULTADO OPERACIONAL (-29,19%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 16.131.692; VALOR MAXIMO (MIL) = 16.131.692 NO 2T17; VE PSBE (MIL) = 7.079.049:

ALUP11
PREÇO: 18,35
PAYOUT (2016): 59,95%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 53,96
P/VPA 2,90
PSR 10,74
DY 0,93%
EV/EBITDA 15,28
MARGEM BRUTA 75,37%
MARGEM OPERACIONAL 49,92%
MARGEM LÍQUIDA 19,91%
LUCRO POR AÇÃO 0,340
MARGEM EBITDA 82,26%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 76,46%
ROE 5,37%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,84

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,37%
RESULTADO BRUTO -5,47%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -13,32%
RESULTADO OPERACIONAL 8,78%
RESULTADO LÍQUIDO 30,23%
EBITDA 1,62%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,32%
RESULTADO BRUTO -21,47%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -24,75%
RESULTADO OPERACIONAL -29,19%
RESULTADO LÍQUIDO -37,51%
EBITDA -25,37%

c) lucro (taxa média anual)
UA 30,23%
U2A -5,76%
U3A 0,57%

d) patrimônio líquido médio
UA 40,16%
U2A 19,77%
U3A 11,55%

Lucro Líquido – IFRS = No 2T17, o lucro líquido totalizou R$ 52,3 milhões, ante os R$ 83,6 milhões registrados no 2T16. Essa variação é resultado da: (a) redução de R$ 89,2 milhões no EBITDA; (b) aumento de R$ 3,0 milhões na linha Depreciação/Amortização, devido, exclusivamente, a entrada em operação dos parques eólicos Energia dos Ventos (mar/16), impacto de R$ 3,1 milhões; (c) redução de R$ 24,8 milhões na conta Resultado Financeiro; (d) redução de R$ 3,9 milhões no IR/CSLL devido a (i) obtenção dos benefícios fiscais, SUDAM/SUDENE, nas trasmissoras ETEP, STN e ENTE, em agosto/16, outubro/16 e dezembro/16, respectivamente, impacto de 10,5 milhões, (ii) redução de R$ 0,6 milhão na UHE Foz do Rio Claro, em razão da alteração do regime de tributação para lucro presumido; (iii) redução de R$ 1,4 milhão na EATE devido a realização do imposto diferido e; (iv) em contrapartida foi registrado um aumento de R$ 9,7 milhões nos impostos da UHE Ferreira Gomes explicado pelos resultados apurados nos trimestres, sendo que no 2T16 foi constituído diferido sobre o prejuízo fiscal e no 2T17 dado o lucro obtido.

ALUP12.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

341178  - paulo_prof   -  17 Ago 2017, 14:18
Todos os resultados IFRS foram impactados pela menor correção inflacionária. Confesso que o baque foi maior do que estava esperando. Na contabilidade societária, entretanto, o crescimento dos resultados em relação ao 2T16 foi robusto. Há que se aguardar a estabilização da queda do índice de inflação para que se tenha um quadro mais preciso da situação. Suspeito, entretanto, que o ativo esteja sobre-precificado. Há que se entender as razões da queda sensível do lucro IFRS nos últimos 3 trimestres: passou de R$ 139 milhões no 4T16, para R$ 74 milhões no 1T17 e, agora, para R$ 52 milhões.
ALUP11

PREÇO: R$ 16,60

PAYOUT (2016) 48,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 18,04

P/VPA 1,41

PSR 3,59

DY 2,68%

EV/EBITDA 5,18

MARGEM BRUTA 75,4%

MARGEM OPERACIONAL 49,9%

MARGEM LÍQUIDA 19,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,020

MARGEM EBITDA 82,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 110,1%

ROE 7,79%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,84



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,37%

RESULTADO BRUTO -5,21%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -13,32%

RESULTADO OPERACIONAL +8,78%

RESULTADO LÍQUIDO +30,33%

EBITDA +1,62%



b) 2T17 sobre 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,22%

RESULTADO BRUTO -21,4%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -24,75%

RESULTADO OPERACIONAL -29,19%

RESULTADO LÍQUIDO -37,51%

EBITDA -25,37%



c) lucro líquido, nominal

UA 30,23%

U2A -5,76%

U3A 0,57%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 23,30%

U2A 12,34%

U3A 6,88%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,07

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +9,0% !!!!

338225  - paulo_prof  -  19 Mai 2017, 02:28
Bastante razoáveis os resultados da Alupar. Involução em relação ao 4T16. Evolução em relação ao 1T16. Ativo parece bem precificado.

ALUP11

PREÇO: R$ 16,60

PAYOUT (2016) 48,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,53

P/VPA 1,85

PSR 3,52

DY 2,92%

EV/EBITDA 5,49

MARGEM BRUTA 77,6%

MARGEM OPERACIONAL 52,7%

MARGEM LÍQUIDA 21,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,127

MARGEM EBITDA 85,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 148,5%

ROE 11,16%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,39



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,43%

RESULTADO BRUTO +16,82%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -7,93%

RESULTADO OPERACIONAL +32,01%

RESULTADO LÍQUIDO +76,25%

EBITDA +15,53%



b) 1T17 sobre 1T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,25%

RESULTADO BRUTO -3,97%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -14,29%

RESULTADO OPERACIONAL +3,19%

RESULTADO LÍQUIDO +36,02%

EBITDA -1,70%



c) lucro líquido, nominal

UA 76,25%

U2A -4,72%

U3A 3,19%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 12,38%

U2A 6,77%

U3A 3,10%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 14,44

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,0% !!!!

335306  - paulo_prof   -  10 Mar 2017, 17:26
Sei não !!! Acho que o resultado deste exercício quando comparado com aquele postado em 2015 não pode ser tomado como base para projeções de resultados futuros. Em termos reais, o resultado líquido de 2016 é menor do que aqueles postados em 2014 e 2013. Considero difícil, nos próximos exercícios, a empresa entregar resultados líquidos crescendo a 5,5% em termos reais, tomando como base o resultado de 2016. Adicionalmente, a empresa resolveu alterar a sua política de payout, que caiu de 120,7% em 2013, para 96,5% em 2014, 83,7% em 2015 e 48,3% em 2016.

ALUP11

PREÇO: R$ 18,45

PAYOUT (2016) 48,3%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,66

P/VPA 1,68

PSR 3,13

DY 3,08%

EV/EBITDA 5,44

MARGEM BRUTA 78,1%

MARGEM OPERACIONAL 52,2%

MARGEM LÍQUIDA 20,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,242

MARGEM EBITDA 85,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 157,5%

ROE 10,72%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,45



Taxas de Crescimento



a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,03%

RESULTADO BRUTO +17,58%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +0,60%

RESULTADO OPERACIONAL +24,89%

RESULTADO LÍQUIDO +48,59%

EBITDA +15,53%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,07%

RESULTADO BRUTO +56,25%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -25,76%

RESULTADO OPERACIONAL +78,83%

RESULTADO LÍQUIDO +230,84%

EBITDA +29,24%



c) lucro líquido, nominal

UA 48,59%

U2A -7,44%

U3A 2,35%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 8,70%

U2A 4,38%

U3A 5,22%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 15,53

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +5,5% !!!!

326024  - NumBroker   -  16 Ago 2016, 02:09
Alupar – Resultados do 2T2016

15.08 - 14:38 - Lucas Tambellini
A Alupar divulgou seus resultados do 2º trimestre com lucro por ação (LPA) levemente abaixo das expectativas de nossos analistas, principalmente em virtude de despesas financeiras maiores que o esperado. Os analistas esperam uma reação neutra do mercado, pois consideram que os resultados não devem representar um catalisador significativo para as ações. Em sua opinião, no curto prazo os principais catalisadores devem estar ligados às oportunidades de crescimento nos próximos leilões e seu potencial de criação de valor. No acumulado do ano, os analistas consideram que a companhia apresentou saudável desalavancagem, mantendo o compromisso de investimentos para os próximos anos. No entanto, a administração está menos otimista com o leilão de transmissão, em decorrência da menor receita anual permitida. Os analistas esperam reação neutra do mercado e mantêm a recomendação de outperform (desempenho acima da média do mercado), com preço justo para o final de 2016 de R$ 17,0 por ação.
Fonte: Itaú

325924  - paulo_prof   -  12 Ago 2016, 17:28
No que concerne a última linha, o resultado da Alupar foi muito bom (maior lucro liquido dos últimos 6 trimestres).

De uma maneira geral, entretanto, apesar de manter o ativo na carteira da esposa e ter participado do último aumento de capital via subscrição, devo confessar que não sou muito fã do mesmo.

Acho que os controladores da Alupar fizeram um bom trabalho de marketing por ocasião da OPA, prometendo proventos "apetitosos" nos 2 primeiros exercícios (payout de 2013 foi 120,7% e payout de 2014 foi 96,5%). Com isto, devem ter conseguido induzir a avaliar o papel algo acima do que ele realmente vale ... o papel nunca me pareceu barato.

Um outro fator que me incomoda, é a rentabilidade dos ativos da Alupar, frente a de seus sócios nas diversas suas empresas investidas. Para se ter uma ideia, a parte da Alupar no Patrimônio Líquido Total de R$ 4,26 bilhões é de 61%. Por outro lado, entretanto, a Alupar tem só aprox. 41% do lucro!!!

Ou seja, o ROE da Alupar é muito menor do que o ROE das empresas sócias minoritárias.

Eu acho que o ativo está caro!!!

ALUP11
PREÇO: R$ 16,18
PAYOUT (2015): 83,7%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 15,64
P/VPA 1,38
PSR 2,31
DY 5,35%
EV/EBITDA 5,42
MARGEM BRUTA 69,2%
MARGEM OPERACIONAL 44,3%
MARGEM LÍQUIDA 14,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,035
MARGEM EBITDA 78,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 171,4%
ROE 8,81%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,28

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,14%
RESULTADO BRUTO -7,12%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +39,67%
RESULTADO OPERACIONAL -9,50%
RESULTADO LÍQUIDO -31,80%
EBITDA +6,52%

b) 2T16 vs 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,35%
RESULTADO BRUTO +16,99%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -0,56%
RESULTADO OPERACIONAL +43,54%
RESULTADO LÍQUIDO +101,56%
EBITDA +24,555%

c) lucro (taxa média anual)
UA -31,80%
U2A -11,62%
U3A -1,65%

d) patrimônio líquido médio
UA 2,35%
U2A -0,49%
U3A 10,63%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 10,35

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +11,5% !!!
ALUP11
Alguém sabe qual o critério que a Alupar utiliza para distribuir dividendos complementares?

Ele dá o payout de 50% e de vez em quando dá um pixuleco como dividendo complementar dos lucros acumulados doutrora.


Que eu saiba, não há um critério fixo estabelecido.

Por ocasião da OPA, o controlador prometeu pagar R$ 1,68 por ação em dividendos, correspondentes aos 2 primeiros exercícios. Cumprida a promessa, vale o que está estabelecido no Estatuto Social: dividendo obrigatório de 50% do lucro líquido ajustado.

Os R$ 0,84 que a empresa vai distribuir relativos ao exercício de 2015 representam 83,65 do lucro líquido real. Além disto, houve uma bonificação de 6,5% !!! 

Obrigado, prof! Vi que Alupar tá com um yield interessante, porém só se ela continuar complementando os dividendos.
Procurei no google e não achei nada sobre esse acordo. Valeria até o exercício de 2015 pago agora, certo? Se for o caso só teria um dividendo complementar agora e acabou. Ano que vem pra frente seria pela boa vontade do conselho.
O senhor vê possibilidade dessa política continuar ou até mesmo o operacional melhorar a ponto de manter esse yield?

De fato, o acordo foi pagar o prometido durante 2 anos (abril 2014 e abril 2015). Os proventos pagos neste abril referem-se ao exercício de 2015. 50% é o mínimo que está no estatuto. Estão pagando mais por liberalidade, porque esta parece ser a política de proventos ... pagar o máximo que é possível sem detonar as finanças da empresa.

Realmente estou começando a ver Alupar com bons olhos, futura vaca leiteira provedora de Nescau e quiçá milk shake. Boa alternativa ao FIIs pro pessoal diversificar os setores. O_O


Para o meu gosto (e a menos que esteja super enganado ... o que não seria lá uma grande surpresa), entretanto, acho que a LAUP11 está com os múltiplos super esticados (para mim está entregando menos do que os múltiplos sugerem).

Se vc consegue engolir o fato da empresa estar sendo administrada por algum "cumpanheiro", por que não a TAEE11? Esta, talvez mesmo por ser estatal, com um partido em baixa dando as cartas, está bastante descontada. Vem distribuindo sistematicamente na faixa de 90+% do lucro líquido, com DY acima de 10%. 
                                                                                                                                                                 
303899  - paulo_prof  -  13 Ago 2015, 14:04
Podemos afirmar que a Alupar é uma empresa essencialmente de transmissão de energia elétrica que tem ativos também no segmento de geração. O segmento de transmissão é aquele que produz o lucro da empresa. Os ativos de concessão, nesta conjuntura de GSF desfavorável, produzem prejuízo. Para se ter uma ideia o lucro total das empresas de transmissão no portfolio da Alupar somou R$ 182,3 milhões no 2T15 (365,6 no 1S15); já as empresas de geração postaram um prejuízo de R$ 14,8 milhões no 1T15 (lucro de 13,1 milhões no 1S15).

No que concerne os ativos de transmissão, a DRE de acordo com o IFRS já engloba as reduções de RAP que ocorrerão aos 15 anos de concessão. A redução de RAP, portanto, quando ocorrer, não impactará o lucro. Impactará somente o fluxo de caixa.

Ativo me parece relativamente bem precificado

ALUP11
PREÇO: R$ 15,50
PAYOUT (2014): 96,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 9,59
P/VPA 1,29
PSR 2,14
DY 10,06%
EV/EBITDA 5,31
MARGEM BRUTA 76,6%
MARGEM OPERACIONAL 50,4%
MARGEM LÍQUIDA 22,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,616
MARGEM EBITDA 75,5%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 174,5%
ROE 13,43%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,05

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,33%
RESULTADO BRUTO +5,74%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +65,76%
RESULTADO OPERACIONAL -8,19%
RESULTADO LÍQUIDO +14,53%
EBITDA +7,70%

b) 2T15 sobre 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,46%
RESULTADO BRUTO +1,97%%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +82,77%
RESULTADO OPERACIONAL -20,03%
RESULTADO LÍQUIDO -39,70%
EBITDA +6,37%

c) lucro líquido, nominal
UA 14,53%
U2A 18,10%
U3A 16,62%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA -3,25%
U2A 15,02%
U3A 16,21%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 16,16

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -1,0%

297503  - paulo_prof  -  18 Mai 2015, 01:55
Achei muito bons os resultados da Alupar, especialmente considerando que o segmento de geração da empresa sofreu bastante com um GSF de 79,4% no 1T15, frente ao GSF de 96,1% no 1T14. Se o GSF no 1T15 tivesse sido o mesmo de 2014, a empresa teria conseguido vender aprox. 10Gwh adicionais no mercado spot !!!

ALUP11
PREÇO: R$ 17,30
PAYOUT (2014): 96,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 9,90
P/VPA 1,42
PSR 2,42
DY 9,74%
EV/EBITDA 5,40
MARGEM BRUTA 77,4%
MARGEM OPERACIONAL 53,8%
MARGEM LÍQUIDA 24,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,747
MARGEM EBITDA 75,5%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 162,2%
ROE 14,31%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,64

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,00%
RESULTADO BRUTO +5,80%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +50,75%
RESULTADO OPERACIONAL -4,08%
RESULTADO LÍQUIDO +21,05%
EBITDA +6,56%

b) 1T15 sobre 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,08%
RESULTADO BRUTO +8,47%%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +63,77%
RESULTADO OPERACIONAL -2,76%
RESULTADO LÍQUIDO +1,51%
EBITDA +12,50%

c) lucro líquido, nominal
UA 21,05%
U2A 28,35%
U3A 22,80%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA -3,87%
U2A 22,53%
U3A 16,85%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 17,47

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +0,0%

291331  - paulo_prof  -  06 Mar 2015, 14:30
Bons os resultados da Alupar, especialmente a última linha !!! No dia 15ABR serão distribuídos polpudos R$ 1,20/ALUP11. Acho que o ativo está relativamente bem precificado!

ALUP11
PREÇO: R$ 18,05
PAYOUT (2014): 96,5%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 10,36
P/VPA 1,53
PSR 2,55
DY 9,31%
EV/EBITDA 5,65
MARGEM BRUTA 76,5%
MARGEM OPERACIONAL 54,8%
MARGEM LÍQUIDA 24,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,742
MARGEM EBITDA 73,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 162,1%
ROE 14,79%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,98

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,20%
RESULTADO BRUTO +9,32%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +33,14%
RESULTADO OPERACIONAL +3,10%
RESULTADO LÍQUIDO +25,16%
EBITDA +8,77%

b) 4T14 sobre 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +21,39%
RESULTADO BRUTO +19,94%%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +65,74%
RESULTADO OPERACIONAL +10,23%
RESULTADO LÍQUIDO +68,60%
EBITDA +20,87%

c) lucro líquido, nominal
UA 25,16%
U2A 28,30%
U3A 23,95%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 6,92%
U2A 24,00%
U3A 18,50%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 17,42

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +1,0%

282831  - paulo_prof  -  12 Nov 2014, 14:40
Os Resultados do 3T14 só foram bons no que concerne a última linha ... o Lucro Líquido. Este foi impactado positivamente pela alteração do regime de tributação de algumas subsidiárias (transmissoras ETEP e ECTE) e benefícios fiscais da subsidiária EATE). O Resultado Líquido do segmento Geração foi impactado negativamente pela necessidade, além do programado, de compra de energia no mercado spot. De acordo com a sua estratégia de sazonalização, a empresa havia "carregado" o seu 1T14 obtendo um lucro expressivo e havia constituído provisões para enfrentar o resto do ano. Ocorre que o rebaixamento da garantia física foi maior do que o antecipado e como consequência, de um lucro líquido de R$ 9 milhões no 3T13 a empresa teve um prejuízo de R$ 14 milhões no 3T14, um "swing" de R$ 23 milhões.

Mais do mesmo é de se esperar no 4T14 !!! O que conforta é a promessa de dividendos polpudos em abril de 2015, independentemente dos resultados a serem atingidos.

ALUP11
PREÇO: R$ 18,20
PAYOUT (2013): 120,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 11,99
P/VPA 1,51
PSR 2,71
DY 10,07%
EV/EBITDA 5,82
MARGEM BRUTA 76,8%
MARGEM OPERACIONAL 56,3%
MARGEM LÍQUIDA 22,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,518
MARGEM EBITDA 74,1%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 158,6%
ROE 12,61%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,43

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,88%
RESULTADO BRUTO +10,17%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +12,27%
RESULTADO OPERACIONAL +5,66%
RESULTADO LÍQUIDO +14,93%
EBITDA +6,83%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,35%
RESULTADO BRUTO -7,86%%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +45,62%
RESULTADO OPERACIONAL -19,48%
RESULTADO LÍQUIDO +27,05%
EBITDA -8,54%

c) lucro líquido, nominal
UA 14,93%
U2A 23,69%
U3A 14,52%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 19,95%
U2A 25,66%
U3A 20,22%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 15,18

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,5%

271347  - paulo_prof  -  10 Ago 2014, 19:47
Considerando os dividendos prometidos em abril de 2015, o risco de investimento no ativo aos preços atuais me parece bastante limitado.

ALUP11
PREÇO: R$ 16,49
PAYOUT (2013): 120,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 11,69
P/VPA 1,37
PSR 2,46
DY 10,33%
EV/EBITDA 5,13
MARGEM BRUTA 78,4%
MARGEM OPERACIONAL 59,4%
MARGEM LÍQUIDA 21,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,411
MARGEM EBITDA 75,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 134,2%
ROE 11,76%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,99

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +15,38%
RESULTADO BRUTO +13,87%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -9,31%
RESULTADO OPERACIONAL +18,61%
RESULTADO LÍQUIDO +21,78%
EBITDA +11,65%

b) 2T14 sobre 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +9,22%
RESULTADO BRUTO +1,65%%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +24,66%
RESULTADO OPERACIONAL -3,14%
RESULTADO LÍQUIDO -8,93%
EBITDA +1,72%

c) lucro líquido, nominal
UA 21,78%
U2A 17,68%
U3A 11,68%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 36,74%
U2A 27,36%
U3A 22,62%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 14,11

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,0%

257416 - paulo_prof  -  10 Mai 2014, 15:32
ALUP11
PREÇO: R$ 17,05
PAYOUT (2013): 120,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 11,81
P/VPA 1,34
PSR 2,60
DY 10,22%
EV/EBITDA 4,87
MARGEM BRUTA 79,8%
MARGEM OPERACIONAL 61,2%
MARGEM LÍQUIDA 22,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,443
MARGEM EBITDA 77,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 129,2%
ROE 11,37%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,24

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,58%
RESULTADO BRUTO +17,41%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -17,83%
RESULTADO OPERACIONAL +28,79%
RESULTADO LÍQUIDO +36,10%
EBITDA +16,28%

b) 1T14 sobre 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +26,14
RESULTADO BRUTO +24,90%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +2,21%
RESULTADO OPERACIONAL +31,40%
RESULTADO LÍQUIDO +16,84%
EBITDA +23,64%

c) lucro líquido, nominal
UA 36,10%
U2A 23,69%
U3A 11,81%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 56,18%
U2A 28,83%
U3A 24,86%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 14,43

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,5%

243664  - paulo_prof  -  28 Fev 2014, 17:33
ALUP11
PREÇO: R$ 17,38
PAYOUT (2013): 120,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 12,49
P/VPA 1,41
PSR 2,80
DY 9,67%
EV/EBITDA 5,15
MARGEM BRUTA 80,0%
MARGEM OPERACIONAL 60,7%
MARGEM LÍQUIDA 22,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,392
MARGEM EBITDA 77,6%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 127,9%
ROE 11,29%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,80

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,46%
RESULTADO BRUTO +10,51%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -18,57%
RESULTADO OPERACIONAL +21,07%
RESULTADO LÍQUIDO +31,51%
EBITDA +10,59%

b) 4T13 sobre 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +12,03
RESULTADO BRUTO +25,09%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -14,41%
RESULTADO OPERACIONAL +24,07%
RESULTADO LÍQUIDO +27,79%
EBITDA +13,97%

c) lucro líquido, nominal
UA 31,51%
U2A 23,34%
U3A 12,95%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 43,82%
U2A 24,76%
U3A 22,21%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 13,92

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +5,5%


Nenhum comentário: