Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 30 de março de 2020

Nord Brasil (BNBR)


Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: paulo_prof (out/172019mai/19) - Small Caps (jul/11)

Carteiras
paulo_prof (fev/17)

Códigos de Negociação
Tipo
BNBR3


Balanços
A2019/4T2019 - DFP de 31/12/19
paulo_prof  -
Vixe!!!!! Será que é um efeito Bolsonaro? Nunca na história o Banco experimentou resultados parecidos. Há que se ver mais de perto o que ocorreu ... se nada de especial for encontrado, ficará uma enorme suspeita de que o BNBR era a casa da mãe Joana!
Despencou a inadimplência e, em consequência, despencou também a despesa com o PDD. O Resultado Bruto de Intermediação disparou. As Receitas com serviços e taxas cresceram acima da inflação enquanto que as despesas com pessoal, gerais e administrativas e tributárias ficaram sob controle. Resultados Operacional e Líquido apresentando taxas de crescimento estratosféricas.
Se o payout do banco fosse 50% eu compraria o ativo ao preço atual só para ficar mordendo os proventos. Nem me preocuparia em olhar os resultados.

Ativo barato prá caramba!

3T2019 - 
paulo_prof  -

Será qie precisa comentar? Ativo cada vez mais barato! E pensar que este foi um ativo que vendi pelo valo r patrimonial por ocasião da transformação das preferenciais em ordinárias. Baita erro de julgamento!!!!

2T2019 - 
paulo_prof   -
Operacional Incrível. Resultados explosivos. Apesar de uma valorização de mais de 80% nos últimos 3 meses, o ativo não parece estar caro.

1T2019 - 
paulo_prof  -
Resultados excepcionais ... Ativo barato prá caramba! DY interessante.

3T2018 - 
Paulo Prof - 
Se no 2T18 o ativo estava barato prá caramba, agora está ainda mais barato!!!
Ocorre que o mercado não quer saber do ativo, pois não há drivers para a valorização expressiva do ativo no curto prazo. Quem sabe isto ocorrerá quando todos os ativos estiverem super caros.

1T2018 -
marcosvinicius2 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). DESEMPENHO OPERACIONAL = O BNB contratou o valor de R$ 6,4 bilhões no primeiro trimestre de 2018, envolvendo 1.133.316 operações de empréstimos e financiamentos de operações de crédito, apresentando crescimentos de 2,3% na quantidade de operações e 50,1% no valor contratado em relação ao primeiro trimestre de 2017. Os recursos envolvidos em operações de crédito de longo prazo foram, em sua maioria, do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). No primeiro trimestre de 2018 foi contratado o montante de R$ 4,1 bilhões com recursos do Fundo, tendo sido realizadas 131.852 operações, o que representa acréscimo de 97,8% no valor contratado e redução de 2,5% na quantidade de operações em relação ao mesmo período de 2017. Por meio de seu programa de microcrédito produtivo orientado urbano, o Crediamigo, o BNB desembolsou R$ 2,0 bilhões, contratando 953.537 operações no primeiro trimestre de 2018 em apoio aos microempreendedores de toda a sua área de atuação. Comparando-se com o primeiro trimestre de 2017, o BNB apresentou incrementos de 12,2% e 5,2%, respectivamente, no valor contratado e na quantidade de operações. Já no que se refere ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf, o BNB contratou 127.911 operações de financiamento envolvendo recursos da ordem de R$ 696,7 milhões em 2018, o que representa acréscimos de 14,9% no valor contratado e 0,7% na quantidade de operações, em relação ao primeiro trimestre de 2017.

A2017/4T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). O Banco do Nordeste contratou 4,9 milhões de operações, em 2017, no valor de R$ 26,4 bilhões, o que representa acréscimo de 19,3% em relação ao exercício de 2016. O Lucro Operacional de 2017 apresentou crescimento de 160% em relação a 2016, alcançando a cifra de R$ 1,1 bilhão, ante R$ 442,4 milhões apresentados no ano anterior. O lucro líquido do Banco alcançou R$ 681,7 milhões, isso representa uma redução de 6,87% em relação a 2016, onde o lucro líquido foi de R$ 732 milhões.

2T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 4 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (8,8889%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 201.137; (U24M) = 147.213; (U36M) = 146.431; (U48M) = 140.220; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO LIQUIDO (115,60%) E CRÉDITOS INADIMPLENTES (-20,99%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO OPERACIONAL (162,46%) E RESULTADO LIQUIDO (113,73%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 2.547.945; VALOR MAXIMO (MIL) = 3.480.080 NO 2T10; VE PSBE (MIL) = 13.497.734
Patrimônio Líquido e Resultados : O Banco do Nordeste apresentou, em 30/06/2017, um Patrimônio Líquido de R$ 3,3 bilhões. O Capital Social importava em R$ 2,8 bilhões representado por 86.371.464 ações escriturais ordinárias, sem valor nominal, integralizadas. A rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido médio, no primeiro semestre de 2017, foi de 18,3% a.a. 
O Lucro Líquido do primeiro semestre de 2017, no valor de R$ 298,0 milhões, foi 32,1% superior ao do mesmo período de 2016, representando um resultado de R$ 3,451 por ação. Destaca-se na melhoria do desempenho o crescimento de R$ 86,9 milhões nas receitas de prestação de serviços. O FNE apresentou um Patrimônio Líquido de R$ 71,1 bilhões em junho de 2017

3T2015 -
paulo_prof  -
A qualidade da carteira (PDD/Operações de Crédito Totais) melhorou marginalmente, passando de 7,98% em 30JUN2015, para 7,52% em 30SET2015. A inadimplência relativa (Créditos Inadimplentes / Carteira Total de Créditos) piorou sensivelmente, passando de 2,85% no 2T15 para 5,46%. Especulo que esta baixa "violenta" de créditos a prejuízo foi "forçada", para aproveitar a transição para uma tributação maior.
No 3T15, o banco produziu um Resultado Operacional negativo ... compensado por uma grande receita de imposto diferido.
Os resultados anualizados contabilizam o grande lucro postado no 4T14, que o banco dificilmente conseguirá repetir !!! Em consequência, os indicadores provavelmente estão "inflados"!. Para se ter uma ideia, anualizando o lucro dos 9M15 obtém-se apenas 41% do lucro postado nos últimos 12 meses.

A2014/4T2014 -
paulo_prof -
Vixe ...
Não fosse um banco para o pessoal do PSOL se locupletar na terra do Poly, este ativo deveria estar bombando !!! Mesmo com um payout mixuruca de 1/3, o DY projetado é de 12,5%! Até fins de março deverá distribuir aprox. R$ 1,60 em proventos.
Há que se ler o relatório para entender como um banco destes é capaz de produzir um ROE de bancão ... muito melhor do que aquele do BB.
A qualidade da carteira (PDD/Operações de Crédito Totais) melhorou sensivelmente, passando de 7,1% em 31DEZ2013, para 6,20% em 31DEZ2014. A inadimplência relativa (Créditos Inadimplentes / Carteira Total de Créditos) também melhorou sensivelmente, passando de 4,83% em 2013 em 3,03% em 2014. A consequência foi uma queda brutal das Despesas de PDD em 2014, relativo a 2013, em termos absolutos, as Despesas de PDD diminuiram R$ 275 milhões, uma injeção na veia do lucro líquido.

2T2012 - 
danieljiseaa - 
disse "uau"

A2011/4T2011- 
Paulo Prof - 
Resultado foi um desastre.

Características
Banco múltiplo com carteira comercial

Assembleias
AGO - 27/03/2020 11:00 - Assunto(s):  Tomada de Contas-Votação do Relatório da Administração e das Demonstrações Financeiras; Eleição de Membros dos Conselhos de Administração e Fiscal; Remuneração dos Administradores e Conselheiros; Destinação dos Resultados; Distribuição de Dividendos/Juros sobre Capital Próprio; Comentário dos administradores sobre a situação financeira da companhia; Fixar valores a serem alocados ao FUNDECI e ao FDR.

Proventos (Calendário)
Data PG
Descrição
Valor
Data COM
08/04/2020
08/04/2020





367314 - paulo_prof  -  20 Fev 2020, 16:49
Vixe!!!!! Será que é um efeito Bolsonaro? Nunca na história o Banco experimentou resultados parecidos. Há que se ver mais de perto o que ocorreu ... se nada de especial for encontrado, ficará uma enorme suspeita de que o BNBR era a casa da mãe Joana!

Despencou a inadimplência e, em consequência, despencou também a despesa com o PDD. O Resultado Bruto de Intermediação disparou. As Receitas com serviços e taxas cresceram acima da inflação enquanto que as despesas com pessoal, gerais e administrativas e tributárias ficaram sob controle. Resultados Operacional e Líquido apresentando taxas de crescimento estratosféricas.

Se o payout do banco fosse 50% eu compraria o ativo ao preço atual só para ficar mordendo os proventos. Nem me preocuparia em olhar os resultados.

Ativo barato prá caramba!
GjGh2arQ%20A8=


BNBR3

PREÇO: R$ 92,48

PAYOUT (2019): 25,6%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 4,60

P/VPA 1,47

DY 5,58%

LUCRO POR AÇÃO R$ 20,107

ROAE 32,0%

ROAA 2,96%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 332.344

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,29%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,96%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +63,4%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +7,4%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +1,7%

RESULTADO OPERACIONAL +97,0%

RESULTADO LÍQUIDO +139,4%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -13,6%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -57,6%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +43,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +9,0%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -6,2%

RESULTADO OPERACIONAL +69,8%

RESULTADO LÍQUIDO +128,1%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -47,2%

PATRIMONIO LÍQUIDO +29,8%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +7,2%

PDD TOTAL +10,0%

ATIVOS TOTAIS +0,0%



c) lucro liquido, nominal

UA 139,38%

U2A 59,61%

U3A 33,37%



d) patrimônio líquido médio

UA 27,52%

U2A 19,79%

U3A 16,76%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de uma média de 5,76% nos 12 meses terminados no 4T18 para 5,14%. Em relação ao trimestre passado, o índice diminuiu de 5,11% para 4,96%. O índice de inadimplência caiu de uma média de 5,93% nos 4 trimestres terminados no 4T18, para uma média de 2,44% nos últimos 4 trimestres.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 251,34

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -21,5%

19/02/2020 - Demonstracoes Financeiras - DFP de 31/12/19

365474  - paulo_prof  - 25 Nov 2019, 10:29
Será qie precisa comentar? Ativo cada vez mais barato! E pensar que este foi um ativo que vendi pelo valo r patrimonial por ocasião da transformação das preferenciais em ordinárias. Baita erro de julgamento!!!!
jhTv5G%20pK6DBerFHCHvykhoQ=


BNBR3

PREÇO: R$ 79,90

PAYOUT (2018): 25,5%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 5.02

P/VPA 1.36

DY 5.16%

LUCRO POR AÇÃO $ 15.929

ROAE 27.1%

ROAA 2.29%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 413,847

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3.05%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5.48%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +38,0%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +8,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,9%

RESULTADO OPERACIONAL +50,7%

RESULTADO LÍQUIDO +108,7%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +47,9%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -47,0%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +62,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,4%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,7%

RESULTADO OPERACIONAL +45,8%

RESULTADO LÍQUIDO +64,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +32,0%

PATRIMONIO LÍQUIDO +34,5%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +2,9%

PDD TOTAL -2,1%

ATIVOS TOTAIS +3,8%



c) lucro liquido, nominal

UA 108,71%

U2A 15,82%

U3A 70,51%



d) patrimônio líquido médio

UA 24,62%

U2A 16,71%

U3A 15,89%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de uma média de 6,39% nos 12 meses terminados no 3T18 para 5,11%. Em relação ao trimestre passado, o índice aumentou de 5,28% para 5,11%. O índice de inadimplência caiu de uma média de 5,93% nos 4 trimestres terminados no 3T18, para uma média de 3,10% nos últimos 4 trimestres.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 199,11

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -19,5%

363833  - paulo_prof   -  28 Ago 2019, 19:40
Operacional Incrível. Resultados explosivos. Apesar de uma valorização de mais de 80% nos últimos 3 meses, o ativo não parece estar caro.
gbc=



BNBR3

PREÇO: R$ 78,00

PAYOUT (2018): 25,5%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 5,51

P/VPA 1,42

DY 4,70%

LUCRO POR AÇÃO R$ 14,165

ROAE 25,9%

ROAA 2,05%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 505.643

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,78%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,28%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +21,4%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,9%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +3,4%

RESULTADO OPERACIONAL +52,3%

RESULTADO LÍQUIDO +94,0%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +16,2%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -50,8%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +126,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +4,7%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +3,0%

RESULTADO OPERACIONAL +254,5%

RESULTADO LÍQUIDO +233,2%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +25,3%

PATRIMONIO LÍQUIDO +25,3%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +1,5%

PDD TOTAL -6,9%

ATIVOS TOTAIS +3,2%



c) lucro liquido, nominal

UA 94,02%

U2A 23,31%

U3A 48,56%



d) patrimônio líquido médio

UA 19,66%

U2A 14,83%

U3A 14,25%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de uma média de 7,25% nos 12 meses terminados no 2T18 para 5,03%. Em relação ao trimestre passado, o índice aumentou de 4,84% para 5,28%. O índice de inadimplência caiu de uma média de 7,79% nos 4 trimestres terminados no 1T18, para uma média de 3,81% nos últimos 4 trimestres.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 177,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -18,0%

361537  - paulo_prof  -  28 Mai 2019, 01:43
Resultados excepcionais ... Ativo barato prá caramba! DY interessante.

BNBR3

PREÇO: R$ 43,00

PAYOUT (2018): 25,5%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 4,11

P/VPA 0,83

DY 6,29%

LUCRO POR AÇÃO R$ 10,451

ROAE 20,1%

ROAA 1,51%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 422.551

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,27%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,84%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T18, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -5,8%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,9%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +4,0%

RESULTADO OPERACIONAL +5,3%

RESULTADO LÍQUIDO +11,6%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -0,7%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -58,1%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +25,8%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +5,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +5,2%

RESULTADO OPERACIONAL +86,9%

RESULTADO LÍQUIDO +162,0%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -37,6%

PATRIMONIO LÍQUIDO +23,5%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -0,3%

PDD TOTAL -33,9%

ATIVOS TOTAIS +5,6%



c) lucro liquido, nominal

UA 11,60%

U2A 19,08%

U3A 40,31%



d) patrimônio líquido médio

UA 16,97%

U2A 12,71%

U3A 12,65%

O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu sensivelmente, passando de 7,29% no 1T18 para 4,846%. Em relação ao trimestre passado, o índice permaneceu estável O índice de inadimplência caiu de uma média de 7,49% nos 4 trimestres terminados no 1T18, para uma média de 3,18% nos últimos 4 trimestres.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 130,64

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -24,0%

360539  - karlsei   -  22 Abr 2019, 11:32
Prezados paulo prof e ruymg !

Com relação a BAZA e BNBR, sem entrar na discussão da possibilidade de privatização, alguns dados:

BAZA Pat 65,39 Última cotação 26,00 Lucro p/ação 3,67

Após a "contabilidade criativa"" as participações são: União 51 % BB Fgo Fundo de Investimento em Ações 10,31 % BB Fgeduc Fundo de Investimento Multimercado 35,18 %

e para finalizar Outros 3,51%.

BNBR Pat 48,41 Última cotação 41,06 Lucro p/ação 8,39

Após "contabilidade criativa" União 55,45 % Fi Caixa Fgeduc Multimercado 34,57 BB Fgo Fundo de Investimento em Ações 7,20 % e por fim

Outros 2,38 %.

Baza resultados muito inconstantes ao longo dos últimos anos e BNBR um pouco mais regulares.

A título de curiosidade leiam nos respectivos editais de AGO a parte relativa a remuneração de administradores (muito, muuuuiiito interessante)

356872 - paulo_prof  - 17 Dez 2018, 08:44
Por si só, o anuncio não constitui um "driver". Há que se ver o "pedigree" das novas diretorias que serão empossadas em 2019, a começar pelos presidentes. Se levado a termo, a iniciativa sem dúvida será positiva.

356871  - giulianno monteiro -  16 Dez 2018, 16:20
Professor Paulo,
No comentário de sua análise do BNBR3, o senhor disse não haver drivers para o preço subir ao valor justo.

Eu gostaria de saber que drivers poderiam aparecer e agora li isto:

Bancos do Nordeste e da Amazônia terão headhunter

"Na esteira da Caixa, os bancos do Nordeste (BNB) e da Amazônia (Basa) também terão de adotar processos seletivos para a escolha dos seus diretores. Reduto político de lideranças partidárias, os dois bancos terão de rever a sua governança e contratar empresas de headhunter (especializadas na procura de executivos) para promover a troca de dirigentes."

https://www.istoedinheiro.com.br/bancos-do-nordest...

Será um drive para o BNBR3?

355946 - paulo_prof  -  15 Nov 2018, 21:41
Se no 2T18 o ativo estava barato prá caramba, agora está ainda mais barato!!!

Ocorre que o mercado não quer saber do ativo, pois não há drivers para a valorização expressiva do ativo no curto prazo. Quem sabe isto ocorrerá quando todos os ativos estiverem super caros.

BNBR3

PREÇO: R$ 36,00

PAYOUT (2017): 24%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 4,84

P/VPA 0,80

DY 4,95%

LUCRO POR AÇÃO R$ 7,435

ROAE 16,6%

ROAA 1,09%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 780.665

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,93%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO/ATIVO TOTAL 22,4%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,17%



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T17, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +25,8%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +2,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +3,1%

RESULTADO OPERACIONAL +256,2%

RESULTADO LÍQUIDO -20,2%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -60,2%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -21,7%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -6,8%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +30,6%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -4,0%

RESULTADO OPERACIONAL +45,6%

RESULTADO LÍQUIDO +15,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -48,8%

PATRIMONIO LÍQUIDO +11,1%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -0,6%

PDD TOTAL -40,3%

ATIVOS TOTAIS +12,9%



c) lucro liquido, nominal

UA -37,38%

U2A 52,11%

U3A 7,34%



d) patrimônio líquido médio

UA 9,31%

U2A 11,76%

U3A 7,27%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 92,94

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -20,5%

350815  - marcosvinicius2 -  06 Jun 2018, 15:34
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). DESEMPENHO OPERACIONAL = O BNB contratou o valor de R$ 6,4 bilhões no primeiro trimestre de 2018, envolvendo 1.133.316 operações de empréstimos e financiamentos de operações de crédito, apresentando crescimentos de 2,3% na quantidade de operações e 50,1% no valor contratado em relação ao primeiro trimestre de 2017. Os recursos envolvidos em operações de crédito de longo prazo foram, em sua maioria, do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE). No primeiro trimestre de 2018 foi contratado o montante de R$ 4,1 bilhões com recursos do Fundo, tendo sido realizadas 131.852 operações, o que representa acréscimo de 97,8% no valor contratado e redução de 2,5% na quantidade de operações em relação ao mesmo período de 2017. Por meio de seu programa de microcrédito produtivo orientado urbano, o Crediamigo, o BNB desembolsou R$ 2,0 bilhões, contratando 953.537 operações no primeiro trimestre de 2018 em apoio aos microempreendedores de toda a sua área de atuação. Comparando-se com o primeiro trimestre de 2017, o BNB apresentou incrementos de 12,2% e 5,2%, respectivamente, no valor contratado e na quantidade de operações. Já no que se refere ao Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar, o Pronaf, o BNB contratou 127.911 operações de financiamento envolvendo recursos da ordem de R$ 696,7 milhões em 2018, o que representa acréscimos de 14,9% no valor contratado e 0,7% na quantidade de operações, em relação ao primeiro trimestre de 2017.:

BNBR3
PREÇO: R$ 38,87
PAYOUT (2017): 28,04%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 4,23
P/VPA 0,92
DY 6,63%
LUCRO POR AÇÃO R$ 9,190
ROAE 21,79%
ROAA 1,40%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 1.009.023
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 14,54%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 7,29%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 38,26%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -1,92%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 4,58%
RESULTADO OPERACIONAL 522,08%
RESULTADO LÍQUIDO 24,71%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -48,19%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 259,67%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 39,46%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 0,13%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 2,63%
RESULTADO OPERACIONAL 3095,39%
RESULTADO LÍQUIDO -630,77%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -53,33%
PATRIMONIO LÍQUIDO 6,16%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -10,11%
PDD TOTAL -38,20%
ATIVOS TOTAIS 17,03%

c) lucro liquido, nominal
UA 24,71%
U2A 55,86%
U3A 6,47%

d) patrimônio líquido médio
UA 8,60%
U2A 10,55%
U3A 2,35%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 114,88
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -23,5% !!!!
[...]

348576 - marcosvinicius2  -  30 Mar 2018, 13:37
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). O Banco do Nordeste contratou 4,9 milhões de operações, em 2017, no valor de R$ 26,4 bilhões, o que representa acréscimo de 19,3% em relação ao exercício de 2016. O Lucro Operacional de 2017 apresentou crescimento de 160% em relação a 2016, alcançando a cifra de R$ 1,1 bilhão, ante R$ 442,4 milhões apresentados no ano anterior. O lucro líquido do Banco alcançou R$ 681,7 milhões, isso representa uma redução de 6,87% em relação a 2016, onde o lucro líquido foi de R$ 732 milhões:

BNBR3
PREÇO: R$ 40,40
PAYOUT (2017): 28,04%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,12
P/VPA 0,99
DY 5,48%
LUCRO POR AÇÃO R$ 7,893
ROAE 19,25%
ROAA 1,26%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 1.024.200
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 7,70%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 7,36%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 23,39%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 0,27%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 6,16%
RESULTADO OPERACIONAL 159,58%
RESULTADO LÍQUIDO -6,87%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -29,93%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 109,55%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 23,39%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 0,27%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 6,16%
RESULTADO OPERACIONAL 159,58%
RESULTADO LÍQUIDO -6,87%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -29,93%
PATRIMONIO LÍQUIDO 5,34%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -13,05%
PDD TOTAL -33,00%
ATIVOS TOTAIS 16,68%

c) lucro liquido, nominal
UA -6,87%
U2A 49,33%
U3A -3,02%

d) patrimônio líquido médio
UA 10,93%
U2A 9,39%
U3A 1,84%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 98,66
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -19,5% !!!!
[...]

342697 - paulo_prof  -  04 Out 2017, 16:05
[...]
Outra que pode surpreender é a BNBR. Ao preço corrente, mesmo supondo remuneração mínima (TJLP sobre o PatLiq médio) projeta rendimento de aprox. 7%. O Resultado do 3T17 deverá vir pífio (nos últimos 3 anos, os resultados dos trimestres ímpares sempre veio fraco, algumas vezes negativo ... deve ser algo na forma em que é feita a contabilidade), de modo que deverá ser possível comprar abaixo dos R$ 35 por algum tempo. Ao preço corrente, o P/L para o resultado do 1T17 anualizado, mesmo considerando o prejuízo liquido postado no 2T, é de ridículos 4,35 e P/VPA = 0,79
[...]

341721  - marcosvinicius2  -  01 Set 2017, 14:36
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 4 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (8,8889%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 201.137; (U24M) = 147.213; (U36M) = 146.431; (U48M) = 140.220; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO LIQUIDO (115,60%) E CRÉDITOS INADIMPLENTES (-20,99%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO OPERACIONAL (162,46%) E RESULTADO LIQUIDO (113,73%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 2.547.945; VALOR MAXIMO (MIL) = 3.480.080 NO 2T10; VE PSBE (MIL) = 13.497.734:

BNBR3
PREÇO: R$ 29,50
PAYOUT (2016): 9,89%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 3,17
P/VPA 0,77
DY 6,90%
LUCRO POR AÇÃO R$ 9,315
ROAE 24,47%
ROAA 1,59%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 663.216
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,66%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 9,81%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -1,05%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 14,11%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 10,67%
RESULTADO OPERACIONAL -17,32%
RESULTADO LÍQUIDO 115,60%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS 0,86%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -20,99%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 30,02%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 6,07%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 7,33%
RESULTADO OPERACIONAL 162,46%
RESULTADO LÍQUIDO 113,73%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -7,32%
PATRIMONIO LÍQUIDO 8,35%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -4,92%
PDD TOTAL 11,66%
ATIVOS TOTAIS 18,59%

c) lucro liquido, nominal
UA 115,60%
U2A 17,83%
U3A 18,27%

d) patrimônio líquido médio
UA 13,09%
U2A 1,70%
U3A 3,56%

Patrimônio Líquido e Resultados : O Banco do Nordeste apresentou, em 30/06/2017, um Patrimônio Líquido de R$ 3,3 bilhões. O Capital Social importava em R$ 2,8 bilhões representado por 86.371.464 ações escriturais ordinárias, sem valor nominal, integralizadas. A rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido médio, no primeiro semestre de 2017, foi de 18,3% a.a.

O Lucro Líquido do primeiro semestre de 2017, no valor de R$ 298,0 milhões, foi 32,1% superior ao do mesmo período de 2016, representando um resultado de R$ 3,451 por ação. Destaca-se na melhoria do desempenho o crescimento de R$ 86,9 milhões nas receitas de prestação de serviços. O FNE apresentou um Patrimônio Líquido de R$ 71,1 bilhões em junho de 2017

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

339137  - Peter Lynch do Agreste -  08 Jun 2017, 13:12
Eu mantenho a minha opinião que o resultado das demais empresas foram melhores.

É só ler no post, algumas apresentaram o melhor resultado trimestral da história, outras SSS de 9%, outras apresentaram a melhor margem bruta de sua história, mesmo estando no varejo, setor que é cíclico.

Problema da Unipar é que insistem em querer manchar o balanço dela: é muito conservadorismo fazer uma provisão para reestruturação de fábricas que nem ocorreu (como chegaram ao valor de US$20mi?). A questão do CDE (causa que ela vai reverter, ao menos em partes) eles continuam a provisionar integralmente.

O ganho referente a causa da Eletrobrás é certo e eles já podiam ir reconhecendo aos poucos no balanço. Problema é que eles fazem de tudo para jogar o lucro líquido para baixo. Mas continuo super animado com o ativo e considero um dos valuations mais depreciados da bolsa.

339135  - Doutor Gori -  08 Jun 2017, 12:51
Alguém monitora BNBR3?

P/L está muito atrativo. Tirando o risco político, acho uma ação bem interessante. DY está razoável e ficamos exposto ao risco de upside adicional caso seja privatizado.

Professor, interessei em saber mais sobre Bnbr4. Parece que teve lucro não recorrente no 4tri, correto? Queria saber sua valiosíssima opinião sobre expectativa de lucros recorrentes para 2017.

334799  - paulo_prof  -  28 Fev 2017, 19:22
De uma maneira geral e até 31DEZ2018, os bancos estão submetidos a 20% de IR e 20% de CS.

Em 2015, o BNBR gerou R$ 239 milhões de Resultado Antes da Tributação e Participações. Deduzindo os 40% de IR/CS, obtém-se R$ 143 milhões. Deste valor ainda teria que ser deduzida a Participação nos Lucros, que somou R$ 53 milhões.

Em 2016, o Resultado Antes da Tributação e Participações somou R$ 442 milhões. Deduzindo os 40% do IR/CS tem-se R$ 265 milhões. Deste valor ainda teria que ser deduzida a Participação nos Lucros, que somou R$ 78 milhões.

Em vez de pagar, R$ 96 milhões e R$ 177 milhões em 2015 e 2016, através do diferimento de impõstos, o banco contabilizou "receitas líquidas" de IR/CS de R$ 119 milhões e 335 milhões.

Isto inflou os lucros de 2015 e 2016 (R$ 306 milhões e R$ 732 milhões), mas a conta terá que ser paga no futuro (próximos 10 anos).

Embora a "qualidade" da carteira expandida de créditos tenha piorado (7,36% em 2015 para 8,96% em 2016) o índice de inadimplência melhorou muito (de 4,8% em 2015 para 3,8% em 2016). Como consequência, as despesas de PDD, embora altas se considerado o valor absoluto, diminuíram sensivelmente de 2015 para 2016.

No que se refere os resultados contábeis, tem-se o seguinte:

BNBR3

PREÇO: R$ 28,30

PAYOUT (2016): 23,6%

Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 3,34

P/VPA 0,73

DY 7,06%

LUCRO POR AÇÃO R$ 8,476

ROAE 21,8%

ROAA 1,57%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 578.730

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,79%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 8,96%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T15, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +19,4%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,2%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +14,5%

RESULTADO OPERACIONAL +220,6%

RESULTADO LÍQUIDO +139,5%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -22,8%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -24,4%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -4,0%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +38,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +35,3%

RESULTADO OPERACIONAL +60,2%

RESULTADO LÍQUIDO +443,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -34,6%

PATRIMONIO LÍQUIDO +18,3%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -4,1%

PDD TOTAL +16,6%

ATIVOS TOTAIS +12,6%



c) lucro liquido, nominal

UA 139,46%

U2A -1,03%

U3A 26,65%



d) patrimônio líquido médio

UA 7,86%

U2A -2,42%

U3A 5,32%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 105,95



Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -27,5%

336371  - Peter Lynch do Agreste  -  03 Abr 2017, 19:46
Prof. Paulo,

Eu estudei um pouco do Banco do Nordeste, pois a meu ver o ativo encontra-se muito barato (considerando o lucro dos últimos 12 meses o banco está sendo negociado a um P/L de 3,48). A questão é que grande parte desse resultado vem do Ativo Fiscal Diferido, que teve um impacto positivo na DRE de 2016 no valor de 668mi e na DRE de 2015 no valor de 524mi:

ScreenHunter_131Apr.0315.3458e295de95bd3

Esse ativo fiscal diferido (ou crédito tributário) parece ter uma estreita relação com o volume de provisão para créditos de liquidação duvidosa que o banco faz, conforme notas explicativas:
ScreenHunter_132Apr.0315.4058e2973c3b73e

Inclusive, o Banco estima que para o próximo ano o montante de crédito tributário a ser realizado será muito grande (assim como foi em 2016) e isso pode novamente "bombar o lucro líquido".

ScreenHunter_133Apr.0315.4258e2979c140c9

Você, ou algum outro forista, saberia me explicar a relação entre aumento da PCLD e aumento dos créditos tributários?

336398 - paulo_prof  -  04 Abr 2017, 00:25
Não faço ideia ... acho que só mesmo um contador para explicar.

No longo prazo, eu achava que os bancos deveriam pagar na média um mesmo percentual do Resultado Antes dos Impostos. Em minha planilha tenho os dados desde 2007. O Resultado da análise é um samba do crioulo doido! Mesmo considerando que há diferenças, de banco a banco, no que concerne a remuneração via JCP (que impacta a razão IR/CS efetivamente recolhidos dividido pelo Resultado Antes dos Impostos e Participações), a resultados não deveria ser tão díspares:

ABCB - 30,1%

BAZA - 37,4%

BBAS - 29,9%

BBDC - 20,6%

BEES - 36,4%

BGIP - 41,0%

BNBR - 16,0%

BRIV - 40,9%

BRSR - 26,5%

ITUB - 19,7%

PINE - 24,0%

PRBC - 20,0%

CRIV - 29,6%

SANB - 16,7%

336413  - paulo_prof   -  04 Abr 2017, 13:53
Parece, note bem, PARECE que funciona assim?

Dados do Banco A, no ano Z

Resultado Antes dos Tributos: (16.000)

Provisões para Operações de Crédito: (4.000)

Alíquota de IR/CS: 40%



Resultado Antes dos Tributos ....................... (16.000)

Provisões para Operações de Crédito ............. 4.000

Resultado Fiscal ............................................ (12.000)

Ativo Fiscal Diferido decorrente do Prejuízo = 40% x 12.000 = 4.800

Ativo Fiscal Diferido decorrente de diferenças temporárias = 40% x 4.000 = 1.600

Ativo Fiscal Diferido Total = 6.400



Dados do Banco B, no ano Z

Resultado Antes dos Tributos: 16.000

Provisões para Operações de Crédito: (4.000)

Alíquota de IR/CS: 40%



Resultado Antes dos Tributos ........................ 16.000

Provisões para Operações de Crédito ............. 4.000

Resultado Fiscal ............................................. 20.000

IR/CS = 40% x 20.000 = (8.000)

Ativo Fiscal Diferido decorrente de diferenças temporárias = 40% x 4.000 = 1.600

Acima, está retratado como o Ativo Fiscal Deferido é "criado". Agora, estou completamente por fora das regras vigentes para que o Ativo Fiscal Deferido possa ser utilizado, que é o real ponto de interesse da questão.

336420  - Peter Lynch do Agreste  -  04 Abr 2017, 14:36
Esse exemplo que o Sr colocou esclarece as minhas dúvidas.

Quando um banco aumenta a sua provisão para devedores duvidosos ele será duplamente impactado nesse exercício. Primeiro, que aumentando a despesa o lucro operacional será menor e segundo, é que ele pagará alíquota de IR desconsiderando essa PDD do balanço, o que no primeiro momento é ruim, mas gera um crédito fiscal que poderá ser utilizado no futuro.

No caso do Banco do Nordeste, as provisões foram de 942mi no início de 2015 para 2132mi ao final de 2016. Esse aumento substancial gerou muitos créditos tributários, que a empresa espera utilizar nos próximos anos, principalmente em 2017.

ScreenHunter_134Apr.0410.2158e39ded1eb68

Os créditos tributários podem ser gerados de duas formas diferentes: devido a prejuízos fiscais (é o caso da Unipar quando vendeu a Quattor, isso gerou um enorme prejuízo fiscal que ela está utilizando e continuará a utilizar nos próximos períodos) e também diferenças temporárias (nos bancos ocorre principalmente pelo aumento do PDD).

Em ambos os casos, para a empresa utilizar esse crédito tributário é necessário que ela comprove que haverá lucro tributável no futuro, conforme destacado abaixo:

ScreenHunter_135Apr.0410.2958e39fe1f1e29

ScreenHunter_136Apr.0410.3158e3a03225da6

Depois de entender melhor esse tema, me parece que BNBR3 é uma oportunidade muito interessante, dado os múltiplos atuais e a perspectiva de a empresa continuar a reportar lucros robustos.

                                                         ▲                                               ▲

335104  - paulo_prof   -  05 Mar 2017, 16:54
Acho que BAZA e BNBR não gozam de confiança do mercado ... Os resultados são muto voláteis. [...]
No caso do BNBR, nos ultimos 2 exercícios o resultado foi bastante engordado pelo diferimento de impostos. Ou seja, em vez de pagar o IR/CS de 40% sobre o Resultado Operacional + Resultado Não Operacional, contabiliza Receitas de IR/CS. Ou seja, em vez de pagar IR/CS de aprox. R$ 48 milhões e R$ 134 milhões, respectivamente, em 2015 e 2016, o banco contabilizou receitas de R$ 525 milhões e R$ 668 milhões. respectivamente. Se as contas foram feitas, a diferença soma aprox. R$ 1,3 bilhões que terão que ser pagos no futuro. Ou seja, lucros futuros deverão ser impactados em pelo menos R$ 100 milhões ao ano.

334799 - paulo_prof  -  28 Fev 2017, 19:22
De uma maneira geral e até 31DEZ2018, os bancos estão submetidos a 20% de IR e 20% de CS.

Em 2015, o BNBR gerou R$ 239 milhões de Resultado Antes da Tributação e Participações. Deduzindo os 40% de IR/CS, obtém-se R$ 143 milhões. Deste valor ainda teria que ser deduzida a Participação nos Lucros, que somou R$ 53 milhões.

Em 2016, o Resultado Antes da Tributação e Participações somou R$ 442 milhões. Deduzindo os 40% do IR/CS tem-se R$ 265 milhões. Deste valor ainda teria que ser deduzida a Participação nos Lucros, que somou R$ 78 milhões.

Em vez de pagar, R$ 96 milhões e R$ 177 milhões em 2015 e 2016, através do diferimento de impõstos, o banco contabilizou "receitas líquidas" de IR/CS de R$ 119 milhões e 335 milhões.

Isto inflou os lucros de 2015 e 2016 (R$ 306 milhões e R$ 732 milhões), mas a conta terá que ser paga no futuro (próximos 10 anos).

Embora a "qualidade" da carteira expandida de créditos tenha piorado (7,36% em 2015 para 8,96% em 2016) o índice de inadimplência melhorou muito (de 4,8% em 2015 para 3,8% em 2016). Como consequência, as despesas de PDD, embora altas se considerado o valor absoluto, diminuíram sensivelmente de 2015 para 2016.

No que se refere os resultados contábeis, tem-se o seguinte:

BNBR3

PREÇO: R$ 28,30

PAYOUT (2016): 23,6%



Múltiplos baseados nos Resultados dos últimos 12 meses

P/L 3,34

P/VPA 0,73

DY 7,06%

LUCRO POR AÇÃO R$ 8,476

ROAE 21,8%

ROAA 1,57%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 578.730

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,79%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 8,96%



Taxas de Crescimento Nominal



a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T15, nominal:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +19,4%%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,2%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +14,5%

RESULTADO OPERACIONAL +220,6%

RESULTADO LÍQUIDO +139,5%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -22,8%

CRÉDITOS INADIMPLENTES -24,4%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -4,0%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +38,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +35,3%

RESULTADO OPERACIONAL +60,2%

RESULTADO LÍQUIDO +443,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -34,6%

PATRIMONIO LÍQUIDO +18,3%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -4,1%

PDD TOTAL +16,6%

ATIVOS TOTAIS +12,6%



c) lucro liquido, nominal

UA 139,46%

U2A -1,03%

U3A 26,65%



d) patrimônio líquido médio

UA 7,86%

U2A -2,42%

U3A 5,32%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 105,95

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -27,5%

310999  - paulo_prof  -  12 Nov 2015, 17:17
A qualidade da carteira (PDD/Operações de Crédito Totais) melhorou marginalmente, passando de 7,98% em 30JUN2015, para 7,52% em 30SET2015. A inadimplência relativa (Créditos Inadimplentes / Carteira Total de Créditos) piorou sensivelmente, passando de 2,85% no 2T15 para 5,46%. Especulo que esta baixa "violenta" de créditos a prejuízo foi "forçada", para aproveitar a transição para uma tributação maior.

No 3T15, o banco produziu um Resultado Operacional negativo ... compensado por uma grande receita de imposto diferido.

Os resultados anualizados contabilizam o grande lucro postado no 4T14, que o banco dificilmente conseguirá repetir !!! Em consequência, os indicadores provavelmente estão "inflados"!. Para se ter uma ideia, anualizando o lucro dos 9M15 obtém-se apenas 41% do lucro postado nos últimos 12 meses.

BNBR3
PREÇO: R$ 27,69
PAYOUT (2014): 33,4%

múltipos baseados nos últimos 12 meses

P/L 4,61
P/VPA 0,87
DY 15,77%
LUCRO POR AÇÃO R$ 6,012
ROAE 18,9%
ROAA 1,25%
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,10%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 7,52%

Taxas de Crescimento nominal:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T15:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +0,3%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,7%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -5,8%
RESULTADO OPERACIONAL -46,9%
RESULTADO LÍQUIDO +6,9%
DESPESAS DE PDD +48,1%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +4,3%

b) 3T15 sobre 3T14
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +33,9%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +1,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,4%
RESULTADO OPERACIONAL passou de positivo para negativo
RESULTADO LÍQUIDO -58,4%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +24,4%
PATRIMONIO LÍQUIDO -19,3%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +16,9%
PDD TOTAL +30,8%
ATIVOS TOTAIS +9,1%

c) lucro liquido
UA 6,91%
U2A 8,00%
U3A -3,29%

d) patrimônio líquido médio
UA -5,31%
U2A 8,25%
U3A 7,13%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 60,12

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -17,5%

290473  - paulo_prof -  24 Fev 2015, 00:26
Vixe ...

Não fosse um banco para o pessoal do PSOL se locupletar na terra do Poly, este ativo deveria estar bombando !!! Mesmo com um payout mixuruca de 1/3, o DY projetado é de 12,5%! Até fins de março deverá distribuir aprox. R$ 1,60 em proventos.

Há que se ler o relatório para entender como um banco destes é capaz de produzir um ROE de bancão ... muito melhor do que aquele do BB.

A qualidade da carteira (PDD/Operações de Crédito Totais) melhorou sensivelmente, passando de 7,1% em 31DEZ2013, para 6,20% em 31DEZ2014. A inadimplência relativa (Créditos Inadimplentes / Carteira Total de Créditos) também melhorou sensivelmente, passando de 4,83% em 2013 em 3,03% em 2014. A consequência foi uma queda brutal das Despesas de PDD em 2014, relativo a 2013, em termos absolutos, as Despesas de PDD diminuiram R$ 275 milhões, uma injeção na veia do lucro líquido.

BNBR3
PREÇO: R$ 23,10
PAYOUT (2014): 33,4%

múltipos baseados nos últimos 12 meses

P/L 2,67
P/VPA 0,59
DY 12,50%
LUCRO POR AÇÃO R$ 8,653
ROAE 22,2%
ROAA 1,96%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 448.678
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,03%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 6,35%

Taxas de Crescimento nominal:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T13:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +26,0%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +15,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 14,6%
RESULTADO OPERACIONAL +105,3%
RESULTADO LÍQUIDO +107,4%
DESPESAS DE PDD -39,3%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -9,1%

b) 4T14 sobre 4T13
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +39,4%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +14,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -24,1%
RESULTADO OPERACIONAL +228,0%
RESULTADO LÍQUIDO +462,0%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -54,6%
PATRIMONIO LÍQUIDO +10,8%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +11,7%
PDD TOTAL -2,5%
ATIVOS TOTAIS +13,0%

c) lucro liquido (expurgado o lucro líquido da venda do BBSE)
UA 107,39%
U2A -4,56%
U3A 33,40%

d) patrimônio líquido médio
UA 22,68%
U2A 15,41%
U3A 11,80%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 86,53

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -29,5%

272433 - paulo_prof  -  16 Ago 2014, 14:26
BNBR3
PREÇO: R$ 22,50
PAYOUT (2013): 39,1%

múltipos baseados nos últimos 12 meses

P/L 4,02
P/VPA 0,61
DY 9,72%
LUCRO POR AÇÃO R$ 5,591
ROAE 15,1%
ROAA 1,34%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 694.829
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,23%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 6,56%

Taxas de Crescimento nominal:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T13:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +10,2%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,9%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 8,7%
RESULTADO OPERACIONAL +61,2%
RESULTADO LÍQUIDO -17,6%
DESPESAS DE PDD -34,0%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +79,9%

b) 2T14 sobre 2T13
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -6,6%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +6,4%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +46,2%
RESULTADO OPERACIONAL +17,4%
RESULTADO LÍQUIDO -19,2%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -41,9%
PATRIMONIO LÍQUIDO +27,6%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +1,3%
PDD TOTAL -17,6%
ATIVOS TOTAIS +7,7%

c) lucro liquido (expurgado o lucro líquido da venda do BBSE)
UA -17,59%
U2A 4,61%
U3A -1,20%

d) patrimônio líquido médio
UA 15,43%
U2A 10,30%
U3A 9,96%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 55,91

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -20,5%

Citação: paulo_prof em 14/11/2011 17:35

BNBR3

múltipos baseados nos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 30,03
PAYOUT: 69,7%
P/L 4,73
P/VPA 1,08
DY 14,72%
LUCRO POR AÇÃO R$ 6,344
ROAE 22,9%
ROAA 2,15%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 289.065
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,32%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,73%

Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +34,9%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 11,2%
RESULTADO OPERACIONAL +85,6%
RESULTADO LÍQUIDO +131,2%
DESPESAS DE PDD -58,2%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: +13,5%
Crescimento das Operações de Crédito em 12 meses: +13,4%

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA 43,98%
U2A 27,24%
U3A 6,99%

b) do patrimônio líquido médio
UA 9,86%
U2A 10,24%
U3A 10,35%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): -11,5%

175717 - paulo_prof -  26 Mar 2013, 15:03
Citação: Trifloripasempre
O que será que aconteceu na reunião do dia 22 de março, da BNBR4? Afinal, vão ou não comprar as minhas por R$ 30,00? rssss.
Não foi aprovado muita coisa ...

Foi dado somente o primeiro passo ... a proposta era a de modificar o estatuto, incluindo os seguintes parágrafos:

§3º. É permitida a conversão de ações de uma espécie em outra, desde que aprovada em Assembleia Geral;

§4º. Em caso de conversão de ações, será obedecida a proporção de 1 (uma) ação ordinária para cada ação
preferencial;

Foi aprovada somente a inclusão o parágrafo 3o., ou seja, a decisão da proporção de conversão foi deixada para a Assembléia Geral.

Para a coisa realmente acontecer, agora terão que ser convocadas mais duas Assembléias:

uma, geral, para aprovar a conversão das ações preferenciais em ordinárias e estabelecer a proporção de troca; e

outra, dos preferencialistas, para deliberar se aceitam a proporção de troca proposta.

Pode esperar os teus R$ 30,00 deitado! rsss ...

167747 - paulo_prof -  19 Fev 2013, 17:23
Banco (que vergonha) do Nordeste - BNBR4
PREÇO: R$ 18,10
PAYOUT 2012: 38,9%

Em relação a 2011, as taxas de crescimento nominal do exercício de 2012 foram:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -1,3%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +5,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +22,3%
RESULTADO OPERACIONAL -62,6%
RESULTADO LÍQUIDO +61,5%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +161,7%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +11,3%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +7,6%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +30,1%
ATIVO TOTAL +20,6%
CRÉDITOS INADIMPLENTES NO ANO: +69,0%

Mais uma vez, o BNBR fez a mágica de, com uma diminuição de 63% no Resultado Operacional, ter um aumento de 62% no Lucro líquido!!! O papel realmente aceita tudo !!!

Para o que possam servir, os indicadores resultantes desta contabilidade criativa são

P/L 3,10
P/VPA 0,59
DY 12,57%
LUCRO POR AÇÃO R$ 5,844
ROAE 18,9%
ROAA 1,59%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 411.369
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,06%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 6,55%

Em relação ao 3T12, a "qualidade" da carteira de créditos medida em termos do percentual do PDD em relação ao tamanho da carteira piorou de 5,81% para 6,55%. Os créditos inadimplentes contabilizados no 4T12, medidos como percentual da carteira de crédito aumentaram de 2,44% no 3T12 para 2,67% (anualizado). A relação entre os créditos inadimplentes no ano, para o tamanho da carteira no final do ano aumentou de 5,42% em 2011 para 6,55% em 2012.

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA 61,49%
U2A 27,32%
U3A 3,46%

b) do patrimônio líquido médio
UA 8,71%
U2A 9,50%
U3A 9,02%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses por toda a eternidade e taxa de desconto anual real de 8%: R$ 73,05

Bom ... não é a toa que os múltiplos parecem tão bons ... isto é uma indicação da credibilidade no ativo ... o mercado simplesmente não acredita nos números e precifica de acordo.

Poly vc tem algum empréstimo no BNBR? Acho que pode ser um ótimo negócio: contrate um empréstimo e deixe ir pro pau !!!!

A carteira total de créditos aumentou, de 2011 para 2012 e em valor absoluto, R$ 946 milhões. O PDD aumentou R$ 203 milhões no período. Ou seja, tudo se passa como a cada R$ 9,50 novos emprestados, o banco teve que provisionar R$ 2,00 !!!! Um absurdo.

Por outro lado, as despesas com pessoal, etc, aumentaram 22% num ano ... um baita cabidão !!!

167746 - GARUDA20 - 19 Fev 2013, 17:11
Vixe Maria, CARAJO da peste!

Ixprudiu o LL do BNBR4

Como sempre o Prof. nunca falha

Resultados
O lucro líquido de 2012 foi de R$ 508,4 milhões, superior em 61,5% ao apresentado em 2011 (R$ 314,8 milhões). O lucro líquido por ação que em 31.12.2011 era de R$ 3,62, passou, em 31.12.2012, para R$ 5,84.
A rentabilidade sobre o Patrimônio Líquido médio passou de 13,57% a.a. em 2011 para 20,26% a.a. em 2012.

166082 - small caps -  06 Fev 2013, 01:33
BNBR3 ???? acho que é a empresa mais podre deste governo e seus asseclas ... ; por sua sede estar longe de Brasilia, parece que a roubalheira é ainda mais fácil ...
Poly, quem é que mama mais? O pessoal do Cid ou a petralhada?
Não é fácil Professor...

E, como vc bem destacou... alguns bancos públicos reduzindo significativamente a inadimplência e as provisões... logo no cenário atual... em que tudo indica o contrário...

Parece que a contabilidade criativa anda mesmo se espalhando...

Na Argentina e na Venezuela, que estão em estágios mais avançados da revolução bolivariana, a conta já está chegando... A página A11 do Valor de hoje já diz tudo:

"Argentina congela preços nos supermercados até abril" e
"Falta de dólar gera forte escassez de alimentos e produtos na Venezuela".

É, não tem mistério não... causa x efeito...

157193 - paulo_prof -  15 Nov 2012, 15:07
Com razão, reclamamos da ingerência excessiva do governo sobre a economia e empresas de economia mista, mas o caso do BNBR é mesmo de polícia ... lá não é "ingerência" ... é assalto mesmo!!!

E aí, Poly? vc deve conhecer alguns destes meliantes ... ou não?

Para se ter uma idéia de como a "Cosa Nostra" é administrada, acho que basta informar um dado: nos 9M12, os gastos com pessoal foram 72,8% maiores do que nos 9M11. Será que o fato não estaria associado às eleições?

Na outra ponta, o Resultado Operacional nos 9M12 está negativo em R$ 146 milhões.

Nos 9M12 o banco só conseguiu um lucro (de R$ 231 milhões) porque o IR diferido gerou uma receita de R$ 618 milhões.

Como dá para perceber, o tipo de assalto ao BNB depende da "classe" do apaniguado: ou contrata o cara para receber um salário, ou empresta para o cara dar o calote ...

Os Resultados dos 9M12 comparados aqueles dos 9M11 são:

RECEITA DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +5,4
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -29,6%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +5,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +40,6%
RESULTADO OPERACIONAL passou de R$ 707 milhões positivos para 146 milhões negativos
RESULTADO LÍQUIDO -45,1%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +252,3%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +3,0%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +3,6%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +27,2%
ATIVO TOTAL +21,3%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +54,9%

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA -77,23%
U2A -42,75%
U3A -28,30%

b) de patrimônio líquido médio
UA 6,65%
U2A 8,24%
U3A 9,03%

BNBR4
PREÇO: R$ 19,60
PAYOUT (2011): 54,6%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 13,57
P/VPA 0,69
DY 4,03%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,444
ROAE 5,1%
ROAA 0,40%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 357.466
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,77%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,81%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: +3,0%

Será que em 2013 os assaltantes vão dar uma trégua para voltar com força total em 2014?

145721 - 22 Ago 2012, 20:22 - paulo_prof
Citação: ghfranco
Doutor Prof., demais,
Há alguns dias você analisou o resultado trimestral de BNBR. Você poderia falar um pouquinho mais sobre suas perspectivas quanto aos resultados dos próximos trismestres? Lembro que você destacou a piora operacional e antecipou uma futura devolução de lucros, pois o do último trimestre teve impacto positivo via diferimento de impostos.

Agora: o banco é um antro; não sabe nem o funcionamento da divulgação dos dividendos; anteriormente já errou o próprio cálculo de dividendos/juros, conforme diálogo seu com o Daniel José; dentro do cabedal todo, sobra alguma coisa?

Para tentar explicar o que está ocorrendo, só mesmo um contador ... e ainda assim aposto que não seria fácil ...

Do jeito que vejo a coisa, como o Resultado Não Operacional é não relevante, o que "pega" é o Resultado Operacional. É sobre este que é calculado o IR/CS. No longo prazo, o IR/CS diferido tem que ser neutro, ou seja, na perpetuidade os impostos diferidos deverão zerar.

O que diz o Resultado Operacional do 1S12? Houve um lucro operacional de apenas R$ 25 milhões, contra R$ 475 milhões no 1o. semestre de 2011!!!

O lucro de R$ 246 milhões obtidos no 1S12 foi praticamente todo obtido via diferimento de impostos: ou seja, em vez de pagar imposto, o banco gerou receita com impostos: R$ 378 milhões. No 1S11, para um lucro de R$ 301 milhões, a receita com diferimento de impostos havia sido de R$ 16 milhões. Por outro lado, no 1S12 o banco contabilizou R$ 140 milhões em impostos, quando no 1S11 havia contabilizado R$ 164 milhões.

Qual poderá ser o Resultado Operacional no 3T12 e 4T12? Simplesmente não tenho a mínima idéia. Não sei se a explosão de despesas com pessoal, administrativas e tributárias, que foi de aprox. R$ 700 milhões no 2T12 vai se manter, ou não. Não sei se as despesas de PDD vão se manter na faixa dos R$ 120-130 milhões ou não.

O que garanto é: se as depesas mostradas acima se mantiverem no 3T12, o prejuízo poderá ser monstro ... acima dos R$ 100 milhões!

144599 - paulo_prof -  15 Ago 2012, 00:27
A pedidos ... lá vai o resultado do maior cabidão de empregos e antro de nordestinos ladrões do país

PREÇO: R$ 21,49
PAYOUT (2011): 54,6%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 7,19
P/VPA 0,73
DY 7,60%
LUCRO POR AÇÃO R$ 2,990
ROAE 10,1%
ROAA 0,88%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 368.059
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,94%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,37%

Taxas de Crescimento Nominal em relação ao 1o. semestre de 2011 e 30JUN2011
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -33,7%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +12,1%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +32,9%
RESULTADO OPERACIONAL -94,8%
RESULTADO LÍQUIDO -18,2%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +129,3%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +11,5%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +8,1%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +0,4%
ATIVO TOTAL +19,6%
CRÉDITOS INADIMPLENTES +105,3%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal
a) do lucro líquido
UA -48,41%
U2A -22,69%
U3A -9,40%

b) do patrimônio líquido médio
UA 9,29%
U2A 17,61%
U3A 28,65%

Taxa anual de crescimento real do lucro líquido necessária, durante 3 anos, para que o valor intrínsico fornecido pela fórmula simplificada da FCD seja 30% superior à cotação atual (perpetuidade real nula, taxa de desconto real de 8%): -8,5%

Pessoalmente, não acredito no balanço apresentado. Tem um baita cheiro de maquiado. No 1o. semeste de 2012 as despesas de PDD foram 129% superiores aquelas em 2011. O PDD total, entretanto, aumentou somente 0,4%, mesmo considerando que as Operações de Crédito aumentaram 8,1%.

Ou seja, a qualidade da Carteira de crédito melhorou do 2T11 (5,79%) para o 2T12 (5,37%). Os créditos inadimplentes no 1S12, entretanto, mais do que dobraram em relação ao 1S11. Pode?

A inadimplência anual média alcançou os 3,88% da carteira total de créditos em 30JUN12. Isto é inadimplência para ninguém botar defeito.

As despesas semestrais com pessoal, administração e tributos aumentaram 32,9% de um ano para o outro. No que tange despesas de pessoal, exclusivamente, o aumento foi de "apenas" 51% !!!!! é isto mesmo, 51% num ano.

No 2T12, o Resultado Operacional foi negativo em R$ 122 milhões. O Resultado Líquido, entretanto, foi positivo em R$ 187 milhões, via o auxílio do macete de deferimento de impostos (em vez de despesa, contabiliza os impostos como receita).

144521 - danieljoseaa -  14 Ago 2012, 22:39
Resultado do 2º Trimestre de 2012
A empresa divulgou lucro líquido de R$ 186,9 M no 2T12, acréscimo de 216,3% em relação ao primeiro trimestre de 2012 e redução de 16,9% em relação ao segundo trimestre de 2011. A receita de intermediações financeiras atingiu R$ 1,1 B no segundo trimestre de 2012, 38,8% superior que o 1° trimestre de 2012, que foi de R$ 807,7 M. No mesmo período do ano anterior, a receita de intermediações financeiras havia atingido o valor de R$ 736,1 M.

A margem bruta atingiu 20,0% neste trimestre contra 23,9% no 1° trimestre de 2012 e 43,0% no mesmo período do ano passado. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) alcançou 10,1% no 2T12, contra 12,5% no primeiro trimestre de 2012, o que representa uma variação de -2,4 p.p..

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 29,7 B, acréscimo de 19,6% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 2,6 B no 2T12, valor 11,5% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

145721 -  paulo_prof - 22/Ago/2012 17:22
citação: ghfranco
citação: paulo_prof
Os proventos do BNBR serão depositados no dia 31AGO ...

Doutor Prof., demais,

Há alguns dias você analisou o resultado trimestral de BNBR. Você poderia falar um pouquinho mais sobre suas perspectivas quanto aos resultados dos próximos trismestres? Lembro que você destacou a piora operacional e antecipou uma futura devolução de lucros, pois o do último trimestre teve impacto positivo via diferimento de impostos.

Agora: o banco é um antro; não sabe nem o funcionamento da divulgação dos dividendos; anteriormente já errou o próprio cálculo de dividendos/juros, conforme diálogo seu com o Daniel José; dentro do cabedal todo, sobra alguma coisa?


Para tentar explicar o que está ocorrendo, só mesmo um contador ... e ainda assim aposto que não seria fácil ...

Do jeito que vejo a coisa, como o Resultado Não Operacional é não relevante, o que "pega" é o Resultado Operacional. É sobre este que é calculado o IR/CS. No longo prazo, o IR/CS diferido tem que ser neutro, ou seja, na perpetuidade os impostos diferidos deverão zerar.

O que diz o Resultado Operacional do 1S12? Houve um lucro operacional de apenas R$ 25 milhões, contra R$ 475 milhões no 1o. semestre de 2011!!!

O lucro de R$ 246 milhões obtidos no 1S12 foi praticamente todo obtido via diferimento de impostos: ou seja, em vez de pagar imposto, o banco gerou receita com impostos: R$ 378 milhões. No 1S11, para um lucro de R$ 301 milhões, a receita com diferimento de impostos havia sido de R$ 16 milhões. Por outro lado, no 1S12 o banco contabilizou R$ 140 milhões em impostos, quando no 1S11 havia contabilizado R$ 164 milhões.

Qual poderá ser o Resultado Operacional no 3T12 e 4T12? Simplesmente não tenho a mínima idéia. Não sei se a explosão de despesas com pessoal, administrativas e tributárias, que foi de aprox. R$ 700 milhões no 2T12 vai se manter, ou não. Não sei se as despesas de PDD vão se manter na faixa dos R$ 120-130 milhões ou não.

O que garanto é: se as depesas mostradas acima se mantiverem no 3T12, o prejuízo poderá ser monstro ... acima dos R$ 100 milhões!


132087 -  paulo_prof - 16/Mai/2012 14:26
BNBR4
PREÇO: R$ 23,62
PAYOUT (2011): 54,6%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 6,89
P/VPA 0,86
DY 7,93%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,428
ROAE 12,5%
ROAA 1,08%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 305.705
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,55%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,57%

Taxas anuais médias nominais de crescimento
a) lucro líquido
UA -7,77%
U2A -24,01%
U3A -16,59%

b) patrimônio líquido médio
UA 9,32%
U2A 16,54%
U3A 28,38%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido necessária nos próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD seja 1,3 vezes a cotação atual (perpetuidade real nula; taxa de desconto real de 8%): -10%

Taxas nominais de crescimento relativas ao 1T11
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -38,3%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +8,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +17,1%
RESULTADO OPERACIONAL -22,1%
RESULTADO LÍQUIDO -21,9%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +156,3%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +5,3%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +0,5%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +0,2%
ATIVO TOTAL +11,3%

"Qualidade da Carteira de Créditos": estacionária, num nível medíocre de 5,57%

"índice de inadimplência": o 1T12 foi o pior da história para os "non performing loans", atingindo, anualizado, 4,17% da carteira de créditos. Ou seja, para cada R$ 100,00 emprestados, mais de R$ 1,00 foi para o ralo no trimestre.

Já que a qualidade e a dimensão da carteira de créditos permaneceram aprox. constantes, todas as despesas de PDD são de fato destinadas a cobrir a inadimplência.

Percebe-se claramente que o BNBR é um banco de "amigos". De um lado, os amigos que papam a grana e não pagam ... de outro, as despesas com a cumpanheirada, tributos e administração, aumentando muito acima da inflação.

Eu não me surpreenderei se num dia destes este banco aparecer no noticiário policial ...

115577 - small caps - 15/Fev/2012 13:11
É triste....
Mais uma empresa com AÇÕES EM BOLSA e portanto, sem fins filantrópicos, usada para fins políticos.

Leia a notícia:
http://www.opovo.com.br/app/opovo/economia/2012/02/15/noticiasjornaleconomia,2784366/bnb-lucrou-r-314-7-milhoes-em-2011.shtml

Esta parte foi de chorar:

“Está dentro da normalidade o resultado porque o banco (BNB) focou bastante, em 2011, no microcrédito para produtores rurais e nos financiamentos para micro e pequenas empresas. Atividades ligadas ao desenvolvimento do Nordeste, mas menos rentáveis que os grandes financiamentos”, explica o superintendente de operações financeiras e mercado de capitais do BNB, Romildo Carneiro Rolim.

De acordo com o superintendente, o BNB tem seguido a política do Governo Federal de investir nos empregos. Foram R$ 3,8 bilhões aplicados em 2,6 milhões de operações de microcrédito urbano do BNB (como o Crediamigo) em 2011. O número é 40,9% maior que o de 2010.

E a pá de cal, para tirar qualquer dúvida sobre o foco do banco:

“O BNB cresceu bastante no atendimento à sociedade que foi muito maior em 2011. E deve manter essa estratégia em 2012”, afirma Romildo Carneiro.

Imediatamente, VENDI TODA a minha posição acionária...



Logo anuncio quais foram as compras...


115574 -  paulo_prof- 15/Fev/2012 12:57
citação: NotwenCardozoSerá que este PDD de BNBR4 é voluntário? Não li o balanço ainda mas os resultados mensais estavam vindo bons.
Alguém sabe o que aconteceu?


A menos que tenha me enganado na leitura, nada há de voluntário.

Ocorre que no 1S11, as despesas de PDD somaram R$ 105 milhões. No 2S11, foram mais R$ 111 milhões.

Visto por aí, nada de muito anormal. O que foi anormal foi as despesas de PDD terem sido de somente R$ 7 millhões no 3T11. Pelo que entendi, isto decorreu de um "trampo" entre o banco e o FNE (teta do governo para os amigos nordestinos do rei ...)

g) Recuperação de Créditos com Base Legal em R$ Mil
Em decorrência da aplicação das Leis Nº 11.322, de 13.07.2006, Nº 11.775, de 17.09.2008 e Nº 12.249, de 11.06.2010, as quais dispõem sobre a renegociação de dívidas oriundas de operações de crédito rural, concedendo rebates no saldo devedor, bônus de adimplência nas parcelas, redução da taxa de juros e prorrogação do prazo para pagamento de referidas operações, foi reconhecido no resultado do Banco, referente a 30.09.2011, um efeito positivo no valor de R$ 127.322 mil (R$ 41.324 mil em 30.09.2010), a seguir demonstrados. Conforme referidos instrumentos legais, parte dessas operações foi adquirida pelo Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste – FNE:

Mas o fato é que houve uma deterioração da inadimplência e carteira de créditos:

Ao final do 3T11, os créditos em atraso somavam R$ 391 milhões. Ao final de 2011, este valor aumentou para R$ 475 milhões. Por outro lado, os empréstimos de nível de risco H (que demandam provisão integral) ao final do 3T11 somavam R$ 417 milhões. Ao final de 2011 estes créditos somavam R$ 474 milhões. Ou seja, só para os créditos de nível de risco H foi necessário aumentar o PDD em R$ 57 milhões ...


115512 - paulo_prof - 15/Fev/2012 10:12
Se não errei nas contas, o resultado do 4T11 do BNBR4 foi um desastre ... um prejuízo de R$ 105 milhões devido, principalmente, à despesa de PDD que particamente alcanço os R$ 150 milhões.

Relativo aos últimos 12 meses, os multiplicadores são:

PREÇO: R$ 35,50
PAYOUT (2010): 69,7%
P/L 10,50
P/VPA 1,42
DY 6,63%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,619
ROAE 13,5%
ROAA 1,19%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 224.057
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,80%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,42%

Taxas anuais médias de crescimento nominal:
a) do lucro líquido
UA 0,39%
U2A -17,19%
U3A -9,24%

b) do patrimônio líquido médio
UA 10,30%
U2A 9,18%
U3A 9,92%

Quanto o lucro líquido do banco poderá crescer em termos reais nos próximos 3 anos? Fazendo a conta da fórmula do FCD com um crescimento nulo do lucro líquido até todo o sempre, uma taxa de desconto real de 10%, o preço justo seria de R$ 36,19

Há que se ler o relatório para entender a razão da despesa tão alta de PDD no 4T11. É importante verificar se esta despesa foi necessária para cobrir uma deterioração da qualidade da carteira de créditos ou se foi constituída uma "gordura" para ser queimada mais adiante. No 3T11, o PDD era 4,73% da Carteora Total de Créditos (incluídos Outros Créditos) e no 4T11 fechou em 5,42% ... um salto enorme, de R$ 85 milhões (se a "qualidade" permanecesse constante).


102370 -  paulo_prof - 14/Nov/2011 17:35
BNBR3

múltipos baseados nos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 30,03
PAYOUT: 69,7%
P/L      4,73
P/VPA            1,08
DY      14,72%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 6,344
ROAE 22,9%
ROAA            2,15%
CRÉDITOS INADIMPLENTES     289.065
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO  2,32%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO            4,73%

Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +34,9%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +11,8%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 11,2%
RESULTADO OPERACIONAL +85,6%
RESULTADO LÍQUIDO +131,2%
DESPESAS DE PDD -58,2%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: +13,5%
Crescimento das Operações de Crédito em 12 meses: +13,4%

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      43,98%          
U2A    27,24%          
U3A    6,99% 

b) do patrimônio líquido médio
UA      9,86%
U2A    10,24%
U3A    10,35%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): -11,5%


79023 - paulo_prof - 06/Jul/2011 12:04 
citação: evertonmarques
citação: paulo_profJá que o BNBR virou a vedete da vez, lá vai a minha contribuição ...

Prof. Paulo, belíssima a comparação com BGIP4!

Por favor, poderia me ajudar com algumas dúvidas:

1) O índice CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO cresce para o BGIP4 e decresce para o BNBR4, que é positivo para o BNBR4, correto? Porém o BGIP4
ainda mostra índice melhor.

2)Não sei se o ÍNDICE DE EFICIÊNCIA é melhor quanto maior ou quanto menor...? Tem alguma referência que explique melhor esse índice?

3) O índice abaixo é tanto melhor quanto menor, correto?
BNBR4 ATIVO TOTAL/PATRIMONIO LÍQUIDO 10,89
BGIP4 ATIVO TOTAL/PATRIMONIO LÍQUIDO 13,64

Muito grato!

No cálculo do índice de inadimplência, o denominador ficou constante e igual ao tamanho da carteira de créditos do 1T11. O que mudou foi o numerador: créditos inadimplentes nos últimos 4 trimestres; nos últimos 2 trimestres vezes 2 e no último trimestre vezes 4. Para que se tivesse uma idéia mais precisa, talvez fosse melhor usar as Carteiras de Créditos médias nos períodos. De qualquer forma, a evolução do índice no BNBR seria melhor. O significado é que neste quesito o BNBR está melhorando, o que é positivo para o futuro do papel. No caso do BGIP este índice está piorando, mas não preocupa porque o valor é baixo, em termos absolutos.

O índice de eficiência é a razão entre as despesas (pessoal, administrativas e tributárias) e as receitas (resultado da intermediação financeira + serviços). Quanto menor, melhor!

No que se refere à razão Ativo Total / Patrimônio Líquido, acho que não há como generalizar. Este índice depende do modelo de negócios do banco. Por exemplo, no PRBC é 3,73; no Banco do Brasil é 16,6 !!!


ual real de 10%): +12,5%


79013 - paulo_prof - 06/Jul/2011 10:52
Já que o BNBR virou a vedete da vez, lá vai a minha contribuição ...

Ao final do 1T11, a PDD era 5,59% da Carteira Total de Créditos (incluindo a rubrica Outros Créditos). A média durantes os exercícios de 2008 e 2009 havia sido de 6,09% e no exercício de 2010, de 5,88%.

Para ter uma melhor idéia, este índice do BGIP no 1T11 foi de 2,70%!

Também no 1T11, os créditos inadimplentes totalizaram 0,53% (2,11% na base anual), quando em 2008 totalizou 2,32%, em 2009, 1,74% e em 2010, 3,44%, também na base anual. Os créditos inadimplentes do BGIP no 1T11 somaram 0,38% da Carteira de Créditos (ou 1,52% na base anual).

Nos últimos 3 anos, o Ativo Total do BNBR vem crescendo numa base de aprox. 18,7% ao ano. Nos últimos 12 meses, o crescimento foi de 28%. Nos últimos 3 anos, a Carteira Total de Créditos cresceu numa média anual de 31,9%. Nos últimos 12 meses, o crescimentop foi de 20,1%.

Já o BGIP experimentou um crescimento anual médio de 16,3% no Ativo Total e de 38,2% na Carteira de Créditos. Nos últimos 12 meses, os indices foram, respectivamente, 20% e 43%.

No que tange a receita com prestação de serviços, o BNBR experimentou um crescimento anual médio de 13,4%. Nos últimos 12 meses, o crescimento foi de 13,6%. No que concerne despesas (pessoal, administrativas e tributárias), a taxa anual média de crescimento foi de 12,9%. Nos últimos 12 meses, as despesas aumentaram 14,8%.

Para fins de comparação, os percentuais do BGIP são: nos últimos 3 anos, a Receita com Serviços cresceu em média 24,6% ao ano. Já as despesas cresceram apenas numa média de 11,5%. Nos últimos 12 meses, a Receita com Serviços aumentou 30,5%, com a despesa crescendo somente 11,2%.

Nos últimos 4 trimestres, o lucro do BNBR decresceu 37,4%. Nos últimos 8 trimestres, o decréscimo foi de 9,8% por ano. Já nos últimos 12 trimestres, o lucro cresceu numa média anual de 11,2%.

As taxas de crescimento do lucro líquido do BGIP são: 15,8% nos últimos 3 anos, 38,0% nos últimos 2 anos e 70,5% no último ano.

Não examinei com detalhes as causas da queda do lucro no exercício de 2010. Seria por causa das eleições?

O melhor exercício do BNBR, em termos de lucro, foi 2009, quando totalizou R$ 459 milhões. É interessante notar que naquele ano, ao final de maio, o lucro líquido somava apenas R$ 87 milhões. Este ano, o lucro ao final de maio já era de R$ 186 milhões. Se o lucro até o final de maio for anualizado, obtém-se R$ 446 milhoes, um número ainda abaixo do lucro postado em 2009. Embora os dados se apresentam promissores, infelizmente nada se pode garantir. Não totalmente incomum o banco postar prejuízos em determinados meses.

Para o preço corrente de R$ 27,50 (oferta de venda) os múltiplos da BNBR4 são:

últimos 12 meses
P/L 7,40
P/VPA 1,05
DY 9,42%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,717
ROAE 14,3%
ROAA 1,31%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 312.881
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,62%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO/ATIVO TOTAL 48,3%
ATIVO TOTAL/PATRIMONIO LÍQUIDO 10,89
RESULTADO/RECEITA DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 39,43%
ÍNDICE DE EFICIÊNCIA 83,1%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,59%

últimos 6 meses (anualizado)
P/L 5,76
DY 12,10%
LUCRO POR AÇÃO R$ 4,776
ROAE 18,3%
ROAA 1,68%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 288.730
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,42%

últimos 3 meses (anualizado)
P/L 7,90
DY 8,82%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,480
ROAE 13,3%
ROAA 1,23%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 251.896
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,11%

Para fins de comparação, os múltiplos de BGIP4 para o preço corrente de R$ 44,50 (oferta de venda) são:

últimos 12 meses
P/L 6,96
P/VPA 2,39
DY 6,95%
LUCRO POR AÇÃO R$ 6,395
ROAE 34,3%
ROAA 2,52%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 17.510
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,31%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO/ATIVO TOTAL 49,9%
ATIVO TOTAL/PATRIMONIO LÍQUIDO 13,64
RESULTADO/RECEITA DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 57,80%
ÍNDICE DE EFICIÊNCIA 60,7%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,70%

últimos 6 meses
P/L 5,89
DY 8,22%
LUCRO POR AÇÃO R$ 7,557
ROAE 40,6%
ROAA 2,98%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 18.464
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,38%

últimos 3 meses
P/L 5,42
DY 8,93%
LUCRO POR AÇÃO R$ 8,213
ROAE 44,1%
ROAA 3,23%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 20.268


CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 1,52%

78607 - small caps - 01/Jul/2011 22:48
Agora com mais calma sobre o BNBR4.
Trata-se de um banco diferente de tudo que temos na base de comparação. Cada um tem sua peculiaridade e este também tem.

Quais são suas grandes desvantagens?
Histórico instável e especialmente a grande possibilidade de uso político. Aliás, esta é sua maior função: promover o desenvolvimento do Nordeste.
Mas por que diachos isto dá lucro então?
Aí é que entra:

Quais são suas grandes vantagens?

Uma base de captação que dificilmente se terá igual no mercado: tem captação de juros subsidiados pela União e por organismos internacionais de desenvolvimento regional;

Administra fundos bilionários de desenvolvimento regional, que lhe traz polpudas remunerações, suficientes para fazer frente ao seu pagamento de pessoal, ganhando inclusive de concorrentes privados do mesmo tamanho ou menor;

Tem o risco de algumas operações de crédito dividido com a União. O prejuízo é repartido, neste caso;

Tem múltiplos bastante interessantes, nos preços atuais, com grande possibilidade de dividendos na casa dos dois dígitos, o que não se vê aos montes hoje em dia;

Tem balancetes mensais, permitindo o acompanhamento mais de perto do que se passa no banco;

Excelente crescimento da carteira de crédito;

Como administrador de recursos que é, não tem aquelas taxas que as empresas privadas costumam ter com o nome de “taxa de performance” ou “bonificação” ou ainda “stock options”... vários nomes bonitinhos que um dos objetivos é: deixar o controlador mais rico e o acionista minoritário mais pobre.

Investir em BNBR4 é uma excelente forma de diversificar o risco setorial, pois cada atividade responde de uma forma ao momento econômico. Para quem já tem banco de varejo (BGIP4), banco de empréstimo para empresa e atividades financeiras específicas (PINE4), banco médio de consignado e seguradora (PRBC4), banco grande de varejo (BBAS3), tai uma boa forma de ganhar com um banco de desenvolvimento regional, que tem um belo patrimônio para administrar, que é bem remunerado por isto e tem custo de captação bastante baixo...

Mas, ei de sugerir posições com cautela. O histórico conta muito neste caso e os coronéis do Nordeste (Poly, por exemplo), podem querer fazer uma graça na gestão do banco. Não é o que se tem visto, mas canja e caldo de galinha não fazem mal a ninguém.

Montei posição aos R$ 25,00.

Nenhum comentário: