Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Alianscsonae (ALSO)



Setor
Subsetor
Segmento

Recomendações
 

Carteiras
palpitesacoes (jan/13)

Códigos de Negociação
Tipo
CVM
ALSO3
  Novo Mercado 
22357 

Razão Social
CNPJ
ALIANSCE SONAE SHOPPING CENTERS S.A.
 05.878.397/0001-32

Balanços
1T2020 - ITR - Press-release

A2019/4T2019 ➤ DFP ➤ Press-release ➤ Apresentações

1T2018 -
A2017/4T2017 -

2T2017 -
▪ No segundo trimestre de 2017 (2T17), a receita bruta da Companhia cresceu 6,9% sobre o 2T16. A receita de estacionamento foi um destaque, crescendo 12,2%. Excluindo o efeito da linearização, a receita bruta da Companhia cresceu 8,8%. ▪ O NOI teve crescimento de 7,2% no 2T17, atingindo R$ 115,7 milhões. Excluindo o efeito da linearização do aluguel, o NOI cresceu 9,8%, e atingiu R$ 112,5 milhões. ▪ O EBITDA Ajustado atingiu R$ 99,0 milhões, crescimento de 8,2%. Excluindo o efeito do aluguel linear, o EBITDA Ajustado cresceu 11,4% no trimestre, atingindo R$ 95,8 milhões.▪ O FFO Ajustado (AFFO) da Companhia atingiu R$ 45,1 milhões, com crescimento de 77,3%, sendo que a margem AFFO cresceu 13,2 p.p. No primeiro semestre, o AFFO atingiu R$ 77,7 milhões, crescimento de 102,7% em relação ao 1S16. O AFFO por ação foi de 0,22 no 2T17, um aumento de 42,4% em relação ao 2T16.

A2014/4T2014-
small caps  -
Bom balanço...
Mostrou piora no WPLZ11B - obras vão até quarto trimestre no cinema... e 25% estava pago até final de 2014...
Mostrou que a média dos shoppings vai muito bem...
Mostrou que Shopping Via Parque (que está no HGBS) foi afetado por obras... mas em fevereiro deste ano já começou a melhorar a parte inaugurada...
A vocação do Brasil segue sendo a de cigarra... vamos ver se esta resiliência suporta o cenário recessivo atual...

Balanços (Calendário)







Aliansce (ALSC)

361394  - lufearantes  -  21 Mai 2019, 15:31
O crescimento FFO da ALSC é bem mais robusto que na SSBR3.

Caso queira se divertir, no site da ALSC3 tem uma planilha com os dados:

http://ri.aliansce.com.br/ptb/fundamentos-e-planilhas

361390  - paulo_prof   -  21 Mai 2019, 14:53
Quero crer que a métrica primária seja o valor de mercado ... desde que não hajam discrepâncias evidentes entre o valor de mercado e demais múltiplos.

Num 1o. "sentimento", acho que numa divisão 65%/35% o acionista da SSBR estaria em desvantagem. O P/VPA da SSBR é pouco mais da metade daquele da ALSC. Há que se entender as razões. Não tenho ALSC em minha planilha. Em consequência, desconhe;o os parâmetros P/FFO e taxa de crescimento do FFO da empresa para comparar com aqueles da SSBR.

361389 - lufearantes   -  21 Mai 2019, 13:51
https://moneytimes.com.br/aliansce-avanca-mais-de-2-com-noticia-de-proximidade-de-fusao-com-a-sonae-sierra/

Professor Paulo,
Qual seria a melhor métrica para se definir o percentual de participação na fusão? FFO?
Dados do 1T19
(SSBR3)
FFO 33,6mi
Margem FFO 43,7%

(ALSC3)
FFO 53,8mi
Margem FFO 39,2%
O que achou da divisão 65%/35%?

350740  - marcosvinicius2 -  04 Jun 2018, 21:49
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A RECEITA LIQUIDA teve um pequeno diminuição no 1T18 de 118 milhões contra 120 milhões obtida no 1T17, o RESULTADO BRUTO de 90 milhoes permaneceu em linha na comparação com o valor de 89 milhões do 1T17. O EBITDA obtido no 1T18 foi ligeiramente inferior ao valor de 84 milhões obtido no 1T17. A empresa apresentou uma DIMINUIÇÃO significativa no Lucro Liquido na comparação 1T17 X 1T18, passando de um Lucro de R$ 12 milhões para um lucro de R$ 6,3 milhões, isso ocorreu principalmente em virtude do aumento de Despesas Operacionais partindo de R$ 73 milhões no 1T17 para R$ 76 milhões no 1T18:

ALSC3
PREÇO: 14,93
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 34,08
P/VPA 1,22
PSR 5,99
DY 0,00%
EV/EBITDA 11,99
MARGEM BRUTA 74,80%
MARGEM OPERACIONAL 24,16%
MARGEM LÍQUIDA 17,57%
LUCRO POR AÇÃO 0,438
MARGEM EBITDA 75,75%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 79,53%
ROE 3,59%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,33

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 3,03%
RESULTADO BRUTO 3,00%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -17,55%
RESULTADO OPERACIONAL 663,16%
RESULTADO LÍQUIDO -3432,42%
EBITDA 22,84%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,77%
RESULTADO BRUTO 1,12%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -6,97%
RESULTADO OPERACIONAL -17,68%
RESULTADO LÍQUIDO -47,25%
EBITDA -6,97%

c) lucro (taxa média anual)
UA -3432,42%
U2A -16,45%
U3A -19,87%

d) patrimônio líquido médio
UA 11,63%
U2A 16,19%
U3A 11,99%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 5,48
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +25% !!!!
[...]

348369  - marcosvinicius2 -  24 Mar 2018, 15:04
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A RECEITA LIQUIDA teve um pequeno aumento em 2017 de 507 milhões contra 487 milhões obtida em 2016, o RESULTADO BRUTO de 377 milhoes permaneceu em linha na comparação com o valor de 364 milhões de 2016. O EBITDA obtido em 2017 foi ligeiramente superior ao valor de 318 milhões obtido em 2016. A empresa apresentou uma melhora significativa no Lucro Liquido na comparação 2017 X 2016, passando de um prejuizo de R$ 17,6 milhões para um lucro de R$ 94,5 milhões, isso ocorreu principalmente em virtude da redução de Despesas Operacionais partindo de R$ 112,7 milhões em 2016 para R$ 60,3 milhões em 2017:

ALSC3
PREÇO: 18,76
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 40,23
P/VPA 1,54
PSR 7,49
DY 0,00%
EV/EBITDA 14,06
MARGEM BRUTA 74,29%
MARGEM OPERACIONAL 24,63%
MARGEM LÍQUIDA 18,62%
LUCRO POR AÇÃO 0,466
MARGEM EBITDA 76,59%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 88,19%
ROE 3,83%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,81

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 4,13%
RESULTADO BRUTO 3,57%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,43%
RESULTADO OPERACIONAL 2893,11%
RESULTADO LÍQUIDO -632,13%
EBITDA 22,18%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 4,13%
RESULTADO BRUTO 3,57%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,43%
RESULTADO OPERACIONAL 2893,11%
RESULTADO LÍQUIDO -632,13%
EBITDA 22,18%

c) lucro (taxa média anual)
UA -632,13%
U2A -15,36%
U3A -18,41%

d) patrimônio líquido médio
UA 19,13%
U2A 16,23%
U3A 12,36%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 5,83
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +29,7% !!!
[...]

341521  - marcosvinicius2  -  28 Ago 2017, 21:49
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 42 TRIMESTRES, 7 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (16,66667%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 5.171; (U24M) = 17.774; (U36M) = 24.751; (U48M) = 22.668; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO LIQUIDO (-82,98%) E RESULTADO OPERACIONAL (-72,89%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO LIQUIDO (1475,92%) E RESULTADO OPERACIONAL (317,30%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 3.651.274; VALOR MAXIMO (MIL) = 3.825.760 NO 4T12; VE PSBE (MIL) = 2.961.016:

ALSC3
PREÇO: 18,01
PAYOUT (2016): -100,19%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 176,53
P/VPA 1,51
PSR 7,36
DY 0,00%
EV/EBITDA 16,65
MARGEM BRUTA 74,29%
MARGEM OPERACIONAL 9,25%
MARGEM LÍQUIDA 4,17%
LUCRO POR AÇÃO 0,102
MARGEM EBITDA 64,69%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 97,99%
ROE 0,85%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,47

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 0,52%
RESULTADO BRUTO -2,45%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -27,40%
RESULTADO OPERACIONAL -72,89%
RESULTADO LÍQUIDO -82,98%
EBITDA -38,71%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 4,77%
RESULTADO BRUTO 1,76%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -33,42%
RESULTADO OPERACIONAL 317,30%
RESULTADO LÍQUIDO 1475,92%
EBITDA 10,33%

c) lucro (taxa média anual)
UA -82,98%
U2A -63,45%
U3A -31,96%

d) patrimônio líquido médio
UA 28,07%
U2A 15,24%
U3A 12,26%

▪ No segundo trimestre de 2017 (2T17), a receita bruta da Companhia cresceu 6,9% sobre o 2T16. A receita de estacionamento foi um destaque, crescendo 12,2%. Excluindo o efeito da linearização, a receita bruta da Companhia cresceu 8,8%. ▪ O NOI teve crescimento de 7,2% no 2T17, atingindo R$ 115,7 milhões. Excluindo o efeito da linearização do aluguel, o NOI cresceu 9,8%, e atingiu R$ 112,5 milhões. ▪ O EBITDA Ajustado atingiu R$ 99,0 milhões, crescimento de 8,2%. Excluindo o efeito do aluguel linear, o EBITDA Ajustado cresceu 11,4% no trimestre, atingindo R$ 95,8 milhões.▪ O FFO Ajustado (AFFO) da Companhia atingiu R$ 45,1 milhões, com crescimento de 77,3%, sendo que a margem AFFO cresceu 13,2 p.p. No primeiro semestre, o AFFO atingiu R$ 77,7 milhões, crescimento de 102,7% em relação ao 1S16. O AFFO por ação foi de 0,22 no 2T17, um aumento de 42,4% em relação ao 2T16.

ALSC31.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

293177  - small caps  -  27 Mar 2015, 02:15
Aliansce...

Bom balanço...

Mostrou piora no WPLZ11B - obras vão até quarto trimestre no cinema... e 25% estava pago até final de 2014...

Mostrou que a média dos shoppings vai muito bem...

Mostrou que Shopping Via Parque (que está no HGBS) foi afetado por obras... mas em fevereiro deste ano já começou a melhorar a parte inaugurada...

A vocação do Brasil segue sendo a de cigarra... vamos ver se esta resiliência suporta o cenário recessivo atual...

257657 - BAC 1000  -  13 Mai 2014, 00:19
[...]
ALSC3

Ação da empresa Aliansce Shopping Centers S.A.
Atua no setor financeiro e outros

Resultado do 1º Trimestre de 2014

A companhia registrou lucro líquido de R$ 3,3 M no 1T14, redução de 84,4% em relação ao 4° trimestre de 2013 e redução de 46,5% em relação ao 1° trimestre de 2013. A receita líquida atingiu R$ 26,1 M neste trimestre, 3,0% menor que o 4T13, que foi de R$ 26,9 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 23,5 M.

A margem bruta atingiu 44,0% neste trimestre contra 35,1% no trimestre anterior e 42,0% no primeiro trimestre de 2013. Já a margem líquida ficou em 12,5% no 1° trimestre de 2014 contra 77,4% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 2,3 B, aumento de 0,9% em relação ao saldo no 1° trimestre de 2013. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,7 B no 1° trimestre de 2014, valor 2,7% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.
[...]

175560 - DANIELBOSSAN -  26 Mar 2013, 01:00
Hehehe, vocês não estão sendo maldosos com as enCARDidas?
E a ALIANCE hein...?

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia anunciou lucro líquido de R$ 47,8 M no 4° trimestre de 2012, aumento de 227,8% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e acréscimo de 60,9% em relação ao quarto trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 23,0 M no 4T12, uma variação de 15,8% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e crescimento de 21,0% em relação ao quarto trimestre de 2011.

A margem bruta atingiu 31,7% neste trimestre contra 37,2% no 3T12 e 23,4% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 207,5% no quarto trimestre de 2012 contra 73,3% no 3° trimestre de 2012.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 2,5 B, acréscimo de 47,4% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 1,8 B neste trimestre, o que representou uma variação de 36,9% em relação ao saldo no quarto trimestre de 2011.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 11,3% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 3,9 B contra R$ 2,2 B no quarto trimestre de 2011.

161114 pppadv  -  19 Dez 2012, 21:37
R$103,5 milhões por 13.220,39 m² de ABL = R$ 7.828,81 /m²


COMUNICADO AO MERCADO

Aliansce Shopping Centers (ALSC3) anuncia conclusão da venda da participação no Boulevard Campina Grande por R$103,5 milhões

Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 2012 - A Aliansce Shopping Centers S.A. (Bovespa: ALSC3) anuncia a conclusão da venda da participação de 76,6% no Boulevard Campina Grande. A venda desta participação reforça a estratégia da Companhia em focar recursos nos ativos mais relevantes do portfolio.

O valor de venda do Boulevard Campina Grande será aproximadamente R$103,5 milhões, a serem pagos à vista na data do registro da venda no respectivo RGI. O valor da venda é equivalente a 2,7% do market cap da Aliansce. O shopping contribuiu com 1,8% da receita bruta da Aliansce no 3T12.

Inaugurado em abril de 1999, o Boulevard Campina Grande possui 92 lojas, 1.100 vagas de estacionamento e 17.259 m² de ABL total.

Para acessar o Comunicado, clique aqui.
http://common.mzvaluemonitor.com/Downloader.ashx?accountId=197&fileId=43781

161111 pppadv -  19 Dez 2012, 21:29
R$110,0 milhões por 5.471 m² de ABL = R$ 20.106,01 /m²

Aliansce Shopping Centers (ALSC3) anuncia acordo para aquisição de participação adicional no Shopping Iguatemi Salvador

Rio de Janeiro, 17 de dezembro de 2012 - A Aliansce Shopping Centers S.A. (Bovespa: ALSC3), em cumprimento ao disposto na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários - CVM nº 358 de 3 de janeiro de 2002, anuncia acordo que resultará em uma participação adicional de 8,83%, em termos de ABL, da Companhia no Shopping Iguatemi Salvador na cidade de Salvador, Bahia. Com esta aquisição, a Companhia passará a deter 62,0% do shopping, em termos de ABL. A Aliansce adiciona 5.471 m² à sua ABL própria, que passa a ser 404.273 m².

O valor líquido a ser pago pela aquisição é de cerca de R$110,0 milhões, sujeito aos termos do contrato. Esta aquisição permitirá que a Aliansce consolide participação em um dos principais shoppings do país, aumentando as margens de NOI e EBITDA da Companhia.

A efetivação da aquisição está sujeita ao cumprimento de determinadas condições previstas contratualmente, dentre elas a aprovação da aquisição, em assembleia geral, pelos acionistas da Companhia.

A empresa cujas quotas são objeto da venda é de propriedade da irmã de Renato Rique, Diretor Presidente e Presidente do Conselho de Administração da Companhia. A Companhia submeterá a aquisição à aprovação pelos acionistas em janeiro de 2013. O vendedor é parte relacionada da Companhia e no sentido de dar a maior transparência possível ao processo de aquisição e estar em linha com as melhores práticas de governança corporativa, as seguintes medidas serão tomadas:

I. Abstenção de voto das partes relacionadas na reunião do Conselho de Administração que avaliou a transação; e

II. Abstenção de voto dos acionistas das partes relacionadas da Companhia na Assembleia Geral Extraordinária que aprovará a aquisição.

O Iguatemi Salvador está localizado no centro da terceira cidade mais populosa do país, com uma população de 2,6 milhões de habitantes. A sua ABL total é de 62 mil m², além de aproximadamente 15 mil m² de área comercial de propriedade de lojistas. São 535 lojas e aproximadamente 3.500 vagas de estacionamento. A Aliansce é responsável pela administração e comercialização do shopping.

Durante os primeiros nove meses de 2012 (9M12), as vendas por m² do shopping totalizaram aproximadamente R$1.640 por mês, o NOI/m² R$130 por mês, e a taxa de ocupação no final do 3T12 foi de 99,1%.

O shopping possui cerca de 90 mil m² de potencial construtivo para expansões de varejo e multiuso. Uma expansão de 2.628 m² de ABL total será inaugurada amanhã, e expansão seguinte tem a sua inauguração prevista para 2014 e aumentará a ABL total em mais 8.500 m².

No final do 3T12, o Shopping Iguatemi Salvador representava 9,4% da ABL própria da Companhia e 14,2% da receita bruta da Companhia em 2012.

Para acessar o Comunicado, clique aqui.
http://common.mzvaluemonitor.com/Downloader.ashx?accountId=197&fileId=43789

153618 - small caps -  25 Out 2012, 01:44
Porque a Aliansce teve uma queda básica?

A empresa responde:

Fato Relevante
A Aliansce Shopping Centers S.A. ("Companhia" ou "Aliansce") (Bovespa: ALSC3), em cumprimento ao disposto na  Instrução da Comissão de Valores Mobiliários - CVM ("CVM") nº. 358 de 3 de janeiro de 2002, conforme alterada ("IN CVM  358"), vem a público divulgar aos seus acionistas e ao mercado em geral que possui a intenção de realizar uma oferta pública primária de ações ordinárias de sua emissão (“Oferta”), ainda neste ano de 2012.
A Companhia iniciou recentemente os trabalhos relacionados a tal Oferta, que se for realizada, se dará via procedimento  simplificado para registro de ofertas públicas de distribuição de valores mobiliários previsto na Instrução CVM nº 471, de 8 de agosto de 2008 e do convênio celebrado entre a ANBIMA e a Comissão de Valores Mobiliários, datado de 20 de agosto de 2008, conforme aditado. A possível realização e a conclusão da Oferta, bem como a estrutura definitiva a ser adotada, ainda
estão sujeitas à aprovação pelo Conselho de Administração da Companhia e às condições dos mercados de capitais nacional e internacional.
Por fim, a Companhia manterá seus acionistas e o mercado em geral informados, oportunamente e nos termos da legislação aplicável, quando da realização do protocolo do pedido de registro da Oferta na ANBIMA e demais eventos posteriores.
Este anúncio é de caráter exclusivamente informativo, não se tratando de oferta de venda de valores mobiliários.

153416 - small caps -  24 Out 2012, 13:12
Aliansce Shopping Centers (ALSC3) anuncia aquisição de participação no Shopping West Plaza
Rio de Janeiro, 23 de Outubro de 2012 - A Aliansce Shopping Centers S.A. (Bovespa: ALSC3), anuncia aquisição de 25,0% do Shopping West Plaza, localizado na cidade de São Paulo, SP. Esta aquisição reforça a presença da Aliansce na cidade de São Paulo, onde já possuímos dois empreendimentos.

O valor de aquisição foi R$65,0 milhões, ou R$7.754 por m², que serão pagos à vista quando da data da assinatura da escritura. A Companhia adiciona 8,4 mil m² de ABL própria ao seu portfólio.

Localizado na zona Oeste da cidade, o Shopping West Plaza encontra-se em um dos vetores de expansão imobiliária da capital paulista com diversos lançamentos residenciais e comerciais. A região possui uma das maiores concentrações de escritórios classe A fora das regiões tradicionais.

Inaugurado em maio de 1991 e revitalizado em 2011, o empreendimento possui 33,5 mil m² de ABL, mais de 200 lojas, área de lazer e 1.500 vagas de estacionamento. O Shopping conta com grandes marcas do setor varejista como Renner, Lojas Americanas, Marisa, Magazine Luiza, Fast Shop, Centauro, entre outras.

A Aliansce é responsável pela administração e comercialização do empreendimento desde janeiro de 2012. Nesse período, a vacância do empreendimento foi reduzida em aproximadamente 60%. Atualmente, uma expansão com cerca de 3.200 m² de ABL, com um novo cinema com 7 salas, está em processo final de aprovação.

Vendas totais dos shoppings da Aliansce crescem 13,4% no 3º trimestre
No total, os empreendimentos mostraram faturamento com vendas da ordem de R$ 1,4 bilhão no período
Por Mariana Mandrote
|8h33 | 18-10-2012
http://www.infomoney.com.br/aliansce/noticia/2587351

SÃO PAULO - As vendas em lojas de shopping centers administrados pela Aliansce (ALSC3) tiveram crescimento de 13,4% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2011. No total, os empreendimentos mostraram faturamento com vendas da ordem de R$ 1,4 bilhão de julho a setembro. Os dados compõem a prévia operacional da companhia divulgada na noite de terça-feira (17).

As vendas mesmos shoppings, ou seja, excluindo os empreendimentos inaugurados nos últimos 12 meses, cresceram 14,5% no período. Nos conceitos "mesmas lojas" (unidades abertas há cerca de um ano), as vendas subiram 10,4% em comparação com o terceiro trimestre de 2011. Trata-se do décimo primeiro trimestre consecutivo de crescimento de dois dígitos.
compras - shopping

Já as vendas de mesmas áreas avançaram 11,9% no período, resultado da qualificação do mix dos shoppings da Aliansce, de acordo com a companhia.

Aluguéis
Na mesma base de comparação, os aluguéis de mesmas lojas subiram 8,6%. No conceito de mesmas áreas, a taxa avançou 8,5% no terceiro trimestre em relação ao mesmo período do ano passado.

Ocupação e inadimplência
Já a taxa de ocupação da companhia ficou em 98,3% no período, impactada pelos ativos da Nova Geração. Os ativos com mais de cinco anos de operação atingiram um taxa de ocupação de 99,0%. O nível de inadimplência líquida foi de 1,8% no terceiro trimestre.  

Análise Coin Valores
A Aliansce Shopping Centers é uma das empresas líderes do setor de shopping Center no Brasil, atuando como proprietária e administradora, participando ativamente de todas as fases do negócio, desde o planejamento e desenvolvimento até sua comercialização e administração. Nosso portfólio possui diversidade geográfica, com shoppings localizados em todas as regiões brasileiras, e exposição a um público de diversificada faixa de renda. A Aliansce possui hoje participação em 17 shoppings, sendo 14 em operação e 03 em desenvolvimento. A Companhia também atua como prestadora dos seguintes serviços: (i) a administração de shopping centers; (ii) a comercialização de espaços de shopping centers; e (iii) o planejamento e desenvolvimento de shopping centers. Entre os 17 shoppings em que possuímos participação, administramos 15 empreendimentos. Possuímos um perfil desenvolvedor – desde 2006, desenvolvemos e inauguramos 08 shoppings centers e estamos entre as maiores administradoras de shoppings do Brasil.

RETROSPECTIVA 2010
O ano de 2010 marcou o início de uma nova fase da Aliansce, com o lançamento das nossas ações no Novo Mercado da BM&FBovespa, através de um oferta primária de ações (IPO). Os recursos adicionais estão sendo investidos no crescimento da empresa. Lançamos o Parque Shopping Belém, com 28.100 m² de ABL, consolidando a presença da Companhia na capital Paraense, com dois shoppings que entendemos possuir uma vantagem competitiva por sua qualidade e localização. Inauguramos o Boulevard Shopping Belo Horizonte (MG), empreendimento com 43.064 m² de ABL. Com a construção da torre de escritórios de aproximadamente 17.000 m² de área útil na estrutura do shopping, o empreendimento se consolidará como um dos maiores pólos de negócios da capital mineira. Anunciamos o aumento de participação no Super Shopping Osasco (SP) e no Boulevard Shopping Campina Grande (PB) que juntos adicionaram 1.405 m² de ABL própria ao nosso portfólio. Adquirimos um terreno de 18.256 m² localizado na Barra da Tijuca, vizinho ao Via Parque Shopping (RJ), que permitirá a ampliação do potencial construtivo deste ativo. Esta região concentra 70% dos investimentos que serão realizados para as Olimpíadas de 2016.

PERSPECTIVA 2011
No segundo trimestre de 2011, teremos a inauguração do Boulevard Shopping Campos com aproximadamente 19.000 m² de ABL. Empreendimento com grande potencial, único em uma cidade com aproximadamente 450 mil habitantes. Pretendemos inaugurar expansões nos shoppings da Companhia que irão agregar mais de 13.000 m² de ABL própria ao nosso portfólio. Permanecemos otimistas com impactos favoráveis que o crescimento da economia terá no varejo e com a convicção de que nosso jovem e diversificado portfólio está excepcionalmente bem posicionado para continuar a virtuosa trajetória em 2011. Reafirmamos o nosso compromisso de dar transparência às nossas iniciativas, permitindo assim que nossos acionistas acompanhem o retorno dos investimentos realizados e as movimentações estratégicas.

Nenhum comentário: