Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 6 de abril de 2020

PetroRio (PRIO)

Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: Andino (2013)

Carteiras
FRBRAVIM (mar/19) - fridao (nov/17) - Gersonlp (jan/18) - monedsan (mar/20) - vellinhotrt4 (jan/13)

Códigos de Negociação
Tipo
PRIO3
  Novo Mercado

Balanços
3T2018 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A PetroRio registrou R$ 224,6 milhões em Receita Líquida no 3T18, um incremento de 104,2% em relação aos R$ 110 milhões aferidos em 3T17. Destas receitas, R$ 193,8 milhões foram originados da venda do óleo de Polvo, um aumento de 141,4% para o ativo frente ao ano anterior. O forte aumento na receita é atribuído à valorização do preço do Brent e ao câmbio mais favorável, dada a Receita em dólar, mesmo considerando a menor venda de barris em relação ao mesmo período do ano passado.; EBITDA = O EBITDA do 3T18 foi impulsionado pelos fortes resultados operacionais. A PetroRio alcançou R$ 91,2 milhões de EBITDA no trimestre atingindo margem de 41% (em 3T17: 19,1% e em 2T18: 35,8%). O valor corresponde, pelo segundo trimestre consecutivo, ao maior EBITDA já registrado pela Companhia, se desconsiderados efeitos não recorrentes.; LUCRO LIQUIDO = Da mesma forma, o Lucro Líquido de R$ 71,5 milhões, significativamente maior que os R$ 16,6 milhões registrados no 3T17 é atribuído, principalmente, ao forte Resultado Operacional dos ativos no período.No trimestre, o Lucro Líquido beneficiou-se de um forte resultado financeiro, positivamente impactado pelas aplicações financeiras e variação cambial no período. No entanto, o impacto positivo foi parcialmente reduzido pela incidência de Imposto de Renda e CSLL dado os resultados positivos dos ativos.

A2017/4T2017 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). A Receita Líquida de R$ 533,9 milhões representa um aumento de 34,2% em relação a 2016.; Outras Receitas e Despesas somaram R$41,5 milhões no ano são explicadas pela reversão de contingência, após a PetroRio obter decisão favorável para anulação de uma sentença arbitral com a Tuscany. No comparativo anual, a redução de 88% se deve em função do reconhecimento, em 2016, de R$ 309,2 milhões referentes à reclassificação do ajuste acumulado de conversão (CTA) devido ao encerramento de filial na Namíbia, antes classificado no Patrimônio Líquido da Companhia.; O EBITDA teve destaque em 2017 impulsionado pelos fortes resultados operacionais e pela incorporação dos resultados de Manati. A PetroRio alcançou R$ 131,7 milhões de EBITDA no ano, atingindo uma margem EBITDA de 24,7%. Em relação a 2016, a queda do EBITDA se deve à reclassificação nas Outras Receitas e Despesas citada acima durante o período comparativo.

Características
Constitui Objeto Da Companhia A Participação em Outras Sociedades Como Sócia. Acionista Ou Quotista. Independentemente de Sua Atividade.
O Grupo HRT e composto por uma das maiores empresas independentes de exploracao e producao de oleo e gas natural do Brasil. A HRT Participacoes possui oito principais subsidiarias: a IPEX (Integrated Petroleum Expertise Company Servicos em Petroleo Ltda.), a HRT O&G Exploracao e Producao de Petroleo Ltda., a HRT Netherlands B.V., a HRT Africa Petroleo S.A., a HRT America Inc., a Air Amazonia Servicos Aereos Ltda. e a HRT Canada Inc.. A Companhia detem 100% de participacao em 21 blocos exploratorios localizados na Bacia do Solimoes. A HRT tambem e operadora de dez blocos exploratorios na costa da Namibia: oito blocos na Sub-Bacia de Orange e dois blocos na Sub-Bacia de Walvis. A HRT possui uma equipe composta por doutores e mestres em geologia, geoquimica, geofisica, biologia e engenharia, sendo a maioria deles exfuncionarios da Petrobras e da ANP. A HRT esta comprometida em minimizar os possiveis impactos ambientais nos locais onde atua. O compromisso com as comunidades locais passa pela reducao dos impactos das operacoes nas condicoes de saude, seguranca e qualidade de vida

Assembleias
AGO/E - 20/04/2020 17:00assuntos: em sede de Assembleia Geral Ordinária, a) tomar  as  contas  dos  administradores,  examinar,  discutir  e  votar  as demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019; b) aprovar a destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2019; c) fixar o limite de valor da remuneração global anual dos administradores da Companhia; d) eleger os membros do Conselho de Administração da Companhia, com mandato unificado de 2 (dois) anos, a se encerrar na Assembleia Geral Ordinária que aprovar as contas do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2021;e, em sede de Assembleia Geral Extraordinária,e) aprovar   o   aditamento   ao   Plano   de Opção   de   Compra   de  Ações aprovado   na   Assembleia  Geral  Extraordinária   realizada  em  22   de dezembro de 2017 e ratificar a outorga de todas as Opções concedidas no âmbito do plano que estejam de acordo com o referido aditamento; e f) aprovar  a  proposta  da  Administração  para  reforma e  consolidação  do Estatuto   Social   da   Companhia,   de   modo   a   realizar   as   seguintes alterações:  (i)  alterar  o  artigo  5º,  para  atualizar  o  capital  social  da Companhia, de modo a refletir os aumentos de capital deliberados pelo Conselho de Administração no limite do capital autorizado; (ii) incluir o novo artigo 6º, estabelecendo o limite do direito de voto a 15% (quinze por  cento)  do  capital  social  da  Companhia,  considerando  acionistas individualmente  bem  como  grupo  de  acionistas;  (iii)  incluir  o  novo artigo 11, estabelecendo o limite do direito de voto a 10% (dez por cento) do capital social para acionistas que exerçam, direta ou indiretamente, atividade  que  seja  ou  que  possa  ser  considerada  concorrente  às atividades desenvolvidas pela Companhia; (iv) alterar os artigos  12, 13 e  21, para aprimorar as regras de governança da Companhia, com ajustes nas atribuições da Assembleia Geral e do Conselho de Administração; (v)  incluir  o  novo  artigo  19,  para  disciplinar a  eleição  dos  membros  do Conselho de Administração pelo sistema de chapas; (vi) incluir o novo artigo 20, para harmonizar o processo de eleição pelo sistema de voto múltiplo  com  as  regras  atinentes  ao  direito  de  voto;  (vii)  alterar  os artigos  27  a  30,  para  atualizar  regras  de  governança aplicáveis  à Diretoria da Companhia; (viii) alterar o artigo 30, para ajustar as regras de composição do Comitê de Auditoria da Companhia, com vistas à sua maior compreensão; (ix) reformular as disposições dos artigos 39 a 49, bem como inserir os novos artigos 43 a 47, para atualizar as normas do Estatuto  Social  às  regras  do  Novo  Mercado  aplicáveis  à  realização  de ofertas  públicas  de  aquisição  de  ações  da  Companhia;  (x)  inserir  os novos artigos 53 a 55, para estabelecer um mecanismo de proteção da dispersãoacionária, com a previsão de obrigação de oferta pública de aquisição de ações da Companhia para aqueles que passarem a deter, de forma voluntária, mais de 20% (vinte por cento)do capital social da Companhia; e (xi) ajustar, de forma geral, a redação do Estatuto Social para   corrigir   e   aprimorar   a   linguagem   e   a   numeração   de   seus dispositivos,  buscando  igualmente  adaptá-los  aos  atuais  padrões  de governança do Novo Mercado

Apresentações
20/02/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

20/02/2020 - Press-release

Dados Operacionais

Balanços (Calendário)




19/03/2020 - 3ª Fase  da Revitalização  do  Campo  de  Polvo - 
informa que decidiu pela perfuração e completação de dois poços. O primeiro,em um reservatório  carbonático do  Albiano,  formação  Quissamã(“POL-N”)  e  o  segundo  em  um  reservatório arenítico do Eoceno, formação Emboré(“POL-L”). Poço POL-N (prospecto Ipanema) Conforme Fato Relevante divulgado em 3 de fevereiro de 2020, apesar das boas características permo-porosas encontradas, a viscosidade do óleo acima da esperada demandou maiores estudos e, assim, a Companhia iniciou na data de hoje, testes de injeção de redutores de viscosidade buscando viabilizar economicamente a produção do poço. Poço POL-L (Eoceno) A PetroRio iniciou a produção do poço POL-L, e verificou uma vazão inicial superior a 2.500barris por dia, o  que representa um  incremento  de quase 30%  na  produção do Campo  de Polvo,  que  voltou  a apresentar uma produção diária próxima aos 11,000 barris por dia nos primeiros dias de produção do poço. Este volume de produção permitirá uma redução do lifting costpara níveisinferiores a26dólares por barril paraPolvo,  e inferiores  a18  dólares  por  barril  para  Companhia, considerandoa  participação  de 70% de Frade nos próximos meses,e ainda sem considerar sinergias adicionais sendo estudadas com o tieback de Tubarão Martelo.Asreservas  da  Companhia  também  foram  positivamente  impactadas  pelo  sucesso  da  campanha.

20/02/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado
03/02/2020 -
a assinatura de contratos compreendendo a aquisição (i) da embarcação OSX-3, por US$ 140 milhões; e (ii) de 80% (“farm-in”) do Campo de Tubarão Martelo (“TBMT”), onde a embarcação OSX-3 encontra-se afretada. Estas aquisições permitirão a interligação (“tieback”) entre os campos de Polvo e TBMT, simplificando o sistema de produção e criando um polo privado na região, o que irá gerar sinergias significativas, reduções do lifting cost e a extensão da vida econômica dos campos.
Após o tieback dos ativos, a Companhia estima que os custos operacionais combinados do polo Polvo e TBMT, que atualmente ultrapassam US$ 200 milhões por ano (US$ 100 milhões de Polvo + US$ 100 milhões de TBMT), serão reduzidos a menos de US$ 80 milhões por ano, após implementadas as sinergias previstas. Da mesma forma, o lifting cost poderá ser reduzido a menos que US$ 16 por barril, como resultado das sinergias aéreas, marítimas e terrestres e o descomissionamento do FPSO atualmente arrendado a Polvo.

364947 - keep_calm  -  04 Nov 2019, 17:56
Petro Rio (PRIO3): divulgou os resultados referentes ao terceiro trimestre de 2019 nesta quinta-feira, 31.A companhia teve prejuízo de R$ 71,8 milhões no 3T19.A PetroRio alcançou R$ 215,9 milhões de EBITDA ajustado (ex-IFRS 16) no 3T19 o que representa aumento de 102,9% ano contra ano e margem de 54% – a mais alta já registrada na história da companhia para um trimestre.O EBITDA do período foi impulsionado pela incorporação de Frade e da subsequente alavancagem operacional no terceiro trimestre, compensando a queda do preço médio do Brent (-18%) no mesmo período. A PetroRio registrou R$ 399 milhões em Receita Líquida no 3T19, um aumento de 78% em relação aos R$ 224,6 milhões aferidos no 3T18. Destas receitas, 30% foram originados da venda do óleo de Polvo e 64% do óleo de Frade. O forte incremento na receita é atribuído ao aumento no número de barris vendidos, decorrentes da conclusão da aquisição de 52% do Campo de Frade, em março de 2019.O resultado financeiro (ex-IFRS 16) da companhia foi negativo em R$ 98,4 milhões, vs. R$ 29,1 milhões positivos no comparativo anual, e contribuindo fortemente para o prejuízo líquido do período. “A principal razão para esta diferença se deve à variação cambial sobre as novas dívidas e provisão de abandono em dólar, o que impactou o resultado financeiro em R$ 79,4 milhões no trimestre. Somados a este impacto não-caixa estão R$ 17,3 milhões de gastos com juros recorrentes sobre o vendor finance da Chevron Brasil para a aquisição de Frade”, explicou a Petro Rio.

356595 - marcosvinicius2 -  06 Dez 2018, 20:46
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A PetroRio registrou R$ 224,6 milhões em Receita Líquida no 3T18, um incremento de 104,2% em relação aos R$ 110 milhões aferidos em 3T17. Destas receitas, R$ 193,8 milhões foram originados da venda do óleo de Polvo, um aumento de 141,4% para o ativo frente ao ano anterior. O forte aumento na receita é atribuído à valorização do preço do Brent e ao câmbio mais favorável, dada a Receita em dólar, mesmo considerando a menor venda de barris em relação ao mesmo período do ano passado.; EBITDA = O EBITDA do 3T18 foi impulsionado pelos fortes resultados operacionais. A PetroRio alcançou R$ 91,2 milhões de EBITDA no trimestre atingindo margem de 41% (em 3T17: 19,1% e em 2T18: 35,8%). O valor corresponde, pelo segundo trimestre consecutivo, ao maior EBITDA já registrado pela Companhia, se desconsiderados efeitos não recorrentes.; LUCRO LIQUIDO = Da mesma forma, o Lucro Líquido de R$ 71,5 milhões, significativamente maior que os R$ 16,6 milhões registrados no 3T17 é atribuído, principalmente, ao forte Resultado Operacional dos ativos no período.No trimestre, o Lucro Líquido beneficiou-se de um forte resultado financeiro, positivamente impactado pelas aplicações financeiras e variação cambial no período. No entanto, o impacto positivo foi parcialmente reduzido pela incidência de Imposto de Renda e CSLL dado os resultados positivos dos ativos.:

PRIO3
PREÇO: R$ 97,17
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,12
P/VPA 1,35
PSR 1,67
DY 0,00%
EV/EBITDA 3,15
MARGEM BRUTA 35,51%
MARGEM OPERACIONAL 18,94%
MARGEM LÍQUIDA 16,53%
LUCRO POR AÇÃO R$ 9,602
MARGEM EBITDA 33,97%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 6,61%
ROE 13,34%
LIQUIDEZ CORRENTE 4,74

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 70,64%
RESULTADO BRUTO 380,31%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -149,87%
RESULTADO OPERACIONAL -57,82%
RESULTADO LÍQUIDO -63,83%
EBITDA -41,32%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 104,18%
RESULTADO BRUTO 552,28%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 104,87%
RESULTADO OPERACIONAL 608,65%
RESULTADO LÍQUIDO 336,20%
EBITDA 288,86%

c) lucro (taxa média anual)
UA -63,83%
U2A -2,69%
U3A -148,92%

d) patrimônio líquido médio
UA 0,69%
U2A 4,27%
U3A 12,73%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 120,03
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -4,8% !!!!
[...]

352334 - lessafarm  -  31 Jul 2018, 04:49
prio3 saiu ao apagar das luzes de 30072018

FATO RELEVANTE INÍCIO DA PRODUÇÃO DO SEGUNDO POÇO DA CAMPANHA DE PERFURAÇÃO DE 2018 Rio de Janeiro, 30 de julho de 2018 - A Petro Rio S.A. ("Companhia" ou "PetroRio") (B3: PRIO3) comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral que deu início à produção do segundo poço da campanha de perfuração, de localização denominada POL-Z. Conforme já divulgado ao mercado, a perfuração do segundo poço teve início em junho de 2018 e faz parte do Plano de Revitalização do Campo de Polvo. O projeto engloba a perfuração de três poços ao longo de seis meses, com o objetivo de incrementar o volume de óleo recuperável, possibilitando a extensão da vida econômica do Campo. A perfuração de POL-Z confirmou a presença de óleo no alvo principal, em reservatório arenítico da formação Carapebus, do Grupo Campos, com intervalo vertical de 20 metros de net pay, porosidade média de 22% e densidade de óleo de 19º API. Tendo em vista os resultados positivos, que apontaram para a economicidade de POL-Z, a PetroRio completou o poço e iniciou a produção através das instalações em operação no Campo. A duração da perfuração/completação do poço até o início de sua produção foi de 60 dias, dentro das estimativas da Companhia. A vazão inicial aferida, e que teve como base a estabilização da pressão do reservatório, é de aproximadamente 2,000 barris por dia. A Companhia estima que o volume de óleo recuperável que será reclassificado de reserva provada não-desenvolvida para provada desenvolvida, é de 3,0 milhões barris, pendente da avaliação por parte da certificadora independente. O sucesso do poço POL-Z, somado ao sucesso do primeiro poço (POL-H), aumenta a produção do Campo em aproximadamente 50% em menos de quatro meses de campanha. A perfuração contou com a parceria da Baker Hughes e atingiu a maior distância já percorrida por uma única broca 12 1/4 deste fornecedor no Brasil (6.314m de comprimento). A administração da PetroRio estende sua satisfação com os resultados alcançados dentro do que foi planejado por sua equipe técnica e estima que o sucesso desta campanha dará subsídios e confiança para novas campanhas de perfuração futuras. A Companhia informa ao mercado, ainda, que dará início à perfuração do terceiro poço, de localização denominada POL-M. Para acessar o arquivo, clique aqui.

348588  - marcosvinicius2 -  31 Mar 2018, 14:40
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). A Receita Líquida de R$ 533,9 milhões representa um aumento de 34,2% em relação a 2016.; Outras Receitas e Despesas somaram R$41,5 milhões no ano são explicadas pela reversão de contingência, após a PetroRio obter decisão favorável para anulação de uma sentença arbitral com a Tuscany. No comparativo anual, a redução de 88% se deve em função do reconhecimento, em 2016, de R$ 309,2 milhões referentes à reclassificação do ajuste acumulado de conversão (CTA) devido ao encerramento de filial na Namíbia, antes classificado no Patrimônio Líquido da Companhia.; O EBITDA teve destaque em 2017 impulsionado pelos fortes resultados operacionais e pela incorporação dos resultados de Manati. A PetroRio alcançou R$ 131,7 milhões de EBITDA no ano, atingindo uma margem EBITDA de 24,7%. Em relação a 2016, a queda do EBITDA se deve à reclassificação nas Outras Receitas e Despesas citada acima durante o período comparativo:

PRIO3
PREÇO: 59,00
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 15,31
P/VPA 0,88
PSR 1,46
DY 0,00%
EV/EBITDA 2,02
MARGEM BRUTA 18,52%
MARGEM OPERACIONAL 9,11%
MARGEM LÍQUIDA 9,52%
LUCRO POR AÇÃO 3,855
MARGEM EBITDA 31,08%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 18,24%
ROE 5,76%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,92

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 34,19%
RESULTADO BRUTO -1032,89%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -205,15%
RESULTADO OPERACIONAL -80,76%
RESULTADO LÍQUIDO -78,95%
EBITDA -49,50%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 34,19%
RESULTADO BRUTO -1032,89%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -205,15%
RESULTADO OPERACIONAL -80,76%
RESULTADO LÍQUIDO -78,95%
EBITDA -49,50%

c) lucro (taxa média anual)
UA -78,95%
U2A -32,14%
U3A -137,01%

d) patrimônio líquido médio
UA 12,08%
U2A 13,75%
U3A -10,11%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 48,19
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +4,80% !!!!
[...]

345938  - paulo_prof  -  09 Jan 2018, 20:11
A corrida do homem pelado na PRIO3 me motivou a dar uma olhada na empresa. Como até anteontem o meu conhecimento sobre a empresa (números, ativos, atividades, etc.) era zero, espero que ninguém me crucifique se no que segue houver imprecisões, mesmo grosseiras.

A PetroRio é uma empresa que ao final do 3T17 tinha os seguintes ativos:

a) caixa líquido de aprox. R$ 613 milhões

b) 100% do campo de petróleo Polvo, produzindo aprox. 7.300 barris dia, com perspectiva de produzir aprox. 13,4 milhões de barris no total, para posterior abandono em 2022;

c) 10% do campo Manati, com capacidade de produção de 600 mil m3 por dia (parcela PetroRio) e reservas desenvolvidas de 0,9 bilhões de m3 (parcela PRIO); produzindo em seu máximo, as reservas seriam consumidas em aprox. 4,5 anos.

d) 10% do campo Camarão Norte (na região geográfica de Manati), cujo desenvolvimento depende majoritáriamente dos sócios;

e) 100% dos blocos exploratórios FZA-M-254 (ainda na fase de exploração) e FZA-M-539 (pronto para o desenvolvimento) na foz do Amazonas;

d) uma equipe experiente de profissionais do petróleo, supostamente competentes;

O preço de venda do petróleo de Polvo é fixado com base na cotação internacional do óleo Brent e o gás de Manati é vendido para a Petrobrás de acordo com um contrato take or pay fixado em reais e com reajuste pela variação da inflação. A Petrobrás recebe o gás de acordo com a sua demanda diária, limitado à capacidade de produção. O contrato preve um mínimo anual.

Considerando a produção de óleo e gás, NA MELHOR DAS HIPÓTESES, chega-se a seguinte DRE anual

Receita Líquida: R$ 600 milhões

Custo dos Produtos Vendidos: (R$ 360 milhões)

Royalties: (R$ 60 milhões)

Resultado das Operações: R$ 180 milhões

Despesas com G&A, G&G e Projetos: (R$ 60 milhões)

EBITDA: R$ 120 milhões

Depreciação: (R$ 80 milhões)

Resultado Financeiro: R$ 60 milhões

IR/CS: (R$ 15 milhões)

Lucro Líquido: R$ 85 milhões

LPA = R$ 6,44

Valor Intrínseco (taxa de desconto de 8%, crescimento real nulo do lucro, taxa de crescimento nula do lucro na perpetuidade): R$ 61,63

Valor Intrínseco (taxa de desconto de 6%, crescimento real nulo do lucro, taxa de crescimento nula do lucro na perpetuidade): R$ 86,65


Nos cálculos dos valores intrinsecos acima, a hipótese é que a produção dos campos de Polvo e Manati durará, nos níveis atuais, para sempre. Em compensação, o caixa líquido atual é considerado irrelevante (acabará "comido" pela taxa de desconto na perpetuidade). Um cálculo mais preciso seria somar o fluxo de caixa gerado até a exaustão dos ativos produtores ao caixa liquido atual e trazer o resultado final para o presente, usando uma taxa de desconto adequada. Para tanto, teria que ser levada em conta a curva de produção até o abandono dos campos, que diminui com o tempo. Por exemplo, no 1T17, Polvo produziu uma média de 8.213 bpd. No 2T17 a produção caiu para 8.040 bpd. Nos dois últimos trimestres, a produção média foi de 7.654 bpd no 3T17 e 7.353 bpd no 4T17. Ou seja, a curva de produção apresentou uma queda anual de quase 14%!!!

Em resumo ... Para justificar os preços atuais do ativo, é necessário, além da aquisição de novos ativos produtores de óleo e gás, em adição/substituição a Polvo e Manati, que estes ativos rendam um adicional maior do que os FR$ 60 milhões estimados como Resultado Financeiro na simulação !!!

Neste sentido, entretanto, a empresa tem produzido muito mais espuma do que fatos. Volta e meia a empresa é questionada pela CVM a justificar "boatos" que (principalmente) o diretor de ri costuma espalhar na imprensa. Como há 8 meses, quando afirmou que a meta da empresa era produzir 100 mil barris diários ao final de 2017 (quando, de fato, depois desta sua declaração, a empresa não produzu um único barril diário a mais). Falou, também, que a empresa estava envolvida em 10 processos de concorrência incluindo, além do Brasil, ativos no México, Paraguai e Colômbia, Há, também, um zum-zum de que a empresa estaria avaliando adquirir ativos da Petrobrás na África. Finalmente, declarou que a a empresa estaria também ingteressada em desenvolver também o campo de Pirapema na foz do Amazonas e furar novos poços no Campo de Polvo, visando o aumento da produção e das reservas certificadas. Ocorre que o tempo passa, e nada (ou quase nada) acontece! Para furar os novos poços em Polvo, a empresa está requerendo à ANP que as despesas com royalties no campo de Polvo sejam cortadas pela metade. Para desenvolver Pirapema estaria procurando parceiros, provavelmente porque o caixa da empresa de longe não é suficiente para assumir os riscos sozinha (seria como colocar todos os ovos que têm, num único cesto). No que concerne a aquisição de novos ativos da Petrobrás, parece claro que a empresa deseja pagar uma fração do valor justo ... e as coisas estão difíceis de rolar. No meu modo de entender, de fato falta capital. Não sei se a empresa tem credibilidade para conseguir emitir dívida a custos razoáveis.

A suposta especialidade da empresa seria a de turbinar os resultados de ativos de óleo e gás, via a minimização de despesas e aumento da recuperabilidade de reservas. No fundo, entretanto, a empresa teve uma única experiência bem sucedida neste sentido, no campo de Polvo. Todas as vezes que é questionada pela CVM em relação aos "exageros" que saem na imprensa, acaba vindo sempre com a mesma ladaínha ... de que está sempre avaliando ativos para aquisição, mas acrescentando também uma frase padrão de auto-elogio... por fim, como amplamente divulgado, a estratégia da Companhia é focada não só no crescimento pela aquisição de ativos em produção, mas também pelas atividades de reexploração, maior eficiência operacional, redução dos custos de produção e das despesas corporativas. A companhia vem sendo bem sucedida em seus objetivos, resultando na extensão da vida útil do campo de Polvo. Tais atividades foram objeto de Fatos Relevantes nos dias 29/02/16 às 19h35min e 04/12/2015 às 09h40min.

345822  - paulo_prof  -  05 Jan 2018, 23:44
O ativo não está na minha planilha ...

De qualquer forma, dando um rápida olhada nos números das DREs dos últimos 4 trimestres (planilha excel do Fundamentus) vejo uma empresa que parece bastante ruim no operacional recorrente. O lucro recorrente parece ser sustentado pelo Resultado Financeiro. Se vc deduzir as Outras Receitas Operacionais e Outras Despesas Operacionais do Resultado Antes dos Impostos e Participações, vc obterá

Trimestre ........................................................ 3T17 ...... 2T17 ...... 1T17

Resultado Financeiro ....................................14.224 ... 10.692 ... 21.692

Resultado Antes dos Impostos "Ajustado" ... 15.566 ..... 7.052 .... 9.217

No 4T16, a empresa contabilizou uma receita líquida de R$ 346 milhões em outras despesas operacionais !!! Ou seja, uma baita "despesa" negativa. Quero crer que seja completamente não recorrente, correto? Por outro lado, no 2T17, a empresa contabilizou R$ 42 milhões como Outras Receitas Operacionais. Mais uma vez, quero crer que sejam Receitas não recorrentes. Se de fato estes valores do 4T16 e 2T17 forem não recorrentes, a empresa está super avaliada pelo mercado ... OLHANDO SOMENTE OS NÚMEROS, com muita boa vontade, no limite extremo eu estimaria R$ 65,00 pelo ativo.

345807  - damonpena  -  05 Jan 2018, 17:27
Prof paulo ... o que acha da PetroRio ?
Pelo site fundamentus .. os gr[aficos mostram aparentemente uma mudança de rumo na empresa ... os resultados começando a aparecer ... P/L baixo .. etc ...
Tem algum comentario sobre a empresa e seu valor justo ?

343548  - FoxHoundBR  -  04 Nov 2017, 03:06
Citação: fridao - Post #343542 - 03/Nov/2017 19:56
De tanto o Pobre elogiar o seu "cavalo árabe"(QGEP3), resolvi apostar num jegue, ou pangaré(como queiram)...rsss...de nome PRIO3, quando estava por volta de 47,00.
E hoje, olhando a performance do "desafiante", percebi que a aposta está me deixando bastante satisfeito, pelo menos até o presente momento...só espero que o "animal" não empaque logo adiante. kkkk
Cotação atual de PRIO3 59,40.
Fridao,

enquanto alguns aqui no fórum só falavam bem e recomendavam a QGEP insistentemente (e o papel até que teve alguma subida de preços), os preços das ações da PRIO foram subindo de forma bem mais consistente, e quem comprou o papel lá atrás quando ainda estava nos R$ 15,00 no ano passado e não vendeu se deu super bem. Infelizmente não me incluo nesse segundo grupo, pois hoje em dia quero distância do setor de óleo e gás (e, além disso, na época também estava focado em encarteirar outros papéis). Aproveitei a deixa para fazer essa observação, pois em dois anos observando os posts daqui ninguém falou nada sobre esse papel, e enquanto ele estava deixado para escanteio e se valorizando "na surdina", alguns preferiram focar em outras oportunidades menos rentáveis no mesmo setor, como a QGEP.

Ressalto que estou dizendo isso porque acompanho o papel desde quando ainda se chamava HRT e, embora muitos aqui tenham pavor do Nelson Tanure, essa disparada de preços da PRIO se deve muito a ele. Desde que ele entrou no papel e arrumou a gestão da empresa, do agrupamento em Abril do ano passado até os dias de hoje o preço do papel quadruplicou, e um desempenho gerencial tão eficiente assim não ocorreu por acaso. Claro que esse bom desempenho não apaga o seu histórico negativo no passado, mas com certeza o que ele fez na empresa é algo digno de se "tirar o chapéu".

Nada mal para um pangaré com cara de "Rubinho Barrichello", mas com desempenho de "Michael Schumacher".

321182  - FoxHoundBR  -  04 Mai 2016, 22:54
Exatamente. É a antiga HRT, mas com uma nova gestão, que de longe é melhor do que a anterior. E apesar do Tanure, ela está dando seguidos lucros, a ponto do caixa dela estar com dívida líquida negativa (ou seja, caixa líquido positivo) de aproximadamente 465 milhões. Posso estar enganado, mas nesse 1o trimestre ela foi a única petroleira a apresentar lucro no balanço, e isso em plena crise!

Eu mesmo só não investi nela nesse ano porque preferi colocar minha grana em FJTA (e tbm por causa da crise do petróleo, que me deixou muito receoso em investir em outra petroleira), mas pretendo entrar comprado na empresa em um futuro não muito distante.

Dá uma lida nisso aqui (http://veja.abril.com.br/blog/mercados/petroleo-gas-e-mineracao/petrorio-ex-hrt-planeja-mais-aquisicoes/), e tire suas conclusões.


HRT Petróleo (HRTP)

258289  - israel007  -  15 Mai 2014, 02:49
HRTP3

Ação da empresa Hrt Participações em Petróleo S.A.
Atua no setor petróleo. gás e biocombustíveis

Resultado do 1º Trimestre de 2014

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 1,7 M neste trimestre, revertendo os prejuízos de R$ 868,4 M anunciados no 4° trimestre de 2013. No mesmo período do ano passado, o resultado havia sido negativo em R$ 99,2 M.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 1,6 B, decréscimo de 57,8% em relação ao saldo no 1° trimestre de 2013. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 1,5 B no 1° trimestre de 2014, valor -58,9% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Neste período, a ação oscilou 2,2% contra -2,1% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 274,6 M contra R$ 987,9 M no 1T13.
[...]

175574 - marcelio2 -  26 Mar 2013, 01:25
INÍCIO DA PERFURAÇÃO D INÍCIO DA PERFURAÇÃO D O DA PERFURAÇÃO DO 1º POÇO OFFSHORE OFFSHORE OFFSHORE NO PROSPECTO DE WINGAT PROSPECTO DE WINGAT NA NAMIBIA NA NAMIBIA NA NAMIBIA

Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 25 de março de 2013 de março de 2013 de março de 2013 –––– A HRT Participações em Petróleo S.A. A HRT Participações em Petróleo S.A. A HRT Participações em Petróleo S.A. (a “Companhia” ou “HRT”) (BM&FBOVESPA:

HRTP3, TSX-V: HRP), através de sua subsidiária HRT Walvis Petroleum (Proprietary) Ltd. ("HRT Walvis"), informa que, na presente data, deu início à
perfuração do poço Wingat-1 (2212A/07) (“Wingat-1”), o primeiro poço offshore de sua campanha exploratória. Esse poço faz parte do Prospecto Wingat, que está localizado no Petroleum Exploration License 23 (“PEL-23”), na Bacia de Walvis, no offshore da República da Namíbia.

O poço Wingat-1 está localizado a aproximadamente 200 km a noroeste de Walvis Bay, em lâmina d’água de 1.034 m, e visa testar uma trapa combinada alongada com área potencial P10 de 381 km2, com fechamento dômico que se estende por 42 km2
. O objetivo principal desse poço é testar os recursos potenciais da plataforma carbonática de idade Albiana, que possui uma anomalia de amplitude sísmica bem definida em dados 3D PSDM.

A previsão é de que esses reservatórios sejam encontrados a uma profundidade de
aproximadamente 3.950 m abaixo do nível do mar. Wingat-1 será perfurado a uma profundidade total prevista de 4.100 m pela sonda semi-submersível Transocean Marianas (NYSE:RIG). O tempo total estimado para as operações de perfuração é de cerca de 60 dias.

A HRT é a operadora de 10 blocos no offshore da Namíbia, que estão distribuídos em quatro Licenças Exploratórias. A companhia GALP Energia (NYSE Euronext Lisbon: GALP), com 14% de participação, é a parceira da HRT na perfuração dos três primeiros poços da atual campanha exploratória.

“Estamos muito confiantes com o início da campanha exploratória no offshore Namibiano. Esse momento é um marco na história da Companhia, não somente pelo nosso ingresso no continente africano, mas também pelo potencial de nossa atual campanha exploratória, onde o Wingat é o primeiro. Isso só está se tornando realidade graças a toda a expertise, o esforço e a dedicação de nossa equipe altamente qualificada”, destacou Marcio Rocha Mello, CEO da HRTP.

Para informações adicionais, entre em contato com a Área de Relações com Investidores da HRT.

CONTATOS RI: CONTATOS RI:

Carlos Tersandro Fonseca Adeodato – Diretor Finance Carlos Tersandro Fonseca Adeodato iro e de Relações com Investidores Sandra Calcado – Gerente de Relações com Investidore Sandra Calcados
Priscila Sarandy – Especialista de Relações com Inve Priscila Sarandy stidores
Tainah Costa – Analista Sênior de Relações com Inves Tainah Costa tidores
Tel: +55 21 2105-9700
ri@hrt.com.br

173572 - vellinhotrt4 -   18 Mar 2013, 15:02
(18/03) HRT PETROLEO (HRTP-NM) - Inicio da Perfuracao do Poco 1-HRT-11-AM
DRI: Carlos Tersandro Fonseca Adeodato

A empresa enviou comunicado, no qual consta:

Rio de Janeiro, 18 de marco de 2013 - A HRT Participacoes em Petroleo S.A. (a "Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP), informa que sua subsidiaria HRT O&G Exploracao e Producao de Petroleo Ltda ("HRT O&G") iniciou a perfuracao, no dia 17 de marco de 2013, do poco 1-HRT-11-AM, no prospecto Cajazeira, localizado no Bloco SOL-T-172, na Bacia do Solimoes, Municipio de Coari, Estado do Amazonas.

O poco 1-HRT-11-AM situa-se a aproximadamente 60 km a nordeste do Campo de Leste do Urucu e visa testar uma estrutura domica alongada de direcao NE-SW, com 17 km2 de area, similar aos alinhamentos de Jurua/Tefe e Urucu.

O objetivo principal deste poco e identificar a presenca de hidrocarbonetos em reservatorios Carboniferos da Formacao Jurua, previstos para ocorrer a profundidade de 2.035 metros e o objetivo secundario e de identificar os reservatorios Devonianos da Formacao Uere a uma profundidade de 2.080 metros, com acumulacoes de hidrocarbonetos. Este poco esta sendo perfurado pela sonda QG-VIII e tem sua profundidade final prevista a 2.175 metros.

A HRT e a operadora dos 21 blocos na Bacia do Solimoes e a atual atividade exploratoria e parte da parceria entre a HRT e a TNK-Brasil.

ESSA É OUTRA JOSTA... É SAIR NOTÍCIA E O PAPÉL VOLTA A ANDAR... MAS ATÉ PRODUZIREM ALGUMA COISA A EMPRESA NÃO TERÁ MAIS ATIVOS....


171084 - DSRS -  07 Mar 2013, 19:38
A quem interessar:
Óleo & Gás
HRTP3
Recomendação Underperform
Preço (04/03/2013) R$3,79
Preço-Alvo 2013 R$6,10
Potencial de Valorização 61%
Leonardo Alves
HRT: Destaques da Teleconferência sobre o 4T12  Nossa visão: A HRT realizou ontem uma teleconferência sobre os  resultados do 4T12. Os números novamente não foram um trigger, entretanto, a direção ofereceu ao mercado uma atualização em relação a assuntos importantes para a empresa. Os diretores estão bastante otimistas com a campanha exploratória na Namíbia e em Solimões em 2013 e também com a redução no nível de queima de caixa. Oportunidades de acordos de farm-out também estão sendo analisadas, tanto em Solimões quanto na Namíbia e podem criar bons triggers de curto prazo. Por outro lado, acreditamos que estes triggers levarão algum tempo para se materializar e apresentam um alto risco ao investidor comum. Reiteramos nossa recomendação Underperform para as ações da HRT.
Farm-Outs. A HRT confirmou na teleconferência que está analisando oportunidades de farm-out tanto em Solimões quanto na Namíbia.
Conforme as negociações forem fechadas, irão propiciar caixa para HRT e conseqüentemente mais poços a serem perfurados. Na Namíbia, a HRT diz que qualquer transação ainda a ser concluída irá incluir uma participação de no máximo 26%, com a HRT mantendo pelo menos 60%. Um acordo de farm-out para incluir o prospecto de Wingat deve ser finalizado antes da HRT atingir o objetivo do poço, que deve ocorrer até o final de maio. A companhia estimou que R$300 milhões podem ser
captados com acordos de farm-out.
Plano de perfuração na Namíbia. Segundo a companhia, a perfuração na Namíbia irá começar nas próximas semanas no prospecto Wingat, que tem uma maior expectativa de sucesso, seguido pelo prospecto Murombe, considerado o maior prospecto de óleo da HRT. Um terceiro poço na Namíbia também foi confirmado para perfuração, provavelmente o prospecto Moosehead.
Solimões. A companhia está otimista em relação à perfuração que vai ocorrer na parte leste da bacia de Solimões prevista para iniciar nas próximas semanas e cujos primeiros resultados devem surgir em dois meses. O plano de monetização de gás ainda encontra-se em estudos. Controle de custos. Segundo a empresa, a HRT tem capacidade para financiar mais dois anos de operações, uma vez que possui alguns eventos-caixa no curto prazo e também tem se saído bem em seu programa de controle de custos. A HRT espera, na pior das hipóteses, chegar ao final de 2013 com R$ 446 milhões, o suficiente para manter o ritmo da companhia para 2014.

170334 - danieljoseaa -  05 Mar 2013, 02:15
Espetáculo.........(Ironic mode on!)

HRTP3:


Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia divulgou prejuízo líquido de R$ 140,0 M neste trimestre, ante perdas de R$ -140,2 M apurados no terceiro trimestre de 2012. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 135,7 M.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 3,8 B, redução de 11,6% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 3,7 B neste trimestre, valor -5,5% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

168291 - paulo_prof -  21 Fev 2013, 17:35
Citação: rnjunior
Caro Prof. Paulo, boa tarde!
Sei que você analisa diversos ativos e gostaria de pedir a opinião sobre o ativo HRTP3 da empresa HRT Petróleo. Sei que é uma empresa pré-operacional e que já frustrou muitos investidores ao desrespeitar certos prazos, e percebo que o mercado no geral anda penalizando muito as empresas de óleo e gás.
No entanto, vejo que no site fundamentus, o seu VPA declarado é de 12,61.
Você tem alguma opinião pessoal a respeito? Isso claro, se o ativo for de interesse de ser analisado.
Desde já lhe agradeço a atenção e se por acaso já tiver sido discutido isso aqui antes, agradeço se informar o caminho e página da discussão.

Eu diria que 90% do conteúdo das análises que eu faço gira em torno dos fundamentos financeiros das empresas. Ou seja, baseado quase que exclusivamente no Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultados. Os outros 10% podemos dizer que tratam dos fundamentos das empresas no que tange o seu ramo de negócios, inserção no mercado, etc.

Para efetuar as análises da forma que faço, não é necessário ter-se um conhecimento profundo dos detalhes das operações das empresas envolvidas.

Como é que vc quer que analise uma empresa sem histórico de resultados (bem ... talvez fosse melhor dizer uma empresa com um histórico de fracassos ...), e sem um profundo conhecimento dos detalhes de sua área de atuação?

Simplesmente, não há como!

Uma coisa posso dizer: de forma alguma pode-se garantir que uma empresa cujo P/VPA = 0,29 está barata !!!

Em tese, a empresa poderia liquidar todos os seus ativos e distribuir a receita obtida com os seus acionistas ... Neste caso, sim, os atuais acionistas receberiam muito mais do que a empresa vale hoje no mercado.

Mas a empresa nada vale, exatamente por isto. Correta ou equivocadamente, o mercado está julgando que se trata de uma loteria. Não há confiança na equipe técnica da empresa, ou seja, o mercado não acredita que a equipe técnica tem perfeito domínio do que está fazendo.

O atual caixa da empresa pode evaporar rapidinho ... se, neste processo, a empresa não encontrar hidrocarbonetos monetizáveis, o preço de hoje poderá parecer muito alto.

De qualquer forma, acho que uma aposta no ativo não superior a 1%-2% da carteira não pode ser classificada como loucura. Tenho a impressão (não saberia como fazer o cálculo porque não sei qual a probabilidade da HRTP encontrar o jackpot) de que expectância de ganho na HRTP é maior do que na Loteria, ou seja, pessoalmente, eu teria muito mais facilidade em efetuar uma aposta na HRTP do que na loteria (aliás ... na loteria nunca coloquei um tostão sequer na vida!).

167115 - vellinhotrt4 -  14 Fev 2013, 18:44
(08/02) HRT PETROLEO (HRTP-NM) - Comunicado
DRI: Carlos Tersandro Fonseca Adeodato

Enviou o seguinte comunicado:

HRT anuncia a chegada da sonda semi-submersivel transocean marianas a baia de walvis

Rio de Janeiro, 7 de fevereiro de 2013 - A HRT Participacoes em Petroleo S.A. (a "Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP) anuncia que, as 05:00 da manha da presente data (horario local), a sonda semi-submersivel Transocean Marianas, da Transocean (NYSE: RIG) chegou a baia de Walvis. A sonda passara por manutencao obrigatoria nas proximas tres a quatro semanas, antes de iniciar a campanha exploratoria da HRT nas bacias sedimentares de Walvis e Orange.

Conforme informado pela Companhia em 15 de janeiro de 2013, a expectativa e que a sonda Marianas inicie em marco de 2013 a perfuracao no prospecto de Wingat, na bacia de Walvis, localizada no Petroleum Exploration License-23 (Pel-23). Wingat possui 1.000m de lamina d'agua e suas operacoes de perfuracao deverao durar, aproximadamente, 60 dias.

papél altamente especulativo, hoje bateu nos 4,13, estou comprado @ 3,78, segurando a venda deste swing... Adrenalina, quero mais de 12%...

163495 - vellinhot - 15 Jan 2013, 16:25
15/01) HRT PETROLEO (HRTP-NM) - Comunicado
DRI: Carlos Tersandro Fonseca Adeodato

A empresa enviou o seguinte comunicado:

Rio de Janeiro, 15 de janeiro de 2013 - A HRT Participacoes em Petroleo S.A. (a
"Companhia" ou "HRT") (BM&FBOVESPA: HRTP3, TSX-V: HRP) anuncia que, desde a zero hora do dia 15 de janeiro, recebeu a sonda semi-submersivel Transocean Marianas, da Transocean (NYSE: RIG), na area offshore de Gana. A sonda estara em transito em direcao a Namibia nas proximas 3 semanas e, em seguida, passara por uma manutencao obrigatoria nos 21 dias seguintes antes de iniciar a campanha exploratoria da HRT nas bacias sedimentares de Walvis e Orange.

A expectativa e que a sonda Marianas esteja na locacao para inicio de perfuracao do primeiro poco na Namibia, o prospecto de Wingat, na bacia de Walvis, localizada nom Petroleum Exploration License-23 (Pel-23), ao final de 1T13. Wingat possui 1.000m de lamina d'agua e suas operacoes de perfuracao deverao durar, aproximadamente, 60 dias.

"A chegada da sonda Transocean Marianas e uma excelente noticia para a HRT e a GALP. Ela chegara dentro do prazo planejado para iniciar uma das mais esperadas e importantes campanhas no sul da area offshore da Africa Ocidental", comentou o CEO, Marcio Mello.

Para informacoes adicionais, entre em contato com a Area de Relacoes com Investidores da HRT.

161716 - marcelio2 -  28 Dez 2012, 14:39
Muito bom dia a todos.

Último pregão do ano hoje. Ótima oportunidade de repensar os erros e corrigir o rumo em 2013.

A matéria abaixo é um ótimo meio de visualizar que, talvez, algumas dessas listadas abaixo podem fazer um caminho diferente no ano que vem e se os preços atuais, se mostrarem uma grande "oportunidade" de investimento.

Lembrando que devemos comprar empresas boas e grandes em momentos difíceis e com bom desconto na cotação. Depois é ter tranquilidade e surfar na onda da alta quando os ventos virarem a seu favor.

O timing da "entrada" é o que faz a diferença de um bom investimento ou prejuízo certo. Cabe a todos estudar um pouco e garimpar as oportunidades que as crises oferecem. Boa sorte a todos nas suas decisões.

De falências até blue chips, veja os maiores micos da bolsa em 2012

Empresas como Mundial, Pet Manguinhos, OGX, HRT e Eletrobras apareceram como más apostas para os investidores; Facebook foi o destaque negativo internacional

Por Lara Rizério |9h42 | 28-12-2012 A A A

SÃO PAULO - O ano de 2012 foi bastante movimentado para aqueles que detinham ações de algumas empresas que acabaram se tornando "micos". Dentre elas, estiveram papéis de empresas que decretaram falência ou foram liquidadas até grandes companhias que sofreram com alto endividamento ou com uma produção bem abaixo da esperado pelo mercado.

Veja abaixo as ações que mais se destacaram - mesmo que negativamente - e que viraram notícia no ano que está acabando:
[...]
7. HRT e OGX: sem cumprir promessas

As ações das grandes empresas exploradoras de petróleo, o cenario não foi nada animador. Se, de um lado, os ativos da Petrobras foram prejudicadas pelo não reajuste dos preços dos combustíveis, por outro outras companhias sofreram com as descobertas abaixo do esperado de poços de petróleo, prejudicando o desempenho dos papéis. Neste caso, as duas empresas principais são a HRT Petróleo (HRTP3) e a OGX Petróleo (OGXP3).

No caso da HRT, após o grande otimismo com a chegada da companhia na bolsa em 2010, o que desanimou foram as grandes incertezas e os poucos resultados entregues, levando diversas casas de análise, que se mostravam otimistas anteriormente, passaram a revisar as recomendações para os papéis da companhia. No começo de 2012, os papéis HRTP3 já anunciavam tempos difícieis para os acionistas. Em apenas dois dias, os papéis despencaram cerca de 33%, depois da petrolífera anunciar a conclusão do teste em um poço na bacia do Solimões, com uma produção abaixo do esperado e possivelmente não comercialmente viável. Isso levava, inclusive, analistas do Deutsche Bank a indicarem a compra das ações da empresa, já que elas estavam muito descontadas.

Em outubro, as ações da companhia respiraram, em meio à confirmação de uma parceria com a Petrobras e com a TNK-Brasil para monetização da Bacia de Solimões. Entretanto, embora engatasse sucessivas altas no mês, elas não foram capazes de reverter as baixas experimentadas pelas ações até então, fazendo com que elas recuassem 59,07% em 2012, indo aos R$ 4,65.

Em movimento parecido, estiveram ainda as ações da OGX Petróleo, do megaempresário Eike Batista. Após a empresa anunciar, no final de junho, que a produção no campo de Tubarão Azul será muito abaixo da esperada, as ações da petrolífera despencaram nos pregões seguintes. Apenas no primeiro semestre, as ações sofreram um recuo de cerca de 59% apenas no primeiro semestre.

Mesmo diminuindo as perdas observadas no segundo semestre, o cenário para a companhia não se mostrou mais positivo, fazendo com que a companhia acumulasse perdas de 68,28% no ano - a maior queda do Ibovespa no período. A perda de credibilidade da OGX fez com que as outras companhias registrassem baixas de suas ações, uma vez que os papéis da LLX Logística (LLXL3) e a MMX Mineração (MMXM3) registrassem fortes baixas, de 30,27% e 34,30%, respectivamente.

OGXP3 em 2012: -68,28%; HRTP3 em 2012: -59,07%
[...]

156522 - renato1631 -  13 Nov 2012, 00:59
Mais um...pois, pois!

Prejuízo da HRT sobe 38,4% no 3º trimestre, para R$ 140,2 milhões

RIO - A petroleira HRT registrou prejuízo de R$ 140,2 milhões no terceiro trimestre, alta de 38,4% sobre as perdas de R$ 101,3 milhões em igual período do ano passado.

Leia mais em:
http://www.valor.com.br/empresas/2901616/prejuizo-da-hrt-sobe-384-no-3#ixzz2C3mLsyg1

143788 - leeuwen - 10 Ago 2012, 19:11
Você brinca...mas devido ao caixa de 1,4 bi (atual) considero como valor "justo" um valor justo hoje de 1,5 bi para HRT (sem considerar nenhuma descoberta). Caixa + Valor de 0,06 centavos por BOE riscado (mínimo obtido por UNX em 2008 - foi o menor valor que encontrei historicamente) e considerando todas as ações e warrants da empresa.

A empresa irá diminuir o "gasto" no Solimões, ou seja, o consumo de caixa diminuirá (bem essa é a promessa...rsss)

Então vejo uma oportunidade de uns 15% de upside (o que considero baixo para entrar no ativo ainda)... porém já vale uma fezinha ou início de posição (para um fundamentalista otimista).

Porém ainda acho os 4 reais cravados o melhor momento de entrar no ativo. Um furo acertado é 300% de valorização no ativo. Esse lance de monetizar o gás é na minha opinião perca de tempo (gás vai ser um bom negócio quando madurar a exploração daqui uns 4/5 anos)

Eu achava que o mercado iria responder com um certo "otimismo" hoje após o caixa ter sido uma surpresa "boa". Está caindo....melhor ver até onde isso vai ....

Pela primeira vez vejo o ativo relamente undervalued.



115203 - small caps- 14/Fev/2012 10:13 
Uma forma especial de ver como o mercado financeiro, quando utilizado com inteligência, pode mudar a vida de algumas pessoas. Veja o quão democrático pode ser o investimento. Vamos lá:

Um cara milionário tem condições de comprar um lote mínimo que custa R$ 150.000,00 numa única empresa.

HRTP3 há pouco custava mais do que isto.

Hoje ele tem entre R$ 50 e R$ 60 mil.

Um cara classe média teria que se contentar, por exemplo, há três anos, numa EZTCzinha, comprando uns R$ 5 mil na participação, por R$ 180,00 o lote.

Passado o período de maturação dos investimentos, o cara classe média hoje tem o mesmo capital que o investidor cheio da grana nos exemplos citados. E olha que o classe média aplicou 1/30 do investimento inicial.

Alguém aí mais entende porque vale tanto a pena estudar os FUNDAMENTOS?



A prova mais cabal de que o mercado pode SIM transformar a vida das pessoas.... milionários podem virar classe média e classe média podem ficar milionários...



6285 - edrlima - 24/Out/2011 20:10
Estive hoje também no HRT day. Pena não ter encontrado ninguem do forum.

O MM comentou que o deal estava em andamento; e que demorava.

O estranho é a alteração nos planos da empresa; Segundo o CFO a meta é diminuir os gastos no Solimões e focar mais na Namíbia.

- Diminuição nos poços do Solimões para 2012 de 31 p/ 19 e zero poços de desenvolvimento.

- Em vez de adquirir 8 novas sondas diminuiram para 4; assim o plano da HRT passou de 12 sondas p/ 8 sondas + 1 sonda de workover

Pelo que eu entendo (posso estar errado), um poço de desenvolvimento é um poço construído em um mesmo bloco, próximo a uma descoberta comercial, com o objetivo de aumentar a produção. Aparentemente a HRT, já que vai diminuir o número de poços em 2012, vai focar em poços de exploração pra tentar novas descobertas.

Notem que esta mudança não parece ser devido a tentar economizar. Pois na verdade com esta mudança houve um aumento no CAPEX para 2012, de US$ 698 M p/ US$ 731 M.

Então qual o motivo? No meu entender, a HRT já tem os dados de sísmica 3D (85% e deve completar em breve) da Namíbia e como eles apontam uma formação enorme de Oil eles vão focar na Namíbia (maior retorno pra empresa). Já no Solimões o MM só tem dados sismicos antigos (10 anos atras) e a Sísmica 2D do Solimões esta no inicio e ainda vai demorar bastante pra completar (uns 10 meses). Então acredito que o MM quer furar mais no Solimões após a Sísmica 2D.


% da carteira de crédito para 6,54%.


16268 - leeuwen - 24/Out/2011 17:50
citação: pisettaCecchi ressaltou que a Petrobras também não é obrigada a permitir que a HRT acompanhe a estrutura da estatal em toda a extensão do gasoduto. A alternativa também foi levantada por Mello em entrevistas. Cecchi lembrou que há uma resolução conjunta da agências Aneel (de energia), ANP (petróleo) e Anatel, (telecomunicações), que dispõe sobre as regras para que uma empresa construa uma estrutura acompanhando outra já existente. O problema é que essa resolução nunca foi aplicada.

Petrobras nunca foi amigavel com outros players. tenho fortes duvidas sobre a questao logistica do solimoes. no sul do solimoes n eh tds os blocos que tem um rio com calado decente a ponto de suportar uma balsa(alias, axo que nem existe plano de negocio pro sul do solimeos ainda). mesma nos blocos 170, 169 tenho duvidas se eh possivel transportar o ano td via balsa. embora o mello fale que o relacionamento com a petro eh bom etc duvido mt que a petro deixe a hrt construir ao lado das tubulaçoes da petr sem algum tipo de incomodo, msm legalmente nao sendo a petro que da o direito de passagem.
concordo com o groux sobre o mello n ser diretor de ri, ele n tem experiencia alguma com mercado financeiro, mas agora o mal ja esta feito. parece que ele aprendeu que n se cria expectativa que n se pode cumprir, vide ultima teleconferência. ele entende mt de geologia e tem um dom pra cativar as pessoas, mas ele devia estar 100% dedicado em gerar valor na hrt e n perder tempo com investidor..deixa isso pra um cara dedicado a ri. a falta de experiencia dele em entender o mercado custou caro pra açao.

Pisetta,

Hoje fui no dia HRT. Muito interessante, vale a pena assistir ao webcast que será disponível ao final do evento.

O MM é muito inteligente, é ligado no 220 (como o Gusmaran falou). Ele realmente sabe o que fala (muito conhecimento) mesmo !!! O kra destroi de Petróleo.

Know how a empresa tem sem sombras de dúvidas. Eu sempre fiquei encucado com a questão do escoamento da produção. Esses projetos são enormes e de QUALQUER forma precisa de ajuda GOVERNAMENTAL (no sentido de incentivar a construção de oledutos, trazer termelétricas para o local, trazer fábricas de fertilizantes, etc).

Eu acredito que o Governo tenha interesse neste tipo de investimento, já que a maior parte do petróleo que importamos é leve (acima de 30 graus DPI). A própria petrobrás importa óleo leve para suprir a demanda interna. Ou seja, seria muito melhor a petrobrás comprar da HRT (vizinha) do que do exterior, gerando economia, gerando emprego e deixando o dinheiro dentro do Brasil.

O desconto no imposto sobre o petróleo extraído no Amazonas já é um sinal de "incentivo" feito pelo governo. A estratégia de moentizar o gás localmente (Amazonas) vai de encontro ao interesse do governdo do Amazonas (e do Brasil) e de encontro aos desejos da HRT (economia em construção de gasoduto).

Acho que a estimativas iniciais eram "incoerentes" e "arriscadas" para sustentar um crescimento "orgânico da empresa". Melhor crescer devagar do que crescer rápido e depois ter problemas.

O MM realmente faz o papel de RI, o que a meu ver tem mais a ver com busca dele em valorizar o papel para buscar abrir capital em outras Bolsas e depois fazer o split das ações. Acho que esse foco dele no RI é momentâneo e no longo prazo ele deve focar na produção (aliás quando ele terá mais trabalho).



O problema do papel é que as coisas demoram para acontecer (o que é normal). O acordo está enrolando, etc. O mercado não sabe ter paciência (bem isso é com tudo). Bem ainda bem que é assim, porque surge as grandes oportunidades de compra.


62680 - OCobra - 29/Jan/2011 18:52
A HRT Participações quer listar suas ações na Bolsa de Toronto já em 2012 e na Bolsa de Nova York em 2013, disse ontem o executivo-chefe da companhia, Marcio Rocha Mello, que participou de encontro com analistas e investidores estrangeiros. Segundo ele, trata-se de parte da estratégia da empresa de ser, nos próximos cinco anos, a maior produtora independente de petróleo no mundo.

De acordo com Mello, nesses prazos a empresa estará no tamanho ideal para entrar nesses dois mercados de ações. "Além disso, precisamos nos organizar, porque a listagem aqui é extremamente complexa", disse. "Hoje, somos uma companhia de US$ 5 bilhões. Quando alcançarmos entre US$ 15 bilhões e US$ 20 bilhões, vamos listar em Toronto e, quando chegarmos a US$ 30 bilhões, em Nova York."

No ano passado, a HRT levantou cerca de R$ 2,5 bilhões em sua oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) na Bovespa. A HRT possui fatia de 55% em 21 blocos na Bacia do Solimões, no Amazonas, com a Petra Energia controlando os 45% restantes. A HRT também opera cinco blocos no litoral da Namíbia, onde espera iniciar a produção em 2013, e planeja atuar em Angola.

O primeiro poço da companhia, porém, será perfurado mesmo no Brasil, na Bacia do Solimões, já no fim de fevereiro. A companhia deve perfurar de dez a 12 poços em 2011. A meta de Mello é fazer 130 perfurações em cinco anos. O início da produção deve se dar entre maio e junho deste ano, alcançando um total de 2,5 mil a 5 mil barris em 2011.



Para iniciar as atividades, a HRT investiu ao redor de US$ 60 milhões na compra de nove helicópteros e dois aviões, que serão usados na região do Solimões. São cinco helicópteros Sikorsky S61 e quatro modelos Bell 212. Os aviões são do modelo Brasília EMB-320, da Embraer. A previsão da companhia é de que os helicópteros e aviões garantam redução de custos ao redor de 20% "de todas as operações", segundo Mello.



58629 - ltcripa - 11/Dez/2010 21:08
citação: herdsman
citação: xumpaAO MEU VER HRTP É A EMPRESA MAIS BARATA DA BOLSA HJ,SE OLHAREM O EVENTO DA APIMEC PODERAO ENTENDER O POTENCIAL DA NAMIBIA Q É ASSOMBROSO COISA DE BILHOES DE BOE.É EMPRESA PAR MULTIPLICAR POR 5 POR 10 NOS PROXIMOS ANOS

Quantos blocos foram licitados na costa da Namibia?
E a HRTP arrematou quanto % disso?
Não posso simplesmente presupor que todos os grandes players Exxon, Shell, Total e Petrobras ignoraram estes leilões, ou não estudaram a aquisição dos blocos.
Se não compraram devem ter alguma razão para tal.

Boa Noite,

Na Namíbia a HRT possui:
1. 100% dos 2 blocos na Bacia de Walvis
2. 40% dos 3 blocos na Bacia de Orange

Área: 6.6 milhões de acres.

Média riscada de 1,1Bi BOE.

A estimativa da empresa é de 6 bi BOE a 31,2 bi BOE na Namíbia.

Na APIMEC foi dito pelo presidente em 342 milhões de dólares de "gastos" na Namíbia até 2014.



Em relação a quantos blocos existem na Namíbia, não sei e nem encontrei aqui pesquisando rapidamente, mas mando e-mail p/ o RI e posto aqui assim que obtiver resposta.


58602 - herdsman - 11/Dez/2010 08:07
citação: WK2007Amigos, segue o material da apresentação da HRT (Apimec 2010):
http://www.hrt.com.br/hrt/web/arquivos/HRT_Apresentacao_APIMEC_12092010_vf_port .pdf

Achei interessante a apresentação. Mas todos devem estar consciente que se trata de uma aposta. A menos interessante é a conversa sobre gas de xisto. Aquilo tem alto custo inicial (fracionamento hidraulico do poço) e depois solta muito gas no primeiro ano, para depois despencar logaritmicamente.
Quer dizer, estamos com gas no fim do mundo, vai levar aonde? gasoduto? liquifazer? (olha o investimento, para poços que tem vida útil curto.
Mas no fim das contas tentaremos precificar as apostas. Quem sabe o P/VPA dá um indicio dos chances. Se o P/VPA de HRTP3 é 2,7 e o P/VPA do Petrobras é 1,1 nos estamos então apostando que os engenheiros do HRPT são quase 3 vezes mais inteligentes.
OGXP3 com seu P/VPA de 6 então deve ter um equipe estrepitosamente esperto.
HRTP também não tem dinheiro em caixa para executar todos seus planos de capex até 2014, vai precisar ir ao mercado novamente.



É bem sabido que o povo Brasileiro gosta de apostar, então pode bem ser que HRTP cai na graça do 'investidor'. Assim como OGXP e similares. Qual e o codigo do fracionario?

Nenhum comentário: