Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

JSL (JSLG)

Recomendações

Carteiras

Balanços

Características

Links

154245 - renato1631 -  30 Out 2012, 00:01
Apesar de cenário econômico desafiador, receita bruta da JSL cresce 34,4%
Em entrevista ao InfoMoney, executivo da empresa destacou que empresa tem conseguido mostrar crescimento sustentável, beneficiada pela diversificação de suas operações

Por Paula Barra

SÃO PAULO - A JSL (JSLG3) - antiga Júlio Simões, divulgou nesta segunda-feira (29) seus dados operacionais referentes ao terceiro trimestre. A empresa, que é a maior operadora de logística rodoviária do Brasil, registrou receita bruta de serviços de R$ 805 milhões, crescimento de 34,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, indo em direção ao guidance para o ano, de R$ 2,94 bilhões.
Em entrevista ao portal InfoMoney, o diretor financeiro, administrativo e de RI (Relações com Investidores) da JSL, Denys Marc Ferrez, disse que a companhia tem conseguido mostrar um crescimento sustentável, mesmo em um cenário econômico desafiador. Uma das vantagens da empresa é a diversificação de suas operações, expandindo suas fontes de receita para uma gama bem robusta de setores.

Com a aquisição da Schio no início do ano, a empresa expandiu sua carteira de clientes, aumentando assim sua presença em logística para setores de alimentos, que atualmente corresponde a 15,6% de participação na receita bruta de serviços - a maior na companhia -, além de bebidas, produtos de higiene e limpeza.
A JSL oferece serviços que abrangem 16 segmentos da economia e essa flexibilidade tem ajudado a companhia a driblar a piora no cenário econômico e reduzir a exposição da empresa a determinado setor, além de abrir espaço para novos negócios, diz Ferrez. "Um período ruim para economia pode trazer muitos benefícios para a companhia", afirma o executivo.
Entre os meses de janeiro a junho, a empresa anunciou um volume adicional de novos contratos no valor de R$ 1,3 bilhão, sendo 66,1% cross selling (venda de outros serviços para os atuais clientes), mesmo com os efeitos da macroeconomia, argumenta Ferrez.
A extensão da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) pelo governo federal até o final do ano também contribuiu para o desempenho da companhia no terceiro trimestre, lembrando que o setor automobilístico corresponde a 12,7% da receita. O executivo argumenta, entretanto, que isso não contribuiu de forma "anormal" para o resultado, mas é um fator positivo. A receita de veículos leves apresentou um aumento de 31,1% na comparação anual.
A empresa, contudo, mostrou uma queda na receita bruta referente as vendas diretas na comparação anual, de 34,5%, enquanto as vendas no varejo aumentaram 31,1%. Vale lembrar que no caso de venda de varejo o valor contabilizado é o valor efetivo de venda, enquanto que na venda direta o valor da contabilização é a comissão sobre o valor de venda, comenta Ferraz.
Por fim, o executivo reiterou que o foco da companhia continua sendo a prestação de serviços logísticos, porém a rede de concessionárias reforça a capilaridade dos canais de revenda dos ativos, contribuindo para aumento da competitividade do negócio, fortalecendo o posicionamento da JSL no mercado e visando à contínua geração de valor para o acionista. 

Análise Coin Valores
A Julio Simões Logística (“JSL”) é a empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita líquida. Com cerca de 55 anos de experiência neste setor, a companhia atua em todo o território brasileiro e opera em toda a cadeia do processo produtivo, desde o transporte de carga até a completa terceirização das cadeias logísticas.

RETROSPECTIVA 2010
O ano de 2010 representou um marco para a JSL. Após intensa preparação, a companhia abriu seu capital e estreou suas ações no Novo Mercado da BM&FBovespa no mês de abril, em uma oferta totalmente primária que arrecadou R$ 477,9 milhões, com o objetivo principal de fortalecer a posição financeira e suportar o crescimento de suas operações para os próximos anos. Na frente comercial foram obtidos expressivos resultados, com a negociação de novos contratos com receita no valor global de R$ 1,2 bilhão nos primeiros nove meses, a ser capturada ao longo dos próximos 5 anos. Tais contratos tiveram origem em clientes preexistentes (43% do total), fruto do constante esforço de aumentar a integração da companhia junto a seus parceiros, bem como junto a novos clientes (57% do total), muitos dos quais atuantes em setores crescentes da economia, o que poderá gerar importantes oportunidades de expansão das atividades da companhia num futuro próximo. Nos 9M10, a receita bruta da JSL registrou R$ 1,627 billhão, superando em 37,1% o faturamento dos 9M09. A receita bruta de Serviços registrou crescimento de 24,9%, totalizando R$ 1,350 bilhão, impulsionada tanto pelo forte crescimento de 12,3% na receita com os mesmos contratos existentes no período equivalente de 2009, como pela receita de R$ 208,7 milhões proveniente de novos contratos. No segmento de Venda de Ativos, a receita bruta totalizou R$ 276,7 milhões, crescimento anual de 162,6%. No mesmo período, o EBITDA-A registrou R$ 428,6 milhões, superando em 82,7% o desempenho dos 9M09 e correspondendo a uma margem EBITDA-A de 29,3%, melhora de 7,5 p.p.

PERSPECTIVA 2011
Para o próximo ano, espera-se que a JSL continue sua sólida trajetória de crescimento, em função tanto do imenso potencial do mercado brasileiro, que vivência um momento de forte expansão e de busca pela competitividade, como pelo posicionamento único da companhia no mercado de logística, que combina a expertise operacional em diversos setores da economia, a oferta do mais amplo portfólio de serviços e a sólida reputação nesse mercado, construída ao longo de mais de cinco décadas de atuação. As perspectivas de crescimento da companhia são baseadas em 3 vertentes: o crescimento nos volumes operados nos contratos existentes, acompanhando a evolução dos negócios dos clientes; novos contratos na atual base de clientes, no qual a companhia possui grande histórico de sucesso na atividade de cross selling; e a captura de novos clientes, aproveitando suas claras vantagens competitivas para ampliar sua posição de liderança no setor.

A JSL continuará investindo para capturar as oportunidades desse mercado e utilizará como alavancas sua experiência, reputação e solidez financeira, de forma a seguir oferecendo as melhores soluções logísticas para seus clientes atuais e potenciais no crescente mercado brasileiro.

55420 - Gusmaran - 12/Nov/2010 14:28
Fazendo um cálculo simples:
EBITDA Adicionado em 9 meses de 2010 = R$ 428,6 Milhões + EBTIDA Adicionado (Ref 4T10) de R$ 272 Milhões temos: R$ 700 milhões de EBITDA Adicionado em 2010.

O Equity Value da empresa, às cotações de 11/11/2010 é de: valor de mercado de R$ 1.866 milhões + 1 Bi de dívida líquida = 2.886 milhões.

Logo, o multiplo EV/EBITDA (A) para 2010 é de 6,74x.

Parâmetros para o cálculo e raciocínio:

A Julio Simões tem como negócio a prestação de serviços logísticos e TAMBÉM A VENDA E ALUGUEIS DOS BENS UTILIZADOS nestes serviços (veículos, máquinas agrícolas, etc.) O EBITDA Adicionado reflete estas VENDAS E ALUGUEIS, uma vez que o EBITDA normal não. Como os Srs. podem perceber, ao contrário do que se possa imaginar, A VENDA E ALUGUEL DE VEÍCULOS É RECORRENTE NO NEGÓCIO.

Há de se ressaltar que no 2 semestre - não lembro qual o motivo - se concentra 65% da receitas, e portanto, onde os resultados tendem a ser melhores. Por essa razão, utilizei o mesmo valor de EBITDA (A) do 3T10 para o 4T10.

Aos múltiplos calculados acima, a Julio Simões não está cara aos termos do negócio atual, e nem contemplam perspectivas de avanços em resultados futuros. No entanto, não acho prudente a aquisição das ações sem ainda ter ouvido o webcast, e sem ter um histórico maior para ter maior familiaridade com os meandros do negócio.

55323 - kknove - 12/Nov/2010 10:08
Alguem acompanha Julio Simoes e sabe dizer se ta caro? Melhorou bem o lucro.

Lucro líquido sobe 113,9% no 3T10 e soma R$ 58,4 mi
São Paulo, 12 de novembro de 2010 - A companhia de logística Júlio Simões obteve lucro líquido de R$ 58,4 milhões no terceiro trimestre do ano, um avanço de 113,9% em relação aos R$ 27,3 milhões divulgados no mesmo período de 2009. Na comparação com os R$ 6,7 milhões registrados do segundo trimestre de 2010 o lucro líquido avançou mais de 8 vezes. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o lucro líquido somou R$ 67,4 milhões, uma alta de 98,8% na comparação com igual período de 2009 (R$ 33,9 milhões). A receita líquida da companhia subiu 70,1% no trimestre de 2010 na comparação com o mesmo trimestre de 2009, passando de R$ 383,9 milhões para R$ 652,8 milhões. Em relação ao segundo trimestre deste ano houve alta de 52,9% (R$ 426,9 milhões). Na comparação entre os acumulados de 2009 e 2010, a receita líquida cresceu 36,1%, passando de R$ 1,073 bilhão para R$ 1,461 bilhão.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avançou 62% no terceiro trimestre, ante mesmo período do ano passado (de R$ 82,7 milhões para R$ 133,9 milhões). Em relação com o segundo trimestre do ano houve alta de 143,6% (R$ 55 milhões). Na comparação do acumulado entre os três primeiros trimestres do ano com o mesmo período de 2009, o Ebitda subiu 62,3%, passando de R$ 147,8 milhões para R$ 239,9 milhões.
Os números referentes a 2009 sofreram reajuste entre algumas contas de despesas e custos da demonstração de resultado, seguindo os mesmos critérios aplicados no exercício corrente. Segundo a companhia, o reajuste foi feito visando uma maior comparabilidade entre os períodos apresentados.

49800 - Gusmaran - 13/Out/2010 10:18
Srs., de olho no potencial demonstrado pela Tegma (TGMA3), fiz um estudo sucinto sobre Julio Simões (JSLG3). Longe de serem estanques, segue as conclusões às quais cheguei:

1) Tegma tem foco no mercado automotivo, e serviços aprimorados de logística, pelos quais concebe soluções diferenciadas para redução de custos para seus clientes. Já no que pertine a Julio Simões, o escopo do negócio é muito mais diversificado, consistindo em 1) terceirização de frotas (20%); 2) logística integrada(55%); transporte de cargas (15%) e; transporte interurbano de passageiros (10%);

2) O modelo de negócios da Tegma está em prestar serviços para os clientes, já o da Julio Simões, é a prestação de serviços + A VENDA DOS VEÍCULOS ADQUIRIDOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. A julios Simões tem uma engenharia financeira para ter um retorno sobre a receia de serviços + a venda de veículos num cálculo teoricamente "ajustado", "certinho". Para aqueles que se interessarem eu postarei o modelo que se encontra no site da empresa;

3) A Tegmma tem hoje o valor de mercado de R$ 1,4 BI, enquanto a Julio Simões R$ 1,6BI. Entretanto, o EV desta última remonta aproximadamente R$ 2,3 BI. O que pude verificar nos releases e web casts, é que a Julio Simões deve ter uma Receita Bruta duas vezes superior a da Tegma, POREM, a sua margem operacional é de aproximadamente 12,5% enquanto a da Tegma é de 16%. Neste sentido, ainda não consegui calcular com certa segurança a margem liquida da JSLG3, o que complica a análise comparativa;

4) A Julio Simões inaugurou um centro de armazenamento intermodal para ligar ferrovia da MRS à auto-estrada, principalmente para escoar via transporte rodoviário a produção de produtos siderúrgicos aos grandes centros;

5) A julio Simões faz a gestão de frotas de veículos de grandes empresas, tais como light; faz também a colheita de cana de açucar para seus clientes, entregando a cana nos armazens e depois distribuindo o produto final aos consumidores. A empresa também espera obter vantagens na distribuição ATACADISTA nos grandes centros, porque pensa que a questão do trânsito (rodízio e proibição de entregas durante o dia) é irreversível.

A minha conclusão é a de que a empresa deve ser monitorada para avaliarmos indicadores que são muita relevância, mas certo de que a JSLG3 já é a maior empresa no negócio que se propõe a fazer, e que por estar capitalizada, pode ser também a maior e deter o a maior fatia de market share.

Espero que tenha contribuído e que vocês também possam adicionar suas reflexões quanto ao assunto.
Postar um comentário