Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

JSL (JSLG)

Recomendações
CompraTopore (2013)
Carteiras

Balanços

Características

Links
157873 - paulo_prof -  22 Nov 2012, 15:58
Será ???

Nos últimos 3 anos (ano terminado no 3T12 sobre ano terminado no 3T09), as taxas médias de crescimento nominal foram:
Receita Líquida: +8,1%
Resultado Bruto: +8,9%
Lucro Líquido: passou de negativo para positivo
Ebitda: +15,9%
Dívida Líquida: +12,8%

Nos últimos 2 anos (ano terminado no 3T12 sobre ano terminado no 3T10), as taxas médias de crescimento nominal foram:
Receita Líquida: +12,8%
Resultado Bruto: +9,1%
Lucro Líquido: -9,1%
Ebitda: +12,4%
Dívida Líquida: +27,3%

No último ano (ano terminado no 3T12 sobre ano terminado no 3T11), as taxas de crescimento nominal foram
Receita Líquida: +9,5%
Resultado Bruto: -7,5%
Lucro Líquido: -79,9%
Ebitda: -28,5%
Dívida Líquida: +50,1%

Como pode ser observado, o único ítem de crescimento acelerado é a dívida líquida !!!!

Pode até ser que esta aceleração no crescimento de dívida líquida esteja associado no aumento da capacidade de abate/processamento/armazenamento ... mas também está muito claro que a empresa está encontrando dificuldades em transformar este (suposto) aumento de capacidade em Receita e Ebitda (de lucro, nem falo !!!!)

157861 - TexasDraw -  22 Nov 2012, 13:51
Pense na JSL, muita gente olha o P/L hoje e acha um absurdo, algo em torno de 37.
Mas segundo próprio CFO, se a empresa parar de investir no crescimento, e resolver ganhar sinergia com somente aquilo que já tem... a empresa teria um p/l de aproximadamente 10x.
Lógico que há um risco nisso, não estou falando nisso. Até mesmo, porque é preferível investir em algo com p/l limpo de 10x, do que em algo de 37x, que ''pode'' vir a ser ''10x''.

Pois como são empresas que crescem muito rápido, a parte final do balanço não aparece, a parte que cresce nestas empresas acaba prejudicando as MARGENS como um todo, e acaba prejudicando o resultado final. 

Houve uma palestra na Casa do Saber há uns 3 meses atrás, em que o Zeca da Tarpon estava lá, nos bastidores.. e perguntado sobre BRFS3 estar cara, ele deu a entender que o p/l é de mais ou menos de 12x, a ação negociava a uns 34,00 na época. E não aquilo que todo mundo vê.

BRFS, ainda há gastos gigantescos por conta da fusão. Fábrica sendo construída no oriente médio, centros de distribuição na China ...etc...
Se ela parar de crescer hoje, e focar no orgânico, acho que em uns 3 anos ela já consegue ficar com um p/l de 10x aos preços atuais...
Até onde sei, o foco seria crescer até 2015, onde praticamente dobraria a receita.. depois disso, ela só colheria os frutos.

156360 - paulo_prof -  12 Nov 2012, 13:39
Citação: Topore
Prof. Paulo,
será q vc poderia fazer o cálculo do FCD para a JSLG3 ?
JSLG3 não está em minha planilha ...

Supondo que, relativamente aos últimos 12 meses, LPA = R$ 0,3428, para uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%, para que o preço justo da fórmula do FCD seja igual à cotação corrente (R$ 12,33), é necessário que a taxa de crescimento anual real do lucro seja no mínimo:

45,5% para uma fase de crescimento do lucro de 3 anos; ou
27,0% para uma fase de crescimento do lucro de 5 anos ...

esquece ... !!!

154245 - renato1631 -  30 Out 2012, 00:01
Apesar de cenário econômico desafiador, receita bruta da JSL cresce 34,4%
Em entrevista ao InfoMoney, executivo da empresa destacou que empresa tem conseguido mostrar crescimento sustentável, beneficiada pela diversificação de suas operações

Por Paula Barra

SÃO PAULO - A JSL (JSLG3) - antiga Júlio Simões, divulgou nesta segunda-feira (29) seus dados operacionais referentes ao terceiro trimestre. A empresa, que é a maior operadora de logística rodoviária do Brasil, registrou receita bruta de serviços de R$ 805 milhões, crescimento de 34,4% na comparação com o mesmo período do ano passado, indo em direção ao guidance para o ano, de R$ 2,94 bilhões.
Em entrevista ao portal InfoMoney, o diretor financeiro, administrativo e de RI (Relações com Investidores) da JSL, Denys Marc Ferrez, disse que a companhia tem conseguido mostrar um crescimento sustentável, mesmo em um cenário econômico desafiador. Uma das vantagens da empresa é a diversificação de suas operações, expandindo suas fontes de receita para uma gama bem robusta de setores.

Com a aquisição da Schio no início do ano, a empresa expandiu sua carteira de clientes, aumentando assim sua presença em logística para setores de alimentos, que atualmente corresponde a 15,6% de participação na receita bruta de serviços - a maior na companhia -, além de bebidas, produtos de higiene e limpeza.
A JSL oferece serviços que abrangem 16 segmentos da economia e essa flexibilidade tem ajudado a companhia a driblar a piora no cenário econômico e reduzir a exposição da empresa a determinado setor, além de abrir espaço para novos negócios, diz Ferrez. "Um período ruim para economia pode trazer muitos benefícios para a companhia", afirma o executivo.
Entre os meses de janeiro a junho, a empresa anunciou um volume adicional de novos contratos no valor de R$ 1,3 bilhão, sendo 66,1% cross selling (venda de outros serviços para os atuais clientes), mesmo com os efeitos da macroeconomia, argumenta Ferrez.
A extensão da redução do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) pelo governo federal até o final do ano também contribuiu para o desempenho da companhia no terceiro trimestre, lembrando que o setor automobilístico corresponde a 12,7% da receita. O executivo argumenta, entretanto, que isso não contribuiu de forma "anormal" para o resultado, mas é um fator positivo. A receita de veículos leves apresentou um aumento de 31,1% na comparação anual.
A empresa, contudo, mostrou uma queda na receita bruta referente as vendas diretas na comparação anual, de 34,5%, enquanto as vendas no varejo aumentaram 31,1%. Vale lembrar que no caso de venda de varejo o valor contabilizado é o valor efetivo de venda, enquanto que na venda direta o valor da contabilização é a comissão sobre o valor de venda, comenta Ferraz.
Por fim, o executivo reiterou que o foco da companhia continua sendo a prestação de serviços logísticos, porém a rede de concessionárias reforça a capilaridade dos canais de revenda dos ativos, contribuindo para aumento da competitividade do negócio, fortalecendo o posicionamento da JSL no mercado e visando à contínua geração de valor para o acionista. 

Análise Coin Valores
A Julio Simões Logística (“JSL”) é a empresa com o mais amplo portfólio de serviços logísticos do Brasil e líder em seu segmento em termos de receita líquida. Com cerca de 55 anos de experiência neste setor, a companhia atua em todo o território brasileiro e opera em toda a cadeia do processo produtivo, desde o transporte de carga até a completa terceirização das cadeias logísticas.

RETROSPECTIVA 2010
O ano de 2010 representou um marco para a JSL. Após intensa preparação, a companhia abriu seu capital e estreou suas ações no Novo Mercado da BM&FBovespa no mês de abril, em uma oferta totalmente primária que arrecadou R$ 477,9 milhões, com o objetivo principal de fortalecer a posição financeira e suportar o crescimento de suas operações para os próximos anos. Na frente comercial foram obtidos expressivos resultados, com a negociação de novos contratos com receita no valor global de R$ 1,2 bilhão nos primeiros nove meses, a ser capturada ao longo dos próximos 5 anos. Tais contratos tiveram origem em clientes preexistentes (43% do total), fruto do constante esforço de aumentar a integração da companhia junto a seus parceiros, bem como junto a novos clientes (57% do total), muitos dos quais atuantes em setores crescentes da economia, o que poderá gerar importantes oportunidades de expansão das atividades da companhia num futuro próximo. Nos 9M10, a receita bruta da JSL registrou R$ 1,627 billhão, superando em 37,1% o faturamento dos 9M09. A receita bruta de Serviços registrou crescimento de 24,9%, totalizando R$ 1,350 bilhão, impulsionada tanto pelo forte crescimento de 12,3% na receita com os mesmos contratos existentes no período equivalente de 2009, como pela receita de R$ 208,7 milhões proveniente de novos contratos. No segmento de Venda de Ativos, a receita bruta totalizou R$ 276,7 milhões, crescimento anual de 162,6%. No mesmo período, o EBITDA-A registrou R$ 428,6 milhões, superando em 82,7% o desempenho dos 9M09 e correspondendo a uma margem EBITDA-A de 29,3%, melhora de 7,5 p.p.

PERSPECTIVA 2011
Para o próximo ano, espera-se que a JSL continue sua sólida trajetória de crescimento, em função tanto do imenso potencial do mercado brasileiro, que vivência um momento de forte expansão e de busca pela competitividade, como pelo posicionamento único da companhia no mercado de logística, que combina a expertise operacional em diversos setores da economia, a oferta do mais amplo portfólio de serviços e a sólida reputação nesse mercado, construída ao longo de mais de cinco décadas de atuação. As perspectivas de crescimento da companhia são baseadas em 3 vertentes: o crescimento nos volumes operados nos contratos existentes, acompanhando a evolução dos negócios dos clientes; novos contratos na atual base de clientes, no qual a companhia possui grande histórico de sucesso na atividade de cross selling; e a captura de novos clientes, aproveitando suas claras vantagens competitivas para ampliar sua posição de liderança no setor.

A JSL continuará investindo para capturar as oportunidades desse mercado e utilizará como alavancas sua experiência, reputação e solidez financeira, de forma a seguir oferecendo as melhores soluções logísticas para seus clientes atuais e potenciais no crescente mercado brasileiro.

55420 - Gusmaran - 12/Nov/2010 14:28
Fazendo um cálculo simples:
EBITDA Adicionado em 9 meses de 2010 = R$ 428,6 Milhões + EBTIDA Adicionado (Ref 4T10) de R$ 272 Milhões temos: R$ 700 milhões de EBITDA Adicionado em 2010.

O Equity Value da empresa, às cotações de 11/11/2010 é de: valor de mercado de R$ 1.866 milhões + 1 Bi de dívida líquida = 2.886 milhões.

Logo, o multiplo EV/EBITDA (A) para 2010 é de 6,74x.

Parâmetros para o cálculo e raciocínio:

A Julio Simões tem como negócio a prestação de serviços logísticos e TAMBÉM A VENDA E ALUGUEIS DOS BENS UTILIZADOS nestes serviços (veículos, máquinas agrícolas, etc.) O EBITDA Adicionado reflete estas VENDAS E ALUGUEIS, uma vez que o EBITDA normal não. Como os Srs. podem perceber, ao contrário do que se possa imaginar, A VENDA E ALUGUEL DE VEÍCULOS É RECORRENTE NO NEGÓCIO.

Há de se ressaltar que no 2 semestre - não lembro qual o motivo - se concentra 65% da receitas, e portanto, onde os resultados tendem a ser melhores. Por essa razão, utilizei o mesmo valor de EBITDA (A) do 3T10 para o 4T10.

Aos múltiplos calculados acima, a Julio Simões não está cara aos termos do negócio atual, e nem contemplam perspectivas de avanços em resultados futuros. No entanto, não acho prudente a aquisição das ações sem ainda ter ouvido o webcast, e sem ter um histórico maior para ter maior familiaridade com os meandros do negócio.

55323 - kknove - 12/Nov/2010 10:08
Alguem acompanha Julio Simoes e sabe dizer se ta caro? Melhorou bem o lucro.

Lucro líquido sobe 113,9% no 3T10 e soma R$ 58,4 mi
São Paulo, 12 de novembro de 2010 - A companhia de logística Júlio Simões obteve lucro líquido de R$ 58,4 milhões no terceiro trimestre do ano, um avanço de 113,9% em relação aos R$ 27,3 milhões divulgados no mesmo período de 2009. Na comparação com os R$ 6,7 milhões registrados do segundo trimestre de 2010 o lucro líquido avançou mais de 8 vezes. No acumulado de janeiro a setembro deste ano, o lucro líquido somou R$ 67,4 milhões, uma alta de 98,8% na comparação com igual período de 2009 (R$ 33,9 milhões). A receita líquida da companhia subiu 70,1% no trimestre de 2010 na comparação com o mesmo trimestre de 2009, passando de R$ 383,9 milhões para R$ 652,8 milhões. Em relação ao segundo trimestre deste ano houve alta de 52,9% (R$ 426,9 milhões). Na comparação entre os acumulados de 2009 e 2010, a receita líquida cresceu 36,1%, passando de R$ 1,073 bilhão para R$ 1,461 bilhão.
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) avançou 62% no terceiro trimestre, ante mesmo período do ano passado (de R$ 82,7 milhões para R$ 133,9 milhões). Em relação com o segundo trimestre do ano houve alta de 143,6% (R$ 55 milhões). Na comparação do acumulado entre os três primeiros trimestres do ano com o mesmo período de 2009, o Ebitda subiu 62,3%, passando de R$ 147,8 milhões para R$ 239,9 milhões.
Os números referentes a 2009 sofreram reajuste entre algumas contas de despesas e custos da demonstração de resultado, seguindo os mesmos critérios aplicados no exercício corrente. Segundo a companhia, o reajuste foi feito visando uma maior comparabilidade entre os períodos apresentados.

49800 - Gusmaran - 13/Out/2010 10:18
Srs., de olho no potencial demonstrado pela Tegma (TGMA3), fiz um estudo sucinto sobre Julio Simões (JSLG3). Longe de serem estanques, segue as conclusões às quais cheguei:

1) Tegma tem foco no mercado automotivo, e serviços aprimorados de logística, pelos quais concebe soluções diferenciadas para redução de custos para seus clientes. Já no que pertine a Julio Simões, o escopo do negócio é muito mais diversificado, consistindo em 1) terceirização de frotas (20%); 2) logística integrada(55%); transporte de cargas (15%) e; transporte interurbano de passageiros (10%);

2) O modelo de negócios da Tegma está em prestar serviços para os clientes, já o da Julio Simões, é a prestação de serviços + A VENDA DOS VEÍCULOS ADQUIRIDOS PARA A PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. A julios Simões tem uma engenharia financeira para ter um retorno sobre a receia de serviços + a venda de veículos num cálculo teoricamente "ajustado", "certinho". Para aqueles que se interessarem eu postarei o modelo que se encontra no site da empresa;

3) A Tegmma tem hoje o valor de mercado de R$ 1,4 BI, enquanto a Julio Simões R$ 1,6BI. Entretanto, o EV desta última remonta aproximadamente R$ 2,3 BI. O que pude verificar nos releases e web casts, é que a Julio Simões deve ter uma Receita Bruta duas vezes superior a da Tegma, POREM, a sua margem operacional é de aproximadamente 12,5% enquanto a da Tegma é de 16%. Neste sentido, ainda não consegui calcular com certa segurança a margem liquida da JSLG3, o que complica a análise comparativa;

4) A Julio Simões inaugurou um centro de armazenamento intermodal para ligar ferrovia da MRS à auto-estrada, principalmente para escoar via transporte rodoviário a produção de produtos siderúrgicos aos grandes centros;

5) A julio Simões faz a gestão de frotas de veículos de grandes empresas, tais como light; faz também a colheita de cana de açucar para seus clientes, entregando a cana nos armazens e depois distribuindo o produto final aos consumidores. A empresa também espera obter vantagens na distribuição ATACADISTA nos grandes centros, porque pensa que a questão do trânsito (rodízio e proibição de entregas durante o dia) é irreversível.

A minha conclusão é a de que a empresa deve ser monitorada para avaliarmos indicadores que são muita relevância, mas certo de que a JSLG3 já é a maior empresa no negócio que se propõe a fazer, e que por estar capitalizada, pode ser também a maior e deter o a maior fatia de market share.

Espero que tenha contribuído e que vocês também possam adicionar suas reflexões quanto ao assunto.
Postar um comentário