Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quinta-feira, 26 de março de 2020

Wetzel (MWET) - Em Recuperacao Judicial



Subsetor
Segmento

Recomendações
Em Recuperacao Judicial

Códigos de Negociação
Tipo
MWET3; MWET4


Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019

3T2018 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Resultado financeiro = O resultado financeiro líquido recuou em R$ 4.509 mil comparado com o mesmo período do ano anterior, situando-se em (-) R$ 2.117 mil contra (+) R$ 2.392 mil no mesmo período de 2017. Cabe ressaltar que o impacto nessa rubrica se deve ao estorno de encargos financeiros (multas, juros e encargos) realizado no terceiro trimestre de 2017 em razão da adesão da Companhia ao PERT, sendo que no terceiro trimestre de 2018 não houve esse benefício. Contudo, expurgando esse efeito, no 3ºT 2017 o resultado financeiro advindo das operações correntes foi de (-) R$ 2.909 mil comparados com (-) R$ 2.117 no 3ºT2018, portanto a variação seria de -27,2%; Resultado Líquido = Como já informado, no terceiro trimestre de 2018, o resultado líquido foi de R$ 2.475 mil negativos e no terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 8.737 positivos percentuais. Em termos relativos, isso representou uma piora de 33,0 pontos percentuais da Receita Operacional Líquida entre os dois períodos analisados. Influenciaram nessa variação, o recuo do resultado financeiro (R$ 4.509 mil) já mencionado devido a adesão ao PERT em 2017 e a reversão de impostos diferidos (R$ 6.712 mil) que impactaram no resultado do 3ºT17.

1T2018 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A Receita Operacional Líquida(ROL) consolidada atingiu R$ 37.877 mil no trimestre e avança 28,1% em relação a de igual período do ano anterior (R$29.576 mil). O Prejuízo Líquido trimestral foi de R$ 4.604 mil e apresenta mudança positiva em relação ao primeiro trimestre de 2017, quando se registrou prejuízo líquido de R$ 10.080 mil. A margem líquida(resultado líquido/receita operacional líquida), em consequência, situou-se em-12,2%, um ganho de 21,9 pontos percentuais comparando os dois períodos analisados (1T18x 1T17), o qual foi de -34,1%. O EBITDA, que é o indicador de formação de caixa operacional, foi de R$ 1.471 mil negativos, contrastando com o valor de R$2.578 mil negativos apurado no mesmo período de 2017. Houve sensível melhora desse indicador nesse trimestre, mas ainda não o suficiente para cobertura de todas as operações da empresa.

3T2013 -
small caps  -
Sim. Belo balanço...
Operacionalmente melhorou muito.
O risco fica por conta de uma execução fiscal muito alta que ela possui e não está provisionada, o que inclusive impede ela de acumular muito caixa líquido (primeiro sinal de empresa com problema fiscal... vide EUCA que tem a mesma questão sempre afetando).
Em regra, no setor industrial, este costuma ser o melhor trimestre do ano. Daí porque não podemos simplesmente "anualizar" o trimestre para calcular o P/L... que não obstante... está bastante atrativo...
Mas é sempre importante ter os riscos em mente... daí porque a posição deve ser a nível de turnaround...

danieljoseaa  -
Bastante bom o resultado.....já tenho uma posição já há uns 2 trimestres, comprei mais um Kzinho como "prêmio".....kkk.
Lembrando aos incautos......é turnaround.........posição pequena, pois os resultados ainda são instáveis.

Características
Fabricação de Peças e acessórios para sistema motor de veículos automotores

Assembleias




356444 - marcosvinicius2 -  03 Dez 2018, 13:05
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Resultado financeiro = O resultado financeiro líquido recuou em R$ 4.509 mil comparado com o mesmo período do ano anterior, situando-se em (-) R$ 2.117 mil contra (+) R$ 2.392 mil no mesmo período de 2017. Cabe ressaltar que o impacto nessa rubrica se deve ao estorno de encargos financeiros (multas, juros e encargos) realizado no terceiro trimestre de 2017 em razão da adesão da Companhia ao PERT, sendo que no terceiro trimestre de 2018 não houve esse benefício. Contudo, expurgando esse efeito, no 3ºT 2017 o resultado financeiro advindo das operações correntes foi de (-) R$ 2.909 mil comparados com (-) R$ 2.117 no 3ºT2018, portanto a variação seria de -27,2%; Resultado Líquido = Como já informado, no terceiro trimestre de 2018, o resultado líquido foi de R$ 2.475 mil negativos e no terceiro trimestre de 2017 foi de R$ 8.737 positivos percentuais. Em termos relativos, isso representou uma piora de 33,0 pontos percentuais da Receita Operacional Líquida entre os dois períodos analisados. Influenciaram nessa variação, o recuo do resultado financeiro (R$ 4.509 mil) já mencionado devido a adesão ao PERT em 2017 e a reversão de impostos diferidos (R$ 6.712 mil) que impactaram no resultado do 3ºT17.:

MWET4
PREÇO: R$ 2,80
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -4,05
P/VPA -0,04
PSR 0,04
DY 0,00%
EV/EBITDA -17,28
MARGEM BRUTA 7,85%
MARGEM OPERACIONAL -13,00%
MARGEM LÍQUIDA -0,94%
LUCRO POR AÇÃO R$ -0,691
MARGEM EBITDA -6,97%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -119,17%
ROE 0,94%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,33

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 33,18%
RESULTADO BRUTO 150,64%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -25,13%
RESULTADO OPERACIONAL 155,09%
RESULTADO LÍQUIDO -74,08%
EBITDA -421,24%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 33,18%
RESULTADO BRUTO 68,49%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -188,50%
RESULTADO OPERACIONAL 319,38%
RESULTADO LÍQUIDO -127,08%
EBITDA -9,16%

c) lucro (taxa média anual)
UA -74,08%
U2A -84,86%
U3A -71,29%

d) patrimônio líquido médio
UA -4,43%
U2A 3,82%
U3A 31,34%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

350685  - marcosvinicius2 -  03 Jun 2018, 22:30
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A Receita Operacional Líquida(ROL) consolidada atingiu R$ 37.877 mil no trimestre e avança 28,1% em relação a de igual período do ano anterior (R$29.576 mil). O Prejuízo Líquido trimestral foi de R$ 4.604 mil e apresenta mudança positiva em relação ao primeiro trimestre de 2017, quando se registrou prejuízo líquido de R$ 10.080 mil. A margem líquida(resultado líquido/receita operacional líquida), em consequência, situou-se em-12,2%, um ganho de 21,9 pontos percentuais comparando os dois períodos analisados (1T18x 1T17), o qual foi de -34,1%. O EBITDA, que é o indicador de formação de caixa operacional, foi de R$ 1.471 mil negativos, contrastando com o valor de R$2.578 mil negativos apurado no mesmo período de 2017. Houve sensível melhora desse indicador nesse trimestre, mas ainda não o suficiente para cobertura de todas as operações da empresa.:

MWET4
PREÇO: 2,85
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 0,49
P/VPA -0,04
PSR 0,05
DY 0,00%
EV/EBITDA -19,22
MARGEM BRUTA 6,86%
MARGEM OPERACIONAL -11,03%
MARGEM LÍQUIDA 9,23%
LUCRO POR AÇÃO 5,823
MARGEM EBITDA -7,73%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -133,61%
ROE -8,46%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,34

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 8,09%
RESULTADO BRUTO -22,16%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -105,32%
RESULTADO OPERACIONAL 45,73%
RESULTADO LÍQUIDO -160,48%
EBITDA -216,94%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 28,07%
RESULTADO BRUTO 124,36%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,70%
RESULTADO OPERACIONAL -24,52%
RESULTADO LÍQUIDO -54,31%
EBITDA -34,53%

c) lucro (taxa média anual)
UA -160,48%
U2A ND
U3A -163,07%

d) patrimônio líquido médio
UA 1,48%
U2A 20,69%
U3A 60,10%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

344990  - paulo_prof   -  07 Dez 2017, 17:44
Citação: ewm1 - Post #344921 - 06/Dez/2017 16:15
Alguém poderia comentar sobre MWET4, pois o papel esta muito parado.
Empresa para esquecer ... Nos últimos 12 trimestres, só postou ebitdas positivos em 3. O lucro líquido do 3T só veio positivo devido à adesão ao PERT – Programa de Regularização Tributária do Governo Federal, onde a empresa obteve uma redução significativa nos encargos financeiros (multas, juros e encargos) na ordem de R$ 5.301 mil, além da utilização do saldo de prejuízos fiscais para amortização de débitos fiscais, esse no montante de R$ 10.912 mil – ambos impactando positivamente no Lucro Líquido do trimestre analisado. O Patrim}onio Líquido da Empresa é negativo e, em termos nominais, é da ordem de 2,5 vezes maior do que o valor de mercado (ou seja, PatLiq = -2 x Valor de Mercado

222906 - small caps  -  12 Nov 2013, 01:14
Sim. Belo balanço...

Operacionalmente melhorou muito.

O risco fica por conta de uma execução fiscal muito alta que ela possui e não está provisionada, o que inclusive impede ela de acumular muito caixa líquido (primeiro sinal de empresa com problema fiscal... vide EUCA que tem a mesma questão sempre afetando).

Em regra, no setor industrial, este costuma ser o melhor trimestre do ano. Daí porque não podemos simplesmente "anualizar" o trimestre para calcular o P/L... que não obstante... está bastante atrativo...

Mas é sempre importante ter os riscos em mente... daí porque a posição deve ser a nível de turnaround...

222837  - rafael234  -  11 Nov 2013, 21:23
Parece que estamos diante de um belo caso de turnarround, sigamos acompanhando. Vale ressaltar que a companhia possui um baita terreno que pode ser vendido!

222818  - uqaz  -  11 Nov 2013, 19:21
Há tempos queria uma empresa do setor rodoviário (como uma FRAS da vida).

Empresa vem melhorando bem, mas vai ficar com VPA negativo por muito tempo ainda.

222814  - danieljoseaa  -  11 Nov 2013, 19:10
Bastante bom o resultado.....já tenho uma posição já há uns 2 trimestres, comprei mais um Kzinho como "prêmio".....kkk.

Lembrando aos incautos......é turnaround.........posição pequena, pois os resultados ainda são instáveis.

Amanhã deve "voar"..............ou não, rsrs.

47389 - small caps - 24/Set/2010 00:50
citação: Dr InvestSmall, aproveitando que está na área, poderia comentar algo sobre MWET4??
Empresa dificil de se conseguir informação....
sei que ainda esta nela....
o setor dela "bombando" (que ela presta serviço) e o lucro não vem....
parece que ela é sediada perto de sua terra (ou estou enganado ?),
poderia comentar algo???
obrigado e
abraçao

MWET4 sofre fortemente com a atual paridade cambial do país por duas razões: dificulta as exportações e as margens decorrentes e aumenta a concorrência da Chinesada.

O setor de atuação de fato bomba, mas a recuperação começou um pouco mais tarde do que o de veículo leves, por exemplo...

É de se esperar melhores resultados agora no terceiro trimestre, merecendo um bom acompanhamento.
Como foi das poucas que não "bombou", e hoje perfaz uma participação de apenas 0,7% na minha carteira.

Tem bons projetos de aumento de produção, ao mesmo tempo em que anunciou recente novo negócio.
Nos últimos anos tem conseguido zerar as dívidas e vai se aproximando de um patrimônio líquido positivo.

Mantenho suas ações acompanhando esta evolução.

41447 - small caps - 11/Ago/2010 13:21 
citação: floripasempreSmall

Vindo de vc, eu não duvido de mais nada....rs. Estou aguardando as histórias de seus prejús......rs.

06/08) WETZEL (MWET) - Fato Relevante
DRI: Ronaldo Nass

Enviou o seguinte Fato Relevante:

"WETZEL S/A, comunica a seus acionistas e ao mercado em geral, na forma e para os fins do disposto no Paragrafo 4o, do Art. 157, da Lei n 6.404/76 e na Instrucao CVM n 358/02, que nesta data celebrou com Dietzel GMBH, com sede em Viena, Austria, a constituicao de uma joint venture, cuja razao social sera Wetzel Univolt Industria de Plasticos Ltda. O seu objeto social sera o de realizar no Brasil a fabricacao de partes plasticas, por extrusao ou injecao, destinadas a aplicacoes eletricas.

O veiculo da joint venture sera uma sociedade limitada, com sede e parque industrial localizados em Joinville - SC, na qual a Wetzel sera titular de 60% e a Dietzel de 40% das quotas sociais.

O valor do investimento inicial estimado para a implantacao do negocio e de R$ 1 milhao, o qual sera integralizado em dinheiro, em ate 36 (trinta e seis) meses, conforme necessidades a serem estabelecidas no plano de investimentos.

Simultaneamente, Wetzel e a joint venture celebrarao um Contrato de Distribuicao por meio do qual a Wetzel, apos inicio das operacoes, ira comercializar e distribuir, com exclusividade, todo o portfolio da fabricacao da Wetzel Univolt na America do Sul.

Essa parceria com a Dietzel representa um passo importante para o fortalecimento da Wetzel nos segmentos de sua Divisao Eletrotecnica e esta em perfeito alinhamento com a sua estrategia de crescimento e criacao de valores para a Companhia e para os seus acionistas.

Hehehehhe, os segredos secretos :)
Um é famoso, e foi minha maior perda absoluta. Citei no livro uma tal de Gradiente, inclusive sobre "a ilusão" que me levou à compra. Foi mais uma grande lição para a diversificação, porque aquela "eu tinha certeza".. hehehhe

E as minhas primeiras compras reais em bolsa completaram 10 anos em julho. Entre elas estavam TELB4 e BCAL6 (antiga bicicletas caloi rss). Tinha também CLSC6, BBAS3 (estas duas foram bem até) e mais duas que não me lembro agora...

Grandes lições e logo em seguida passei a devorar o "value investing"... os 10 anos de estudos viraram um livro sobre o que considerei de fundamental para a carreira de um investidor... alí contemplou o modus operandi após algumas tentativas e erro, que passou a ser executado e testado desde 2001, tanto em crises, como eu euforias :)

Por que comprei aquelas tranqueiras? No próximo capitulo eu conto :) hahahahahah

29197 - small caps - 02/Mar/2010 22:23
citação: FOCKINKsmall...sinceramente não consegui entender ainda a tal de MWET4 >>>????
Observa a evolução da empresa antes da crise.
Ela tem intima ligação com o setor industrial, o mais afetado.
Agora virá o ciclo de "prosperidade" do setor.
Acredito que voltará a boa forma...
Tem risco elevado e, portanto, peso de turarnound...

29192 - small caps - 02/Mar/2010 22:17
citação: polycravCaro Small, ainda não consegui localizar a sua resposta. Sorry.
polycrav - 08/12/2009 00:32
polycrav - 28/11/2009 17:07
polycrav - 17/11/2009 13:17
Caro Amigo Small,
Vendo a sua lista de ativos detectei, entre outros, MWET4 e TKNO4 (se não me engano) que tiveram valorizações "pífias" quando comparados com os outros. O que te faz mantê-los na carteira até hoje? Ainda espera uma "disparada"? Porque não fazer permuta por HBOR, INEP ou mesmo PNOR (que vc afirma não estar com $$ disponível no momento)por exemplo?
Desculpe se estou sendo "deselegante" com o questionamento, mas é pura curiosidade com a sua estratégia.
Na verdade gostaria de entender um pouco mais seu estilo de gestão dos ativos, já que os critérios de escolha e seleção estão bem claros.
Grande abraço,
Poly
Poly, bem vindo de volta :)
Na minha carteira tem espaço para diversos objetivos em prazos. TKNO4 e MWET4 estão no time da visão de mais longo prazo. Elas também tem pesos. Estas estão nos 1 - 1,5% da carteira a posição em ações. Empresas como a que você citou (HBOR3), chegam a 5%. Ou também ficam nos 1% - 1,5% por ser turnaround (INEP4).
TKNO4 tem um histórico de responsa. Está investindo em novo projeto que tem boa lucratividade e retorno sobre o investimento projetado. Eles costumam acertar nas premissas. E ainda paga um dividendo relativamente bom para o setor industrial.
MWET4 é mais longo ainda. Anunciou há 2 - 3 anos o objetivo de aumentar significativamente a receita. É um turnaround de longo prazo, que vem sendo realizado com pleno êxito, que foi apenas interrompido momentaneamente pela crise. Passando a crise, vê-se que o lucro vai voltando.
Tem baixo PSR, e com o EBITDA melhorando ao longo do tempo, vai diminuindo o P/EBITDA.
A explicação é bem mais longa que isso, pois envolve vários objetivos que tenho na minha carteira de ativos... tem aqueles que geram fluxo de caixa hoje e aqueles que vão fazer isto em 10 anos apenas... cada um dos intentos com o capital adequado para esperar os frutos... E a diversificação necessária para que os acertos de 5.000%, 10.000% compensem dezenas de erros... ou o tempo de espera para frutificação... tem um pouco de base atuarial nisto, o qual aprecio muito na minha forma de investir...

25582 - paulo_prof - 16/Jan/2010 14:27
citação: renato1631Boa tarde Prof. Paulo
Obrigado por nos dar tanta informação!
Gostaria, se possível, que o senhor analisasse wetzel. Ja perguntei sobre essa ação mas ainda ninguém analisou. Comprei a 12,24. O senhor acha que a wetzel pode melhorar os números em 2010. O senhor considera um investimento muito arriscado?
Grande abç e um ótimo 2010
Ao preço corrente, a Wetzel teria que estar produzindo um lucro anual de no mínimo R$ 7 milhões. Historicamente, o 4o. trimestre é de prejuízos.
Há que se considerar, entretanto, que no 4T09 foram fabricados 29,3% mais veículos comerciais do que no 4T08 e 17,5% mais veículos comerciais do que no 3T09. As Divisões Ferro e Alumínio, da empresa, devem ter se beneficiado.
Em conseqüência, se a empresa não for capaz de apresentar um lucro líquido de no mínimo R$ 1,5 milhões no 4T09, eu cairia fora. Por outro lado, se o lucro líquido for acima de R$ 3,5 milhões, seria o caso, talvez, de arriscar a aumentar a posição.

23522 - pidainho - 10/Dez/2009 17:41
Sobre Wetzel (Mwet4) - Retirado do Relatório de Gestão da Orbe Investimentos - Resultados do 3T.
Wetzel
O resultado de Wetzel foi bastante positivo no 3T09 se considerado o cenário que a empresa enfrentou ainda neste período. As vendas de veículos pesados ainda tem sofrido relevantemente por causa da crise internacional e obviamente a empresa sofre com essa diminuição da demanda. Por outro lado, a empresa sofreu menos que o mercado e suas medidas para conter as perdas pela diminuição da receita também se mostraram efetivas, fazendo com que a empresa chegasse a números consideravelmente positivos. E, como já dito acima, o governo prorrogou a isenção de caminhões até Junho/2010, o que beneficia tremendamente a companhia. A receita bruta da companhia chegou a R$ 51,4 milhões no 3T09, 35% abaixo do que havia feito no mesmo trimestre do ano anterior, porém já com um ganho de quase 15% sobre o que tínhamos visto no 2T09. A receita foi predominantemente (95%) conquistada no Brasil. A receita líquida seguiu a tendência e terminou o trimestre em praticamente R$ 40 milhões. A margem bruta já mostrou uma certa melhora, atingindo saudáveis níveis de 26%. 4,5% acima do trimestre imediatamente anterior. Além da margem bruta, as atitudes para redução de custos são aparentes também nas despesas operacionais, vide vendas e administrativas. A soma destas foi de R$ 9,5 milhões no 3T08 A de vendas caiu naturalmente e atingiu R$ 3,2 milhões no 3T09, porém as administrativas caíram para R$ 4,6 milhões, somando uma queda de quase 18% nas despesas operacionais. Em relação ao trimestre imediatamente anterior houve uma queda de 7% nas administrativas (rescisões no passado) e um pequeno aumento de 4% nas despesas com vendas resultante obviamente do aumento das vendas. Deste modo, a empresa fechou o trimestre com Lucro Líquido de R$ 1,1 milhão, número muito positivo para o complexo momento de seu setor de atuação. O Ebitda foi ainda melhor, chegando a R$ 4,8 milhões. Ambos os números estão muito aquém do resultado de 2008, quando neste trimestre a empresa atingiu R$ 10 milhões de Ebitda e quase R$ 5 milhões de lucro líquido, porém no trimestre imediatamente anterior o resultado havia sido um prejuízo de R$ 2,4 milhões e um Ebitda de apenas R$ 1,4 milhão. O mais importante disso tudo é que a empresa melhorou muito mais que proporcionalmente ao aumento da receita, mostrando que agiu rapidamente com os cortes necessários e que provavelmente trará resultados ainda melhores do que costumava conforme o
mercado voltar.

20372 - pidainho - 11/Nov/2009 12:03
11/11) - WETZEL S.A. 30/09/2009 LS
Resumo dos Dados Consolidados Recebidos
R$ Mil Legislacao Societaria
Descricao Notas
Nome de Pregao WETZEL S/A ( 1 )
Periodo 9M
Data Encerramento 30/09/2009
Patrimonio Liquido (11.224)
Receita Liquida 109.691
Resultado Bruto 25.533
Receita (Despesa) Financeira Liquida (5.108)
Resultado da Equivalencia Patrimonial
Resultado Operacional (3.108)
Lucro (Prejuizo) Liquido (2.941)
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Mil ) 5.145
Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA (0,57162)
Valor Patrimonial da Acao - VPA (2,18154)
Notas
(1) Reapresentacao.
*
05/08) - WETZEL S.A. 30/06/2009 LS
Resumo dos Dados Consolidados Recebidos
R$ Mil Legislacao Societaria
Descricao
Nome de Pregao WETZEL S/A
Periodo 6M
Data Encerramento 30/06/2009
Patrimonio Liquido (12.324)
Receita Liquida 69.717
Resultado Bruto 14.968
Receita (Despesa) Financeira Liquida (3.369)
Resultado da Equivalencia Patrimonial
Resultado Operacional (4.149)
Lucro (Prejuizo) Liquido (3.997)
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Mil ) 5.145
Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA (0,77687)
Valor Patrimonial da Acao - VPA (2,39534)
*
Lembrando q em abril, os fundos orbe e sol conseguiram implantar conselho fiscal, elegendo inclusive um dos três membros. A companhia parece q vai retomar o patrimônio líquido positivo em breve.

17134 - paulo_prof - 14/Out/2009 15:49
citação: pidainhoPessoal, alguém acompanha mwet4?
Vcs não estão achando ela um pouco atrasada em relação à valorização em geral do indice, lembram q falei de bmeb4 e, por mais q os indicadores fossem uma bosta ela até q subiu legal, vendi com algum lucro, agora entrei em mwet4 a 13,50, vcs acreditam num resultado com lucros neste terceiro trimestre?
E como faço para saber se a empresa possui dívida em dólar, já q no site da empresa não tem nenhuma parte destinada à RI.
Obrigado!!!
O problema da Wetzel é que uma parte muito significativa da receita é gerada no segmento de caminhões e máquinas agrícolas. O Relatório da Produção de Veículos da Anfavea, relativo a mês de setembro, só sai após o dia 20. De qualquer forma, dá para se ter uma ideía analisando a produção nos meses anteriores.
No 1o. trimestre, houve redução de 33,3% na produção de caminhões e de 20,4% na produção de máquinas agrícolas em relação a 2008. A redução na receita bruta da Wetzel foi de 29,6%.
No 2o. trimestre, houve redução de 31,5% na produção de caminhões e de 34,3% na produção de máquinas agrícolas em relação a 2008. A redução na receita bruta da Wetzel foi de 36,4%.
Nos 2 primeiros meses do 3o. trimestre, houve redução de 40,5% na produção de caminhões e de 28,2% na produção de máquinas agrícolas em relação a 2008. Mesmo se a produção em setembro tiver sido bem melhor do que aquela nos meses de julho e agosto, tudo leva a crer que a queda na receita bruta da Wetzel no 3T09, em relação a 2008, deverá ser de no mínimo 30% (se fosse obrigado, apostaria que a quebra seria mais para 35%).
Mantendo-se as margens, isto levaria às seguintes estimativas (otimistas):
Receita Bruta: R$ 55,5 milhões
Receita Líquida: R$ 43,0 milhões
Resultado Bruto: R$ 9,5 milhões
Resultado Financeiro: (R$ 2,0 milhões)
Despesas com Vendas: (R$ 3,0 milhões)
Despesas Gerais e Administrativas: (R$ 5,0 milhões)
Resultado Operacional: (0,5 milhões)
Ou seja ... deve vir mais um trimestre de prejuízo por aí.
Em 30JUN2009, a situação da Dívida era a seguinte:
Circulante:
Empréstimos e Financiamentos: R$ 10,5 milhões
Refis: R$ 2,1 milhões
SUB-TOTAL: R$ 12,6 milhões
Não Circulante:
Empréstimos e Financiamentos: R$ 37,3 milhões
Refis: R$ 78,2 milhões
SUB-TOTAL: 115,5 milhões
TOTAL: R$ 128,1 milhões
Deste total, há menos do que 1% denominado em moeda estrangeira.

5357  -  pidainho - 09/Mai/2009 22:00
Resultado Wetzel
Desempenho das Vendas
A Receita Operacional Bruta do 1º trimestre de 2009 atingiu R$ 44,2 milhões, representando uma redução de 29,6% sobre os R$ 62,8 milhões obtidos no igual período de 2008.
As exportações representaram 10,4% da receita operacional bruta, contra 3,8% no 1º. Trimestre / 2008.
Desempenho Operacional
A participação dos Custos sobre os Produtos Vendidos (CPV) foi de 79,4%, o que representou um aumento de 5,8% em comparação ao mesmo trimestre do exercício anterior.
A participação das Despesas Operacionais foi de 21,9% sobre a Receita Operacional Líquida, crescimento de 6,2% sobre o mesmo trimestre do exercício anterior.
Houve redução das Despesas Financeiras Líquidas, passando de R$ 2,0 milhões para R$1,4 milhões, o que representou 3,95% da Receita Operacional Líquida, contra 4,1% no 1º trimestre de 2008.
Lucro Líquido e EBITDA
A Companhia registrou no trimestre prejuízo de R$ 1,6 milhões contra um lucro líquido de R$ 2,2 milhões verificado no mesmo trimestre do exercício anterior.
O EBITDA alcançou R$ 1,5 milhões no 1º trimestre de 2009, contra R$ 6,9 milhões obtidos no 1º trimestre de 2008. A margem EBITDA foi de 5,0%, contra 12,4% obtido no 1º trimestre de 2008.
As condições de mercado vivenciadas nos últimos meses são totalmente adversas ao cenário traçado para o ano de 2009 , com base nas expectativas existentes em 2008.
O fraco desempenho operacional da Companhia neste início de 2009 foi diretamente influenciado pela redução do volume físico de vendas, em especial para o segmento automotivo direcionado para caminhões e máquinas agrícolas, onde a participação nos negócios é relevante.
Com a sub-utilização da capacidade instalada de produção, os custos e despesas fixas, bem como os custos com mão-de-obra ficaram desalinhados, impactando negativamente nos custos de transformação.
Várias ações foram implementadas em busca do retorno ao equilíbrio operacional, parte delas com resultados imediatos, mas na sua maioria os efeitos serão sentidos somente no médio prazo.
Investimentos
Os investimentos em ativos fixos efetivados entre 01/01 e 31/03/2009 somaram R$ 2,3 milhões, com a aquisição de máquinas e equipamentos operacionais , que parte destes , foram contratados ainda no exercício de 2008 e entregues no primeiro trimestre de 2009.
Recursos Humanos
A Companhia encerrou o 1º trimestre de 2009 com 1.282 colaboradores, com redução de 13,32% em relação aos 1.479 colaboradores registrados no 1º trimestre de 2008.
Perspectivas
Atentos aos movimentos da economia e ao comportamento do mercado diante da crise internacional, estamos otimistas que com a recuperação gradual da demanda, usando de nossas vantagens competitivas e mantendo as medidas de contingências essenciais para o momento , retornaremos aos bons resultados alcançados nos últimos anos.

Nenhum comentário: