Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Santander (SANB)





Recomendações
Compra: SmallCaps (jan/09)
Carteiras
paulo_prof (fev/17) - rodrigoset (abr/18)
Balanços
1T2019 -
paulo_prof  -
Entre os bancões, sou da opinião de que os resultados do SANB foram os melhores. Não vi um único dado desfavorável. Acho que o ativo está relativamente barato.

3T2018 -
Paulo Prof - 
Como já confessei inumeras vezes, não entendo a taxação de IR/CS de bancos ... no 3T17, o banco havia postado um resultado antes dos impostos de R$ 4,685 bilhões. Isto resultou num lucro líquido de R$ 1,795 bilhões. No 3T18, o Resultado Antes dos Impostos foi de R$ 3,818 bilhões (quase um bilhão a menos), mas lucrou R$ 3,039 bilhões, bem mais de R$ 1 bilhão a mais!!! Vai entender? A menos que me provem o contrário, na minha cartilha o resultado do 3T18 teria sido bem inferior ao do 3T17 ... enfim! Há que se entender se esta "mamata" no que se refere o IR/CS e devida a créditos tributários que mais dia menos dia vão terminar, ou se no final do exercício todo o IR/CS devido considerando-se apenas o resultado antes dos impostos acabar[a sendo contabilizado.
Desconsiderando o fato de que esta questão poderá eventualmente impactar resultados no futuro, ou seja, supondo que os lucros como reportados são "normais", o ativo estaria barato!

marcosvinicius2 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Patrimônio Líquido = Em 30 de setembro de 2018, o patrimônio líquido consolidado do Banco Santander apresentou um aumento de 5,3%, em comparação com dezembro de 2017.A evolução do patrimônio líquido no período é decorrente, principalmente, pela variação negativa de outros resultados abrangentes no montante de R$148,9 milhões, que inclui como principal evento as variações nos ativos financeiros disponíveis para venda e do Lucro Líquido do período no montante de R$9.034,0 milhões e reduzido pelos efeitos da primeira adoção do IFRS 9 no montante de R$1.541,8 milhões e pelo destaque de Juros sobre Capital Próprio no montante de R$1.200 milhões e Dividendos Intercalares no montante de R$600 milhões; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se MANTENDO num patamar estável: 2,97% no 3T15; 3,55% no 3T16; 3,97% no 3T17 e 2,84% no 3T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores EM LINHA quando comparadas com empresas do mesmo setor: 3,94% no 3T15; 5,15% no 3T16; 5,49% no 3T17 e 4,75% no 3T18.

2T2018 -
Paulo Prof - 
Achei os resultados do Santander muito fracos ... Para conseguir o resultado líquido de R$ 3 bilhões no trimestre, o banco teve que contabilizar R$ 3,1 bilhões de ativo fiscal diferido. No trimestre, o Resultado Antes dos Impostos somou somente R$ 60 milhões.

A2017/4T2017 -
paulo_prof   -
Achei muito bom o resultado do Santander. O ativo não me parece caro.

3T2017 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). DOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 45 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO POSITIVO (EXCELENTE). DESPESAS GERAIS = AS OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS TOTALIZARAM R$ 5.111,3 MILHÕES E R$ 4.839,7 MILHÕES NO PERÍODO DE NOVE MESES DE 2017 E 2016, RESPECTIVAMENTE. AS DESPESAS COM PESSOAL TOTALIZARAM R$ 6.584,1 MILHÕES E R$ 6.062,3 MILHÕES NO PERÍODO DE NOVE MESES DE 2017 E 2016, RESPECTIVAMENTE. AS DESPESAS ADMINISTRATIVAS APRESENTARAM UM AUMENTO DE 5,6% E AS DESPESAS COM PESSOAL APRESENTARAM UM AUMENTO DE 8,6% NA COMPARAÇÃO ANUAL.
Características
Banco múltiplo com carteira comercial
Links
360966  - paulo_prof  -  05 Mai 2019, 23:19
Entre os bancões, sou da opinião de que os resultados do SANB foram os melhores. Não vi um único dado desfavorável. Acho que o ativo está relativamente barato.


SANB11

PREÇO: R$ 44,95

PAYOUT (2018): 54,1%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,11

P/VPA 2,45

DY 4,134%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,429

ROAE 18,7%

ROAA 1,59%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 11.364.361

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,48%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,08%



Taxas de Crescimento Nominal

a) Últimos 12 meses em relação aos 12 meses terminados no 1T18:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -3,4%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,1%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +2,1%

RESULTADO OPERACIONAL +8,0%

RESULTADO LÍQUIDO +41,9%

DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +3,0%

PATRIMÔNIO LÍQUIDO +9,6%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +20,5%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +5,4%

ATIVO TOTAL +11,0%

CRÉDITOS INADIMPLENTES (últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores): -0,2%



b) 1T19 sobre 1T18

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +10,1%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +9,5%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +7,0%

RESULTADO OPERACIONAL +10,5%

RESULTADO LÍQUIDO +21,1%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -8,4%



c) do lucro líquido

UA 41,93%
U2A 44,11%
U3A 19,24%


d) do patrimônio líquido médio

UA 7,08%

U2A 4,62%

U3A 4,15%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu, passando de uma média de 487% nos 4 trimestres terminados no 1T18, para uma média de 4,38% nos últimos 4 trimestres. Por outro lado, o NPL (inadimplência) nos últimos 12 meses, também medida como percentual da média das operações de crédito no ano, diminuiu de uma média de 3,18%, para uma média de 2,745% nos últimos 4 trimestres. A Carteira Expandida de Crédito evoluiu sensivelmente nos últimos 12 meses (+20,5%). Como consequência, mesmo com a melhora da qualidade da carteira e redução da inadimplência, as despesas de PDD aumentaram 3,0%.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 42,86

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +1,5%

356761 -marcosvinicius2 - 12 Dez 2018, 13:25
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Patrimônio Líquido = Em 30 de setembro de 2018, o patrimônio líquido consolidado do Banco Santander apresentou um aumento de 5,3%, em comparação com dezembro de 2017.A evolução do patrimônio líquido no período é decorrente, principalmente, pela variação negativa de outros resultados abrangentes no montante de R$148,9 milhões, que inclui como principal evento as variações nos ativos financeiros disponíveis para venda e do Lucro Líquido do período no montante de R$9.034,0 milhões e reduzido pelos efeitos da primeira adoção do IFRS 9 no montante de R$1.541,8 milhões e pelo destaque de Juros sobre Capital Próprio no montante de R$1.200 milhões e Dividendos Intercalares no montante de R$600 milhões; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se MANTENDO num patamar estável: 2,97% no 3T15; 3,55% no 3T16; 3,97% no 3T17 e 2,84% no 3T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores EM LINHA quando comparadas com empresas do mesmo setor: 3,94% no 3T15; 5,15% no 3T16; 5,49% no 3T17 e 4,75% no 3T18.:

SANB11
PREÇO: R$ 42,72
PAYOUT (2017): 12,54%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 14,14
P/VPA 2,44
DY 0,89%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,021
ROAE 17,23%
ROAA 1,50%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 9.739.183
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,99%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,75%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -26,44%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 12,15%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -6,89%
RESULTADO OPERACIONAL -15,75%
RESULTADO LÍQUIDO 59,86%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -9,22%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 49,93%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -36,34%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 4,98%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -6,40%
RESULTADO OPERACIONAL -25,15%
RESULTADO LÍQUIDO 66,57%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -6,94%
PATRIMONIO LÍQUIDO 5,11%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO 19,40%
PDD TOTAL 3,19%
ATIVOS TOTAIS 9,91%

c) lucro liquido, nominal
UA 59,86%
U2A 49,24%
U3A 20,36%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,71%
U2A 3,48%
U3A 2,30%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,76
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,0% !!!!
[...]

355294 - paulo_prof  -  31 Out 2018, 16:11
Como já confessei inumeras vezes, não entendo a taxação de IR/CS de bancos ... no 3T17, o banco havia postado um resultado antes dos impostos de R$ 4,685 bilhões. Isto resultou num lucro líquido de R$ 1,795 bilhões. No 3T18, o Resultado Antes dos Impostos foi de R$ 3,818 bilhões (quase um bilhão a menos), mas lucrou R$ 3,039 bilhões, bem mais de R$ 1 bilhão a mais!!! Vai entender? A menos que me provem o contrário, na minha cartilha o resultado do 3T18 teria sido bem inferior ao do 3T17 ... enfim! Há que se entender se esta "mamata" no que se refere o IR/CS e devida a créditos tributários que mais dia menos dia vão terminar, ou se no final do exercício todo o IR/CS devido considerando-se apenas o resultado antes dos impostos acabar[a sendo contabilizado.

Desconsiderando o fato de que esta questão poderá eventualmente impactar resultados no futuro, ou seja, supondo que os lucros como reportados são "normais", o ativo estaria barato!

SANB11

PREÇO: R$ 42,40

PAYOUT (2017): 78,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 13,95

P/VPA 2,41

DY 5,64%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,039

ROAE 17,3%

ROAA 1,47%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 11.361.562

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,75%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,42%



Taxas de Crescimento Nominal

a) Últimos 12 meses em relação aos 12 meses terminados no 3T17:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -16,9%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,2%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -5,3%

RESULTADO OPERACIONAL -10,0%

RESULTADO LÍQUIDO +61,0%

DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -4,8%

PATRIMÔNIO LÍQUIDO +5,1%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +16,3%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +5,2%

ATIVO TOTAL +13,8%

CRÉDITOS INADIMPLENTES (últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores): -11,5%



b) 3T18 sobre 3T17

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -27,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +6,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -4,4%

RESULTADO OPERACIONAL -19,2%

RESULTADO LÍQUIDO +69,3%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -1,6%



c) do lucro líquido

UA 61,01%

U2A 48,13%

U3A 20,91%



d) do patrimônio líquido médio

UA 3,70%

U2A 3,48%

U3A 2,31%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu, passando de 4,73% no 2T18 para 4,42%. Por outro lado, o NPL (inadimplência) no exercício, também medida como percentual da média das operações de crédito no ano, diminuiu de 2,98% no 1T18, para 2,75%. A Carteira Expandida de Crédito evoluiu sensivelmente no trimestre (+7,9%). Como consequência, mesmo com a melhora da qualidade da carteira e redução da inadimplência, as despesas de PDD aumentaram 2,2%.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,99

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,0%

352272 - TraderCenter  -  27 Jul 2018, 21:54
Salve Galera, mais uns resultados que já foram divulgados.. apenas empresas com lucros líquidos no 2 tri 2018

https://lupamercantil.blogspot.com/
[...]
A carteira de crédito do Santander no Brasil (SANB11) fechou junho com salto total de R$ 368,245 bilhões, alta de 4,0% em relação ao término de março, quando estava em R$ 353,920 bilhões.

Em um ano, quando estava em R$ 325,014 bilhões, foi registrado incremento de 13,3%. Ao final de junho, os ativos totais do banco alcançaram R$ 739,071 bilhões, com expansão de 13,2% em 12 meses. Em relação ao primeiro trimestre deste ano, foi registrada elevação de 2,0%.
[...]

352220  - paulo_prof   -  25 Jul 2018, 21:23
Achei os resultados do Santander muito fracos ... Para conseguir o resultado líquido de R$ 3 bilhões no trimestre, o banco teve que contabilizar R$ 3,1 bilhões de ativo fiscal diferido. No trimestre, o Resultado Antes dos Impostos somou somente R$ 60 milhões.

SANB11

PREÇO: R$ 35,65

PAYOUT (2017): 78,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 14,95

P/VPA 2,16

DY 5,26%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,405

ROAE 14,4%

ROAA 1,24%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 11.183.298

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 2,94%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,67%



Taxas de Crescimento Nominal

a) Últimos 12 meses em relação aos 12 meses terminados no 2T17:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +21,4%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +8,3%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -0,5%

RESULTADO OPERACIONAL +44,3%

RESULTADO LÍQUIDO +34,7%

DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -10,4%

PATRIMÔNIO LÍQUIDO +4,1%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +11,2%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +3,0%

ATIVO TOTAL +10,9%

CRÉDITOS INADIMPLENTES (últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores): -12,4%



b) 2T18 sobre 2T17

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +28,9%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +9,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -6,0%

RESULTADO OPERACIONAL -96,9%

RESULTADO LÍQUIDO +58,1%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +8,8%



c) do lucro líquido

UA 51,04%

U2A 42,11%

U3A 21,09%



d) do patrimônio líquido médio

UA 2,82%

U2A 3,65%

U3A 1,77%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito aumentou marginalmente, passando de 4,67% no 1T18 para 4,73%. Por outro lado, o NPL (inadimplência) no exercício, também medida como percentual da média das operações de crédito no ano, diminuiu de 3,16% no 1T18, para 2,98%. A Carteira Expandida de Crédito ficou praticamente estável no trimestre (+0,5%). Como consequência, as despesas de PDD diminuiram 2,8%, impactando levemente o lucro, positivamente.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 30,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +4,5%

346586  - rodrigoset   -  31 Jan 2018, 00:07
SANTANDER: desconfio que capta dinheiro a juros próximo a zero na europa e emprestam aqui a 255,85% (cheque especial)....

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE), ajustado pelo ágio, atingiu 16,9% em 2017, aumento de 3,6 p.p. em doze meses, alavancado por um forte crescimento das nossas receitas. No trimestre, o ROE atingiu 18,3%.

346585  - paulo_prof   -  31 Jan 2018, 00:07
Achei muito bom o resultado do Santander. O ativo não me parece caro.

SANB11

PREÇO: R$ 35,65

PAYOUT (2017): 78,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,66

P/VPA 2,24

DY 4,72%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,140

ROAE 13,4%

ROAA 1,17%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 12.649.539

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,53%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,88%



Taxas de Crescimento Nominal

a) Últimos 12 meses em relação aos 12 meses terminados no 4T16:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +0,6%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +13,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +0,0%

RESULTADO OPERACIONAL -2,8%

RESULTADO LÍQUIDO +44,5%

DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -11,0%

PATRIMÔNIO LÍQUIDO +3,0%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO -7,8%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) -4,7%

ATIVO TOTAL -2,6%

CRÉDITOS INADIMPLENTES (últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores): +7,8%



b) 4T17 sobre 4T16

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +28,9%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +9,8%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -3,9%

RESULTADO OPERACIONAL +50,7%

RESULTADO LÍQUIDO +62,5%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -28,2%



c) do lucro líquido

UA 44,53%

U2A 6,90%

U3A 54,67%



d) do patrimônio líquido médio

UA 2,71%

U2A 2,53%

U3A 1,78%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito aumentou marginalmente, passando de 4,72% no 4T16 para 4,88%. Por outro lado, o NPL (inadimplência) no exercício, também medida como percentual da média das operações de crédito no ano, aumentou de 3,15% em 2016,, para 3,46%. A Carteira Expandida de Crédito, entretanto, encolheu 7,8% em 2017. Como consequência, embora tenham ocorrido pioras marginais na qualidade da carteira e no índice de inadimplência, as despesas de PDD diminuiram 11%, impactando positivamente o lucro.

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 27,43

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,0%

346584 - rodrigoset -  30 Jan 2018, 23:56
SANTANDER: melhor banco do Brasil

Em 2017, o lucro líquido alcançou o maior patamar histórico, com crescimento de 35,6% em doze meses, refletindo mais um ano de sólida geração de resultados, alavancada pela forte dinâmica comercial, com maior participação do varejo ampliado no resultado do banco. Mantemos a gestão preventiva de riscos e o foco contínuo na produtividade. Reforçamos nosso compromisso em potencializar a geração de resultados baseado em um modelo de negócios mais eficiente, produtivo e centrado no cliente.

O lucro líquido gerencial somou R$ 9.953 milhões em 2017, atingindo o maior patamar histórico, com crescimento de 35,6% em doze meses e aumento de 6,4% em três meses, impulsionado por uma melhor dinâmica comercial evidenciando assim um crescimento sustentável e recorrente.

344233  - marcosvinicius2 -  22 Nov 2017, 22:31
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). DOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 45 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO POSITIVO (EXCELENTE). DESPESAS GERAIS = AS OUTRAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS TOTALIZARAM R$ 5.111,3 MILHÕES E R$ 4.839,7 MILHÕES NO PERÍODO DE NOVE MESES DE 2017 E 2016, RESPECTIVAMENTE. AS DESPESAS COM PESSOAL TOTALIZARAM R$ 6.584,1 MILHÕES E R$ 6.062,3 MILHÕES NO PERÍODO DE NOVE MESES DE 2017 E 2016, RESPECTIVAMENTE. AS DESPESAS ADMINISTRATIVAS APRESENTARAM UM AUMENTO DE 5,6% E AS DESPESAS COM PESSOAL APRESENTARAM UM AUMENTO DE 8,6% NA COMPARAÇÃO ANUAL.

SANB11
PREÇO: R$ 30,44
PAYOUT (2016): 95,08%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 32,31
P/VPA 3,66
DY 2,94%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,942
ROAE 11,33%
ROAA 1,03%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 11.390.869
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,97%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 5,49%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -5,32%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 5,39%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 3,38%
RESULTADO OPERACIONAL -8,22%
RESULTADO LÍQUIDO 39,33%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -8,59%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 4,31%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 84,94%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 3,65%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 11,88%
RESULTADO OPERACIONAL 151,14%
RESULTADO LÍQUIDO 27,21%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -16,57%
PATRIMONIO LÍQUIDO 1,69%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -6,88%
PDD TOTAL -0,69%
ATIVOS TOTAIS -6,49%

c) lucro liquido, nominal
UA 39,33%
U2A 4,44%
U3A 50,42%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,24%
U2A 1,61%
U3A 0,74%

PATRIMONIO LIQUIDO = Em setembrode 2017,o patrimônio líquido consolidado do Banco Santander apresentou um aumento de 6,9%, em comparação com dezembro de 2016. A evolução do patrimônio líquido no período é decorrente, principalmente, pela variação positiva de outros resultados abrangentes no montante de R$1.106,0 milhões, que inclui como principal evento as variações nos ativos financeiros disponíveis para venda e do Lucro Líquido do período no montante de R$6.654,2 milhões e reduzido pelo destaque de Juros sobre Capital Próprio no montante de R$1.500 milhões.

INDICE DE BASILEIA = Conforme estabelecido na Resolução CMN4.193/2013, a exigência para o PR em 2016 foi de 10,5%, composto de 9,875%
de Mínimo de Patrimônio de Referência mais 0,625% de Adicionalde Conservação de Capital. Considerando este adicional, o PR Nível I aumentou para 6,625% e o Capital Principal Mínimo para 5,125%;

Chart.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

337105  - paulo_prof   -  26 Abr 2017, 15:33
SANB11

PREÇO: R$ 26,47

PAYOUT (2016): 85,7%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,10

P/VPA 1,63

DY 5,32%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,644

ROAE 10,1%

ROAA 0,86%

CRÉDITOS INADIMPLENTES 12.955.216

CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,16%

PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,17%



Taxas de Crescimento Nominal



a) Últimos 12 meses em relação aos 12 meses terminados no 1T16:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA +85,3%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +18,2%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,6%

RESULTADO OPERACIONAL +79,6%

RESULTADO LÍQUIDO -18,4%

DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -6,1%

PATRIMÔNIO LÍQUIDO +10,7%

OPERAÇÕES DE CRÉDITO +2,3%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +4,2%

ATIVO TOTAL +6,7%

CRÉDITOS INADIMPLENTES (últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores): +6,1%



b) 1T17 sobre 1T16

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -11,7%

RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +20,0%

DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +1,3%

RESULTADO OPERACIONAL -13,8%

RESULTADO LÍQUIDO +50,4%

PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +15,4%



c) do lucro líquido

UA -18,37%

U2A 62,52%

U3A 44,98%



d) do patrimônio líquido médio

UA 3,20%

U2A 1,84%

U3A -1,10%



O PDD Total como percentual das Operações de Crédito diminuiu, passando de 4,72% no 4T16 para 4,17%. Por outro lado, os NPL (inadimplência) no trimestre, também medida como percentual das operações de crédito, aumentou de 2,94% no 4T16, para 4,17%.



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 21,08



Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0%

320648  - TraderCenter   -  27 Abr 2016, 16:40
O Santander Brasil (SANB11) teve lucro praticamente estável no primeiro trimestre, uma vez que o controle da inadimplência permitiu menores despesas com provisões para calotes, o que compensou a retração da carteira de crédito.

Resultado de imagem para santander
O Santander Brasil inaugurou a temporada de balanços dos grandes bancos de capital aberto ao anunciar lucro líquido gerencial, que não exclui o ágio da compra do Real, de R$ 1,660 bilhão no primeiro trimestre, cifra 1,67% maior que a vista em um ano, de R$ 1,633 bilhão. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, a alta foi de 3,3%.
Resultado de imagem para santander bonsucesso
Considerando o impacto do ágio, apresentado no conceito societário, o resultado do espanhol foi de R$ 1,213 bilhão de janeiro a março, alta de 77,35% em um ano e de 3,90% no comparativo trimestral. Em relatório que acompanha suas demonstrações financeiras, o Santander Brasil destaca que, a partir de 2016, conforme comunicado publicado este mês, foram feitos ajustes na margem financeira e na carteira de crédito, sem impacto, porém, no total das mesmas.

A carteira de crédito ampliada do banco encerrou março em R$ 312,018 bilhões, queda de 5,7% em relação ao saldo de dezembro, de R$ 330,947 bilhões. No comparativo com o mesmo período do ano passado, quando estava em R$ 324,319 bilhões, foi identificado encolhimento de 3,8%.
Resultado de imagem para santander
O Santander Brasil fechou março com R$ 668,750 bilhões em ativos totais, montante 9,2% superior ao reportado em um ano, de R$ 612,291 bilhões. Ante os três meses anteriores, quando estava em R$ 677,454 bilhões, foi vista queda de 1,3%.

O patrimônio líquido do banco totalizou R$ 54,428 bilhões no primeiro trimestre, cifra 5,9% maior ante um ano, de R$ 51,385 bilhões. Em relação ao trimestre anterior, de R$ 50,673 bilhões, subiu 7,4%.

Contribuição brasileira

A contribuição do Brasil ao lucro do espanhol Santander continua caindo gradativamente. Balanço divulgado na manhã desta quarta-feira, 27, mostra que a filial gerou 18% do lucro do grupo no primeiro trimestre de 2016. A fatia brasileira nesse bolo está um ponto porcentual menor que a observada no último trimestre de 2015 e já dez pontos inferior ao pico visto em 2011.
Resultado de imagem para santander
A recessão e a desvalorização do real continuam roubando o peso do Brasil no balanço do Santander. Com lucros em euros em queda, o Santander Brasil se afasta ainda mais do Reino Unido que se consolida como a filial mais lucrativa do banco. No primeiro trimestre, o Santander UK gerou 23% do lucro do banco. Atrás do Brasil que gerou 18%, a Espanha foi responsável por 15% do resultado global.

A queda da contribuição brasileira é um fenômeno visto já há vários trimestres. No fim do ano passado, a contribuição brasileira havia sido de 19%. Há apenas um ano, no primeiro trimestre de 2015, o Brasil gerava 21% do resultado do grupo e ainda era a filial mais lucrativa do banco espanhol.

O período de ouro da filial brasileira foi no início da década. Em 2011, o Santander Brasil gerou 28% do lucro do grupo espanhol e o resultado brasileiro equivalia à soma de todas as demais filiais latino-americanas acrescido do o Santander Alemanha. Em 2011, o Santander UK ainda estava bem atrás do Brasil, com 12% do lucro global.

O resultado do Santander abre a temporada de balanços do setor bancário no Brasil. Esse lucro obtido pelo banco espanhol é o chamado gerencial. Após a contabilização das despesas com o ágio, ainda referente a aquisição do Real, o lucro líquido societário chega a R$ 1,213 bilhão, um aumento de 77,4% na comparação anual.
Resultado de imagem para santander
A margem financeira do banco, que reflete o spread bancário e a captação de recursos, subiu 6,4%, para R$ 7,599 bilhões. Já as receitas de prestação de serviços totalizaram R$ 3,09 bilhões de janeiro a março, um incremento de 9,3% na comparação com igual período do ano passado. O maior incremento ocorreu nas receitas de serviços de conta corrente, que subiram 24,3%, para R$ 579 milhões. Já as despesas totais do banco chegaram a R$ 4,41 bilhão, uma alta de 7,5% na comparação anual.

Em um cenário de menor demanda por crédito e uma postura mais cautelosa dos bancos para evitar aumento de inadimplência, a carteira total de empréstimos do Santander (incluindo avais, fianças e títulos) chegou ao final de março a R$ 312,018 bilhões, um recuo de 3,8% em 12 meses. As maiores quedas ocorreram nos segmentos de grandes empresas e financiamento ao consumo, ambos com variações negativas de 9,6%.

Já o crédito a pessoa física subiu 7,2%, para R$ 85,593 bilhões, devido ao desempenho das modalidades de crédito consignado e financiamento imobiliário, que são categorias de menor risco de inadimplência.
Resultado de imagem para santander
A inadimplência que considera os atrasos acima de 90 dias chegou a 3,3% em março, um incremento de 0,3 ponto percentual sobre março de 2015 e de apenas 0,1% em relação a dezembro. Entre os clientes pessoa física, a inadimplência em um ano passou de 4,34% para 4,67%. Entre as empresas, a taxa passou de 2,01% para 2,12%.

Com a inadimplência praticamente estável, o banco registrou despesas com provisões para créditos de liquidação duvidosa de R$ 3,028 bilhões. Esse montante representa um crescimento de 17,9% na comparação com o primeiro trimestre de 2015, mas um recuo de 13,4% em relação ao trimestre imediatamente anterior.

Apesar das receitas mais altas e lucro maior, o Santander Brasil não conseguiu melhorar a sua rentabilidade. O retorno sobre o patrimônio líquido atingiu 12,6% no primeiro trimestre, recuo de 0,2 ponto percentual em relação ao primeiro trimestre do ano passado. Esse resultado é bem abaixo do desempenho dos grandes bancos privados no Brasil, que possuem uma rentabilidade em torno de 20%.

O grupo espanhol apresentou um lucro de € 1,663 bilhão, um recuo de 5% na comparação com o primeiro trimestre de 2015. A maior contribuição foi dada pelo Reino Unido, que respondeu por 23% desse resultado. Em seguida, aparece a operação brasileira, com 18% e, em terceiro lugar, a Espanha, com 15%.
Resultado de imagem para santander
A joint venture entre os bancos Santander e o mineiro Bonsucesso na área de crédito consignado foi de R$ 5,4 bilhões, mais que dobrando a carteira, que começou com R$ 2,4 bilhões, em seu primeiro ano de operação, segundo o presidente do Banco Bonsucesso Consignado, Frederico Penido. Para os próximos anos, a expectativa da instituição – que foi rebatizada e passa a se chamar Olé Consignado – é ter 10% do segmento que soma cerca de R$ 270 bilhões no país. A participação atual é de 1,8%. Além da carteira de crédito que ultrapassou os R$ 5 bilhões, a marca já nasce com 1,4 milhão de clientes, mil correspondentes bancários espalhados pelo país, além de uma rede formada por quase 40 lojas próprias.
Resultado de imagem para santander bonsucesso
“Queremos ser um player relevante. À medida que nossa base cresça, a expansão deve desacelerar, mas a expectativa é de crescimento para o crédito consignado no Brasil que é anticíclico e segue com demanda crescente”, disse Penido, em teleconferência com jornalistas, na tarde de ontem.

Apesar do otimismo em relação às projeções para o desempenho do crédito consignado no Brasil, o executivo admitiu que a expectativa é de aumento da inadimplência no contexto atual ainda que o segmento opere historicamente com baixo calote já que tem a folha de pagamento de servidores ou aposentados como garantia.
http://lupamercantil.blogspot.com/

165093 - israel007 -  31 Jan 2013, 11:38
SANB11

Empresa: BCO SANTANDER (BRASIL) S.A. Ação: SANTANDER BR UNT Setor: Financeiro e Outros Subsetor: Intermediários Financeiros
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa anunciou lucro líquido de R$ 1,2 B no 4° trimestre de 2012, aumento de 105,8% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e aumento de 37,3% em relação ao 4T11. A receita de intermediações financeiras somou R$ 13,3 B no 4T12, 0,2% superior que o terceiro trimestre de 2012, que foi de R$ 13,3 B. No mesmo período do ano anterior, a receita de intermediações financeiras havia atingido o valor de R$ 14,2 B.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 35,5% contra 31,6% no 3° trimestre de 2012 e 27,1% no mesmo período do ano passado. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) alcançou 4,8% no quarto trimestre de 2012, contra 4,3% no 3T12, o que representa uma variação de 0,5 p.p..

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 473,4 B, aumento de 1,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 65,9 B no quarto trimestre de 2012, o que representou uma variação de 0,4% em relação ao saldo no quarto trimestre de 2011.

Neste período, a ação oscilou 2,3% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 56,7 B contra R$ 54,1 B no 4° trimestre de 2011.


112908 - paulo_prof - 31/Jan/2012 23:58
Não li o relatório do Santander ...

Em relação ao exercício de 2010:

RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -1,8%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO +10,7%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS +8,6%
RESULTADO OPERACIONAL -50,4%
RESULTADO LÍQUIDO -7,9%
DESPESAS DE PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS +39,5%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO +1,1%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO +23,1%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS (TOTAL) +39,1%
ATIVO TOTAL +9,4%

Taxas anuais médias de crescimento nominal

a) do lucro líquido
UA -7,92%
U2A 40,35%
U3A 31,05%

b) do patrimônio líquido médio
UA -0,16%
U2A 10,09%
U3A 30,05%

Indicadores de SANB11 relativos aos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 16,06
PAYOUT (exercicio de 2010): 89,80%
P/L 17,16
P/VPA 0,93
DY 5,23%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,936
ROAE 5,4%
ROAA 0,84%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 8.148.319
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 3,29%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,84%

No final do exercício de 2010:
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,33%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 4,29%

Supondo uma taxa anual média de crescimento real do lucro líquido de 8% durante 3 anos, uma perpetuidade real de 0% e uma taxa de desconto real de

10%, o preço justo fornecido pela fórmula simplificada do FCD fornece R$ 11,57

Por Cristian Tetzner
PERFIL DA EMPRESA:
-  O Banco Santander (Brasil) S.A é um dos bancos múltiplos líderes no Brasil, que acredita ser um dos mercados mais atraentes do mundo dado seu alto potencial de crescimento e sua baixa penetração de produtos e serviços bancários. As operações do Banco Santander estão localizadas em todo o País e estrategicamente concentradas nas regiões sul e sudeste, áreas que representam aproximadamente 73% do PIB, onde possui atualmente uma das maiores redes de agências bancárias dentre os bancos brasileiros.

Período Analisado: 3T11 -  3o Trimestre de 2.011  ( Julho/Agosto/Setembro )

Link do Balanço: http://www.santander.com.br/document/wps/Press_Release_PORT_3T11.pdf

Espelho Fundamentus:  http://www.fundamentus.com.br/detalhes.php?papel=SANB4&x=0&y=0

Site do RI: http://www.ri.santander.com.br/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

PAINEL DE INDICADORES            28/10/11                                                                                            SELIC     11,50%
Ativo     R$           PL           VP          GR          DY          LA           Dv          Ml          EB           MS
SANB4      0,16   0,0          0,97       0,0          6,8%      0,0%      0,0          0%          0,0%      -100,0%

PONTOS POSITIVOS:
- Indice de Eficiência (Despesas Gerais/Total de Receitas) levemente melhor no Trimestre.
- A carteira de crédito gerencial totalizou R$ 184.788 milhões no terceiro trimestre de 2011, com crescimento de 20,0% em doze meses e 7,8% no trimestre.

PONTOS NEGATIVOS
- Lucro líquido queda de -13,5% no Trimestre, basicamente por causa de Despesas de Provisão para Crédito de Liquidação Duvidosa (prováveis Inadimplentes).
- Índice de Basiléia caindo para 19%, frente aos 22% do trimestre anterior; num cenário de maior inadimplência o ideal era elevá-lo. Um atenuante pode ser visto na qualidade da carteira, cujos indicadores de qualidade não mostraram nenhuma piora.

VISÃO ESTRATÉGICA
- Em 2011 o Santander concluiu a integração tecnológica e a unificação da marca. Agora o banco está melhor estruturado e posicionado para desenvolver o seu negócio. A estratégia do Banco Santander Brasil mantém o foco em tornar-se o melhor e mais eficiente banco no país na geração de valor para os acionistas, satisfação para clientes e funcionários e atratividade da marca.  

OPINIÃO DO ANALISTA
- Banco por natureza tem que dar lucro; usa seu dinheiro a 0,7% ao mês e te oferece o mesmo a 5%!  Ai você olha uma queda de mais de -13,5% no lucro e só escuta cliente do banco falando mal da qualidade do serviço/atendimento ...

CURIOSIDADES
- Distribuição da Carteira de Crédito:
   Pessoa Física: 33%
   Pequenas e Médias Empresas: 24%
   Grande Empresas: 28%


   Financ. Consumo: 15%    

99530 - carlosdaniel - 27/Out/2011 10:18
Lucro do Santander cai 6,8% no 3º trimestre. O resultado foi de R$ 1,802 bilhão, seguindo o padrão contábil internacional. Os ativos totais somam R$ 414,983 bilhões em setembro, um avanço de 16% ante igual mês de 2010, quando era de R$ 357,631 bilhões, e crescimento de 2% sobre o segundo trimestre de 2011 - de R$ 406,870 bilhões.

64299 - paulo_prof - 21/Fev/2011 10:29
citação: leammProf Paulo e demais foristas,
Considerando o setor bancário vejo que não tocam no nome do santander por aqui. Algum motivo em especial??? Pergunto pois o preço da ação em relação ao valor patrimonial está muito atraente e caso haja melhora do ROE, o que eu imagino como algo muito provável para um banco privado desse porte, acredito que o mercado precificará melhor do que bancos menores estaduais que já tem um bom retorno e mesmo assim estão ao meu ver e dos demias integrantes desse fórum baratos (ex: BGIP / BEES). É receio da crise ou há algo a mais??? Talvez se trate de uma grd oportunidade como o City Bank foi pois assim com fez os EUA com o City não acredito que o governo espanhol deixe o Santander quebrar, o que acha? Caso acompanhe os balanços trimestrais como tem visto a evolução do banco?

Para investir em SANB11 hoje, o "preço justo" do ativo para um cenário de crescimento de 3 anos, perpetuidade de 3% e taxa de desconto de 14% teria que, pelo menos para mim, ser maior do que R$ 27,00.

A taxa de crescimento anual médio do lucro líquido (sobre o valor de 2010) necessária na fórmula FCD para fornecer este valor é de 50%. Se vc acredita que o lucro líquido do Santander possa aumentar em 50% a.a. durante os próximos 3 anos, tudo bem ... caso contrário, acho que dificilmente mostrará ser um bom negócio.

Moral da história: P/VPA baixo não é uma condição suficiente, especialmente se o ROE for baixo e o P/L alto.



Para investir em SANB11 acho que não há pressa. Eu aguardaria sinais inequívocos de crescimento sensível do ROE para um posicionamento.

64312 - paulo_prof - 21/Fev/2011 14:33
Uma análise rápida dos resultados da Celpe (CEPE5) mostra que as novas regras de contabilidade produzem um efeito marcante sobre a demonstração de resultados e balanço patrimonial.

...................................... regra ANEEL ........................ IFRS
................................... 2010 .......... 2009 ............ 2010 ........ 2009
Lucro Líquido ............. 382.395 ..... 435.525 ....... 448.291 .... 586.949
Ebitda ....................... 629.973 ..... 719.961 ....... 682.887 .... 799.511
Patrimônio Líquido ... 1.511.437 .. 1.412.937 .... 1.551.371 .. 1.405.834

Enquanto, por exemplo, a redução do lucro em 2010 pela regra anterior foi de aprox. -14,7%, na regra IFRS foi de aprox. -25,8%. Por outro lado, o resultado IFRS de 2010 é 17,2% superior ao resultado obtido pelas regras contábeis anteriores.

Será necessário um cuidado particular ao analisar os múltiplos que serão divulgados pelos sites especializados, especialmente aqueles concernentes ao 4T10. As planilhas referentes à maioria dos ativos nos sites especializados contém os dados computados via contabilidade da legislação societária. Quando subtraírem os resultados dos 9M10 obtidos via legislação societária, dos resultados de 2010 obtidos via IFRS vai dar um angu dos diabos.

No caso da CEPE5, por exemplo, o lucro líquido do 4T10 (que efetivamente somou R$ 84,6 milhões pela regra da legislação societária) poderá aparecer com o valor absurdo de R$ 150,5 milhões (os R$ 448,3 milhões de 2010 de acordo com IFRS, menos os R$ 297,8 milhões dos 9M10 de acordo com a Legislação Societária).



Interessante, também, vai ser observar se as empresas manterão as atuais políticas de payout, ou se efetuarão mudanças.

Análise Coin Valores
O Santander Brasil é o 3º. maior banco privado do Brasil, com participação de mercado de 11% no total de créditos, conforme dados do Banco Central de Set/10. Possui operações em todo o território nacional, estrategicamente concentradas no Sul e no Sudeste, regiões que respondem por aproximadamente 73% do Produto Interno Bruto (PIB).
O Santander Brasil é controlado pelo Grupo Santander e seu resultado no 9M10 representou
aproximadamente 25% do resultado global do Grupo Santander. O Brasil é um dos mercados mais atraentes do mundo dado seu alto potencial de crescimento e baixa penetração de produtos e serviços bancários.
A meta do banco é ser o melhor banco múltiplo do Brasil em geração de valor para os acionistas, em satisfação de clientes e funcionários e em reconhecimento e atratividade da marca. Quer ser reconhecido pelo relacionamento com os clientes de varejo e atacado. Para isso, incentiva negócios sustentáveis por meio de um portfólio completo com produtos que atendem às necessidades dos clientes.
O Santander acredita que pode alcançar essas metas por meio das seguintes estratégias:
[1] Melhoria da eficiência por meio de sinergias e implementação das melhores práticas no processo de integração;
[1] Expansão da oferta de produtos e canais de distribuição no Banco Comercial;
[1] Capitalização da forte posição de mercado que possui no negócio de atacado;
[1] Desenvolvimento contínuo de uma plataforma de negócios transparente e sustentável.

RETROSPECTIVA 2010
No 9M10 o lucro líquido do Santander totalizou R$ 5.464 milhões, com crescimento de 39,5% versus 9M09. O patrimônio líquido registrou, em set/10, R$ 44.767 milhões, excluindo o ágio da aquisição do Banco Real. O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROAE) ajustado pelo ágio atingiu 17,3%, 4,8 p.p. menor em doze meses, devido à diluição dos recursos da Oferta Global de Ações em out/09. O índice de eficiência atingiu 34,4% nos 9M10, com melhora de 1,6 p.p. em relação ao mesmo período de 2009. Esse desempenho é decorrente do aumento das receitas de margem com juros e de comissões, de 8,7% e 11,7%, respectivamente, e do controle de gastos com captura de sinergias, que manteve a evolução de despesas abaixo do índice de inflação. O total de despesas administrativas e de pessoal aumentou 2,8% em doze meses, como resultado de controle de custos e captura de sinergias provenientes da aquisição do Banco Real que, até set/10, somou R$ 1.545 milhões.
O índice de Basiléia alcançou 22,8% em set/10, com crescimento de 5,0 pontos percentuais em doze meses. Já a cobertura para perdas atingiu 101,4% em set/10, aumento de 0,4 p.p. versus mesmo período de 2009.
O Santander Brasil, com sua estratégia de banco universal, atua nos principais segmentos de credito. O crescimento da carteira de credito apresentou aceleração no decorrer dos primeiros nove meses de 2010.
No acumulado de doze meses, a carteira de crédito expandiu 15,8% atingindo R$ 153.998 milhões.
Desde o inicio do processo de integração, importantes etapas foram concluídas, novos produtos, serviços e funcionalidades foram adicionados no dia-a-dia de nossos clientes, buscando extrair sempre o melhor de cada Banco. No 9M10, todos os “gaps” derivados da unificação das plataformas dos dois bancos foram desenvolvidos e implantados e os projetos apresentam significativo grau de avanço.
Estão sendo realizados os testes prévios nos sistemas, relativos à migração de dados de clientes e operações, bem como, os testes na nova plataforma tecnológica.
Em nov/10, o atendimento aos clientes e a marca foram unificados em todas as agências, ATMs, Internet Banking e canais de atendimento aos clientes. A principal premissa do processo de integração é melhorar continuamente o padrão de atendimento e o nível de serviço prestado aos clientes.

PERSPECTIVA 2011
Para 2011, o crescimento da indústria deverá continuar saudável. A solidez da demanda interna e do sistema financeiro continua sendo fundamental para puxar o crescimento brasileiro, a despeito das incertezas que cercam a recuperação econômica global. A manutenção de bons fundamentos macroeconômicos do país terá papel relevante para garantir a sustentabilidade deste ciclo de crescimento da economia.


Em 2011, daremos o último passo do processo de integração com a migração tecnológica, que ocorrerá no 1S11.

33989 - paulo_prof - 29/Abr/2010 20:46
Dei uma olhada rápida nos resultados do Santander (sem ler o relatório). O lucro líquido foi no mínimo o dobro da média trimestral que vinha apresentando. Mas isto não é lá grandes coisas tendo em vista o preço atual da SANB11 (R$ 19,61), porque corresponde a um P/L anualizado de 18,4, para um P/VPA = 1,14. Em termos de P/VPA p ativo está barato, mas o P/L deixa a desejar.
O que é interessante notar é que a inadimplência no Santander ainda continua alta. Para vcs terem uma ideía, no trimestre o banco foi obrigado a efetuar uma provisão para devedores duvidosos de R$ 2,34 bilhões. Considerando que o lucro líquido foi de R$ 1,03 bilhões, a despesa de PDD no trimestre é enorme.


O PDD total diminuiu. Se, de um lado, isto geralmente significa que a qualidade da carteira de crédito melhorou, de outro, mostra que a inadimplência está muito alta (no trimestre, o total de créditos inadimplentes foi nada menos do que R$ 2,46 bilhões). Evidentemente, parte destes créditos poderá ser recuperada (execução de garantias, processos judiciais, refinanciamentos, etc), mas o valor, especialmente quando comparado com o lucro líquido, não deixa de impressionar. O PDD representa 4,9% da Carteira Total de Crédito (inclui Arredamento Mercantil e Outros Créditos).

5031 - small caps - 02/Mai/2009 13:09
"paulorizzi, muito pertinente a sua observação."

"Mas há algo interessante: BICB4 e PINE4, por exemplo, são especializado no atendimento no middle market e provavelmente com isto, devem conseguir menor nível de risco e inadimplência."

"PRBC4, por sua vez, é exposta ao consignado e geralmente é com o setor publico. Daí quem recebe a grana não tem escolha se vai ou não pagar."

"Outro aspecto fundamental: Santander tem captação por meio de depósitos a vista. Já os demais bancos citados quase não tem isto. E quando caem os juros, beneficiam-se mais aqueles que não possuem depósitos a vista."

"Ainda que o lucro destes bancos venha com ROE baixo, algo como 10% anualizado, estariam atrativos por dois fatores: negociam abaixo do valor patrimonial e quando a economia reagir a inadimplência volta a cair e este efeito destruidor do lucro é mitigado."

"Por fim, os proventos pagos pelo PINE4 no primeiro trimestre o resultado do Banco Bonsucesso servem de alento, indicando que nem todos os bancos seguirão o caminho do Santander..." 

5010 - paulorizzi - 01/Mai/2009 19:07 
Andei dando uma olhada nos resultados do Santander só para ter uma idéia do que o setor está enfrentando.
"O que mais impressiona, é a provisão para devedores duvidosos (PDD). Nada menos do que 26,3% da receita de intermediação financeira foi despendido para este fim. Para vcs terem uma idéia da ""enormidade"" disto, tenham em mente que, em todo o ano passado, com uma expansão violenta da carteira de crédito, o Santander consolidado gastou 14,4% de sua Receita de Intermediação Financeira em PDD (o que ainda é um exagero, pois o nosso Pine gastou somente 4,9% da Receita para este fim)."
"Em 30MAR2009, a carteira de crédito ficou exatamente do mesmo tamanho que emplacou 30DEZ2008. Em conseqüência, os R$ 2,4 bilhões gastos com o PDD são ainda mais expressivos. Destes, R$ 856 milhões foram dispendidos porque o ""rating"" (qualidade) da carteira piorou e o restante teve que ser provisionado por inadimplência, mesmo. Como a cateira de crédito somou R$ 139 bilhões, a inadimplência somou aprox. 1,1% da carteira NO TRIMESTRE, ou seja, 4,4% anualizados."
"Como é que se sairão os nossos bancos médios ABCB, BICB, IDVL, PRBC e PINE?"


3166 - paulorizzi - 29/Mar/2009 00:08
"citação: WK2007Paulo, você que é especialista em análise de balanço, consegue explicar por que a rentabilidade do Banco Santander (SANB3/SANB4) é tão baixa, sobretudo quando se compara a dos grandes bancos brasileiros? Deve-se a algum evento não recorrente, como, por exemplo, a amortização do ágio da compra do Real?"
"Analisando os dados do Guiainvest, observa-se que o ROE caiu de 19,92%(2007) para 3,24%(2008)."
Tem que ler o relatório ... são só umas 65 páginas :-)
"Efetuando uma busca pela palavra ágio através do documento, a menos que entendi errado, encontra-se que o ágio apurado na aquisição foi de apenas R$ 26,334 BILHÕES, dos quais, no 2o. semestre de 2008, foram amortizados R$ 571 milhões."


"Pelo andar da carruagem, e a menos que a receita cresça rapidamente, vai levar uma eternidade para que o Santander amortize todo o agio e tenha resultados líquidos parecidos com os seus pares. Não sei quanto deverá pagar anualmente. R$ 1,5 bilhões? Provavelmente no relatório do 1T09 vai ficar claro."

745 - small caps  - 02/Jan/2009 21:07
"(700) ALTOBELLI9, SANB4 parece uma oportunidade interessante sob o critérios P/VPA. Só tem que verificar porque tem um ROE tão baixo. Do setor, prefiro BICB4 e PINE4."

Um comentário:

James disse...

Se isso ajudar!
http://web.infomoney.com.br/templates/news/view.asp?codigo=1841928&path=/investimentos/