Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

terça-feira, 26 de março de 2019

Minerva (BEEF)


Recomendações
Venda: herdsman (out/16)
Carteiras
paulo_prof (fev/17)
Balanços
A2018/4T2018 -
pauloprof  - 
não acho provável a BEEF sair do buraco tão cedo. Mesmo depois de uma capitalização de R$ 1 bilhão, a gestão de seu endividamento líquido não é compatível com a geração de caixa medida pelo ebitda. Para agravar, os números mostram haver problemas no custo do endividamento.
No 4T18 as condições foram favoráveis, pois a valorização do real trouxe um alívio para o custo do endividamento. Mesmo assim ... para um endividamento líquido de R$ 7,2 bilhões no início do 4T18, o Resultado Financeiro foi de R$ 452 milhões, o que equivale a 6,26% ou 27,5% anuais!!!! Assim não há mesmo como dar jeito! Há que se ler o relatório para entender como este absurdo foi possível num trimestre em que houve ganho cambial.
O Ebitda gerado no 4T18 foi de R$ 463 milhões, insuficiente para cobrir o Resultado Financeiro caixa do trimestre.
Ao final do 4T18, o endividamento líquido era de R$ 6 bilhões, para um ebitda anual de R$ 1,55 bilhões, o que dá uma relação de 3,87. Esta relação, embora mais alta do que a desejável, normalmente não é problema para administrar. Sem ler o relatório, o meu chute é varada do diretor financeiro!
O operacional da empresa non 4T18 também não foi bem, em parte impactado pela valorização do real no período. A margem bruta caiu de 19% no 3T, para 16,7%. No ano, a margem bruta emplacou 17,6%, menor que a de 2017 em quase 1 ponto percentual. A Receita Liquida, entretanto, cresceu saudáveis 34% nominais.

1T2018 -
marcosvinicius2 -  
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA= O EBITDA Ajustado por itens não-caixa e não-recorrentes (no total de R$ 21,4 milhões) totalizou R$ 285,0milhões, resultado 44,3% superior ao apresentado no 1T17. A margem EBITDA Ajustada do trimestre atingiu 8,1%. Os itens não recorrentes do trimestre referem-se à liquidação com créditos tributários estaduais de débitos fiscais. Nos últimos doze meses, o EBITDA Ajustado pelos itens não recorrentes e pelos números pró-forma dos ativos do Mercosul totalizou R$ 1.304,0milhões, ou uma margem de 9,0%. RESULTADO FINANCEIRO= No primeiro trimestre de 2018, o resultado financeiro foi negativo em R$ 336,2milhões, redução de 42,1% comparado ao 4T17, enquanto nos últimos doze meses encerrados em março, o resultado financeiro totalizou R$ 1.394,2 milhões. A variação cambial (não-caixa) foi negativa em R$ 48,4milhões no 1T18, explicada pela apreciação do Dólar frente ao Real ao final do trimestre. As despesas financeiras totalizaram R$ 219,2 milhões no 1T18, 6,6% superior ao1T17, porém 9,4% menor que o registrado no trimestre anterior. A rubrica “Outras Receitas/Despesas” financeiras apresentou resultado negativo de R$ 79,3milhões, principalmente em função da antecipação de todos os custos de transação relacionado ao exercício de opção de compra do Bond 2023 e por pagamento de taxas e comissões.; ResultadoLíquido= A Companhia registrou prejuízo líquido antes IR e CS de R$ 123,8milhões. Após a apuração do IR e CSLL, o prejuízo líquido do trimestre atingiu R$ 114,7milhões, e obteve margem líquida negativa de3,2%, queda de 3,4 p.p. comparado a margem líquida do 1T17.

A2017/4T2017 - 
marcosvinicius2 -  
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A RECEITA LIQUIDA da Minerva no 4T17 apresentou crescimento de 55,1% sobre o 4T16, um recorde histórico para um trimestre, e totalizou R$ 3.964,7 milhões. No ano de 2017 a Receita Líquida atingiu R$ 12.103,8 milhões, 25,4% acima da receita do ano de 2016. Se considerarmos as receitas proforma da novas unidades adquiridas no Mercosul, a Receita Líquida acumulada em 2017 atingiu R$ 14.033,5 milhões, em linha com o guidance anunciado pela Companhia para os próximos 12 meses, a partir de julho de 2017, no intervalo de R$ 13,0 bilhões a R$ 14,4 bilhões.

2T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 41 TRIMESTRES, 18 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (43,90%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 1.528; (U24M) = -29.866; (U36M) = -97.089; (U48M) = -75.060; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-60,52%) E RESULTADO LÍQUIDO (-102,49%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO FINANCEIRO (333,59%) E RESULTADO LÍQUIDO (-162,78%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 2.822.684; VALOR MAXIMO (MIL) = 2822.684 NO 2T17; VE PSBE (MIL) = ND.
A Receita Bruta da Minerva apresentou crescimento significativo de 17,1% sobre o mesmo período de 2016, foi recorde histórico para um trimestre e totalizou R$ 2.767,4 milhões no 2T17. No acumulado dos últimos 12 meses, a Receita Bruta atingiu R$ 10.494,3 milhões, 2,5% acima do 2T16. 
As exportações responderam por 60,6 % da receita consolidada entre abril a junho de 2017, beneficiadas pelo cenário setorial volátil, que abriu oportunidades comerciais. O desenvolvimento dos programas de eficiência comercial, com o objetivo de elevar a capilaridade no mercado local e privilegiando a diversificação de canais e origens, proporcionou que as vendas da Divisão Carnes no mercado interno subissem 19,0% em relação ao 1T17. No mercado externo, as vendas dessa mesma Divisão foram 17,3% superior às vendas do trimestre anterior.
O EBITDA no 2T17 foi de R$ 277,3 milhões, também recorde histórico, e atingiu margem EBITDA de 10,8%. Os fatores que impactaram no desempenho do EBITDA foram a depreciação de 8,5% no dólar médio do 2T17 em relação ao 2T16, que afetou a rentabilidade das exportações, entretanto, mais que compensado pela redução da arroba média no trimestre, que foi 14,3% inferior à arroba média do 2T16. Esta performance foi decorrente do reflexo do início da inversão do ciclo e das incertezas relacionadas ao cenário competitivo do setor.

1T2017 -
paulo_prof   -
Resultados fracos ... mas pelo menos a última linha não veio vermelha!

A2009/4T2009 - 
pauloprof - 
veio dentro do esperado. Capgarrido não gostou.
Características
Produção e comercialização de carne in natura. Boi Vivo e seus derivados e que atua também nos segmentos de processamento de carne bovina, suína e de aves.
Links
359311 - paulo_prof  -  13 Mar 2019, 13:20
BEEF3

PREÇO: R$ 6,82

Não acho provável a BEEF sair do buraco tão cedo. Mesmo depois de uma capitalização de R$ 1 bilhão, a gestão de seu endividamento líquido não é compatível com a geração de caixa medida pelo ebitda. Para agravar, os números mostram haver problemas no custo do endividamento.

No 4T18 as condições foram favoráveis, pois a valorização do real trouxe um alívio para o custo do endividamento. Mesmo assim ... para um endividamento líquido de R$ 7,2 bilhões no início do 4T18, o Resultado Financeiro foi de R$ 452 milhões, o que equivale a 6,26% ou 27,5% anuais!!!! Assim não há mesmo como dar jeito! Há que se ler o relatório para entender como este absurdo foi possível num trimestre em que houve ganho cambial.

O Ebitda gerado no 4T18 foi de R$ 463 milhões, insuficiente para cobrir o Resultado Financeiro caixa do trimestre.

Ao final do 4T18, o endividamento líquido era de R$ 6 bilhões, para um ebitda anual de R$ 1,55 bilhões, o que dá uma relação de 3,87. Esta relação, embora mais alta do que a desejável, normalmente não é problema para administrar. Sem ler o relatório, o meu chute é varada do diretor financeiro!

O operacional da empresa non 4T18 também não foi bem, em parte impactado pela valorização do real no período. A margem bruta caiu de 19% no 3T, para 16,7%. No ano, a margem bruta emplacou 17,6%, menor que a de 2017 em quase 1 ponto percentual. A Receita Liquida, entretanto, cresceu saudáveis 34% nominais.

350812 - marcosvinicius2 -  06 Jun 2018, 15:28
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA= O EBITDA Ajustado por itens não-caixa e não-recorrentes (no total de R$ 21,4 milhões) totalizou R$ 285,0milhões, resultado 44,3% superior ao apresentado no 1T17. A margem EBITDA Ajustada do trimestre atingiu 8,1%. Os itens não recorrentes do trimestre referem-se à liquidação com créditos tributários estaduais de débitos fiscais. Nos últimos doze meses, o EBITDA Ajustado pelos itens não recorrentes e pelos números pró-forma dos ativos do Mercosul totalizou R$ 1.304,0milhões, ou uma margem de 9,0%. RESULTADO FINANCEIRO= No primeiro trimestre de 2018, o resultado financeiro foi negativo em R$ 336,2milhões, redução de 42,1% comparado ao 4T17, enquanto nos últimos doze meses encerrados em março, o resultado financeiro totalizou R$ 1.394,2 milhões. A variação cambial (não-caixa) foi negativa em R$ 48,4milhões no 1T18, explicada pela apreciação do Dólar frente ao Real ao final do trimestre. As despesas financeiras totalizaram R$ 219,2 milhões no 1T18, 6,6% superior ao1T17, porém 9,4% menor que o registrado no trimestre anterior. A rubrica “Outras Receitas/Despesas” financeiras apresentou resultado negativo de R$ 79,3milhões, principalmente em função da antecipação de todos os custos de transação relacionado ao exercício de opção de compra do Bond 2023 e por pagamento de taxas e comissões.; ResultadoLíquido= A Companhia registrou prejuízo líquido antes IR e CS de R$ 123,8milhões. Após a apuração do IR e CSLL, o prejuízo líquido do trimestre atingiu R$ 114,7milhões, e obteve margem líquida negativa de3,2%, queda de 3,4 p.p. comparado a margem líquida do 1T17:

BEEF3
PREÇO: 7,65
PAYOUT (2017): -21,62%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -4,30
P/VPA -26,81
PSR 0,13
DY 5,03%
EV/EBITDA 6,87
MARGEM BRUTA 17,82%
MARGEM OPERACIONAL -2,70%
MARGEM LÍQUIDA -2,95%
LUCRO POR AÇÃO -1,780
MARGEM EBITDA 8,90%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -16327,26%
ROE 623,81%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,67

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 42,74%
RESULTADO BRUTO 32,78%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 116,66%
RESULTADO OPERACIONAL -297,65%
RESULTADO LÍQUIDO -363,77%
EBITDA 31,45%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 64,87%
RESULTADO BRUTO 40,87%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 153,46%
RESULTADO OPERACIONAL -411,37%
RESULTADO LÍQUIDO -4954,89%
EBITDA 33,42%

c) lucro (taxa média anual)
UA -363,77%
U2A 54,36%
U3A -28,18%

d) patrimônio líquido médio
UA -65,30%
U2A ND
U3A -18,08%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

348385  - marcosvinicius2 -  25 Mar 2018, 14:59
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). A RECEITA LIQUIDA da Minerva no 4T17 apresentou crescimento de 55,1% sobre o 4T16, um recorde histórico para um trimestre, e totalizou R$ 3.964,7 milhões. No ano de 2017 a Receita Líquida atingiu R$ 12.103,8 milhões, 25,4% acima da receita do ano de 2016. Se considerarmos as receitas proforma da novas unidades adquiridas no Mercosul, a Receita Líquida acumulada em 2017 atingiu R$ 14.033,5 milhões, em linha com o guidance anunciado pela Companhia para os próximos 12 meses, a partir de julho de 2017, no intervalo de R$ 13,0 bilhões a R$ 14,4 bilhões:

BEEF3
PREÇO: 8,05
PAYOUT (2017): -21,62%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -6,58
P/VPA 26,03
PSR 0,15
DY 3,28%
EV/EBITDA 7,28
MARGEM BRUTA 18,48%
MARGEM OPERACIONAL -1,66%
MARGEM LÍQUIDA -2,32%
LUCRO POR AÇÃO -1,223
MARGEM EBITDA 9,37%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 14273,47%
ROE -395,38%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,86

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 25,45%
RESULTADO BRUTO 18,66%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 87,09%
RESULTADO OPERACIONAL -180,25%
RESULTADO LÍQUIDO -244,21%
EBITDA 17,29%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 25,45%
RESULTADO BRUTO 18,66%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 87,09%
RESULTADO OPERACIONAL -180,25%
RESULTADO LÍQUIDO -244,21%
EBITDA 17,29%

c) lucro (taxa média anual)
UA -244,21%
U2A -40,76%
U3A -12,41%

d) patrimônio líquido médio
UA -42,90%
U2A ND
U3A -13,41%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

341602  - marcosvinicius2  -  30 Ago 2017, 23:03
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 41 TRIMESTRES, 18 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (43,90%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 1.528; (U24M) = -29.866; (U36M) = -97.089; (U48M) = -75.060; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-60,52%) E RESULTADO LÍQUIDO (-102,49%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO FINANCEIRO (333,59%) E RESULTADO LÍQUIDO (-162,78%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 2.822.684; VALOR MAXIMO (MIL) = 2822.684 NO 2T17; VE PSBE (MIL) = ND:

BEEF3
PREÇO: 12,28
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 461,90
P/VPA 7,77
PSR 0,29
DY 2,15%
EV/EBITDA 8,14
MARGEM BRUTA 19,00%
MARGEM OPERACIONAL -0,32%
MARGEM LÍQUIDA 0,06%
LUCRO POR AÇÃO 0,027
MARGEM EBITDA 9,14%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2436,54%
ROE 1,68%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,95

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 1,14%
RESULTADO BRUTO -9,34%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -17,44%
RESULTADO OPERACIONAL -60,52%
RESULTADO LÍQUIDO -102,49%
EBITDA -17,09%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 16,13%
RESULTADO BRUTO 11,73%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 333,59%
RESULTADO OPERACIONAL -150,56%
RESULTADO LÍQUIDO -162,78%
EBITDA 16,24%

c) lucro (taxa média anual)
UA -102,49%
U2A ND
U3A -155,43%

d) patrimônio líquido médio
UA 773,79%
U2A 35,50%
U3A -1,82%

A Receita Bruta da Minerva apresentou crescimento significativo de 17,1% sobre o mesmo período de 2016, foi recorde histórico para um trimestre e totalizou R$ 2.767,4 milhões no 2T17. No acumulado dos últimos 12 meses, a Receita Bruta atingiu R$ 10.494,3 milhões, 2,5% acima do 2T16.

As exportações responderam por 60,6 % da receita consolidada entre abril a junho de 2017, beneficiadas pelo cenário setorial volátil, que abriu oportunidades comerciais. O desenvolvimento dos programas de eficiência comercial, com o objetivo de elevar a capilaridade no mercado local e privilegiando a diversificação de canais e origens, proporcionou que as vendas da Divisão Carnes no mercado interno subissem 19,0% em relação ao 1T17. No mercado externo, as vendas dessa mesma Divisão foram 17,3% superior às vendas do trimestre anterior.

O EBITDA no 2T17 foi de R$ 277,3 milhões, também recorde histórico, e atingiu margem EBITDA de 10,8%. Os fatores que impactaram no desempenho do EBITDA foram a depreciação de 8,5% no dólar médio do 2T17 em relação ao 2T16, que afetou a rentabilidade das exportações, entretanto, mais que compensado pela redução da arroba média no trimestre, que foi 14,3% inferior à arroba média do 2T16. Esta performance foi decorrente do reflexo do início da inversão do ciclo e das incertezas relacionadas ao cenário competitivo do setor.

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

337678  - paulo_prof   -  09 Mai 2017, 02:41
Resultados fracos ... mas pelo menos a última linha não veio vermelha!

BEEF3

PREÇO: R$ 10,57

PAYOUT (2016): 31,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,42

P/VPA 5,60

PSR 0,26

DY 1,89%

EV/EBITDA 6,47

MARGEM BRUTA 19,2%

MARGEM OPERACIONAL 2,0%

MARGEM LÍQUIDA 1,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,644

MARGEM EBITDA 9,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1472,0%

ROE 34,09%

LIQUIDEZ CORRENTE 2,06



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 1T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,61%

RESULTADO BRUTO -9,70%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -37,97

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA -13,65%



b) 1T17 vs 1T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -8,37%

RESULTADO BRUTO -15,26%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +5,64%

RESULTADO OPERACIONAL -62,43%

RESULTADO LÍQUIDO -94,90%

EBITDA -21,46%



c) lucro (taxa média anual)

UA passou de negativo para positivo

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 115,81%

U2A 25,86%

U3A 3,20%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,26

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,5%

331448  - fvolpato  -  19 Dez 2016, 15:41
A possível fusão entre a BRF e a Minerva Foods está repercutindo no mercado da pecuária. Procuradas pela produção do Mercado & Companhia, as empresas não comentaram o assunto. O comentarista do Canal Rural Ivan Wedekin diz que a eventual junção das duas resultaria na criação de uma companhia ainda mais forte, com maior capacidade para explorar o mercado mundial.
http://www.canalrural.com.br/videos/mercado-e-cia/...

329650  - paulo_prof   -  09 Nov 2016, 00:57
BEEF3
PREÇO: R$ 9,65
PAYOUT (2015): 72,8%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,15
P/VPA 3,60
PSR 0,23
DY 7,95%
EV/EBITDA 5,37
MARGEM BRUTA 20,8%
MARGEM OPERACIONAL 3,5%
MARGEM LÍQUIDA 2,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,055
MARGEM EBITDA 10,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 1063,0%
ROE 39,31%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,17

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +10,85%
RESULTADO BRUTO +21,48%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -67,50%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA +22,39%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +6,09%
RESULTADO BRUTO -1,67%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -67,84%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA -10,39%

c) lucro (taxa média anual)
UA -55,38%
U2A -39,05%
U3A -247,75%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,60%
U2A 11,02%
U3A 128,96%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 10,55

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -2,0%

325348  - NumBroker  -  03 Ago 2016, 22:27
Minerva – Resultados do 2T2016

03.08 - 14:28 - Lucas Tambellini
A Minerva divulgou os resultados do segundo trimestre deste ano e, para nossos analistas, os números foram positivos. A companhia divulgou EBITDA 4% acima de suas estimativas, ainda que 2% abaixo do consenso. A margem EBITDA veio em 10,7%, acima do esperado pelo analista e pelo consenso. Os analistas destacam a queda de 7% na comparação trimestral na relação dívida líquida/EBITDA, atingindo o menor nível desde 2008. Além disso, foi um bom trimestre operacional, com o câmbio demorando mais que o esperado para afetar a lucratividade da companhia. Após os resultados, os analistas revisaram suas estimativas para a Minerva, mantendo a recomendação de outperform (desempenho acima da média do mercado), com novo preço justo de R$ 16 para o final de 2017.
fonte: Itaú

160576 - renato1631 -  16 Dez 2012, 00:15
Minerva volta a vender para Arábia e Coreia do Sul
Brasil Econômico (redacao@brasileconomico.com.br)
14/12/12

O país asiático havia proibido a importação de carne desde 2005.

A Minerva informou nesta sexta-feira (14/12) que a Arábia Saudita retirou a proibição da exportação de gado vivo provenientes do estado do Pará.

A companhia afirma que a decisão reforça a posição assumida pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), que manteve a classificação do Brasil como país de risco insignificante para a Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), confirmando que o país é livre da doença.

Além disso, a Coreia do Sul reabriu o mercado para importação de carne bovina in natura proveniente do Uruguai.

As discussões com o país asiático ocorriam desde 2005, quando as importações foram bloqueadas.

A Minerva lembra que Japão, África do Sul e China bloquearam as importações de carne in natura do Brasil, mercados que representam 0,5% do faturamento da Minerva.

153101 - renato1631 -  22 Out 2012, 21:05
Mestre Samu, fique atento!

Oferta da Minerva causará diluição "considerável"
Felipe Peroni (fperoni@brasileconomico.com.br) | Atualizada às 18h11
22/10/12

Os papéis do frigorífico (BEEF3) recuaram 6,79%, a R$ 10,99, após anúncio de oferta de novas ações.

A oferta de ações proposta pela Minerva foi inesperada, e reduz a atratividade da ação da empresa.

Com a operação, o Itaú BBA prevê uma queda em 10% no preço-alvo para as ações, situando-o em R$ 12,70 para 2013, segundo relatório elaborado por Alexandre Miguel e Felipe Cruz.

Caso concluída a operação, o lucro por ação da companhia deve cair cerca de 13% no ano que vem, estima a Itaú BBA.

A empresa informou na sexta-feira (19/10) que pretende distribuir 37,5 milhões de ações ordinárias, em oferta primária e secundária.

Para os analistas do banco, a diluição decorrente da oferta tem efeito negativo nos mercados. Apenas as novas ações emitidas correspondem a 34% do capital social, e os acionistas controladores não anunciaram participação na oferta.

Mesmo com o efeito negativo na ação, os analistas afirmam que a emissão permitirá reduzir o custo futuro de capital para o frigorífico, além de aumentar a liquidez das ações.

"A desalavancagem, maior liquidez das ações e mais oportunidades de crescimento são positivos no longo prazo", afirmam os analistas, em relatório.

A Minerva pretende usar 65% do montante captado para reduzir sua dívida, enquanto os outros 35% serão alocados no plano de investimentos da companhia.

As ações do frigorífico (BEEF3) recuaram 6,79%, a R$ 10,99.

No setor, os analistas afirmam preferir as ações da JBS no curto prazo, esperando fortes resultados no terceiro trimestre, com possível impacto positivo nas ações.

Contudo, os analistas afirmam que o cenário operacional para a Minerva é positivo, com custos de insumos controlados, baixa oferta internacional de carne e demanda doméstica em alta.

152743 - paulo_prof - 19 Out 2012, 05:12
Depois de 6 meses, BEEF3 consegue apresentar lucro ...
Os resultados do 3T12 comparados aqueles do 3T11 foram:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,29%
RESULTADO BRUTO +72,18%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -24,61%
RESULTADO LÍQUIDO +13,94
EBITDA +47,96%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO -0,17%
ENDIVIDAMENTO LÍQUIDO +31,22%

Um dos aspectos mais positivos parece ter sido a margem bruta ...

Dos 15% do exercício de 2011, passou a 19,5% no 1T12, 19,9% no 2T12 e 23,1% no 3T12.

Devido o prejuízo líquido nos U12M, deixo de apresentar os multiplicadores.

Por Tetzner
·  PERFIL DA EMPRESA:

-  O Minerva S.A é um dos líderes no Brasil na produção e comercialização de carne in natura, industrializados e subprodutos de origem bovina, com capacidade diária de abate de 10.480 cabeças de gado e de desossa de 2.040 toneladas de carne bovina, equivalente a aproximadamente 12.911 cabeças. A companhia atua também no segmento de Food Services através da Joint Venture Minerva Dawn Farms (MDF), atualmente com capacidade de 120 toneladas de carne processada/dia, produzindo alimentos a base de carne bovina, suína e de aves.

A Companhia encerrou o ano de 2010 entre os três maiores exportadores brasileiros de carne bovina, subprodutos e industrializados e aproximadamente 1.300 clientes localizados em cerca de 100 países. O Minerva também é exportador de couro wet blue e gado vivo.     

Período Analisado: 3T11 -  3o Trimestre de 2.011  ( Julho/Agosto/Setembro )

PAINEL DE INDICADORES
05/11/11





SELIC
11,50%
Ativo
R$
PL
VP
GR
DY
LA
Dv
Ml
EB
MS
BEEF3
    4,95
9,0
0,73
6,6
1,3%
11,1%
2,8
2%
11,1%
13,9%

·  PONTOS POSITIVOS:

-  Continuamos com a expansão da nossa receita bruta, que atingiu o recorde de R$1,1 bilhão no terceiro trimestre de 2011, 19,3% superior à receita do terceiro trimestre do ano anterior e 12,0% maior que o segundo trimestre de 2011;

- Expandimos a utilização da nossa capacidade instalada para 78,2%, um aumento de 1,5 p.p. comparado aos 76,7% reportados no segundo trimestre de 2011;  

- As receitas de exportação cresceram 22,3% em relação ao último trimestre com expansão do nosso market share de 21,8% para 24,7%;

- As vendas da nossa rede de distribuição interna cresceram 41,9% em relação ao terceiro trimestre de 2010, sendo que o volume comercializado de produtos de terceiros sofreu forte aumento de 68,0% no mesmo período;

- O lucro líquido no terceiro trimestre totalizou R$15,5 milhões, revertendo o prejuízo auferido no segundo trimestre de 2011. No acumulado no ano o lucro líquido ficou em R$ 26,6 milhões;

- Nossa política de hedge cambial se mostrou precisa e eficaz, reduzindo o impacto da variação cambial sobre nosso endividamento. A medida dívida líquida / EBITDA ficou em 3,88x, uma redução de 0,13x em relação ao trimestre anterior;

- Efetuamos a recompra de nossos bônus de subscrição (BEEF11), obtendo 95% de adesão de todos os bonistas e evitando uma diluição de aproximadamente 28% da base de acionistas.

- O EBITDA totalizou R$90,9 milhões ( +14% x 2T11) no trimestre com margem de 8,5% e R$322,2 milhões no acumulado dos últimos 12 meses com margem de 8,5%;

- O volume de gado confinado durante a entressafra de 2011 aumentou aproximadamente 15% em relação ao ano passado, confirmando nossas pesquisas realizadas ao longo do primeiro semestre.

- Encerramos o terceiro trimestre de 2011 com R$ 711,7 milhões em caixa. Continuamos com um perfil de endividamento bastante alongado, conforme mostra a Figura 14. Do total do endividamento da Companhia, 55,7% são denominados em dólar, em linha com nosso mix de vendas entre mercado doméstico e exportações.
·  PONTOS NEGATIVOS
 
·  VISÃO ESTRATÉGICA

- Anunciamos a ampliação da nossa rede de distribuição no mercado interno através da abertura de nosso primeiro Centro de Distribuição na região Nordeste do Brasil, em Fortaleza;    

- Dando continuidade ao processo de desalavancagem, captamos com grande sucesso R$200 milhões em debêntures obrigatoriamente conversíveis em ações, inaugurando o segmento de emissões públicas desses instrumentos no Brasil;

- Minerva Dawn Farms, a novidade é o steak churrasco, fruto da nossa parceria com empresas de Food Service para o desenvolvimento de novos produtos e que deverá ser lançado no mercado nas próximas semanas.

- O grande destaque é a crescente demanda advinda da região do Oriente Médio. Fomos beneficiados também pela melhor gestão de nossa carteira comercial, com foco nos mercados mais rentáveis. Ainda no contexto internacional, os japoneses já

sinalizaram uma maior flexibilização para a importação de carne produzida pelos EUA, abrindo excelentes oportunidades para o Brasil em outros mercados atendidos pelos americanos. Somando-se a isso, a recente valorização do dólar também contribui para tornar a carne brasileira ainda mais competitiva.

- A expertise do Minerva na administração de riscos mais uma vez se provou eficaz: nossa política de hedge cambial apresentou grande eficácia na proteção do nosso endividamento em moeda estrangeira, amortecendo o impacto da apreciação do dólar. O Beef Desk, o cerne da nossa política de gestão de riscos, continua pautando nossas decisões, sempre buscando maximizar o retorno de nossas operações e travando nossas margens.

- Acreditamos que a indústria de proteínas continuará seu processo de consolidação e estamos muito bem preparados

para assumir um papel de destaque neste contexto. Estamos sempre atentos às oportunidades que possam

aparecer, no entanto, nossas decisões serão sempre pautadas pela racionalidade econômico-financeira e estratégica,

dando passos adequados com a estrutura de capital correta.
·  OPINIÃO DO ANALISTA
- A empresa vive um momento bem interessante, merecendo um acompanhamento mais de perto. O clima foi benéfico e as pastagens não sofreram muito propiciando uma maior oferta de materia prima animal, contendo os custos. Na contrapartida, uma demanda aquecida mantém o patamar dos preços e uma gestão melhor da dívida evitou o encurralamento cambial. Margens e Faturamentos em alta, a empresa volta a apresentar lucro num cenário que deve se manter. Atuou pró-ativamente no sentido de evitar uma diluição dos acionistas, num mercado em que é cada vez mais comum fazer o contrário. O natal vai ter churrasco e não será só Peru :D    
·  CURIOSIDADES

- O Brasil vive um momento único no cenário pecuário mundial: dados mais recentes divulgados pelo IBGE mostram

que o rebanho brasileiro atingiu a marca de 210 milhões de cabeças, cerca de 2,1% maior do que em 2009. Isso

significa que a fase de retenção de matrizes tem colaborado para uma forte expansão do rebanho brasileiro,

impulsionando as expectativas de uma oferta de boi gordo abundante no curto e médio prazos. Além disso, a seca

aguda que atinge os Estados Unidos tem acelerado o movimento de abate de matrizes naquele país, induzindo-os a

uma escassez de oferta nos próximos anos. Não obstante, apesar dos recentes ajustes nos preços dos grãos em

virtude de movimentos de realização de lucros de fundos de investimento no mercado de commodities, os estoques

físicos estão bastante justos com a demanda, não apresentando espaço para futuras quedas. Assim, as margens dos

confinadores norte-americanos continuam muito pressionadas, encorajando muitos deles a trocarem a atividade da

pecuária pela agricultura. A comprovação deste processo é que, segundo dados divulgados pelo USDA, o rebanho

americano encontra-se no menor nível em mais de 50 anos.

- O desempenho do mercado interno continua apresentando números vigorosos, na esteira dos expressivos aumentos na renda. Segundo pesquisas conduzidas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e divulgadas pelo Banco Central, as classes A, B e C representavam 45% da população brasileira em 2003. Em 2011, esta camada da população se expandiu para 66%. Em 2014, a expectativa é que ela atinja a marca dos 72%. Observamos, portanto, um crescimento consistente do contingente de consumidores, aumentando consideravelmente a demanda por proteínas.     

Análise Coin Valores
O Minerva S.A. é um dos líderes no Brasil na produção e comercialização de carne bovina, couro e exportação de boi vivo e está entre os três maiores exportadores brasileiros do setor em termos de receita bruta de vendas, comercializando seus produtos para cerca de 100 países. A companhia tem uma capacidade diária de abate de 8.940 cabeças de gado e de desossa de 1.890 toneladas de carne bovina, equivalente a aproximadamente 11.960 cabeças. Presente nos estados de São Paulo, Rondônia, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e no Paraguai, o Minerva opera nove plantas de abate e desossa e oito centros de distribuição, além de atuar também no segmento de Food Service através da joint-venture Minerva Dawn Farms (MDF), atualmente com capacidade de 120 toneladas de carne processada/dia, produzindo alimentos a base de carne bovina, suína e de aves.

RETROSPECTIVA 2010
Faturamos R$ 3.377 milhões nos últimos doze meses encerrados em 30-Set-2010, crescimento de 32% em relação ao mesmo período do ano anterior, o que nos coloca como um dos principais players de proteína bovina no Brasil. A combinação entre a diversificação dos mercados em que atuamos e o modelo conservador na gestão dos investimentos, que teve como foco o crescimento orgânico e a excelência na gestão de riscos, foram fatores que nos tornaram menos vulneráveis aos efeitos da crise. Quando comparamos o terceiro trimestre de 2010 com o mesmo período do ano anterior, nossa capacidade de produção aumentou em 20% e mantivemos os níveis das taxas de utilização das plantas, referência no setor. A maturação dos investimentos reflete no crescimento da receita em mais de 30% nos últimos doze meses. O destaque em 2010 foi o crescimento das operações de distribuição para médios e pequenos varejistas, representando 52% do total das vendas no mercado interno e cujo crescimento nos últimos 12 meses foi de 65%.

PERSPECTIVA 2011
A empresa continuará dando prioridade para a estratégia operacional, política financeira conservadora, eficiência da administração do capital de giro e logística adequada das  operações. Os segmentos de commodities e produtos de valor agregado sempre terão estratégias diferenciadas, pois requerem foco na administração dos riscos e independência nas decisões. A manutenção da nossa participação no mercado externo é um dos marcos na nossa política comercial para 2011, destacando o nosso aumento de market share nas operações do mercado interno através dos nossos Centros de Distribuição.
A companhia está atenta ao movimento de consolidação do setor e é um forte candidato às


oportunidades que tenham racionalidade industrial, logística, financeira e onde os riscos estejam alinhados

29128 - gustavonovo - 02/Mar/2010 11:24
As margens da Minerva beef3 devem melhorar até o final do ano.
a margem operacional dos frigoríficos nunca é negativa, porque eles sempre conseguem repassar os custos do boi.
isso se deve ao fato de não há possibilidade de importação de carne a custos competitivos e pelo fato de que o custo de matéria prima é muito alto em relação ao custo de capital. em administração chamam isso de baixa alavancagem operacional.
em razão da baixa alavancagem operacional eles assumiram uma alta alavancagem financeira na última década (o que só não aconteceu antes em razão da altíssima sonegação de impostos no passado)
com endividamento, as grandes cresceram muito e o setor se tornou muito mais concentrado. mas nesse processo se assitiu um excesso de capacidade. o que juntamente com a baixa alavancagem operacional faz com que as margens de lucro sejam muito baixas.
entretanto, acredito que com a elevada concentração, a crescente necessidade de escala para exportação e o avanço dos grandes frigoríficos na distribuição leve o setor a um aumento crescente nas margens de lucro.
para facilitar esse processo, há uma tendência de aumentos dos preços no mercado internacional combinada com um Cliclo do Boi altamente favorável no Brasil e desfavorável na Argentina (principalmente) , Rússia, Austrália e Rússia (que apesar de grande importador, também produz para o mercado interno). ou seja, só o Brasil pode suprir o aumento da demanda. E os preços do boi no Brasil não devem subir muito porque, além do ciclo do boi positivo, os preços do boi já estão muito altos em dólar (o boi brasileiro está quase tão caro com o boi nos EUA) e muito acima do preço do boi nos outros exportadores (historicamente o boi brasileiro sempre foi o mais barato).
não há como o preço do boi brasileiro subir muito este ano, porque já está caríssimo em dólar e a oferta de bois será muito grande este ano no Brasil.
A margem operacional só tende a crescer, mesmo porque está muito baixa. Isso sem considerar outros aspectos como o fim do funrural, a inseção de PIS/CONFINS, a capacidade crescente da JBS + marfrig + minerva ditarem os preços no mercado internacional (o Brasil será esse ano uma espécie de Arábia Saudita do boi, pois é o único capaz de aumentar significativamente a oferta com baixos custos)
Ainda há a possibilidade de maior consolidação no setor, a Brasil Foods ainda quer ser grande no setor bovino e a Tyson Foods pode querer entrar no mercado brasileiro para combater a JBS no quintal dela. enfim. há grandes chances de aumento da cotação das ações.

29102 - capgarrido - 02/Mar/2010 09:05
Não gostei do resultado, pois imaginei que o Resultado Financeiro Líquido viesse positivo, pelo pagamento/cancelamento de parte da dívida principal, que vence em 2017, e só veio pouco menor que o do 3T09 (negativo em 25 milhões). Se não fosse isso o lucro líquido teria sido mais que o dobro. Mas tudo isso se deve à opção de manter em caixa 424 milhões. Eu pensei q esse valor fosse diminuir em relção ao 3T09, devido a dívidas de curto prazo q venciam neste 4T09, mas eles optaram por "rolar" a dívida, aumentando-a em relação à moeda nacional, e aumentando tb o dinheiro em caixa.
A dívida líquida, que vinha diminuindo mais de 100 milhões/trimestre (que deveria ser mantido para atingir minhas estimativas, pois quando acabasse se transformaria no lucro de 100 milhões), só diminuiu 18 milhões.
Vejo, com isso, bem mais distante a minha idéia de Lucro Líquido de 100 milhões/trimestre em 2014. Esse trimestre foi perdido. Nem ajudou, nem atrapalhou. 

29092 - paulo_prof - 02/Mar/2010 02:24
O resultado de BEEF3 veio dentro do esperado. Excetuando o resultado financeiro, as receitas e despesas do 4T09 praticamente foram as mesmas do 3T09. O resultado financeiro foi melhor mas ainda deixou a desejar pois, para uma dívida líquida média de R$ 805 milhões, a empresa pagou o equivalente a R$ 102 milhões na base anual; ou seja, um custo anual de 12,67%.
De qualquer forma, é possível que o ativo se beneficie das "manchetes" amanhã. Um prejuízo monstro do 4T08 e 2008 foi transformado num lucro razoável e os novos multiplicadores (baseados nos últimos 12 meses) a serem divulgados pelos sites especializados serão atraentes:
P/L = 8,54
P/VPA = 1,32
PSR = 0,27
DY = 3,09%
EV/EBTIDA = 8,20
MARGEM BRUTA = 18,1%
MARGEM OPERACIONAL = 2,8%
MARGEM LÍQUIDA = 3,1%
LUCRO POR AÇÃO = R$ 0,773
MARGEM EBITDA = 7,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO = 232,3%
ROE = 15,45%
LIQUIDEZ CORRENTE = 2,27
P/(CAP GIRO/AÇÃO) = 1,02
GIRO ATIVOS = 1,26
P/(ATIVO/AÇÃO) = 0,34 

29086 - small caps - 01/Mar/2010 23:35
citação: gustavonovoPessoal,
hoje sai o resultado da BEEF3, estou apostando pesado nela através da BEEF11.
O que vcs acham da perspectiva da empresa.
Hoje depois da crise, só existe 3 grandes exportadoras da carne bovina no Brasil. E a Minerva é uma delas.
eu acho que os preços da carne bovina e do couro vão subir no mínimo 20% em dólar (alcançando patamares de antes da crise) até meados do ano, porque a recuperação mundial é firme, os preços do petróleo estão altos (os exportadores de petróleo são os maiores importadores) e a oferta de bois no mundo está mais apertada do que no Brasil. A oferta de bois demora pelo menos uns 2 anos para acompanhar o crescimento da demanda.
alguns mercados estão se abrindo para o Brasil.
O consumo brasileiro deve continuar subindo.
As exportações argentinas devem se reduzir substancialmente por falta de bois (mataram muitas vacas nos últimos anos lá).
A rentabilidade da empresa continua pequena. mas deve subir bem significativamente.
As vendas da empresa cresceram organicamente 20% no ano passado, em plena crise.
As cotas do Brasil na Rússia (o maior importador mundial) cresceram significativamente em janeiro e a China abriu seu mercado para o Brasil.
os riscos são o grande endividamento em dólar da empresa (que é parcialmente compensado por ser uma empresa altamente exportadora) e a alta capacidade ociosa do setor no Brasil (que está sendo parcialmente eliminada pela compra e arrendamentos de massa da JBS e da Marfrig).
o que vcs acham?
gustavonovo, você consegue olhar como está o pregão neste momento?
Não, não é mesmo?
Eu também não.
Só que para a Minerva, o pregão ainda não acabou.
O balanço ia ser divulgado após o encerramento do mercado.
São 23:30 horas e o relógio deles deve estar estragado.
Como de costume, não é a primeira vez que fazem isto...


Acho que vou mandar um e-mail para o RI perguntando qual o fuso horário que usam para definir o fechamento do pregão...

From: Marcos
Sent: Saturday, February 13, 2010 11:08 PM
To: small_caps@yahoogrupos.com.br
Subject: [small_caps] BEEF3
Olá Pessoal!
Fiz um modesto e resumido estudo de Beef3 estes dias.
Segue abaixo para leitura e análise de vocês colegas:
- Liquidez corrente de 1,87 (Ativo Circ. é quase o dobro do Passivo Circ.) sendo que o Ativo Circ. é principalmente composto de Disponibilidades (34%) e Créditos (21%) que já quitam o Pass. Circ.
O problema está no prezuízo acumulado que ela ainda possui.
- PL que engana muita gente, pois está negativo devido ao 4º Trimestre de 2008. Porém no quarto trimestre já teremos um PL positivo. Em uma hipótese de um próximo balanço bem fraco de 4 milhões, ainda assim teremos um PL de 10,0 no próximo trimestre. Eu arriscaria um PL entre 7 e 10 de acordo com a informação abaixo.
*** Recentemente foi divulgado comunicado na BOVESPA (abaixo) com receita bruta e líquida record no 4º trimestre de 2009. É muito provável que teremos boas surpresas no próximo balanço.
- PVP 1,34 e para quem gosta de Analise Gráfica, o momento é bom, pois já tivemos uma boa correção recentemente.
- Ela andou captando muito dinheiro já através de BEEF11 e parece que continua querendo captar ainda mais para quitar dívidas de curto prazo inclusive (vide notícias abaixo)
Se eu tiver cometido algum engano me perdoem, pois colhi algumas notícias em foruns. 

24800 - paulo_prof - 08/Jan/2010 21:30
Vamos ver se desta vez os caras não se perderam com os derivativos. Se não fizeram caca vem um lucro de uns R$ 20 milhões por aí.
citação: Infomoney Minerva tem receita bruta recorde de R$ 767,6 milhões no último trimestre de 2009
Por: Equipe InfoMoney
08/01/10 - 19h35
InfoMoney
SÃO PAULO - A Minerva (BEEF3) comunicou nesta sexta-feira (8) que a receita bruta consolidada no último trimestre de 2009 atingiu R$767,6 milhões, valor 50,7% superior ao do mesmo período de 2008. No acumulado do ano passado, a receita bruta consolidada totalizou R$2,8 bilhões, 21,8% acima do apurado no exercício anterior.
Já a receita líquida consolidada da companhia no último trimestre de 2009 foi de R$719,7 milhões, 54,6% acima da receita do mesmo período de 2008. No último ano, a receita líquida consolidada da Minerva totalizou R$2,6 bilhões, 24,1% a mais que a receita do ano de 2008.
"Os valores acima reportados são recordes, mostram o sucesso das políticas que a empresa tem adotado e confirmam a eficácia da estratégia de crescimento adotada pela companhia", afirmou a Minerva em nota. Vale destacar que estes valores de receita bruta e líquida de 2009 não foram auditados. 

24509 - capgarrido - 04/Jan/2010 23:20
citação: Infomoney
Por: Equipe InfoMoney
04/01/10 - 21h52
SÃO PAULO - A Minerva (BEEF3) comunicou nesta segunda-feira (4) que assinou um instrumento de promessa de compra e venda de uma planta de abate de bovinos localizada na cidade de Campina Verde, na região do Triângulo Mineiro, no oeste do estado de Minas Gerais.
"A unidade possui aprovações para mercados externo e interno. Os investimentos totais na aquisição e planos de expansão estão estimados em R$ 46 milhões e serão suportados por linha de financiamento de mais de 10 anos e sujeito a linhas de agências de fomento", revelou a Minerva.
A compra do ativo, com capacidade de abate de 700 cabeças por dia e desossa de carne bovina, representará para a companhia um acréscimo de 10% na sua capacidade total instalada e fortalecerá ainda mais a posição da companhia no setor de proteína bovina, segundo destacou a Minerva em nota.
"Acreditamos que a geração operacional de caixa da nova planta está em linha com o consolidado e contribuirá para melhorar os níveis de endividamento da empresa. A aquisição aumentará a diversificação geográfica das plantas da Minerva", concluiu a companhia. 

21868 - MuadibGV - 21/Nov/2009 23:14
citação: capgarrido
Desculpe estar sendo chato, acho q sou o único defensor do Minerva aqui. Não considero que ele "perdeu" na descida. Simplesmente deixou de ganhar mais por ter querido se garantir no preço do dólar que já daria um ganho financeiro. Vou explicar pq:
No 2T09 o Minerva, ao ver que o dólar já tinha caído bastante (1,95-2,00), resolveu trocar boa parte da dívida de dólar p/ real (principalmente a que vencia no curto prazo, 3T09, passando boa parte para 2017, em real). Com isso, teve o lucro financeiro que acabou por reverter no lucro líquido de 59M. E mesmo assim, ainda reduziu a dívida que sobrou em 95M (devido à queda do dólar, é claro). Já no 3T09, como já tinha pago boa parte do que ia vencer em dólar, não teve lucro financeiro tão grande. Como teve muitos gastos na ampliação de seus frigoríficos, acabou por ter o pequeno lucro de 6M. Em compensação, como pagou cerca de 80M da dívida com dinheiro da subscrição, e ainda trocou, de volta, alguma dívida que tinha em real para dólar (pois percebeu q o dólar não ia voltar a subir), sua dívida reduziu em 120M. E no 4T09 vai reduzir mais ainda, pois cerca de 70M foram cancelados da dívida de 2017 (em dólar), e a variação cambial vai trazer a dívida em dólar uns -5 a 7%, o que dará mais uma redução de 50M.
Realmente, se o minerva deixasse a dívida como estava teria se dado melhor, pois acabou pagando uma dívida com dólar a 2,00 quando poderia ter pago a 1,85, mas quem tem bola de cristal? Gato escaldado tem medo de água fria.
Enquanto a dívida (que pode ser acompanhada no Passivo do resultado trimestral) estiver caíndo, estou dentro. Porém, realmente considero que, no momento, há opções melhores de turnaround. Mas que um dia ela chega a R$ 40,00, isso podemos esperar. Acredito que em mais 2 anos ela zera a dívida líquida (isto é, dívida descontada do dinheiro em caixa). Mas até lá, só os resultados trimestrais vão dizer se ela vai p/ cima ou p/ baixo.
Capgarrido,
Acho que acabei pegando birra da Minerva... A dívida da empresa caiu agora no 3T09 unicamente por causa do aumento de capital. A empresa conseguiu a façanha de ter um excelente resultado operacional, ganho cambial e mesmo assim um lucro próximo de zero, por causa de misteriosas "outras" despesas financeiras que não se dignaram a detalhar.
Um dia todas as ações da Bovespa vão chegar a 40, por causa da inflação... Não se esqueça que no caso da Minerva existem mais 30 milhões de ações prontinhas para entrar no capital social a R$ 5,30 cada uma.


O problema que vejo na empresa é que a dívida além de ser alta é cara.

20675 - small caps - 13/Nov/2009 00:58
citação: Bellard
citação: small capsLendo o relatório da BEEF3 é impressionante a quantidade de adjetivos que usam para se mostrarem "o máximo". Considerando-se os bam bam bam da utilização da capacidade produtiva, o diferencial no seu do que e o escambal.
Já que é para adjetivar, podemos ajudá-los, não? Que tal falar dos pitocos e incompetentes do financeiro?
Abraços,
Small caps.
Small,
Então pelo jeito, BEEF3 será descartada da "carteira small caps" porque o setor financeiro da empresa NÃO adivinhou pra onde iria o dólar, que teriamos uma recuperação em V? que tudo explodiria pra cima, depois do maior caus financeiro depois de 1929?
Será são burros mesmos, ou todo mundo aqui é burro, porque ng é vidente?
Na boa se soubesse que o dólar estaria a 1,70 hj teria me aposentado, com venda mega-alavancada no mecados futuros. Mas sou burro ou normal, sei lá!!!
Qual ação vai entrar no lugar de BEEF3? Aproveitando pra onde vai o dólar ano que vem: 1,00 ou 3,00? se for tão fácil e souber ajuda lá no financeiro de BEEF.
Bellard, não vou sair de BEEF3. O operacional eu gostei. A bomba ficou pelo financeiro mesmo que erra quando o dólar sobe e faz outra besteira quando ele cai, aparentemente. Errar uma vez tudo bem, mas levar o duplo créu cambial é para poucos...
Mantém-se como ativo de um dos grupo de turnarounds, que por si só já justifica uma posição com maior moderação...

20633 - small caps - 12/Nov/2009 23:00
citação: samudutra
citação: ffranklins
citação: small caps
citação: samudutra
citação: small caps
citação: capgarridoE + um detalhe. Além do ebitda ter vindo R$ 51,8M, ainda tem essa:
"Em 12 de novembro de 2009 (ou seja, HOJE), o Minerva realizou o cancelamento parcial de notas com vencimento em 2017 recompradas no mercado com desconto em relação ao seu valor de face, totalizando US$ 40,6 milhões (ou seja, R$ 70M)."
Se o Minerva está com caixa p/ se preocupar com a dívida + longa que tem (2017), é pq tem caixa p/ pagar dívida, não só a q vence no trimestre. Talvez se não tivesse pago esse valor, só aí já sobrariam R$ 70M para lucro. Acredito realmente numa nova grande redução da dívida para o próximo trimestre (pelo menos é o q se preocuparam em sinalizar no resultado trimestral, deixando para fazer isso, inclusive, no próprio dia da divulgação do resultado).
O EBITDA realmente veio muito bom. O que senti falta foi de um bom lucro cambial...
Abraços,
Small caps.
Desculpa minha ignorancia prof Small, mas de onde a empresa iria tirar lucro cambial se ela vende 68% da receita para mercado externo e o U$ neste tri deu recueta ?? (seria do pagamento da divida em moeda estrangeira???)
Exato samudra. A queda do dólar afeta a receita, o que pressiona as margens operacionais. A mesma queda, no entanto, alivia a dívida cambial, o que eleva o lucro líquido.
Abraços,
Small caps.
Boa noite small,
Exatamente o problema que vejo na BEEF3... a parte operacional parece bem saudável e sempre melhorando..
Mas os resultados financeiros são uma verdadeira gangorra e sem esclarecimento da empresa... eu imaginava que fosse manter o mesmo ganho de variação cambial do 2T09... mas veio bem abaixo sendo que a variação negativa do dólar foi praticamente a mesma do 2T...
Essa conta de resultados financeiros deles é um mistério... ou o departamento financeiro que é extremamente incompetente e eles não abrem essa conta mais detalhada...
Pois é .... Menos 30MI de juros passivos no trimestre, mais 31,9MI de variaçao cambial positiva (olha um pedacinho dela aqui Small!!!) e fechando com chave de ouro : Menos 34,2MI de "OUTROS", isto deve ser o pro-labore dos Vilela de Queiroz no trimestre (brincadeira... agora 877 mil pra conselheiros e diretores estatutarios em tres meses tá meio puxado!!!! será que tem uma vaguinha pra nois lá??)
Suspeito que seja alguma política de hedge de matéria prima e/ou venda...
Mas que qualquer imbecil consegue um resultado melhor no financeiro, não tenho dúvida! Amanhâ vamos ver o que a empresa tem a dizer...

20608 - small caps - 12/Nov/2009 22:06
citação: egerbelli
citação: sergiosilvinoPara quem estava perguntando sobre BEEF3 para o paulo_prof e está morrendo de ansiedade, ele deixou uma dica uns dias atrás, guardou quem ficou esperto...
citação: paulo_profFicar esperto com os resultados de BEEF3 e FHER3 ... se o ebitda de qualquer uma das duas vier acima dos R$ 45 milhões (provável em BEEF3, um verdadeiro milagre para FHER3), é comprar correndo!
Então o milagre aconteceu...
DESTAQUES DO PERÍODO (3T09)
Lucro líquido de R$ 29,7 milhões no 3T09 e de R$ 94,7 milhões nos 9M09EBTIDA de R$ 53,8 milhões no 3T09 e de R$ 49,1 milhões nos 9M09
Nítida a diferença em relação a FFTL4. Enquanto uma ganha com o aumento do preço da matéria prima, a outra perde...
Hoje o dia foi de alegrias com HBOR3, FHER3 e HBOR3. Balanços que dispensam comentários.


Sem falar da famoso Pronor que o Paulo tanto nos avisou... small caps em festa hoje :)

20565 - opportunity2 - 12/Nov/2009 18:49
Resultado da beef3:
O forte resultado do 3T09 demonstrou nossa confortável posição competitiva na indústria de proteínas, confirmou os resultados esperados de nossa estratégia de crescimento, via investimentos Green Field, e ratificou nossa excelência na gestão de riscos, combinando o crescimento sustentável
de nossas vendas com melhores resultados operacionais.
ü A Receita Líquida de R$ 693,4 milhões foi recorde histórico da Companhia, um aumento de 11,0% em relação ao 3T08. Na comparação anual do acumulado dos últimos doze meses este crescimento foi ainda maior, de 13,2%. Os volumes exportados de carne in natura no trimestre aumentaram 19,7% em relação ao mesmo período do ano anterior e nosso market share em receita atingiu 22,0% no mês de setembro, 10,0 p.p. superior à participação de setembro de 2008.
ü O EBITDA de R$ 51,8 milhões foi 27,3% superior ao do 3T08. Este forte desempenho reflete a fase de maturação dos investimentos nas linhas de produção e maior rentabilidade de nossas operações. Portanto, o resultando deste trimestre apresentou expansão de 1,0 p.p. na margem, para 7,5%.
ü Somos referência no setor em utilização de capacidade, e mantivemos o nível de 80% no 3T09. Os ganhos de produtividade e expansões da capacidade foram acompanhados de economia de escala em nossas operações.
ü O sucesso de nossa operação de aumento de capital realizada no trimestre, com 100% de adesão dos
investidores, integralizou R$ 153,9 milhões já no 3T09. A razão Dívida Líquida/EBITDA reduziu de 6,37x no 2T09 para 5,15x em 30 de setembro de 2009. Segundo o prof, paulo ebitda acima de 45M é para encher o carrinho.

17411 - paulo_prof - 16/Out/2009 20:22
citação: srdestinopaulo-prof e demais foristas que possam ajudar
Estava analisando a BEEF3 e gostaria de saber a opinião do pessoal aqui do fórum
Atualmente a empresa apresenta os seguintes indicadores
P/L: -2,77
P/VP: 1,33
PSR: 0,21
DY: 0,0%
LPA: -2,36
VPA: 4,93
ROE: -47,8%
Nº de ações (antes da subscrição): 75.000.000
Nº de ações (depois da subscrição): 105.000.000
PL: 370.090.000
Lucro ult 3 meses: 56.899.000
Lucro líquido ult 12 meses: -177.030.000
A Minerva conseguiu levantar no mercado 156 mi com a emissão de 30 mi de ações.
Projetando um lucro no 3º TRI de 48,7 mi (38 mi de result operac + 10,7 mi result financ)
Projetando um lucro no 4º TRI de 45,2 mi (40 mi de result operac + 5,2 mi result financ)
Mais 156 mi no 4º TRI da subscrição.
Considerando o dólar a R$ 1,70 no final do ano (acho que vai fechar 1,63, mas vou na previsão do Small)
Considerando os dados acima, os indicadores no final do 4º TRI seriam os seguintes:
(P/L) UDM = 4,77 (P=6,90 e LPA=1,444)
(P/L) USM = 3,85 (P=6,90 e LPA=1,788)
P/VP: 1,16
DY: ???
LPA: 1,444
VPA: 5,903
ROE: 24,47%
PL: 619,9 mi (370+48,7+45,2+156)
A cotação fechou hoje a 6,90, a max em 52 sem.
Talvez muitos ainda não tenham olhado para ela devido ao PL e ao lucro negativos, semelhante a PNOR5 que o paulo_prof comentou.
A empresa tem uma grande dívida em dólar, mas é para LP.
O mercado de carne está melhorando e as exportações também (embora o dólar, neste caso não ajude).
Se os indicadores estiverem corretos está bem melhor que MRFG e JBSS. Se bem que com as aquisições recentes destas empresas ficou mais difícil comparar, entre outras peculiaridades entre as três.
Gostaria de saber se o pessoal se ainda vale uma entrada no papel e se os indicadores por mim calculados estão corretos, se alguém notar algum erro, favor corrigir.
Abraços
Estimar os resultados da Minerva é mais complicado do que de outras empresas, pois o número de variáveis é bem maior.
Para o que possa servir, as minhas estimativas (conservativas) para o 2S09 são as seguintes:
Receita Bruta: R$ 1.430 milhões
Receita Líquida: R$ 1.325 milhões
Lucro Bruto: R$ 232 milhões
Despesas com Vendas: (R$ 120 milhões)
Despesas Gerais e Admnistrativas: (R$ 27 milhões)
Ebit: R$ 85 milhões
Juros Líquido: (R$ 50 milhões)
Variação Cambial: R$ 50 milhões
Resultado Operacional: R$ 85 milhões
Provisão para IR e Contribuição Social: R$ 28 milhões
Resultado Líquido: R$ 57 milhões
Patrimônio Líquido em 30DEZ2009: R$ 585 milhões
No. Ações: 105 milhões
Em conseqüência, na cotação de R$ 6,90,
P/L = 6,31 e P/VPA = 1,24
indicando que o ativo não é o mais barato do mercado, mas também não está caro.

13072 - paulo_prof - 29/Ago/2009 16:29
citação: sflimaPessoal,
O que alguem pode analisar o momento atual da Minerva? BEEF3?
Abs
De acordo com a minha estimativa (chute mesmo) no 2o. semestre a Minerva será capaz de apresentar os seguintes resultados médios por trimestre:
Receita Bruta: R$ 713 milhões
Receita Liquida: R$ 663 milhões
Resultado Bruto: R$ 113 milhões
Resultado Financeiro: (R$ 10 milhões)
Resultado Operacional: R$ 26 milhões
Lucro Líquido: R$ 22 milhões
Ebtida: R$ 48 milhões
Dívida Líquida em 30DEZ2009: R$ 840 milhões
Patrimônio Líquido em 30DEZ2009: R$ 415 milhões
Os múltiplos estimados com o preço de 6a. feira e resultados projetados para o exercício de 2009, são:
P/L = 4,22; P/VPA = 1,02; PSR = 0,17; EV/Ebitda = 7,3; ROE = 24,6%
Se as minhas estimativas estiverem aprox. corretas, a recomendação fundamentalista é de compra.


Caso contrário ... eu sempre vou dizer que estava variando ... e que portanto não sou responsável.

11743 - small caps - 14/Ago/2009 21:18
Da série festa no câmbio:
Lucro trimestral do Minerva quase triplica frente 2008 e atinge R$ 56,9 milhões
Por: Equipe InfoMoney
14/08/09 - 21h07
InfoMoney
SÃO PAULO - O frigorífico Minerva (BEEF3) divulgou nesta sexta-feira (14) seu resultado do segundo trimestre de 2009, reportando um avanço de 194% em seu lucro líquido na comparação anual, atingindo R$ 56,9 milhões.
"Após um período de grande turbulência nos mercados internacionais, que afetou a dinâmica de vários setores e inclusive a do nosso, entendemos que o segundo trimestre de 2009 foi o divisor de águas e já no segundo semestre deste ano iniciou-se um longo período de crescimento em nosso faturamento, com melhores margens operacionais e financeiras", destaca o presidente da companhia, Fernando Galletti Queiroz.
A receita líquida do período alcançou R$ 641,4 milhões, subindo 12,7% quando confrontada com o número visto em igual período do ano anterior.
Entre abril e junho deste ano, o frigorífico acumulou um Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de R$ 44,8 milhões, configurando uma retração de 4,6% frente o segundo trimestre de 2008.


A margem Ebitda (relação percentual entre o Ebitda e a receita líquida), por sua vez, ficou em 7%, caindo 1,3 pontos percentuais na mesma base de comparação.

7344 - Rath - 18/Jun/2009 07:39 
A quem possa interessar:
Minerva anuncia constituição de duas subsidiárias para reduzir custos
Por: Equipe InfoMoney
17/06/09 - 20h33
InfoMoney
SÃO PAULO - O frigorífico Minerva (BEEF3) anunciou nesta quarta-feira (17) a constituição de duas subsidiárias, a Minerva Log, com atuação no setor de logística e transportes, e a Loin Investments, que administrará uma carteira de valores mobiliários própria.
Segundo a companhia, a criação das empresas tem por objetivo a redução de despesas comerciais, principalmente de frete marítimo, no caso da Minerva Log, além de custos e tributos sobre as operações financeiras do frigorífico, no caso da Loin Investments.


O Minerva ressalta que não necessitará de investimentos adicionais ao capex para a criação da Minerva Log e que o frigorífico deterá a integralidade das ações

7331 - fabiopinto - 18/Jun/2009 00:08
Me impressionou negativamente a análise do CITI para o setor de carne, em especial para BEEF3...
vejam e tire suas conclusões: "Já em relação às recomendações de investimento, os analistas mantiveram a avaliação neutra, alegando que as ações do setor devem continuar sendo negociadas aos múltiplos atuais. A exceção são os ativos da Minerva, pelos quais temos perspectiva negativa já que acreditamos que a ação não negociará aos mesmos múltiplos de seus pares".


"esperamos volumes estáveis em relação a 2008 e queda nos preços (15% da carne de boi e 16% da carne de frango)".

5877 - WK2007 - 18/Mai/2009 11:24
Small, Paulo e demais colegas, gostaria da opinião dos ilustres.
Lendo o release de Minerva, observa-se que o mês de março significou uma arrancada, com aumento de receitas, vendas, utilização da capacidade etc. No entanto, houve um prejuízo de 214,6 milhões nesse mês (pg. 13). Alguém consegue explicar essa contradição?

5751 - small caps - 15/Mai/2009 23:23
citação: tittonelsmall viu o balanco da beef???
lucro liq de 1 milhao....
rsrs
bora boizinho
http://www.minerva.ind.br/ri/index.htm
tittonel, vi sim... parece que parte do lucro veio de IR diferido... vou ler com cuidado ainda...
Mas já mostra uma grande melhora em relação ao último trimestre. Com o dólar nos níveis atuais, provavelmente terá lucro no segundo trimestre... é por isso que tem tido "escaladas" no preço. Já negociava a preços falimentares...

5025 - small caps - 02/Mai/2009 12:50
"marcio103, BEEF3 tem subido em razão da queda recente do dólar. O mesmo buraco provocado nas finanças em razão do aumento repentino do dólar será aliviado a medida que ele se aprecia. É daí que vem a alta..."


Sugiro acompanhar a cotação do dólar para saber o que fazer com as ações da empresa.

3711 - small caps - 06/Abr/2009 22:02
"citação: ffranklinsSmall, ainda não encontrei, talvez por falha minha, seu comentário sobre o balanço do Minerva. Apenas estranhei o volume de despesas financeiras. Se possível gostaria de sua opinião."
E parece que vem o BNDES para participar no controle acionário da empresa agora:
http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=5816 8&channel=98Abraços
"ffranklins, BEEF3 foi mais uma das empresas pegas no contrapé da econômia. Investiu uma fortuna na rápida expansão com dívidas relevantes atreladas ao câmbio. A situação só não é mais complicada porque tem caixa suficiente para quitar todas as obrigações do curto prazo. E ainda vai reforça-lo com financiamento do BNDES em substituição ao capital próprio empregado na sua expansão em 2008."
"Mas o que eu menos gostei foi da queda das margens operacionais. Ela tem que ter margem suficiente para quitar os juros da sua dívida. No primeiro trimestre, a tendência é que a dívida tenha ficado ""comportada"", uma vez que o estresse cambial passou."
"Com a quebradeira das empresas do setor (a maioria esta em situação pior que a Minerva, - vide case Independência), ela pode ganhar market share... Neste segmento ocorreu o mesmo que no de imóveis. Todo mundo correu para abraçar o mundo e esqueceram de perguntar se haverá consumidor para tudo..."
"Tenho nela um peso de turnaround, conforme já mencionei na carteira small caps. Seu PSR e P/EBITDA já precificam o pior. Mas isto não significa que se possa fazer uma aposta alta."


"Se for um 1% da sua carteira, perder 100% nela não representará muito. Mas se der certo, o ganho pode chegar a 1000%. Então, representará 10% a mais na carteira... Este é o pulo do gato da diversificação inteligente."

3634 - Kudlow - 05/Abr/2009 22:57
"Na minha opinião o melhor indice de retorno para o acionista é o ROE, sem dúvida, é o tipico indice que aponta se uma empresa tem alguma vantagem competitiva."
"Quanto a dar preferencia a BBAS3 e BRSR6, a grande diferença entre esses dois bancos e o BEES3 é que eles não vão ser comprados ."


"Na minha opinião o bees3 não está 100% precificado, do mesmo jeito que o mercado não precificou o BNCA3, eu posso estar errado lógico, nada mais normal, mas eu costumo seguir meus pontos de vista, espero que seja vendido por no minimo um P/L de 12."

3633 - paulorizzi- 05/Abr/2009 22:38
"Acho que o ponto principal (realmente o único que interessa) é se o BEES está 100% precificado para o momento atual da economia e especulações. Isto é mais importante para comprados, pois se está 100% precificado, está mais do que na hora de vender e aproveitar as dezenas de oportunidades que se apresentam no mercado. Se não está 100% precificado, qual é a perspectiva de ganho num investimento a médio ou longo prazo. Restringindo um possível investimento ao setor bancário, qual ativo seria hoje o mais interessante?"


"Ficando somente no setor de bancos estatais, antes de BEES3 eu certamemnte daria preferência a BBAS3 e BRSR6. Que eu lembre, a última vez que verifiquei, todos os múltiplos de BBAS3 eram melhores do que aqueles de BEES3 (o PSR de ambos era aprox. igual, mas com a esticada de BBAS3 e o encolhimento de BEES3 talvez hoje o do BEES é menor). Não adianta muito o ROE do BEES ser alto se o lucro não é dividido com os sócios (acionistas)."

3027 - Rath - 27/Mar/2009 07:56
"Se me recordo bem ela conseguiu uns empréstimos no 1º tri deste ano e alongou ainda mais a dívida, mesmo com a escassez de crédito. O do BNDES foi de 120 mi."
Pode mostrar recuperação ainda no próximo balanço. A receita e o Ebitda aumentaram e tal...


"Vou aguardar a movimentação no pregão de hoje para montar posição como turnaround. Small e paulo, se puderem comentar tb, agradeço."

3026 - herdsman - 27/Mar/2009 07:52
"Como já sou produtor não ia investir mesmo em nada ligada a pecuaria ou agricultura. Deu uma olhada na minerva já que é comentada aqui. O lucro operacional mal e mal dá para pagar os juros da divida. Não se deixam levar pelas ultrapassadas maximas de ""se um chinês comer meio kilo amais daí, bla, bla"". China já é exportador de carne de porco..e o governo de lá vai inventar de tudo para dar renda para o pessoal do campo. E os russos estão quebrados..Europa e EUA vão erguer barreiras denovo...Sobram os Arabes então. Sei não?"

3024 - Rath - 27/Mar/2009 07:48
"Minerva registra prejuízo ajustado de R$ 179,7 milhões no trimestre"
Por: Vitor Silveira Lima Oliveira
27/03/09 - 07h20
InfoMoney
"SÃO PAULO - A companhia Minerva apresentou seus resultados referentes ao último trimestre de 2008 após o pregão da última quinta-feira (26), tendo obtido prejuízo líquido ajustado de R$ 179,7 milhões."
"De acordo com relatório da empresa, ""o efeito da variação monetária e cambial da companhia em moeda estrangeira, decorrente da desvalorização do real a partir de setembro, resultou numa despesa de R$ 131,8 milhões, um efeito contábil (não caixa)""."
Trimestre x Ano
"Durante o último quarto de 2008, a companhia do setor de alimentos obteve R$ 465,4 milhões em receita líquida, montante 4,2% superior ao obtido no mesmo período de 2007. Já ao longo do ano passado inteiro, a companhia obteve R$ 2,120 bilhões, uma elevação de 45% frente aos 12 meses anteriores."


"Já o Ebitda (geração operacional de caixa) da companhia reduziu-se em 20,3% no quarto trimestre do ano passado, para R$ 29,4 milhões. Por outro lado, caso seja levado em consideração todo o ano de 2008, houve crescimento de 27,2%, atingindo R$ 153,4 milhões."

2803 - WK2007 - 23/Mar/2009 22:22
"Amigos, quarta-feira (25) está prevista a divulgação dos resultados do Minerva."
"Pelo que se tem visto até aqui (Fertilizantes Hering, Gol, por exemplo), apesar da previsão de (forte) prejuízo ser amplamente esperada, a partir dos dados do balanço do 3T08, em face da desvalorização do Real, o mercado, de uma maneira geral, surpreende-se com o anúncio dos resultados e o preço das ações caem bruscamente."


"Vale a pena vender beef3 na véspera ou, em relação ao Minerva, há alguma peculiaridade que pode alterar o comportamento do mercado que se verificou com outras ações?"

2606 - small caps - 19/Mar/2009 00:42
citação: renato_paneae small...
vc ja saiu fora da beef3 pra esperar o balanco??
"O balanço, como já antecipei diversas vezes nos comentários da carteira small caps, virá péssimo, em razão do câmbio."


Mas já tem preço de mico e ficará como também na condição de turnaround. Tem uma situação mais tranquila de prazo da dívida em relação a FHER3.

2458 - small caps - 14/Mar/2009 01:00
"""Alerto que o resultado das companhias Mangels, Heringer, Minerva e Metal Leve devem vir afetados negativamente por efeitos cambiais, podendo abrir boas oportunidades de compra com preços ainda mais depreciados. São ativos que devem ser avaliados conforme empresas em situação especial atualmente, e o posicionamento, dado os riscos envolvidos, deve ser em menor quantidade de capital. A relação entre o valor de mercados destas empresas e o faturamento líquido anual (PSR) é, na seqüência, 0,13, 0,06, 0,06 e 0,26. Ou seja, no máximo têm valor de mercado equivalente a um trimestre de faturamento. Estão no mesmo pacote que FTRX4, ESTR4 e WISA4, companhias que possuem patrimônio pesadamente negativo, muito diferente da situação daquelas, que, apesar do prejuízo cambial evidenciado até o terceiro trimestre, mantinham liquidez corrente superior a 1."""
http://smallcaps.blogs.advfn.com/2009/01/06/perspectivas-para-as-small-caps-em- 2009-newsletter-da-advfn/


"""Por fim, é interessante monitorar as empresas que tiveram pesados prejuízos contábeis no terceiro trimestre de 2008, o que certamente foi intensificado no último. Algumas destas companhias, apesar do impacto de curto prazo, poderão ser beneficiadas no médio e longo prazo, notadamente aquelas que exportam parte relevante da produção. Deve-se observar, quando ocorrer a estabilização do câmbio entre um trimestre e outro, como as margens se comportaram e como estariam os resultados expurgando os efeitos contábeis da dívida cambial em que não houve efetivo desembolso de caixa. Tais empresas representam maiores riscos e por isso o potencial de valorização em caso de êxito é bastante superior ao de companhias mais seguras, cujos preços caíram menos desde o início da crise. Há diversas empresas do setor de alimentos e de veículos nesta situação."""

2367 - bogaci - 12/Mar/2009 00:16
"Small, fiz uma avaliação simplificada da BEEF3, mas não sei se posso afirmá-la com certeza, no balanço 3T2008, ela tinha 565 milhões em caixa, na nota divulgada sobre ""posição confortável"" ela tinha 450 milhões, de maneira simplificada, posso dizer que existe uma grande possibilidade de prejuízo próximo de uns 115 milhões, já que houve um uma redução de caixa ? Como considera o caso de empresas que dão ótimos EBITDAs, mas na hora do lucro líquido ele sai negativo? Existe uma justificativa ""saudável"" para isso ?"

2338 - WK2007 - 11/Mar/2009 10:57
"Vc tem idéia de como virá o resultado de BEEF3 no 4T08? O dia 20MAR está batendo na porta ... Vc acredita que exista uma única chance do resultado do 4T08 ser lucro? Pois eu lhe garanto que será prejuízo e, não fosse a nova Lei de contabilidade (que pode amenizar), este prejuízo certamente seria maior do que o do 3T08. Por que? Porque a desvalorização cambial foi maior no 4T08 do que no 3T08 e porque o nível de negócios certamente foi menor. O EBITDA caiu 13% do 2o. para o 3o. trimeste. Vc ficaria surpreso se cair mais?"
Portanto:
"a) ninguém está condenando empresa alguma por um resultado negativo num único semestre! Serão no mínimo 2, e sem perspectivas palpáveis de que pare por aí! Tem sido extensivamente noticiado que, se há um setor ""a perigo"", é este (eu acho que o do álcool/açucar está pior, mas não vem ao caso); vc ve alguma coisa de ""animador"" neste ativo, para O INVESTIDOR?"
"b) o valor de mercado da empresa é ridículo? Claro! Dá menos do que um EBITDA anual. Mas e daí? O EBITDA também não é, RELATIVAMENTE, nenhuma Brastemp, pois está apresentando tendência de queda (em sintonia com o que tem sido noticiado)."
"c) é bastante provável que o patrimônio líquido vá sofrer mais uma redução de uns R$ 50-70 milhões e a dívida líquida vá aumentar do mesmo tanto. Com a situação de crédito escasso e caro que sabemos existir, vc diria que a situação da empresa é confortável?"
"Ainda assim, nada pode ser dito sobre o destino da Minerva. Faltam dados para a análise. A dívida atual parece mais ou menos equacionada, pois a dívida de curto prazo é pequena (só 17%). Mas com a deterioração da situação, a empresa certamente terá que renegociar com os bancos. Qual é o poder de negociação da empresa com os mesmos? Quais garantias ela é capaz de oferecer? Vc sabe? Eu não sei! Quanta bala o grupo controlador tem na agulha, se for necessário, para efetuar um aporte de capital? Vc sabe? Eu não sei."
"Se eu lhe perguntasse: vc acha provável, ou não, que a empresa seja obrigada a fazer um aumento de capital via subscrição (como, por exemplo, a ACGU)? Se vc investiu em BEEF3, vc toparia subscrever?"
"Acho que está na cara que o ""virar pó"" é força de expressão. Comparado com JBSS3, MRFG3 e até SDIA4, BEEF3 é SEM DÚVIDA o ativo que apresenta maior risco. E se é o ativo que apresenta maior risco, é mais do que natural que o premio, quando o ativo se recuperar, seja maior do que aquele que pode ser obtido em seus pares."
A questão é: que prazo será necessário para o ativo se recuperar?
"Minerva é mais um frigorífico a destacar ""posição confortável"" em meio à crise"
Por: Gabriel Ignatti Casonato
10/03/09 - 21h10
InfoMoney
"SÃO PAULO - Depois da JBS Friboi reafirmar sua solidez financeira ao propor um inesperado aumento dos dividendos, sua concorrente Minerva (BEEF3) informou nesta terça-feira (10) que ""sua estrutura de capital forte e estratégias de gestão e de mercado estão garantido uma confortável posição para a companhia""."
"Mesmo diante da recente instabilidade enfrentada pelo setor, a empresa afirma que o montante de caixa atual supera todos os vencimentos de curto prazo, minimizando os riscos de refinanciamento. ""A companhia tem como um dos pilares a sólida política financeira, com a manutenção do elevado saldo de caixa e a concentração de no mínimo 80% da dívida no longo prazo"", acrescenta a nota."
"Além dos aspectos financeiros, a Minerva destaca que sua estratégia de atuação e de conquista de mercados tem garantido a segurança da empresa. Desta forma, afirma que, devido à diversificação de países de atuação, não tem sofrido com problemas de não pagamento de seus clientes no exterior."
"Destacando outros fatores como a flexibilidade operacional e a política conservadora de expansões e aquisições, a companhia lembra que não observou diminuição de margens neste início de 2009 e que prevê um aumento de produção em março de aproximadamente 20% com relação a fevereiro. Por último, ressalta que os volumes de exportação já começaram a reagir."

2336 - small caps - 11/Mar/2009 10:44
"ffranklis e paulorizzi, é exatamente esta a percepção que quase todos os eventuais turnarounds trazem. Risco! Não fosse o risco jamais estariam no preço que se encontram. Eu tirei da carteira small caps as companhias que tinham liquidez corrente que teriam maior dificuldade de suportar o aumento cambial no curto prazo."
"Agora, de um ano para frente, ainda acredito que o Dólar empreenderá movimento de queda, pois a emissão desenfreada de moeda pelo EUA provavelmente levará a um aumento de inflação no futuro por lá."
"Minerva, tem dívida efetivamente alta, porém muito bem escalonada e no futuro a apreciação do Real pode acabar por ajudar no seu abatimento."
O fundamental é observar se a geração de caixa será suficiente para quitar as despesas financeiras. Os próximos dois trimestre trarão está resposta e será o momento de aumentar posição ou eliminá-la.


"Assim, turnarounds, pelas características, sempre devem ser posições mais cautelosas e acompanhas mais de perto, mas o retorno, em caso de acerto, sempre será superior ao obtido com uma seleção mais defensiva."

2323 - paulorizzi - 11/Mar/2009 01:04
 citação denúncia/ofensivo
"Obviamente o resultado do 4 Trimestre não será de lucro... provavelmente um prejuízo próximo ou pouco superior ao do 3 T... Agora afirmar que acha que o prejuízo não vai parar por aí não tem justificativa alguma... Ora, é óbvio também que o prejuízo do Minerva vem exclusivamente da variação cambial.. pois bem, hoje o dólar está no mesmo valor de fechamento de 31/12... ou seja, se seguir nessa faixa, o resultado do 1 T de 2009 já será de lucro..."
A dívida com relação ao patrimônio deve até aumentar tendo em vista os novos empréstimos do BNDES e Banco da Amazônia... mas isso só com efeito também no primeiro trimestre de 2009... empréstimos esses que já possibilitam a rolagem da dívida mais ainda para o Longo Prazo...
"Outro ponto é que a recuperação da bolsa passada ou amenizada a crise vai ocorrer ao mesmo tempo com a valorização do real... nesse ponto, tudo que a empresa teve de prejuízo pode virar lucro financeiro até 2017..."
"E pior ainda é dizer que o setor pecuário está ""a perigo""... as previsões são de que o setor dobre de volume em 10 anos... ele estava a perigo até agora com abate de matrizes, mas a tendência é melhorar a partir de 2010..."
"E por fim... subscrição de ações?????? Acho muito difícil... vamos esperar o resultado a ser divulgado em 20/03, mas essas compras das últimas semanas pelo Credit Suisse possivelmente estão no programa de recompra de ações da empresa que vence em 13/03... quem está em situação perigosa, visando subscrição de novas ações, não iria recomprar uma boa parcela (até 10%) das ações em mercado..."


Só a título de curiosidade... os chineses estão passando a consumir mais carne.. a demanda lá cresce menos que a oferta interna... e o consumo por pessoa gira em torno de 4 a 5 kg/ano... dá para ter uma idéia do que pode acontecer...

2323 - paulorizzi - 11/Mar/2009 01:04 
"Vc tem idéia de como virá o resultado de BEEF3 no 4T08? O dia 20MAR está batendo na porta ... Vc acredita que exista uma única chance do resultado do 4T08 ser lucro? Pois eu lhe garanto que será prejuízo e, não fosse a nova Lei de contabilidade (que pode amenizar), este prejuízo certamente seria maior do que o do 3T08. Por que? Porque a desvalorização cambial foi maior no 4T08 do que no 3T08 e porque o nível de negócios certamente foi menor. O EBITDA caiu 13% do 2o. para o 3o. trimeste. Vc ficaria surpreso se cair mais?"
Portanto:
"a) ninguém está condenando empresa alguma por um resultado negativo num único semestre! Serão no mínimo 2, e sem perspectivas palpáveis de que pare por aí! Tem sido extensivamente noticiado que, se há um setor ""a perigo"", é este (eu acho que o do álcool/açucar está pior, mas não vem ao caso); vc ve alguma coisa de ""animador"" neste ativo, para O INVESTIDOR?"
"b) o valor de mercado da empresa é ridículo? Claro! Dá menos do que um EBITDA anual. Mas e daí? O EBITDA também não é, RELATIVAMENTE, nenhuma Brastemp, pois está apresentando tendência de queda (em sintonia com o que tem sido noticiado)."
"c) é bastante provável que o patrimônio líquido vá sofrer mais uma redução de uns R$ 50-70 milhões e a dívida líquida vá aumentar do mesmo tanto. Com a situação de crédito escasso e caro que sabemos existir, vc diria que a situação da empresa é confortável?"
"Ainda assim, nada pode ser dito sobre o destino da Minerva. Faltam dados para a análise. A dívida atual parece mais ou menos equacionada, pois a dívida de curto prazo é pequena (só 17%). Mas com a deterioração da situação, a empresa certamente terá que renegociar com os bancos. Qual é o poder de negociação da empresa com os mesmos? Quais garantias ela é capaz de oferecer? Vc sabe? Eu não sei! Quanta bala o grupo controlador tem na agulha, se for necessário, para efetuar um aporte de capital? Vc sabe? Eu não sei."
"Se eu lhe perguntasse: vc acha provável, ou não, que a empresa seja obrigada a fazer um aumento de capital via subscrição (como, por exemplo, a ACGU)? Se vc investiu em BEEF3, vc toparia subscrever?"


"Acho que está na cara que o ""virar pó"" é força de expressão. Comparado com JBSS3, MRFG3 e até SDIA4, BEEF3 é SEM DÚVIDA o ativo que apresenta maior risco. E se é o ativo que apresenta maior risco, é mais do que natural que o premio, quando o ativo se recuperar, seja maior do que aquele que pode ser obtido em seus pares."

2319 - Capa_Preta - 10/Mar/2009 23:39
"citação: ffranklinsanalisar o prejuízo de 1 Trimestre e condenar a empresa não é para investidor é para especulador... nesses termos é melhor nem analisar fundamentos, melhor partir para análise gráfica."
"Frank, acho que o ponto do Paulo Rizzi 'e esse aqui:"
"c) A dívida bruta da minerva é 2,2 vezes o patrimônio líquido (a dívida líquida é 6% maior do que o patrimônio líquido)"
A empresa deve mais hoje mais que o dobro do seu patrimonio liquido. Num cenario de baixa liquidez nao me parece ser a melhor das condicoes...
"Achei interessante como eles se vangloriam do bom controle financeiro, da agilidade operacional bla bla bla.... nao parece ser o que os numeros dos balancos demonstram."
"Sigo comprado. Esta dentro da minha margem de risco. Agora se me perguntar se eu estou confortavel... bem, sao outros 500."



2317 - ffranklins - 10/Mar/2009 23:08
"Acho um tanto quanto absurda no momento a hipótese de BEEF3 virar pó... não vejo nenhum sinal de que isso possa acontecer... Sinceramente, os resultados têm sido prejudicados pela variação cambial, mas só... o EBITDA está muito bom e portanto a parte operacional segue sólida... analisar o prejuízo de 1 Trimestre e condenar a empresa não é para investidor é para especulador... nesses termos é melhor nem analisar fundamentos, melhor partir para análise gráfica."

2305 - paulorizzi - 10/Mar/2009 19:52
citação: WK2007citação: Zeba1949Gostaria de entender : Por que a JBSS3 está subindo mais de 10% só hoje e a BEEF3 despenca sem parar ?
"A Marfrig também subiu forte hoje (8,87%). Como eu postei acima, o setor de frigoríficos (carnes bovinas, em particular) enfrenta uma situação dificílima. Nesse contexto, será que alguém tem informações privilegiadas acerca da situação (eventualmente precária) do Minerva?"
a) JBSS e Marfrig já apresentaram os balanços 2008; a Minerva ainda não! Acha pouco?
"b) JBSS e Marfrig apresentaram resultados pífios, é verdade, mas ainda positivos. O da Minerva já é negativo (e não pouco) sem contar o grande prejuízo que vem ainda no 4T08. Quer mais?"
"c) A dívida bruta da minerva é 2,2 vezes o patrimônio líquido (a dívida líquida é 6% maior do que o patrimônio líquido); os números da JBSS (82% e 43%) e Marfrig (148% e 96%) são bem mais palatáveis, especialmente considerando que, quase certamente, os números do 4T08 da Minerva virão muito piores."


"Nada indica que a situação de JBSS e Marfrig seja crítica. Por outro lado ... pode ser uma loteria! Se o investimento em BEEF3 não virar pó, certamente vai dar muitas alegrias!"

2288 - WK2007 - 10/Mar/2009 13:56
"citação: ffranklinscitação: WK2007Atenção para Minerva, a quebradeira no setor de
"Concordo com sua opinião sobre a dívida de longo prazo e os benefícios decorrentes da concentração do setor (para os ""sobreviventes""). Ocorre que o problema não é localizado apenas na elevação do valor da dívida (efeito não caixa, como se diz), mas também na queda abrupta das exportações (volumes) e dos preços, isso sim com revelantes efeitos no lado operacional da companhia, devendo-se ter em conta que o mercado externo é muito importante para o Minerva."


"Enfim, a idéia não é sugerir que os colegas comprem ou vendam beef3, e sim que, caso desejem comprar, a tenham como uma companhia em situação especial, aguardando um eventual turn around."

2285 - ffranklins - 10/Mar/2009 12:24
"citação: WK2007Atenção para Minerva, a quebradeira no setor de frigoríficos está grande ..."
"Não acredito que os frigoríficos listados na bolsa estejam na mesma situação dos demais... metade da dívida do Minerva vence em 2017, portanto, por enquanto, o prejuízo não traz efeitos muito negativos para a empresa..."
"Acho sim é que eles estão concluindo o processo de recompra das ações que vence em 13/03... e quem tem comprado mais ações do Minerva é justamente a Credit Suisse, corretora utilizada na recompra..."
"Ainda mais, entrando no site do Minerva vc pode notar inclusive que eles têm vagas abertas para recrutamento..."


"Caso não piore a situação da dívida da empresa, a quebra dos frigoríficos menores é até positiva para quem permanecer no mercado, pois aumenta sua fatia sem a necessidade de novas aquisições."

2108 - paulorizzi - 04/Mar/2009 22:17
Acho que todas as três deverão apresentar resultados sofríveis no 4T08. O pior resultado deverá ser a da FHER3.
"Acho que a única que tem chance de ter um resultado positivo no 1T09 é, mais uma vez, a FHER3. Isto se ela conseguir ""queimar"" todo o seu estoque de insumos antigos, importados a preços bem maiores do que os vigentes. Parece engraçado, mas quanto pior for o resultado do 4T08 da FHER3, mais chance tem de apresentar um 1T09 positivo."
"De uma maneira geral, o meu ""feeling"" é que a MGEL4 está numa situação de mercado melhor do que a BEEF3. Para se dar bem no 2T09, entretanto, será necessário que o governo extenda o prazo da redução do IPI dos veículos (impacto no negócio de Rodas da empresa) e será necessário que a empresa"
"consiga, em seu negócio de Aços, atrair clientes que antes importavam o produto."
"Para BEEF3, infelilzmente, não vejo perspectivas pelo menos até lá para julho/agosto."


"Finalmente, acho que o relatório horrível de FHER3 no 4T08 pode propiciar um ótimo ponto de entrada para se gozar a recuperação."


1350 - marsanto - 02/Fev/2009 22:10
"Bogaci, no press releases da MINERVA em 14/03/08 , consta que será"
"realizada a recompra de ações de ""ATÉ"" 10% das 24.000.000 que estão"
em circulação no mercado.
"Não entendi de onde veio estes 24 milhões,já que a composição do capital social pelo site da bovespa é igual ao da sua pesquisa , ou seja, 75 milhões."
"E quanto a esta palavrinha: ""ATÉ"" . Me dá a impressão que se pode comprar bem"
menos que os 10%...

1347 - bogaci - 02/Fev/2009 20:51
"Small, navegando pelo site do Minerva(BEEF3), ví que a composição acionária foi atualizada em 02/01/2009"
Acionistas Ações %
"VDQ Holdings S.A. (1) 51.000.000 68,00"
"Ações em Tesouraria 180.000 0,24"
"Outros ( free float ) 23.820.000 31,76"
"Total 75.000.000 100,00"
"Se a minerva abriu programa de recompra de 10% das ações em 18 de março de 2008 com prazo de aquisição de até 365 dias e possui apenas 0,24% de ações em tesouraria em 02/01/2009, significa que ela terá que comprar 10% dos papéis até 18 de março desse ano ??"
Isso vai dar uma movimentação intensa nesse papel nos próximos dias... Estou certo ?

1235 - small caps - 27/Jan/2009 11:50
"(1232) mteixeira1968, obrigado! Como sabemos, deve vir um prejuízo cambial forte na Minerva, mas sem desembolso direto de caixa. Quando da estabilização cambial, ela tem grande possibilidade de voltar a apresentar lucros e estará com preços de mico. Custa menos menos que o faturamento de um mês! Mas tem um risco superior e por isso a posição deve ser feita com cautela e ampliada conforme o desempenho empresarial venha a indicar isto."
"(1234) clayton lacerda, a JBS está interessante também, mas os preços da BEEF3 são, sob o critério PSR, 70% menores. Tenho uma pequena posição em JBS também. Quando a economia reagir, se estas empresas passarem ilesas pela crise, o upside vai ser fantástico."


Fazer um mix entre BEEF3 e JBS pode ser interessante para diversificar com o risco do fator câmbio na dívida.

1232 - mteixeira1968- 26/Jan/2009 16:57
RETIRADO DE OUTRO FÓRUM (BEEF3):
SITUAÇÃO CONFORTÁVEL
"O Minerva, terceiro exportador de carne bovina do Brasil, depois do Marfrig (segundo) e do JBS (primeiro), tinha uma dívida total no segundo trimestre de 700 milhões de reais, a maior parte (661 milhões de reais) em moeda estrangeira, mas afirmou estar em situação tranquila, considerando que a receita gerada com exportações no ano é superior a esse montante."
"""Temos hoje receita em dólares de 80 milhões por mês. Vai dar 900 milhões de dólares no ano"", disse o superintendente de Relações com Investidores do Minerva, Ronald Aitken, lembrando que 65 por cento dos ganhos da empresa são com exportações."
"Ele ressaltou que a empresa praticamente não será afetada pela alta do dólar, pois ""tem uma postura bastante conservadora"", buscando ""se endividar sempre na proporção de receita""."
"Aitken disse ainda que a dívida tem vencimento de longo prazo, em 2017, o que também conta a favor da empresa."
"A minerva (BEEF3) tem sido comentada em diversos posts deste fórum e acho que vale a pena pensar nela como uma boa opção no setor alimentício, fazendo parte, inclusive, da carteira small caps desde abril. Está muito próxima de sua menor cotação em 2 anos (1,61) e em janeiro já chegou a 2,35."
Espero ter contribuído.

1074 - paulorizzi - 21/Jan/2009 21:30
"BEEF3 também está barata, mas enfrenta o problema do câmbio acoplado ao decréscimo de demanda externo. Se a sua aposta é que a empresa tem condições de se manter em pé até que esta situação se reverta, não há dúvidas que ganhos vultuosos podem ser previstos."
"Entre BEEF3 e GPCP3, acho que os riscos com esta última são maiores."


"Mas não algo como ""maior o risco ... maior o prêmio!"" ? "

570 - small caps - 11/Dez/2008 00:17
"(562) jlc007, Entre BEEF3 e MRFG3, considerando os preços atuais, prefiro a primeira que negocia com preços muito mais deprimidos que a segunda. Enquanto BEEFE3 custa 6% do faturamento de um ano, MRFG3 tem valor de mercado equivalente a 42% do mesmo indicador. Todos os demais indicadores estão melhores para a BEEF3. A exceção é que o dólar, proporcionalmente ao tamanho da empresa provocou mais estragos na BEEF3 do que na MRFG3, o que pode se repetir no atual trimestre. Então, é ficar no aguardo, esperando baixar a poeira para verificar a compra da BEEF3. Se continuar caindo até o balanço anual de 2008, melhor ainda, pois ficará claro como se comportam as margens da empresa com o dólar nos atuais preços e com a crise de liquidez."


"Entre GRND e ALPA, prefiro a primeira. Ambas tem indicadores parecidos, mas a GRND3 no amplo valor que tem em caixa e no pagamento de dividendos."



510 - small caps - 04/Dez/2008 22:47
BEEF3 terá mais um trimestre de forte prejuízo motivado pelo câmbio. Isto, a médio e longo prazo, significará aumento de margens operacionais. Os impactos de curto prazo são doloridos, mas a melhora de médio e longo prazo pode trazer bons lucros a quem mantiver o sangue frio. Deve-se manter a devida diversificação, pois uma destas duas empresas dando certo, certamente compensará muitos outros eventuais equívocos de investimento. (sobre o assunto (diversificação adequada), interessante ler o capítulo do livro ""investindo em small caps"" referente ao ""pulo do gato"" da diversificação."

379 - small caps - 17/Nov/2008 01:09
"ffranklins, vi o resultado da Minerva. Como esperado a dívida cambial, que antes ajudava diminuindo as despesas financeiras, agora trouxe pesados prejuízos, o que deve se repetir no trimestre atual. Felizmente a maior taxa de câmbio acaba beneficiando a empresa no médio e longo prazo, apesar do impacto de curto prazo financeiro. O terceiro trimestre trouxe uma realidade previsivelmente péssima, o dólar em relação ao real ficou a maior parte do tempo muito desvalorizado e apenas no final arrancou. Isto fez com que não houvesse ganhos em margens decorrentes de um câmbio mais elevado. Ficou apenas a parte salgada, que é o impacto contábil financeiro."
"A parte boa do balanço foi a boa utilização da capacidade produtiva e as informações de que estão mais cautelosos, o que é fundamental no cenário atual."
"Os impactos financeiros em razão do dólar deverão continuar pressionando as cotações. De qualquer sorte, não tem problemas no curto prazo para pagar as dívidas vincendas, já tem PSR abaixo de 0,1 e P/EBIT de 12 meses próximo de 1 também. Ou seja, o preço atual mais do que contempla os prejuízos ocorridos e sinaliza: alto pessimismo do mercado, provável saída de estrangeiros a qualquer preço... Não custa lembrar que há seis meses encontrar uma empresa com o indicador P/EBIT abaixo de 4 era uma raridade... Hoje tem algumas com este indicador igual a 1 e ninguém mais quer..."
"Pra quem não viveu estes acontecimento entre 2000 e 2002, as siderúrgicas, naquela época, negociavam a P/EBIT 1 em razão das pesadas dívidas cambiais... Passada a tensão, com a estabilização do dólar, suas margens subiram e as cotações valorizaram-se entre 20 e 40 vezes o valor da época até maio deste ano..."


"É claro que não precisa tanto assim, mas uma boa diversificada entre alguns setores podem levá-lo a escolher ações que se comportem da mesma forma..."



210 - Amaril - 28/Out/2008 18:45
"BEEF3 JÁ DIVULGOU PRÉVIA DOS RESULTADOS QUE VIRÁ COM AUMENTO DE 50% NA RECEITA LÍQUIDA E CAIXA DOBRADO DE 500M. VALENDO CERCA DE 7% O FATURAMENTO ANUAL, PV/P = 0,26. PSR = 0,08 DE QUEBRA UNS DIVIDENDOZINHOS DE 6,5%."



106 - small caps - 06/Out/2008 23:25
"FHER3 e BEEF3 devem apresentar prejuízos contábeis vinculados ao câmbio. Estão num cenário complexo, mas com preços absurdamente deprimidos. O P/VPA e o faturamento em relação ao valor de mercado de ambas parecem de empresas em estado falimentar. Não parece ser o caso, havendo uma dose de exagero. Mas como estamos próximos do balanço, vale a pena esperar para ver o que de fato acontece com as empresas. Para quiser comprar com mais incerteza e tem uma carteira mais diversificada, o preço atual pode representar o seguinte: a) as empresas quebram e vc perde 100%; b) houve exagero, e você pode ganhar mais de 1.000%!! Por isso, o recomendável compras diversificadas, pois um acerto com o nível de preço atual trará ganhos extraordinários (compensando vários erros), enquanto os prejuízos são limitados ao capital empregado."

58 - small caps - 24/Set/2008 21:49
"BEEF3 é uma opção cada vez mais interessante. O seu grande problema é a dívida cambial, num momento em que o dólar disparou. Parece que não tem hedge. Ou seja, haverá um bom impacto no balanço do terceiro trimestre. O mercado enxerga o curto prazo, muito embora o aumento do dólar na realidade melhora as suas margens operacionais, em razão das receitas advindas das exportações. É isto que deve estar acontecendo. Não obstante, qualquer novo aumento de posição deve ser procedido apenas após a divulgação dos balanços, em que restará claro como a empresa se comporta neste cenário. Será necessário averiguar se, excluído o impacto cambial, a empresa apresentaria bom lucro. Isto acontecendo é uma excepcional oportunidade de compra. Para quem se recorda, cenário parecido ocorreu com as siderúrgicas entre 2000 e 2001. Muitas tinham dívidas em dólar que explodiram e junto as margens melhoraram. Hoje vemos estas empresas cotadas 20, 30 vezes mais do que à época."

Nenhum comentário: