Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 18 de março de 2020

BR Malls (BRML)


Setor
Subsetor
Segmento

Recomendações

Carteiras
BAC 1000 (nov/12) - M84 (out/12nov/12dez/12 e jan/13) - MuadibGV (jul/15ago/15set/15mar/18)
Códigos de Negociação
Tipo
BRML3
 Novo Mercado
Balanços
1T2018 -
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA = Neste trimestre, o EBITDA Ajustado alcançou R$233,4 milhões, um aumento de 4,8% ante o 1T17. A margem EBITDA Ajustado totalizou 78,0%, 10,6 p.p. acima da margem apresentada no 1T17. Se excluirmos os shoppings vendidos, o aumento foi de 13,2% no EBITDA Ajustado , e 15,6 p.p. na margem. A margem EBITDA Ajustado foi impactada positivamente principalmente pelas provisões a devedores duvidosos que alcançou R$6,6 milhões no trimestre, que representa uma redução de 82,0% quando comparado ao 1T17; LUCRO LÍQUIDO E FFO = O lucro líquido ajustado do 1T18 foi de R$150,4 milhões, o que representa um crescimento de 36,0% ante o lucro líquido ajustado do 1T17. Os principais impactos que contribuíram para o crescimento do lucro líquido ajustado foi o resultado financeiro caixa, que apresentou uma melhora de 32,2% comparado ao 1T17, e a PDD, conforme demonstrado anteriormente. Referente ao FFO ajustado (AFFO), este apresentou crescimento de 35,0% e alcançou o valor de R$154,6 milhões no 1T18, com uma margem de 51,7%, 17,0 p.p. acima da margem do 1T17.

A2017/4T2017 -
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Em 20 de dezembro de 2017, a BR Malls Participações S.A. vendeu a totalidade dos 50% de participação societária que detinha na empresa SPE Mônaco Participações S.A. por R$ 151.477, sendo o montante recebido no dia 06 de março de 2018. Em 15 de janeiro de 2018, a companhia liquidou sua divida em moeda estrangeira J.P Morgan 4131 no montante de R$ 159.815, protegida integralmente (cupom e principal) por meio de estrutura de derivativo liquidada por R$ 44.907.

2T2017 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 42 TRIMESTRES, 10 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (23,8095%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = -64.438; (U24M) = -20.883; (U36M) = 13.866; (U48M) = 59.675; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-271,26%) E RESULTADO LIQUIDO (-384,23%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO FINANCEIRO (280,70%) E RESULTADO LIQUIDO (-242,20%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 11.719.084; VALOR MAXIMO (MIL) = 12.756.257 NO 3T12; VE PSBE (MIL) = 11.441.246.
O EBITDA ajustado registrou R$ 210,8 milhões no 2T17, uma redução de 8,4% em relação ao mesmo período do ano anterior ou redução de 2,1% quando ajustado a base comparativa em razão do resultado de provisão/reversão de contingências e excluído o EFEITO NÃO RECORRENTE devido a antecipação de despesa de stock options (R$ 8,8 milhões) decorrente da aceleração do plano de opções em razão da saída do antigo CEO. Não haverá qualquer despesa futura a este ex executivo. A margem EBITDA ajustada do trimestre foi de 65,0% ou 68,0% quando excluído esses efeitos não recorrentes.
O FFO ajustado alcançou R$ 63,5 milhões, 7,4% abaixo dos R$ 68,6 milhões registrados no 2T16 com margem de 19,6%. Quando excluído os efeitos de ajuste da base comparativa em razão do resultado de provisão/reversão de contingências, EFEITOS NÃO RECORRENTES relacionados a recompra do bônus perpétuo (variação cambial e swap curva) e antecipação de despesas de stock options decorrente de aceleração do plano de opções em razão da saída do antigo CEO, alcança-se um FFO ajustado de R$ 109,6 milhões, aumento de 71,6% em relação ao 2T16, com margem de 33,8%.
Características
Empresa integrada de shopping centers do Brasil, com participação em 43 shoppings, que totalizam 1.355,4 mil m² de Área Bruta Locável (ABL) e 738,5 mil m² de ABL próprio. A BRMALLS é uma empresa nacional de shopping centers com presença em todas as cinco regiões do Brasil, atendendo aos consumidores de todas as diferentes classes sociais no país. 
Assuntos mais Comentados

Links

Balanços (Calendário)
12/03/2020
 DFP 2019

 ITR 1T 2020

 ITR 2T 2020

 ITR 3T 2020




18/03/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado

13/03/2020 - Venda de Participação em Shopping Center
comunica a venda de sua participação de 49,0% no Via Brasil Shopping,  localizado  na cidade e  estado do  Rio  de  Janeiro, pelo  valor  de R$38,4milhões. O valor representa um cap rate de 10,5%* no critério caixa e 11,0%* no critério competência.

12/04/2020 - DFP 31/12/2019

12/04/2020 - Press-release

14/02/2020 -
adquiriu fração adicional de 38,4% da ABL total do Shopping Piracicaba, localizado no município de Piracicaba, estado de São Paulo

03/02/2020 -
adquiriu fração adicional de 5,0% da ABL total do Shopping Villa-Lobos, localizado na cidade de São Paulo, capital do estado. Com a aquisição da fração adicional, a participação da brMalls no empreendimento passa a ser de 63,4%. A transação faz parte da estratégia de fortalecimento do nosso
portfólio, que tem como objetivo o aumento da exposição em ativos core (shoppings de maior porte, em cidades grandes e onde possamos ter gestão ativa).

27/01/2020 - Anuncia Investimento na Delivery Center
comunica que, em conjunto com a MULTIPLAN EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS S.A. ("Multiplan"), realizou um novo investimento na DELIVERY CENTER HOLDING S.A. ("Delivery Center"), empresa pioneira na integração do varejo online ao físico, responsável pela gestão de centrais logísticas instaladas em shopping centers e centros comerciais. O investimento das duas companhias em conjunto é de R$ 69 milhões, que serão aportados ao longo do ano de 2020.

365276  - keep_calm  -  14 Nov 2019, 16:08
BR Malls (BRML3): A BR Malls informou nesta quarta, 13, que teve alta de 51,4% no lucro ajustado do 3T19. O valor foi de R$ 186,8 milhões. A companhia apresentou crescimento de 11% no Ebitda ajustado, cujo valor total ficou em R$ 247,3 milhões. As vendas mesmas lojas nos empreendimentos da companhia subiram 2,2% no período ante crescimento de 2,5% um ano antes.O aluguel mesmas lojas cresceu 7,6%, acima da expansão de 3,3% do terceiro trimestre do ano passado.

350999  - marcosvinicius2 -  08 Jun 2018, 21:12
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA = Neste trimestre, o EBITDA Ajustado alcançou R$233,4 milhões, um aumento de 4,8% ante o 1T17. A margem EBITDA Ajustado totalizou 78,0%, 10,6 p.p. acima da margem apresentada no 1T17. Se excluirmos os shoppings vendidos, o aumento foi de 13,2% no EBITDA Ajustado , e 15,6 p.p. na margem. A margem EBITDA Ajustado foi impactada positivamente principalmente pelas provisões a devedores duvidosos que alcançou R$6,6 milhões no trimestre, que representa uma redução de 82,0% quando comparado ao 1T17; LUCRO LÍQUIDO E FFO = O lucro líquido ajustado do 1T18 foi de R$150,4 milhões, o que representa um crescimento de 36,0% ante o lucro líquido ajustado do 1T17. Os principais impactos que contribuíram para o crescimento do lucro líquido ajustado foi o resultado financeiro caixa, que apresentou uma melhora de 32,2% comparado ao 1T17, e a PDD, conforme demonstrado anteriormente. Referente ao FFO ajustado (AFFO), este apresentou crescimento de 35,0% e alcançou o valor de R$154,6 milhões no 1T18, com uma margem de 51,7%, 17,0 p.p. acima da margem do 1T17.:

BRML3
PREÇO: 10,02
PAYOUT (2017): -7,24%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -11,79
P/VPA 0,85
PSR 7,06
DY 0,61%
EV/EBITDA -12,48
MARGEM BRUTA 90,04%
MARGEM OPERACIONAL -96,94%
MARGEM LÍQUIDA -59,86%
LUCRO POR AÇÃO -0,850
MARGEM EBITDA -71,82%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 38,20%
ROE -7,23%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,08

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,51%
RESULTADO BRUTO -4,39%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -13,08%
RESULTADO OPERACIONAL 886,77%
RESULTADO LÍQUIDO -761,19%
EBITDA -478,75%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -8,67%
RESULTADO BRUTO -9,42%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -21,11%
RESULTADO OPERACIONAL 15,82%
RESULTADO LÍQUIDO 76,80%
EBITDA 4,65%

c) lucro (taxa média anual)
UA -761,19%
U2A ND
U3A -234,91%

d) patrimônio líquido médio
UA 11,55%
U2A 6,99%
U3A 5,05%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

348594  - marcosvinicius2 -  31 Mar 2018, 16:08
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Em 20 de dezembro de 2017, a BR Malls Participações S.A. vendeu a totalidade dos 50% de participação societária que detinha na empresa SPE Mônaco Participações S.A. por R$ 151.477, sendo o montante recebido no dia 06 de março de 2018. Em 15 de janeiro de 2018, a companhia liquidou sua divida em moeda estrangeira J.P Morgan 4131 no montante de R$ 159.815, protegida integralmente (cupom e principal) por meio de estrutura de derivativo liquidada por R$ 44.907.: 

BRML3
PREÇO: 11,65
PAYOUT (2017): -7,24%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -12,77
P/VPA 1,00
PSR 8,03
DY 0,57%
EV/EBITDA -14,22
MARGEM BRUTA 90,21%
MARGEM OPERACIONAL -96,75%
MARGEM LÍQUIDA -62,94%
LUCRO POR AÇÃO -0,913
MARGEM EBITDA -71,09%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 42,54%
ROE -7,84%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,74

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,64%
RESULTADO BRUTO -2,76%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 1,03%
RESULTADO OPERACIONAL 1709,75%
RESULTADO LÍQUIDO -564,98%
EBITDA -450,72%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,64%
RESULTADO BRUTO -2,76%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 1,03%
RESULTADO OPERACIONAL 1709,75%
RESULTADO LÍQUIDO -564,98%
EBITDA -450,72%

c) lucro (taxa média anual)
UA -564,98%
U2A ND
U3A -217,70%

d) patrimônio líquido médio
UA 10,15%
U2A 6,53%
U3A 4,53%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

341789  - marcosvinicius2 -  04 Set 2017, 16:10
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 42 TRIMESTRES, 10 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (23,8095%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = -64.438; (U24M) = -20.883; (U36M) = 13.866; (U48M) = 59.675; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-271,26%) E RESULTADO LIQUIDO (-384,23%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO FINANCEIRO (280,70%) E RESULTADO LIQUIDO (-242,20%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 11.719.084; VALOR MAXIMO (MIL) = 12.756.257 NO 3T12; VE PSBE (MIL) = 11.441.246:

BRML3
PREÇO: 13,46
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -45,47
P/VPA 1,00
PSR 9,12
DY 0,49%
EV/EBITDA -43,23
MARGEM BRUTA 90,61%
MARGEM OPERACIONAL -59,63%
MARGEM LÍQUIDA -20,06%
LUCRO POR AÇÃO -0,296
MARGEM EBITDA -25,76%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 43,94%
ROE -2,20%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,20

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,34%
RESULTADO BRUTO -5,01%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,12%
RESULTADO OPERACIONAL -271,26%
RESULTADO LÍQUIDO -384,23%
EBITDA -130,14%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 0,50%
RESULTADO BRUTO -0,68%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 280,70%
RESULTADO OPERACIONAL -218,32%
RESULTADO LÍQUIDO -242,20%
EBITDA -171,91%

c) lucro (taxa média anual)
UA -384,23%
U2A ND
U3A -168,89%

d) patrimônio líquido médio
UA 8,18%
U2A 4,71%
U3A 4,19%

O EBITDA ajustado registrou R$ 210,8 milhões no 2T17, uma redução de 8,4% em relação ao mesmo período do ano anterior ou redução de 2,1% quando ajustado a base comparativa em razão do resultado de provisão/reversão de contingências e excluído o EFEITO NÃO RECORRENTE devido a antecipação de despesa de stock options (R$ 8,8 milhões) decorrente da aceleração do plano de opções em razão da saída do antigo CEO. Não haverá qualquer despesa futura a este ex executivo. A margem EBITDA ajustada do trimestre foi de 65,0% ou 68,0% quando excluído esses efeitos não recorrentes.

O FFO ajustado alcançou R$ 63,5 milhões, 7,4% abaixo dos R$ 68,6 milhões registrados no 2T16 com margem de 19,6%. Quando excluído os efeitos de ajuste da base comparativa em razão do resultado de provisão/reversão de contingências, EFEITOS NÃO RECORRENTES relacionados a recompra do bônus perpétuo (variação cambial e swap curva) e antecipação de despesas de stock options decorrente de aceleração do plano de opções em razão da saída do antigo CEO, alcança-se um FFO ajustado de R$ 109,6 milhões, aumento de 71,6% em relação ao 2T16, com margem de 33,8%.

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

302270  - MuadibGV  -  30 Jul 2015, 16:05
Andei vendendo umas porcarias da carteira (THRA11B e XTED11) com prejuízo e comprei um pouco de BRML3.

A BrMalls está vergando com uma dívida líquida de 5,4bi de reais , incluindo nessa conta um "bonus perpétuo" em dólar de 1,3 bi de reais que paga 8,5% ao ano (!!!), ou seja, a empresa sifu.

Mas, variações cambiais à parte, parece que a empresa tem condições de pagar o serviço da dívida, investir em CAPEX (felizmente botaram o pé no freio nesse item antes) e distribuir uns 4,5% de dividendos sobre a cotação atual.

Como balanços não são corrigidos, o serviço da dívida que paga na verdade engloba uma parte de juros e outra de amortização (via inflação). A longo prazo vai bombar quando as taxas de juros caírem.

O risco é o negócio de shoppings ir pro vinagre aqui no Brasil antes disso, como ocorreu nos EUA.

Mas investi pouco, apenas um terço do que tenho em alguns fiis que discutimos aqui. Pra colocar mais teria que ter uma queda maior na cotação.

296508 - renato1631  -  06 Mai 2015, 01:33
BR Malls tem prejuízo líquido de R$132,7 mi no 1º trimestre

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A administradora de shoppings centers BR Malls teve prejuízo líquido de 132,7 milhões de reais no primeiro trimestre, ante lucro de 53,8 milhões de reais um ano antes.

Entre janeiro e março, a despesa financeira líquida da BR Malls cresceu 147,7 por cento, para 293,4 milhões de reais.

O lucro líquido ajustado, desconsiderando a variação cambial, foi de 112 milhões de reais, alta de 45 por cento ante o mesmo período de 2014.

A média das estimativas de analistas apontava para lucro de 75,5 milhões de reais.

A receita líquida da BR Malls subiu 5,4 por cento, a 339,9 milhões de reais. No período, as despesas com vendas cresceram 20 por cento, a 14,1 milhões de reais.

A BR Malls informou no fim de abril que suas vendas no primeiro trimestre ficaram praticamente estáveis na comparação anual, ao mesmo tempo em que viu a inadimplência avançar no período.

As vendas totais cresceram 0,4 por cento, a 5,1 bilhões de reais, enquanto as vendas mesmas lojas (abertas há mais de 12 meses) cresceram 5,9 por cento, ante um avanço de 7,6 por cento um ano antes.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes dos juros, impostos, depreciação e amortização) no primeiro trimestre foi de 260,9 milhões de reais, alta anual de 3,5 por cento.

(Por Juliana Schincariol)

171014 - israel007 -  07 Mar 2013, 15:01
BRML3
Empresa: BR MALLS PARTICIPACOES S.A. Ação: BR MALLS PAR ON Setor: Financeiro e Outros Subsetor: Exploração de Imóveis
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia divulgou lucro líquido de R$ 1,1 B no quarto trimestre de 2012, uma variação de 958,7% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e crescimento de 269,5% em relação ao quarto trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 25,4 M neste trimestre, 16,8% superior que o 3T12, que foi de R$ 21,7 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 14,4 M.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 95,7% contra 98,5% no 3° trimestre de 2012 e 89,4% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 4.202,8% no 4° trimestre de 2012 contra 463,7% no 3° trimestre de 2012.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 10,7 B, aumento de 26,1% em relação ao saldo no 4T11. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 8,2 B no 4T12, valor 23,6% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

164461 - pppadv -  24 Jan 2013, 13:26
BRMALLS Divulga Prévia do Desempenho de Vendas dos Lojistas e Aluguéis no 4T12
Comunicado ao Mercado
Rio de Janeiro, 24 de janeiro de 2013 –

BR MALLS Participações S.A.(Bovespa:BRML3), a maior empresa de shopping centers do Brasil, antecipa algumas informações sobre os resultados operacionais de vendas dos lojistas, aluguéis, taxa de ocupação e pagamentos em atraso relativos ao 4T12.

OS SHOPPINGS DA BRMALLS APRESENTAM UM CRESCIMENTO DE 19,5% EM VENDAS TOTAIS NO 4T12

O volume consolidado de vendas dos lojistas dos shoppings da BRMALLS alcançou R$6,3 bilhões no último trimestre de 2012, aumentando em 19,5% em relação ao mesmo período de 2011. No ano as vendas somaram R$19,6 bilhões, um aumento de 21,6% em relação ao ano anterior.

AS VENDAS MESMAS LOJAS CRESCERAM PARA 7,6% NO 4T12

No 4T12 o crescimento das vendas mesmas lojas (SSS) foi de 7,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Em 2012, as vendas apresentaram um crescimento de 7,4%.

O crescimento das vendas mesmas lojas no trimestre foi beneficiado pelo segmento de satélite que cresceu 8,3% e lazer que apresentou um aumento de 17,4%.

O SSR ATINGIU 10,2% NO ÚLTIMO TRIMESTRE DO ANO
No 4T12 observamos um crescimento de aluguéis das mesmas lojas (SSR), de 10,2% e 9,6% no ano, mesmo com uma alta base de comparação em 2011 (15,2% no 4T11).

APRESENTAMOS A MAIOR TAXA DE OCUPAÇÃO DOS ÚLTIMOS 2 ANOS

Continuamos apresentando um alto nível de taxa de ocupação em nossos shoppings, totalizando uma taxa de ocupação média de 98,3% do ABL total no trimestre. No final de 2012, dos 51 shoppings que detínhamos participação, 27 apresentaram mais de 99,0% de seu ABL ocupado

REGISTRAMOS A MENOR TAXA DE PAGAMENTOS EM ATRASO DESDE 2010

No 4T12 o nível de pagamentos em atraso (30 dias) registrou uma queda de 0,5 p.p. em relação ao 3T12, totalizando 3,2% no trimestre. A inadimplência líquida atingiu 0,9%, valor em linha com o 3T12 e o menor valor apresentado no ano.

Clique aqui para acessar o comunicado
http://www.mailingplus.com.br/deliverer_homolog/arq/cli/arq_1373_116722.pdf


162095 - M84 -  02 Jan 2013, 18:11
Geralmente, os contrato de aluguéis são reajustados utilizando este índice, então muito provavelmente este aumento deverá refletir nos lucros da empresa.... Entretanto, há também outros fatores como taxa de ocupação, inadimplência, valorização dos imóveis (uma vez que a BRMalls contabiliza a valorização como lucro) e etc...

AVISA
V: BRML3 - 27,60 (parte da posição)

162093 - edbmsev -  02 Jan 2013, 18:00
Citação: robsondrocha
Vocês que são mais experientes, o aumento do IGPM pode refletir em bons lucros para BRML3?
Em geral, os aluguéis das lojas de shopping centers são reajustados pelo IGP-M e, neste sentido, deve haver impacto positivo.

Todavia, deve-se atentar para os efeitos adversos que o aumento da inflação pode ocasionar na renda real dos consumidores, o que tenderia a prejudicar a demanda pelos produtos do varejo no médio prazo. Inflação muito elevada não é bom para quase ninguém (talvez só para GETI3, ehehehe ...).

Não sei qual a indexação dos passivos da BRML3. É bom dar uma olhada também.

161004 - pppadv -  19 Dez 2012, 13:49
Resumo das aquisições
Amazonas Shopping 5,5 mil m² de ABL por R$47,0 milhões = R$ 8.545,45 / m² TIR real e desalavancada de 18,0%.
Maceió Shopping 6,9 mil m² de ABL por R$46,0 milhões = R$ 6.666.,67 / m² TIR real e desalavancada de 13,9%

BRMALLS Aumenta Participação nos Shoppings Amazonas e Maceió
Comunicado ao Mercado

Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2012 – BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A., companhia aberta com endereço na Avenida Borges de Medeiros n° 633, 1º andar, na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, inscrita no CNPJ sob o n° 06.977.745/0001-91 ("BRMALLS"), vem comunicar que adquiriu fração adicional de 16,2% do ABL total do Amazonas Shopping, localizado no estado de Amazonas e 20,0% do Maceió Shopping, localizado no estado de Alagoas.

Amazonas Shopping
O Amazonas Shopping está localizado na Av. Djalma Batista, uma das principais avenidas da capital amazonense, possuindo mais de 8km desde o Centro Histórico de Manaus, passando por três bairros.

O shopping tem cerca de 200 operações, entre lojas âncoras e satélites, quiosques, salas de cinema, parque de diversão, bancos e duas praças de alimentação. O Amazonas Shopping atrai, diariamente, cerca de 40 mil pessoas e conta com um estacionamento com mais de 1.700 vagas. A BRMALLS aumenta participação em um dos seus 3 shoppings da região Norte.

Os principais indicadores do shopping no 3º trimestre de 2012 foram as vendas/m², que alcançaram R$1.532,6/m² e o leasing spread de renovações, atingindo 30,4%.

Estimamos que com a aquisição acima mencionada, os 5,5 mil m² de ABL próprio adicionados gerem R$7,0 milhões de NOI nos próximos 12 meses, representando um cap rate nominal de entrada 14,8% e um cap rate estabilizado de 17,3%. Já a TIR, real e desalavancada, foi de 18,0%. O valor da transação foi de R$47,0 milhões.

Com a aquisição da fração adicional do Amazonas Shopping acima mencionada, a participação da BRMALLS no empreendimento passou a ser 34,1%.

Maceió Shopping
O Maceió Shopping está localizado na Av.Gustavo Paiva. O shopping tem mais de 150 lojas oferecendo produtos e serviços diferenciados e recebem mensalmente um público de mais de um milhão de pessoas.

O Maceió Shopping oferece opções de lazer e entretenimento para todas as idades, além de diversos restaurantes regionais e internacionais. A BRMALLS aumenta participação em um dos seus 6 shoppings da região Nordeste.

Os principais indicadores do shopping no trimestre foram as vendas/m², que alcançaram R$1.064,5/m² e a taxa de ocupação, que atingiu 99,8%.

Estimamos que com a aquisição acima mencionada, os 6,9 mil m² de ABL próprio adicionados gerem R$5,1 milhões de NOI 12 meses, representando um cap rate nominal de entrada 11,1% e um cap rate estabilizado de 13,3%. Já a TIR, real e desalavancada, foi de 13,9%. O valor da transação foi de R$46,0 milhões.

Com a aquisição da fração adicional do Maceió Shopping acima mencionada, a participação da BRMALLS no empreendimento passou a ser 54,2%.

Com as referidas aquisições o ABL próprio da BRMALLS passou de 922,4 mil m² para 934,9 mil m².

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A.
Diretor de Relação com Investidores
Leandro Rocha Franco Lopes

Clique aqui para acessar o comunicado.
http://www.mailingplus.com.br/deliverer_homolog/arq/cli/arq_1373_114890.pdf

157824 - pppadv -  22 Nov 2012, 00:13
sobre BRML3:

Visando consumo, BR Malls planeja mais aquisições
Jornal do Commercio, Anna Beatriz Thieme, 14/Nov
http://www.ademi.org.br/article.php3?id_article=51037

Companhia deverá encerrar este ano com R$ 630 milhões em investimentos na compra de fatias em empreendimentos, valor acima da previsão feita anteriormente, diz empresa

Apoiada na projeção de retomada do consumo no País neste fim de ano, o que poderá dar novo fôlego ao setor de shopping centers, a BR Malls afirmou que seguirá com sua estratégia de aquisições também em 2013. De acordo com o presidente da administradora de shoppings, Carlos Medeiros, a companhia deverá encerrar este ano com R$ 630 milhões em investimentos na compra de fatias em empreendimentos, valor que, segundo ele, está acima da previsão feita inicialmente pela empresa. De janeiro a setembro, a BR Malls já investiu R$ 542,1 milhões em participações.

"Não temos um guidance para o próximo ano, mas continuaremos olhando aquisições e sendo bastante ativos dentro do mercado", afirmou, ontem, durante teleconferência com analistas. No terceiro trimestre, por exemplo, a empresa adquiriu 45% do shopping Plaza Macaé, localizado no Norte Fluminense, por R$ 47 milhões. Na última semana, foi a vez a de a companhia anunciar a compra de 100% de participação no shopping Capim Dourado, em Palmas (TO), por R$ 177,1 milhões.

Em contrapartida, o executivo informou que a BR Malls venderá fatias em empreendimentos nos quais acredita que não conseguirá assumir o controle. Atualmente, a empresa detém participação de 100% em dez shoppings dos 50 empreendimentos que compõem seu portfólio.

"É possível que façamos mais desinvestimentos ou reciclagens de portfólio ao longo dos próximos meses. É algo pelo qual o mercado pode esperar", disse o executivo, ao explicar que tais medidas seriam tomadas no sentido de reduzir o endividamento da companhia. Como exemplo, ele citou a venda das participações de 3,4% do Esplanada Shopping, localizado em Sorocaba (SP), para a Iguatemi, e de 40% do Shopping Jardim Sul, em São Paulo (SP), para o Fundo Imobiliário Shopping Jardim Sul.

Medeiros não fez projeções para o próximo ano, mas afirmou que os resultados reportados pelas varejistas no mês de outubro sugerem que o quarto trimestre de 2012 será positivo para o setor de shopping centers. Segundo o executivo, as vendas no conceito mesmas lojas deverão retomar trajetória de alta neste fim de ano, após um terceiro trimestre que, segundo ele, foi o período mais fraco de 2012.

"Acreditamos em uma performance melhor para quarto trimestre do que teve o anterior", comentou o presidente. "As vendas de fim de ano impulsionarão os resultados das empresas envolvidas com shopping centers", acrescentou.

Salto no lucro

A adição de mais empreendimentos em seu portfólio foi, justamente, um dos principais impulsos para o salto de 979,4% no lucro líquido da companhia no terceiro trimestre, que totalizou R$ 100,7 milhões. Já no acumulado dos nove primeiros meses do ano, o ganho alcançou R$ 675,9 milhões, alta anual de 271,5%.

De julho a setembro, o Eb- tida (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da companhia também seguiu trajetória ascendente, ao somar R$ 221,9 milhões, expansão de 27,3%, coma margemipraticamente estável em 80,1%. De janeiro a setembro, o incremento foi de 191,3%, ano a ano, ao somar R$ 1,38 bilhão.

A receita líquida, por sua vez, cresceu 26,9% no terceiro trimestre, para R$ 278,4 mi¬lhões. Considerando os nove primeiros meses do ano, o crescimento da receita líquida foi de 31,8%, totalizando R$ 787,8 milhões.

Ao fim de setembro, a taxa de ocupação dos shopping centers sob administração da empresa atingiu seu maior índice dos últimos seus trimestres, alcançando 97,9%, segundo relatório divulgado pela BR Malls. Com isso, a companhia encerrou o nono mês do ano com Área Bruta Locável (ABL) de 1,513 milhão de metros quadrados, sendo 843,5 mil próprios.

Foi destacado pela empresa o recuo de 3,7% nos pagamentos em atraso na comparação com o terceiro trimestre do ano passado, o que levou a uma inadimplência líquida de 0,9% no período.

De julho a setembro, a BR Malls afirma ter investido R$ 161,8 milhões, dos quais a maior parte, de R$ 85,2 milhões, foi direcionada aos projetos greenfield da empresa, como o Londrina Norte Shopping (PR), inaugurado no início deste mês, e o São Bernardo Plaza, aberto ontem ao público, além dos outros quatro empreendimentos em andamento. Outros R$ 70,8 milhões foram encaminhados, segundo a companhia, para obras de expansões, como a do Shopping Uberlândia (MG), inaugurada em outubro.

157101 - BAC 1000 -  14 Nov 2012, 22:25
A pouco tempo estudei o ativo BRML3 e gostei muito dos seus indicadores; principalmente depois que descobri que é a maior administradora de Shopings do Brasil, com aproximadamente 50 shopings em todas as regiões do país.
Fiz uma união estável com a empresa que procurarei manter por pelo menos 12 meses...
Gostaria de ouvir a opinião do senhor quanto ao resultado do último balanço; oque para um leigo como eu me pareceu muito bom; porém vejo que este ativo não é muito comentado por aqui...
Agradeço antecipadamente e desejo um excelente feriado a todos...

156902 - marceleberle - 14 Nov 2012, 09:57
paulo_prof, você pode analisar o resultado de BRML3?

http://www.mailingplus.com.br/deliverer_homolog/arq/cli/arq_1373_112140.pdf

Destaques do Terceiro Trimestre de 2012 e Eventos Subseqüentes:

. No terceiro trimestre de 2012, a receita líquida alcançou R$278,4 milhões, crescendo 26,9%, enquanto no acumulado do ano esse aumento foi de 31,8%, alcançando R$787,8 milhões.

. O NOI totalizou R$257,1 milhões no 3T12, um crescimento de 30,9% sobre o NOI do 3T11, registrando uma margem de 91,3% no trimestre. O NOI acumulado do ano alcançou R$719,9 milhões, 35,6% maior do que o mesmo período em 2011. Nosso NOI mesmos shoppings cresceu 16,4% no trimestre quando comparado ao 3T11.

. O EBITDA ajustado registrou R$223,1 milhões no trimestre, um aumento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos 9M12 o EBITDA ajustado registrou R$643,2 milhões, o que representa um crescimento de 35,0% sobre o mesmo período de 2011.

. O lucro líquido alcançou R$100,7 milhões no trimestre, crescendo 979,5% em relação ao 3T11. Nos 9M12, o lucro líquido é de R$675,9 milhões, crescendo 271,5%.

. Nesse trimestre o FFO aumentou 817,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo R$98,8 milhões. O FFO ajustado alcançou R$95,3 milhões, 1,9% acima dos R$93,5 milhões registrados no 3T11.

. O aluguel mesmas lojas alcançou 9,0% enquanto as vendas mesmas lojas cresceram 6,2% no 3T12. As vendas totais nesse trimestre atingiram R$4,7 bilhões.

. No 3T12, nosso leasing spread de renovações atingiu 27,0% e o leasing spread de novos contratos alcançou 19,9%.

. Apresentamos a melhor taxa de ocupação dos últimos 6 trimestres, totalizando 97,9%. Em termos de pagamento em atraso, apresentamos uma queda pelo terceiro trimestre consecutivo, totalizando 3,7%.

. Anunciamos no terceiro trimestre a aquisição de uma participação de 45,0% no Shopping Plaza Macaé, que adicionou 10,2 mil m² ao nosso ABL próprio e esperamos que gere um NOI estabilizado de R$4,8 milhões.

. Após o terceiro trimestre, anunciamos a aquisição de 100,0% do Shopping Capim Dourado. Estimamos que com essa aquisição, aumentaremos o nosso NOI (incluindo receita de serviços) nos próximos 12 meses em R$15,9 milhões e o ABL próprio em 29,1 mil m².

. Inauguramos no dia 10 de novembro o Londrina Norte Shopping, que elevou o nosso ABL próprio em 23,1 mil m². Estimamos que o shopping gere R$16,3 milhões de NOI estabilizado para a companhia. Além do Londrina Norte Shopping, vamos inaugurar também no 4T12 o shopping São Bernardo, que adicionará 25,7 mil m² de ABL próprio ao portfólio.

. Após o 3T12, inauguramos a expansão do Center Shopping Uberlândia que adicionou 2,0 mil m² de ABL total ao shopping e que deverá gerar R$2,0 milhões de NOI estabilizado para a companhia. Além disso, divulgamos a expansão do Shopping Piracicaba, que deve adicionar 16,2 mil m² de ABL total, no qual temos 36,9% de participação. A expansão deverá gerar R$7,0 milhões de NOI estabilizado para a companhia.

. Finalizamos a venda de 40,0% do Shopping Jardim Sul para o Fundo Imobiliário Shopping Jardim Sul (JRDM11B).

. Após o 3T12, emitimos o retap do nosso segundo bônus perpétuo, com um montante adicional de US$ 175 milhões acima do par a 108,5, representando um yield to maturity de 7,834% a.a. e emitimos um CRI CVM 400 no valor de R$500 milhões, emitido em duas séries, uma indexada a IPCA + 3,96% a.a. com prazo de 12 anos e a outra indexada a IPCA + 4,27% a.a. com prazo de 15 anos. Ambas as operações tem como objetivo a gestão de passivos da companhia, com redução de custo médio de dívida.

156810 - marceleberle -  13 Nov 2012, 23:30
BRML3

Destaques do Terceiro Trimestre de 2012 e Eventos Subseqüentes:

. No terceiro trimestre de 2012, a receita líquida alcançou R$278,4 milhões, crescendo 26,9%, enquanto no acumulado do ano esse aumento foi de 31,8%, alcançando R$787,8 milhões.

. O NOI totalizou R$257,1 milhões no 3T12, um crescimento de 30,9% sobre o NOI do 3T11, registrando uma margem de 91,3% no trimestre. O NOI acumulado do ano alcançou R$719,9 milhões, 35,6% maior do que o mesmo período em 2011. Nosso NOI mesmos shoppings cresceu 16,4% no trimestre quando comparado ao 3T11.

. O EBITDA ajustado registrou R$223,1 milhões no trimestre, um aumento de 27,1% em relação ao mesmo período do ano anterior. Nos 9M12 o EBITDA ajustado registrou R$643,2 milhões, o que representa um crescimento de 35,0% sobre o mesmo período de 2011.

. O lucro líquido alcançou R$100,7 milhões no trimestre, crescendo 979,5% em relação ao 3T11. Nos 9M12, o lucro líquido é de R$675,9 milhões, crescendo 271,5%.

. Nesse trimestre o FFO aumentou 817,8% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior, atingindo R$98,8 milhões. O FFO ajustado alcançou R$95,3 milhões, 1,9% acima dos R$93,5 milhões registrados no 3T11.

. O aluguel mesmas lojas alcançou 9,0% enquanto as vendas mesmas lojas cresceram 6,2% no 3T12. As vendas totais nesse trimestre atingiram R$4,7 bilhões.

. No 3T12, nosso leasing spread de renovações atingiu 27,0% e o leasing spread de novos contratos alcançou 19,9%.

. Apresentamos a melhor taxa de ocupação dos últimos 6 trimestres, totalizando 97,9%. Em termos de pagamento em atraso, apresentamos uma queda pelo terceiro trimestre consecutivo, totalizando 3,7%.

. Anunciamos no terceiro trimestre a aquisição de uma participação de 45,0% no Shopping Plaza Macaé, que adicionou 10,2 mil m² ao nosso ABL próprio e esperamos que gere um NOI estabilizado de R$4,8 milhões.

. Após o terceiro trimestre, anunciamos a aquisição de 100,0% do Shopping Capim Dourado. Estimamos que com essa aquisição, aumentaremos o nosso NOI (incluindo receita de serviços) nos próximos 12 meses em R$15,9 milhões e o ABL próprio em 29,1 mil m².

. Inauguramos no dia 10 de novembro o Londrina Norte Shopping, que elevou o nosso ABL próprio em 23,1 mil m². Estimamos que o shopping gere R$16,3 milhões de NOI estabilizado para a companhia. Além do Londrina Norte Shopping, vamos inaugurar também no 4T12 o shopping São Bernardo, que adicionará 25,7 mil m² de ABL próprio ao portfólio.

. Após o 3T12, inauguramos a expansão do Center Shopping Uberlândia que adicionou 2,0 mil m² de ABL total ao shopping e que deverá gerar R$2,0 milhões de NOI estabilizado para a companhia. Além disso, divulgamos a expansão do Shopping Piracicaba, que deve adicionar 16,2 mil m² de ABL total, no qual temos 36,9% de participação. A expansão deverá gerar R$7,0 milhões de NOI estabilizado para a companhia.

. Finalizamos a venda de 40,0% do Shopping Jardim Sul para o Fundo Imobiliário Shopping Jardim Sul (JRDM11B).

. Após o 3T12, emitimos o retap do nosso segundo bônus perpétuo, com um montante adicional de US$ 175 milhões acima do par a 108,5, representando um yield to maturity de 7,834% a.a. e emitimos um CRI CVM 400 no valor de R$500 milhões, emitido em duas séries, uma indexada a IPCA + 3,96% a.a. com prazo de 12 anos e a outra indexada a IPCA + 4,27% a.a. com prazo de 15 anos. Ambas as operações tem como objetivo a gestão de passivos da companhia, com redução de custo médio de dívida.

153530 - paulo_prof -  24 Out 2012, 20:38
A análise dos Resultados da BRML3 não é trivial ...

Não adianta olhar somente os números, ou seja, não adianta eu baixar a planilha do Fundamentus, com os resultados históricos e tentar, a partir dos mesmos, encontrar o que seria o valor intrínsico do ativo.

O problema é que o lucro líquido da BRML3 é composto de 2 parcelas:

a) lucro efetivo originado nas operações; e
b) lucro "fictício" originado na valorização dos ativos a mercado

Suponha que vc tenha um apartamento alugado. De um lado vc recebe o aluguel, paga as benfeitorias, eventualmente uma corretora para cobrar o seu inquilino, etc, desconta o imposto de renda e embolsa o lucro líquido.

Paralelamente, de tempos em tempos, vc efetua uma avaliação de preço do imóvel. Feota a avaliação, vc contabiliza a diferença como "outras receitas operacionais" (que de operacional nada tem!!!), difere o imposto de renda (joga para o futuro), e contabiliza a diferença como lucro.

Convenhamos ...

Não vejo como dar o mesmo tratamento para o lucro que efetivamente vai para o seu bolso e aquele lucro virtual.

Além disto, ocorre que as Outras Receitas Operacionais, são, em média, mais de 75% do Resultado Antes dos Impostos.

O que adianta ser proprietário de um palácio de brilhantes ... se o aluguel é de uma casa de pau-a-pique?

153403 - pppadv - 24 Out 2012, 12:12
BRMALLS Divulga Prévia do Desempenho de Vendas dos Lojistas e Aluguéis no 3T12
Comunicado ao Mercado

Rio de Janeiro, 23 de outubro de 2012 – BR MALLS Participações S.A.(Bovespa:BRML3), a maior empresa de shopping centers do Brasil, antecipa algumas informações sobre os resultados operacionais de vendas dos lojistas, aluguéis, taxa de ocupação e pagamentos em atraso (30 dias) relativos ao 3T12.

OS SHOPPINGS DA BRMALLS ATINGEM VENDAS TOTAIS DE R$4,7 BILHÕES NO 3T12
O volume consolidado de vendas dos lojistas dos shoppings da BRMALLS alcançou R$4,7 bilhões no 3T12, um aumento de 20,6% em relação ao 3T11.

AS VENDAS MESMAS LOJAS CRESCERAM 6,2% NO 3T12
No 3T12 o crescimento das vendas mesmas lojas (SSS) foi de 6,2%, contra 8,3% no mesmo período de 2011.

O crescimento das vendas mesmas lojas no trimestre foi beneficiado pelo crescimento das megalojas que apresentaram um crescimento de 8,1%. As lojas satélites cresceram 7,0% no trimestre.

O CRESCIMENTO DE ALUGUÉIS DAS MESMAS LOJAS APRESENTOU UM CRESCIMENTO DE 9,0% NO 3T12
No 3T12 observamos um crescimento de aluguéis das mesmas lojas (SSR), de 9,0% contra uma alta base de comparação de 14,3% no 3T11.

SEGUIMOS APRESENTANDO ALTAS TAXAS DE OCUPAÇÃO NO 3T12
Continuamos apresentando um alto nível de taxa de ocupação em nossos shoppings, totalizando uma taxa de ocupação média de 97,9% do ABL total no trimestre, a melhor taxa apresentada nos últimos 7 trimestres.

PAGAMENTOS EM ATRASO CONTINUAM APRESENTANDO SINAIS DE QUEDA
No 3T12 o nível de pagamentos em atraso (30 dias) registrou uma queda de 0,3 p.p. em relação ao 2T12, totalizando 3,7% no trimestre. A inadimplência líquida atingiu 1,5%. Excluindo os shoppings inaugurados e adquiridos nos últimos 12 meses, a inadimplência líquida foi de apenas 0,5% no trimestre.

BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A.
Diretor de Relação com Investidores
Leandro Rocha Franco Lopes


Clique aqui para acessar o comunicado.
http://www.mailingplus.com.br/deliverer_homolog/arq/cli/arq_1373_110341.pdf
151422 - pppadv -  09 Out 2012, 00:28
BRMalls inaugura expansão de shopping em Minas Gerais

Brasil Econômico
08/10/12 20:44
http://www.brasileconomico.ig.com.br/noticias/brmalls-inaugura-expansao-de-shopping-em-minas-gerais_123244.html

A taxa interna de retorno do projeto, real e desalavancada é de 26,3%

As estimativas são que esta expansão gere cerca de R$ 2 milhões no resultado operacional líquido da BRMalls.

A BRMalls Participações informou nesta segunda-feira (8/10) que inaugurou a expansão do Center Shopping Uberlândia, localizado em Minas Gerais.

Em operação desde abril de 1992, o Center Shopping Uberlândia conta com 294 lojas, sendo 273 satélites e 13 âncoras/megalojas e 8 salas de cinema. A expansão acrescentou um total de 21 operações de fast-food e três novos restaurantes, gerando 1.984m².

As estimativas são que esta expansão gere cerca de R$ 2 milhões no resultado operacional líquido estabilizado para a BRMalls. A taxa interna de retorno do projeto, real e desalavancada é de 26,3%.

Esta nova expansão traz aos consumidores do shopping uma nova praça de alimentação com vista panorâmica e 992 lugares. Dentre os restaurantes inaugurados estão o Bob's, Burguer King, Uai Tche, Roasted Potato, Creps, Patroni Pizza, Quiznos.

Análise Coin Valores
A BRMALLS é a maior empresa integrada de shopping centers do Brasil, detendo participação em 40 shoppings, que totalizam 1,2 milhão de m² de Área Bruta Locável (ABL) e 575,5 mil m² de ABL próprio. A companhia possui 4 projetos greenfields e 5 expansões em desenvolvimento, que somados elevam o ABL total da companhia para 1,4 milhão de m² e o ABL próprio para 703,3 mil m² nos próximos anos. A BRMALLS é a única empresa nacional de shopping centers, com presença em todas as cinco regiões do Brasil, atendendo aos consumidores de todas as diferentes classes sociais do país. A companhia oferece serviços de administração para 28 shoppings centers e de comercialização para 31, totalizando 892,0 mil m² de ABL.

RETROSPECTIVA 2010
O desempenho da companhia no ano de 2010 foi muito positivo, tanto no desempenho dos principais indicadores quanto nas demonstrações financeiras e vetores de crescimento. Ao longo do ano inauguramos dois projetos greenfield, o Shopping Granja Vianna e o Shopping Sete Lagoas, que foram 100% comercializados e desenvolvidos pela BRMALLS e duas expansões, do Maceió Shopping e do West Shopping. Estes projetos adicionaram juntos 65,9 mil m² de ABL total à companhia. Além disso, adquirimos participação em quatro shoppings e aumentamos nossa participação em outros quatro, adquirindo até o momento R$ 1,3 bilhão versus o guidance de R$ 0,5 bilhão. Em setembro, além de ter sido aprovado a mudança do limite de endividamento da companhia de 2,75x para 3,75x a dívida líquida/EBITDA, foi aprovada também a exclusão do nosso bond perpétuo da definição de dívida líquida, o que da mais liberdade para a Cia. em caso de novas oportunidades tanto via aquisições quanto via projetos greenfield e expansões. No 3º trim./10 a Standard & Poor´s elevou nosso rating de escala nacional Brasil de brA para brA+ e reafirmaram BB- em escala global, ambos com perspectiva estável. Em Outubro a Fitch Ratings elevou o nosso rating de crédito local em dois níveis de A para AA- e elevou nosso crédito internacional de BB- para BB. Nos 9ºm/10 alcançamos Receita Líquida de R$ 360,5 milhões, crescimento de 31,8% sobre o mesmo período do ano anterior. Nosso NOI 9M10 foi de R$ 320,3 milhões, representou elevação de 25,9% sobre o 4º trim./09, atingindo uma margem NOI de 90,0%. O EBITDA ajustado atingiu R$ 292,7 milhões, aumento de 33,8% sobre o mesmo período do ano anterior. A margem EBITDA ajustada no acumulado nove meses foi de 81,2%, elevação de 1,3 p.p. quando comparado ao 9ºm/10. Nosso FFO ajustado atingiu R$ 215,1 milhões, crescimento de 47,3% sobre o mesmo período do ano anterior. Nossa receita nos 9ºm/10 apresentou aumento de 31,9% sobre o 9º
M/09, totalizando R$ 392,6 milhões. No 3º trim./10 ainda realizamos o desdobramento das ações de emissão da Cia. na proporção de 2:1, a fim de aumentar o número de investidores e estimular a negociação de ações de emissão da companhia.

PERSPECTIVA 2011
Com a inauguração de mais duas expansões e mais dois projetos greenfield que adicionarão 57,9 mil m² de ABL próprio para a BRMALLS, além das aquisições e inaugurações já citadas, esperamos que o ano de 2011 seja ainda melhor do que o de 2010. Nos 9ºm/10 apresentamos ótimos leasing spreads renovações e novos contratos, que vão refletir na receita da Cia. Em 2011, daremos continuidade aos nossos esforços tanto na comercialização quanto na execução dos projetos greenfields e expansões. Além disso, ainda esperarmos ótimas oportunidades para aquisições devido ao ainda fragmentado mercado de shoppings centers no Brasil. Estamos confiantes com as perspectivas econômicas para Brasil, em especial o setor de varejo. Vamos nos beneficiar cada vez mais da contínua expansão do varejo brasileiro e a maior demanda por lojas dentro de shoppings centers. Além disso, com a economia voltando a se aquecer e o crescimento constante do poder de consumo da classe média brasileira, nos vemos em uma ótima posição para extrair o máximo dessas oportunidades principalmente devido ao nosso portfólio concentrado na classe média.

Balanços

1T2009
A empresa enviou comunidado no qual consta o seguinte: BR Malls Divulga Prévia do Desempenho de Vendas dos Lojistas e Aluguéis no 1T09. BR Malls Participações S.A.(BOVESPA:BRML3), a maior empresa integrada de shopping centers do Brasil, antecipa algumas informações sobre os resultados operacionais de vendas dos lojistas e aluguéis relativos ao 1T09. resultado de aluguéis das mesmas lojas atinge crescimento de 12,3% no 1T09. O crescimento dos aluguéis das mesmas lojas (SSR) continuou capturando o IGPM do ano passado no reajuste dos aluguéis mínimos, o que contribuiu para que alcançássemos no 1T09 um crescimento de 12,3%, superior ao 8,3% apresentado no 1T08. Os shoppings da BRMalls atingem vendas totais de R$ 2,2 bilhões no 1T09. O volume consolidado de vendas
dos lojistas dos shoppings da BR Malls somou R$ 2,2 bilhões no 1T09, um aumento de 14,5% em relação ao ano anterior. As vendas mesmas lojas das satélites continuam apresentando crescimento consistente no primeiro trimestre do ano atingindo 9,2%. As vendas mesmas lojas (SSS) das satélites, que representam cerca de 85% da receita de aluguel, continuam crescendo a um ritmo expressivo apresentando um SSS de 9,2% no trimestre. O crescimento das vendas mesmas lojas consolidada dos nossos shoppings atingiu 3,5% no trimestre, impactado principalmente pela queda nas vendas das lojas âncoras em relação ao ano passado. No 1T09 as vendas das lojas âncoras que já vinham apresentando performance inferior às satélites no nosso portfólio, sofreram impacto sazonal adicional decorrente do deslocamento do período de Páscoa de março para abril. Algumas lojas âncoras são fortemente impactadas por esse efeito e tiveram um desempenho mais baixo que a média das demais âncoras no mês de março. Desconsiderando o efeito dessas lojas, que representaram em março 5,5% das vendas mesmas lojas dos nossos shoppings, o SSS consolidado teria crescido 4,5% no 1T09.

32575 - small caps - 08/Abr/2010 23:01
citação: jlc007Small ,
aproveitando que está por aqui:
CARD x CTAX , FRAS x PRVI e GSHP x BRML .
Qual prefere?
Obrigado.
jlc, vamos lá:
CARD x CTAX:
CTAX está mais barata, mais consolidada e com melhor lucratividade. Tem melhor ROE e DY também (ficará ex em breve de uns 6% na CTAX4). Atividades um pouco diferentes. CTAX4 é mais call center e CARD tem o lucro vindo da produção de cartões. Se fosse escolher apenas uma, ficaria em CTAX. CARD também tenho um pouco, mas já realizei parte do lucros das ações compradas a R$ 2,xx. Proporção atual: 3 CTAX para 1 CARD.
FRAS4 está ainda um pouco mais barata que PRVI. Já esteve bem mais, pois está chegou a custar quase R$ 8,00 e aquela beirava os R$ 4,00. FRAS tem resultados mais previsíveis e menos fatores contábeis no balanço. PRVI3 é um player para quem quer crescimento no setor de descartáveis de não-tecidos (uso em fraldas, por exemplo). FRAS é muito bem administração. Tem a marca dos Randon's... Parte do lucro de PRVI3 é efeito contábil de reclassificação de depreciação de máquinas, se não estiver enganado. Minha proporção: 2 FRAS para 1 PRVI.
GSHP x BRML. Se não estiver engando todo este "lucrão" em BRML não passa de uma mudança contábil em que os ativos imobiliários passaram a ser contabilizado de outra forma que não o custo de construção e/ou aquisição. GSHP parece-me ainda não ter adotado este procedimento contábil. GSHP3 estará mais atrativa quando igualada a forma de apuração do balanço. Não li o balanço de BRML para confirmar, pois sempre foi uma das "queridinhas" do mercado e, por isso, bem mais cara que GSHP, a qual ingressou na carteira small caps por uma fração do preço atual... Já fatiei o lucro em GSHP3, mas a mantenho como meu maior turnaround. BRML não tenho em carteira.

3401 - pppadv - 02/Abr/2009 15:23
Se alguém tinha dúvida entre BRML3 e IGTA3 os posicionamentos acionários estão dando uma dica:

02/04) BR MALLS PAR (BRML – NM) - Participacao Acionaria
DRI: Leandro Bousquet Viana
Enviou o seguinte Comunicado ao Mercado:
"“BR MALLS PARTICIPACOES S.A., companhia aberta com endereco na Avenida Borges de" "Medeiros n. 633, 1o andar, na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, inscrita no" "CNPJ sob o n. 06.977.745/0001-91 (“BR MALLS”), comunica que foi informada, nesta" "data, que seus acionistas EI Brazil Investments, LLC (“Equity International”)," "Private Equity Partners A, LLC e Private Equity Partners B, LLC (em conjunto," "“GP”), venderam 5.500.000 acoes de emissao da companhia, em leilao organizado na" Bovespa. Os recursos desta venda foram utilizados para liquidar a totalidade da divida contraida para financiar a aquisicao original das empresas Ecisa "Engenharia Ltda. e Ecisa Participacoes S.A., ambas controladas pela BR Malls" Participacoes S/A. "A Equity International e a GP venderam, cada uma, aproximadamente 10% de suas" "respectivas participacoes na BR MALLS e, apos as referidas transacoes, passaram" "a deter, respectivamente, 17,64% e 14,45% do capital social da Companhia."
A Equity International e a GP reafirmaram o compromisso com a BR MALLS e informaram que continuam entusiasmados com as perspectivas futuras da Companhia.”

BRMALLS Adquire 45% de Participação no Shopping Plaza Macaé
http://brmalls.riweb.com.br/brmalls/Show.aspx?id_materia=38940

Rio de Janeiro, 31 de julho de 2012 – BR MALLS PARTICIPAÇÕES S.A., companhia aberta com endereço na Avenida Borges de Medeiros n° 633, 1º andar, na Cidade e Estado do Rio de Janeiro, inscrita no CNPJ sob o n° 06.977.745/0001-91 ("BRMALLS"), vem comunicar que adquiriu as ações representativas da companhia que detém o Shopping Plaza Macaé, alcançando uma participação de 45% do shopping, localizado no Rio de Janeiro.

A BRMALLS adquiriu 100% da LGR Macaé que detém 50% da Macaé SPE que por sua vez, detém 90% da fração ideal do Shopping Plaza Macaé. Dessa forma, a BRMALLS adquiriu, de forma indireta, 45% de participação no Shopping Plaza Macaé e será responsável pela administração e comercialização do mesmo.

Inaugurado em setembro de 2008, o Shopping Plaza Macaé fica localizado na cidade de Macaé, estado do Rio de Janeiro. Cidade com os melhores índices de desenvolvimento socioeconômico do estado, conta com uma população de aproximadamente 218 mil habitantes que cresce à taxa de 3,6% ao ano, e um PIB per capita de R$36 mil. Importante pólo educacional e industrial, com destaque para o setor de petróleo, a cidade foi escolhida pela Petrobrás para ser sua sede na Bacia de Campos, atraindo grandes investimentos, crescimento populacional e geração de empregos.

O shopping é situado perto de residências de alta renda, e não possui competição na área de influência (Macaé, Rio das Ostras, Quissamã, Casimiro de Abreu e Conceição de Macabu), na qual a população é de 414 mil habitantes com taxa de crescimento média de 5,2%.

Atualmente, com um ABL total de 22,7 mil m², o Shopping Plaza Macaé possui 93 lojas, salas de cinema stadium e muitas opções de lazer. O ativo possui âncoras relevantes como, Lojas Americanas, C&A, Marisa, Leader, Cine Magic, além de contar com diversas marcas importantes como Ponto Frio, Centauro, Hering, Kopenhagen e Walmart.

Estimamos que o shopping deverá gerar R$ 4,8 milhões de NOI (incluindo receita de serviços) nos próximos 12 meses para a BRMALLS, representando um cap rate de entrada (12 meses) de 10,3%. Já o cap rate estabilizado estimado é de 13,2%, e a TIR real e desalavancada é de 13,1%. O valor da transação foi negociado em R$47 milhões, pagos à vista, ainda a descontar a assunção de dívidas no valor de R$22,2 milhões.

Com a aquisição do Shopping Plaza Macaé, a BRMALLS elevou seu ABL próprio em 10,2 mil m², chegando a um total de 855,8 mil m², e o ABL total em 22,7 mil m², alcançando 1.513,7 mil m². No estado do RJ, o ABL total e próprio é de 315,6 mil m² e 218,5 mil m², respectivamente, atingindo participação média de 69,2% no estado. Além disso, aumentamos o número de shoppings de nosso portfólio de 47 para 48 shoppings. No Sudeste o número de shoppings cresce para 30 e no estado do Rio de Janeiro para 11.

Nenhum comentário: