Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 30 de março de 2020

Taurus Armas (TASA)


Subsetor
Segmento

Recomendações
CompraJoe Slovack (2018) - Smallcaps (abr/09 e set/12)

Carteiras
17andre (jan/13) - bhlpinvest (fev/13) - ch3481 (dez/12) - FoxHoundBR (abr/16, mai/16) - FRBRAVIM (set/17) - harleyhr (nov/17) - Jorge Tomaz (nov/12)  - polycrav (out/12) - Trifloripasempre (mar/13) - vellinhotrt4 (jan/13)

Códigos de Negociação
Tipo
TASA3; TASA4
 Nível 2 

Balanços
A2019/4T2019 - DFP 31/12/2019

3T2017 -

3T2016 -
Desconsiderados os efeitos da provisão acima mencionada, o EBITDA ajustado do 3T16 apresentou resultado de R$ 14,5 milhões, melhora importante no desempenho em relação ao 2T16, quando registrou o montante negativo de R$ 11,9 milhões. Esta evolução deve-se ao maior volume de vendas e redução de despesas operacionais verificadas no trimestre.

A2014/4T2014 -
small caps  -
A s s u s t a d o r !!!!

A2013/4T2013 -
paulo_prof -
A coisa está feia, mesmo ...
O 4T13 foi um desastre ... especialmente considerando que o processo de re-estruturação teria sido concluído no trimestre.
Os problemas que ocorreram foram basicamente dois:
a) a margem bruta caiu vertiginosamente ... a margem de 38% postada em 2012, caiu para 31,7% nos 9M13 e para 22,7% no 4T13 !!!
b) as despesas com vendas no 4T13 simplesmente estouraram ... mais do que dobraram em relação às mesmas despesas no 3T13 e foram 94% maiores do que aquelas do 4T12 !!!
A empresa explica a queda na margem bruta ... explicada por um (i) aumento nos custos superior ao crescimento da receita; (ii) maior nível de exigência na qualidade, com menor aceite da não-conformidade na produção, em especial em revólveres e armas longas, fatos que reverterão a médio prazo em ganhos futuros de produtividade e de margens;
Acho que é necessária uma certa cara de pau para afirmar que uma maior exigência de qualidade e um menor aceite dos produtos produzidos possa representar ganho futuro em produtividade e margens !!!
O fato é que além do descarte de produtos na linha de produção, parece que a empresa andou entregando produtos defeituosos a seus clientes e, se este foi realmente o caso, não há como hoje se mensurar o impacto que a credibilidade da empresa poderá sofrer.
Em menor grau, mas também com impacto na redução da margem bruta no 4T13, foi uma redução de 20% na Receita Líquida em relação ao 4T12 ... e isto considerando que o dólar se valorizou em relação ao real no período !!!
Pessoalmente, sou levado a crer que a empresa entregou produtos defeituosos (acima da média histórica) nos primeiros 9 meses de 2013 ... e a consequência explodiu no 4T13: além de ser obrigada a substituir os ítens defeituosos, as novas encomendas devem ter desabado ...
Ativo para permanecer na arquibancada até visualizar se a empresa será capaz de reagir ...

2T2013 -
17andre  -
Mas o que foi esse prejuízo do 2T/13: (101) milhões. É muito para quem está sendo beneficiada com a alta do dólar.
Mesmo excluindo o problema da venda da Wotan ainda teríamos um resultado ruim.
Aos mestres do fórum: se a ação chegar a R$1,5x, vale reforçar posição ou a vaca foi pro brejo e atolou?

2T2012 -

A2009/4T2009 -
Kings of Leon -
achou bom

Características
Indústria e comércio de armas

Apresentações
30/03/2020 -  Press Release - 2019

Assembleias

Balanços (Calendário)
30/03/2020
 DFP 2019

 ITR 1T 2020

 ITR 2T 2020

 ITR 3T 2020





27/01/2020 - Taurus assina acordo definitivo com Jindal Group para criação de joint venture na Índia

357953 - paulo_prof -   25 Jan 2019, 16:53
Até 31DEZ2018 foram subscritas um total de 10.174.414 ações PN, totalizando R$60.728.730,00:

155.523 da série A (a R$ 4,00)

10.205 da série B (R$ 5,00)

10.005.189 da série C (R$ 6,00)

3.497 da série D (R$ 7,00)

http://www2.bmfbovespa.com.br/empresas/consbov/ArquivoComCabecalho.asp?motivo=&protocolo=661909&funcao=visualizar&site=B

Logo saberemos o resultado das conversões da 1a. quinzena de janeiro. Quem, tendo comprado o bônus a mercado, subscreveu ações da série B durante a 2a. quinzena de janeiro, deve estar amargando prejuízo virtual. Com o preço nas vizinhanças dos R$ 5,00 será importante ver quantas ações foram subscritas na série B. Novas subscrições das séries C e D só deverão ocorrer se o preço reagir consideravelmente (pouco provável).

Considerando os quase R$ 10 milhões levantados com a venda dos bônus e as subscrições realizadas até o dia 31DEZ, a empresa reduzirá o endividamento em aprox. R$ 70 milhões, o que não deixa de ser positivo.

357718  - paulo_prof -  17 Jan 2019, 01:01
... e vc acha que a Taurus será capaz de produzir as armas necessárias para este aumento da Receita Líquida? Como? A Taurus é uma das maiores, senão a maior, fabricante de armas do planeta. A maior parte de sua produção é exportada. Não há como, no curto, ou mesmo no médio prazo, a empresa se equipar para aumentar a produção, especialmente na situação que se encontra, com a alavancagem na estratosfera, Para crescer é necessário grana e na situação atual não há como a empresa conseguir esta grana.

No melhor trimestre depois de séculos, a empresa gerou um ebitda de R$ 24 milhões. Isto dá aprox. R$ 100 milhões num ano. Em consequência, a alavancagem (endividamento líquido / ebitda) ao final do 3T18 era de 8,36 (dívida líquida de R$ 836 milhões). Com esta alavancagem, o problema da Taurus não é o de conseguir investir para aumentar a produção. É equacionar a sua estrutura de capital, reduzindo o endividamento.

Como todo este auê do Bolso favorável ao armamento da população e muita especulação, o preço das ações explodiu, completamente descasado dos fundamentos da empresa. O controlador aproveitou o preço irreal para tentar capitalizar a empresa, sem ter o cacau necessário para honrar a sua parte.

Qual é a jogada?

Ato no. 1: ele se entupiu de bônus de subscrição (39 milhões nas 4 séries).

Ato no. 2: aproveita o preço irreal para vender a mercado (https://www.infomoney.com.br/taurusarmas/noticia/7...)

Ato no. 3: exerce os bônus de subscrição que vencerão em abril (a R$ 4,00) para vende-los a mercado a um preço maior, procurando manter o preço de mercado acima do preço de subscrição.

A idéia é tentar repetir o processo na 2a. e 3a. séries e, assim, praticamente do "nada", conseguir capitalizar a empresa e reduzir a alavancagem.

Se o processo for bem sucedido, ou seja, se o preço de mercado não despencar abaixo dos R$ 4,00 até abril e R$ 5,00 entre abril e junho, acho que a empresa vai conseguir se aprumar e, então, os R$ 5,00 em julho poderão não ser excessivos.

Será interessante acompanhar para ver se o plano vai funcionar ... eu acho difícil! Se não estou enganado, são 20 milhões de bônus que serão exercídos a R$ 4,00. Mesmo com o preço de fechamento de hoje pouco acima dos R$ 5,00, deve haver uma pressão vendedora enorme ... ou será que não?

346001  - RoseCouto -  11 Jan 2018, 02:48
Salesio Nuhs assume presidência da Forjas Taurus

O Conselho de Administração da Forjas Taurus, uma das três maiores fabricantes de armas leves do mundo, nomeou Salesio Nuhs, atual Vice-Presidente de Vendas e Marketing da Companhia, para assumir as atividades anteriormente exercidas por Marco Aurélio Salvany, como Diretor Presidente. O executivo também acumulará a função de Diretor de Relações com Investidores, antes exercido por Thiago Piovesan.

Devido a experiência, o dinamismo e as realizações que Salesio Nuhs tem no setor, o mercado está vendo a mudança com muita expectativa. O executivo atua há 27 anos no segmento de armas e munições e é importante referência nesse mercado. É Presidente da Associação Nacional de Armas e Munições – ANIAM desde 2012, membro efetivo do Conselho Consultivo do Sistema de Fiscalização de Produtos Controlados do Exército Brasileiro e desde 2015 ocupa o cargo de Vice-Presidente de Vendas e Marketing na Taurus, após a aquisição do controle da empresa pela Companhia Brasileira de Cartuchos – CBC, possuindo um amplo e profundo conhecimento de sua operação e do mercado brasileiro, tendo assim, uma sólida preparação e credibilidade para conduzir a reestruturação e o crescimento sustentável da Taurus.

(Redação - Investimentos e Notícias)
Fonte: http://www.investimentosenoticias.com.br/noticias/negocios/salesio-nuhs-assume-presidencia-da-forjas-taurus

344090  - marcosvinicius2  -  17 Nov 2017, 17:32
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E TAMBÉM NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 46 TRIMESTRES, 17 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (36,9565%). LUCRO Atribuído a Sócios da Empresa Controladora DO 3T17 = -18.486 FOI MAIOR DO QUE O LUCRO APRESENTADO NO 2T17 = -25.452 E MAIOR (TAMBEM) EM RELAÇÃO AO APRESENTADO NO 3T16 = -55.443. RESULTADO BRUTO TAMBEM FOI MAIOR NA COMPARAÇÃO ENTRE 3T16 = 48.256 X 3T17 = 33.710. VALOR DE MERCADO (MIL) = 128.083; VALOR MAXIMO (MIL) = 1.100.432 NO 3T07; VE PSBE (MIL) = 127.226:

FJTA4
PREÇO: 1,98
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -1,17
P/VPA -0,59
PSR 0,15
DY 0,00%
EV/EBITDA -21,23
MARGEM BRUTA 20,94%
MARGEM OPERACIONAL -20,61%
MARGEM LÍQUIDA -13,19%
LUCRO POR AÇÃO -1,689
MARGEM EBITDA -5,13%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -357,00%
ROE 49,96%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,99

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -4,69%
RESULTADO BRUTO -26,25%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -992,33%
RESULTADO OPERACIONAL 150,05%
RESULTADO LÍQUIDO -307,74%
EBITDA -5,47%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,31%
RESULTADO BRUTO -30,14%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -115,71%
RESULTADO OPERACIONAL -44,26%
RESULTADO LÍQUIDO -66,66%
EBITDA 21,30%

c) lucro (taxa média anual)
UA -307,74%
U2A -40,54%
U3A -17,56%

d) patrimônio líquido médio
UA 109,58%
U2A 147,25%
U3A -216,22%

RECEITA LIQUIDA = Receita líquida consolidada atingiu R$ 211,1 milhões no3T17, expansão de 16,3% em relação ao 2T17, impactada, principalmente, pelo aumento das vendas no mercado interno, das exportações para outros países assim como pela realização de vendas de produtos em estoque nos Estados Unidos, com descontos, para reforçar capital de giro da Companhia;

EBITDA = No 3T17, a geração de caixa da Companhia medida pelo EBITDA registrou saldo negativo de R$ 24,9 milhões no trimestre,comparados a resultados também negativos de R$ 4,7 milhões no 2T17 e R$ 20,5 milhões no 3T16. Além das reduções nas margens operacionais geradas pela menor performance do mercado norte-americano, o EBITDA da Companhia também foi impactado pelos complementos de provisões para contingências mencionadas acima, da ordem de R$ 11,2 milhões. No acumulado de 2017, o EBITDA consolidado da Companhia registra saldo negativo de R$ 23,3 milhões, contra um resultado também negativo de R$ 44,9 milhões no mesmo período do ano anterior.;

Resultado Financeiro = No 3T17,o resultado financeiro apurado ficou positivo em R$ 3,8 milhões contra um resultado negativo de R$ 62,3 milhões no 2T17. Esta variação está ligada, principalmente, à linha de Variações Cambiais, que possui relevante sensibilidade em relação à volatilidade do câmbio. No 3T17, esta linha registrou um saldo positivo de R$ 25,6 milhões contra um valor negativo de R$ 28,1 milhões no 2T17. Este saldo positivo no 3T17 é referente ao dólar de fechamento de set/17 que registrou depreciação de 4,2% em relação a jun/17. Cabe lembrar ainda que com a adesão da Companhia ao Programa de Regularização Tributária instituído pela Medida Provisória 766 de 04 de Janeiro de 2017 (PRT), foram registrados valores de multa referente a passivos tributários incluídos no programa, no valor de R$ 0,6 milhões no 3T17 e R$ 8,8 milhões no 2T17


( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

333927  - marcosvinicius2  -  09 Fev 2017, 19:36
EDIT.: Houve modificação significativa na quantidade de ações no período 1T008 X 2T08, 1T09 X 2T09 E 1T10 X 2T10 (desdobramento ou emissões?) e Resultado Não Operacional (Não Encontrado).
Receita líquida consolidada atingiu R$ 223,0 milhões no 3T16, crescimento de 12,5% em relação ao 2T16;
Margem bruta consolidada registrou 21,7% no 3T16, fortemente impactada pelo registro de provisão para impairment em estoques constituída no trimestre. A margem bruta consolidada sem os efeitos da provisão atingiu 31,2% no 3T16, 1,2p.p. menor em relação ao 2T16;EBITDA ajustado no trimestre atingiu R$ 14,5 milhões no 3T16;

FJTA4
PREÇO: 1,77
PAYOUT (2015): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 1,96
P/VPA -0,77
PSR 0,12
DY 0,00%
EV/EBITDA -18,97
MARGEM BRUTA 27,06%
MARGEM OPERACIONAL -7,85%
MARGEM LÍQUIDA 6,05%
LUCRO POR AÇÃO 0,903
MARGEM EBITDA -5,17%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -584,99%
ROE -39,48%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,58

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 19,39%
RESULTADO BRUTO 8,51%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -104,36%
RESULTADO OPERACIONAL -77,97%
RESULTADO LÍQUIDO -117,02%
EBITDA 27,11%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 5,05%
RESULTADO BRUTO -36,06%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -81,48%
RESULTADO OPERACIONAL -52,83%
RESULTADO LÍQUIDO -46,32%
EBITDA -171,36%

c) lucro (taxa média anual)
UA -117,02%
U2A ND
U3A -216,73%

d) patrimônio líquido médio
UA 191,68%
U2A ND
U3A -175,94%

Receita Líquida

A continuidade do movimento de deterioração do Dólar norte americano apresentou impacto importante na receita líquida e nas magens da Companhia. No 3T16, a cotação média da moeda norte americana depreciou-se 7,3% frente ao Real contra a taxa média do 2T16, limitando a melhora da receita líquida da Companhia, que expandiu 12,5% no 3T16 em comparação ao 2T16, uma vez que as exportações seguem representando a maior parte das vendas líquidas da Companhia, com participação de 72% na receita neste trimeste. No acumulado dos nove primeiros meses deste ano, a receita líquida da Companhia é 8,1% maior do que a verificada no mesmo período de 2015, totalizando R$ 606,8 milhões.

cc2b41c53d.png

cc2dbade7a.png

EBITDA E EBITDA AJUSTADO

O EBITDA do trimestre foi fortemente impactado pelo registro de provisão para impairment sobre estoques, no montante total de R$ 35,0 milhões referente a possível efeito de perdas em inventário geral de estoques, a ser realizado no quarto trimestre de 2016. Por se tratar de provisão para proteção contábil destes efeitos, seu valor está sendo desconsiderado na apuração do EBITDA do trimestre corrente.

Desconsiderados os efeitos da provisão acima mencionada, o EBITDA ajustado do 3T16 apresentou resultado de R$ 14,5 milhões, melhora importante no desempenho em relação ao 2T16, quando registrou o montante negativo de R$ 11,9 milhões. Esta evolução deve-se ao maior volume de vendas e redução de despesas operacionais verificadas no trimestre.

Boa noite a todos
Caro paulo prof, sempre gostei muito das suas análises, poderia analisar bgip4 e fjta4 fazendo favor, já tive bgip4, me pagou bons dividendos no passado, vendi com bom lucro, e vi que agora parece que sua situação não é muito boa. E FJTA4, o que ocasionou essa derrocada tão forte?
[...]
A FJTA é um outro ativo para esquecer ... ao produzir armas defeituosas (disparos acidentais sem acionamento do gatilho) para consumo no mercado americano, a empresa pode ter perdido a credibilidade para sempre ... aqui, além da perda de credibilidade, a empresa tem problemas sérios de governança e conflitos no grupo de controle e entre os controladores e minoritários ... 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
293492 - small caps  -  31 Mar 2015, 04:58
FJTA4...

Resultado do 4º Trimestre de 2014

A empresa divulgou prejuízo líquido de R$ 60,7M no 4° trimestre de 2014, contra perdas de R$ -94,6M apurados no terceiro trimestre de 2014. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 70,2M. A receita líquida atingiu R$ 76,1M no 4° trimestre de 2014, aumento de 21,0% em relação ao terceiro trimestre de 2014 e redução de 22,1% em relação ao 4° trimestre de 2013.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 47,8% contra 17,8% no trimestre anterior e 14,9% no 4T13.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 787,8M, redução de 11,2% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 52,1M neste trimestre, o que representou uma variação de -64,3% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2013.

A s s u s t a d o r !!!!

258596 - israel007 -  16 Mai 2014, 03:36
FJTA4

Ação da empresa Forjas Taurus S.A.
Atua no setor bens industriais

Resultado do 1º Trimestre de 2014

A empresa registrou prejuízo líquido de R$ 4,5 M no primeiro trimestre de 2014, contra um lucro líquido de R$ 9,2 M no 1T13 e um prejuízo de R$ -70,2 M no quarto trimestre de 2013. A receita líquida atingiu R$ 75,9 M neste trimestre, 22,2% menor que o 4° trimestre de 2013, que foi de R$ 97,6 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 78,0 M.

A margem bruta atingiu 18,1% neste trimestre contra 14,9% no trimestre anterior e 18,3% no primeiro trimestre de 2013.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 831,6 M, redução de 1,1% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 134,7 M no 1° trimestre de 2014, valor -35,8% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

249835  - paulo_prof -  30 Mar 2014, 19:39
Sobre FJTA4 ...

A coisa está feia, mesmo ...

O 4T13 foi um desastre ... especialmente considerando que o processo de re-estruturação teria sido concluído no trimestre.

Os problemas que ocorreram foram basicamente dois:

a) a margem bruta caiu vertiginosamente ... a margem de 38% postada em 2012, caiu para 31,7% nos 9M13 e para 22,7% no 4T13 !!!
b) as despesas com vendas no 4T13 simplesmente estouraram ... mais do que dobraram em relação às mesmas despesas no 3T13 e foram 94% maiores do que aquelas do 4T12 !!!

A empresa explica a queda na margem bruta ... explicada por um (i) aumento nos custos superior ao crescimento da receita; (ii) maior nível de exigência na qualidade, com menor aceite da não-conformidade na produção, em especial em revólveres e armas longas, fatos que reverterão a médio prazo em ganhos futuros de produtividade e de margens;

Acho que é necessária uma certa cara de pau para afirmar que uma maior exigência de qualidade e um menor aceite dos produtos produzidos possa representar ganho futuro em produtividade e margens !!!

O fato é que além do descarte de produtos na linha de produção, parece que a empresa andou entregando produtos defeituosos a seus clientes e, se este foi realmente o caso, não há como hoje se mensurar o impacto que a credibilidade da empresa poderá sofrer.

Em menor grau, mas também com impacto na redução da margem bruta no 4T13, foi uma redução de 20% na Receita Líquida em relação ao 4T12 ... e isto considerando que o dólar se valorizou em relação ao real no período !!!

Pessoalmente, sou levado a crer que a empresa entregou produtos defeituosos (acima da média histórica) nos primeiros 9 meses de 2013 ... e a consequência explodiu no 4T13: além de ser obrigada a substituir os ítens defeituosos, as novas encomendas devem ter desabado ...

Ativo para permanecer na arquibancada até visualizar se a empresa será capaz de reagir ...

215577  - 17andre  -  16 Out 2013, 03:06
FJTA4,

Mas o que foi esse prejuízo do 2T/13: (101) milhões. É muito para quem está sendo beneficiada com a alta do dólar.

Mesmo excluindo o problema da venda da Wotan ainda teríamos um resultado ruim.

Aos mestres do fórum: se a ação chegar a R$1,5x, vale reforçar posição ou a vaca foi pro brejo e atolou?

175893 - paulo_prof -  27 Mar 2013, 02:15
FJTA4
PREÇO R$ 3,05

P/L 9,39
P/VPA 1,09
PSR 0,56
DY 4,16%
EV/EBITDA 5,82
MARGEM BRUTA 39,0%
MARGEM OPERACIONAL 10,1%
MARGEM LÍQUIDA 6,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,325
MARGEM EBITDA 21,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 186,4%
ROE 11,61%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,69

Taxas de Crescimento Nominal

a) exercício de 2012 vs 2011
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 13,43%
RESULTADO BRUTO 3,46%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -7,02%
RESULTADO OPERACIONAL 32,91%
RESULTADO LÍQUIDO 12,31%
EBITDA 16,36%


b) 4T12 vs 4T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 12,56%
RESULTADO BRUTO -15,73%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 88,30%
RESULTADO OPERACIONAL -71,50%
RESULTADO LÍQUIDO -22,94%
EBITDA -9,70%

c) lucro (taxa média anual)
UA 12,31%
U2A -22,78%
U3A -6,20%

d) patrimônio líquido médio
UA -10,80%
U2A -7,66%
U3A -1,05%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 4,06

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,5%

175864 - israel007  -  26 Mar 2013, 23:24
FJTA4 (FORJA TAURUS PN)

Ação da empresa Forjas Taurus S.A.
Atua no setor bens industriais

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 17,3 M neste trimestre, crescimento de 82,1% em relação ao terceiro trimestre de 2012 e acréscimo de 24,5% em relação ao 4° trimestre de 2011. A receita líquida somou R$ 115,3 M no 4T12, uma variação de 7,7% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e crescimento de 2,5% em relação ao 4T11.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 37,5% contra 25,2% no terceiro trimestre de 2012 e 33,9% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 15,0% no 4° trimestre de 2012 contra 8,9% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 956,4 M, aumento de 9,5% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 360,9 M no 4° trimestre de 2012, valor 10,9% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Neste período, a ação oscilou 8,9% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 374,0 M contra R$ 180,9 M no quarto trimestre de 2011.

172462 - small caps -  13 Mar 2013, 01:28
Citação: marceleberle
Boa noite pessoal, Small algo no radar pra iniciar ou aumentar posição?
FJTA4 ou MTSA4 vale a pena a entrada antes do balanço?
E pós balanço BEMA3 ou PRBC4 ? (BEMA deu uma realizada boa, ta num preço agradável)
a) aumentei posição pós balanço em PRBC4. Mas o radar está bem ligado, pois nem metade dos balanços sairam. Reiniciei posição também em PRVI3 pós balanço, mas de leve...

b) não costuma ingressar em empresa envidada antes do balanço. Logo, FJTA4 tá fora desta possibilidade. E MTSA4 tirou o atraso no mercado nos últimos pregão. Melhor esperar o balanço também. Sempre surgem novidades neste período.

c) Entre BEMA e PRBC4, depende da sua concentração de outros ativos em carteira. Se tiver muito banco, BEMA tem espaço. Se couber um pouco mais de banco, o histório de PRBC4 é bem mais significativo.

170860 - fiberman -  06 Mar 2013, 19:55
Ola', Andre'
Eu mantive posicao em FJTA. A maninha Smith & Wesson ta' bombando nos EUA, logo TAURUS USA tambem. Os gringos estao comprando arma adoidado com medo da intervencao estatal quanto a posse. Um negocio meio impossivel, porque ter (muitas) armas faz parte do american way of life.

Gun maker Smith & Wesson Holdings Corp. said its fiscal third-quarter earnings more than tripled from the previous year as Americans hurried to purchase firearms amid wrangling by lawmakers around the country over stricter weapons laws.

Covering the three months ended Jan. 31, the results span a period in which a mass shooting at a Connecticut elementary school that left 20 children dead elevated the national conversation on firearm restrictions.

In response, some gun advocates have rushed to buy firearms in anticipation of tighter laws controlling the sale of guns and ammunition. Many firearms makers, including Smith & Wesson, have reported a surge in sales in the last few months.

The Springfield, Mass., company reported a profit of $14.6 million, or 22 cents a share, a 228% increase from the $4.4 million, or 7 cents a share, it earned in the same period a year earlier. Sales rose 38.8% to $136.2 million, from the earlier period.

"Performance gains were driven by continued robust consumer demand for firearms," Chief Executive James Debney said in a statement.

Smith & Wesson also raised its earnings guidance for its 2013 fiscal year. It forecasted total sales between $575.0 million and $580.0 million, a significant jump from the year before.

Despite the big gains, investor worries that the company’s future may be hampered by tighter gun-control laws sent shares down 57 cents, or 5.6%, to $9.65 in midday trading.

163241 - marcelio2 -  11 Jan 2013, 20:36
2012 ruim para a bolsa? Veja as small caps que duplicaram de valor no ano

Empresas como Portobello e Kroton tiveram altas de mais de 130% em um ano em que o Ibovespa subiu apenas 7,4%

Por Felipe Moreno |16h15 | 11-01-2013 A A A

SÃO PAULO - Muito se diz que a houve "duas bolsas" em 2012 na BM&FBovespa: a que andou, e a que ficou de lado. Entre as que não tiveram um ano muito bom estiveram as pesos pesado do Ibovespa: Petrobras (PETR3; PETR4), OGX Petróleo (OGXP3), Petrobras (PETR3; PETR4), enquanto outras empresas menores tiveram um ano excelente.

No lado campeão, Kroton (KROT3), Grendene (GRND3), Forjas Taurus (FJTA4) e outras se destacaram com valorizações que superaram até os 100%. Com isso, a diferença de rentabilidade entre o Ibovespa, principal índice da bolsa, e o SMLL, que mede o desempenho de small caps foi forte: enquanto o primeiro subiu 7,40%, o segundo avançou 28,66%.

"Houve diversas razões para isso, mas o fato é que o mercado acabou migrando para outras empresas, que estão entregando resultados melhores", afirma Mitsuko Kaduoka, diretora de análise de investimentos da Indusval & Partners Corretora. Com muitas investidores ainda apostando nas grandes empresas, ainda é possível que bastante dinheiro migre para as outras.
[...]
Forjas Taurus: +106,24% em 2012

A Forjas Taurus (FJTA4) entrou no radar, negativamente, dos investidores no final do ano. A empresa, que teve queda de 9% em dezembro, foi pressionada pela possível restrição às vendas de armamentos nos EUA - depois que um brutal ataque em uma escola primária, que deixou mais de 20 crianças mortas - um de seus principais mercados.

Para a própria empresa, o mérito veio antes: com uma forte alta de mais de 120% entre janeiro e novembro. A companhia credita isso à política ao trabalho sistemático do novo programa de RI (Relações com Investidores) da empresa, iniciado em dezembro de 2011 por Doris Wilhelm. "Foi uma filosofia de pró-atividade constante, visando divulgar o case de investimentos por meio de reuniões individuais e coletivas com o mercado", afirma a empresa através de sua assessoria.

O objetivo era colocar a empresa novamente no radar e melhorar a liquidez - o que foi obtido com sucesso. "E por isso, o mercado passou a fazer uma avaliação da companhia e percebeu que a mesma estava sendo sub-avaliada", afirma a companhia.
[...]

162157 - bommauricio -  03 Jan 2013, 14:10
Forjas Taurus firma acordo de exclusividade com a norte-americana Diamondback
Acordo foi firmado por meio de sua subsidiária Taurus Holding e visa a distribuição exclusiva em escala global de armas

Por Carolina Gasparini |11h16 | 03-01-2013 A A A
SÃO PAULO - A Forjas Taurus (FJTA3, FTJA4), uma das líderes mundiais na produção de armas, anunciou nesta quinta-feira (3) um acordo exclusivo de distribuição global com a empresa norte-americana Diamondback Firearms por meio de sua subsidiária Taurus Holdings, sediada em Miami, Florida.
As duas empresas mostram-se confiantes no negócio, que garante à Taurus toda a força de vendas e marketing dos produtos da Diamondback, o que amplia seu portfólio de armas. “Estou extremamente animado com a concretização desta nova parceria”, declara por meio do comunicado o presidente da Taurus International Manufacturing, Mark Kresser.

162153 - danieljoseaa -  03 Jan 2013, 13:27
(03/01)FORJA TAURUS (FJTA -N2) - Fato Relevante
DRI: Doris Beatriz Franca Wilhelm

A empresa enviou o seguinte fato relevante:

Porto Alegre, 03 de janeiro de 2013 - A Forjas Taurus S.A. ("Companhia ou  "Taurus") listada no Nivel 2 da BM&FBOVESPA (Simbolos: FJTA3, FJTA4), nos termos e para os fins do disposto no 4 do artigo 157 da Lei n. 6.404, de 15 de dezembro de 1976 e na Instrucao CVM n. 358, de 3 de janeiro de 2002, vem informar a seus Acionistas e ao mercado em geral que assinou um Acordo Exclusivo
de Distribuicao Global com a empresa americana Diamondback Firearms LLC, por meio de sua subsidiaria integral Taurus Holdings, baseada em Miami, Florida.

A Taurus e uma das lideres mundiais na producao de armas, alem de estar entre as 4 maiores redes de distribuicao dos EUA. Como parte desta recente parceria, a  Taurus assume toda a forca de vendas e marketing dos produtos da Diamondback, ampliando assim, o portfolio de produtos oferecidos para os clientes, em linha com a sua estrategia de atuar em certos nichos de mercado, alem de suas  tradicionais linhas de produtos, manufaturados no Brasil e nos EUA.

"Estou extremamente animado com a concretizacao desta nova parceria" declara o presidente da Taurus International Manufacturing Inc., Mark Kresser. "A  Diamondback Firearms e uma respeitada e reconhecida marca da industria de Defesa & Seguranca. Alem da alta qualidade de seus produtos, outros projetos inovadores estao em andamento, projetando um futuro muito otimista para empresa."

A Diamondback Firearms esta localizada em Cocoa, Florida, empregando habilidosos profissionais e engenheiros comprometidos com a producao de armas de alta qualidade para defesa pessoal para portadores responsaveis de armas. "Ter a oportunidade de firmar uma parceria com uma empresa solida, que compartilha das melhores praticas de mercado e de Governanca Corporativa, de producao e de design inovadores, que complementam nossa marca, e um ganho inestimavel para todas as partes", diz Bobby Fleckinger, proprietario da Diamondback Firearms.
"Encontrar um parceiro global como a Taurus garantira um futuro promissor a marca. Estou realmente orgulhoso dessa associacao".

A Companhia informa ainda, que exceto o presente Fato Relevante, desconhece qualquer outra informacao que possa impactar ou alterar os fundamentos da Companhia, que justifique o movimento excessivo de alta verificado no pregao do dia 28/12/12 e o de baixa acentuada no pregao do dia 02/01/2013 nas acoes ordinarias.

Sobre Diamondback Firearms LLC:

Diamondback Firearms LLC e uma empresa americana baseada em Cocoa, Florida. Para  informacoes adicionais viiste o site www.diamondbackfirearms.com.

Sobre TIMI:
TIMI - Taurus International Manufacturing, Inc. e uma subsidiaria integral de Forjas Taurus S.A. e tem orgulhoso de ser a importadora dos EUA, de todos as marcas de armas fabricadas pela Taurus no Brasil e ser a produtora do modelo de pistola PT-22 e PT-25 e PT-738 feitas nos EUA. Taurus International serve a todas as marcas de armas da Taurus, bem como da GARANTIA VITALICIA PARA A POLICIA (LIFETIME REPAIR POLICY) de seus produtos. Para informacoes adicionais
visite os sites www.taurususa.com e www.taurusri.com.br. Imagens em alta resolucao estao disponiveis no endereco www.taurusdownloads.com.

161103 - wakkomg -  19 Dez 2012, 19:41
Citação: qui_mico
e FJTA4 está subindo bem:http://www.estadao.com.br/noticias/internacional,obama-pressionara-por-lei-para-controlar-armas-nos-estados-unidos,975729,0.htm
É porque a FJTA4 vende armas de pequeno poder de fogo (pistolas)... a restrição é sobre armas com maior poder de fogo (fuzis)...

160745 - danieljoseaa -  17 Dez 2012, 17:37
[...]
Até FJTA4, que está longe de ser uma Brastemp e ainda por cima vendeu aquela parte da empresa como se fosse as casas Bahia, em 800 parcelas de 40 reais e só vai receber a primeira daqui a 1 ano, meu planejamento de momento é de vender 50% dela e embolsar um belo lucrinho de uns 70%, já que meu PM é de 1,87 nela(pior que o da maioria aqui, pois comprei em valores mais baixos que isso, mas também reforcei nos 2,2, o que elevou meu PM para 1,87) imagina VLID3......é dureza Fruzim, tô muito holder, hehe.

Ch, tá definido, vc será responsável pela minha "renda garantida", se VLID ficar 6 meses abaixo de 40 reais, vc completará minha receita .....kkkk.

160685 - Giriko -  17 Dez 2012, 13:19
Citação: 2Rath
Cacilda! O que houve com a FJTA4??? -10%???
Acho q é devido a provavel mudança na politica de posse de armas nos EUA depois desse ultimo massacre...

157410- paulo_prof -  17 Nov 2012, 09:44
Parece que nas condições presentes a FJTA tem condições de gerar um lucro anual na faixa dos R$ 40-45 milhões anuais. O valor presente para um lucro anual real de R$ 40 milhões se repetindo por toda eternidade, para uma taxa real de desconto anual de 8%, seria R$ 3,87.

No que concerne a dívida líquida, na faixa de 3 vezes o Ebitda anual, de fato está um pouco alta, mas nada muito dramático.

157363 - alexandroobol -  16 Nov 2012, 20:10
Será que FJTA corre o risco de virar uma KEPL?
Afinal, a dona PREVI já está lá com um bocado de ações, e o endividamento da empresa só cresce a cada trimestre. O LL parece que não tem forças pra romper
estes 10mm sem a ajuda dos impostos diferidos. Na teleconferência foi perguntado
sobre aumento de capital, e o capitão do navio saiu pela tangente, falando sobre
a possibilidade de vender as ações em tesouraria; mas aí é outro preju pois o preço do papel está abaixo do pago pela empresa.

Tô achando muito estranho o atual momento. Poderiam dar uma luz? Obrigado.

157059 - paulo_prof -  14 Nov 2012, 19:03
FJTA4
PREÇO: R$ 3,05
PAYOUT (2011): 44,9%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 7,56
P/VPA 1,11
PSR 0,59
DY 5,95%
EV/EBITDA 5,66
MARGEM BRUTA 42,3%
MARGEM OPERACIONAL 9,8%
MARGEM LÍQUIDA 7,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,404
MARGEM EBITDA 22,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 185,3%
ROE 14,66%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,75

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 9M12 em relação aos Resultados dos 9M11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,8%
RESULTADO BRUTO +11,3%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -24,0%
RESULTADO OPERACIONAL +102,5%
RESULTADO LÍQUIDO +33,3%
EBITDA +26,7%

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 3T12 em relação aos Resultados dos 3T11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,9%
RESULTADO BRUTO +4,8%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -63,0%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA +8,8%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal
a) do lucro líquido:
UA -30,34%
U2A 17,68%
U3A 5,92%

b) do patrimônio líquido médio
UA -19,94%
U2A -6,09%
U3A -1,04%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: -16,5%

156818 - uqaz -  13 Nov 2012, 23:57
Sobre Forjas Taurus (9,5mi em 3T12 x 16,5mi em 3T11):

"A comparabilidade com o 3T11 fica prejudicada, em função do reconhecimento contábil do prejuízo fiscal da Polimetal por ocasião da reestruturação societária ocorrida em julho de 2011, que gerou um imposto de renda diferido positivo de R$ 40,3 milhões, que foi contabilizado de uma única vez, e que não se repetiu no 3T12. Os valores foram reconhecidos em ativos e passivos fiscais diferidos na nota explicativa No 13 (b), e os créditos tributários serão absorvidos até 2021.

As operações da controlada Taurus Máquinas-Ferramenta Ltda., foram alienadas somente em 21 de junho de 2012, gerando ainda um impacto negativo das operações descontinuadas de R$ 0,9 milhão no 3T12. Entretanto, foram imateriais em comparação com o resultado negativo de operações descontinuadas de R$ 19,6 milhões verificado no 3T11.

Não foi nenhuma brastemp...mas tbm não foi de todo ruim.

156736 - danieljoseaa -  13 Nov 2012, 21:27
FJTA4......LL de 9.5 MI, exatamente igual ao 2° tri, porém, menor que o 3° tri de 2011.

156139 - small caps -  10 Nov 2012, 03:01
Citação: israel007
Small, FJTA qual a projeção tem para o 3t?
Entre R$ 10 e R$ 15 milhões... talvez um pouco mais para o topo...

Mas FJTA4 não é um BGIP ou uma EZTC3 para projetar o lucro :)

Varia bem mais...

Espero que consigam começar a diminuir a dívida líquida...

148003 - small caps - 11 Set 2012, 13:02
Cenário positivo para FJTA4, BEMA3, com tendência de bons resultados no restante do ano.

145824 - Ikki de Phoenix - 23 Ago 2012, 15:07O conselho de administração da fabricante de armamentos Forjas Taurus aprovou hoje em reunião a extinção de duas filiais da companhia localizadas no Rio Grande do Sul, uma na cidade de Gravataí e outra na cidade de São Leopoldo.
Com a operação, a empresa vai reintegrar ao capital social a quantia de R$ 10 mil por filial, quantia esta que foi destacada para giro do estabelecimento quando aconteceu a sua abertura.

Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/brasil/forjas-taurus-extingue-duas-filiais-do-rio-grande-do-sul-5873618.html#ixzz24NkoKhVC

O mercado não gostou da notícia: FJTA4 -7%

144885 - bommauricio -  16 Ago 2012, 03:25
Forjas Taurus lucra R$ 9,5 milhões no 2º tri
A receita líquida da companhia avançou 18,7% no período, para R$ 175,4 milhões.

15 de agosto de 2012 - A Forjas Taurus (FJTA3) registrou lucro líquido de R$ 9,5 milhões no segundo trimestre, revertendo prejuízo de R$ 0,2 milhões registrados no mesmo período de 2011.

Segundo a empresa, o resultado foi favorecido pelo crescimento de 20,7% no lucro bruto, redução de 2,5% nas despesas operacionais, que contribuíram para a maior geração operacional de caixa (Ebitda), com acréscimo de 54,6%.

A receita líquida da companhia avançou 18,7% no período, para R$ 175,4 milhões, enquanto o Ebitda foi de R$ 44 milhões, variação positiva de 54,6% frente aos R$ 28,5 milhões registrados no ano anterior.

Na base semestral, o lucro da companhia subiu 212%, para R$ 21,7 milhões frente aos R$ 6,9 milhões registrados em 2011. De janeiro a abril, a receita líquida subiu 16,5%, para R$ 353,8 milhões. O Ebitda teve alta de 37,4%, para R$ 80,5 milhões.

144297 - small caps - 14 Ago 2012, 12:25
alexandroobol, vc destacou os aspectos mais importantes do balanço.
A maior preocupação neste trimestre era mesmo o câmbio e diante da atual safra de balanços, podemos dizer que este se saiu bem.
A FJTA tirou provavelmente o último esqueleto do armário, representado pela companhia que lhe trazia pesados prejuízos...
O EBITDA está muitíssimo bom e em forte evolução.

144296 - uqaz -   14 Ago 2012, 12:14
Levando em conta um resultado trimestral de 10mi, 2mi Jah estão garantidos para sempre!
Imagine se a empresa engrena de vez. Imagine esses 4mi anuais nos dividendos vindouros. Só vou embora desse papel se msm assim eles derem preju.

144290 - alexandroobol - 14 Ago 2012, 10:45
Caro Small,

Confesso que estava receoso quanto a FJTA4 neste 2tri, principalmente devido a dívidas em U$ e tb pela não publicação, à época, dos detalhes da venda da Wotan.

Me desagradou o prazo de recebimento dos R$115 milhões porém, estanca-se um prejuízo trimestral. Me preocupou tb a queda nas margens do setor ARMAS no semestre, o que é explicado por uma parada técnica de 20 dias(considerável).

Não identifiquei prejuízo com o câmbio, o que posso estar enganado; se não, um baita trabalho do financeiro, tendo em vista os recentes resultados de empresas renomadas com dívidas em moeda estrangeira.

Um fato bastante positivo é a participação do setor 'OUTROS', que embora componha pequena parte nas receitas, dobrou seu valor, e com margens excelentes. E Pra mim o principal: começam a explorar outros nichos com a compra da STEELINJECT, como o de óleo e gás - em suma, partem pra 'peças com maior valor agregado' fugindo da 'comoditização' .

O setor CAPACETES tb veio com margens excelentes a meu ver, com aumento da fatia no mercado e agora, a parceria com uma empresa italiana para lançamentos de novos modelos. Vi a foto de um destes e parece-me um produto diferenciado, o que talvez seja o caso tb da fuga do lugar comum, com produtos mais sofisticados e maior valor agregado. A confirmar.

Mas sem dúvida, a evolução dos números do item OUTROS me animou bastante, considerando-se que é a partir deste 2sem que a empresa começa a explorar integralmente as ultimas aquisições. Se continuar crescendo nestes patamares...

Interessante tb a migração de parques fabris visando economias. Na parte de remuneração aos administradores, observei sensível redução semestre a semestre, o que parece compatível com a nova fase.

Como sei que está no papel e até ampliou sua fatia, gostaria da sua opinião a respeito deste 2tri. E fica a pergunta: será que a empresa 'entrou nos trilhos'.

144285 - 14 Ago 2012, 07:58
E a alienação Da taurus maquinas só começara a ser paga em 2013 conforme balanço
"Alienação das operações da Taurus Máquinas-Ferramenta Ltda.
Em 21 de junho de 2012 foi aprovada em reunião do Conselho de Administração a venda das operações da controlada Taurus Máquinas-Ferramenta Ltda., tendo sido realizada por meio da venda da empresa SM Metalurgia Ltda., constituída com a integralização dos bens objeto da venda (terrenos, máquinas e equipamentos, marcas e patentes e outros direitos) pelo valor total de R$ 115,3 milhões, que serão pagos da seguinte forma:
a) 55,5% do total, correspondentes a R$ 64 milhões em 18 parcelas semestrais a partir de 30 de junho de 2013, sendo as duas primeiras no valor de R$2,6 milhões e as demais com vencimento a partir de 30 de junho de 2014 no valor de R$ 3,7 milhões, com notas promissórias garantidas pela Sudmetal Indútria Metalúrgica S.A.; e
b) 44,5% restantes, no total de R$ 51,3 milhões em parcelas mensais, vencendo a 1a, 180 dias após o vencimento da última parcela prevista no item (a) acima."

144204 - 13 Ago 2012, 23:19
Resultado do 2º Trimestre de 2012
A empresa anunciou lucro líquido de R$ 9,5 M no 2° trimestre de 2012, redução de 21,5% em relação ao 1° trimestre de 2012. No mesmo período do ano passado, o resultado havia sido negativo em R$ 211,0 k. A receita líquida totalizou R$ 111,3 M neste trimestre, uma variação de 50,4% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e aumento de 26,0% em relação ao 2T11.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 25,8% contra 18,8% no trimestre anterior e 27,1% no 2T11. Já a margem líquida ficou em 8,6% no 2T12 contra 16,4% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 915,5 M, crescimento de 27,0% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 353,3 M no 2° trimestre de 2012, valor -23,1% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

85820 -   fazambuj - 10/Ago/2011 15:20
citação: harleyhrAlguém já comentou o resultado de FJTA4?
Eu comentei um pouco atrás:
"Taurus apresentou prejuízo no 2T11. A operação de máquinas apresentou prejuízo BRUTO!!! Que bela porcaria de empresa. Eles insistem no erro de produzir máquinas que dão prejuízo, na esperança de que as encomendas do pré-sal vão salvar a lavoura. Se fechasse essa grande merda de subsidiária, a empresa já estaria muito bem. Pô, fecha essa porcaria de fábrica de máquinas e abre um puteiro!"

Acompanho a empresa há muito tempo. Sempre tive simpatia por ela e seu principal produto. Mas os caras estão pisando feio na bola:
1) Só produzem produtos de margem líquida apertada;
2) não param de produzir máquinas que dão prejuízo;
3) não estão investindo em novos produtos com melhores margens;
4) não estão aproveitando o dólar e a crise americana para expandirem operações por lá;
5) pisaram feio no calo do minoritário com a "reestruturação" à moda Petrobrás;

Com o mercado jogando no lixo até a Vale com um p/l de 5, o que tu achas que vai acontecer com essa merda? E o pior é que o próprio diretor da empresa, um tempo atrás, estava dizendo que talvez fosse necessária uma nova oferta de ações para acelerar o crescimento. Mas agora, com que cara-de-pau os caras vão pedir dinheiro pro mercado? Essa aí é candidata a virar mico.
desconto anual real de 10%): +15%

102145 - paulo_prof - 12/Nov/2011 18:11
citação: pampneto
Professor poderia nos brindar com os multiplos de FJTA4?
Grato pela atenção

Parece que este é mais um caso de empresa cujo contador ñão é muito do ramo ...

Se vc somar os resultados do 1S11 com aqueles do 3T11, de forma alguma vc é capaz de obter os resultados informados para o período dos 9M11.

Ou houve um erro na informação relativa ao 1S11, ou está havendo um erro agora. De qualquer forma, o contador se faz de mudo ... tipo ... não é comigo! Fecha os olhos na esperança que as varadas não sejam notadas ...

É possível que as discrepâncias sejam devidas à reestruturação, tipo, para tentar comparar bananas com bananas, todos os números relativos às operações que serão descontinuadas foram eliminadas dos resultados, seja em 2011, seja em 2010. Mas não coloco a minha mão no fogo.

Por outro lado, há que se ler o relatório com muita atenção para verificar se o diretor financeiro também não andou fazendo caca ... já que o resultado financeiro estourou a boca do balão negativamente. O que deu para perceber e que até o final do 2T11, a dívida em dólares era de R$ 60 milhões. Como no final do 3T11 já era de R$ 160 milhões, suspeito que as decisões de âmbito financeiro não foram das melhores.

FJTA4

Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,0%
RESULTADO BRUTO -7,6%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +1408%
RESULTADO OPERACIONAL -57,7%
RESULTADO LÍQUIDO +23,5%
EBITDA -12,8%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: -20,8%

Multiplicadores relativos aos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 1,79
PAYOUT: 31,4%
P/L      3,09
P/VPA            0,71
PSR     0,34
DY      10,16%
EV/EBITDA  4,31
MARGEM BRUTA  40,5%
MARGEM OPERACIONAL          7,4%
MARGEM LÍQUIDA          11,1%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,579
MARGEM EBITDA 18,4%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       146,7%
ROE    23,13%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,82

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      98,82%          
U2A    30,60%          
U3A    8,38% 

b) do patrimônio líquido médio
UA      10,15%
U2A    10,01%
U3A    11,28%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): -25%

Há que se ter, entretanto, muito cuidado com os números ... O resultado do 3T11 foi turbinado com uma injeção de R$ 40,3 milhões diretamente na veia, via diferimento de impostos.

Em condições normais (estabilidade cambial e boa gestão), acredito que o resultado financeiro fique na casa dos aprox. R$ 9 milhões negativos trimestrais. Por outro lado, as desepesas operacionais devem somar aprox. R$ 40 milhões por trimestre. Em conseqüência, um Resultado Operacional "normal" do 3T11 teria sido de aprox. R$ 17 milhões, projetando um lucro líquido trimestral na faixa dos R$ 11,5 milhões trimestrais, ou não mais de R$ 45 milhões no ano.

Guigui, faz tempo que você acompanha a empresa?
Ela hoje corresponde ao meu maior "prejuízo virtual" em bolsa, com baixa de 23,4%. Mas é uma fração ínfima, de 0,41%.
Entretanto, acredito muito nela, tanto pelos múltiplos que você mencionou, quanto pela expansão na fabricação de capacetes.
Como alguém comentou no fórum específico, os maiores consumidores são os motoboys (tanto quanto motoqueiros quanto como bandidos), que se espalham que nem uma praga.

Sobral, vou te passar uma analise bem interessante do blog do ini a respeito do ativo...e respondendo a sua pergunta, faz tempo que acompanho o ativo e conheço a gestao do negocio e tenho certeza que se trata de um caso de miopia do mercado...

Os acionistas das Forjas Taurus (FJTA3 e FJTA4) dormiram no dia 06/07 com suas ações PN a R$ 3,39 e acordaram no dia 07/07 com suas ações a R$ 2,65.

Por quê?

Mesmo para quem vem acompanhando os últimos acontecimentos, o fator de ajuste pode ter causado alguma surpresa, ainda mais porque as ações PN subiram 20% em um só dia (07/07) indicando que muitos investidores talvez não tenham compreendido a operação.

Então vamos explicá-la!

Obs. Sugiro fortemente a leitura desse post até o fim. É um caso talvez inédito na bolsa.

A origem do ajuste

Há algumas semanas a Companhia publicou uma operação de reestruturação onde, simplificando a história, o acionista controlador seria diluído (perdendo a posição majoritária nas ON) e em contrapartida a Taurus iria incorporar a Polimetal, empresa com passivo significativo.

Como a operação foi aprovada EXCLUSIVAMENTE por detentores de ações PN, entende-se que a maioria dos minoritários concordou com os termos.

Mas, naturalmente, as ações da companhia sofreram bastante caindo de algo como R$ 5,00 para R$ 3,30. Mesmo com as perspectivas de melhoria na governança (Nível 2 e 100% de Tag Along nas PN) e possibilidade de dinamizar a gestão, a incorporação do pesado passivo falou mais alto.

Esse valor inclusive (R$ 3,30) foi oferecido a todos os acionistas que não concordassem com a operação (direito de recesso). Pelo fato relevante divulgado ontem pela empresa, aproximadamente 7% das ações serão reembolsadas (10.000.000 de ações).

O ajuste

Tenham em mente o seguinte: a ação PN estava valendo R$ 3,39 e a ON R$ 3,70, no fechamento do dia 06/07, antes do ajuste.

O valor de mercado da Companhia era de: 47.019.192 de ON x R$ 3,70 + 94.038.384 x R$ 3,39 = R$ 492,8 milhões.

Pois bem, as operações são complexas, vejam (não é preciso entender):

QTD TX Tipo QTD TX TIPO QTD QTD Final
1000 0,0838 ONA 83,81 1,9667 FJTA3 164,84 227,63
0,3755 ONB 375,54 1,9331 FJTA4 725,96 1.002,52
459,35 0,0336 FJTA3 12,62 17,43
903,42 1.247,58
Sem contar as aproximações, quem tivesse 1.000 ações PN da FJTA terminaria com 1.002,52 PN + 227,63 ON.

Na realidade há uma aproximação para cima, pois o acionista majoritário (amplamente diluído) vai ceder sem ônus ações para cobrir as frações das posições de todos os outros acionistas.

Segundo o fato relevante de hoje, que sairá nos jornais na segunda, 11/07 (AQUI), o acionista terminará com 1.004 PN e 246 ON, totalizando 1.250 ações.

Isso posto, em tese o acionista teria uma pequena perda técnica, próxima a 0,5% (provavelmente derivada de algum ajuste que não consegui detectar). Vejam:

TIPO QTD 06/07 QTD 07/07 Cot 06/07 R$ Cot 07/07 R$
FJTA3 - 246,00 3,70 - 2,90 713,40
FJTA4 1.000,00 1.004,00 3,39 3.390,00 2,65 2.660,60
Total 1.000,00 1.250,00 Total 3.390,00 Total 3.374,00
Primeira pergunta, so far…

Quando os acionistas verão essas ações? Hoje ainda constam as ações atuais na custódia, segundo o fato relevante os acionistas verão o resultado da reestruturação em 12/07, terça-feira.

Segunda pergunta…

Se não houve perda, por que a ação subiu tanto no dia 07/07 (20% na PN e quase 10% na ON)?

Bom, ao contrário do que imaginou a maioria dos investidores, o ajuste foi “sem perdas”, foi técnico, como manda a regra da bolsa.

O que significa que, na contabilidade de um clube de investimentos por exemplo, aqueles 20% entrariam como ganho na cota, pois foi isso mesmo que aconteceu.

Essa pergunta não tem resposta técnica. Subiu porque compraram bastante.

Ou será que tem justificativa técnica e matemática?

Terceira pergunta?

Qual o novo valor de mercado da empresa?

A FJTA vai ficar com 47.137.539 ações ON e 94.275.078 ações PN, totalizando 141,41 milhões de ações, quase a mesma quantidade inicial (talvez essa diferença explique em parte aquela pequena perda calculada anteriormente).

Ao preço de hoje (PN R$ 3,07 e ON R$ 3,10), o valor de mercado da FJTA estaria em R$ 435,55 milhões, 11,5% menor do que em 06/07.

Onde está a mágica?

O leitor deve estar perguntando: Não faz sentido, se o ajuste não trouxe perdas, como é que, mesmo subindo em relação ao ajuste do dia 07/07 (de R$ 2,65 para R$ 3,07 e de R$ 2,90 para R$ 3,10) o valor de mercado da companhia está 11,5% menor.

Simples. Como a FJTA incorporou um ativo endividado, os acionistas majoritários tiveram que pagar com sua própria participação na empresa. A diluição deles foi “transferida” para os outros acionistas.

No popular, a FJTA assumiu um prejuízo dos majoritários, que pagaram com perda/transferência de ações.

Isso fez com que os outros acionistas ganhassem MESMO com a queda de 11,5% no preço de mercado da empresa.

Mas isso tudo não era sabido?

Sim, ninguém no mercado tinha dúvida que a reestruturação sairia, tanto é verdade que as ações apanharam bastante.

O leitor não está enganado, realmente há uma “descontinuidade” nessa história. Se o valor de mercado de R$ 492 milhões, em 06/07, respondia pela percepção do mercado naquele dia, o que mudou para que a empresa passasse a valer R$ 435 milhões?

Só existe uma resposta: MERCADO.

Creio que isso prova categoricamente que o mercado não é racional, principalmente no curto prazo. Apesar de ser óbvio que os eventos do dia 07/07 não poderiam reduzir o preço das ações em 11,5%, ninguém tem coragem de colocar uma ordem de compra de R$ 3,39 para a PN ou R$ 3,70 para ON.

Ainda mais com uma empresa com tão pouca liquidez.

Resumindo…

Well… são fatos, provavelmente, inéditos na bolsa. O valor de mercado cai 11,5%, mas a riqueza do acionista não-controlador sobe!!!!

O coelho dessa cartola é a incorporação da Polimetal, uma empresa deficitária por quem a Taurus hoje responde. Por isso a transferência de ações entre os controladores e os outros acionistas.

O futuro???

Ora… Só Deus Sabe!!!



Mas ao preço de hoje (08/07 às 14:00), pode-se afirmar categoricamente, o minoritário não diluído está com um ganho de 12,68%.

82143 -  guigui28 - 01/Ago/2011 18:11
citação: sobral30
citação: guigui28
citação: Ikki de PhoenixPessoal, alguém opina sobre a Taurus? Descendo a ladeira há algum tempo sem grandes motivos pra tal.
Está começando a ficar interessantíssima.
Concordo Ikki, tanto que comecei a montar posição no ativo semana passada.

Entendo que o mercado precifica somente a parte de armas e hoje juntando todas as empresas do grupo, seguramente Taurus tem um valor de mercado de 1 bilhao de reais.

Problema é que o mercado esta penalizando o ativo, pela falta de transparência da empresa( RI ) mto fraco, além disso o papel está muito concentrado na mao de 2 fundo (GF E Previ).

A parte boa é que o controlador percebeu que precisava reestruturar a composição acionaria da empresa, jogando ações ordinárias nas maos dos minoritários para aumentar a liquidez do ativo e também para separar a parte de armas do restante do negocio.

Mais cedo ou mais tarde o mercado se da conta dessa discrepância e corrige o valor do ativo...tomara que demore um pouquinho ainda, pois estou incluido-a em minha carteira em torno de 10% dela.

Para concluir, o ativo está sendo negociado a múltiplos ridiculos, pois no exercicio de 2010 lucrou R$ 70 milhoes e tem um valor de mercado de R$ 318 milhoes o que da um p/l de menos de 5 e um valor patrimonial de 0,7x

Uma oportunidade interessante para quem almeja o longo prazo e conhece o potencial da empresa, pois suas concorrentes nos eua( estou falando somente de armas) está sendo negociada a um p/l de 22x o lucro...

Código da Ação FJTA4
A Forjas Taurus é a maior empresa de armas curtas da América Latina e uma das três maiores fabricantes mundiais, exportando para mais de 70 países. É RECONHECIDA PELA QUALIDADE E CONFIABILIDADE EM TUDO QUE PRODUZ”. A marca Taurus tem alcance internacional, especialmente nos Estados Unidos.;
O grupo Taurus é composto pela companhia controladora (com ações negociadas na Bovespa) e mais 5 empresas que atuam nos segmentos de segurança, bens de capital, automobilístico e petróleo, com destaque para a produção e comercialização de armas curtas, revólveres e pistolas, escudos antitumulto, coletes balísticos, capacetes para motociclistas, máquinas operatrizes de grande porte e peças forjadas e usinadas;
Empresas

A Divisão de Forjados produz peças a partir de 5kg para mercados como o de autopeças, agroindústria e eletroferragens, entre outros.
Em seus mais de 60 anos, a inovação sempre foi a marca da Forjas Taurus. Hoje, exporta para mais de 70 países e é uma das três maiores fabricantes mundiais de armas curtas. Atualmente, fabrica revólveres, pistolas, carabinas, armas de pressão e armas policiais, para o mercado interno e internacional.

A partir de 2004, passou a fazer parte do Grupo Taurus, alcançando rapidamente a liderança no mercado brasileiro e latino-americano de mandrilhadoras e fresadoras. Única fabricante de centros de usinagem pesada da América Latina, a Taurus Wotan alia tecnologia própria de última geração ao know how de uma indústria que tem cerca de 3 mil máquinas instaladas e exporta para mais de 40 países.
Com um parque industrial com máquinas de última geração, é a única no Brasil com capacidade técnica para produzir contêineres e papeleiras utilizados na coleta seletiva de resíduos sólidos e no processo de varredura e limpeza urbana. São produtos feitos em polietileno de alta densidade, avaliados em rigorosos testes de resistência e que reforçam o compromisso da Taurus na preservação do meio ambiente.
A TIMI (Taurus International Manufactoring Inc.) foi fundada em 1983 em Miami, na Flórida (EUA), e é a maior responsável pelo crescimento da Taurus no mercado americano. Produz dois sucessos de vendas nos Estados Unidos – as pistolas .22 e .25 – e possui um departamento de engenharia avançada que desenvolve projetos em conjunto com a matriz brasileira.
A aliança estratégica entre a Famastil e a Taurus, ocorrida em 2004, marca um novo ciclo de inovação e prosperidade para o setor de ferramentas. Essa união resultou na ampliação do mix de produtos, que além das tradicionais linhas para a construção civil e jardinagem, passou a contar com novas para a área mecânica. Atualmente, além de distribuir seus produtos em todo o Brasil, a Famastil exporta para os cinco continentes.
Iniciou a fabricação de capacetes no Brasil e hoje é líder no mercado, com cerca de 50 modelos diferentes. Nos anos 80, desenvolveu os primeiros modelos em fibra de vidro e utilizando o Kevlar® como matéria-prima. Construindo e desenvolvendo um moderno sistema de testes de impacto e resistência, nos anos 90, a Taurus tornou-se a única empresa em toda a América do Sul a possuir um laboratório que atende às Normas NBR e SNELL (USA).
Fundada em abril de 1983, a Taurus Blindagens é líder no mercado brasileiro de coletes à prova de balas. A fábrica foi pioneira na utilização de fibras sintéticas mais resistentes que o aço. Hoje, os coletes balísticos Taurus são confeccionados a partir da alta tecnologia das fibras aramídicas, de polietileno e mistas.

As exportações representam cerca de 30% das suas vendas totais, preponderantemente armas curtas, sendo o principal demandante o mercado norte-americano. A Taurus possui aproximadamente 25% de market share nos EUA, no segmento de pistolas e revólveres, um mercado estimado em US$ 850 milhões;
As estratégias da Forjas Taurus visam manter a posição conquistada no segmento de armas curtas, com melhoria em sua rentabilidade através do lançamento de novos produtos e ganhos de produtividade, foco no crescimento das vendas nos segmentos de capacetes para motociclistas, máquinas operatrizes e peças forjadas e usinadas, e o contínuo aumento na lucratividade de seus negócios

RESUMO DA AVALIAÇÃO -Geração Futuro
A avaliação das projeções de resultado das cinco principais empresas do grupo mais a coligada Famastil Taurus. Nosso preço justo é obtido através do somatório dos Fluxos de Caixa Descontados de cada uma das unidades de negócio – armas, máquinas,capacetes e coletes à prova de balas e a parcela proporcional que a companhia possui na unidade de ferramentas manuais (Famastil Taurus) – para assim chegar ao valor econômico da Forjas Taurus.
A seguir, destacamos os principais tópicos da avaliação (números consolidados):
Receita Líquida – Receita líquida projetada para ’08 de R$ 580,1 milhões e R$ 609,2
milhões em ’09, expansão de 35,2% e 41,9% sobre ’07, respectivamente. Entre ’10 – ’13, consideramos um crescimento médio anual das receitas de 6,5%.
Custos e Margem Bruta – Os custos totais estimados para a companhia em ’08 somam
R$ 339,0 milhões e R$ 369,6 milhões em ’09. Projetamos uma evolução média anual dos
custos no período posterior, entre ’10 – ‘13 de 6,2%. O lucro bruto atinge R$ 241,1 milhões em ’08 e R$ 239,5 milhões em ’09, com margem bruta de 41,6% e 39,3%,
respectivamente. A margem bruta média entre os anos de ’10 – ’13 situa-se em 40,5%.
EBITDA e Margem EBITDA – O EBITDA em ’08 soma R$ 112,5 milhões, com margem EBITDA de 19,4% e em ’09 somando R$ 100,8 milhões com margem de 16,5%. Entre ‘10-‘13 estimamos margem EBITDA média de 19,5%.
Lucro líquido (controladora) – Nossas projeções apontam que o lucro líquido em ’08 alcançará R$ 62,0 milhões e R$ 63,0 milhões em ’09. Nos anos posteriores, entre ’10 –’13, o crescimento médio anual do lucro líquido é de 9,0%, influenciado, sobretudo, por incrementos das margens e a redução das despesas financeiras.
Endividamento – A dívida líquida da companhia em ’07 atingiu R$ 119,4 milhões, ou 1,4x seu EBITDA. Ao final de ’08 a relação Dívida/ EBITDA projetada é de 1,6x, com sua maior geração de caixa compensando em parte o aumento do endividamento líquido. A elevação do nível de endividamento bruto é conseqüência do volume maior de capital de giro, face o substancial aumento das vendas e pela aquisição de máquinas e equipamentos para ampliar as capacidades de produção das unidades de armas e capacetes. 
Investimento – O valor dos investimentos na controladora alcança R$ 35,0 milhões em ’08 e R$ 25 milhões em ’09, superando sua depreciação do período. Nos anos seguintes, ’10 – ’13, trabalhamos com um valor de investimentos médio de 1,2x sua depreciação no período, conservadoramente superior a sua depreciação média, dado o crescimento projetado dos seus principais negócios.
Dividendos – Inserimos na avaliação o pagamento de proventos na forma de juros sobre capital próprio mais pagamento complementar de proventos na forma de dividendos. Considerando pay-out médio de 30% entre ’08 – ’13.

VISÃO GERAL DOS NEGÓCIOS
As empresas Taurus atuam em três principais segmentos, são eles:
a) Segurança - armas leves e capacetes para motociclistas;
b) Bens de Capital – máquinas operatrizes;
c) Forjaria – peças forjadas e usinadas.


Segmento de Segurança 

Armas Leves - Mercado Externo
No ano de 2007 as exportações brasileiras de armas leves apresentaram crescimento em dólar (FOB)de 70%,somando US$82,1 milhões contra US$48,5 milhões em 06.Em reais (FOB),o crescimento foi de 51% em relação ao mesmo período de ‘06, inferior em virtude da expressiva valorização do real frente ao dólar.
Entre Jan-Mar’08, as exportações brasileiras ao mercado americano representaram 88% do total, somando US$ 12,5 milhões no período.
Nos últimos 12 meses (Abr’07-Mar’08), as exportações de armas do Brasil, preponderantemente da Forjas Taurus, cresceram 41,4% em dólares em relação aos 12 meses anteriores.
Em ’07 as exportações de armas representaram 63,4% da receita líquida da Forja Taurus
(controladora), no valor de R$ 149,9 milhões.
A partir do 2S07, a Forjas Taurus elevou suas exportações com destino a subsidiária
Taurus USA (TIMI) para atender o período de forte demanda no mercado norte-americano,
marcadamente nos últimos meses do ano. Os níveis de estoques mais altos na sua subsidiária americana no final de ’07 e início de ’08 e as férias coletivas concedidas aos funcionários da unidade de armas em Porto Alegre/ RS, em fevereiro’08 (historicamente neste mês do ano), reduziram o ritmo das exportações da Forjas Taurus nos primeiros dois meses do ano corrente; no entanto, a partir de março’08, as exportações já retornaram a um patamar de crescimento de dois dígitos, sendo 25,2% superiores em receita (US$ FOB), comparada ao mesmo período de ’07.
No mês de fev’08, ocorreu em Las Vegas/ EUA a Shot Show 2008, trata-se da mais importante feira mundial do setor e serve de termômetro para o desempenho das vendas no ano. Na edição ’08, a Taurus apresentou seus novos modelos de pistolas e revólveres.
Entre os lançamentos mais procurados pelos participantes da feira, destacamos a moderna pistola PT 809. É atualmente uma das mais avançadas pistolas semi-automáticas disponível no mercado, produzida com base na pistola 24/7 OSS - especifica para as forças policiais - e agora disponível ao consumidor civil.

33795 - paulo_prof - 27/Abr/2010 14:53
citação: fazambujpaulo_prof,
aproveitando a tua presença, poderias cmentar o meu post 33778? Sobra a Taurus... que tal os resultados? Estamos em um p/l de 10 mas a empresa parece estar parando de crescer...
Não li o relatório ... mas sou capaz de apostar que tudo depende mesmo é do câmbio. Se o câmbio médio no 2T09 ficar acima dos R$ 1,78, a empresa não deverá ter problemas. Se ficar abaixo dos R$ 1,65, a porca vai torcer o rabo.

33793 - paulo_prof - 27/Abr/2010 14:44
Relativamente aos 12 últimos meses, os novos múltiplos são:
RECEITA OPERACIONAL BRUTA 761.252
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 625.640
RESULTADO BRUTO 315.500
RESULTADO FINANCEIRO -2.128
RESULTADO OPERACIONAL 95.655
RESULTADO LÍQUIDO 53.053
EBITDA 122.697
ATIVO TOTAL 882.198
ATIVO CIRCULANTE 589.913
DISPONIBILIDADES 162.532
PASSIVO CIRCULANTE 304.206
DÍVIDA BRUTA 231.739
DÍVIDA LÍQUIDA 69.207
PATRIMÔNIO LÍQUIDO 383.234
P/L 12,07
P/VPA 1,67
PSR 1,02
DY 2,48%
EV/EBTIDA 5,78
MARGEM BRUTA 50,4%
MARGEM OPERACIONAL 15,3%
MARGEM LÍQUIDA 8,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,496
MARGEM EBITDA 19,6%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 60,5%
ROE 13,84%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,94
P/(CAP GIRO/AÇÃO) 2,24
GIRO ATIVOS 0,71
P/(ATIVO/AÇÃO) 0,73
Relativamente aos últimos 3 meses anualizados, P/L = 10,78, DY 2,77%, PSR = 1,04 e ROE = 15,50%
Relativamente aos últimos 6 meses anualizados, P/L = 9,55, DY 3,48%, PSR = 1,12 e ROE = 17,72%
Percebe-se, como exporta parte considerável de sua produção, que a cotação da moeda é quem dita o nível das receitas. Em 2009, as receitas foram diminuindo trimestre a trimestre, atingindo o mínimo no 4T09. As receitas do 1T10 mostram uma recuperação em relação ao 4T09, chegando no nível daquelas do 3T09. A diferença é que agora o aumento das margens conseguido no 4T09 foi mantido (margens bruta e líquida cairam em relação aquelas do 4T09, mas as margens operacional e ebitda, cresceram.
Se o real voltar a valorizar, não acredito que a empresa seja capaz de repetir este resultado.

33778 - fazambuj - 27/Abr/2010 12:03
e a Taurus, heim? Parece que o crescimento dela botou o pé no freio. Receita diminuiu 25% mas as margens aumentaram e o lucro acabou subindo 18%. p/l de 10 (u3m). Sei lá, estou me coçando para cair fora. O diferencial da Taurus sempre foi o crescimento, mas parece que o setor não anda lá tão bem assim...

31570 - Kings of Leon - 28/Mar/2010 18:44
Sobre FJTA -Forja Taurus achei o resultado muito bom.Com certeza vale a pena manter sim. Um segmento deles(Taurus Máquinas - Ferramentas) teve um prejú absurdo de 43 milhões e mesmo assim temos lucro respeitável total(53 milhões) com margem líquida >10% e ROE >15% anual.
Um dado chama a atenção: "(vi) eventual reestruturação societária das Empresas
Taurus como forma de otimizar os resultados."
Isso com certeza é sobre a Taurus máquinas e ferramentas.Demorou p/tomarem uma atitude mais enérgica

20373 - paulo_prof- 11/Nov/2009 12:09
citação: NyassadFJTA4 alguém analisa?
Tem boas margens, fundamentos, histórico de crescimento excelente e equilibrado.
tô querendo comprar umas pra longo prazo, mas só depois que essa queda párar e apontar pra cima de novo. Estão maltratando a bichinha!
Não li o relatório. Pelos fundamentos, entretanto, o ativo está bastante caro.

4714 - OSSC - 25/Abr/2009 09:41
"O que acha da FJTA4? Ela está sendo negociada a um P/L de 5.7 09E contra um P/L norte de 20x das concorrentes S&W e Ruger. Vale lembrar que o mercado americano é o principal comprador da linha de armamentos (divisão representa aprox 56% das vendas totais) da Taurus. Alem disso pelo li a respeito, os fabricantes americanos não estão conseguindo atender a demanda. Soube que a Taurus esta ampliando a fabrica de Miami e contratando 500 pessoas."


3362 - paulorizzi - 01/Abr/2009 23:35
citação: Capa_Preta
...
Estou de olho numa Lurdinha (minha metralhadora) nova. O que acha de FJTA?
"De uma maneira geral, acho que os múltiplos de ROMI3, no setor, são melhores (excetuando a dívida bruta/patrimônio líquido, DY e a taxa de crescimento da receita líquida). Ambas apresentam aprox. as mesmas margens bruta e Ebitda, os mesmos ROEs, mas a margem líquida da Romi é melhor, assim como P/L,P/VPA e PSR."
"Ocorre que no curto prazo a performance da FJTA é muito melhor. No 4T08, as margens foram as seguintes:"
"FJTA: M. Bruta = 45,9%; M. Operacional = 9,0%; M. Líquida = 7,6%; Margem Ebitda = 25,7%; ROE = 14,21%; redução da renda líquida de 15,6%, do 3T08 para o 4T08."
"ROMI: M. Bruta = 36,9%; M. Operacional = 13,9%; M. Líquida = 10,6%; Margem Ebitda = 9,1%; ROE = 10,03%; redução da renda líquida de 16,9%, do 3T08 para o 4T08; redução da renda líquida de 15,6%, do 3T08 para o 4T08."


"Ocorre que no 3T08 e 4T08 a FTJA foi duramente penalizada pelo resultado financeiro (o pequeno resultado positivo de R$ 2,5 milhões no 1o. semestre transformou-se num vultuoso resultado negativo de R$ 34 milhões). Não li o relatório, mas quero crer que este resultado deva ter sido impactado pelo câmbio. É de se esperar que, com a estabilização do câmbio, o resultado financeiro líquido daqui em diante seja neutro, de forma a permitir que se estime que a margem operacional seja dobrada."

2794 - small caps

"FJTA4 é uma empresa que deu uma das maiores oportunidades da bolsa, na época da decisão popular sobre o uso de armas. Tinha ações da empresa na época, compradas por R$ 0,53. No antigo fórum do BRSM chequei a indicar a compra de ações da empresa. Na época tinha como alcunha ""Santa Catarina""... faz um tempinho já... até que passei a me denominar ""small caps"", diante das grandes oportunidades que sempre tem neste campo e dos ganhos que elas me garantiram..."

"Depois de subir de acordo com seu futuro real, a empresa passou, a partir de um determinado patamar de preços (uns R$ 6,00), a custar demais, muito acima do seus potencial futuro de desempenho. Era uma época de euforia desmedida e ela foi uma das ações que surfou nesta onda."

"Hoje o preço das ações indica uma compra razoável, mas nada que a diferença de preços entre o pico das cotações e atualmente sugeriria como desconto excessivo. Se não me engano, bateu os R$ 14,00... chegando a níveis de P/L, P/VPA e PSR pouco recomendáveis para ações do segmento industrial."

Nenhum comentário: