Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 30 de março de 2020

Smiles (SMLS)


Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: M Boi Mirim (2018)

Carteiras
Chupim PRO (ago/15set/15) - effexop (jul/19) - Gersonlp (jun/17) - Lucro Liquido (jun/18)

Códigos de Negociação
Tipo
SMLS3
 Novo Mercado 

Balanços
A2019/4T2019 - DFP de 31/12/19

3T2018 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = Resultado Líquido de R$ 212 milhões no 3T18 x R$ 339 milhões no 3T17; RESULTADO OPERACIONAL = R$ 323 milhões no 3T18 x 211 milhões no 3T17; RESULTADO FINANCEIRO = R$ 96 milhões no 3T18 x 52 milhões no 3T17; EBITDA = R$ 231 milhões no 3T18 x 162 milhões no 3T17; RELATORIO DA ADM = A Smiles iniciou suas atividades como um programa individual de fidelização, mas evoluiu em direção ao modelo atual, tornando-se um modelo de coalizão com algumas características singulares, que permite o acúmulo e resgate de Milhas em voos da GOL e suas parceiras aéreas internacionais, bem como nos principais bancos comerciais brasileiros, incluindo os cartões co-branded emitidos pelo Bradesco, Banco do Brasil e Santander, além de ampla rede de parceiros de varejo. O modelo atual funciona através (i) do acúmulo de Milhas pelo Participante quando da aquisição de passagens aéreas da GOL ou de outras companhias aéreas parceiras, ou produtos e serviços dos Parceiros Comerciais e financeiros, que adquirem estas milhas da Smiles como forma de fidelização de seus clientes, e (ii) do resgate de Prêmios pelo Participante quando da troca de suas Milhas por passagens aéreas da GOL e de outras companhias aéreas parceiras ou ainda por produtos e serviços dos Parceiros Comerciais e financeiros.

3T2017 -

Características
Programa de Milhagem para fidelizar os clientes próprio ou de terceiros. Acúmulo de Milhas pela compra de passagens aéreas; Uso de Cartão de Crédito. Hotéis. Locadoras de Veículos e Restaurantes.

Apresentações
19/02/2020 - Dados Financeiros - Press-release

19/02/2020 - Apresentacao a analistas/agentes mercado

Assembleias

Balanços (Calendário)



19/02/2020 - Apresentacao a analistas/agentes mercado


364875  - keep_calm  -  30 Out 2019, 17:15
Smiles (SMLS3): A Smiles apresentou lucro líquido de R$ 149,5 milhões no terceiro trimestre deste ano, significando queda de de 29,5%. Desconsiderando efeitos extraordinários registrados há um ano, o lucro teria recuado 2,5%.

Prof a SMLS3 tem alguma chance d se livrar da caixa de maldades da Gol? Está ridícula de barata.... inacreditável como a coisa desandou
Acho provável que no futuro, as empresas voltem a conversar os termos de uma incorporação. Para a GOL é interessante que o valor de mercado da Smiles permaneça o menor possível.

Se os preços hoje praticados fossem mantidos até o final do contrato em 2032, o preço da SMLS3 certamente não seria o que é. Ocorre que até o final do contrato, a GOL pode forçar revisões de preços, diminuindo as altas margens da Smiles. Por outro lado, sem a liderança do Leonel Andrade, a Smiles ficou sem rumo. Quero crer que, neste momento, ninguém sabe qual o plano de negócios da Smiles, nem no que vai dar a revisão extraordinária nos preços das passagens aéreas padrão solicitado pela GOL 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO LÍQUIDO = Resultado Líquido de R$ 212 milhões no 3T18 x R$ 339 milhões no 3T17; RESULTADO OPERACIONAL = R$ 323 milhões no 3T18 x 211 milhões no 3T17; RESULTADO FINANCEIRO = R$ 96 milhões no 3T18 x 52 milhões no 3T17; EBITDA = R$ 231 milhões no 3T18 x 162 milhões no 3T17; RELATORIO DA ADM = A Smiles iniciou suas atividades como um programa individual de fidelização, mas evoluiu em direção ao modelo atual, tornando-se um modelo de coalizão com algumas características singulares, que permite o acúmulo e resgate de Milhas em voos da GOL e suas parceiras aéreas internacionais, bem como nos principais bancos comerciais brasileiros, incluindo os cartões co-branded emitidos pelo Bradesco, Banco do Brasil e Santander, além de ampla rede de parceiros de varejo. O modelo atual funciona através (i) do acúmulo de Milhas pelo Participante quando da aquisição de passagens aéreas da GOL ou de outras companhias aéreas parceiras, ou produtos e serviços dos Parceiros Comerciais e financeiros, que adquirem estas milhas da Smiles como forma de fidelização de seus clientes, e (ii) do resgate de Prêmios pelo Participante quando da troca de suas Milhas por passagens aéreas da GOL e de outras companhias aéreas parceiras ou ainda por produtos e serviços dos Parceiros Comerciais e financeiros.:

SMLS3
PREÇO: R$ 44,20
PAYOUT (2017): 70,89%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,07
P/VPA 5,53
PSR 4,62
DY 7,82%
EV/EBITDA 8,59
MARGEM BRUTA 74,85%
MARGEM OPERACIONAL 76,85%
MARGEM LÍQUIDA 50,91%
LUCRO POR AÇÃO R$ 4,873
MARGEM EBITDA 59,27%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 131,85%
ROE 60,97%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,73

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -33,14%
RESULTADO BRUTO 3,98%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 7,57%
RESULTADO OPERACIONAL 1,04%
RESULTADO LÍQUIDO -24,81%
EBITDA 0,56%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -40,26%
RESULTADO BRUTO 21,19%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 84,62%
RESULTADO OPERACIONAL 52,73%
RESULTADO LÍQUIDO -37,52%
EBITDA 41,91%

c) lucro (taxa média anual)
UA -24,81%
U2A 10,05%
U3A 21,19%

d) patrimônio líquido médio
UA 51,85%
U2A 30,14%
U3A 28,67%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 60,91
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7% !!!!
[...]

354961 - paulo_prof -  24 Out 2018, 12:58
A Smiles não está no meu patuá ...

De qualquer forma, acredito nas avaliações feitas no mercado, colocando o preço justo do ativo acima do preço atual, se o contrato com a Gol for honrado até o seu final.

Ou seja, acho que restam poucas dúvidas de que um investimento ao preço atual é vantajoso (mais, ou menos, dependendo do avaliador), desde que a Smiles não seja absorvida pela Gol no curto prazo.

A questão portanto é: qual é a probabilidade da Smiles continuar como uma empresa aberta até o final do contrato com a Gol em 2032?

Pessoalmente, acho que esta probabilidade é muito pequena.

354954 - marcelio2 -  23 Out 2018, 23:53
Professor Paulo, gostaria de saber a sua expectativa e análise sobre o que esperar do 3T18 da SMILES.

Nas minhas pesquisas sobre os fundamentos e últimos resultados da empresa, me parece que essa queda brusca no preço da ação de quase 40% ocorrida na semana passada, pode representar uma baita oportunidade de comprar um ótimo papel num precinho descontado.

Obviamente, temos que considerar todo esse embrólio que envolve a decisão anunciada pela GOL de não renovar o seu contrato com a Smiles nessa análise, entretanto, devemos observar que isso tudo está sob "investigação da CVM". O que pode acarretar até num balde de água fria nas pretensões da Gol e voltar tudo a estaca zero.

Por outro lado, considerando que tudo ocorra exatamente como a Gol pretende e com as informações disponíveis até o momento sobre o processo em questão, considero muito precipitado o movimento do mercado ocorrido na semana passada. Tanto que já recuperou uma boa fatia do movimento de queda.

354799 - paulo_prof -  18 Out 2018, 11:04
Mas o ponto é que de prevalecer o plano da Gol, não haverá 2019 ... nem os dividendos ate 2032, quando termina o contrato!!!! A Gol quer incorporar a Smiles pela via rápida. Estabelecer uma relação de troca de X ações da nova GOL (novo mercado) + Y ações resgatáveis, convocar as AGEs de ambas empresas, aprovar a proposta, e o resto será história. Neste caso, o valor presente das ações da GOL que o minoritário da Smiles receberá é uma incógnita. Não há qualquer garantia de que seja maior do que o preço de mercado.

A lógica diz que a CVM não deverá permitir a Gol votar na AGE da Smiles ... vc garante?

354798  - marcelio2 -  18 Out 2018, 05:49
Caro paulo_prof, excelente análise desse inusitado anúncio da Gol.

Eu sempre acompanhava a SMILS e nunca havia comprado o papel.

Vale ressaltar que os analistas do Itaú BBA, em setembro, avaliaram um preço justo para o papel em 46 reais no fim de 2019, já considerando a hipótese de NÃO RENOVAÇÃO do contrato com a Gol em 2032. Nesse período, ela fez um fundinho nos 39,5x saindo dos 57,00 reais. Logo emplacou uma forte e rápida recuperação. Nada menos que 40% em poucas semanas. Na último pregão antes dessa notícia, o papel já havia se recuperado de quase que todo o baque da notícia.



Também é importante ressaltar que o mesmo banco prevê a distribuição, no início de 2019, cerca de 4,3 por ação em dividendos relativos a 2018. A Divulgação dos Resultados 3T18 ocorrerá no próximo dia 30 de outubro, após o fechamento do mercado.



Em resumo, no meu ponto de vista, acredito que ainda vale uma aposta no papel. Comprar nos valores da semana passada é uma coisa, entretanto, comprar nos valores atuais com um desconto de 30% do valor justo do papel, já considerando o pior cenário, é muito diferente. A forte depreciação do dólar junto ao início de um período de retomada da confiança no consumo a partir dos resultados da corrida presidencial, pode turbinar esse final de ano para a empresa apresentar fortes números no 4T18. Veremos...

354791 - paulo_prof -  17 Out 2018, 21:46
A "coisa" não é tão simples assim ...

Esta é a primeira vez, no mercado de ações brasileiro, que o "modelito" de incorporação via ações resgatáveis está sendo proposto para que uma controladora absorva a controlada.

Nas incorporações da Datasul pela Totvs, da Company pela Brascan, da Bovespa pela BM&F, da Bematech pela Totvs e da Cetip pela BM&F Bovespa, a empresa incorporada, apesar de ter acionistas relevantes, não tinha um controlador majoritário. Muito menos, ainda, tendo como controlador, a empresa incorporadora.

No caso da incorporação da Fibria pela Suzano, a incorporada tinha controlador majoritário, mas este nada tinha a ver com a empresa incorporadora. A negociação se deu entre partes distintas, sem relação.

Em todos os 6 casos ocorridos até o momento, a incorporação foi aprovada em AGEs das empresas incorporadora e incorporada. Nestas AGEs, todos os acionistas com direito a voto, votaram, inclusive o controlador quando foi o caso.

No caso da Fibria, é usado o argumento que como todas as ações dão direito a voto, embora a decisão (de aprovar a incorporação ou não) estivesse exclusivamente nas mãos do controlador, os interesses do controlador e moniritários da empresa incorporada estavam alinhados (o controlador definiu um preço mínimo, o montante que queria receber em cash, etc.).

Note que se a incorporação for aprovada por ambas as AGEs ... bau, bau ... não há mais discussões. Se o minoritário (de qualquer uma das empresas) não estviver de acordo, pode exercer o seu direito de recesso, recebendo o valor patrimonial da ação.

O caso da SMLS-GOLL é completamente distinto. Como a SMLS é controlada da empresa incorporadora, os interesses dos minoritários nem de longe são os mesmos daqueles do controlador. Em princípio, poderia até haver uma tentativa de emplacar o negócio a preço vil. A grande incógnita é se o controlador da SMLS vai poder votar na AGE, ou não. Na minha opinião, como há uma assimetria enorme entre os interesses do controlador e dos minoritários, a CVM deveria interferir e não deixar o controlador votar.

Se, por acaso, deixar o controlador votar ... será o caos ... estabelecerá um precedente que irá pairar como uma nuvem negra sobre o nosso mercado.

Já pensaram o BBAS decidir incorporar a BBSE de volta, estabelecendo um preço muito inferior ao de mercado? Não está satisfeito ... pede recesso. E que tal a TAEE sendo incorporada pela CMIG a preço vil? Sai debaixo!

354788 - grazziperez -  17 Out 2018, 18:36
Analisando friamente, sem entrar no mérito se é justo ou não com o minoritario da smiles, a saída mais racional seria comprar açoes da GOLL4. A curto ou médio prazo vai incorporar a Smiles sim, não importa se alguns sardinhas reclamem..

O ambiente de dólar/confiança/retomada economica aponta para melhora substancial para a situação financeira da gol, ainda mais com a incorporação da vaca leiteira Smiles. Já surgem até boatos de aquisição pela delta...

354767 - Rocha Preta inc -  17 Out 2018, 13:01
Essas asset light que viraram moda recentemente, acabam necessitando de ainda mais atenção...


Para smiles eu concordo com o que o buyside vem falando, mesmo sem contrato a 32 está descontada. Na conta do BBI seria 48,00. Em conta de padeiro cheguei em 41.

Mas quem me garante que o controlador não vai puxar o tapete? É possível até que ela mostre prejuízo para virar benefício fiscal na Gol. Até o caixa monstruoso pode ser retido. Com contador não se brinca.

Nada está muito claro, na conferência o CEO da Sorrisos, estava mais perdido que [...]

Se esse shareswap for pra frente, o acionista de smiles vai levar PN Gol + PN "Resgatáveis" que em tese são dinheiro na mão.



Com o provável rally do "bolsonaro", qualquer tranqueira deve subir. Seria mais fácil ficar no arroz com feijão + algumas small caps de sempre, do que se arriscar com smiles/mplu.

354765 - paulo_prof -  17 Out 2018, 12:17
Citação: msaravan - Post #354762 - 16/Out/2018 22:28
Boa noite pessoal!
Professor Paulo, poderia dar sua opinião sobre essa FR da Smile por gentileza? Vale a pena manter as ações no preço atual?
Acho que SMLS3 virou uma loteria ...

O controlador quer integrar a empresa na Gol o mais cedo possível. Muito provavelmente não terá sucesso na oferta que fez, pois não acredito que possa votar, e os minoritários não deverão aceitar. Como a GOL é uma empresa sem capital, será muito difícil conseguir fechar o capital da Smiles via OPA.

Moral da História: se eu tivesse que apostar, não acho que a Smiles será integrada na Gol a curto prazo.

Na prática, o único ativo que a Smiles tem é o contrato com a Gol. Sem ter feito qualquer cálculo (portanto pode estar equivocado), o meu "cheirômetro" diz que se a Smiles distribuir 100% do lucro que obterá até o final do contrato com a Gol, o valor presente destes dividendos pode ser maior do que o preço atual.

A questão, no entanto, é que não há garantia alguma que o controlador permitirá um payout de 100%. Por que deveria faze-lo? O controlador já deu mostras que fará tudo o que for possível para fazer prevalecer os seus interesses. Eu não duvidaria de ações deliberadas para promover a desvalorização do ativo e, assim, conseguir uma melhor condição para o fechamento do capital.

Como o patrimônio da Smiles é expresso por um contrato com o controlador, a assimetria é muito grande. O minoritário sempre estará negociando de uma posição de fraqueza.

352408 - ispholambra  -  01 Ago 2018, 00:52
Sei nao... sera que nao estao enfiando tudo quanto e despesa no balanco para jogar o lucro la embaixo e fazer o papel despencar pra gol fechar o capital?
Muito estranha essa queda acentuada do lucro... aliada a um aumento brutal das despesas...

Estou fora do papel...mas se estivesse dentro eu ia ler o balanco inteiro e pedir explicacoes no call de resultados sobre esse autmento de despesas...
muito estranho....

352407 - Rocha Preta inc -  01 Ago 2018, 00:15

SMLS3 Faliu? kkkkk

O lucro líquido da Smiles (SMLS3) atingiu R$ 114,2 milhões no segundo trimestre de 2018, queda de 20,7% na comparação com um ano antes, informou a empresa por meio de um comunicado enviado ao mercado.

A receita líquida retraiu 8,9% versus o segundo trimestre de 2017, para R$ 198,1 milhões, influenciada pela queda de 42,2% no mesmo período da receita de breakage devido ao menor volume de milhas efetivamente expiradas e leve desaceleração na velocidade do resgate. A receita de resgates cresceu 6,8%. O Ebitda ficou em R$ 134,9 milhões, recuo de 20,8%.

“O segundo trimestre de 2018 foi bastante desafiador. O consumo, mola propulsora da retomada da economia em 2018, desaqueceu no trimestre. A greve dos caminhoneiros contribuiu, em parte, para a desaceleração do consumo das famílias, pois abalou a confiança de empresários e dos consumidores. Isso, combinado à apreciação do dólar, aumento do preço do petróleo, Copa do mundo e uma certa instabilidade por conta de risco eleitoral, resultou neste cenário desafiador”, disse a empresa.

As despesas operacionais aumentaram 35,2%. Tal aumento se deveu, principalmente, às despesas administrativas (que subiram 57,5% ou R$ 8,9 milhões) e que incluem as despesas de pessoal (que subiram 30,7%) e serviços de TI (que cresceram 41,9%) relacionados ao desenvolvimento de novos produtos. As despesas comerciais aumentaram 30,1% devido a maiores despesas com publicidade e marketing e atendimento a clientes.

351426 - tadeutad  -  21 Jun 2018, 21:59
Apenas um ponto importante, os bancos (leia-se fundos destes bancos) não utilizam suas próprias corretoras para fazerem suas compras/vendas, isso tem o objetivo de dificultar a visão do que cada um está fazendo.

351420 - pw777a  -  21 Jun 2018, 20:41
Fato:
No fechamento do dia 21/Jun o Santander aparece entre os maiores compradores de MPLU3, com mais de 1/3 de todas as compras; Inexiste sequer uma única açãozinha de MPLU3 vendida pela corretora Santander, nem no fracionário.

Será que os clientes do Santander não tomaram conhecimento do relatório ?!

351406 - pw777a  -  21 Jun 2018, 17:40
Quanto ao Smiles, também discordo do Santander, independentemente de hoje ter uma balancete robusto, explico :

Uma empresa de fidelidade necessita de credibilidade para ter longevidade, para os investidores poderem confiar no case.

A Smiles, na minha opinião, tem tido sucesso porque o setor está em crescimento. Basta no entanto uma zapeada por foruns para perceber o descontentamento de clientes no momento do resgate de premios. O que o ano passado custava 10 este ano custa 20 e este mês está por 30. A inflação é venezuelana no SMLS3, com resgates de 100,000 milhas e custos mais altos para bilhetes de ida em classe economica.

No comparativo SMLS / MPLU, claramente o MPLU visa médio prazo enquanto a Smiles visa ganhos imediatos, talvez por isso entre mais facilmente no radar de analistas. Como qualquer piramide, os primeiros entrarão e terão tempo para sair felizes. Para nem entrar no quesito essencial que o Smiles sequer pertence a nenhuma aliança global, ao contrário da MPLU.

Pensando melhor... o relatório do Santander está de fato muito, muito estranho; Valeria uma consulta ao Head de Análises do Santander, mas depois que aquela executiva, que falou que votar em Dilma seria prejudicial a investimentos e, a pedido do Lula talvez por isso, demitida, vale analisar criteriosamente os motivos atuais para estes relatórios do Santander !

Belo comentário. Esse 777 é pq vc é do setor? rs


Sobre o latam pass foi só Brasil, não?

Bem-vindo à Multiplus!

A partir de agora, seus pontos acumulados na LATAM Airlines serão concentrados na Multiplus. Isso porque nós somos a parceira oficial da LATAM Airlines no seu país.

Dessa forma, você pode resgatar passagens aéreas para mais de 1.000 destinos ao redor do mundo com a LATAM Airlines e as companhias aéreas parceiras da aliança global oneworld.

Por que ocorreu essa mudança?

Durante o mês de maio, as plataformas de acúmulo e resgate foram unificadas em todos os países onde operamos. No seu país de residência funciona a plataforma Multiplus, em que você acumula pontos e resgata passagens aéreas. A seguir mais detalhes sobre essa mudança:

Interessante o ponto sobre a latam, há um consenso no mercado que qm tá pior é a gol, mas já ouvi que por lá o negócio tá bem redondo (claro que o benchmark era horroroso). Talvez, a saída seja comprar AZUL4, ou ficar longe do setor na bolsa hehehe

351400 - pw777a  -  21 Jun 2018, 17:03
O caso do Santander quanto à Multiplus é interessante...mas me parece existirem algumas falhas.

De fato a LAN poderia implementar seu LanPass, e destruir a Multiplus; Mas, este ano a LAN fez exatamente o oposto: Destruiu todo o LanPass e adotou as práticas, sistema, numeração de cliente, políticas do Multiplus. Efetivamente não se pode mais falar em LanPass porque deixou de existir. Agora todos os clientes LAN/LATAM são todos Multiplus, em plataforma única. Esta foi a primeira falha que detectei no relatório, que era uma preocupação antes que a corporação LATAM decidisse por um dos dois sistemas; Adotaram o Multiplus.

Existe paralelo entre Air Canada/Aeroplan com Latam/Multiplus ? Não. A Air Canada fez um spin-off de seu programa de fidelidade, por um tempo, para a empresa Aeroplan. Venderam-se ações da Aeroplan, que era uma empresa autonoma de fato. Clientes e acionistas da Aeroplan descobrem que a Air Canada opta por, em algum tempo, criar um outro programa de fidelidade, uma outra empresa. Acionistas e Clientes Aeroplan terão prejuizo. A questão "fidelidade" está em discussão no Canada quanto à... Air Canada (não mais Aeroplan). Vale a pena confiar na Air Canada que desprestigia seus próprios clientes ? No case Latam/Multiplus, além da junção de todos os clientes sob o guarda-chuva Multiplus, qual o ganho para a Latam de destruir a Multiplus onde detëm 73% da empresa, arriscando clientes, investidores que passam a não mais confiar no compromisso de médio e longo prazo ?

Entendo que a Latam tem desafios muito mais urgentes dentro de seu negócio, como estancar perdas, ou aumentar o nivel de satisfação de seus clientes em seu produto, do que criar uma nova frente de batalha em uma área que, justamente, é altamente lucrativa. A Latam, creio, não pode com tantos problemas financeiros destruir sua única galinha de ovos de ouro, aquela que lhe gera proventos polpudos a cada trimestre. E, por isso mesmo, aperfeiçoaram tanto o regulamento Multiplus, tornando-o muito mais parecido com um AA/AAdvantage, o programa de milhagem mais longevo, mais respeitado e entre os mais lucrativos de companhias aéreas.

Finalmente, este relatório do Santander parece ter sido preparado há longos meses, mas somente agora copy/paste e sem uma revisão por um analista senior. Se buscarem na internet LanPass e tentarem se inscrever no tal sistema de fidelidade... automaticamente são informados que MULTIPLUS é a nova plataforma. Enquanto LanPass sempre foi um simples, ênfase no simples de simplório, programa de fidelidade, o Multiplus é uma plataforma de acúmulo e resgate entre diversos parceiros. Iria mais longe, o Multiplus se assemelha em sua complexidade a uma plataforma Avios (British Airways + Iberia) do que a um simples LanPass ou Aeroplan, até pela abrangência geográfica. Fundamentos desta tese é que o LanPass nunca conseguiu emitir bilhetes one-way, bilhetes em outras companhias aéreas sempre pelo atendente e parceiros reduzídissimos. Era basicamente um sistema idel para acumular voos Lan e resgatar voos Lan de ida e volta. Sequer havia plataforma de TI elaborada para algo de baixa complexidade, como a emissão de um simples bilhete de um trecho.

Em suma, qual a evidência concreta que o Santander encontrou para fundamentar toda sua tese que, daqui a sete anos, mais de setenta meses à frente, provavelmente um outro CEO, a Latam irá rescindir o contrato com a Multiplus ? O Santander afimar que em Janeiro de 2025... se existe dificuldade para analisar este ano e os próximos o Santander emite previsões para sete anos ?! Qual seu histórico de nível de acerto ? Mais fácil prever extinção das atuais agências bancárias para essa data, ou não ?

351399 - Rocha Preta inc -  21 Jun 2018, 16:15
Não falavam a mesma coisa de Wizs? Como falei, em Março a gol destruiu 1 bi de valor da smiles em 1 dia.

A Tam é alguma coisa dentro da Latam? Qual o sentido de manter mplu se tem Latam pass? Apesar de alguns verem como risco, pode até sair um deal interessante pra qm tem mplu. Um exemplo de quebra de contrato foi a Air canada que anunciou a não-renovação, as ações viraram pó e eles ofereceram uma OPA com premio.

Nessa questão de ter um "plus a mais", a smiles saiu na frente, com o sonho do mercado de comprar e levar uma CVC de brinde, enquanto a mplu ficou mais preocupada em trocar por caneca no netshoes. Ainda assim não me apetece.

351392 - Lucro Liquido -  21 Jun 2018, 14:19
Qual a lógica da TAM ou da GOL, que são os maiores acionistas da Multiplus e do Smiles que sao as maiores fonte de receita para as cia aéreas, não renovarem com seus programas de fidelidade ? Eles gostam de destruir valor ? Completamente sem sentido pra mim.

Um negócio que vejo que está caindo de maduro é Smiles e Multiplus, é entrar no segmento de viagens e turismo, vejo muito diferencial competitivo frente a qualquer outra empresa.

351390 - Rocha Preta inc  -  21 Jun 2018, 13:29
Em nenhum momento disse que o sell side estava certo e esse relatório não é do nível gratuito do infomoney, mas os argumentos são plausíveis, bem mais do que os do buy side que desde 40 reais falam que estava descontada, na promoção, de graça, aqui no forum mesmo já falaram que mplu valia 60 reais.

A smiles tem uma gestão bem melhor que mplu e a gol parece ter "arrumado" a casa em relação às finanças, mas ainda assim o risco de falência precisa ser colocado, e pra piorar mostrou em março um tiro no pé reduzindo dividendos pra melhorar balanço consolidado. O dolar alto e juros baixos devem continuar até o fim do ano, ruim pras duas. Com relação aos contratos é um tiro no escuro.

Se o upside fica pra depois, sobra o DY atrativo, sendo que vários outros papéis já estão na mesma faixa e com menos issues do que a duplinha da milha.

347932  - NumBroker   -  08 Mar 2018, 14:55
Esclarecida a questão da Smiles, era mão podre da Gol mesmo, que lástima...

às 09h31
A GOL se meteu na Smiles — e deu um tiro no pé
Geraldo Samor

Desde o seu IPO, há quase cinco anos, a Smiles construiu pacientemente um argumento sobre sua governança, tentando provar a um mercado cético que um programa de fidelidade pode ganhar um dinheiro honesto e ser independente da companhia aérea que o controla.

Em reuniões com investidores, o CEO Leonel Andrade frequentemente citava provisões no estatuto que protegiam os acionistas da Smiles com uma governança de alto padrão.

Ontem, com uma única decisão mal pensada, a GOL botou por terra todo este trabalho, fazendo a Smiles perder quase R$ 1 bilhão em valor de mercado e jogando a empresa na vala comum da governança duvidosa.

A barbeiragem começou há alguns dias, quando o conselho da Smiles começou a debater cortar o percentual do lucro que a empresa distribui aos acionistas — historicamente ao redor de 100% — para 25% do resultado a partir do ano que vem. (O 'payout' de 2017 já havia sido discretamente cortado para 75% dias antes.)

Publicada na terça-feira à noite, a decisão do conselho fez a ação da Smiles abrir em queda de 6% ontem, gerando especulações sobre uma grande aquisição por parte da companhia — até aquele momento, a explicação mais plausível para uma retenção de caixa tão drástica.

Para azar dos acionistas, a verdadeira explicação era muito pior, e emergiu durante a teleconferência de resultados da GOL. Respondendo à pergunta de um analista, o CFO da companhia aérea, Richard Lark, disse que a decisão de cortar o dividendo “certamente vai fortalecer o balanço consolidado [da GOL] e também vai ajudar bastante na nossa meta de fazer o rating consolidado voltar para ‘BB', como foi no passado."

Depois da teleconferência, a Smiles chegou a cair 14,4%, antes de fechar o dia em queda de 9,9%.

“É inacreditável que eles tenham feito uma burrada tão grande. Não há justificativas pra terem tomado uma decisão que destrua tanto valor para eles e para a GOL,” um gestor que cobre a empresa há anos disse ao Brazil Journal. “Mesmo se resolvessem voltar atrás, eles não conseguiriam recuperar o preço anterior à divulgação do Fato Relevante.”

O estrago foi tão grande que ricocheteou na própria ação da GOL. Apesar de ter entregue um resultado acima do esperado, a ação da companhia caiu 2,3%.

Fontes com trânsito em ambas as empresas disseram ao Brazil Journal que a decisão do conselho não foi unânime: os três representantes dos controladores votaram a favor, enquanto os quatro conselheiros independentes se dividiram. Os ‘independentes' na Smiles — cuja 'raison d’être' é proteger a companhia e particularmente os minoritários — são Boanerges Ramos Freire, Marcos Grodetzky, Cassio Casseb e Fabio Bruggioni. A ata da reunião ainda não foi publicada, e o Brazil Journal não conseguiu determinar quem votou como.

Ainda segundo essas fontes, tanto Andrade quanto o CFO da Smiles passaram os últimos dias tentando demover o conselho da decisão, sem sucesso.

No Brasil de hoje, acionistas controladores que minimizam questões de governança — e ainda há muitos — o fazem por sua conta e risco. Mas acionistas controladores que deliberadamente depreciam seu ativo mais valioso, estes são espécimes raras. É preciso ter ‘cojones' para rasgar dinheiro à toa. Ou muito dinheiro.

Mesmo depois da queda de ontem, a Smiles vale R$ 8,9 bilhões na Bolsa; a GOL vale R$ 6,5 bilhões.

Para vários gestores, a ideia da GOL de reter o caixa da Smiles é uma medida inepta — ainda mais para uma empresa que, depois de flertar com o desastre, já virou esta página.

Como a GOL controla a Smiles, as regras contábeis permitem que ela consolide 100% dos recursos que estão no caixa da companhia. Mas se a Smiles distribui o caixa, a GOL recebe apenas os 52,7% equivalentes à sua participação acionária.

Dada a destruição de valor na Smiles, os 47,3% que a GOL poderá consolidar 'a mais' se transformaram, na prática, no dinheiro mais caro já levantado pela empresa.

Mas há outro ângulo interessante no debate interno que levou à decisão.

Quando o conselho da Smiles se reuniu, por exemplo, no dia 27 de dezembro para deliberar sobre outro tema — a atualização dos preços das passagens aéreas e milhas entre a GOL e a Smiles — apenas os quatro conselheiros independentes votaram a matéria. Os três Constantinos com assento no conselho se declararam impedidos, na forma da lei, "ressaltando que seus impedimentos derivam de suas posições como membros do conselho de administração e controladores" da Smiles e da GOL.

I am not a lawyer but.. Se o corte do dividendo foi apenas uma decisão interna de gestão de caixa da Smiles, o voto dos Constantino foi kosher.

Mas se a motivação foi “ajudar o rating consolidado da GOL”, os Constantinos parecem claramente impedidos, e trata-se de uma falta na grande área.
fonte: http://braziljournal.com/a-gol-se-meteu-na-smiles-e-deu-um-tiro-no-pe

347904  - Rocha Preta inc -  07 Mar 2018, 22:54
De certa forma a MPLU tem um caixa mais pomposo que Smiles. Será que a Smiles não vai cobrir algum buraco da Gol?
No resultado de hoje o LL anual ficou estável, mas o 4T foi sofrido.

É interessante ver o gráfico no release de como a MPLU tá apanhando do IBOV nesses ultimos dois anos. Pelos números é injustificável, deve de ter algo além.

347852 - NumBroker   -  07 Mar 2018, 00:48
Smiles diz que irá pegar mais leve nos dividendos
Gustavo Kahil - 06/03/2018 - 21:14

Para 2018, a empresa estima um crescimento do faturamento bruto entre 12% a 18%

A Smiles (SMLS3) disse que planeja pagar 25% do seu lucro líquido, em 2019, referente ao ano de 2018 e reter o restante para melhorar suas operações e relocar capital para oportunidades de maior retorno esperados, informa a empresa em um comunicado com as projeções financeiras estimadas para este ano.

De acordo com a administração, o objetivo também é manter sua trajetória de crescimento num mercado de fidelidade cada vez mais competitivo, reter liquidez no balanço para limitar os potenciais impactos da crescente volatilidade e melhorar o balanço e qualidade de crédito.

“Desde 2013, nós retornamos um valor total de R$2,8 bilhões aos nossos acionistas como resultado de dividendos, juros sobre capital próprio e reduções de capital”, pontua a empresa.

Projeções

Para 2018, a empresa estima um crescimento do faturamento bruto entre 12% a 18%, da receita líquida entre 10% a 16% e que a margem direta de resgate fique entre 37% a 43%.

“Nossa perspectiva foi construída baseada em 3 pilares: (i) no amplo alinhamento com os parceiros financeiros, (ii) no amadurecimento de nossos novos canais de vendas, e (iii) no amadurecimento de novos produtos que foram desenvolvidos nos últimos 3 anos”, ressalta a companhia.
fonte: https://moneytimes.com.br/smiles-diz-que-ira-pegar-mais-leve-nos-dividendos

344717  - marcosvinicius2  -  01 Dez 2017, 12:55
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E MELHOROU (TAMBEM) NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 20 TRIMESTRES, 20 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO POSITIVO (EXCELENTE). LUCRO OPERACIONAL: A SMILES OBTEVE LUCRO OPERACIONAL DE R$159,6 MILHÕES, 1,8% INFERIOR AO 3T16, REPRESENTANDO UMA MARGEM OPERACIONAL DE 36,8%.; RESULTADO FINANCEIRO: O RESULTADO FINANCEIRO APRESENTOU UM AUMENTO DE 4,7% EM RELAÇÃO AO 3T16, PRINCIPALMENTE DECORRENTE DA VARIAÇÃO CAMBIAL POSITIVA.; LUCRO LÍQUIDO: A SMILES FIDELIDADE S.A. OBTEVE LUCRO LÍQUIDO TRIMESTRAL DE R$339,5 MILHÕES, REPRESENTANDO MARGEM LÍQUIDA DE 77,0%, 40,7 P.P SUPERIOR AO 3T16.:

SMLS3
PREÇO: 74,19
PAYOUT (2016): 65,28%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,43
P/VPA 10,76
PSR 5,18
DY 5,71%
EV/EBITDA 13,83
MARGEM BRUTA 48,13%
MARGEM OPERACIONAL 50,85%
MARGEM LÍQUIDA 45,27%
LUCRO POR AÇÃO 6,489
MARGEM EBITDA 39,41%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 100,94%
ROE 94,13%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,56

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 22,63%
RESULTADO BRUTO 25,38%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -2,39%
RESULTADO OPERACIONAL 22,24%
RESULTADO LÍQUIDO 61,06%
EBITDA 31,71%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 10,68%
RESULTADO BRUTO -0,20%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 4,70%
RESULTADO OPERACIONAL -0,30%
RESULTADO LÍQUIDO 134,58%
EBITDA -1,68%

c) lucro (taxa média anual)
UA 61,06%
U2A 53,86%
U3A 44,07%

d) patrimônio líquido médio
UA 11,52%
U2A 18,44%
U3A -18,60%

Despesas operacionais: as despesas operacionais apresentaram um aumento de 10,7% quando comparadas ao 3T16, principalmente relacionadas (i) ao aumento de R$ 2,8 milhões em despesas com pessoal (consolidado entre despesas comerciais e administrativas), associado principalmente ao maior número de colaboradores, (ii) ao aumento das despesas comerciais de R$ 3,3 milhões, principalmente em decorrência das despesas associadas ao processamento de cartões de crédito, e (iii) do aumento de R$ 0,7 milhão nas despesas com serviços de informática, contabilizadas nas despesas administrativas.;

Variação cambial líquida: o resultado referente à variação cambial é decorrente principalmente do efeito da flutuação da moeda local aplicados a contas a pagar referenciadas em dólar, relacionadas ao custo de emissão de passagens aéreas internacionais. Imposto de renda e CSLL: neste trimestre houve o efeito da incorporação da Smiles S.A. pela Webjet Participações, que rendeu um benefício fiscal à Smiles Fidelidade S.A. de R$ 193 milhões. Considerando o referido efeito a rubrica de imposto de renda e CSLL ficou positiva em R$ 127,5 milhões no 3T17.;

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = XXXX;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = XXXX;

343768  - ehfranco   -  10 Nov 2017, 12:56
 Análise técnica

08/11/2017SOLICITAR ANÁLISE
No médio prazo, a tendência para os preços da SMILES FIDELIDADE ON (SMLS3) é de lateralização, já que não há fatores suficientes para se configurar uma tendência de alta ou de baixa neste momento. Pelo fato dos preços não se encontrarem próximos nem de zonas de pressão compradora (suportes) nem de predominância vendedora (resistências), a tendência de curto prazo para a cotação é neutra. Neste contexto, não vemos oportunidades interessantes de compra nem de venda do ativo no momento. Caso os preços venham a subir, existe uma chance razoável de que eles voltem a cair após se aproximar do patamar de resistência em 82,45 representada pela linha vermelha no gráfico. Isso porque na proximidade deste patamar existem muitos investidores interessados em desfazer de seus ativos, o que poderá acarretar o aumento da oferta frente a demanda pelos papéis. Ao mesmo tempo, caso os preços consigam ultrapassar essa resistência com força e convicção (fechamento próximo da máxima e volume acima da média), haverá uma enorme probabilidade de continuação das altas e de retomada da tendência de alta de médio prazo para a SMILES FIDELIDADE ON (SMLS3). Em um cenário de queda para os preços, um ponto de possível interrupção das quedas ficaria na região de suporte em 74,95 representado pela linha verde no gráfico, onde o aumento da demanda pelos papéis poderia ocasionar a retomada das altas da SMLS3.

2ª RESISTÊNCIA
R$ 94,85
1ª RESISTÊNCIA
R$ 82,45
1º SUPORTE
R$ 74,95
2º SUPORTE
R$ 371,90
Gráfico

AVALIAR COMPRAS

Possíveis oportunidades de compra para as ações da SMILES FIDELIDADE ON poderão ocorrer caso os preços da ação se aproximem da região de suporte em 74,95 representado pela linha verde no gráfico. Neste patamar, por existirem muitos investidores dispostos a comprar a ação conforme observado no passado, existe boa chance de que os preços parem de cair e retomem as altas. Outro cenário interessante para compras, ocorrerá caso os preços superem a região de resistência em 82,45 com um candle de força e volume financeiro acima da média diária, situação em que seria extremamente provável que os preços continuassem subindo, iniciando uma nova tendência de alta de médio prazo.

AVALIAR VENDAS

As pessoas que têm ações da SMILES FIDELIDADE ON em carteira visando o curto prazo, deverão avaliar vender ações da empresa na proximidade da resistência em 82,45, já que neste patamar a pressão vendedora deve voltar a se tornar predominante, aumentando a oferta de papéis em relação à demanda e portanto a chance de que ocorra alguma queda para os preços. Outro cenário no qual seria recomendado que se avaliasse a venda das ações, seria no desrespeito do suporte em 74,95, que caso venha aconteça poderia recolocar a ação em tendência de baixa no médio prazo.

Análise fundamentalista

Sobre

A Smiles (SMLE3) é uma gestora de programas de fidelidade, com mais de 10,3 milhões de participantes e tem exclusividade na administração do Programa Smiles, ferramenta de multifidelização de clientes com diversas companhias. O modelo de negócios da empresa é baseado no desenvolvimento de um programa de coalizão “puro”, constituído de uma única plataforma de acúmulo e resgate de Milhas, por meio de uma ampla rede de parceiros comerciais e financeiros. A sua principal fonte de resgate advém das Milhas do Programa Smiles emitidas para os participantes por solicitação dos parceiros comerciais, incluindo Gol e os principais bancos comerciais do Brasil e América do Sul. Os participantes podem resgatar as Milhas por prêmios a partir da aquisição de passagens aéreas, produtos e serviços de instituições parceiras. Como um dos principais pilares de modelo de negócios diferenciado, os contratos que regem a relação comercial da Smiles com a Gol conferem à companhia acesso irrestrito à capacidade de ocupação da companhia aérea a preços extremamente competitivos.

PONTOS POSITIVOS

Exclusividade nos voos Gol e de suas parceiras aéreas; Gestão do programa de milhagens Smiles é separada da administração da Gol, o que favorece o interesse entre os acionistas da SMLE3 e a administração da empresa; Expansão na base de clientes gera atração de parceiros comerciais, permitindo um ciclo virtuoso que favorece a expansão da base da companhia; Modelo de negócios permite necessidade negativa de capital de giro e tem alta capacidade de geração de caixa; Espaço para crescimento em comparação com a penetração de programas de fidelidade no mercado internacional; Dívida líquida negativa, que indica que a empresa tem maiores disponibilidades do que endividamentos; Projetos de expansão da Smiles Fidelidade, inclusive com aquisição de uma Cia de Turismo. Com isso, a empresa se torna completa para o cliente.
PONTOS NEGATIVOS

Alto grau de dependência da companhia em relação a seus parceiros comerciais. Dessa forma, eventual quebra contratual tem alto potencial para afetar a rentabilidade da empresa; Programas de milhagem têm estado na mira de órgãos de proteção e defesa do consumidor em função de práticas consideradas abusivas na precificação de benefícios. Esse ambiente expõe a empresa a processos judiciais, os quais podem impactar o seu risco de imagem; Contração da demanda visto o cenário macroeconômico atual leva a redução dos gastos e mitigação da acumulação de pontos.
Visão dos Analistas

O cenário macroeconômico atual tem sido influenciado pelos impactos da crise político-econômica em vigência no Brasil. Como consequência, o desemprego segue alto e as expectativas das famílias brasileiras tem mostrado lenta recuperação, especialmente pelas projeções de endividamento. A demora na retomada do crescimento traz impactos ao setor de fidelização uma vez que a contração da demanda leva a redução dos gastos, ponto de partida para a acumulação de pontos. Apesar desse cenário, os resultados da companhia surpreenderam o mercado ao se mostrarem majoritariamente positivos. Outro ponto de destaque é com relação à sua reestruturação societária após a Smiles ter sido incorporada pela Webjet Participações. No segundo trimestre de 2017, a Smiles (SMLE3) apresentou um lucro líquido de R$ 146,24 milhões, alta de 18,33% com relação ao mesmo período do ano anterior. A receita líquida, por sua vez, somou R$ 441,72 milhões, 26,26% a mais do que no segundo trimestre do ano passado. A evolução dos resultados está relacionada ao ganho de participação de mercado e crescimento tanto do acúmulo de pontos quanto do resgate. O destaque do período ficou por conta do Breakage (milhas vencidas e não resgatadas), o qual correspondeu a 33% do lucro operacional. Esse indicador é importante pois demonstra que a companhia tem ganhado dinheiro com suas operações. Em linha com esse resultado, o Ebitda alcançou R$ 172 milhões, crescimento de 32,6% em relação ao ano passado. O acúmulo de milhas foi 35,4% maior do que o registrado no segundo trimestre do ano anterior e 14% acima do resultado do trimestre anterior. O indicador atingiu nível histórico e somou o volume total de R$ 20,4 bilhões. No que se refere ao volume de milhas resgatadas, foi observado um crescimento de 60% na comparação com o mesmo período do ano passado. É importante ressaltar que o faturamento total, excluindo-se a Gol, cresceu 14%. Esse é um indicador importante pois pode ser comparado com os demais pares do setor uma vez que a Smiles (SMLE3) tem vantagens com relação ao acesso à companhia aérea. No período analisado, o programa atingiu 12,5 milhões de participantes, crescimento de 8,2% na comparação com o segundo trimestre do ano anterior. Ganhou destaque a expressiva expansão do número de milhas vendidas para os bancos e, como consequência, a redução sequencial no preço unitário das milhas vendidas. A companhia, no entanto, considera que se os bancos continuarem com esse volume não há problema em ter preço menor já que o faturamento consegue crescer de forma consistente. Em relação ao endividamento, a Smiles (SMLE3) apresentou uma dívida líquida negativa de R$ 121,77 milhões, indicando que a companhia conta com mais disponibilidades em caixa do que dívida bruta. O caixa e equivalentes de caixa, por sua vez, expandiram 68,5% e somaram R$ 71,70 milhões no período. No que se refere ao resultado financeiro líquido, foi observado uma piora de 23,1% na comparação entre o segundo trimestre de 2017 e do ano anterior. Essa redução pode ser explicada pela sazonalidade do pagamento de dividendos da empresa, além de uma menor receita financeira em razão da redução da taxa de juros. Para os projetos que contribuiram para os bons resultados da empresa, pode ser destacado o novo modelo em que o tradicional resgate de pontos é revertido. Na indústria tradicional os clientes acumulam pontos e depois resgatam. A companhia implementou um modelo em que o cliente faz o resgate, escolhe o voo e tem até nove meses para acumular as milhas. Com isso, se torna mais fácil a fidelização à companhia aérea. Além disso, tem sido utilizada uma inteligência artificial no atendimento aos clientes através de ferramentas de chatbot para o Messenger do Facebook. Isso faz com que haja redução dos custos e interação mais ágil com os consumidores. O objetivo é que no futuro os clientes possam emitir passagem e fazer transações com a Empresa pelo Facebook, sem precisar entrar no website. Além disso, a companhia tem a intenção de incorporar uma cia de viagens e turismo com o objetivo de tornar a Smiles (SMLE3) uma empresa completa para o viajante de modo que o cliente possa fazer 100% da sua viagem através da empresa. Do ponto de vista de projeção de crescimento, entendemos que a empresa ainda tem um grande mercado potencial. No comparativo internacional, a penetração de programas de fidelidade é mais intensa do que no Brasil e a sua expansão tem ocorrido em ritmo elevado. Paralelamente, vemos um processo de avanço na curva de adesão aos seus negócios, o que favorece o acionamento de um ciclo virtuoso capaz de atrair mais parceiros. Outro ponto de destaque é com relação à expansão para outros mercados, de modo a trazer um maior conforto para os clientes. Somado a isso, temos a reestruturação societária da empresa após a incorporação com a Webjet, que se mostra positivo a longo prazo. Dessa forma, entendemos que a companhia deve manter níveis atrativos de crescimento nos próximos resultados e consideramos a Smiles (SMLE3) em tendência de alta para o longo prazo.

343623  - pedrosousa -  07 Nov 2017, 18:18
As decepções que fizeram as ações da Smiles recuarem mais de 10% neste pregão
Resultado abaixo do esperado, dúvidas sobre novas fontes de receita e política de dividendos ajudam explicar a derrocada do papel
As decepções que fizeram as ações da Smiles recuarem mais de 10% neste pregão - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/7062722/decepcoes-que-fizeram-acoes-smiles-recuarem-mais-neste-pregao

343586  - fridao -  06 Nov 2017, 20:42
SMLS3...
Lucro líquido cresce 132,1% e atinge R$ 339,5 milhões no 3T17
http://www.bmfbovespa.com.br/pt_br/produtos/listad...

339130  - ispholambra   -  08 Jun 2017, 02:00
Para investirmos em SMLE3 e varias outras e preciso ter muita fé...em que pese o P/L ate que razoavel dela... mas o VPA e brochante...e por causa disso todos os numeros sao inflados ao extremo...dando a impressao que a atividade da empresa e inacreditavelmente rentável... mas muita calma nessa hora...

O setor de consumo ainda demora a se recuperar plenamente... a concorrencia esta se acirrando bastante no setor e temos o contrapeso da Gol... pois o destino da Gol dita o destino da Smiles... ou seja... nao pago 64,90 pra ter esse ativo na minha carteira nem a pau... em que pese os bons dividendos que vem pagando...

É só uma opiniao... cada um sabe do seu dinheiro...

339119  - fridao -  07 Jun 2017, 22:23
Tem esse FR hoje...sei lá...
http://www.infomoney.com.br/onde-investir/acoes/no...

169705 - vellinhotrt4 -  28 Fev 2013, 15:00
AVISA: olha os IPO aí gente!!!!
A GOL Linhas Aéreas Inteligentes (GOLL4) anunciou ontem que sua controlada, a Smiles, apresentou o pedido de registro de companhia aberta e de realização da oferta pública inicial de distribuição de ações (IPO) e pretende que suas ações ordinárias sejam negociadas no Novo Mercado da BM&FBOVESPA ...

Nenhum comentário: