Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Vulcabras (VULC)


Subsetor
Segmento

Recomendações
 
Compra: FRBRAVIM (ago/18

Carteiras
BenGraham (set/18out/18) - dissenha (fev/18) - FRBRAVIM (ago/18set/18) - MBSilva (set/18) - O GARIMPEIRO (nov/17) - RRunner  (jul/18) - Gersonlp (jul/16, ago/16out/17) - PURAT (jul/16)

Códigos de Negociação
Tipo
VULC3
 Novo Mercado 

Balanços
A2019/4T2019 -DFP 31/12/2019 ➤ Apresentações ao mercado ➤ Press-release

3T2018 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). EBITDA = No 3T18, o EBITDA foi de R$ 54,9 milhões, apresentando redução de 34,7%, em contraposição aos R$ 84,1 milhões obtidos no 3T17. A margem EBITDA diminuiu 7,5 p.p., atingindo 17,0% no 3T18, ante 24,5% do 3T17. Cabe ressaltar, que no 3T18 foi reconhecida uma “despesa não recorrente” na rubrica de “Outras receitas (despesas) operacionais líquidas”, em virtude do processo de aquisição da Under Armour Brasil, no valor de R$ 2,8 milhões. Se desconsiderasse a referida despesa, TERIA atingido uma margem EBITDA de 17,9%. No acumulado dos nove meses de 2018, o EBITDA foi de R$ 148,9 milhões, com decréscimo de 34,1% sobre os R$ 226,1 milhões verificados no acumulado nos nove meses de 2017. A margem EBITDA obteve queda de 7,2 p.p., chegando a 16,6% em 2018.; LUCRO LÍQUIDO = O lucro líquido do 3T18 foi de R$ 39,5 milhões, com queda de 40,1% sobre o lucro aferido no 3T17, de R$ 65,9 milhões. A margem líquida foi de 19,2% no 3T17, para 12,3% no 3T18, perfazendo uma contração de 6,9 p.p. A margem líquida na comparação do 9M18 foi reduzida em 3,3 p.p., de 15,1% nos nove meses de 2017 para 11,8% em igual período de 2018.

1T2018 - 
marcosvinicius2 -
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Receita Operacional Líquida: A receita líquida do 1T18, no mercado interno totalizou R$ 254,7 milhões, com aumento de 1,3% em relação ao 1T17 quando a receita líquida foi de R$ 251,4 milhões. No mercado externo, a receita líquida no 1T18 foi de R$ 37,3 milhões, com queda de 16,2% em relação aos R$ 44,5 milhões registrados no 1T17.; Lucro Bruto = O lucro bruto do 1T18 foi de R$ 100,4 milhões, com redução de 7,3% em relação aos R$ 108,3 milhões registrados no 1T17. A margem bruta foi de 34,4% no 1T18, com redução de 2,2 p.p. em relação aos 36,6% verificados no 1T17.; Despesas Gerais e Administrativas = As despesas gerais e administrativas foram de R$ 19,5 milhões no 1T18, com aumento de 4,8% em relação aos R$ 18,6 milhões do 1T17. No percentual sobre a receita líquida, houve aumento de 0,4 p.p., de 6,3% no 1T17 para 6,7% no 1T18. Como a maior parte das despesas que compõem este grupo está atrelada a indicadores de inflação, o crescimento nominal se deve a esta correção.

3T2017 -

Características
Representantes Comerciais e Agentes do Comércio de Têxteis. Vestuário. Calçados e Artigos de Viagem.

Compra de Companhias
Dok Participações Societárias

Balanços (Calendário)




02/03/2020 - Press-release
07 de janeiro de 2020 -
celebraram um Contrato de Compra e Venda de Quotas e Outras Avenças- com Dok Participações Societárias Ltda pelo qual pretendem alienar atotalidade das quotas representativas do capital social da subsidiária Vulcabras Azaleia – SE, Calçados e Artigos
Esportivos Ltda. (“Vulcabras SE”). O valor aproximado envolvido na operação é de R$ 25.000.000,00, incluindo absorção de passivos pela Compradora.

356684 - marcosvinicius2 -  10 Dez 2018, 12:14
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). EBITDA = No 3T18, o EBITDA foi de R$ 54,9 milhões, apresentando redução de 34,7%, em contraposição aos R$ 84,1 milhões obtidos no 3T17. A margem EBITDA diminuiu 7,5 p.p., atingindo 17,0% no 3T18, ante 24,5% do 3T17. Cabe ressaltar, que no 3T18 foi reconhecida uma “despesa não recorrente” na rubrica de “Outras receitas (despesas) operacionais líquidas”, em virtude do processo de aquisição da Under Armour Brasil, no valor de R$ 2,8 milhões. Se desconsiderasse a referida despesa, TERIA atingido uma margem EBITDA de 17,9%. No acumulado dos nove meses de 2018, o EBITDA foi de R$ 148,9 milhões, com decréscimo de 34,1% sobre os R$ 226,1 milhões verificados no acumulado nos nove meses de 2017. A margem EBITDA obteve queda de 7,2 p.p., chegando a 16,6% em 2018.; LUCRO LÍQUIDO = O lucro líquido do 3T18 foi de R$ 39,5 milhões, com queda de 40,1% sobre o lucro aferido no 3T17, de R$ 65,9 milhões. A margem líquida foi de 19,2% no 3T17, para 12,3% no 3T18, perfazendo uma contração de 6,9 p.p. A margem líquida na comparação do 9M18 foi reduzida em 3,3 p.p., de 15,1% nos nove meses de 2017 para 11,8% em igual período de 2018.:

VULC3
PREÇO: R$ 6,35
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,31
P/VPA 1,74
PSR 1,29
DY 0,00%
EV/EBITDA 7,27
MARGEM BRUTA 35,93%
MARGEM OPERACIONAL 12,57%
MARGEM LÍQUIDA 12,51%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,616
MARGEM EBITDA 18,13%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 7,44%
ROE 16,90%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,14

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -20,57%
RESULTADO BRUTO -22,63%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -86,65%
RESULTADO OPERACIONAL -5,25%
RESULTADO LÍQUIDO -3,76%
EBITDA -27,38%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,34%
RESULTADO BRUTO -13,15%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -95,68%
RESULTADO OPERACIONAL -41,18%
RESULTADO LÍQUIDO -40,08%
EBITDA -34,82%

c) lucro (taxa média anual)
UA -3,76%
U2A ND
U3A -349,08%

d) patrimônio líquido médio
UA 640,59%
U2A 420,27%
U3A 142,94%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,70
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -4,5% !!!!
[...]

Ainda não estudei a fundo. Mas no estudo inicial vi que a cia. está com turnaround completo, está muito barata e cenário favorável para seu negócio, principalmente se o reaquecimento econômico engrenar. Possui boas marcas, etc. Dívida líquida negativa, resultado financeiro melhorando a cada tri. LL mantendo essa pegada, logo devem voltar os dividendos. Entrei com pouco e devo aumentar caso continue gostando enquanto estudo mais a cia.
http://fundamentus.com.br/detalhes.php?papel=VULC3

353891 - RRunner -  19 Set 2018, 01:47
Tenho VULC3, achei excepcional a recuperação da empresa. Usou a grana do RE-IPO e praticamente zerou as dívidas ... mas, como o Prof disse, vamos ficar sem dividendos por um bom tempo ..

353889 - carlosacs40 -  19 Set 2018, 01:18
VULC3

Pelos meus cálculos considerando as seguintes premissas:

Crescimento lucro: 5% ano 1, 15% ano 2 e 3, 12% ano 4 e 5, 4% até 10 ano e perpetuidade.

Taxa de desconto acionista: 11,87%

CAPEX = 150 mil

Depreciação = 125 mil

Cheguei a valor justo de 9,10

353885 - paulo_prof -  18 Set 2018, 23:31
Citação: aeronave - Post #353875 - 18/Set/2018 19:46
Prof Paulo, boa tarde
Aparentemente vulc3 não parece estar no seu patuá, mas em uma estudada rápida parece ser um ativo promissor.
Ativo sem dívidas e negociada a P/L 12 meses de 7.
Recentemente adquiriu direitos de negociar a marca under armour no Brasil. No último ano chegou a ser cotada acima de 10 reais e está atualmente negociando a 5 reais... Será que vale a pena o Senhor perder 5 minutinhos para uma pincelada rápida?
Os números mostram que o ativo está barato. Se vc tomar como base o lucro do proprietário (lucro líquido + depreciação - capex) dos últimos 12 meses, vc chegará a um LPA de R$ 0,5774. Supondo que, em termos reais, este LPA permanecerá constante para todo o sempre e adotando uma taxa de desconto real de 8%, obtém-se um valor intrínseco de R$ 7,22.

Ocorre que no LPA dos últimos 12 meses foi impactado pela greve dos cominhoneiros. Por outro lado, o lucro do proprietário da empresa vem crescendo em termos reais. Há também a questão do capex. As despesas com o capex são hoje maiores do que a depreciação. Em consequência, o lucro do proprietário é menor do que o lucro líquido contábil. Talvez não seja razoável admitir a hipótese de que o capex continuará no mesmo nível para todo o sempre. Finalmente, há a questão da Under Armour ... há que se ver quais serão os impactos no futuro próximo.

Em consequência, embora não se saiba exatamente quanto ainda possa crescer no médio prazo, sem dúvida a hipótese de lucro constante em termos reais é bastante conservativa.

Por outro lado, entretanto, há a questão dos prejuízos acumulados, de R$ 264 milhões ao final do 2T18. Dificilmente a empresa será capaz de postar um lucro desta ordem nos próximos 12 meses (nos últimos 12 meses postou um lucro líquido contábil de R$ 178 milhões). Embora tenha todas as condições para distribuir lucro, pois o ebitda gerado é muito superior ao necessário para cobrir o resultado financeiro e despesas de capex e IR/CS, por ter prejuizos acumulados, a empresa não tem a obrigação legal de faze-lo.

Com a situação política indefinida e a empresa desobrigada a distribuir proventos pelo menos nos próximos 12 meses, não acho que hajam drivers para uma valorização expressiva do ativo no curto prazo. Sem dúvida, entretanto, como ativo de crescimento o ativo tem muito bons fundamentos e deveria ser considerado seriamente.

351862 - espectador -  07 Jul 2018, 14:17
Nobres mestres que frequentam este espaço, venho compartilhar minha análise e todos os comentários são bem vindos, principalmente aqueles possam me alertar de eventuais perigos ocultos.

Entendo que os preços atuais de VULC3 começam a justificar compras moderadas. Por um lado, o que justifica a moderação é: a empresa apresentou redução de receita de 1,3%, passando de 295,9m para 292m (1t18x1t17), redução de ebtida de 14,1%, passando de 58mi para 49,8mi (1t18x1t17). Ressalto que ainda assim sua margem líquida aumentou 8,8% para 11,4%. O cenário para os próximos trimestres, não há dúvida, considero pessimista com a redução do consumo das famílias.

Por outro lado, observo que a empresa conseguiu aproveitar muito bem esta onda de euforia iniciada em meados de 2016 e fulminou com dívida. Com o Re-ipo realizado em 2017, a empresa mudou de patamar. Vejam que em dez.2016 o patrimonio estava em torno de 50m e uma dívida de 500m. Atualmente, a empresa apresenta caixa líquido de 152m e um patrimônio de 818m. A não ser que ocorra uma deterioração muito grande de suas margens, não vejo como a empresa voltar aos preços que já foi negociada de R$1,50. Os R$6,00 de hoje são muito mais baratos que os R$1,50 do final de 2016, já que o vpa hj é mais de 4x maior. Para se ter uma ideia o Re-ipo foi realizado ao preço de R$9,50 por ação.

Por outro lado, o carro chefe da empresa (marca olympikus) pode apresentar maior ganho de marketshare com o menor apetite das famílias, visto que marcas mais caras como nike e mizuno podem ser preteridas. Por fim, vi que a empresa apresentou um fato relevante em que passará distribuir a marca under armor no brasil. Essa under armor possui produtos de mta qualidade e acho que isso irá incrementar as margens da empresa.

Valuation: P/l de 7,6, bem abaixo de GRnd de 11,7, não obstante a administração da grendene seja indiscutível.

O que acham?

350691 - marcosvinicius2 -  03 Jun 2018, 22:45
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). Receita Operacional Líquida: A receita líquida do 1T18, no mercado interno totalizou R$ 254,7 milhões, com aumento de 1,3% em relação ao 1T17 quando a receita líquida foi de R$ 251,4 milhões. No mercado externo, a receita líquida no 1T18 foi de R$ 37,3 milhões, com queda de 16,2% em relação aos R$ 44,5 milhões registrados no 1T17.; Lucro Bruto = O lucro bruto do 1T18 foi de R$ 100,4 milhões, com redução de 7,3% em relação aos R$ 108,3 milhões registrados no 1T17. A margem bruta foi de 34,4% no 1T18, com redução de 2,2 p.p. em relação aos 36,6% verificados no 1T17.; Despesas Gerais e Administrativas = As despesas gerais e administrativas foram de R$ 19,5 milhões no 1T18, com aumento de 4,8% em relação aos R$ 18,6 milhões do 1T17. No percentual sobre a receita líquida, houve aumento de 0,4 p.p., de 6,3% no 1T17 para 6,7% no 1T18. Como a maior parte das despesas que compõem este grupo está atrelada a indicadores de inflação, o crescimento nominal se deve a esta correção.:

VULC3
PREÇO: 7,59
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 9,50
P/VPA 2,28
PSR 1,48
DY 0,00%
EV/EBITDA 6,43
MARGEM BRUTA 37,68%
MARGEM OPERACIONAL 15,75%
MARGEM LÍQUIDA 15,59%
LUCRO POR AÇÃO 0,799
MARGEM EBITDA 22,90%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 17,39%
ROE 23,99%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,46

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -12,91%
RESULTADO BRUTO -6,32%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -66,14%
RESULTADO OPERACIONAL 224,68%
RESULTADO LÍQUIDO 227,98%
EBITDA 27,82%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,32%
RESULTADO BRUTO -7,29%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -88,03%
RESULTADO OPERACIONAL 27,12%
RESULTADO LÍQUIDO 28,24%
EBITDA -14,11%

c) lucro (taxa média anual)
UA 227,98%
U2A ND
U3A -265,30%

d) patrimônio líquido médio
UA 911,41%
U2A 232,42%
U3A 112,42%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 10,00
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -6,50% !!!!
[...]

349799  - Rocha Preta -  10 Mai 2018, 00:07
VULC3
A companhia Vulcabras anunciou um lucro líquido de R$ 33.42 milhões no 1º trimestre de 2018, valor 28,20% superior ao lucro líquido apurado no mesmo período do ano anterior (R$ 26.07 milhões). Na comparação com o 4º trimestre de 2017 (R$ 45.41 milhões), houve uma diminuição de 26,39%.
[...]

349141 - pinheiro87  -  20 Abr 2018, 15:20
[...]
VULC3 é uma empresa mais "segura" depois da reestruturação que foi feita. Acho que ela seria uma boa inclusão ao banco de dados.

348052 - Fallas  -  14 Mar 2018, 18:03
Não acompanho, mas lembrei desta análise, achei boa:https://moneytimes.com.br/bruce-barbosa-vulcabras-...

Não sei se já tinha circulado por aqui...


Vulcabras (VULC3) divulgou belos resultados para o 4T17, acima do esperado pelo mercado.

Na comparação com o 4T16, receita líquida subindo +2%, Ebitda +25% e, os maravilhosos, lucros +234%. Nada mal.

Todo este crescimento de lucros veio de crescimento de margem bruta de 1,6% – quer dizer, utilizando suas fábricas a plena capacidade, VULC conseguiu cortar o custo de produção.

Maravilha, mas a companhia já começa com conversa de grandiosidade e se auto-declara “gestora de marcas” – eu não diria que Azaleia e Olympikus são marcas espetaculares, mas a Olympikus já é maior do Brasil (passou a Nike).

O volume de peças da Azaleia caiu drasticamente, mas a companhia ainda procura reestruturar a marca – o problema é o desenvolvimento de produtos.

Para fechar com chave de ouro, a companhia ainda conseguiu redução de despesas com vendas (-6%), marketing (-11%), administrativas (-14%).

Tudo isso deu para VULC um ROIC de 40% em 2017, uma enormidade se comparamos com os 18% de 2016 (que já seria muito bom) e os (baixos) 5% de 2015.

E, como não tem dívidas, ROIC ~ ROE.

Fazer calçados no Brasil é mesmo um negócio fabuloso (alguém interessado em montar uma calçadista por favor me ligue!).

Muito bom, e 2018 promete. Com a enorme vantagem da Nike (competição) estar tentando aumentar sua rentabilidade no Brasil. Oportunidade de ouro para a Olympikus dominar o espaço logo abaixo das marcas internacionais.

Você pode ter tudo isso a apenas 9x Ebitda e 14x lucros e ainda ganha uma possível melhora da Azaleia de graça (free option). Sem dúvida, VULC é uma ótima aposta no crescimento do consumo das Melhores Ações do Bruce.

348050 - damonpena  -  14 Mar 2018, 17:54
VULC3 em relação aos seus pares me parece barata pela relação EV/EBIT ...
Vale a aposta ?

347876 - NumBroker  -  07 Mar 2018, 16:36
Mais uma análise da VULC3, agora pelo Bruce Barbosa. A ação era destaque dele na carteira Melhores Ações da Bolsa quando ele estava na Empiricus e que agora virou Melhores Ações do Bruce.


Bruce Barbosa: Vulcabras – 2017, o ano da Olympikus
Bruce Barbosa - 07/03/2018 - 12:00
Por Bruce Barbosa, analista independente

Vulcabras (VULC3) divulgou belos resultados para o 4T17, acima do esperado pelo mercado.

Na comparação com o 4T16, receita líquida subindo +2%, Ebitda +25% e, os maravilhosos, lucros +234%. Nada mal.

Todo este crescimento de lucros veio de crescimento de margem bruta de 1,6% – quer dizer, utilizando suas fábricas a plena capacidade, VULC conseguiu cortar o custo de produção.

Maravilha, mas a companhia já começa com conversa de grandiosidade e se auto-declara “gestora de marcas” – eu não diria que Azaleia e Olympikus são marcas espetaculares, mas a Olympikus já é maior do Brasil (passou a Nike).

O volume de peças da Azaleia caiu drasticamente, mas a companhia ainda procura reestruturar a marca – o problema é o desenvolvimento de produtos.

Para fechar com chave de ouro, a companhia ainda conseguiu redução de despesas com vendas (-6%), marketing (-11%), administrativas (-14%).

Tudo isso deu para VULC um ROIC de 40% em 2017, uma enormidade se comparamos com os 18% de 2016 (que já seria muito bom) e os (baixos) 5% de 2015.

E, como não tem dívidas, ROIC ~ ROE.

Fazer calçados no Brasil é mesmo um negócio fabuloso (alguém interessado em montar uma calçadista por favor me ligue!).

Muito bom, e 2018 promete. Com a enorme vantagem da Nike (competição) estar tentando aumentar sua rentabilidade no Brasil. Oportunidade de ouro para a Olympikus dominar o espaço logo abaixo das marcas internacionais.

Você pode ter tudo isso a apenas 9x Ebitda e 14x lucros e ainda ganha uma possível melhora da Azaleia de graça (free option). Sem dúvida, VULC é uma ótima aposta no crescimento do consumo das Melhores Ações do Bruce.

Acompanhe-me no Twitter: @BruceBarbosa88

E também no Facebook (ainda em construção): BruceBarbosaOficial

E no LinkedIn: BruceBarbosaOficial

fonte: https://moneytimes.com.br/bruce-barbosa-vulcabras-2017-o-ano-da-olympikus

347867  - NumBroker  -  07 Mar 2018, 14:04
Parece que o resultado de VULC3 agradou.

Vulcabras Azaleia desce do salto alto para correr mais longe

Gustavo Kahil - 07/03/2018 - 9:56

A receita líquida dos calçados esportivos saltou 11,3% na comparação com o ano anterior
A Vulcabras Azaleia (VULC3) apresentou um expressivo crescimento de 233,8% no lucro líquido no quarto trimestre de 2017, para R$ 45,4 milhões, na comparação com o resultado alcançado no mesmo período do ano anterior. O expressivo avanço fez com que a margem líquida saltasse de 4,4% para 14,4%.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) ficou em R$ 70,40 milhões, com expansão de 25%. A margem Ebitda, uma medida de eficiência operacional, cresceu 4,1 pontos percentuais, atingindo 22,4% no período, ante 18,3% entre outubro e dezembro de 2016.

A receita líquida subiu 2,4%, para R$ 314,6 milhões. O BTG Pactual destaca que o número ficou 1,2% abaixo do estimado pelos analistas Fabio Monteiro e Luiz Guanais, mas foi impulsionado principalmente pelo segmento esportivo, “apesar de ter sido sustentado por melhores preços, enquanto os volumes continuaram estáveis nesta categoria”, mostra um relatório publicado nesta quarta-feira (7). O banco recomenda a compra das ações, com preço-alvo de R$ 14.

Descendo do salto alto

A receita líquida dos calçados esportivos saltou 11,3% na comparação com o ano anterior, enquanto que para calçados femininos recuou 25,4%. O ano de 2017 também marcou a retomada da liderança nas vendas de calçados esportivos no Brasil protagonizada pela Olympikus, à frente de marcas globais, segundo levantamento do KantarWorldpane, ressalta e empresa.

“Na frente operacional, a empresa manteve sua estratégia para aumentar o foco em calçados esportivos, em vez de calçados femininos (ainda em vigor), enquanto continua investindo na modernização e eficiência da fábrica, que acreditamos ser a abordagem estratégica certa”, pontuam os analistas do Credit Suisse Tobias Stingelin, Pedro Pinto e Leandro Bastos. Eles indicam a compra dos papéis, com preço-alvo de R$ 13.

“A receita de calçados esportivos manteve o ritmo de crescimento, com todos os pedidos atendidos e, importante presença nas vendas de Natal. Houve queda nas vendas do setor feminino, em relação ao mesmo período do ano anterior, ocasionada pela manutenção da estratégia de transferência da capacidade produtiva de calçados femininos para calçados esportivos”, pontua a Vulcabras Azaléia.

fonte: https://moneytimes.com.br/vulcabras-azaleia-desce-do-salto-alto-para-correr-mais-longe

344386  - joaoricci   -  26 Nov 2017, 23:14
Alguém acompanhando a vulcabras? Vulc3

O último balanço confirmou um dos mais incríveis turnarounds que eu já vi. E acredito que ainda esteja fora do preço, se comparar os múltiplos com seus pares Grendene e alpargatas. Apesar da alta de quase 300% no ano.

O EV/EBITDA da Grendene/alpargatas está em 13, já o da vulcavulcabras está em 7 para 2017, levando em conta um EBITDA previsto de 290 milhões. Fazendo uma projeção para 2018, o EBITDA passa para 360 milhões. Se for levado em consideração o múltiplo das concorrentes, o preço da ação poderia alcançar 30 reais até o final do ano que vem. Sendo que ela tá valendo 9,35 hoje.

E com a dívida zerada após o RE IPO, o lucro líquido deve surpreender também. Estimo algo acima de 300 milhões para o próximo exercício.

343994 - Vulvan -  15 Nov 2017, 01:42
http://vulcabrasazaleiari.com.br
https://exame.abril.com.br/negocios/vulcabras-lucr...
Resultado da Vulc3 parece ter vindo bom. Alguém pode fazer uma análise do impacto no preço da ação?

[...]
VULC3

Ação da empresa Vulcabras/Azaleia S.A.
Atua no setor consumo cíclico

Resultado do 1º Trimestre de 2014

A companhia divulgou prejuízo líquido de R$ 42,9 M neste trimestre, contra perdas de R$ -55,5 M apurados no quarto trimestre de 2013. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 37,1 M.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 296,8 M, crescimento de 508,6% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 81,2 M no 1° trimestre de 2014.
[...]

220143  - leamm  -  04 Nov 2013, 01:04
Boa noite

Gostei da melhora do resultado operacional de VULC3. Alguém acompanha de perto? Sabe de alguma atitude da diretoria quanto a redução do endividamento que vem matando o resultado da empresa?

202209  - 17andre  -  11 Ago 2013, 00:18
Estou de olho em VULC3, que está passando por uma reestruturação.

Também com uma dívida muito alta, com receita caindo, fechamento de fábricas, demissão de pessoal, etc.

O curioso é que os donos da empresa são os mesmos da GRND3, os gêmeos Pedro e Alexandre.

Numa dá certo, e a outra está quebrada.

Ou VULC3 vai "voar" futuramente ou Grendene quebra ali adiante (não acredito).

Mas não tem sentido essa diferença entre as empresas.

Como saiu na Isto É Dinheiro de umas duas semanas atrás:

Um sobrenome, dois destinos

Referências no setor calçadista, os gêmeos Pedro e Alexandre Grendene vivem hoje situações opostas. O primeiro luta para reerguer sua Vulcabras/Azaleia, enquanto o dono da Grendene fez da Melissa um lucrativo ícone global.

VULC3

Empresa: VULCABRAS/AZALEIA S.A. Ação: VULCABRAS ON Setor: Consumo Cíclico Subsetor: Tecidos. Vestuário e Calçados
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou prejuízo líquido de R$ 75,5 M neste trimestre, contra perdas de R$ -49,7 M apurados no 3° trimestre de 2012. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 169,2 M.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 57,5 M, redução de 80,4% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 5,5 M no 4T12, valor -97,4% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Ano encerra com demissão em massa no Santander, WebJet e Vulcabrás Azaléia

VULC3

Vulcabras Azaleia – O fechamento de 12 unidades da Vulcabras Azaleia foi anunciado na última sexta-feira (7), e terá um impacto devastador na economia dos seis municípios-sede das fábricas na Bahia. Ao todo, foram quatro mil trabalhadores demitidos.

Na pequena Firmino Alves, na microrregião de Itabuna, o fechamento da fábrica deixará desempregada cerca de 80% da mão de obra formal da cidade. Segundo dados do Cadastro Geral de Emprego e Desemprego (Caged), do Ministério do Trabalho, Firmino Alves tem 693 empregos formais, dos quais 570 estão na unidade da Azaleia.

Em Itororó, também na região de Itapetinga, o impacto na mercado formal é da ordem de 60%. Dos 2.068 empregos formais, 1.242 estão na indústria calçadista.

A situação não é diferente em outras cidades como Caatiba, Itambé, Macarani, cujas economias estão fortemente calcadas na produção de calçados.
http://cspconlutas.org.br/2012/12/ano-encerra-com-demissao-em-massa-no-santander-webjet-e-vulcabras-azaleia/

PHERROU
VULCABRÁS VAI PHALIR!!

11 de Dezembro de 2012 - 10h18 

Câmara antecipa data da audiência sobre demissões na Vulcabrás 

A Comissão de Trabalho da Câmara dos Deputados antecipou para o dia 18 de dezembro, a realização da audiência pública que vai tratar das demissões na fábrica da Vulcabras Azaléia, em Itapetinga (BA). A antecipação aconteceu em virtude da urgência do tema. A audiência foi solicitada pelo deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA).

“As demissões provocarão um impacto econômico negativo na região”, afirmou o deputado Daniel Almeida ao solicitar a realização da audiência na Comissão do Trabalho. O parlamentar acompanha de perto a crise do polo calçadista e tem buscado formas para impedir as demissões. 

O fechamento de 11 das 12 unidades do parque industrial da Vulcabrás na região de Itapetinga, interior da Bahia vai atingir as cidades de Caatiba, Itambé, Macarani, Itororó, Iguaí, Potiraguá, Ibicuí, Itaranti e Firmino Alves. Ao todo serão aproximadamente quatro mil operários demitidos. 

A Comissão pretende ouvir as explicações de representantes do Ministério do Trabalho, Ministério da Indústria e Comércio, Ministério da Fazenda, Secretaria de Indústria e Comércio e Secretaria de Trabalho, ambas do estado da Bahia, e principalmente de representante da Vulcabras Azaleia. 

Foram convidados ainda, representantes do Sindicato dos Trabalhadores de Calçados da Região de Itapetinga, das Centrais Sindicais, do Fórum de Entidades Não Governamentais de Itapetinga, e os prefeitos das cidades atingidas pela decisão.

VULC3

PHERROU!!

Resultado do 3º Trimestre de 2012
A companhia divulgou prejuízo líquido de R$ 49,7 M no terceiro trimestre de 2012, ante perdas de R$ -144,9 M apurados no segundo trimestre de 2012. No mesmo período do ano anterior, o resultado havia sido negativo em R$ 34,9 M.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 107,1 M, redução de 76,9% em relação ao saldo no 3T11. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 83,8 M no terceiro trimestre de 2012, o que representou uma variação de -78,1% em relação ao saldo no 3T11.

VULC3 VAI FALIR!!

Vulcabrás – Azaleia demite demite 200 funcionários por dia em Itapetinga

21/nov/2012 . 12:55

digg0 comentários Apesar dos desmentidos oficiais e do silêncio da empresa, a Vulcabras-Azaleia já vem colocando em prática a sua política de demissões que deve atingir cerca de 30% do total de seus 12 mil colaboradores até o início de dezembro. Os comerciantes já começaram a contabilizar os prejuízos causados pela crise e a expectativa é pessimista, devendo levar ao fechamento de lojas do comércio e mercadinhos a partir de janeiro de 2013.

Foto Sudoeste Hoje
As demissões vêm sendo feitas de forma paulatina, mas a meta é demitir cerca de 3 mil funcionários e fechar todas as filiais localizadas nas cidades da região. O sindicato da categoria homologa em média 100 contratos de trabalho por dia e a crise gerada com as demissões deverá causar um impacto negativo na economia regional, devendo se agravar no decorrer de 2013, com o fechamento definitivo da fábrica na região.


Nenhum comentário: