Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

terça-feira, 7 de abril de 2020

Magazine Luiza (MGLU)

Subsetor
Segmento

Recomendações
Compra: NumBroker (2018) - slf17 (2013)

Carteiras
Amigosdahp (set/18) - Chinese_Wall (jan/16, fev/16) - conservador22 (mar/13) - dissenha (fev/18) - Gusmaran (mar/17) - MICRO CAPS (dez/17) - polycrav (nov/12mar/13) - rodrigoset (jul/17ago/17) - vellinhotrt4 (nov/12,  dez/12)

Códigos de Negociação
Tipo
MGLU3
 Novo Mercado

Balanços
A2019/4T2019 - DFP de 31/12/19
paulo_prof  -
Os Resultados do 4T19 e 2019 foram "meia boca". Apesar do aumento expressivo na Receita líquida (+40% no 4T19 e +28% em 2019) e manutenção da margem bruta ajustada na faixa dos 29,0% (em 2019 e 2018) e 28,3% no 4T19 e 28,2% no 4T18, Os resultados antes dos impostos e líquido vieram abaixo dos valores postados no 4T18 e 2018, devido prinicpalmemente as maiores despesas operacionais ajustadas (passou de 20,9% e 21,6%, respectivamente, no 4T18 e 2018, para 22,5% e 22,7% no 4T19 e 2019) e pior resultado financeiro negativo (+107% no 4T19 e +55% em 2019).
O Ebitda teve um crescimento razoavel (aprox. +12%), mas nem de longe próximo do que seria compatível com a precificação corrente.
Ativo está caro prá dedéu!

3T2019 -
paulo_prof  -
Para ter um quadro mais realista da situação, inseri os resultados recorrentes e comparáveis em minha planilha. Até o final de 2018 ainda não estava em vigor a norma IFSR 16. Em consequência, não dá para comparar os valores de 2018, sem IFSR 16, com aqueles de 2019, com IFSR 16. Para possibilitar a comparação, o release da empresa expurga os efeitos do UFRS 16 dos resultados de 2019. Por outro lado, há não recorrentes (principalmente aqueles decorrentes da aquisição da Netshoes) que também são expurgados nos releases de 2019.
O quadro esta longe de mostrar-se promissor. Para justificar o preço atual, considerando uma taxa de desconto real média de apenas 5% (os títullos de longo prazo estão pagando 3%) e uma horizonte de 20 anos de crescimento e perpetuidade com preços reais estáveis, o lucro anual recorrente atual, de aprox. R$ 570 milhões teria que crescer em média 12,1% durante os 20 anos.
Considerando que o lucro recorrente nos últimos 12 meses ficou estacionário, em termos nominais, ou seja, encolheu em termos reais, a tarefa não será trivial! Tudo indica que teremos aqui o mesmo fenômeno da Amazon ... as operações da empresa crescem a taxas chinesas mas o lucro, que no frigir dos ovos é o que interessa, ficará sempre correndo atrás. Como no caso da Amazon, o mercado provavelmente monitorará o crescimento das operações, deixando o crescimento do lucro em segundo plano, e o preço do ativo provavelmente acompanhará o crescimento das operações. Mas o dia em que a empresa der uma tossida veremos a corrida do homem pelado!
A empresa divulgou a intenção de efetuar um aumento de capital de R$ 5 bilhões. Isto é aprox.15% de seu market cap. Tenho lá as minhas dúvidas se o controlador vai subscrever a sua parte ... Afinal, teria que desembolsar perto de R$ 3 bilhões para não ser diluído.

2T2019 -
paulo_prof   -
Os Resultados Contábeis foram muito bons. Mas o 2T19 está recheado de não recorrentes. Além dos efeitos do IFSR-16 há, entre outros, os efeitos da aquisição da Netshoes e do êxito nas ações judiciais referentes à inconstitucionalidade da inclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo do PIS/Cofins. Se es resultados expurgados forem considerados, conclui-se que foram ruins, totalmente incompatíveis com a precificação corrente. Não vejo como o preço corrente possa se manter. Abaixo, como ficariam os múltiplos usando os resultados expurgados pró-forma, informados no release do 2T19.

1T2019 -
paulo_prof  -
Com a mudança das regras contábeis a partir do 1T19, aluguéis passam a ser contabilizados de forma distinta. O contrato de aluguel gera um passivo de leasing financeiro e um ativo de direito de uso do imóvel. Ou seja, aumenta o endividamento líquido, mas não tem impacto apreciável no patrimônio líquido. Por outro lado, a despesa com os aluguéis, que antes eram contabilizadas como despesas operacionais, agora são contabilizadas como despesas financeiras. Em consequência, há um impacto negativo no Resultado Financeiro e um Impacto positivo no Ebitda. mudança não tem impacto apreciável no Resultado Antes dos Impostos e Resultado Líquido.
Os números da MGLU no 1T19 não foram bons ... A Receita Líquida, que evoluiu quase 20% nominais em relação ao 1T18, acabou gerando um Resultado Antes dos Impostos menor em % nominais. Houve perda de margem bruta e aumento de despesas operacionais (incluindo o resultado financeiro). O lucro líquido foi ainda mais impactado devido a uma maior despesa de IR/CS (-10%).
Em consequência, as taxas de crescimento resultantes da comparação anual já não são mais suficientes para justificar o preço corrente (preço do ativo aumentou consideravelmente para resultados também consideravelmente piores).
Não vejo como o mercado sustentar este preço ... é "wishful thinking" demais! A administração da empresa sabe que não conseguirá mais entregar resultados compatíveis com o preço do ativo. Em consequência, é obrigada a crescer via aquisições. Em particular, não coloco muita fé na efetividade da aquisição da Netshoes.
Acho o ativo super arriscado no preço atual.

A2018/4T2018 -
Paulo Prof -
A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 13,9% ao ano (há 3 meses era 14,9%). Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 13,9% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.
Percebe-se nitidamente que a cada trimestre a empresa está entregando resultados a uma taxa de crescimento menor do que no trimestre anterior. O preço, que vinha crescendo a cada trimestre, finalmente caiu em relação ao trimestre passado. Seria o início de uma correção?

3T2018 -
Paulo Prof - 
Vou aqui repetir a observação feita há 3 meses ...
A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14,9% ao ano (há 3 meses era 14%). Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14,9% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.
Percebe-se nitidamente que a cada trimestre a empresa está enytregando resultados a uma taxa de crescimento menor do que no trimestre anterior. O preço, entretanto, cresce a cada trimestre, Inexoravelmente chegará o momento que observaremos a corrida do homem pelado!

marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA= No 3T18, o EBITDA aumentou 11,4% para R$278,9 milhões, equivalente a uma margem de 7,6%. O elevado crescimento das vendas, o resultado positivo do e-commerce e a diluição das despesas fixas contribuíram para o crescimento nominal do EBITDA. Em linha com a nova fase estratégica de foco no cliente, os investimentos adicionais em melhoria no nível de serviço e aquisição de novos clientes reduziram a margem EBITDA em aproximadamente 1 ponto percentual. Nos 9M18, o EBITDA cresceu 24,2% atingindo R$891,8 milhões, equivalente a uma margem de 8,1% da receita líquida; RESULTADO FINANCEIRO = No 3T18, a despesa financeira líquida ajustada totalizou R$69,9 milhões, melhorando 16,7% em relação ao 3T17. Em relação à receita líquida, a despesa financeira líquida ajustada melhorou 1,0 p.p. passando de 2,9% para 1,9%. Este resultado foi impactado positivamente pela redução da dívida líquida e pela queda na taxa de juros. Nos 9M18, o resultado financeiro líquido ajustado totalizou R$189,3 milhões, melhorando 1,9 p.p. em relação aos 9M17; Lucro líquido = No 3T18, o lucro líquido totalizou R$119,6 milhões com crescimento de 29,3% versus 3T17 (margem líquida de 3,3%), e um ROE de 21%. Nos 9M18, o lucro líquido atingiu R$407,8 milhões (margem líquida de 3,7%), crescendo 82,5%.

2T2018 -
Paulo Prof - 
A empresa continua entregando escelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14% ao ano. Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

Rocha Preta inc -  
Fantástico.

1T2018 -
Paulo Prof - 
A empresa vem entregando ... resta saber at[e quando!

Rocha Preta inc -  
Deu ruim...

A2017/4T2017 - 
Lucro Liquido - 
estão impressionantes

Paulo Prof - 
Mais uma vez, resultados excelentes. Na minha opinião, entretanto, a empresa não deverá conseguir manter esta performance no longo prazo

3T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E MELHOROU (TAMBEM) NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 35 TRIMESTRES, 07 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (20,0000%). LUCRO BRUTO = NO3T17, O LUCRO BRUTO CRESCEU 23,3% PARA R$882,8 MILHÕES, EQUIVALENTE A UMA MARGEM BRUTA DE 30,9%. A VARIAÇÃO DA MARGEM BRUTA FOI REFLEXO DE: (I) AUMENTO SIGNIFICATIVO NA PARTICIPAÇÃO DO E-COMMERCE NAS VENDAS TOTAIS (+5,3 P.P. VERSUS O 3T16) E (II) PRESERVAÇÃO DA MARGEM BRUTA DE TODOS OS CANAIS. NOS9M17, O LUCRO BRUTO CRESCEU 22,5% PARA R$2,6 BILHÕES, EQUIVALENTE A UMA MARGEM BRUTA DE 30,5%.

paulo_prof -
Excelentes os resultados da empresa ... mas o risco de um investimento no preço atual é apreciável. Será que a empresa conseguirá manter a trajetória aumento do lucro líquido e ebitda, mesmo sob a concorrência da Amazon? Tenho lá as minhas dúvidas. Parece que o mercado também, uma vez derrubou o preço de mais de R$ 85,00 há pouco mais de 2 meses, para os atuais R$ 49,06 (-42%). Como e que fica quem comprou a R$ 80-85?

2T2017 -
bommauricio   -
Recorde de lucro e ebitda numa economia ainda cambaleante.

rodrigoset  - 
MAGAZINE LUÍZA
VEM SER FELIZ!!
RESULTADO LINDO........ALÉM DE MUITO BARATA DETONOU NO LUCRO CRESCENTE
VOU COMPRAR MAIS!!
Lucro Líquido de R$72 milhões no 2º trimestre, sendo que: 
E-commerce cresceu 55% atingindo 28% das vendas;
Lojas físicas evoluíram 15% no conceito mesmas lojas;
Vendas totais aumentaram 26%, atingindo R$3,2 bilhões;
EBITDA cresceu 44% para R$236 milhões (margem de 8,7%);
Redução da dívida líquida de R$587 milhões em 12 meses.

1T2017 -
paulo_prof   -
Excelentes os resultados da MGLU. Como os resultados do 1T16 foram muito fracos (resultado antes dos impostos negativo), não há base de comparação. Se o 1T14 for usado para comparação, conclui-se que o lucro cresceu nominalmente numa média anual de 41,8% e o ebitda, numa média anual de 24,3%. Na base anual, ídem. Não há como comparar com os 12 meses terminados no 1T16. As comparações com os 12 meses terminados no 1T15 e 1T14 fornecem taxas nominais médias de aprox. 14,5% no que se refere ao ebitda, e algo aprox. a metade disto no que se refere o lucro líquido.
Apesar dos excelentes resultados, o preço do ativo é na minha opinião extremamente exagerado. Se a empresa fosse capaz de sustentar uma taxa de crescimento anual real médio do lucro de 8%, seriam necessários no mínimo 22 anos para justificar o preço atual.
Paradoxalmente, entretanto, não considero o ativo super arriscado ... considerar que o ativo nitidamente não vale o que custa, não necessariamente quer dizer que o mercado não continue pagando preços irreais. Para tanto, basta que a empresa continue numa trajetõria de resultados crescentes (como, por exemplo, o caso da Panvel). Com uma adminstração competente, isto pode ser possível durante um bom período. Quando a empresa começar a "tossir", entretanto, testemunharemos a corrida do homem pelado.

3T2014 -
paulo_prof  -
Ativo bem precificado, com margem para valorização ...

A2013/4T2013 - 
Banzai10  -
O que vocês acharam do resultado de MGLU esse ano?
Achei muito bom!

2T2013
DANIELBOSSAN  -
Já MGLU que deu uma puxada hj de 30% já estava na carteira, mas veio com balanço mascarado,kkkk

2T2012 -
small caps - 
achou fraco

A2011/4T2011 –
danieljoseaa e SmallCaps -
acharam péssimo

Características
Rede varejista com foco na comercialização de bens duráveis no brasil.

Apresentações
17/02/2020 - Dados Financeiros - Press-release

Assembleias

Debêntures

Balanços (Calendário)




367186  - paulo_prof  -  17 Fev 2020, 21:29
Evidentemente, o "mercado" está focando somente o crescimento da receita líquida e margem bruta, usando a premissa que cedo ou tarde o lucro e ebitda vão acompanhar.

Veja, por exemplo, os dados históricos da BTOW. No Fundamentus estão informadas as DREs desde o 30JUN2009. Até o 3T10, a última linha era positiva, No 3T10 a receita líquida emplacou R$ 1,055 bilhões. De lá para cá, o único trimestre que deu lucro foi o 4T14. No mais, 9 anos de prejuízo contínuo. No 3T19, a Receita Líquida emplacou R$ 1,68 bilhões, mas 4T16 já chegou aos R$ 3,025 bilhões.

BTOW_receita5e4b020b5afe8.png
BTWO_bruto5e4b0221e4cdc.png

ZmkbX9d7MPyX3z6zKkUM=


Vai tentar justificar o que o mercado está enxergando na BTOW! Suponho que o investidor sempre acaba achando algum fato positivo para justificar. É nítida a queda da receita líquida. Mas esta queda, aparentemente, está sendo compensada por um aumento na margem bruta, de modo que o resulyado bruto está, em valores nominais, lentamente se aproximando do pico de 2015.

Mas este fenômeno não é uma jaboticaba! Veja o caso da Amazon. Será que algum dia vai o lucro vai crescer na medida compatível com o preço? E o caso da Uber que, creio eu, nunca postou uma última linha azul?

Quando comparado com a BTOW, o quadro da MGLU é, sem sombra de dúvida, muito melhor.
MGLU_receita5e4b05a227322.png
MGLU_bruto5e4b05b6b4ada.png

367169  - paulo_prof  -  17 Fev 2020, 14:15
Os Resultados do 4T19 e 2019 foram "meia boca". Apesar do aumento expressivo na Receita líquida (+40% no 4T19 e +28% em 2019) e manutenção da margem bruta ajustada na faixa dos 29,0% (em 2019 e 2018) e 28,3% no 4T19 e 28,2% no 4T18, Os resultados antes dos impostos e líquido vieram abaixo dos valores postados no 4T18 e 2018, devido prinicpalmemente as maiores despesas operacionais ajustadas (passou de 20,9% e 21,6%, respectivamente, no 4T18 e 2018, para 22,5% e 22,7% no 4T19 e 2019) e pior resultado financeiro negativo (+107% no 4T19 e +55% em 2019).

O Ebitda teve um crescimento razoavel (aprox. +12%), mas nem de longe próximo do que seria compatível com a precificação corrente.

Ativo está caro prá dedéu!
p.php?pid=chartscreenshot&u=zZyCCrogZGo1


No que segue, os efeitos não recorrentes dos resultados do 1T19, 2T19 e 3T19 foram EXPURGADOS

IFSR 16 (para poder comparar com os resultados de 2018) e Ajustes Não Recorrentes.



MGLU3

PREÇO: R$ 57,85

PAYOUT (2019): 24,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 164,87

P/VPA 12,39

PSR 4,71

DY 0,15%

EV/EBITDA 66,11

MARGEM BRUTA 29,0%

MARGEM OPERACIONAL 3,6%

MARGEM LÍQUIDA 2,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,351

MARGEM EBITDA 7,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 41,4%

ROE 7,52%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,60



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,55%

RESULTADO BRUTO +27,06%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +54,61%

RESULTADO OPERACIONAL -10,02%

RESULTADO LÍQUIDO -4,82%

EBITDA +11,91%



b) 4T19 vs 4T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +39,78%

RESULTADO BRUTO +40,83%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +107,27%

RESULTADO OPERACIONAL -14,87%

RESULTADO LÍQUIDO -2,29%

EBITDA +11,63%



c) lucro (taxa média anual)

UA -4,82%

U2A 20,90%

U3A 87,28%



d) patrimônio líquido médio

UA 84,18%

U2A 91,37%

U3A 81,14%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 11,91%

U2A 16,27%

U3A 24,93%

U4A 31,59%

U5A 18,15%

U6A 19,57%

U7A 27,18%

U8A 21,13%

U9A 17,76%

U10A 5,22%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 4,39

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +75,0%

17/02/2020 - Dados Financeiros - Press-release 

365090 - paulo_prof  -  09 Nov 2019, 00:14
Para ter um quadro mais realista da situação, inseri os resultados recorrentes e comparáveis em minha planilha. Até o final de 2018 ainda não estava em vigor a norma IFSR 16. Em consequência, não dá para comparar os valores de 2018, sem IFSR 16, com aqueles de 2019, com IFSR 16. Para possibilitar a comparação, o release da empresa expurga os efeitos do UFRS 16 dos resultados de 2019. Por outro lado, há não recorrentes (principalmente aqueles decorrentes da aquisição da Netshoes) que também são expurgados nos releases de 2019.

O quadro esta longe de mostrar-se promissor. Para justificar o preço atual, considerando uma taxa de desconto real média de apenas 5% (os títullos de longo prazo estão pagando 3%) e uma horizonte de 20 anos de crescimento e perpetuidade com preços reais estáveis, o lucro anual recorrente atual, de aprox. R$ 570 milhões teria que crescer em média 12,1% durante os 20 anos.

Considerando que o lucro recorrente nos últimos 12 meses ficou estacionário, em termos nominais, ou seja, encolheu em termos reais, a tarefa não será trivial! Tudo indica que teremos aqui o mesmo fenômeno da Amazon ... as operações da empresa crescem a taxas chinesas mas o lucro, que no frigir dos ovos é o que interessa, ficará sempre correndo atrás. Como no caso da Amazon, o mercado provavelmente monitorará o crescimento das operações, deixando o crescimento do lucro em segundo plano, e o preço do ativo provavelmente acompanhará o crescimento das operações. Mas o dia em que a empresa der uma tossida veremos a corrida do homem pelado!

A empresa divulgou a intenção de efetuar um aumento de capital de R$ 5 bilhões. Isto é aprox.15% de seu market cap. Tenho lá as minhas dúvidas se o controlador vai subscrever a sua parte ... Afinal, teria que desembolsar perto de R$ 3 bilhões para não ser diluído.
p.php?pid=chartscreenshot&u=RopFWujfWSW2



No que segue, os efeitos não recorrentes dos resultados do 1T19, 2T19 e 3T19 foram EXPURGADOS

IFSR 16 (para poder comparar com os resultados de 2018) e Ajustes Não Recorrentes.



MGLU3

PREÇO: R$ 43,81

PAYOUT (2018): 30,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 116.58

P/VPA 20.92

PSR 3.70

DY 0.26%

EV/EBITDA 51.37

MARGEM BRUTA 29.0%

MARGEM OPERACIONAL 4.1%

MARGEM LÍQUIDA 3.2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0.376

MARGEM EBITDA 7.5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 98.2%

ROE 17.94%

LIQUIDEZ CORRENTE 1.08



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,63%

RESULTADO BRUTO +21,85%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +26,79%

RESULTADO OPERACIONAL -2,77%

RESULTADO LÍQUIDO 0,07%

EBITDA +12,28%



b) 3T19 vs 3T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +32,52%

RESULTADO BRUTO +36,61%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATGIVO -7,95%

RESULTADO OPERACIONAL +14,01%

RESULTADO LÍQUIDO +174,70%

EBITDA +7,78%



c) lucro (taxa média anual)

UA -0,07%

U2A 45,82%

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 28,04%

U2A 89,15%

U3A 59,97%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 12,28%

U2A 19,63%

U3A 32,00%

U4A 25,81%

U5A 19,22%

U6A 21,21%

U7A 28,80%

U8A 18,71%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 4,70

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +63,0%

364871  - keep_calm  -  30 Out 2019, 17:13
Magazine Luiza (MGLU3): A rede varejista Magazine Luiza registrou lucro líquido ajustado de R$ 136,3 milhões no terceiro trimestre, superando a melhor das projeções compiladas pela Bloomberg, que era de R$ 127 milhões. O resultado representa uma alta de 12,7% sobre o mesmo período de 2018. O valor ajustado considera a diluição das despesas financeiras e pagamento de juros sobre capital próprio.

363952  - paulo_prof   -  03 Set 2019, 02:37
Os Resultados Contábeis foram muito bons. Mas o 2T19 está recheado de não recorrentes. Além dos efeitos do IFSR-16 há, entre outros, os efeitos da aquisição da Netshoes e do êxito nas ações judiciais referentes à inconstitucionalidade da inclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo do PIS/Cofins. Se es resultados expurgados forem considerados, conclui-se que foram ruins, totalmente incompatíveis com a precificação corrente. Não vejo como o preço corrente possa se manter. Abaixo, como ficariam os múltiplos usando os resultados expurgados pró-forma, informados no release do 2T19.

Resultados e Múltiplos com os efeitos não recorrentes EXPURGADOS



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 101,08

P/VPA 17,86

PSR 3,30

DY 0,30%

EV/EBITDA 43,18

MARGEM BRUTA 28,7%

MARGEM OPERACIONAL 4,4%

MARGEM LÍQUIDA 3,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,361

MARGEM EBITDA 7,9%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 96,4%

ROE 17,67%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,21



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +130,64%

RESULTADO BRUTO +18,27%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +17,69%

RESULTADO OPERACIONAL +2,99%

RESULTADO LÍQUIDO +0,64%

EBITDA +13,24%



b) 2T19 vs 2T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,95%

RESULTADO BRUTO +11,89%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +32,16%

RESULTADO OPERACIONAL -15,85%

RESULTADO LÍQUIDO -22,21%

EBITDA -2,69%



c) lucro (taxa média anual)

UA 0,64%

U2A 65,06%

U3A -314,36%



d) patrimônio líquido médio

UA 41,65%

U2A 86,51%

U3A 55,26%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 13,24%

U2A 23,37%

U3A 36,99%

U4A 21,78%

U5A 21,26%

U6A 23,33%

U7A 27,14%

U8A 18,40%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 4,51

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +58,0%

AmebTurvxSZpuTdP2CHNPrknzew=



No que segue, os efeitos não recorrentes NÃO foram expurgados

MGLU3

PREÇO: R$ 36,45

PAYOUT (2018): 30,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 67,13

P/VPA 17,86

PSR 3,29

DY 0,45%

EV/EBITDA 40,85

MARGEM BRUTA 27,7%

MARGEM OPERACIONAL 6,6%

MARGEM LÍQUIDA 4,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,543

MARGEM EBITDA 8,3%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 96,4%

ROE 26,61%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,21



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +131,45%

RESULTADO BRUTO +14,66%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -98,25%

RESULTADO OPERACIONAL +54,23%

RESULTADO LÍQUIDO +51,54%

EBITDA +19,69%



b) 2T19 vs 2T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +16,56%

RESULTADO BRUTO -1,43%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +168,57%

RESULTADO LÍQUIDO +174,70%

EBITDA +21,61%



c) lucro (taxa média anual)

UA 51,54%

U2A 102,55%

U3A -345,70%



d) patrimônio líquido médio

UA 41,65%

U2A 86,51%

U3A 55,26%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 19,69%

U2A 26,83%

U3A 39,55%

U4A 23,48%

U5A 22,61%

U6A 24,48%

U7A 28,15%

U8A 19,22%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 6,79

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +45,0%

361008  - paulo_prof  -  07 Mai 2019, 16:29
Com a mudança das regras contábeis a partir do 1T19, aluguéis passam a ser contabilizados de forma distinta. O contrato de aluguel gera um passivo de leasing financeiro e um ativo de direito de uso do imóvel. Ou seja, aumenta o endividamento líquido, mas não tem impacto apreciável no patrimônio líquido. Por outro lado, a despesa com os aluguéis, que antes eram contabilizadas como despesas operacionais, agora são contabilizadas como despesas financeiras. Em consequência, há um impacto negativo no Resultado Financeiro e um Impacto positivo no Ebitda. mudança não tem impacto apreciável no Resultado Antes dos Impostos e Resultado Líquido.

Os números da MGLU no 1T19 não foram bons ... A Receita Líquida, que evoluiu quase 20% nominais em relação ao 1T18, acabou gerando um Resultado Antes dos Impostos menor em % nominais. Houve perda de margem bruta e aumento de despesas operacionais (incluindo o resultado financeiro). O lucro líquido foi ainda mais impactado devido a uma maior despesa de IR/CS (-10%).

Em consequência, as taxas de crescimento resultantes da comparação anual já não são mais suficientes para justificar o preço corrente (preço do ativo aumentou consideravelmente para resultados também consideravelmente piores).

Não vejo como o mercado sustentar este preço ... é "wishful thinking" demais! A administração da empresa sabe que não conseguirá mais entregar resultados compatíveis com o preço do ativo. Em consequência, é obrigada a crescer via aquisições. Em particular, não coloco muita fé na efetividade da aquisição da Netshoes.

Acho o ativo super arriscado no preço atual.

MGLU3

PREÇO: R$ 195,75

PAYOUT (2018): 30,5%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 63,57
P/VPA 15,21
PSR 2,27
DY 0,48%
EV/EBITDA 28,98
MARGEM BRUTA 28,9%
MARGEM OPERACIONAL 4,8%
MARGEM LÍQUIDA 3,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,079
MARGEM EBITDA 8,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 96,3%
ROE 23,92%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,17


Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 1T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,49%

RESULTADO BRUTO +23,28%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -1,86%

RESULTADO OPERACIONAL +26,50%

RESULTADO LÍQUIDO +21,78%

EBITDA +21,89%



b) 1T19 vs 1T18

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +19,81%

RESULTADO BRUTO +16,11%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +65,52%

RESULTADO OPERACIONAL -5,40%

RESULTADO LÍQUIDO -10,43%

EBITDA +31,58%



c) lucro (taxa média anual)

UA 21,78%

U2A 103,99%

U3A passou de negativo para positivo



e) patrimônio líquido médio

UA 61,19%

U2A 80,09%

U3A 49,29%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 21,89%
U2A 29,23%
U3A 40,67%
U4A 21,65%
U5A 20,16%
U6A 28,42%
U7A 27,90%
U8A 18,55%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 38,49

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +43,5%

360906  - keep_calm   -  02 Mai 2019, 18:15
MGLU3: Após a compra da NetShoes, a rede varejista Magazine Luiza fechou a compra de 48 lojas no Pará e no Maranhão, pertencentes à rede Armazém Paraíba. Segundo Valor, citando fontes, a operação de compra girou entre R$ 150 milhões e R$ 200 milhões.

360823  - keep_calm  -  30 Abr 2019, 19:17
Destaque MGLU3:

O Magazine Luiza anunciou nesta segunda-feira (29) acordo para comprar a Netshoes por cerca de US$ 62 milhões (cerca de R$ 245 milhões), transformando a empresa de comércio eletrônico em uma subsidiária do grupo e reforçando sua aposta no varejo online.

A companhia afirmou que o acordo definiu o preço de US$ 2 por ação da Netshoes, que encerrou esta sessão cotada a US$ 2,65 na bolsa de Nova York, alta de 3,9%. A ação do Magazine Luzia caiu 0,25%.

Segundo o Magazine Luiza, os acionistas da Netshoes receberão o valor da aquisição em dinheiro.

A Netshoes será incorporada por uma subsidiária do Magazine Luiza criada nas Ilhas Cayman, afirmou a rede de varejo.

O acordo foi anunciado no mesmo dia em que a Netshoes fechou acordo para vender sua operação na Argentina para o grupo BT8, por valor não informado.

A gigante brasileira de comércio eletrônico B2W chegou a confirmar em 11 de abril que estava discutindo uma potencial aquisição da Netshoes, que tinha contratado o Goldman Sachs no ano passado para buscar um novo sócio para injetar capital na companhia.

A Netshoes abriu seu capital na bolsa de Nova York em 2017, precificando suas ações em US$ 18. Na época, a empresa captou cerca de US$ 140 milhões com a operação. Em 2018, até o terceiro trimestre, a companhia acumulava prejuízo líquido de R$ 241,5 milhões, ante R$ 120,6 milhões negativos no mesmo período do ano anterior.Fonte:G1

358664  - paulo_prof -  22 Fev 2019, 02:26
A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14% ao ano. Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

p.php?pid=chartscreenshot&u=ZhCHXXfKdvIo

MGLU3

PREÇO: R$ 147,68

PAYOUT (2017): 32,1%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 51,52

P/VPA 12,86

PSR 2,04

DY 0,62%

EV/EBITDA 23,69

MARGEM BRUTA 29,7%

MARGEM OPERACIONAL 5,2%

MARGEM LÍQUIDA 4,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,867

MARGEM EBITDA 8,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 26,6%

ROE 24,96%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,30

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,02%

RESULTADO BRUTO +26,86%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,91%

RESULTADO OPERACIONAL +215,84%

RESULTADO LÍQUIDO +170,71%

EBITDA +34,40%

b) 2T18 vs 2T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +36,93%

RESULTADO BRUTO +32,71%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -33,58%

RESULTADO OPERACIONAL +119,11%

RESULTADO LÍQUIDO +94,52%

EBITDA +32,49%

c) lucro (taxa média anual)

UA 170,71%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 84,30%

e) patrimônio líquido médio

UA 145,58%

U2A 62,55%

U3A 33,92%

e) ebitda (taxa média anual)

UA 34,40%

U2A 50,67%

U3A 24,77%

U4A 23,36%

U5A 25,46%

U6A 29,62%

U7A 19,16%

U8A 8,45%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 35,84

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +37,0%


Vou aqui repetir a observação feita há 3 meses ...

A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14,9% ao ano (há 3 meses era 14%). Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14,9% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

Percebe-se nitidamente que a cada trimestre a empresa está entregando resultados a uma taxa de crescimento menor do que no trimestre anterior. O preço, entretanto, cresce a cada trimestre, Inexoravelmente chegará o momento que observaremos a corrida do homem pelado!

MGLU3

PREÇO: R$ 172,96

PAYOUT (2017): 32,1%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 57,03

P/VPA 14,14

PSR 2,24

DY 0,56%

EV/EBITDA 27,07

MARGEM BRUTA 29,4%

MARGEM OPERACIONAL 5,2%

MARGEM LÍQUIDA 3,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,033

MARGEM EBITDA 8,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 25,0%

ROE 24,80%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,32

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,35%

RESULTADO BRUTO +26,73%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,92%

RESULTADO OPERACIONAL +131,99%

RESULTADO LÍQUIDO +112,79%

EBITDA +27,46%

b) 3T18 vs 3T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +28,50%

RESULTADO BRUTO +23,46%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,57%

RESULTADO OPERACIONAL +32,73%

RESULTADO LÍQUIDO +29,27%

EBITDA +11,38%

c) lucro (taxa média anual)

UA 112,79%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 180,10%

e) patrimônio líquido médio

UA 179,42%

U2A 78,81%

U3A 42,83%

e) ebitda (taxa média anual)

UA 27,46%

U2A 43,12%

U3A 30,67%

U4A 21,02%

U5A 23,08%

U6A 31,78%

U7A 19,65%

U8A 12,99%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,91

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +40,0%


A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 13,9% ao ano (há 3 meses era 14,9%). Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 13,9% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

Percebe-se nitidamente que a cada trimestre a empresa está entregando resultados a uma taxa de crescimento menor do que no trimestre anterior. O preço, que vinha crescendo a cada trimestre, finalmente caiu em relação ao trimestre passado. Seria o início de uma correção?

MGLU3

PREÇO: R$ 161,10

PAYOUT (2017): 32,1%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 50,96

P/VPA 13,22

PSR 1,95

DY 0,63%

EV/EBITDA 24,00

MARGEM BRUTA 29,1%

MARGEM OPERACIONAL 5,0%

MARGEM LÍQUIDA 3,8%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,162

MARGEM EBITDA 8,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 19,8%

ROE 25,94%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,19



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,09%

RESULTADO BRUTO +25,83%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -28,27%

RESULTADO OPERACIONAL +65,00%

RESULTADO LÍQUIDO +53,57%

EBITDA +20,80%



b) 4T18 vs 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,30%

RESULTADO BRUTO +22,76%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +15,37%

RESULTADO OPERACIONAL +12,56%

RESULTADO LÍQUIDO +14,51%

EBITDA +13,02%



c) lucro (taxa média anual)

UA 53,57%

U2A 162,71%

U3A passou de negativo para positivo



e) patrimônio líquido médio

UA 98,83%

U2A 79,64%

U3A 45,62%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 31,77%

U2A 45,52%

U3A 32,12%

U4A 22,03%

U5A 23,90%

U6A 32,51%

U7A 20,22%

U8A 13,46%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 39,52

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +36,5%

356308  - marcosvinicius2 -  30 Nov 2018, 14:16
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). EBITDA= No 3T18, o EBITDA aumentou 11,4% para R$278,9 milhões, equivalente a uma margem de 7,6%. O elevado crescimento das vendas, o resultado positivo do e-commerce e a diluição das despesas fixas contribuíram para o crescimento nominal do EBITDA. Em linha com a nova fase estratégica de foco no cliente, os investimentos adicionais em melhoria no nível de serviço e aquisição de novos clientes reduziram a margem EBITDA em aproximadamente 1 ponto percentual. Nos 9M18, o EBITDA cresceu 24,2% atingindo R$891,8 milhões, equivalente a uma margem de 8,1% da receita líquida; RESULTADO FINANCEIRO = No 3T18, a despesa financeira líquida ajustada totalizou R$69,9 milhões, melhorando 16,7% em relação ao 3T17. Em relação à receita líquida, a despesa financeira líquida ajustada melhorou 1,0 p.p. passando de 2,9% para 1,9%. Este resultado foi impactado positivamente pela redução da dívida líquida e pela queda na taxa de juros. Nos 9M18, o resultado financeiro líquido ajustado totalizou R$189,3 milhões, melhorando 1,9 p.p. em relação aos 9M17; Lucro líquido = No 3T18, o lucro líquido totalizou R$119,6 milhões com crescimento de 29,3% versus 3T17 (margem líquida de 3,3%), e um ROE de 21%. Nos 9M18, o lucro líquido atingiu R$407,8 milhões (margem líquida de 3,7%), crescendo 82,5%:

MGLU3
PREÇO: R$ 162,35
PAYOUT (2017): 64,64%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 53,96
P/VPA 13,38
PSR 2,12
DY 1,20%
EV/EBITDA 25,91
MARGEM BRUTA 29,43%
MARGEM OPERACIONAL 5,22%
MARGEM LÍQUIDA 3,93%
LUCRO POR AÇÃO R$ 3,009
MARGEM EBITDA 8,25%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 40,40%
ROE 24,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,32

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 30,35%
RESULTADO BRUTO 26,73%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,92%
RESULTADO OPERACIONAL 131,99%
RESULTADO LÍQUIDO 112,79%
EBITDA 27,47%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 28,50%
RESULTADO BRUTO 23,46%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,57%
RESULTADO OPERACIONAL 32,73%
RESULTADO LÍQUIDO 29,27%
EBITDA 11,38%

c) lucro (taxa média anual)
UA 112,79%
U2A ND
U3A 180,10%

d) patrimônio líquido médio
UA 179,42%
U2A 78,81%
U3A 42,83%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,21
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +38,2% !!!!
[...]

355559 - paulo_prof  -  06 Nov 2018, 01:52
Vou aqui repetir a observação feita há 3 meses ...

A empresa continua entregando excelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14,9% ao ano (há 3 meses era 14%). Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14,9% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

Percebe-se nitidamente que a cada trimestre a empresa está enytregando resultados a uma taxa de crescimento menor do que no trimestre anterior. O preço, entretanto, cresce a cada trimestre, Inexoravelmente chegará o momento que observaremos a corrida do homem pelado!

MGLU3

PREÇO: R$ 172,96

PAYOUT (2017): 32,1%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 57,03

P/VPA 14,14

PSR 2,24

DY 0,56%

EV/EBITDA 27,07

MARGEM BRUTA 29,4%

MARGEM OPERACIONAL 5,2%

MARGEM LÍQUIDA 3,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 3,033

MARGEM EBITDA 8,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 25,0%

ROE 24,80%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,32



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,35%

RESULTADO BRUTO +26,73%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,92%

RESULTADO OPERACIONAL +131,99%

RESULTADO LÍQUIDO +112,79%

EBITDA +27,46%



b) 3T18 vs 3T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +28,50%

RESULTADO BRUTO +23,46%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -22,57%

RESULTADO OPERACIONAL +32,73%

RESULTADO LÍQUIDO +29,27%

EBITDA +11,38%



c) lucro (taxa média anual)

UA 112,79%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 180,10%



e) patrimônio líquido médio

UA 179,42%

U2A 78,81%

U3A 42,83%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 27,46%

U2A 43,12%

U3A 30,67%

U4A 21,02%

U5A 23,08%

U6A 31,78%

U7A 19,65%

U8A 12,99%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 37,91

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +40,0%

352839  - Ricardo Borges -  15 Ago 2018, 00:23
https://www.ricardoborges.com/noticias.htm

Comentários sobre resultados (MGLU3, PINE4, LINX3, IGTA3, RAIL3) e outras notícias

MAGAZINE LUIZA (MGLU3) - Eu não gosto do papel por considera-lo um dos mais caros do mercado, os P/L de 48,50 e o P/VPA de 12,11 (Fonte: Fundamentus) mostram isso. Para que a rentabilidade da ação se iguale a dos títulos do tesouro, o lucro líquido acumulado de 12 meses deveria ser de R$ 2.5 BILHÕES e está hoje em R$ 500 milhões, portanto tem de subir MUITO para justificar os preços atuais praticados no mercado o que não acredito que ocorrerá tão cedo. NÃO recomendo.

"O grupo varejista Magazine Luiza informou nesta segunda-feira (6) que teve lucro líquido de R$ 141 milhões no segundo trimestre, um crescimento de 94% em relação ao mesmo período de 2017.

O resultado operacional da companhia medido pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) cresceu 32,5% no segundo trimestre, para R$ 312,4 milhões, na comparação com o mesmo período do ano passado. " " (Fonte: O Globo G1)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:

https://g1.globo.com/economia/noticia/2018/08/06/l...

Para quem desejar acompanhar as notícias econômicas e financeiras dos principais jornais nacionais:

https://www.ricardoborges.com/manchetes.htm

352578 - paulo_prof  -  07 Ago 2018, 18:23
A empresa continua entregando escelentes resultados, mas a cada trimestre que passa, os múltiplos ficam mais esticados. Durante um certo período, uma empresa consegue maiores taxas de crescimento do resultados aumentando as margens, via otimização dos processos. Mas não há mágica ... Chega um momento no qual toda a operação está otimizada, e o crescimento dos resultados é função exclusiva do crescimento da Receita Líquida. Considerado um horizonte de 15 anos e aceitando uma taxa de desconto de 8% reais, o preço atual é compatível com uma taxa de crescimento real de 14% ao ano. Durante 15 anos a empresa teria que ser capaz de aumentar as vendas em 14% reais! Vc acredita ser isto possível? Então pode apostar no ativo.

MGLU3

PREÇO: R$ 147,68

PAYOUT (2017): 32,1%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 51,52

P/VPA 12,86

PSR 2,04

DY 0,62%

EV/EBITDA 23,69

MARGEM BRUTA 29,7%

MARGEM OPERACIONAL 5,2%

MARGEM LÍQUIDA 4,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,867

MARGEM EBITDA 8,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 26,6%

ROE 24,96%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,30



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +30,02%

RESULTADO BRUTO +26,86%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -39,91%

RESULTADO OPERACIONAL +215,84%

RESULTADO LÍQUIDO +170,71%

EBITDA +34,40%



b) 2T18 vs 2T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +36,93%

RESULTADO BRUTO +32,71%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -33,58%

RESULTADO OPERACIONAL +119,11%

RESULTADO LÍQUIDO +94,52%

EBITDA +32,49%



c) lucro (taxa média anual)

UA 170,71%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 84,30%



e) patrimônio líquido médio

UA 145,58%

U2A 62,55%

U3A 33,92%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 34,40%

U2A 50,67%

U3A 24,77%

U4A 23,36%

U5A 25,46%

U6A 29,62%

U7A 19,16%

U8A 8,45%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 35,84

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +37,0%

352538 - Rocha Preta inc -  06 Ago 2018, 23:55
Que números são esses?!?!

Crescimento nas Vendas Mesmas Lojas Físicas 27,1%

Crescimento nas Vendas Totais Lojas Físicas 34,1%

Crescimento nas Vendas E-commerce (1P) 54,8%

Crescimento nas Vendas E-commerce Total 66,1%

Participação E-commerce Total nas Vendas Totais 33,0%

No 2T18, o ROIC anualizado atingiu 29% e ROE de 26%

O fluxo de caixa das operações, ajustado pelos recebíveis, atingiu R$1,0 bilhão nos últimos 12 meses em função da melhoria dos resultados e da gestão do capital de giro.

352536 - Rocha Preta inc -  06 Ago 2018, 23:34
Cade a greve???

Magazine Luiza tem salto em lucro em 2T18

Lucro R$ 140,74 mi (+94%)
LPA R$ 0,745
Ebitda R$ 312,4 mi (+32%)
Receita R$ 3,7 bi (+37%)

Fantástico.

349873  - Ricardo Borges -  11 Mai 2018, 21:25
http://www.ricardoborges.com/noticias.htm
Comentários sobre resultados (POMO4, MGLU3, MRVE3, TIET11, LLIS3) e outras notícias
MAGAZINE LUIZA (MGLU3) - As ações da empresa não param de subir na B3 e os motivos que justificam essa alta nos preços são o endividamento baixo e a alta nos lucros. Os múltiplos medidos pelos P/L de 44,91 e o P/VPA de 10,48 (Fonte: Fundamentus), mostram que a ação está muito cara, será que a elevação nos lucros justificam esse preço?

Observando que o lucro do trimestre se estabilizou em relação ao último e projetando "anualizando" esse resultado (R$ 150 milhões), teríamos um lucro de R$ 600 milhões. Para que a ação rentabilizasse o capital do investidor igual a selic, que oferece menos risco, o lucro anual deveria ser de +-R$ 1,7 bilhão, ou seja quase 3 vezes maior do que a empresa está oferecendo. NÃO recomendo.

Ativo_12665_LucroLiquido_3M_180511081945

Fonte: guiainvest.com.br

Ativo_12665_LucroLiquido_12M_18051108194

Fonte: guiainvest.com.br

"O Magazine Luiza reportou lucro líquido de R$ 147,5 milhões no primeiro trimestre de 2018, resultado 151,8% maior que o do mesmo trimestre do ano anterior. No mesmo trimestre do ano passado, o lucro havia sido de R$ 58,6 milhões.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da varejista de eletroeletrônicos foi 29,6% maior na comparação anual. A companhia registrou Ebitda de R$ 300,5 milhões entre janeiro e março deste ano, com margem Ebitda de 8,3%, constante ante o ano passado." (Fonte: IstoÉ)

Link para a matéria completa do jornal para ser lida:

https://www.istoedinheiro.com.br/magazine-luiza-lu...

Para quem desejar acompanhar as notícias econômicas e financeiras dos principais jornais nacionais:

http://www.ricardoborges.com/manchetes.htm

349756  - Rocha Preta inc -  08 Mai 2018, 22:27
MPLU3

Deu ruim...

26,5 bilhões de pontos emitidos no 1T18, crescimento anual 7,8%, com
38,1% de acúmulo em parceiros não aéreos e não financeiros

22,4 bilhões de pontos resgatados, crescimento anual de 15,9%
19,9 milhões de participantes, crescimento de 16,3% vs. 1T17

Volume financeiro de pontos emitidos de R$ 640,7

Lucro líquido de R$ 98,2 milhões no 1T18

349755 - paulo_prof  -  08 Mai 2018, 22:26
A empresa vem entregando ... resta saber at[e quando!

MGLU3

PREÇO: R$ 110,99

PAYOUT (2016): 32,1%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 43,90

P/VPA 10,25

PSR 1,64

DY 0,73%

EV/EBITDA 18,85

MARGEM BRUTA 29,8%

MARGEM OPERACIONAL 4,8%

MARGEM LÍQUIDA 3,7%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,528

MARGEM EBITDA 8,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 40,0%

ROE 23,34%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,32



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 1T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,24%

RESULTADO BRUTO +24,27%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -34,62%

RESULTADO OPERACIONAL +323,44%

RESULTADO LÍQUIDO +241,69%

EBITDA +37,01%



b) 1T18 vs 1T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +28,73%

RESULTADO BRUTO +25,34%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -54,17%

RESULTADO OPERACIONAL +203,56%

RESULTADO LÍQUIDO +151,84%

EBITDA +29,58%



c) lucro (taxa média anual)

UA 241,69%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 62,75%



e) patrimônio líquido médio

UA 101,20%

U2A 43,67%

U3A 24,63%



e) ebitda (taxa média anual)

UA 37,01%

U2A 51,12%

U3A 21,57%

U4A 19,73%

U5A 29,76%

U6A 28,93%

U7A 18,08%

U8A 5,49%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 31,60

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +32,5%

349725 - Rocha Preta inc -  08 Mai 2018, 00:01
Melhor ir de MGLUGLU!!

O lucro líquido da Magazine Luiza (MGLU3) subiu 152% e alcançou R$ 147 milhões no primeiro trimestre de 2018 na comparação com o mesmo período do ano anterior, mostra um documento enviado ao mercado nesta segunda-feira (7). A margem líquida ficou em 4,1%, crescimento de 2 pontos percentuais.

As vendas totais, incluindo lojas físicas, e-commerce tradicional e marketplace, cresceram 33,8% para R$4,5 bilhões, reflexo do aumento de 64,6% no e-commerce total e 21,4% nas lojas físicas.” Em mais um trimestre, o Magalu ganhou participação de mercado em todos os canais e nas principais categorias de produtos”, diz a empresa.

O Ebitda aumentou 29,6% para R$ 300,5 milhões, equivalente a uma margem de 8,3% (zero crescimento). O elevado crescimento das vendas, a contribuição positiva do e-commerce e a diluição das despesas operacionais, contribuíram para o crescimento, explica o Magazine Luiza. O Itaú BBA esperava queda de 30 pontos-base na margem Ebitda.

A receita líquida total evoluiu 28,7% para R$3,6 bilhões, em linha com a variação da receita bruta total.

https://moneytimes.com.br/magazine-luiza-lucro-liq...

349468 - paulo_prof  -  30 Abr 2018, 20:16
Citação: roger35 - Post #349463 - 30/Abr/2018 18:20
O que acontece com mplu?alguém acompanhando?obrigado
Do ponto de vista dos fundamentos e de acordo com as hipoteses que uso para consumo próprio, o preço atual seria aproximadamente aquele justo, compatível com um lucro líquido constante em termos reais e igual a 4 vezes o lucro do 4T18.

Acredito que se o lucro liquido do 1T18 vier abaixo dos R$ 95 milhões, o preço de mercado tenderá a cair ainda mais.

Como já mencionei anteriormente, a empresa de fato não sabe o que fazer com o seu enorme caixa. Para uma disponibilidade líquida de aprox. R$ 1,4 bilhões no 4T17, a empresa conseguiu produzir um Resultado Financeiro de apenas R$ 24,5 milhões, equivalente a 7,2% a.a. ... ridículo!

Não posso acreditar que no mercado não existam oportunidades de risco desprezível, com ganhos financeiros acima disto.

347390 - paulo_prof -  23 Fev 2018, 04:39
Mais uma vez, resultados excelentes. Na minha opinião, entretanto, a empresa não deverá conseguir manter esta performance no longo prazo. Em consequência, o risco de um investimento nos preços atyaus é muito grande.

MGLU3

PREÇO: R$ 81,42

PAYOUT (2016): 25,0%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 39,60

P/VPA 7,43

PSR 1,29

DY 0,63%

EV/EBITDA 14,17

MARGEM BRUTA 30,1%

MARGEM OPERACIONAL 4,0%

MARGEM LÍQUIDA 3,2%

LUCRO POR AÇÃO R$ 2,056

MARGEM EBITDA 8,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 42,0%

ROE 18,76%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,27

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +26,03%

RESULTADO BRUTO +23,38%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -18,46%

RESULTADO OPERACIONAL +518,54%

RESULTADO LÍQUIDO +349.40%

EBITDA +44,25%

b) 4T17 vs 4T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,56%

RESULTADO BRUTO +25,60%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -43,11%

RESULTADO OPERACIONAL +304,85%

RESULTADO LÍQUIDO +259,50%

EBITDA +37,81%


c) lucro (taxa média anual)

UA 349,40%

U2A passou de negativo para positivo

U3A 44,64%


d) ebitda (taxa média anual)

UA 44,25%

U2A 48,94%

U3A 19,42%

U4A 21,25%

U5A 31,83%

U6A 22,80%

U7A 18,19%

U8A 2,63%

e) patrimônio líquido médio

UA 349,40% 62,31%

U2A #NUM! 24,61%

U3A 44,64% 15,33%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 25,70

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +29,5%

344459  - marcosvinicius2  -  28 Nov 2017, 13:33
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E MELHOROU (TAMBEM) NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 35 TRIMESTRES, 07 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (20,0000%). LUCRO BRUTO = NO3T17, O LUCRO BRUTO CRESCEU 23,3% PARA R$882,8 MILHÕES, EQUIVALENTE A UMA MARGEM BRUTA DE 30,9%. A VARIAÇÃO DA MARGEM BRUTA FOI REFLEXO DE: (I) AUMENTO SIGNIFICATIVO NA PARTICIPAÇÃO DO E-COMMERCE NAS VENDAS TOTAIS (+5,3 P.P. VERSUS O 3T16) E (II) PRESERVAÇÃO DA MARGEM BRUTA DE TODOS OS CANAIS. NOS9M17, O LUCRO BRUTO CRESCEU 22,5% PARA R$2,6 BILHÕES, EQUIVALENTE A UMA MARGEM BRUTA DE 30,5%.:

MGLU3
PREÇO: 59,59
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 42,15
P/VPA 13,18
PSR 1,01
DY 0,00%
EV/EBITDA 12,66
MARGEM BRUTA 30,27%
MARGEM OPERACIONAL 2,93%
MARGEM LÍQUIDA 2,41%
LUCRO POR AÇÃO 1,414
MARGEM EBITDA 8,44%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 112,06%
ROE 31,27%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,11

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 21,69%
RESULTADO BRUTO 20,95%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -9,26%
RESULTADO OPERACIONAL -664,99%
RESULTADO LÍQUIDO -2364,85%
EBITDA 60,69%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 26,46%
RESULTADO BRUTO 23,31%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -27,26%
RESULTADO OPERACIONAL 465,61%
RESULTADO LÍQUIDO 272,57%
EBITDA 38,81%

c) lucro (taxa média anual)
UA -2364,85%
U2A 221,36%
U3A 30,15%

d) patrimônio líquido médio
UA 14,43%
U2A 2,12%
U3A 2,78%

RESULTADO FINANCEIRO = No 3T17, o resultado financeiro líquido ajustado totalizou R$83,9 milhões, melhorando 2,3 p.p. em relação ao 3T16. Em relação à receita líquida, o resultado financeiro melhorou 43,8%, passando de 5,2% para 2,9%. Este resultado foi impactado positivamente pela redução da dívida líquida e pela continuidade do ciclo de queda na taxa de juros (CDI diminuiu 35,2% no período). Nos 9M17, o resultado financeiro líquido ajustado totalizou R$301,5 milhões, melhorando 1,5 p.p. em relação aos 9M16.;

EBITDA = No 3T17, o EBITDA aumentou 38,8% para R$250,4 milhões, equivalente a uma margem de 8,8% (+0,8 p.p. versus o 3T16). O elevado crescimento das vendas, a contribuição positiva do e-commerce e a diluição das despesas operacionais contribuíram para o alcance da maior margem EBITDA desde o IPO. Nos 9M17, o EBITDA cresceu 47,2% atingindo R$718,0 milhões, equivalente a uma margem de 8,6% (+1,3 p.p. versus os 9M16).;

MGLU3_rl_tri_bar.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

343865  - paulo_prof -  12 Nov 2017, 22:26
Excelentes os resultados da empresa ... mas o risco de um investimento no preço atual é apreciável. Será que a empresa conseguirá manter a trajetória aumento do lucro líquido e ebitda, mesmo sob a concorrência da Amazon? Tenho lá as minhas dúvidas. Parece que o mercado também, uma vez derrubou o preço de mais de R$ 85,00 há pouco mais de 2 meses, para os atuais R$ 49,06 (-42%). Como e que fica quem comprou a R$ 80-85?


MGLU3

PREÇO: R$ 49,06

PAYOUT (2016): 25,0%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 34,41

P/VPA 10,76

PSR 0,83

DY 0,73%

EV/EBITDA 10,22

MARGEM BRUTA 30,3%

MARGEM OPERACIONAL 2,9%

MARGEM LÍQUIDA 2,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 1,426

MARGEM EBITDA 8,4%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 186,5%

ROE 31,27%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,11



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +21,69%

RESULTADO BRUTO +20,695%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -9,26%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +60,71%



b) 3T17 vs 3T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +26,46%

RESULTADO BRUTO +23,31%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -27,26%

RESULTADO OPERACIONAL +465,61%

RESULTADO LÍQUIDO +272,57%

EBITDA +38,80%



c) lucro (taxa média anual)

UA passou de negativo para positivo

U2A 221,36%

U3A 30,15%



d) ebitda (taxa média anual)

UA 60,71%

U2A 32,30%

U3A 18,94%



e) patrimônio líquido médio

UA 14,43%

U2A 2,12%

U3A 2,78%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,28

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +33,0%

342902 - marcosvinicius2 -  12 Out 2017, 14:25
Há gente mais EXPERIENTE do que eu neste forum para responder isso, mas como ninguem respondeu vou escrever um RASCUNHO, pois como dizem, quem ensina acaba aprendendo tambem:

ANALISES ANTERIORES:

PAG. 16878: MGLU3 (1T17 - prof_paulo)
PAG. 16460: MGLU3 (3T16 - prof_paulo)

COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO, INDICADORES INFLADOS, MARGEM OPERACIONAL E MARGEM LIQUIDA MUITA BAIXAS, NAO DISTRIBUIU PROVENTOS EM 2016, HOUVE UM AUMENTO SIGNIFICATIVO DE AÇOES NA COMPARAÇÃO ENTRE 1T17 X 2T17:

MGLU3
PREÇO: 79,70
PAYOUT (2016): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 68,32
P/VPA 18,46
PSR 1,30
DY 1,28%
EV/EBITDA 16,59
MARGEM BRUTA 30,40%
MARGEM OPERACIONAL 2,16%
MARGEM LÍQUIDA 1,90%
LUCRO POR AÇÃO 1,167
MARGEM EBITDA 8,25%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 112,90%
ROE 27,02%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,01

Considere MGLU3. O seu P/VPA corrente é 18,43. O seu (P/L)U3M = 47,64 (anualizando o lucro do último trimestre) e o seu (P/L)U6M = 52,66 (anualizando o lucro do último semestre). Até mesmo o (P/L)U12M = 68,32 é bastante "ELEVADO". Note que o lucro vem crescendo, trimestre a trimestre. O seu (ROE)U3M = 38,74%, (ROE)U6M = 35,05%, ou (ROE)U12M = 27,02% é o melhor do setor.

As despesas operacionais trimestrais da VVAR são:
VENDAS: (R$ 1.410 milhões)
administrativas: (R$ 179 milhões)
OUTRAS DESPESAS: (R$ 223 milhões)

A valor de mercado é (BANCO DE DADOS = 1.291.195 x 25,13) R$ 32.447 milhões e P/VPA = 11,33 (***). Considerando o P/VPA menor de VVAR11 quando comparada a MGLU3, vamos admitir um P/L, para VVAR11, IGUAL. Um lucro líquido anual de R$ 475 milhões produziria um P/L de 32.447/475 = 68,31!!! Para conseguir de forma recorrente um lucro líquido anual de R$ 475 milhões, o lucro operacional teria que ser de R$ 437 milhões. Como a despesa operacional anual é de aprox. R$ 6.586 milhões, o lucro bruto teria que ser de R$ 7.837 milhões, ou seja, quase R$ 1.959 milhões por trimestre. Mesmo admitindo uma margem bruta de 33,56% (UMA DAS MAIORES DE sua história), a receita líquida teria que ser de R$ 5.838 milhões por trimestre. Hoje a média trimestral está em R$ 5.729 milhões, UM POUCO MENOS do que é necessário.

Moral da História: Na comparação entre empresas do mesmo segmento (MGLU3 E VVAR11), VVAR11 consegue ter indicadores ainda piores, mesmo a MGLU3 apresentando indicadores ELEVADOS, a opção seria comparar com empresas do mesmo sub-setor (ARZZ, CGRA, GUAR, LLIS, LHER, AMAR, LREN, MGLU, VVAR, BTOW, LAME E SLED)

(***) (segundo o Fundamentus) = R$ 10.820 milhões e P/VPA = 3,78.

340602 - bommauricio   -  01 Ago 2017, 01:52
Resultado muito forte!!! Com ganho de market share.
Recorde de lucro e ebitda numa economia ainda cambaleante.

340600  - rodrigoset  -  01 Ago 2017, 00:27
MAGAZINE LUÍZA
VEM SER FELIZ!!
RESULTADO LINDO........ALÉM DE MUITO BARATA DETONOU NO LUCRO CRESCENTE
VOU COMPRAR MAIS!!

Lucro Líquido de R$72 milhões no 2º trimestre, sendo que:
E-commerce cresceu 55% atingindo 28% das vendas;
Lojas físicas evoluíram 15% no conceito mesmas lojas;
Vendas totais aumentaram 26%, atingindo R$3,2 bilhões;
EBITDA cresceu 44% para R$236 milhões (margem de 8,7%);
Redução da dívida líquida de R$587 milhões em 12 meses.

335120  - paulo_prof   - 05 Mar 2017, 23:37
Depois da discussão com o Gusmaran, fiquei curioso em relação à questão do Resultado Financeiro da Magazine Luiza.

Verifiquei que a questão pouco tem a ver com a gestão do caixa e equivalentes de caixa e endividamento. Ocorre que a empresa contabiliza as despesas com os juros sobre antecipações de cartões de crédito, como financeiras e não como operacionais.

Para se ter uma ideia, eis o quadro relativo a 2016 e o 4T16


................................................................................. 4T16 ............ 2016

Juros de Empréstimos e Financiamentos ............... (69,4) ......... (272,8)

Outras Despesas ..................................................... (10,4) .......... (38,1)

Rendimento de Aplicações Financeiras ..................... 3,3 ............. 13,4

Outras Receitas Financeiras ................................,.... 25,7 .......... 103,3

SUB TOTAL I ........................................................... (50,8) ........ (194,2)

Juros de Antecipações de Cartão de Terceiros ....... (38,3) ........ (156,4)

Juros de Antecipações de Cartão Luiza .................. (49,0) ........ (153,2)

SUB TOTAL II .......................................................... (87,3) ........ (309,6)

RESULTADO FINANCEIRO ................................. (138,1) ........ (503,8)

Como pode ser notado, o endividamento líquido propriamente dito tem um impacto modesto na DRE da MGLU. No que concerne o Resultado Financeiro, o que "pega" mesmo são os juros das antecipações dos cartões.


No exercício de 2016, o Resultado Antes do Financeiro e Impostos foi de R$ 581 milhões. Se considerarmos um Sub Total FInanceiro I anulado, ou seja, considerar no resultado financeiro somente os Juros de Antecipalçoes, o Resultado Antes dos Impostos seria 581 - 310 = 271 e o Resultado Líquido considerando uma taxação padrão seria aprox. R$ 180 milhões e LPA = R$ 8,364, muito distante do LPA requerido para justificar o preço atual.

O preço atual seria justificado por um lucro real constante de R$ 15,82 por ação, ou R$ 340 milhões anuais.

337545  - Gusmaran   -  05 Mai 2017, 00:33
Olha a pancada no resultado:  Ganho consistente de participação de mercado. No 1T17, as vendas brutas consolidadas cresceram 23,0% para R$3,4 bilhões, reflexo do crescimento de 21,6% nas vendas mesmas lojas (+56,2% no e-commerce e +11,6% nas lojas físicas). Em mais um trimestre, o Magazine Luiza ganhou participação de mercado em todos os canais e nas principais categorias de produtos. Segundo dados do IBGE (PMC), as vendas nominais de móveis e eletro cresceram 2,1% para os dois primeiros meses do ano, comparado com um crescimento bem maior da Companhia no mesmo período.  Crescimento acelerado no e-commerce. As vendas do e-commerce cresceram 56,2% no 1T17 (comparado ao crescimento do mercado de 8,1%, segundo o E-bit), atingindo um recorde de 28,4% nas vendas totais. Este ganho de market-share foi resultado de diversas iniciativas, com os seguintes destaques: (i) aumento nas vendas pelas plataformas móveis, principalmente pelo app, que alcançou a marca de 5,4 milhões de downloads, (ii) crescimento da taxa de conversão em todas os canais do e-commerce, devido ao aumento do sortimento, redução de rupturas, melhoria nos indicadores de pricing e redução dos prazos de entrega, (iii) contínua captura dos benefícios da implementação de projetos de multicanalidade, com destaque para o Retira Loja e (iv) manutenção do alto nível de serviço com a permanência do selo RA1000 de excelência em atendimento.  Evolução do lucro bruto. No 1T17, o lucro bruto cresceu 21,8%, atingindo R$832,4 milhões. A margem bruta diminuiu 0,5 p.p. passando de 30,2% no 1T16 para 29,7% no 1T17, como reflexo dos seguintes fatores: (i) aumento significativo na participação do e-commerce nas vendas totais (+6,0 p.p. versus o 1T16) e (ii) preservação da margem bruta de todos os canais. O forte crescimento de vendas com preservação das margens por canal foi resultado de uma melhor assertividade comercial, gestão de estoques e maior racionalidade de preço no mercado de lojas físicas e e-commerce.  Diluição significativa das despesas operacionais. No 1T17, as despesas operacionais foram diluídas em 2,3 p.p. para 22,2% da receita líquida, alcançando o menor nível de despesas operacionais dos últimos anos. Essa diluição reflete o crescimento do e-commerce, a alavancagem operacional nas lojas físicas e a maturação dos projetos de redução de despesas adotados pela Companhia dentro do programa de Orçamento Base Zero (OBZ) e Gestão Matricial de Despesas (GMD).  Forte crescimento do EBITDA e do lucro líquido. No 1T17, o crescimento das vendas em todos os canais, a contribuição positiva do e-commerce, a diluição das despesas operacionais e a melhoria da equivalência patrimonial contribuíram para a evolução significativa do EBITDA de 60,9% para R$231,9 milhões (+1,9 p.p. para 8,3% de margem) e do lucro líquido para R$58,6 milhões (ROE anualizado de 32%).  Melhora no capital de giro e redução do endividamento líquido. No 1T17, em função de uma melhora no giro dos estoques e uma melhor relação entre o saldo de estoques e fornecedores, a Companhia melhorou sua necessidade de capital de giro ajustado em R$380,6 milhões nos últimos 12 meses. Neste mesmo período, a dívida líquida ajustada passou de R$858,7 milhões em mar/16 para R$443,7 milhões em mar/17, uma importante redução de R$415,0 milhões, reduzindo a relação dívida líquida ajustada/EBITDA ajustado de 1,6x para 0,5x, respectivamente.  Melhoria no resultado da Luizacred. O indicador da carteira vencida acima de 90 dias (NPL 90) melhorou 3,6 p.p. representando apenas 8,8% da carteira total em mar/17. Mesmo com uma política de crédito bastante conservadora, as vendas do Cartão Luiza dentro do Magazine Luiza cresceram 44,7% no 1T17. Em função desse crescimento e da melhora nos indicadores de inadimplência, o lucro líquido da Luizacred cresceu 50,5%, atingindo R$39,4 milhões no 1T17, com ROE anualizado de 28%. E-commerce cresceu 56% atingindo 28% das vendas Lojas físicas evoluíram 12% no conceito mesmas lojas Vendas totais aumentaram 23%, atingindo R$3,4 bilhões EBITDA cresceu 61% para R$232 milhões (margem de 8,3%) Lucro líquido aumentou de R$5 milhões para R$59 milhões Redução da dívida líquida de R$415 milhões em 12 meses

337554  - paulo_prof   -  05 Mai 2017, 11:09
últimos comentários relativos à MGLU podem ser encontrados em http://149.56.145.223/advfn/listar?filtro=mglu3&us...

Excelentes os resultados da MGLU. Como os resultados do 1T16 foram muito fracos (resultado antes dos impostos negativo), não há base de comparação. Se o 1T14 for usado para comparação, conclui-se que o lucro cresceu nominalmente numa média anual de 41,8% e o ebitda, numa média anual de 24,3%. Na base anual, ídem. Não há como comparar com os 12 meses terminados no 1T16. As comparações com os 12 meses terminados no 1T15 e 1T14 fornecem taxas nominais médias de aprox. 14,5% no que se refere ao ebitda, e algo aprox. a metade disto no que se refere o lucro líquido.

Apesar dos excelentes resultados, o preço do ativo é na minha opinião extremamente exagerado. Se a empresa fosse capaz de sustentar uma taxa de crescimento anual real médio do lucro de 8%, seriam necessários no mínimo 22 anos para justificar o preço atual.

Paradoxalmente, entretanto, não considero o ativo super arriscado ... considerar que o ativo nitidamente não vale o que custa, não necessariamente quer dizer que o mercado não continue pagando preços irreais. Para tanto, basta que a empresa continue numa trajetõria de resultados crescentes (como, por exemplo, o caso da Panvel). Com uma adminstração competente, isto pode ser possível durante um bom período. Quando a empresa começar a "tossir", entretanto, testemunharemos a corrida do homem pelado.


MGLU3

PREÇO: R$227,00
PAYOUT (2016): 25,0%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 34,53

P/VPA 6,28

PSR 0,48

DY 0,72%

EV/EBITDA 7,02

MARGEM BRUTA 30,6%

MARGEM OPERACIONAL 1,4%

MARGEM LÍQUIDA 1,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 6,575

MARGEM EBITDA 8,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 205,2%

ROE 18,19%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,07


Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 1T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,82%

RESULTADO BRUTO +15,98%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +4,98%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +66,68%

b) 1T17 vs 1T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,01%

RESULTADO BRUTO +21,78%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +14,47%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO +1014,64%

EBITDA +60,93%

c) lucro (taxa média anual)

UA passou de negativo para positivo

U2A 12,32%

U3A 1,56%



d) ebitda (taxa média anual)

UA 66,68%

U2A 14,51%

U3A 14,47%



e) patrimônio líquido médio

UA 2,60%

U2A -1,91%

U3A 1,05%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 84,29

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +26,5%

335120 - paulo_prof - 05 Mar 2017, 23:37
Depois da discussão com o Gusmaran, fiquei curioso em relação à questão do Resultado Financeiro da Magazine Luiza.

Verifiquei que a questão pouco tem a ver com a gestão do caixa e equivalentes de caixa e endividamento. Ocorre que a empresa contabiliza as despesas com os juros sobre antecipações de cartões de crédito, como financeiras e não como operacionais.

Para se ter uma ideia, eis o quadro relativo a 2016 e o 4T16 
................................................................................. 4T16 ............ 2016

Juros de Empréstimos e Financiamentos ............... (69,4) ......... (272,8)

Outras Despesas ..................................................... (10,4) .......... (38,1)

Rendimento de Aplicações Financeiras ..................... 3,3 ............. 13,4

Outras Receitas Financeiras ................................,.... 25,7 .......... 103,3

SUB TOTAL I ........................................................... (50,8) ........ (194,2)

Juros de Antecipações de Cartão de Terceiros ....... (38,3) ........ (156,4)

Juros de Antecipações de Cartão Luiza .................. (49,0) ........ (153,2)

SUB TOTAL II .......................................................... (87,3) ........ (309,6)

RESULTADO FINANCEIRO ................................. (138,1) ........ (503,8) 

Como pode ser notado, o endividamento líquido propriamente dito tem um impacto modesto na DRE da MGLU. No que concerne o Resultado Financeiro, o que "pega" mesmo são os juros das antecipações dos cartões.

No exercício de 2016, o Resultado Antes do Financeiro e Impostos foi de R$ 581 milhões. Se considerarmos um Sub Total FInanceiro I anulado, ou seja, considerar no resultado financeiro somente os Juros de Antecipalçoes, o Resultado Antes dos Impostos seria 581 - 310 = 271 e o Resultado Líquido considerando uma taxação padrão seria aprox. R$ 180 milhões e LPA = R$ 8,364, muito distante do LPA requerido para justificar o preço atual.

O preço atual seria justificado por um lucro real constante de R$ 15,82 por ação, ou R$ 340 milhões anuais.

329192  - paulo_prof  -  31 Out 2016, 18:16
MGLU3
PREÇO: R$ 92,10
PAYOUT (2014): 26,1%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 10,87 
P/VPA 2,85 
PSR 0,20 
DY 2,40%
EV/EBITDA 4,03 
MARGEM BRUTA 29,2%
MARGEM OPERACIONAL 2,2%
MARGEM LÍQUIDA 1,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 8,469
MARGEM EBITDA 7,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 251,9%
ROE 26,18%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,02

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,54%
RESULTADO BRUTO +11,50%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -11,34%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO +598,5%
EBITDA +34,95%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +8,46%
RESULTADO BRUTO +16,62%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +2,38%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA +63,41%

c) lucro (taxa média anual)
UA 598,49%
U2A 22,12%
U3A 26,26%

d) patrimônio líquido médio
UA -8,86%
U2A -2,59%
U3A 1,20%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 84,69

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +1,5%

281371 - paulo_prof  -  30 Out 2014, 22:11
Ativo bem precificado, com margem para valorização ...

MGLU3
PREÇO: R$ 8,00
PAYOUT (2013): 14,3% ???

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 11,88
P/VPA 1,96
PSR 0,15
DY 1,20%
EV/EBITDA 4,30
MARGEM BRUTA 28,7%
MARGEM OPERACIONAL 1,4%
MARGEM LÍQUIDA 1,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,673
MARGEM EBITDA 6,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 206,6%
ROE 16,49%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,22

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +23,82%
RESULTADO BRUTO +20,95%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +49,42%
RESULTADO OPERACIONAL +19,16%
RESULTADO LÍQUIDO +34,99%
EBITDA +31,66%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +18,29%
RESULTADO BRUTO +18,72%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +48,07%
RESULTADO OPERACIONAL +61,37%
RESULTADO LÍQUIDO +65,48%
EBITDA +43,91%

c) lucro líquido, nominal
UA 34,99%
U2A passou de negativo para positivo
U3A 35,56%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 9,24%
U2A 8,60%
U3A 27,40%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 6,73

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,5%

271377  - paulo_prof  -  11 Ago 2014, 00:48
MGLU3
PREÇO: R$ 8,69
PAYOUT (2013): 14,3% ???

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 14,95
P/VPA 2,22
PSR 0,14
DY 0,95%
EV/EBITDA 5,10
MARGEM BRUTA 27,6%
MARGEM OPERACIONAL 1,0%
MARGEM LÍQUIDA 1,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,581
MARGEM EBITDA 4,6%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 223,1%
ROE 14,86%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,30

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +49,03%
RESULTADO BRUTO +44,99%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +44,54%
RESULTADO OPERACIONAL 41,07%
RESULTADO LÍQUIDO +56,29%
EBITDA +34,22%

b) 2T14 sobre 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +28,51%
RESULTADO BRUTO +23,24%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +33,65%
RESULTADO OPERACIONAL -65,61%
RESULTADO LÍQUIDO -51,27%
EBITDA -16,93%

c) lucro líquido, nominal
UA 56,29%,50%
U2A passou de negativo para positivo
U3A 20,38%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 11,50%
U2A 7,01%
U3A 56,15%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 5,81

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +10,0%

243104  - Banzai10  -  26 Fev 2014, 17:13
O que vocês acharam do resultado de MGLU esse ano?
Achei muito bom!

242686  - paulo_prof  -  24 Fev 2014, 20:09
MGLU3
PREÇO: R$ 19,51
PAYOUT (2013): 14,3% ???

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 12,00
P/VPA 1,97
PSR 0,17
DY 1,19%
EV/EBITDA 4,03
MARGEM BRUTA 28,0%
MARGEM OPERACIONAL 1,6%
MARGEM LÍQUIDA 1,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,619
MARGEM EBITDA 5,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 191,3%
ROE 16,38%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,16

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,46%
RESULTADO BRUTO +12,64%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +19,70%
RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo
RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo
EBITDA +84,20%

b) 4T13 sobre 4T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +21,06%
RESULTADO BRUTO +18,12%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +57,02%
RESULTADO OPERACIONAL +305,09%
RESULTADO LÍQUIDO +239,59%
EBITDA +61,92%

c) lucro líquido, nominal
UA -
U2A 212,34%
U3A 18,25%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 11,45%
U2A 17,30%
U3A 283,73%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 6,19

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,5%

201348  - DANIELBOSSAN  -  08 Ago 2013, 02:07
Os resultados estão vindo supimpas!!!! Que "BARATEZA"

Ontem gostei de BEMA e SHUL, arrebentaram com minhas melhores espectativas,Já MGLU que deu uma puxada hj de 30% já estava na carteira, mas veio com balanço mascarado,kkkk

Hoje Gostei de SLCE e SSBR , mas não li ainda a demonstração por completo, me surpreenderam. Com relação a SSBR, eu acredito que o setor de shopping esta crescendo muito.

Já ELPL merece meus estudos, mas o resultado irá proporcionar um repicão amanhã; corrida de pelados neste primeiro momento!


...valeu, boa noite rapaziada!

175894 - israel007 -  27 Mar 2013, 02:16
MGLU3 (MAGAZ LUIZA ON)

Último negócio: 26/03/13
Ação da empresa Magazine Luiza S.A.
Atua no setor consumo cíclico

Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia divulgou lucro líquido de R$ 9,7 M no 4° trimestre de 2012, aumento de 313,5% em relação ao 3° trimestre de 2012. No mesmo período do ano passado, o resultado havia sido negativo em R$ 16,9 M. A receita líquida somou R$ 2,0 B no 4T12, 20,6% superior que o 3T12, que foi de R$ 1,7 B. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 1,6 B.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 27,8% contra 28,8% no 3° trimestre de 2012 e 31,3% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 0,5% no quarto trimestre de 2012 contra 0,1% no trimestre ligeiramente anterior.


Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 4,1 B, acréscimo de 40,7% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011. O patrimônio líquido alcançou a soma de R$ 616,0 M no 4T12, valor -0,8% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.


173666 - RRunner -  18 Mar 2013, 23:18
Prof, na sua opinião uma dívida de 3x o Ebtida seria aceitável ?


173664 - paulo_prof -  18 Mar 2013, 23:16
Citação: ESN10
Prof. Paulo ,um colega comprou magazine luiza na abertura de capital e esta levando um baita ferro. Tem alguma analise ?
Já há tempos deixei de acompanhar o ativo ... não vale a pena ... acho que a estrutura de capital da empresa está furada. A dívida líquida ultrapassa 4 vezes o Ebitda anual. Em conseqüência, o Resultado Financeiro negativo tende a ser maior do que o Resultado antes do financeiro e dos impostos. Em outras palavras, dificilmente a empresa consegue ter lucros.

Nos últimos 12 meses, a empresa postou um prejuízo de R$ 33 milhões. Nos 9 meses de 2012, o prejuízo foi de R$ 16,5 milhões. Vamos ver se conseguiu alguma reversão dos maus resultados no 4T12.

162261 - slf17 -  04 Jan 2013, 00:43
Já que estão falando em ações para 2013 , minha grande preferida é MAGAZINE LUIZA ( MGLU3)

Após a compra da lojas do BAU e rede do nordeste , fez sua reestruturação nestes 9 meses de 2012 , culminando com o BAITA prejuizo do 3TRI para limpar . Agora começa vida NOVA .

Do lado da analise TECNICA o grafico rompeu resistencia IMPORTANTE .

159064 - pppadv -  03 Dez 2012, 15:33

Kroton e Qualicorp entram no IBrX-100; Iguatemi e Magazine Luiza saem
No IBrX-50, nova prévia promove a entrada da Klabin e a saída da Metalúrgica Gerdau; confira os outros índices da BM&FBovespa
Por Carolina Gasparini
|12h52 | 03-12-2012
http://www.infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2626448/kroton-qualicorp-entram-ibrx-100-iguatemi-magazine-luiza-saem

SÃO PAULO - Embora a primeira prévia do Ibovespa não tenha trazido nenhuma novidade na nova carteira, os outros índices de ações da bolsa trouxeram algumas mudanças importantes, de acordo com os dados divulgados nesta segunda-feira (3).

No índice IBrX-100, que possui 101 ações, foram feitas duas mudanças. Entraram Kroton (KROT11) e Qualicorp (QUAL3) e saíram Iguatemi (IGTA3) e Magazine Luiza (MGLU3). Já no IBrX-50, uma alteração foi feita: a entrada de Klabin (KLBN4) e a saída de Metalúrgica Gerdau (GOAU4).

156474 - renato1631 -  12 Nov 2012, 22:20
Luiza

Magazine Luiza vê lucro cair 80% no terceiro trimestre
Micheli Rueda (mrueda@brasileconomico.com.br) 
12/11/12

Trimestre foi marcado pelo processo de integração da Lojas Maia. Todas unidades passam a operar nos sistemas do Magazine Luiza, o que proporcionará melhorias na margem bruta.

O Magazine Luiza reportou lucro líquido de R$ 2,3 milhões no terceiro trimestre deste ano, valor 79,9% inferior ao ganho de R$ 11,7 milhões observado no mesmo período de 2011.

O resultado foi influenciado pelo processo de integração da Lojas Maia e pelo aumento nas provisões para perdas em crédito de liquidação duvidosa.

A varejista efetuou a mudança de sistemas de praticamente todas as lojas do Nordeste no trimestre, concluindo o processo de integração da Lojas Maia.

Quanto as provisões para perdas em crédito de liquidação duvidosa, o montante passou de R$ 68,1 milhões no terceiro trimestre de 2011 para R$ 84,1 milhões entre julho e setembro deste ano.

"Esse aumento é decorrente do conservadorismo adotado pela Luizacred em manter as robustas provisões para perdas em crédito de liquidação duvidosa", afirma a Magazine Luiza em seu demonstrativo financeiro enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A receita líquida, no entanto, cresceu 15,1% em relação ao terceiro trimestre do ano passado, para R$ 1,844 bilhão. 

As vendas no conceito mesmas lojas - unidades abertas há um ano - avançaram 9,6%, ao passo que as vendas pela internet aumentaram 25,5% no trimestre.

"Apesar do crescimento, as vendas ficaram levemente abaixo das expectativas, e, em conjunto com os esforços na integração das lojas do Nordeste, impediram neste trimestre uma maior diluição das despesas operacionais", avalia a empresa. 

As despesas extraordinárias de integração somaram R$ 6,3 milhões, concentradas no treinamento de mais de 4 mil funcionários e na virada de quase todas as lojas do Nordeste.

Considerando as 104 lojas do Baú e 150 lojas do Nordeste, a companhia integrou mais de um terço de suas lojas em menos de um ano.

Por fim, o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 68,8 milhões, o que representa uma queda de 25,4% na base anual.

155535 - suzisinha -  07 Nov 2012, 21:56
MPLU3

Resultado do 3º Trimestre de 2012

A empresa anunciou lucro líquido de R$ 66,6 M neste trimestre, uma variação de 53,9% em relação ao 2° trimestre de 2012 e crescimento de 29,7% em relação ao 3° trimestre de 2011. A receita líquida atingiu R$ 378,4 M no 3° trimestre de 2012, 18,4% superior que o 2T12, que foi de R$ 319,5 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 321,5 M.

A margem bruta atingiu 27,4% neste trimestre contra 26,0% no 2T12 e 32,3% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 17,6% no terceiro trimestre de 2012 contra 13,5% no trimestre ligeiramente anterior.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 1,5 B, aumento de 28,9% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 241,8 M neste trimestre, valor -7,1% menor ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Magazine Luiza lucra R$21,9 mi no 2o trimestre

RIO DE JANEIRO, 13 Ago (Reuters) - A Magazine Luiza registrou lucro líquido de 21,9 milhões de reais no segundo trimestre, 378,2 por cento acima do totalizado no mesmo período do ano passado.

No acumulado do ano, a rede de lojas de varejo verificou prejuízo de 18,8 milhões de reais, revertendo lucro líquido de 16,9 milhões de reais totalizados na comparação anual.

O Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no segundo trimestre ficou em 71,9 milhões de reais, estável na mesma base de comparação. Na primeira metade do ano, a varejista apresentou queda de 47,9 por cento, para 81,2 milhões de reais.
(Por Fábio Couto)




Citação: conservador22
1) MPLU
O que influencia o resultado da cia? Um Breakage é bom alto ou baixo? Como o dólar influencia a empresa? Na verdade, eu vi o resultado mas não sei analisar se é bom, ou ruim... Não sei se houve queda de margens, se é algo passageiro ou tendência de queda do lucro, alguém pode me explicar como funciona o setor?

Sobre MPLU3, o case é complexo. O aumento do dólar diminui a venda de pontos, mas os torna mais rentáveis, pois são cotados na mesma moeda. Há casamento neste aspecto. O breakage é bom alto para o lucro imediato, mas significará queda de receita futura, decorrente do desinteresse dos participantes no programa de fidelidade.

O que mais preocupa, na realidade é a possibilidade da TAM chegar na empresa e dizer: Pô meu, viu o meu balanço? Dá uma forcinha aí e compra mais caro as minhas passagens e transferi parte do seu lucro para mim... Este risco sempre existiu, mas como os múltiplos ficaram bem mais salgados do que na época da compra comentada neste fórum... vou começar a esperar do lado de fora, doravante. Foram um pouco mais de 50% de alta num curto período.

122052 - small caps - 22/Mar/2012 22:50
citação: danieljoseaa
CRUZES.....MGLU3(Magazine Luiza):

Resultado do 4º Trimestre de 2011

A companhia anunciou prejuízo líquido de R$ 16,9 M no quarto trimestre de 2011. No 3T11 o lucro líquido foi de R$ 11,7 M. A receita líquida somou R$ 1,6 B neste trimestre. No terceiro trimestre de 2011 a receita líquida foi de R$ 1,3 B.

A margem bruta atingiu 31,29% neste trimestre contra 29,45% no 3T11.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 2,9 B, aumento de 31,8% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 620,9 M neste trimestre, valor 1.209,0% superior ao saldo no mesmo período do ano anterior.

Medonho mesmo... todo aquele marketing em cima da oferta dificilmente acaba com um final feliz...

E olha que o quarto trimestre costuma ser o mais forte do setor...


Por isso que temos que dar um desconto para a parte varejista da SLED4...

113891 - paulo_prof - 06/Fev/2012 19:07
citação: kgvelloso
ALGUEM PODE COMENTAR SOBRE MAGAZINE LUIZA MGLU3


MGLU3 é outro ativo que, na minha opinião, está super mal precificado pelo mercado.

Supondo uma taxa de desconto real de 8% e uma perpetuidade real de 0%, o LPA dos últimos 12 meses (R$ 0,327) teria que crescer, durante 3 anos, a uma taxa real de 36%, para justificar o preço atual de R$ 9,75 sem qualquer margem de segurança ...

Sendo menos exigente, vamos supor que a empresa crescerá durante os próximos 5 anos (em vez de 3). Neste caso, nas mesmas condições, a taxa real de crescimento do lucro líquido teria que ser 22% (mais uma vez, sem qualquer margem de segurança).

Vc realmente acredita nisto?

Como se isto não bastasse, a dívida da empresa é aprox. 4 vezes a sua geração de caixa nos últimos 12 meses ... relação esta nada saudável!!!



Na minha opinião, este ativo só pode mesmo servir para trades, ouvidos os búzios do Poly (e colocando um stop bem curtinho ...)

69673 - paulo_prof - 09/Abr/2011 13:58
Dei uma olhada no prospecto da Mag. Luiza e, devo confessar, não gostei do que vi.

O Patrimônio Líquido, em 30DEZ2010, era de apenas R$ 47 milhões. Verifiquei o Balanço Patrimonial Ativo e conlui que dificilmente há alguma mina de ouro escondida. No Imobilizado, apenas 10 das lojas e 2 aviões são próprios. As demais lojas e centros de distribuição são alugados, o imobilizado contabilizado refere-se somente a melhorias.

Em 31DEZ2009 havia R$ 227 milhões em prejuízos acumulados. O Patrimônio Líquido era negativo. Para adoçar um pouco a pílula para a IPO, estes prejuízos acumulados foram zerados via diminuição do capital social, que passou de R$ 220 milhões em 30DEZ2009 para R$ 43 milhões em 30DEZ2010.

De acordo com a ótica da empresa, o endividamento líquido em 30DEZ2010 seria de somente R$ 400 milhões. Para chegar a este valor, a empresa só considerou os empréstimos bancários no passivo, e deduziu o caixa e equivalente de caixa, bem como todos os títulos mobiliários no ativo, seja no circulante, como no não circulante. Pelos meus critérios/contas (que inclui os parcelamentos de impostos e o passivo em Depósitos Interfinanceiros como parte da Dívida Bruta), o endividamento líquido seria de R$ 1,27 milhões.

De qualquer forma, o Resultado Financeiro em 2010 foi negativo em R$ 141 milhões, o que parece ser bam mais compatível com uma dívida na caso do R$ bilhão do que de R$ 400 milhões!

A Receita Líquida vem crescendo numa taxa anual média de aprox. 40%. O Resultado Bruto, entretanto, vem crescendo numa taxa anual média de 31,6%. A margem bruta, que em 2010 foi de 34,1%, vem declinando (em 2008 foi 38,6% e em 2009 foi 36,1%). Para efeito de comparação, em 2010 a margem bruta da LAME foi de 31,2% e a da GLOB3, de 22,1%.

As despesas operacionais aparentemente vem se comportando bem. O crescimento anual médio das depesas com vendas é de aprox. 20%, enquanto que as despesas gerais e administrativas (incluindo a depreciação) vêm crescendo numa taxa de aprox. 24%, ambas abaixo da taxa de crescimento do Resultado Bruto.

Um outro elemento de despesa importante é a provisão para devedores duvidosos. Esta despesa está estacionada na faixa dos R$ 180-190 milhões.

Para um preço médio de R$ 18,50 e payout de 25%, os múltiplos baseados no exercício de 2010 seriam:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 4.808.024
RESULTADO BRUTO 1.641.763
RESULTADO FINANCEIRO -141.465
RESULTADO OPERACIONAL 109.968
RESULTADO NÃO OPERACIONAL 0
RESULTADO LÍQUIDO 68.834
EBITDA 224.139
ATIVO TOTAL 3.927.780
ATIVO CIRCULANTE 2.895.600
DISPONIBILIDADES 328.865
PASSIVO CIRCULANTE 2.685.900
DÍVIDA BRUTA 1.680.917
DÍVIDA LÍQUIDA 1.352.052
PATRIMÔNIO LÍQUIDO 47.436

P/L 40,31
P/VPA 58,50
PSR 0,58
DY 0,59%
EV/EBITDA 18,41
MARGEM BRUTA 34,1%
MARGEM OPERACIONAL 2,3%
MARGEM LÍQUIDA 1,4%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,459
MARGEM EBITDA 4,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 3543,5%
ROE 145,11%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,08

De acordo com uma simulação extremamente favorável que efetuei, o lucro líquido em 2011 no máximo chegaria a R$ 220 milhões. Nesta hipótese, P/L = 12,61.

Um comentário:

Daniel Felipe disse...

Vamos ver se entendi o propescto,

Vamos supor que a dona Luisa tenha 100% das ações hoje, então ela que tem uma empresa no valor contabil de 46 milhões vai pegar 10.5% dessas ações e vender na bolsa por 300 milhões e enfiar esse dinheiro no bolso. E ainda vai emitir mais 33,75 milhões de ações e com isso injetar mais de 620 milhões na empresa na qual ela ainda terá mais de 70% do capital.

Resumindo:

- Ela tem uma empresa de 46 milhoes
- Depois da Ipo, ela fica 300 milhoes pra ela
- E ainda vai ter mais de 70% de uma empresa que agora vale quase 700 milhões

Eu diria que e um ótimo negocio pra Luisa viu (será que ela aprendeu isso com o Eike Batista?), agora esse lucro todo que ela vai ter, quem será que vai pagar? Quem vai pagar a conta da festa? Deixo essa resposta a críterio de voces.

Abs