Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Metal Iguaçu (MTIG)


Subsetor
Segmento


Recomendações

Carteiras

Balanços

Características
Fábrica de embalagens metálicas para alimentos
Links
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). FATURAMENTO = Com o aumento do faturamento neste trimestre, com valores refletidos no caixa e equivalentes de caixa e no contas a receber, além do alongamento dos prazos dos empréstimos e sensível melhora nas taxas negociadas, houve uma redução do capital circulante líquido negativo apresentado em 30/06/2018 de R$11.591.080,15 para R$1.291.910,30, apresentando uma redução de 88,85%. EBITDA = Nos primeiros nove meses de 2017, a Companhia registrou um EBITDA ajustado de R$12.167.161,68 (vide nota explicativa 16). No exercício de 2018, a Companhia registrou um EBITDA de R$12.813.196,75 com incremento de 5,31% sobre o exercício anterior. Destaque-se ainda o aumento de 24,20% no resultado financeiro do período. Desta forma, a dívida financeira atingiu 3,05x o EBITDA.; PIS/COFINS = Como FOI COMENTADO no relatório anterior, a Companhia discute judicialmente a incidência do PIS/Cofins sobre a Receita Bruta. Esta questão foi recentemente decidida pelo Supremo Tribunal Federal em favor do contribuinte, tendo sido publicado recentemente o acórdão sobre esta decisão.

MTIG4  
PREÇO: R$ 64,00
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses  

P/L -11,08
P/VPA 0,65
PSR 0,11 
DY 0,00%
EV/EBITDA 2,94
MARGEM BRUTA 18,74%
MARGEM OPERACIONAL -1,84%
MARGEM LÍQUIDA -1,03%
LUCRO POR AÇÃO R$ -5,774
MARGEM EBITDA 14,90%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 213,16%
ROE -5,90%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,98

Taxas de Crescimento Nominal  

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -5,69%
RESULTADO BRUTO -2,36%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 15,24%
RESULTADO OPERACIONAL -38,43%
RESULTADO LÍQUIDO -706,12%
EBITDA 20,57%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal  
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 2,18%
RESULTADO BRUTO 11,60%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -6,84%
RESULTADO OPERACIONAL 1648,32%
RESULTADO LÍQUIDO 3220,72%
EBITDA 94,05%

c) lucro (taxa média anual)  
UA -706,12%
U2A -61,94%
U3A -45,48%

d) patrimônio líquido médio  
UA -3,59%
U2A 124,09%
U3A 15,34%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

353425 - marcosvinicius2 -  05 Set 2018, 21:29
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A empresa apresentou receita líquida de 36 milhões no 2T18 x 37 milhões no 2T17, portanto permanecendo no mesmo PATAMAR no comparativo; RESULTADO FINANCEIRO = No comparativo entre 2T18 X 2T17 os valores foram -3,7 milhões x -5,1 milhões; RESULTADO LIQUIDO = No comparativo entre 2T18 X 2T17 os valores foram -0,441 milhão x 10 milhões: Para que seja possível uma correta comparação e avaliação da melhora do quadro operacional da Companhia, é importante ressaltar que o Resultado Operacional da Companhia em 2017 estava impactado pelo evento não recorrente da venda de parcela do imóvel principal da unidade de Ponta Grossa. Excluindo-se este efeito, verifica-se uma expressiva melhora no resultado operacional do exercício corrente, da ordem de 63%. A Companhia possui créditos da ordem de mais de R$22 milhões, ainda não levados à conta de resultados, por conta da decisão no Supremo Tribunal Federal sobre a questão envolvendo a base de cálculo do PIS/Cofins.: 

MTIG4  
PREÇO: R$ 38,20
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses  

P/L -1,41
P/VPA 0,50
PSR 0,07 
DY 0,00%
EV/EBITDA 3,23
MARGEM BRUTA 17,80%
MARGEM OPERACIONAL -5,58%
MARGEM LÍQUIDA -4,87%
LUCRO POR AÇÃO R$ -27,048
MARGEM EBITDA 11,59%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 228,45%
ROE -35,59%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,82

Taxas de Crescimento Nominal  

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,63%
RESULTADO BRUTO 31,12%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 18,95%
RESULTADO OPERACIONAL -8,98%
RESULTADO LÍQUIDO 71,57%
EBITDA 28,37%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal  
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,89%
RESULTADO BRUTO 9,30%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -26,14%
RESULTADO OPERACIONAL -103,73%
RESULTADO LÍQUIDO -104,08%
EBITDA -78,66%

c) lucro (taxa média anual)  
UA 71,57%
U2A -13,16%
U3A 16,56%

d) patrimônio líquido médio  
UA 38,24%
U2A 79,99%
U3A 10,46%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

162091 MTIG2013 -  02 Jan 2013, 17:54
Pq investimos nosso dinheiro em MTIG !
01- Empresa transferiu uma filial para Goiania - GO. Inicio de produção novembro/2012. Prometu e cumpriu!02- Essa unidade fabril de GO foi incluida no programa PRODUZIR, Estado de Goiás, no montante de R$78.237.161,08 (setenta e oito milhões, duzentos e trinta e sete mil, cento e sessenta um reais e oito centavos) para ser usufruído até 2020.03- MTIG focando na reduções dos custos (redução de gastos com Frete, fincanceiro (Redução nos juros), Administração (Alteração do Parágrafo Primeiro do Artigo 13 e do Artigo 19 do Estatuto Social face a extinção dos cargos de Diretor Industrial e Diretor Jurídico); Prometu e cumpriu!04- Esta a venda o terreno de São José do Rio Preto, onde funcionou a antiga filial. Pedida= R$13 Milhões (está contabilizado abaixo de 2M - sem novidades até dezembro/12);05- Novos clientes chegando: Heinz/ Quero, Bonduelle, Panetones, Pescados (sardinhas: 1,2 milhões de latas em novembro e entregaremos 1,8 milhões de latas em dezembro);Fabricas estão lotadas!06- Os clientes antigos Lar, Brasfrigo e Incotril, que haviam parado, voltaram a comprar; Fabricas lotadas!07- Entramos no setor de embalagens para produtos quimicos (primeira venda de solvente foi em agosto/2012); Prometu e cumpriu!08- As máquinas para fabricação de latas tronco piramidais para corned beef chegaram. Provavel inicio de vendas: março/2013;09- Processo judicial no valor de +- R$23 Milhões contra a Kremon a todo vapor.(Ponta Grossa, 4º Ofício Cível, Processo No.: 659/2005). Nomeado novo perito e ja intimado... finalidade atualização da dívida (cálculo final), reavaliação da empresa...;10- Foi aprovado que a controladora Merisa poderá injetar R$5 Milhões na Metal Iguaçu com tx. de 1,3% com pagamento em 36 meses.(+ ainda nao foi necessario?).
No caso da energia, promessas da Presidente, segundo informações do RI, devemos economizar apenas uns 220 mil ano;

Aproveitem que ainda esta barato!!!

23731 de 23739Modificado em 14/Dez/2009 11:07 [Citar este comentário] 1
4 paulo_profComentários: 1080 - Desde: Jul 2009
citação: TraderMaster
citação: TraderMasterAlguém poderia fazer uma análise de TEMP3 e MTIG4???
GRATO
Alguém pode fazer essa caridade???
grato
TraderMaster
Vc pode satisfazer uma curiosidade minha?
O que lhe chamou a atenção na MTIG4? Estaria ela num momento técnico (gráfico) bom? Há algum ruído de que possa ser objeto de aquisição? O que é que lhe atrai?
Como o espírito caridoso costuma baixar em épocas natalinas, fui dar uma olhada no ativo, pois não tinha a mínima idéia do que se tratava.
Observei então que a metalgráfica iguaçu produz um "samba de uma nota" só: latas para acondicionar alimentos.
Uma olhada (super rápida, porque a minha caridade tem limites) nos últimos balanços mostra que a empresa não vai lá muito bem das pernas. Apresentou lucros pífios em 2006 e 2007 e, desde então, vem produzindo prejuízos (em 2008 e em 2009). O prejuízo acumulado é de estão 7,3 milhões. Para vc ter uma idéia do que isto pode significar, saiba que desde 2005 (inclusive), a empresa não consegue ter um lucro líquido anual de R$ 2 milhões. Supondo que a empresa encontre novamente o caminho da lucratividade. Quantos anos serão necessários para distribuiir proventos?
Confesso ter estranhado muito a performance recente da empresa. O meu raciocínio foi:
a) o setor alimentício em momento algum sentiu qualquer crise;
b) com o baque das commodities, eu pensei que o preço da folha de Flandres (insumo básico da empresa) também teria caído; mas pode ser que não
Em conseqüência, se uma empresa do segmento não é capaz de produzir lucro agora, quando será?
O fato é que a margem bruta da empresa vem declinando ao longo dos anos. Em 2004, último ano que apresentou um lucro "decente", a margem bruta foi de 25,2%. De lá para cá, só vem caindo: 17,7% em 2005, 14,8% em 2006, 13,6% em 2007, 9,5% em 2008 e, pasme, apenas 4,1% nos 9M09. Há trimestres, inclusive, em que o resultado bruto é negativo, indicando que o preço líquido de venda é inferior ao custo do produto.
Posso estar enganado, mas suspeito que o problema da empresa seja de competitividade. Não tenho a mínima idéia de quem seriam os grandes players do segmento, no mercado brasileiro. Suspeito entretanto que a MTIG, para vender, esteja sendo pressionada a dar descontos acima daqueles que pode dar.
Não li relatório algum para avaliar o que eventualmente a empresa está fazendo ou pensando fazer para sobreviver. Não sei se parte de seus problemas podem ser resolvidos com investiments. Mas assim, "no seco", não vejo perspectiva alguma para a empresa a não ser, eventualmente, uma aquisição por parte de concorrentes.
No que se refere a TEMP3, nada tenho a acrescentar a meu comentário anterior.
citação: paulo_prof
O pessoal aqui sabe que não sou "chegado" no segmento de serviços médicos e assemelhados, talvez porque tenha tido médicos em casa desde que nasci. De qualquer forma, dentro do segmento de serviços médicos, me parece que o sub-segmento de serviços de auxílio a diagnósico é o que apresenta uma melhor condição.
Não acompanho o ativo TEMP3 e não li qualquer relatório da empresa. De cara, eu recomendaria ler os relatórios de 2007 e 2008 com atenção, para entender a razão dos prejuízos crescentes nos dois anos. Se, após a leitura, vc tiver alguma dúvida de que os eventos que propiciaram tais prejuízos poderão se repetir, eu recomendaria distância do ativo.
Do ponto de vista fundamentalista, não podemos dizer que o ativo está sendo negociado como uma pechincha. Mesmo na hipótese dos resultados do 3T09 (melhor trimestre da história da empresa) se repetirem de forma recorrente, o (P/L)U3M anualizado seria 9,44, que associado a um P/VPA = 1,91 e a um (ROE)U3M de 20%, mostram que o preço está somente razoável. Não há um longo histórico no qual se basear, pois a primeira DFP a ser divulgada foi a do exercício de 2007. Pelas minhas contas, a empresa vem mostrando um crescimento anual médio de aprox. 13%, o que também não é lá grandes coisas.
No segmento,de fato o ativo mostra ser (de longe) o mais barato. Em termos de P/VPA, MEDI3 (2,49), ODPV3 (4,98), AMIL3 (3,66) e DASA3 (5,76) estão bem mais caros. Em termos de (P/L)U3M, temos MEDI3 (negativo), ODPV3 (20,5), AMIL3 (37,3) e DASA3 (21,9).
Agora, não tenho a mínima idéia das razões que levam o mercado a pagar os preços correntes, por exemplo, por AMIL3 e/ou DASA3. Se vc acreditar que o mercado acabará pagando por TEMP3 o que está pagando por estes ativos, o preço de fato poderia dobrar.
Em resumo, eu não recomedaria um investimento de larga escala no ativo. Aos que são atraídos pelo segmento, acho que (descartada a possibilidade dos prejuízos de 2007 e 2008 se repetirem) um pequeno investimento (1%-3%) da carteira seria o limite recomendável.
23736 de 2373914/Dez/2009 11:27 [Citar este comentário] 0
2 TraderMaster Usuário PremiumComentários: 6262 - Desde: Jun 2007
Paulo, muito obrigado.
Entrei de gaiato numa especulação que teve nesse ativo e estou num pequeno prejú.
Antes de realizar, gostaria de saber se existia alguma perspectiva boa para o papel, pois teve uma queda forte na crise e foi um dos papéis que ainda não teve sinal algum de recuperação.
Ou seja, caí de gaiato. Fazia tempo que não acontecia isso de entrar num papel sem estratégia, só por uma indicação de alguém.
Com relação a TEMP3, estou de olho há algum tempo.
muito obrigado

Nenhum comentário: