Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

domingo, 11 de outubro de 2009

Merc Brasil (BMEB)


Recomendações

Carteiras
BAC 1000 (set/16) - bielzf (jan/18) - Gersonlp (jul/16, ago/16) - grizzo (set/16) - herdsman (mai/18) - ispholambra (set/16out/16) - Jonas_Schwingel (out/16, nov/16, dez/16, jan/17fev/17) - MICRO CAPS (set/16) - pocunha (ago/16)
Balanços
3T2018 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). PATRIMONIO LIQUIDO = O Patrimônio Líquido posicionou-se em R$ 805,1 milhões. O Patrimônio Líquido Administrado é de R$ 849,5 milhões e o Patrimônio Líquido de Referência é de R$ 993,9 milhões. O Lucro Líquido alcançou R$ 39,4 milhões. RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA = As Receitas da Intermediação Financeira alcançaram R$ 1,8 bilhão, ante R$ 2,2 bilhões de setembro do ano anterior, queda de 18,6%. Faz-se necessário ressaltar que em decorrência da deliberação estratégica de diminuição acentuada das operações de cessão de crédito, as receitas da espécie somaram R$ 27,0 milhões, ante R$ 298,9 milhões no mesmo período de 2017.; DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA = As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 895,9 milhões, queda de 27,5%. Representam 50,2% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 56,5% de 2017. Houve redução expressiva de 24,5% nas despesas com Operações de Captação no Mercado e de 62,4% nas despesas com Operações de Vendas ou Transferência de Ativos Financeiros.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 9,22% no 3T15; 12,02% no 3T16; 13,34% no 3T17 e 10,14% no 3T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,57% no 3T15; 11,28% no 3T16; 13,47% no 3T17 e 13,01% no 3T18.

2T2018 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As operações de crédito posicionaram-se em R$ 5,7 bilhões, ante R$ 6,1 bilhões de junho de 2017 e de R$ 6,0 bilhões de dezembro de 2017. As operações classificadas nas faixas de menor risco de crédito, de “AA” até “C”, representam 76,7% do total da carteira de crédito, ante 76,1% de junho e 76,4% de dezembro de 2017. A provisão para risco de operações de crédito posicionou-se em 12,3%, ante 11,4% de junho e 11,5% de dezembro do exercício anterior.; O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 595,5 milhões, ante R$ 616,2 milhões de junho de 2017. Representa 49,1% das Receitas da Intermediação Financeira, contra 42,4% de junho de 2017, valendo destacar importante ganho de margem bruta nos últimos doze meses.; O Resultado Operacional apresentou crescimento expressivo de 118,6%, alcançando R$ 96,4 milhões no semestre, ante R$ 44,1 milhões em igual período de 2017.: O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 8,14% no 2T15; 11,46% no 2T16; 13,41% no 2T17 e 10,94% no 2T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,11% no 2T15; 11,21% no 2T16; 11,83% no 2T17 e 13,20% no 2T18.

1T2018 -
bielzf   -  
que belo resultado. Vai pra um P/L abaixo de 3

marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As Receitas da Intermediação Financeira totalizaram R$ 564,1 milhões, queda de 20,7%. Sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito, que incluem receitas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de créditos), perfazendo R$ 534,5 milhões, queda de 16,9%. As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 259,1 milhões, queda de 39,2%. Representam 45,9% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 59,9% de igual período de 2017. As Despesas com Captação, que incluem Despesas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de crédito com coobrigação), somam R$ 127,4 milhões, involução de 47,8%.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 7,90% no 1T15; 10,78% no 1T16; 13,13% no 1T17 e 11,78% no 1T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,56% no 1T15; 10,39% no 1T16; 12,24% no 1T17 e 12,75% no 1T18.

A2017/4T2017 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As Receitas de Intermediação Financeira alcançaram R$ 2,8 bilhões, queda de 12,2%. Sobressairam as receitas de Operações de Crédito e receitas com Operações de Venda ou Transferência de Ativos Financeiros, totalizando R$ 2,5 bilhões.; O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 1,3 bilhão, ante R$ 1,2 bilhão de 2016. Representa 46,5% das Receitas da Intermediação Financeira, contra 37,5% de 2016, valendo destacar importante ganho de margem bruta nos ultimos doze meses. A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,69% em 2014; 10,24% em 2015; 12,63% em 2016 e 11,90% em 2017. O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 8,10% em 2014; 9,62% em 2015; 12,87% em 2016 e 13,77% em 2017.

3T2017 -
marcosvinicius2 -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). DOS ULTIMOS 47 TRIMESTRES, 06 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (12,7659%). NO PERÍODO DE 9M17 APROX. R$ 569 MILHÕES EM CRÉDITOS FORAM BAIXADOS A PREJUÍZO O QUE, ANUALIZADO, DÁ 13,6537% DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITOS. POR OUTRO LADO, A "QUALIDADE" DA CARTEIRA CONTINUA DETERIORANDO (EMBORA LEVEMENTE). ERA 12,63% NO 4T16, PASSOU PARA 12,24% NO 1T17, PARA 11,83% NO 2T17 E AGORA, PARA 13,47%. A CONSEQUÊNCIA É UMA ALTA DESPESA DE PDD (ESTÁ NA FAIXA DOS R$ 179-223 MILHÕES A 3 TRIMESTRES). O RESULTADO OPERACIONAL DOS 9M17 SOMOU R$ 54 MILHÕES. O RESULTADO DOS 9M16, R$ 43 MILHÕES, 19,51% MENOR!!! NO PERÍODO, ENTRETANTO, O LUCRO LÍQUIDO FOI MENOR EM 2017 DO QUE FORA EM 2016: R$ 10,637 MILHÕES VS R$ 18,801 MILHÕES. EVIDENTEMENTE, O RESPONSÁVEL PELA GRANDE DIFERENÇA FOI O RESULTADO NÃO OPERACIONAL. NO PERÍODO 9M17, O RESULTADO NÃO OPERACIONAL FOI DE R$ 37 MILHÕES; NO PERÍODO DE 9M16 HAVIA SIDO DE R$ 13 MILHÕES. UMA PARTE IMPORTANTE É DEVIDA ÀS DESPESAS ITEM 3.06.02. ENQUANTO QUE EM 2016 ESTE FOI NEGATIVO (DESPESA) DE 25 MILHÕES, EM 2017 FOI NEGATIVO (DESPESA) DE R$ 51 MILHÕES.

2T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 5 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (11,1111%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 2.814; (U24M) = 6.298; (U36M) = 2.200; (U48M) = -5.064; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-42,94%) E RESULTADO LÍQUIDO (-71,23%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO OPERACIONAL (21,50%) E PDD (-21,02%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 234.188; VALOR MAXIMO (MIL) = 486,625 NO 1T13; VE PSBE (MIL) = 1.385.759: 
O Patrimônio Líquido posicionou-se em R$ 705,8 milhões. O Patrimônio Líquido Administrado é de R$ 749,2 milhões e o Patrimônio Líquido de Referência é de R$ 999,4 milhões. O Lucro Líquido alcançou R$ 10,1 milhões. No semestre, não foram declarados dividendos ou juros sobre o capital próprio, em conformidade com as normas legais e disposições estatutárias em vigor.
As Receitas da Intermediação financeira alcançaram R$ 1,4 bilhão, queda de 11,7%. Sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito, que incluem receitas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de créditos), totalizando R$ 1,3 bilhão, involução de 13,9%.
As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 836,0 milhões, queda de 17,9%. Representam 57,6% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 61,9% de igual período de 2016. As Despesas com Captação, que incluem Despesas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de crédito com coobrigação), somam R$ 482,5 milhões, involução de 18,6%. 

3T2016 -
ispholambra -
Balanço bem ruim... menos de 2 milhoes de lucro... precisa ler o release pra saber o que houve... mas certamente e PDD...

2T2016 -
paulo_prof   -
O valor de mercado do BMEB é R$ 251 milhões.
O lucro líquido dos últimos 12 meses soma R$ 39,1 milhões, o que dá P/L = 6,42
O lucro líquido do 1S16 anualizado é R$ 34,3 milhões, o que daria P/L = 7,35
O lucro líquido do 2T16 anualizado é R$ 30,6 milhões, o que daria P/L = 8,21.
Ou seja, na melhor das hipóteses, P/L = 6,42 ... para um lucro líquido que nitidamente está diminuindo !!!
Ao preço corrente de R$ 2,60, a BEES3 está sendo negociada a P/L = 5,36 baseado no Lucro Líquido dos últimos 12 meses, P/L = 4,85 baseado no lucro líquido do 1S16 anualizado, e P/L = 4,44 baseado no lucro líquido do 2T16, anualizado. Ou seja, além de estar sendo negociado a P/Ls sensivelmente menores, o lucro do BEES é crescente.
Acho que está mais do que na cara de que um investimento em BEES3 é muito menos arriscado do qe=ue em BMEB4, não?
Características
Finanças. Banco Múltiplo
Links
356288 - marcosvinicius2  -  29 Nov 2018, 19:57
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). PATRIMONIO LIQUIDO = O Patrimônio Líquido posicionou-se em R$ 805,1 milhões. O Patrimônio Líquido Administrado é de R$ 849,5 milhões e o Patrimônio Líquido de Referência é de R$ 993,9 milhões. O Lucro Líquido alcançou R$ 39,4 milhões. RECEITAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA = As Receitas da Intermediação Financeira alcançaram R$ 1,8 bilhão, ante R$ 2,2 bilhões de setembro do ano anterior, queda de 18,6%. Faz-se necessário ressaltar que em decorrência da deliberação estratégica de diminuição acentuada das operações de cessão de crédito, as receitas da espécie somaram R$ 27,0 milhões, ante R$ 298,9 milhões no mesmo período de 2017.; DESPESAS DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA = As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 895,9 milhões, queda de 27,5%. Representam 50,2% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 56,5% de 2017. Houve redução expressiva de 24,5% nas despesas com Operações de Captação no Mercado e de 62,4% nas despesas com Operações de Vendas ou Transferência de Ativos Financeiros.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 9,22% no 3T15; 12,02% no 3T16; 13,34% no 3T17 e 10,14% no 3T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,57% no 3T15; 11,28% no 3T16; 13,47% no 3T17 e 13,01% no 3T18.:

BMEB4
PREÇO: R$ 6,24
PAYOUT (2017): 58,29%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,95
P/VPA 0,41
DY 9,80%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,049
ROAE 6,83%
ROAA 0,58%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 544.066
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 18,06%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,01%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 12,55%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 4,02%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -1,82%
RESULTADO OPERACIONAL 175,76%
RESULTADO LÍQUIDO 441,54%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -35,76%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 30,57%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 5,07%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 3,43%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -6,88%
RESULTADO OPERACIONAL 120,82%
RESULTADO LÍQUIDO 2163,74%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -48,51%
PATRIMONIO LÍQUIDO 5,58%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -3,54%
PDD TOTAL -6,85%
ATIVOS TOTAIS -4,90%

c) lucro liquido, nominal
UA 441,54%
U2A 44,77%
U3A 38,93%

d) patrimônio líquido médio
UA 9,82%
U2A 5,17%
U3A 4,62%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 13,11
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -16,5% !!!!
[...]

353271 - marcosvinicius2 -  31 Ago 2018, 23:01
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As operações de crédito posicionaram-se em R$ 5,7 bilhões, ante R$ 6,1 bilhões de junho de 2017 e de R$ 6,0 bilhões de dezembro de 2017. As operações classificadas nas faixas de menor risco de crédito, de “AA” até “C”, representam 76,7% do total da carteira de crédito, ante 76,1% de junho e 76,4% de dezembro de 2017. A provisão para risco de operações de crédito posicionou-se em 12,3%, ante 11,4% de junho e 11,5% de dezembro do exercício anterior.; O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 595,5 milhões, ante R$ 616,2 milhões de junho de 2017. Representa 49,1% das Receitas da Intermediação Financeira, contra 42,4% de junho de 2017, valendo destacar importante ganho de margem bruta nos últimos doze meses.; O Resultado Operacional apresentou crescimento expressivo de 118,6%, alcançando R$ 96,4 milhões no semestre, ante R$ 44,1 milhões em igual período de 2017.: O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 8,14% no 2T15; 11,46% no 2T16; 13,41% no 2T17 e 10,94% no 2T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,11% no 2T15; 11,21% no 2T16; 11,83% no 2T17 e 13,20% no 2T18.:

BMEB4
PREÇO: R$ 5,38
PAYOUT (2017): 70,07%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,68
P/VPA 0,31
DY 12,33%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,947
ROAE 5,50%
ROAA 0,49%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 582.137
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 19,23%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,20%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 12,20%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 3,94%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 2,51%
RESULTADO OPERACIONAL 284,51%
RESULTADO LÍQUIDO 287,84%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -15,54%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 32,00%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -1,67%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO -4,26%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -4,47%
RESULTADO OPERACIONAL 38,74%
RESULTADO LÍQUIDO -13,58%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -7,10%
PATRIMONIO LÍQUIDO 12,38%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -7,91%
PDD TOTAL 2,77%
ATIVOS TOTAIS -9,43%

c) lucro liquido, nominal
UA 287,84%
U2A 5,63%
U3A -222,10%

d) patrimônio líquido médio
UA 10,27%
U2A 4,40%
U3A 4,04%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 11,84
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -17,5% !!!!
[...]

350666 - fridao  -  02 Jun 2018, 16:59
Em relação ao BMEB4, achei isto...resta saber se procede...
As incertezas do Mercantil do Brasil
https://www.istoedinheiro.com.br/as-incertezas-do-...

350654 - marcosvinicius2 -  02 Jun 2018, 13:02
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As Receitas da Intermediação Financeira totalizaram R$ 564,1 milhões, queda de 20,7%. Sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito, que incluem receitas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de créditos), perfazendo R$ 534,5 milhões, queda de 16,9%. As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 259,1 milhões, queda de 39,2%. Representam 45,9% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 59,9% de igual período de 2017. As Despesas com Captação, que incluem Despesas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de crédito com coobrigação), somam R$ 127,4 milhões, involução de 47,8%.; O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 7,90% no 1T15; 10,78% no 1T16; 13,13% no 1T17 e 11,78% no 1T18.: A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,56% no 1T15; 10,39% no 1T16; 12,24% no 1T17 e 12,75% no 1T18.:

BMEB4
PREÇO: R$ 5,50
PAYOUT (2017): 58,29%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 5,65
P/VPA 0,32
DY 12,06%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,974
ROAE 5,71%
ROAA 0,49%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 638.767
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 11,78%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 12,75%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 1T17, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 8,20%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 8,13%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 3,07%
RESULTADO OPERACIONAL 311,20%
RESULTADO LÍQUIDO 356,63%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -18,87%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -16,97%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 16,26%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 9,20%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 1,31%
RESULTADO OPERACIONAL 420,99%
RESULTADO LÍQUIDO 1792,60%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -29,08%
PATRIMONIO LÍQUIDO 12,26%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -7,50%
PDD TOTAL -3,64%
ATIVOS TOTAIS -5,75%

c) lucro liquido, nominal
UA 356,63%
U2A -23,59%
U3A -171,37%

d) patrimônio líquido médio
UA 6,98%
U2A 3,11%
U3A 2,40%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 12,18
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -17,50% !!!!
[...]

350000  - bielzf   -  15 Mai 2018, 22:14
BMEB4, que belo resultado. Vai pra um P/L abaixo de 3

349998  - herdsman   -  15 Mai 2018, 21:36
Bmeb4 19 milhões de lucro.
Vou manter. Bons dividendos tbm.

348602  - marcosvinicius2 -  01 Abr 2018, 13:29
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). As Receitas de Intermediação Financeira alcançaram R$ 2,8 bilhões, queda de 12,2%. Sobressairam as receitas de Operações de Crédito e receitas com Operações de Venda ou Transferência de Ativos Financeiros, totalizando R$ 2,5 bilhões.; O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 1,3 bilhão, ante R$ 1,2 bilhão de 2016. Representa 46,5% das Receitas da Intermediação Financeira, contra 37,5% de 2016, valendo destacar importante ganho de margem bruta nos ultimos doze meses. A QUALIDADE DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITO vem apresentando valores elevados quando comparadas com empresas do mesmo setor: 9,69% em 2014; 10,24% em 2015; 12,63% em 2016 e 11,90% em 2017. O ÍNDICE DE INADIMPLÊNCIA também vem se expandindo de forma acentuada: 8,10% em 2014; 9,62% em 2015; 12,87% em 2016 e 13,77% em 2017:

BMEB4
PREÇO: R$ 5,25
PAYOUT (2017): 58,29%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 9,22
P/VPA 0,32
DY 6,32%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,569
ROAE 3,42%
ROAA 0,28%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 760.455
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,77%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 11,90%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 4T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 1,11%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 6,78%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 3,31%
RESULTADO OPERACIONAL 110,22%
RESULTADO LÍQUIDO 43,26%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -14,09%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -0,86%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 1,11%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 6,78%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 3,31%
RESULTADO OPERACIONAL 110,22%
RESULTADO LÍQUIDO 43,26%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -14,09%
PATRIMONIO LÍQUIDO 9,42%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -7,38%
PDD TOTAL -12,70%
ATIVOS TOTAIS -5,12%

c) lucro liquido, nominal
UA 43,26%
U2A -40,19%
U3A -153,71%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,30%
U2A 2,48%
U3A -0,17%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,11
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -7,0% !!!!
[...]

Pessoalmente, não consideraria como "alternativos" a QGEP3 e a UNIP6. Acho que o risco de um investimento nestes ativos nos preços atuais não é relevante. Ambos apresentam uma estrutura de capital muito boa para enfrentarem eventuais contingências.

Já o mesmo não pode ser afirmado em relação a RDNI3 e TCSA3, tampouco em relção a BMEB4 e PINE4. O investimento nestes ativos é especulativo por natureza e, como tal, os respectivos percentuiais devem em princípio ser pequenos.

344209 - marcosvinicius2 -  22 Nov 2017, 14:21
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). DOS ULTIMOS 47 TRIMESTRES, 06 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (12,7659%). NO PERÍODO DE 9M17 APROX. R$ 569 MILHÕES EM CRÉDITOS FORAM BAIXADOS A PREJUÍZO O QUE, ANUALIZADO, DÁ 13,6537% DA CARTEIRA EXPANDIDA DE CRÉDITOS. POR OUTRO LADO, A "QUALIDADE" DA CARTEIRA CONTINUA DETERIORANDO (EMBORA LEVEMENTE). ERA 12,63% NO 4T16, PASSOU PARA 12,24% NO 1T17, PARA 11,83% NO 2T17 E AGORA, PARA 13,47%. A CONSEQUÊNCIA É UMA ALTA DESPESA DE PDD (ESTÁ NA FAIXA DOS R$ 179-223 MILHÕES A 3 TRIMESTRES). O RESULTADO OPERACIONAL DOS 9M17 SOMOU R$ 54 MILHÕES. O RESULTADO DOS 9M16, R$ 43 MILHÕES, 19,51% MENOR!!! NO PERÍODO, ENTRETANTO, O LUCRO LÍQUIDO FOI MENOR EM 2017 DO QUE FORA EM 2016: R$ 10,637 MILHÕES VS R$ 18,801 MILHÕES. EVIDENTEMENTE, O RESPONSÁVEL PELA GRANDE DIFERENÇA FOI O RESULTADO NÃO OPERACIONAL. NO PERÍODO 9M17, O RESULTADO NÃO OPERACIONAL FOI DE R$ 37 MILHÕES; NO PERÍODO DE 9M16 HAVIA SIDO DE R$ 13 MILHÕES. UMA PARTE IMPORTANTE É DEVIDA ÀS DESPESAS ITEM 3.06.02. ENQUANTO QUE EM 2016 ESTE FOI NEGATIVO (DESPESA) DE 25 MILHÕES, EM 2017 FOI NEGATIVO (DESPESA) DE R$ 51 MILHÕES.:

BMEB4
PREÇO: R$ 4,84
PAYOUT (2016): 157,92%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 21,97
P/VPA 0,29
DY 7,19%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,220
ROAE 1,33%
ROAA 0,10%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 741.966
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,34%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,47%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 3T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -9,57%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 8,13%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 4,04%
RESULTADO OPERACIONAL -10,98%
RESULTADO LÍQUIDO -61,30%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -2,01%
CRÉDITOS INADIMPLENTES -3,86%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA 3,42%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 3,07%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 9,99%
RESULTADO OPERACIONAL -345,75%
RESULTADO LÍQUIDO -67,75%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS 33,08%
PATRIMONIO LÍQUIDO 7,07%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -13,38%
PDD TOTAL 3,47%
ATIVOS TOTAIS -7,75%

c) lucro liquido, nominal
UA -61,30%
U2A -29,63%
U3A -148,46%

d) patrimônio líquido médio
UA 0,71%
U2A 2,11%
U3A -2,89%

OPERAÇÕES DE CREDITO = As operações de crédito posicionaram-se em R$ 5,9 bilhões, ante R$ 6,5 bilhões de dezembro de 2016. As operações classificadas nas faixas de menor risco de crédito, de “AA” até “C”, representam 74,8% do total da carteira de crédito, ante 76,3% de dezembro de 2016. A provisão para risco de operações de crédito posicionou-se em 12,8%, ante 11,8% de dezembro do exercício anterior.

REC INT FINANC = As Receitas da Intermediação financeira alcançaram R$ 2,2 bilhões, queda de 10,6%. Sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito, que incluem receitas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de créditos), totalizando R$ 2,0 bilhões, queda de 9,9%.

RESULTADO BRUTO = O Resultado Bruto da Intermediação Financeira posicionou-se em R$ 953,5 milhões, ante R$ 913,4 milhões de igual período de 2016, crescimento de 4,4%. Representa 43,5% das Receitas da Intermediação Financeira, contra 37,3% de igual período de 2016, valendo destacar importante ganho de margem bruta nos últimos doze meses.

BMEB_rl_tri_bar.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

341716  - marcosvinicius2  -  01 Set 2017, 13:54
COMENTÁRIO: PAPEL SUBVALORIZADO (*). NOS ULTIMOS 45 TRIMESTRES, 5 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (11,1111%). MEDIA DE LUCRO LIQUIDO X 1.000 (U12M) = 2.814; (U24M) = 6.298; (U36M) = 2.200; (U48M) = -5.064; MAIORES VARIAÇÕES = 12M X 12M : RESULTADO OPERACIONAL (-42,94%) E RESULTADO LÍQUIDO (-71,23%); 2T16 X 2T15 : RESULTADO OPERACIONAL (21,50%) E PDD (-21,02%). VALOR DE MERCADO (MIL) = 234.188; VALOR MAXIMO (MIL) = 486,625 NO 1T13; VE PSBE (MIL) = 1.385.759:


BMEB4
PREÇO: R$ 5,08
PAYOUT (2016): 157,92%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 20,81
P/VPA 0,33
DY 12,73%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,244
ROAE 1,59%
ROAA 0,12%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 775.357
CRÉDITOS INADIMPLENTES/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 13,41%
PDD/OPERAÇÕES DE CRÉDITO 11,83%

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre os 12 meses terminados no 2T16, nominal:
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -7,94%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 12,36%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS 1,94%
RESULTADO OPERACIONAL -42,94%
RESULTADO LÍQUIDO -71,23%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -13,13%
CRÉDITOS INADIMPLENTES 1,49%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RESULTADO DA INTERMEDIAÇÃO FINANCEIRA -13,57%
RECEITA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO 12,06%
DESPESAS PESSOAL/TRIBUTÁRIAS/ADMINISTRATIVAS -2,14%
RESULTADO OPERACIONAL 21,50%
RESULTADO LÍQUIDO 18,65%
PROVISÃO PARA CRÉDITOS DUVIDOSOS -21,02%
PATRIMONIO LÍQUIDO -0,73%
OPERAÇÕES DE CRÉDITO -13,32%
PDD TOTAL -8,53%
ATIVOS TOTAIS -13,47%

c) lucro liquido, nominal
UA -71,23%
U2A ND
U3A -147,14%

d) patrimônio líquido médio
UA -1,16%
U2A 1,06%
U3A -4,42%

O Patrimônio Líquido posicionou-se em R$ 705,8 milhões. O Patrimônio Líquido Administrado é de R$ 749,2 milhões e o Patrimônio Líquido de Referência é de R$ 999,4 milhões. O Lucro Líquido alcançou R$ 10,1 milhões. No semestre, não foram declarados dividendos ou juros sobre o capital próprio, em conformidade com as normas legais e disposições estatutárias em vigor.

As Receitas da Intermediação financeira alcançaram R$ 1,4 bilhão, queda de 11,7%. Sobressaíram-se as Receitas de Operações de Crédito, que incluem receitas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de créditos), totalizando R$ 1,3 bilhão, involução de 13,9%.

As Despesas da Intermediação Financeira posicionaram-se em R$ 836,0 milhões, queda de 17,9%. Representam 57,6% das Receitas da Intermediação Financeira, ante 61,9% de igual período de 2016. As Despesas com Captação, que incluem Despesas com Operações de Venda ou de Transferência de Ativos Financeiros (cessão de crédito com coobrigação), somam R$ 482,5 milhões, involução de 18,6%.

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

329895  - ispholambra -  11 Nov 2016, 19:29
BMEB4
Balanço bem ruim... menos de 2 milhoes de lucro... precisa ler o release pra saber o que houve... mas certamente e PDD...

325895  - paulo_prof   -  12 Ago 2016, 00:41
O valor de mercado do BMEB é R$ 251 milhões.

O lucro líquido dos últimos 12 meses soma R$ 39,1 milhões, o que dá P/L = 6,42
O lucro líquido do 1S16 anualizado é R$ 34,3 milhões, o que daria P/L = 7,35
O lucro líquido do 2T16 anualizado é R$ 30,6 milhões, o que daria P/L = 8,21.

Ou seja, na melhor das hipóteses, P/L = 6,42 ... para um lucro líquido que nitidamente está diminuindo !!!

Ao preço corrente de R$ 2,60, a BEES3 está sendo negociada a P/L = 5,36 baseado no Lucro Líquido dos últimos 12 meses, P/L = 4,85 baseado no lucro líquido do 1S16 anualizado, e P/L = 4,44 baseado no lucro líquido do 2T16, anualizado. Ou seja, além de estar sendo negociado a P/Ls sensivelmente menores, o lucro do BEES é crescente.

Acho que está mais do que na cara de que um investimento em BEES3 é muito menos arriscado do qe=ue em BMEB4, não?

321967  - paulo_prof   -  20 Mai 2016, 04:30
O BMEB não está em minha planilha ...

Acredito que o seu interesse resida exclusivamente na "saúde" financeira do locador único dos imóveis dos MBRF.

De uma maneira geral, acredito que um banco em sérias dificuldades fará o diabo (parafraseando o nosso zero em Brasília) para não demonstrar a sua real situação no balanço patrimonial e demonstração de resultados. Afinal, o papel aceita tudo e dificilmente os auditores e banco central tupiniquins teriam condições de "pegar" as maquiagens.

Ainda de uma maneira geral, acredito que um banco em dificuldades (a menos que esteja definitivamente falido) interessa a potenciais compradores. Como não ouvi um a a este respeito, não parece que o controlador esteja querendo se desfazer de um eventual abacaxi.

Finalmente, acho que um banco em dificuldades jamais recorreria à inadimplência na locação de suas instalações ... pois dispararia uma corrida dos depositantes ... deixar de pagar uma mixaria de aluguel e assim decretar a falência do negócio seria um baita tiro no pé ...

Isto posto, os últimos números postados pelo banco não parecem mostrar que a situação esteja fugindo do controle.

No exercício de 2015 o banco postou um lucro saudável (R$ 73 milhões), quando em 2014 havia postado um prejuízo monstro (R$ 169 milhões). No que se refere o 1T16, o lucro de R$ 9,5 milhões foi sensivelmente superior ao lucro de R$ 3,1 milhões postado no 1T15. Reforçando o quadro positivo, pode ser mencionado o fato de que no 1T16 o resultado operacional foi positivo em R$ 23,8 milhões, quando no 1T15 havia sido negativo em R$ 3,8 milhões (ou seja, no 1T16 o banco teve lucro tendo pago IR sobre ativo fiscal diferido, quando no 1T15 teria postado prejuízo não fosse a receita de IR sobre ativo fiscal diferido.

Finalmente, a questão da carteira de créditos, inadimplência e despesas de PDD.

Ao final de 2014, o PDD total representou 8,76% da Carteira Total Expandida de Crédito (um horror !!!). No final de 2015, este percentual cresceu marginalmente para 9,32% e no final do 1T16, para 9,53%. Ou seja, embora um horror, de um ano para outro não a qualidade negativa da carteira expandida de créditos não "explodiu".

No que se refere a despesas de PDD observa-se o mesmo ... Em 2015 foram R$ R$ 784 milhões, quando em 2014 haviam sido R$ 772 milhões. No 1T16 foram R$ 208 milhões, quando no 1T15 haviam sido R$ 191 milhões.

O nível de inadimplência é tradicionalmente alto. Praticamente, quase toda a despesa de PDD é destinadas a cobrir os créditos NPL.

Moral da história: ruim ... mas praticamente estável!

167729 - ZOTTI  - 19 Fev 2013, 16:26
BMEB4

Empresa: BCO MERCANTIL DO BRASIL S.A. Ação: MERC BRASIL PN Setor: Financeiro e Outros Subsetor: Intermediários Financeiros
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A companhia registrou lucro líquido de R$ 14,0 M no 4T12, acréscimo de 2,4% em relação ao 3T12 e acréscimo de 42,6% em relação ao 4° trimestre de 2011. A receita de intermediações financeiras atingiu R$ 572,6 M neste trimestre, uma variação de -4,1% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e acréscimo de 4,2% em relação ao 4T11.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 37,7% contra 32,0% no trimestre anterior e 38,4% no 4T11. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) atingiu 6,7% no 4° trimestre de 2012, contra 6,2% no 3T12, o que representa uma variação de 0,5 p.p..

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 13,3 B, crescimento de 31,2% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 825,9 M no 4T12, o que representou uma variação de 15,7% em relação ao saldo no 4T11.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 2,7% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 465,1 M contra R$ 453,9 M no quarto trimestre de 2011.

115702 - danieljoseaa - 15/Fev/2012 19:47
BMEB4:
Resultado do 4º Trimestre de 2011

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 9,8 M no 4° trimestre de 2011, redução de 47,8% em relação ao terceiro trimestre de 2011 e aumento de 207,4% em relação ao 4T10. A receita de intermediações financeiras atingiu R$ 549,7 M no quarto trimestre de 2011, decréscimo de 22,9% em relação ao 3T11 e acréscimo de 65,8% em relação ao 4° trimestre de 2010.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 38,36% contra 32,18% no 3T11 e 39,20% no mesmo período do ano passado. A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) atingiu 12,70% no 4° trimestre de 2011, contra 11,78% no 3T11, o que representa uma variação de 0,9 p.p..

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 10,2 B, crescimento de 9,3% em relação ao saldo no quarto trimestre de 2010. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 714,1 M no 4T11, o que representou uma variação de 6,1% em relação ao saldo no 4T10.

Por Tetzner
·  PERFIL DA EMPRESA:

- Com um trabalho persistente, sempre orientado pelos fundamentos da ética e da sobriedade, o Mercantil do Brasil cresceu e ultrapassou as fronteiras mineiras para, rapidamente, alcançar dimensão nacional e posição de destaque entre os principais conglomerados financeiros do país.

Atuando nos principais segmentos da atividade bancária e funções complementares, seja por meio de produtos próprios, seja em parceria com outras instituições de notoriedade, o Mercantil do Brasil adquiriu espaço próprio no mercado nacional e respeitabilidade na comunidade econômico-financeira.

A sua postura sempre rigorosa na condução dos negócios tem-lhe conferido reiteradas menções de destaque em rankings especializados, nacionais e internacionais, notadamente no conceito de solidez.

Por outro lado, mesmo já tendo consolidado posição de protagonista no mercado financeiro, o Mercantil do Brasil mantém inabalável o seu ideário original de perpetuação da trajetória de crescimento e, principalmente, de fidelidade aos princípios que forjaram sua tradição histórica.

Ao aliar as suas mais importantes tradições ao indispensável aprimoramento de suas estruturas e mecanismos operacionais, o Mercantil do Brasil fortalece a ligação entre os princípios que o conduziram à posição de destaque hoje ocupada e as novas diretrizes estratégicas que se fazem indispensáveis frente aos desafios que se renovam a cada dia.            

Período Analisado: 3T11 -  3o Trimestre de 2.011  ( Julho/Agosto/Setembro )

PAINEL DE INDICADORES
20/11/11





SELIC
11,50%
Ativo
R$
PL
VP
GR
DY
LA
Dv
Ml
EB
MS
BMEB4
  11,35
4,8
0,56
2,7
8,3%
20,9%
0,0
0%
20,9%
114,0%

·  PONTOS POSITIVOS:

- A receita de intermediações financeiras totalizou R$ 713,3 M neste trimestre, crescimento de 72,0% em relação ao segundo trimestre de 2011 e acréscimo de 111,4% em relação ao 3T10.

- A margem bruta atingiu 32,18% neste trimestre contra 27,92% no trimestre anterior e 36,91% no terceiro trimestre de 2010

- A rentabilidade sobre o patrimônio líquido (RPL) alcançou 11,78% no terceiro trimestre de 2011, contra 10,99% no 2T11, o que representa uma variação de 0,8 p.p..

- Os ativos totais registraram o saldo de R$ 10,5 B  +2% x2T11, acréscimo de 6,5% em relação ao saldo no 3° trimestre de 2010.

- O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 713,3 M no 3T11 +2% sobre o 2T11, o que representou uma variação de 4,5% em relação ao saldo no terceiro trimestre de 2010.

    
·  PONTOS NEGATIVOS

- A companhia divulgou lucro líquido de R$ 18,9 M no terceiro trimestre de 2011, uma variação de -61,8% em relação ao segundo trimestre de 2011 e crescimento de 69,6% em relação ao 3T10  queda de 62%  na comparação com o 2T11

- Indice de Basileia em 12,15%  muito baixo e perto do limite do BACEN em 11%



VISÃO ESTRATÉGICA
-   
·  CURIOSIDADES       

·  OPINIÃO DO ANALISTA
- O banco é bonzinho, teve um resultado interessante e me preocupou o Indice de Basiléia dele vir muito baixo; mas tem indicadores fundamentalistas muito interessantes e paga bons dividendos enquanto se acompanha uma melhora da eficiência operacional.   

40682 - danieljoseaa- 05/Ago/2010 12:22
É impressionante a falta de capacidade do banco mercantil(BMEB) de produzir lucros recorrentes no mínimo aceitáveis, o banco conta com um PL de 700 Milhões e tirando o 1° tri deste ano que teve um lucro estrondoso, em quase sua totalidade, não recorrente, o banco só apresenta resultados ruins, ele não consegue fazer seu patrimônio produzir lucro, incrível, o lucro do 2° tri veio pra variar, na faixa dos 7 MI, ou seja um ROE de 1%........mantendo, tirando o não recorrente 1° tri, seus ROEs de 3, 4, 5% anuias.......é melhor vender todo o patrimônio do banco e botar na poupança que vai render 7%, rs.

Vou mandar o Small administrar aquilo lá.......

34599 - vistar - 06/Mai/2010 16:58
O banco Mercantil do Brasil reportou lucro líquido de R$ 113,587 milhões no primeiro trimestre do ano, bem acima dos ganhos de R$ 5,656 milhões registrados em igual período de 2009.
A carteira de ativos da instituição financeira subiu 10%, para R$ 8,6 bilhões, sendo que o saldo de crédito atingiu R$ 4,543 bilhões, um aumento de 8%.
Na esteira desses resultados, o banco revisou de 18% para 34% a projeção ao crescimento nas operações de crédito neste ano.
O Mercantil do Brasil também atribui o avanço no lucro ao ganho extraordinário decorrente da ação judicial sobre o recolhimento indevido de Cofins nos últimos anos, que rendeu ao banco o reconhecimento de crédito de R$ 180 milhões.
A instituição financeira também informa que a conquista de cinco lotes do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na concorrência pública de agosto de 2009 já garantiu um crescimento de 7% na base de correntistas nos primeiros meses deste ano

16365 -  small caps - 03/Out/2009 21:19
Já dizia o ditado:
Uma imagem vale mais do que mil palavras.

E olha que para manter este crescimento pífio e negativo (quando atualizado pela inflação) do patrimônio líquido sequer distribuíram dividendos substanciais. Enquanto todo o setor surfou no crescimento, o banco parece que morreu e esqueceram de enterrar. 



16337 - pidainho - 03/Out/2009 14:01
Não querendo ser chato, mas já sendo. Em relação aos bancos médios, não consigo entender a aversão referente a BMEB4, uma vez que não obstante o baixo ROE, os ativos estão mto baratos, não digo somente no que tange ao P/VP, mas inclusive ao P/L e o próprio ROE.
Por exemplo, digamos que o Mercantil que abocanhou alguns lotes do leilão da carteira do INSS apenas mantenha o atual lucro líquido de 12 milhões por trimestre, teremos um P/L de 9,37, em média, considerando uma cotação de 15 reais (o fechamento de sexta foi nos 11). Upside de 36%. O Banco também destina 6%, no mínimo, de dividendos, na forma de JCP, o que ocasiona desconto no imposto de renda. Vamos lá, 1,6 de LPA, 25% disto dá 0,4, descontado 15% de IR dá 0,34, o que numa cotação de 15 dá 3%, teremos então, conforme estatuto o dividendo mínimo de 6%.
Ok, até agora, então, numa cotação de 15 reais (upside de 36%), DY de 6%.
Ocorre que o P/VP é de 0,62 e numa cotação de 15 reais ficaria em 0,84 de P/VP.
Assim, temos numa hipotética subida aos 15, um upside de 36%, um yeld de 6%, P/VP de 0,84 e um ROE de 9% (lembrando que estamos levando em conta q o lucro de 12 milhões por trimestre se repetirá).
Po, será que, muito embora um ativo com baixa liquidez, não se está diante de uma boa oportunidade?
MGEL4 (já estive 100% nela, realizei há pouco tempo), por exemplo, apesar de ser de outro setor, operacionalmente e grosseiramente falando, não apresenta números tão bons.


Viajei mto?



10656 - WK2007 - 07/Ago/2009 14:45
citação: victorfleiteAgora to começando a analisar o BMEB..
O que vocês acham? Segundo o fundamentus, o P/L tá de 7,8 e o P/VP 0,52. Na verdade, gostei mais do preço do que da empresa. O banco conseguiu ter prejuízo num dos trimestres do ano passado e tem índice de basiléia bem baixo, comparado a outros do setor.
Porém, é um banco bem inserido em Minas e interior de sp (alguém confirma?).
Além disso, vi hoje na folha que ele ganhou o leilão das folhas de pagamento em MG(capital e interior) e no interior de SP.
Aí eu tenho uma dúvida, qual o ganho para o banco? Só o valor recebido por carnê emitido?
O BMEB é um banco que apresenta resultados sofríveis, só deu lucro ano passado porque vendeu sua seguradora (Minas Brasil), ou seja, com receitas não recorrentes. Portanto, não é uma pechincha, apesar desse p/vpa.
Apesar de ser um banco de médio porte, o Mercantil do Brasil é um banco de rede (agências), com 150 pontos, ao contrário dos aqui mais comentados (idvl, bic, pine, abcb etc.). Essa rede tem um custo de manutenção alto, exigindo buscar oportunidades para otimizar o seu uso.


O objetivo do BMEB com o leilão é ampliar os empréstimos consignados, já que os beneficiários do INSS representam uma massa relevant

8346 - ALTOBELLI9 - 06/Jul/2009 21:50
Pessoal, em relação aos bancos, observei que o VPA de BMEB4(Mercantil do Brasil) é de 17,70, ou seja, está muito barata comparando com seu valor atual.
Alguém pode comentar os prós e contras desta ação? Seria uma boa compra?



8257 - sortegrande - 04/Jul/2009 23:11
O problema de BMEB4 é seu roe muito baixo, e se anualizarmos o pl baseado no primeiro trimestre vai pra mais de 11, a unica coisa que chama atenção e P/VP que ta bem baixo. Sou mais IDVL e CRIV.

3724 - WK2007 - 06/Abr/2009 23:20
"citação: small capscitação: danielbeharPrezado Small Caps,"
"Fui eu que, dias atrás, fiquei curioso sobre seu interesse em relação à TRNA11. Excelente explicação. Didático, como sempre."
"Em relação aos bancos, gostaria de sua opinião sobre BMEB4. Não sei se você mantém alguma posição nesse ativo. Numa primeira visada, o ROE não me parece muito atrativo (comparado com seus pares). Outros indicadores, como DY, P/L, P/VPA se mostram atrativos."
"Enfim, gostaria de conhecer a sua opinião."
"Saudações cordiais,"
Daniel
"Danielbehar, obrigado. BMEB4, com a bolsa a 73 mil pontos consideraria uma excelente alternativa. Mas hoje, com tantas barganhas, inclusive entre os bancos médios, eu não compro suas ações."
"Ela teve um lucro muito baixo ano passado, mesmo com o ganho não recorrente da venda do negócio de seguros."
"Seu ROE é muito baixo, e não é de hoje, justificando o baixo P/VPA. E além disso, paga menos dividendos que os demais bancos médios e não está fazendo recompra de ações."
"Mas, no curto prazo, tudo é possível..."
"Abraços,"
Small caps.http://smallcaps.blogs.advfn.com/


"Também estou acompanhando bmeb4, em razão do baixo p/vpa, mas realmente o banco é muito ineficiente e, se não fosse a venda da seguradora, teria apresentado prejuízo anual. Além disso há a péssima governança corporativa."

3713 - small caps - 06/Abr/2009 22:10
"Danielbehar, obrigado. BMEB4, com a bolsa a 73 mil pontos consideraria uma excelente alternativa. Mas hoje, com tantas barganhas, inclusive entre os bancos médios, eu não compro suas ações."
"Ela teve um lucro muito baixo ano passado, mesmo com o ganho não recorrente da venda do negócio de seguros."
"Seu ROE é muito baixo, e não é de hoje, justificando o baixo P/VPA. E além disso, paga menos dividendos que os demais bancos médios e não está fazendo recompra de ações."


"Mas, no curto prazo, tudo é possível..."

3343 - small caps - 01/Abr/2009 17:26
"citação: chedi12Small entrei nessa semana entrei em BMEB4, BRIV4,CNFB4, TO PAQUERANDO COM CRDE3 que gostei do resultado. Vc teria outra dica preciosa no momento."

eu agradeceria

abraço

"chedi12, fiz uma pequena postagem no blog sobre isto. Em breve vou fazer os comentários:"

http://smallcaps.blogs.advfn.com/2009/04/01/carteira-small-caps-para-abril/

"Sobre os papéis acima, BMEB4 eu não gostei do balanço. Apesar do forte lucro não recorrente, o lucro final foi muito fraco.

Nenhum comentário: