Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quarta-feira, 27 de março de 2019

Cedro (CEDO)



Subsetor
Segmento


Recomendações

Carteiras

Balanços
A2018 -
Paulo Prof - Há que se tomar cuidado com os resultados da CEDO, pois há não recorrentes importantes.
No 4T17 já haviam sido contabilizada uma "Outra Receita" de R$ 38,5 milhões, relativa a reversão de impairment. Sem esta receita, o Resultado Antes dos Impostos seria de pouco mais de R$ 1 milhão. Além disto, no exercício de 2017 o IR/CS havia sido negativo (ou seja, receita em vez de despesa).
Em 2018 foram contabilizadas "Outras Despesas" de R$ 14,7 milhões relativas a reversão de impairment e R$ 39,5 milhões relativas à questão da exclusão do PIS/COFINS da base do ICMS. Além disto, também foi contabilizada uma Receita Financeira de R$ 32,6 milhões relativa à atualização monetária do crédito de PIS/COFINS.
Moral da histôria: expurgando estes não recorrentes, o Resultado Antes dos Impostos no exercício de 2018 teria sido negativo em R$ 35 milhões, em vez de positivo em R$ 52 milhões.
Acho o ativo muito caro, porque não visualizo um turn around no curto prazo.
Características
Indústria Têxtil. Especializada em uniformes industriais.
Links
359794 - paulo_prof -  27 Mar 2019, 14:05
Há que se tomar cuidado com os resultados da CEDO, pois há não recorrentes importantes.

No 4T17 já haviam sido contabilizada uma "Outra Receita" de R$ 38,5 milhões, relativa a reversão de impairment. Sem esta receita, o Resultado Antes dos Impostos seria de pouco mais de R$ 1 milhão. Além disto, no exercício de 2017 o IR/CS havia sido negativo (ou seja, receita em vez de despesa).

Em 2018 foram contabilizadas "Outras Despesas" de R$ 14,7 milhões relativas a reversão de impairment e R$ 39,5 milhões relativas à questão da exclusão do PIS/COFINS da base do ICMS. Além disto, também foi contabilizada uma Receita Financeira de R$ 32,6 milhões relativa à atualização monetária do crédito de PIS/COFINS.

Moral da histôria: expurgando estes não recorrentes, o Resultado Antes dos Impostos no exercício de 2018 teria sido negativo em R$ 35 milhões, em vez de positivo em R$ 52 milhões.

Acho o ativo muito caro, porque não visualizo um turn around no curto prazo.


Nota: Há não recorrentes que NÃO foram expurgados nos cálculos abaixo

CEDO4

PREÇO: R$ 5,98

PAYOUT (mínimo): 23,75% (a cia ainda tem prejuízos acumulados)



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 1,23

P/VPA 0,31

PSR 0,09

DY 25,00%

EV/EBITDA 4,95

MARGEM BRUTA 11,5%

MARGEM OPERACIONAL 8,0%

MARGEM LÍQUIDA 7,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 4,861

MARGEM EBITDA 9,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 134,8%

ROE 25,56%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,04



Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +2,31%

RESULTADO BRUTO -36,02%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -73,84%

RESULTADO OPERACIONAL +29,41%

RESULTADO LÍQUIDO -41,23%

EBITDA -6,32%%



b) 4T18 vs 4T17

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,05%

RESULTADO BRUTO -76,91%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +329,22%

RESULTADO OPERACIONAL +32,46%

RESULTADO LÍQUIDO -1,51%

EBITDA +132,09%



c) lucro (taxa média anual)

UA -41,23%

U2A passou de negativo patra positivo

U3A passou de negativo para positivo



d) patrimônio líquido médio

UA 78,79%

U2A 6,69%

U3A -15,98%



e) ebitda (taxa média anual)

UA -6,32%

U2A passou de negativo para positivo

U3A passou de negatgivo para positivo

U4A 20,15%

U5A 2,75%

U6A 5,27%

U7A 1,52%

U8A 4,76%

 27 Mar 2019, 14:04

356205 - paulo_prof -  27 Nov 2018, 00:57
Suspeito que não haja um critério específico, objetivo. Diria que é uma opinião pessoal fundamentada numa visão de conjunto.

No caso específico da CEDO4, critérios objetivos diriam que o ativo está barato, pois P/L = 1,37; P/VPA = 0,51; EV/EBITDA = 6,71 (este é o valor que está em minha planilha).

Ocorre que no 4T17 a empresa contabilizou uma Receita Não Recorrente de aprox. R$ 38,5 milhões, referente a uma reversão de impairment. Além disto, o IR/CS do 4T17 foi positivo, ou seja, a empresa contabilizou uma receita, inflando o lucro. Se os R$ 38,5 milhões forem expurgados e a alíquota "normal" de IR/CS for aplicada, o lucro líquido do 4T17 teria sido algo na faixa dos R$ 6,9 milhões, bem distante dos R$ 57,3 milhões reportados. Por outro lado, nos 9M18, a empresa postou um prejuízo de R$ 7,8 milhões. Ou seja, dependendo do ângulo que olha, o P/L é de fato negativo.

356195 - marcosvinicius2 -  27 Nov 2018, 13:59
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Receitas Bruta (RBV)= A RBV acumulada em 2018, superou, em 1,1%,o valor apresentado nos nove primeiros meses de 2017, o que foi atingido em função do crescimento no preço médio de vendas.; Rentabilidade bruta = A retração da economia e o aumento de custo da matéria prima, fizeram com que margem acumulada em 2018 tivesse um desempenho abaixo do projetado. Contribuiu para isso, embora em menor escala, a produção, que foi 1,6% inferior em 2018 relativamente ao mesmo período do ano anterior.; Resultado líquido = As despesas financeiras, um dos itens deduzidos do Ebit para se atingir o resultado líquido, foram 36,5% menores nos nove meses de 2018, motivadas(i) pela redução da taxa referencial de juros, a Selic,e (ii) pela menor incidência de multas e juros por atraso de pagamentos, em relação ao mesmo período de 2017 em função do aperto de caixa. Em termos absolutos, a redução significou R$17,7 milhões.:

CEDO4
PREÇO: R$ 6,78
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 1,37
P/VPA 0,51
PSR 0,11
DY 0,00%
EV/EBITDA 5,07
MARGEM BRUTA 15,46%
MARGEM OPERACIONAL 5,65%
MARGEM LÍQUIDA 7,82%
LUCRO POR AÇÃO R$ 4,947
MARGEM EBITDA 12,52%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 257,56%
ROE 36,98%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,92

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 2,75%
RESULTADO BRUTO -4,39%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -61,02%
RESULTADO OPERACIONAL -142,91%
RESULTADO LÍQUIDO -203,11%
EBITDA 4539,66%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,57%
RESULTADO BRUTO -56,69%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -3,29%
RESULTADO OPERACIONAL -248,07%
RESULTADO LÍQUIDO -159,16%
EBITDA -90,08%

c) lucro (taxa média anual)
UA -203,11%
U2A ND
U3A -190,97%

d) patrimônio líquido médio
UA 117,36%
U2A -7,67%
U3A -19,84%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!

De acordo com o BALANÇO do 4T17 houve um RESULTADO NÃO RECORRENTE desta forma utilizaremos o resultado dos U9M (indicado abaixo) para retratar melhor a condição da empresa:

CEDO4
PREÇO: R$ 6,78
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -6,52
P/VPA 0,51
PSR 0,11
DY 0,00%
EV/EBITDA 9,90
MARGEM BRUTA 14,10%
MARGEM OPERACIONAL -2,77%
MARGEM LÍQUIDA -1,63%
LUCRO POR AÇÃO R$ -1,040
MARGEM EBITDA 6,35%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 257,56%
ROE -7,78%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,92

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 3,82%
RESULTADO BRUTO -11,86%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -38,88%
RESULTADO OPERACIONAL -78,77%
RESULTADO LÍQUIDO -78,32%
EBITDA 2279,24%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -6,57%
RESULTADO BRUTO -56,69%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -3,29%
RESULTADO OPERACIONAL -248,07%
RESULTADO LÍQUIDO -159,16%
EBITDA -90,08%

c) lucro (taxa média anual)
UA -78,32%
U2A -68,32%
U3A -45,90%

d) patrimônio líquido médio
UA 117,36%
U2A -7,67%
U3A -19,84%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

353305 - marcosvinicius2 -  02 Set 2018, 16:01
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). Receitas Bruta (RBV) e Líquida (RLV) de Vendas = Tanto a RBV quanto a RLV superaram às respectivas receitas obtidas no primeiro semestre de 2017 em 4,4% e 3,3%, o que foi atingido em função do crescimento de volume de vendas e, em menor proporção, do preço dos produtos vendidos. Na análise anualizada, o crescimento da RBV nos doze meses encerrados em 30/06/18 relativamente ao período de um ano encerrado em 30/06/17 foi de 11,6% (R$757,2 milhões ante a R$678,5 milhões); Resultado líquido = As despesas financeiras, um dos itens deduzidos do Ebit para se atingir o resultado líquido, foram 47,8% menores no 1S18, motivadas: (i) pela redução da taxa referencial de juros, a Selic e (ii) pela menor incidência de multas e juros por atraso de pagamentos, ocorridas no 1S17 em função do aperto de caixa. Em termos absolutos, a redução significou R$17,3 milhões. Começa, também, a contribuir para a redução das despesas financeiras a melhora da percepção de risco da comunidade financeira em relação ao risco da Companhia, traduzida por menores spreads cobrados nas operações realizadas mais recentemente, fruto da consistência da trajetória de recuperação já apresentada. A redução das despesas financeiras foi de 41,2%.:

CEDO4
PREÇO: R$ 7,99
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 1,10
P/VPA 0,56
PSR 0,12
DY 0,00%
EV/EBITDA 3,88
MARGEM BRUTA 18,50%
MARGEM OPERACIONAL 9,08%
MARGEM LÍQUIDA 11,31%
LUCRO POR AÇÃO R$ 7,296
MARGEM EBITDA 15,96%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 229,15%
ROE 51,20%
LIQUIDEZ CORRENTE 0,92

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 11,55%
RESULTADO BRUTO 45,87%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -65,36%
RESULTADO OPERACIONAL -153,16%
RESULTADO LÍQUIDO -191,27%
EBITDA -747,80%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,19%
RESULTADO BRUTO -25,25%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -46,47%
RESULTADO OPERACIONAL -94,27%
RESULTADO LÍQUIDO -96,33%
EBITDA -28,35%

c) lucro (taxa média anual)
UA -191,27%
U2A ND
U3A -231,60%

d) patrimônio líquido médio
UA 67,01%
U2A -18,08%
U3A -23,78%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

161522 - paulo_prof -  25 Dez 2012, 17:21
Citação: edbmsev
Ainda a respeito do mercado de denim (usado na fabricação de Jeans), segue uma reportagem de 2011 sobre a tendência recente de aumento dos custos de produção na China.
http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/asia/china/8349425/The-end-of-Chinas-cheap-denim-dream.html
O problema é que há um zilhão de países com mão de obra e custo de energia muito menores do que os nossos. Se o denim não é industrializado na China, o será no Tailândia, Vietnam, Cambodia, etc.

O "furo" no negócio da CEDO e da VINE é industrializar produtos que são facilmente importados pela indústria textil nacional. Por outro lado, a própria indústria textil nacional pode decidir importar produtos acabados, em vez de confeccioná-los no país. A luta de uma produtora de denim é inglória ...

Acho que o segredo está na especialização (fazer algo com características que ninguém faz) ou em pelo menos alguma verticalização.

100875 - danieljoseaa- 04/Nov/2011 23:53
Retirado dos comentários da administração de CEDO4 sobre o bom resultado divulgado hoje do 3° tri:

Lucro líquido

O lucro líquido do trimestre, de R$ 8,9 milhões, foi superior em 23,4% aos R$ 7,2 milhões do 3T10. Quando relativizado à receita líquida, sua margem é 1,1 p.p. maior (6,3% contra 5,2% do 3T10). O resultado carrega, entretanto, efeito de variação cambial importante: a cotação do dólar de R$ 1,5611 ao final do 2T11 subiu para R$ 1,8544, um crescimento de 18,8% em apenas um trimestre. Tal movimento, aplicado aos valores a receber (de clientes, fruto de exportações) e a pagar (financiamentos cotados em moeda estrangeira) produziram um efeito líquido negativo de R$ 3,3 milhões, contribuindo para reduzir o lucro líquido.

Entretanto, vale ressaltar que essa não é a exposição líquida da Companhia a variações cambiais. Operações de derivativos montados para proteção contra a oscilação cambial produziram efeito positivo de R$ 2,5 milhões (lançados na linha “outras receitas e despesas operacionais”), resultando em efeito líquido de R$ 1,4 mil.

O lucro líquido acumulado nos três trimestres de 2011 (Tabela 2), de R$ 19,6 milhões, foi 8,8% inferior ao do mesmo período de 2010 (R$ 21,4 milhões). O resultado de 2011 carrega os efeitos (não recorrentes) de lançamento de R$ 5,6 milhões relativo ao Refis, ocorrido no trimestre anterior (2T11), lançado na linha das despesas financeiras

54013 - paulo_prof - 08/Nov/2010 16:43
citação: danieljoseaaResultado da Cedro passou meio despercebido, achei bom.......6 MI de lucro neste 3° tri, não a tenho mais, BUT....tenho ECPR3 e este resulktado muito me interessa:

(08/11) CIA FIACAO TECIDOS CEDRO CACHOEIRA 30/09/2010 LS

Resumo dos Dados da Companhia Recebidos

R$ Mil Legislacao Societaria


Descricao

Nome de Pregao CEDRO

Periodo 9M
Data Encerramento 30/09/2010

Patrimonio Liquido 202.176
Receita Liquida 219.347
Resultado Bruto 44.917
Receita (Despesa) Financeira Liquida (5.010)
Resultado da Equivalencia Patrimonial 9.875
Resultado Operacional 20.860
Lucro (Prejuizo) Liquido 18.299
Numero de Acoes, Ex-Tesouraria ( Unida 3.569.059

Lucro (Prejuizo) por Acao - LPA 5,12712
Valor Patrimonial da Acao - VPA 56,64686


Supondo que o 3T10 possa ser repetido no 4T10 (na minha opinião, nem de longe a empresa alcançará o resultado do 4T09), os múltiplos para o exercício de 2010 no preço de hoje, ficariam:

preço: R$ 49,89
payout (2009): 30%
P/L 7,29
P/VPA 0,86
PSR 0,35
DY 4,12%
EV/EBTIDA 2,70
MARGEM BRUTA 22,6%
MARGEM OPERACIONAL 6,9%
MARGEM LÍQUIDA 4,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 6,846
MARGEM EBITDA 12,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 56,4%
ROE 11,74%

A evolução do 2T10 para o 3T10 poderia preocupar. Há que se ler o Relatório para entender as razões das quedas importantes nas margens:

margem bruta: caiu de 25,4% para 21,4%
margem operacional: caiu de 10,9% para 5,3%
margem ebitda: caiu de 16,6% para 11,2%
margem líquida: caiu de 6,9% para 4,5%

Vê-se nitidamente que o custo dos produtos vendidos (ou descontos fornecidos) aumentou sensivelmente. Por outro lado, aumentaram as despesas operacionais. O Resultado financeiro negativo praticamente dobrou (passou da faixa dos R$ 2,3 milhões para R$ 4 milhões), e as despesas com vendas (29%) e gerais e administrativas (5%) também contribuíram. De positivo, somente o aumento considerável de 18% na Receita Líquida.



O que estaria ocorrendo? Preço do algodão, concorrência chinesa, ou ambos?

53561 - Lambari rabo amarelo - 07/Out/2010 20:29
Cedro Têxtil projeta crescimento neste ano

"A CEDRO é apoiadora da FaiMinas 2010"

A Cedro Têxtil S/A já recontratou todos os funcionários que foram demitidos ao longo do ano passado em função das perdas causadas pela crise financeira global. Além disso, a indústria opera com sua capacidade instalada máxima e projeta um crescimento dos negócios de pelo menos 4% para 2010 sobre o resultado de 2009, estimativa que acompanha as projeções do setor em nível nacional para o exercício. As informações são do presidente da empresa, Aguinaldo Diniz Filho.

No último ano, a companhia teve que enxugar o efetivo para adequar a produção ao cenário econômico desfavorável em virtude da crise e da concorrência predatória com os produtos chineses. A medida afetou cerca de 400 funcionários, que, segundo o presidente da Cedro, já foram recontratados. "Hoje operamos com plena capacidade e readmitimos a totalidade dos trabalhadores demitidos naquele período", afirmou.

Portanto, a Cedro possui hoje um quadro de pessoal que totaliza aproximadamente 3 mil funcionários, divididos entre a sede da empresa, situada na Capital, e nas unidades de Sete Lagoas e Caetanópolis, ambas na região Central do Estado, além de uma em Pirapora, no Norte de Minas. A companhia mantém, ainda, dois centros de distribuição de produtos têxteis: um em Contagem (RMBH) e outro em Pirapora.

Além do câmbio atual, que continua desfavorável às exportações e, em contrapartida, propulsor das importações, a crise também mudou o pefil das vendas externas da companhia. Atualmente, menos de 5% da produção são destinados ao mercado internacional, percentual que no período pré-crise já alcançou 6%. "Reduzimos os embarques como a maioria das indústrias de transformação nacionais", frisou.
Recuperação - Mediante a recuperação e o horizonte que se mostra favorável à economia nacional, Diniz Filho revelou que a Cedro já deu início a um plano de investimentos que abrange o biênio 2010/2011 e favorece o aumento da produtividade da empresa, além de prever a ampliação do mix de produtos, aportes em equipamentos e novas tecnologias e melhoria de competitividade. "Os valores não podem ser revelados, mas as inversões promoverão uma relevante evolução nos negócios da empresa"


32075 - paulo_prof - 03/Abr/2010 14:59
citação: DanielRodriguesBom dia a todos.Setor textil está começando a ficar interessante e estou pensando seriamente em fazer uma aposta no setor.Entre a Cedro (CEDO4) e a Karsten (CTKA4) qual escolheriam?
Sendo conservador estimo um lucro para Cedro de 16M anuais, que deixariam seus indicadores os seguintes:
P/L: 7,25
P/VPA: 0,58
ROE: 8,03%
Div. Yield: 4,14% (considerando um payout de 30%)
Estimei para Karsten um lucro liquido de 12M em 2010:
P/L: 5,87
P/VPA: 1,05
ROE: 17,85
Div. Yield: 5,96% (considerando um payout de 35%)
As ações da Karsten tem uma liquidez muito melhor do que a Cedro.Ambas as empresas me parecem baratas.Mas entre as duas qual será a melhor opção?
Daniel
Sugiro estudar o resultado financeiro das duas empresas.
Numa primeira olhada (super rápida) me parece que a gestão financeira da CEDO é sensivelmente mais competente.
Excluindo os efeitos cambiais (que foram quase despreziveis para ambas as empresas), para uma dívida líquida média de R$ 145 milhões, em 2009, a Karsten gastou R$ 18,3 milhões (12,6%), enquanto a Cedro gastou, para uma dívida líquida média de R$ 85 milhões, somente R$ 7,2 milhões (8,5%).
Se a Karsten conseguisse a mesma performance financeira da Cedro, economizaria aprox. R$ 5,9 milhões em despesas financeiras, e o resultado líquido seria R$ 3,9 milhões maior. Não é pouca coisa!
Se me lembro bem (posso estar enganado), todo o prejuízo da Karsten em 2008 foi devido a apostas erradas em derivativos. E estas apostas não tinham relação com as vendas no mercado externo (proteção de hedge). Na época dos escândalos da Sadia, VCP, Aracruz, etc, acho que a Karsten também foi citada, com o finaceiro tentando ganhar algum troco com a valorização do real. Seria aconselhável dar uma olhada se a empresa continua apostando em derivativos.
____________________________________________________________
Principais indicadores dos primeiros trimestres:

Conta
2.009
2.010
Evolução 
09 - 10
R$ mil
AV
R$ mil
AV
Rec. bruta de vendas
83.537
124.432
49,0%
Rec. líq. de vendas
70.037
100,%
105.666
100%
50,9%
Lucro bruto
6.423
9,2%
23.778
22,5%
270,2%
Resultado líquido
-7.908
-11,3%
3.802
3,6%
-148,1%
EBITDA (não revisado)
1.580
2,3%
13.948
13,2%
782,8%
A melhoria do mercado, observada a partir do segundo semestre de 2009, prosseguiu no 1º trimestre de 2010, de forma ainda mais perceptível. Com isso, houve elevação de 49,0% na Receita Bruta de Vendas e de 50,9% na Receita Líquida de Vendas, na comparação do primeiro trimestre de 2010 em relação ao mesmo período de 2009.
Esse fato, aliado à permanente atenção ao controle de custos e aperfeiçoamento dos processos, possibilitou uma substancial elevação na margem bruta, que saltou de 9,2% para 22,5% da Receita Líquida. Com isso, o Lucro Bruto cresceu 270,2%.
O resultado líquido, que no 1T09 havia sido negativo em R$ 7,9 milhões foi revertido, atingindo R$ 3,8 milhões positivos.
A geração de caixa medida pelo Ebitda (Lucro antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) acompanhou o movimento dos demais índices e evoluiu de R$ 1,5 milhão para R$ 13,9 milhões de um período para outro, numa evolução de 782,8%. A margem Ebitda, por sua vez, cresceu 10,9 pontos percentuais, atingindo 13,2%.

Receita
A Receita Bruta de Vendas no 1T10 (R$ 124,4 milhões), quando comparada a iguais períodos de 2008 e 2009 (95,6 milhões e R$ 83,5 milhões, respectivamente) é a maior dos últimos anos para um primeiro trimestre. O número acumulado dos 4 últimos trimestres mostra a evolução ainda mais acentuadamente, pois houve crescimento de 9,66% em relação aos 4 trimestres anteriores, quando já havia apresentado elevação de 4,78%. Situa-se, agora a apenas 1,66% da maior marca dos últimos 9 trimestres, quando foi de R$ 472 milhões.
Rentabilidade bruta
A margem bruta apresentada no primeiro trimestre de 2009 foi a maior dos primeiros trimestres dos últimos 3 anos. Os 22,5% representam uma evolução de 10,8 p.p. em relação ao 1T08, quando foi de 11,7%. Ficou mantida, portanto, tendência de elevação da margem bruta.
Lucro líquido
Depois de ter apresentado prejuízo nos primeiros trimestres dos últimos dois anos (R$ 1,1 milhão em 2008 e R$ 7,9 milhões em 2009), a Companhia, no primeiro trimestre de 2010 retornou à lucratividade ao obter lucro de R$ 3,8 milhões. Mais importante que isso foi a confirmação da reversão de tendência observada no último trimestre. Assim, no acumulado de 12 meses, o lucro passou de R$ 2,8 milhões para R$ 14,5 milhões.


Se forem retirados os efeitos não recorrentes promovidos pela adesão ao parcelamento previsto na Lei 11.941/09 (“Refis da Crise”) ocorridos no 3T09 e 4T09, a tendência é percebida ainda mais claramente.
Geração de caixa
O Ebitda (ou, em português, Lajida, ou lucros antes dos juros, impostos, depreciações e amortizações) é usualmente utilizado como medida de geração de caixa. Ele foi de R$ 13,9 milhões no primeiro trimestre, valor substancialmente maior ao apresentado nos primeiros trimestres de 2008 e 2009 (R$ 5,9 milhões e R$ 1,6 milhão, respectivamente). No acumulado dos últimos doze meses, o valor de R$ 60,7 milhões já é o segundo maior da série, superado apenas pelos R$ 62,2 milhões apresentado no 4T08.
Small, boa noite
Vc está confiante no resultado do terceiro trimestre da cedo4?
Grande abç

renato1631, estou bastante confiante. Costuma ser o primeiro ou segundo melhor resultado do ano.
Um detalhe, no entanto, deve ser monitorado: o impacto do aumento do algodão nas margens...


E deve descartar um péssimo resultado do mesmo período de 2009, quando houve o evento não recorrente do reconhecimento de dívida parcelada no REFIS.

31630 - small caps - 29/Mar/2010 10:44
Pra quem não aproveitou o bonde de CEDO4, que partiu, um aviso, a ser observado com cautela:
ECPR4 tem 29% da empresa e ainda não se mexeu... mas cuidado que sabe-se lá o que a mesma pode fazer no balanço, pois tem outras participações... o REFIS tem sido uma surpresa...


De qualquer sorte, o resultado de CEDO4 deve afetar positivamente o balanço de ECPR4... a acompanhar...

31486 - small caps - 27/Mar/2010 22:58
citação: paulo_prof
citação: GEORGE CAVALCANTIprof. Paulo
nossa SGAG teve lucro muito bom, agora mudaram politica de dividendos? vai aumentar sua posição?
CEDO espetacular, teve fator não recorrente?
agradeço
Na realidade, a adesão ao Parcelamento da CEDO deiminuiu o lucro líquido do 4T09. Retirando todos os eventos não recorrentes, o lucro líquido anual seria de R$ 8 milhões. Não acredito, entretanto, que a empresa tenha condições de chegar perto do resultado do 4T09. De qualquer forma, é um ativo para ficar de olho e ser rápido no gatilho dependendo do resultado do 1T10.
Não entendi a sua afirmação de que a SGAS teria mudado a política de dividendos. A menos que tenha errado as contas, o payout é apenas um pouco superior ao mínimo legal. Eu me desfiz do papel no final do mês passado. Não acredito que tenha "gás" para negociar acima do valor patrimonial.
CEDO já veio com um senhor lucro EBITDA no terceiro trimestre, que não apareceu em razão da adesão ao REFIS... no último trimestre aproveitaram para colocar um lucro não recorrente... o mais importante, no entanto, continuou sendo o lucro operacional...
O quarto trimestre já trouxe grande evolução da receita considerada a sazonalidade... não é a toa a reação do mercado... a empresa faz uniformes para empresas... com a recuperação empresarial, era esperada também aumento das receitas/vendas... o melhor trimestre é sempre o terceiro, seguido pelo segundo... Também boa evolução com a tendência de redução da dívida líquida...


Detalhe importante: tem três trimestres podres pela frente como base de comparação... múltiplos devem chamar a atenção no futuro...

2903 - paulorizzi - 25/Mar/2009 21:04 
"Tudo considerado, achei normal. A queda de atividade no 4T é esperada, pois o pico da produção normalmente deve se dar no 3T, para o atendimento das encomendas de fim de ano. O 4T08 foi praticamente idêntico ao 2T08, e bem melhor do que todos os trimestres em 2007. " 

2873 - small caps - 25/Mar/2009 13:07
"Sobre o resultado de CEDO4, veio razoável, especialmente em razão da ciclicidade do segmento. Ela é produtora, e portanto, o resultado do terceiro trimestre via de regra é o melhor do ano. Já no segmento de varejo, o melhor quase sempre é o resultado do quarto trimestre."

Nenhum comentário: