Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

segunda-feira, 23 de março de 2020

Haga S/A (HAGA)



Recomendações
Compra: ghfranco (2013)

Códigos de Negociação
Tipo
HAGA3; HAGA4


Características
 Industria metalúrgica - fabricação de fechaduras para construção civil

Assembleias
AGO - 30/04/2020 09:00





20/03/2020 - DFP 31/12/2019

356266 - marcosvinicius2 -  29 Nov 2018, 00:05
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LIQUIDA = A Receita líquida consolidada no período foi de R$16.754.165 contra R$ 18.845.655 no mesmo período de ano anterior, uma redução de 11,10% em termos nominais, enquanto a participação do CPV -“Custo do Produto Vendido” foi de R$ 13.225.463 78,94% da receita líquida no corrente ano, contra R$ 13.362.919, 70,91% da receita líquida no mesmo período de 2017.; CUSTO DO PRODUTO VENDIDO = O Custo do Produto Vendido “CPV” no período, foi impactado pelas variações nas cotações das commodities minerais, principalmente o Zinco, que tem um peso relevante no custo total do item Matéria Prima, que,felizmente, ao final do mês setembro de 2018 apresenta uma quadro mais favorável, saindo de uma cotação na LME de US$ 3.119,79/ton. ao dólar a R$ 3,1337 em 30 de Setembro de 2017, para US$ 2.433,20 ao dólar a R$ 4,1235 em 30 de Setembro e 2018, representando ao final do período uma majoração de custo na faixa de 2,63 %, contra os 22,85% apurados no semestre anterior -; LUCRO LIQUIDO = O Lucro Líquido no período de R$ 964.309 contra o Prejuízo Líquido de (-) R$ 710.021 em 30/09/2017 é resultante do reconhecimento da recuperação de despesas sob a rubrica de repactuação de passivo ante a declaração de quitação geral e plena da dívida com a Massa Falida do Banco Comercial Bancesa, ocorrida no mês de maio de 2018. Contudo, merece destacar que, extraindo-se do resultado o reconhecimento da citada repactuação do passivo, o prejuízo operacional no período foi de (-) R$ 2.084.377 dado a perda de receita e ao não repasse dos aumentos de custos aos preços, especialmente daqueles derivados da terceirização de processos galvânicos em função do evento/sinistro ocorrido em 15/04/2018 - custos estes que deixarão de existir a partir do próximo trimestre.:

HAGA4  
PREÇO: R$ 1,68
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses  

P/L 74,42
P/VPA -0,24
PSR 0,90 
DY 0,00%
EV/EBITDA 78,50
MARGEM BRUTA 23,65%
MARGEM OPERACIONAL 3,07%
MARGEM LÍQUIDA 1,20%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,023
MARGEM EBITDA 6,90%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -167,31%
ROE -0,33%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,03

Taxas de Crescimento Nominal  

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -10,55%
RESULTADO BRUTO -31,83%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -400,37%
RESULTADO OPERACIONAL 53,51%
RESULTADO LÍQUIDO 2292,71%
EBITDA 847,24%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal  
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,80%
RESULTADO BRUTO -26,02%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -563,38%
RESULTADO OPERACIONAL -193,63%
RESULTADO LÍQUIDO -302,80%
EBITDA -163,33%

c) lucro (taxa média anual)  
UA 2292,71%
U2A -71,15%
U3A -56,88%

d) patrimônio líquido médio  
UA 0,53%
U2A -0,63%
U3A -0,24%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 0,29
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +47% !!!!
[...]

353347  - marcosvinicius2 -  04 Set 2018, 03:46
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A Receita líquida consolidada no trimestre foi de R$ 10.579.040 contra R$ 12.148.092 no mesmo período de ano anterior, uma redução de 12,92 % em termos nominais, enquanto a participação do CPV - “Custo do Produto Vendido” foi de R$ 8.539.926, 80,72% da receita líquida no corrente ano, contra R$ 8.678.859, 71,44% da receita líquida no mesmo período de 2017.; LUCRO LÍQUIDA = O Lucro Líquido no período de R$ 1.412.705 contra o Prejuízo Líquido de (-) R$ 931.127 em 30/06/2017, é resultante do reconhecimento da recuperação de despesas sob a rubrica de repactuação de passivo ante a declaração de quitação geral e plena da dívida com a Massa Falida do Banco Comercial Bancesa, ocorrida no mês de maio de 2018. Contudo, merece destacar que, extraindo-se do resultado o reconhecimento da citada repactuação do passivo, o prejuízo operacional no período foi de (-) R$ 1.454.462 dado a perda de receita e o não repasse dos aumentos de custos aos preços, especialmente daqueles derivados da terceirização de processos galvânicos em função do evento/sinistro ocorrido em 15/04/2018.: 

HAGA4  
PREÇO: R$ 1,39
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses  

P/L 17,63
P/VPA -0,20
PSR 0,72 
DY 0,00%
EV/EBITDA 55,12
MARGEM BRUTA 25,40%
MARGEM OPERACIONAL 5,98%
MARGEM LÍQUIDA 4,11%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,079
MARGEM EBITDA 9,06%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO -167,33%
ROE -1,15%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,05

Taxas de Crescimento Nominal  

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -9,64%
RESULTADO BRUTO -30,48%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -217,91%
RESULTADO OPERACIONAL 5,36%
RESULTADO LÍQUIDO 6,88%
EBITDA 196,03%

b) 2T18 sobre 2T17, nominal  
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -12,03%
RESULTADO BRUTO -4,07%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -367,88%
RESULTADO OPERACIONAL -1668,08%
RESULTADO LÍQUIDO -1023,59%
EBITDA -1290,74%

c) lucro (taxa média anual)  
UA 6,88%
U2A -45,38%
U3A -39,01%

d) patrimônio líquido médio  
UA 0,66%
U2A -0,50%
U3A -0,53%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 0,99
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,7% !!!!
[...]

323082  - ainswp   -  17 Jun 2016, 02:28
Pessoal,

Turnaround da HAGA4

A hora está chegando!!!!!

Os tubarões já estão se movimentando.

Neste ano, 2 comunicados de mudança acionária foram notificados para o Bovespa.
Em 02/06/2016 a CTM Investimentos adquiriu 5%
Em 28/04/2016 a ACB Capital adquiriu 5%

Em set/2015 a Portugal Investimentos já tinha informado ao mercado que havia atingido 11% ON e 24% OP.

Estes comunicados relevantes e todas as informações citadas abaixo podem ser consultados no site www.bmfbovespa.com.br utlizando como busca o nome na empresa HAGA ou no próprio site da empresa: http://www.haga.com.br/conteudo.php?item=investidores

Chegou a hora de se antecipar ao grande movimento que está por vir.

Afinal, geralmente, estas movimentações acionárias precedem grande movimentações no papel.

Veja o que os tubarões já enxergam na empresa e por isso estão antecipando o movimento.

• Apesar da crise, vem dando lucros consistentes, através de boa gestão e da utilização de benefícios fiscais.
2016 – 3MM
2015 – 5MM
2014 – 3MM
2013 – 9MM

• Baixo free float ( qtd de papel circulante no mercado), fazendo que o papel possa se valorizar rapidamente e em poucos dias.

• Valor de mercado abaixo do valor real da empresa
Valor de Mercado cotação 2,05 = R$ 24.395.000
Valor da empresa = R$ 45.311.900 sendo que SOMENTE em caixa (dinherio) temos R$ 31.299.200. (fundamentus.com.br)

• Possibilidade de ser alvo de aquisição por parte da STAM ou de empresas estrangeiras que não conseguem entrar no mercado, via importação, pela proteção ao produto nacional através de portaria da Camex renovada pela Resolução Camex. nº 95, de 11 de novembro 2013.

• P/L negativo ser apenas contábil, uma vez que o passivo já foi renegociado e praticamente quitado e prestes a ser contablizados na sua integralidade. (VIDE ABAIXO a EXPLICAÇÃO)

• Informações integrais do Balanço de Março 2016 sobre as dívidas

a)Banco Privado: Bancesa (R$21MM)

a."Em 17 de dezembro de 2015, a Companhia liquidou acordo de pagamento de débitos com o credor Massa Falida do Banco Comercial Bancesa S.A*., referente aos autos da execução n° 0003647-63.1995.8.19.0037 da 1a. Vara Civil e n° 0000138-32.1992.8.19.0037 da 2a. Vara Civil da Comarca de Nova Friburgo e aguarda pronunciamento da Massa Falida do credor para declarar a quitação de eventuais débitos remanescentes."

Meus Comentários
Vale lembrar que o Banco Bancesa, credor da dívida, faliu em 2003, faltando a Massa Falida declarar a quitação para que a dívida seja baixada integralmente do balanço da HAGA.

b)Banco do Brasil (R$31MM)

a."Com o credor Banco do Brasil S.A., vem sendo cumprido o acordo homologado nos autos da Execução nº 00000763.1990.8.19.0037 (1990.037.016790-3), ratificado em 2011, com vencimento final em 21 de agosto de 2019, ficando ratificado o titulo e seus aditivos que deram origem a Ação de Execução. A consolidação das reduções pactuadas está sujeita ao pagamento integral do saldo ainda devido."

Meus Comentários:
Como dito no Balanço e transcrito acima, a dívida esta sendo paga sendo que a consolidação das reduções só irão ser registradas integralmente no balanço após o pgto da última parcela. Sendo que o valor negociado já representava 50% de redução na dívida.

Pelo exposto acima o PL negativo é apenas uma questão de tempo o que, a primeira vista, espanta investidores, todavia como já podemos ver pelas mudanças acionárias os grandes investidores já começam a se posicionar.

Assim sugiro a vocês a estudarem este case, pois será uma bela oportunidade de trade antes que algumas consultorias (Empiricus), que já estudam o papel, possam a indicá-los em suas carteiras com preços mais inflados.

Não fique com a sensação de ter sido o último convidado para a festa.

Analise, verifique a oportunidade, tire a as suas conclusões e antecipe-se.

Vale lembrar que todas as informações acima estão disponíveis nos sites informados do Bovespa e da própria empresa.

258014  - israel007  -  14 Mai 2014, 03:42
HAGA3

Ação da empresa Haga S.A. Industria e Comercio
Atua no setor construção e transporte

Resultado do 1º Trimestre de 2014

A empresa anunciou lucro líquido de R$ 1,7 M no 1T14, uma variação de 99,4% em relação ao quarto trimestre de 2013, revertendo o prejuízo de R$ 880,1 k anunciados no primeiro trimestre de 2013. A receita líquida totalizou R$ 6,9 M no 1T14, aumento de 15,8% em relação ao quarto trimestre de 2013 e acréscimo de 11,3% em relação ao primeiro trimestre de 2013.

A margem bruta atingiu 26,4% neste trimestre contra 23,9% no trimestre anterior e 19,7% no primeiro trimestre de 2013. Já a margem líquida ficou em 24,8% no 1T14 contra 14,4% no quarto trimestre de 2013.

Os ativos totais registraram o saldo de R$ 45,2 M, aumento de 13,6% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior.

Neste período, a ação oscilou 20,0% contra -2,1% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 23,6 M contra R$ 20,1 M no 1T13.

114915 - paulo_prof - 12/Fev/2012 22:06
citação: pedrosousa
Prof_Paulo: Please, chegou a dar uma olhada ??? Qual a impressão, passa pelo crivo ???

citação: Polpudo
Polpudo analisa HAGA4
http://www.fundamentus.com.br/detalhes.php?papel=HAGA4&x=0&y=0

A Haga é um papel que tenho sentimentos por ele! hehehe
Gosto muito desse papel!
Foi um dos raros casos de turnaroud no Brasil, pois a empresa que pediu concordata em 1989, foi assumida pelos próprios funcionários que a reergueram.
Não pára de subir desde 2007 e ainda me parece que deverá subir muito mais devidos aos eventos recentes de extinção das dívidas já pagas, que continuam a estar registradas no balanço. Vou até aproveitar de alguma análises recentes do fórum da HAGA com as quais eu concordo e ratifico.

A primeira dívida a extinta é a de 43 milhões de reais com o Banco do Brasil:(23/11) HAGA S/A (HAGA) - Renegociacao de dividas
DRI: Jose Luiz Abicalil
A empresa enviou o seguinte fato relevante:
O Diretor de Relacoes com o Mercado da HAGA S.A. Industria e Comercio, nos termos do artigo 2o, inciso XI, da Instrucao da CVM n. 358 de 03 de janeiro de 2002 comunica ao Mercado e a quem interessar possa que ajustou com o credor Banco do Brasil S.A., a modificacao de clausulas do acordo firmado em 21 de agosto de 2009, nos autos da Execucao n. 00000763.1990.8.19.0037(1990.037.016790-3), nas seguintes condicoes: 1a) Antecipacao de pagamento de 90 % do valor referente as 93 parcelas vincendas totalizando R$ 6.910.832,70, com abatimento de 30 %, liquidado pelo valor de R$ 4.837.582,89, 2a) As reducoes anteriores e a acima assinalada, estao condicionadas ao pagamento do saldo ainda devido nas exatas condicoes  anteriormente pactuadas naquele acordo, ora rerratificado. Nova Friburgo, 23 de Novembro de 2011, Jose Luiz Abicalil.

A baixa da dívida deve ocorrer agora no 4 trim. de 2011.
O balanço de 2011 será publicado em março (mês que vem) e deve vir com esse ajuste de baixa da dívida.

A concordata está no final e já foi publicado no dia 10/02/12 o chamamento final com prazo de 10 dias corridos para os credores que não retiraram os alvarás. Estima-se que tenha saldo aproximado de 500 mil reais ainda à disposição desses credores. Ao fim do prazo do dinheiro deve voltar para a HAGA.

Serão 12 milhões baixados do passivo da HAGA no balanço do 1 trim de 2012, se a concordata finalizar até 31 de março (acredito que finaliza agora em fevereiro):

Total de baixas 43 + 12 = 55 milhões

A baixa em si gera impacto positivo de mesmo valor nos balanços, como lucro, mas o melhor é que acabarão as correções da dívida como despesas financeiras de quase 5 milhões ao ano.

Aí sim está o grande detalhe!
As margens se mostrarão verdadeiras. Só a margem líquida será de 15% pelos meus cálculos.
Ao lucro nos últimos doze meses é só adicionar 4 milhões e teremos mais de 5 milhões de lucro a.a. Se a receita é de 34 milhões, a margem líquida será bem superior de 15% aproximadamente. Que é a margem real, pois as despesas financeiras registradas são contábeis e não financeiras na realidade.

Últimos resultados:
Últimos 12 meses
Receita Líquida 33.923.800
EBIT 4.319.360        
Lucro Líquido 1.212.700 adicionar

Só que nos últimos 12 meses o caixa aumentou mais de 4 milhões, que é verdadeiro "lucro oculto" pelo registro de despesas financeiras contábeis de mais de 4 milhões ao ano.

As despesas financeiras são baseadas nas notas explicativas da empresa:4.8 – Empréstimos e financiamentos:
Os financiamentos incluídos na concordata são atualizados com base na variação da Taxa Referencial - TR e juros de 1% ao mês.

Então os lucros realmente irão aumentar!

No fórum da HAGA ainda é acompanhado o caso da última dívida do Banco Bancesa que de 15 milhões.
Só que essa dívida está para prescrever.

Um post lá do fórum ainda diz (também concordo):A conclusão é que a empresa está saneada e sem dívidas. Melhor ainda, pode ser usado os prejuízos acumulados de anos pretéritos para abatimento do IR de lucros presentes e futuros!

Os tributos já estão no REFIS e não há problemas. Paga-se valor baixo! Resolvido! É um verdadeiro Turnaround da Bolsa, por isso não vou ficar de fora.http://www.rad.cvm.gov.br/enetconsulta/frmGerenciaPaginaFRE.aspx?CodigoTipoInst ituicao=2&NumeroSequencialDocumento=12532

Há 3 anos apresenta o operacional redondinho com margens razoáveis.

Marg. Bruta 33,9%
Marg. EBIT 12,7%
Marg. Líquida 3,6% Lembrem-se que a margem líquida real ajustada é de 15% ao ano conforme já expliquei (depois da retirada da dívida do BB e da concordata já pagas do balanço).

A margem da CCRO4 que é uma concessionária é de 12,5%. A da VIVT4 é de 14,5%! A da ETER3 é de 11,6%. Comparando com essas a HAGA não está nada mal!

A empresa tem em caixa quase 17 milhões menos agora 4,7 milhões de pagamento da dívida como Banco do Brasil.

Assim, a empresa tem 13 milhões em caixa com apenas uma dívida já praticamente prescrita com o falido Bancesa e os tributos já acordados no REFIS.

É realmente um caso de turnaround!

O que dá para confirmar é que pelo menos nos últimos 8 anos a empresa, de fato, apresentou um lucro operacional, ou seja, se não tivesse dívidas seria capaz de postar resultados positivos sem problemas.

No balanço patrimonial do 3T11, o endividamento da empresa era:

Bancesa ...... 15.618 mil
BBrasil ........ 43.479 mil
Concordata .. 12.336 mil
Refis ........... 67.846 mil
Parc ICMS .... 2.993 mil

TOTAL ....... 142.272 mil

O custo destas dívidas é muito baixo porque a empresa é beneficiada pelas condições da concordata. Se tivesse que pagar juros de mercado sobre esta dívida, certamente o resultado anual seria negativo. Em conseqüência, para sobreviver fora da concordata, é essencial que a empresa reduza substanciamente esta dívida.

Nada encontrei referente aos R$ 12,3 milhões em financiamentos incluídos na concordata. Em conseqüência, não posso dizer se esta dívida vai sumir ou vai ser repactuada, bem como em quais condições.

No que se refere à dívida com o Bancesa, não acho que possa "desaparecer". Talvez a Haga possa empurrar com a barriga, mas cedo ou tarde terá que efetuar o acerto de contas.

No que se refere a dívida com o BBrasil, é necessário conhecer quais eram exatamente as condições pactuadas em 1996. De qualquer forma, entendi a informação prestada pelo FR como tendo sido pago R$ 4,8 milhões, para liquidar a uma antecipação de 90% de parcelas vincendas de um antigo acordo, avaliado em R$ 6,9 milhões.

Concluir que, ao efetuar este pagamento, uma dívida que em 30SET2011 estava avaliada em R$ 43,5 milhões foi integralmente quitada é, no mínimo, uma precipitação. O meu "feeling" diz que algo aí está furado ...

O 2o. ítem do FR, 2a) As reducoes anteriores e a acima assinalada, estao condicionadas ao pagamento do saldo ainda devido nas exatas condicoes anteriormente pactuadas naquele acordo, ora rerratificado. parece corroborar o meu cheirômetro. Se a dívida efetivamente foi integralmente quitada, este ítem não faz sentido 

27465 - comc - 04/Fev/2010 13:51
vale a pena acompanhar a HAGA4

o processo da concordata é o 1989.037.012656-5 (esse sim já tem parecer favorável do comissário (SOTEC engenharia) em favor do aceite da "DAÇÃO EM PAGAMENTO" (ou seja, pagamento por meio de bens de propriedade da HAGA) para quitação da dívida.

tb, se nao me engano, se o MP (Ministério Público) nao se opor, e for deferido, a HAGA sai da condição de concordatária (peço a colegas do fórum q tb comentem a respeito)podendo investir mais em produção (pode obter financiamentos, etc), já q a demanda da contrução civil é grande!

vejo q o processo a partir de dezembro de 2009 (de concordata preventiva) teve muitos movimentos, o que é interessante, tendo em vista q podemos presumir ( a confirmar) q a empresa poderia estar saindo da concordata.

o despacho é "Ratifica in totum a manifestação da comissária da concordata de ... " se considerarmos a data de recebimento (28/01/10) o despacho do MP deve, provavelmente, sair até dia 12 de fevereiro.

vejam:

Tipo do Movimento: Recebidos os autos

Data do recebimento: 28/01/2010

Tipo do Movimento: Remessa

Destinatário: Ministério Público

Data da remessa: 18/01/2010

Prazo: 15 dia(s)

Descricão da remessa: Ratifica in totum a manifestação da comissária da concordata de


comissário é o fiscal da concordata. (fonte: http://www.coladaweb.com/direito/concordata-preventiva-e-suspensiva)

6520 - Capa_Preta - 02/Jun/2009 19:03
De um conhecido de outro fórum sobre HAGA4 (faz tempo que publicou).

-------------------------------------

... É assim infelizmente. A maior parte das pessoas não utilizam reflexões e deduções. Compram notícias, sem identificar as orações principais dos textos. Impressionam-se com apostos, que por vezes são publicados por achismos ou mesmo torcida pura.

No caso da Haga por exemplo. Nosso estudo vem desde o ano de 1989. Acompanhamos todo o "case" Haga ao ser decretada sua concordata. Na época, tinhamos pequena posição em suas ações.

Os anos passaram-se. Inúmeras empresas do setor faliram ou abandonaram o ramo. A Haga sobreviveu com grande sacrifício. Mas, seu sobreviver é muito importante e poucos perceberam.

A última subscrição da empresa foi no ano de 1989. A dívida veio crescendo e claro impossibilitando a empresa de gerar lucros.

Ocorre, meu amigo, que não é só uma empresa devedora ao quebrar que se prejudica. Os credores, geralmente, bancos e os governos municipais, os estaduais e o federal, dado aos impostos e ao desemprego que gera também perdem muito.

Daí é muito importante estar atento apara as mesmas. Por que ? Bom, se o setor em que atua mostra-se favorável para os próximos anos, isso causa em todos, credores e investidores uma grande esperança do retorno da empresa a tempos de vacas gordas.

Claro. Dívidas são só problemas se não temos, inclusive as pessoas físicas, fluxo de caixa que nos permita quita-las, quando necessário. Num cenário, em que se visualize potencial crescimento das vendas para uma indústria em dificuldades financeiras o que se pode esperar pela lógica (adoro a Ciência Lógica). Que investidores e credores, principalmente estes, entrem de alguma forma renegociando os passivos da referida indústria e mesmo refinaciando-a com grana nova para alavancar seus ganhos e voltar a pagar suas dívidas.

Quando uma empresa está em situação pré-falimentar os créditos dos bancos não residem no ativo de seus balanços como seria normal se estivesse pagando nos prazos corretos. Como medida preventiva de possíveis futuros estragos, um bom gerente financeiro do credor manda colocar esses valores na conta Creditos duvidosos lá no passivo. Se vierem a ser pagos, será uma maravilha porque além de sair do passivo, vai pra conta Caixa que reside no ativo. Contabilmente é um duplo ganho para o credor.

Assim a Haga sobreviveu no ramo, enquanto, por exemplo, a La fonte fechaduras e os donos passaram a investir suas granas em telefonia e shoppings. Este seu ramo promete nos próximos anos, porque mesmo que esteja havendo um certo exagero quanto ao boom que falam que virá do ramo imobiliário, sem dúvidas, há um grande potencial para a empresa que até poderá buscar outros nichos.

Há um declarado deficit de empresas do setor metalúrgico no nosso mercado. Tudo isto foi considerado por mim ao investir na Haga. Eu não especulei. Eu investir mesmo. Comprei suas ações quando largadas no mercado e banquei o que chamam de grande risco. Para mim furada esta afirmação porque usei muitos dados lógicos pra fazer previsões de futuros fortes movimentos com o papel da empresa. Felizmente deu certo.

------------------------------

Nao concordo com tudo, e nao estou comprado infelizmento, mas digo que ele comprou a 0,60 faz muito tempo. 

6089 - eurico22 - 23/Mai/2009 00:58 
Fundamentalmente falando, não há porque a cotação de um ativo se alterar por causa de grupamentos, pois os principais indicadores fundamentalistas permanecem os mesmos.

O PL da empresa é negativo, assim como os lucros anuais.

Só valeria pra brincar de Especuleta do Capa.

Como eu não sei administrar o ricochete da Lurdinha, não aconselho...




Seria como apostar num cassino, como diz nosso amigo Small.

6083 - mille 2 - 22/Mai/2009 22:23
haga4 , na minha opinião e não indico nada a ninguem, fundamentalmente não gostei

lpa pequeno, patrimonio liquido negativo, baixa margem liquida 7&, p/l alto, prejuizo no 1t, dividendos 0, e ainda por cima perto da maxima 52 semanas,

não lih o balanço e não sei se tem algum fato que possa ser extremamente positivo para anular os fundamentos,




espero ter podido ajudar

2810  - gustgef - 23/Mar/2009 23:34
"citação: paulorizzicitação: BAC 1000Small ou Paulorizzi, qual a opinião de vocês sobre o grupamento de Haga4 no final de abril?"

"Em Gazo4 quando grupou as ações, elas valorizaram bastante e deu pra ganhar uma boa grana."

Vocês acham que ocorrerá isso também com a Haga4? Seria uma excelente oportunidade?

Antecipadamente agradeço a atenção de vocês e aproveito para cumprimentá-los pelo excelente nível deste fórum.

"De uma maneira geral, um grupamento deveria ser neutro no que tange preço. O que muda é o valor do lote padrão (hoje na casa dos R$ 2,5 mil - para 100.000 ações antigas, passará para R$ 250,00 - para 100 ações novas). Para os efeitos de negociação o valor passará dos atuais R$ 25,00 (para 1.000 ações antigas), para R$ 2,50 (para 1 ação nova)."

"Agora, o nosso mercado é feito de malucos ... se resolverem achar que 100 ações novas vão valer mais do que 10.000 ações antigas, nada mais seria do que uma maluquice sem sentido. Não aposto que vá, ou não, acontecer."




"Existe uma especulação que já vem de muito tempo atrás. Todos esses micos que grupam disparam de valor próximo ao grupamento e, logo depois, perdem todo o valor e ficam valendo a mesma coisa. Completamente sem sentido, é uma maneira de chamar atenção do investidor desavisado e ganhar em cima dele."


2601 - small caps - 19/Mar/2009 00:29
"citação: Capa_PretaSmall,"

tenho uma pergunta. Fiquei impressionado com HAGA4. Desde Dez/08 mais de 200%... vê algum motivo fundamental para isso?

Abraço

Capa

"Com um enorme recheio de especulação e efeitos piramidais, combinado com um fato relevante de possibilidade de renegociação do passivo com o Banco do Brasil adocicado com um grupamento de ações."

"Então, chegou a PSR 1,03. A nossa querida ETER3 tem PSR 0,72 e não tem patrimÔnio líquido negativo e pagou uns 16% sobre a cotação atual em dividendos nos últimos 12 meses."

"Enfim, a tal de ineficiência do mercado agindo. Aproveitemos."



1261 - small caps - 29/Jan/2009 23:39
"(1240) vencedor2, HAGA4 é um possível turnaround, que foi possível comprar quando custava uns R$ 3,00, o que inclusive fiz, e vendi a R$ 28,00 quando uma onda especulativa levou seus preços ao céu. Nestes preços e diante do cenário mais difícil que será enfrentado pelas empresas com dificuldades financeiras, a HAGA4 não merece compras com margem elevada de ganhos. Entre os turnaroudns, BEEF3, FHER3, MGEL4, CEBR3, etc... podem se mostra melhores oportunidades no futuro..."


767 - small caps - 04/Jan/2009 18:00
"(753) gilsonnjr, na mensagem 97 comentei assim sobre a HAGA: foi uma grande equação matemática de oportunidade que não deixei passar. Quando custou R$ 3,20, equivalia a um valor de mercado de aproximadamente 10% do faturamento líquido de 12 meses e 1 vez o lucro operacional e logo em seguida anunciou a quitação de um passivo com um belo desconto. Isto gerou alta no curto prazo seguida de um momento de especulação que levou os preços da ação acima de R$ 30,00! Deu ótimo ponto de realização de lucros."




"No entanto, no preço atual, com tantas barganhas disponíveis e algumas ainda mais formidáveis e seguras que serão apresentadas nos balanços trimestrais, não acredito ser muito válido optar neste instante por este turnaround. Mas é claro, no curto prazo, como diz Graham, o mercado é uma urna de votos e no longo prazo uma balança."


97 - small caps - 05/Out/2008 21:40
"C_C, HAGA4 foi uma grande equação matemática de oportunidade que não deixei passar. Quando custou R$ 3,20, equivalia a um valor de mercado de aproximadamente 10% do faturamento líquido de 12 meses e 1 vez o lucro operacional e logo em seguida anunciou a quitação de um passivo com um belo desconto. No entanto, no preço atual, com tantas barganhas disponíveis e algumas ainda mais formidáveis e seguras que serão apresentadas nos balanços trimestrais, não acredito ser muito válido optar neste instante por este turnaround."






65 - small caps - 25/Set/2008 20:48
"Gopinger2, HAGA4 foi um excelente exemplo de como garimpar empresas em situação especial. Quando custava R$ 3,20, no início do ano, tinha PSR por volta de 0,1 e P/EBITDA igual a 1 (+ ou -). Passou na peneira. O próximo passo é verificar a possibilidade de as dívidas poderem ser saldadas. Foi quando anunciou acordo de quitação de parte do passivo com expressiva redução do seu valor, afetando positivamente o resultado trimestral. O resultado disto foram altas muito fortes, chegando a passar dos R$ 30,00, quando seu PSR e P/EBITDA passaram a estar em linha ou até acima à empresas congêneres em melhor situação patrimonial. Permitiu uma excelente realização de lucro, com 1000% de alta em poucos meses. Nos preços atuais, não guarda mais uma oportunidade muito relevante, diante do tamanho do seu passivo."

62 - Gopinger2 - 24/Set/2008 23:21
Small oque vc acha de Haga4 vale a pena entrar nela agora?

Nenhum comentário: