Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

quinta-feira, 30 de abril de 2020

Marcopolo (POMO)




Recomendações
 
Compra: LCrippa (dez/12) - gguimaraes (2017) - tatobarreto (2017)
Venda: gustgef (ago/12)

Carteiras
Chinese_Wall (jan/16, fev/16) - Gersonlp (jan/17) - leocardoso (set/15) - pinheiro87 (set/15) - rafamcl (abr/16, mai/16jun/16,  jul/16, ago/16) - renatosp (jan/17)

Códigos de Negociação
Tipo
CVM
POMO3; POMO4
  Nível 2
8451 

Razão Social
CNPJ
MARCOPOLO S.A.
88.611.835/0001-29 

Balanços


3T2019 - 
Todos os Resultados mostraram retração em relação aqueles do 3T18. A involução foi especialmente relevante no que concerne lucro e ebitda. O fatgor preocupante é a perda de market share da POMO no mercado brasileiro. Os 57,1% dos 9M18 cairam para 49,2% nos 9M19. Uma perda muito imprtante. A Pomo justifica a perda argumentando que o mercado de carrocerias urbanas cresceu 48,1%, enquanto que o segmento de carrocerias urbanas da POMO cresceu somente 1,8%. Por outro lado, as exportações estão fracas.O release da POMO traz a seguinte análise e perspectiva:
Após oito trimestres consecutivos de crescimento, a produção brasileira de ônibus mostrou a primeira estabilidade em volumes absolutos desde o 3T17. A redução de volumes impactou receita e, em conjunto com vendas de modelos de menor margem e exportações fracas, se refletiram em menor diluição de custos fixos e rentabilidade. Interpretamos a pausa como um breve respiro frente a uma base comparativa forte estabelecida no 3T18 e não como uma interrupção do processo de recuperação da demanda.
No mercado interno, a produção de modelos rodoviários recuou 26,9%, frente a forte base de comparação estabelecida no 3T18, gerada pela antecipação de compras relativa à entrada em vigor da norma de acessibilidade nesses modelos em outubro de 2018. No trimestre, a venda de modelos para fretamento foi novamente impactada por indefinições sobre a obrigatoriedade da instalação do elevador nesses ônibus. Com a publicação do Decreto 10.014/19, em 6 de setembro, que excetua a instalação de elevadores no transporte de fretamento e turismo até janeiro de 2020, a expectativa é de recuperação da trajetória de crescimento dos volumes de rodoviários no 4T19.
O segmento de urbanos segue crescendo no Brasil, com o mercado de São Paulo capital, liderando a retomada como principal destino do modelo no país. A participação de mercado da Marcopolo gradativamente volta ao seu patamar histórico com a redução das exportações de urbanos na representatividade da produção nacional.
Ainda no mercado doméstico, o desempenho do segmento de micros e Volares, com redução de 35,9% e 3,9% na receita, respectivamente, reflete o fim das entregas para o programa Caminho da Escola em 2019. A Companhia entregou 605 unidades dentro do programa Caminho da Escola no 3T19, destes 342 são micros, 248 urbanos e 15 modelos Volare. Em setembro, uma nova licitação do programa, para a aquisição de até 6.200 unidades, foi realizada. A Marcopolo aguarda a publicação do resultado final da licitação no Diário Oficial da União, mas dado preliminar indica que a Companhia se habilitou a fornecer até 4.800 unidades, sendo 2.000 micros, 1.600 urbanos e 1.200 modelos Volare.
As exportações mantêm um desempenho modesto em 2019, com redução de vendas nos principais mercados da Companhia e, em especial, Argentina, Chile e continente africano. O mix de exportação também foi afetado pela substituição de mercados com maiores margens por mercados com margens menores. Mesmo com crescimento de 2,9% das exportações no 3T19, vale lembrar que o 3T18 havia sido fraco em função das transferências de pedidos do mercado externo para o 4T18. As transferências haviam sido realizadas para equilibrar os efeitos negativos da queda de vendas de rodoviários no mercado interno, após antecipação de compras verificada no 3T18.
Nas unidades externas, os destaques positivos foram as controladas Marcopolo México e Marcopolo Austrália. A unidade mexicana continua se beneficiando da maior produção de rodoviários, enquanto a operação australiana, após reestruturação realizada nos primeiros meses do ano, reverteu prejuízo e reportou lucro de R$ 4,8 milhões no 3T19. Entre as coligadas, o destaque continua com a Superpolo, mantendo as entregas para a renovação da frota de Bogotá. Na outra ponta, temos a menor contribuição dos resultados da NFI Group Inc., 82,4% inferiores ao 3T18, e a consolidação da subsidiária argentina Metalsur.
Sobre o projeto Segunda Onda, salientamos o incremento da eficiência em nossa principal planta a partir de julho. Continuamos avançando nos processos de planejamento de vendas, redução de custos de materiais e aumento da eficiência buscando capturar mais benefícios ainda em 2019. A otimização de plantas segue o ritmo planejado, com a verticalização da produção de componentes na planta de São Mateus, ES.
As perspectivas para o 4T19 são positivas na medida em que aumentamos nossa produção nas operações brasileiras já a partir de outubro. O mercado interno continua ganhando representatividade sendo puxado por todos os segmentos, enquanto as exportações recuperam-se frente ao desempenho do 3T19. Observamos um ambiente propício para renovação de frotas e realização de investimentos em transporte público de qualidade, com a taxa básica de juros em seu menor nível histórico, associada ao esperado crescimento econômico.
Na minha opinião, acho bom colocar as barbas de molho e aguardar os resultados do 4T19 para um posicionamento. Não otimista como a Administração da empresa.

2T2019 - 

1T2019 - 


A2018 /4T2018 -
Paulo Prof - 
Ótimos Resultados Trimestrais, auxiliados por um Resultado Financeiro positivo. Todos os resultados mostraram grande evolução em relação a aqueles do 4T17. A mesma observação é válida no que concerne os Resutados do Exercício.
O preço atual diminui aprox.8,8% em relação ao preço vigente na avaliação anterior, hoje o ativo está bem mais barato considerados os fundamentos. Acho que o risco de um investimento no ativo continua diminuindo. ainda h[a margem para os resultados da empresa crescerem pelo menos até os níveis pré crise.

2T2018 -
Paulo Prof - 
Continuo achando o ativo caro ... Ainda tem muito chão para a empresa performar nos níveis de 2011 a 2013!

marcosvinicius2 -  
PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida consolidada alcançou R$ 1.101,4 milhões no 3T18, contra os R$ 736,8 milhões contabilizados no 3T17. No mercado interno, a receita atingiu R$ 654,2 milhões, ou 59,4% do total, enquanto que no mercado externo somou R$ 447,2 milhões, representando os demais 40,6% da receita líquida consolidada. O destaque foi a receita doméstica, que cresceu 93,2% na comparação trimestral, com forte expansão da receita em todos os segmentos.; RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO = O resultado financeiro líquido do 3T18 foi negativo em R$ 25,3 milhões, ante os R$ 14,7 milhões positivos registrados no 3T17. O impacto mais relevante é oriundo da variação cambial, no total de R$ 21,8 milhões, reflexo da desvalorização do Real frente ao Dólar norte americano, sobre a carteira de pedidos em dólares. O efeito do câmbio, apesar de negativo no trimestre, beneficia a Companhia na medida em que os pedidos oriundos da exportação são faturados, afetando positivamente as margens.; EBITDA = O EBITDA atingiu R$ 115,3 milhões no 3T18, com margem de 10,5%, contra um EBITDA de R$ 24,1 milhões e margem de 3,3% no 3T17. A recuperação da margem EBITDA, que desde o 4T13 não atingia dois dígitos em resultados recorrentes, está alicerceada na retomada do mercado interno, que apresentou crescimento de 93,2% na receita com produtos de maior valor agregado, bem como pela desvalorização cambial do Real, que impactou fortemente as margens de exportação do trimestre.

1T2018 -
Paulo Prof - 
O mercado está precificando o ativo como se a empresa fosse capaz de postar um lucro anual na faixa dos R$ 300 milhões ... como nos exercícios de 2011, 2012 e 2013 ... fato ou wishful thinking?

A2017/4T2017 -
paulo_prof  -
Esquece!

marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA CONSOLIDADA = A receita líquida consolidada alcançou R$ 2.876,0 milhões em 2017, 11,7% superior aos R$ 2.574,1 milhões do exercício de 2016. O resultado é reflexo principalmente da receita do mercado interno que foi 37,8% maior em relação a 2016. Nesta rubrica, destaca-se a receita dos rodoviários para o mercado interno, que teve aumento de 93,7% comparativamente ao ano anterior.; EBITDA = O EBITDA alcançou R$ 119,7 milhões em 2017, com margem de 4,2%, contra R$ 353,6 milhões e margem de 13,7% em 2016. Para fins de comparação com o ano anterior é importante considerar que os resultados de 2016 foram positivamente afetados em R$ R$ 268,1 milhões, por efeito relativo à alienação parcial de ações detidas pela Marcopolo na New Flyer Industries.

2T2017 -
paulo_prof   -
No 3T16 houve uma Receita n'ao Recorrente de R$ 268,1 milhões decorrentes da alienação de 4,5 milhões de ações da New Flyer Industries. O impacto sobre o lucro líquido foi de aprox. R$ 164,3 milhões. Abaixo são mostrados os múltiplos considerando-se a Receita Não Recorrente do 3T16 e também expurgando os seus efeitos no Resultado Operacional, Lucro e Ebitda.
Acho que não é necessário dizer mais nada! Ativo caro prá caramba!

A2016/4T2016 -
paulo_prof   -
No que concerne a POMO4, os resultados são esquisitos ... Há que se ler o relatório para entender o que houve. Não é todo o dia que um Resultado Bruto que foi 34% menor do que aquele do ano anterior gera um lucro líquido 57% maior. O artífice da mágica foi o Resultado Financeiro. Em 2015 o Resultado Financeiro foi negativo em R$ 51 milhões. Em 2016 foi positivo em R$ 66 milhões, um "swing" de R$ 117 milhões nominais. Assim, até defunto levanta.
Há que se ver como um endividamento líquido médio de R$ 970 milhões gerou umd Resultado Financeiro positivo em R$ 66 milhões. Não vai acontecer de novo!

3T2016 -
paulo_prof   -
Não fosse o lucro não recorrente resultante da alienação parcial da New Flyer (efeito caixa e R$ 440 milhões), o resultado teria sido super pífio.

2T2016 -
paulo_prof   -
Resultado Bom ... mas preço incompatível!

1T2016 -
Pro_fit   -
só resultado cabuloso

3T2015 -
paulo_prof  -
Um desastre ... nada se salva ... nem vale a pena comentar!

1T2015 -
paulo_prof  -
O que será que o mercado enxerga neste ativo que eu não consigo enxergar?

A2014/4T2014 -
paulo_prof  -
O mercado corrigiu o preço ... será que a empresa consegue reverter a maré ruim? Acho mais provável 2015 ser pior do que 2014 !!!

3T2014 -
paulo_prof  -
Nesta o mercado está viajando na maionaise ... nos preços atuais ... esquece!

2T2014 -
paulo_prof  -
O mar não está para peixe para a Marco Polo ... e se piorar não será surpresa ...

3T2013 -
fvolpato  -
Resultado veio muito bom...

2T2013 -
ch3481  -
Veio bom
Comparativo 2t12 X 2t13
LL aumento de 22%
EBITDA aumento de 34%
LPA aumento de 22%
Endividamento da parte industrial em 0,9 x o EBITDA
Gostei

A2012/4T2012 -
Paulo Prof - 
parece caro

2T2012 - 
small caps - 
achou razoável, mas com tendência de melhora em razão do câmbio

A2011/4T2011 –
Paulo Prof  -
achou excelente.

ch3481 - 
achou muito bom.

3T2010 -
rodrigoset -
achou excelente

Sobre

Balanços (Calendário)

Teleconferência DFP 2019
ITR 1T 2020 (após o fechamento)

Teleconferência ITR 1T 2020

Teleconferência ITR 2T 2020

Teleconferência ITR 3T 2020

Proventos (Calendário)


Lucro Líquido
A2019/4T2019

Endividamento
A2019/4T2019




19/03/2020 - Férias Coletivas

28/02/2020 - Apresentações a analistas/agentes do mercado


367418  - paulo_prof  -  27 Fev 2020, 14:44
Achei os Resultados "meia boca". No trimestre, a Receita, Resultado Bruto, resultado Financeiro e Lucro Líquido involuíram. No exercício, a partir de uma Receita L[iquida estagnada em termos reais, a involução do Resultado Bruto devido a perda de margem bruta (caiu de 15,8% para 15,1%) acompanhada do aumento nas despesas operacionais, foi mais do que compensada pela melhora no Resultado Financeiro. Em consequência, houve uma evolução modesta do lucro líquido e uma involução do ebitda.

De uma maneira geral acho que o ativo está caro, com o operacional bastante abaixo do que seria necessário para justificar o preço.
xh3GxVfklC3NGM=



POMO4

PREÇO: R$ 4,96

PAYOUT (2019) 50,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 23,13

P/VPA 2,02

PSR 1,08

DY 2,18%

EV/EBITDA 15,64

MARGEM BRUTA 15,1%

MARGEM OPERACIONAL 5,7%

MARGEM LÍQUIDA 4,7%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,214

MARGEM EBITDA 7,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 78,1%

ROE 8,72%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,87



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +2,79%

RESULTADO BRUTO -2,11%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -93,06%

RESULTADO OPERACIONAL +17,15%

RESULTADO LÍQUIDO +7,85%

EBITDA -6,66%



b) 4T19 sobre 4T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,78%

RESULTADO BRUTO -4,41%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +19,17%

RESULTADO OPERACIONAL +34,46%

RESULTADO LÍQUIDO -1,58%

EBITDA +43,39%



c) lucro líquido, nominal,

UA 7,85%

U2A 67,05%

U3A 54,05%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 9,24%

U2A 9,11%

U3A 7,09%



e) ebitda

UA -6,66%

U2A 68,04%

U3A 58,12%

U4A 12,30%

U5A 1,98%

U6A -4,12%

U7A -2,81%

U8A -3,89%

U9A -1,81%

U10A 6,23%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,67

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +15,0% !!!

365115 - paulo_prof  - 10 Nov 2019, 16:30
Todos os Resultados mostraram retração em relação aqueles do 3T18. A involução foi especialmente relevante no que concerne lucro e ebitda. O fatgor preocupante é a perda de market share da POMO no mercado brasileiro. Os 57,1% dos 9M18 cairam para 49,2% nos 9M19. Uma perda muito imprtante. A Pomo justifica a perda argumentando que o mercado de carrocerias urbanas cresceu 48,1%, enquanto que o segmento de carrocerias urbanas da POMO cresceu somente 1,8%. Por outro lado, as exportações estão fracas.
O release da POMO traz a seguinte análise e perspectiva:

Após oito trimestres consecutivos de crescimento, a produção brasileira de ônibus mostrou a primeira estabilidade em volumes absolutos desde o 3T17. A redução de volumes impactou receita e, em conjunto com vendas de modelos de menor margem e exportações fracas, se refletiram em menor diluição de custos fixos e rentabilidade. Interpretamos a pausa como um breve respiro frente a uma base comparativa forte estabelecida no 3T18 e não como uma interrupção do processo de recuperação da demanda.

No mercado interno, a produção de modelos rodoviários recuou 26,9%, frente a forte base de comparação estabelecida no 3T18, gerada pela antecipação de compras relativa à entrada em vigor da norma de acessibilidade nesses modelos em outubro de 2018. No trimestre, a venda de modelos para fretamento foi novamente impactada por indefinições sobre a obrigatoriedade da instalação do elevador nesses ônibus. Com a publicação do Decreto 10.014/19, em 6 de setembro, que excetua a instalação de elevadores no transporte de fretamento e turismo até janeiro de 2020, a expectativa é de recuperação da trajetória de crescimento dos volumes de rodoviários no 4T19.

O segmento de urbanos segue crescendo no Brasil, com o mercado de São Paulo capital, liderando a retomada como principal destino do modelo no país. A participação de mercado da Marcopolo gradativamente volta ao seu patamar histórico com a redução das exportações de urbanos na representatividade da produção

nacional.

Ainda no mercado doméstico, o desempenho do segmento de micros e Volares, com redução de 35,9% e 3,9% na receita, respectivamente, reflete o fim das entregas para o programa Caminho da Escola em 2019. A Companhia entregou 605 unidades dentro do programa Caminho da Escola no 3T19, destes 342 são micros, 248 urbanos e 15 modelos Volare. Em setembro, uma nova licitação do programa, para a aquisição de até 6.200 unidades, foi realizada. A Marcopolo aguarda a publicação do resultado final da licitação no Diário Oficial da União, mas dado preliminar indica que a Companhia se habilitou a fornecer até 4.800 unidades, sendo 2.000 micros, 1.600 urbanos e 1.200 modelos Volare.

As exportações mantêm um desempenho modesto em 2019, com redução de vendas nos principais mercados da Companhia e, em especial, Argentina, Chile e continente africano. O mix de exportação também foi afetado pela substituição de mercados com maiores margens por mercados com margens menores. Mesmo com crescimento de 2,9% das exportações no 3T19, vale lembrar que o 3T18 havia sido fraco em função das transferências de pedidos do mercado externo para o 4T18. As transferências haviam sido realizadas para equilibrar os efeitos negativos da queda de vendas de rodoviários no mercado interno, após antecipação de compras verificada no 3T18.

Nas unidades externas, os destaques positivos foram as controladas Marcopolo México e Marcopolo Austrália. A unidade mexicana continua se beneficiando da maior produção de rodoviários, enquanto a operação australiana, após reestruturação realizada nos primeiros meses do ano, reverteu prejuízo e reportou lucro de R$ 4,8 milhões no 3T19. Entre as coligadas, o destaque continua com a Superpolo, mantendo as entregas para a renovação da frota de Bogotá. Na outra ponta, temos a menor contribuição dos resultados da NFI Group Inc., 82,4% inferiores ao 3T18, e a consolidação da subsidiária argentina Metalsur.

Sobre o projeto Segunda Onda, salientamos o incremento da eficiência em nossa principal planta a partir de julho. Continuamos avançando nos processos de planejamento de vendas, redução de custos de materiais e aumento da eficiência buscando capturar mais benefícios ainda em 2019. A otimização de plantas segue o ritmo planejado, com a verticalização da produção de componentes na planta de São Mateus, ES.

As perspectivas para o 4T19 são positivas na medida em que aumentamos nossa produção nas operações brasileiras já a partir de outubro. O mercado interno continua ganhando representatividade sendo puxado por todos os segmentos, enquanto as exportações recuperam-se frente ao desempenho do 3T19. Observamos um ambiente propício para renovação de frotas e realização de investimentos em transporte público de qualidade, com a taxa básica de juros em seu menor nível histórico, associada ao esperado crescimento econômico.

Na minha opinião, acho bom colocar as barbas de molho e aguardar os resultados do 4T19 para um posicionamento. Não otimista como a Administração da empresa.
Eetk4Ynp005EACR4LH7Q=



POMO4

PREÇO: R$ 3,57

PAYOUT (2018) 44,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 16,63

P/VPA 1,51

PSR 0,77

DY 2,67%

EV/EBITDA 13,55

MARGEM BRUTA 15,1%

MARGEM OPERACIONAL 5,1%

MARGEM LÍQUIDA 4,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,215

MARGEM EBITDA 7,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 80,3%

ROE 9,07%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,83



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,74%

RESULTADO BRUTO +12,74%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -93,43%

RESULTADO OPERACIONAL +40,22%

RESULTADO LÍQUIDO +32,15%

EBITDA -8,357%



b) 3T19 sobre 3T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -1,83%

RESULTADO BRUTO -20,30%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +0,89%

RESULTADO OPERACIONAL -81,04%

RESULTADO LÍQUIDO -64,95%

EBITDA -47,79%



c) lucro líquido, nominal,

UA 32,15%

U2A 175,61%

U3A 40,19%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 9,51%

U2A % 8,30%

U3A 6,31%



e) ebitda

UA -8,35%

U2A 90,64%

U3A 36,05%

U4A 4,92%

U5A -1,73%

U6A -6,21%

U7A -4,85%

U8A -3,99%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,69

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,0% !!!!

363230  - paulo_prof  -  06 Ago 2019, 13:47
Um Resultado Bruto pior do que aquele postado no 2T18 foi amplamente compensado por um resultado financeiro muito melhor. Em consequência, evoluíram fortemente o Resultado Antes dos Impostos e Lucro Líquido. O Ebitda involuiu marginalmente em termos nominais.

Na minha opnião, o ativo não está caro. Embora a base de comparação (2T18 e 12 meses termoinados no 2T18) é fraca, acredito que existem condições para que o lucro líquido evolua bem em termos reais.
nzhW1Np4dCbQc%20knvHI%20mqdDUZibQLY=


POMO4

PREÇO: R$ 3,66

PAYOUT (2018) 44,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 14,17

P/VPA 1,57

PSR 0,79

DY 3,13%

EV/EBITDA 11,93

MARGEM BRUTA 15,9%

MARGEM OPERACIONAL 6,4%

MARGEM LÍQUIDA 5,6%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,258

MARGEM EBITDA 8,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 80,9%

ROE 11,12%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,88



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +27,50%

RESULTADO BRUTO +35,49%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -90,34%

RESULTADO OPERACIONAL +150,78%

RESULTADO LÍQUIDO +136,22%

EBITDA +49,27%



b) 2T19 sobre 2T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +4,62%

RESULTADO BRUTO -5,43%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +340,54%

RESULTADO LÍQUIDO +271,80%

EBITDA -2,04%



c) lucro líquido, nominal,

UA 136,22%

U2A 208,13%

U3A 52,95%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 11,04%

U2A 7,05%

U3A 5,99%



e) ebitda

UA 49,27%

U2A 104,64%

U3A 35,26%

U4A 5,84%

U5A -0,79%

U6A -2,52%

U7A -3,42%

U8A -0,81%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 3,22

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +3,0% !!!!

361020  - paulo_prof  -  07 Mai 2019, 19:09
Os Resultados do 1T19 foram fortemente impactados pela Receita de Equivalência Patrimonial: Passou de +R$ 34,5 milhões no 1T18, para -R$ 0,5 milhões no 1T19, uma diferença de R$ 35 milhões. Isto derrubou o lucro líquido do 1T19 para um nível sensivelmente abaixo daquele postado no 1T18.

Anualmente, o Resultado da Equivalência Patrimonial se situa na faixa dos R$ 80-95 milhões positivos. Em consequência, a menos que provado o contrário (há que se ler o relatório para verificar), acho que o evento pode ser considerado eventual. Em consequência, considerando a redução do preço do ativo desde a divulgação dos resultados do exercício de 2018, acho que o risco de um investimento hoje é pequeno.

POMO4

PREÇO: R$ 3,47

PAYOUT (2018) 44,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 18,11
P/VPA 1,52
PSR 0,76
DY 2,45%
EV/EBITDA 11,75
MARGEM BRUTA 16,3%
MARGEM OPERACIONAL 4,8%
MARGEM LÍQUIDA 4,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,192
MARGEM EBITDA 8,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 90,8%
ROE 8,41%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,77


Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +40,34%

RESULTADO BRUTO +61,05%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +2.875,41%

RESULTADO OPERACIONAL +58,53%

RESULTADO LÍQUIDO +76,78%

EBITDA +100,39%



b) 1T19 sobre 1T18, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +17,48%

RESULTADO BRUTO +43,77%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL -2,11%

RESULTADO LÍQUIDO -19,80%

EBITDA -0,98%



c) lucro líquido, nominal,

UA 76,78%
U2A 97,46%
U3A 42,75%


d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 10,75%

U2A 7,08%

U3A 5,30%



e) ebitda

UA 100,39%
U2A 106,84%
U3A 34,61%
U4A 5,00%
U5A -3,36%
U6A -1,23%
U7A -3,68%
U8A -0,82%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,40

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +9,0% !!!!

358750 - effexop  -  26 Fev 2019, 15:54
POMO3: produção de ônibus no Brasil já foi de 35k em 2011, em 2018 foi de apenas 20k, isso porque subiu 40% desde 2017. Tem chão pra crescer ainda, e a POMO segue aumentando o market share, de 48% em 2017 para 56% em 2018. Recuperação da economia, aumento de tarifas, renovação de frotas para colocar elevadores adaptados para pessoas de necessidades especiais devem ajudar a empresa, além do que muitos ônibus estão muito velhos. É só conversar com quem pega ônibus interestadual pra ver que muitas frotas estão sucateadas, quebram direto e necessitam reposição.

358747 - paulo_prof  -  26 Fev 2019, 14:32
Ótimos Resultados Trimestrais, auxiliados por um Resultado Financeiro positivo. Todos os resultados mostraram grande evolução em relação a aqueles do 4T17. A mesma observação é válida no que concerne os Resutados do Exercício.

O preço atual diminui aprox.8,8% em relação ao preço vigente na avaliação anterior, hoje o ativo está bem mais barato considerados os fundamentos. Acho que o risco de um investimento no ativo continua diminuindo. ainda h[a margem para os resultados da empresa crescerem pelo menos até os níveis pré crise.

POMO4

PREÇO: R$ 3,93

PAYOUT (2018) 44,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 19,39

P/VPA 1,72

PSR 0,86

DY 2,29%

EV/EBITDA 12,70

MARGEM BRUTA 15,8%

MARGEM OPERACIONAL 5,0%

MARGEM LÍQUIDA 4,4%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,203

MARGEM EBITDA 8,6%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 91,9%

ROE 8,87%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,67



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +45,95%

RESULTADO BRUTO +64,58%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +125,12%

RESULTADO LÍQUIDO +158,74%

EBITDA +202,51%



b) 4T18 sobre 4T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +46,96%

RESULTADO BRUTO +66,45%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +284,25%

RESULTADO LÍQUIDO +92,72%

EBITDA +63,31%



c) lucro líquido, nominal,

UA 158,74%

U2A 84,11%

U3A 29,02%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 8,97%

U2A 6,04%

U3A 4,61%



e) ebitda

UA 202,51%

U2A 105,79%

U3A 19,44%

U4A 4,26%

U5A -3,61%

U6A -2,16%

U7A -3,48%

U8A -1,18%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,54

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +10,5% !!!!

356594 - marcosvinicius2 -  06 Dez 2018, 20:40
COMENTÁRIO: PAPEL DEVIDAMENTE PRECIFICADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA = A receita líquida consolidada alcançou R$ 1.101,4 milhões no 3T18, contra os R$ 736,8 milhões contabilizados no 3T17. No mercado interno, a receita atingiu R$ 654,2 milhões, ou 59,4% do total, enquanto que no mercado externo somou R$ 447,2 milhões, representando os demais 40,6% da receita líquida consolidada. O destaque foi a receita doméstica, que cresceu 93,2% na comparação trimestral, com forte expansão da receita em todos os segmentos.; RESULTADO FINANCEIRO LÍQUIDO = O resultado financeiro líquido do 3T18 foi negativo em R$ 25,3 milhões, ante os R$ 14,7 milhões positivos registrados no 3T17. O impacto mais relevante é oriundo da variação cambial, no total de R$ 21,8 milhões, reflexo da desvalorização do Real frente ao Dólar norte americano, sobre a carteira de pedidos em dólares. O efeito do câmbio, apesar de negativo no trimestre, beneficia a Companhia na medida em que os pedidos oriundos da exportação são faturados, afetando positivamente as margens.; EBITDA = O EBITDA atingiu R$ 115,3 milhões no 3T18, com margem de 10,5%, contra um EBITDA de R$ 24,1 milhões e margem de 3,3% no 3T17. A recuperação da margem EBITDA, que desde o 4T13 não atingia dois dígitos em resultados recorrentes, está alicerceada na retomada do mercado interno, que apresentou crescimento de 93,2% na receita com produtos de maior valor agregado, bem como pela desvalorização cambial do Real, que impactou fortemente as margens de exportação do trimestre.:

POMO3
PREÇO: R$ 3,14
PAYOUT (2017): 23,72%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 18,96
P/VPA 1,39
PSR 0,76
DY 1,25%
EV/EBITDA 12,62
MARGEM BRUTA 15,38%
MARGEM OPERACIONAL 4,15%
MARGEM LÍQUIDA 4,03%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,166
MARGEM EBITDA 8,73%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 102,44%
ROE 7,32%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,62

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 33,37%
RESULTADO BRUTO 56,73%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -449,91%
RESULTADO OPERACIONAL 125,96%
RESULTADO LÍQUIDO 474,81%
EBITDA 296,33%

b) 3T18 sobre 3T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 49,50%
RESULTADO BRUTO 62,97%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -272,27%
RESULTADO OPERACIONAL 165,64%
RESULTADO LÍQUIDO 365,02%
EBITDA 378,98%

c) lucro (taxa média anual)
UA 474,81%
U2A -19,73%
U3A 3,04%

d) patrimônio líquido médio
UA 7,10%
U2A 4,74%
U3A 4,61%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,08
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +10% !!!!
[...]

355560 - paulo_prof  -  06 Nov 2018, 02:16
Ótimos Resultados. Receita Líquida, Resultado Bruto e Ebitda em linha com o trimestre passado. Resultado Financeiro muito melhor, resultando em Rwesultado Antes dos Impostos e Lucro muito acima do trimestr anterior.

Embora o preço tenha aumentado aprox. 7% em relação ao preço vigente na avaliação anterior, hoje o ativo está bem mais barato considerados os fundamentos. Acho que o risco de um investimento no ativo diminuiu bastante.

POMO4

PREÇO: R$ 4,31

PAYOUT (2017) 50,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 25,91

P/VPA 1,90

PSR 1,04

DY 1,94%

EV/EBITDA 15,00

MARGEM BRUTA 15,4%

MARGEM OPERACIONAL 4,1%

MARGEM LÍQUIDA 4,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,166

MARGEM EBITDA 8,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 89,3%

ROE 7,32%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,62



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +33,37%

RESULTADO BRUTO +58,73%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +125,96%

RESULTADO LÍQUIDO +474,80%

EBITDA +296,54%



b) 3T18 sobre 3T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +49,50%

RESULTADO BRUTO +62,97%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -+165,64%

RESULTADO LÍQUIDO +365,02%

EBITDA +378,42%



c) lucro líquido, nominal,

UA 474,80%

U2A 44,38%

U3A 3,04%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 7,10%

U2A 4,74%

U3A 4,61%



e) ebitda

UA 296,54%

U2A 65,76%

U3A 9,76%

U4A -0,01%

U5A -5,78%

U6A -4,25%

U7A -3,35%

U8A -0,89%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,07

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +18,0% !!!!

352580 - paulo_prof  -  07 Ago 2018, 19:07
Continuo achando o ativo caro ... Ainda tem muito chão para a empresa performar nos níveis de 2011 a 2013!

No que segue, o impacto sobre o lucro líquido, Resultado Operacional e Ebitda, da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, de R$ 268,1 milhões, decorrentes da alienação de 4,5 milhões de ações da New Flyer Industries.foi expurgado.



POMO4

PREÇO: R$4,04

PAYOUT (2017) 50,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 36,04

P/VPA 1,85

PSR 1,08

DY 1,40%

EV/EBITDA 19,48

MARGEM BRUTA 15,0%

MARGEM OPERACIONAL 3,3%

MARGEM LÍQUIDA 3,0%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,112

MARGEM EBITDA 7,0%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 101,7%

ROE 5,12%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,56



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +21,79%

RESULTADO BRUTO +51,84%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +77,82%

RESULTADO LÍQUIDO +301,92%

EBITDA +180,54%



b) 2T18 sobre 2T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +47,29%

RESULTADO BRUTO +68,25%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL -47,86%

RESULTADO LÍQUIDO +4,43%

EBITDA +127,22%



c) lucro líquido, nominal,

UA 301,92%

U2A 23,08%

U3A -18,20%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 3,20%

U2A 3,55%

U3A 5,11%



e) ebitda

UA 180,54%

U2A 28,75%

U3A -5,62%

U4A -10,42%

U5A -10,49%

U6A -10,18%

U7A -6,43%

U8A -2,62%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 1,40

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +27,0% !!!!

349735  - Miguelito2  -  08 Mai 2018, 12:27
Marcopolo tem melhor resultado para um início de ano desde 2013

A Marcopolo alcançou, no primeiro trimestre de 2018, o seu melhor desempenho operacional desde 2013 em comparação com o mesmo período de anos anteriores. A empresa registrou receita líquida consolidada de R$ 764,8 milhões e lucro líquido consolidado de R$ 30,9 milhões, contra receita de R$ 554,6 milhões (crescimento de 37,9%) e lucro de R$ 3,2 milhões do mesmo período do primeiro trimestre de 2017. O crescimento da receita líquida consolidada é reflexo do faturamento no mercado doméstico e de exportações, que apresentaram, respectivamente, altas de 122,7% e 39,6%, em valores, quando comparados com o primeiro trimestre do ano anterior.

A receita no mercado interno alcançou R$ 333,6 milhões, ou 43,6% do total, e as exportações e os negócios no exterior totalizaram R$ 431,2 milhões. De acordo com o diretor-geral da Marcopolo, Francisco Gomes Neto, os resultados reforçam a expectativa de recuperação consistente do mercado brasileiro de ônibus para este ano, com o volume de produção crescente em todos os segmentos. "Ampliamos em 76,7% a produção nas nossas fábricas brasileiras em relação ao ano anterior, mais do que o crescimento registrado pelo mercado nacional, que foi de 59,4%." A empresa fechou o trimestre com participação de 53,7% na produção brasileira de carrocerias contra 46,8% no primeiro trimestre do ano passado e cresceu 25,8 pontos percentuais no segmento de urbanos na mesma base de comparação. No mercado doméstico, as receitas da Marcopolo nos segmentos de rodoviários e urbanos cresceram, respectivamente, 294,3% e 123,1% em comparação ao mesmo período do ano anterior. O setor de rodoviários continua aquecido, especialmente pelos veículos para fretamento e em linhas interestaduais, e pela vigência da norma que prevê a redução da idade média da frota de ônibus voltados ao transporte interestadual e internacional para seis anos em 2018. Em urbanos, o destaque é a recuperação expressiva de volumes, com crescimento de 101,9% na produção brasileira.

No trimestre, a Marcopolo conquistou a liderança deste segmento, com 51% de participação de mercado. O desempenho decorre do maior volume de unidades produzidas para exportação, que cresceram 1.239,3% em relação ao primeiro trimestre de 2017, e da maior renovação de frota no mercado interno. As exportações continuam fortes, com aumento de 46,3% no volume de unidades em comparação com o primeiro trimestre de 2017. Em relação às operações no exterior, o destaque foi a alta de 11% em unidades produzidas na Austrália. - Jornal do Comércio-RS

349730  - paulo_prof   -  08 Mai 2018, 02:07
O mercado está precificando o ativo como se a empresa fosse capaz de postar um lucro anual na faixa dos R$ 300 milhões ... como nos exercícios de 2011, 2012 e 2013 ... fato ou wishful thinking?


No que segue, o impacto sobre o lucro líquido, Resultado Operacional e Ebitda, da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, de R$ 268,1 milhões, decorrentes da alienação de 4,5 milhões de ações da New Flyer Industries.foi expurgado.



POMO4

PREÇO: R$ 3,97

PAYOUT (2017) 50,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 35,75

P/VPA 1,90

PSR 1,18

DY 1,41%

EV/EBITDA 24,75

MARGEM BRUTA 14,2%

MARGEM OPERACIONAL 4,3%

MARGEM LÍQUIDA 3,3%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,111

MARGEM EBITDA 5,8%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 99,1%

ROE 5,33%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,87



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,29%

RESULTADO BRUTO +32,65%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +46,57%

RESULTADO LÍQUIDO +120,55%

EBITDA +113,49%



b) 1T18 sobre 1T17, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +37,90%

RESULTADO BRUTO +57,23%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL +597,81%

RESULTADO LÍQUIDO +24,451,22%

EBITDA +12.140,00%



c) lucro líquido, nominal,

UA 120,55%

U2A 28,27%

U3A -20,24%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 3,54%

U2A 2,68%

U3A 5,67%



e) ebitda

UA 113,49%

U2A 10,33%

U3A -15,35%

U4A -19,47%

U5A -14,26%

U6A -14,75%

U7A -10,30%

U8A -3,93%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 1,39



Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +26,5% !!!!

348994  - marcosvinicius2  -  17 Abr 2018, 11:36
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA LÍQUIDA CONSOLIDADA = A receita líquida consolidada alcançou R$ 2.876,0 milhões em 2017, 11,7% superior aos R$ 2.574,1 milhões do exercício de 2016. O resultado é reflexo principalmente da receita do mercado interno que foi 37,8% maior em relação a 2016. Nesta rubrica, destaca-se a receita dos rodoviários para o mercado interno, que teve aumento de 93,7% comparativamente ao ano anterior.; EBITDA = O EBITDA alcançou R$ 119,7 milhões em 2017, com margem de 4,2%, contra R$ 353,6 milhões e margem de 13,7% em 2016. Para fins de comparação com o ano anterior é importante considerar que os resultados de 2016 foram positivamente afetados em R$ R$ 268,1 milhões, por efeito relativo à alienação parcial de ações detidas pela Marcopolo na New Flyer Industries.:

POMO3
PREÇO: 3,13
PAYOUT (2017): 23,72%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 40,13
P/VPA 1,53
PSR 1,01
DY 0,59%
EV/EBITDA 32,77
MARGEM BRUTA 14,04%
MARGEM OPERACIONAL 3,23%
MARGEM LÍQUIDA 2,51%
LUCRO POR AÇÃO 0,078
MARGEM EBITDA 4,16%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 114,46%
ROE 3,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,74

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 11,73%
RESULTADO BRUTO 23,91%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -71,76%
RESULTADO OPERACIONAL -74,89%
RESULTADO LÍQUIDO -67,10%
EBITDA -66,16%

b) 4T17 sobre 4T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 11,73%
RESULTADO BRUTO 23,91%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -71,76%
RESULTADO OPERACIONAL -74,89%
RESULTADO LÍQUIDO -67,10%
EBITDA -66,16%

c) lucro (taxa média anual)
UA -67,10%
U2A -8,89%
U3A -31,26%

d) patrimônio líquido médio
UA 3,18%
U2A 2,50%
U3A 6,74%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 0,98
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +30% !!!!
[...]

347373  - paulo_prof  -  22 Fev 2018, 20:33
Esquece!

No que segue, o impacto sobre o lucro líquido, Resultado Operacional e Ebitda, da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, de R$ 268,1 milhões, decorrentes da alienação de 4,5 milhões de ações da New Flyer Industries.foi expurgado.



POMO4

PREÇO: R$ 3,97

PAYOUT (2017) 50,4%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 50,64

P/VPA 1,92

PSR 1,27

DY 0,99%

EV/EBITDA 37,19

MARGEM BRUTA 14,0%

MARGEM OPERACIONAL 3,2%

MARGEM LÍQUIDA 2,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,078

MARGEM EBITDA 4,2%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 102,4%

ROE 3,80%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,74



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +11,73%

RESULTADO BRUTO +23,91%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -71,76

RESULTADO OPERACIONAL -8,97%

RESULTADO LÍQUIDO +31,1%

EBITDA +40,00%



b) 4T17 sobre 4T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,25%

RESULTADO BRUTO +34,30%

RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +394,7%

RESULTADO OPERACIONAL passou de negativo para positivo

RESULTADO LÍQUIDO passou de negativo para positivo

EBITDA +307,69%



c) lucro líquido, nominal,

UA 31,01%

U2A -8,89%

U3A -31,26%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 3,18%

U2A 2,50%

U3A 6,74%



e) ebitda

UA 40,00%

U2A -24,95%

U3A -26,90%

U4A -27,58%

U5A -21,93%

U6A -20,22%

U7A -15,78%

U8A -5,28%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 0,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +36,5% !!!!

341008  - paulo_prof   -  13 Ago 2017, 04:32
No 3T16 houve uma Receita n'ao Recorrente de R$ 268,1 milhões decorrentes da alienação de 4,5 milhões de ações da New Flyer Industries. O impacto sobre o lucro líquido foi de aprox. R$ 164,3 milhões. Abaixo são mostrados os múltiplos considerando-se a Receita Não Recorrente do 3T16 e também expurgando os seus efeitos no Resultado Operacional, Lucro e Ebitda.

Acho que não é necessário dizer mais nada! Ativo caro prá caramba!


POMO4

PREÇO: R$ 3,31

PAYOUT (2016) 49,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses, considerando o impacto da Rweceita Não Recorrente ocorrida no 3T16

P/L 16,03

P/VPA 1,62

PSR 1,08

DY 3,11%

EV/EBITDA 11,14

MARGEM BRUTA 12,0%

MARGEM OPERACIONAL 11,7%

MARGEM LÍQUIDA 6,7%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,206

MARGEM EBITDA 12,5%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 114,6%

ROE 10,13%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,86



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,13%

RESULTADO BRUTO -19,66%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -30,42

RESULTADO OPERACIONAL +136,84%

RESULTADO LÍQUIDO +178,79%

EBITDA +143,73%



b) 2T17 sobre 2T16, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +19,56%

RESULTADO BRUTO +7,61%

RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -85,41%

RESULTADO OPERACIONAL -39,61

RESULTADO LÍQUIDO -48,19%

EBITDA +12,82%



c) lucro líquido, nominal, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16

UA 178,79%

U2A 0,37%

U3A -10,43%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 3,90%

U2A 6,07%

U3A 8,39%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 2,64

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, considerando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0% !!!!



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses, expurgando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16

P/L 118,61

P/VPA 1,62

DY 0,42%

EV/EBITDA 45,95

MARGEM OPERACIONAL 2,2%

MARGEM LÍQUIDA 0,9%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,028

MARGEM EBITDA 3,0%

ROE 1,37%



Taxas de Crescimento

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal, expurgando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16

RESULTADO OPERACIONAL -54,97%

RESULTADO LÍQUIDO -62,31%

EBITDA -40,91%



c) lucro líquido, nominal, expurgando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16

UA 178,79%

U2A 0,37%

U3A -10,43%



Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses, expurgando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 0,36

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses, expurgando o impacto da Receita Não Recorrente ocorrida no 3T16, necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +65,5% !!!!

335470  - paulo_prof   -  15 Mar 2017, 01:01
No que concerne a POMO4, os resultados são esquisitos ... Há que se ler o relatório para entender o que houve. Não é todo o dia que um Resultado Bruto que foi 34% menor do que aquele do ano anterior gera um lucro líquido 57% maior. O artífice da mágica foi o Resultado Financeiro. Em 2015 o Resultado Financeiro foi negativo em R$ 51 milhões. Em 2016 foi positivo em R$ 66 milhões, um "swing" de R$ 117 milhões nominais. Assim, até defunto levanta.

Há que se ver como um endividamento líquido médio de R$ 970 milhões gerou umd Resultado Financeiro positivo em R$ 66 milhões. Não vai acontecer de novo!


POMO4

PREÇO: R$ 2,63

PAYOUT (2016) 49,9%



Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,03

P/VPA 1,32

PSR 0,94

DY 4,52%

EV/EBITDA 9,28

MARGEM BRUTA 12,7%

MARGEM OPERACIONAL 14,4%

MARGEM LÍQUIDA 8,5%

LUCRO POR AÇÃO R$ 0,238

MARGEM EBITDA 13,7%

DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 125,2%

ROE 11,95%

LIQUIDEZ CORRENTE 1,84



Taxas de Crescimento



a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -10,84%

RESULTADO BRUTO -33,85%

RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo

RESULTADO OPERACIONAL +140,64%

RESULTADO LÍQUIDO +56,63%

EBITDA +40,88%



b) 4T16 sobre 4T15, nominal

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +3,87%

RESULTADO BRUTO -39,97%

RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo

RESULTADO OPERACIONAL passou de positivo para negativo

RESULTADO LÍQUIDO passou de positivo para negativo

EBITDA -75,11%



c) lucro líquido, nominal

UA 152,32%

U2A -0,62%

U3A -8,75%



d) patrimônio líquido médio, nominal

UA 1,82%

U2A 8,57%

U3A 9,51%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 3,05


Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -3,5% !!!!

329597  - paulo_prof   -  07 Nov 2016, 23:56
Não fosse o lucro não recorrente resultante da alienação parcial da New Flyer (efeito caixa e R$ 440 milhões), o resultado teria sido super pífio.

POMO4
PREÇO: R$ 3,08
PAYOUT (2015): 49,9%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 11,71
P/VPA 1,46
PSR 1,09
DY 4,26%
EV/EBITDA 9,31
MARGEM BRUTA 15,1%
MARGEM OPERACIONAL 16,5%
MARGEM LÍQUIDA 9,3%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,263
MARGEM EBITDA 15,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 125,0%
ROE 12,43%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,89

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,89%
RESULTADO BRUTO -21,77%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +172,57%
RESULTADO LÍQUIDO +69,77%
EBITDA +54,94%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,52%
RESULTADO BRUTO -31,67%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL +3004%
RESULTADO LÍQUIDO +2301%
EBITDA +481,62%

c) lucro (taxa média anual)
UA 69,77%
U2A 0,83%
U3A -8,22%

d) patrimônio líquido médio
UA 4,35%
U2A 9,69%
U3A 10,94%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,63

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +4,0%

325847  - paulo_prof   -  11 Ago 2016, 05:03
Resultado Bom ... mas preço incompatível!

POMO4
PREÇO: R$ 3,40
PAYOUT (2015): 49,9%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 44,50
P/VPA 1,77
PSR 1,22
DY 1,12%
EV/EBITDA 27,58
MARGEM BRUTA 16,9%
MARGEM OPERACIONAL 5,6%
MARGEM LÍQUIDA 2,7%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,076
MARGEM EBITDA 5,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 118,4%
ROE 3,97%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,83

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -20,24%
RESULTADO BRUTO -22,37%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -35,81%
RESULTADO LÍQUIDO -63,86%
EBITDA -49,28%

b) 2T16 vs 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -2,60%
RESULTADO BRUTO +1,58%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +1198%
RESULTADO OPERACIONAL +69,32%
RESULTADO LÍQUIDO +16,27%
EBITDA -6,11%

c) lucro (taxa média anual)
UA -63,86%
U2A -49,23%
U3A -38,28%

d) patrimônio líquido médio
UA 8,28%
U2A 10,70%
U3A 11,63%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 0,76

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +40,5% !!!

325724  - TraderCenter  -  09 Ago 2016, 20:04
A Marcopolo apurou, no primeiro semestre, lucro líquido de 52 milhões, uma baixa de 27% sobre o mesmo período do ano passado. Já o segundo trimestre, na comparação com o mesmo intervalo de tempo de 2015, teve acréscimo de 16,7%, alcançando R$ 43,3 milhões. Em relação ao primeiro trimestre deste ano, a alta é superior a 350%.
LUPA MERCANTIL - ANÁLISE FUNDAMENTALISTA

321044  - Pro_fit   -  02 Mai 2016, 23:50
AMAR3 MDIA3 POMO4
só resultado cabuloso
http://www.guiainvest.com.br/acao/resultados-trimestrais/default.aspx

310445  - paulo_prof  -  04 Nov 2015, 01:26
Um desastre ... nada se salva ... nem vale a pena comentar!

POMO4
PREÇO: R$ 1,97
PAYOUT (2014): 44,1%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 12,53
P/VPA 0,94
PSR 0,61
DY 3,52%
EV/EBITDA 12,19
MARGEM BRUTA 17,1%
MARGEM OPERACIONAL 5,3%
MARGEM LÍQUIDA 4,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,157
MARGEM EBITDA 8,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 134,2%
ROE 7,53%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,93

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -14,77%
RESULTADO BRUTO -20,53%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -49,22%
RESULTADO LÍQUIDO -40,12%
EBITDA -24,40%

b) 3T15 sobre 3T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -26,71%
RESULTADO BRUTO -30,61%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO +721,65%
RESULTADO OPERACIONAL -87,28%
RESULTADO LÍQUIDO -86,81%
EBITDA -41,09%

c) lucro líquido, nominal
UA -40,12%
U2A -32,52%
U3A -24,09%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 15,29%
U2A 14,38%
U3A 12,94%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 1,57

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +5,5%

307243  - paulo_prof  -  16 Set 2015, 18:17
De uma maneira geral, a dívida líquida da POMO seria considerada excessiva em termos do ebitda anual que a empresa consegue gerar ... Ao final do 2T15, a dívida líquida de R$ 1,27 bilhões era 4,43 vezes o ebitda gerado nos últimos 12 meses.

Ocorre que se vc olhar o endividamento mais de perto, vai perceber que foi obtido em condições super favoráveis ... A empresa é amiga do rei (BNDES) e um total de R$ 1 bilhão de dívida bruta em reais paga menos de 6% a.a. Outros R$ 430 milhões em moedas estrangeiras paga aprox. 3% a.a.

O Resultado Financeiro da POMO é composto das seguintes rubricas (1o. semestre de 2015):

Juros e correções Recebidas + Rendas Financeiras - juros líquidos s/derivativos - juros s/empréstimos = +R$ 14,9 milhões
Variação cambial líquida + Variação cambial líquida s/derivativos = -R$ 30,7 milhões
Ajuste a valor presente líquido (contas a receber - fornecedores) = +R$ 1,9 milhões
Despesas Bancárias = -R$ 3,5 milhões

Como pode ser observado, num cenário de estabilidade cambial, apesar do alto endividamento líquido em relação ao ebitda anual, a empresa produziria um resultado financeiro positivo !!!

No 1T15 o real desvalorizou 20,8% e o resultado financeiro foi negativo em R$ 20 milhões. No 2T15, o real valorizou 3,3% e o resultado financeiro foi positivo em R$ 2,5 milhões. No 3T15, o real deverá desvalorizar aprox. 24% ... de modo que o resultado financeiro deverá vir bem ruim, algo negativo em R$ 25 milhões.

Por outro lado, entretanto, acho que a desvalorização do real alavancará o resultado bruto das exportações e vendas dos produtos fabricados no exterior. Não duvido que a empresa seja capaz de repetir o lucro do 1T15 ou até um pouco acima!

302811  - paulo_prof  -  04 Ago 2015, 12:03
POMO4
PREÇO: R$ 2,29
PAYOUT (2014): 44,1%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 10,82
P/VPA 1,20
PSR 0,65
DY 4,07%
EV/EBITDA 11,56
MARGEM BRUTA 17,4%
MARGEM OPERACIONAL 7,0%
MARGEM LÍQUIDA 6,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,212
MARGEM EBITDA 9,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 126,9%
ROE 11,06%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,91

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -9,74%
RESULTADO BRUTO -18,0%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -37,74%
RESULTADO LÍQUIDO -28,68%
EBITDA -23,41%

b) 2T15 sobre 2T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -22,83%
RESULTADO BRUTO -24,87%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -75,05%
RESULTADO OPERACIONAL -33,19%
RESULTADO LÍQUIDO -25,88%
EBITDA -18,44%

c) lucro líquido, nominal
UA -28,68%
U2A -19,33%
U3A -17,02%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 13,17%
U2A 13,34%
U3A 12,89%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,12

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +2,0%

297103  - paulo_prof  -  13 Mai 2015, 02:19
O que será que o mercado enxerga neste ativo que eu não consigo enxergar?

POMO4
PREÇO: R$ 3,00
PAYOUT (2014): 44,1%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 13,27
P/VPA 1,56
PSR 0,81
DY 3,32%
EV/EBITDA 13,02
MARGEM BRUTA 17,4%
MARGEM OPERACIONAL 7,2%
MARGEM LÍQUIDA 6,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,226
MARGEM EBITDA 9,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 127,7%
ROE 11,77%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,94

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -8,78%
RESULTADO BRUTO -18,90%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -38,92%
RESULTADO LÍQUIDO -29,96%
EBITDA -30,66%

b) 1T15 sobre 1T14, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,46%
RESULTADO BRUTO -12,89%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -52,98%
RESULTADO LÍQUIDO -38,06%
EBITDA -12,03%

c) lucro líquido, nominal
UA -29,96%
U2A -14,73%
U3A -16,50%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 12,38%
U2A 12,58%
U3A 13,41%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,26

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +7,0%

290482 - paulo_prof  -  24 Fev 2015, 11:33
O mercado corrigiu o preço ... será que a empresa consegue reverter a maré ruim? Acho mais provável 2015 ser pior do que 2014 !!!

POMO4
PREÇO: R$ 2,47
PAYOUT (2013): 44,1%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 9,89
P/VPA 1,33
PSR 0,65
DY 4,45%
EV/EBITDA 11,18
MARGEM BRUTA 17,4%
MARGEM OPERACIONAL 8,1%
MARGEM LÍQUIDA 6,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,250
MARGEM EBITDA 9,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 128,2%
ROE 13,48%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,59

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -8,63%
RESULTADO BRUTO -17,36%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -29,18%
RESULTADO LÍQUIDO -23,05%
EBITDA -29,08%

b) 4T14 sobre 4T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +1,41%
RESULTADO BRUTO -14,17%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -27,48%
RESULTADO LÍQUIDO -15,91%
EBITDA -23,04%

c) lucro líquido, nominal
UA -23,05%
U2A -13,95%
U3A -13,49%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 11,42%
U2A 11,42%
U3A 13,67%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,50

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +0,0%

282551  - paulo_prof  -  11 Nov 2014, 01:34
Nesta o mercado está viajando na maionaise ... nos preços atuais ... esquece!

POMO4
PREÇO: R$ 4,08
PAYOUT (2013): 44,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 15,52
P/VPA 2,32
PSR 1,07
DY 2,89%
EV/EBITDA 14,28
MARGEM BRUTA 18,3%
MARGEM OPERACIONAL 8,9%
MARGEM LÍQUIDA 6,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,263
MARGEM EBITDA 9,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 129,5%
ROE 14,97%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,34

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -8,63%
RESULTADO BRUTO -17,36%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -24,81%
RESULTADO LÍQUIDO -23,95%
EBITDA -25,73%

b) 3T14 sobre 3T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -7,91%
RESULTADO BRUTO -20,44%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -38,97%
RESULTADO LÍQUIDO -35,31%
EBITDA -32,97%

c) lucro líquido, nominal
UA -23,95%
U2A -14,53%
U3A -9,24%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 13,48%
U2A 11,78%
U3A 14,77%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,63

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +10,0%

271539  - paulo_prof  -  11 Ago 2014, 22:21
O mar não está para peixe para a Marco Polo ... e se piorar não será surpresa ...

POMO4
PREÇO: R$ 3,83
PAYOUT (2013): 44,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 12,89
P/VPA 2,30
PSR 0,98
DY 3,48%
EV/EBITDA 11,90
MARGEM BRUTA 19,1%
MARGEM OPERACIONAL 10,1%
MARGEM LÍQUIDA 7,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,297
MARGEM EBITDA 10,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 126,4%
ROE 17,85%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,43

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,02%
RESULTADO BRUTO -7,16%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +433,85%
RESULTADO OPERACIONAL -8,48%
RESULTADO LÍQUIDO -8,75%
EBITDA -10,74%

b) 2T14 sobre 2T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -17,07%
RESULTADO BRUTO -26,43%
RESULTADO FINANCEIRO passou de negativo para positivo
RESULTADO OPERACIONAL -39,64%
RESULTADO LÍQUIDO -31,83%
EBITDA -47,89%

c) lucro líquido, nominal
UA -8,75%
U2A -10,50%
U3A -4,08%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 13,50%
U2A 12,76%
U3A 15,32%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 2,97

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +6,5%

257626  - paulo_prof  -  12 Mai 2014, 20:48
POMO4
PREÇO: R$ 4,35
PAYOUT (2013): 44,8%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 13,46
P/VPA 2,68
PSR 1,07
DY 3,33%
EV/EBITDA 11,53
MARGEM BRUTA 19,5%
MARGEM OPERACIONAL 10,7%
MARGEM LÍQUIDA 7,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,323
MARGEM EBITDA 11,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 130,9%
ROE 19,88%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,45

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses terminados no 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +7,61%
RESULTADO BRUTO +4,36%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -81,23%
RESULTADO OPERACIONAL +7,48%
RESULTADO LÍQUIDO +3,80%
EBITDA +10,17%

b) 1T14 sobre 1T13, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,28%
RESULTADO BRUTO -13,80%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO +268%
RESULTADO OPERACIONAL -1,83%
RESULTADO LÍQUIDO -1,90%
EBITDA -7,65%

c) lucro líquido, nominal
UA 3,80%
U2A -8,83%
U3A -1,66%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 12,78%
U2A 13,93%
U3A 15,66%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 3,23

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): +7,5%

250597  - paulo_prof  -  02 Abr 2014, 20:20
Em que vc se fundamentou para afirmar que a empresa está descontada?

A queda dos preços da faixa dos R$ 7,00 para a faixa dos R$ 4,50 não é justificativa suficiente ... se o ativo estava muito caro a R$ 7,00 pode muito bem continuar caro a R$ 4,50.

A empresa apresenta um ROE na faixa de 19% ... Nestas condições, certamente não dá para afirmar que um P/VPA = 2,69 seja uma pechincha.

Por outro lado as taxas nominais de crescimento do lucro nos últimos exercícios são:
UA -3,77%
U2A -8,27%
U3A -0,89%

É portanto lícito afirmar que já faz tempo que o lucro não cresce ... pelo contrário, o lucro real vem decrescendo a uma média de aprox. 7% a.a.

Para justificar o preço atual de R$ 4,58, utilizando uma perpetuidade real nula, uma taxa de desconto real de 8% e um horizonte de 5 anos de crescimento do lucro, seria necessário que este crescesse no mínimo aprox. 3% reais ao ano. Para que se tenha alguma margem de segurança, provavelmente estes 3% teria que ser aumentados para uns 5% ... ocorre que já faz um século que o lucro da POMO não cresce ...

Se vc realmente acredita que nos próximos 5 anos o lucro da POMO tem tudo para crescer pelo menos uns 5% a.a. em termos reais (ou seja, um "swing" de 12% relativo à situação atual), vá em frente ... caso contrário, coloque as barbas de molho e espera a empresa dar pelo menos uma indicação que está revertendo a tendência.

220450  - paulo_prof  -  04 Nov 2013, 20:20
POMO4
PREÇO: R$ 5,83
PAYOUT (2012): 47,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 17,02
P/VPA 3,71
PSR 1,38
DY 2,80%
EV/EBITDA 13,84
MARGEM BRUTA 20,1%
MARGEM OPERACIONAL 10,6%
MARGEM LÍQUIDA 8,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,344
MARGEM EBITDA 12,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 129,9%
ROE 21,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,17

Taxas de Crescimento:

a) últimos 9 meses sobre 9 meses terminados no 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,05%
RESULTADO BRUTO +11,82%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL +0,69%
RESULTADO LÍQUIDO +3,64%
EBITDA +11,84%

b) 3T13 sobre 3T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +16,06%
RESULTADO BRUTO +21,91%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -82,96%
RESULTADO OPERACIONAL +20,97%
RESULTADO LÍQUIDO +25,95%
EBITDA +28,34%

c) lucro líquido, nominal
UA -3,94%
U2A -0,84%
U3A 3,53%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 10,12%
U2A 15,43%
U3A 16,99%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 4,30

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +7,5%

220427  - fvolpato  -  04 Nov 2013, 19:42
Resultado veio muito bom...
POMO4 5,88 +4,63%
Com a cotação atual é porco!!!

200639  - paulo_prof  -  06 Ago 2013, 02:47
POMO4
PREÇO: R$ 13,40
PAYOUT (2012): 47,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 20,69
P/VPA 4,53
PSR 1,59
DY 2,30%
EV/EBITDA 16,20
MARGEM BRUTA 19,8%
MARGEM OPERACIONAL 10,2%
MARGEM LÍQUIDA 7,7%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,648
MARGEM EBITDA 11,5%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 134,9%
ROE 21,89%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,09

Taxas de Crescimento:

a) últimos 6 meses sobre 6 meses terminados no 2T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +12,97%
RESULTADO BRUTO 6,22%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -9,77%
RESULTADO LÍQUIDO -7,39%
EBITDA +3,21%

b) 2T13 sobre 2T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +24,40%
RESULTADO BRUTO +21,78%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL +25,90%
RESULTADO LÍQUIDO +20,98%
EBITDA +34,38%

c) lucro líquido, nominal
UA -12,22%
U2A -1,65%
U3A 7,64%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UUA 12,01%
U2A 16,24%
U3A 18,38%


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,10

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +12,5%

200582  - ch3481  -  05 Ago 2013, 23:26
POMO3

Veio bom

Comparativo 2t12 X 2t13

LL aumento de 22%
EBITDA aumento de 34%
LPA aumento de 22%

Endividamento da parte industrial em 0,9 x o EBITDA

Gostei

Falta ler c calma os detalhes

183947  - paulo_prof  -  07 Mai 2013, 02:05
Não acredite muito nos resultados da POMO ... todo o balanço patrimonial do 4T12 e a Demonstração de Resultados do 1T12 foram alterados ... como nenhuma palavra de alerta foi proferida, não exclua má fé da direção da empresa ...

POMO4
PREÇO: R$ 13,16
PAYOUT (2012): 47,7%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L 21,25
P/VPA 4,68
PSR 1,54
DY 2,24%
EV/EBITDA 16,24
MARGEM BRUTA 20,0%
MARGEM OPERACIONAL 9,7%
MARGEM LÍQUIDA 7,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,619
MARGEM EBITDA 10,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 152,8%
ROE 22,01%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,86

Taxas de Crescimento:

a) últimos 12 meses sobre 12 meses anteriores, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,57%
RESULTADO BRUTO 2,91%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -94,83%
RESULTADO OPERACIONAL -26,00%
RESULTADO LÍQUIDO -19,94%
EBITDA -11,40%

b) 1T13 sobre 1T12, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,95%
RESULTADO BRUTO -7,87%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -85,35%
RESULTADO OPERACIONAL -34,38%
RESULTADO LÍQUIDO -29,27%
EBITDA -22,41%

c) lucro líquido, nominal
UA -19,94%
U2A -4,28%
U3A 14,27%

d) patrimônio líquido médio, nominal
UA 15,08%
U2A 17,13%
U3A 19,38%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 7,74

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +13,0%

168392 - small caps -  22 Fev 2013, 01:11
"Resultado é impactado por queda na produção.
Último trimestre do ano registra produção menor e pesa sobre resultado.
Como consequência da queda na produção de ônibus, principalmente no mercado interno, a Marcopolo apresentou seu resultado do 4T12 com ligeiro crescimento dereceita e com margens ainda mais pressionadas. Além disso, o mix de vendas, que incluiu veículos completos, os quais oferecem menor margem por carroceria, somado à forte retração no mercado argentino, também foram impactantes para a companhia. Assim, podemos considerar o desempenho aquém do que esperávamos para o período."
Relatório do BB Investimentos.

168249 - paulo_prof - 21 Fev 2013, 14:48
POMO4
PREÇO: R$ 11,75
PAYOUT 2012: 47,7%

P/L 17,51
P/VPA 4,04
PSR 1,38
DY 2,72%
EV/EBITDA 13,79
MARGEM BRUTA 20,3%
MARGEM OPERACIONAL 10,7%
MARGEM LÍQUIDA 7,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,671
MARGEM EBITDA 11,5%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 103,2%
ROE 23,08%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,49

Taxas de Crescimento Nominal

a) exercício de 2012 vs 2011
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 13,31%
RESULTADO BRUTO 4,62%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -73,45%
RESULTADO OPERACIONAL -17,50%
RESULTADO LÍQUIDO -12,56%
EBITDA -5,24%

b) 4T12 vs 4T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 11,86%
RESULTADO BRUTO 0,39%
RESULTADO FINANCEIRO passou de positivo para negativo
RESULTADO OPERACIONAL -29,66%
RESULTADO LÍQUIDO -17,85%
EBITDA -7,58%

c) lucro (taxa média anual)
UA -12,56%
U2A 0,59%
U3A 30,01%

d) patrimônio líquido médio
UA 18,32%
U2A 18,23%
U3A 19,84%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 8,39

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): 8,0%

mesmo em se tratando de uma queridinha do mercado ... o ativo parece caro!

168169  - israel007 - 21 Fev 2013, 11:49
POMO4

Empresa: MARCOPOLO S.A. Ação: MARCOPOLO PN Setor: Bens Industriais Subsetor: Material de Transporte
Resultado do 4º Trimestre de 2012

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 88,9 M no quarto trimestre de 2012, uma variação de 29,5% em relação ao 3° trimestre de 2012 e redução de 21,0% em relação ao quarto trimestre de 2011. A receita líquida totalizou R$ 700,1 M no quarto trimestre de 2012, uma variação de 15,8% em relação ao trimestre ligeiramente anterior e acréscimo de 11,2% em relação ao quarto trimestre de 2011.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 20,5% contra 18,9% no 3T12 e 22,9% no mesmo período do ano passado. Já a margem líquida ficou em 12,7% no 4T12 contra 11,4% no terceiro trimestre de 2012.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 2,4 B, redução de 4,3% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,3 B no 4° trimestre de 2012, o que representou uma variação de 11,5% em relação ao saldo no 4° trimestre de 2011.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 10,7% contra 3,0% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado atingiu R$ 5,8 B contra R$ 3,1 B no 4T11.

161542 - pppadv -  26 Dez 2012, 11:35
Por Paula Barra
https://infomoney.com.br/mercados/acoes-e-indices/noticia/2644641/petrobras-espera-reajuste-gasolina-gol-anuncia-separacao-smiles
[...]
Marcopolo estuda voltar a ter fábrica na Rússia
Três anos após fechar fábrica na Rússia, a Marcopolo (POMO4) estuda retomada de produção no país. Atualmente, a empresa tem uma joint venture com o grupo russo Kamaz e atua montando veículos com peças produzidas na China.

A planta, contudo, depende ainda do resultado desse novo modelo de operação na Rússia. O acordo com a Kamaz foi fechado no ano passado, mas os primeiros veículos serão entregues em 2013.
[...]

160493 - ch3481 -  14 Dez 2012, 16:58
14/12) MARCOPOLO (POMO - N2) - Assina, atraves de coligada, contrato de compra de 51,0% de participacao na empresa Metalsur Carrocerias S.R.L
DRI: Carlos Zignani

Enviou o comunicado ao mercado:

"A MARCOPOLO S.A. (BM&FBovespa: POMO3, POMO4) informa que, por meio de sua coligada Metalpar Argentina S.A., foi assinado hoje contrato de compra de 51,0%  de participacao na empresa Metalsur Carrocerias S.R.L., ambas sediadas na Argentina. O montante a ser desembolsado entre os socios sera de US$ 9,0 milhoes.

A Metalsur, fundada em 1989, e especializada na fabricacao de carrocerias de onibus rodoviarios, com destaque para os modelos de dois andares (Double Decker). A Companhia e sediada na cidade de Rosario, Provincia de Santa Fe, Argentina, e produz anualmente, em media, 200 unidades. Caxias do Sul, RS, 14 de dezembro de 2012."

155251 - small caps -  06 Nov 2012, 17:04
Sobre, POMO3... grande empresa, excepcional na verdade...

Foram anos de uma união sem grandes sustos negativos, respeito ao acionista...

Infelizmente, o mercado enxergou isto ... e precificou adequadamente...

Vai deixar saudades :(

155138 - pppadv -  05 Nov 2012, 21:30
Lucro da Marcopolo cai 11% no terceiro trimestre e atinge R$ 69 milhões
Declínio do resultado foi causado por venda de veículos completos, incluindo os chassis que foram faturados a preço de custo, da retração do mercado argentino e da consolidação da Volgren, na Austrália
Por Tatiana Fernandes Gurjão
|18h35 | 05-11-2012
http://www.infomoney.com.br/marcopolo/noticia/2603529

SÃO PAULO - A Marcopolo (POMO4) registrou recuo de 11,8% no lucro líquido do terceiro trimestre ante igual período do ano antecedente, para R$ 69,2 milhões, comunicou a empresa nesta segunda-feira (5).

De acordo com a empresa, o resultado teve influência da venda de veículos completos, incluindo os chassis que foram faturados a preço de custo, da retração do mercado argentino, que afetou o desempenho da Metalpar, e da consolidação da Volgren, na Austrália.
Trólebus da Marcopolo

A receita operacional da empresa avançou 7,7%, para 956,7 milhões, puxada pelos números no mercado externo, que subiu 83,9% ante queda de 16,8% na volume no Brasil. Segundo dados da companhia, o volume exportado aumentou 128,4%.

O Ebitida (lucro antes de juro, imposto, depreciação e amortização) da companhia caiu 16,5% durante o intervalo de julho a setembro, para R$ 106,2 milhões. A margem ebtida recuou 3,2 p.p. (pontos percentuais), para 11,1%.

Balanço alinhado à prévia
Os resultados vieram parecidos com a expectativa do Santander. O banco estimava lucro líquido pouco abaixo do divulgado, para R$ 67,0 milhões. Em relação à receita, a equipe aguardava valor de R$ 978,0 milhões. Já para o ebitida, a instituição projetava montante um pouco acima do registrado, para R$ 108,0 milhões. A margem ebitida, por sua vez, veio equivalente ao que era aguardado - 11,0%.

155132 - paulo_prof -  05 Nov 2012, 20:18
POMO4
PREÇO: R$ 12,63
PAYOUT (2011): 48,4%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 17,64
P/VPA 4,43
PSR 1,52
DY 2,74%
EV/EBITDA 14,10
MARGEM BRUTA 20,9%
MARGEM OPERACIONAL 12,3%
MARGEM LÍQUIDA 8,6%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,716
MARGEM EBITDA 12,2%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 95,2%
ROE 25,09%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,54

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 9M12 em relação aos Resultados dos 9M11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +13,9%
RESULTADO BRUTO +6,5%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -44,4%
RESULTADO OPERACIONAL -11,8%
RESULTADO LÍQUIDO -10,0%
EBITDA -4,2%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal:
a) do lucro líquido:
UA 2,35%
U2A 7,48%
U3A 35,88%

b) do patrimônio líquido médio
UA 25,90%
U2A 24,34%
U3A 19,97%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: + 8,5%

155115 - danieljoseaa -  05 Nov 2012, 19:27
POMO4:
Resultado do 3º Trimestre de 2012

A empresa divulgou lucro líquido de R$ 68,6 M neste trimestre, crescimento de 13,9% em relação ao 2T12 e redução de 12,8% em relação ao terceiro trimestre de 2011. A receita líquida somou R$ 604,5 M no 3T12, 6,7% superior que o segundo trimestre de 2012, que foi de R$ 566,5 M. No mesmo período do ano anterior, a receita líquida havia atingido o valor de R$ 573,8 M.

O resultado corresponde a uma margem bruta de 18,9% contra 18,4% no trimestre anterior e 19,5% no 3° trimestre de 2011. Já a margem líquida ficou em 11,4% no 3T12 contra 10,6% no 2° trimestre de 2012.

Os ativos totais atingiram o saldo de R$ 2,3 B, redução de 6,6% em relação ao saldo no mesmo trimestre do ano anterior. O patrimônio líquido atingiu a soma de R$ 1,3 B neste trimestre, o que representou uma variação de 18,6% em relação ao saldo no 3° trimestre de 2011.

Ao longo do trimestre, a ação oscilou 31,4% contra 8,9% do Ibovespa, enquanto que o valor de mercado alcançou R$ 5,3 B contra R$ 2,9 B no 3T11.

129960 - paulo_prof - 07/Mai/2012 21:10
POMO4

PREÇO: R$ 10,40
PAYOUT (2011): 48,4%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses
P/L      13,44
P/VPA            4,04
PSR     1,33
DY      3,60%
EV/EBITDA  11,45
MARGEM BRUTA  21,9%
MARGEM OPERACIONAL          14,4%
MARGEM LÍQUIDA          9,9%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,774
MARGEM EBITDA 13,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       131,3%
ROE    30,04%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,72

Taxas anuais médias nominais de crescimento
a) lucro líquido
UA      14,43%
U2A    36,52%
U3A    39,94%

b) patrimônio líquido médio
UA      19,22%
U2A    21,59%
U3A    17,47%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido necessária nos próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD seja 1,3 vezes a cotação atual (perpetuidade real nula; taxa de desconto real de 8%): 13%

Taxas nominais de crescimento relativas ao 1T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA     +15,68%
RESULTADO BRUTO        +14,72%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO            -21,08%
RESULTADO OPERACIONAL    +6,49%
RESULTADO LÍQUIDO    +3,43%
EBITDA         +12,59%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO   +22,34%


119443 - polycrav - 07/Mar/2012 23:26
POMO é bom!


Investir na Marcopolo tem sido motivo de muita felicidade para seus investidores. Após uma queda de 52,28% em 2008, as ações se recuperaram fantasticamente nos últimos anos. Em 2009, +125%; em 2010, +119,61%; e em 2011, uma pequeníssima alta de 5,51%. Em 2012, já se vão mais 26% de alta até o início de março. Quem investiu na companhia no meio do turbilhão de 2008, pode ter obtido mais de 500% de rentabilidade em apenas 4 anos, ou uma rentabilidade média anual de 56,51%. Mesmo quem já estava investido e passou por todo o aperto de 2008 não tem do que se queixar, pois teria obtido algo em torno de 200% sobre o valor investido. Tudo isso levanta uma questão: ainda há margem para obter lucro investindo nas ações da Marcopolo?



As ações da Marcopolo ainda têm espaço para novas altas?

Prever os movimentos do mercado é impossível, mas acredito que é possível traçar um cenário para as ações. Como os leitores sabem, costumo usar um método pouco ortodoxo: o de projetar para o futuro a média do crescimento passado. Faço isso por uma simples razão: é impossível prever com precisão absoluta todas as variáveis presentes na construção dos resultados de uma empresa. Sendo assim, prefiro adotar um caminho simples: o de projetar que a empresa vai repetir, ao menos no futuro próximo, o desempenho obtido nos últimos anos – considerando pelo menos os últimos 8 anos, que oferecem um delineamento de médio prazo.

Nesse cenário, projetei que o lucro por ação da companhia poderá repetir nos próximos dez anos o desempenho dos últimos oito. Com isso, a empresa veria seu lucro por ação aumentar à taxa de 19,05% ao ano. Uma missão difícil, reconheço. Mas, a se confirmar esse cenário, eu vislumbro uma margem de segurança de 64% nas ações da Marcopolo, se assumirmos a taxa Selic como um indexador adequado. Para igualar a rentabilidade da Selic a partir dessas premissas, o preço das ações da Marcopolo deveria estar em torno de R$ 14,72. Como as ações estão sendo negociadas a R$ 8,95 (POMO4), haveria um bom caminho pela frente.

Mas também tracei uma análise mais conservadora, em que os lucros da empresa cresceriam, nos próximos 10 anos, a uma taxa correspondente à metade da taxa de crescimento atual – algo em torno de 9,5% ao ano. Acredito, contudo, que essa é uma premissa conservadora demais. Nessa hipótese, contudo, não haveria margem de segurança: nesse cenário, para igualar a rentabilidade da Selic (considerada a 10,5% ao ano), as ações da Marcopolo deveriam estar sendo negociadas a R$ 5,88 – 34,31% abaixo da cotação atual.

Extraindo uma média simples desses dois cenários, eu divisaria uma margem de segurança de 15,06%. Não se trata de um cálculo ortodoxo, mas são as premissas que considero em meus investimentos. Não acho que essa seja uma margem de segurança totalmente adequada (eu preferiria ter ao menos uma margem de 25%), mas como creio que as perspectivas de crescimento do lucro da Marcopolo são muito boas para a próxima década, acredito que um cenário um pouco mais otimista poderia se divisar.

Quanto ao ano de 2012, a própria empresa já avisou aos investidores que o ano não deverá ser tão bom quanto 2011. Mas vamos ver o que acontece.

117742 - ch3481 - 29/Fev/2012 07:32
Li o release da POMO3/4, que foi muuito bem em 2011, e extraí, de cara, o texto abaixo


"3. Desempenho do Setor de Ônibus no Brasil
A produção brasileira foi recorde em 2011, totalizando 35.989 unidades, 7,8% superior
às 33.395 unidades produzidas em 2010"

LL crescendo
ROE de 36%
EBITDA 16,5% superior 2010
Receita líquida crescimento tb

Por aqui já se deduz com certeza (essas certeza é que matam...rs.rs.rs)

resultado das SGAS vem (tomara..) auspiciosos

117718 - paulo_prof - 28/Fev/2012 23:50
POMO4


Múltiplos relatiovos aos últimos 12 meses:
PREÇO R$ 8,60
PAYOUT (2011) 48,4%
P/L 11,19
P/VPA 3,30
PSR 1,14
DY 4,33%
EV/EBITDA 9,52
MARGEM BRUTA 22,0%
MARGEM OPERACIONAL 14,7%
MARGEM LÍQUIDA 10,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,769
MARGEM EBITDA 13,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 128,0%
ROE 29,53%
LIQUIDEZ CORRENTE 1,74

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA 15,72%
U2A 58,53%
U3A 36,66%

b) do patrimônio líquido médio
UA 18,14%
U2A 20,61%
U3A 16,70%

Excelente o resultado do 4T11; anualizando
P/L = 8,50
DY = 5,69%


ROE = 38,9%


117503 - ghfranco - 28/Fev/2012 11:21
citação: rodrigosetPOMO4 maravilha de resultado

Lucro absurdo no 4 tri...
tem algo não recorrente?

Se o resultado vem do EBIT/operacional, só não será recorrente se as vendas caírem, ou estou errado? A perspectiva interna não parece arrefecer.


Eu trabalho numa empresa de trânsito e o sistema BRT (faixa central exclusiva para ônibus), está vindo para ficar no Brasil. Há planejamento dos municípios para a adaptação necessária para receber os estrangeiros para Copa do Mundo. Para se ter uma ideia, aqui em POA cogitou-se a implantação de metrô (o que é caro para caramba), ou seja, dinheiro para investimento tem e está sendo investido.

Citações do Release:
"Receita Líquida
A Receita líquida consolidada alcançou R$ 948,7 milhões no 4T11, 12,4% superior aos R$ 844,2 milhões contabilizados no 4T10, explicado principalmente pelo aumento de 6,9% no volume vendido (5,1% no Brasil) e pela taxa média do câmbio mais alta no
6
período. No mercado interno, a receita atingiu R$ 706,2 milhões, ou 74,4% do total, e no mercado externo a receita somou R$ 242,5 milhões, ou 25,6% do consolidado."

"PERSPECTIVAS
O mercado de atuação da Marcopolo apresenta perspectivas positivas em boa parte dos países em que a Companhia opera. No Brasil, que atualmente representa mais de 70,0% da receita total da Marcopolo, os fundamentos da economia permitem assegurar a evolução do PIB, ainda que não seja possível identificar com clareza os desdobramentos e impactos da crise na Zona do Euro.
A demanda por ônibus no Brasil deve continuar aquecida nos próximos anos. Os investimentos em infra-estrutura urbana, com vistas a melhorar as condições de mobilidade urbana da população, vêm impulsionando a renovação da frota brasileira de ônibus, bem como a implementação de novas soluções para o transporte público. Os eventos esportivos que o país sediará, dentre os quais a Copa das Confederações de 2013, a Copa do Mundo de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, são os principais fomentadores destes investimentos.
Em 2012, os fatores que devem sustentar a demanda por ônibus nos níveis atuais são: as eleições municipais de outubro (fato que geralmente gera renovação da frota urbana de ônibus), o início das entregas dos ônibus BRT’s, o leilão das concessões das linhas interestaduais e internacionais, programados pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) para ocorrer em meados deste ano e o programa “Caminho da Escola”, do Governo Federal, cujo leilão de 2011 foi prorrogado até julho de 2012. Deste modo, a despeito das antecipações de compras realizadas em 2011, em decorrência da entrada em vigor das normas de emissão Proconve-7 (equivalente ao EURO 5), o cenário ainda é favorável para o setor de carrocerias de ônibus no país."


117469 - small caps - 28/Fev/2012 08:43
citação: small capsEmpresa superior na prática...


Merece múltiplos superiores:
http://ri.marcopolo.com.br/ptb/1835/Release4T11.pdf

Acionista há uns 6/7 anos, se não mais...

Este é o melhor jogo para ser praticado no mercado de ações:

"GERAÇÃO DE CAIXA


No 4T11, as atividades operacionais geraram recursos da ordem de R$ 129,8 milhões. As atividades de investimentos demandaram R$ 11,6 milhões, enquanto que as atividades de financiamento geraram R$ 29,3 milhões. Como resultado, o saldo inicial de caixa de R$ 814,6 milhões, acrescido de R$ 0,8 milhão de variação cambial sobre o caixa, aumentou para R$ 904,3 milhões ao final de dezembro de 2011."

São Paulo,10 de novembro de 2011 Resultados do 3T11
MARCOPOLO COMPRA
(POMO4) PREÇO-ALVO: R$10,00

Destaques da Teleconferência: Resultados Sólidos do 3T11; Expectativa de Estabilidade da Produção em 2012
Daniel Gewehr Bruno Giardino, CFA

Conclusão: Esperamos uma reação neutra à teleconferência de divulgação de resultados do 3T11 da Marcopolo. Apesar dos sólidos resultados já esperados (a teleconferência expressou uma perspectiva positiva no longo prazo), a valorização de 15,5% registrada pelas ações nos últimos 30 dias provavelmente irá limitar uma alta ainda maior, em nossa opinião.

Notícia/Análise: No dia 7 de novembro, após o fechamento do mercado, a Marcopolo anunciou sólidos resultados do 3T11, os quais ficaram em linha com nossas estimativas e com crescimento A/A em todos os aspectos. A margem EBITDA de 14,3% ficou 120 pontos-base acima da nossa estimativa, com uma alta de 210 pontos-base A/A, em função da melhoria no mix de vendas, maior lucratividade das exportações (devido à valorização do real), e redução nas despesas operacionais. No dia 9 de novembro, a administração sediou uma teleconferência para discutir os resultados.

Perspectiva para 2012: A administração espera que o volume de produção se equipare ao de 2011, com crescimento da receita de aproximadamente 5% e margens equivalentes (Ônibus BRT compensam a queda nas margens de Urbanos). A administração não espera uma redução da produção no 1T12. (Até o momento, a carteira de pedidos está completa até janeiro de 2012, garantindo bons resultados no 4T11). O 2T12 pode trazer alguma redução na produção (podem ocorrer férias coletivas), compensada pelo programa de ônibus escolar urbano.

Guidance de 2011 reiterado: R$3,25 bilhões em 2011 (guidance de 2012 deve ser divulgado em dezembro), com uma faixa de margem EBITDA no longo prazo de 12-14% reiterada. Tendências do mercado: (a) para 2012, o início das vendas do BRT (Bus Rapid Transit, que pode custar até 3 vezes mais que o ônibus urbano simples) é esperado em 10 capitais; como é (b) o processo de licitação para linhas interestaduais; (c) o Programa de Sustentação do Investimento - PSI (subsidiado pelo BNDES), válido até dezembro de 2012, pode apoiar a iniciativa. A administração está trabalhando pelo FINAME Verde (para a nova Linha Euro 5); (d) a administração mencionou ser possível a aprovação do Programa de Ônibus Escolar Urbano, similar ao já existente no interior (para o qual a Marcopolo produziu 2.500 unidades em 2011), levando a vendas em 2013.
Operações internacionais. (a) China: A Marcopolo concluiu recentemente a construção de uma fábrica de 30.000 metros quadrados com capacidade de produção de 3.000/ano. Para 2012, a administração espera produzir cerca de 250 unidades na fábrica, potencialmente atingindo 3.000 unidades em 2016 (se a meta for atingida, a Marcopolo afirma que irá construir uma fábrica na Rússia; (b) Índia: diversificando a carteira de produtos (lançando produtos de maior valor agregado); (c) Egito: aumento gradual; (d) México: aumento nas vendas esperado para 2012; (e) Colômbia: pequeno crescimento para 2012; (f) Argentina: bom mercado.


Por Tetzner
·  PERFIL DA EMPRESA:
- A Marcopolo, sediada em Caxias do Sul, Rio Grande do Sul, é uma sociedade anônima de capital aberto que tem por objetivo a fabricação de carrocerias para ônibus e componentes. Em seu ramo de atividade é líder no mercado brasileiro e uma das maiores fabricantes mundiais. Constituída em 6 de agosto de 1949, a empresa completará neste ano seu 57º aniversário de ininterruptas atividades. Até o final de dezembro de 2005 fabricou cerca de 160 mil unidades, as quais rodam no Brasil e em mais de oitenta países. A atual capacidade de produção é de 110 ônibus/dia e, no final do exercício contava com um quadro funcional composto de 10.959 colaboradores. No exercício de 2005, a Marcopolo participou com 42,8% da produção brasileira e entre 6,0% e 7,0% da produção mundial. A linha de produtos - a mais diversificada do mercado - abrange os modelos URGRYLiULRV com as marcas: Paradiso, Viaggio e Andare; os XUEDQRV Ideale, Viale e Torino; os PLFURV Sênior e 0LQLV Fratello e Viccino e a IDPtOLD 9RODUH  constituída de diversos modelos de veículos, comercializados completos - chassi e carroceria - cada produto é projetado e desenvolvido internamente de acordo com as necessidades próprias de nichos específicos de mercado.       

Período Analisado: 3T11 -  3o Trimestre de 2.011  ( Julho/Agosto/Setembro )


PAINEL DE INDICADORES
09/11/11





SELIC
11,50%
Ativo
R$
PL
VP
GR
DY
LA
Dv
Ml
EB
MS
POMO4
    8,08
12,3
3,62
44,6
4,3%
8,1%
1,4
8%
8,1%
-17,0%

·  PONTOS POSITIVOS:
- Patrimônio Líquido  1.074,5 M  +7,5% x 2T11
- Receita operacional líquida 888M + 15,7% x 2T11 com destaque para o crescimento acentuado das Receitas no Brasil e redução da Receitas de exportações e no exterior
- Lucro Bruto 195M +24%  x 2T11
- EBITDA 127M +31% x 2T11
- Lucro Líquido 78M +2,6% x 2T11   ?!?!?!
- Retorno s/ Capital Investido (ROIC)  23%  aumento de 2 p.p ( +10% ) em relação ao 2T11
- Margem Bruta  21,9%     +1,4 p.p. ( +7% ) em relação ao 2T11

- Margem EBITDA   14,3%   +1,7p.p. ( +13,4% ) em relação ao 2T11

·  PONTOS NEGATIVOS
- Retorno s/ o Patrim. Líquido (ROE)  34,1%  uma queda de 0,7 p.p. x 2T11  ( daí o motivo dos meus ?!?!?!  acima )
- Margem Líquida  8,8%  -1,1p.p.   - 11% x 2T11
- O resultado financeiro líquido do 3T11 foi negativo em R$ 2,5 milhões ante R$ 20,6 milhões positivos no 3T10. O menor resultado é em grande parte explicado pelas despesas resultantes da variação cambial vinculada às exportações, conforme já explicado no item “Resultado Bruto e Margens”.

 
·  VISÃO ESTRATÉGICA
-   O bom desempenho da Marcopolo nos primeiros nove meses de 2011, aliado aos pedidos em carteira já fechados para o restante do ano, asseguram que as expectativas de desempenho para o ano deverão ser atingidas.
  Cabe ressaltar que os resultados obtidos pela Marcopolo nos últimos anos são fruto de decisões estratégicas que se mostraram corretas e de um programa de investimentos no montante R$ 330 milhões aplicados em modernização dos equipamentos industriais, no aumento da capacidade instalada e em treinamento e qualificação da mão de obra.
  No 4T11, a produção segue acelerada, com grande participação de produtos de alto valor agregado. Existem razões para acreditar que o próximo ano também será positivo para o setor no Brasil. Mesmo com a antecipação de compras pela implementação das normas de emissão Proconve-7 (equivalente ao EURO 5), existem outros fatores que deverão manter a demanda elevada, tais como:
 - Eleições Municipais em 2012, fato que gera renovação de frota de ônibus urbanos;
 - Início das aquisições dos ônibus para as linhas de BRTs;
 - O leilão das concessões das linhas interestaduais e internacionais, promovido pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT).
 - Ampliação do Programa “Caminho da Escola” do Governo Federal;  
 - Possibilidade de lançamento pelo BNDES da nova linha de financiamento denominada “Finame Verde”;
 - Eventos esportivos no Brasil (Copa das Confederações em 2013, Copa do Mundo em 2014, Copa América em 2015 e Olimpíadas em 2016) que já demandam investimentos para a melhoria e renovação do transporte público;
 - Crescimento esperado do PIB e aumento do nível de emprego.

·  CURIOSIDADES
- No dia 13 de setembro, a Marcopolo assinou acordo para a constituição de uma joint venture comercial, na Rússia, com o Grupo OJSC KAMAZ, cujo objetivo será a venda de ônibus completos com carroceria Marcopolo e chassi KAMAZ. A joint venture planeja iniciar suas atividades em 2012, quando estima comercializar 250 unidades, podendo atingir, em 2016, volume de 3.000 unidades anuais.             

·  OPINIÃO DO ANALISTA
- Engraçado esse balanço, fiquei com a impressão de que venceu mas não convenceu. Acho até que este é o antagônico do anterior; aqui tudo parace lindo maravilhoso, tudo subindo... mas, sempre tem o mas, mas o lucro apesar de ter subido não foi na mesma proporção que a empresa faturou e as margens estão cada vez menores. Interessante notar que esse estreitamento de margens é histórico já e olhando os indicadores da empresa, acredito que o preço não esteja atrativo.




101138 - paulo_prof - 07/Nov/2011 23:12
Na minha avaliação, a POMO4 "vale" no máximo uns R$ 8,25. Mas vai saber quanto o mercado está disposto a pagar?

101085 - paulo_prof - 07/Nov/2011 19:16
POMO4
Resultados dos 9M11 relativamente aos 9M10;

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +14,1%
RESULTADO BRUTO +9,9%
RESULTADO FINANCEIRO (POSITIVO) -14,7%
RESULTADO OPERACIONAL +4,3%
RESULTADO LÍQUIDO +7,6%
EBITDA +7,7%

O PatLiq ao final do 3T11 cresceu 16,8% em relação aquele ao final do 3T10.

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses:
PREÇO: 7,87
PAYOUT: 51,3%

P/L      11,23
P/VPA            3,27
PSR     1,08
DY      4,57%
EV/EBITDA  9,90
MARGEM BRUTA  20,8%
MARGEM OPERACIONAL          14,0%
MARGEM LÍQUIDA          9,6%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 0,701
MARGEM EBITDA 12,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       141,0%
ROE    29,11%
LIQUIDEZ CORRENTE     1,63

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      12,87%          
U2A    56,56%          
U3A    35,79%          

b) do patrimônio líquido médio
UA      20,19%
U2A    18,44%
U3A    16,10%

Taxa anual média real de crescimento do lucro líquido nos próximos 3 anos para que o preço justo da POMO4 seja 50% maior do que o preço atual, supondo uma taxa anual real de desconto de 10% e uma perpetuidade real de 0%: +20,5%


Análise Coin Valores
A Marcopolo S.A., líder de mercado no Brasil, é uma das principais empresas do mundo dedicadas ao desenvolvimento de soluções para o transporte coletivo de passageiros. A Companhia, que completou 61 anos em 2010, destaca-se pelas idéias inovadoras aliadas à tecnologia de ponta, que tem como resultado uma linha diversificada para atender às necessidades específicas de cada mercado, nacional ou internacional. Fundada em Caxias do Sul, possui operações na África do Sul, Argentina, Brasil, China, Colômbia, Egito, Índia e México. A Marcopolo é uma empresa de capital aberto, com ações negociadas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) desde 1978, e em 2002, foi a primeira companhia industrial a aderir ao Nível 2 de Governança Corporativa da Bovespa.

RETROSPECTIVA 2010
Em 2010, a indústria de carrocerias de ônibus vivenciou um ano de retomada, após a retração do mercado em 2009. Esta retomada, sustentada principalmente pelo mercado interno brasileiro, possibilitou à Marcopolo operar durante o ano todo com a carteira de pedidos cheia e com nível elevado de utilização da capacidade instalada. Mesmo com a forte demanda, a Companhia procurou otimizar sua eficiência operacional, racionalizando gastos e reduzindo custos, buscando maximizar o retorno aos seus acionistas. É importante destacar o engajamento dos colaboradores da Marcopolo, que não mediram esforços para manter o mercado abastecido. Isso tudo possibilitou à Companhia obter resultados recordes em 2010.

PERSPECTIVA 2011
O cenário para 2011 continua favorável para o setor de ônibus. Os pedidos em carteira para o 1T11 indicam um início de ano aquecido. As melhores condições de financiamento oferecidas pelo BNDES através da linha FINAME-PSI, válida até março de 2011, com possibilidade de entrega posterior em até 180 dias, vem sustentando a renovação da frota. Além disso, a entrada em vigor a partir de 2012 dos motores EURO-5, que encarecerá o preço final do produto, trará antecipação de compras por parte dos empresários do transporte coletivo. E ainda, a Marcopolo lançará os dois modelos faltantes de ônibus rodoviários da Geração 7 (DD e LD), completando a linha de produtos existentes na geração anterior. O leilão das concessões das linhas interestaduais e internacionais, programados pela Agência Nacional de Transportes
Terrestres (ANTT) para ocorrer em meados de 2011, também resultará em aceleração  da renovação da frota brasileira de ônibus rodoviários. No exterior, os destaques ficarão por conta da recuperação do mercado mexicano, da maturação das unidades da Índia e do Egito, e da continuidade do bom desempenho das unidades da Argentina e da Colômbia.
ém já definiu ... um relógio!


54139 - rodrigoset - 08/Nov/2010 22:18
Marcopolo: resultados excelentes
Randon: resultados excelentes
Amanhã é dia de compra nas duas!!


essa é a vantagem de ter uma parte do money na poupança!! É tiro certo!!


41355 - paulo_prof - 11/Ago/2010 00:43
citação: ZOTTI
Paulo prof.
Marcopolo foi a primeira ação que comprei, e com estes indicadores até pensei em voltar. Mas lendo o relatório percebi que teve 14,4 mi de lucro não recorrente de ação judicial e 23,9 mi de lucro financeiro. Sei que para retirar esses 38,3 mi do resultado final da empresa(LL) não é só fazer 79,1(LL)- 38,1, mas não sei como faz.
Paulo prof se puder explicar como se faz a retirada correta deste valor no resultado final ficaria agredecido.(sei que é básico mas não sei fazer, hehehehe).
Sei que toda empresa tem o resultado financeiro no balanço mas neste caso acho que o impacto final foi muito grande, sabemos que não podemos contar sempre com ele.
Se puder calcular os indicadores da empresa somente com o lucro operacional(chão de fábrica), somados a somente 20% do lucro financeiro que ela teve neste trimestre como ficariam anualizados?
Acho que o P/L do 02t anualizado que está na faixa dos 7 com isso vai pra faixa dos 9.
Muito obrigado

Além do lucro não recorrente e do resultado finaceiro, houve, também, um ganho com impostos diferidos. Numa situação normal, em empresas onde não há participações estatutárias e/ou acionistas não controladores, o lucro líquido é 66% do Resultado Operacional. Para um resultado operacional de 116 - 38 milhões, então, o lucro seria de aprox. R$ 50 milhões.

Resultado Bruto = 153 mil
Despesas Vendas = (48 mil)
Despesas Gerais/Adm = (30 mil)

Resultado "chão de fábrica" 76 mil
Resultado financeiro = 0,2*24 mil = 5 mil

Resultado Operacional = 81 mil
Lucro Líquido = 0,66*81 mil = 53 mil



Para um preço de R$ 9,90 e lucro de 53 mil anualizado, o P/L seria 10,5.


41235 - polycrav - 10/Ago/2010 10:17
A Marcopolo divulgou ontem após o fechamento do mercado os resultados do 2º trimestre. Embora o EBTIDA tenha sido menor do que o esperado, devido a despesas mais altas do que o esperado, a receita da companhia apresentou mais uma vez a forte demanda oriunda do mercado doméstico, compensando o tímido desempenho fora do país (com exceção de Índia).

O lucro líquido foi positivamente afetado por uma reversão de perdas fiscais e atingiu R$ 79 milhões. Considerando o ajuste deste evento não-recorrente, o lucro líquido foi de R$ 65 milhões, superior às nossas estimativas de R$ 50 milhões.

No mercado doméstico, tanto volume quanto preços vieram acima das expectativas. Além disso, a participação de mercado da empresa cresceu para 45%. No mercado internacional, no entanto, a performance desapontou (com exceção da Índia) uma vez que a receita ficou 16,7% abaixo do esperado.

Do lado negativo, o destaque ficou para as despesas com vendas que como percentual da receita atingiu 6,6% no 2º trimestre e foram responsáveis pelo menor EBTIDA.



A empresa revisou as estimativas para 2010, de forma que agora espera que a receita líquida atinja R$ 2,8 bilhões no ano (ante estimativa de R$ 2,55 bilhões). No que se refere à produção, a empresa espera atingir 26.500 unidades (anterior 24.700) das quais 17.000 unidades produzidas no Brasil e 9.500 no exterior.


41220 - ZOTTI - 10/Ago/2010 06:52
Marcopolo foi a primeira ação que comprei, e com estes indicadores até pensei em voltar. Mas lendo o relatório percebi que teve 14,4 mi de lucro não recorrente de ação judicial e 23,9 mi de lucro financeiro. Sei que para retirar esses 38,3 mi do resultado final da empresa(LL) não é só fazer 79,1(LL)- 38,1, mas não sei como faz.
Paulo prof se puder explicar como se faz a retirada correta deste valor no resultado final ficaria agredecido.(sei que é básico mas não sei fazer, hehehehe).
Sei que toda empresa tem o resultado financeiro no balanço mas neste caso acho que o impacto final foi muito grande, sabemos que não podemos contar sempre com ele.
Se puder calcular os indicadores da empresa somente com o lucro operacional(chão de fábrica), somados a somente 20% do lucro financeiro que ela teve neste trimestre como ficariam anualizados?
Acho que o P/L do 02t anualizado que está na faixa dos 7 com isso vai pra faixa dos 9.


Muito obrigado

41187 - paulo_prof - 09/Ago/2010 20:16
citação: small capsIlustres,
A Marcopolo acaba de divulgar mais um belo balanço:http://mrm.comunique-se.com.br/arq/134/arq_134_41061.pdf


No setor industrial, uma das que mais tem se destacado...
Sem dúvida, um belo resultado. O P/L anualizado do 2T10 é 6,80!

Os multiplos da POMO4, baseados no 1S10 anualizado e para o preço R$ 9,60, são:
P/L 7,26
P/VPA 2,49
PSR 0,76
DY 7,24%
EV/EBTIDA 6,50
MARGEM BRUTA 22,5%
MARGEM OPERACIONAL 15,8%
MARGEM LÍQUIDA 10,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,322
MARGEM EBITDA 15,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 133,1%
ROE 34,26%


LIQUIDEZ CORRENTE 2,02

28874 - paulo_prof - 25/Fev/2010 09:59
Os resultados do 4T09 da MarcoPolo vieram para "salvar" o exercício de 2009. O lucro líquido do trimestre (R$ 63 milhões) quase igualou o lucro líquido dos 9 meses anteriores (R$ 73 milhões).
Na base anualizada, os multiplicadors do 4T09 são:
P/L = 7; PSR = 0,72; DY = 7,5%; ROE = 34,9%¨; margem bruta = 21,3%; margem líquida = 10,2%
Os indicadores baseados no exercício de 2009 são bem mais modestos:
P/VPA = 2,44; P/L = 12,9; PSR = 0,86; DY = 4,1%; ROE = 18,9%¨; margem bruta = 19,2%; margem líquida = 6,6%
Ativo razoavelmente precificado relativo ao exercício de 2009. Se o 4T09 puder ser repetido, estaria barato.

28872 - Cadu_28 - 25/Fev/2010 09:55
Marcopolo lucra mais em 2009, mas perde receita líquida
Por: Naiara Thaísa I. Bertão
25/02/10 - 07h55
InfoMoney
SÃO PAULO – Enquanto o lucro líquido da Marcopolo (POMO4) cresceu 1,6% entre 2008 e 2009, a empresa teve diminuição da ordem de 18,7% em sua receita líquida. O patrimônio líquido da fabricante de peças automotivas, especialmente para ônibus, também aumentou no período totalizando R$ 724 milhões.
Em relatório divulgado nesta quinta-feira (25), a empresa reportou ganhos líquidos de R$ 136,5 milhões em todo o ano passado, ante R$ 134,4 milhões vistos no ano anterior. Consequentemente, a Marcopolo também teve melhora em seu lucro por ação, que passou de R$ 0,603 (2008), para R$ 0,610 (2009).
Desaceleração
Por outro lado, sua receita líquida caiu entre os dois períodos, ao totalizar R$ 2,057 bilhões no ano passado, resultado inferior aos R$ 2,532 bilhões somados em 2008. A desaceleração foi vista tanto no mercado brasileiro (R$ 1,408 bilhão de receita em 2009) quanto no mercado internacional (R$ 649,5 milhões em 2009).
Também foi vista diminuição no Ebitda (geração operacional de caixa) da companhia entre os dois anos. Enquanto em 2008 a empresa totalizou R$ 273,5 milhões, no ano seguinte o Ebitda ficou em R$ 184,7 milhões. O Ebtida ajustado caiu de R$ 214,2 milhões para R$ 208,4 milhões, na mesma base de comparação.



20351 - small caps - 11/Nov/2009 11:13
citação: IorremarCaros Small e Prof. Paulo
Gostaria que vcs comentassem o resultado da Marcopolo (POMO), parece que veio bom, igualando ao acumulado do 3º tri de 2008.
Abraço.
Iorremar, o menor resultado operacional foi compensado pelo muito melhor resultado financeiro. (queda do dólar).
De qualquer sorte, a empresa suportou de forma extraordinária a queda do volume de vendas de ônibus no mundo todo. Não fosse a nova operação na Índia, a queda ficaria ainda mais evidente no balanço.
Até mesmo a MWET4 já voltou a equilibrar as contas...

7388 - Capa_Preta - 18/Jun/2009 20:18
Eu nao opero noticias bem entao peco ajuda aos camaradas.
Eh bom, ruim ou nem um nem outro?
citação: Portal EXAME - | 18.06.2009 | 15h24
http://portalexame.abril.com.br/negocios/marcopolo-estuda-comprar-sua-maior-riv al-brasil-478251.html
Marcopolo estuda comprar sua maior rival no Brasil
Fabricante gaúcha de ônibus já foi procurada pelo BNDES para comprar a Busscar
Com presença em 80 países e vendas de 2,4 bilhões de reais em 2008, a fabricante de ônibus gaúcha Marcopolo quer ampliar sua participação no mercado brasileiro. Segundo relatório distribuído pela corretora Ativa, a empresa já admite que pretende comprar a Busscar, sua maior concorrente no segmento de ônibus rodoviários e que enfrenta dificuldades financeiras.
A Marcopolo informou que já foi procurada pelo BNDES, que levantou a possibilidade da compra. Segundo a empresa, a Busscar estaria interessada no negócio. “Queremos fazer parte da solução para a Busscar”, declarou a Marcopolo, segundo o relatório.


No Brasil, a Marcopolo afirma que o segmento de ônibus urbanos está estável, com a produção voltando aos patamares de 2008. “Com alguns eventos de curto prazo, como o financiamento de 1 bilhão de reais que o Ministério das Cidades irá disponibilizar, haverá renovação da frota. Em fevereiro, o governo federal, dando segmento ao projeto caminhos da escola, realizou pregão, no qual a Marcopolo ganhou a licitação.”

5530 - paulorizzi - 13/Mai/2009 00:21
Apesar de uma receita Líquida 2,5 maior do que aquela do 1T08, a Marco Polo apresentou um lucro 29% menor. Em relação ao lucro líquido trimestral médio de 2008, a queda foi de 40%.
A título de comparação, RAPT teve uma queda de 23% na Receita Líquida relativamente ao 1T08, uma queda de 50% no lucro líquido relativo ao mesmo trimestre, e uma queda de 54% no lucro relativo à média trimestral de 2008.
FRAS, MYPK e AVIL tiveram resultados piores do que RAPT, até que os resultados de POMO são bastante razoáveis.


Se o mercado tratar POMO como tratou as outras, o ativo deverá valorizar ... mas eu não ponho a minha mão no fogo!



2806 - padrinho - 23/Mar/2009 22:33
Me parece que momentaneamente POMO4 já deu o que tinha que dar visto a grande esticada que tivemos nas últimas semanas. Vai provavelmente sofrer uma correção antes de seguir seu rumo ao valor justo da empresa. Os possíveis dividendos a serem pagos (7 milhões R$)ficariam imensamente pulverizados no número total de ações isso se mudarem o estatuto como o paulorizzi falou.



2800 - paulorizzi - 23/Mar/2009 21:14
"Não é bem isto ... Caso o Conselho de Administração desejasse, após retirar os 5% da reserva legal poderia destinar 100% do resto (menos eventuais lucros devidos a incentivos) ao pagamento de dividendos. De acordo com o atual estatuto, após retirarem os 5% da reserva legal, após terem distribuído juros que representam 35% do lucro líquido (na conta deles) e após terem destinado o máximo que o estatuto permite para as outras reservas, ainda sobraram R$ 7,7 milhões. Em dezembro, haviam decidido que iriam propor distribuir esta sobra como dividendos. Depois a crise apertou ... e eles decidiram dar um jeito de não pagar. Para isto, terão que mudar o estatuto (acho meio questionável mudar o estatuto e aplicá-lo retroativamente). Moral da história: nós é que ficamos sem uns 3,6 centavos por ação. Nada para perder o sono."



2415 - padrinho - 12/Mar/2009 22:15
"A família Bellini não pensa, na atual situação da empresa e do mercado em que a Marcopolo está situada, em venda e POMO3 ás vezes é negociada 4 ou 5 vezes num mesmo pregão. Até mesmo POMO4 dá, conforme o dia, um trabalhão para se ver livre (50, 70 ou 100 negócios em um dia). POMO3 é sacrifício demais.... e a diferença de valor vale a diferença no Tag Along. Aquisição tem sido a temática da empresa conforme comunicados passados."

2414 - small caps - 12/Mar/2009 22:09
"citação: padrinhocitação: ACPOLIVEIRASmall,"
tenho sido um leitor assíduo deste blog nos últimos meses e tenho aprendido muito - assim espero - que até me senti a vontade para postar uma mensagem.
"Qual vc me sugere no ramo da indústria - POMO3, MYPK3 ou RAPT4 (já tenho uma posição pequena em FRAS4). Todas me parecem convidativas."
"Um abraço,"
POMO4 vai melhoir que a POMO3 pela liquidez e pada dividenos iguais. Logo...
"padrinho, a resposta depende muito do prazo do investimento. Para o curto prazo, acredito que quem vai sofrer menos com a queda de receita e conseguirá manter os lucros mais próximos é a POMO4. Ela tem exposição global e o produto que faz não é ""de luxo"". É transporte de massa e as pessoas não vão deixar de se locomover. Além disso, este ano entrega um grande lote para um projeto do governo de ônibus escolar, se não me engano, e estará ampliando a produção em outras partes do mundo."


"Beneficia-se fortemente da alta do dólar, o que não aparece ainda integralmente no resultado do último trimestre por fazer ""proteção"" das vendas na moeda estrangeira."

2413 - danieljoseaa - 12/Mar/2009 22:09 
POMO4 vai melhor que a POMO3 pela liquidez e paga dividendos iguais. Logo...
"Pomo3 tem uma vantagem que é o tag along de 100%, quando comparado aos 80% da pomo4."
"Acredito que já que os dividendos são iguais, a liquidez de pomo4 é maior e otag along da pomo3 é maior, o melhor seja comprar a que no momento estiver mais barata, com os preços iguais daria preferência a pomo3."

2229 - paulorizzi - 09/Mar/2009 01:26 
"a) A disponibilidade (caixa + aplicações financeiras) da empresa é enorme (R$ 434 milhões), de modo que a dívida líquida é de R$ 746 milhões (109% do patrimônio líquido);"
"b) metade desta dívida líquida é do banco Moneo (pertencente à empresa, para prover os financiamentos de longo prazo aos seus clientes). O passivo financeiro do Banco Moneo tem como contrapartida a conta de “Clientes” no Ativo do Banco. O risco de crédito está devidamente provisionado segundo as normas do Banco Central. Por se tratar de repasse da FINAME, cada pagamento do BNDES tem exata contrapartida na conta de recebíveis de clientes do Banco."
"Moral da história: a dívida que realmente importa é só aquela do segmento industrial, no total líquido de R$ 382 milhões, ou seja, 56% do patrimônio líquido."


"Por outro lado, os efeitos adversos da desvalorização cambial no resultado financeiro deverão ter cessado a partir de 30 DEZ 2008. O resultado financeiro negativo de R$ 70 milhões do 2o. semestre (no 1o. semestre havia sido positivo em R$ 30 milhões), deverá ser revertertido a partir do 1T09. "

2211 - paulorizzi - 08/Mar/2009 15:31
Vc está sendo camarada com a liquidez de POMO3 ... popis é praticamente nula!


"Na 6a. feira, tendo decidido colocar uma ordem de compra a R$ 1,85, fiz uma análise da liquidez de POMO3. Verifiquei que não valeria a pena pagar o preço da falta de liquidez para ter aquele acréscimo de 20% no tag along (desde o início do ano somente uma vez mais de 10 mil ações trocaram de mãos! POMO4 raramente negocia menos de 150 mil). Coloquei a ordem, então, na POMO4 e nem tive que esperar muito para o negócio ser realizado. "



2210 de 5068 08/Mar/2009 14:46
"Excelente Paulo, além disso só gostaria de acrescentar que pomo3 tem tag along de 100% e pomo4 de 80%, como os preços atuais são praticamente idênticos, talvez seja mais interessante adquirir pomo3, apesar de sua menor liquidez."

2209 - paulorizzi - 09/Mar/2009 01:17
"A minha avaliação da Marco Polo é bastante positiva, tanto é que decepcionado com a ""sacanagem"" da CCIM, vendi com prejuízo a pequena posição que eu tinha na empresa, e apliquei em POMO4."
"Eu havia encontrado certas dificuldades em analisar a empresa. Até o 3T08 as apresentações foram de acordo com as regras contábeis anteriores. O resultado final foi apresentado com as regras contábeis de acordo com a nova legislação. Como os resultados do 4T08 não foram apresentados explicitamente, só puderam ser compostos via a diferença entre os resultados do ano e aqueles dos 9M08. Sendo as bases diferentes, os números calculados para o 4T08 podem estar defasados com relação a realidade."
"Nestas condições, todos os resultados do 4T08 (exceto o financeiro) aparentemente foram melhores do que aqueles do 3T08:"
"Receita Bruta (+10,8%), Receita Líquida (+14,9%), Lucro Bruto (+52,7%), Despesa Líquida Financeira (+43,4%), Resultado Operacional (+42%); Lucro Líquido (+110%); EBITDA (58%)."
"Observa-se nitidamente uma melhora sensível nas margens (provavelmente devido à desvalorização do real e à diminuição dos custos das matérias primas). A participação do Mercado Externo na Receita Líquida, que era de 35,6% ao final do 1o. semestre, passou a 38,7% no final do ano, provavelmente em funcão da desvalorização do real."
"No que tange a produção física, entretanto, houve declínio no 4T08 relativamente aquela observada no 3T08:"
"Ônibus Rodoviários: Mercado Interno (+3,3%); Mercado Externo (+16,1%)"
"Ônibus Urbanos: Mercado Interno (-32,8%); Mercado Externo (-12%)"
"Micro-ônibus: Mercado Interno (+7,2%); Mercado Externo (-39,4%)"
"TOTAL: Mercado Interno (-16,5%); Marcado Externo (-6,5%)"
"Volare/Furgão: Mercado Interno (-6,5%); Mercado Externo (-8,8%)"
"No mercado nacional, o total de veículos produzidos pela indústria também declinou sensivelmente, do 3T08 para o 4T08:"
"Ônibus Rodoviários: Mercado Interno (-9,8%)"
"Ônibus Urbanos: Mercado Interno (-27,6%)"
Micro-ônibus: Mercado Interno (0%)
"TOTAL: Mercado Interno (-20,4%)"
"Observa-se que, pelo menos momentaneamente, a Marco-Polo ganhou mercado nos segmentos de ônibus rodoviários e micro-ônibus, e perdeu no segmento de ônibus urbanos. Em faturamento total, estimo que tenha ganho market share."
"Em 2009, no mercado externo (inclui exportações e veículos produzidos por coligadas no exterior), a crise pode ser amenizada pela desvalorização do real. Resta observar qual será o nível de recuperação do mercado interno. Se houver recuperação para níveis próximos aqueles de 2008, os resultados de 2009 poderão ser melhores do que aqueles de 2008, devido à melhora nas margens."
"No mais, os indicadores são bastante ""convidativos"":"
"P/L = 4,74; P/VPA = 0,93; PSR = 0,25: DY = 8,2%; ROE = 19,7%; Liquidez Corrente = 1,61; P/(CAP GIRAO/Ação) = 0,98"
"Na aparência, não parece muito boa é a relação entre a dívida bruta e o patrimônio líquido = 173%. Mas isto se deve ao fato de metade da dívida ser realmente do braço financeiro, com o BNDES, para financiamento de longo prazo a clientes. A contrapartida para esta dívida são os recebíveis dos clientes + a provisão para devedores duvidosos como preconiza a norma do BACEN."
"Por outro lado, entretanto, o valor de mercado da empresa é menor do que o seu capital de giro!!!"

765 - small caps - 04/Jan/2009 17:34
"(735) padrinho, a edição da InvestMais traz uma matéria bastante completa sobre a Marcopolo, em que fiz a análise da atratividade da empresa na seção ""coluna do Small Caps"". A revista deve estar disponível na banca e é bastante focada no pequeno investidor, analisando diversas empresas inclusive desprezadas pelos analistas."
"Há pouco estava disponível na internet, no site www.revistainvestmais.com.br"
O texto era o seguinte:
"""Marcopolo – comentário de Anderson Lueders."
"A empresa Marcopolo S.A., conforme dados do balanço do 2º. Trimestre de 2008, (último balanço disponível em 23/10/2008) alcançou receita líquida consolidada no primeiro semestre de R$ 1,07 bilhão, um incremento de 11,9% frente aos R$ 0,96 bilhões contabilizados no mesmo período de 2007. O lucro líquido do referido primeiro semestre de 2008 atingiu R$ 54,2 milhões, praticamente em linha com o resultado do mesmo período do ano passado, de R$ 53,6 milhões. A empresa tem forte presença no mercado interno e diversificação geográfica internacional das unidades produtivas."
"Com a cotação a R$ 3,80 das suas ações preferenciais, as mais líquidas, conforme último negócio realizado no pregão de 22 de outubro de 2008, o valor de mercado da companhia equivale a R$ 852 milhões – a empresa possui 224,225 milhões de ações. Seu Preço/Lucro, considerando o lucro dos últimos 12 meses encerrados em junho de 2008 atinge 6,41. O Preço/Valor Patrimonial da ação é 1,31. A empresa custa o equivalente a 0,38 vezes o faturamento líquido dos últimos 12 meses e distribuiu 8,8% a título de proventos sobre a cotação atual no mesmo período."
"A companhia possui indicadores atrativos da análise fundamentalista, próximos à média do mercado após as recentes quedas. Embora o endividamento financeiro líquido seja relativamente elevado (R$ 535 milhões), dado o novo cenário de aumento expressivo do custo de financiamento e de provável diminuição do nível de atividade empresarial em geral, não há sinais de dificuldades para quitação das obrigações, em virtude da folgada liquidez corrente e dos prazos dos vencimentos. Diante da disparada do dólar, destacável a informação verificada nas notas explicativas que acompanharam o balanço do segundo trimestre de 2008: “a Companhia e suas controladas não aplicam em derivativos ou quaisquer outros ativos de risco em caráter especulativo”"


"Considerando os dados acima, que a apreciação do dólar em relação ao real eleva as margens obtidas com as exportações, bem como a possibilidade de as vendas serem afetadas com o agravamento da crise financeira, fica a sugestão de compra das ações da Marcopolo com cautela e uma adequada diversificação da carteira de ações."""

small caps


"danieljoseaa, POMO4 é mais uma das tantas opções no momento. Na cotação atual paga proporcionalmente bons dividendos e tem uma planta geográfica bem diversificada. Deve sofrer junto com uma diminuição do ritmo da economia, mas neste preços vale uma escolha."

202 - danieljoseaa - 27/Out/2008 16:00
"Small, qual sua opinião sobre pomo4? leva vantagem com o atual aumento do dolar?"

Nenhum comentário: