Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

domingo, 26 de janeiro de 2020

FIP XP Omega (XPOM)


Recomendações
Compra: fridao (2016) - ispholambra (2016) - izidoro (2016) - los_gomes (2016) - MuadibGV (2016
Carteiras
acf3025 (jan/17) - agressivo2 (jan/17) - alca41 (jan/17) - BAC 1000 (jan/16fev/16mar/16) - bommauricio (jul/17) - carlosacs40 (jan/18) -  danieljoseaa (mar/16) - dbsevero (out/15) - disc126 (set/15nov/15dez/15mai/16, jun/16, jul/16, ago/16set/16) - egerbelli (ago/17) - eurico22 (jul/16) - fridao (jul/15ago/15 , set/15fev/16, mar/16, abr/16, mai/16, jun/16, jul/16, ago/16set/16, out/16dez/17) - fvolpato (set/15) - grizzo (out/16) - ispholambra (out/15dez/15fev/16mar/16abr/16mai/16, jun/16jul/16ago/16set/16out/16, nov/16dez/16jan/17, fev/17, mar/17, abr/17mai/17jun/17jul/17ago/17, set/17, out/17nov/17,   dez/17jan/18) - izidoro (jul/15ago/15set/15out/15nov/15dez/15jan/16fev/16dez/16ago/17) - Jonathanmelo (dez/15) - Jorge Tomaz (set/17) - Los_gomes (nov/15fev/16, mar/16, abr/16, mai/16, jun/16jul/16, ago/16set/16, out/16jul/17) - majot (jul/17) - maureli (jul/17) - Minkowski (nov/16) - monedsan (set/15mar/16) - montoro666 (jul/17) - muadibgv (set/15fev/16jul/19, jan/20) - nelsonnpires (set/15fev/16mar/16abr/16, mai/16, jun/16jul/16) - Otimo de Pareto (mai/16) - paulo_prof (mai/17, jun/17jul/17, ago/17, set/17out/17jun/18, mai/19, jun/19, jul/19) - pedrosousa (set/16jul/17) - PLinvestimentos (abr/17) - pocunha (jan/18) - rafnob (mai/16nov/16) - Ronimendes (nov/15dez/15jan/16) - small caps (dez/16) - SS2010 (jul/17ago/17) - Tnl (nov/15dez/15jan/16fev/16mar/16, abr/16, mai/16, jun/16jul/16) - toro loko (jul/19) - uqaz (out/15jan/17) - xakal (ago/17, set/17, out/17nov/17) - zaiss (set/16, out/16) - ZOTTI (fev/16) - WK2007 (ago/15)
Balanços

Características

Links

Meu palpite é que sobe até a reforma ser aprovada, depois cai no fato (da aprovação). Comprei apenas euro e xpom , vendi dirr3. Exuberância das construtoras inexplicável.
MuadibGV,
Também estou pensando em aumentar posição em XPOM (por falta de opção), mas confesso que não consegui estudá-la direito no momento e estou meio receoso.

Se vc ou mais alguém aqui (ispholambra ?? fridao ?? nelsonpires ?? prof paulo ?? ) puder opinar/comentar sobre, eu agradeço.

Tenho hoje aproximadamente 4,5 % de XPOM na minha carteira total.

Toro,

Eu nao tenho mais XPOM11 em carteira, mas ainda acompanho o ativo de perto visando uma oportunidade de reentrada...
Para o curto prazo as perspectivas nao sao muito animadoras para o XPOM11 e eu acho que esse seja o principal motivo das cotacoes do ativo nao terem andado, num momento em que quase todo o mercado esta subindo e euforico com a provavel aprovacao da reforma da previdencia.
Como ja mencionado muitas vezes por aqui, XPOM11 e um FIPie, que adquiriu acoes preferenciais, com direito prioritario aos dividendos, da Asteri, que por sua vez possui participacao em dois ativos de geracao, PCH PIPOCA e CGE GARGAU, sendo que na PCH a participacao e de 51% e na Eolica e de 100%.
A performance atual dos ativos nao esta muito boa... a PCH que ja sofreu demais com a falta de chuvas na regiao aonde esta instalada, vinha tendo uma recuperacao forte da sua capacidade de geracao, mas ja entrou novamente num momento de geracao declinante, que podera melhorar de novo caso o proximo periodo chuvoso na sua regiao seja bom.
A eolica, que esta instalada no estado do Rio de Janeiro, assim como praticamente todas as eolicas do Brasil, vem sofrendo com a falta de ventos mais fortes e constantes, o que derruba bastante a geracao, e como ela é o principal ativo, da sua boa performance depende grande parte da distribuicao dos rendimentos do XPOM11 aos seus cotistas...
Dessa forma a distribuicao de rendimentos de 2019 ja foi bastante afetada e a de 2020 vai depender muito de como sera a performance dos ativos investidos, eu acredito que ao que tudo indica essa performace vai melhorar... mas nao ha garantias disso...
Como o rendimento do XPOM11 e fixo, ou seja constitui-se de IPCA+7,5% a.a, os rendimentos nao distribuidos estao se acumulando (acruados) e esses tambem sao corrigidos por IPCA+7,5% a.a e deverao ser pagos ate 2032, que é o prazo no qual as acoes preferenciais do XPOM11 na Asteri tem prioridade total no recebimento dos rendimentos pagos pelas empresas investidas, apos 2032 as acoes detidas pelo XPOM11 perdem essa prerrogativa e terao os mesmos direitos que as demais acoes da Asteri.
Ao que tudo indica, 2032 e tempo mais que suficiente, em havendo uma recuperacao da performance dos ativos investidos, para que os cotistas recebam todo o rendimento acruado, mas nao existem garantias disso...
No momento eu estou sem capital para investir, logo mesmo que as cotacoes venham a cair ainda mais, eu nao vou conseguir aproveitar, mas eu acredito que ter um pequeno percentual de XPOM11 em carteira, nos precos atuais, vale o risco de carregamento para o longo prazo.
Obs1: Existem alguns eventos que se acontecerem, podem mudar bastante a perspectiva do fundo...
1) Alteracao do regime tributario das empresas investidas do Lucro Real para o Lucro Presumido (isso aumentaria a rentabilidade no longo prazo), mas consumiria boa parte do caixa atual com o pagamento de IR...
2) Refinanciamento das dividas das empresas investidas a mercado, o que destravaria a distribuicao dos rendimentos cotistas...
Para maiores informacoes eu indico a leitura dos relatorios mensais no site do XPOM11 no link abaixo, os relatorios tem um gap de 2 meses, como sempre foi... mas lendo eles ja da pra ter uma ideia bem mais detalhada da situacao.

Obs2: Nao estou indicando de forma alguma a compra ou a venda do ativo, nao sou analista de investimentos e nem tenho a formacao necessaria para tal...
                                                                                           ▲                                                                      ▲
O ultimo relatorio que eu li foi o de janeiro... ja saiu de fevereiro?
Eles ja divulgaram a previsao de distribuicao de 2019 no ultimo relatorio, mas ela e menor do que previam em 2018...
Pipoca vai bem... mas é Gargau que da mais $$ ao XPOM11 e ela ate janeiro nao vinha bem...
Eu zerei XPOM11... mas se der uma caidinha para 100,00 ou menos eu recompro...
O ativo e bom... o que mata sao as travas regulatorias...

360694  - SS2010   -  26 Abr 2019, 03:04
Ivan, fugindo um pouco do assunto, viu o último relatório do XPOM11? Pelo que li a geração esta bem elevada. A hidráulica esta muito acima do esperado. Já consta valores a distribuir. Confere?

360536  - fridao   -  22 Abr 2019, 00:22
XPOM11 realmente é FIP-IE...
FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA
XP OMEGA I
CNPJ/MF nº 17.709.881/0001-17
(BM&FBOVESPA: XPOM11)
VORTX DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA., instituição devidamente autorizada pela CVM para o exercício da atividade de administração de carteira de valores mobiliários, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Av. Brigadeiro Faria Lima, nº 2277, 2º andar, conjunto 202, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 22.610.500/0001-88, na qualidade de administrador, bem como a XP VISTA ASSET MANAGEMENT LTDA. (“XP Asset Management”), instituição devidamente autorizada pela CVM para o exercício da atividade de administração decarteira de valores mobiliários, com sede na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3.600, 10º andar, conjuntos 101 e 102, nacidade de São Paulo, estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 07.625.200/0001-89, na qualidade deGestora do FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA XP OMEGA I (“Fundo”), vêm pela presente informar sobre atualização do saldo de dividendos acumulados a pagar.
Com a divulgação pelo IBGE, em 10/04/2019, do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), referente ao mês de março, de 0,75%, o saldo atualizado de dividendos acumulados e não pagos, atualizado até a data de 31 de março de2019, equivale a R$ 35,20/cota.* Vale ressaltar que o saldo não considera a retenção de despesas futuras pelo fundo.
*Este valor é calculado desde 19/06/2013 até 31/03/2019, já considerando todos os pagamentos realizados. Este saldo consiste no valor ao qual os acionistas preferencialistas têm prioridade sobre a distribuição de rendimentos, sendo o mesmo corrigido por IPCA + 7,5% a.a. Sua expectativa de efetivo pagamento está condicionado à existência de lucro nas empresas investidas, bem como na existência de caixa livre para efetuar essa distribuição (ver artigo 65 do Estatuto Social), e sua cumulatividade é válida até outubro de 2032.
Sendo o que nos cumpria para o momento, ficamos à disposição para quaisquer esclarecimentos adicionais que se fizerem necessários, através dos seguintes canais:
Site: www.xpasset.com.br/xpomega
Endereço: Av. Chedid Jafet, 75 | Torre Sul, 30° andar – São Paulo - SP
E-mail: ri@xpasset.com.br
Atenciosamente,
VORTX DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS DE VALORES MOBILIÁRIOS LTDA.
e XP ASSET MANAGEMENT
São Paulo, 10 de abril de 2019

360532  - paulo_prof   -  21 Abr 2019, 15:03
O meu entendimento é que no caso de um FIP-IE, prejuízos não podem ser compensados. Algo que não é tributável não pode ser usado para eventualmente abater imposto de algo trbutável.

No caso de um FIP "comum", embora nunca tenha encontrado menção específica a respeito, quero crer que o tratamento deve ser o mesmo aquele dispensado a ações (ou seja, prejuízos podem ser compensados).

O que não entendi em sua pergunta foi:

a) Se XPOM11, na condição de FIP, não se enquadra como ISENTO ??? Como assim? Achei que XPOM sempre foi e é FIP-IE! AÇgo mudou?

b) sendo-lhe aplicado alícota de 20% sobre o lucro???? o meu entendimento é que a tributação da pessoa física em ganhos de capital em FIPs "comuns" seria 15%, e não 20%.

360535  - fridao  -  22 Abr 2019, 00:15
Professor.
A minha dúvida era se o XPOM11 se encaixava como FIP-IE...uma leve pisada no tomate...rss
Dúvida(boba) esclarecida, preciso confessar o que realmente aconteceu: certo dia do ano passado, por motivo exato que não lembro, efetuei um Day-Trade com XPOM11...pode isso, Arnaldo?
Essa operação me causou um pequeno prejú, lançado lá na nota de corretagem.
Então a questão que se coloca é: babaus pra essa grana...o erário agradece, correto?
Se por um lado o lucro é isento de IR, o prejuízo eu levarei para a eternidade.

360529  - fridao  -  21 Abr 2019, 05:50
Considerações finais de um fiel e vibrante pagador de impostos...
Caso o prof. PAULO ou o Nelson passarem por cá...ou alguem mais que entende do "riscado"...rss
Se XPOM11, na condição de FIP, não se enquadra como ISENTO, sendo-lhe aplicado alícota de 20% sobre o lucro, então, em caso de PREJUÍZOS, os mesmos podem ser compensados com lucros em FIIs?
Pelo que sei, se fosse FIP-IE ele seria isento, certo?

356431 - paulo_prof -  02 Dez 2018, 21:45  
Devo confessar que (embora a esposa tenha uma pequena exposição) não gosto do XPOM. Para começar, acho que a XP/VORTX dá ênfase demais no que pouco interessa (informação sobre o saldo de dividendos devidos sem endereçar a questão do risco destes dividendos não serem pagos na integralidade) e parece fazer questão de relevar as informações que realmente "pegam" (até o momento não divulgou o relatório de outubro).

Por outro lado, me dá a impressão de que o XPOM é como um barquinho que está no mar, ao sabor das ondas, sem qualquer controle sobre o seu destino: a Asteri depende do BNDES (e de sua burocracia) para distribuir proventos e é a Asteri (onde o XPOM é minoritário), após a aprovação do BNDES, quem decide quando e quanto pagar.

No último dia 26, o XPOM divulgou o seguinte comunicado

Citação: comunicado do XPOM
26/11/2018 12:28 FIP XP OMEGA (XPOM) - Comunicado ao Mercado / Reabertura de negocios

FIP XP OMEGA (XPOM)
Comunicado ao Mercado / Reabertura de negocios
COMUNICADO AO MERCADO

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPACOES EM INFRAESTRUTURA XP OMEGA I CNPJ/MF n 17.709.881/0001-17 VORTX DISTRIBUIDORA DE TITULOS DE VALORES MOBILIARIOS LTDA. (Administrador), instituicao devidamente autorizada pela CVM para o exercicio da atividade de administracao de carteira de valores mobiliarios, com sede na Cidade de Sao Paulo, Estado de Sao Paulo, na Av. Brigadeiro Faria Lima, n 2277, 2 andar, conjunto 202, inscrita no CNPJ/MF sob o n 22.610.500/0001-88, na qualidade de administrador do FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPACOES EM INFRAESTRUTURA XP OMEGA I - XPOM11 (Fundo), vem a publico por meio desta comunicar:

Nao havera a Distribuicao de Resultados e Amortizacoes, conforme prevista no artigo 31 do Regulamento, no ultimo dia util de novembro, em decorrencia da insuficiencia de caixa do Fundo. Referida conduta nos negocios vem sendo informada aos Cotistas nos Relatorios Gerenciais elaborados pela Gestora e divulgados no site da B3 S.A. - Brasil, Bolsa, Balcao, nos meses de agosto e setembro, os quais dispoem que os dividendos tem previsao de serem distribuidos nos meses de maio e novembro, sujeito a disponibilidade de caixa e base contabil da Asteri, que por sua vez, depende da disponibilidade de caixa e base contabil das SPEs Investidas.

Permanecemos a disposicao para maiores esclarecimentos que se facam necessarios.

Sao Paulo, 26 de novembro de 2018.

FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPACOES EM INFRAESTRUTURA XP OMEGA I, representado por seu administrador VORTX DISTRIBUIDORA DE TITULOS DE VALORES MOBILIARIOS LTDA.

Nota: Ficam reabertos, a partir das 12h30 do pregao de hoje (26/11/2018), os

negocios com as cotas de emissao desse fundo.

Os que leram o release referente ao 3T18 sabem que Gargau produziu muito menos que no 3T17 (gerou bem acima da média histórica), abaixo inclusive do que era esperado no 3T18 (média histórica). Por outro lado, Pipoca gerou bem acima do 3T17, acima inclusive do que era esperado no 3T18 (média histórica). Como o peso de Gargau é maior do que Pipoca na Asteri, os resultados do 3T foram pífios.

Mas, em 30SET2018, o caixa da Asteri era de R$ 34,5 milhões (R$ 31,2 milhões em Gargau e R$ 6,4 milhões em Pipoca). De 30SET para cá, a menos de uma super surpresa, as condições de Gargau e Pipoca devem ter "bombado" (é o período dos maiores ventos e, ao que consta, choveu acima da média). Portanto, na pior das hipoteses, o caixa deve ter permanecido o mesmo. Para que o Fundo justifique a não distribuição de proventos devido insuficiência de seu caixa é porque a Asteri não repassou os recursos.

A dívida bruta da Asteri em 30SET era de R$ 60,2 milhões. Convenhamos ... não há justificativa para manter este super caixa!

O Relatório do 3T18 informa que a Asteri solicitou autorização do BNDES para reduzir o seu capital em R$ 15 milhões, o que daria aprox. R$ 7,15 por cota, que seriam pagos em suaves prestações ... A ver!

351317 - los_gomes -  18 Jun 2018, 20:17
Video da gestão da XP sobre XPOM11 divulgado hoje...

Retomando a boa gestão.. já não era sem hora!

não consegui postar o link, disponivel no VIMEO
https://vimeo.com/274782082/344ec3de24

351294 - paulo_prof  - 17 Jun 2018, 18:22
Sim, a carteira da esposa tem uma posição modesta de xpom, mas com preço médio de R$ 105,00. Ainda há FIIs em ambas as carteiras (aprox. 15% do total) , mas já há muito que só vendo FII.
[...]

351293 - Tnl  -  17 Jun 2018, 16:02
Vc ainda mantém as suas XPOM prof, ou já rifou? E os FIIs vendeu tdo? Tem comprado FII? O q vc pensa dos fii de papel, estão num preço bom!?

351292 - paulo_prof  -  17 Jun 2018, 14:19
Via de regra, ao final de uma concessão de geração de energia eólica, o valor residual é zero. De um lado, a concessão não é renovada e, de outro, excetuando talvez a torre, os equipamentos atingem o final de sua vida útil. No caso de PCHs a política corrente é a de uma renovação de concessão (não necessariamente nas mesmas condições das concessão inicial) por um período de até (creio eu) 30 anos.

Na projeção de XP é suposto que Gargau produzirá receita até 2032 e Pipoca, até 2052. No final do período de geração de caixa, o valor residual das usinas é suposto zero.

Que eu saiba, não há informações relativas as hipóteses utilizadas relativas à geração de caixa de cada usina, nos períodos previstos.

351291  - Xito   -  17 Jun 2018, 02:42
Prezados, Alguém conseguiu esclarecer o que ocorre no vencimento dos projetos ? A TIR projetada pela XP é bastante atrativa , mas não consigo dizer se está próxima da realidade....

351290  - ispholambra -  17 Jun 2018, 02:12
Ainda nao muadib... eles estao aguardando a autorizacao do BNDES para fazer a distribuicao de lucros de Gargaú juntamente com uma reducao de capital tambem em Gargaú...
No ultimo relatorio eles preveem pagar em 2018 14,50 por cota e em 2019 17,20... como ja pagaram quase 1,00 por cota nesse ano...devem vir mais 13,50 por cota ainda...
Mas pra isso o BNDES tem de liberar a grana....
Segue o link para o relatorio...
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatorios/XPOM/XPOM%202018.04%20%E2%80%93%20Relat%C3%B3rio%20Mensal.pdf

351277  - MuadibGV - 16 Jun 2018, 09:54
Prezados,
A renda gorda do XPOM de final de maio já não deveria ter saído ?

347884  - nelsonnpires  -  07 Mar 2018, 17:52
Fridão não paga IR nem na venda nem em DT, existe Instrução Normativa da receita que trata do assunto.

Esse tema é longo e foi discutido no whats grupo xpom/esud/esut/bbvh não sei se vc faz parte dele, tendo interesse é só mandar no privado seu numero.

Mas praticamente:
Minha corretora bradesco e mirae estornam todo o dedo duro, algumas fazem isso outras não... na verdade virou uma zona...rs
Responsabilidade seria da B3 que nada faz.
Portanto se sua corretora estorna os valores morreu ai.
Caso contrario esse valor recolhido como dedo duro não origina obrigação de recolhimento de ir e ele deve ser declarado no campo.

Imposto Pago/Retido>Imposto sobre a renda na fonte (Lei 11033/2004)

Andre Bacci que deu a dica......

347882  - fridao   -  07 Mar 2018, 17:42
Consta, ou foi comentado em algum momento, que na alienação de FIPs, especificamente falando em XPOM, não há incidência de IR, confirma? Caso afirmativo, devo entender que vale tambem para daytrade, ou não?

Nesse caso, qual a fundamentaçao legal que deve ser utilizada em relação à DIRF?

346516  - ispholambra -  27 Jan 2018, 13:25
A gestao do fundo e muito ruim... estamos no fim de janeiro e ainda nao divulgaram o relatorio de novembro nem os rendimentos acumulados de de janeiro e o ipca ja foi divulgado a duas semanas...

Desse jeito nao há investidor que aguente... nos ultimos tempos so tem pipocado noticias, que verdadeiras ou apenas teorias sao extremamente ruins para os cotistas...

Rifei 50% da minha posicao...aproveitei que ainda estou com um belo lucro... PM de 75...comprei ESUT11 a 1420,00 nesse ultimo leilao... ESUT oferece aos preços atuais 25% de desconto sobre o VPA... e comprei EGIE3 tambem... ja que quero arriscar no mundo das eletricas vou arriscar com uma das empresas mais competentes do setor...

XPOM11 agora e apenas 5% da carteira... e vou vender o resto se nao houver mais clareza nas informacoes...

346381  - zentrack  -  20 Jan 2018, 11:46
Prof, Nelson e outros...
Sobre XPOM vejo que a lista de assuntos necessitando esclarecimentos só aumenta:
1) questão da PLD e seus reflexos,
2) provisionamento ou não do GFS,
3) dividendo pago à menor,
4) revisão e melhoria nos relatórios apresentados.

Sugiro um questionamento à gestora.
Quem sabe uma reunião pública para esclarecer estes pontos.

346379  - paulo_prof   -  20 Jan 2018, 02:01
O mercado foi surpreendido pelo pagamento a menor dos duvidendos de Pipoca. Talvez o fato seja devido à maiores despesas de liquidação no MRE. Poe ouyto lado, no Prospecto de OPA da Omega também consta a informação de que os valores relativos ao déficit além dos 5% de GSF não estão sendo provisionados.

De acordo com a notícia abaixo, entretanto, parece que no curtíssimo prazo não ocorrerão grandes problemas, pois o fator de ajuste no MRE previsto para janeiro deverá ficar acima dos 100%, ou seja, haverá ocorrência de energia secundária. De junho em diante é que a porca pode torcer o rabo. Além do estoque devedor em aberto (não acredito que alguém vá pagar sem a segurança de uma solução sistêmica), dependendo da hidrologia, as usinas serão pressionadas porque até lá creio que todas as liminares serão derrubadas.

Citação: Canal Energia
PLD aumenta em todos os submercados, aponta CCEE

Vazões do SIN para o final de janeiro caíram de 95% para 92% da média histórica e carga deve ficar 1.300 MW médios mis elevada ante o projetado na semana passada


Da Agência CanalEnergia
O Preço de Liquidação das Diferenças para a semana operativa de 20 a 26 de janeiro subiu em todos os submercados. No Sudeste/Centro-Oeste, o aumento foi de 18% com o preço médio fixado em R$ 192,89/MWh. No Sul, o preço foi de R$ 165,82/MWh para R$ 191,89/MWh, elevação de 16%. O PLD no Nordeste elevou-se em 17% ao passar de R$ 162,06/MWh para R$ 190,37/MWh. Já o preço no Norte teve aumento de 2%, fixado em R$ 145,60/MWh.

Segundo a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica, os preços do submercado Norte apresentaram valores menores em relação aos demais por ser exportador e por ter alcançado os limites de envio de energia para o Sudeste, assim como para o Nordeste. O pequeno descolamento do preço entre os outros, explicou a CCEE, deve-se às perdas elétricas na interligação entre os submercados.

A expectativa de afluências para o Sistema Interligado Nacional para o final de janeiro foi revista de 95% para 92% da média de longo termo com afluências esperadas em 99% da média no Sudeste/Centro Oeste, 165% no Sul, 36% no Nordeste e em 71% no Norte.

Já carga prevista para a próxima semana deve ficar 1.300 MW médios maior na comparação com a carga esperada na semana anterior com elevação de aproximadamente 1.450 MW médios no Sudeste/Centro-Oeste e redução em torno de 150 MW médios no Norte. Não há alterações na carga prevista no restante do país.

Os níveis dos reservatórios do SIN estão cerca de 1.350 MW médios mais baixos que os estimados na última semana, com reduções de aproximadamente 1.850 MW médios no Sudeste e 250 MW médios no Nordeste. Já nos outros submercados a expectativa é de aumento, no Sul espera-se 350 MW médios e no Norte 400 MW médios. O fator de ajuste do MRE previsto para janeiro está em 107,7%, ou seja, assim como no ano de 2017 é projetada a ocorrência de energia secundária. Os Encargos de Serviços do Sistema esperados para o período estão na ordem de R$ 136 milhões, sendo R$ 56 milhões por segurança energética.

346377  - nelsonnpires -  19 Jan 2018, 22:48
Prof,estou confuso aqui...

link df pipoca 2015

http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/fundos/fip%20omega/DFs%20Pipoca_2015.pdf

página 23/24

Deixam claro que estão provisionando o GFS, pelo menos até dezembro de 2015,
As informações prestadas são conflitantes e não sei qual a correta.

Agora se não estiverem provisionando fica complicado pq essa liminar se não caiu, vai cair com certeza.
Governo empurrou a solução para frente mas diria que no final o que vai ocorrer é um acordo parcial, geradoras tendo direito parcial a suas solicitações e o montante envolvido nesse acordo deve ser "devolvido" mediante ampliação do prazo da concessão. Mas antes desse acordo ser concluído as geradoras vão ter que pagar todo o deficit de geração para depois serem indenizadas através dessa prorrogação.

346371  - paulo_prof - 19 Jan 2018, 20:28
em https://www.rad.cvm.gov.br/ENETCONSULTA/frmGerenci...

o Formulário de Referência da Omega Geração - 4. Fatores de Risco - 4.3 Processos Não Sigilosos Relevantes - pág. 3 de 4, informa

Ação Ordinária nº 0036564-70.2015.4.01.3400

a. Juízo: 17ª Vara Federal da Seção Judiciária do Distrito Federal

b. Instância: 1ª instância

c. Data de instauração: 25 de junho de 2015

d. Partes no processo: ABRAGEL (associados: Indaiazinho, Indaiá Grande e Pipoca) x ANEEL, CCEE e União Federal.

e. Valores, bens ou direitos envolvidos: direito dos associados da ABRAGEL de suportarem exclu

sivamente os riscos hidrológicos assumidos no âmbito do Mecanismo de Relocação de Energia –

MRE, não arcando com consequências decorrentes de fatores alheios ao risco hidrológico.

f. Principais fatos: Trata-se de ação na qual a ABRAGEL solicita a limitação dos efeitos do GSF em 5% em nome de seus associados. Em agosto de 2015, foi emitida decisão judicial liminar determinando que a ANEEL e a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica – CCEE procedessem com a limitação do Fator GSF a 5% para as requerentes.

g. Chance de perda é classificada como possível.

h. Análise do impacto em caso de perda do processo: caso haja a improcedência da ação, as referidas
controladas da Companhia estarão sujeitas integralmente aos efeitos do GSF. O valor envolvido não está provisionado porque o processo não apresenta prognóstico de perda provável.

346369  - nelsonnpires -  19 Jan 2018, 20:06
Faz tempo que não analiso XPOM, mas se não me engano ocorreu provisionamento dessa questão por parte de Pipoca. Lembro que entrei em contato com o pessoal da Asteri nessa época e foram claros que estavam provisionando em 100% os valores envolvidos. Agora não posso garantir qual foi o encaminhamento dado após esse período mas suponho que não mudaram esse entendimento.

346366  - mostarda2 -  19 Jan 2018, 19:03
Confesso que, apesar de ter chegado a ter uma posição relevante em xpom, nao sou especialista. Quando saiu a noticia relativa ao GSF eu decidi nao pagar para ver. Vendi xpom e comprei esut. No futuro eu digo se fiz certo ehheehe

346365  - paulo_prof  -  19 Jan 2018, 18:26
Colegas especialistas no XPOM

A menos que esteja engando, Pipoca estava sob a proteção da liminar concedida à ABRAGEL (Associação Brasileira de Geração de Energia Limpa). limitando os efeitos do GSF a 5%. Adicionalmente, também se não estou enganado, Pipoca não vinha provisionando os efeitos da diferença entre o GSF efetivo e os 5% da liminar. Com a derrubada da liminar em dezembro e de acordo com a notícia que postei acima, as PCHs teriam honrado as dívidas correspondentes à liquidação financeira de novembro.

Não está claro se o depósito realizado refere-se somente aos valores devidos na liquidação de novembro, ou se contamplam também o estoque devedor (afinal, a liminar foi concedida há muito tempo). O meu palpite é que a liquidação financeira de novembro não envolveu o passivo histórico ... De qualquer forma, me parece que se Pipoca tiver que pagar o PLD por toda energia vendida além de (GSF efetivo) X (garantia física), a conta não deverá sair barata!

Em princípio, o governo iria retirar do GSF, de forma retroativa, a geração fora da ordem de mérito, a antecipação de garantia física de projetos estruturantes, e o atraso em projetos de transmissão. Ter incluido estes 3 fatores no GSF é mais uma prova da enorme incompetência do pessoal envolvido. Mas mesmo com a retirada destes 3 fatores, a conta ainda será super salgada e há dúvidas se o setor de geração será capaz de digerí-las.

345351  - ispholambra -  19 Dez 2017, 02:58
Segue o relatorio de Outubro do XPOM11... vale mencionar que o caixa das empresas (Pipoca e Gargaú) so sobe... e a divida liquida so cai... arelacao divida liquida sobre o patrimonio liquido fechou em 20,4% em outubro...

Interessante verificarmos no relatório de novembro qual foi o impacto total da distribuicao no caixa das empresas investidas... como a principio so foi distribuido os dividendos atrasados de Pipoca, o caixa de Gargaú em tese e pra sair ileso da distribuicao... se ele baixar e sinal de que a Omega mordeu dividendos de Gargaé sem distribuir para o XPOM11...

Como a parte distribuida ao XPOM11 foi de pouco mais de 5 milhoes, cabe verificarmos tambem o caixa de Pipoca em novembro para vermos quanto a Omega e a Cemig morderam da distribuiçao...

Ademais o relatorio me pareceu bom... sigo comprado no ativo!!!
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatori...

344435  - ispholambra   -  28 Nov 2017, 02:21
XPOM11

A mega promocao de XPOM11 continua firme... quem comprar na casa dos 100,00 corre o risco de pegar mais algum rendimento que o fundo venha a distribuir nos proximos meses referente a novembro de 2017...

Acredito que venha mais um dividendo mais gordinho tendo em vista que o que foi distribuido ate agora foram os dividendos atrasados de Pipoca... mas o caixa de Gargaú continuava bem gordo ate setembro de 2017...

Ate pensei em comprar mais... mas to pra la de lotado desse fundo e da familia ESUD/ESUT... mas pra quem nao tem... ou tem pouco... considero uma otima opcao nos preços correntes!!!

344377  - SS2010 -  26 Nov 2017, 09:29
Comprei no Santander sem problemas. Só tive que fazer a operação via mesa. Será que já sou IQ sardinha? Kkk

344375 - marcosvinicius2  -  26 Nov 2017, 09:25
Eu tenho a impressão que essa exigência de investidor qualificado é apenas no IPO, depois na aquisição pelo HB nao sei se tem essa exigência, talvez é exigido a atualizaçao do cadastro, mas será que há bloqueio no HB para quem não é IQ? Ha diversos FIIs que no prospecto está indicado a exigência de IQ mas que na prática todo mundo compra, vamos ver se alguem mais se manifesta a respeito.

344369  - marcosvinicius2  -  25 Nov 2017, 18:11
lembrando apenas que XPOM11 não é FII, MAS FIP:

XP OMEGA I

DESCRIÇÃO DO FUNDO

O objetivo do Fundo é proporcionar aos seus cotistas (“Cotistas”) rendimentos através da aquisição de ações preferenciais emitidas pela Asteri Energia S.A., sociedade por ações com sede na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida São Gabriel, n°. 477, 2º andar, Jardim Paulista, CEP 01435-001, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 15.190.496/0001-80 (“Companhia Investida”), sociedade que será acionista majoritária da Hidrelétrica Pipoca S.A. e acionista integral da Gargaú Energética S.A. (“SPEs”), sociedades de propósito específico constituídas exclusivamente para a operação de projetos de geração de energia elétrica.

O FIP-IE XP Omega I é detentor de aproximadamente 34% do capital total da Asteri Energia S.A. (“Asteri”), uma sociedade holding que, por sua vez, detém 100% do parque eólico de Gargaú e 51% da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Pipoca. A Omega Energia Renovável S.A. é sócia do XP Omega I na Asteri, sendo titular de aproximadamente 66% do capital total. O fundo atualmente detém 100% das ações preferencias de emissão da Asteri, que conferem direito ao recebimento de dividendo preferencial e cumulativo de IPCA+7,5% a.a. até 2032, o qual deverá ser pago semestralmente.

PÚBLICO-ALVO

Investidores qualificados, assim entendidas as pessoas naturais ou jurídicas brasileiras ou estrangeiras que se enquadrem no conceito de investidor qualificado, nos termos do art. 109 da Instrução CVM nº. 409, de 18 de agosto de 2004, conforme alterada (“Instrução CVM nº. 409”).

344132  - nelsonnpires -  18 Nov 2017, 15:57
Sobre XPOM,
Não analisei esse comunicado, no momento estou fora do papel,meus últimos cálculos entre 6,XX%e 8,xx%, não me lembro do valor XX, isso com valor cota 105, antes da data ex, considerando zero de valor residual e 29,00 de valor residual, diria que algo em torno 7,xx aa + ipca é o mais provável. Comunicado da margem a duvidas, melhor aguardarmos mais detalhes..

Eleições de maneira pragmática se achar que definido os candidatos ao segundo turno, meu voto é 100% no partido novo, caso fique na duvida de fragmentação excessiva e dois candidatos péssimos possam ir para o segundo turno meu voto deve caminhar para o voto útil.

Mas com certeza devo fazer campanha pelo partido novo, sem comparação a proposta oferecida por eles em relação aos partidos tradicionais.

344065  - menghele  -  17 Nov 2017, 02:43
Prezados FORISTAS, IVAN e Ilustres Cotistas de XPOM11 (EU inclusive),

Lhes lembro o seguinte:

1) Que o Saudoso BARBADO (sinto falta da ironia e sagácia Dele) comentava que não comprava porque estava incompreensível. ( O Acordo de Acionistas da Vale é mais simples que os Instrumentos que regem isso.

2) A Administradora/Gestora (2 Consoantes) não é exatamente um exemplo de boa governança e gestão.

3) Já que o Ilustre Prof. Paulo (que é cotista), mais vamos dar um descanso que está trabalhando demais, como sempre e "gratis", não se manifestou AINDA, vão as minhas conclusões, pois a matemática e a epistemologia não permitem conclusões probabilísticas.

4) Os "caras" comunicaram que R$5.037.701 serão distribuídos em 30/11/2017 aos detentores das cotas em 16/11/2017. QUE neste valor, POIS O ERRO ESTÁ AQUI, está incluída uma parcela de 12,50%, POIS DEVERIA SER 25%, e os "remanescentes" que totalizam R$1.057.230,00, correspondentes a participação do fundo ou R$0,96 cota,deverão ser pagas nos meses de janeiro, fevereiro e março, na proporção de 33,33% cada.

5) Ressalvado isso, teremos assim: R$(1057.230:3) =R$352.410 distribuição a mês de janeiro a março

- R$ (5.037.701 - 352.410) = R$ 4.685.291,00 - DIVIDENDO LIQUIDO DE PIPOCA RETIDO REF. 2014/2015 a ser pago em 30/11/2017.

- R$352.710,00 Cota de 25% ou 1/4 do Dividendo Retido de Pipoca a ser pago em 30/11/2017.


6) Colocando a seguinte PROPORÇÃO TEREMOS ASSIM: 5.037.701 : 4.685.291 = 4,57 : X

X = 0,32

OU SEJA, NO DIVIDENDO TOTAL A SER PAGO EM 30/11/2017 R$0,32 são referentes a 1/4 ou 25% do Retido de Pipoca de 2016 e R$4,25 Ao Retido de Pipoca de 2014/2015.


7) Fica assim FINALMENTE esclarecido que R$0,96 CORRESPONDE A SOMA DAS 3 (TRÊS) DEMAIS PARCELAS À SEREM PAGAS NO VALOR DE R$0,32 CADA nos meses de janeiro/fevereiro/março 2018


8) CONTUDO a INFORMAÇÃO DIVULGADA É UMA PIADA,....

343997  - alca41 -  15 Nov 2017, 14:10
1. sim

2. Dos FAQs do site do XPOM

19) Há risco do “saldo de dividendos acumulados e não pagos” não ser pago?
R: Sim, porém entendemos que o mesmo é baixo devido a fatores que explicaremos a seguir.
Apesar de se tratar de um investimento indireto de renda variável (ações preferenciais da Asteri), o mesmo possui características que o aproximam de um investimento de renda fixa.
Essas características reduzem consideravelmente o risco de não recebimento desses dividendos ao longo do período
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/fundos/f...

3. Area de downloads no link
http://www.xpgestao.com.br/fundos-estruturados-det...
Vale a pena ler todo o material deste link

343989  - izidoro -  14 Nov 2017, 23:23
Continua gerando caixa e reduzindo sua divida. Mas com relação aos dividendos......uma hora sai.

343980  - alca41 - 14 Nov 2017, 20:32
Relatorio de Setembro do XPOM11 disponivel em
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatori...

A geração de energia dos dois ativos (considerando 100% de Gargaú e 51% de Pipoca), em setembro de 2017, totalizou 12.054 MWh. O resultado foi 57,0% superior ao mesmo período de 2016.
A usina eólica de Gargaú gerou 84,5% acima do valor esperado (P50) ou 122,0% do valor do P90, e maior que o ano de 2016.
A geração da PCH de Pipoca foi 40,3% abaixo do mesmo mês do ano anterior, e abaixo do esperado – reflexo da hidrologia ruim que se apresenta na região. Relembrando que a PCH dePipoca encontra-se no MRE (Mecanismo de Realocação de Energia). Desta forma, apesar da baixa geração, há umacompensação dada sua participação no mecanismo.
A geração das duas usinas combinada foi 37,4% acima do esperado.

O FIP permanece no aguardo das aprovações necessárias para prosseguir com a distribuição extraordinária de Pipoca.

343557  - ispholambra  -  04 Nov 2017, 15:33
IPCA nesse mes deve vir mais alto... o saldo devedor de dividendos vai so aumentanto...a principio isso e otimo para o cotista e ruim para o controlador...

Dei uma comprada nos relatorios de ago/2016 e ago/2017... a divida bruta caiu 7 milhoes... a divida liquida caiu 10 milhoes... o caixa esta quase 4 milhoes maior...

Ou seja, o dinheiro esta entrando, o caixa aumentando... as dividas diminuindo... e uma hora vao poder distribuir o caixa existente... mas ate lá teremos de ter paciencia e resiliencia...

Mantenho as minhas contas...

343025  - MuadibGV  -  18 Out 2017, 23:55
Não... Se vc retroceder algumas páginas verá que esse ativo foi foco de uma discussão.

A conclusão é que pra chegar nesse valor de 10% + IPCA divulgado no relatório é preciso que o valor residual das usinas (ao fim dos contratos) seja bem maior do que o que se espera.

Em princípio e até prova em contrário (que seria fornecida pela gestora XP) essa projeção é furada.

A real seria por volta de 6% + IPCA , o que não considero ruim para o ativo que tratamos.

342981  - alca41 -  16 Out 2017, 20:19
XPOM 11 relatorio de Julho

O MWmédio da Asteri apresentou crescimento de 10,0% na comparação y-o-y, fundamentado substancialmente pelo aumento considerável de 132,4% do MWmédio de Pipoca. Gargaú, por sua vez, evidenciou diminuição de -7,9% no MWmédio na comparação y-o-y.

Com relação à geração, Pipoca e Gargaú exibiram resultados inferiores à expectativa em 58,2% e 25,4%, os quais culminaram na geração de 38,5% abaixo do valor esperado pela Asteri..

Conforme fato relevante divulgado em 18/08/2017, o FIP aguarda as aprovações necessárias para prosseguir com a distribuição extraordinária de Pipoca. A última distribuição, realizada em junho de 2017, foi de R$ 4,02/cota. Os meses de distribuição serão sempre maio e novembro de cada ano.

RESULTADO ASTERI
O caixa consolidado da Asteri ficou próximo de R$ 35,0 MM, suficiente para arcar com futuras

distribuições. A dívida Líquida sobre o PL está em 25,9%.

342760  - MuadibGV -  06 Out 2017, 01:21
Tb não é assim. A notícia que tivemos foi ruim, sim.

Antes se acreditava que aquela estimativa da XP se referia a zero de valor residual no fim do contrato.

Agora sabemos que pra atingir aquele valor precisa de um valor residual irreal pra Asteri ao fim dos contratos.

Ou seja, existe motivo pra cair, já que a margem de segurança diminuiu.

Não vou vender as minhas, até porque o rendimento está de acordo com o cenário atual de baixos juros e ter um FIP-IE diversifica em relação aos FIIs (outra base legal para isenção, principalmente). Mas é compreensível a queda.

Tb ficou claro que a XP não sabe p... nenhuma desse ativo, se limita a ganhar sua comissão e a repetir aquela tabelinha de TIR bruta, provavelmente copiado do prospecto pelo estagiário, com premissas irreais que não se confirmaram.

342749  - paulo_prof  -  05 Out 2017, 18:17
Vc tem toda razão ,,, pertencem à Asteri ... Destes supostos R$ 84 milhões, o XPOM só teria 34,6% = R$ 29 milhões.

Se eu considerar estes R$ 29 milhões como amortização do investimento (de R$ 110,000), a taxa de retorna daria 6,9%.

Os números agora mudam um pouco porque estou considerando 15,25 anos.

Em relação à sua 2a. pergunta, sim ... tudo se passa como se no final do período vc tivesse um rendimento adicional ... com o investimento inicial totalmente perdido. O meu cálculo estava furado ... viajei na maionaise!

E pertencendo à Asteri, vc também tem razão em afirmar que é impossível chegar nos 9%.

342745  - nelsonnpires -  05 Out 2017, 16:18
Prof, uma duvida?

Os 84M pertencem a Asteri ou XPOM?

Minha duvida é que XPOM é dono de pouco mais de 34% das cotas de Asteri,

Se for só de XPOM realmente a rentabilidade volta a ficar interessante, mas fiquei com essa duvida,

outra duvida o valor de 76,00 é referente ao ano de 2032, nesse caso em 2032 o fluxo seria a soma dos acruados mais 76,00 no caso valor final de 275,03 + 76 = 351,03 em 2032 como fluxo positivo

342738 - paulo_prof  -  05 Out 2017, 15:48
xiito

50% do Ebitda dos últimos 12 meses de Pipoca, somou R$ 9,70 milhões. Destes, 34,6%, ou R$ 3,36 milhões, correspondem à participação do XPOM. Supondo que as despesas administrativas do XPOM somem R$ 360 mil por ano, o fluxo de caixa livre seria de R$ 3 milhões, se não fossem necessárias despesas financeiras.

Suponha que a Asteri/Cmig vai conseguir renovar a concessão de Pipoca por mais 20 anos, sem pagar um bônus de concessão. Neste caso, o fluxo de R$ 3 milhões anuais iria direto para o bolso dos cotistas.

Qual seria o valor presente (em 31DEZ2032) deste fluxo de caixa de R$ 3 milhões mantido por 20 anos?

Usando a fórmula do FCD, com fluxo anual de R$ 3 milhões, taxa de crescimento zero durante 20 anos, e taxa de crescimento -999% daí em diante (perpetuidade), para uma taxa de desconto de 9%, obtém-se R$ 28 milhões. (usei esta taxa de desconto para ter uma ideia se as contas da XP podem estar certas).

Se vc dividir estes R$ 28 milhões pelo número de cotas, vc obterá R$ 25,4/cota. Este valor teria que ser somado ao rendimento acruado no período, que calculei como R$ 275.

((275+25,4)/110)^(1/15) - 1 =6,93%


Moral da história: os 9% da XP provavelmente estão furados. Para conseguir 9% a XP deve ter usado uma taxa de desconto sensivelmente menor, e um ebitda pós 2032 sensivelmente maior ... e isto sem considerar que a renovação da concessão deverá custar algum em bônus de concessão.

PS. Post original corrigido ... viajei na maionaise duas vezes .. nada a ver

342726  - paulo_prof -  05 Out 2017, 05:52
Para falar a verdade, acho que sobreviver como empresa não é prioridade. A estratégia corrente da empresa é monetizar os seus ativos, ou seja, transformar os recebíveis, o resto de estoque de unidades e o landbank em caixa, para devolver aos acionistas.

Com a melhora do cenário econômico, a execução desta estratégia é facilitada. Para decidir voltar a fazer lançamentos (e continuar no ramo), será necessário bem mais do que este aparente começo de recuperação.

No atual andar da carruagem, o estoque de unidades deverá ser vendido até o final do 1T18. Até lá, parte dos recebíveis se transformarão em caixa e espera-se que consiga vender a preço justo algum terreno. No momento em que vender um terreno, a última linha passará para o azul. Até lá, a última linha deverá oscilar em torno do zero.

Ao final do 2T17, o Passivo Total era de R$ 27 milhões. Ma só de caixa a empresa tinha R$ 21 milhões. O total de Recebíveis era de R$ 43 milhões, e o estoque de unidades + terrenos totalizava mais de R$ 130 milhões.

Considerando que o valor de mercado da empresa é de apenas R$ 70 milhões, não deverá demorar muito para o capital social de R$ 189 milhões comece a ser devolvido aos acionistas.

Um possível risco é a Diretoria resolver "cozinhar" a situação ... se a empresa fecha ... ficarão todos sem emprego!

342725  - FoxHoundBR -  05 Out 2017, 04:58
Correto, Professor. O cálculo é esse mesmo.

Antes de ter todas as suas dívidas saneadas, e reduzir os custos operacionais do negócio (em especial, os custos de afretamento das plataformas, que foi um dos fatores que levou a empresa a acumular a sua imensa dívida) para patamares condizentes com o seu atual volume de produção de petróleo, o papel passará por mais esse brutal aumento de capital. E arrisco-me a dizer que, fatalmente, diante da expressiva quantidade de ações que resultarem dessa capitalização, se essa nova gestão que está assumindo a Dommo for minimamente séria provavelmente fará um agrupamento no futuro, para reduzir a liquidez do papel e, assim, reduzir a pressão especulativa sobre os seus preços.

De qualquer forma, entrar nesse papel (na hora errada) foi um erro que me custou algum dinheiro, mas por outro lado me proporcionou um amadurecimento gigantesco como investidor. Atualmente só o mantenho em minha carteira como um lembrete para redobrar a atenção antes de estudar (e, eventualmente, fazer algum aporte em) determinados papéis.

342723  - Xito -  05 Out 2017, 03:16
Xito, boa noite.
Importante sua informação, mas vamos ver
Sua pergunta considerando continuidade de Pipoca por mais 20 anos a TIR poderia ser 9%?
Infelizmente não, Pipoca contribui com apenas 1/3 dos resultados de Asteri, lembrando que lucro de Pipoca deve ser dividido em igualdade de condições por todas as ações fora os custos de outorga que deverão ocorrer no ato da renovação. Para termos um valor exato seria necessário estimarmos qual o fluxo de caixa que Pipoca originaria para XPOM após 2032,, mas com certeza esse fluxo não seria suficiente para levar a TIR aos valores informados por XP

Sua colocação: Outra coisa: com um retorno superior a 6% real e líquido e possibilidade de upside relevante, considero esse ativo alternativa muito boa a uma NTN-B 2035. O que acham?

Sim e não. O problema é que o prof fez uma simulação de cálculo como se todo valor devido a XPOM fosse se acumulando ao longo de 15 anos (duration portanto de 15 anos) e devolvido apenas no seu final em 2032, em se fazendo isso a TIR de 6,3% é correta. A questão que os valores devidos a XPOM serão pagos ao longo dos anos, não sabemos o fluxo exato para um calculo mais preciso, mas esse pagamento ao longo dos anos muda o calculo da TIR para valores inferiores a 6,3% (duration real inferior aos 15 anos).

Portanto 6,3% seria um valor interessante sim em se comparando ao TD, mas o fluxo de pagamento vai alterar esse valor,
Xito, infelizmente precisamos que a XP se pronuncie para eliminar as duvidas existentes.
Apesar de no momento não ter XPOM a possibilidade de exercitar e aprender com os comentários é muito gratificante,
Nelson, Obrigado pela resposta . Já tive uma posição bem grande nesse ativo, mas quando ele disparou troquei a maior parte pela família Esut (graças a tua recomendação e do Ivan!). Hoje a posição é pequena, mas estava olhando com carinho novamente. Gostaria muito de entender a conta feita pela XP para chegar na TIR que divulgam no relatório mensal. Vou ler todos os materiais anteriores, se pintar algum insight, compartilho aqui. Abs

342721  - nelsonnpires -  04 Out 2017, 22:48
Prof e demais,
Segundo o FAQ do site do fundo, teríamos o seguinte:

"
20) Qual o retorno esperado para quem adquirir cotas no mercado secundário? R: Em nossos relatórios mensais disponibilizamos uma tabela com a taxa interna de retorno esperada para diferentes níveis de preço do XPOM11. Esses valores são obtidos com base num modelo que leva em consideração, entre outras coisas, premissas operacionais das empresas (Gargaú e Pipoca), premissas macroeconômicas, e valor dos ativos na perpetuidade. Nosso cenário base considera que Gargaú possui valor terminal zero, não havendo qualquer valor residual após 2032. No caso de Pipoca, consideramos que a autorização terá uma extensão única por mais 20 anos, conforme previsto em contrato, e a partir dai valor terminal zero. Consideramos tais premissas conservadoras. Para analisar os retornos implícitos esperados, sugerimos olhar a referida tabela no último relatório mensal disponível.

"
Ou seja, a tir divulgada (~9% para aquisição a R$ 110,00) já levaria em conta zero de valor terminal para Gargaú.

Vocês conseguem encontrar esse valor considerando mais 20 anos para Pipoca sem prioridade no recebimento de dividendos?

Outra coisa: com um retorno superior a 6% real e líquido e possibilidade de upside relevante, considero esse ativo alternativa muito boa a uma NTN-B 2035. O que acham?

Abs




Xito, boa noite.

Importante sua informação, mas vamos ver

Sua pergunta considerando continuidade de Pipoca por mais 20 anos a TIR poderia ser 9%?

Infelizmente não, Pipoca contribui com apenas 1/3 dos resultados de Asteri, lembrando que lucro de Pipoca deve ser dividido em igualdade de condições por todas as ações fora os custos de outorga que deverão ocorrer no ato da renovação. Para termos um valor exato seria necessário estimarmos qual o fluxo de caixa que Pipoca originaria para XPOM após 2032,, mas com certeza esse fluxo não seria suficiente para levar a TIR aos valores informados por XP


Sua colocação: Outra coisa: com um retorno superior a 6% real e líquido e possibilidade de upside relevante, considero esse ativo alternativa muito boa a uma NTN-B 2035. O que acham?


Sim e não. O problema é que o prof fez uma simulação de cálculo como se todo valor devido a XPOM fosse se acumulando ao longo de 15 anos (duration portanto de 15 anos) e devolvido apenas no seu final em 2032, em se fazendo isso a TIR de 6,3% é correta. A questão que os valores devidos a XPOM serão pagos ao longo dos anos, não sabemos o fluxo exato para um calculo mais preciso, mas esse pagamento ao longo dos anos muda o calculo da TIR para valores inferiores a 6,3% (duration real inferior aos 15 anos).

Portanto 6,3% seria um valor interessante sim em se comparando ao TD, mas o fluxo de pagamento vai alterar esse valor,

Xito, infelizmente precisamos que a XP se pronuncie para eliminar as duvidas existentes.

Apesar de no momento não ter XPOM a possibilidade de exercitar e aprender com os comentários é muito gratificante,

342718  - Xito -  04 Out 2017, 22:00
Eu fiz uma simulação que considera:

a) valor base a ser remunerado pelos 7,5%: R$ 97,514 (+ dividendos acruados)

b) dividendos acruados até o momento: R$ 31,15

b) despesas mensais de R$ 0,04536 por cota (R$ 50 mil no total)

b) nenhum dividendo é pago até dezembro de 2032

c) inflação zero

d) cota comprada hoje a R$ 110,00 com perda total em 31DEZ2032 (que não é exatamente o caso, porque certamente as ações da Asteri terão um valor residual (especialmente a parte relativa a Pipoca).

Nestas condições, o dividendo acruado em 31DEZ2032 seria de R$ 275,03. O retorno total seria de (275,03 - 110,00) = R$ 165,03, o que em aprox. 15 anos daria um retorno anual medio de aprox. 6,3%

Prof e demais,

Segundo o FAQ do site do fundo, teríamos o seguinte:

"
20) Qual o retorno esperado para quem adquirir cotas no mercado secundário? R: Em nossos relatórios mensais disponibilizamos uma tabela com a taxa interna de retorno esperada para diferentes níveis de preço do XPOM11. Esses valores são obtidos com base num modelo que leva em consideração, entre outras coisas, premissas operacionais das empresas (Gargaú e Pipoca), premissas macroeconômicas, e valor dos ativos na perpetuidade. Nosso cenário base considera que Gargaú possui valor terminal zero, não havendo qualquer valor residual após 2032. No caso de Pipoca, consideramos que a autorização terá uma extensão única por mais 20 anos, conforme previsto em contrato, e a partir dai valor terminal zero. Consideramos tais premissas conservadoras. Para analisar os retornos implícitos esperados, sugerimos olhar a referida tabela no último relatório mensal disponível.

"

Ou seja, a tir divulgada (~9% para aquisição a R$ 110,00) já levaria em conta zero de valor terminal para Gargaú.

Vocês conseguem encontrar esse valor considerando mais 20 anos para Pipoca sem prioridade no recebimento de dividendos?

Outra coisa: com um retorno superior a 6% real e líquido e possibilidade de upside relevante, considero esse ativo alternativa muito boa a uma NTN-B 2035. O que acham?

342703  - edomr -  04 Out 2017, 16:57
Professor, ontem dei uma olhada no balanço da CRDE3, houve uma evolução referente ao caixa da empresa entre outros indicadores. Conta como ponto positivo o resultado financeiro da empresa que é bem tranquilo quando em comparação com outras construtoras.

Mas percebi que o nível do estoque da empresa já está baixo e que possívelmente seja necessário novos lançamentos para oxigená-lá.

Crê que a empresa terá força para dar essa guinada?

342702  - paulo_prof  -  04 Out 2017, 16:39
Se não me engano, para não ser violentamente diluído, vc terá que subscrever, ao preço de aprox. R$ 1,31 a unidade, 6 novas ações DOMM3 para cada ação possuída, correto?

Além disto, uma outra pancada de ações será originada da conversão de debêntures. Ao que tudo indica, pelo menos, a "nova" empresa que vai surgir destas ações terá o endividamento equacionado, podendo assim dispender as suas energias na atividade fim.

342697 - paulo_prof  -  04 Out 2017, 16:05
Excetuando aportes pequenos em XPOM na carteira da mulher, e algumas poucas subscrições de FIIs, o último aporte realizado em minha carteira e a da esposa foi XPCM em junho de 2016. Ou seja, já há 15 meses que na prática, nenhum aporte é realizado em nossas carteiras de FIIs. Por outro lado, desde o início do ano passado muitas cotas de FIIs foram vendidas. Os rendimentos e resultados das vendas, além de em parte financiar o consumo (afinal, na nossa idade a prioridade certamente não é a de acumular), foi todo aplicado na compra de ações. Apesar disto, no total de ambas as carteiras, o XPOM + FIIs ainda representam aprox. 40%.

Uma fotografia de fins de 2015 mostraria FIIs sendo aprox. 60% da carteira total em números redondos. Para suportar toda esta sangria e interrupção de aportes e ainda emplacar 40% da carteira só pode ter uma explicação: FIIs, na média, valorizaram horrores nos últimos 18 meses e, acredito eu, desde que a curva de juros não reverta numa ascendente, ainda têm espaço para a valorização.

De qualquer forma, já deve ter dado para perceber (não publico mais o tabelão de fiis há muito tempo) que, excetuando a discussão relativa ao XPOM para tentar contribuir colocar os pingos nos iis, há muito que não discuto mais fiis. Nos últimos 18 meses, acho que mais de 90% de minhas intervenções dizem respeito a ações.

Como já observado, o mercado já antecipou a valorização de vários setores e, em consequência, as ações estão caras (na minha opinião) se examinadas num horizonte de médio prazo.

A natureza cíclica das commodities sempre fornecerá ótimas oportunidades de entrada (FIBR e SUZB, BRAP, FESA e VALE, BRKM e UNIP, etc.). Basta esperar a diarreia que cedo ou tarde virá.

Na minha opinião, o mercado não precificou inteiramente o setor financeiro. Se, mesmo que lentamente, a economia continuar a se recuperar, há oportunidades de entrada evidentes. Sem entrar no mérito da questão da liquidez, estão na minha opinião baratos o ABCB, BEES e BGIP. Outra que pode surpreender é a BNBR. Ao preço corrente, mesmo supondo remuneração mínima (TJLP sobre o PatLiq médio) projeta rendimento de aprox. 7%. O Resultado do 3T17 deverá vir pífio (nos últimos 3 anos, os resultados dos trimestres ímpares sempre veio fraco, algumas vezes negativo ... deve ser algo na forma em que é feita a contabilidade), de modo que deverá ser possível comprar abaixo dos R$ 35 por algum tempo. Ao preço corrente, o P/L para o resultado do 1T17 anualizado, mesmo considerando o prejuízo liquido postado no 2T, é de ridículos 4,35 e P/VPA = 0,79

Mas um setor que certamente o mercado ainda não precificou é o setor da incorporação imobiliária. Excetuando a EZTC (P/VPA=1,38), MRVE (P/VPA=1,18) e TEND (P/VPA=0,83) que conseguiram passar pela crise sem postar prejuízos, as demais no setor podem ser classificadas de Rock or Bust! Ou conseguem completar a travessia sem ter que recorrer à um recuperação judicial, ou seguem o caminho da PDGR. Entre CRDE (0,38), CYRE (0,91), DIRR (0,54), EVEN (0,60), GFSA (0,28), HBOR (0,60), JHSF (0,56), RDNI (0,38), RSID (0,32), TCSA (0,45) e TRIS (0,50) certamente há algumas pepitas ... resta conseguir escolher aquela(s) com menor probabilidade de quebrar. De acordo com a precificação em relação ao VPA (número entre parênteses), quero crer que o mercado possa estar exagerando no que tange o risco da CRDE falir. Sou da opinião de que CRDE esteja melhor das pernas do que GFSA, RDNI, RSID e TCSA.

342683  - kknove -  04 Out 2017, 01:35
Eu fico com a mesma impressão. Ainda que as empresas tops estejam com P/Ls esticados, certamente existem oportunidades de multiplicação dos lucros, inclusive na segunda e terceira linha, caso estejamos realmente no primeiro terço de um bull market estrutural, que poderá se estender por vários semestres ainda. Minha alocação hoje está 40% RF, 50% RV e 10% Cambio, como um seguro. Os FIIs, que ocupavam a maior parte da alocação em RV até o ano passado, foram sendo trocados por ações qdo os rendimentos decaíram. Os últimos FIIs que eu guardava, foram queimados no evento Joesley para aproveitar a liquidação que houve em ações naqueles dias. Tenho a impressão de que, neste cenário atual, qq realização maior é oportunidade de compra e não se deve largar o osso pq a irracionalidade mal começou...

342681  - pinheiro87 -  04 Out 2017, 01:02
Pessoal, eu confesso que não tenho XPOM11 nem ESUD/ESUT e além do que vocês falam aqui não sei de absolutamente nada. Realmente tivemos um período bastante complicado para ações e FIIs entre 2014 e começo de 2016, em que era importante focar o fluxo de caixa e aplicações mais conservadoras, mas ao que tudo indica (batendo na madeira 3 vezes) estamos no meio de um ciclo positivo agora com PIB retomando, inflação baixa, juros em queda, desemprego caindo e muito provavelmente a eleição de alguém centro-direita em 2018 que continuará com uma política econômica ortodoxa.

Sendo assim, vocês não acham que a valorização das ações e dos FIIs vai superar e MUITO os rendimentos desses fundos? Não digo nem ser preciso acertar uma MGLU3 da vida, mas já temos muitas outras ações dando porradas, muitas delas citadas aqui como: BBAS3, ESTC3, GUAR3, FIBR3, CGRA4, UNIP6 e várias outras. Comparativamente falando, pensando no desempenho, não seria o momento de dar maior atenção às ações e deixar um pouco de lado esses fundos?

Toda diversificação é bem vinda e cada um sabe quais são seus ativos preferidos e a sua alocação adequada, mas atualmente nesse cenário vejo (via e continuo vendo) muito mais potencial nas ações. Boa parte desse potencial já foi alcançado, considerando que saímos de 40K para quase 80K em 18 meses, porém pelo número de postagens por assunto parece que o fórum não acompanhou/acompanha esse racional.

Não sei se a galera deu uma desanimada, se a ausência do Small impactou mais do que parecia, e fazendo uma auto-crítica sei que a culpa também é minha pois não posto assiduamente, mas que esse post seja um convite e um incentivo a retomarmos o debate sobre oportunidades em ações.

Obs: Não entendam como tentativa de censurar o debate sobre as outras classes de ativo pois temos espaço para todos, e sim como um apelo saudosista pela volta dos áureos tempos do fórum.

342671  - paulo_prof -  03 Out 2017, 18:20
Eu fiz uma simulação que considera:

a) valor base a ser remunerado pelos 7,5%: R$ 97,514 (+ dividendos acruados)

b) dividendos acruados até o momento: R$ 31,15

b) despesas mensais de R$ 0,04536 por cota (R$ 50 mil no total)

b) nenhum dividendo é pago até dezembro de 2032

c) inflação zero

d) cota comprada hoje a R$ 110,00 com perda total em 31DEZ2032 (que não é exatamente o caso, porque certamente as ações da Asteri terão um valor residual (especialmente a parte relativa a Pipoca).

Nestas condições, o dividendo acruado em 31DEZ2032 seria de R$ 275,03. O retorno total seria de (275,03 - 110,00) = R$ 165,03, o que em aprox. 15 anos daria um retorno anual medio de aprox. 6,3%

342650  - nelsonnpires -  03 Out 2017, 01:20
Olhe que interessante.

Caso essas questões levantadas façam sentido teremos um efeito secundário muito importante.

A parte operacional das investidas deixa de ser relevante para XPOM, pode no máximo afetar o prazo de pagamento mas não afeta o montante a ser recebido. Isso decorre do fato que o fluxo de caixa que entra em Asteri possui uma parcela "escondida" que é amortização da SPE, essa parcela "escondida" iria para Omega e não XPOM, portanto caso tenhamos desempenho operacional ruim existe muita gordura no fluxo de caixa produzido e que iria para Omega e que vai servir para tapar eventual falha na questão operacional das investidas. Finalizando a probabilidade de XPOM receber o acordado não é afetado pela parte operacional ruim.

Esses acruados e não pagos Ivan, posso estar enganado mas imagino que o BNDES não quer que Pipoca reduza seu PL transferindo esses recursos para Asteri enquanto persistir o problema hidrológico que afeta o país como um todo, numa situação dessa o BNDES pode exigir que sejam pagos apenas os dividendos obrigatórios anuais até que a situação se normalize. Mas para XPOM isso pouco importa no máximo acumula e uma hora recebe, agora para Omega a situação é outra.

342648  - paulo_prof -  03 Out 2017, 00:39
uma coisa é o que a XP diz, outra é o que o Prospecto diz, e uma 3a. é o que o documento que regula a relação entre o XPOM e a Asteri deve dizer. O seu cálculo é coerente com o que a XP diz, mas não necessariamente o que a XP diz é o que vai prevalecer.

A XP diz que o aporte individual inicial, de R$ 100,00, é remunerado pela taxa anual de 7,5% + IPCA. É em cima disto que vc construiu a planilha acima, correto?

O Prospecto, entre outras, diz:

a) que o XPOM pagará R$ 7,75 por cada ação preferencial que subscrever;

b) que o número de ações dependerá do montante total que será captado

c) e que estas ações terão

2) prioridade no recebimento de dividendo prioritário cumulativo até atingir a taxa prefixada máxima de 6,5% (seis inteiros e cinco décimos por cento) ao ano, à base de 1/252 (um inteiro e duzentos e cinquenta e dois avos), a ser acrescida anualmente pela variação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA, a qual será definida em Procedimento de BookBuilding;

3) direito ao recebimento de dividendos declarados à conta das reservas de capital, no exercício em que o lucro líquido for insuficiente, até o limite do dividendo prioritário

Como o processo de bookbuilding exigiu uma taxa de retorno maior do que os 6,5% máximos dispostos no Prospecto, os 6,5% foram aumentados para 7,5%.

Mas no prospecto absolutamente nada é dito sobre qual valor os 7,5% serão calculados.

O único valor realmente conhecido, são os R$ 7,75 da subscrição.



Hoje, o XPOM tem 13,82 milhões de ações da Asteri, pelas quais pagou R$ 107,105 milhões e, em consequência, o XPOM tem 34,6% do capítal da Asteri. Note que esta situação foi construída em duas tranches. Inicialmente a XPOM comprou 13,6 milhões de ações e o complemento veio em março ou abril de 2014.



Dividindo os R$ 107,105 milhões investidos pelas 1,1024 milhões de cotas obtém-se R$ 97,515 investidos por cota, um valor 2,5% menor do que os R$ 100 da XP.

Para que as as cotas do XPOM sejam remuneradas a 7,5% + IPCA, seria necessario que as ações preferenciais da XPOM fossem remuneradas na base aprox. de (1+0,025)*(7,5%+IPCA). É possível ... mas acho pouco provável que o Estatuto da Asteri disponha algo tão "enrolado" .

342646  - MuadibGV - 03 Out 2017, 00:34
Ok, acho que entendi: resumindo, a conta da XP só bate se no final da garantia de 7,5%, em 2032, o valor residual da Asteri for bem maior que zero.

É como aquelas avaliações de imóveis que o avaliador chuta um valor de saída pra estimar o "cap rate".

Talvez o prospecto do XPOM dê alguma pista sobre esse valor de saída.

Não me lembro de nenhuma garantia dada ao XPOM pela Asteri, quanto a valor final de saída.

Mas tb não vejo como seria possível amortizar os 100 (ou 97) antes de 2032.

342634  - MuadibGV  -  02 Out 2017, 22:05
Prof, Nelson,
Confesso que não tive sutileza para captar o ponto que vocês estão discutindo.
Meu entendimento até agora é o seguinte (arredondando pra facilitar, ok?)
Preço 110
Acruados 30
Preço de fato : 80 (já que os 30 têm correção monetária, ou até mais já que têm 7,5% ao ano tb)
Até 2032 recebe 7,5%+ IPCA sobre o preço base combinado, a partir daí todas as ações da Asteri ficam em igualdade.
Essas 15 ou 16 parcelas de 7,5% dariam a rentabilidade colocada no relatório.
Isso sem contar com qualquer valor residual em 2032.

342625  - paulo_prof   -  02 Out 2017, 19:33
Na carteira de minha esposa, XPOM é aprox. 5%. Como na minha é zero, isto corresponde a aprox. 2% das carteiras do casal. Em consequência, confesso que nunca dediquei tempo específico para estudar o ativo. O que segue é o que sei ou acho, na base de ter ouvido o galo cantar no terreiro do vizinho ...

Aqueles que estão "por dentro", por favor corrijam os eventuais equívocos.

a) em 11JUL2013, o XPOM subscreveu 13,6 milhões de ações preferenciais da Asteri, a um preço unitário de R$ 7,75/ação, totalizando R$ 105,4 milhões.

b) como o XPOM tem 1,1024 milhões de cotas, o valor original de cada cota investido na Asteri é de R$ 105,4/1,1024 = R$ 95,61/cota

c) as ações preferenciais da Asteri, subscritas pelo XPOM, além de outros, têm os seguintes direitos:

1- recebimento de dividendo preferencial de IPCA + 7,5% a.a. (sobre o valor nominal pago, de R$ 7,75 - minha interpretação), até 31DEZ2032

2- em termos de dividendos, igualdade de direitos com as ações ordinárias, ou seja, direito a 34% (veja nota abaixo) dos resultados a partir de 01JAN2033.

Nota: em algum momento de 2015 (março?), o XPOM adquiriu, pelo preço nominal de R$ 7,75, 220 mil ações adicionais, totalizando R$ 107,105 milhões, ou 34,6% da Asteri.

Em consequência, o valor investido correspondente a cada cota aumentaria para R$ 97,16

Há quem sustente que os 7,5% a.a. (+IPCA) seriam aplicados sobre os R$ 100,00 originais. Eu acho que não ... acho que são aplicados sobre o valor investido original (+ eventuais aportes adicionais, como aquele ocorrido em 2015), ou seja, aprox. R$ 97,00. Na minha opinião, as despesas operacionais (aprox. 0,3%), também devem ser descontadas dos 7,5%.

Não sei exatamente como é realizada a correção do principal pelo IPCA. Como o pagamento de dividendos é semestral, o "natural" seria a de corrigir o principal + dividendos acruados semestralmente. Mas não é uma certeza.

De acordo com o meu entendimento acima, fiz uma simulação:

1 - início em maio de 2013. valor investido = R$ 105,4 milhões

2 - juros semestrais de 3,44% sobre o principal corrente, devidos em maio e novembro

3 - correção semestral pelo IOCA devida em maior e novembro

4 - pagamento de dividendos semestrais em maio e novembro

5 - despesas operacionais de R$ 300 mil por semestre

6 - aumento do valor investido em R$ 1,705 milhões, aportado em maio de 2014

Esta simulação, em maio de 2017 após a quitação do último rendimento, teria deixado um saldo de dividendos acruados de R$ 27,70 por ação, diferente dos aprox. R$ 29,10 reportados !!!!

Basicamente, o cálculo que fiz foi o seguinte, a cada semestre:

a) dividendos devidos = 3,44% do valor investido atualizado

b) correção montetária = variação semestral do IPCA x valor investido atualizado

c) valor pago = rendimento por cota x total de cotas

d) valor investido atualizado = valor investido atualizado anterior + dividendos devidos + correção - valor pago - 300 mil de despesas

em maio de 2014, após a operação acima para o valor investido atualizado, somei os R$ 1,705 milhões

Em maio de 2017, cheguei a um valor investido atualizado de R$ 125,65 milhões. Descontando o principal original (R$ 105,4 + 1,705) milhões, chega-se a um total de dividendos "acruados" de R$ 18,545 milhões, o que daria R$ 16,82/cota.

O fato é que não se sabe a efetiva regra do jogo. A XP fala em IPCA + 7,5% ... mas não está claro especificamente sobre o que! Seria sobre os R$ 100,00 originais? Ou seria sobre os recursos aportados na Asteri?

Para um esclarecimento completo, bastaria que a XP disponibilizasse:

a) ou o instrumento de acordo Asteri vs XPOM;

b) ou o contrato social da Asteri, que deve dispor sobre a regra do jogo relativa aos dividendos.

Para falar a verdade, não sei se o que o XPOM dispõe hoje são títulos (uma espécie de debêntures conversíveis em ações), ou as ações propriamente ditas. Na minha opinião, o mais simples seria dispor já hoje das ações, e o estatuto da Asteri especificar como estas ações devem ser remuneradas.

Onde está o documento que detalha a relação entre o XPOM e a Asteri? Alguém sabe? Alguém já viu?

PS. Esta é uma postagem corrigidaç em minha planilha havia um erro nos dividendos distribuídos em NOV 2014 em vez dos R$ 3,90 havia usado R$ 11,90!

342614  - nelsonnpires -  02 Out 2017, 13:43
ha alguns meses estou fora de xpom, mas estava reavaliando o ativo, só que fiquei confuso sobre como devo calcular o retorno do investimento, tinha uma visão que se alterou, se pagarem apenas 7,5% + IPCA ( que parece que é o caso) fico de fora ao preço atual, acho que vou ficar monitorando até melhores esclarecimentos por parte da xp.

XP sempre foi difícil obter informações, na VAM até que respondem, pelo menos parte delas...rs.

342612  - ispholambra  -  02 Out 2017, 12:53
Voce ainda tem o XPOM11 em carteira??

A XP nunca respondeu meus questionamentos sobre o XPOM11....

Eu devo ser chato e as minhas perguntas devem incomodar...nem a VAM responde...kkkkkkkkkkkkk

Se algum colega conseguir alguma resposta posta ai pra gente...

342609  - nelsonnpires -  02 Out 2017, 03:01
Essa tabela tb me deixou confuso, ela te induz a imaginar que os valores postados são reais, mas são rendimentos nominais e no relatório não se deram ao trabalho de divulgar esse fato nem o índice de IPCA adotado para confecção da tabela.

Olhe no prospecto pagina 85 o fluxo projetado, apenas corrija o valor dos dividendos que na época eram 6,5% + IPCA para 7,5% + IPCA que foi o valor adotado no final da oferta. Nela fica claro que vão pagar só o combinado 7,5% + IPCA ao contrário da tabela divulgada pela XP

Colocando as duas tabelas lado a lado os números são conflitantes, realmente estou na dúvida, enquanto o relatório XP te leva para amortização do principal o prospecto diz o contrário.

Acho muito pertinente cobrarem da XP o racional adotado para o cálculo da TIR informada por eles.

342608  - ispholambra-  02 Out 2017, 01:26
Esse é um ativo muito dificil de avaliar..temos 15 anos de bons rendimentos pela frente....Se o gestor de fato entregar o que prometeu é um ativo interessante mesmo nos preços atuais... a questao de 1 milhao de dolares aqui é... sera que vao conseguir entregar...pelo menos ate agora entregaram...

Estou postando abaixo o link do relatorio do gesto de setembro de 2015... foi ele que me serviu de base para a entrada no ativo...

A equipe de gestao da epoca era muito boa e dava de 10X0 na atual... que so faz barbeiragem....

Reparem na tabela mais ao fim do relatorio... aonde e apresentado a previsao dos rendimentos a serem pagos... se pagarem tudo o que prometeram... francamente o valor patrimonial ao fim do periodo nao será tao relevante...

Mas a pergunta que nao quer calar... será que eles vao conseguir???
http://bvmf.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfD...

342607  - cfernando  -  02 Out 2017, 01:10
Pelo que entendi o preço de XPOM considerando seu valor patrimonial "real" está caro, consequentemente minha pergunta é: Entrar em xpom agora ainda e uma boa alternativa?

342605 - cfernando  -  02 Out 2017, 00:49
Ótima discussão a respeito de XPOM. Entretanto fiquei com uma dúvida e gostaria da opinião de vcs:
Entrar em XPOM Aimoré o atual não seria uma boa alternativ

342603  - alca41  -  01 Out 2017, 23:02
Perfeito Professor, para quem comprou o XPOM no inicio e ja recebeu cerca de 30 reais de dividendos, nao parece ter sido um aplicação ruim...No meu caso se considero q ja recebi 11 reais de dividendos e um PM de 97, levando o custo para 86 reais por cota a perspectiva nao e´diferente da sua. Mais uma vez obrigado por clarificar a situação....

342602  - paulo_prof  -  01 Out 2017, 21:29
Pois é, Alca41.
O preço médio das XPOM11 da carteira da esposa é aprox. R$ 92 (valor real, já corrigido pela inflação). A maior parte da posição foi montada em meados do ano passado, com complementações pontuais neste ano.

De fato, a decisão de montar uma posição em XPOM11 foi baseada na rentabilidade nominal e dividendos acruados. Nunca acreditei no PatLiq divulgado pelo adminstrador. A idéia foi a de faturar os dividendos correntes e acruados (ou a maior parte deles) e conseguir cair fora antes da cotação desabar (em algum momento, certamente, o mercado vai começar a levar em conta a redução do patrimônio líquido da Asteri)!

Sou da opinião que a queda dos juros da economia "incentiva" o controlador da Asteri a quitar os dividendos acruados tão logo seja possível. Ele só ganharia adiando o pagamento, se conseguisse obter um rendimento financeiro maior do que os 7,5% reais devidos.

342601 - alca41 - 01 Out 2017, 18:52
Professor, mais claro impossivel, agradeço . Como bem disse o Nelson, agora o caso XPOM ficara muito dependente do valor de Pipoca e Gargau (se houver) em 2032. A troca de emails entre voce e Nelson ajudaram muito a clarificar a situação e a refazer os meus calculos....

342600 - paulo_prof   -  01 Out 2017, 18:13
Alca41, a preocupação do Nelson faz todo sentido ... o que me surpreende é que isto só tenha sido levantado agora.

Vamos raciocinar somente em termos de Gargaú.

O FIP Omega pagou uma determinada quantia X para ficar com 34,6% do capital da empresa controladora (Asteri) da Gargaú Energética, participação esta representada por ações preferenciais. Estas ações preferenciais garantem:

a) rendimento de 7,5% reais a.a., sobre o preço de aquisição, ate fins de 2032; e

b) participação de 34,6% nos lucros da empresa, de 2033 em diante.

Faz sentido falar em amortização? Amortizar o que? As ações que o fundo comprou?

Só faria sentido falar em amortização, se o capital da Asteri fosse reduzido ao longo do tempo o que, entretanto, não parece ser o caso.

Como ativos, a Asteri tem 51% de Pipoca (junto com a Cemig) e 100% de Grajaú. Naquilo que é 100% da Asteri, a Gargaú Energética tem dívida e ativos. Estes sim, são amortizados no tempo, impactando o Patrimônio Líquido que é reduzido no tempo. Tanto assim que todos os anos a Gargaú Energética reduz o seu capital, devolvendo o valor a seus acionistas (Asteri). Mas se o capital da Asteri permanece imutável, esta devolução de capital da Gargaú somente reforça o caixa da Asteri que, eventualmente poderá até usá-lo para pagar os dividendos prioritários do XPOM.

Para ter uma idéia de valores, as Demonstrações Contábeis de 2015 da Gargaú informam uma redução de capital de R$ 10,2 milhões em 2014 e de R$ 8,1 milhões em 2015. Ao final de 2015, o Patrimônio Líquido da Gargaú havia sido reduzido para R$ 111,687 milhões, dos R$ 115,182 milhões de 31DEZ2014.,

Quando chegar 2032 o Patrimônio Líquido de Gargaú será muito pequeno, impactado o PatLiq da Asteri e, em consequência, o do XPOM. Por sinal, o capital social da Asteri em 31MAR2017 era de somente R$ 15,2 milhões, um valor que não obrigará a empresa a reduzir com a queda do valor de seus investimentos.

O Patrimônio Líquido do XPOM, conforme relatado na documentação do fundo, é uma história da carochinha ... Como pode estar na faixa dos R$ 107 milhões, se o PatLiq da Asteri em 31MAR2017 era de somente R$ 154 milhões. Se o XPOM tem 34,6% da Asteri, a Equivalência Patrimonial na Asteri daria R$ 53 milhões. Os R$ 107 milhões da contabilidade do XPOM seriam equivalentes a um Pxpom/VPAasteri de 2,0. Devem estar contabilizando o valor histórico do investimento ... mas mais dia, menos dia, deverão fazer um impairment colosssal.

342599  - paulo_prof -  01 Out 2017, 16:09
Sem dúvida ... Hoje, Gargau dispende aprox. R$ 5,5 milhões para manter e operar a usina. Quero crer que ai estejam incluídas todas as despesas para que possa operar continuamente até o final da concessão. Se a inflação fosse zero daqui para frente, por cada MWh assegurado Gargaú hoje fatura R$ 455,21. Quero crer que para qualquer MWh gerado além do contrato com o Proinfra, recebe o PLD, pois deve vender a energia no mercado de curto prazo. Hoje, para ter uma idéia, a eólica Delta I fatura somente R$ 153,68 por MWh assegurado. Quando terminar o contrato com o ProInfra, portanto, a moleza vai terminar.

Relativo a Gargaú, entretanto, as informações geram duvidas.

Nas Demonstrações Financeiras da Omega Geração consta:

Gargaú obteve por meio da Resolução Autorizativa 2.145 de 27 de outubro de 2009, a transferência da autorização objeto da Resolução nº 534 de 01 de outubro de 2002, anteriormente outorgada à SeaWest do Brasil Ltda., para implantar e explorar a usina eólica Gargaú, situada em São Francisco de Itabapoana, no norte do Estado do Rio de Janeiro, com capacidade produtiva de 28,05 MW. O empreendimento entrou em operação comercial em 28 de outubro de 2010, tendo o contrato de energia por meio do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica – Proinfa, sendo a Eletrobrás seu cliente exclusivo. O prazo de autorização para exploração é de 30 anos.

Se a autorização inicial era de 30 anos, a lógica é esperar que o empreendimento possa funcionar sem grandes "overhauls", por 30 anos.

No caso específico de Gargaú, parece que a concessão twerminaria em OUT 2032, ou seja, 30 anos a partir da concessão original em OUT 2002. Parece que a tal da SeaWest sentou em cima da concessão até 2009, para então passar adiante a licença.

Em tese, pelo menos, acredito que Gargaú não teria enormes dificuldades para conseguir ampliar o prazo de exploração até OUT 2040. A menos que esteja enganado, entretanto, os contratos PROINFRA são de 20 anos e deveriam ter início antes do término de 2010. Se o contrato de Gargaú iniciou em OUT2010, eu esperaria o término em OUT2010 e não em 2032.

Ou seja, a "moleza" dos R$ 455,21 de abril de 2017 terminaria em OUT2030. Depois disto, Gargau teria que enfrentar as condições de mercado. Pessoalmente, acho que não teria problemas para esticar a operação até 2040, ou seja, após o término do contrato ProInfra teria ainda 10 anos para operar nas condições de mercado, ou vendendo energia via contratos de formecimento de médio prazo, ou vendendo energia no mercado spot.

342598  - alca41 -  01 Out 2017, 15:15
Nelson, uma checagem que eu fazia quando comecei a estudar o XPOM era comparar seus numeros com a previsao feita nos relatorios da XPOM do retorno da compra do XPOM em diferentes preços de compra. Nunca notei uma discrepancia como seria de se esperar se tua preocupacao com amortizacao estivesse correta. Posso ter deixado passar algo, mas acho que saltaria aos olhos, nao?

342597  - nelsonnpires -  01 Out 2017, 15:03
XP ha pouco mais de um ano informou que não existiria interesse econômico em prorrogar Gargaú, após o término do contrato com a eletrobras por meio do Proinfa. Agora na última apresentação colocaram essa possibilidade. Uma duvida, esses R$455,21/MWh é um valor que não deve se repetir após o término do contrato de fornecimento atual, suponho que deva ser um valor bem inferior, Gargaú vai precisar vender energia a preço de mercado e não sei se o valor obtido pelo MWh vai ser economicamente interessante para continuar a atividade de Gargau, lembrando do investimento que vai se fazer necessário para Gargau continuar operacional pelos 30 anos

342595 - paulo_prof   -  01 Out 2017, 01:50
No meu modo de entender, até 31DEZ2032, o XPOM receberá dividendos prioritários, limitados à taxa prefixada máxima. De 2032 em diante, o XPOM receberá 34,6% dos dividendos declarados pela Asteri. Gargaú iniciou operações em outubro de 2010, e tem concessão de 30 anos (embora conste que a concessão realmente termina em 2032, porque foi repassada de um concessionário original). ). Em consequência, o XPOM teri 8 anos adicionais como sócio da Asteri, em igualdade de condições. Evidentemente, o contrato de concessão, via preço da energia, contempla a remuneração e amortização do investimento. Portanto, lá pelas tantas, quero crer que a remuneração dos sócios do XPOM na Asteri será sensivelmente maior do que aquela do XPOM. Há que se estimar o valor presente dos 34,6% do lucro da Asteri nestes 8 anos e especular no que será depois (uma nova Gargaú poderá surgir a partir de um retrofit? Quais são as regras do jogo para a renovação de Pipoca?

Uma estimativa de padeiro para o período após 2032, na melhor das hipóteses (manutenção do preço do ProInfra o que não vai ocorrer) e considerando somente Gargaú (que é mais previsível) poderia ser:

Potência Média Assegurada = 7,3 MWm

Energia Anual Assegurada = 7,3 x 24 x 365 = 63.948 MWh/Ano

Preço/MWh (abril 2017) = R$ 455,21/MWh

Receita Bruta Anual Assegurada = 455,21 x 63.948 = R$ 29,1 milhões

Receita Liquida Anual Estimada = 0,915*29,1 = R$ 26,6 milhões

Despesas Operacionais Caixa (desprezando a depreciação) = R$ 6,6 milhões

EBITDA Anual = R$ 20 milhões

Participação do Omega XP no Ebitda Anual = 0,346 x 20 = R$ 6,92 milhões

342591 - ispholambra -  30 Set 2017, 16:06
Acredito que nos ultimos pagamentos de rendimentos do XPOM11 foram utilizados os recursos obtidos pela amortizacao dos ativos e nao somente o lucro das empresas investidas, pois se fosse somente o lucro distribuido nao haveria condicoes de se chegar nos valores que foram distribuidos...

E creio que é nesse sentido que essa ultima distribuicao enroscou... pois para distribuir a amortizacao na forma de restituicao de capital aos acionistas, e necessario, alem da cobertura dos servicos da divida pelo montante que sobrar, da autorizacao dos bancos credores, que no caso do XPOM11 sao BB, ITAU e BNDES.

Acredito que o rendimento do XPOM11 de 7,5% + IPCA o qual e pago inclusive sobre o saldo de dividendos "acruados" tem preferencia em todas as distribuicoes ate 2032... mas nao posso afirmar que a Omega durante esse periodo nao vai "morder" nenhum pedacinho das distribuicoes... pois acredito que vai... mas pela logica do negocio ofertado o XPOM11 deve ficar com a maior parte...pelo menos ate zerar os dividendos acruados.

Tenho por mim que apos 2032, muito pouco de rendimento vai sobrar para o XPOM11 e o patrimonio que lastreia as suas cotas tambem nao terá um grande valor comercial,, visto que estará praticamente todo "amortizado" e nao sei se ao termino da concessão, havera alguma indenizacao para ser recebida pelos ativos...

Ou seja... apos 2032 só Deus sabe como vai ficar... e qual será o valor "intrinseco" das cotas do XPOM11... ja que os ativos vao estar contabilmente amortizados e os prazos iniciais das concessões esgotados....

Essa é a diferenca de um ativo voltado somente para o recebimentos de rendimentos, como é o caso do XPOM11 para as acoes de uma empresa so setor eletrico por exemplo... pois as empresas usam boa parte da amortizaçao e do lucro para investir em novos empreendimentos e seu parque gerador de energia e de caixa vai se renovando constantemente.... como o XPOM11 acabou o prazo de concessão, pouco ou nada sobrará...

É só uma opiniao... tenho XPOM11 em carteira e vou mante-los por um bom tempo ainda...

342590  - nelsonnpires -  30 Set 2017, 16:06
Boa tarde Alca, entendo sua colocação, vamos ver se juntos conseguimos analisar.

1- Essa questão do item c, precisamos lembrar que o acruado tb contempla a correção monetária do período, ele basicamente composto de R$7,2 de juros mais o IPCA, portanto o valor base precisa se manter inalterado, no caso R$100,00 visto que a correção monetária e juros sendo transferido para o valor acruado, enquanto esse valor não é pago aos cotistas o mesmo tb é remunerado por 7,5% + IPCA. Supondo que todo acruado fosse pago amanha, o valor dele seria +- R$33,00 e nele contido juros mensais e toda correção monetária, a titulo de curiosidade somando todo o juros (R$7,2)ao longo da vida de xpom e descontando as parcelas pagas o valor do acruado seria muito inferior aos R$33,00 isso se justifica pela correção monetária do principal que esta indo em direção ao valor acruado. Existe um papel RBVO11 fazenda boa vista que paga 1% + IPCA, a metodologia entre eles é a mesma a diferença que em RBVO11 o adm esta pagando mensalmente o valor devido não deixando nada acruado, repare que a cota patrimonial dele não se altera ao longo do tempo de maneira idêntica que deve ocorrer com XPOM.

2- Questão amortização: Deriva do fato que a TIR de projetos eólicos são feitas considerando valor final zero. Afinal qual o valor final de uma usina eólica, antiga, sem contrato com o Proinfa de eficiência operacional baixa, e que provavelmente não conseguiria renovar seus seguros. Entra a questão da renovação da autorização, acho que projetos eólicos atuais não permitem a renovação dessa autorização. Não sei se em projetos antigos existe a possibilidade de renovação da autorização

Portanto se consideramos na TIR valor residual zero, significa que o principal investido tb deve retornar aos investidores no fluxo de caixa operacional. Aqui fica a duvida o valor do principal vai ser amortizado, mesmo que o nome não seja esse, o projeto vai ser totalmente depreciado ao longo do tempo. Esse valor que volta para Asteri, vai para qual bolso?

o Calculo da TIR considerando valor residual zero, chega nos 10% + IPCA, mas para isso cotistas de XPOM precisam receber alem dos 7,5% + IPCA tb precisam receber a parcela amortizada. de maneira que o valor doa ativos ao final de 2032 tenha valor residual próximo de zero.

Insisto que estou apenas expondo uma dúvida que na verdade nem foi minha, que no fundo é : Qual a metodologia que XPOM vai adotar para pagamento de XPOM

342586  - alca41  -  30 Set 2017, 12:08
Nelson, desculpe-me por nao ter o mesmo nivel de conhecimento sobre XPOM que voce tem, nao sei se entendi tua preocupacao com o tratamento da amortização, mas fiquei com uma duvida sobre o calculo de rentabilidade que voce propoe caso v. esteja certo quanto a amortização. A duvida se refere ao item c da sua conta. Entendo que os 7,2 referem-se aos juros que devem ser pagos anualmente, mas ai fica minha duvida - Entendo que 7,2 reais (7,2% sobre o valor inicial = 100) seria a divida no inico do projeto mas hoje este valor nao deveria ser corrigido pela inflação do periodo, chegando a algo perto de 10 reais???

Quanto a amortização, se entendi sua preocupaão ela levaria a sermos obrigados a partir de 2032 a "pagar" a amortização o que impactaria sobremaneira o lucro do que ficar em poder da Asteri....É isto mesmo?

342582  - nelsonnpires -  30 Set 2017, 04:25
xpom11

Amortização sim ou não e para quem vai

Toquei nesse assunto ha alguns dias atras, continuo achando que algo não batendo.

segue regulamento:

Artigo 33º. Não haverá amortização do principal investido ou resgate das Cotas antes do prazo de
liquidação do Fundo e não será admitida a utilização de bens e direitos, inclusive valores mobiliários,
do Fundo na amortização das Cotas.


Pergunta básica: Quais receitas que XPOM deve receber até 2032

1- Acruados, Aqui não resta dúvidas.

2- 7,5% + IPCA (idem)

3- Excedente financeiro referente a amortização disfarçada em fluxo de caixa, motivado pelo fato do valor residual em ativos de geração tendem a zero após término de sua autorização, principalmente eólicas, portando é normal ao longo da autorização o principal investido vai sendo pago em forma de receita de geração (aqui fica a dúvida, afinal essa grana vai para quem?). Nos relatórios antigos XP deixa transparecer que XPOM tb receberia esse valor, mas no regulamento deixam claro que não existe amortização portanto excedente financeiro acima de 7,5% + IPCA se houver deve ir para Omega

Não tenho certeza de como vão tratar essa questão, mas a rentabilidade muda de maneira significativa conforme o tipo de interpretação.

342508  - ispholambra -  29 Set 2017, 21:38
Fridao,
Na verdade o estranho foi eles terem anunciado todo o valor em maio...seria muito mais responsável da parte da XP se tivessem deixado pra pagar junto com os rendimentos de novembro...

Eu so estranho o fato deles nao terem negociado com mais antecedencia a liberacao...como sempre fizeram... pois o $$$ ja estava no caixa de Pipoca....

Na verdade nem era para pagarem tudo isso de rendimentos agora... pelo que eles mesmos indicaram em um dos relatorios do XPOM11, os pagamentos maiores somente aconteceriam a partir do 2020/2021...

De qualquer forma... vou manter as minhas cotas... mesmo que ainda demorem para pagar...mas que a equipe da XP que faz a gestao do XPOM11 e ruinzinha isso é...

342507  - fridao -  29 Set 2017, 21:31
Esses rendimentos faltantes do XPOM11, ainda sem previsão de pagamento, estão mexendo com a pulga atrás da orelha...

Estranho, não???...

342506  - ispholambra -  29 Set 2017, 21:19
[...]
Ja no caso do XPOM11 so vao liberar o caixa de Pipoca, que esta retido em virtude dos financiamentos obtidos... toda vez que forem pagar rendimentos vai ser necessario fazer isso... pois nao estao distribuindo somente o lucro da PCH, mas tambem a $$$ que entra no caixa de outras formas...em forma de amortizacao de ativos principalmente...

342468  - ispholambra - 29 Set 2017, 02:45
XPOM11

Anunciaram no meio de agosto que a liberacao dos dividendos extraordinarios de Pipoca dependia somente do BNDES e havia a expectativa de que se resolveria ate o fim de setembro....

Bem... o fim de semtembro chegou... sera que ja resolveram a pendenga?

Sera que teremos a anuncio de rendimentos amanha? ate porque 15 de novembro ja ja chega...

Fica a expectativa...

342404  - nelsonnpires -  27 Set 2017, 12:57
Algumas questões referente XPOM.

Quando do calculo de rentabilidade de XPOM sempre utilizei que ao longo dos anos existiria amortização dos ativos principalmente Gargaú que julgo com valor residual zero após seu contrato de fornecimento com o PROINFA e término de sua autorização junto ao poder concedente. Não tenho certeza se existe a possibilidade de prorrogação da concessão, tenho informações conflitantes e tb acho que não devem existir condições técnicas (vida útil dos equipamentos e obsolescência dos mesmos) e de seguro para sua prorrogação. Os 20 anos que é praxe em concessões em projetos eólicos é derivado dessa questão anterior.

Sobre Pipoca aqui sim temos a possibilidade de prorrogação da concessão por mais 30 anos.

Outro aspecto fundamental é que após 2032 todo o lucro de Asteri deverá se dividido entre todas as ações.

Dito isso considerava valor residual zero ao fim de 2032. Mas um conhecido colocou a questão de que não existe no regulamento a palavra "amortização" e ele questionou se de fato isso iria ocorrer, adianto que fiquei na duvida e não sei responder.

Não existindo essa amortização para as cotas de xpom necessário afirmar que XPOM recebe apenas R$ 7,20 (descontando taxas de administração) ao longo dos próximos 15 anos mais os valores acruados e ao término de 15 anos XPOM possui como ativos Gargau e Pipoca com zero de valor amortizado. Evidente que no fluxo de caixa de Gargau o originador previu que teria que existir a amortização do ativo ao longo de 20 anos, essa amortização entra para Asteri mediante a comercialização de sua energia.

Como o regulamento de XPOM define que todo lucro superior ao 7,5% + IPCA deve reverter necessariamente para ações ON no caso Omega Energia, temos que essa "amortização" disfarçada em fluxo de caixa não deve chegar nas mãos dos cotistas de XPOM.

Caso essa tese prevaleça e insisto que não tenho a resposta o cálculo de rentabilidade de +- 10% + IPCA para cotas compradas por 110,00 deixa de ser verdadeiro, teríamos que definir outros parâmetros principalmente o valor dos ativos após 2032, em outras palavras, teríamos:

a) Cota comprada por R$110,00

b) Valor acruado de R$33,00 que deve ser subtraído do valor de 110,00

c) 15 fluxos de caixa de R$7,20 ao longo dos anos até 2032

d) zero de amortização

e) Valor real dos ativos em 2032 a ser definido.

f) Calculo da rentabilidade prevista

Com essas premissas XPOM deve necessariamente pagar menos que 10% + IPCA, não quero colocar nenhuma previsão no momento por não saber nem se correto essas premissas e tb sem noção do valor real dos ativos em 2032.

Coloquei esse post apenas com o objetivo de levantar essa discussão que pode ser algo pertinente ou totalmente incorreto.

342029  - nelsonnpires - 14 Set 2017, 14:37
Atualização de FIP's

ESUD/ESUT e XPOM e para outros FIP's que não de infra.

Objetivo do momento pessoal é informar que o regulamento dos fip's sofreu alterações significativas pela Instrução CVM nº 578, de 30 de agosto de 2016 (“ICVM 578”), interessante que leiam esse instrução.

Adianto algumas mudanças importantes para nós:

1- Artigo 35º. A assembleia geral pode ser convocada pelo Administrador, por iniciativa própria ou
mediante solicitação de cotistas que detenham, no mínimo, 5% (cinco por cento) do total de cotas
subscritas.

2- Artigo 36º. Somente podem votar na assembleia geral os cotistas inscritos no registro de cotistas na
data da convocação da assembleia, seus representantes legais ou procuradores legalmente
constituídos há menos de 1 (um) ano.

Parágrafo 1º. O cotista deve exercer o direito de voto no interesse do Fundo.


Parágrafo 2º. Não podem votar nas assembleias gerais e nem fazer parte do cômputo para fins de
apuração do quorum de aprovação:
I – o Administrador ou a Gestora;
II – os sócios, diretores e funcionários do Administrador ou da Gestora;
III – empresas consideradas partes relacionadas ao Administrador ou à Gestora, seus sócios,
diretores e funcionários;
IV – os prestadores de serviços do Fundo, seus sócios, diretores e funcionários;
V – o cotista de cujo interesse seja conflitante com o do Fundo; e
VI – o cotista, na hipótese de deliberação relativa a laudos de avaliação de bens de sua
propriedade que concorram para a formação do patrimônio do Fundo.

Parágrafo 3º. Não se aplica a vedação prevista no Parágrafo 2º quando:
I – os únicos cotistas do Fundo forem as pessoas mencionadas no Parágrafo 2º; ou
II – houver aquiescência expressa da maioria dos demais cotistas, manifestada na própria
assembleia, ou em instrumento de procuração que se refira especificamente à assembleia
em que se dará a permissão de voto.

Parágrafo 4º. Os Cotistas deverão informar ao Administrador, que deverá informar aos demais
Cotistas, sobre qualquer situação ou potencial situação de conflito de interesses com o Fundo, nos
inclusive, mas não se limitando, nas hipóteses do Parágrafo 2º, incisos V e VI, imediatamente após
tomar conhecimento dela, abstendo-se de participar de quaisquer discussões que envolvam matéria
na qual tenham conflito.

O que isso significa:

Não podemos perder contato, garanto que todos juntos temos esses 5% de cotas em cada um dos fundos em questão, portanto unidos podemos convocar futura assembleia deliberativa caso isso se torne necessário.

Nossos votos nas futuras assembleias possuem um peso muito grande, reparem no paragrafo 2 dos cotistas que não podem votar, todo o grupo de controle, administrador, gestor, seus prepostos não podem votar.

Essas modificações foram muito importantes e poucos estão se dando conta. Garanto que tem adm que ficou com receio dessas modificações, o risco de eventual assembleia ter resultado diverso do que esperavam se tornou real.

Mensagem final:

Devemos nos manter unidos e em contato para que nossos direitos sejam respeitados, nunca tivemos tanta força.

341504  - alca41 -  28 Ago 2017, 13:57
XPOM - Relatorio de Julho disponivel
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatori...

341024  - ispholambra   -  14 Ago 2017, 01:52
Fridao,
Nao acredito que isso seja proposital... tenho varias teorias para esse atraso...e podem ser varios eventos juntos... ou apenas um deles... e ao fim pode ser so a demora dos bancos financiadores em liberar o caixa de Pipoca para ser distribuido... visto que as empresas nao estao distribuido so o seu lucro... mas boa parte do caixa tambem... e isso certamente pode esbarrar em alguma clausula de cobertura de garantia...

Mas vamos aos motivos mais provaveis...

IPO da Omega: Paralizaram a liberacao para ver como ia correr...

Rebaixamento das garantias fisicas de Pipoca: A PCH Pipoca devera ter as suas garantias fisicas rebaixadas em 5% em janeiro de 2018... dai podem estar esperando pra ver como vai ficar o fluxo de caixa da PCH.

Evento Societario em Pipoca: A Cemig era vender seus 49% de participacao em Pipoca para a Omega ou para outro interessado e pode ser que estejam esperando isso acontecer para liberar o caixa para a distribuicao...

IPCA Negativo ou muito baixo: dai seria uma sacanagem com os cotistas... pois poderiam estar de aproveitando desse fato para deixar o caixa das empresas aplicado e rendendo mais... e assim "diminuir" um pouco o tamanho dos dividendos "acruados" que cresceram barbaramente com o IPCA mais elevado de 2015 e 2016...

Ou ao fim... pode ser pura burocacia dos bancos financiadores mesmo...

Pelo sim pelo nao... como meu PM e menor que 75,00... eu sigo no ativo tranquilamente... pois como bem postou o Muadib a uns dias atras... a divida liquida vem caindo e XPOM11 é um ativo interessante para carregar em carteira...

Mas eu aguardo a opiniao do Nelson e dos demais colegas que tem e acompanham o ativo ...

340819 - nelsonnpires  -  08 Ago 2017, 14:29
Como tema tributação voltando a pauta...

Tributação sobre lucros e dividendos.....

Referente: XPOM11

Investidas Gargau e Pipoca que são PJ, pagam dividendos a holding Asteri tb PJ e que paga dividendos ao fundo XPOM outra PJ.

Xpom paga dividendos aos cotistas PF que por legislação especifica não é tributado.

Supondo que venham a ser tributados lucros e dividendos:

1- A tributação em ações em bolsa seria tanto para PJ como para PF, ou só para PF? Um fundo de ações portnto PJ pagaria IR e depois o cotista PF novamente pagaria IR na venda de suas cotas, ou apenas cotista PF pagaria IR e o fundo por ser PJ ficaria isento? Reparem se tributar tudo o cotista do fundo vai pagar duas vezes,

2- Especificamente XPOM, As PJ seriam tributadas sobre lucro e dividendos? Diferente de ações cotistas PF muito provavelmente mantem a isenção, mas se as PJ forem tributadas indiretamente cotistas acabam pagando a conta.

340748  - MuadibGV   -  05 Ago 2017, 22:09
Dívida líquida da Asteri continua caindo no ritmo de 10 milhões anuais, em média.
Tudo tranquilo e dominado.
Bom ativo pra se ter.

340700  - alca41  -  03 Ago 2017, 15:32
Relatorio de Junho do XPOM
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatori...

340504  - ispholambra -  31 Jul 2017 - 04:10
 5567
 19/07/2008
Alvaro,

O caso dos ESUD/ESUT e de fianca bancaria...
para a qual foi dado em garantia aplicacoes financeiras dos fundos... e
uma situacao bem mais complicada que o XPOM11...

O estranho em
XPOM11 e que a Omega vinha liberando os valores em caixa na forma de reducao de capital com alguma facilidade... estranho ter dado essa enroscada...

Mas alem das hipoteses que eu levante no post anterior... tem mais uma possibilidade tambem... bem mais conspiratoria... mas perfeitamente possivel... que e a queda para o campo negativo do IPCA....

Esse fato impacta diretamente os  rendimentos acruados do XPOM11... pois esses sao corrigidos pelo IPCA + 7,5% a.a.... com o IPCA dando negativo... e dependendo do valor que der  negativo... o saldo dos dividendos pode ser corrigido a menor...

Como as aplicacoes de Pipoca e Gargaú sao indexadas ao CDI... compensa muito mais para a Omega permanecer com o dinheiro aplicado nas empresas e deixar o IPCA negativo fazer o trabalho sujo e diminuir o valor dos dividendos acruados... e pelo vistoteremos varios meses de IPCA negativo pela frente...

Dai mais la na frente... quando o IPCA ameacar esticar para o campo positivo... eles pagam o maior valor que puderem dos dividendos acruados de uma vez só... kkkkkk

È pura teoria da conspiracao... mas e perfeitamente possivel...

Só lembrando... a uns anos atras... mencionei nesse espaco que a ausencia dos reajustes dos combustiveis pela Petrobras, igualando os preços internos aos praticados no exterior era uma estrategia do governo para segurar a inflaçao... fui ridicularizado à epoca... mas dai veio o tempo e provou que o governo estava fazendo exatamente isso...

Outra teoria conspiratoria pode ser tracada com as recentes quedas dos preços do Petroleo... idicando uma "liberdade" da Petrobras em estabelecer livremente os preços... dai baixaram bem os combustiveis aqui na minha regiao... de 3.40 o litro da gasolina... chegou a bater 2,90...mas dai veio a pancada nos impostos...e os preços voltaram para o patamar de 3,40...o que deu uma sensacao de pelo menos "empatar" para os consumidores... mas logo apos o aumento dos impostos... bingoooo!!! a Petrobras começou a reajustar vagarosamente os preços novamente...kkkkkkkkkkkk

Mas chega de falar de teorias da conspiracao e de gasolina por hoje... pois amanha é dia de PINGA!!!

Tenham todos uma otima semana!!!

340498  - ispholambra -  30 Jul 2017, 20:55
Sobre XPOM11

Fiquei contente que o IPO da Omega saiu...acredito que isso irá tirar alguma duvida que o mercado possivelmente teria sobre o XPOM11...e uma das palavras mais mencionadas no prospecto da oferta da Omega foi a palavra dividendos... isso da mais confianca no XPOM11 tambem...

Acredito que os dividendos de Pipoca estejam enroscados por um desses motivos... o possivel rebaixamento em 5% das garantias fisicas a partir de 2018... o que pode aumentar a exigencia de reservas por parte dos bancos financiadores.... ou a possivel compra dos 49% de Pipoca da Cemig pela Omega... ou ainda o fato da oferta publica estar em andamento... se for essa ultima hipotese acredito que nos proximos dias teremos alguma novidade... caso sejam uma das outras duas... ou o conjunto delas... acredito que esses dividendos demoram um pouco ainda...

340281  - fridao  - 21 Jul 2017, 21:35
XPOM não tem IR.
Nem na venda com lucro, nem nos rendimentos.

340254  - paulo_prof   -  21 Jul 2017, 01:23
Os caras que escreveram o Prospecto do IPO da Omega Energia, ou são incompetentes, ou estão agindo de má fé. Dividiram o Pat Liq da empresa consolidada pelo no. total de ações, para calcular o VPA ... aumentando artificialmente o valor. Deveriam ter considerado o Pat.Liq da empresa individual, que é sensivelmente menor.

Em 31MAR2017, o Patrimônio Líquido da Omega Energia Controladora (Individual) era de R$ 306,521 milhões. A base acionária era constituída por 312,610 milhões de ações. Em 12MAI2017 foi realizado um aumento de capital de R$ 166,861 milhões, com a emissão de 136,012 milhões de ações. Também em 12MAI2017 foi aprovado agrupamento das ações da companhia, na proporção de 10 para 1. Finalmente, ainda em 12MAI2017, o FIP DEVIII e o FIP Labda 3 pagaram à companhia, respectivamente, R$ 14,690 milhões por 35,281 milhões de bônus de subscrição e R$ 1,305 milhões, por 3,134 milhões de bônus de subscrição. Se exercidos, estes bônus dão direito a seus titulares a subscrever ações ordinárias da companhia, por R$ 20,40.

Sem contabilizar os bônus de subscrição, que podem ou não ser exercidos, após estas operações, o Patrimônio Líquido seria de aprox. R$ (306,521 + 166,861 + 14,690 + 3,134) milhões = R$ 491,206 milhões, para um total de 44,8622 milhões de ações agrupadas.

Isto dá um VPA de R$ 10,95 ... Se a OPA emplacar o preço médio da faixa prevista, R$ 19,50, já viram qual será a vantagem dos atuais acionistas de "apenas" 78%. Como pode ser observado, os atuais acioninstas não se contentaram com a enorme vantagem que já teriam se a base de ações de 31 de março fosse mantida ... Não resistiram aumentar esta vantagem, aumentando a base de ações em 43,5%, ao preço de R$ 12,27 por ação agrupada.

Mas o que mais me incomoda é o modelo de negócios da empresa. São pessoas ligadas que investem nos empreendimentos. Uma vez operacionais, estes empreendimentos são adquiridos pela empresa. Acho que há um evidente conflito de interesses ... e não confio que os ativos operacionais sejam repassados à empresa pelo preço justo.

Estou curioso para ver o valor que será determinado pelo bookbuilding e quantas ações conseguirão vender!

340246  - paulo_prof   -  20 Jul 2017, 20:32
Acho que nenhum resumo é necessário ... Hoje, os acionistas da Omega Energia são 3 FIPs: BJJ Income (com 58%), WP Income (com 36%) e Lambda 3 (com 6%). Através da oferta secundária, o FIP WP sairá do negócio. Os FIPs BJJ Income e Lambda 3 manterão as suas ações atuais, sendo "diluídos" pelo aumento de ações correspondente à oferta prímária.

Para o FIP Omega nada muda, pois continuará sendo sócio da Omega Energia na Asteri, empresa que controla 51% de Pipoca (os outros 49% são da Cemig) e 100% de Gargaú.

O que provavelmente vai acontecer no curto prazo é a Omega Energia comprar os 49% de Pipoca detidos pela Cemig.

O que vai mudar é só o capital social e os acionistas da empresa controladora de Asteri, de modo que os riscos aos quais o FIP Omega está submetido serão os mesmos.

340122  - ispholambra -  15 Jul 2017, 13:28
Preço de IPO geralmente e um absurdo... a 22 por acao sou mais TAEE11 e TRPL4... empresas ja consolidadas no seu setor...

Acredito sim que a Omega deve comprar os 40% de Pipoca da Cemig, inclusive a Cemig ja deve contar com isso .. pois a Omega é o socio majoritario de Pipoca e o comprador natural da parte da Cemig... Caso a Omega nao demonstre interesse acredito que a Cemig tera dificuldades para encontrar comprador por se tratar de participacao minoritaria...

Mas esse e um negocio certo... tao certo que a forma de venda que a Cemig Porpos no seu prospecto de vendas de ativos no caso de Pipoca foi "negociacoes societárias" ou algo parecido... o que ja indica que negociacao com o outro sócio...

Agora se a compra vai ser pela Asteri ou diretamente pela Omega ja sao outros quinhentos... como a Asteri tem o XPOM11 como socio minoritario preferencial... se a compra de ser por ela...sem a exigencia de participacao do XPOM11... a posicao no XPOM11 em relacao ao recebimento de dividendos da Asteri fica ainda mais reforçada... desde que nao imponham alguma clausula que nao vincule os 49% adquiridos da Cemig como garantia do pagamento dos dividendos....

Acredito ainda que como o XPOM11 ja tem uma posicao privilegiada no recebimento dos dividendos da Asteri... caso o mesmo seja convidado a participar da nova aquisicao... a depender do valor do aumento de capital necessario para isso... a XP nao vai indicar a entrada no aumento de capital... ou seja... para o XPOM11 tanto faz a Omega comprar ou nao os 49% restantes de Pipoca...

Mas vamos ver como os negocios se desenrolam...

340121  - alca41  -  15 Jul 2017, 11:53
Ivan, muito obrigado pelo sua visao sobre a IPO da Omea Geração. Como voce ja errei algumas vezes entrando em IPOs (entusiasmos juvenis nao mais aceitos na minha fase.....), mas como voce tenho parte razoavel do meu portfolio em energia renovavel (ESUs e XPOM) e achei que valia a pena examinar a oferta. O Que consegui ler ontem me entusiasmou no parque que eles ja tem (e que inclui nossa Asteri) e ver que tem ativos ja compromissados para compra com o capital levantado na OPA. O que me assustou foi o preço que embora ainda nao definido, me parece, mesmo o minimo da faixa, bem alto. Vou continuar olhando o prospecto para ver se o susto com o preço faz sentido, mas agradeço muito sua analise, bem como a sua visao sobre transmissao (entrei em TAESA, mesmo tendo perdido a chance durante a venda que CEMIG fez) - nao é uma excelente compra mas ainda me parece interessante, particularmente com o aperto da CEMIG que tera que se livrar nao so de Light...(por sinal, voce ve a Asteri comprando o restante de Pipoca? )

340116  - ispholambra   -  15 Jul 2017, 04:27
Alvaro,

Acho que o seu post provocou a queda da cotacao do XPOM11 hoje... kkkkkkkkkkkk

Alguma sardinha assustada confundiu alhos com bugalhos, se assustou e entregou XPOM11 mais barato...

Se essa queda persistir na semana que vem e quiça caia abaixo de 100,00/cota... XPOM11 volta ao radar das compras...

Mas sobre a oferta publica...

Eu nao gosto de entrar em IPOs... quase como regra quem entra paga mais caro e perde a oportunidade de comprar mais barato no mercado secundario depois... salvo raras excessoes... a maioria dos ativos ofertados ao mercado no "boom dos IPOs" ate hoje ainda nao recuperou o valor da oferta publica corrigido... a propria B3 é um exemplo gritante...

Mas considerando que o mercado esta bastante comprador... poderemos ter muitos investidores institucionais entrando na oferta... inclusive fundos de pensao... o que faria a procura pelo ativo explodir.... a empresa esta tentando se vender com um possivel player consolidador do mercado de energia renovavel no futuro e como uma futura otima pagadora de proventos... o que pode se realizar ou nao...

Nesse segmento de energia renovavel temos duas empresas ja consolidadas que sao a RNEW11 e a CPRE3... e ambas tem apresentado balanços de doer os olhos... com prejuizos em cima de prejuizos... entao o que faria a Omega ser um case diferente? A sua qualidade de gestao? O fato de nao desenvolver ativos e comprar somente ativos ja desenvolvidos? O custo dos financiamentos? A alavancagem financeira menor? Eu nao li todo o prospecto... ele e grande demais... mas quem esta realmente interessado em entrar deve ler e responder como e porque a Omega Energia Renovavel vai ser uma empresa muito melhor que a Renova e a CPFL Renovaveis...

Dito isso... eu complemento dizendo que eu ja me encontro exposto em demasia ao setor de geracao de energias renovaveis... com as cotas da familia ESUD11/ESUT11 e com o XPOM11...dessa forma eu to mais preferindo exposicao ao setor de transmissao de energia eletrica... que é de longe o mais previsível... e dei uma reforçada em TRPL3 e TRPL4 nesses dias...se a TAEE11 desse uma voltada para a casa dos 20,00 encarteirava mais dela tambem....

E só pra esclarecer os desavisados... essa oferta publica de acoes é da Omega Energia Renovavel... e nao do XP Omega Energia Renovavel....o nosso XPOM11 nao tem nada haver com essa oferta... e continuará firme e forte em sua trajetoria... portanto nao fiquem em panico... ou fiquem... derrubem o ativo abaixo de 100,00 por cota, que nessa faixa de valor eu posso estender a minha mao amiga para ajudar a dar liquidez aos desesperados... kkkkkkkk

Boa diversao com o propecto no fim de semana!!!

A XP INVESTIMENTOS CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., na qualidade de instituição coordenadora, vêm encaminhar anexo o Material Publicitário da Oferta Pública de DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DO OMEGA GERAÇÃO S.A, objeto de distribuição pública já registrada na Comissão de Valores Mobiliários ("CVM") nos termos da Instrução da CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, conforme alterada ("Oferta").

O Aviso a mercado contém apenas um resumo das informações contidas no Prospecto Preliminar. O investidor deve basear sua decisão de investimento exclusivamente nas informações contidas nosProspecto Preliminar e nos documentos a ele anexados e/ou incorporados por referência, incluindo, sem limitação, o formulário de referência da Emissora.


O Prospecto Preliminar está disponível nas páginas da internet indicadas abaixo:

OMEGA GERAÇÃO S.A.

Website: http://www.omegageracao.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHodQKXmoYOnHE1e8BqerXCnf-pUg">http://www.omegageracao.com.br

Link para acesso ao Prospecto Preliminar: http://www.omegageracao.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHodQKXmoYOnHE1e8BqerXCnf-pUg">http://www.omegageracao.com.br > Informações Financeiras > Documentos entregues à CVM

XP INVESTIMENTOS CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A

Website: http://www.xpi.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHWGoBVB02fqM_ZLQGw4mkyOf3zOA">www.xpi.com.br

Link para acesso ao Prospecto Preliminar: http://www.xpi.com.br/investimentos/oferta-publica.aspx&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNGACIdFtlhQI-6Zl-uT6k8WEb4u7A">www.xpi.com.br/investimentos/oferta-publica.aspx

340110  - alca41 -  14 Jul 2017, 19:57
OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DO OMEGA GERAÇÃO S.A.
Algum dos nossos colegas examinou a oferta da OMEGA GERACAO ? Pretendo examina-la no fim de semana, mas como nao sou especialista na area, agradeceria comentarios/opiniões. Interessei-me pois entendo que a Omega Geração eh a controladora da Asteri da qual o XPOM tem açoes preferenciais....

Recebi um email com a oferta que reproduzo abaixo

A XP INVESTIMENTOS CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A., na qualidade de instituição coordenadora, vêm encaminhar anexo o Material Publicitário da Oferta Pública de DISTRIBUIÇÃO PRIMÁRIA E SECUNDÁRIA DO OMEGA GERAÇÃO S.A, objeto de distribuição pública já registrada na Comissão de Valores Mobiliários ("CVM") nos termos da Instrução da CVM nº 400, de 29 de dezembro de 2003, conforme alterada ("Oferta").

O Aviso a mercado contém apenas um resumo das informações contidas no Prospecto Preliminar. O investidor deve basear sua decisão de investimento exclusivamente nas informações contidas nosProspecto Preliminar e nos documentos a ele anexados e/ou incorporados por referência, incluindo, sem limitação, o formulário de referência da Emissora.

O Prospecto Preliminar está disponível nas páginas da internet indicadas abaixo:

OMEGA GERAÇÃO S.A.

Website: http://www.omegageracao.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHodQKXmoYOnHE1e8BqerXCnf-pUg">http://www.omegageracao.com.br

Link para acesso ao Prospecto Preliminar: http://www.omegageracao.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHodQKXmoYOnHE1e8BqerXCnf-pUg">http://www.omegageracao.com.br > Informações Financeiras > Documentos entregues à CVM

XP INVESTIMENTOS CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS S.A

Website: http://www.xpi.com.br/&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNHWGoBVB02fqM_ZLQGw4mkyOf3zOA">www.xpi.com.br

Link para acesso ao Prospecto Preliminar: http://www.xpi.com.br/investimentos/oferta-publica.aspx&source=gmail&ust=1500142811988000&usg=AFQjCNGACIdFtlhQI-6Zl-uT6k8WEb4u7A">www.xpi.com.br/investimentos/oferta-publica.aspx

340048  - ispholambra -  13 Jul 2017, 03:16
Qual caso e um rolo? kkkk

Na verdade investimentos simples, sem rolos e com baixo risco sao a poupanca e alguns outros investimentos que nao rendem praticamente nada a mais do que ela...

Quem busca rendimentos mais robustos corre riscos bem maiores... e de vez em quando encontra uns rolos interessantes... que se bem estudados e entendidos podem se converter em otimas oportunidades de investimento pra quem busca rendimentos mais robustos...

Vamos ao caso que voce citou como exemplo... quem comprou XPOM11 quando ele era tido por aqui como uma otima oportunidade e segurou ele na carteira ta rindo a toa... mesmo com esses dividendos do primeiro semestre que ainda estao enrolados...

Mas vamos aos numeros... quem comprou XPOM11 entre os 70,00 e 90,00 e ficou com um PM de 80,00... tem hoje um ganho de capital de 29,00 reais por cota... ou 36% sobre o PM... e de quebra ainda embolsou rendimentos de 5,51 (primeiro semestre de 2016 ) + 7,75 (segundo semestre de 2016) + 4,02 (parcial primeiro semestre de 2017) 0 que somados dao 17,28 ou 21% sobre o PM de 80,00...isso em menos de 2 anos!!! qual investimento rendeu 57% nesse periodo???

Mas dai vem o problema... tudo tem seu time de entrada e de saida... isso e fundamental... pois quem pagou 110,00/115,00 a uns meses atras, recebeu 4,02 de dividendos e agora tem o ativo em carteira valendo 109,00 ta levando um leve prejuizo ou um lucro minimo...

Mas tudo tambem depende do horizonte de investimentos... pois o dinheiro prometido e ainda nao pago aos cotistas ja esta no caixa das empresas investidas... e hora mais hora menos vem para o bolso dos cotistas... e como teremos um horizonte inflacionário e de juros em queda, num medio prazo ate quem pagou 115,00 vai ter um belo lucro ...

E o cenario do XPOM11 se repete para a maioria dos FIIs... principalmente os de contratos atipicos e sem revisionais... quem comprou BBRC11 a 80,00/90,00 SAAG11 na mesma faixa... dentre varios outros esta no mesmo patamar de lucros do XPOM11...

Hoje pra quem esta entrando a rentabilidade e bem mais baixa... mas num cenario de juros menores e de inflaçao baixa e controlada... mesmo quem ta comprando nos preços correntes vai ter um belo retorno diante no novo cenario que se configura...

Mas, porem, contudo, entretando e todavia... concordo plenamente com voce que esta na hora de investir em boas acoes... e essa crise que segurou os preços deu uma baita oportunidade pra isso...mas como bem dizia um colega sumido desse espaço... por ora ando arriscando somente o leite (rendimentos), as vacas (FIIs e FIPs) essas eu pretendo conservar por um bom tempo ainda...

339950  - alca41  -  07 Jul 2017, 18:50
 ....o FUNDO DE INVESTIMENTO EM PARTICIPAÇÕES EM INFRAESTRUTURA XP OMEGA I (“Fundo”), vêm pela presente informar sobre atualização do saldo de dividendos acumulados a pagar.
Com a divulgação pelo IBGE, em 07/07/2017, do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo), referente ao mês de junho, de -0,23%, o saldo atualizado de dividendos acumulados e não pagos, atualizado até a data de 30 de Junho de 2017, equivale a R$ 30,88/cota.*
*Este valor é calculado desde 19/06/2013 até 30/06/2017, já considerando todos os pagamentos realizados. Este saldo consiste no valor que os acionistas preferencialistas têm prioridade sobre a distribuição de rendimentos, sendo o mesmo corrigido por IPCA + 7,5% a.a.. Seu efetivo pagamento está condicionado à existência de lucro nas empresas investidas, bem como na existência de caixa livre para efetuar essa distribuição (ver artigo 65 do Estatuto Social), e sua cumulatividade é válida até outubro de 2032.

338025  - alca41 -  17 Mai 2017, 11:18
XPOM relatorio de Marco de 2017
Amigos
recebi por email o relatorio de marco, mas nao o vejo no site nem na Bovespa. Para uma primeira visao reproduzo abaixo o inicio do mesmo

Geracao de energia

O MWmédio da Asteri apresentou elevação de 9,7% em relação ao aferido no mesmo período de 2016 (yo-y) em decorrência basicamente do aumento considerável de 44,3% no MWmédio de Pipoca e da pequena redução de 4,8% em Gargaú se comparados ao valor apurado em março de 2016.
Por sua vez, Asteri ficou 28,1% abaixo do valor esperado para o mês de março de 2017. Isto é fundamentado pela geração de Pipoca e Gargaú inferior à expectativa em 43,2% e 13,4% (P50), respectivamente.

RESULTADO ASTERI

O caixa consolidado da Asteri ficou próximo de R$35,5 MM, suficiente para arcar com futuras distribuições. A dívida Líquida sobre o PL está em 26,2%.

337431  - nelsonnpires  -  03 Mai 2017, 01:13
XPOM11

Assunto referente a revisão das garantias físicas rolando ...

Isso deve impactar XPOM, se não nessa revisão em outras.

Pela legislação as GF podem ser reduzidas em 10% sendo 5% no máximo em cada revisão. Pipoca não consegue atender suas GF, e isso ha bastante tempo, portanto ela vulnerável a esse tema.

Não tenho ideia quando isso pode ocorrer, mas que pode ocorrer isso pode. Uma queda de 10% nas GF com consequente necessidade de compra desse montante no mercado spot é complicado, lembrando que no momento existe o deficit hídrico generalizado afetando o valor do PLD.

337433  - ispholambra  -  03 Mai 2017, 03:07
Renda variável e sempre risco...mas ainda bem que podem rebaixar em no maximo 10%...isso diminui a rentabilidade com certeza... mas nao "mata" o empreendimento...

E outro "ainda bem" é que 49% do rolo é da Cemig...

A ultima materia que eu li a respeito desse tema dizia que os novos valores das garantias fisicas iriam ser estabelecidas ate 30/04/2017 e passariam a valer a partir de janeiro de 2018... e tem um monte de Hidreletricas nesse bolo ai...ate Itaipu corre risco de ter as garantias fisicas reduzidas... mas de qualquer sorte eu nao li nada a respeito recentemente...

Se voce tem alguma informacao recente posta o link ai pra gente Nelson...

A ultilma noticia que eu li a respeito esta no link abaixo...

Continuo com o XPOM11 na carteira... mesmo com esse risco...

336616  - ispholambra -  11 Abr 2017, 03:08
Citação: alca41 - Post #336611 - 10/Abr/2017 20:34
Relatorio do XPOM11 de fevereiro ja disponivel em
http://www.xpgestao.com.br/documentos/pdf/relatori...
Acho que este é o pior relatório que a XP ja divulgou do XPOM11...

Gargaú gerou muito abaixo da P50... e isso comprometeu a rentabilidade do mes... mas pode ser um fato isolado, um ponto fora da curva... já Pipoca gerou bem abaixo do esperado ... mas a geracao dela esta ruim desde que eu comprei esse fundo...

No relatorio ja atualizaram os dividendos acruados... esta em 31,07... esse valor deve incluir somente o mes de março... ja que em fevereiro estava em 29,96 por cota...

Considero a atratividade desse ativo baixa nos preços atuais...em que pese ainda estar pagando mais que a grande maioria dos FIIs e bem mais que os titulos indexados ao IPCA do Tesouro Direto, sem bem que esses são "isentos de risco", como prega o mercado...

Porem como os rendimentos do XPOM11, a exemplo dos FIIs sao isentos de IR, e XPOM11 em tese nao corre o risco de ser tributado como os FIIs correm... ele continua como uma tese valida de investimento para quem ainda nao o tem em carteira...

Eu andei vendendo um pouco para comprar ESUT11... porem ele ainda tem um peso bem grande na carteira e eu nao vendo mais... ate porque deve bater 120,00 facil ate o dia 12 de maio... quando devem anunciar os redimentos do semestre...

Rendimentos esses que a logica nos diz que deve ser menor que os 7,75/cota pagos em novembro passado... mas que podem vir ate maiores, dependendo da sede e da pressa com que a Omega esteja para diminuir a bola de neve que sao os rendimentos acruados reajustados pelo IPCA + 7,5% a.a.

De qualquer sorte, continuo no ativo... so nao compro mais...

Omega no caminho para IPO
A empresa de energias renováveis Omega prepara uma oferta inicial de ações. Segundo afirmou ao Valor uma fonte com conhecimento do assunto, o objetivo principal da operação é trazer recursos novos para a empresa. Essa transação também deve dar saída parcial aos acionistas da companhia. A Omega tem como sócios fundos das gestoras de private equity Tarpon Investimentos e Warburg Pincus, com 61,4% e 37,7%, respectivamente. Em 2010, a Tarpon e a Warburg Pincus investiram R$ 350 mi na companhia. Naquela época, a Tarpon já era controladora da Omega. A oferta será coordenada pelos bancos Bank of America Merrill Lynch, Santander e Itaú BBA. Em entrevista concedida ao Valor em fevereiro, o presidente da companhia, Antonio Bastos, disse que a Omega pretende crescer a partir do desenvolvimento de projetos próprios, mas ele não descartou fazer também fusões e aquisições. A Omega vai concluir neste semestre um investimento de R$ 1,5 bi em um parque eólico no Maranhão, seu primeiro no Estado. O portfólio total da companhia soma projetos de 3.600 MW, entre parques eólicos e pequenas centrais hidrelétricas. (Valor Econômico – 03.04.2017

OBS A Omega possui 65,4% da Asteri (os restantes 34,6% da Asteri pertecem ao XPOM11)
336403 - ispholambra   -  04 Abr 2017, 03:25
O mercado esta bem favorável para IPOs... Mas o nosso XPOM11 ta devendo uma governanca um pouco melhor hein... ate agora nada de divulgarem o reajuste dos rendimentos retidos de marco... e ja ja tem o de abril...idem o relatorio de fevereiro... ja estramos abril e nada... a equipe de gestao e muito ruim pra divulgar as informacoes...

Ja comecei a desmontar posicao em XPOM11... recentemente vendi 13% da posicao e comprei em ESUD11... acho que esse ativo vai dar muitas alegrias num futuro nao muito distante...

336406  - alca41 -  04 Abr 2017, 11:37
dificil de entender mesmo, o anuncio dos rendimentos depende de uma formula do Excel que vem sendo usada ha muito mais um "cut and paste" dos anuncios anteriores. Ja enviei 2 emails para eles e nao deram bola...

Vamos ver se o anuncio do dividendo do meio de maio nos da razao para continuar acreditando no XPOM apesar da pessima governanca.

Como voce, tambem estou acreditando mais nos ESUxs hoje. Parece-me (amador que sou) que o leilao de descontratacao abrira caminho para novos investimentos deles...Aguardemos ...

336411  - nelsonnpires   -  04 Abr 2017, 13:04
Me intrometendo no papo...

1- XP pouca influência tem na gestão de XPOM,

2- Mantive contato com o pessoal que administra Asteri, são do ramo e entendem o que fazem, Asteri em boas mãos.

3- Sobre cálculo de rentabilidade anunciada nos relatórios batem com os meus.

5- Concordo XPOM meio que largada pela XP, mas como disse isso pouco altera a administração

6- Sobre os cálculos de rentabilidade necessário considerar que o numero apresentado é o máximo de rentabilidade que XPOM pode alcançar, todo o excesso se houver é destinado a Omega

7- O que me preocupa aqui é a continuidade do déficit hídrico na região de Pipoca, infelizmente pouco mudou em relação aos últimos anos. Isso somado ao PLD alto e MRE baixo . Temos tb a questão da judicialização sobre esse tema e no momento não sabemos como vai ficar. Acho que devem chegar a algum acordo, mas ai é chute.

8- Tb troquei parte de XPOM por ESUT/ESUD e FIDC-IE, nada contra XPOM especificamente mas cálculos de retorno atual estão mais favoráveis as duas últimas.

9- ESUD/ESUT no momento com portfólio diria que mais consistente, contratação dentro do ambiente regulado, Rincão fora do MRE e do PLD e localização privilegiada na questão déficit hídrico.

336412 - alca41 -  04 Abr 2017, 13:24
Nelson, obrigado pelos comentarios, absolutamente pertinentes e esclarecedores, como sempre

Somente um ponto quanto a seu comentario sobre o deficit hidrico de Pipoca - tenho acompanhado o site do INMET e outros (climatempo, p ex) e notei que no mes passado o INMET tinha uma discrepancia em relacao a precipitacao em Caratinga. Se eu somasse a precipitacao diaria do proprio Inmet a precipitacao mensal estaria proxima do nivel da media mensal dos anos anteriores Se nao me engano a Climatempo dava no dia 30 de marco um nivel de 90% da media mensal e nao 50% como o INMET apontava...

Nao consegui saber que dado era real, e talvez voce tenha uma informacao mais acurada.

336417  - nelsonnpires  -  04 Abr 2017, 14:18
Chuvas que abastecem Pipoca diferente do que imaginamos não são de Caratinga, melhor vc analisar Manhuaçu, Simonésia e regiões próximas a elas.

Não tenho o dado exato do comportamento das chuvas mas sei que ruim, outro fator que é mais importante que o próprio acumulado de chuvas é o regime de chuvas se concentrado em poucos dias ou diluído ao longo dos períodos analisados, PCH trabalham a fio d'agua com pequenos reservatórios, portanto muita chuva num determinado período acaba sendo vertida sem passar pelas turbinas não contribuindo para geração. o ideal são chuvas regulares, fato que não ocorrendo novamente nessa região.

Infelizmente algo mudou no Brasil nessa questão de chuvas, estão claramente diminuindo no norte e leste de Minas como se o semi árido nordestino avançasse nessa direção
                                                         ▲                                               ▲

XPOM relatorio de Dezembro
Liberado o relatorio de Dezembro
os relatorios de XPOM11 viraram uma bagunca... esses dias mesmo tinham lancado um relatorio aonde apontavam 24 milhoes no caixa da Asteri... e nessa nova versao voltaram para 20 milhoes... mas se somarmos os caixas das geradoras, mesmo considerando 100% de pipoca, nao chega nos 29 milhoes...

A unica informacao valida dos relatorios e sobre a geracao... acho que nem a XP sabe de fato quanto as empresas tem no caixa...

desculpem-me cometi 2 erros

1. nao avisei que era uma ERRATA

2. nao analisei os dados, eu havia reclamado dos erros do relatorio anterior. Mesmo este, numa primeira analise, nao consegui entender (tanto Gargau como Pipoca produziram acima do esperado e Asteri ficou abaixo....) 
                                                                                           ▲                                                                      ▲

Segue o relatorio de Dezembro do XPOM11...

A geracao em relacao a dezembro de 2015 melhorou bastante... Pipoca conseguiu gerar ate acima da expectativa em dezembro...e Gargaú tambem gerou acima da expectativa em Dezembro...

O caixa em Dezembro deu uma baixada forte... assim como a divida liquida subiu... porem e um processo normal tendo em vista o pagamento dos otimos rendimentos...

Sigo confiante no ativo...
333521 - alca41 - 02/Feb/2017 11:08
nao consegui entender os numeros consolidados de geracao, usando 50% de pipoca +100% de Gargau


Estou fazendo algum erro no meu calculo?????
Dez 16
Dez 15
esperada
gargau
8.162
9.181
5491
pipoca
13.109
4.047
12.745
relatorio - consolidada
11.405
5.611
12.672
meu calculo
14.717
11.205
11.864
333523 - muadibgv - 02/Fev/2017 11:32
Queria entender por que a dívida líquida subiu dois meses seguidos. Não seria apenas no mês da distribuição?

333542 - ispholambra -  02 Fev 2017, 14:24
Eu nao sei o que eles aprontaram... mas o VPA saiu de 95,50 em novembro e foi para 101,95 em dezembro... sendo que o valor que aumentou o VPA e proximo ao valor que o caixa consolidado diminuiu de novembro pra dezembro... pode ser que por um motivo ou por outro eles tenham feito um reforço de capital nas empresas investidas...o que refletiu no valor do patrimonio liquido... mas como eu nao entendo de contabilidade... prefiro esperar os proximos numeros para ver o que aconteceu...
                                                                                                                                                                 

Saiu o relatorio do XPOM de novembro
Alca41,

Grato pelo post...

O desempenho de ambas as geradoras foi otimo... muito boa a geracao em Pipoca...

Reparei que mesmo distribuindo uma fabula de dividendos a relacao divida liquida/patrimonio liquido nao aumentou significativamente...e isso gera um conforto na hora de investir...

Quem comprar ate os 105,00 esta levando um retorno de IPCA+9,6% a.a bruto de custos... qual investimento oferece uma taxa dessas nesse quadro de queda acentuada da Selic? E o melhor... livre de IR....

Como dizia o BAC... XPOM11 era o melhor ativo da bolsa nos 70,00... e eu digo que continua sendo nos 100,00!!! 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
  
Nelson
em 6 de novembro voce escreveu:

1- Considero XPOM um excelente investimento, mas existem riscos como em qualquer outro investimento e diria que o maior deles fica na questão levantada, diminuição das garantias físicas e saída compulsória do MRE. Mesmo que ocorram esses fatos ou parte deles não significa o fim do mundo mas sim que o calculo da TIR precisa se revista. (XPOM ha tempos que não calculo seu retorno, mas deve estar na faixa de 11%aa + IPCA cota em R$100,00). 

No relatorio de outubro do XPOM, recem liberado ha, no final, uma observacao que me parece enderecar positivamente o problema potencial que v. apontava, e que diz:

Em decorrência da publicação da Lei 13.360/2016 referente à MP 735/2016 no Diário Oficial da União em 18/11/2016, a Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Pipoca não poderá ser excluída do Mecanismo de Realocação de Energia (MRE) pelo governo e, com isso, poderá usufruir do benefício de participar do MRE em períodos de escassez de chuvas na região onde está situada a usina. Mais precisamente, o Art. 24 da Lei 13.360/2016 define que usinas não despachadas centralizadamente¹ só poderão ser excluídas do MRE por solicitação própria ou em caso de perda de outorga. Por conseguinte, denota-se a nulidade da Resolução Normativa ANEEL nº 409, de 10 agosto de 2010, a qual previa a possibilidade de exclusão do MRE de usinas não despachadas centralizadamente com geração acumulada abaixo de uma banda definida, que estava em vigor desde 2010. Cabe destacar que o MRE é um mecanismo onde praticamente todas as usinas hidrelétricas do Brasil² participam e compartilham a geração de forma que os participantes mitiguem o risco da escassez de chuvas (geração) utilizando os diversos regimes de chuvas presentesno pais (complementariedades).

¹Despachadas pelo empreendedor e não pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico – ONS (caso da PCH Pipoca). ²As grandes usinas hidrelétricas participam obrigatoriamente do MRE pois são despachadas pelo ONS.

Minha leitura 'e que o risco potencial que voce apontava esta eliminado. Estou certo?
331420  - nelsonnpires -  16 Dez 2016, 22:40
[...]
Sobre XPOM11

Perfeito alca, o risco foi muito mitigado. Essa MP foi certeira no ponto levantado anteriormente.

Sobre riscos em XPOM no momento temos apenas as reduções das garantias físicas. Podem ser no máximo 5% por evento limitado a 10% no máximo ao longo da concessão.

Esse assunto na pauta de discussão do governo e questão de tempo para implementarem.

Mas....

1- No momento situação hídrica muito mais favorável para Pipoca.

2- É possível que Pipoca tenha sim sua garantia física reduzida,

3- Por outro lado o GFS deve se aproximar de 1, reduzindo a necessidade de compra no mercado de CP.

4- Resultado liquido entre item 2 e item 3 deve ser negativo para Pipoca, mas nada que mude o racional do investimento.

Resumo: O maior risco foi tirado do jogo por essa MP, redução das garantias físicas apenas atrapalha, 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
Como curiosidade: (XPOM11, Família ESUD )

Existe uma falha na Bovespa em relação ao IR na fonte "dedo duro" em relação aos FIP-IE,



Segue legislação atualizada: Reparem no último parágrafo que foi adicionado em 2016 e depois olhem artigo 63/65



Subseção VIII
Dos Fundos de Investimento em Participações em Infraestrutura e dos Fundos de Investimento em Participação na Produção Econômica Intensiva em Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação

Art. 33. Os rendimentos auferidos no resgate de cotas de FIP-IE e de FIP-PD&I, inclusive quando decorrentes da liquidação do fundo, ficam sujeitos à incidência do imposto sobre a renda na fonte à alíquota de 15% (quinze por cento) sobre a diferença positiva entre o valor de resgate e o custo de aquisição das cotas.

§ 1º Os ganhos auferidos na alienação de cotas de fundos de investimento de que trata o caput serão tributados:

I - à alíquota 0 (zero), quando auferidos por pessoa física em operações realizadas em bolsa ou fora de bolsa;

II - como ganho líquido, à alíquota de 15% (quinze por cento), quando auferidos por pessoa jurídica em operações realizadas dentro ou fora de bolsa.

§ 2º No caso de amortização de cotas, o imposto sobre a renda incidirá sobre o valor que exceder o respectivo custo de aquisição à alíquota de que trata o caput.

§ 3º No caso de rendimentos distribuídos à pessoa física, nas formas previstas no caput e no § 2º, tais rendimentos ficam isentos do imposto sobre a renda na fonte e na declaração de ajuste anual das pessoas físicas.

§ 4º O disposto neste artigo aplica-se somente aos fundos constituídos na forma prevista no art. 1º da Lei nº 11.478, de 29 de maio de 2007, que cumprirem os limites de diversificação e as regras de investimento constantes da regulamentação estabelecida pela CVM.

§ 5º Na hipótese de liquidação ou transformação do fundo, conforme previsto no § 9º do art. 1º da Lei nº 11.478, de 2007, os rendimentos distribuídos pelos fundos aos cotistas ficam sujeitos ao imposto sobre a renda na fonte às alíquotas previstas no art. 6º.

§ 6º Ressalvada a responsabilidade do próprio contribuinte pelo pagamento do imposto de que trata o § 1º, a instituição administradora do fundo fica responsável pela retenção e pelo recolhimento do imposto até o 3º (terceiro) dia útil subsequente ao decêndio de ocorrência dos fatos geradores.

§ 7º As perdas apuradas nas operações de que trata este artigo não serão dedutíveis na apuração do lucro real.

§ 8º Não se aplica às alienações de cotas a que se refere o inciso I do § 1º a retenção de imposto sobre a renda na fonte a que se referem os arts. 63 e 65.

(Incluído(a) pelo(a) Instrução Normativa RFB nº 1637, de 09 de maio de 2016)



Subseção V
Da Retenção na Fonte com Alíquota de 0,005%


Art. 63. As operações referidas no § 2º do art. 25 e nos arts. 27, 37, 58 e 60 a 62 sujeitam-se à incidência do imposto sobre a renda na fonte, à alíquota de 0,005% (cinco milésimos por cento) sobre os seguintes valores:



Subseção VII
Das Operações de Day-Trade


Art. 65. Os rendimentos auferidos em operações de day-trade realizadas em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas, por qualquer beneficiário, inclusive pessoa jurídica isenta, sujeitam-se à incidência do imposto sobre a renda na fonte à alíquota de 1% (um por cento).





Qual a falha:

Nota de corretagem em FIP-IE tanto em operações normais como DT retém o IR "dedo duro".



Como observado na legislação acima isso é incorreto.

Fiz reclamação formal a minha corretora que concordou com meu argumento. A mesma entrou em contato com a Bovespa que tb concordou, reconhecendo o erro e se prontificando a atualizar seus sistemas.

Até o momento a falha continua, apesar da corretora informar que vai realizar os estornos do IR e tb corrigir a declaração enviada a receita sobre o "dedo duro".

Como opero por mais de uma corretora, tb solicitei providencias sobre o tema.

Como aviso:

Para quem realizou operações normais ou DT em FIP-IE, importante contatar sua corretora e de posse da legislação que postei acima reclamar do recolhimento irregular do IR nas respectivas notas de corretagem.

Importante essa atitude para não terem problemas em 2017 com a declaração de ajuste anual do IR.


Agora meu desabafo: PQP, pagamos caro para um trabalho correto por parte da Bovespa e ela faz uma asneira dessas...

330238  - ispholambra -  22 Nov 2016, 00:11
XPOM11

Em relacao aos questionamentos sobre a reducao de capital de Gargaú, o resultado da reducao vai ser usado integralmente para pagar dividendos para as acoes preferenciais da Asteri...
Acontece que o XPOM11 nao e dono da totalidade dessas acoes, ou seja, nem todo o montante da reducao de capital vao para o XPOM11... uma parte vai ser utilizada para pagar os demais acionistas preferencialistas... pelo menos e isso o que eu entendi de todos os estudos que eu fiz do ativo.
Outro fato que devemos considerar é que os dividendos foram anunciados antes da obtencao da autorizacao formal do BNDES para a reducao do capital... ou seja... pode ser que cheguemos ate o dia 30 sem essa autorizacao... dai os dividendos nao vem na nossa conta...kkkk
Mas como haver negociacoes informais bem avancadas, vamos torcer para que chegue o dia 30 e os dividendos ja estejam "desenrolados"... 
Boa noticia sobre XPOM11. Chuva na regiao de Caratinga (onde esta PCHPipoca)parece normalizada. Ate ontem 135 mm no mescontra uma precipitacao media no passado de menos de 160 mm em todo mes de novembro (v grafico)....

Esta em linha com o que o Nelson previu em julho

Opinião particular, próximo regime de chuvas que se inicia no verão, Pipoca volta a normalidade em termos de geração. Essa região passou por uma seca de 2 anos motivado por um fenômeno macro que ocorre a cada 50 anos que secou o Brasil como um todo, e nesse último ano passou pelo El Nino que desloca as chuvas sentido Sul do Brasil fato que afetou novamente a região.(Lembrando que como eólica duas fases distintas de geração outono/inverno baixa geração Primavera/Verão alta geração), motivado por Pipoca trabalhar a fio d'agua, reservatório muito pequeno, portanto depende fundamentalmente do regime de chuvas.
chuvaemcaratinga58319012b162b.jpg

Só vamos saber se o regime de chuvas voltou ao normal apos um periodo mais longo... e os beneficios de uma quantidade maior de chuvas para Pipoca tambem nao é imediato... pois temos todo um trajeto que a agua da chuva tem de percorrer (escoamento superficial) para que cheque ao rio que pipoca esta situada... sendo que primeiramente vamos ver uma retencao maior da agua pelo solo... para depois sobrar agua para gerar escoamento e chegar ate pipoca...

Mas so de vermos que a seca nao esta se aprofundando ja é um alento... nao so para pipoca... mas para toda a populacao da regiao...

Alem da volta da chuva na regiao de pipoca, temos que ver como vai estar o preço da energia no mercado livre (PLD) e qual o nivel de geracao que as usinas vinculadas ao MRE terao... ou seja...chover na regiao de Pipoca ajuda bastante... mas se nao chover no resto do Brasil ... nao adianta muito dai...

Na verdade o negocio e bem complexo... mas mesmo assim XPOM11 esta se saindo razoavelmente bem...

330196 - alca41 - 20/Nov/2016 14:42
Obrigado Ivan pelos esclarecimentos, achei uma boa noticia, mas como v. deixa claro, ainda ha muito chao (e chuva se tivermos sorte) pela frente....

Nao consegui ainda entender bem o impacto da reducao de capital em
GARGAU ENERGETICA S.A. de R$ 12 milhoes a ocorrer em novembro 2016. Minha leitura de leigo eh que isto libera caixa nao so para pagar os dividendos anunciados mas para qualquer outra coisa que eles queiram fazer....Agradeceria sua opiniao e dos demais gurus do blog ......

330200  - nelsonnpires - 20 Nov 2016, 20:31
Redução de capital é normal que ocorra para pagamentos dos dividendos, sai de Gargau para Asteri e dela para os cotistas. Essa redução só é permitida mediante autorização dos agentes financiadores do projeto em caso do mesmo apresentar resultados financeiros suficientes para isso.
Asteri não pode realizar nada que não seja pagar os dividendos dos cotistas, toda entrada de capital é para essa finalidade.
Asteri não pode comprar nada nem vender nada sem autorização expressa de XPOM. E isso não vai ocorrer com toda certeza.  
                                                                                           ▲                                                                      ▲
329537  - nelsonnpires   -  06 Nov 2016, 13:23
Guto, bom dia.

Tentar separar os temas,

1- Considero XPOM um excelente investimento, mas existem riscos como em qualquer outro investimento e diria que o maior deles fica na questão levantada, diminuição das garantias físicas e saída compulsória do MRE. Mesmo que ocorram esses fatos ou parte deles não significa o fim do mundo mas sim que o calculo da TIR precisa se revista. (XPOM ha tempos que não calculo seu retorno, mas deve estar na faixa de 11%aa + IPCA cota em R$100,00).

2- Considere XPOM como fundo com prazo determinado para acabar(amortização do capital investido) mesmo sabendo que Pipoca terá renovação de sua autorização, mas como os dividendos a serem pagos serão em igualdades de condições com ações ON o resultado será bem inferior ao atual.

3- Gargau contrato com o Proinfa de 20 anos, garantias dos equipamentos por volta desse prazo tb.

4- Como vc mesmo disse, XPOM com projetos maduros e esse é um enorme diferencial do fundo, mas uma coisa é certa retorno máximo travado,no caso 7,5% + IPCA considerando zero de acruados, (lembrando que amortizações não entram nesse numero).
[...] 

Nelson,

Como foram os ventos na regiao da eolica Gargaú em setembro? Será que repetiu agosto?
E agora em outubro?
Se voce puder posta ai de onde voce consegue essas informaçoes...
Será que ate sexta eles atualizam os rendimentos do XPOM11?
E a familia ESUD/ESUT? ate agora nehuma noticia sobre a movimentacao da PCH Rincao...
To tentando garimpar na net algumas informacoes sobre os nossos FIPs IE... mas tá osso...
Nao consegui nada...kkk
328266 - nelsonnpires   -  12 Out 2016, 04:35

Ivan

Gargaú deve apresentar boa geração em setembro, outubro muito no início ainda. Mas não se atenha a gerações mensais, variação são enormes de ano para ano.

Rincão, eles não vão divulgar nada a mercado, acham que não é necessário..rs. Mas pelo que sei toda fase preliminar concluída, a obra propriamente será terceirizada, existem várias empresas especializadas nesse tipo de projeto. Função do gestor aqui é acompanhar o andamento da obra se seguindo o orçamento e o cronograma, os equipamentos eletro-mecânicos de PCH's são quase como commodities "projetos de prateleira" e essa turma com ociosidade enorme de produção. Não acho que teremos problemas aqui, PCH de 10MW não demanda nada de sofisticado, arroz com feijão. Fora que o prazo 2020 é mais que suficiente para conclusão do projeto. 
                                                                                                                                                                 
327403  - zaiss -  22 Set 2016, 13:35
Ivãn, Nelson,...outros respeitados cotistas de XPOM.
Comprei um pouco de XPOM a 98 ontem, depois fui rever os rendimentos projetados, na conta parti de XPOM a 100,00 pagando 7,5%+IPCA. Revirei no buscador as projeções e encontrei a tebela de 02/2016
FIP OMEGA DISTRIBUTIONS 88,00
Year R$ MM R$ / Cota Yield Yield Tax Adj.
2015 9,74 8,84 10,0% 11,8%
2016 10,30 9,35 10,6% 12,5%
2017 10,94 9,92 11,3% 13,3%
2018 11,90 10,79 12,3% 14,4%
2019 15,06 13,66 15,5% 18,3%
2020 16,02 14,54 16,5% 19,4%
2021 17,78 16,13 18,3% 21,6%
2022 19,64 17,82 20,2% 23,8%
2023 23,05 20,91 23,8% 28,0%
2024 23,68 21,48 24,4% 28,7%
2025 26,46 24,01 27,3% 32,1%
Comparando SAAG(112,43)que valorizou a cota em 31,04% no ano, contra XPOM(98) que valorizou 28,51 no ano, estou pensando que mesmo sendo muito caro o preço dos 2( e o Professor ter vendido SAAG com aquele racional)até 2018 as chances de SAAG ter mais valorização na cota é muito maior do que XPOM.
E que tanto na valorização da cota, como nos rendimentos o SAAG em 2 anos terá vantagem sobre XPOM?
Será que XPOM repassará a inflação na valorização da cota como SAAG?
E SAAG pagando hoje 0,73% a.m. + o reajuste no final do ano de uma parte dos contratos será que está tão caro assim? AGCX também projeta 8,XX% + inflação( já com a devolução do CDI)...
XPOM vai repassar a inflação como num contrato atípico só que muito mais longo?
Em 2019 em diante não tem comparação, mas até lá...
E a amortização dos 32,00 em XPOM vai se dar só no final?
O Ivãn ou Nélson falou em 12%+ IPCA com XPOM a 90, mas a 98 estamos em quase 7,5%+ IPCA, mais que uma NTN-B, colacando IR vai pagar bem mais, mas perde para os atípicos até 2018?

Eu acho xpom a 90,00 caro
Se pagar 9 reais ao ano da só 1% e tem o risco de queda na cotação como na história recente q foi a 69
326457  - nelsonnpires  -  27 Ago 2016, 14:25
xakal,

Acho que seu racional um pouco impreciso,

1- O objetivo do fundo é pagar IPCA + 7,5% aa com valor da cota de R$100,00 (lançamento do fundo) e não R$9,00 ao ano, aliás última distribuição semestral foi R$5,50. 

2- Como qualquer investimento em energia financiado pelo BNDES o rendimento é menor nos anos inicias e aumenta conforme amortização da divida.

3- Portanto não podemos extrapolar rendimento atual para toda vida útil do fundo, muito pelo contrario o objetivo é outro e sempre foi assim.

4- Respondendo qual a TIR esperada com cota a R$91,00. Considerando valores acruados e taxa de 7,5% aa + IPCA: Um pouco acima de 12aa + IPCA

5- Precisamos lembrar que é essa TIR é um objetivo e não uma certeza, como qualquer investimento em RV.

7- Tendo curiosidade seria interessante ler o prospecto do fundo acho que ajuda muito nos seus estudos.

9- Outra coisa um pouco mais complexa é entender mecanismos como GFS,MRE,PLD, PROINFA,vida média dos equipamentos, etc. Sem eles sua analise fica comprometida.

10- Lembrar que 2/3 das receitas do fundo proveniente de Gargau e 1/3 Pipoca

Concluindo:

Previsão de 12% aa + IPCA é muito ou pouco? Considerando que esse tipo de fundo possui dupla isenção de IR ( na venda das cotas e na renda semestral)

Ideal é compara-lo com outros investimentos, sempre lembrando de considerar IR quando for o caso e tb valor de saída para seu calculo mais preciso.

Aqui os 12%aa considero valor de saída zero quando do término da autorização de Gargau. Lembrando que Pipoca muito provavelmente terá sua autorização renovada por mais 30 anos e isso por si só faz o valor de saída superior a zero, mas fica como um "plus" sem considerarmos na renda.

Outra curiosidade Gargau recebe atualmente em torno de R$440,00 o MWh e Pipoca em torno de R$250,00 o MWh. Compare esses valores com o mercado atual, acho que vai se surpreender com Gargau. No caso de Pipoca valores alinhados com o mercado, vide próximo LER de 2016 o que significa que na futura renovação de seus contratos as receitas provenientes de sua geração não devem ser impactadas pela necessidade de baixar os valores de comercialização.
No caso de Gargau não consideramos renovação portanto valor de comercialização alto (PROINFA e pioneira no setor eólico) é fundamental, que é o caso aqui.

Insisto aqui RV e muitos fatores podem influir no desempenho do fundo e sempre lembrando que é um fundo de LP. 

E que a pergunta foi rasteira e eu respondi rasteiro Eu tenho é gosto de xpom tenho 2200 Mas minha primeira compra foi a 89 depois disso foi a 69 a cota se não tivesse recuperado estaria no prejuízo Apesar do que vc escreveu que tem fundamento eu sou do princípio de que qualquer bom negócio se faz na compra Mesmo bons produtos se você pagar caro na compra não serão bons investimentos Para mim só compro na casa dos 80,00 pra baixo

XPOM11
Otimo FIP... nos 90,00 ainda da um caldo bom...
So volta pra casa dos 80,00 de os gringos forem embora de novo... para a casa dos 70,00 acredito que nao volta mais... nem com os gringos abrindo venda total... o mercado descobriu os FIPs...
Agora um rendimento de 10% a.a. parece ruim nesse cenario de juros altos...mas um dia esse juros vao baixar... nem que seja depois de 2020... e dai quem tiver algo que pague 10% a.a vai estar sentado em cima de uma arca do tesouro...
Se a Anta voltar... o que eu nao descarto... a bagunça volta... e ate 2018 novas oportunidades de compra se abrirao... estou de olho para aumentar... principalmente em alguns FIIs e na familia ESUD...
                                                                                                                                                                 
324925  - ispholambra  -  29 Jul 2016, 00:31
Segue o relatorio de XPOM11 do mes de junho...
Resultado fraquíssimo... geracao decepcionante tanto em Pipoca quanto em Gargaú... o que esta salvando por enquanto e o preço da liquidacao do mercado livre...
Algum motivo para nos preocuparmos Nelson?
Achei os numeros muito ruins... mais ainda os de Gargaú... que era a que estava melhor...
Sera que esta acabando o vento por lá? kkk
Mas do lado positivo temos uma reducao mes a mes da divida e um caixa bem forte...
Nelson da uma luz ai...
http://www2.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfDocumentoFundos.asp?strSigla=XPOM&strData=2016-07-28T18:56:42.333

Por falar em FIP... segue o relatorio do XPOM11...
O caixa continua forte... mesmo tendo pago dividendos em maio...
Gerou um pouco abaixo das expectativas em maio... mas maio e um mes ruim para os ativos .... e com a PLD nos preços que esta isso nao preocupa... sigo firme no ativo...
O que seria o PLD?

PLD é o programa de liquidação de diferenças entre a energia gerada e a energia contratada... ele é o balizador do preço da energia no mercado livre... ou seja é o preço que uma geradora ou distribuidora tem de pagar pela energia que falta ou que sobra... esse preço ja foi de Acima de 880,00 o MW num passado nao muito distante... mas esta na casa dos 35,00 o MW atualmente... para quem precisa comprar energia quanto menor melhor... para quem precisa vender energia quanto maior melhor...
No caso do XPOM11, caso as geradoras nao gerem por algum motivo a energia contratada... elas compram o que faltar no mercado livre... entao nesse momento gerar menos nao e um problema... porem se o preço da energia no mercado livre subir muito acima dos 35,00 atuais... dai vira um problema...
Porem devida a crise... no momento existe um excesso de oferta de energia no mercado livre... por isso que o "PLD" vai ficar sempre perto do valor minimo... logo nesse primeiro momento o XPOM11 nao tende a sofrer por gerar menos que a expectativa...
Mas o relatorio deixa claro quando diz que maio , geralmente e um mes ruim para a geracao dos ativos investidos...sendo que para aferir com mais correção devemos sempre pegar o periodo dos ultimos 12 meses...
                                                                                           ▲                                                                      ▲
322157  - nelsonnpires   -  25 Mai 2016, 22:22
XPOM11

Uma dica para analisarem os relatórios de XPOM11

1- O campo "principais números" do relatório precisam ser separados em dois:

a)Primeira parte que compreende receita liquida, Ebtida, até margem liquida, são números que sofrem uma variação muito grande ao longo do ano, incorreto compara-los mês corrente com o anterior. Precisamos lembrar que usinas eólicas e pch's possuem uma enorme amplitude de geração conforme as estações climáticas do ano. Primavera, verão são estações de grande geração de energia e outono,inverno de pouca geração. Numa situação como essa a única maneira de compararmos o desempenho são acumulados de 2016 X 2015, sempre de janeiro até o mês em questão. Comparar um mês 2016 X o mesmo mês de 2015 tb deve dar muita imprecisão, motivado pelas oscilações que são normais quando analisamos um único mês.

b) Segunda parte, notadamente o caixa sofre essa influencia de maneira muito menos intensa, precisamos lembrar que Gargau distribui rendimentos na razão de 1/12 referente a produção do ano anterior e não em relação ao ano corrente e muito menos de maneira mensal. Necessário lembrar tb que Gargau representa aproximadamente 2/3 do fluxo de caixa da Asteri, isso pelo fato do valor do MWh de Gargau ser muito superior ao de Pipoca e tb pela garantia física de Pipoca comparado com o planejado em Gargau tb ser menor, (acho que o relatório de dez 2014 possui informações sobre esse tema).Apropriação de receita de Pipoca é diferente de Gargau, as mesmas são apropriadas no respectivo ano.

322115  - ispholambra   -  24 Mai 2016, 19:23
XPOM11

Continuam gerando abaixo das expectativas... porem com o PLD generoso como esta isso nao e problema...
O caixa esta muito forte e a divida vai sendo abatida mes a mes.. aumentando a expectativa de rendimentos cada vez melhores...
Com os ultimos rendimentos anunciados, e de se supreender que a cota esteja na casa nos 85,00 atuais... se nao fosse um fundo somente para investidores qualificados seria de se esperar uma cotacao acima de 100,00... mas longe de ser ruim... essa cotacao permite redirecionar os rendimentos que serao pagos em 31.05 para o proprio fundo, pois eu nao vejo nada que pague IPCA + 13,5% a.a. num cenario de queda dos juros no futuro...
Sigo firme no ativo...
Segue o relario de Abril... o que o Nelson Postou e o de março...
http://bvmf.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfDocumentoFundos.asp?strSigla=XPOM&strData=2016-05-24T12:27:41.650

Pessoal,
A tributação dos investimentos proposta pelo Juca era uma fixação do Levi...
Acredito que num primeiro momento não vão taxar aplicações nem FIIs... a tendência e aumentar impostos que não precisem de aprovação no congresso...
Tipo aumentar o prazo da incidência do IOF nos rendimentos das aplicacoes, dos empréstimos e outras iniciativas de fácil implementação...
Mas conforme os juros virem para a queda e o rendimentos dos FIIs se mantenham...daí sim eu acredito numa tributação...
A situação econômica e péssima...a recuperação será lenta...e um dos setores que mais sangram e o imobiliário...
E só uma opinião...
Ivan, vo tomar uma pinga hj. Xpom11 anunciou 5,51/cota....kkkkkkkk
Curtiu TNL?
Curtiu nelsonpires???

So vi agora... esse realmente merece um carajo!!!
É o carajo do semestre!!! Distribuiu bem acima da projeção... 
Eu nao esperava nada muito maior que 4,50 por cota... se essa distribuição se mantiver XPOM11 vai render no curto prazo mais do que a maioria dos melhores FIIs... nao vamos ter de esperar tanto para receber os dividendos mais graudos...
Realmente, na casa dos 70,00 ate os 80,00 foi uma barbada muito grande... coisa dificil de se achar...

Volta e meia comentávamos aqui né Ivan que esse ativo era a cereja do bolo...
Tá aí o resultado...
Parabéns a vc, ao Nelson, TNL que alertaram ao pessoal sobre esta excelente oportunidade...
Fora os dy acruados...


Alertamos mesmo...
É que a proposta dos FIPs sao muito sedutoras...e a do XPOM11 entao nem se fale...é muito melhor que comprar a ação de uma eletrica... por mais bem gerida, rentavel e vaca leiteira que seja...
A eletrica tem de ficar reinvestindo uma parte consideravel dos lucros... e tributada de tudo o quanto e jeito... tem de manter estruturas administrativas, de gestao e de controle muito caras... e isso consome a maior parte dos lucros...
Ja um XPOM11 da vida nao tem nada disso... alem do fato de que nesse caso especifico, as acoes preferencias que o XPOM11 tem da Asteri dao direito a receber 100% do lucro liquido em rendimentos ate o limite de IPCA+7,5% a.a ate 2032...
Ou seja, a unica maneira de nao ter distribuição de rendimentos e nao ter lucro para distribuir nas empresas investidas... mas isso e muito dificil de acontecer pois ambas as empresas investidas ja estao plenamente operacionais e tem contratos longos de fornecimento de energia...
É mamão com açúcar mesmo... kkkk  
                                                                                                                                                                 
320926  - paulo_prof  -  01 Mai 2016, 15:30
Bastante de longe ... como já mencionei noutro carnaval, o meu horizonte é de um prazo relativamente curto ... vou emplacar 70 este ano, de modo que construir um fluxo de caixa para daqui há 10 anos ou além não é prioridade.

Acho que o histórico disponível é insuficiente para que se possa traçar uma curva de rendimentos no tempo, com alguma segurança. Se não estou enganado, em 2013 foram distribuídos R$ 0,43; e 2014, R$ 7,65 e em 2015, R$ 8,84.

Qual é uma estimativa realista das distribuições que vão ocorrer nos próximos 10 exercícios?

Mais uma vez, se não estou enganado, há um único relatório (maio 2015?) que informa uma estimativa:

2015: R$ 8,98
2016: R$ 9,63
2017: R$ 10,30
2018: R$ 13,83
2019: R$ 12,99
2020: R$ 14,92

Em maio de 2015, a projeção para a distribuição de novembro de 2015 era de R$ 4,58 ... foram distribuídos "apenas" R$ 4,44 (3% a menos). Quanto será efetivamente distribuído em 2016?

Supondo que as estimativas acima do administrador sejam realistas, e considerando o preço atual de R$ 87,90, uma conta de padeiro fornece um rendimento anual médio de 14%.

A distribuição que será anunciada em alguns dias poderá ajudar a firmar uma posição.

320544 - ispholambra  -  26 Abr 2016, 03:13
Segue o relatório de março do XPOM11...

Sem novidades relevantes...só achei que a margem liquida de Gargaú caiu muito... de 34,1% em fevereiro para 19,6% em março...mas acredito que deve ter sido algum fator sazonal...
A rentabilidade bruta para quem conseguir comprar nos 85,00 e de IPCA+13,8% a.a... nada mau...
Por isso que hoje eu vi uma OC de 1.000 cotas a 85,00 pendurada no book e niguem vendeu...
http://bvmf.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfDocumentoFundos.asp?strSigla=XPOM&strData=2016-04-25T18:31:58.457

saindo do forno....

XPOM11 - relatorio de fevereiro

Alguns comentários:

1- Caixa fev 2015= 26M..Caixa fev 2016=32M

2- Div Bruta fev 2015= 86,6M...Div Bruta fev 2016= 79,2M

Próximos dividendos tranquilo.

3- Geração de Pipoca como comentado anteriormente ainda foi prejudicada, no caso atual pelo fenômeno El Nino, diria que esse fator praticamente se encerrando, portanto espero que Pipoca volte a geração normal para qual foi planejada.

4- GFS deve ficar na faixa de 92% que muito melhor que 2015(lembrando que Pipoca possui 5% de energia descontratada)

5- PLD vai andar muito próximo do minimo definido pela ANEEL, novamente excelente noticia.

6- Gargau operando conforme planejado.

7- Dolar jogou o preço na lua para novos projetos eólicos, e em menor dimensão PCH's (aqui olhem ESUD11..rs)

8- Inflação corroendo a divida bruta, alem da amortização anual, e corrigindo o valor da energia produzida.

9- Continuo no ativo....

Nelson, o que não gostei foi que a previsão de TIR (IPCA + %) veio acrescido de "bruto de custos".
Como o que nos interessa é o líquido, isso faz toda a diferença, e prejudica a previsibilidade de rentabilidade, bem como a comparabilidade com os FIIs.


Custos totais pode considerar +- R$0,70/cota ano.
Taxa de administração e gestão é baixa menos de metade desse valor.

Período de 1 de março a 31 de agosto de 2015

31.08.2015
R$..... % do PL
Remuneração da administração 148... 0,14%
Auditoria e custódia 74.... 0,07%
Taxa de fiscalização – CVM 12... 0,01%
Consultoria Jurídica 81.... 0,08%
Outras despesas 2.... 0,00%
Total 317.... 0,30%

(Despesas semestrais) 
                                                                                                                                                                 
317070  - ispholambra  -  09 Fev 2016, 22:37
XPOM11

Quando queremos, enxergamos somente os defeitos ou somente as qualidades de um ativo...
Esse problema afeta muito a nossa capacidade de julgar...
De que adianta uma empresa estar listada no Novo Mercado...ter Tag Along de 100% ... estar sujeita a um conjunto muito rigoroso de regras?
As empresas do Eike Batista , as "Xs", estavam todas no novo mercado... e todas viraram pó... tenho elas como um exemplo "extremo" de como nao adianta nada participar desse ou daquele nivel de governança... mas outros exemplos ruins nao faltam...
Só pra constar, a Cemig, que a socia majoritaria de PCH Pipoca, participa do Nivel 1 de governança corporativa... mas de que isso adianta se a empresa esta nas maos podres dos petralhas?
Para quem acredita em promessas... e olha que as vezes elas sao cumpridas... o XPOM11 e sem duvidas um dos ativos mais promissores do mercado...
Investir nele hoje e como investir numa acao de uma eletrica que já paga 10% a.a de dividendos, pois e isso que o XPOM11 paga nos preços atuais... e de quebra ainda levamos a "promessa" de que serao pagos, no decorrer dos proximos anos...à medida que os investimentos forem sendo amortizados e as dividas pagas, mais R$ 25,25 por cota de dividendos acruados e ainda nao pagos... e que sao corrigidos mensamente pelo IPCA... que alias serao corrigidos novamente dentro desse mes ainda... O proprio fundo acredita que vai zerar os dividendos acruados por volta de 2028...
Voce tem tempo para esperar? voce acredita em promessas? Diga-se de passagem que a promessa esta escrita e divulgada em relatorio aos investidores...
Se a resposta for sim... XPOM11 pode ser uma opçao razoavel para compor a sua carteira... e com um pouco e paciencia e parcimonia... podemos comprar ele na casa dos 70,00 o que da um rendimento projetado de IPCA + 15% a.a.
Mesmo nos preços atuais, para quem e mais afoito... ele ainda paga IPCA + 13% a.a.
Garantia? que garantia? nao existe nada garantido no Brasil... a unica coisa certa por aqui é que o governo esta doidinho para por a mao na tua grana... isso aqui e uma selva...
Nem no Tesouro Direto eu confio... acredito que o governo nao tera capacidade de honrar a sua divida... e isso acontecendo... seja por emissao pura e simples de moeda... seja por algum tipo de confisco... ou seja ate mesmo pela imposicao de algum imposto muito alto... quem vai pagar a conta sera o investidor...
É só uma opiniao... nao é indicacao alguma de compra... cada um sabe do seu dinheiro...
Segue o relatorio de setembro/2015, que foi da onde eu tirei a maioria das informacoes que estao acima...
http://www.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfDocumentoFundos.asp?strSigla=XPOM&strData=2015-11-09T13:12:46.237 
A respeito de XPOM

Prospecto, transcrição:

"Os investimentos do Fundo serão feitos em uma companhia fechada, a qual, embora  embora tenha de adotar as práticas de governança indicadas no Regulamento, não  está obrigada a observar as mesmas regras aplicáveis às companhias abertas  relativamente à divulgação de suas informações ao mercado e a seus acionistas, não  está obrigada a observar as mesmas regras aplicáveis às companhias abertas  relativamente à divulgação de suas informações ao mercado e a seus acionistas, o  que pode representar uma dificuldade para o Fundo quanto (i) ao bom  acompanhamento das atividades e resultados da Companhia Investida e (ii) a correta  decisão sobre a liquidação do investimento, o que pode afetar o Fundo e o valor das Cotas. "

Se já é difícil para o investidor operar companhias abertas com 100% de Tag Along, imagina isto.....
Cada um na sua...
Eu estou fora....
317004  - nelsonnpires   -  05 Fev 2016, 21:06
megalodon
Verdade:
não está obrigada a observar as mesmas regras aplicáveis às companhias abertas  relativamente à divulgação de suas informações ao mercado e a seus acionistas.

Tb verdade que:

embora tenha de adotar as práticas de governança indicadas no Regulamento, não  está obrigada a observar as mesmas regras aplicáveis às companhias abertas.

Agora verifique as praticas que Asteri precisa adotar em relação a XPOM.

A mais importante é que XPOM possui membros no conselho com poder de veto em questões que interfiram com os interesses do fundo.

Acho que isso não temos em companhias abertas de uma maneira corriqueira, com ou sem tag along... 

317005  - WK2007  -  06 Fev 2016, 01:02
Desconheço algum fundo ou modalidade de fundo de investimento no Brasil que "está obrigada a observar as mesmas regras aplicáveis às companhias abertas".

317010  - megalodom  - 06 Fev 2016, 12:16
Bom, vamos dar mais uma olhada no prospecto....

"Reorganização Societária
Os Vendedores irão realizar uma reorganização societária envolvendo a Omega, a Companhia Investida e as SPEs, por meio da qual, uma vez finalizada, os Vendedores serão titulares de ações representativas de 50% (cinquenta por cento) menos uma ação do capital social da Companhia Investida que, por sua vez, será titular e legítima proprietária  de 100% (cem por cento) do capital social da Gargaú Energética S.A. e de 51% (cinquenta e um por cento) do capital social da Hidrelétrica Pipoca S.A"

"A PCH Pipoca está localizada no leito do rio Manhuaçu, nos municípios de Caratinga e Ipanema, em Minas Gerais, e é explorada diretamente pela Hidrelétrica Pipoca S.A., uma joint venture cujo capital social é, na data deste Prospecto Definitivo, detido pela Omega e pela Cemig Geração e Transmissão S.A., na proporção de 51% e 49%, respectivamente (sendo todas as ações ordinárias).
Após a conclusão da Reorganização Societária, a Hidrelétrica Pipoca S.A. terá o seu capital social dividido da seguinte forma: 51% detido pela Companhia Investida e 49% detido pela Cemig Geração e Transmissão S.A. (sendo todas as ações ordinárias). "

"5.8.
CARACTERÍSTICAS, DIREITOS, PREFERÊNCIAS E VANTAGENS DAS AÇÕES PREFERENCIAIS
As Ações Preferenciais serão nominativas, irresgatáveis, não amortizáveis e não possuirão  valor nominal e até 31 de dezembro de 2032 (“Data de Ajuste das Preferências ”)  conferirão ao Fundo os seguintes direitos, preferências e vantagens:
a) direito de voto restrito a matérias relacionadas à proteção do investimento na  Companhia Investida, nos termos do acordo de acionistas e do Estatuto Social da Companhia Investida; "
"Adicionalmente, o Fundo terá o direito de indicar e exigir a eleição e a destituição, a qualquer tempo, de 1 (um) membro do Conselho de Administração da Companhia Investida."

Resumindo

Você comprando as quotas deste fundo estará investindo em uma sociedade anônima de capital fechado (Asteri), no qual o fundo, que é sócio minoritário, possui ações sem direito a voto, ações preferenciais.
Poderá indicar um membro do Conselho que possui 3 assentos.
O principal investimento desta Empresa é a hidrelétrica de Pipoca, que é uma holding feita com uma empresa estatal, qual seja, a CEMIG.
No tocante aos FII não terem TAG Along, isto é da natureza do negócio. O cerne da QUESTÃO é a empresa, NA QUAL O FUNDO INVESTE, SER DE CAPITAL FECHADO, sem TAG Along....
Aliás, tentei achar o Estatuto Social na Internet e não encontrei.

Concluindo (a grosso modo):

1- Você pega o seu dinheiro e entrega a terceiros (o Fundo) para que invistam.
2- Os terceiros pegam o seu dinheiro e compram ações preferenciais (sem direito a voto) de uma empresa de capital fechado.
3- A empresa pega o seu dinheiro e coloca grande parte em uma usina na qual quase a metade (das ações ordinárias- com direito a voto) pertence a uma sociedade de economia mista do Estado de Minas Gerais (CEMIG).
4-"Controlando", diretamente, o seu dinheiro investido, há um conselheiro do Fundo junto à Empresa de Capital Fechado que é sócia da joint venture com a CEMIG, que Controla a Hidrelétrica de Pipoca.

Acho que é isto. Seria interessante achar o Estatuto Social da Asteri.
Um abraço e boa sorte.

317012  - Barbado   - 06 Fev 2016, 12:41
Valeu....

Não gostava desse fundo porque achava-o de difícil compreensão, "n" variáveis, dezenas de passarinhos voando para serem entregues lá na frente.

Mais um motivo para ficar de fora.

Grato pela postagem.

317018  - nelsonnpires  -  06 Fev 2016, 16:07
XPOM

Concluindo (a grosso modo):

1- Você pega o seu dinheiro e entrega a terceiros (o Fundo) para que invistam.
2- Os terceiros pegam o seu dinheiro e compram ações preferenciais (sem direito a voto) de uma empresa de capital fechado.
3- A empresa pega o seu dinheiro e coloca grande parte em uma usina na qual quase a metade (das ações ordinárias- com direito a voto) pertence a uma sociedade de economia mista do Estado de Minas Gerais (CEMIG).

4-"Controlando", diretamente, o seu dinheiro investido, há um conselheiro do Fundo junto à Empresa de Capital Fechado que é sócia da joint venture com a CEMIG, que Controla a Hidrelétrica de Pipoca.

Acho que é isto. Seria interessante achar o Estatuto Social da Asteri.
Um abraço e boa sorte.



Diria que um pouco diferente:

1- Correto

2- Observe acordo de acionistas... sobre direitos do fundo.

3- Incorreto: Na verdade 2/3 das receitas provenientes de Gargau e apenas 1/3 de Pipoca. Mesmo Pipoca Cemig alem de sócio minoritário não é o operador.

4- Vide item 3

5- Diferente de sua analise onde ações ON são melhores que ações PN, no caso especifico ações PN possuem prioridade de recebimento dos dividendos em detrimento das ações ON até 2032. Portanto garanto que os detentores de ações ON as trocariam de bom grado por ações PN.

6- FIP-IE possui uma legislação própria que deve ser seguida inclusive para se valer da isenção de IR. FIP com empresas constituídas e funcionando como é o caso de Asteri existem mediante a criação de uma SPE com todas as regras inerentes a ela.


DESCRIÇÃO DO ACORDO DE ACIONISTAS (pag 75)
O Fundo e a Omega, com a interveniência anuência da Companhia Investida e da Gestora, celebrarão um acordo de acionistas, o qual será devidamente arquivado na sede da Companhia Investida, nos termos da legislação, por meio do qual serão estabelecidos os princípios gerais da Companhia Investida, os direitos e obrigações da Omega e do Fundo na qualidade de acionistas da Companhia, e regras relativas à transferência e exercício dos direitos inerentes às ações de emissão da Companhia Investida.
O acordo de acionistas preverá mecanismos para permitir ao Fundo sua participação no processo decisório da Companhia Investida, notadamente por meio da eleição, pelo Fundo, de 1 (um) dentre os 3 (três) membros que formarão o Conselho de Administração da Companhia Investida.
Adicionalmente, o referido acordo de acionistas estabelecerá mecanismos visando a proteger os direitos conferidos às ações preferenciais de emissão da Companhia Investida, que serão adquiridas pelo Fundo. Referidas ações preferenciais conferirão ao Fundo direito a 1 (um) voto nas deliberações da assembleia geral da Companhia Investida que deliberarem sobre matérias essenciais relacionadas às diretrizes do seu negócio, tais como:
(a) alteração ou modificação do objeto social da Companhia Investida;
(b)realização de operações que impliquem a disposição, alienação, transferência ou constituição de gravames de, substancialmente, a totalidade dos ativos fixos da Companhia Investida;
76
(c) realização pela Companhia Investida de investimento em projetos que não sejam PCH Pipoca ou CGE Gargaú, quando tal investimento possa efetivamente afetar a capacidade de a Companhia Investida pagar o dividendo prioritário das ações preferenciais no exercício social em que esse investimento for realizado;
(d) criação de novas classes ou espécies de ações ou valores mobiliários conversíveis em ações da Companhia que possam afetar o dividendo prioritário das ações preferenciais;
(e) alteração dos direitos, vantagens e características das ações preferenciais;
(f) modificação ou alteração do dividendo prioritário das ações preferenciais;e
(g) alteração no Estatuto Social da Companhia Investida que resulte na modificação da competência da assembleia geral para deliberar sobre qualquer das matérias em referência.
De acordo com o Estatuto Social da Companhia Investida, as matérias mencionadas acima exigem quórum qualificado de aprovação (75%, no mínimo, das ações com direito a voto).O Fundo, portanto,conseguirá vetar a aprovação de tais matérias, na medida em que será detentor de50% (cinquenta por cento) menos uma ação do capital social total da Companhia Investida.
                                                                                           ▲                                                                      ▲
Retirado do relatório de XPOM11:

A tabela abaixo considera nosso cenário base para distribuições de proventos pelo fundo,sabendo que as mesmas dependem, entre outras coisas, da geração de caixa dos ativos subjacentes:

FIP OMEGA DISTRIBUTIONS 88,00 (Cotação base para o cálculo na época):

Year R$MM R$/Cota Yield Yield Tax Adj.
2015 9,74 8,84 10,0% 11,8%
2016 10,30 9,35 10,6% 12,5%
2017 10,94 9,92 11,3% 13,3%
2018 11,90 10,79 12,3% 14,4%
2019 15,06 13,66 15,5% 18,3%
2020 16,02 14,54 16,5% 19,4%
2021 17,78 16,13 18,3% 21,6%
2022 19,64 17,82 20,2% 23,8%
2023 23,05 20,91 23,8% 28,0%
2024 23,68 21,48 24,4% 28,7%
2025 26,46 24,01 27,3% 32,1%

Olha que maravilha!!!
Sem falar nos DY acruados que hoje somam R$ 25,25...

Considerações:

1- IGPM que corrigiu os contratos (Pipoca e Gargau) para 2016 acima de 10%

2- GFS girando em 91% ao longo de 2016. 2015 não me lembro agora mas na faixa de 83%

3- Pipoca 95% energia contratada

4- Diferença de 4% necessário comprar no mercado spot.

5- Aqui temos o grande diferencial... PLD que andou orbitando em R$ 388,44 que era o máximo estipulado em 2015 e que no final do
ano começou a cair, agora temos ao longo de 2016 uma previsão da ANEEL que o PLD fique no minimo estipulado que é R$ 30,25.

Situação em 2016 muito mais confortável para geração de caixa do que 2015 e tb 2014.

315422  - nelsonnpires   -  15 Jan 2016, 23:24
XPOM

PLD no SE/CO chega ao valor mínimo no Sul, Norte e Sudeste/Centro-Oeste.

O PLD para o período de 16 a 22 de janeiro caiu em todos os submercados, sendo fixado em R$ 30,25/MWh, valor mínimo estabelecido pelo órgão regulador para 2016, no Sudeste/Centro-Oeste, Sul e Norte. O preço no Nordeste também foi reduzido e passou de R$ 317,30/MWh para R$ 309,97/MWh, queda de 3% frente ao valor da última semana.

A previsão das afluências em janeiro passou de 92% para 110% da média histórica no Sistema Interligado Nacional. A elevação, que totaliza 17.300 MW médios, é esperada em todas as regiões com destaque para a Sudeste, que passa de 102% para 126% da Média de Longo Termo. As Energias Naturais Afluentes da região Sul foram revistas de 214% para 216% da média história, seguidas pelas afluências do Norte, de 30% para 39% da MLT e Nordeste, de 29% para 35% da média.


PLD baixo é sempre uma excelente noticia para XPOM.

300347  - nelsonnpires  -  01 Jul 2015, 17:15
XPOM11

Relatório longo e detalhado, pouca coisa para acrescentar, melhor a leitura do mesmo....mas:

1- Mudaram a estimativa de geração em Pipoca ao longo do tempo, bem mais conservadora.
2- Adotaram geração de Gargaú em 95% do projetado de maneira conservadora, apesar da geração real atual bem acima desse numero.
3- Com essa novas estimativas temos:
a- TIR não muda em relação as estimativas anteriores. TIR projetado com cota valendo R86,00 = 11,7%aa mais IPCA
b- Aumento da duration dos preferencialistas, fluxo total não se altera mas seu recebimento vai se alongar em relação as estimativas anteriores
4- Dados informados com cota valendo R$86,00 e valor acruado de R$18,67. Lembrando que semana que vem esse valor deve ter um incremento em torno de R$1,30 (IPCA de junho + 7,5% aa)

294983 - nelsonnpires -  16 Abr 2015, 02:39
Tnl

Como Small comentou, principal risco é geração ruim.

Mas lembrando que:

1- Asteri tem prioridade no recebimento de dividendos.
2- Gargau produzindo ou não energia tem garantia de receber no minimo 70% do projetado, conforme contrato .
3- Deficit hídrico se fazendo muito presente e não deve melhorar pelo menos até verão de 2016.
4- Gargau e Pipoca tem representatividade no fluxo de caixa de 2/3 e 1/3 respectivamente.

5- Essa preferencialidade das ações do fundo representa que fluxo de caixa igual ou superior a 60% do planejado é capaz de garantir o recebimento da renda combinada de IPCA + 7,5% por parte do XPOM11.

Resumindo:

a- No CP essa questão hidrológica pode interferir no potencial de distribuição de dividendos. Ou seja pagarem menos do que seria de se esperar, como Gargaú produzindo acima do planejado eu particularmente não sei estimar qual a resultante disso, mas concordo com Small que a renda TOP só a partir do próximo ano.
b- No MP/LP enxergo Asteri com muita confiança de pagar os dividendos combinados.
c- Fluxo de caixa aqui é semestral portanto pior que fii's.
d- Isenção de IR tanto na renda como na venda de cotas acho muito interessante. E para melhorar considero o tipo de investimento onde o governo dificilmente iria alterar essa isenção fiscal que FIP-IE tem direito.( Esse fato para mim foi determinante).
e- FIP-IE considero um excelente meio para diversificação de investimentos.

294963 - small caps  -  16 Abr 2015, 01:17
tnl, XPOM11 é um bom veículo para diversificação de riscos.

O maior risco é a geração de energia das controladas não ir bem. Atualmente o péssimo momento da hidrelétrica tem sido compensado pelo excelente momento da eólica.

Este ano ainda não deve ter rendimento TOP.

Mas tem tudo para melhorar ano que vem, principalmente pelo desempenho da eólica.

Para fluxo de caixa, efetivamente FII tem suas vantagens.

292451 - nelsonnpires  -  21 Mar 2015, 15:43
XPOM11

Tentar descrever um pouco desse fundo, mas insisto necessário lerem o material existente sobre o mesmo.

1- FIP-IE.. Fundo incentivado pelo governo para investimento em projetos de infraestrutura. Existe todo um arcabouço técnico e jurídico para que o mesmo seja enquadrado nesse tipo de investimento.

2- Existem basicamente dois tipos de investimentos em FIP-IE, O primeiro em projetos que serão desenvolvidos o segundo em projetos existentes destinado a “renda”. XPOM entra no segundo caso visto que as companhias investidas pelo fundo se encontram em funcionamento desde final de 2010.

3- XPOM possui 34,6% da holding Asteri e a mesma proprietária de 100% de Gargaú e 51% de Pipoca. Gargaú empresa de energia Eólica localizada no litoral do Rio de Janeiro quase divisa com Espirito Santo, pelo Atlas do Potencial Eólico Brasileiro podem perceber nitidamente as características únicas de Gargaú dentro de sua região “sudeste”. Pipoca pequena PCH localizado em Minas Gerais entre a cidade de Caratinga e Ipanema, tendo como sócio a Cemig.

4- Gargaú, e Pipoca representam 2/3 e 1/3 respectivamente no fluxo de caixa da Asteri.

5- Tanto Pipoca como Gargaú se valem de inúmeros incentivos governamentais pelo seu porte no caso de Pipoca e pela questão de uma nova matriz de geração no caso de Gargaú.

5- BNDES financiou as duas empresas dentro do projeto de incentivos do governo federal para empresas destinadas a novas fontes de geração de energia. Esse financiamento sendo pago pelo sistema SAC, mensalmente são pagos os juros e amortizado uma parcela do principal, que basicamente significa que mês mês Asteri desembolsa menos capital para pagamento de juros e continuamente o principal da divida vai diminuindo até seu fim previsto para daqui 10 anos.

6- XPOM foi desenhado como um fundo de renda com direito de receber IPCA + 7,5% sobre o capital aportado no incio do fundo.
Ele foi desenvolvido como fundo de LP onde as receitas no seu inicio são incipientes para logo em seguida receber o que ficou “acruado” e apos isso entra em velocidade de cruzeiro até 2032. Significa que inicia recebendo pouco, passa por uma fase de receber acima do projetado para compensar seu inicio e finalmente recebe o que foi combinado 7,5% + IPCA.

7- Asteri possui duas classes de ação, ON pertencente a Omega e PN pertencente ao fundo XPOM.

8- A diferença básica entre elas é que as ações PN da XPOM possui preferencia no recebimento de dividendos resultantes da holding Asteri. Significa dizer que todo o lucro gerado pela Asteri vai primeiramente para a XPOM até o limite de IPCA + 7,5% e só após esse evento concluído Omega começa a receber seus dividendos. Esse fato foi fundamental para dar segurança adicional que a renda projetada de IPCA + 7,5% seja efetivamente recebida. Através das ações PN do XPOM podemos dizer que a renda de 7,5% + IPCA será alcançada a partir de um fluxo de caixa da holding Asteri de 60% ou mais do inicialmente projetado.
Até o momento esse fluxo de caixa se encontra dentro da faixa de 100% do projetado, dando tranquilidade para os cotistas da XPOM.

9- Importante dizer que XPOM possui direito a apenas 7,5% + IPCA ,qualquer valor superior a isso gerado por lucros maiores é de propriedade da empresa Omega. A duração desse item vai até 2032, quando deixa de existir, e simultaneamente a preferencialidade das ações PN da XPOM tb deixam de existir, ou seja após 2032 todas as ações da Asteri possuem as mesmas características.

10- Falar de uma parte importante…rs. Atualmente XPOM possui direitos de R$17,67 que estão acruados. Assim que divulgarem o próximo IPCA no inicio de abril, esse valor acumulado vai ficar pouca coisa abaixo de R$20,00.

11- IPCA + 7,5% usam como base o valor inicialmente aportado de R$100,00/cota. Como a cota atual no secundário vale 87,00 e como temos direitos acumulados de 17,65, na verdade estamos pagando R$69,35 por cota e que daqui mais duas semanas pelo novo IPCA que vai estar na lua seria o mesmo que pagarmos R$67,50 aproximadamente.

12- Falei anteriormente sobre IR que totalmente isento tanto na renda como na venda de cotas. Dividendos são pagos semestralmente. São pagos no fim de maio e fim de novembro e ficam ex no meio do mês em questão.

13- O item 11 e 12 fazem com quem comprar cotas nessa situação tenha renda “real” motivado pela inflação…rs. Renda essa de mais de 30% da inflação analisada, portanto digamos inflação de 6% ano, cotista que comprar cota a 87,00 vai receber mais R$1,80 em renda alem dos R$7,50 projetados inicialmente base cota valendo R$100,00

14- As autorizações podem ser ou não renovadas.Pipoca bem provável essa renovação, Gargau realmente não sei se vai ocorrer essa renovação.
Mas partindo da premissa de não renovação os ativos não amortizados devem ser indenizados pelo poder concedente. Esse valor não é informado explicitamente, nos relatórios usam dois parâmetros…40% em condições normais e 0% em condição de stress.

15- Utilizei valor de saída de 25% do valor inicial das cotas, acho que bem conservador. Mas mesmo valor de saída 0% não iria mudar muito o retorno final, isso motivado pelo longo prazo dos contratos atuais. Caso queiram usar valor de saída 0% o retorno estimado seria 10,8% + IPCA já descontando custos administrativos.

16- Particularmente prefiro ter um contrato de 18 anos com objetivo de IPCA + 11,5% ao invés de IPCA + 14% num contrato de 5 anos por exemplo. Já comentei sobre isso, essas taxas de 12% reais para mim são anomalias e não vão ficar assim por muito tempo. Portanto estou tentando amarrar uma renda de LP que julgo ser impossível que fique assim por muito mais tempo.

17- Lógico que vão perguntar se existem riscos…… Sempre existem e devem ser analisados, mas considerei riscos e retorno estimado nesse momento extremamente assimétricos. Mesmo supondo que XPOM não consiga entregar tudo o que coloquei aqui, que entregue parte disso, mesmo assim seria um excelente retorno.

Acho que cansei de escrever...rs

Nenhum comentário: