Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

BC FUND CI (BRCR)


Recomendações
Compra: jbpmeira (out/16
Carteiras
amigo_investidor (jan/16) - ch3481 (jan/16, fev/16jun/17) - Danielrp1986 (set/17jan/20) - disc126 (jan/16, fev/16) - eduardojose (ago/15) - fridao (mar/16) - fvolpato (jan/16) - gguimaraes (jan/16, fev/16) - guga10 (jan/17) - Guinsanity (mai/16, jun/16) - harisonoliveira (mar/13) -  harleyhr (ago/16, set/16) - jbpmeira (jan/17) - jprio (mai/19) -  malaufer (jan/16, fev/16) - mateuscampara (jan/16, fev/16) - nelbr (ago/17) - pinheiro87 (jan/16fev/16, mar/16, abr/16, mai/16, jun/16jul/16, ago/16, out/16, nov/16, dez/16, jan/17, fev/17mar/17, abr/17mai/17fev/18, mar/18abr/18) - pocunha (jan/18) - Ronimendes (jan/16, fev/16, mar/16, abr/16mai/16) - small caps (jan/16fev/16, mar/16) - tota_57 (abr/18) - Utah100 (jan/17) - vellinhotrt4 (mar/13) - zaiss (fev/16, mar/16) - ZOTTI (set/15)
Balanços

Características

Links
      

351449 - keep_calm -  22 Jun 2018, 21:39
BRCR11 - seu valor de mercado está bastante abaixo do valor patrimonial, sendo um dos poucos nessa situação. Pode ser uma boa aposta para investimento em valor;
[...]

345033  - nelsonnpires  -  08 Dez 2017, 12:52
BRCR11
Novo FR..

E
A BTG PACTUAL SERVIÇOS FINANCEIROS S.A. DTVM, instituição financeira, com sede na Cidade e
Estado do Rio de Janeiro, localizada à Praia de Botafogo, 501, 5º Andar (Parte), Torre Corcovado,
Botafogo, Rio de Janeiro, Brasil, CEP 22250-040, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 59.281.253/0001-23,
devidamente credenciada na Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) como administradora de
carteira, de acordo com o Ato Declaratório CVM nº 8.695, de 20 de março de 2006 (“Administradora”),
e a BTG PACTUAL GESTORA DE RECURSOS LTDA., com sede na Cidade e Estado de São Paulo, na
Avenida Brigadeiro Faria Lima, nº 3477, 14º andar - parte, inscrita no CNPJ/MF nº 09.631.542/0001-37
(“Gestora”), na qualidade de administradora e gestora, respectivamente, do FUNDO DE
INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND (“FII BC FUND”) e do
FUNDO DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII PRIME PORTFOLIO (“FII PRIME PORTFOLIO”), em
conjunto “Fundos”, vêm pelo presente, em complemento ao Fato Relevante divulgado em 05 de
dezembro de 2017, informar ao mercado que em 07 de dezembro de 2017 receberam esclarecimentos
da GTIS Partners Brasil Aquisições e Participações Ltda. (“Proponente”), nos quais a Proponente reitera
sua proposta, não vinculante e não solicitada apresentada em 04 de dezembro de 2017 (“Proposta”) e
informa que a mesma considera, dentre os ativos que pretende adquirir, apenas as cotas do FUNDO
DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO – FII CENESP, inscrito no CNPJ/MF sob o n.º 13.551.286/0001-45 (“FII
CENESP”), detidas diretamente pelo FII PRIME PORTFOLIO, que representam aproximadamente
78,04% das cotas emitidas pelo FII CENESP.
Tendo em vista a informação acima, a Proposta corresponde a um valor patrimonial líquido (net equity
value) por cota do BC Fund de R$ 114,61 (cento e quatorze reais e sessenta e um centavos),
considerando a data base de 31 de outubro de 2017, data do último fechamento contábil divulgado
pelo Fundo.
Reiteramos que a Gestora se pronunciará sobre a Proposta oportunamente, finda sua análise, que
considerará, dentre outros fatores, o laudo semestral de avaliação dos ativos realizado por consultor
independente que será divulgado em breve, seguindo a periodicidade previamente adotada pelo
Administrador (maio e novembro de cada exercício).
São Paulo, 08 de dezembro de 2017.

1- O que mudou? Nada, apenas o comprador deixando explicito que sua proposta é pelas cotas detidas pelo BRCR no Cenesp. Foi essa interpretação que casou divergência em relação ao valor patrimonial liquido divulgado na primeira proposta. O correto é 114,61. Melhor que o administrador imaginava portanto.

Infelizmente existe dono de blog que faltou a aula de interpretação de texto. Errou na interpretação aqui e errou no FVBI11.

Não tenho cotas nem em BRCR nem em FVBI11 e não gosto do BTG, mas isso não seria motivo para mudar a interpretação dos comunicados de maneita tendenciosa.

Novamente vale a dica: Tomem cuidado com que leem na net.

336395  - pedrosousa   -  03 Abr 2017, 23:19
INFORMATIVO MENSAL - MARÇO/17

São Paulo, 03 de Abril de 2017 - O FII BTG PACTUAL CORPORATE OFFICE FUND ("BC Fund"), (BM&FBOVESPA: BRCR11), maior fundo de investimento imobiliário de lajes corporativas listado em bolsa do Brasil, divulga nesta data o informativo mensal de Março de 2017.

Últimas Notícias

No mês de Março foi assinado novo contrato de locação para o 2º andar do edifício Eldorado, que tem 1.898 m² e corresponde a 4,2% da ABL do edifício. O contrato se iniciou no mês de abril e tem duração de cinco anos, com valores em linha com o mercado.

No dia 13 de abril de 2017 será realizada a Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária de Cotistas do Fundo onde será deliberada a aprovação das demonstrações financeiras de 2016 e a eleição dos membros do Comitê de Acompanhamento de Cotistas. Também será realizada uma apresentação do mercado de escritório de São Paulo e do Rio de Janeiro, por um renomado especialista do mercado, que destacará o momento atual do setor e suas perspectivas.

A rentabilidade total para o cotista no último mês considerando rendimentos distribuídos e o valor da cota foi de -0,9%, enquanto o Ibovespa registrou variação de -2,5%. A liquidez média diária na bolsa (BRCR11) foi de R$ 3,1 milhões no período e a cotação no mercado secundário fechou o mês a R$105,25 por cota.

Desempenho Financeiro e Operacional - Fevereiro/2017

A receita contratada de locação(2), em fevereiro/17, foi de R$ 15,1 milhões, a queda em relação ao mês anterior se deve a rescisão da Petrobras no Torre Almirante. A vacância financeira do portfólio, em fevereiro de 2017, representa 28,5% em termos de receita de locação potencial e 30,9% sobre o total de ABL em m².

A vacância ao final de fevereiro de 2017 correspondia a 24.666 m² no Torre Almirante, 25.530 m² no CENESP, 8.271 m² no Cargill, 5.310 m² no Flamengo Park Tower, 3.859 m² no Eldorado, 1.874 m² no Montreal, 755 m² no Burity, e 525 m² no Transatlântico.

Nos três meses seguintes, 16% da carteira de contratos será reajustada pela inflação, enquanto que, neste período, não teremos expirações nem processos de renovação.

O lucro líquido por cota e o FFO ajustado(4), em fevereiro/17, foram de R$1,53 e R$0,50/cota, respectivamente, sendo que o valor distribuído em forma de rendimento para os cotistas foi de R$ 0,96/cota.

Ressaltamos que no FFO ajustado de fevereiro/17, foi expurgado o montante recebido de multa rescisória da Petrobras, antiga locatária do Torre Almirante. Isto porque, o FFO Ajustado é uma métrica que utiliza as receitas e despesas recorrentes do Fundo, excluindo o efeito das receitas e despesas não recorrentes, como esta multa rescisória.

Para acessar o Informativo completo, clique aqui.

Contato RI
contato@bcfund.com.br
+55 11 3383 2000
www.bcfund.com.br

Sobre o BC Fund:
O BC Fund é o maior fundo de investimento imobiliário de lajes corporativas listado em bolsa do Brasil, em termos de patrimônio líquido. Suas cotas vêm sendo negociadas em mercado organizado da BM&FBOVESPA desde seu IPO, ocorrido em dezembro de 2010. O BC Fund foi constituído em junho de 2007 e, desde então, adota uma gestão ativa de sua carteira, com o objetivo primordial de investir em escritórios comerciais de laje corporativa com renda no Brasil, estrategicamente localizados em grandes centros comerciais, por meio da aquisição de imóveis comerciais de escritórios ou direitos relativos a imóveis, prontos ou em fase final de construção. 
Small, vc acha que o rendimento do BRCR11 ficará abaixo de 0,70 cota/mês? A 105,00 ainda é uma boa compra em sua visão?
ag08, acredito que ficará entre R$ 0,65 e R$ 0,70 num primeiro momento, enquanto o Torre Almirante não seja esvaziado. Depois cairá para algo entre R$ 0,45 e R$ 0,50 até que novas locações sejam anunciadas.

O preço de R$ 105,00 não oferece mais desconto em relação ao mercado secundário de FII. Mas a cota deve andar ao sabor do anúncio da vacância do Torre Almirante e dos juros futuros, que atualmente indicam que a SELIC poderá ser baixada ainda este ano. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲

Ilustres, sobre BRCR11.

O fundo esteve de graça recentemente. Subiu 40% num foguete, sem paradas. Nesse valor o m2 estava ridicularmente baixo, mesmo que um cenário de vacância extrema ocorresse.

Após a amortização, não havendo continuidade dos juros na economia brasileira, a tendência será de um pouco de queda da cota, pois o investidor ainda é muito reativo e possivelmente reagirá a queda dos rendimentos, embora esperada. O rendimento passará a espelhar o fluxo de caixa real.

Na análise desse fundo, é importante que se distingua uma coisa em relação aos fundos de um imóvel só. Por aqui, as reformas e retrofits são apuradas como investimento (o que na maioria das vezes é justo), e não afetam o rendimento mensal. Já nos fundos de um imóvel só, com pouco caixa, é necessário reter esse caixa. Vide vários fundos de shoppings afetados com esta situação e os imóveis como Torre Norte quando passam por retrofit.

A obra do BFC foi financiada dessa forma. 

Apenas mais um elemento para análises.
Mestre Small, te devo mais esta comprei um tanto deste fundo ao preco de R$ 76,00.....Você não está posicionado em nenhuma acao? Se sim, qual a faixa de preco de entrada......Abcs mais uma vez

bob, há que se garimpar bem para achar o que comprar neste mar recessivo. Ainda é muito mais fácil viver de renda dos atípicos.

Para aqueles que começam agora sua "carreira financeira", vale a pena pesquisar bastante.

Meu momento é de defesa. Jogo com o regulamento debaixo do braço. 
                                                                                           ▲                                                                      ▲
320258  - pinheiro87  -  15 Abr 2016, 19:11
Vale lembrar que em janeiro o BRCR11 vendeu 3 imóveis por um valor de 365 milhões. Vão distribuir agora 400 milhões.
Acho que muda pouca coisa na questão do caixa, se não me engano o XTED fez algo parecido quando vendeu um dos prédios.

Provavelmente vão diminuir o rendimento mensal, visto que estão distribuindo há tempos acima do FFO.
Mas como o valor da cota vai cair, o DY deve se manter constante.

Achei boa a amortização, se eles não sabem em que alocar a $$$, melhor devolver mesmo.
Se for para pagar taxa de gestão todo mês pra eles comprarem LFT é melhor que eu mesmo faça.

316681  - small caps   -  02 Fev 2016, 02:06
Excelente balancete do BRCR11:
http://www.bcfund.com.br/bcfund/web/default_pt.asp?idioma=0&conta=28

Destaque para o cap rate de 17,2% (pornográfico) com a vacância atual, que vai subir com a petro... e que seria de mais de 19% !!! 100% ocupado.

Destaque para a REDUÇÃO de vacância neste cenário apocaliptico da economia.

E, ainda, para o lucro de R$ 60 milhões com a venda dos imóveis em janeiro...

Lançada a campanha: Queremos BRCR de volta aos R$ 76,00 !!!!

176311 - small caps -  28 Mar 2013, 01:36
Na torcida para que um dia os demais FII sigam o exemplo.

Resultado do BRCR11. Amanhã tem TELECONFERÊNCIA!


4° Trimestre 12
BCFund_ER_2012_Port
Demonstração Financeira Auditada 2012
Destaques de 2012

A receita de locação totalizou R$ 200,3 milhões em 2012, o que representa um cresciemento de 23,7% sobre o ano anterior (R$ 161,9 milhões em 2011).

Em 2012, o FFO totalizou R$114,4 milhões (R$ 10,40 / cota), 29,6% maior que em 2011, quando o FFO foi de R$ 88,2 milhões. O FFO ajustado foi de R$ 123,8 milhões (R$ 11,26 / cota).

O lucro líquido no período foi de R$ 347,7 milhões (R$ 31,61 /cota). O lucro líquido desconsiderando os efeitos da reavaliação do portfolio foi de R$ 121,9 milhões, frente a R$75,6 milhões em 2011, um aumento de 61,2%.

O patrimônio líquido no final de 2012 era de R$1,9 bilhão (R$ 176,08 / cota), correspondendo a um aumento de 13,0% em relação a 2011, quando o Fundo fechou o ano com patrimônio líquido de R$ 1,7 bilhão (R$ 155,77 / cota).

O total de rendimentos distribuídos em 2012 foi de R$ 109,9 milhões (R$ 10,00 / cota), correspondendo a um aumento de 46,2% em relação a 2011, quando o total de rendimentos distribuídos totalizou R$ 75,2 milhões (R$ 6,84 / cota).

Nos últimos 12 e 24 meses (base dezembro/2012) a rentabilidade do cotista, considerando rendimentos distribuídos e valorização da cota, foi de 29,8% e 75,4%.

No final do período, a ABL do portfólio correspondia a 263,6 mil m2, um aumento de 73,6 mil m2 ou 38,4% comparado a dezembro 2011. Este aumento corresponde principalmente à aquisição dos três ativos da Oi em dezembro (SIA Sul, General Polidoro e Beneditinos).

A vacância financeira no final do período era de 0,6%. Esta foi a máxima vacância financeira do portfólio ao longo do ano.

Em 2012, 29,0% da carteira de contratos, em termos de receita contratada no início do período, passou por renegociação ou teve novas locações, o que gerou um leasing spread de 38,5% no período.

Em maio de 2012, foi vendida a participação no Edifício Leblon por R$ 36,6 milhões, valor 83% superior ao valor de aquisição (julho de 2008), o que representou um cap rate de aproximadamente 7%. Os recursos da venda foram aplicados na aquisição de cotas do FII Galeria com renda garantida de 9% a.a.

Em dezembro de 2012, foram adquiridos três novos ativos: (i) Edifício Beneditinos, localizado no centro do Rio de Janeiro e locado para a Contax; (ii) Edifício General Polidoro, localizado em Botafogo, Rio de Janeiro, locado para a Oi; e o Complexo SIA Sul, localizado em Brasília e locado para o Banco do Brasil e a Oi. O valor total pago pelos três ativos foi de R$ 299,7 milhões, o que representa um cap rate de 10,2%, com potencial de passar de 11% no curto prazo com a renegociação de uma das locações. A aquisição foi 100% alavancada com juros de 7% a.a., ajustado pelo IGP-M, e carência de amortização de 12 meses.

De acordo com as práticas contábeis atuais, as demonstrações financeiras auditadas apresentam os efeitos do ajuste a valor justo dos ativos imobiliários do Fundo. Em 2012, foram realizadas duas avaliações, em maio e novembro, pela Colliers, cujos resultados tiveram impacto positivo de R$ 227,4 milhões no valor das propriedades do BC Fund. O valor do portfolio representa um cap rate de 10% sobre a receita estimada pelo avaliador.

Em 2012 iniciou-se a oferta pública de cotas do BC Fund, dividida em parcelas secundária e primária. A oferta secundária, concluída em dezembro, representou a conclusão do desinvestimento dos investidores originais do fundo através da venda de 6,9 milhões de cotas ao mercado, totalizando R$1,06 bilhão.


165160 - tetzner -  31 Jan 2013, 15:59
Eu gosto mais de FIIs com alto retorno % por cota, por isso criei o Ranking dos FIIs.

No caso do BRCR11 a questão do baixo rendimento me mantém longe dele, mas para quem tem um horizonte mais longo pode sonhar com o aumento desses rendimentos no futuro, quando quitarem os financiamentos.

Talvez seja mais uma opção de diversificação,o que vai depender do seu perfil.

Pensando então na promessa de rendimentos futuros, temos outros fundos que podem muito bem proporcionar o mesmo resultado e estão cotados hoje por um valor menor por cota.

Novamente, você cai no filtro do Ranking e acaba selecionando outro fundo com a mesma expectativa futura de retorno, porém com um rendimento presente superior.

O recente aumento levou o rendimento deste fundo para 0,96/154=0,623% ou 7,48%aa Líquidos ( 8,8% a.a. Brutos ).

Um fundo bem administrado ( mas com uma taxa pesada de administração ), tem bom histórico já o que dá certa segurança, com imóveis diversificados, inquilinos diversificados e regiões diversificadas.

Tem a ficha completa dele no Blog e muitos investidores cotistas dele sempre trocando idéias e informações lá no Blog (Tetzner.wordpress.com).

Hoje mesmo informaram que todas as cotas da emissão foram vendidas e mais 2,1 milhões de cotas entrarão nos lotes complementares e suplementar ( até 331 milhões ).

O fundo tem liquidez e volume elevados, o que atrai sempre grandes investidores ( pensando ai na entrada dos gringos com a isenção do IOF ).

163182 - tetzner - 11 Jan 2013, 17:59
BRCR11: um amigo do blog se prontificou a comparecer e participar da assembléia de cotistas essa semana. Tem os relatos lá na ficha e também a opinião de outro amigo qúe tem cotas deste FII há muito tempo, inclusive com o relato do contato no RI ( vale a pena ler )
[...]

160372 RRunner -  13 Dez 2012, 19:37
13/12/2012 - 17h20
Maior fundo imobiliário do país anuncia compra de mais 3 imóveis
Comente

SÃO PAULO – O fundo imobiliário BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11), conhecido no mercado como BC Fund e o maior fundo imobiliário do país (em relação ao valor dos ativos), adquiriu, em na última quarta-feira (12) três novos imóveis, dois deles localizados na cidade do Rio de Janeiro e outro em Brasília.

O valor total da aquisição foi de R$ 299,7 milhões, de acordo com comunicado enviado ao mercado nesta quinta-feira (13). A gestora ainda não informou detalhes dos imóveis. No último relatório disponibilizado ao mercado, em agosto, o BTG Pactual informou que o valor dos ativos presentes no portfólio do fundo era de R$ 1,8 bilhão. Com esta aquisição, o patrimônio já ultrapassa os R$ 2 bilhões.

O fundo é proprietário de importantes edifícios comerciais nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro Campinas e agora Brasília. Entre eles, destacam-se o Eldorado Business Tower na marginal Pinheiros em São Paulo (56,5% do edifício), a Torre Almirante no Centro do Rio de Janeiro (60% do edifício) e o Brazilian Finance Center na avenida Paulista em São Paulo (60% do edifício).
maior-fundo-imobiliario-do-pais-anuncia-compra-de-mais-3-imoveis.jhtm

158985 - bommauricio -  02 Dez 2012, 04:23
Souza Barros passa a recomendar fundos imobiliários; veja carteira de dezembro
Ao todo, corretora indicou 6 fundos imobiliários para o último mês do ano
Por Gabriella D'Andréa 
|15h58 | 30-11-2012
a a a

SÃO PAULO – A corretora Souza Barros passou a recomendar uma carteira de fundos imobiliários para seus investidores. Em seu primeiro relatório, a corretora incluiu os fundos BTG Fundo de Fundos, BTG Pactual Fundo de CRI o Hotel Maxinvest, entre outros 3. Veja abaixo a carteira:

Confira a carteira recomendada para dezembro:
imóveis Souza Barros recomenda carteira de fundos imobiliários pela 1ª vez
Nome Código Peso
Fonte: Souza Barros 
BTG Fundo de Fundos BCFF11B 16%
BTG Pactual Corporate Office Fund BRCR11 16%
BTG Pactual Fundo de CRI FEXC11B 16%
CSHG JHSF Prime Offices HGJH11 16%
Hotel Maxinvest HTMX11B 18%
Max Retail MAXR11B 18%

Saiba mais sobre os fundos:
[...]
BTG Pactual Corporate Office Fund (BRCR11): O BTG Pactual Corporate Office Fund é um fundo que inaugurou uma nova fase no mercado de fundos imobiliários no Brasil. Dono do maior patrimônio dentre todos os fundos negociados na BM&FBovespa, ele é proprietário de importantes edifícios comerciais nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas. O fundo tem gestão ativa (compra e vende imóveis quando acha interessante) e política de distribuição de resultados direcionada a possibilitar reinvestimentos. Dentre seus imóveis, destacam-se o Eldorado Business Tower na marginal Pinheiros em São Paulo (56,5% do edifício), a Torre Almirante no Centro do Rio de Janeiro (60% do edifício) e o Brazilian Finance Center na avenida Paulista em São Paulo (60% do edifício).
[...]

157807 - paulo_prof  -  21 Nov 2012, 21:43
Citação: harisonoliveira
Prof. Paulo...
Qual a opinião sua sobre o BRCR11???????
atualmente rende pouco, mas andei pesquisando e a adm está reajustando os aluguéis com boa taxa!!!
Considerando que seu rendimento sempre foi pífio (na faixa de 6,5% a 6,7% por ano) esteve fora de meu radar ... este ano, entretanto, deu um bom ganho de capital (na faixa dos 20%) que mais do que compensou o rendimento pífio mensal.


Nenhum comentário: