Veja os melhores Comentários do Forum do Small Caps
Escolha abaixo as ações que deseja consultar

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Direcional Engenharia (DIRR)

Recomendações
Compra:  aprendiz quebrado do professor (nov/12,  2013 e fev/13) - DRMIRANDA (dez/12) -  joaoricci (2017) - keep_calm (jun/18) - MuadibGV (abr/18) - pampneto (dez/12) - paulo_prof (2013 e jan/1320182019) - polycrav (2013)
Carteiras
2Rath (abr/18) - 17andre (mai/18set/18) - aprendiz quebrado do professor (out/12) - BAC 1000 (jan/17) - Barbado (fev/13 e mar/13) - eduardojose (dez/17) - evalaretto (dez/12) - egidiosantanna (jan/13) - Gersonlp (set/18) - mocosta (nov/17) - MuadibGV (nov/16mar/17ago/17dez/17) - paulo_prof (mai/17jun/18jul/18set/18,   out/18jan/19mai/19) - pocunha (jan/18) - rnelia(out/12 e mar/13) - samudutra (fev/13) - Tnl (jan/17) - urussanga (set/18)
Balanços
1T2019 -
paulo_prof  -
Preço: R$ 8,90
Parece que a empresa definitivamente completou o turn around.
Se o prejuízo líquido (R$ 95,403 milhões) gerado pela venda dos empreendimentos em bloco para o FII DMAC11 no 3T18 for expurgada, a empresa conseguiu gerar lucro líquido de R$ 18 milhões no exercício e pelo segundo trimestre seguido (lucro de R$ 11,6 milhões no 3T18 e de R$ 18,2 milhões no 4T18).
O EBITDA Ajustado vem crescendo trimestre a trimestre: 1T18 (R$ 13,3 milhões); 2T18 (R$ 22,1 milhões); 3T18 (R$ 35,5 milhões); 4T18 (R$ 41,7 milhões).
A Receita Líquida do Exercício cresceu 55% em relação aquela de 2017 e o lucro bruto, +746%.
O Endividamento Líquido é marginalmente maior do que o Ebitda gerado no exercício.
No dia 25MAR a empresa pagará dividendos de R$ 0,38 por ação detoda no dia 14MAR.
O lucro líquido constante em termos reais para todo o sempre, que seria compatível com o preço atual e uma taxa de desconto real de 8% é R$ 105 milhões.
Quero crer que a empresa conseguirá postar este lucro já neste exercício. Em consequência, o ativo poderá estar barato.
Ao que tudo indica, a empresa completou o turn around. A ameaça agora é a falta de grana do governo para o programa. A ver. Acho que o ativo tem condições para evoluir, pois a taxa de crescimento necessária para justificar o preço atual parece ser factível sem grandes sobressaltos.

A2018/4T2018 -
Paulo Prof - 
Parece que a empresa definitivamente completou o turn around.
Se o prejuízo líquido (R$ 95,403 milhões) gerado pela venda dos empreendimentos em bloco para o FII DMAC11 no 3T18 for expurgada, a empresa conseguiu gerar lucro líquido de R$ 18 milhões no exercício e pelo segundo trimestre seguido (lucro de R$ 11,6 milhões no 3T18 e de R$ 18,2 milhões no 4T18).
O EBITDA Ajustado vem crescendo trimestre a trimestre: 1T18 (R$ 13,3 milhões); 2T18 (R$ 22,1 milhões); 3T18 (R$ 35,5 milhões); 4T18 (R$ 41,7 milhões).
A Receita Líquida do Exercício cresceu 55% em relação aquela de 2017 e o lucro bruto, +746%.
O Endividamento Líquido é marginalmente maior do que o Ebitda gerado no exercício.
No dia 25MAR a empresa pagará dividendos de R$ 0,38 por ação detoda no dia 14MAR.
O lucro líquido constante em termos reais para todo o sempre, que seria compatível com o preço atual e uma taxa de desconto real de 8% é R$ 105 milhões.
Quero crer que a empresa conseguirá postar este lucro já neste exercício. Em consequência, o ativo poderá estar barato.

3T2018 -
Paulo Prof - 
Gostei dos resultados da DIRR. Se, de um lado, a venda de 11 empreendimentos no segmato MAC (Media e Alta Rendas e Comercial) para o fundo DMAC11 gerou um prejuízo contábil de R$ 95 milhões, também resultou numa geração de caixa da ordem de R$ 246 milhões no trimestre. A operação viabilizou uma distribuição de proventos de R$ 90 milhões e permitiu reduzir o endividamento líquido. Com a alienação destes 11 empreeendimentos restam somente mais 2 no segmento MAC, de modo que as atividades da empresa agora se concentrarão no MCMV 2 e 3,
Expurgando o prejuízo com a venda dos empreendimentos MAC, a empresa apresentou lucro de R$ 11,6 milhões e Ebitda de R$ 36 milhões. Ao que tudo indica, o turn around foi completado e o futuro deverá ser de lucros crescentes.

2T2018 -
Paulo Prof - 
Depois de 6 trimestres postando Resultados Antes dos Impostos negativos, o 2T18 confirmou a recuperação que já se desenhava no 1T18. Para os acionistas da controladora, o Resultado Líquido ainda foi negativo (7o. trimestre seguido), mas isto só ocorreu devido à despesa de IR/CS percentualmente maior do que a usual (o IR/CS comeu 91% do resultado antes dos impostos, quando o usual seria 34%).
O turn around já havia sido anunciado no 1T18, quando depois de 5 trimestres no vermelho, o ebitda foi positivo. No que concerne o ebitda, o 2T18 mostrou uma vigorosa taxa de crescimento sobre o 1T18: (+67%).
Para uma taxa de desconto real de 8%, o preço atual seria compatível com um lucro real constante de R$ 81,5 milhões, ou uma média de R$ 20 milhões nos próximos 4 trimestres. Na minha opinião a empresa não deverá encontrar muitas dificuldades em entregar um resultado acima disto. Mas é um mero palpite. Há que se aguardar os resultados do 3T18 para ter uma base melhor para verificar da tendência.

1T2018 -
Paulo Prof - 
Na minha avaliação, o 1T18 foi o último trimestre de prejuízo para a DIRR.
No 1T18 foram dignos de nota:
1- a margem bruta, de 26,4%, quando nos exercícios de 2016 e 2017 havia sido, respectivamente, 11,5% e 5¨%;
2- a geração de caixa medida pelo ebitda, R$ 13,3 milhões, mais do que o suficiente para cobrir o resultado financeiro negativo (R$ 4,1 milhões) e a despesa de IR/CS (R$ 4,6 milhões);e
3- aumento contínuo da Receita a Apropriar por Vendas de Imóveis, que passou de R$ 296 milhões ao final do 3T16, para R$ 626 milhões ao final do 1T18, com o aumento da participação do MCMV 2 e 3 (passou de 42% no 3T16, para 91%), segmento de muito melhor performance, porque praticamente não há distratos; este aumento da Receita a Apropriar garantirá um mínimo de lucros futuros.

marcosvinicius2 - 
PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA OPERACIONAL BRUTA = A receita bruta da Companhia somou R$ 211milhõesno 1T18, aumento de14%em relação aos R$ 185milhões apresentados no 4T17, atingindo o mesmo patamar apresentado no 1T17. Acompanhando a evolução dos resultados operacionais, este desempenho foi alcançado pelo crescimento da receita com vendas de imóveis, como resultado da performance do segmento MCMV 2 e 3 cuja receita atingiu 150milhões no 1T18, representando 71% do total, ante receita bruta de R$ 62 milhões no 1T17.; Lucro Bruto = O lucro bruto ajustado do 1T18 totalizou R$ 58 milhões, revertendo prejuízo bruto do 4T17, e apresentando crescimento de 81% em relação ao mesmo período do ano anterior, resultando em margem bruta ajustada de 30,3% no trimestre. Este resultado acompanha o aumento da representatividade do segmento MCMV 2 e 3, cuja receita representou 71% do total apropriado no período e margem bruta ajustada de35%. Por outro lado, o resultado bruto continuou sendo impactado negativamente pelos distratos e descontos no segmento MAC, sobretudo, pelo fato das vendas canceladas possuírem margens superiores às vendas correntes.; EBITDA = No 1T18, o EBITDA Ajustado atingiu R$ 13 milhões, revertendo resultados negativos de R$ 46 milhões do 4T17 e R$ 1 milhão no 1T17. A margem EBITDA alcançou 6,9%.A melhora deste indicador deveu-se, principalmente, pela (i) aumento significativo do lucro bruto, conforme comentado acima, acompanhando por (ii) maior diluição de despesas operacionais.

3T2017 -
marcosvinicius2  -
PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E PIOROU NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 43 TRIMESTRES, 04 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (9,3023%). PREJUIZO Atribuído a Sócios da Empresa Controladora DO 3T17 = -29.390 FOI MENOR DO QUE O PREJUIZO APRESENTADO NO 2T17 = -29.727 E MENOR (TAMBEM) EM RELAÇÃO AO APRESENTADO NO 3T16 = 1.116. RESULTADO BRUTO TAMBEM FOI MENOR NA COMPARAÇÃO ENTRE 3T16 = 25.173 X 3T17 = 14.545. VALOR DE MERCADO (MIL) = 805.407; VALOR MAXIMO (MIL) = 2.241.921 NO 1T13; VE PSBE (MIL) = 1.551.329

2T2017 -
marcosvinicius2 -
Receita Operacional Bruta = A receita bruta da Companhia somou R$ 193 milhões no 2T17, montante 9% inferior aos R$ 212 milhões apresentados no 1T17, e 53% abaixo dos R$ 411 milhões atingidos no 2T16. No 1S17 a receita bruta somou R$ 405 milhões, 52% inferior ao mesmo período do ano anterior. Este desempenho foi impactado, principalmente,pelo menor volume de unidades em construção no segmento de prestação de serviços, que registrou receitas de R$ 150 milhões no 1S17 enquanto no 1S16 o valor foi R$ 468 milhões, redução de 68%.

3T2016 -
marcosvinicius2  -
Lançamentos: Nos 9M16, foram lançados 9 projetos que totalizaram VGV de R$ 452 milhões, crescimento de 97% em relação aos 9M15. Os projetos lançados destinados ao segmento MCMV 2 e 3 totalizaram VGV de R$ 291 milhões, crescimento de 131%; Vendas: As vendas líquidas contratadas atingiram R$ 279 milhões nos 9M16, no segmento MCMV 2 e 3 as vendas atingiram R$ 125 milhões, 30% acima dos 9M15.

2T2016 -
paulo_prof  -
Meia boca o resultado da Direcional ... compatível com o atual cenário econômico do país.

3T2012 -
GARUDA20 - Bom, mas nada demais
Características
Incorporação, construção e comercialização de imóveis próprios ou de terceiros e prestação de serviços de engenharia.
Links
361209  - keep_calm   -  14 Mai 2019, 17:27
DIRR3 – BB Investimentos eleva recomendação para Outperform após resultados do 1T19 e mantém preço alvo em R$9,60.

361143  - paulo_prof  -  11 Mai 2019, 00:02
Preço: R$ 8,90
Parece que a empresa definitivamente completou o turn around.

Se o prejuízo líquido (R$ 95,403 milhões) gerado pela venda dos empreendimentos em bloco para o FII DMAC11 no 3T18 for expurgada, a empresa conseguiu gerar lucro líquido de R$ 18 milhões no exercício e pelo segundo trimestre seguido (lucro de R$ 11,6 milhões no 3T18 e de R$ 18,2 milhões no 4T18).

O EBITDA Ajustado vem crescendo trimestre a trimestre: 1T18 (R$ 13,3 milhões); 2T18 (R$ 22,1 milhões); 3T18 (R$ 35,5 milhões); 4T18 (R$ 41,7 milhões).

A Receita Líquida do Exercício cresceu 55% em relação aquela de 2017 e o lucro bruto, +746%.

O Endividamento Líquido é marginalmente maior do que o Ebitda gerado no exercício.

No dia 25MAR a empresa pagará dividendos de R$ 0,38 por ação detoda no dia 14MAR.

O lucro líquido constante em termos reais para todo o sempre, que seria compatível com o preço atual e uma taxa de desconto real de 8% é R$ 105 milhões.

Quero crer que a empresa conseguirá postar este lucro já neste exercício. Em consequência, o ativo poderá estar barato.


Ao que tudo indica, a empresa completou o turn around. A ameaça agora é a falta de grana do governo para o programa. A ver. Acho que o ativo tem condições para evoluir, pois a taxa de crescimento necessária para justificar o preço atual parece ser factível sem grandes sobressaltos.

DIRR3

PREÇO: R$ 8,30

PAYOUT (estimado) 25,00%



Múltiplos baseados nos últimos 6 meses anualizados

P/L 15,80
P/VPA 0,98
PSR 0,82
DY 1,58%
EV/EBITDA 7,02
MARGEM BRUTA 30,1%
MARGEM OPERACIONAL 8,1%
MARGEM LÍQUIDA 5,2%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,525
MARGEM EBITDA 13,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 75,0%
ROE 6,19%
LIQUIDEZ CORRENTE
3,1


Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 6,56

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): +6,0% !!!!

360271 - keep_calm  -  10 Abr 2019, 18:22
DIRR3: A Direcional Engenharia divulgou na noite desta terça (9), seus resultados operacionais referentes ao primeiro trimestre de 2019. No período, a Direcional lançou 9 empreendimentos/etapas, oito destes no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida e um no segmento Média Renda. A companhia registrou crescimento de 55% na base anual.

359241 - paulo_prof  -  11 Mar 2019, 23:50
DIRR3

Preço: R$ 8,90

Parece que a empresa definitivamente completou o turn around.

Se o prejuízo líquido (R$ 95,403 milhões) gerado pela venda dos empreendimentos em bloco para o FII DMAC11 no 3T18 for expurgada, a empresa conseguiu gerar lucro líquido de R$ 18 milhões no exercício e pelo segundo trimestre seguido (lucro de R$ 11,6 milhões no 3T18 e de R$ 18,2 milhões no 4T18).

O EBITDA Ajustado vem crescendo trimestre a trimestre: 1T18 (R$ 13,3 milhões); 2T18 (R$ 22,1 milhões); 3T18 (R$ 35,5 milhões); 4T18 (R$ 41,7 milhões).

A Receita Líquida do Exercício cresceu 55% em relação aquela de 2017 e o lucro bruto, +746%.

O Endividamento Líquido é marginalmente maior do que o Ebitda gerado no exercício.

No dia 25MAR a empresa pagará dividendos de R$ 0,38 por ação detoda no dia 14MAR.

O lucro líquido constante em termos reais para todo o sempre, que seria compatível com o preço atual e uma taxa de desconto real de 8% é R$ 105 milhões.

Quero crer que a empresa conseguirá postar este lucro já neste exercício. Em consequência, o ativo poderá estar barato.

356974 - paulo_prof  -  19 Dez 2018, 15:28
Citação: eduardojose - Post #356939 - 18/Dez/2018 18:43
Professor, estou com R$ para praticamente dobrar minha carteira.
Poderia citar alguns ativos que na sua visão, ainda estão interessantes para comprar?
Na minha opinião, FESA4 e UNIP6 não estão caras.

Na construção civil, acho que ainda dá para comprar TRIS3, TEND3, MRVE3 e DIRR3.

Uma outra que acho ter ainda chão para andar é a JSLG3.

Apesar dos preços correntes deprimidos, acredito no setro de papel e celulose. Acho que um mix de SUZB3 e KLBN11 para o longo prazo não tem erro.

Finalmente, há os bancos médios. Não vejo porque a ABCB4 não possa estar sendo negociada acima dos R$ 20,00 num prazo de 12 meses.

355735 - paulo_prof  -  08 Nov 2018, 23:23
Gostei dos resultados da DIRR. Se, de um lado, a venda de 11 empreendimentos no segmato MAC (Media e Alta Rendas e Comercial) para o fundo DMAC11 gerou um prejuízo contábil de R$ 95 milhões, também resultou numa geração de caixa da ordem de R$ 246 milhões no trimestre. A operação viabilizou uma distribuição de proventos de R$ 90 milhões e permitiu reduzir o endividamento líquido. Com a alienação destes 11 empreeendimentos restam somente mais 2 no segmento MAC, de modo que as atividades da empresa agora se concentrarão no MCMV 2 e 3,

Expurgando o prejuízo com a venda dos empreendimentos MAC, a empresa apresentou lucro de R$ 11,6 milhões e Ebitda de R$ 36 milhões. Ao que tudo indica, o turn around foi completado e o futuro deverá ser de lucros crescentes.

355230 - paulo_prof  -  30 Out 2018, 16:20
Citação: danieljusti - Post #355226 - 30/Out/2018 15:58
Dirr3 parece ser uma boa position hein?
Prof Paulo o q acha!??
O Resultado da DIRR no 3T18 vem forte, devido à venda dos empreendimentos Lago da Pedra e Vila Alba. O que teremos que ver são os demais resultados, ou seja, avaliar em que grau a empresa conseguiu completar o turn around. Se este foi completado, a P/VPA = 0,72 a empresa certamente estaria barata.

353579 - paulo_prof  -  10 Set 2018, 22:31
Preferi aumentar a posição de DIRR3 a $6,65 do que iniciar uma posição em TRIS3 a $2,60. Fui de DIRR porque, no atual andar da carruagem, achei DIRR menos arriscada. De um lado, está distribuindo um dividendos de 9,2% sobre o meu preço de compra (de fato, o dividendo de R$ 0,61 funciona melhor do que um mero desconto de R$ 0,61, pois não se pode esquecer que um preço médio de compra enseja um menor lucro tributável no futuro). De outro, a empresa está completando o seu turn around, e fincando estacas definitivamente no MCMV, programa que deverá subexistir qulquer que seja o governo. A Trisul, por outro lado, só têm 20% de seus pés fincados no MCMV. Se a economia miar dependendo de quem assuma, pode encontrar dificuldades. Sob condições "normais" de temperatura e pressão, não acredito que o preço da TRIS seria o atual.

353469  - Luis Henriques -  06 Set 2018, 19:20
Existe a expetativa de apresentar resultados positivos nos proximos trimestres. Se tivesse apresentado lucros nos 7 trimestres anteriores, muito provavelmente não estaria neste preço. Não tenho ela em carteira, mas estou a considerar comprar.

353466 - FoxHoundBR -  06 Set 2018, 18:46
À primeira vista parece tentador comprar o papel só por causa dos dividendos, mas depois de fuçar os números da empresa por aqui vi que eles tiveram prejuízo por quase 7 trimestres seguidos (do 4T16 até este último). Não é meio arriscado comprar esse papel, mesmo tendo esses prejuízos todos?

352812  - paulo_prof  -  14 Ago 2018, 15:39
Sim ... ao que tudo indica, no 3T18 a empresa vai entregar um resultado expressivo no azul também para os acionistas da controladora.

Depois de 6 trimestres postando Resultados Antes dos Impostos negativos, o 2T18 confirmou a recuperação que já se desenhava no 1T18. Para os acionistas da controladora, o Resultado Líquido ainda foi negativo (7o. trimestre seguido), mas isto só ocorreu devido à despesa de IR/CS percentualmente maior do que a usual (o IR/CS comeu 91% do resultado antes dos impostos, quando o usual seria 34%).

O turn around já havia sido anunciado no 1T18, quando depois de 5 trimestres no vermelho, o ebitda foi positivo. No que concerne o ebitda, o 2T18 mostrou uma vigorosa taxa de crescimento sobre o 1T18: (+67%).

Para uma taxa de desconto real de 8%, o preço atual seria compatível com um lucro real constante de R$ 81,5 milhões, ou uma média de R$ 20 milhões nos próximos 4 trimestres. Na minha opinião a empresa não deverá encontrar muitas dificuldades em entregar um resultado acima disto. Mas é um mero palpite. Há que se aguardar os resultados do 3T18 para ter uma base melhor para verificar da tendência.

351242  - marcosvinicius2 -  15 Jun 2018, 13:48
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO ( * ). RECEITA OPERACIONAL BRUTA = A receita bruta da Companhia somou R$ 211milhõesno 1T18, aumento de14%em relação aos R$ 185milhões apresentados no 4T17, atingindo o mesmo patamar apresentado no 1T17. Acompanhando a evolução dos resultados operacionais, este desempenho foi alcançado pelo crescimento da receita com vendas de imóveis, como resultado da performance do segmento MCMV 2 e 3 cuja receita atingiu 150milhões no 1T18, representando 71% do total, ante receita bruta de R$ 62 milhões no 1T17.; Lucro Bruto = O lucro bruto ajustado do 1T18 totalizou R$ 58 milhões, revertendo prejuízo bruto do 4T17, e apresentando crescimento de 81% em relação ao mesmo período do ano anterior, resultando em margem bruta ajustada de 30,3% no trimestre. Este resultado acompanha o aumento da representatividade do segmento MCMV 2 e 3, cuja receita representou 71% do total apropriado no período e margem bruta ajustada de35%. Por outro lado, o resultado bruto continuou sendo impactado negativamente pelos distratos e descontos no segmento MAC, sobretudo, pelo fato das vendas canceladas possuírem margens superiores às vendas correntes.; EBITDA = No 1T18, o EBITDA Ajustado atingiu R$ 13 milhões, revertendo resultados negativos de R$ 46 milhões do 4T17 e R$ 1 milhão no 1T17. A margem EBITDA alcançou 6,9%.A melhora deste indicador deveu-se, principalmente, pela (i) aumento significativo do lucro bruto, conforme comentado acima, acompanhando por (ii) maior diluição de despesas operacionais.:

DIRR3
PREÇO: 5,75
PAYOUT (2017): 0,00%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -6,83
P/VPA 0,61
PSR 1,18
DY 0,00%
EV/EBITDA -30,99
MARGEM BRUTA 9,41%
MARGEM OPERACIONAL -14,28%
MARGEM LÍQUIDA -17,33%
LUCRO POR AÇÃO -0,842
MARGEM EBITDA -11,75%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 167,56%
ROE -8,92%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,67

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -35,33%
RESULTADO BRUTO -23,02%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -86,08%
RESULTADO OPERACIONAL 176,29%
RESULTADO LÍQUIDO 100,83%
EBITDA 177,32%

b) 1T18 sobre 1T17, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -3,59%
RESULTADO BRUTO 181,57%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -192,78%
RESULTADO OPERACIONAL -80,48%
RESULTADO LÍQUIDO -64,47%
EBITDA -135,53%

c) lucro (taxa média anual)
UA 100,83%
U2A ND
U3A -187,04%

d) patrimônio líquido médio
UA -8,60%
U2A -4,74%
U3A -2,42%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ ND
Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): ND !!!!
[...]

349947 - paulo_prof  -  15 Mai 2018, 03:51
Na minha avaliação, o 1T18 foi o último trimestre de prejuízo para a DIRR.

No 1T18 foram dignos de nota:

1- a margem bruta, de 26,4%, quando nos exercícios de 2016 e 2017 havia sido, respectivamente, 11,5% e 5¨%;

2- a geração de caixa medida pelo ebitda, R$ 13,3 milhões, mais do que o suficiente para cobrir o resultado financeiro negativo (R$ 4,1 milhões) e a despesa de IR/CS (R$ 4,6 milhões);e

3- aumento contínuo da Receita a Apropriar por Vendas de Imóveis, que passou de R$ 296 milhões ao final do 3T16, para R$ 626 milhões ao final do 1T18, com o aumento da participação do MCMV 2 e 3 (passou de 42% no 3T16, para 91%), segmento de muito melhor performance, porque praticamente não há distratos; este aumento da Receita a Apropriar garantirá um mínimo de lucros futuros.

348525  - paulo_prof   -  29 Mar 2018, 21:27
Citação: celso araujo - Post #348452 - 28/Mar/2018 02:13
PAULO PROF
Na atual conjuntura economica, poderia citar empresas que ainda considere baratas nos atuais preços? Gostaria de estudar algumas indicações mais a fundo.
A atual conjuntura econômica é de incerteza ... eu acho que a probabilidade de elegermos um governo irresponsável é pequena, mas ... e vc?

A esquerda, bem como a extrema-direita de Bolsonaro, atrapalharam a proposta de reforma da previdência no que foi possível. Se houver um 2o. turno entre a esquerda e a extrema-direita, quais são as perspectivas de se reformar a previdência. Qual será a credibilidade do eleito para liderá-la. Quando o outro quer fazer sou contra e faço questão de atrapalhar ... quando eu vou fazer, quero que todos me ajudem?

Sem uma reforma da previdência suficientemente abrangente, não vejo como o governo equilibrar as contas. Quando não se consegue equilibrar as contas, as situações do Brasil no final do governo Diulma, do Rio, Minas e Rio Grande do Sul estão aí para ilustrarem as consequências.

Eu acho/espero/rezo para que não tenhamos que escolher entre populismos de esquerda e de direita. E se o centro (qualquer que seja) levar, acho que o ciclo (crescimento, inflação, etc) será virtuoso.
[...]
Se o estado atual da economia continua evoluindo como nos últimos 12 meses, o setor da construção civil deverá ser bastante beneficiado. As minhas preferidas são a TEND3, MRVE3 e TRIS3, mas ficaria de olho também na DIRR3 que deverá produzir resultados bastante positivos a partir do 2T18.
[...]

348378 - paulo_prof  -  24 Mar 2018, 23:22
Também acho que a virada da empresa vai ocorrer, possivelmente no 2T18. Mas há riscos ... quando uma empresa no Brasil vende imóveis MCMV ao governo por um preço fixo, não seria surpresa se a orientação para a construção tenha sido a minimização de custos, com consequente perda na qualidade ... quero crer que a empresa seja responsável por todos os evidentes problemas de construção por 5 anos após a entrega. Em consequência, muita água ainda vai rolar. Por outro lado, antes do MCMV a empresa praticamente não existia no ranking nacional da incorporação civil ... ao que consta, a empresa foi a maior construtora da faixa 1 do MCMV. Competência ou favorecimento?

348376  - lessafarm  -  24 Mar 2018, 21:15
Professor Paulo, e dirr3 o que acha. Nosso Small chamou atenção para possível virada da empresa, mas os preços até agora não deram qualquer sinal apesar de ter sido comunicado pela empresa números promissoras em sua prévia.

Também só urubuservando ! kkk

346158  - Tnl   -  16 Jan 2018, 13:15
Não achei a prévia de DIRR Tão boa pra essa alta toda. Pessoal q acompanha podia comentar por favor. Prof, muadib, quem Quiser... Desde já agradeço. To pensando em colocar mais dinheiro nessas construtoras e um troço em corretora, Empiricus sugere a Lopes, mas pensei em Brasil brokers alguém acompanha? Quais empresas do ramo imobiliário ainda não reagiram e tem boas perspectivas?? Abraço e obrigado

344016  - marcosvinicius2  -  16 Nov 2017, 11:51
COMENTÁRIO: PAPEL SOBREVALORIZADO (*). RESULTADO LIQUIDO DO 3T17 MELHOROU EM RELAÇÃO AO 2T17 E PIOROU NA COMPARAÇÃO COM O 3T16. DOS ULTIMOS 43 TRIMESTRES, 04 APRESENTARAM LUCRO LIQUIDO NEGATIVO (9,3023%). PREJUIZO Atribuído a Sócios da Empresa Controladora DO 3T17 = -29.390 FOI MENOR DO QUE O PREJUIZO APRESENTADO NO 2T17 = -29.727 E MENOR (TAMBEM) EM RELAÇÃO AO APRESENTADO NO 3T16 = 1.116. RESULTADO BRUTO TAMBEM FOI MENOR NA COMPARAÇÃO ENTRE 3T16 = 25.173 X 3T17 = 14.545. VALOR DE MERCADO (MIL) = 805.407; VALOR MAXIMO (MIL) = 2.241.921 NO 1T13; VE PSBE (MIL) = 1.551.329:

DIRR3
PREÇO: 5,50
PAYOUT (2016): -337,21%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -5,49
P/VPA 0,53
PSR 0,96
DY 61,42%
EV/EBITDA -22,79
MARGEM BRUTA 3,23%
MARGEM OPERACIONAL -15,14%
MARGEM LÍQUIDA -17,53%
LUCRO POR AÇÃO -1,002
MARGEM EBITDA -13,56%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 154,99%
ROE -9,68%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,56

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -44,27%
RESULTADO BRUTO -89,69%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -21,83%
RESULTADO OPERACIONAL -201,00%
RESULTADO LÍQUIDO -275,12%
EBITDA -183,21%

b) 3T17 sobre 3T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -36,03%
RESULTADO BRUTO -42,22%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -83,69%
RESULTADO OPERACIONAL -498,33%
RESULTADO LÍQUIDO -2733,51%
EBITDA -429,63%

c) lucro (taxa média anual)
UA -275,12%
U2A ND
U3A -190,85%

d) patrimônio líquido médio
UA -6,78%
U2A -2,18%
U3A 0,45%

Receita Operacional Bruta = A receita bruta da Companhia somou R$ 210 milhõesno 3T17, crescimento de 9%aos R$ 193 milhões apresentados no 2T17, e 38%abaixo dos R$ 337 milhões atingidos no 3T16. No 9M17 a receita bruta somou R$ 614 milhões, 48% inferior ao mesmo período do ano anterior. Este desempenho foi impactado, principalmente, pelo menor volume de unidades em construção no segmento de prestação de serviços, que registrou receitas de R$ 194 milhões no 9M17 enquanto no 9M16 o valor foi R$ 675 milhões, redução de 71%.

Resultado Líquido = Como resultado do desempenho comentado acima, no 3T17, a Companhia obteve prejuízo líquido de R$ 29 milhões,em linha com o resultado apresentado no 2T17. Ajustando este resultado pelo efeito não recorrente de ajuste do valor contábil do estoque no valor de R$ 9,1 milhões, o prejuízo líquido seria de R$ 20 milhões, redução de 31%.

Geração de Caixa (cash burn) = A Direcional apresentou cash burn de R$ 21 milhões nesse trimestre, acumulando R$ 42 milhões no 9M17. Este desempenho é explicado principalmente por (i) maior volume de desembolso de caixa em aquisições de terrenos, (ii) aquisições pontuais de participações em projetos, (iii) outros investimentos tais como abertura de lojas próprias e stands de vendas, e (iv) redução na entrada de caixa por repasse devido ao aumento dos distratos.

DIRR32.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

342729  - jbegood   -  05 Out 2017, 13:35
Simplesmente por que fazem produtos diferentes. MRV e TEND atuam no MCMV faixa 2, financiado pelo FGTS. DIRR até pouco tempo atuava no MCMV faixa 1, financiado pelo orçamento do governo federal. Como acabou o dinheiro pro faixa 1, DIRR está no processo de migração pro faixa 2.

342727  - paulo_prof  -  05 Out 2017, 05:58
De fato, de forma alguma pode-se dizer que esteja cara. Tenho, inclusive, em carteira. Mas há algo que me incomoda ... Por que a MRVE e a TEND conseguiram atravessar a tempestade sem postarem prejuízos? Seriam as respectivas administrações mais competentes?

342722 - grazziperez -  05 Out 2017, 02:12
DIRR3 parece ser um provável turnaround... o Small inclusive disse isso num post algumas páginas atrás.

E o setor imobiliario logo deve ser a bola da vez: juros baixos, desemprego caindo, confiança do consumidor subindo, crédito facilitado, logo vem alguma regulamentação dos distratos, pib crescendo, etc
Empresa resiliente dentre as do setor imobiliario, pouca divida, focada em MCMV, P/VP 0,59.
insiders (diretoria) comprando, como pode ser visto aqui
http://br.advfn.com/noticias/BOV/2017/artigo/75611951

Só falta o prof. Paulo dizer que está barata..

341960 - marcosvinicius2 -  11 Set 2017, 22:27
Receita Operacional Bruta = A receita bruta da Companhia somou R$ 193 milhões no 2T17, montante 9% inferior aos R$ 212 milhões apresentados no 1T17, e 53% abaixo dos R$ 411 milhões atingidos no 2T16. No 1S17 a receita bruta somou R$ 405 milhões, 52% inferior ao mesmo período do ano anterior. Este desempenho foi impactado, principalmente,pelo menor volume de unidades em construção no segmento de prestação de serviços, que registrou receitas de R$ 150 milhões no 1S17 enquanto no 1S16 o valor foi R$ 468 milhões, redução de 68%.

DIRR3
PREÇO: 5,44
PAYOUT (2016): -337,21%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L -6,85
P/VPA 0,52
PSR 0,84
DY 5,02%
EV/EBITDA -27,90
MARGEM BRUTA 3,96%
MARGEM OPERACIONAL -10,10%
MARGEM LÍQUIDA -12,23%
LUCRO POR AÇÃO -0,794
MARGEM EBITDA -9,34%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 48,85%
ROE -7,53%
LIQUIDEZ CORRENTE 4,41

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses sobre 12 terminados no 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -39,84%
RESULTADO BRUTO -88,15%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 14,13%
RESULTADO OPERACIONAL -159,13%
RESULTADO LÍQUIDO -204,25%
EBITDA -150,13%

b) 2T17 sobre 2T16, nominal
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -52,56%
RESULTADO BRUTO -72,75%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -54,83%
RESULTADO OPERACIONAL -165,49%
RESULTADO LÍQUIDO -233,94%
EBITDA -148,24%

c) lucro (taxa média anual)
UA -204,25%
U2A ND
U3A -182,69%

d) patrimônio líquido médio
UA -4,00%
U2A -1,00%
U3A 1,93%

Lucro Bruto = No 2T17 o lucro bruto ajustado foi de R$ 32 milhões, redução de 2% em relação ao 1T17 e 64%quando comparado a omesmo período do ano anterior,este resultado continuou sendo impactado negativamente pelos distratos e descontos no segmento MAC, sobretudo, pelo fato das vendas canceladas possuírem margens superiores às vendas correntes. Por outro lado,já é possível notar uma melhora na margem bruta ajustada¹ que no 2T17 atingiu 17,4%, 1,2 p.p.acima do apresentado no trimestre anterior. Essa variação reflete o crescimento da participação do segmento MCMV 2 e 3 na apropriação de receita, cuja margem bruta tem se mostrado sensivelmente superior aos demais segmentos. A continuidade do crescimento operacional deste segmento, assim como a redução dos distratos do segmento MAC, permitirá a melhora gradativa da margem bruta consolidada da companhia.;

Caixa,Equivalentes de Caixa e Aplicações Financeiras = A Direcional encerrou o 2T17,com saldo de caixa, equivalentes de caixa e aplicações financeiras de R$617milhões, crescimento de 38% em relação ao trimestre anteriore 7% inferior ao mesmo período do ano anterior.O aumento do saldo de caixa em relação ao trimestre anterior deveu-se principalmente ao recebimento de recursos provenientes da captação de CRI emitido durante o trimestre no valor de R$ 198 milhões;

DIRR31.png

( * ) É PRECISO VERIFICAR NO RELATÓRIO DA ADM. A EXISTÊNCIA DE RESULTADO NÃO RECORRENTE:
( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

333224  - marcosvinicius2  -  28 Jan 2017, 20:01
EDIT.: Houve modificação significativa na quantidade de ações no período 4T07 X 1T08, 4T10 X 1T11 E 1T14 X 2T14 (desdobramento ou emissões?) e Resultado Não Operacional (Não Encontrado). Lançamentos: Nos 9M16, foram lançados 9 projetos que totalizaram VGV de R$ 452 milhões, crescimento de 97% em relação aos 9M15. Os projetos lançados destinados ao segmento MCMV 2 e 3 totalizaram VGV de R$ 291 milhões, crescimento de 131%; Vendas: As vendas líquidas contratadas atingiram R$ 279 milhões nos 9M16, no segmento MCMV 2 e 3 as vendas atingiram R$ 125 milhões, 30% acima dos 9M15;

DIRR3
PREÇO: 5,85
PAYOUT (2015): 56,13%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses

P/L 10,22
P/VPA 0,52
PSR 0,57
DY 5,49%
EV/EBITDA 16,91
MARGEM BRUTA 17,45%
MARGEM OPERACIONAL 8,35%
MARGEM LÍQUIDA 5,58%
LUCRO POR AÇÃO 0,573
MARGEM EBITDA 9,08%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 121,66%
ROE 5,05%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,35

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -12,84%
RESULTADO BRUTO -29,25%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO -12,17%
RESULTADO OPERACIONAL -38,33%
RESULTADO LÍQUIDO -45,44%
EBITDA -39,78%

b) 3T16 vs 3T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -19,82%
RESULTADO BRUTO -68,82%
RESULTADO FINANCEIRO NEGATIVO 26,55%
RESULTADO OPERACIONAL -85,65%
RESULTADO LÍQUIDO -96,13%
EBITDA -87,63%

c) lucro (taxa média anual)
UA -45,44%
U2A -34,56%
U3A -30,58%

d) patrimônio líquido médio
UA 2,66%
U2A 4,27%
U3A 5,94%

PSBe - Preço Sugerido pelo Balanço, exponencial no lucro:

Citação: PSBe - Preço Sugerido pelo Balanço, exponencial no lucro

PSBe = ((Patrimônio Líquido + Receita Líquida4T + Resultado ñ operacional + ((Lucro4T - Resultado ñ operacional) * EXP( Margem Líquida * -LN(ABS(Margem Líquida)*100*5,56%*SINAL(Margem Líquida))))*Cotação unitária)/nº de ações

Sendo que;
SE(Cotação unitária;1;1000)
Margem Líquida descontada do 'Resultado ñ operacional'
Obs.: Receita Líquida e Lucro em 4 trimestres ou anual


PSBe = ND; PSBe-TAG = ND/ON e ND/PN

VE PSBe = ND

VE PSBe-TAG = ND

Valor de Mercado = 897.384.000 em 27/01/2017

( ** ) EMPRESAS DO SETOR FINANC onde houve necessidade de digitar os valores de REC INT FINANC (a pesquisa avançada não importou esses valores ) = BAZA3, BBDC3, BBDC4, BEES3, BEES4, BIGP3, BGIP4, BMEB3, BMEB4, BMIN3, BMIN4, BNBR3, BPAN4, BRIV3, BRIV4, BRSR3, BRSR5, BRSR6, BSLI4, CRIV3, CRIV4, IDVL3 IDVL4 ITUB3, ITUB4, PINE4, PRBC4, SANB11, SANB3, SANB4 E SFSA4;
( *** ) A VMCM = 5,56000000 foi calculada utilizando-se uma amostragem de 327 empresas com PL > 0 (Desta vez não foi utilizado o critério de LIQUIDEZ MÍNIMA). Na tentativa de um valor abaixo do indicado, a VMCM apresentou um valor < 5, o que indicaria um mercado subprecificado: forum.infomoney.com.br/viewtopic.php?f=6&t=10754&start=620#p2082722
( **** ) Foram EXCLUÍDAS da amostragem inicial as empresas = DAGB33, MERC4, BRAP4, BRAP3, ECPR4, JBDU3, LFFE4, LFFE3, SBSP3, BAHI3, BMTO4, BMTO3 E LIPR3;

328676  - NumBroker -  20 Out 2016, 18:38
Direcional – Resultados suaves, mas melhores do que o esperado

20.10 - 14:45 - Tiago Binsfeld
A Direcional apresentou seus números preliminares para o terceiro trimestre de 2016. De acordo com nossos analistas, apesar de estarem esperando lançamentos e vendas mais fracos devido à greve dos bancos, os números vieram ainda fracos em termos absolutos, o que pode implicar um risco de revisão para baixo nas estimativas para o ano. Os analistas esperam uma reação neutra do mercado. Os lançamentos e vendas líquidas nos primeiros 9 meses do ano atingiram apenas 49% e 45% das estimativas anuais, respectivamente. Mais uma vez, a maior parte das vendas se concentrou no final do trimestre, afetando negativamente a velocidade de vendas dos lançamentos. A recomendação permanece em market perform (desempenho em linha com a média do mercado), com preço justo para o final de 2016 de R$ 6,4 por ação.
Fonte: Itaú

328631  - NumBroker -  20 Out 2016, 00:10
Vendas líquidas da Direcional aumentaram 2% no terceiro trimestre

As vendas líquidas da construtora Direcional totalizaram valor geral de vendas (VGV) de R$ 94 milhões no terceiro trimestre, montante 2% maior na comparação com a cifra registrada há um ano, de R$ 93 milhões. Em relação ao segundo trimestre, quando foram somados R$ 66 milhões, porém, o desempenho foi melhor, com crescimento de 43%. De janeiro a setembro, o valor geral de vendas teve elevação de 17%, para R$ 282 milhões, em relação ao mesmo período do ano anterior, quando estavam em R$ 241 milhões. De acordo com prévia operacional da Direcional, a velocidade de vendas do terceiro trimestre, medida pelo indicador Vendas sobre Oferta (VSO), atingiu índice de 6,7% ao final de setembro contra indicador de 5,6% ao término de junho e de 9,7% em um ano. Os distratos alcançaram R$ 54 milhões de julho a setembro, redução de 19% em relação aos três meses imediatamente anteriores. No acumulado dos nove meses deste ano, os distratos totalizaram R$ 209 milhões, aumento de 10% em relação ao mesmo período do ano anterior. O VGV líquido contratado do terceiro trimestre exibido acima inclui transação de venda integral de cotas de uma sociedade que tinha, dentre seus ativos, unidades do segmento MAC localizadas em Manaus no valor de R$ 24 milhões. A Direcional lançou três projetos no terceiro trimestre, com total de 620 unidades e VGV de R$ 151 milhões. No acumulado de 2016 até setembro, os lançamentos totalizaram VGV de R$ 452 milhões, crescimento de 97% em relação ao mesmo período do ano anterior. Os lançamentos do segmento Minha Casa Minha Vida 2 e 3 somaram VGV de R$ 291 milhões, representando 64% do total e alta de 131% na comparação ao mesmo período do ano anterior. No terceiro trimestre, a Direcional entregou cinco empreendimentos, totalizando 4.638 unidades e VGV de R$ 489 milhões, sendo três projetos enquadrados no segmento MCMV Faixa 1, que representou 44% do volume total. De janeiro a setembro, as entregas somaram VGV de R$ 1 bilhão. O setor MCMV Faixa 1 respondeu por 65% do total. Além disso, a Direcional adquiriu três terrenos voltados ao segmento MCMV 2 e 3, com potencial de construção de 2.487 unidades e VGV de R$ 281 milhões. Estes terrenos, conforme a Direcional, estão localizados nos Estados do Amazonas, Ceará e São Paulo. O custo médio de aquisição correspondeu a 7,7% do VGV potencial, sendo que 61% do pagamento se dará via permuta, que não causa, conforme a companhia, impacto no seu caixa no curto prazo. "Cabe mencionar que o maior volume de pagamento via caixa deveu-se a negociações pontuais e não reflete a estratégia de médio e longo prazo da companhia", acrescenta a construtora. No acumulado do ano até setembro, foram adquiridos 15 terrenos com VGV potencial de R$ 1,4 bilhão e custo médio de 12,5% do VGV potencial, sendo que 79% do pagamento será via permuta.

325649  - paulo_prof  -  08 Ago 2016, 23:26
Meia boca o resultado da Direcional ... compatível com o atual cenário econômico do país.

DIRR3
PREÇO: R$ 6,26
PAYOUT (2015) 32,0%

Múltiplos baseados nos últimos 12 meses
P/L 8,22
P/VPA 0,54
PSR 0,58
DY 3,90%
EV/EBITDA 5,08
MARGEM BRUTA 20,1%
MARGEM OPERACIONAL 10,3%
MARGEM LÍQUIDA 7,1%
LUCRO POR AÇÃO R$ 0,762
MARGEM EBITDA 14,8%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 54,9%
ROE 6,57%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,78

Taxas de Crescimento Nominal

a) últimos 12 meses vs 12 meses terminados no 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA -11,90%
RESULTADO BRUTO -20,93%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -15,40%
RESULTADO OPERACIONAL -28,61%
RESULTADO LÍQUIDO -37,03%
EBITDA -20,02%

b) 2T16 vs 2T15
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +0,97%
RESULTADO BRUTO -13,70%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -8,27%
RESULTADO OPERACIONAL -23,22%
RESULTADO LÍQUIDO -20,12%
EBITDA -11,79

c) lucro (taxa média anual)
UA -37,03%
U2A -26,35%
U3A -22,88%

d) patrimônio líquido médio
UA 2,10%
U2A 5,03%
U3A 6,73%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 10%: R$ 7,62

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 10%): -4,5% !!!

175724 - jbegood  -  26 Mar 2013, 15:26
Citação: DSRS
Citação: jbegood
Direcional - to achando o movimento irracional, mas gostando... tomara que caia mais pra comprar mais barato. 2013 vai ser recorde de receita, lucro e geração de caixa.

Não sei se a opção de mercado direcionado para as classes C e D não estará pesando...?
Não vejo porque... pelas minhas contas os empreendimentos já lançados garantem uma receita pra 2013 30% maior que 2012. Eles tem ganhado muito com escala, canteiros enormes, muitas unidades, o risco de execução é minimo. Não tem risco de repasse/vendas, eles praticamente prestam um serviço pro governo. O risco é político apenas, e não vejo um grande problema nisso no momento.

Se formos pensar na "perpetuidade" da empresa, realmente não é bom negócio... mas o mercado não enxerga tão longe... 2013 e 2014 as perspectivas são ótimas.

175539 - aprendiz quebrado do professor -  25 Mar 2013, 23:55
Hehehehehehe

Lucro da Direcional sobe 63% no 4º trimestre
Compartilhar:
Por Natalia Viri | Valor

SÃO PAULO - A Direcional encerrou o quarto trimestre de 2012 com lucro líquido de R$ 72,7 milhões, alta de 63,3% em relação a um ano antes. As receitas subiram 16,3%, para R$ 344,1 milhões. Pela primeira vez no ano, a incorporadora conseguiu gerar caixa. O indicador ficou positivo em R$ 7 milhões, contra queima de R$ 43 milhões no trimestre anterior.

Os custos acompanharam o faturamento e subiram 16,4%, para R$ 248,3 milhões. As despesas operacionais, por sua vez, foram reduzidas. Os gastos administrativos caíram 9,2% para R$ 17,6 milhões, enquanto os dispêndios comerciais recuaram 6,1%, para R$ 8,7 milhões.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de R$ 74,7 milhões, alta de 17% sobre um ano antes.

Com foco no programa Minha Casa, Minha Vida, do governo federal, a companhia foi na contramão das demais incorporadoras listadas e quase triplicou seus lançamentos nos últimos três meses de 2012, para R$ 1,2 bilhão. As vendas contratadas subiram na mesma proporção, para R$ 1,1 bilhão.

No ano, a Direcional lucrou R$ 225 milhões, alta de 28,4% em relação a 2011. A receita subiu 27,6%, para R$ 1,4 bilhão.

(Natalia Viri | Valor)

Leia mais em:
http://www.valor.com.br/empresas/3059840/lucro-da-direcional-sobe-63-no-4#ixzz2ObCBKTzV

175520 - paulo_prof -  25 Mar 2013, 23:29
DIRR3
PREÇO R$ 15,40
PAYOUT (2012) 25,3%

P/L 10,45
P/VPA 1,78
PSR 1,72
DY 2,42%
EV/EBITDA 9,34
MARGEM BRUTA 27,1%
MARGEM OPERACIONAL 18,2%
MARGEM LÍQUIDA 16,5%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,474
MARGEM EBITDA 21,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 59,7%
ROE 17,07%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,73

Taxas de Crescimento Nominal

a) exercício de 2012 vs 2011
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 27,55%
RESULTADO BRUTO 23,09%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -18,24%
RESULTADO OPERACIONAL 20,50%
RESULTADO LÍQUIDO 28,43%
EBITDA 17,83%

b) 4T12 vs 4T11
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 16,26%
RESULTADO BRUTO 16,01%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -46,55%
RESULTADO OPERACIONAL 24,07%
RESULTADO LÍQUIDO 63,26%
EBITDA 16,87%

c) lucro (taxa média anual)
UA 28,43%
U2A 16,24%
U3A 41,70%

d) patrimônio líquido médio
UA 14,20%
U2A 30,49%
U3A 43,88%

Preço justo fornecido pela fórmula do FCD para uma taxa média de crescimento real nulo do lucro líquido dos últimos 12 meses durante 5 anos, perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8%: R$ 18,42

Ou, taxa de crescimento real do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária, durante os próximos 5 anos, para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD seja igual ao preço corrente (com uma perpetuidade real nula e taxa de desconto anual real de 8%): -4,0%

Outro reloginho suiço ...

175509 - jbegood -  25 Mar 2013, 22:58
Direcional: Lucro liquido de 230 milhoes =)))
http://www.rad.cvm.gov.br/enetconsulta/frmGerenciaPaginaFRE.aspx?CodigoTipoInstituicao=1&NumeroSequencialDocumento=25252

166912 - ZOTTI - 13 Fev 2013, 14:52
13/02) DIRECIONAL (DIRR - NM) - Comunicado ao Mercado
DRI: Jose Carlos Wollenweber Filho

Enviou o seguinte Comunicado ao Mercado:

"Belo Horizonte, 13 de fevereiro de 2013 - A Direcional Engenharia S.A. (BM&FBovespa: DIRR3) vem informar a seus acionistas e ao mercado em geral que firmou, junto a Caixa Economica Federal e o Municipio de Macapa, contrato para a construcao de unidades residenciais na cidade de Macapa, no ambito do Programa "Minha Casa, Minha Vida", para familias com renda mensal de ate R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais).

O projeto, denominado "Residencial Sao Jose", contempla a construcao de 1.440 (um mil, quatrocentas e quarenta) unidades residenciais pelo valor global de R$ 89.280.000,00 (oitenta e nove milhoes, duzentos e oitenta mil reais).

163253 - paulo_prof -  12 Jan 2013, 00:26
Citação: rnelias
Citação: jbegood
enquanto isso DIRR tambem faz novo TH com R$44 milhões de volume...

E eu estou a 2 semanas esperando ela baixar de 14 :o/
Os indicadores dela estão ficando meio assustadores. Se o prof. pudesse postar um FCD dela ficaria mais tranquilo de entrar agora.


Vamos supor que esta brincadeira de MCMV continue por 5 anos e que depois disto a empresa estabilize a sua produção de forma a manter o lucro real (descontada a inflação) inalterado. Ou seja, suponha uma perpetuidade real nula. Suponha uma taxa de desconto anual real de 6%.

Para que o "preço justo" da fórmula do FCD seja igual ao preço atual (R$ 14,85) seria necessário que a taxa de crescimento real do lucro postado nos últimos 12 meses cresça, nos próximos 5 anos, 8% negativos !!!

Se a taxa de desconto é aumentada para 8% e o período de crescimento do lucro, antes que se estabeleça a perpetuidade, é reduzido para 3 anos, a taxa anual de crescimento real do lucro para um preço justo igual à cotação atual teria que ser 2,5% negativos!!!

As taxas médias reais de crescimento do lucro líquido nos últimos anos são:

último ano: 4,4%
últimos 2 anos: 13,4%
últimos 3 anos: 32,2%
9M12 sobre 9M11: 10,5%

Moral da história: pelo andar da carruagem, visto que as margens são grandes, o risco de um investimento em DIRR3 ao preço atual parece pequeno !!!

163225 - vellinhotrt4 -  11 Jan 2013, 19:24
Resultado do 4T dela vai ser absurdo, difícil uma correção por enquanto ein!
04/01) DIRECIONAL (DIRR-NM) - Previa Operacional 4T12
DRI: Jose Carlos Wollenweber Filho
A empresa enviou comunicado no qual consta o seguinte:

DIRECIONAL ANUNCIA NOVO RECORDE DE VENDAS LIQUIDAS NO 4T12, COM R$ 1,1 BILHAO, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 208% EM RELACAO AO 4T11.
NO ANO, AS VENDAS LIQUIDAS ALCANCARAM R$ 2,3 BILHOES, CRESCIMENTO DE 84% EM RELACAO A 2011.

LANCAMENTOS
Os lancamentos atingiram nivel recorde de R$ 1,2 bilhao no 4T12, crescimento de 178% em relacao ao 4T11 e 119% em relacao ao 3T12. No trimestre foram lancadas 13.210 unidades, com preco medio de R$ 92,5 mil.
No acumulado de 2012, o VGV lancado foi de R$ 2,3 bilhoes, aumento de 62% quando comparado ao R$ 1,4 bilhao lancado no ano de 2011.
PROJETOS MINHA CASA, MINHA VIDA - FAIXA 1
No 4T12, a Direcional contratou cinco empreendimentos na Faixa 1 do Programa "Minha Casa, Minha Vida". Estas contratacoes totalizaram VGV de R$ 987,7 milhoes e 12.836 unidades.
No acumulado do ano de 2012 as contratacoes na Faixa 1 do programa totalizam VGV de R$ 1,6 bilhao e 23.234 unidades, crescimento de 215% e 162%, respectivamente, em comparacao ao ano de 2011.

Para a construcao destas unidades sera utilizado modelo industrializado de construcao, com tecnologia de formas de aluminio e paredes de concreto, permitindo a entrega do empreendimento no prazo de 15 a 24 meses.
VENDAS LIQUIDAS CONTRATADAS
As vendas liquidas contratadas alcancaram o volume recorde de R$ 1,1 bilhao no 4T12, crescimento de 208% em relacao ao 4T11 e 102% em relacao ao 3T12. No trimestre foram vendidas 13.404 unidades, com preco medio de R$ 86,2 mil.

No acumulado de 2012, o VGV contratado atingiu R$ 2,3 bilhoes, aumento de 84% se comparado ao ano de 2011.
ENTREGAS
A Direcional entregou 7 empreendimentos no 4T12, um total de 2.996 unidades e VGV de R$ 294,5 milhoes*. No acumulado de 2012, foram entregues 22 empreendimentos que totalizaram 11.334 unidades e VGV de R$ 1,1 bilhao.
ESTOQUE
A Direcional encerrou o 4T12 com um VGV em estoque de R$ 796,8 milhoes, representado por 2.846 unidades. O estoque de unidades concluidas era composto por 595 unidades, com valor de mercado de R$ 126,8 milhoes.
BANCO DE TERRENOS
No 4T12 foram adquiridos dois terrenos com VGV potencial total de R$ 78,0 milhoes, representando 256 unidades. No ano de 2012 foram adquiridos 5 terrenos com VGV de R$ 347,0 milhoes e 2.450 unidades.

162253 - jbegood -  03 Jan 2013, 22:37
CARAJO?

COMUNICADO AO MERCADO

DIRECIONAL ANUNCIA NOVO RECORDE DE VENDAS LÍQUIDAS NO 4T12, COM R$ 1,1 BILHÃO, REPRESENTANDO UM CRESCIMENTO DE 208% EM RELAÇÃO AO 4T11.

NO ANO, AS VENDAS LÍQUIDAS ALCANÇARAM R$ 2,3 BILHÕES, CRESCIMENTO DE 84%
EM RELAÇÃO A 2011

Belo Horizonte, 03 de janeiro de 2013 - A Direcional Engenharia S.A. (BM&FBOVESPA: DIRR3), uma das maiores incorporadoras e construtoras do Brasil, com foco no desenvolvimento de empreendimentos populares de grande porte e atuação nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sudeste do Brasil, comunica aos seus acionistas e ao mercado sua prévia operacional do quarto trimestre de 2012 (4T12).

Clique aqui para acessar o comunicado.

160671 - alisonvm -  17 Dez 2012, 12:47
Menos de 3 meses de pois de divulgarem a intenção de trazerem o MCMV pra São Paulo, ja assinam o primeiro contrato.

Ta me parecendo um setor sem concorrência..... por enquanto.

Mas os custos de se construir em SP, é totalmente outro em comparação com Nordeste.
Tomara que a direcional consiga boas margens.

160660 - danieljoseaa -  17 Dez 2012, 11:30
DIRR3:

A Direcional Engenharia S.A. vem informar a seus acionistas e ao mercado em geral que firmou, junto ao Banco do Brasil e ao Governo do Estado de São Paulo, contrato para a construção de unidades residenciais na cidade de Sorocaba, no âmbito do Programa “Minha Casa, Minha Vida”, para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais).

O projeto, denominado “Jardim Carandá”, contempla a construção de 2.560 (dois mil, quinhentos e sessenta) unidades residenciais pelo valor global de R$ 226.304.000,00 (duzentos e vinte e seis milhões, trezentos e quatro mil reais).

159284 - jbegood  -  04 Dez 2012, 23:41
VQV!

A Direcional Engenharia S.A. vem informar a seus acionistas e ao mercado em geral que firmou, junto a Caixa Econômica Federal e ao Governo do Distrito Federal, na data de 04 de dezembro de 2012, contrato para a construção de unidades residenciais na região administrativa de Paranoá/DF, no âmbito do Programa "Minha Casa, Minha Vida", para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00 (mil e seiscentos reais).

O projeto, denominado "Paranoá Parque", contempla a construção de 6.240 (seis mil, duzentos e quarenta) unidades residenciais pelo valor global de R$ 448.730.791,70 (quatrocentos e quarenta e oito milhões, setecentos e trinta mil, setecentos e noventa e um reais e setenta centavos).

159283 - renato1631 -  04 Dez 2012, 23:38
Seriam eztc,hbor3,jhsf3 e dirr3 as construtoras para manter em 2013?

Direcional Engenharia investe R$ 448,7 milhões no Distrito Federal
Brasil Econômico (redacao@brasileconomico.com.br)
04/12/12

O projeto "Paranoá Parque” contempla a construção de 6.240 unidades residenciais.

A Direcional Engenharia firmou junto a Caixa Econômica Federal e ao governo do Distrito Federal contrato para a construção de unidades residenciais em Paranoá, no âmbito do Programa "Minha Casa, Minha Vida".

Segundo a empresa, serão construídas 6.240 unidades residenciais pelo valor global de R$ 448,7 milhões.

O projeto, denominado "Paranoá Parque", será destinado para famílias com renda mensal de até R$ 1.600,00.

157573 - aprendiz quebrado do professor -  20 Nov 2012, 00:35
O aprendiz quebrado e o uqaz já apostaram

Gestora aposta em small cap do setor de construção civil para compor seu fundo
A Direcional Engenharia foi incluída no fundo por suas boas perspectivas de crescimento nos próximos anos com a maior demanda do programa Minha Casa Minha Vida

Por Gabriella D'Andréa |14h20 | 19-11-2012

SÃO PAULO – A Direcional Engenharia (DIRR3), empresa do setor de construção civil, é uma das apostas da G5 Evercore em seu fundo G5 Equities FIC FIA. De acordo com a gestora, fatores como grandes projetos por parte da empresa estrutura verticalizada e processo padronizado, com menor ciclo de construção de obras, além da distribuição geográfica em locais com grande potencial de crescimento e baixa competição (Norte e Centro-Oeste) contribuíram para a escolha.
A G5 ainda ressalta que a companhia conta com o fomento do governo, através de subsídios da Caixa Econômica Federal para participar do programa Minha Casa, Minha Vida. "A Direcional tem um histórico sólido de atuação junto a CEF e deve ser uma das principais beneficiadas com a forte demanda gerada pelo programa nos próximos anos", dizem os gestores.

Resultados
No mês passado, a alocação média do fundo ficou em 93%, número 1% maior em relação à setembro (92%). “Destacamos que no período o beta projetado do fundo, já baixo, apresentou redução em comparação com a projeção do mês anterior, em linha com nossa estratégia conservadora de preservação de capital, no qual estamos mais expostos a setores defensivos, voltamos ao mercado doméstico, como varejo, transportes e consumo”, detalha a carta mensal da G5.
Em outubro, o fundo G5 Equities FIC FIA registrou rentabilidade de 1,81%, ante queda de 3,56% do Ibovespa.

http://www.infomoney.com.br/onde-investir/fundos-de-investimento/noticia/2609264/Gestora-aposta-small-cap-setor-construcao-civil-para-compor-seu

156188 - paulo_prof -  10 Nov 2012, 12:50
Tabela corrigida e atualizada

DIRR3
PREÇO: R$ 12,75
PAYOUT (2011): 23,4%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 9,89
P/VPA 1,48
PSR 1,47
DY 2,37%
EV/EBITDA 8,25
MARGEM BRUTA 27,0%
MARGEM OPERACIONAL 17,9%
MARGEM LÍQUIDA 14,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,290
MARGEM EBITDA 20,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 59,7%
ROE 14,93%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,73

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 9M12 em relação aos Resultados dos 9M11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +31,9%
RESULTADO BRUTO +25,8%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -6,9%
RESULTADO OPERACIONAL +19,2%
RESULTADO LÍQUIDO +16,6%
EBITDA +17,9%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal:
a) do lucro líquido:
UA 10,12%
U2A 19,65%
U3A 39,46%

b) do patrimônio líquido médio
UA 31,90%
U2A 41,35%
U3A 57,34%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: -8%

155152 - paulo_prof -  05 Nov 2012, 22:22
DIRR3
PREÇO: R$ 12,45
PAYOUT (2011): 23,4%

Múltiplos relativos aos últimos 12 meses:
P/L 9,65
P/VPA 1,44
PSR 1,44
DY 2,43%
EV/EBITDA 8,09
MARGEM BRUTA 27,0%
MARGEM OPERACIONAL 17,9%
MARGEM LÍQUIDA 14,9%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,290
MARGEM EBITDA 20,9%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 59,7%
ROE 14,93%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,73

Taxas de Crescimento dos Resultados dos 9M12 em relação aos Resultados dos 9M11:
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +31,9%
RESULTADO BRUTO +25,8%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -6,9%
RESULTADO OPERACIONAL +19,2%
RESULTADO LÍQUIDO +16,6%
EBITDA +17,9%

Taxas Anuais Médias de Crescimento Nominal:
a) do lucro líquido:
UA 10,12%
U2A 19,65%
U3A 39,46%

b) do patrimônio líquido médio
UA 31,90%
U2A 41,35%
U3A 57,34%

Taxa anual média REAL de crescimento do lucro líquido dos últimos 12 meses necessária durante os próximos 3 anos para que o preço justo calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e desconto anual real de 8% seja IGUAL ao preço atual: -8,5%

PS. Tabela corrigida

155137 - danieljoseaa - 05 Nov 2012, 21:21
DIRR3: :):)

http://ri.direcional.com.br/direcional/web/conteudo_pt.asp?idioma=0&conta=28&tipo=15159

A DIRECIONAL ALCANÇA RECEITA LÍQUIDA RECORDE DE R$ 1,0 BILHÃO NO 9M12 E  R$ 373 MILHÕES NO 3T12, CRESCIMENTO DE  32% E 25%, RESPECTIVAMENTE, EM  RELAÇÃO AOS MESMOS PERÍODOS DE 2011.

3T12 – DESTAQUES FINANCEIROS E OPERACIONAIS 

Receita Líquida Recorde de R$ 372,7 milhões no 3T12, crescimento de 25,2% em relação ao 3T11. No acumulado do ano a receita líquida  foi de 1,0 bilhão, crescimento de 31,9% em relação ao mesmo período de 2011; 

Lucro Bruto ajustado¹ de R$ 111,9 milhões no 3T12 e R$ 309,7 no  9M12, crescimento de 15,3% e 28,0% em relação ao 3T11 e 9M11;

Margem Bruta ajustada¹ de 30,0% no 3T12; 

Lucro Líquido ajustado² de R$ 57,1 milhões no 3T12 e R$ 160,7 no 9M12, representando uma margem líquida ajustada² de 15,3% e 15,7%, respectivamente; 

Geração de Caixa de R$ 38,6 milhões no 9M12, se ajustado por  variação do contas a receber de unidades concluídas;

Dívida Líquida sobre Patrimônio Líquido de 23,4%;

Lançamentos e Vendas: VGV lançado de R$ 543,1 milhões e contratado de R$ 558,4 milhões no 3T12; 

Recorde de contratação no MCMV Faixa 1: VGV de R$ 400,4 milhões e 6.398 unidades no 3T12;

VSO do trimestre atingiu 41,3%; 

Vendas de estoque: 65,8% do VGV vendido de incorporação no 3T12 refere-se a unidades em estoque;

Entrega de 15 empreendimentos no 9M12, VGV de R$ 832,1 milhões e de 8.338 unidades;

150814 - uqaz - 03 Out 2012, 11:50
Citação: jbegood
Prévia operacional da Direcional... Incrível!
http://ri.direcional.com.br/direcional/web/arquivos/Previa_Oper_3T12.pdf
kkkk
O VGV contratado do 3T11 foi R$ 429.432mi. O VGV contratado do 3T12 foi de R$ 558.051mi.

3T11 foi o maior lucro da história.

uqaz surfando com o Estado.

143187 - paulo_prof - 08/Ago/2012 01:22
citação: leeuwen

citação: paulo_profA Direcional continua um "relógio" no que tange o crescimento de seus resultados. É um dos melhores ativos no setor. O relatório merece ser lido com atenção, especialmente o que concerne o "cash burn" (aumento da dívida líquida). No momento a dívida líquida, aprox. 111% do Ebitda anual, não preocupa, especialmente porque a Ebitda vem crescendo a taxas exuberantes.

DIRR3

PREÇO: R$ 10,5
PAYOUT (2011): 23,4%

Múltiplos relativos aos ultimos 12 meses:
P/L 8,56
P/VPA 1,27
PSR 1,37
DY 2,74%
EV/EBITDA 7,34
MARGEM BRUTA 27,7%
MARGEM OPERACIONAL 19,0%
MARGEM LÍQUIDA 16,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,227
MARGEM EBITDA 22,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 49,7%
ROE 14,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,32

Taxas de crescimento relativas ao exercício de 2011:
................................................................. 1S ............. 2T
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ......... 35,98% ...... 32,21%
RESULTADO BRUTO ............................. 34,93% ...... 36,98%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO ..... 5,76% ....... -10,16%
RESULTADO OPERACIONAL ................ +35,71% .... +38,32%
RESULTADO LÍQUIDO ........................... +28,61% .... +28,33%
EBITDA ................................................ +33,56% .... +46,55%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM 30JUN .......... +13,93%

Taxas de crescimento anual médio nominal
a) do lucro líquido
UA 11,16%
U2A 23,39%
U3A 34,76%

b) do patrimônio líquido médio
UA 27,43%
U2A 38,93%
U3A 55,54%

Taxa de crescimento anual média real do lucro líquido necessária, durante 3 anos, para que o preço "justo" calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8% seja 30% maior do que a cotação atual: -8,5%

Não te assusta a concentração da Direcional no setor MCMV faixa 1 ?
A margem bruta é de 22%, tudo bem que o custo administrativo é metade do normal, não há custo de aquisição de terreno, não há custo de comercialização, além de pagar de imposto apenas RET 1% (para imóveis abaixo de 85 k)

Será que continuará a manter as margens líquidas em 15% ?
Esse "crescimento" dela cada vez mais depende da boa vontade da CEF, até onde isso pode ir ?

De quem é o risco do crédito na faixa 1 do MCMV. Não é integralmente da Caixa? Caso afirmativo, acho que enquanto a Caixa não puxar o tapete, a empresa não deverá ter problemas porque parece ser super competente no que concerne o controle da execução e dos custos. Ou seja, o risco da Direcional está praticamente limitado ao acesso ao crédito.

Acho que a Caixa, na faixa 1 do MCMV, é capaz de estar melhor servida com uma Direcional, do que com uma Tenda e até mesmo com uma MRV. Num cenário de cortes importantes no orçamento do MCMV, não é improvável uma empresa como a Direcional ser privilegiada, pois de outra forma sucumbiria.

Mas concordo não ser um ativo para se manter por um longo prazo.

143112 - uqaz - 07 Ago 2012, 17:11
Andei dando uma espiadinha,. Inicialmente gostei muito, mas depois desanimei. Ocorre que o método PoC "privilegia" lançamentos. Do release, dá pra ver que foram os lançamentos que bombaram:
"A Direcional lançou VGV de R$ 470,2 milhões no 2T12, crescimento de 228% e 63% quando comparado ao 1T12 e 2T11, respectivamente."
Isso se manterá neste ritmo? Eu não sei, mas 228% é muito....
Como mostrado, a dívida disparou, mas nada muito radical. Ainda está bem, bem abaixo de Rossi, por exemplo. Não me lembro corretamente, mas a amortização da dívida vai ser feita em 2 anos...não sei como isso impactará nos próximos resultados financeiros, que vêm se mantendo positivos (parece ser a HBOR do Minha casa Minha vida).

Como estou concentrando minha carteira em alta renda, parece ser ua alternativa bacana.

143027 - paulo_prof -  07 Ago 2012, 11:10
A Direcional continua um "relógio" no que tange o crescimento de seus resultados. É um dos melhores ativos no setor. O relatório merece ser lido com atenção, especialmente o que concerne o "cash burn" (aumento da dívida líquida). No momento a dívida líquida, aprox. 111% do Ebitda anual, não preocupa, especialmente porque a Ebitda vem crescendo a taxas exuberantes.

DIRR3

PREÇO: R$ 10,5
PAYOUT (2011): 23,4%

Múltiplos relativos aos ultimos 12 meses:
P/L 8,56
P/VPA 1,27
PSR 1,37
DY 2,74%
EV/EBITDA 7,34
MARGEM BRUTA 27,7%
MARGEM OPERACIONAL 19,0%
MARGEM LÍQUIDA 16,0%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,227
MARGEM EBITDA 22,0%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 49,7%
ROE 14,80%
LIQUIDEZ CORRENTE 3,32

Taxas de crescimento relativas ao exercício de 2011:
................................................................. 1S ............. 2T
RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA ......... 35,98% ...... 32,21%
RESULTADO BRUTO ............................. 34,93% ...... 36,98%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO ..... 5,76% ....... -10,16%
RESULTADO OPERACIONAL ................ +35,71% .... +38,32%
RESULTADO LÍQUIDO ........................... +28,61% .... +28,33%
EBITDA ................................................ +33,56% .... +46,55%
PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM 30JUN .......... +13,93%

Taxas de crescimento anual médio nominal
a) do lucro líquido
UA 11,16%
U2A 23,39%
U3A 34,76%

b) do patrimônio líquido médio
UA 27,43%
U2A 38,93%
U3A 55,54%

Taxa de crescimento anual média real do lucro líquido necessária, durante 3 anos, para que o preço "justo" calculado pela fórmula do FCD com perpetuidade real nula e taxa de desconto real de 8% seja 30% maior do que a cotação atual: -8,5%


120662 - paulo_prof - 14/Mar/2012 16:15
PREÇO: R$ 11,58

PAYOUT (2011): 23,75%

Relativo aos últimos 12 meses:

P/L      10,02
P/VPA            1,52
PSR     1,64
DY      2,37%
EV/EBITDA  7,72
MARGEM BRUTA  28,0%
MARGEM OPERACIONAL          19,3%
MARGEM LÍQUIDA          16,3%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 1,156
MARGEM EBITDA 22,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       40,9%
ROE    15,15%
LIQUIDEZ CORRENTE     2,87

Taxas anuais médias nominais de crescimento:

a) do lucro líquido:
UA      5,20% 
U2A    48,84%          
U3A    39,59%          

b) do patrimônio líquido médio
UA      49,10%
U2A    61,50%
U3A    61,81%

Taxa anual média real de crescimento do lucro líquido, durante 3 anos, necessária para que o preço justo fornecido pela fórmula do FCD com taxa de desconto real de 10% e perpetuidade real nula seja 150% o preço atual (1,5*R$11,58=R$13,68): 6,5%


102167 - paulo_prof - 13/Nov/2011 00:32
Resultados dos últimos 9 meses em relação a igual período de 2010:

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA +49,7%
RESULTADO BRUTO +28,6%
RESULTADO FINANCEIRO POSITIVO -25,0%
RESULTADO OPERACIONAL +5,2%
RESULTADO LÍQUIDO +10,3%
EBITDA +29,6%

Crescimento do Patrimônio Líquido em 12 meses: +47% (efeito IFSR)

Multiplicadores relativos aos últimos 12 meses

PREÇO: R$ 9,12
PAYOUT: 27,9%
P/L      7,74
P/VPA            1,20
PSR     1,33
DY      3,61%
EV/EBITDA  6,08
MARGEM BRUTA  28,5%
MARGEM OPERACIONAL          18,7%
MARGEM LÍQUIDA          17,2%
LUCRO POR AÇÃO           R$ 1,179
MARGEM EBITDA 23,3%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO       38,0%
ROE    15,53%
LIQUIDEZ CORRENTE     3,20

Taxas anuais médias nominais de crescimento:
a) do lucro líquido
UA      30,00%          
U2A    56,94%          
U3A    46,05%

b) do patrimônio líquido médio (efeito IFSR)
UA      43,56%
U2A    73,41%
U3A    69,68%

Taxa anual média de crescimento real do lucro líquido durante 3 anos necessária para um preço justo 50% maior do que a cotação anual (perpetuidade de 0% real; taxa de desconto anual real de 10%): +5,5%


Análise Coin Valores
A construtora e incorporadora Direcional Engenharia, fundada em 1981 pelo engenheiro Ricardo Valadares Gontijo, já construiu mais de 2 milhões de m² e entregou e/ou incorporou mais de 30 mil unidades. Com sede em Belo Horizonte (MG), está presente no Amazonas, Distrito Federal, Espírito Santo, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rondônia e São Paulo. É uma das mais conceituadas construtoras e incorporadas do mercado e estreou em 2009 a comercialização de suas ações na BM&FBovespa.

RETROSPECTIVA 2010
Nos 9M10 a companhia teve vendas contratadas de R$ 630,6 milhões, aumento de 20,5% se comparado aos R$ 523,4 milhões dos 9M09 e um recorde histórico para a companhia. No início de outubro a companhia celebrou contrato junto a Prefeitura do Rio de Janeiro para a construção do “Projeto Bairro Carioca”, empreendimento com VGV total de R$ 114,2 milhões e 2.240 unidades para a faixa de 0 a 3 salários mínimos do “Programa Minha Casa, Minha Vida”. Com esse projeto, até o mês de outubro de 2010, a companhia já havia contratado VGV de R$ 744,8 milhões e 9.258 unidades, aumento de 12,7% e 18,3% respectivamente se comparado a todo o ano de 2009. A receita liquida acumulada atingiu R$ 518,6 milhões, com Margem Líquida Ajustada de 24,4%. O ROE anualizado do 3T10 foi de 25,2%. O LandBank era de R$ 8,6 bilhões (R$ 7,4 bilhões % Companhia), composto por 66.167 unidades potenciais, sendo 69,7% elegíveis ao “Programa Minha Casa, Minha Vida”.

PERSPECTIVA 2011
O ambiente econômico do país continua muito favorável ao desenvolvimento da indústria da construção civil, principalmente no segmento popular (déficit habitacional expressivo, crescimento demográfico, aumento da renda, disponibilidade de crédito imobiliário e incentivos governamentais); condições econômicas que deverão se sustentar nos próximos anos. A companhia reafirma sua estratégia de verticalização da cadeia produtiva, acreditando


ser um importante diferencial para garantir qualidade, prazo de entrega e domínio de custos de construção.


52850 - paulo_prof - 02/Nov/2010 13:06
Os múltiplos da Direcional, baseados na anualização dos resultados do 9M10 são os seguintes:

Preço: R$ 13,41
Payout (no exercício de 2009 foi o mínimo legal): 23,8%
P/L 11,32
P/VPA 2,28
PSR 2,59
DY 2,10%
EV/EBTIDA 8,78
MARGEM BRUTA 32,7%
MARGEM OPERACIONAL 27,8%
MARGEM LÍQUIDA 22,8%
LUCRO POR AÇÃO R$ 1,184
MARGEM EBITDA 26,7%
DÍVIDA BRUTA/PATRIMÔNIO LÍQUIDO 8,6%
ROE 20,17%
LIQUIDEZ CORRENTE 2,48

O lucro líquido vem crescendo numa média trimestral de impressionantes 10,9%, ou seja, 51,2% anuais.

Considerando a minha hipótese usual para uma taxa de desconto de 16% e para o crescimento na perpetuidade de 3%, os "preços justos" da DIRR3, calculados pela fórmula do FCD seriam:

a) para crescimento anual médio de 51,2% durante 2 anos: R$ 16,97
b) para crescimento anual médio de 30% durante 5 anos: R$ 21,79


35291 - DanielRodrigues - 12/Mai/2010 21:01
Está longe de ser a melhor do setor, mas de qualquer forma é uma empresa para se ficar de olho.
Lucro da Direcional Engenharia tem forte alta e fica em R$ 37,4 mi no 1T10
Por: Equipe InfoMoney
12/05/10 - 19h58
InfoMoney
SÃO PAULO - Reportando um lucro líquido de R$ 37,47 milhões, a Direcional Engenharia (DIRR3) divulgou nesta quarta-feira (12) seu resultado do primeiro trimestre de 2010. A cifra representa um avanço de 154,7% nos ganhos da companhia em relação ao mesmo período de 2009.
Entre janeiro e março deste ano, a companhia, que completa neste mês seis meses de listagem no Novo Mercado, somou R$ 142,7 milhões em receita líquida, alta de 119,7% na base de comparação anual. Os números também representam avanço em relação ao trimestre anterior.
Comentando a performance e as perspectivas da empresa, a administração destacou o "Minha Casa, Minha Vida", que impulsionou a recuperação do setor no ano passado e ganhou uma continuação neste ano. "Com um foco histórico de atuação em grandes projetos populares, desfrutamos de uma posição única para aproveitar a extensão do programa", aponta a Direcional.
Ebitda
O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) do período ficou em R$ 42,36 milhões, crescendo 133,8% na comparação com o primeiro trimestre de 2009.


Por fim, a margem Ebitda (relação percentual entre a receita líquida e o Ebitda) ganhou 1,8 ponto percentual na mesma base de comparação, chegando ao fim de março em 29,7%.

28517 - paulo_prof - 19/Fev/2010 15:55
citação: fergntEstimado Prof.Paulo

Peço a gentileza de analisares a DIRECIONAL ENGENHARIA - DIRR3.

Para facilitar vou adiantar alguns dados que encontrei no site da bovespa.

PRINCIPAIS INDICADORES

3T09 3T08 9M09 9M08

Receita Líquida (R$MM).. 112,7 88,4 262,0 180,9

Lucro Bruto (R$ MM)..... 40,7 37,8 86,9 74,5

EBITDA (R$ MM).......... 35,0 34,6 74,8 59,1

Lucro Líquido (R$ MM)... 29,0 32,7 60,0 51,9

Margem Bruta............ 36,1% 42,8% 33,1% 41,2%

Margem EBITDA........... 31,1% 39,2% 28,6% 32,7%

30/09/2009 30/06/2009

Disponibilidades

67.576 59.442

Ativo Total

749.477 660.725

Endividamento Financeiro

104.326 84.996

Patrimônio Líquido

390.107 349.817

Receita Líquida

261.998 180.933

Resultado Bruto

86.851 74.548

Receita (Despesa) Financeira Líquida

7.691 6.039

Resultado Operacional

72.999 58.757

Lucro (Prejuízo) Líquido

60.035 51.875

Atividades Operacionais

(54.390) (66.811)

Atividades de Investimento (7.912) (1.141)

Atividades de Financiamento 69.704 127.518

Variação Cambial s/ Caixa e Equivalentes

0 0

Aumento (Redução) de Caixa e Equivalentes

7.402 59.566

Muito obrigado pela análise.

fergnt

Não respondi antes por ter estado meio incomunicável ...

Tenho uma boa impressão (note bem, "impressão") da Direcional Engenharia como empresa. O seu ponto mais fortem possivelmente, seja o seu crescimento e sua regularidade em produzir lucro.

Em 2004, a receita líquida foi de R$ 47 milhões, com um lucro líquido de R$ 15 milhões. Nos 9M2009, a receita líquida anualizada é de aprox. R$ 350 milhões (dará mais do que isto), com um lucro líquido também anualizado de R$ 80 milhões (também dará mais do que isto). Os crescimentos anuais médios são impressionantes: 49% para a receita líquida e 40% para o lucro líquido.

Por outro lado, entretanto, não gosto muito do preço. Acho que está um pouco puxado demais. Ao preço de hoje, o valor de mercado é de R$ 1,22 bilhões. Isto é aprox. 3 vezes maior do que o patrimônio líquido que deverá ser anunciado no balanço referente a 2009. Se projetarmos, otimisticamente, um lucro de R$ 140 milhões para o exercício de 2010, teríamos um P/L = 8,73.

Acho que EZTC3 e HBOR3 ainda representam melhores negócios aos preços atuais. De acordo com as minhas projeções para 2010:

EZTC3: P/VPA = 1,22; P/L = 6,83

HBOR3: P/VPA = 1,37; P/L = 7,22 

Nenhum comentário: